13. MÁQUINAS PARA SEMEADURA E PLANTIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "13. MÁQUINAS PARA SEMEADURA E PLANTIO"

Transcrição

1 MÁQUINAS PARA SEMEADURA E PLANTIO São sistemas mecânicos responsáveis pela deposição de órgãos vegetativos no solo. A forma de deposição desses órgãos vegetativos são definidas como: Semeadoras. Depositam sementes finas e grossas (arroz, milho, feijão, soja, trigo, etc). Plantadoras. Responsáveis pelo plantio de órgãos vegetativos considerados tubérculos (batata, mandioca e cana). Transplantadoras. São máquinas cuja função é de plantar mudas (cebola, eucaliptos e arroz) Classificação das Semeadoras As semeadoras classificam-se quanto: a) À forma de distribuição. Em linha contínua. As sementes são distribuídas em linha, porém não existe uma precisão em suas deposições; Em linha de precisão. As sementes são dosadas, de preferência uma a uma, e o espaçamento entre elas é bem uniforme; A lanço aéreas e terrestres. As sementes são lançadas aleatoriamente sobre a superfície a ser semeada. b) À forma de Acionamento. Manual. São acionadas pelo próprio operador; 1- Roda de terra - Rabiça 3- Depósito de sementes 4- Roda compactadora 5- Marcador de linhas Semeadora manual

2 107 De tração animal. São acionadas por animais. No Brasil, normalmente esses animais são mulas ou bois; Semeadora de tração animal Tratorizadas. São semeadoras acionadas e deslocadas pelos tratores agrícolas. Elas podem ser: Montadas (acopladas ao sistema hidráulico de levantamento de três pontos) Semi-montadas (acopladas apenas nos dois pontos inferiores do sistema hidráulico de levantamento de três pontos) De arrasto (acoplada em um único ponto ao trator, normalmente à barra de tração). 1- Roda de acionamento - Engrenagem motora 3- Engate 4- Depósito de adubo 5- Depósito de semente 6- Corrente 7- Facão 8- Cobridor de sementes 9- Roda compactadora 10- Regulagem de profundidade 11- Alavanca de acionamento 1- Rabiça Semeadoras-adubadoras. a) Montada, b) De arrasto

3 108 c) Ao mecanismo dosador de sementes. Tem por função dosar as sementes requeridas e conduzi-las a uma abertura de saída. Podem ser classificadas como segue: Em linha: Disco perfurado vertical, horizontal e inclinado; Correia perfurada; Discos alveolados; Orifício regulador; Pneumático; Rotor acanalado. A lanço: Rotor centrífugo; Canhão centrífugo; d) Ao material dosado. Semeadora. Apenas as sementes são dosadas e colocadas no solo; Semeadora-adubadora. Além das sementes, a máquina dosa e coloca no solo o adubo a ser utilizado na cultura Semeadura É o ato de lançar ou depositar sementes no solo para que haja o seu desenvolvimento até o momento da colheita. A semeadura pode ser feita em três tipos básicos: No plano; Em camalhões; Em sulcos.

4 109 As máquinas Semeadoras-Adubadoras possuem as seguintes funções básicas: Abrir o sulco; Dosar a quantidade de semente e adubo; Posicionar a semente e o adubo no sulco; Cobrir as sementes e o adubo Regulagem das Máquinas Semeadoras-Adubadoras Regulagem das Semeadoras-Adubadoras para sementes miúdas Principais características das semeadoras para sementes miúdas (arroz, trigo, aveia, etc): Grande número de linhas; Pequeno espaçamento entre linhas; Semeadura em linha ou fluxo contínuo; Permitem pouca movimentação do solo; Menor profundidade de trabalho.

5 110 Acoplamento De arrasto: acoplamento feito na barra de tração; Montados: acoplamento feito nos três pontos do sistema hidráulico. Centralização A centralização deve ser feita apenas para as semeadoras-adubadoras montadas. Fazer com que a linha central da semeadora passe pelo centro de tração do trator. Essa regulagem é feita nas correntes ou barras estabilizadoras. Nivelamento longitudinal e transversal Assim como a centralização, o nivelamento longitudinal e transversal deve ser feito apenas para as semeadoras-adubadoras montadas. O nivelamento longitudinal e transversal deve ser feito usando as manivelas que regulam o terceiro e segundo ponto, respectivamente. Mecanismo dosador de sementes Aberturas no fundo de depósitos de sementes referentes ao número de linhas de semeadura que recebem um eixo acanalado que transporta as sementes pelo tubo de descarga girado pelas próprias rodas da semeadora. Existem alavancas que aumentam ou diminuem a vazão das sementes. Semelhante à distribuição de adubo. Dosador de sementes de rotor acanalado

6 111 Abridores de sulco Como as semeadoras de sementes finas são projetadas para uma pequena movimentação de solo, os abridores de sulco recebem ao mesmo tempo a tubulação de adubo e de sementes e podem conter discos simples ou duplos. A alteração da tensão da mola permite pequenos ajustes de profundidade de adubação e semeadura. Cobridores de sulco Normalmente é utilizada uma corrente com grandes elos arrastada atrás de cada linha de semeadura e adubação quando o solo é devidamente preparado para a operação, senão faz-se necessário o uso de discos ou outros mecanismos. Mecanismo dosador de adubo A distribuição de adubo, geralmente, é feita por meio de roscas sem-fim, mas também podem existir outros mecanismos como, por exemplo, o uso de discos horizontais rotativos, rotores verticais impulsores, correias ou correntes e cilindros acanalados. A variação da vazão é feita por meio da mudança das engrenagens motoras e movidas fazendo com que as roscas girem mais ou menos. QUANTIDADE DE ADUBO E SEMENTES a) Distância percorrida por hectare: m L E em que: L = distância percorrida, m/ha; E = distância entre fileiras, m. b) Quantidade aplicada: q Q L

7 11 em que: Q = quantidade de adubo, g/m; q = dosagem recomendada, kg/ha; L = distância percorrida, m/ha. Exemplo: Cultura: Trigo; Dosagem de adubo recomendada (q = 400 kg/ha); Dosagem de sementes recomendada (q = 100 kg/ha); Espaçamento entre fileiras (E = 0,0 m); Considerando a patinagem da roda motriz de 4%; Diâmetro da roda motriz = 0,70m. Distância percorrida por hectare: m L m 0,0m Quantidade aplicada de adubo: 400kg Q 1.000g / kg 8g / m m Considerando a patinagem da roda motriz de 4% da semeadora: Q 8g / m*1,04 8,3g / m Quantidade aplicada por volta (Considera-se o diâmetro da roda motriz): Diâmetro da roda motriz = 0,70m; Perímetro da roda motriz = π * D = 3,14159 * 0,70 =,199 m; Q = 8,3 g/m *,199 m/volta = 18,9 g/volta. Quantidade aplicada de sementes: 100kg Q 1.000g / kg g / m m

8 113 Considerando a patinagem da roda motriz de 4%; Q g / m *1,04,08g / m Quantidade aplicada por volta (Considera-se o diâmetro da roda motriz): Diâmetro da roda motriz = 0,70m; Perímetro da roda motriz = PI * D = 3,14159 * 0,70 =,199 m; Q =,08 g/m *,199 m/volta = 4,57 g/volta. c) Método prático 1) Marcar com giz a roda motriz e o início da pista; ) Avançar o conjunto até que a roda motriz complete 10 voltas; 3) Medir a distância percorrida; 4) Ajustar a vazão nos orifícios (sementes e adubos). Exemplo: Depois de 10 voltas a semeadora desloca-se,40 metros. Deseja-se distribuir 1,7 g/m de sementes por metro de sulco, qual a dosagem de sementes após as 10 voltas será necessário? 1 m 1,7 g/m,40 m X g X = 38,08 gramas de sementes em 10 voltas do disco ou 3,8 gramas de sementes por volta do disco. Então serão necessários 38,08 gramas para as dez voltas Regulagem das máquinas semeadoras-adubadoras (sementes graúdas) Acoplamento De arrasto: acoplamento feito na barra de tração; Montados: acoplamento feito nos três pontos do sistema hidráulico.

