Recrutamento e Seleção de Pessoas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Recrutamento e Seleção de Pessoas"

Transcrição

1 Recrutamento e Seleção de Pessoas Autor Fabiano de Andrade Caxito 2008

2 2008 IESDE Brasil S.A. É proibida a reprodução, mesmo parcial, por qualquer processo, sem autorização por escrito dos autores e do detentor dos direitos autorais. C384 Caxito, Fabiano de Andrade. / Recrutamento e Seleção de Pessoas. / Fabiano Andrade Caxito. Curitiba : IESDE Brasil S.A., p. ISBN: Geografia. 2. Estudos Populacionais. 3. Geografia Humana. 4. Geografia Econômica. 5. Globalização. I. Título. CDD ª reimpressão Todos os direitos reservados. IESDE Brasil S.A. Al. Dr. Carlos de Carvalho, Batel Curitiba PR

3 Sumário Estrutura da área de Recursos Humanos 7 Processos da área de Recursos Humanos 7 Recrutamento e seleção 12 O que é recrutamento? 17 Mercado de Trabalho 18 Mercado de Recursos Humanos 18 Interação: Mercado de Trabalho e Mercado de Recursos Humanos 19 Recrutamento interno e externo 21 Recrutamento interno e externo 27 Recrutamento interno 27 Recrutamento externo 29 Fluxograma do processo de recrutamento 31 Recrutamento e seleção: etapas de um mesmo processo 33 Seleção de pessoas 39 Tipos de seleção 41 Técnicas de seleção 41 Melhorando o processo seletivo 43 Entrevistas de seleção 49 O papel das entrevistas no processo seletivo 50 Tipos de entrevistas de seleção 50 Outros usos da entrevista 53 Questões importantes na preparação da entrevista 55 Estrutura de uma entrevista de seleção 61 Antes da entrevista 61 Quebra-gelo 62 Dados familiares 63

4 Dados sociais 63 Histórico escolar 64 Histórico profissional 65 Explicações sobre o cargo 67 Análise do interesse pelo cargo 67 Encerramento 68 Avaliação da entrevista 68 Provas de conhecimento e testes psicológicos 73 Provas de conhecimento 73 Psicologia organizacional 74 Testes psicológicos 76 Técnicas vivenciais 85 O que é psicodrama? 86 Dinâmicas de grupo 87 Gestão da área de recrutamento e seleção 95 Concepções diferentes acerca da gestão de pessoas 96 Turnover 102 Ampliando o conceito de recrutamento e seleção 109 Socialização organizacional 109 Avaliação no período de experiência 113 Recrutamento e seleção versus Estratégia empresarial 114

5 Apresentação Seja muito bem-vindo à disciplina Recrutamento e Seleção. Nossa disciplina será desenvolvida em dez aulas. Nas quatro primeiras, incluindo esta, discutiremos os aspectos ligados ao Recrutamento de Pessoas. Nesta primeira aula falaremos sobre o Mercado de Trabalho e o Mercado de Recursos Humanos. Na próxima aula discutiremos o fluxograma do Processo de Recrutamento e Seleção. Na terceira e quarta aulas falaremos, respectivamente, sobre o recrutamento interno e sobre o recrutamento externo. Da quinta à nona aula, discutirei com você os aspectos ligados à seleção de pessoas. Abordarei as diversas ferramentas de Seleção, como entrevistas, testes e dinâmicas, a padronização de formulários, a avaliação em período de experiência, os programas de integração no ambiente de trabalho, as entrevistas de desligamento e o cálculo do índice de turnover. Na última aula, analisaremos juntos as mais recentes práticas de recrutamento e seleção e as diversas realidades encontradas no Mercado de Trabalho atual. Desejo a você uma ótima leitura!

6

7 Estrutura da área de Recursos Humanos Fabiano de Andrade Caxito* Processos da área de Recursos Humanos As empresas, independentemente do seu porte, têm investido na construção e na estruturação da sua área de Recursos Humanos, que está se tornando parceira nos negócios e engajada com as outras áreas da empresa. Está virando uma área estratégica. E, o que isso significa? Significa que o RH não lida somente com assuntos relacionado a pessoas, como o recrutamento, seleção, treinamento e remuneração. As ações desenvolvidas por esta área influenciam os próprios negócios da empresa na busca de melhores resultados. Muitas organizações ainda confundem a área de Recursos Humanos com o Departamento de Pessoal. Apesar de trabalharem em conjunto, cada uma dessas duas áreas/departamentos desenvolve atividades distintas e desempenham papéis bem diferentes na estrutura da empresa. ÁREA DE RH DEPARTAMENTO DE PESSOAL Gestão de Pessoas Aspectos Burocráticos e Legais * Mestre em Administração pela Universidade Nove de Julho. MBA em Recursos Humanos pela USP. Graduado em Administração Financeira pela Unicid. Gerente comercial e de logística da Unibeb e da Ambev. Atuou nas áreas de Recrutamento e Seleção e de Treinamento e Desenvolvimento de diversas empresas de distribuição e venda de bebidas. Coordenador de cursos de Pós-Gradução lato sensu em Logística das Operações Comerciais e Negócios Internacionais. Professor dos cursos de Marketing, Logística e Recursos Humanos da Universidade Cidade de São Paulo, instituição para qual também presta Assessoria de Assuntos Comunitários, Culturais e de Extensão.