9 114 Centralização A centralização deve ser feita apenas para as semeadoras-adubadoras montadas. Fazer com que a linha central da semeadora passe pelo centro de tração do trator. Essa regulagem é feita nas correntes ou barras estabilizadoras. Nivelamento longitudinal e transversal Assim como a centralização, o nivelamento longitudinal e transversal deve ser feito apenas para as semeadoras-adubadoras montadas. O nivelamento longitudinal e transversal deve ser feito usando as manivelas que regulam o terceiro e segundo ponto, respectivamente. barra. Espaçamento entre linhas (unidades semeadoras) É feito na barra porta-ferramentas tendo como referência o centro da Exemplo 1: 0,45 1,00 1,00 0,45 3 unidades semeadoras; Barra porta-ferramentas com,85 m;,85 Espaçamento entre fileiras igual a 1,00 m. Exemplo : 6 unidades semeadoras; 0,175 0,50 0,50 0,50 0,50 0,50 0,175 Barra porta-ferramentas com,85 m; Espaçamento entre fileiras igual a 0,50 m.,85 Marcadores de linha A regulagem é feita no comprimento da haste. Comprimento da haste: D e( n 1) b

10 115 em que: D = distância do centro da unidade semeadora da extremidade até o disco, m; e = espaçamento entre linhas, m; n = número de linhas ou fileiras; b = bitola do trator, m. Exemplo: Um trator MF 75 possui limites de bitola inferior e superior de 1560 e 165 mm para a traseira e 1645 e 040 mm para a dianteira respectivamente. O mesmo trator será acoplado a uma semeadora-adubadora de 4 linhas. Para uma cultura com espaçamento entre linhas de 1 metro, calcule o comprimento da haste do marcador de linha bem como uma bitola adequada para a operação. Assumindo bitolas dianteiras e traseiras de.000 mm temos:

11 116 e = 1,00 D g B =,00 D g e {( n 1) e} B g (31,00),00 g 0,5 então: e( n 1) b 1,00(4 1),00 D 0,5 1,00 1, 5m ou D 1, 5m QUANTIDADE DE ADUBO Distância percorrida por hectare: m L E em que: L = distância percorrida, m/ha; E = distância entre fileiras, m. Quantidade de adubo aplicado: q Q 1000 L

12 117 em que: Q = quantidade de adubo, g/m; q = dosagem recomendada, kg/ha; L = distância percorrida, m. Exemplo: Milho (q = 400kg/ha); Distância entre fileiras (E = 1,00 m); Patinagem da roda motriz de 4%; Diâmetro da roda motriz = 0,70m m L m 1,00m 400 Q g / m Considerando a patinagem da roda motriz de 4%; Q 40g / m1,04 41,6 g / m Quantidade aplicada por volta (Considera-se o diâmetro da roda motriz) Perímetro da roda motriz = PI x D = 3,14159 x 0,70 =,199 m; Q = 41,6 g/m x,199 m/volta = 91,48 g/volta. Determinação da quantidade de adubo a ser aplicado (kg ): Q 41,6 g 1kg m m 1.000g ha 416kg ( tabela) A distribuição de adubo, geralmente, é feita por meio de roscas sem-fim, sendo que as diferentes dosagens são obtidas pela troca de engrenagens motora e movida. Verificar a relação de engrenagens nas tabelas das semeadoras-adubadoras.

13 118 Exemplos de roscas sem fim Parafuso com rosca sem fim colocado sob o depósito de adubo QUANTIDADES DE SEMENTES Para melhor elucidar esse item, usaremos o exemplo a seguir. Exemplo: População desejada de plantas por hectare; Espaçamento entre linhas de 1,0 metro; Poder germinativo das sementes de 85%; Pureza das sementes de 98%; Índice de sobrevivência de 90%; Capacidade de enchimento do disco de 90%; Patinagem da roda motriz da semeadora de 4%.

14 119 Número de sementes por hectare (NS): NS S tan d G P V em que: NS = nº de sementes por hectare, sem/ha; G = poder germinativo, decimal; P = pureza da semente, decimal; V = índice de sobrevivência, decimal. Então: NS sem 0,850,980, sem NS( sem/ m) L m m L m E sem NS ( sem/ m) 6,67sem/ m m Espaçamento entre sementes, EES 1 1 EES 0,15m / sem NSm 6,67sem/ m Considerando o enchimento do disco de 90% tem-se: EES = 0,15 x 0,90 = 0,135 m/sem Considerando patinagem de 4% tem-se: EES = 0,135 x (1-0,04) = 0,196 m/sem

15 10 Logo aproximadamente: EES = 13 cm/sem OBS: Esses cálculos geralmente estão contidos nas tabelas das máquinas. A dosagem de sementes geralmente é feita por meio de discos horizontais perfurados e troca das engrenagens movida e motora. Verificar a relação de engrenagens nas tabelas das semeadoras-adubadoras. Relação de engrenagens motoras e movidas Exemplo de discos dosadores horizontais de sementes Exemplo: Escolher o disco indicado para cada cultura e verificar nas tabelas das semeadoras a relação de engrenagens recomendadas. Tabela EES (MF 40) = 13 cm/sem Disco = 30 furos Engrenagem acionadora = 7 dentes Engrenagem acionada = 9 dentes

16 11 SEMEADORA ADUBADORA MF 40 N de dentes da roda dentada Discos Acionadora Acionada (A) (B) furos furos furos furos ,6 3,3 3,8 1, ,8 7,9,3 18, ,3 5,1 0,1 16, ,3, 17,7 14, , 17,1 13,6 11, , 15,1 1,1 10, ,5 11,7 9,4 7, ,7 10,3 8,3 6, ,0 8,0 6,4 5, ,1 7,0 5,6 4, ,4 6, 5,0 4, ,0 5,5 4,4 3,6 Tabela de espaçamento de sementes (cm) Outras máquinas C P E1 E em que: PRm nf EES C = nº de dentes da coroa; P = nº de dentes do pinhão; E1 = nº de dentes da engrenagem 1; E = nº de dentes da engrenagem ; PRm = perímetro da roda motriz, cm; nf = nº de furos do disco; Coroa Disco Dosador Pinhão Engrenagem da roda motriz (E) Engrenagem do pinhão (E1) Roda Motriz EES = espaçamento entre sementes, cm/sem.

17 1 Exemplo: EES = 1 cm/sem; C = 3 dentes; P = 16 dentes; E1 = 10 dentes; E = 1 dentes; Diâmetro da roda motriz de 70 cm; nf =? (Qual o número de furos deverá ter o disco dosador de sementes?) ,14159* 70 * * 1 nf 16 1 nf 30,54 31 furos Método prático Etapas para execução desse método: Marcar com giz uma referência da semeadora e o início da pista; Avançar devagar até o disco dosador completar 10 voltas; Medir a distância percorrida; Determinar o número de furos do disco. Exemplo: Ao dar dez giros no disco dosador, a semeadora desloca-se,40 metros. Caso deseje-se distribuir 6,67 sementes por metro de sulco, qual o número de furos do disco dosador será necessário? 1m sulco 6,67 sementes,40m X sementes logo,,406,67 X 149,4 sementes em 10 1 voltas

18 13 Ou seja, para cada volta do disco são depositadas 14,9 sementes. Isso significa que será necessário um disco de 15 furos. Sulcadores São os elementos responsáveis pela abertura do sulco inicial. São usados principalmente em semeadoras de sementes graúdas. Podem ser: Enxadas ( asa de andorinha, bico de pato, etc); Geralmente são afixados na barra porta ferramentas e pode ser ajustado na sua profundidade. Discos (simples ou duplos). São utilizados geralmente em semeadoras de sementes miúdas e duplos para as de sementes graúdas. A regulagem de profundidade para os sulcadores de discos basicamente é feito agindo na tensão da mola. Enxada Disco simples Disco duplo Cobridores de sulco São elementos responsáveis pela cobertura das sementes e adubo. Existem três os tipos básicos: De discos duplos; De chapas; e De rodas duplas de borracha.