8 8 Recrutamento e Seleção de Pessoas O Departamento de Pessoal é responsável por funções mais burocráticas do relacionamento entre o funcionário e a empresa. Estão sob sua responsabilidade funções de cadastramento dos dados civis do funcionário, o controle de pagamentos, regulamentação de férias, licenças, direitos e deveres próprios do vínculo empregatício, o controle e acompanhamento de convênios e planos de saúde, a guarda e manutenção dos papéis referentes à vida profissional de cada funcionário e os aspectos legais do processo de admissão e de demissão. Já a área de Recursos Humanos, segundo Chiavenato (2004) é responsável pela gestão das pessoas em uma organização, e pode ser dividida em seis grandes processos ou sistemas: Gestão de Pessoas Chiavenato, Processos de agregar pessoas Processo de aplicar pessoas Processos de recompensar pessoas Processos de desenvolver pessoas Processos de manter pessoas Processo de monitorar pessoas Recrutamento Seleção Desenho de cargos Avaliação do desempenho Renumeração Benefícios e serviços Treinamento Mudanças Comunicação Disciplina Higiene, segurança e qualidade de vida. Relações com sindicatos Banco de dados Sistemas de informações gerenciais Processo 1: agregar pessoas O primeiro grande processo próprio da área de Recursos Humanos consiste em agregar pessoas à organização. Normalmente, tal processo é conhecido como Recrutamento e Seleção de Pessoas, atividade que será o foco principal desta aula. No entanto, para que se possa efetivamente compreendê-la, é necessário que se compreenda também os demais processos da área aqui estudada. A seguir, estão mais alguns destes. Processo 2: aplicar pessoas O segundo grande processo é o de aplicar pessoas, ou seja, de incorporá-las à empresa, tanto no aspecto da socialização do funcionário quanto em relação ao desempenho de sua função. Nesse processo, os profissionais da área de RH são os responsáveis pelo desenho dos cargos, definição dos perfis e competências adequadas a cada função. Cultura organizacional Uma das principais funções do processo de aplicar pessoas é construir e desenvolver a cultura organizacional. Esta se refere ao modo, por exemplo, com que uma organização negocia com outras

9 Estrutura da área de Recursos Humanos 9 empresas, ou ainda, ao trato que estabelece para com seus clientes e empregados, dentre outros aspectos. Outra definição de cultura organizacional afirma que ela é a maneira costumeira de pensar e fazer as coisas que são compartilhadas por todos os membros da organização que devem ser também aprendidas pelos novos membros para que sejam aceitos no âmbito da organização. Organizações fortes, em geral, são baseadas em culturas organizacionais fortes e consolidadas. Grupos como Pão de Açúcar, Google e Ambev possuem uma cultura extremamente desenvolvida, a qual se reflete, até mesmo, no modo como falam e vestem-se seus funcionários. Fleury (1991) aponta vários aspectos que possibilitam compreender a cultura de uma dada organização. Vejamos alguns deles: Histórico da organização Formam a base da cultura de uma empresa dados sobre sua inserção no contexto político e econômico e a história de seu fundador. Empresas como as Casas Bahia e a TAM são exemplos de culturas que refletem tanto o momento histórico no qual foram fundadas quanto a figura dos seus respectivos fundadores. Incidentes críticos As crises, expansões, fracassos ou sucessos também formam a cultura de uma empresa. Alguns eventos podem, por exemplo, transformarem-se em símbolos da força de superação de algumas organizações. A ascensão, queda e ressurgimento da Apple 1, após o retorno de Steve Jobs, é um exemplo de incidentes críticos que influenciam radicalmente a cultura de uma empresa. Socialização de novos membros A integração do indivíduo à organização é o momento no qual valores e condutas, que já se tornaram hábito comum dos funcionários, são transmitidos e incorporados pelos novos membros. Costumamos dizer que, em algumas empresas, o novo funcionário se transforma em um discípulo da empresa. A rede de lanchonetes McDonald s é um exemplo de aplicar processos de integração intensos e bem estruturados ao dia-a-dia de seus funcionários. O processo de socialização de um novo funcionário pode ser desenvolvido de várias formas. Ele pode ser formal ou informal; individual ou coletivo, uniforme ou variável; pode ser de reforço ou de eliminação, isto é, pode buscar confirmar certas qualidades do novo funcionário ou tentar eliminar aquelas que são indesejáveis ao novo ambiente de trabalho. Políticas de Recursos Humanos Os padrões culturais de uma organização também podem ser compreendidos por meio de suas políticas tácitas, que não estão nos manuais e documentos e só foram formuladas no plano verbal. Estão aliadas às políticas implícitas de Recursos Humanos. Processo de comunicação Esse é um dos elementos essenciais no processo de criação, transmissão e cristalização da cultura. A comunicação pode ser formal-verbal no caso de contatos diretos, reuniões e telefonemas; pode ser formal-escrita, como ocorre nos jornais e circulares. 1 Sobre esta questão, ver o site <http://epocanegocios.globo.com/revista/epocanegocios/o,,edg ,00.html>.

10 10 Recrutamento e Seleção de Pessoas O processo de trabalho e organização do poder Como está estruturada a divisão do trabalho e do poder dentro da organização? Existe um líder forte e centralizador? Ou o poder está disperso na hierarquia da empresa? Esses são indicadores de uma cultura organizacional. O processo de divisão de trabalho, no âmbito de uma certa empresa, toma como uma de suas principais bases a avaliação do desempenho dos funcionários feita pelo departamento de Recursos Humanos. Esse departamento também é responsável pela distribuição das gratificações, fato que lhe confere poder sobre a vida profissional de boa parte dos funcionários de uma organização. O Recursos Humanos também desenvolve treinamentos de pessoal e tem autonomia para substituir aqueles que não cumprem as metas preestabelecidas. O processo de trabalho, além de se referir à divisão de poder dentro de uma organização, também é responsável pela avaliação do desempenho dos funcionários. Esta constitui-se numa etapa fundamental para o desenvolvimento das demais atividades de responsabilidade do departamento de Recursos Humanos, tais como poder das gratificações pelo melhor desempenho, desenvolver treinamentos, substituir aqueles que não atingem suas metas etc. Avaliação de desempenho A avaliação é necessária para que a área de Recursos Humanos possa desenvolver a maioria de suas responsabilidades, como a de recompensar pessoas pelo seu melhor desempenho, desenvolver treinamentos necessários, substituir funcionários. Ao construir e realizar um processo de avaliação de desempenho, o profissional de Recursos Humanos precisa se basear em algumas questões: por que avaliar o desempenho dos funcionários? Quem precisa ter seu desempenho avaliado e quem será o avalista? Como fazer essa avaliação? Em que momento? Como comunicar a avaliação do desempenho? Somente após responder a estas questões é possível desenvolver um processo de avaliação realmente eficiente. Processo 3: recompensar pessoas Nesse processo estão incluídas as políticas de remuneração, de benefícios e de incentivos, além da estrutura de cargos e salários. Remuneração é o processo que envolve todas as formas de pagamento dos funcionários e recompensas decorrentes de seu desempenho. A remuneração total de um funcionário é composta por três grandes grupos: :: :: Salário pode ser fixo, variável ou uma combinação de ambos. :: :: Incentivos salariais geralmente estão associados ao bom desempenho do funcionário, pagos na forma de bonificação, prêmios etc. :: :: Benefícios seguro de vida, planos médicos, cestas básicas, veículos e outros.

11 Estrutura da área de Recursos Humanos 11 Processo 4: desenvolver pessoas Este processo é responsável pelo treinamento e desenvolvimento, tanto das pessoas como da organização. Deve estar intimamente ligado à estratégia da empresa, a qual só poderá atingir seus objetivos de longo prazo se incentivar o desenvolvimento das competências corretas em cada um de seus funcionários. Podemos definir competência como uma habilidade para agir de forma consciente e responsável. Ser competente é integrar, transferir conhecimentos e recursos que agreguem valor à organização e ao indivíduo. Prahalad (1997) desenvolveu o conceito de competência essencial que se refere àquele diferencial acrescentado ao quadro organizacional da empresa, pois lhe dá vantagem competitiva. Esse tipo específico de competência requer uma aprendizagem coletiva, ou seja, é preciso que seja desejada por toda a organização, com o envolvimento e comprometimento de todos os integrantes. Prahalad (1997) também afirma que para desenvolver uma competência essencial, a empresa deve: investir no treinamento contínuo dos funcionários; usar de forma contínua as competências no cotidiano; desenvolver suas competências organizacionais por meio do trabalho em equipe. Processo 5: manter pessoas O quinto processo próprio da área de Recursos Humanos listado por Chiavenato é o de manter pessoas e que se liga a aspectos disciplinares, de higiene, de saúde, segurança e qualidade de vida na empresa. Tais aspectos dependem do sistema administrativo cujo enfoque pode variar conforme a empresa em que é aplicado. Chiavenato (2004) aponta alguns destes sistemas: :: :: Sistema autoritário-coercitivo baseado na falta de confiança nos funcionários que raramente se sentem livres ou motivados. Do contrário, sentem medo das ameaças e punições. O fluxo de informação na empresa flui de cima para baixo, com decisões centralizadas na cúpula da organização. :: :: Sistema autoritário-benevolente neste, as pessoas não se sentem livres, mas são motivadas tanto por recompensas quanto por punições. As políticas são definidas pelo topo hierárquico de uma empresa e as decisões previamente prescritas são impostas aos níveis mais baixos. :: :: Sistema consultivo faz com que as pessoas se sintam relativamente livres e também são motivadas por recompensas. As políticas e decisões gerais são feitas no topo e as decisões específicas são delegadas aos níveis mais baixos. :: :: Sistema participativo as pessoas se sentem livres e são motivadas por recompensas financeiras e pela participação e envolvimento na fixação de objetivos da organização. É o modelo mais aberto de administração. Quanto às questões de higiene e saúde no trabalho, estas se ligam às normas e procedimentos organizacionais, desenvolvidos e acompanhados pela área de Recursos Humanos. Buscam garantir a