19 14 Rodas de compactação São elementos responsáveis para promover uma maior interação solosemente. Existem vários tipos de rodas de compactação Força exigida pelas semeadoras-adubadoras A força exigida pelas semeadoras-adubadoras para solos convencionalmente preparados pode ser obtida pela seguinte equação: onde: F 1550 n F = força por unidade semeadora-adubadora (N); n = número de unidades semeadoras.

20 Exemplo 1: Qual a força necessária para tracionar uma semeadora-adubadora de quatro linhas em solo convencionalmente preparado? 15 Para a situação supracitada temos: F N Transformando de N para kgf: (1 N = 0,10197 kgf) F , , 3kgf Exemplo : Para o exemplo anterior, calcule a potência nominal do motor do trator necessária para a operação considerando que o conjunto tratorsemeadora se desloca a uma velocidade de 6 km/h. Transformando km/h para m/s: Temos: 6 km 3,6 1, h 67 m s P 1,67 m 63,3 kgf 1.053, 7 s kgf m s Transformando para cv: Se 1 cv = 75 kgf m/s, então temos: 1 cv 75 kgf X m s cv 1.053,7 kgf m s X X 1.053, ,05 cv Calculando a potência nominal do trator: P( Bt) 14,05 cv P( Motor) 8, 10 0,50 0,50 cv

21 Exercícios a) Como são definidas as máquinas quanto a forma de deposição dos órgãos vegetativos no solo? b) Quais as funções básicas das semeadoras adubadoras? c) Quais as principais características das semeadoras para sementes miúdas? d) Dados: Cultura: Trigo; Dosagem de adubo recomendada (q = 400 kg/ha); Dosagem de sementes recomendada (q = 100 kg/ha); Espaçamento entre fileiras (E = 0,0 m); Considerando a patinagem da roda motriz de 4%; Diâmetro da roda motriz = 0,70m. Qual a quantidade de adubo e sementes aplicada por volta da roda motriz da semeadora adubadora? e) Depois de 10 voltas a semeadora desloca-se 6,40 metros. Deseja-se distribuir,4 g/m de sementes miúdas por metro de sulco, qual a dosagem de sementes após as 10 voltas será necessário? f) Para uma semeadora-adubadora de 6 linhas e espaçamento entre linhas de 0,60 metros, calcule o comprimento da haste do marcador de linha com a bitola ajustada em 1600 mm. g) Dados: População desejada = plantas por hectare; Espaçamento entre linhas = 0,60 metro; Poder germinativo = 95%; Pureza das sementes = 98%; Índice de sobrevivência = 93%; Capacidade de enchimento do disco = 95%; Patinagem = 6%. Qual o espaçamento entre sementes? h) Ao dar dez giros no disco dosador, a semeadora desloca-se 36,40 metros. Caso deseje-se distribuir 1,5 sementes por metro de sulco, qual o número de furos do disco dosador será necessário?

10. MÁQUINAS PARA SEMEADURA E PLANTIO

10. MÁQUINAS PARA SEMEADURA E PLANTIO 10. MÁQUINAS PARA SEMEADURA E PLANTIO São sistemas mecânicos responsáveis pela deposição de órgãos vegetativos no solo. A forma de deposição desses órgãos vegetativos são definidas como: Semeadoras. Depositam

Leia mais

O plantio compreende a colocação do órgão da planta no solo, de tal forma que ele tenha condição de germinar.

O plantio compreende a colocação do órgão da planta no solo, de tal forma que ele tenha condição de germinar. SEMEADORAS 1 O plantio compreende a colocação do órgão da planta no solo, de tal forma que ele tenha condição de germinar. O órgão da planta utilizado para sua propagação pode ser: semente, tubérculo,

Leia mais

LEB 432 Máquinas e Implementos Agrícolas. TÓPICO: Máquinas para Semeadura. Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. LEB/ESALQ/USP

LEB 432 Máquinas e Implementos Agrícolas. TÓPICO: Máquinas para Semeadura. Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. LEB/ESALQ/USP LEB 432 Máquinas e Implementos Agrícolas TÓPICO: Máquinas para Semeadura Prof. Dr. Casimiro Dias Gadanha Jr. LEB/ESALQ/USP OBJETIVOS Conhecer a classificação das semeadoras Conhecer a constituição e o

Leia mais

SEMEADORAS CAPÍTULO????

SEMEADORAS CAPÍTULO???? ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DEC ENGENHARIA RURAL LER 432 Máquinas e Implementos Agrícolas SEMEADORAS CAPÍTULO???? EDIÇÃO 2005 J.P. MOLIN T.C.C.RIPOLI C.D.GADANHA Jr. W.F.MOLINA

Leia mais

Semeadoras agrícolas. Distribuição das sementes

Semeadoras agrícolas. Distribuição das sementes Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias - Laboratório de Engenharia Agrícola EAG 03305 Mecanização Agrícola Prof. Ricardo Ferreira Garcia

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE NOVA XAVANTINA

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE NOVA XAVANTINA GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS DE NOVA XAVANTINA Acadêmico (a) Disciplina: Máquinas Agrícolas Professor: Ms.

Leia mais

Departamento de Engenharia de Biossistemas ESALQ/USP SEMEADURA. LEB0432 Máquinas e Implementos Agrícolas. Prof. Leandro M. Gimenez

Departamento de Engenharia de Biossistemas ESALQ/USP SEMEADURA. LEB0432 Máquinas e Implementos Agrícolas. Prof. Leandro M. Gimenez SEMEADURA LEB0432 Máquinas e Implementos Agrícolas Prof. Leandro M. Gimenez 2016 MATERIAL PARA ESTUDO MIALHE, L. G. Máquinas agrícolas para plantio. Editora Millennium. São Paulo, 2012. 648 p. BALASTREIRE,

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE ORIFÍCIOS EM DISCO DOSADOR DE SEMEADORA-ADUBADORA PARA SEMENTES DE MAMONA

DIMENSIONAMENTO DE ORIFÍCIOS EM DISCO DOSADOR DE SEMEADORA-ADUBADORA PARA SEMENTES DE MAMONA DIMENSIONAMENTO DE ORIFÍCIOS EM DISCO DOSADOR DE SEMEADORA-ADUBADORA PARA SEMENTES DE MAMONA Alberto Kazushi Nagaoka 1 Angela de Emília de Almeida Pinto 2 Pedro Castro Neto 3 Antônio Carlos Fraga 4 Afonso

Leia mais

SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DAS SEMEADORAS DE LINHA DE PRECISÃO

SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DAS SEMEADORAS DE LINHA DE PRECISÃO 2ª parte semeadora SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO DAS SEMEADORAS DE LINHA DE PRECISÃO 2 A função deste sistema é selecionar as sementes individualmente do depósito numa taxa prédeterminada. Os principais sistemas

Leia mais

HiTech COMPACT Plantadora Adubadora *FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA.