12 12 Recrutamento e Seleção de Pessoas integridade física e mental do trabalhador, preservando-o dos riscos de saúde que estão relacionados às tarefas específicas do seu cargo e ao ambiente físico no qual são executadas. Mais recentemente, tem-se discutido diversos aspectos relacionados à qualidade de vida do trabalhador dentro da organização. Dentre estes aspectos podemos citar a participação dos funcionários nas decisões, a formação de grupos autônomos de trabalho, mudanças no sistema de recompensas para influenciar o clima organizacional bem como a melhoria das condições físicas e psicológicas no ambiente de trabalho. Processo 6: monitorar pessoas Todos os processos anteriormente descritos aqui são medidos e acompanhados pelo sexto e último grande processo que compõe a Gestão de Pessoas, isto é, o de monitorá-las. Este, geralmente, é responsável pela construção e manutenção de um banco de dados que permita aos profissionais de RH e aos demais gestores tomar decisões sobre promoções, demissões, punições, premiações e demais ações que se referem às pessoas que compõem o corpo organizacional de uma empresa. Recrutamento e seleção Após termos visto cada um dos processos componentes da área de Recursos Humanos, vale analisarmos de forma mais específica o processo de agregar pessoas ou, como conhecemos no cotidiano, o Recrutamento e Seleção. Apesar de sempre ouvirmos esses dois termos em conjunto como se representassem uma só função, as atividades de Recrutamento e de Seleção são bastante diferentes entre si. Exatamente por isso, cada uma dessas duas áreas exige conhecimentos específicos, próprios de sua prática. O profissional que executa o recrutamento de pessoas precisa entender como utilizar os recursos disponíveis para selecionar o candidato ideal, sem desperdiçar recursos como tempo e dinheiro. Imagine duas situações hipotéticas: A empresa precisa contratar um alto executivo para a área financeira, com larga experiência em relações com instituições financeiras, para substituir o diretor financeiro atual que ainda não sabe que será demitido. Você acha que o profissional de RH deve colocar uma placa no portão da fábrica e pedir aos funcionários que indiquem alguém conhecido? Ou, deveria ele buscar a ajuda de um Headhunter 2, ou mesmo colocar um anúncio sem citar o nome da empresa em uma revista de circulação nacional, como a Revista Exame? Quando a vaga é sigilosa, deve-se evitar que os funcionários atuais saibam da disponibilidade da mesma, tendo em vista que tal abertura resultou de um processo de demissão e de substituição de um 2 Grupo de pessoas ou empresas especializadas na procura de profissionais talentosos ou gestores de topo. A remuneração de um headhunter é geralmente uma percentagem do salário anual inicial do indivíduo recrutado. A participação desse profissional que recruta é importante, tanto para o candidato quanto para a empresa recrutadora, tendo em vista a análise e identificação concreta das necessidades desta última.

13 Estrutura da área de Recursos Humanos 13 funcionário da empresa. Por isso, não se deve divulgar esse tipo de informação abertamente, por meios aos quais os funcionários tenham acesso. Nesse caso, o ideal é buscar a ajuda de um profissional, no caso o headhunter, que fará todo o processo inicial de recrutamento. A mesma empresa acima mencionada também precisou contratar um Auxiliar de Operações, sem necessidade de experiência anterior. Qual deve ser o meio utilizado nesse segundo caso? No projeto de divulgação de uma vaga não-sigilosa, o recrutador deve criar meios de fazer com que a comunidade de trabalhadores da empresa tome conhecimento da vaga. Assim, será possível contar com a ajuda dos funcionários atuais para a indicação do novo candidato. Placas no portão da fábrica, avisos no mural da empresa e distribuição de fichas de indicação são importantes meios de recrutamento. As competências que o recrutador deve ter assemelham-se a dos profissionais de marketing, já que ambos visam atingir o cliente certo com a mensagem certa. Como visto, o profissional de seleção precisa saber identificar, durante os processos seletivos, as reais competências que a organização está procurando em um novo funcionário. Para tal, precisa desvendar as potencialidades dos candidatos, mesmo que estas ainda não tenham sido desenvolvidas. Precisa sentir se o candidato se adequará à cultura da empresa. Caso contrário, suas chances de não se adaptar àquele ambiente corporativo são muito grandes. É por isso que encontramos muitos psicólogos atuando na área de seleção de pessoas. Texto complementar O que há de errado com o RH? Mesmo entre as melhores empresas para trabalhar, a gestão de pessoas não agrada a ninguém (MAUTONE, 2006) A área de Recursos Humanos costuma ser uma das mais criticadas nas empresas. De um lado estão os funcionários, insatisfeitos com as políticas de remuneração e o planejamento de carreira. De outro, os executivos, reclamando que os profissionais de RH não entendem de negócios. As queixas são tão freqüentes que já se tornaram parte do folclore empresarial. A edição 2006 do Guia Exame-Você S/A As Melhores Empresas para Você Trabalhar, traz um retrato cristalino das razões que levam ao crônico e epidêmico mau humor com o RH. Segundo a pesquisa, realizada pela Fundação Instituto de Administração (FIA), de São Paulo, mesmo entre as 150 companhias consideradas referência em gestão de pessoas, os departamentos de Recursos Humanos que oscilam entre o paternalismo e a omissão na melhor das hipóteses conseguem agradar a poucos. O estudo analisou três índices principais: qualidade do ambiente de trabalho, felicidade no trabalho e gestão de pessoas. Nos dois primeiros itens, as empresas listadas no guia tiveram notas médias que podem ser consideradas satisfatórias: 82 e 74, respectivamente, num total de 100

14 14 Recrutamento e Seleção de Pessoas pontos possíveis. Já na gestão de pessoas a avaliação técnica das políticas e práticas de Recursos Humanos a média foi 52. A análise desse aspecto é composta de seis itens (veja quadro). Em três deles, a nota não chega à metade da pontuação máxima. O RH ainda trabalha de forma muito reativa nas empresas, afirma Joel Dutra, coordenador do Programa de Gestão de Pessoas da FIA. Ele só age depois que os problemas acontecem. O diagnóstico deixa clara a diferença abissal que há entre o discurso dos departamentos de Recursos Humanos e a prática do dia-a-dia. Há anos consultores e mesmo profissionais da área apregoam a necessidade de o RH contribuir efetivamente para as decisões de negócios. Mas como reivindicar esse direito se nem o bê-á-bá ele tem conseguido fazer? As empresas têm uma visão ultrapassada sobre o papel dos funcionários, afirma Marcelo Cardoso, presidente da consultoria DBM. O departamento de RH está organizado da mesma forma há décadas e o investimento em pessoas continua sendo contabilizado como custo. Outro problema é o perfil dos profissionais da área. Uma pesquisa realizada pela Sociedade de Gestão em Recursos Humanos, com sede nos Estados Unidos, perguntou a profissionais de RH em que temas eles acreditam que devem se aperfeiçoar para ter uma carreira de sucesso. Enquanto comunicação interpessoal e legislação trabalhista apareceram no topo do ranking, o conhecimento de novas técnicas de gestão e de finanças foi apontado como menos importante. Isso num momento em que os especialistas consideram que profissionais de RH precisam entender também de marketing, relacionamento com o cliente e até macroeconomia. Sem isso não há como identificar as habilidades que serão requeridas dos funcionários no futuro, diz Flavio Kosminsky, consultor da Korn/Ferry. A queixa dos próprios profissionais de Recursos Humanos de que o excesso de tarefas burocráticas impede que sobre tempo para assuntos estratégicos também é questionada. O ritmo de terceirização desses serviços nunca foi tão acelerado. Recentemente, DuPont, Unilever e Whirlpool anunciaram contratos globais para terceirizar a execução de tarefas operacionais, como folha de pagamentos, contratação e até treinamento. No caso da DuPont, o perfil da atual equipe de RH será todo revisto. As pessoas com conhecimentos mais técnicos, como sistemas e tributação, serão preparadas para assumir outras funções dentro ou fora da empresa, afirma Regina Burti, diretora de RH da DuPont no Brasil. De forma geral, ainda são raras as empresas que possuem uma área de Recursos Humanos integrada ao negócio. As mais avançadas, curiosamente, procuram não limitar a gestão de pessoas ao departamento de RH. Consideramos que o assunto é responsabilidade de todos os chefes, afirma Elcio Anibal de Lucca, presidente da empresa de informações financeiras Serasa. Para aproveitar melhor a capacidade dos funcionários, há cinco anos a Serasa começou a mapear os conhecimentos técnicos e as habilidades pessoais de cada um. Cerca de 60% já passaram por essa avaliação. Numa ação simbólica, De Lucca mudou o nome do departamento de RH para desenvolvimento humano. Em algumas empresas, o próprio presidente também faz as vezes de RH e procura debater os anseios dos empregados diretamente com eles. Firmin António, presidente do grupo Accor no Brasil, promove encontros constantes com funcionários de diferentes cargos hierárquicos nos quais discute as estratégias da companhia. Criamos cerca de novos postos de trabalho por ano, diz

15 Estrutura da área de Recursos Humanos 15 Firmin. Não há como não considerar a gestão de pessoas importante. Na subsidiária brasileira da Dow Química, a responsabilidade pela busca de novos talentos está deixando de ser exclusividade do departamento de RH. Neste mês, o presidente e os principais executivos da empresa se reunirão com um grupo de 100 universitários pré-selecionados em algumas das principais escolas do país. O objetivo é apresentar a cultura da Dow e identificar interessados em trabalhar na companhia. A proposta desse modelo de seleção veio dos próprios executivos, diz Vicente Teixeira, diretor de RH da Dow. Diante de tudo isso, cabe a pergunta: por quanto tempo os departamentos de RH, tal como são hoje, vão sobreviver? Desempenho Fraco A pesquisa As 150 Melhores Empresas para Você Trabalhar avaliou, entre outros pontos, o desempenho do RH. Veja abaixo a nota média da área e a pontuação dos seis itens que a compõem Avaliação da área de Recursos Humanos 52,2 Aspectos Avaliados Saúde 66,7 Educação 65,4 Remuneração e benefícios 52,2 Plano de carreira 49,7 Responsabilidade social e meio ambiente 48,6 Preocupação com a integridade do funcionário 30,6 FIA, com base na edição 2006 da pesquisa As 150 Melhores Empresas para Você Trabalhar. Atividades 1. Converse com os profissionais da área de Recursos Humanos da empresa na qual você trabalha ou de alguma empresa com a qual você mantém relações. Descubra como os diversos processos descritos por Chiavenato estão organizados na empresa. Você consegue distinguir claramente cada um desses processos? Cada um dos processos é desenvolvido por pessoas e áreas diferentes dentro do departamento de RH ou um mesmo profissional é responsável por mais de um dos processos? Como eles se relacionam?

16 16 Recrutamento e Seleção de Pessoas 2. Leia o texto complementar e compare as informações que lá constam com a área de Recursos Humanos das empresas na qual já trabalhou. Faça uma análise: as características apontadas na pesquisa acontecem nas empresas que você conhece? 3. Quais são os principais processos da área de Recursos Humanos: a) Agregar pessoas, aplicar pessoas, recompensar pessoas, punir pessoas e monitorar pessoas. b) Agregar pessoas, aplicar pessoas, recompensar pessoas, punir pessoas, desenvolver pessoas e monitorar pessoas. c) Agregar pessoas, aplicar pessoas, recompensar pessoas, desenvolver pessoas, manter pessoas e monitorar pessoas. d) Agregar pessoas, aplicar pessoas, reconhecer pessoas, desenvolver pessoas e monitorar pessoas. Ampliando conhecimentos Visite o site e acesse os links de cada um dos processos de Recursos Humanos, encontrados no lado esquerdo da tela. Alguns dos links interessantes que você vai encontrar na página da internet: Recrutamento e Seleção Relações trabalhistas Desenvolvimento Qualidade de vida Desempenho Liderança Salários e benefícios Motivação