HiTech COMPACT Plantadora Adubadora *FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA. HiTech COMPACT Plantadora Adubadora *FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA. Duas opções no sistema de articulação da linha da semente PANTOGRÁFICA Linha da semente com sistema pantográfico dotado de amplo curso de

Leia mais

SEMEADORA-ADUBADORA. Prof. Dr. Carlos Eduardo Angeli Furlani

SEMEADORA-ADUBADORA. Prof. Dr. Carlos Eduardo Angeli Furlani SEMEADORA-ADUBADORA 1 Qual a cultura? Qual o adubo? 2 Qual o tamanho/formato da semente? Qual a quantidade de sementes/hectare? Qual a quantidade de plantas/hectare? Quando? 3 revolvimento mínimo do solo

Leia mais

SEMEADORA-ADUBADORA. Prof. Dr. Carlos Eduardo Angeli Furlani RESULTADOS DE PESQUISAS

SEMEADORA-ADUBADORA. Prof. Dr. Carlos Eduardo Angeli Furlani RESULTADOS DE PESQUISAS SEMEADORA-ADUBADORA RESULTADOS DE PESQUISAS 1 Rendimento da cultura de milho em diferentes manejos do solo e tipos de sulcadores (haste x disco duplo) utilizados na operação de semeadura. (Klein & Boller,

Leia mais

JM2960PD EX - vista lateral UNIDADE DE DISCO DE CORTE ABAIXO DA MÁQUINA E UNIDADE DE ADUBO

JM2960PD EX - vista lateral UNIDADE DE DISCO DE CORTE ABAIXO DA MÁQUINA E UNIDADE DE ADUBO PLANTADORA ADUBADORA PIVOTADA JM2860-PD MG JM2960-PD EX ENXUTA Plantadora Adubadora JM2860PD ENXUTA MG, fornecida com chassi de 08 e 10 linhas. Plantadora Adubadora JM2960PD ENXUTA EX, fornecida com chassi

Leia mais

PLANTADEIRAS DE MÚLTIPLA SEMEADURA

PLANTADEIRAS DE MÚLTIPLA SEMEADURA PLANTADEIRAS DE MÚLTIPLA SEMEADURA Plantio direto para todo tipo de cultura. A Case IH lança no mercado sua linha de plantadeiras para todos os tipos de cultura: girassol, aveia, trigo, arroz, algodão,

Leia mais

Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura

Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura Mecanização Agrícola Manejo de Culturas de Cobertura MANEJO DA VEGETAÇÃO E DE RESTOS CULTURAIS INTRODUÇÃO - Preparos Conservacionistas Objetivos: Superfície coberta máximo de tempo possível Uniformidade

Leia mais

Por que ler o manual é um hábito tão necessário?

Por que ler o manual é um hábito tão necessário? ???????????? 1 Por que ler o manual é um hábito tão necessário? Muitas vezes, erros básicos cometidos pelo usuário do produto poderiam ser evitados com a leitura do manual e instrução. O comportamento

Leia mais

Disco Duplo Desencontrado 16 (padrão) D.D.D - Direito D.D.D - Esquerdo

Disco Duplo Desencontrado 16 (padrão) D.D.D - Direito D.D.D - Esquerdo PLANTADORA ADUBADORA PIVOTADA JM3080-PD JM3090-PD MAGNUM EXACTA AIR Plantadora Adubadora JM3080PD Magnum, fornecida com chassi de 08, 10, 12, 13, 15 e 18 linhas. Plantadora Adubadora JM3090PD Exacta, fornecida

Leia mais

VICTÓRIA. Plantio com precisão para pequeno e médio produtor

VICTÓRIA. Plantio com precisão para pequeno e médio produtor VICTÓRIA Plantio com precisão para pequeno e médio produtor Catálogo virtual Português Abr/2016 VICTÓRIA DPS As plantadoras Victória são pneumáticas, compactas e leves. Disponíveis na versão pivotada-pantográfica

Leia mais

EQUILÍBRIO OPERACIONAL EM TRATORES. Prof. Dr. CARLOS EDUARDO ANGELI FURLANI

EQUILÍBRIO OPERACIONAL EM TRATORES. Prof. Dr. CARLOS EDUARDO ANGELI FURLANI EQUILÍBRIO OPERACIONAL EM TRATORES Prof. Dr. CARLOS EDUARDO ANGELI FURLANI Trator Agrícola Converte potência do motor em trabalho útil para execução de operações agrícolas Trator Agrícola A capacidade

Leia mais

SUA PRODUTIVIDADE GANHA FORÇA COM A SANTAL.

SUA PRODUTIVIDADE GANHA FORÇA COM A SANTAL. SANTAL.COM.BR TRADIÇÃO DE ALTO DESEMPENHO. SUA PRODUTIVIDADE GANHA FORÇA COM A SANTAL. TECNOLOGIA RESULTADO COMPROVADO NO SETOR SUCROALCOOLEIRO. A Plantadora Santal PDM2 é mais um exemplo do espírito inovador

Leia mais

CERES MASTER e CERES. Plantio eficiente com melhor custo/benefício

CERES MASTER e CERES. Plantio eficiente com melhor custo/benefício CERES MASTER e CERES Plantio eficiente com melhor custo/benefício Catálogo virtual Português Abr/2016 CERES MASTER As semeadoras Ceres Master apresentam modelos com grande versatilidade, agilidade e excelente

Leia mais

SEMEADORA ADUBADORA 1 INTRODUÇÃO

SEMEADORA ADUBADORA 1 INTRODUÇÃO 1 SEMEADORA ADUBADORA 1 INTRODUÇÃO Semear foi uma das primeiras operações agrícolas a ser mecanizada, dentro do contexto de modernização da agricultura em todos os países do mundo e em todas as épocas

Leia mais

UNITRI MECÂNICA E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA PRIMEIRA AULA DE MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA. Professor: Adriano Franzon

UNITRI MECÂNICA E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA PRIMEIRA AULA DE MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA. Professor: Adriano Franzon UNITRI MECÂNICA E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA PRIMEIRA AULA DE MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA Professor: Adriano Franzon EMENTÁRIO Elementos básicos de mecânica. Mecanismos de transmissão de potência. Lubrificação e lubrificantes.

Leia mais

MÁQUINAS DE ELEVAÇÃO E TRANSPORTE

MÁQUINAS DE ELEVAÇÃO E TRANSPORTE MÁQUINAS DE ELEVAÇÃO E TRANSPORTE AULA 8 ACIONAMENTO E MECANISMOS DE ELEVAÇÃO PROF.: KAIO DUTRA Acionamento Manual e Alavanca de Comando Um acionamento manual pode ser empregado em mecanismos de baixa

Leia mais

MAQUINAS PARA PREPARO DO SOLO

MAQUINAS PARA PREPARO DO SOLO MAQUINAS PARA PREPARO DO SOLO GRADES grade É um implemento agrícola utilizado na agricultura para descompactação do solo e também controle de plantas daninhas, só remove a camada superficial do solo.

Leia mais

Plantio direto para todo tipo de cultura.

Plantio direto para todo tipo de cultura. SemeadoraS PARA GRÃOS GRAÚDOS Plantio direto para todo tipo de cultura. A Case IH lança no mercado sua linha de semeadoras para todos os tipos de cultura: girassol, aveia, trigo, arroz, algodão, sorgo,

Leia mais

9. SISTEMAS DE DIREÇÃO

9. SISTEMAS DE DIREÇÃO 56 9. SISTEMAS DE DIREÇÃO 9.1. Direção mecânica Há tipos diferentes de mecanismos de direção mecânica. O mais comum é o tipo pinhão e cremalheira. O conjunto de engrenagens de pinhão e cremalheira realiza

Leia mais

hitech plantadadora adubadora *FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA.

hitech plantadadora adubadora *FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA. hitech plantadadora adubadora *FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA. Câmbio Caixa de câmbio de fácil acesso para regulagem da dosagem de fertilizante e semente por meio de grupo de rodas dentadas e correntes, possibilitando

Leia mais

Classificação de tratores agrícolas

Classificação de tratores agrícolas Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias - Laboratório de Engenharia Agrícola EAG 03305 Mecanização Agrícola Prof. Ricardo Ferreira Garcia

Leia mais

3. TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA

3. TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA 8 3. TRANSMISSÃO DE POTÊNCIA Os mecanismos de transmissão estão presentes em várias partes das máquinas e implementos agrícolas, transferindo potência e movimento, podendo atuar também como elemento de

Leia mais

EFEITO DA VELOCIDADE DO CONJUNTO TRATOR SEMEADORA- ADUBADORA E DA PROFUNDIDADE DE DEPOSIÇÃO DO ADUBO SOB PLANTIO DIRETO NA CULTURA DO FEIJÃO

EFEITO DA VELOCIDADE DO CONJUNTO TRATOR SEMEADORA- ADUBADORA E DA PROFUNDIDADE DE DEPOSIÇÃO DO ADUBO SOB PLANTIO DIRETO NA CULTURA DO FEIJÃO EFEITO DA VELOCIDADE DO CONJUNTO TRATOR SEMEADORA- ADUBADORA E DA PROFUNDIDADE DE DEPOSIÇÃO DO ADUBO SOB PLANTIO DIRETO NA CULTURA DO FEIJÃO Introdução Danilo Gomes de Oliveira ¹ (UEG) Josué Gomes Delmond

Leia mais

14. CULTIVO MECÂNICO. Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser:

14. CULTIVO MECÂNICO. Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser: 17 14. CULTIVO MECÂNICO Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser: Mecânicos; Químicos; Chamas. Os cultivadores mecânicos são usados para uma

Leia mais

TECNOLOGIA EM MÁQUINAS PARA SEMEADURA NO SISTEMA PLANTIO DIRETO

TECNOLOGIA EM MÁQUINAS PARA SEMEADURA NO SISTEMA PLANTIO DIRETO TECNOLOGIA EM MÁQUINAS PARA SEMEADURA NO SISTEMA PLANTIO DIRETO Marcos Roberto da Silva (UFRB CETEC / dasilvamr@hotmail.com), Afonso Peche Filho (CAPTAEA - IAC), Luiz Antonio Daniel (FATEC - CEETEPS).

Leia mais

AVALIAÇÃO DE REGULAGENS EM DISTRIBUÍDORES DE CORRETIVOS E FERTILIZANTES DO TIPO PENDULAR

AVALIAÇÃO DE REGULAGENS EM DISTRIBUÍDORES DE CORRETIVOS E FERTILIZANTES DO TIPO PENDULAR AVALIAÇÃO DE REGULAGENS EM DISTRIBUÍDORES DE CORRETIVOS E FERTILIZANTES DO TIPO PENDULAR Leonardo DÜSTERHÖFT ; João Pedro Fossa BERNARDY ; Lucas Renan EFFTING ; Fabrício Campos MASIEIRO ; Ricardo Kozoroski

Leia mais

Semeadeira de 1 Linha para Motocultivador ou Tratorito Instruções do Operador

Semeadeira de 1 Linha para Motocultivador ou Tratorito Instruções do Operador R Semeadeira de 1 Linha para Motocultivador ou Tratorito Instruções do Operador INDÚSTRIA MECÂNICA KNAPIK LTDA. Rua Prefeito Alfredo Metzler, 480 - CEP 89400-000 - Porto União - SC Site: www.knapik.com.br

Leia mais

PLANTADEIRA EASY RISER 2200

PLANTADEIRA EASY RISER 2200 PLANTADEIRA EASY RISER 2200 A Case IH desenvolveu para o mercado brasileiro uma nova família de plantadeiras, a Easy Riser 2200. Seguindo o conceito mundial Agronomic Design, da Case IH, a nova plantadeira

Leia mais

3. Máquinas Agrícolas

3. Máquinas Agrícolas 3.2. Máquinas de distribuição Trabalho: distribuem produtos à superfície do terreno (por vezes enterrado) Tipos de máquinas de distribuição distribuidores de estrume sólido distribuidores de estrume líquido

Leia mais

Catálogo de Peças Plantadeiras PHS 63, 126, 146 E 167

Catálogo de Peças Plantadeiras PHS 63, 126, 146 E 167 CATÁLOGO DE PEÇAS Catálogo de Peças Plantadeiras PHS 63, 126, 146 E 167 Através deste Catálogo de Peças nosso cliente pode identificar e solicitar as peças de reposição para sua Plantadeira. Ao solicitar

Leia mais

SEMEADEIRA MANUAL INSTRUÇÕES DO OPERADOR

SEMEADEIRA MANUAL INSTRUÇÕES DO OPERADOR R SEMEADEIRA MANUAL INSTRUÇÕES DO OPERADOR INDÚSTRIA MECÂNICA KNAPIK LTDA Rua Prefeito Alfredo Metzler, 480 Bairro Santa Rosa 89.400-000 Porto União - SC Telefone (42)3522-2789 - 3522-1819 E-mail: vendas@knapik.com.br,

Leia mais

PLB 2 / 3 / 4 / 5 / 6 Linhas

PLB 2 / 3 / 4 / 5 / 6 Linhas Publicação: Janeiro 00 PLB / / / / Linhas DISCRIMINAÇÃO DO PRODUTO ÍNDICE Cabeçalho 00 Cabeçalho 00 Cabeçalho 00 Cabeçalho 00 Cabeçalho 00 Cabeçalho 00 Carrinho com Roda Compactadora de Ferro Plantio Direto

Leia mais

SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE TRATORES AGRÍCOLAS

SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE TRATORES AGRÍCOLAS SISTEMA DE TRANSMISSÃO DE TRATORES AGRÍCOLAS Mecanismos responsáveis pela recepção, transformação e transmissão da potência do motor até os locais de sua utilização nos tratores. Nos tratores agrícolas

Leia mais

11. CULTIVO MECÂNICO. Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser:

11. CULTIVO MECÂNICO. Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser: . CULTIVO MECÂNICO Cultivo é o conjunto de operações após a instalação e durante o desenvolvimento da cultura. Podem ser: Mecânicos; Químicos; Chamas. Os cultivadores mecânicos são usados para uma movimentação

Leia mais

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro Centro de Ciências e Tecnologias Agropecuárias - Laboratório de Engenharia Agrícola EAG 03305 Mecanização Agrícola Prof. Ricardo Ferreira Garcia

Leia mais

Plantadeiras Easy Riser 3200

Plantadeiras Easy Riser 3200 Plantadeiras Easy Riser 3200 O plantio é a mais importante das operações agrícolas. É o momento de definição do potencial produtivo da lavoura. Qualquer desvio nesta operação resultará em perdas que não

Leia mais

Catalogo de Peças JM J2 / J2S CATÁLOGO DE PEÇAS

Catalogo de Peças JM J2 / J2S CATÁLOGO DE PEÇAS CATÁLOGO DE PEÇAS 1 INTRODUÇÃO As ilustrações dos desenhos em vistas explodidas mostram a montagem típica dos vários conjuntos e peças componentes. Identificando a peça no nº de referência das vistas explodidas,

Leia mais

Plantadeira Tração Animal Instruções do Operador

Plantadeira Tração Animal Instruções do Operador R Plantadeira Tração Animal Instruções do Operador Fone: (42) 3522-2789 3522-1819 3523-79 Rua Prefeito Alfredo Metzler, 480 - CEP 89400-000 - Porto União - SC Site: www.knapik.com.br E-mail: knapik@knapik.com.br

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL DAS MISSÕES ATA AQUISIÇAO DE EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO MIGUEL DAS MISSÕES ATA AQUISIÇAO DE EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS Pregão Modalidade 000025 / 2014 Pregao 1 AQUISIÇAO DE EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS Ata de reunião realizada às 15:00 horas do dia 16 de junho de 2014, na sala de reuniões da Comissão Permanente de Licitações,

Leia mais

SEMEADORAS NEW HOLLAND PARA GRÃOS GRAÚDOS SOL TT SOL TOWER LAND MASTER

SEMEADORAS NEW HOLLAND PARA GRÃOS GRAÚDOS SOL TT SOL TOWER LAND MASTER SEMEADORAS NEW HOLLAND PARA GRÃOS GRAÚDOS SOL TT SOL TOWER LAND MASTER 2 3 LINHA DE SEMEADORAS NEW HOLLAND. A parceria entre a New Holland e a Semeato veio para render frutos ao produtor. Líder no mercado,

Leia mais

Preparo periódico do solo grades *

Preparo periódico do solo grades * Preparo periódico do solo grades * 1. Introdução Depois de efetuado o preparo primário, a terra fica revirada e com a superfície irregular e ondulada. Torna-se fundamental, antes de se proceder à semeadura,

Leia mais

ÍNDICE. 2. Iniciar a Operação 3. Regulagem da Adubadeira. Fatores de Influência PÁGINA. 1. Dados Técnicos

ÍNDICE. 2. Iniciar a Operação 3. Regulagem da Adubadeira. Fatores de Influência PÁGINA. 1. Dados Técnicos ÍNDICE. Dados Técnicos. Iniciar a Operação. Regulagem da Adubadeira. Fatores de Influência. Uso das Tabelas. Regulagem da Adubadeira sem as Tabelas. Teste Prático para Checar a Regulagem Feita. Trabalhar

Leia mais

PLANTADOR DE BATATAS SEMI-MONTADO 4 CARREIRAS SK-4

PLANTADOR DE BATATAS SEMI-MONTADO 4 CARREIRAS SK-4 PLANTADOR DE BATATAS SEMIMONTADO 4 CARREIRAS SK4 Plantador de batatas semimontado, destinado à plantação de tubérculos e sementes de batata em corredores de 70,75, 90 cm, e em simultâneo faz a desinfeção

Leia mais

MÁQUINAS PARA PREPARO DO SOLO PARTE I

MÁQUINAS PARA PREPARO DO SOLO PARTE I Departamento de Engenharia de Biossistemas ESALQ/USP MÁQUINAS PARA PREPARO DO SOLO PARTE I LEB0432 Máquinas e Implementos Agrícolas Prof. Leandro M. Gimenez 2016 159 EFICIÊNCIA EM TRAÇÃO E DEMANDA DE ENERGIA

Leia mais

AO PROPRIETÁRIO. Informações Gerais

AO PROPRIETÁRIO. Informações Gerais MANUAL AL DE INSTRUÇÕES INTRODUÇÃO A Plantadeira Adubadeira de Linhas TATU modelo T²SI reúne qualidade, eficiência, baixo custo, fácil operação e manutenção reduzida. Desenvolvida para efetuar o plantio

Leia mais

Seleção de Máquinas Agrícolas. Prof. Eng. Agr. Luiz Paulo Montenegro de Miranda

Seleção de Máquinas Agrícolas. Prof. Eng. Agr. Luiz Paulo Montenegro de Miranda Seleção de Máquinas Agrícolas Prof. Eng. Agr. Luiz Paulo Montenegro de Miranda Referências FOLLE, S. M.; FRANZ, C. A. B.; Trator Agrícola: características e fundamentos para sua seleção, por Sérgio Mauro

Leia mais

M-700. Lançamento! Motores e chaves opcionais. M-700. Fornecida com motor 1,5 CV de alta rotação, eixo de transmissão e chave de reversão

M-700. Lançamento! Motores e chaves opcionais. M-700. Fornecida com motor 1,5 CV de alta rotação, eixo de transmissão e chave de reversão Bica livre Acompanha Cana Shop 140/200 e estacionária Reservatório com torneira Acompanha Cana Shop 140/200, estacionária e Cana Shop 60 Motor estacionário indicado à partir de: 3,5 à 6,5 cv A 2 Lançamento!

Leia mais

PLANTADORA DE ARRASTO VERSÕES: L-M-H-HF-VHF MASSEY FERGUSON

PLANTADORA DE ARRASTO VERSÕES: L-M-H-HF-VHF MASSEY FERGUSON LINHAS 3-30MF 500 PLANTADORA DE ARRASTO VERSÕES: L-M-H-HF-VHF MASSEY FERGUSON Robustez, praticidade e eficiência na sua lavoura Chassi monobloco, com estrutura reforçada, projetado e desenvolvido para

Leia mais

ESTRELA. Não basta ser grande, tem que ser Estrela!

ESTRELA. Não basta ser grande, tem que ser Estrela! ESTRELA Não basta ser grande, tem que ser Estrela! Catálogo virtual Português Ago/2016 ESTRELA A Estrela é uma plantadora pneumática articulada, ágil, de grande porte e com rodado de plantio posicionado

Leia mais

ADEQUAÇÃO TRATOR IMPLEMENTO

ADEQUAÇÃO TRATOR IMPLEMENTO UNIVERISDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA RURAL DISCIPLINA DE MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA ADEQUAÇÃO TRATOR IMPLEMENTO Prof. Antônio Lilles Tavares Machado

Leia mais

PRIMA SUPER e CERES SUPER. Grandes semeadoras para culturas de inverno

PRIMA SUPER e CERES SUPER. Grandes semeadoras para culturas de inverno PRIMA SUPER e CERES SUPER Grandes semeadoras para culturas de inverno Catálogo Português Abr/2016 PRIMA SUPER A Prima Super é uma semeadora para culturas de inverno. Sua principal característica é a uniformidade

Leia mais

A AGRICULTURA FAMILIAR FAZ MAIS COM NEW HOLLAND.

A AGRICULTURA FAMILIAR FAZ MAIS COM NEW HOLLAND. A AGRICULTURA FAMILIAR FAZ MAIS COM NEW HOLLAND. Família de sucesso faz mais alimentos. Amigo agricultor familiar, chegou a hora de dar um salto em produtividade. Agora você vai poder modernizar a sua

Leia mais

b) lâmina em V (FLECO) Montada também sobre um chassis, a lâmina se divide em duas seções apresentando forma de V. Professor Diogo Santos Campos

b) lâmina em V (FLECO) Montada também sobre um chassis, a lâmina se divide em duas seções apresentando forma de V. Professor Diogo Santos Campos 66 12. PREPARO DO SOLO 12.1. Preparo inicial do solo O preparo inicial do solo caracteriza-se pelas operações necessárias para criar condições de implantação de culturas, em áreas não utilizadas anteriormente

Leia mais

MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA

MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA Professor: Diogo Santos Campos 1. INTRODUÇÃO Durante muitos séculos, os animais foram grandes auxiliares do homem nas tarefas agrícolas. Serviam de montaria, para movimentação

Leia mais

I- PLANTIO MECANIZADO A TRAÇÃO ANIMAL

I- PLANTIO MECANIZADO A TRAÇÃO ANIMAL I- PLANTIO MECANIZADO A TRAÇÃO ANIMAL Edwin Orville Finch * 1. INTRODUÇÃO O sucesso com a cultura do milho é altamente dependente da eficiência com que foi realizado o plantio. Neste aspecto, deve ser

Leia mais

FORD TRANSIT 2009 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

FORD TRANSIT 2009 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 FORD TRANSIT 2009 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Modelo... Van/Furgão Motor... Ford Duratorq 2.4 L TDCI Número de cilindros... 4 Potência (cv/rpm)... 115,6 (85 kw)/ 3.500 Torque (kgfm/rpm)... 31,63 (310 Nm)/

Leia mais

APÊNDICE "A" QUANTITATIVOS ESTIMADOS MORRI IPORÁ NHOS POSSE MAQUINÁRIOS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS RIO VERDE

APÊNDICE A QUANTITATIVOS ESTIMADOS MORRI IPORÁ NHOS POSSE MAQUINÁRIOS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS RIO VERDE ITEM CATMA T DESCRIÇÃO Conjunto Hidráulico Pantográfico DIANTEIRO para Trator LS 80.4 PLUS, tipo plaina agrícola dianteira, com sistema hidráulico próprio, altura mínima de levante de 2,90 m, para 1 acoplamento

Leia mais

6 Práticas Culturais

6 Práticas Culturais CULTURA DO ARROZ 6 Práticas Culturais A produção de arroz no Brasil é feita em dois grandes sistemas: - Terras altas - Várzeas Incluindo diversas modalidades de cultivo. Cultivo irrigado com irrigação

Leia mais

PRIMA SUPER e CERES SUPER. Grandes semeadoras para culturas de inverno

PRIMA SUPER e CERES SUPER. Grandes semeadoras para culturas de inverno PRIMA SUPER e CERES SUPER Grandes semeadoras para culturas de inverno PRIMA SUPER A Prima Super é uma semeadora para culturas de inverno. Sua principal característica é a uniformidade no plantio, pois

Leia mais

Catalogo de Peças JM 2090PD CATÁLOGO DE PEÇAS

Catalogo de Peças JM 2090PD CATÁLOGO DE PEÇAS CATÁLOGO DE PEÇAS 1 INTRODUÇÃO As ilustrações dos desenhos em vistas explodidas mostram a montagem típica dos vários conjuntos e peças componentes. Identificando a peça no nº de referência das vistas explodidas,

Leia mais

EXERCÍCIOS SEMEADOR/ADUBADORA:

EXERCÍCIOS SEMEADOR/ADUBADORA: EGR 1003 MÁQUINAS E IMPLEMENTOS AGRÍCOLAS Monitora Guidiane Moro - Exercícios 1 EXERCÍCIOS SEMEADOR/ADUBADORA: 1 Um agricultor deseja cultivar 500 ha. Sabe-se que a densidade de semeadura recomendada é

Leia mais

transversal anterior 85,0 (G) / 86,0 (E) a rpm 12,4 (G) / 12,5 (E) a rpm Gasolina / Etanol 5 a frente e 1à ré

transversal anterior 85,0 (G) / 86,0 (E) a rpm 12,4 (G) / 12,5 (E) a rpm Gasolina / Etanol 5 a frente e 1à ré WEEKEND WEEKEND ATTRACTIVE 1.4 FLEX 2017 4P CILINDROS 04 em linha transversal anterior Nº DE VÁLVULAS POR CILINDRO 2 CILINDRADA TOTAL (CC) POTÊNCIA MÁXIMA (CV) TORQUE MÁXIMO (KGF.M) ALIMENTAÇÃO 1.368 85,0

Leia mais

Prima Semeadora múltipla para culturas de inverno e verão

Prima Semeadora múltipla para culturas de inverno e verão Prima Semeadora múltipla para culturas de inverno e verão Visite nosso site: www.stara.com.br Prima As Semeadoras Prima destacam-se por sua robustez e simplicidade de manuseio, aliadas com um design extremamente

Leia mais

1 - Prezado Cliente. Manual do Proprietário - Plantadeiras MPS 1000 / 1600 / 1800 / 2000

1 - Prezado Cliente. Manual do Proprietário - Plantadeiras MPS 1000 / 1600 / 1800 / 2000 - Prezado Cliente A história da IMASA confunde-se com a história da mecanização agrícola no Brasil. Os inúmeros projetos concebidos, desenvolvidos especialmente para as condições da agricultura brasileira,

Leia mais

Agrale 4100 Agrale Agrale 4100 GLP ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Motor Agrale M 93 Agrale M 93 Vanguard 627 V - Twin Potência

Agrale 4100 Agrale Agrale 4100 GLP ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Motor Agrale M 93 Agrale M 93 Vanguard 627 V - Twin Potência Agrale 4100 Agrale 4100.4 Agrale 4100 GLP Motor Agrale M 93 Agrale M 93 Vanguard 627 V - Twin 10,8 kw (14,7 CV) a 2.750 10,8 kw (14,7 CV) a 2.750 12 kw (16,2 CV) a 3.200 Torque 3,9 Nm a 2.350 3,9 Nm a

Leia mais

7. LASTRO, BITOLA E PNEUS

7. LASTRO, BITOLA E PNEUS 7. LASTRO, BITOLA E PNEUS 7.1. Lastreamentto Lastreamento de tratores agrícolas consiste em colocar pesos no trator, com os objetivos de aumentar: A estabilidade; A aderência (diminuindo a patinagem);

Leia mais

1 van 1 11/04/2008 19:30

1 van 1 11/04/2008 19:30 Calcareadora Tração Animal http://www.iadel.com.br/prod07.htm 1 van 1 11/04/2008 19:30 Calcareadora Tração Animal Dados técnicos: Capacidade total de carga de 400 kg de calcário ou esterco orgânico. Com

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO ÍNDICE

MANUAL DE OPERAÇÃO ÍNDICE ÍNDICE APRESENTAÇÃO...2 ASSISTÊNCIA TÉCNICA...2 CERTIFICADO DE GARANTIA...3 CERTIFICADO DE ENTREGA...4/5 1. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS...6 1.1. Características técnicas e potência do motor...6/7/8 1.2. Dimensões

Leia mais

LINHA 5000 AGRALE Compact 5075 Compact Arrozeiro. Força e versatilidade no tamanho que você precisa.

LINHA 5000 AGRALE Compact 5075 Compact Arrozeiro. Força e versatilidade no tamanho que você precisa. LINHA 5000 AGRALE 5065 Compact 5075 Compact 5075 5085 5085 Arrozeiro Força e versatilidade no tamanho que você precisa. Trator 5065 COMPACT COMPACT Motor MWM D229EC3 MWM D229-4 Número de Cilindros / Cilindradas

Leia mais

Catálogo de peças Plantadeiras SEED-SYSTEM PCRM

Catálogo de peças Plantadeiras SEED-SYSTEM PCRM Manual do Proprietário Plantadeiras SEED-SYSTEM PCRM Catálogo de peças Plantadeiras SEED-SYSTEM PCRM 47 Conjunto Transmissão 48 Conjunto Transmissão Ítem Código 01 221097 PF. SEXT. M8X50 02 201764 PORCA

Leia mais

Rendimentos em Transmissões Mecânicas

Rendimentos em Transmissões Mecânicas Rendimentos em Transmissões Mecânicas NOME: Lucas Ribeiro Machado O que é Transmissões Mecânicas Transmissão mecânica são equipamentos ou mecanismo que tem a função de transmitir potência, torque ou rotação

Leia mais

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Prof.: Carlos

Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia. Prof.: Carlos Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Campos de Presidente Epitácio LIDIANE FERREIRA Trabalho apresentado na disciplina de Elementos de Maquinas do Curso de Automação Industrial 3º módulo

Leia mais

85 (G) / 88 (E) a rpm. 12,4 (G) / 12,5 (E) a rpm. Eletrônica digital incorporada ao sistema de injeção

85 (G) / 88 (E) a rpm. 12,4 (G) / 12,5 (E) a rpm. Eletrônica digital incorporada ao sistema de injeção FIORINO FIORINO 1.4 EVO FLEX 2017 2P MOTOR CILINDROS 04 em linha Nº DE VÁLVULAS POR CILINDRO 2 CILINDRADA TOTAL (CC) POTÊNCIA MÁXIMA (CV) TORQUE MÁXIMO (KGF.M) DIÂMETRO X CURSO ASPIRAÇÃO 1368 85 (G) /

Leia mais

Sistemas de Irrigação Irrigabras. Carretel Irrigador

Sistemas de Irrigação Irrigabras. Carretel Irrigador Sistemas de Irrigação Irrigabras Carretel Irrigador O QUE É O CARRETEL IRRIGADOR? É um equipamento versátil, de fácil movimentação, simples operação e com baixo custo de investimento por hectare. Pode

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS AGROVETERINÁRIAS DISCIPLINA DE PRÁTICA DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS PRATM72

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS AGROVETERINÁRIAS DISCIPLINA DE PRÁTICA DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS PRATM72 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE CIÊNCIAS AGROVETERINÁRIAS DISCIPLINA DE PRÁTICA DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS PRATM72 Professor: Alberto Kazushi Nagaoka Professor: Mauro Nerbass Filho

Leia mais

LINHA BATATAS ARRANCADORA DE BATATAS DE 1 LINHA DESCARGA POSTERIOR DADOS TÈCNICOS

LINHA BATATAS ARRANCADORA DE BATATAS DE 1 LINHA DESCARGA POSTERIOR DADOS TÈCNICOS SPP-50V ARRANCADORA DE BATATAS DE 1 LINHA DESCARGA POSTERIOR Peso Kg 160 Comprimento m 1,60 Largura m 0,75 Altura m 0,85 Largura de trabalho m 0,54 Potência requerida kw/hp 15/20 Discos corta erva nº 2

Leia mais

UNIPORT 3000 NPK. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14)

UNIPORT 3000 NPK. Rua Dr. Luiz Miranda, Pompeia - SP - Tel. (14) Fax. (14) Rua Dr. Luiz Miranda, 1650-17580-000 - Pompeia - SP - Tel. (14) 3405 2100 - Fax. (14) 3452 1916 - E-mail: vendas@jacto.com.br PROTEJA O MEIO AMBIENTE. AO INUTILIZAR ESTE FOLHETO, NÃO JOGUE EM VIAS PÚBLICAS.

Leia mais

Debate de Mecanização. Campinas, 30 de Março de 2017

Debate de Mecanização. Campinas, 30 de Março de 2017 Debate de Mecanização Campinas, 30 de Março de 2017 Alternativas para produção de cana de açúcar no Nordeste, propostas CTBE Cultura da cana de açúcar em encosta: Colheita Cultura da cana de açúcar em

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA RURAL DISCIPLINA DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA RURAL DISCIPLINA DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA RURAL DISCIPLINA DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TRATORES AGRÍCOLAS Otoniel G. L. Ferreira DER - FAEM - UFPel 4DEFINIÇÃO:

Leia mais

Plantadeira Hidráulica

Plantadeira Hidráulica Plantadeira Hidráulica Plantadeira Hidráulica 3 linhas INDÚSTRIA MECÂNICA KNAPIK LTDA Rua Prefeito Alfredo Metzler, 480 Bairro Santa Rosa 89.400-000 Porto União - Santa Catarina - Brasil Telefone (0xx42)3522-2789

Leia mais

Semeadoras. Plantadora de linha, hidráulica, plantio direto, pequena propriedade. Moderna, versátil e resistente. Planta soja, milho, feijão e sorgo.

Semeadoras. Plantadora de linha, hidráulica, plantio direto, pequena propriedade. Moderna, versátil e resistente. Planta soja, milho, feijão e sorgo. Semeadoras 1. Semeadora MAX Seed Line Plantadora de linha, hidráulica, plantio direto, pequena propriedade. Moderna, versátil e resistente. Planta soja, milho, feijão e sorgo. Características: Distribuição

Leia mais

ATUADORES HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS

ATUADORES HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS ATUADORES HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS Em um sistema hidráulico ou pneumático, os atuadores são equipamentos capazes de converter energia hidráulica em energia mecânica que é utilizada para a movimentação

Leia mais

GERMINAÇÃO E SOBREVIVÊNCIA DA SOJA EM DIFERENTES MANEJOS DO SOLO

GERMINAÇÃO E SOBREVIVÊNCIA DA SOJA EM DIFERENTES MANEJOS DO SOLO GERMINAÇÃO E SOBREVIVÊNCIA DA SOJA EM DIFERENTES MANEJOS DO SOLO Alberto Kazushi Nagaoka 1 Kleber Pereira Lanças 2 Paulo Roberto Arbex Silva 3 Pedro Castro Neto 4 Antonio Carlos Fraga 5 RESUMO Do ponto

Leia mais

Nebulizadores aplicam gotas menores que 50 mm.

Nebulizadores aplicam gotas menores que 50 mm. Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias Curso : Agronomia Disciplina: Tratamento Fitossanitário Aula: Aplicação de Líquidos e Pulverizadores Os produtos fitossanitários

Leia mais

Novos tratores Farmall série a. O multitarefas perfeito para você.

Novos tratores Farmall série a. O multitarefas perfeito para você. tratores farmall Novos tratores Farmall série a. O multitarefas perfeito para você. Os novos tratores Farmall série A foram projetados para os mais diversos trabalhos tanto na agricultura como na pecuária.

Leia mais

Manual de Instrução - 1

Manual de Instrução - 1 Manual de Instrução - 1 INTRODUÇÃO Agradecemos a preferência e queremos parabenizá-lo pela excelente escolha que acaba de fazer, pois você adquiriu um produto fabricado com a tecnologia BALDAN IMPLEMENTOS

Leia mais

Máquinas para ENSILAGEM SILAGEM ENSILAGEM E FENAÇÃO. Otoniel Ferreira ENSILAGEM. ENSILAGEM e FENAÇÃO

Máquinas para ENSILAGEM SILAGEM ENSILAGEM E FENAÇÃO. Otoniel Ferreira ENSILAGEM. ENSILAGEM e FENAÇÃO Máquinas para E FENAÇÃO Permite armazenar grande quantidade de alimento em pouco espaço. Por que da necessidade de se armazenar forragem? Reserva de alimento devido: Otoniel Ferreira DER - FAEM - UFPel

Leia mais

Fotos para fi ns ilustrativos.

Fotos para fi ns ilustrativos. linha attack Fotos para fi ns ilustrativos. Fotos para fins ilustrativos. Fotos para fins ilustrativos. FICHA TÉCNICA MOTOR Motor Modelo Número de Cilindros Cilindrada (cm³) Potência Nominal NBR ISO 1585

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS CHEVROLET PRISMA 1.0 VHCE FLEXPOWER RESUMO Carroceria / motorização: Construção: Fabricação: Prisma 1.0 VHCE Flexpower Sedã 5 passageiros, 4 portas, motorização dianteira, tração

Leia mais

SEMEADORAS PARA GRÃOS MIÚDOS

SEMEADORAS PARA GRÃOS MIÚDOS SEMEADORAS PARA GRÃOS MIÚDOS Plantio direto, para todo tipo de cultura. A Case IH lança no mercado na sua linha de semeadoras para todos os tipos de cultura: girassol, aveia, trigo, arroz, algodão, sorgo,

Leia mais

Especificação Técnica. Fresadora a frio W 50 DC

Especificação Técnica. Fresadora a frio W 50 DC Especificação Técnica Fresadora a frio W 50 DC Especificação Técnica Fresadora a frio W 50 DC Largura de fresagem máx. Profundidade de fresagem * 1 500 mm 0 210 mm Tambor fresador Espaçamento entre ferramentas

Leia mais

SSM 33 E SSM 33 SEED

SSM 33 E SSM 33 SEED 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO...3 1 IDENTIFICAÇÃO...4 2 - NORMAS DE SEGURANÇA...6 2.1 - SEGURANÇA NA OPERAÇÃO...7 2.2 - SEGURANÇA NA MANUTENÇÃO...9 3 ESPECIFICAÇÕES...14 4. PREPARAÇÃO...20 4.1 - CABEÇALHO...20

Leia mais