17 Gabarito Estrutura da área de Recursos Humanos 1. Identifique nas empresas em que já trabalhou alguns dos processos da área de RH vistos nesta aula. É comum que alguns desses processos não estejam claramente definidos no ambiente das empresas e que um mesmo profissional desempenhe mais de um deles. Nesse caso, pontue alguns casos de processos ainda pouco delineados e outras particularidades detectadas em sua análise. 2. Encontre, nas empresas em que já trabalhou, alguns dos aspectos listados na pesquisa da FIA- USP. O aluno deve apontar, como possíveis soluções aos problemas, a especialização dos profissionais de Recursos Humanos e um maior entrosamento da área com o planejamento estratégico da empresa. 3. C

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO

FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FEA USP ARTIGO COMO AS MUDANÇAS NAS ORGANIZAÇÕES ESTÃO IMPACTANDO A ÁREA DE RECURSOS HUMANOS Paola Moreno Giglioti Administração

Leia mais

A importância do RH estratégico para as empresas familiares. Sheila Madrid Saad

A importância do RH estratégico para as empresas familiares. Sheila Madrid Saad A importância do RH estratégico para as empresas familiares Sheila Madrid Saad Anos 30... Pagadoria Registros e controles Enfoque jurídico FOCO NA MANUTENÇÃO DA LEGALIDADE Anos 50... Pagadoria Registros

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Apresentação CAMPUS IGUATEMI Inscrições em Breve Turma 02 --> *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas,

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO

COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO 1 COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO 1 INTRODUÇÃO: Empregos sempre existem. Bons empregos são mais raros, portanto mais difíceis de serem encontrados; A primeira coisa a ser feita é encontrar o emprego,

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 Analista da Divisão de Contratos da PRODESP Diretor de Esporte do Prodesp

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS. Profa. Ani Torres

Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS. Profa. Ani Torres Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Profa. Ani Torres Desenvolvendo pessoas O desenvolvimento e a manutenção de pessoas estão relacionados com a evolução das equipes de trabalho e com a

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 5: ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 5.1 Conceito de ARH Sem as pessoas e sem as organizações não haveria ARH (Administração de Recursos Humanos). A administração de pessoas

Leia mais

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di?

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di? GESTÃO DE DESEMPENHO Prof. WAGNER RABELLO JR Conceito de desempenho Níveis de desempenho O di? O que medir? Resultados Desempenho Competências Fatores críticos de desempenho 1 Segundo Chiavenato, existem

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

O que é ser um RH estratégico

O que é ser um RH estratégico O que é ser um RH estratégico O RH é estratégico quando percebido como essencial nas decisões estratégicas para a empresa. Enquanto a área de tecnologia das empresas concentra seus investimentos em sistemas

Leia mais

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas As pessoas devem ser tratadas como parceiros da organização. ( Como é isso?) Reconhecer o mais importante aporte para as organizações: A INTELIGÊNCIA. Pessoas:

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt*

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Quando falamos de captação de recursos para uma organização, podemos estar falando em captação de dinheiro, de materiais, de produtos,

Leia mais

Seja Bem-Vindo(a)! Neste módulo vamos trabalhar os principais conceitos de Gestão, mais especificamente o item 2 do edital: Gestão de Pessoas

Seja Bem-Vindo(a)! Neste módulo vamos trabalhar os principais conceitos de Gestão, mais especificamente o item 2 do edital: Gestão de Pessoas Seja Bem-Vindo(a)! Neste módulo vamos trabalhar os principais conceitos de Gestão, mais especificamente o item 2 do edital: Gestão de Pessoas AULA 3 Administração de Recursos Humanos O papel do gestor

Leia mais

Planejamento de Recursos Humanos

Planejamento de Recursos Humanos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Planejamento de Recursos Humanos Profa. Marta Valentim Marília 2014 As organizações

Leia mais

MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas

MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas Proposta do curso: O curso de MBA Executivo em Liderança e Desenvolvimento de Pessoas proporciona ao participante o conhecimento sobre liderança, motivação

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Ilca Maria Moya de Oliveira As necessidades de seleção de pessoal na organização são inúmeras e vão exigir diferentes ações da área de Gestão de Pessoas para cada uma delas. A demanda de seleção de pessoal

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Gestão de Recursos Humanos e Contratualização. Nelson Marconi

Gestão de Recursos Humanos e Contratualização. Nelson Marconi Gestão de Recursos Humanos e Contratualização Nelson Marconi Estágios das Políticas de Recursos Humanos 1º estágio: controles e ajuste das despesas 2º estágio: definição de políticas consistentes porém

Leia mais

O que é? pode ser chamado de Recrutamento e Seleção.

O que é? pode ser chamado de Recrutamento e Seleção. Processo Seletivo O que é? O Processo Seletivo é um conjunto de técnicas e instrumentos, empregados para avaliação de materiais, técnicas ou candidatos visando identificar as habilidades, tendências e

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Trabalho de Gestão de Pessoas Alunos: Nilce Faleiro Machado Goiânia,4 de dezembro de 2015 1 Sumário Capa...1 Sumário...2 Introdução...3

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos. *Operários (1933) Tarsila do Amaral.

Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos. *Operários (1933) Tarsila do Amaral. Sejam Bem Vindos! Disciplina: Gestão de Pessoas 1 Prof. Patrício Vasconcelos *Operários (1933) Tarsila do Amaral. A Função Administrativa RH É uma função administrativa compreendida por um conjunto de

Leia mais

PLANO DE REMUNERAÇÃO VARIÁVEL - PRV

PLANO DE REMUNERAÇÃO VARIÁVEL - PRV 1 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO PLANO DE REMUNERAÇÃO VARIÁVEL - PRV 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO DE PESSOAS 1.1 Histórico da Prática Eficaz A Nova Escola tem aplicado a Meritocracia como um recurso na Gestão de

Leia mais

ARTIGO EM REVISTA. Publicado em:

ARTIGO EM REVISTA. Publicado em: ARTIGO EM REVISTA Publicado em: CASTRO, Luciano Thomé e ; NEVES, Marcos Fava ; CONSOLI, M. A.. O Médico-Gestor de Vendas. Revista Venda Mais, Curitiba- PR, v. 12/135, p. 16-17, 11 jul. 2005. O Médico-Gestor

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas

O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade. O Administrador na Gestão de Pessoas O Administrador e a Magnitude de sua Contribuição para a Sociedade Eficácia e Liderança de Performance O Administrador na Gestão de Pessoas Grupo de Estudos em Administração de Pessoas - GEAPE 27 de novembro

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS.

GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. GESTÃO ESTRATÉGICA DE PESSOAS VOLTADA PARA RECRUTAMENTO E SELEÇÃO E CARGOS E SALÁRIOS. BARBOSA, Roger Eduardo 1 Resumo Neste artigo analisaremos como o planejamento estratégico na gestão de pessoas nas

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

Implementação de estratégias

Implementação de estratégias Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Implementação de estratégias Agenda: Implementação de Estratégias Visão Corporativa sobre

Leia mais

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias

Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Liderança e Motivação para Construtoras, Incorporadoras, Escritórios de Arquitetura e Imobiliárias Antes de tudo como sugestão aos donos de construtoras, incorporadoras, imobiliárias e escritórios de arquitetura

Leia mais

Como calcular o número necessário de servidores? E QUANDO O PROCESSO DE TRABALHO NÃO É QUANTIFICÁVEL COM FACILIDADE? ALTERNATIVA 2 Uma possibilidade para transpor essa restrição seria a utilização de um

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 16: RESULTADOS RELATIVOS À GESTÃO DE PESSOAS 16.1 Área de RH e sua contribuição O processo de monitoração é o que visa saber como os indivíduos executam as atribuições que

Leia mais

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento

M A N U A L TREINAMENTO. Mecânica de Veículos Piçarras Ltda. Manual Prático de Procedimento do Treinamento M A N U A L TREINAMENTO 1. Introdução A velocidade das mudanças tecnológicas, o aumento da diversidade nos locais de trabalho e a acentuada mobilidade dos trabalhadores atuais são aspectos do mundo contemporâneo

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

GABARITO OFICIAL(preliminar)

GABARITO OFICIAL(preliminar) QUESTÃO RESPOSTA COMENTÁRIO E(OU) REMISSÃO LEGAL 051 A 052 A 053 A RECURSO Recrutar faz parte do processo de AGREGAR OU SUPRIR PESSOAS e é o ato de atrair candidatos para uma vaga (provisão). Treinar faz

Leia mais

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso

Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso III Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG campus Bambuí II Jornada Científica 9 a 23 de Outubro de 200 Utilização dos processos de RH em algumas empresas da cidade de Bambuí: um estudo multi-caso Sablina

Leia mais

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO

PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO ESPÍRITO SANTO FACASTELO Faculdade De Castelo Curso de Administração Disciplina: Qualidade e Produtividade PRINCÍPIOS DA QUALIDADE E MODELOS DE GESTÃO 1 Profa.: Sharinna

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho GESTÃO DE PESSOAS IT. 45 07 1 / 6 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para solicitações referentes aos subsistemas de no que se refere aos processos de: Agregar pessoas recrutamento e seleção; Integrar

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional -Matutino e Noturno

MBA em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional -Matutino e Noturno MBA em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional -Matutino e Noturno Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições Abertas Turma 12 (Noturno) -->Últimas Vagas até o dia 27/05/2013 CAMPUS IGUATEMI Turma 13

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

1. As Áreas Funcionais e Ambiente Organizacional

1. As Áreas Funcionais e Ambiente Organizacional 1. As Áreas Funcionais e Ambiente Organizacional Conteúdo 1 Bibliografia Recomenda Livro Texto: Introdução à Administração Eunice Lacava Kwasnicka - Editora Atlas Administração - Teoria, Processo e Prática

Leia mais

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES

COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES t COMPETÊNCIAS PARA A EMPREGABILIDADE NAS ORGANIZAÇÕES Joaquim Domingos Maciel Faculdade Sumaré joaquim.mackim@gmail.com RESUMO: Este artigo pretende alertar estudantes e profissionais para a compreensão

Leia mais

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Recursos Humanos Coordenação de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Introdução No dia 04 de Agosto de 2011, durante a reunião de Planejamento, todos os

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programa de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de Pós-MBA

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Os papéis do executivo de RH Pessoas são os principais ativos de uma empresa e o executivo de Recursos Humanos (RH), como responsável por administrar

Leia mais

Análise do Ambiente estudo aprofundado

Análise do Ambiente estudo aprofundado Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Etapa 5 Disciplina Gestão Estratégica e Serviços 7º Período Administração 2013/2 Análise do Ambiente estudo aprofundado Agenda: ANÁLISE DO AMBIENTE Fundamentos Ambientes

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

Rotinas de DP-Professor: Robson Soares

Rotinas de DP-Professor: Robson Soares Rotinas de DP-Professor: Robson Soares Capítulo 3 Agregando Pessoas -Recrutamento e Seleção de Pessoas Nesse capítulo veremos com as organizações agregam pessoas através do recrutamento e seleção de pessoas.

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS Ensinar para administrar. Administrar para ensinar. E crescermos juntos! www.chiavenato.com GESTÃO E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS Para Onde Estamos Indo? Idalberto Chiavenato Algumas empresas são movidas

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

Recrutamento e seleção

Recrutamento e seleção Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem Recrutamento e seleção Fernanda Maria Togeiro Fugulin RECRUTAMENTO Fase que antecede a seleção, de divulgação, em que se deverá atrair candidatos potencialmente

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide

Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide Gestão eficaz de pessoas melhorando a produtividade, qualidade e resultados organizacionais. Mário Ibide A Nova América na vida das pessoas 8 Cultural Empresarial Missão Do valor do campo ao campo de valor

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você

Leia mais

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing

Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Marketing não Sobrevive sem Endomarketing Um ótimo serviço pode se tornar ruim se os funcionários não confiam em si mesmos. Uma endoentrevista sobre endomarketing. Troquemos de lugar! O título é, sem dúvida,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO. Prof. WAGNER RABELLO JR

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO. Prof. WAGNER RABELLO JR TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Prof. WAGNER RABELLO JR TREINAMENTO Treinamentoéoprocessoeducacional,aplicadode maneira sistemática e organizada, pelo qual as pessoas aprendem conhecimentos, atitudes e habilidades

Leia mais

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING

Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING Distribuidor de Mobilidade GUIA OUTSOURCING 1 ÍNDICE 03 04 06 07 09 Introdução Menos custos e mais controle Operação customizada à necessidade da empresa Atendimento: o grande diferencial Conclusão Quando

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf

endereço eletrônico) OPCIONAL: http://www.coacavo.com.br/gestao_pdf/avaliacao_desempenho_360grau s.pdf AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão de Recursos Humanos DISCIPLINA: Ferramentas de Gestão de Recursos Humanos ALUNO(A):Aline de Souza MATRÍCULA:51811 Ribeiro da Rocha NÚCLEO REGIONAL: DATA:

Leia mais

COMO FAZER A TRANSIÇÃO

COMO FAZER A TRANSIÇÃO ISO 9001:2015 COMO FAZER A TRANSIÇÃO Um guia para empresas certificadas Antes de começar A ISO 9001 mudou! A versão brasileira da norma foi publicada no dia 30/09/2015 e a partir desse dia, as empresas

Leia mais

Carreira: definição de papéis e comparação de modelos

Carreira: definição de papéis e comparação de modelos 1 Carreira: definição de papéis e comparação de modelos Renato Beschizza Economista e especialista em estruturas organizacionais e carreiras Consultor da AB Consultores Associados Ltda. renato@abconsultores.com.br

Leia mais

Gestão do Desempenho Forecasting. Tomada de decisão. Profissional. Professional. Previsão. A qualificação de negócios profissionais.

Gestão do Desempenho Forecasting. Tomada de decisão. Profissional. Professional. Previsão. A qualificação de negócios profissionais. Professional Profissional Tomada de decisão Gestão do Desempenho Forecasting Previsão A qualificação de negócios profissionais globais O CIMA é a escolha dos empregadores no recrutamento de líderes de

Leia mais

O que as empresas e profissionais devem fazer na crise!

O que as empresas e profissionais devem fazer na crise! O que as empresas e profissionais devem fazer na crise! Temos visto e vivido no Brasil um constante cenário de lamentações, reclamações, busca de culpados, busca de responsáveis e bodes expiatórios para

Leia mais

Sistema Gestão de Gente

Sistema Gestão de Gente Sistema Gestão de Gente Uma organização moderna requer ferramentas de gestão modernas, que incorpore as melhores práticas de mercado em gestão de recursos humanos, que seja fácil de usar e que permita

Leia mais

Curso de Especialização EM MBA EXECUTIVO EM GESTÃO DE PESSOAS E RECURSOS HUMANOS

Curso de Especialização EM MBA EXECUTIVO EM GESTÃO DE PESSOAS E RECURSOS HUMANOS Curso de Especialização EM MBA EXECUTIVO EM GESTÃO DE PESSOAS E RECURSOS HUMANOS ÁREA DO CONHECIMENTO: Administração NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em MBA Executivo em

Leia mais

MBA Gestão de Negócios e Pessoas

MBA Gestão de Negócios e Pessoas PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nome do Curso MBA Gestão de Negócios e Pessoas Área de Conhecimento Ciências Sociais Aplicadas Nome do Coordenador do Curso e Breve Currículo: Prof.

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Acreditamos em formas criativas e inovadoras de crescimento e desenvolvimento. Elas agregam valor ao cliente

Acreditamos em formas criativas e inovadoras de crescimento e desenvolvimento. Elas agregam valor ao cliente Portfólio QUEM SOMOS Somos uma empresa de consultoria organizacional que vem desenvolvendo e implementando em diversas clientes projetos nas áreas de Gestão Recursos Humanos e Comercial/Vendas. Silmar

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais