ISABELLA PESSÔA DE AZEVEDO MADEIRA. (*) Republicada por ter saído no DOU de 13/01/2006, Seção1 - n.º 10 página 14, com incorreção no original.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISABELLA PESSÔA DE AZEVEDO MADEIRA. (*) Republicada por ter saído no DOU de 13/01/2006, Seção1 - n.º 10 página 14, com incorreção no original."

Transcrição

1 <!ID > DECRETO <!ID > ISSN Ano CXLIII 11 Brasília - DF, segunda-feira, 16 de janeiro de 2006 Sumário. PÁGINA Atos do Poder Executivo... 1 Presidência da República... 1 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento... 1 Ministério da Ciência e Tecnologia... 2 Ministério da Cultura... 2 Ministério da Defesa... 4 Ministério da Educação... 5 Ministério da Fazenda... 6 Ministério da Integração Nacional Ministério da Justiça Ministério da Previdência Social Ministério da Saúde Ministério das Comunicações Ministério de Minas e Energia Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Ministério do Meio Ambiente Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério do Trabalho e Emprego Ministério dos Transportes Tribunal de Contas da União Entidades de Fiscalização do Exercício das Profissões Liberais Atos do Poder Executivo 5.676, DE 13 DE JANEIRO DE 2006 Fixa o número de vagas para promoção obrigatória, referentes ao ano-base 2005, para os diversos postos dos Quadros do Corpo de Oficiais da Ativa da Aeronáutica. O ESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e de acordo com o 1 o do art. 61 da Lei n o 6.880, de 9 de dezembro de 1980, D E C R E T A : Art. 1 o Ficam estabelecidas, referentes ao ano-base 2005, as seguintes proporções, do efetivo de cada posto, a serem observadas no cálculo do número de vagas para promoção obrigatória nos diversos postos dos Quadros do Corpo de Oficiais da Ativa da Aeronáutica, previstos no Decreto n o 1.145, de 20 de maio de 1994: Quadro de Oficiais Aviadores: Coronel - 1/8 do efetivo do posto; Tenente-Coronel - 20/73 do efetivo do posto; e Major - 1/20 do efetivo do posto; Quadro de Oficiais Engenheiros: Coronel - 1/8 do efetivo do posto; Tenente-Coronel - 1/15 do efetivo do posto; e Major - 1/20 do efetivo do posto; Quadro de Oficiais Intendentes: Coronel - 9/20 do efetivo do posto; Tenente-Coronel - 1/15 do efetivo do posto; e Major - 1/20 do efetivo do posto; Quadro de Oficiais Médicos: Coronel - 1/8 do efetivo do posto; Tenente-Coronel - 1/15 do efetivo do posto; e Major - 1/20 do efetivo do posto; Quadro de Oficiais Dentistas: Tenente-Coronel - 11/25 do efetivo do posto; e Major - 1/15 do efetivo do posto; Quadro de Oficiais Farmacêuticos: Tenente-Coronel - 1/10 do efetivo do posto; e Major - 1/15 do efetivo do posto; Quadro de Oficiais de Infantaria da Aeronáutica: Tenente-Coronel - 1/10 do efetivo do posto; e Major - 1/15 do efetivo do posto; Quadros de Oficiais Especialistas em Aviões, Comunicações, Armamento, Fotografia, Meteorologia, Controle de Tráfego Aéreo e em Suprimento Técnico: Major - 1/10 do efetivo do posto; e Capitão - 1/15 do efetivo do posto; Quadro de Oficiais Especialistas da Aeronáutica: Capitão - 1/10 do efetivo do posto; e Primeiro-Tenente - 1/20 do efetivo do posto. Art. 2 o Não será aplicado, para o ano-base 2005, o dispositivo de quota compulsória nos efetivos de oficiais não-numerados. Art. 3 o Este Decreto entra em vigor na data da sua publicação. Brasília, 13 de janeiro de 2006; 185 o da Independência e 118 o da República. LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA José Alencar Gomes da Silva. Presidência da República DESPACHOS DO ESIDENTE DA REPÚBLICA CREDENCIAL O Senhor Presidente da República recebeu, no dia 12 de janeiro de 2006, as credenciais dos seguintes Chefes de Missão Diplomática: Senhora Teresita V. G. Barsana, Embaixadora da República das Filipinas, Senhor M'hamed Achache, Embaixador da República Argelina Democrática e Popular, Senhor Souheir Allagui, Embaixador da República da Tunísia e do Senhor Dusan Gajic, Embaixador da Sérvia e Montenegro.. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento <!ID >PORTARIA N GABINETE DO MINISTRO o - 21, DE 13 DE JANEIRO DE 2005 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição, Considerando os Pareceres Técnicos Prévios Conclusivos n o 480, de 2004, e n o 513, de 2005, da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança - CTNBio; Considerando o Comunicado Técnico n o 242 ISSN , de 2005, da Embrapa - Algodão, e o que consta do processo n o / , resolve: Art. 1 o Reconhecer, para os efeitos dos Pareceres Técnicos Prévios Conclusivos n os 480/2004 e 513/2005, da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança - CTNBio, as localidades, os municípios e as Unidades da Federação constantes do anexo desta Portaria, como zonas de exclusão onde não poderão ser cultivados sementes ou caroços de algodão herbáceo (Gossypium hirsutum) geneticamente modificado ou de algodão herbáceo convencional com traços de eventos de transformação genética. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. Art. 3 o Fica revogada a Portaria n o 437, de 21 de outubro de ROBERTO RODRIGUES Unidades, municípios e localidades da Federação onde não poderão ser cultivados sementes ou caroços de algodoeiro herbáceo (Gossypium hirsutum) com traços de eventos de modificação genética: Acre: todo o Estado. Amapá: todo o Estado. Amazonas: todo o Estado. Bahia: Abaré, Andorinha, Canudos, Chorrochó, Curaça, Euclides da Cunha, Glória, Jaguarari (a leste da Rodovia Br 407), Jeremoabo, Juazeiro (a leste da Rodovia BR 407), Macururé, Monte Santo, Paulo Afonso, Rodelas e Uaua. Maranhão: Açailândia, Alto Alegre do Pindaré, Amapá do Maranhão, Anajuba, Apicum-Açu, Araguana, Arari, Bacuri, Bacurituba, Bela Vista do Maranhão, Bequimão, Boas Vistas do Gurupi, Bom Jardim, Bom Jesus das Selvas, Buriticupu, Cajapio, Cajari, Candido Mendes, Carutapera, Cedral, Central do Maranhão, Centro do Guilherme, Centro Novo do Maranhão, Conceição do Lago Açu, Cururupu, Godofredo Viana, Governador Newton Bello, Governador Nunes Freire, Guimarães, Igarapé do Meio, Itinga do Maranhão, Junco do Maranhão, Luis Domingues, Maracacume, Maranhãozinho, Matinha, Mirinzal, Monção, Nova Olinda do Maranhão, Olinda Nova do Maranhão, Palmeirândia, Pedro do Rosário, Penalva, Peri-Mirim, Pindaré-Mirim, Pinheiro, Pio XII, Porto Rico do Maranhão, Presidente Médici, Presidente Sarney, Santa Helena, Santa Inês, Santa Luzia, Santa Luzia do Paruá, São Bento, São Francisco do Brejão, São João Batista, São João do Caru, São Pedro da Água Branca, São Vicente Ferrer, Satubinha, Serrano do Maranhão, Tufilândia, Turiaçu, Turilândia, Viana, Vila Nova dos Martírios, Vitória do Mearim e Zé Doca. Mato Grosso do Sul: Anastácio, Aquidauana, Corumbá, Dois Irmãos do Buriti, Ladário, Miranda e Porto Murtinho. Mato Grosso: Alta Floresta, Apiacás, Aripuanã, Barão de Melgaço, Cáceres, Carlinda, Colider, Colniza, Confresa, Cotriguaçu, Guarantã do Norte, Itiquira (a oeste da Rodovia MT- 471), Juruena, Marcelândia, Matupá, Nossa Senhora do Livramento, Nova Bandeirantes, Nova Canaã do Norte, Nova Guarita, Nova Monte Verde, Novo Mundo, Paranaíta, Peixoto de Azevedo, Poconé, Rondolândia, Santa Cruz do Xingu, Santa Terezinha, Santo Antônio do Leverger, São José do Xingu, Terra Nova do Norte e Vila Rica. Pará: todo o Estado. Paraíba: Baraúna, Cubati, Frei Martinho, Juazeirinho, Junco do Seridó, Nova Palmeira, Pedra Lavrada, Picuí, Salgadinho, São José do Sabugi, Seridó, Tenório e Várzea. Rio Grande do Norte: Acari, Caicó, Carnaúba dos Dantas, Cruzeta, Currais Novos, Equador, Ipueira, Jardim do Seridó, Ouro Branco, Parelhas, Santana do Seridó, São João do Sabugi, São José do Seridó e São Vicente. Rondônia: todo o Estado. Roraima: todo o Estado. Tocantins: todo o Estado.

2 <!ID > PORTARIA <!ID > PORTARIA <!ID > PORTARIA 2 ISSN Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de Ministério da Ciência e Tecnologia COMISSÃO NACIONAL DE ENERGIA NUCLEAR 5, DE 13 DE JANEIRO DE 2006 O ESIDENTE DA COMISSÃO NACIONAL DE ENER- GIA NUCLEAR (CNEN), no uso das atribuições que lhe confere o artigo 14, incisos I e V, do Anexo I, ao Decreto nº 5.667, publicado no Diário Oficial da União de 11 de janeiro de 2006, e tendo em vista o teor do Processo CNEN nº / , resolve: Art. 1º - Tornar público que o Centro Regional de Ciências Nucleares - CRCN, inscrita no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica - CNPJ sob nº / , tem a sua sede construída em terreno cedido pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, em seu Campus, situado na Avenida Professor Luiz Freire, 200, Cidade Universitária, Recife, Pernambuco, CEP ; Art. 2º - Devolver ao Departamento Nacional de Obras Contra as Secas - DNOCS, as instalações situadas na Rua Cônego Barata, Tamarineira, Recife, Pernambuco, CEP ; Art. 3º - Determinar que a Diretoria de Gestão Institucional tome as providências cabíveis visando a alteração cadastral junto aos Órgãos e repartições públicas.. ODAIR DIAS GONÇALVES Ministério da Cultura SECRETARIA EXECUTIVA 18, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 (*) A SECRETÁRIA EXECUTIVA DO MINISTÉRIO DA CULTURA, Substituta, no uso de suas atribuições legais, e em cumprimento ao disposto no artigo 27, inciso I, do Decreto n.º 1494, de 17 de maio de 1995, resolve: Art. 1º - Tornar sem efeito a portaria de prorrogação do prazo de captação de recrusos do projeto abaixo relacionado: ONAC: "Música no Museu da Casa Brasileira- Todos os Povos de São Paulo", portaria de porrrogação do prazo de captação de recursos n.º 0001/06 de 03 de janeiro de 2006 e publicado no D.O.U. do dia 04 de janeiro de Art. 2º - Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. ISABELLA PESSÔA DE AZEVEDO MADEIRA (*) Republicada por ter saído no DOU de 13/01/2006, Seção1 - n.º 10 página 14, com incorreção no original. 21, DE 13 DE JANEIRO DE 2006 A SECRETÁRIA EXECUTIVA DO MINISTÉRIO DA CULTURA-SUBSTITUTA, no uso de suas atribuições legais, e em cumprimento ao disposto na Lei 8.313, de 23 de dezembro de 1991, Decreto n.º 1.494, de 17 de maio de 1995, Medida Provisória nº , de 06 de setembro de 2001, alterada pela Lei nº de 13 de maio de 2002 e Portaria n.º 500 de 18 de dezembro de 1998, resolve: Art. 1º Prorrogar o prazo de captação dos projetos audiovisuais, relacionados no anexo I, para os quais os proponentes ficam autorizados a captar recursos, mediante doações ou patrocínios, nos temos do Art. 18 da Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de 1991, com redação dada pelo Art. 53, alínea f, da Medida Provisória nº , de 06 de setembro de 2001, Art. 2º Prorrogar o prazo de captação dos projetos audiovisuais, relacionados no anexo II, para os quais os proponentes ficam autorizados a captar recursos, mediante doações ou patrocínios, nos termos do Art. 26 da Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de 1991, Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. ISABELLA PESSOA DE AZEVEDO MADEIRA I Paralelos Horizontes Alexandre Basso CNPJ/CPF: MS-Campo Grande Adro da Candelária Ela Filmes Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro A Voz em Off Independência do Brasil A Cor da Voz Criações e Produções Ltda CNPJ/CPF: / BA-Salvador A Voz em Off Abolição da Escravatura A Cor da Voz Criações e Produções Ltda CNPJ/CPF: / BA-Salvador Estação Cinema AaZ Produções Artes (Poríferos e Celenterados S/C Ltda) CNPJ/CPF: / MG-Ipatinga Dom Helder Camara o Santo Rebelde Andréa Magalhães Glória - ME CNPJ/CPF: / DF-Brasília Cinema Itinerante Agencia F. Publicidade CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Baque de Maracatu & Link de Candomblé Oficina Afro Virtual Arthur Emilio do Nascimento CNPJ/CPF: PE-Recife Edu Lobo Vida Obra e Show em DVD Falarbem Comunicação S/C Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Coelho da Rocha Candombe do Açude - Arte, Cultura e Fé Cardes Monção Amâncio CNPJ/CPF: MG-Belo Horizonte Velocidade Cultural Carlos Alves Competition Team CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Curta Jacarehy (1) Fundação Cultural de Jacarehy CNPJ/CPF: / SP-Jacareí CineAmazonia Mostra Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental III CLG da Silva C N P J / C P F : / RO-Porto Velho Brasil das Artes e da Folia Paradoxo Filmes CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Projeto de Microfilmagem Digitalização e Capacitação para o Processamento Técnico do Acervo Colonial Fundação Pedro Calmon - Centro de Memória e Arquivo Público da Bahia CNPJ/CPF: / BA-Salvador Festival de Cinema Feminino de Chapada dos Guimarães Flor do Cerrado Produções Culturais CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Rio e Eu (O) Diego de Mello Rego Lopes CNPJ/CPF: Curitiba Clinch Diego Eliseu de Camargo Guidi CNPJ/CPF: SP-São Paulo FLUXUS Festival Internacional de Cinema na Internet Zeta Filmes Ltda CNPJ/CPF: / MG-Belo Horizonte INDIE - Mostra de Cinema Mundial Zeta Filmes Ltda CNPJ/CPF: / MG-Belo Horizonte Recuperação de Acervo Videofonográfico da TVE-RJ Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Na Onda do Progresso: Rádio e a TV na Região Sul Alternativa Consultoria em Educação, Cultura e Comunicação Social Ltda CNPJ/CPF: / RS-Porto Alegre Oficinas Querô Formação em Cinema e Vídeo Gullane Filmes Ltda EPP CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Poesia Erótica Flávio Aurélio de Souza CNPJ/CPF: RS-Esteio Viagem ao Desconhecido Os Segredos da Pedra de Ingá Gilvan Bezerra de Brito - ME CNPJ/CPF: / DF-Brasília Período de captação:01/01/2006 a 31/12/2006

3 <!ID > DELIBERAÇÃO <!ID > Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de ISSN Viagens ao Desconhecido - Os Segredos da Pedra de Ingá (Livro/Cd-Rom) Gilvan Bezerra de Brito - ME CNPJ/CPF: / DF-Brasília Coleção Hector Babenco HB Filmes Ltda CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Projeto Megafone Núcleo Sócio-Cultural de Arte Audiovisual - Encine CNPJ/CPF: / CE-Fortaleza Cinema na Favela e Favela no Cinema Ano 2 Movimento Hip Hop Organizado do Estado de Santa Catarina CNPJ/CPF: / SC-São José Cinema ao Ar Livre Rede Brasileira de Entretenimento Digital Ltda CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Montagem no Cinema (A) Heco Produções S/C Ltda CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (38º) Instituto Terceiro Setor - ITS CNPJ/CPF: / DF-Brasília Bis Latinamerica Entretenimento LTDA CNPJ/CPF: / SP-Ribeirão Preto Festival Permanente do Minuto 2006 Um Minuto Marketing E Produções Culturais Ltda CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Vidas - Artesanato Brasil ( Ex Documentário Artesanato Brasil ) Giras Filmes Comunicação CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Período de captação:01/01/2006 a 31/12/ Wa l a c h a i Zilles Produções Culturais CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Livro do Walachai O Zilles Produções Culturais CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Bela Vista - A Descoberta de Cabral Mariangela Valença França CNPJ/CPF: PE-Olinda DVD - Aula de Frevo II Mariangela Valença França CNPJ/CPF: PE-Olinda Quem Chorará por Nós Naine Terena de Jesus CNPJ/CPF: DF-Brasília Festival Internacional de Televisão Instituto de Estudos de Televisão CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Corredor Cultural e Ecológico das Fronteiras Amazônicas Taboca Produções Artisticas Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Nosso Amor Durou Somente Uma Semana - 5 Raccord Produções Artísticas e Cinematográficas Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Artista (O) Raccord Produções Artísticas e Cinematográficas Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Mataram Meu Gato Raccord Produções Artísticas e Cinematográficas Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Nosso Amor Durou Somente Uma Semana -1 Raccord Produções Artísticas e Cinematográficas Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Nosso Amor Durou Somente Uma Semana - 2 Raccord Produções Artísticas e Cinematográficas Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Nosso Amor Durou Somente Uma Semana - 3 Raccord Produções Artísticas e Cinematográficas Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Nosso Amor Durou Somente Uma Semana - 4 Raccord Produções Artísticas e Cinematográficas Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Todo Mundo Dança Ruth Slinger CNPJ/CPF: SP-São Paulo Aleixo Garcia - O Verdadeiro Descobridor do Império Inca Siebert & Siebert Serviços Ltda CNPJ/CPF: / SC-Palhoça A Demolição Luzes da Cidade - Grupo de Cinéfilos e Produtores Culturais CNPJ/CPF: / MG-Juiz de Fora Coleção Glauber Rocha - Fase 1 Grupo Novo de Cinema e TV. Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Associação Atlética Disparada X Banda Futebol Clube Tatiana Guitti Polastri CNPJ/CPF: SP-Mauá Naquela Época Uriel Pereira da Silva CNPJ/CPF: SC-Florianópolis Rituais Kuikuro do Alto Xingu Tradição e Novas Tecnologias da Memória Associação Indígena Kuikuro do Alto Xingu CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Búzios Festival (11º) - Ex- Búzios Festival (10º) CIMA - Centro de Cultura, Informação e Meio Ambiente CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro II Desmemória Christiane de Tassis Pisoler CNPJ/CPF: MG-Belo Horizonte Ensina Brasil Canal Kids Show Entretenimentos Ltda CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Overmundo Movimento Br Projetos Culturais Ltda CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Guia de Fontes e Pesquisa Sobre Trabalho no Brasil Fundação Getúlio Vargas CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Discos do Brasil Banco de Música Serviços de Comunicação e Cultura Ltda CNPJ/CPF: / SP-São Paulo Centro de cidadania e educação audiovisual nós no cinema Nos do Cinema CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro Revista Aliança Cultural Associação Cultural e Beneficente B'Nai Brith CNPJ/CPF: / RJ-Rio de Janeiro AGÊNCIA NACIONAL DO CINEMA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL 10, DE 13 DE JANEIRO DE 2006 O SUPERINTENDENTE DE DESENVOLVIMENTO IN- DUSTRIAL da ANCINE, no uso das atribuições legais conferidas pela Portaria nº 11 de 28 de janeiro de 2005 e em cumprimento ao disposto na Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de 1991, Lei nº 8.685, de 20 de julho de 1993, Medida Provisória nº , de 06 de setembro de 2001, alterada pela Lei nº , de 13 de maio de 2002, e Decreto nº 4.456, de 04 de novembro de 2002, delibera: Art. 1º Prorrogar o prazo de captação e aprovar a revisão orçamentária de acordo com a Instrução Normativa 42, de 30 de agosto de 2005 do projeto audiovisual abaixo relacionado, para o qual a proponente fica autorizada a captar recursos através de Certificados de Investimento e da formalização de contratos de co-produção nos termos dos Arts. 1º e 3º da Lei nº 8.685/93 e mediante doações ou patrocínios, na forma prevista nos Arts. 25 e 26 da Lei nº 8.313/ Polaróides Urbanas - O Filme Processo: / Proponente: Filmes do Equador Cidade/UF: Rio de Janeiro/RJ CNPJ: / Valor total do orçamento aprovado: de R$ ,00 para R$ ,00 Valor Aprovado no Artigo 1º da Lei nº 8.685/93:R$ ,00 Banco: 001- Agência: Conta Corrente: Valor Aprovado no Artigo 3º da Lei nº 8.685/93:R$ ,00 Banco: 001- Agência: Conta Corrente: Valor Aprovado na Lei nº 8.313/91: de R$ ,85 para R$ ,00 Banco: 001- Agência: Conta Corrente: Prazo de captação: de 01/01/2006 até 31/12/2006. Art. 2º - Esta Deliberação entra em vigor na data de sua publicação. LUIZ FERNANDO NOEL DE SOUZA RETIFICAÇÕES Retificar os termos da Deliberação nº 09, de 12 de janeiro de 2006, publicada no D.O.U. nº 10, de 13 de janeiro de 2006, Seção 1, página 21, em relação ao projeto Dois Filhos de Francisco: A História de Zezé Di Camargo & Luciano, para considerar o seguinte: ONDE SE LÊ Prazo de captação: de 01/01/2006 até 31/12/2006, LEIA-SE Prazo encerrado em: 31/12/2005. <!ID > Retificar os termos da Deliberação nº 75, de 30 de março de 2005, publicada no D.O.U. nº 61, de 31 de março de 2005, Seção 1, página 19, em relação ao projeto As Aventuras do Avião Vermelho, para considerar o seguinte: ONDE SE LÊ Valor Aprovado no Artigo 1º da Lei nº 8.685/93: R$ ,00 Banco: 001- Agência: Conta Corrente: , LEIA-SE Valor Aprovado no Artigo 1º da Lei nº 8.685/93: R$ ,00 Banco: 001- Agência: Conta Corrente: <!ID > Retificar os termos da Deliberação nº 08, de 11 de janeiro de 2006, publicada no D.O.U. nº 09, de 12 de janeiro de 2006, Seção 1, página 12, em relação ao projeto Os Doze Trabalhos de Herácles, para considerar o seguinte: ONDE SE LÊ Cidade/UF: Rio de Janeiro / RJ, LEIA-SE Cidade/UF: São Paulo / SP.

4 <!ID > PORTARIA <!ID > 4 ISSN Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de Ministério da Defesa COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DAC 13/SIE, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Classifica aeroportos públicos nacionais para fins específicos de cobrança de Tarifas Aeroportuárias. O CHEFE DO SUBDEPARTAMENTO DE INFRA-ESTRU- TURA DO DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL, com base no artigo 32, da Lei nº 7.565, de 19 de dezembro de 1986 e de acordo com a delegação de competência do Diretor-Geral, outorgada pela Portaria DAC N o 007/DGAC, de 10 de janeiro de 2006 e nos termos da Portaria n o 1592/GM5, de 07 de novembro de 1984, alterada pelas Portarias de n o 484/GM5, de 20 de julho de 1988, de n o 677/GM2, de 10 de setembro de 1992, de n o 366/GM5, de 25 de maio de 1999 e de n.º 478/GC5, de 24 de junho de 2002, resolve: Art.1 o Os aeroportos públicos nacionais, para fins específicos de cobrança de Tarifas Aeroportuárias, ficam classificados como se segue: I - 1 a C AT E G O R I A BELÉM SBBE ( PA ) Internacional de Bel é m / Va l - d e - C ã e s BELO HORIZON- SBCF (MG) Internacional de Belo TE H o r i z o n t e / Ta n c r e d o Neves - Confins BRASÍLIA SBBR (DF) Internacional de Brasília/Presidente Juscelino Kubitschek CURITIBA SBCT () Internacional de Curitiba/Afonso Pena F O RTA L E Z A SBFZ (CE) Internacional de Fortaleza/Pinto Martins MANAUS SBEG (AM) Internacional de Manaus/Eduardo Gomes N ATA L SBNT (RN) Internacional de Natal/Augusto Severo PORTO ALEGRE S B PA (RS) Internacional de Porto Alegre/Salgado Filho RECIFE SBRF (PE) Internacional de Recife/Guararapes RIO DE JANEIRO SBGL (RJ) Internacional do Rio de Janeiro/Galeão - Antonio Carlos Jobim S A LVA D O R SBSV (BA) Internacional de Salvador/Deputado Luís Eduardo Magalhães SÃO PAULO SBSP (SP) Internacional de São Paulo/Congonhas SÃO PAULO SBGR (SP) Internacional de São Paulo/Guarulhos - Governador André Franco Montoro II - 2 a C AT E G O R I A ARACAJU SBAR (SE) Santa Maria BELO HORIZON- TE SBBH (MG) Pampulha/Carlos Drummond de Andrade BOA VISTA SBBV (RR) Internacional de Boa Vi s t a CALDAS NOVAS SWKN (GO) Caldas Novas CAMPINA GRAN- SBKG (PB) João Suassuna DE CAMPINAS SBKP (SP) Internacional de Camp i n a s / Vi r a c o p o s CAMPO GRANDE SBCG (MS) Internacional de Campo Grande CORUMBÁ SBCR (MS) Internacional de Corumbá CUIABA SBCY (MT) Internacional de Cuiabá/Marechal Rondon FLORIANÓPOLIS SBFL (SC) Internacional de Florianopolis/Hercílio Luz FOZ DO IGUAÇU SBFI () Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas GOIÂNIA SBGO (GO) Santa Genoveva ILHÉUS SBIL (BA) Ilhéus I M P E R AT R I Z SBIZ (MA) Imperatriz JOÃO PESSOA SBJP (PB) Internacional de João Pessoa/Presidente Castro Pinto JOINVILLE SBJV (SC) Joinville JUIZ DE FORA SBJF (MG) Francisco de Assis LONDRINA SBLO () Londrina MACAPÁ SBMQ (AP) Internacional de Macapá MACEIÓ SBMO (AL) Maceió/Zumbi dos Palmares MARABÁ SBMA ( PA ) Marabá MARINGÁ SBMG () Aeroporto Regional de Maringá MONTES CLAROS SBMK (MG) Montes Claros N AV E G A N T E S SBNF (SC) Internacional de Navegantes/Itajaí PA L M A S SBPJ ( TO ) P a l m a s / To c a n t i n s PA R A U A P E B A S SBCJ ( PA ) Carajás PETROLINA SBPL (PE) Petrolina/Senador Nilo Coelho PORTO SEGURO SBPS (BA) Porto Seguro PORTO VELHO SBPV (RO) Internacional de Porto Ve l h o RIBEIRÃO ETO SBRP (SP) Leite Lopes RIO BRANCO SBRB (AC) Internacional de Rio Branco/Presidente Médici RIO DE JANEIRO SBRJ (RJ) Santos Dumont S A N TA R É M SBSN ( PA ) Santarém SÃO JOSÉ DO RIO SBSR (SP) São José do Rio Preto P R E TO SÃO JOSÉ DOS SBSJ (SP) São José dos Campos/Professor CAMPOS Urbano Ernesto Stumpf SÃO LUÍS SBSL (MA) Internacional de São Luís/Marechal Cunha Machado TA B AT I N G A SBTT (AM) Internacional de Tabatinga TERESINA SBTE (PI) Teresina/Senador Petrônio Portella UBERABA SBUR (MG) Uberaba UBERLÂNDIA SBUL (MG) Uberlândia VITÓRIA SBVT (ES) Goiabeiras III - 3a C AT E G O R I A A LTA M I R A SBHT ( PA ) Altamira A R A Ç AT U B A SBAU (SP) Araçatuba ARARAQUARA SBAQ (SP) Araraquara BAGÉ SBBG (RS) Bagé/Comandante Gustavo Kraemer B A R R E TO S SBBT (SP) Chafei Amsei BAURU SBBU (SP) Bauru BELÉM SBJC ( PA ) Júlio César CABO FRIO SBCB (RJ) Cabo Frio CAMPOS DOS SBCP (RJ) Bartolomeu Lisandro G O I TA C A Z E S C A S C AV E L SBCA () Cascavel CAXIAS DO SUL SBCX (RS) Campo dos Bugres CHAPECÓ SBCH (SC) Chapecó CRICIÚMA SBCM (SC) Forquilhinha CRUZEIRO DO SBCZ (AC) Internacional de Cruzeiro SUL do Sul CURITIBA SBBI () Bacacheri DIVINÓPOLIS SNDV (MG) Divinópolis FERNANDO DE SBFN (PE) Fernando de Noronha NORONHA FRANCA SIMK (SP) Franca GOVERNADOR SBGV (MG) Governador Valadares VA L A D A R E S I PAT I N G A SBIP (MG) Usiminas J I - PA R A N Á SWJI (RO) Ji-Paraná JUNDIAÍ SDJD (SP) Jundiaí LAGES SBLJ (SC) Lages LENÇÓIS SBLE (BA) Lençóis/Chapada Diamantina MACAÉ SBME (RJ) Macaé MARÍLIA SBML (SP) Marília PA R I N T I N S SWPI (AM) Parintins PA R N A Í B A SBPB (PI) Parnaíba PAULO AFONSO SBUF (BA) Paulo Afonso P E L O TA S SBPK (RS) Internacional de Pelotas PONTA PORÃ SBPP (MS) Internacional de Ponta Porã POUSO ALEGRE SNZA (MG) Pouso Alegre ESIDENTE U- SBDN (SP) Presidente Prudente DENTE RIO DE JANEIRO SBJR (RJ) Jacarepaguá SANTA MARIA SBSM (RS) Santa Maria SÃO PAULO SBMT (SP) Marte TEFÉ SBTF (AM) Te f é URUGUAIANA SBUG (RS) Internacional de Uruguaiana/Rubem Berta VA L E N Ç A SNVB (BA) Va l e n ç a IV - 4 a C AT E G O R I A ALEGRETE S S LT (RS) Alegrete Novo ALTA FLORESTA S B AT (MT) Alta Floresta ANDRADINA SDDN (SP) Andradina ANGRA DOS REIS SDAG (RJ) Angra dos Reis APUCARANA SSAP () Apucarana ARAGUAÍNA SWGN ( TO ) Araguaína ARAPONGAS SSOG () Arapongas ARAPOTI S S YA () Arapoti ARAXÁ SBAX (MG) Araxá ASSIS SBAS (SP) Assis AVA R É SDRR (SP) Av a r é BARIRI SDBY (SP) Bariri BARREIRAS SNBR (BA) Barreiras BELO HORIZON- SB (MG) Carlos Prates TE BLUMENAU SSBL (SC) Blumenau BOM JESUS DA SBLP (BA) Bom Jesus da Lapa L A PA B O T U C AT U SDBK (SP) Botucatu BREVES SNVS ( PA ) Breves CAMPO GRANDE SSKG (MS) Estância de Santa Maria CAMPO MOURÃO SSKM () Campo Mourão C A N AV I E I R A S SNED (BA) Canavieiras CANELA SSCN (RS) Canela CARACARAÍ SWQI (RR) Caracaraí CARAUARI SWCA (AM) Carauari CARAZINHO SSKZ (RS) Carazinho CASTILHO SBUP (SP) Urubupungá C I A N O RT E SSCT () Cianorte COARI SWKO (AM) Coari CONCEIÇÃO DO SBAA ( PA ) Conceição do Araguaia ARAGUAIA CONCÓRDIA SSCK (SC) Concórdia CORNÉLIO O- SSCP () Cornélio Procópio CÓPIO DRACENA SDDR (SP) Dracena FEIRA DE SANTA- SNJD (BA) João Durval Carneiro NA FRANCISCO BEL- SSFB () Francisco Beltrão TRÃO GUAÍRA SSGY () Guaíra GUANAMBI SNGI (BA) Guanambi G U A R A PA R I SNGA (ES) Guarapari G U A R A P U AVA SBGU () Tancredo Thomaz de Faria G U A R AT U B A SSGB () Guaratuba GURUPI SWGI ( TO ) Gurupi IRECÊ SNIC (BA) Irecê I TA I T U B A SBIH ( PA ) Itaituba I TA N H A E M SDIM (SP) Itanhaem I TA P E R U N A SDUN (RJ) Itaperuna JACAREZINHO SSJE () Jacarezinho JEQUIÉ SNJK (BA) Jequié JOAÇABA SSJA (SC) Joaçaba JUAZEIRO DO SBJU (CE) Cariri N O RT E LINS SBLN (SP) Lins LOANDA SSLO () Loanda LUZIÂNIA SWUZ (GO) Luziânia MARECHAL CÂN- SSCR () Marechal Cândido DIDO RONDON Rondon MEDIANEIRA SSMD () Medianeira MONTE DOURA- SBMD ( PA ) Monte Dourado DO MOSSORÓ SBMS (RN) Dix Sept Rosado OSÓRIO SSOS (RS) Osório OURINHOS SDOU (SP) Ourinhos PA L M A S SSPS () Palmas PA R A N A G U Á SSPG () Paranaguá PA R A N AVA Í SSPI () Paranavaí PASSO FUNDO SBPF (RS) Lauro Kurtz PATO BRANCO SSPB () Pato Branco PENÁPOLIS SDPN (SP) Penápolis PIRACICABA SDPW (SP) Piracicaba POÇOS DE CAL- SBPC (MG) Poços de Caldas DAS PONTA GROSSA SSZW () Ponta Grossa PORTO NACIO- SBPN ( TO ) Porto Nacional NAL ADO SNRD (BA) Prado REDENÇÃO SNDC ( PA ) Redenção RESENDE SDRS (RJ) Resende RIO GRANDE SBRG (RS) Rio Grande SANTA ROSA SSZR (RS) Santa Rosa SANTO ÂNGELO SBNM (RS) Santo Ângelo SÃO FÉLIX DO XINGU SNFX ( PA ) São Félix do Xingu

5 Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de ISSN SÃO FRANCISCO SSSS (SC) São Francisco do Sul DO SUL SÃO LOURENÇO SNLO (MG) São Lourenço SÃO MANUEL SDNO (SP) São Manuel SÃO MIGUEL DO SSMY () São Miguel do Iguaçu IGUAÇU SÃO MIGUEL DO SSOE (SC) São Miguel do Oeste OESTE SAQUAREMA SDSK (RJ) Saquarema SARANDI SSXD (RS) Sarandi SOROCABA SDCO (SP) Sorocaba TELÊMACO BOR- SBTL () Telêmaco Borba BA TEÓFILO OTONI S N TO (MG) JK TO L E D O SBTD () To l e d o TUPÃ SDTP (SP) Tu p ã U B AT U B A SDUB (SP) Ubatuba UMUARAMA SSUM () Umuarama UNIÃO DA VITÓ- SSUV () União da Vitória RIA VA R G I N H A SBVG (MG) Major Brigadeiro Tr o m p o w s k y VERANÓPOLIS SSVN (RS) Ve r a n ó p o l i s VIDEIRA SSVI (SC) Vi d e i r a VILHENA SBVH (RO) Vi l h e n a VITÓRIA DA CON- SBQV (BA) Vitória da Conquista Q U I S TA VOTUPORANGA SDVG (SP) Vo t u p o r a n g a <!ID > Art. 2 o Os aeroportos não incluídos nesta classificação serão objeto de futuras seleções à medida que forem melhorando suas condições de infra-estrutura. Art. 3 o Os aeroportos constantes do art. 1 o, desta Portaria, poderão sofrer nova classificação em função de alterações posteriores em sua infra-estrutura. Art. 4 o Esta Portaria entra em vigor a partir de 16 de janeiro de Art. 5 o Revoga-se a Portaria DAC N o 386/SIE, de 04 de maio de 2005, publicada no Diário Oficial da União n o 86, Seção 1, de 06 de maio de Brig Ar RAFAEL RODRIGUES FILHO COMANDO DA MARINHA DIRETORIA-GERAL DE NAVEGAÇÃO DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS <!ID >PORTARIA N o - 4 /DPC, 10 DE JANEIRO DE 2006 Renova o credenciamento da Empresa BSC Implementações Ltda para ministrar os Cursos de Formação de Coordenador de Proteção da Companhia (CSO) e de Formação de Oficial de Proteção do Navio (SSO). SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL O DIRETOR DE PORTOS E COSTAS, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Portaria nº 156/MB, de 03 de junho de 2004, e de acordo com o contido no artigo 3º, da Lei nº 9.537, de 11 de dezembro de 1997, resolve: Art. 1º Renovar o credenciamento da Empresa BSC Implementações Ltda para ministrar os Cursos de Formação de Coordenador de Proteção da Companhia (CSO) e de Formação de Oficial de Proteção do Navio (SSO), em conformidade com o previsto nos subitens 13.1 e 13.2 do Código Internacional para Proteção de Navios e Instalações Portuárias (Código ISPS). Art. 2º O presente credenciamento tem a validade de três anos, a partir da data de início da vigência desta Portaria, podendo ser renovado Ȧrt. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação em DOU. Art. 4º Revoga-se a Portaria nº 91, de 25 de outubro de <!ID >PORTARIA N MARCOS MARTINS TORRES Vi c e - A l m i r a n t e o - 5/DPC, DE 10 DE JANEIRO DE 2006 Remanejamento de Prático. O DIRETOR DE PORTOS E COSTAS, no uso da delegação de competência que lhe confere a Portaria n o 156/MB, de 03 de junho de 2004, de acordo com o contido no artigo 4 o da Lei n o 9.537, de 11 dezembro de 1997, e de acordo com a alínea a do item 0201 das Normas da Autoridade Marítima para o Serviço de Praticagem - NOR- MAM-12/DPC, aprovadas pela Portaria n o 110, de 16 de dezembro de 2003 e alteradas pela Portaria n o 94, de 16 de novembro de 2004 e Portaria n o 82, de 04 de outubro de 2005, publicadas respectivamente na Seção I do Diário Oficial da União, de 13 de fevereiro de 2004, 19 de novembro de 2004 e 05 de outubro de 2005, resolve: Art. 1 o Remanejar, por necessidade do serviço, o Prático PORTHOS AUGUSTO DE LIMA FILHO da Zona de Praticagem de Cabedelo (PB) - ZP-08 para a Zona de Praticagem de Fazendinha (AP) - Itacoatiara (AM) - ZP-01. Art. 2 o Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação em DOU. MARCOS MARTINS TORRES Vi c e - A l m i r a n t e <!ID > PORTARIA 1.421/SEORI, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2005 (Publicada no DOU de 12/01/2006) MINISTÉRIO DA DEFESA SECRETARIA DE ORGANIZAÇÃO INSTITUCIONAL III (*) LIMITES DE PAGAMENTO RELATIVOS ÀS DOTAÇÕES CONSTANTES DA LEI ORÇAMENTÁRIA PARA 2005 E AOS RESTOS A PAGAR DE 2004 ESPECIFICAÇÃO ATÉ DEZ ADMINISTRAÇÃO CENTRAL MINISTÉRIO DA DEFESA FUNDO DO MD FUNDO DE ADM. DO HFA FUNDO DO SERVIÇO MILITAR COMANDO DA AERONÁUTICA COMANDO DO EXÉRCITO COMANDO DA MARINHA TO TA L Fontes: 100, 135, 142, 148, 149, 172, 174, 175, 176, 180, 280, 985 e suas correspondentes, resultantes da incorporação de saldos de exercícios anteriores. MIL R$ (*) Republicado por ter saído no DOU de 12/01/2006, Seção 1, página 13, com incorreção no original.. Ministério da Educação GABINETE DO MINISTRO <!ID > DESPACHO DO MINISTRO Em 13 de janeiro de 2006 Considerando as dificuldades técnicas verificadas para o regular cumprimento do prazo previsto no Despacho Ministerial de 11 de novembro de 2005, publicado no Diário Oficial da União de 14 de novembro de 2005, Seção1, p. 13, fica o referido prazo prorrogado por 60 (sessenta) dias. JAIRO JORGE Interino SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE SUPERVISÃO DO ENSINO SUPERIOR <!ID >DESPACHOS DO DIRETOR O Diretor do Departamento de Supervisão do Ensino Superior, no uso de suas atribuições legais, decide: Indeferir o pedido de autorização para oferta do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Pública e Social, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; Curso de Química, Licenciatura, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; formulados pela União Educacional Minas Gerais Ltda, mantenedora da Faculdade de Ciências Aplicadas de Minas. Indeferir o pedido de autorização para oferta do curso de Educação Física, Licenciatura, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; Enfermagem, Bacharelado, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; formulados pela Associação Educacional do Cone Sul, mantenedora da Faculdade de Ciências Contábeis de Nova Andradina. Indeferir o pedido de autorização para oferta do curso de Geografia, Licenciatura, Processo nº / , Registro Sapiens nº , Educação Física, Licenciatura, Processo nº / , Registro Sapiens nº , História, Licenciatura, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; formulados pela Comunidade Evangélica Luterana São Paulo, mantenedora do Instituto Luterano de Ensino Superior de Santarém. Indeferir o pedido de autorização para oferta do curso em Ensino a Distância de Ciência Contábeis, Bacharelado, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; formulado pela Sociedade Mineira de Cultura, mantenedora da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Indeferir o pedido de autorização para oferta do curso de Medicina, Bacharelado, Processo nº / , Registro Sapiens nº , formulado pela Associação Região Tocantina de Educação e Cultura S/C Ltda, mantenedora da Faculdade de Imperatriz. Indeferir o pedido de autorização para oferta do curso de Odontologia, Bacharelado, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; formulado pela Associação de Ensino Versalhes, mantenedora do Centro Universitário de Campos de Andrade. Indeferir o pedido de autorização para oferta do curso de Ciências Contábeis, Bacharelado, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; Design de Moda, Bacharelado, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; Agronomia, Bacharelado, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; formulados pela União Dinâmica de Faculdades Cataratas, mantenedora da Faculdade Dinâmica das Cataratas. Indeferir o pedido de autorização para oferta do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Marketing, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; Curso Superior de Tecnologia em Planejamento e Controle de Produção, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; formulados pela Associação Cultural e Educacional Porto Marques, mantenedora da Faculdade de Tecnologia Thereza Porto Marques. Indeferir o pedido de autorização para oferta do curso de Medicina, Bacharelado, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; formulado pelo Instituto Filadélfia de Londrina, mantenedor do Centro Universitário Filadélfia. Indeferir o pedido de autorização para oferta do Curso Superior de Tecnologia para Redação Instrumental, Processo nº / , Registro Sapiens nº ; formulado pela Sociedade Pró-Universidade Canoense, mantenedora da Faculdade de Tecnologia IPUC.

6 <!ID > PORTARIA 6 ISSN Indeferir o Plano de Desenvolvimento Institucional Processo nº / , Registro Sapiens nº , formulado pelo Centro de Ensino Superior de Santo André, mantenedor da Escola Superior de Administração e Gestão. Indeferir o Plano de Desenvolvimento Institucional Processo nº / , Registro Sapiens nº , formulado pela Fundação Mundial, Mantenedora da Faculdade Mundial. Indeferir o Plano de Desenvolvimento Institucional Processo nº / , Registro Sapiens nº , formulado pela Sociedade Abaeté de Educação e Cultura S/C Ltda, mantenedora da Faculdade de Ibiúna. MARIO PORTUGAL PEDERNEIRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO 31, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 VICE-REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PER- NAMBUCO, no uso das atribuições legais e estatutárias, e de acordo com o Artigo 87, inciso III, da Lei nº 8.666/93, resolve: Aplicar à empresa PATRÍCIA CARLA CAMPELO DA SIL- VA - ME, CNPJ nº / , penalidade de suspensão de participação em licitação e impedimento de contratar com a Administração por 02 (dois) anos, a partir da data de publicação desta portaria, além da multa prevista no edital de licitação (Processo nº / ), em virtude de atraso injustificado na execução do contrato. (Processo nº / ) GILSON EDMAR GONÇALVES E SILVA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL <!ID >RETIFICAÇÃO No Ato Declaratório Interpretativo SRF n o 18, de 28 de dezembro de 2005, publicado no Diário Oficial da União de 30 de dezembro de 2005, Seção 1, página 29: onde se lê:...aprovadas pela Resolução nº 936, de 16 de maio de 2003, do Conselho Federal de Contabilidade. ; leia-se:...aprovadas pela Resolução nº 963, de 16 de maio de 2003, do Conselho Federal de Contabilidade.. DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DE JULGAMENTO EM SÃO PAULO I <!ID >PORTARIA N o - 9, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL DE JULGAMENTO EM SÃO PAULO I, no uso da competência que lhe confere o inciso XI do art. 252 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal aprovado pela Portaria n o 30, de 25 de fevereiro de 2005, do Ministro de Estado da Fazenda, e em face do determinado pelo art. 1, inciso IV, da Portaria SRF nº 6.129, de 02 de dezembro de 2005, resolve: Art. 1 o Autorizar, em caráter eventual, a distribuição dos seguintes processos pendentes de julgamento, respectivamente, nas Sexta e Nona Turmas para a Segunda Turma desta DRJ/SPO - I: / / Art. 2 o Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. ANTONIO DAS CANDEIAS Ministério da Fazenda. SUPERINTENDÊNCIAS REGIONAIS GABINETE DO MINISTRO <!ID > DESPACHOS DO MINISTRO Em 10 de janeiro de 2006 OCESSO nº: / INTERESSADO: REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ASSUNTO: Operação de crédito externo, mediante lançamento de título da República no mercado internacional de capitais, Global 2037, para aporte de recursos novos, no valor de até US$2,000,000, (dois bilhões de dólares dos Estados Unidos da América), de principal, com o agenciamento fiscal do JP Morgan Chase e tendo como líderes da oferta os bancos Deutsche Bank Sec. Inc. e UBS Sec. LLC, destinada ao pagamento da Dívida Pública Federal (DPF), de responsabilidade do Tesouro Nacional, no âmbito do Programa de Emissão e Colocação de Títulos de Responsabilidade do Tesouro Nacional no Exterior DESPACHO: Considerando os pareceres da Secretaria do Tesouro Nacional e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, com fundamento nas disposições do Decreto-lei nº 1.312, de 15 de fevereiro de 1974, e da Resolução nº 96, de 15 de dezembro de 1989, do Senado Federal, consolidada e republicada em 22 de fevereiro de 1999, e considerando, ainda, a permissão contida na Resolução nº 20, de 16 de novembro de 2004, da mesma Casa Legislativa, autorizo a contratação, observadas as formalidades de praxe. Publique-se e restitua-se o processo à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional para as providências complementares. <!ID > Em 12 de janeiro de 2006 Processo nº: / Interessado: Estado do Amazonas Assunto: Operação de crédito externo a ser celebrada entre o Estado do Amazonas e o Banco Interamericano de Desenvolvimento - BID, no valor de até US$ ,00 (cento e quarenta milhões de dólares dos Estados Unidos da América), cujos recursos destinam-se ao financiamento parcial do Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus - OSAMIM Despacho: Tendo em vista os Pareceres da Secretaria do Tesouro Nacional e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, com fundamento na Resolução nº 96, de 15 de dezembro de 1989, republicada e consolidada em , do Senado Federal, e considerando a permissão contida na Resolução nº 70, de 15 de dezembro de 2005, também daquela Casa Legislativa, e no uso da competência que me confere o art. 6º do Decreto-lei nº 1.312, de 15 de fevereiro de 1974, autorizo a concessão da garantia à operação de crédito externo em tela, cumpridas as formalidades de praxe. Restitua-se o processo à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional para as providências complementares. Publique-se. ANTONIO PALOCCI FILHO 1ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM CAMPO GRANDE <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 1, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 Cancela Registro Especial nos termos da IN SRF nº 71/2001. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM CAMPO GRANDE-MS, no uso das atribuições que lhe confere o art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF nº 30, de 25 de fevereiro de 2005, tendo em vista o disposto no artigo 7º e Inciso II da IN SRF nº 71, de 24 de agosto de 2001 e face ao que consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º - Cancelado o Registro Especial de "usuário (UP) de papel com imunidade tributária (GP) nº UP 01401/0026,, publicado no Diário Oficial da União nº 82, de 30/04/2002 da empresa EDI- TORA FOLHA DO POVO DO MS LTDA EPP - CNPJ Nº / , com endereço à Rua 26 de Agosto, Centro - Campo Grande/MS. Art. 2º - Este Ato Declaratório Executivo entra em vigor na data de sua publicação. PAULO SÉRGIO PEPERÁRIO DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM CUIABÁ <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 1, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 Declara a Inaptidão no Cadastro de Pessoa Jurídica O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM CUIABÁ- MT, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria/MF nº 030, de ,e publicada no DOU de e com base no artigo 60 da Lei nº , de e considerando que a pessoa jurídica abaixo identificada enquadra-se na condição prevista no art. 43 da IN/SRF nº 568/2005, conforme apurado no processo administrativo nº / , declara: INAPTA, com efeitos tributários desde a data de sua constituição, 01/12/2004, pelos motivos insculpidos nos incisos III, art. 34, e inciso I e III, art. 41 da IN RFB 568, de 08 de setembro de 2005 (inexistência de fato), a inscrição no Cadastro Nacional das Pessoas Jurídicas-CNPJ nº / , da empresa Reality Comercial, Importadora e Exportadora Ltda, com endereço declarado como sendo à Avenida Isaac Povoas 586, Sala 305, Cuiabá, MT. JOÃO ROSA DE CARAVELLAS NETO <!ID >ATO DECLARATÓRIO Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de 2006 EXECUTIVO 2, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 Declara a Inaptidão no Cadastro de Pessoa Jurídica O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM CUIABÁ- MT, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria/MF nº 030, de ,e publicada no DOU de e com base no artigo 60 da Lei nº , de e considerando que a pessoa jurídica abaixo identificada enquadra-se na condição prevista no art. 43 da IN/SRF nº 568/2005, conforme apurado no processo administrativo nº / , declara: INAPTA, com efeitos tributários desde a data de sua constituição, 23/04/2004, pelos motivos insculpidos nos incisos III e IV, art. 34, e inciso II, art. 41 da IN RFB 568, de 08 de setembro de 2005 (inexistência de fato) e parágrafo único do artigo 11 da IN 228/2002, a inscrição no Cadastro Nacional das Pessoas Jurídicas-CNPJ nº / , da empresa Sammar Comércio de Importação e Exportação Ltda, com endereço declarado como sendo à Rodovia Palmiro Paes de Barros 655, Sala 12, Nossa Senhora Aparecida, Cuiabá, MT. JOÃO ROSA DE CARAVELLAS NETO 2ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 1, DE 6 DE JANEIRO DE 2006 Declara excluída do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte (Simples) a contribuinte que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições regimentais e de acordo com o disposto nos artigos 13, 14 e 15 da Lei nº 9.317, de 05 de Dezembro de 1996, com suas alterações posteriores, considerando ainda, o que consta do processo nº / , declara: Art.1º - Excluída do Simples a empresa HEXIUM IMPOR- TADORA E EXPORTADORA LTDA., CNPJ Nº / , em virtude de ter sido constatada a situação excludente prevista no artigo 14, inciso V, da Lei nº 9.317/1996. Art.2º - A exclusão ora declarada surtirá efeitos a partir de 1º de janeiro de 2001, em consonância com o disposto no inciso IV do art. 15 da Lei nº 9.317/1996. Art. 3º - Com relação à esta exclusão, é facultado ao contribuinte, por meio de seu representante legal ou procurador, no prazo de trinta dias, contados da publicação deste ato, manifestar por escrito sua inconformidade à Delegacia da Receita Federal de Julgamento em Belém-PA, nos termos do Decreto nº , de 7 de março de 1972, de acordo com o artigo 23, parágrafo único, da Instrução Normativa SRF nº 355 de 2003, assegurados o contraditório e a ampla defesa. Art. 4º - Não havendo manifestação no prazo indicado no artigo anterior, a exclusão do Simples tornar-se-á definitiva. <!ID >ATO DECLARATÓRIO LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA EXECUTIVO 2, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS-AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005; de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002; no 7º do art. 1º da Medida Provisória nº 2.199/2001; no art. 83 da Instrução Normativa SRF nº 267, de 23 de dezembro de 2002; com base no LAUDO DE ALTERAÇÃO DE BENEFÍCIO Nº 05/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa VISTEON AMAZONAS LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais nãorestituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, a partir de 24/08/2004 até o ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto:

7 Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de ISSN I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA EXECUTIVO 3, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de ampliação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS-AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005; atendidas as exigências do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002; da Lei nº , de 21 de novembro de 2005; da IN SRF nº 267/2002; com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 112/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa IFER DA AMAZÔNIA LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais nãorestituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de ampliação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA EXECUTIVO 4, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de ampliação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS-AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005; atendidas as exigências do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002; da Lei nº , de 21 de novembro de 2005; da IN SRF nº 267/2002; com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 113/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa IFER DA AMAZÔNIA LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais nãorestituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de ampliação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA EXECUTIVO 5, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS-AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005; atendidas as exigências do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002; da Lei nº , de 21 de novembro de 2005; da IN SRF nº 267/2002; com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 106/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa NORTE- FERRO INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE FERRO LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA EXECUTIVO 6, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS-AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005; atendidas as exigências do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002; da Lei nº , de 21 de novembro de 2005; da IN SRF nº 267/2002; com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 044/2004 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa LANAPLAST INDÚSTRIA DA AMAZÔNIA LTDA., CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA EXECUTIVO 7, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais nãorestituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo a implantação de empreendimento econômico na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS-AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002; da Medida Provisória nº , de 24 de Agosto de 2001; com base no ATO DECLARATÓRIO Nº 008/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa AÇOS DA AMAZÔNIA LTDA, CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de implantação de empreendimento econômico na área da extinta SU- DAM, a partir do ano calendário 2000 até o ano calendário 2009, conforme percentuais abaixo: I - 75% (setenta e cinco por cento), a partir de 1º janeiro de 1998 até 31 de dezembro de 2003; II - 50% (cinqüenta por cento), a partir de 1º janeiro de 2004 até 31 de dezembro de 2008; III - 25% (vinte e cinco por cento), a partir de 1º janeiro de 2009 até 31 de dezembro de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA EXECUTIVO 8, DE 10 DE JANEIRO DE 2006 Inscreve contribuinte no Registro Especial de importador de bebidas alcoólicas. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS- AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005, atendidas as exigências dos arts. 3º e 4º da Instrução Normativa SRF nº 504, de 03 de fevereiro de 2005, e considerando ainda o despacho exarado no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica concedido o REGISTRO ESPECIAL, sob o n.º 02201/0007, à pessoa jurídica DEUZIMARIA PIMENTEL DE OLI- VEIRA - ME, CNPJ n.º / , situada à Rua Paul Adam, nº Bairro Parque 10 de Novembro - CEP Manaus - AM, por se enquadrar no que estabelece o art. 1º do Decreto-Lei n.º 1.593, de 21 de dezembro de 1977, com a redação dada pela Medida Provisória n.º , de 10 de março de 2000, convalidada pela Medida Provisória n.º , de 24 de agosto de 2001 e Instrução Normativa SRF nº 504, de 03 de fevereiro de 2005, como estabelecimento IMPORTADOR de bebidas alcoólicas. Art. 2º. O REGISTRO ESPECIAL conferido por este ato referese somente ao estabelecimento matriz. Sua extensão a outros estabelecimentos da empresa dependerá de novo ato concessivo, junto a Delegacia ou Inspetoria da Receita Federal de Jurisdição correspondente. Art. 3º. O REGISTRO ESPECIAL poderá ser cancelado ou suspenso, a qualquer tempo, pela autoridade concedente se posteriormente à concessão, ocorrer qualquer fato previsto nos art. 8º da Instrução Normativa SRF nº 504, de 03 de fevereiro de Art.4º. A concessão deste REGISTRO ESPECIAL não exime o contribuinte do cumprimento das demais obrigações, principais e acessórias, previstas na legislação. Art. 5º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA

8 8 ISSN Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de 2006 <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 9, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de modernização do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS-AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005; de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002; do art. 1º, 2º da Medida Provisória SRF nº /2001; do art. 32 da Lei nº de 21 de novembro de 2005; com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 114/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa FRIOTERM DA AMAZÔNIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA, CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de modernização do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA EXECUTIVO 10, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece o direito à redução do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de diversificação do empreendimento na área da atuação da extinta SUDAM, da pessoa jurídica que menciona. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS-AM, no uso das atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005; de acordo com o disposto no art. 3º do Decreto nº 4.212, de 26 de abril de 2002; do art. 1º, 2º da Medida Provisória SRF nº /2001; do art. 32 da Lei nº de 21 de novembro de 2005; com base no LAUDO CONSTITUTIVO Nº 91/2005 do Ministério da Integração Nacional e conforme consta no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. Fica reconhecido o direito da empresa J. TOLEDO DA AMAZÔNIA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE VEÍCULOS LT- DA, CNPJ nº / , à redução de 75% do imposto de renda das pessoas jurídicas e adicionais não-restituíveis, incidentes sobre o lucro da exploração, relativo ao projeto de diversificação do empreendimento da empresa na área da atuação da extinta SUDAM, pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do ano-calendário de Art. 2º. O valor do imposto que deixar de ser pago em virtude da redução de que trata o artigo anterior, não poderá ser distribuído aos sócios e constituirá reserva de capital da pessoa jurídica, que somente poderá ser utilizada para absorção de prejuízos ou aumento do capital social, sendo considerada como distribuição do valor do imposto: I - a restituição de capital aos sócios, em casos de redução do capital social, até o montante do aumento com incorporação da reserva; e II - a partilha do acervo líquido da sociedade dissolvida, até o valor do saldo da reserva de capital. Art. 3º. A inobservância do disposto no artigo anterior, bem como a existência de débitos relativos a tributos ou contribuições federais, importará na perda do incentivo e obrigação de recolher o imposto que a pessoa jurídica tiver deixado de pagar, acrescido das penalidades cabíveis. Art. 4º. Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 11, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Declara inapta a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério da Fazenda da pessoa jurídica que menciona, por inexistência de fato. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM MANAUS-AM, no uso de suas atribuições que lhe confere o inciso XXI do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n.º 030, de 25 de fevereiro de 2005; nos termos dos artigos: 28, inciso IV; 29, inciso III; 37, inciso II; 38; 39; e 43, da Instrução Normativa SRF nº 200, de 13 de setembro de 2002, e de acordo, ainda, com o que ficou apurado no processo administrativo nº / , declara: Art. 1º. INAPTA a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda, da pessoa jurídica DC 10 ENGENHARIA E COMÉRCIO LTDA, CNPJ nº / , por não possuir existência de fato, pois não foi localizada no endereço informado à Secretaria da Receita Federal e seu titular também não o foi. Art. 2º. INIDÔNEOS e não produzindo efeitos tributários em favor de terceiros interessados, os documentos emitidos por essa pessoa jurídica, a partir de 03/11/1994. LUIS BENILDE RAPOSO DA CÂMARA <!ID >RETIFICAÇÕES No Ato Declaratório Executivo DRF/Manaus nº 100 de 20 de maio de 2005, publicado no DOU nº 97 de 23/05/2005, Seção 1, página 17, em referência ao prazo de fruição do benefício concedido: Onde se lê: pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do anocalendário de Leia-se: pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do anocalendário de No Ato Declaratório Executivo DRF/Manaus nº 103 de 23 de maio de 2005, publicado no DOU nº 99 de 25/05/2005, Seção 1, página 8, em referência ao prazo de fruição do benefício concedido: Onde se lê: pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do anocalendário de Leia-se: pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do anocalendário de No Ato Declaratório Executivo DRF/Manaus nº 104 de 23 de maio de 2005, publicado no DOU nº 99 de 25/05/2005, Seção 1, página 8, em referência ao prazo de fruição do benefício concedido: Onde se lê: pelo prazo de 9 (nove) anos, a partir do anocalendário de Leia-se: pelo prazo de 10 (dez) anos, a partir do anocalendário de ª REGIÃO FISCAL CONSULTA 4, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 <!ID >SOLUÇÃO DE ASSUNTO: Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social - Cofins EMENTA: INCIDÊNCIA NÃO-CUMULATIVA. REGIME DE SUSPENSÃO NA AQUISIÇÃO DE INSUMOS.A pessoa jurídica habilitada ao regime poderá, a seu critério, efetuar aquisições de matéria prima, produto intermediário e material de embalagem fora do regime, não se aplicando, neste caso, a suspensão da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins incidentes na venda daquelas mercadorias.os insumos adquiridos sem o benefício da suspensão geram direito ao desconto de créditos apurados na forma da legislação vigente. DISPOSITIVOS LEGAIS: Lei nº , de 2004, art. 40; IN SRF nº 595, de 2005, art. 14. ASSUNTO: Contribuição para o PIS/Pasep EMENTA: INCIDÊNCIA NÃO-CUMULATIVA. REGIME DE SUSPENSÃO NA AQUISIÇÃO DE INSUMOS.A pessoa jurídica habilitada ao regime poderá, a seu critério, efetuar aquisições de matéria prima, produto intermediário e material de embalagem fora do regime, não se aplicando, neste caso, a suspensão da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins incidentes na venda daquelas mercadorias.os insumos adquiridos sem o benefício da suspensão geram direito ao desconto de créditos apurados na forma da legislação vigente. DISPOSITIVOS LEGAIS: Lei nº , de 2004, art. 40; IN SRF nº 595, de 2005, art. 14. PAULO DE TARSO MIRANDA DE LACERDA Superintendente DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM JUAZEIRO DO NORTE <!ID >RETIFICAÇÕES No Ato Declaratório Executivo Nº. 016, de 29 de julho de 2005, (Comunicação de Exclusão do SIMPLES), publicado no DOU nº 146, seção I, pág. 51, de 01 de agosto de 2005, onde se lê:... conforme processo nº / , de 27/07/2005, leiase:... conforme processo nº / , de 27/07/2005. <!ID > No Ato Declaratório Executivo Nº. 018, de 02 de agosto de 2005, (Comunicação de Exclusão do SIMPLES), publicado no DOU nº 148, seção I, pág. 17, de 03 de agosto de 2005, onde se lê:... conforme processo nº / , de 02/08/2005, leiase:... conforme processo nº / , de 02/08/ ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM CABO DE SANTO AGOSTINHO <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 78, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL NO CABO DE SANTO AGOSTINHO, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 250, II e XXI da Portaria MF nº 030, de 25 de fevereiro de 2005, que aprovou o Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, e tendo em vista a Decisão do Setor de Administração Tributária - SORAT, no Processo nº / , declara: Que a empresa R. C. CONSULTORIA, MARKETING E EMEENDIMENTOS TURÍSTICOS S/A, CNPJ / ; Endereço:RUA GRINALDO DE SOUZA LEÃO, Nº ENSEADA DOS CORAIS - CABO DE STº AGOSTINHO - PE CEP: Faz jus à redução de 75% (setenta e cinco por cento) do Imposto de Renda e adicionais não restituíveis, calculados com base no lucro da exploração, nos períodos compreendidos entre ano-calendário de 2005 e o ano-calendário de 2014, de conformidade com o art. 13, da Lei nº 4.239, de 27 de junho de 1963, com redação dada pelo art. 1º do Decreto-lei nº 1564, de 29 de julho de 1977, com as alterações introduzidas pelo art. 3º da Lei nº 9.532, de 10 de dezembro de 1997, art. 1º da Medida Provisória nº , de 24 de agosto de 2001 e art. 60 da IN SRF nº 267, de 23 de dezembro de Atividade objeto da redução: Exploração de serviços de hotelaria. O benefício ora reconhecido restringe-se à atividade de Exploração de Serviços de Hotelaria, especificada na DECLARAÇÃO DA SUDENE - LAUDO CONSTITUTIVO Nº 0292/2005, devendo ser calculado com base no lucro da exploração, conforme definido no artigo 19 do Decreto-lei nº 1598/77, com as alterações do Decreto-lei nº 1730/79 <!ID >ATO DECLARATÓRIO LUIZ CARLOS DE SOUZA EXECUTIVO 79, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL NO CABO DE SANTO AGOSTINHO, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 250, II e XXI da Portaria MF nº 030, de 25 de fevereiro de 2005, que aprovou o Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, e tendo em vista a Decisão do Setor de Administração Tributária - SORAT, no Processo nº / , declara: Que a empresa PERNOD RICARD BRASIL INDUSTRIA E COMÉRCIO LTDA, CNPJ / ; Endereço:DERIVAÇÃO RODOVIA PE-60 - ZONA INDUS- TRIAL 3, COMPLEXO INDUSTRIAL DE SUAPE - CABO DE STº AGOSTINHO - PE CEP: , Faz jus à redução de 75% (setenta e cinco por cento) do Imposto de Renda e adicionais não restituíveis, calculados com base no lucro da exploração, nos períodos compreendidos entre ano-calendário de 2004 e o ano-calendário de 2013, de conformidade com o art. 13, da Lei nº 4.239, de 27 de junho de 1963, com redação dada pelo art. 1º do Decreto-lei nº 1564, de 29 de julho de 1977, com as alterações introduzidas pelo art. 3º da Lei nº 9.532, de 10 de dezembro de 1997, art. 1º da Medida Provisória nº , de 24 de agosto de 2001 e art. 60 da IN SRF nº 267, de 23 de dezembro de Atividade objeto da redução: Produção de Bebida Alcoólica Destilada. O benefício ora reconhecido restringe-se à atividade de Produção de Bebida Alcoólica Destilada, especificada na DECLARA- ÇÃO DA SUDENE - LAUDO CONSTITUTIVO Nº 0477/2003, devendo ser calculado com base no lucro da exploração, conforme definido no artigo 19 do Decreto-lei nº 1598/77, com as alterações do Decreto-lei nº 1730/79 LUIZ CARLOS DE SOUZA

9 Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de ISSN <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 80, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL NO CABO DE SANTO AGOSTINHO, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 250, II e XXI da Portaria MF nº 030, de 25 de fevereiro de 2005, que aprovou o Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, e tendo em vista a Decisão do Setor de Administração Tributária - SORAT, no Processo nº / , declara: Que a empresa AGROFÉRTIL S/A - INDÚSTRIA E CO- MÉRCIO DE FERTILIZANTES, CNPJ / ; Endereço:RODOVIA BR 101 SUL - KM 21,5 - S/N - PON- TEZINHA - CABO DE STº AGOSTINHO - PE - CEP: ; tendo como estabelecimento incentivado a filial com CNPJ Nº / , endereço:fazenda COROBA S/N, CENTRO INDUSTRIAL DE ARATU - CANDEIAS - BA - CEP: , Faz jus à redução de 75% (setenta e cinco por cento) do Imposto de Renda e adicionais não restituíveis, calculados com base no lucro da exploração, nos períodos compreendidos entre ano-calendário de 2004 e o ano-calendário de 2013, de conformidade com o art. 13, da Lei nº 4.239, de 27 de junho de 1963, com redação dada pelo art. 1º do Decreto-lei nº 1564, de 29 de julho de 1977, com as alterações introduzidas pelo art. 3º da Lei nº 9.532, de 10 de dezembro de 1997, art. 1º da Medida Provisória nº , de 24 de agosto de 2001 e art. 60 da IN SRF nº 267, de 23 de dezembro de Atividade objeto da redução: Fabricação de Fertilizantes Químicos. O benefício ora reconhecido restringe-se à atividade de Fabricação de Fertilizantes Químicos, especificada na DECLARAÇÃO DA SUDENE - LAUDO CONSTITUTIVO Nº 0135/2004, devendo ser calculado com base no lucro da exploração, conforme definido no artigo 19 do Decreto-lei nº 1598/77, com as alterações do Decreto-lei nº 1730/79 Publique-se e dê-se ciência à parte interessada e aos Setores de Administração Tributária, Fiscalização e Tecnologia e Segurança da Informação desta Delegacia. LUIZ CARLOS DE SOUZA DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM RECIFE <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 2, DE 13 DE JANEIRO DE 2006 Declara excluído do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte (SIMPLES) o contribuinte que menciona. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM RECIFE - PE, no uso da competência que lhe confere o artigo 15, 3º. da Lei nº 9.317, de 5 de dezembro de 1996, incluído pelo artigo 3º. da Lei nº , de 11 de dezembro de 1998, declara: Art. 1º Fica o contribuinte, a seguir identificado, excluído do SIMPLES, conforme motivação e fundamentação legal abaixo: Nome : CORREIA SOUZA & LIMA LTDA CNPJ : / Embasamento: Processo Administrativo nº / Motivação: O contribuinte, optante do SIMPLES desde o anocalendário de 1997, ultra-passou no ano-calendário 2001 o limite de receita bruta estabelecido no art. 9º, inciso II da Lei 9.317/96, alterado pelo art. 6º. da Lei nº 9.779/99 e MPV /2001, e não cumpriu o disposto nos art. 12 e 13, inciso II, alínea a, da Lei 9.317/96. Fundamentação Legal: Art. 14, inciso I, da Lei 9.317/96 Art. 2º A exclusão do SIMPLES surtirá os efeitos previstos no art. 15, inciso IV, e 16 da Lei 9.317/96, a partir de 01/01/2002. Art. 3º Poderá o contribuinte, dentro do prazo de trinta dias contados a partir da data da ciência deste Ato, manifestar sua inconformidade, por escrito, ao Delegado da Receita de Julgamento em Recife, nos termos do processo tributário administrativo, disciplinado pelo Decreto /72, com as alterações introduzidas pelas Leis nº 8.748/93, 9.532/97 e alterações posteriores, relativamente à exclusão do SIMPLES, ficando assegurado o contraditório e a ampla defesa. Art. 4º Não havendo manifestação no prazo previsto no artigo anterior, a exclusão do SIMPLES tornar-se-á definitiva. <!ID >ATO DECLARATÓRIO DARCI MENDES DE CARVALHO FILHO EXECUTIVO 4, DE 13 DE JANEIRO DE 2006 Declara excluído do Sistema Integrado de Pagamento de Impostos e Contribuições das Microempresas e das Empresas de Pequeno Porte (SIMPLES) o contribuinte que menciona. O DELEGADO SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM RECIFE - PE, no exercício do cargo e no uso da competência que lhe confere o artigo 15, 3º da Lei n.º 9.317, de 05 de dezembro de 1996, incluído pelo artigo 3º da Lei n.º 9.732, de 11 de dezembro de 1998, DECLARA: Artigo 1º - Fica a pessoa jurídica, a seguir identificada, excluída do SIMPLES, conforme motivação e fundamentação legal abaixo: Razão Social: CORREIA SOUZA & LIMA LTDA. CNPJ n.º / Embasamento: constante do processo n.º / Motivação: A pessoa jurídica estava enquadrada no SIM- PLES desde 01/01/1997, na condição de microempresa até 1998, e de empresa de pequeno porte a partir de No decorrer do ano calendário 2001 teve receita bruta superior ao limite estabelecido para permanência no SIMPLES. A pessoa jurídica infringiu os artigos 12 e 13, inciso II, alínea a, da Lei n.º 9.317/96 ao deixar de comunicar à esta Receita Federal sua exclusão do SIMPLES a partir do ano calendário Fundamentação legal: Artigo 14, inciso I, da Lei n.º 9.317/96. Artigo 2º - A exclusão do SIMPLES surtirá os efeitos previstos no artigo 15, inciso IV, e artigo 16 da Lei n.º 9.317/96. Artigo 3º - Poderá a pessoa jurídica, dentro do prazo de 30(trinta) dias contados a partir da data de publicação deste Ato, manifestar sua inconformidade, por escrito, ao Delegado da Receita Federal em Recife, nos termos do processo administrativo fiscal, disciplinado pelo Decreto n.º /72, com as alterações posteriores, relativamente à exclusão do SIMPLES, ficando assegurado o contraditório e a ampla defesa. Artigo 4º - Não havendo manifestação no prazo previsto no artigo anterior, a exclusão do SIMPLES tornar-se-á definitiva. DARCI MENDES DE CARVALHO FILHO 6ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM CONTAGEM <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 1, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Torna sem efeito o ADE nº 14, de 30 de janeiro de O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM CONTA- GEM-MG, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo inciso II do art. 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF nº 30, de 25 de fevereiro de 2005, publicado no DOU de 4 de março de 2005, considerando os elementos que constam do processo administrativo n.º / , resolve: Art. 1º Tornar sem efeito a publicação do ADE nº 14, de 30 de janeiro de 2003, publicado no DOU de 5 de fevereiro de 2003, seção I, página 26. Art. 2o Este Ato Declaratório Executivo entra em vigor na data de sua publicação. FÁBIO REZENDE DE MIRANDA INSPETORIA DA RECEITA FEDERAL EM BELO HORIZONTE <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 1, DE 4 DE JANEIRO DE 2006 Habilitação para utilização do procedimento especial estabelecido na IN SRF nº 346, de 28 de julho de O RESPONSÁVEL PELO EXPEDIENTE DA RECEITA FEDERAL EM BELO HORIZONTE, no uso de suas atribuições regimentais, considerando o estabelecido nos arts. 2º e 3º da Instrução Normativa SRF n.º 346, de 28 de julho de 2003, e tendo em vista o que consta do processo administrativo MF n.º / , declara: Art.1º Fica a empresa TAVARES GEMS LTDA., CNPJ / , habilitada a utilizar os procedimentos simplificados de despacho aduaneiro de exportação em consignação de pedras preciosas ou semipreciosas e de jóias previstos na Instrução Normativa SRF nº 346, de 28 de julho de Art. 2º Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >ATO DECLARATÓRIO BERNARDO COSTA ATES SANTOS EXECUTIVO 5, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 Habilitação para utilização do procedimento especial estabelecido na IN SRF nº 346, de 28 de julho de O RESPONSÁVEL PELO EXPEDIENTE DA INSPETO- RIA DA RECEITA FEDERAL EM BELO HORIZONTE, no uso de suas atribuições regimentais, considerando o estabelecido nos arts. 2º e 3º da Instrução Normativa SRF n.º 346, de 28 de julho de 2003, e tendo em vista o que consta do processo administrativo MF n.º / , declara: Art.1º Fica a empresa BANDEIRANTES PEDRAS E- CIOSAS LTDA., CNPJ / , habilitada a utilizar os procedimentos simplificados de despacho aduaneiro de exportação em consignação de pedras preciosas ou semipreciosas e de jóias previstos na Instrução Normativa SRF nº 346, de 28 de julho de Art. 2º Este Ato entra em vigor na data de sua publicação. BERNARDO COSTA ATES SANTOS 7ª REGIÃO FISCAL DIVISÃO DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 18, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O CHEFE DA DIVISÃO DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA DA SUPERINTENDENCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL NA 7ª REGIÃO FISCAL, no uso da competência delegada pela Portaria SRRF07 nº 170, de 27 de julho de 2004, publicada no D.O.U. de 30 de julho de 2004, atendendo o previsto no art. 7º da Instrução Normativa SRF nº 4, de 10 de janeiro de 2001, e tendo em vista o que consta do processo nº /00-00 declara: Art.1 - Fica a empresa GEORESEARCH DO BRASIL LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o nº / , habilitada a utilizar o regime aduaneiro especial de exportação e de importação de bens destinados às atividades de pesquisa e de lavra das jazidas de petróleo e de gás natural - REPETRO, de que trata o caput e o 1º do art. 2º da IN SRF nº 4/2001, na execução dos contratos relacionados, em anexo, até o termo final estabelecido nos mesmos. Art.2 - Sem prejuízo da aplicação de penalidade específica, a habilitação para utilizar o RE- PETRO poderá ser suspensa ou cancelada, na hipótese de ocorrência de situações previstas no art. 34 da IN SRF nº 4/2001. Art.3 - Eventuais prorrogações dos contratos especificados serão objeto de novo Ato Declaratório Executivo. Art.4 - Este Ato entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. Art.5 - Fica revogado o Ato Declaratório Executivo SRRF07 n o - 285, de 7 de outubro de 2005, publicado no D.O.U. em 11 de outubro de WALTER SANCHES SANCHES JUNIOR Nº NO CONTRA TA N T E ÁREA DE CONCESSÃO Nº DO CONTRATO TERMO (ANP) CNPJ (ANP) C O N T R ATO FINAL Devon Energy Campo em Produção: do Brasil CARAÚNA s/nº de Ltda prorrogação Campos em Exploração: Bacias Sedimentares: Amazonas: BA-1 e 3 Ceará- Amazonas: BPOT , BPOT - 10 (RNS-143) e prorrogação 100 Sergipe-Alagoas: BM- SEAL-4, SEAL-30 e 100, BT- SEAL-2 Camamu-Almada: BCAM- 40 e BM-CAL-1

10 10 ISSN Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de 2006 Espírito Santo: BES-3, 100 e 200. Campos: BC- 20, 30, 50, 60, 100, 200, 400, 500,600, BM-C e6 Santos: BS-3, 400, 500, prorrogação BM-S-3, 7, 8, 9,10 e 11 Campos em Produção: Albacora, Albacora Leste, Anequim, Petróleo Badejo, Bagre, Barracuda, Bicudo, / Brasileiro Bonito, Carapeba, Caratinga, Cherne, S.A. Congro, Coral, Corvina, Enchova, Enchova Oeste, Espadarte, Estrela do Mar, Garoupa, Garoupinha, novo Linguado, Malhado, Marimbá, Marlim, contrato Marlim Leste, Marlim Sul, Moréia, Namorado, Nordeste de Namorado, Pampo, Parati, Pargo, Piraúna, R o n c a d o r, Trilha, Vermelho,Viola e Vo a d o r. Campos em Exploração: Bacias Sedimentares: Amazonas: BA-1 e 3. Ceará- Amazonas: BPOT- 4, 10 e 100 Sergipe-Alagoas: BM SEAL-4, SEAL-30 e 100, BT- novo SEAL-2. Camamu-Almada: BCAM- contrato 40 e BM-CAL-1 Espírito Santo: BES-3, 100 e 200. Santos: BS-3,400, 500, BM-S-3, 7, 8, 9, 10 e 11. Campo em Exploração: Shell do Brasil Bacia Sed. de Campos: SBEP-UP / BC-10 Campos em Produção: Bijupirá e Salema <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 19, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O CHEFE DA DIVISÃO DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA DA SUPERINTENDENCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL NA 7ª REGIÃO FISCAL, no uso da competência delegada pela Portaria SRRF07 nº 170, de 27 de julho de 2004, publicada no D.O.U. de 30 de julho de 2004, atendendo o previsto no art. 7º da Instrução Normativa SRF nº 4, de 10 de janeiro de 2001, e tendo em vista o que consta do processo nº / declara: Art.1º- Fica a empresa NATIONAL OILWELL DO BRASIL LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o nº / , habilitada a utilizar o regime aduaneiro especial de exportação e de importação de bens destinados às atividades de pesquisa e de lavra das jazidas de petróleo e de gás natural - REPETRO, de que trata o caput e o 1º do art. 2º da IN SRF nº 4/2001, na execução do contrato a seguir relacionado, até o termo final estabelecido no mesmo. Art.2º- Sem prejuízo da aplicação de penalidade específica, a habilitação para utilizar o RE- PETRO poderá ser suspensa ou cancelada, na hipótese de ocorrência de situações previstas no art. 34 da IN SRF nº 4/2001. Art.3º- Eventuais prorrogações do contrato especificado serão objeto de novo Ato Declaratório Executivo. Art.4º- Este Ato entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. Art.5º- Fica revogado o Ato Declaratório Executivo SRRF07 nº 179, de 23 de junho de 2005, publicado no D.O.U. de 20 de junho de Nº NO CONTRA- TA N T E ÁREA DE CONCESSÃO Nº DO TERMO CNPJ (ANP) C O N T R ATO FINAL Petróleo Campo em Produção: / Brasileiro Pampo -1 (PPM-1) S.A. retificação WALTER SANCHES SANCHES JUNIOR <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 20, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O CHEFE DA DIVISÃO DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA DA SUPERINTENDENCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL NA 7ª REGIÃO FISCAL, no uso da competência delegada pela Portaria SRRF07 nº 170, de 27 de julho de 2004, publicada no D.O.U. de 30 de julho de 2004, atendendo o previsto no art. 7º da Instrução Normativa SRF nº 4, de 10 de janeiro de 2001, e tendo em vista o que consta do processo nº /00-68 declara: Art.1º- Fica a empresa ASTROMARÍTIMA NAVEGAÇÃO S.A, inscrita no CNPJ/MF sob o nº / , habilitada a utilizar o regime aduaneiro especial de exportação e de importação de bens destinados às atividades de pesquisa e de lavra das jazidas de petróleo e de gás natural - REPETRO, de que trata o caput e o 1º do art. 2º da IN SRF nº 4/2001, na execução dos contratos relacionados em anexo, até o termo final estabelecido nos mesmos. Art.2º- Sem prejuízo da aplicação de penalidade específica, a habilitação para utilizar o RE- PETRO poderá ser suspensa ou cancelada, na hipótese de ocorrência de situações previstas no art. 34 da IN SRF nº 4/2001. Art.3º- Eventuais prorrogações dos contratos especificados serão objeto de novo Ato Declaratório Executivo. Art.4º- Este Ato entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. Art.5º- Fica revogado o Ato Declaratório Executivo SRRF07 nº 347, de 13 de dezembro de 2005, publicado no DOU de 19 de dezembro de Nº NO CONTRA ÁREA DE CONCESSÃO Nº DO TERMO TA N T E CNPJ (ANP) C O N T R ATO FINAL Campos em Exploração: Bacia Sedimentar de Campos: BC-20, 30, 40, 50, 60, 100, 200, 400, 500 e 600. Campos em Produção: Albacora, Albacora Leste, Anequim, /0001- Petróleo Brasileirdo, Badejo, Bagre, Barracuda, Bicu- SEACOR LILEN prorrogação 82 S.A. Bonito, Cherne, Congro, Corvina, automática Enchova, Enchova Oeste, Espadarte, Garoupa, Garoupinha, Malhado, Marimbá, Marlim, Marlim Leste, Marlim Sul, Moréia, Namorado, Nordeste de Namorado, Pampo, ROBALO 1 novo Parati, Pargo, Roncador,Vermelho, contrato Viola e Voador. <!ID >ATO DECLARATÓRIO WALTER SANCHES SANCHES JUNIOR EXECUTIVO 21, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O CHEFE DA DIVISÃO DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL NA 7ª REGIÃO FISCAL, no uso da competência delegada pela Portaria SRRF07 nº 170, de 27 de julho de 2004, publicada no D.O.U. de 30 de julho de 2004, atendendo o previsto no art. 7º da Instrução Normativa SRF nº 4, de 10 de janeiro de 2001, e tendo em vista o que consta do processo nº /00-77 declara: Art.1º - Fica a empresa BOS NAVEGAÇÃO LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o nº / , habilitada a utilizar o regime aduaneiro especial de exportação e de importação de bens destinados às atividades de pesquisa e de lavra das jazidas de petróleo e de gás natural - REPETRO, de que trata o caput e o 1º do art. 2º da IN SRF nº 4/2001, na execução dos contratos a seguir relacionados, até o termo final estabelecido nos mesmos. Art.2º - Sem prejuízo da aplicação de penalidade específica, a habilitação para utilizar o REPETRO poderá ser suspensa ou cancelada, na hipótese de ocorrência de situações previstas no art. 34 da IN SRF nº 4/2001. Art.3º - Eventuais prorrogações dos contratos, em anexo, serão objeto de novo Ato Declaratório Executivo. Art.4º - Este Ato entra em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. Art.5º - Fica revogado o Ato Declaratório Executivo SRRF07 nº 13, de 10 de janeiro de 2006, publicado no D.O.U. de 12 de janeiro de WALTER SANCHES SANCHES JUNIOR Nº NO CONTRA ÁREA DE CONCESSÃO Nº DO TERMO CNPJ TA N T E (ANP) C O N T R ATO FINAL Toisa Lion prorrogação / Campos em Exploração: Toisa Tiger novo contrato Bacia Sed. de Camamu: BCAM-40 Bacia Sed. de Campos: BC novo 20, 30, 50, 60, 100, 200, 400, 500, Far Viscount contrato 600, BM-C-3 e Bacia Sed. de Santos: BS-3 Far Senior retificação Toisa Sentinel

11 Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de ISSN / Petróleo Brasileiro S.A Campos em Produção: Toisa Independent Albacora, Albacora Leste, (Toisa Invincible) retificação Anequim, Badejo, Badejo,Badejo,Badejo,Badejo, Badejo, Bagre, Barracuda, substituição Bicudo, Bonito, Carapeba, Caratinga, Caravela, Cherne, Congro, Corvina, Far Sailor retificação Enchova, Enchova Oeste, Espadarte, Estrela do Mar, Garoupa, Garoupinha, retificação e Linguado, Malhado, Marimbá, Marlim, Far Sea prorrogação Marlim Leste, Marlim Sul, Moreia, automática Namorado, Nordeste de Namorado, Pampo, Parati, Pargo, Piraúna, Roncador, Tr i l h a, Vermelho, Viola e Voador Toisa Conqueror prorrogação Campos em Produção: Far Crusader prorrogação Bonito, Carapeba e Cherne Far Centurion prorrogação INSPETORIA DA RECEITA FEDERAL NO RIO DE JANEIRO 6, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 <!ID >DECLARATÓRIO EXECUTIVO O INSPETOR SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL NO RIO DE JANEIRO, no uso de sua competência legal, estabelecida no art. 250, da Portaria MF nº 30, publicada no DOU de 04/03/2005, com base na Delegação de Competência que lhe foi atribuída pela Portaria IRF/RJO nº 77, de 17/06/2005, publicada no DOU de 23/06/2005, e tendo em vista o que consta no processo nº / , declara, com fundamento no artigo 130, c/c parágrafo 1º do artigo 144, c/c inciso II, do parágrafo único do artigo 123, do Regulamento Aduaneiro, aprovado pelo Decreto nº 4.543, de 26/12/2002, publicado no DOU de 27/12/2002, que, tendo em vista a dispensa de tributos por efeito de depreciação, após a publicação do presente Ato Declaratório no Diário Oficial da União, acha-se liberado, com a finalidade de transferência de propriedade para a Senhora Cristiane Lemos Cardoso, CPF: , o veículo marca Mercedes Benz, Tipo: E 240, ano de fabricação 2001, chassis: WDBJF62W82B427276, Placa CC 4262, em nome do Consulado Geral da República Popular da China no Rio de Janeiro, importado através da DI nº 01/ , registrada em 05 de outubro de 2001, e desembaraçada em 09 de novembro de 2001, na Alfândega do Porto de Santos - SP. Este Ato Declaratório somente produzirá efeitos perante o Departamento de Trânsito, quando acompanhado de cópia da sua publicação no Diário Oficial da União. <!ID >ATO DECLARATÓRIO SAMUEL DA SILVEIRA CERQUEIRA 8ª REGIÃO FISCAL EXECUTIVO 2, DE 10 DE JANEIRO DE 2006 O SUPERINTENDENTE REGIONAL SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL NA 8ª REGIÃO FISCAL, no uso da competência estabelecida no art. 3º da Instrução Normativa SRF nº 357, de 02 de setembro de 2003, e considerando o que consta do processo nº / , declara: 1. Fica autorizada a utilização, pela empresa WAIVER SHOWS E EVENTOS LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o nº / , dos formulários de que tratam os artigos 4º e 31 da Instrução Normativa SRF nº 155, de 22 de dezembro de 1999, para o despacho aduaneiro de admissão temporária e de reexportação dos bens destinados ao evento 24º CONGRESSO INTERNACIONAL DE ODONTOLOGIA DE SÃO PAULO - FEIRA DENTAL , a realizar-se no período de 28 de janeiro a 1º de fevereiro de 2006, no Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi em São Paulo/SP. 2. A operação de que trata o item 1 ficará condicionada à liberação por outros órgãos da Administração Pública, quando se tratar de mercadoria sujeita a seu controle. 3. Este ato entrará em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. GUILHERME ADOLFO DOS SANTOS MENDES <!ID >RETIFICAÇÃO No Ato Declaratório Executivo SRRF08 nº 01, de 02 de janeiro de 2006, publicado no DOU-E de 09 de janeiro de Seção 1 - pág. 31, onde se lê:...fica atribuído o código ,..., leia-se:...fica atribuído o código ,.... ALFÂNDEGA DA RECEITA FEDERAL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE VIRACOPOS <!ID >RETIFICAÇÃO Na Portaria da Inspetora da Alfândega do Aeroporto Internacional de Viracopos nº 213/2005, de 14 de Dezembro de 2005, publicada no DOU de 20/12/2005, Seção 1, página 53, referente à outorga de credenciamento para assistentes técnicos, válidos para o período de 01/01/2006 à 31/12/2007, para o exercício das atividades de prestação de assistência técnica para identificação e quantificação de mercadorias importadas ou a exportar, Onde se lê.: Engenharia Eletrônica/Informática, Boris Largman, CPF , CREA-SP , Leia-se... Engenharia Eletrônica/Informática, Israel Geraldi, CPF , CREA-SP DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM FRANCA <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 2, DE 13 DE JANEIRO DE 2006 Declara Cancelada a Inscrição no Cadastro de Pessoa Física (CPF) devido a multiplicidade de inscrição. O DELEGADO DA RECEITA FEDERAL EM FRANCA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 250 do Regimento Interno da Secretaria da Receita Federal, aprovado pela Portaria MF n. º 30 de 25 de fevereiro de 2005, e da competência que lhe confere o Art. 52 da IN SRF 461 de 18 de outubro de 2004, com suas alterações posteriores e tendo em vista o que consta no processo administrativo n.º / , declara: Art. 1 o Ficam canceladas as inscrições da pessoa física a seguir identificada, no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF), a partir de 13/01/2006, conforme o artigo 52 da IN SRF nº 461/2004, devido a multiplicidade de inscrições para um mesmo contribuinte. Nome: VANDER CARLOS VERISSIMO ARTIBALLE CPF: Data de Inscrição: 21/04/1994 CPF: Data de Inscrição: 25/03/1997 Motivo: Multiplicidade de inscrição. Art. 2º Este Ato Declaratório Executivo somente terá validade após sua publicação no Diário Oficial da União. JOSÉ CESAR AGOSTINHO COSTA <!ID >RETIFICAÇÃO No Ato Declaratório Executivo nº 01 de 12 de janeiro de 2006 publicado no Diário Oficial da União, Seção 1 página 37 de 13 de janeiro de 2006 referente a anulação da inscrição CPF processo nº / em nome de IS- SA RAHMEH, onde se lê:... no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), leia-se:... no Cadastro de Pessoa Física (CPF) e onde se lê: CNPJ:, leia-se: CPF:. <!ID >ATO DECLARATÓRIO DIVISÃO DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA EXECUTIVO 4, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O CHEFE SUBSTITUTO DA DIVISÃO DE ADMINISTRAÇÃO ADUANEIRA DA SU- PERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL NA 8ª REGIÃO FISCAL, no uso da competência que lhe foi delegada pelos incisos XV e XVI do artigo 1º da Portaria SRRF/8ªRF nº 12, de 07 de fevereiro de 2000, publicada no D.O.U. de 16 de fevereiro de 2000, nos termos do 1º do artigo 5º da Instrução Normativa DpRF nº 109, de 02 de outubro de 1992, resolve: 1. Cancelar no Registro de Ajudantes de Despachante Aduaneiro, em razão de inclusão no Registro de Despachantes Aduaneiros, as seguintes inscrições: INSCRIÇÃO NOME CPF OCESSO Nº 8 A ADILSON CORREIA / A ANTONIO CARLOS RODRIGUES / A EDUARDO DA SILVA DE SOUZA / A FABIANA AUXILIADORA PERES DA /03-25 S I LVA 8A FÁTIMA OLIVEIRA DA SILVA / A JOSÉ CARLOS DE SOUSA / A JOSÉ PAULO GUIMARÃES / A JULIANA FERREIRA DA SILVA / A JUSIMÁRIO DE LIMA FERREIRA / A MÁRCIO MARTINEZ GARCIA / A MARIA DO CARMO MIKI ALVES / A PATRÍCIA SAYURI MIZUKAMI / A ROGÉRIO INÁCIO PEREIRA / A ROZANA APARECIDA TENÓRIO / A SARA BARTELLI GRIGOLON / A VÁGNER RODRIGO MORAES / Incluir no Registro de Despachantes Aduaneiros, com fundamento no art. 50 do Decreto nº 646 de 09 de setembro de 1992, as seguintes inscrições: INSCRIÇÃO NOME CPF OCESSO Nº 8D ADILSON CORREIA / D ANTONIO CARLOS RODRIGUES / D EDUARDO DA SILVA DE SOUZA / D FABIANA AUXILIADORA PERES DA /03-25 S I LVA 8D FÁTIMA OLIVEIRA DA SILVA / D JOSÉ CARLOS DE SOUSA / D JOSÉ PAULO GUIMARÃES / D JULIANA FERREIRA MORAES / D JUSIMÁRIO DE LIMA FERREIRA / D MÁRCIO MARTINEZ GARCIA / D MARIA DO CARMO MIKI ALVES / D PATRÍCIA SAYURI MIZUKAMI / D ROGÉRIO INÁCIO PEREIRA / D ROZANA APARECIDA TENÓRIO CRES /05-76 PO 8D SARA BARTELLI GRIGOLON / D VÁGNER RODRIGO MORAES / Incluir, no Registro de Ajudantes de Despachante Aduaneiro, as seguintes inscrições: INSCRIÇÃO NOME CPF OCESSO Nº 8 A ADÉLIA BARBOSA DO SACRAMENTO / A ALCIDES SEBASTIÃO DA SILVA JU /05-31 NIOR 8 A ALEXANDRA DOMINGOS DO NASCI /05-03 M E N TO 8 A AMANDA FILOMENA CESNA /05-98

12 <!ID > <!ID > 12 ISSN Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de A ANDERSON DA SILVA LOURENÇO / A ANDERSON PAULINO RODRIGUES / A ANDERSON WÁGNER ROCHA / A ANDRÉ LUÍS FRANCE / A ANDRÉ REOLON / A ANDRÉA PEREIRA DA CRUZ / A APARECIDO BARBOZA DO AMARAL / A CAIO AUGUSTO ALVES CONSTÂNCIO / A CAMILO RODRIGO BORGES DUARTE / A CARMEN APARECIDA DE OLIVEIRA /05-12 TEIXEIRA 8 A CAROLINE KISIS MONTEIRO / A CÉLIA REGINA ADAMO DOMINGUES /05-29 DE FARIA 8 A CLÁUDIA DA SILVA / A CLEUZA ARAÚJO DE CARVALHO OLI / VEIRA 8 A DANIELE VAN WELL SILVA / A DENILSON APARECIDO DE PAULA / A ENÉAS TASSILI DE OLIVEIRA / A FABIANA ALVES DA ROCHA / A FÁBIO FERREIRA DE SOUZA / A FABRÍCIO PICCOLI / A FERNANDA RICARDA DA COSTA / A GUILHERME AUGUSTO DE OLIVEIRA / A JOÃO CARLOS ROMERA FILHO / A JOEL MUNIZ BARBOSA / A JONAS BAPTISTA DOS SANTOS JU /05-17 NIOR 8 A JONATHAS CELENTE / A JOYCE MENDES DA ROSA / A JULIANA CRISTINA DA CUNHA / A LEOPOLDO BARUCCI / A LUCIMARA DOS SANTOS CAMPOS / A MARIA APARECIDA DE OLIVEIRA VA /04-97 LENTIM 8 A MARIA IZABEL MAYO SILVA / A MARIA REGINA ANTONIA MOREIRA /05-14 PAVA R I N I 8 A MARIANA MORAES SILVA / A MAYKOL GUILHERME FIGUEIREDO /05-57 TA N N E R 8 A MARIZILDA REGINA MASSUCATTO / A PABLO RODRIGUES AMARAL / A PATRÍCIA REGINA DOS SANTOS MO / RAES 8 A PAULO SÉRGIO DE OLIVEIRA / A PAULO SÉRGIO DE OLIVEIRA NA /05-06 DRUZ 8 A RAPHAEL FAZANI ESPÍNDOLA / A RENATO BARBOZA AUGUSTO / A ROSINÉIA BAPTISTA / A RUI IKEDA / A SAMIR KROEFF DAGALAWI / A SAMUEL MÁXIMO DA SILVA / A SIDNEI VIEIRA / A SOLANGE DE ALMEIDA SANTOS DE /05-69 JESUS 8 A SUELI DOS SANTOS SILVA / A THAÍS DE OLIVEIRA BARBOSA / A VANESSA GOMES PEREIRA / A WELLINGTON FERREIRA DE ARAÚJO / Cancelar a seguinte inscrição no Registro de Ajudantes de Despachante Aduaneiro em razão de inclusão no Registro de Despachantes Aduaneiros da 7ª Região Fiscal: INSCRIÇÃO NOME CPF OCESSO Nº 8A SADRAQUE DOS SANTOS / Considerar reabilitada a seguinte inscrição no Registro de Ajudantes de Despachante Aduaneiro, com fundamento no art. 36 do Decreto nº 646, de 09 de setembro de 1992, à vista do que consta do processo nº / : INSCRIÇÃO NOME CPF OCESSO Nº 8A REGINALDO CARDOSO DE SOUZA / Este ato entrará em vigor na data de sua publicação no Diário Oficial da União. IOLAN GERALDO ANDRADE DE SÁ 9ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM BLUMENAU SEÇÃO DE ORIENTAÇÃO E ANÁLISE TRIBUTÁRIA <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 1, DE 13 DE JANEIRO DE 2006 Exclui pessoas físicas e jurídicas do Parcelamento Especial (Paes), de que trata o art. 1º da Lei nº , de 30 de maio de A CHEFE DA SEÇÃO DE ORIENTAÇÃO E ANÁLISE TRIBUTÁRIA DA DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM BLUMENAU/SC, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto nos arts. 1º e 7º da Lei nº , de 30 de maio de 2003, no art. 12 da Lei nº , de 21 de dezembro de 2004, nos arts. 9º a 17 da Portaria Conjunta PGFN/SRF nº 3, de 25 de agosto de 2004, e na Portaria Conjunta PGFN/SRF nº 4, de 20 de setembro de 2004, declara: Art. 1º Ficam excluídos do Parcelamento Especial (Paes) de que trata o art. 1º da Lei nº , de 30 de maio de 2003, de acordo com seu art. 7º, as pessoas físicas e jurídicas relacionadas no Anexo Único a este Ato Declaratório, tendo em vista que foi constatada a ocorrência de três meses consecutivos ou seis alternados sem recolhimento das parcelas do Paes ou que este tenha sido efetuado em valor inferior ao fixado nos incisos II e III do 3º, incisos I e II do 4º e 6º do art. 1º da Lei nº , de Art. 2º O detalhamento do motivo da exclusão poderá ser obtido na página da Secretaria da Receita Federal na Internet, no endereço com a utilização da Senha Paes. Art. 3º É facultado ao sujeito passivo, no prazo de 10 dias, contado da data de publicação deste Ato Declaratório Executivo, apresentar recurso administrativo dirigido ao Delegado da Receita Federal em Blumenau/SC das 13:00 às 16:30 na Delegacia situada na Rua Namy Deeke, 40 no centro da cidade de Blumenau ou em uma das agências da Receita Federal componentes da circunscrição desta. Art. 4º Não havendo apresentação de recurso no prazo previsto no art. 3º, a exclusão do Paes será definitiva. Art. 5º Este Ato Declaratório entra em vigor na data de sua publicação. RITA DE CASSIA SPOLAOR ÚNICO Relação das pessoas excluídas do Parcelamento Especial (Paes). Três parcelas consecutivas ou seis alternadas sem recolhimento ou com recolhimento inferior ao fixado nos incisos II e III do 3º, incisos I e II do 4º e 6º do art. 1º da Lei nº , de Relação dos CPF das pessoas físicas excluídas Relação dos CNPJ das pessoas jurídicas excluídas / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

13 <!ID > Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de ISSN / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM FLORIANÓPOLIS SEÇÃO DE ORIENTAÇÃO E ANÁLISE TRIBUTÁRIA <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 6, DE 13 DE JANEIRO DE 2006 Exclui pessoas físicas e jurídicas do Parcelamento Especial (Paes), de que trata o art. 1º da Lei nº , de 30 de maio de O CHEFE DA SEÇÃO DE ORIENTAÇÃO E ANÁLISE TRIBUTÁRIA DA DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM FLORIANÓPOLIS, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto nos arts. 1º e 7º da Lei nº , de 30 de maio de 2003, no art. 12 da Lei nº , de 21 de dezembro de 2004, nos arts. 9º a 17 da Portaria Conjunta PGFN/SRF nº 3, de 25 de agosto de 2004, e na Portaria Conjunta PGFN/SRF nº 4, de 20 de setembro de 2004, declara: Art. 1º Ficam excluídos do Parcelamento Especial (Paes) de que trata o art. 1º da Lei nº , de 30 de maio de 2003, de acordo com seu art. 7º, as pessoas físicas e jurídicas relacionadas no Anexo Único a este Ato Declaratório Executivo (ADE), tendo em vista que foi constatada a ocorrência de três meses consecutivos ou seis alternados sem recolhimento das parcelas do Paes ou que este tenha sido efetuado em valor inferior ao fixado nos incisos II e III do 3º, incisos I e II do 4º e 6º do art. 1º da Lei nº , de Art. 2º O detalhamento do motivo da exclusão poderá ser obtido na página da Secretaria da Receita Federal (SRF) na Internet, no endereço <www.receita.fazenda.gov.br>, com a utilização da Senha Paes. Art. 3º É facultado ao sujeito passivo, no prazo de 10 dias, contado da data de publicação deste ADE, apresentar recurso administrativo dirigido ao Delegado da Receita Federal em Florianópolis, na Av. Osmar Cunha, Centro - Florianópolis/SC. Art. 4º Não havendo apresentação de recurso no prazo previsto no art. 3º, a exclusão do Paes será definitiva. Art. 5º Este ADE entra em vigor na data de sua publicação. MÁRIO IBERÊ D ALÉSSIO QUINTAS ÚNICO Relação das pessoas excluídas do Parcelamento Especial (Paes). Três parcelas consecutivas ou seis alternadas sem recolhimento ou com recolhimento inferior ao fixado nos incisos II e III do 3º, incisos I e II do 4º e 6º do art. 1º da Lei nº , de Relação dos CPF das pessoas físicas excluídas Relação dos CNPJ das pessoas jurídicas excluídas / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

14 <!ID > CIRCULAR 14 ISSN DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM JOINVILLE <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 1, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 Cancela a habilitação para operar o regime de suspensão da incidência da Contribuição para o PIS/Pasep e da COFINS de que trata a Instrução Normativa SRF nº 595, de 27 de dezembro de 2005, da empresa que especifica. O DELEGADO-SUBSTITUTO DA RECEITA FEDERAL EM JOINVILLE/SC, no uso das atribuições que lhe confere o art. 6º da Instrução Normativa SRF nº 595, de 27 de dezembro de 2005, e tendo em vista o disposto no despacho exarado no Processo MF nº / , declara: Art.1º Cancelada, a pedido, a habilitação para operar o regime de suspensão da incidência da Contribuição para o PIS/Pasep e da COFINS de que trata o art. 40 da Lei nº , de 30 de abril de 2004, com redação dada pelo art. 6º da Lei nº , de 23 de julho de 2004, e a Instrução Normativa SRF nº 595, de 27 de dezembro de 2005, da empresa ARTES INDUSTRIAIS DE MADEIRA LTDA, CNPJ nº / Art.2º Este Ato Declaratório Executivo entra em vigor na data de sua publicação. Art.3º Fica revogado o Ato Declaratório Executivo DRF/JOI nº 006, de 21 de janeiro de MARCONDES WITT 10ª REGIÃO FISCAL DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL EM SANTA MARIA SEÇÃO DE ORIENTAÇÃO E ANÁLISE TRIBUTÁRIA <!ID >ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO 2, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 Exclui pessoas físicas e jurídicas do Parcelamento Especial (Paes), de que trata o art. 1º da Lei nº , de 30 de maio de O CHEFE DA SEÇÃO DE ORIENTAÇÃO E ANÁLISE TRIBUTÁRIA DA DELEGACIA DA RECEITA FEDERAL DE SANTA MARIA - RS, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto nos arts. 1º e 7º da Lei nº , de 30 de maio de 2003, no art. 12 da Lei nº , de 21 de dezembro de 2004, nos arts. 9º a 17 da Portaria Conjunta PGFN/SRF nº 3, de 25 de agosto de 2004, e na Portaria Conjunta PGFN/SRF nº 4, de 20 de setembro de 2004, declara: Art. 1º Ficam excluídos do Parcelamento Especial (Paes) de que trata o art. 1º da Lei nº , de 30 de maio de 2003, de acordo com seu art. 7º, as pessoas físicas e jurídicas relacionadas no Anexo Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de 2006 Único a este Ato Declaratório, tendo em vista que foi constatada a ocorrência de três meses consecutivos ou seis alternados sem recolhimento das parcelas do Paes ou que este tenha sido efetuado em valor inferior ao fixado nos incisos II e III do 3º, incisos I e II do 4º e 6º do art. 1º da Lei nº , de Art. 2º O detalhamento do motivo da exclusão poderá ser obtido na página da Secretaria da Receita Federal na Internet, no endereço <www.receita.fazenda.gov.br>, com a utilização da Senha Paes. Art. 3º É facultado ao sujeito passivo, no prazo de 10 dias, contado da data de publicação deste Ato Declaratório Executivo, apresentar recurso administrativo dirigido ao Delegado da Receita Federal de Santa Maria, no Centro de Atendimento ao Contribuinte (CAC), na rua Riachuelo, n o 80, centro. Art. 4º Não havendo apresentação de recurso no prazo previsto no art. 3º, a exclusão do Paes será definitiva. Art. 5º Este Ato Declaratório entra em vigor na data de sua publicação. MIGUEL ÂNGELO LOVATO ÚNICO Relação das pessoas excluídas do Parcelamento Especial (Paes). Três parcelas consecutivas ou seis alternadas sem recolhimento ou com recolhimento inferior ao fixado nos incisos II e III do 3º, incisos I e II do 4º e 6º do art. 1º da Lei nº , de Relação dos CPF das pessoas físicas excluídas: Relação dos CNPJ das pessoas jurídicas excluídas: / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / BANCO CENTRAL DO BRASIL DIRETORIA COLEGIADA 3.309, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Divulga a amostra de que trata o art. 1º da Resolução 2.809, de 2000, para fins de cálculo da Taxa Básica Financeira (TBF) e da Taxa Referencial (TR). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 11 de janeiro de 2006, com fundamento no art. 1º e 10, inciso IV, da Resolução 2.809, de 21 de dezembro de 2000, decidiu: Art. 1º A amostra de que trata a Resolução 2.809, de 2000, para fins de cálculo da Taxa Básica Financeira (TBF) e da Taxa Referencial (TR), passa a ser constituída pelas seguintes instituições financeiras: Ordem CNPJ Nome BCO DO BRASIL S.A BB-BCO POPULAR DO BRASIL S.A BB-BANCO DE INVESTIMENTO S.A CAIXA ECONOMICA FEDERAL BCO SANTANDER S.A BCO SANTANDER BRASIL S.A BCO EST SAO PAULO S.A. BANESPA BCO SANTANDER MERIDIONAL S.A BCO BRADESCO S.A BANCO ALVORADA S.A BCO BOAVISTA INTERATLANTICO S.A BCO DO EST. DO MA S.A BCO FINASA S.A BCO MERCANTIL DE SAO PAULO S.A BCO ABN AMRO REAL S.A BCO COM E INV SUDAMERIS S.A BCO DE PERNAMBUCO S.A. - BANDE- PE BCO SUDAMERIS BRASIL S.A BCO SUDAMERIS INVESTIMENTO S.A BCO COOP. DO BRASIL S.A. - BANCO- OB BCO NOSSA CAIXA S.A BCO SAFRA S.A BCO J. SAFRA S.A BCO SAFRA DE INVESTIMENTOS S.A UNIBANCO-UNIAO BCOS BRAS S.A HIPERCARD BANCO MÚLTIPLO S.A CREDICARD BANCO S.A BCO DIBENS S.A BCO FININVEST S.A BCO INVESTCRED UNIBANCO S.A BCO ÚNICO S.A UNIBANCO ASSET MANAG BI S.A UNICARD BCO MULTIPLO S.A HSBC BANK BRASIL S.A. BCO MUL- TIP HSBC INVESTMENT BANK BR S.A. BI BCO DA AMAZONIA S.A BCO ALFA DE INVESTIMENTOS S.A BCO ALFA S.A BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A BCO MERCANTIL DE INVS S/A BCO DO EST. DO RS S.A BCO CITIBANK S.A CITIBANK N.A CREDICARD BANCO S.A BRB - BCO DE BRASILIA S.A BCO DO EST. DE SE S.A BCO INDUSTRIAL E COMERCIAL S.A ITAU HOLDING BCO BEG S.A BCO ITAU BBA S.A ITAU BI S.A BCO BANERJ S.A CREDICARD BANCO S.A BCO ITAUSAGA S.A BCO ITAU S.A BCO FIAT S.A BCO BANESTADO S.A BCO DO EST. DE SC S.A BCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A ING BANK N.V BCO ABC BRASIL S.A BCO SCHAHIN S.A BCO BMC S.A BCO DO EST. DO CE S.A BCO RURAL S.A BCO SIMPLES S.A BCO RURAL DE INVESTIMENTO S.A BCO RURAL MAIS S.A BCO CRUZEIRO DO SUL S.A BCO SOFISA S.A BCO PECUNIA S.A. Art. 2º O disposto nesta Circular vigerá de 1º de fevereiro de 2006 a 31 de julho de Art. 3º Fica revogada, a partir de 1º de fevereiro de 2006, a Circular 3.286, de ALEXANDRE SCHWARTSMAN Diretor

15 <!ID > <!ID > Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de ISSN COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS SUPERINTENDÊNCIA-GERAL SUPERINTENDÊNCIA DE RELAÇÕES COM O MERCADO E INTERMEDIÁRIOS <!ID >ATO DECLARATÓRIO 8.627, DE 10 DE JANEIRO DE 2006 O Superintendente de Relações com o Mercado e Intermediários da Comissão de Valores Mobiliários, no uso da competência que lhe foi delegada pela Deliberação CVM nº 405, de 10 de outubro de 2001, resolveu autorizar, nesta data, a BANCO SUDA- MERIS BRASIL S.A., C.N.P.J / , a prestar serviços de Escrituração de Quotas de Fundos de Investimentos, nos termos da Instrução CVM n 89/88, e Instrução CVM nº 261/97. WALDIR DE JESUS NOBRE CONSELHO DE RECURSOS DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL PAUTA DE JULGAMENTO Pauta de Julgamento de Recursos da 257ª Sessão, que será realizada na data a seguir mencionada, no 1º Subsolo (Auditório Dênio Nogueira), torre 4, do Edifíciosede do Banco Central do Brasil, no Setor Bancário Sul (SBS), Quadra 3, Bloco B - Brasília (DF). DIA 25 DE JANEIRO DE 2005, QUARTA-FEIRA, ÀS 9H30 Recurso Recorrente: Contigroup Companies, Inc. (atual denominação social de Continental Grain Company). Recorrido: Bacen. Relator: Fábio Martins Faria; Revisor: Pedro Wilson Carrano Albuquerque. Recurso Recorrentes: Luiz Fernando Brandt, Antônio Gomes David e Maria Alexandria Costa Brandt. Recorrido: Bacen. Relator: Fábio Martins Faria; Revisor: Edmundo de Paulo. Recurso Recorrente: Banco Safra S.A. e Ezra Safra. Recorrido: Bacen. Relator: Fábio Martins Faria; Revisor: Pedro Wilson Carrano Albuquerque. Recurso Recorrentes: Cesar Luiz Jardim Wright, José Ferraiolo Neto e Telma Machado Ajuz. Recorrido: Bacen. Relator: Fábio Martins Faria; Revisor: João Cox Neto. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrida: Saint Clair Bonelli Comércio Importação e Exportação Relator: Fábio Martins Faria; Revisor: João Cox Neto. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrida: Grand Kim Importação e Exportação Relator: Fábio Martins Faria; Revisor: Pedro Wilson Carrano Albuquerque. Recurso Recorrente: Nikkor Industrial S.A. Recorrido: Bacen. Relator: Pedro Wilson Carrano Albuquerque; Revisor: Edmundo de Paulo. Recurso Recorrente: Primar S.A. Produtos Industrializados do Mar. Recorrido: Bacen. Relator: Pedro Wilson Carrano Albuquerque; Revisor: Marcos Galileu Lorena Dutra. Recurso Recorrente: Fundação Zerbini. Recorrido: Bacen. Relator: João Cox Neto; Revisor: Valdecyr Maciel Gomes. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrida: Importadora Perini de Gêneros Alimentícios Relator: Valdecyr Maciel Gomes; Revisor: Fábio Martins Faria. Recurso RJ2004/ Recorrente: CVM. Recorridos: Andrew Garcia Shores, Carlos Eduardo Soares Castanho, Credit Suisse First Boston S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários, Geraldo Travaglia Filho, José Lucas Ferreira de Mello e Unibanco Holdings S.A. Relator: Rita Maria Scarponi; Revisor: Edmundo de Paulo Recurso Recorrente(s): Banco do Brasil S.A./Antônio de Freitas Gouveia. Recorrido: Bacen. Relator: João Cox Neto; Revisor: Edmundo de Paulo. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrida: Indústria e Comércio de Madeiras São Carlos Relator: Edmundo de Paulo; Revisor: Valdecyr Maciel Gomes. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrida: Xerox do Brasil Relator: Valdecyr Maciel Gomes; Revisor: João Cox Neto. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrida: Silhouetes de Paris Show Roon de Modas Relator: Valdecyr Maciel Gomes; Revisor: João Cox Neto. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrida: Ciader Comércio Internacional Relator: Valdecyr Maciel Gomes; Revisor: João Cox Neto. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrida: Silhouetes de Paris Show Roon de Modas Relator: Valdecyr Maciel Gomes; Revisor: João Cox Neto. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrida: Zenimport Comércio Importação e Exportação Relator: Marcos Galileu Lorena Dutra; Revisor: João Cox Neto. Recurso Recorrente: Bacen. Recorrido: Indústrias Dureino S.A. Relator: Valdecyr Maciel Gomes; Revisor: Marcos Galileu Lorena Dutra. Recursos nºs.: Siméia Comércio de Rações e Óleos Ltda Seg do Brasil Eletro- Eletrônica, Azudir Cattoni, Semco Equipamentos para Indústria de Borracha, Claudio Luiz da Silva Haddad, Hamleto Emílio Molinari, Araguaia Comercial Importação e Exportação, Lonely Star Vídeo Comercial Importação e Exportação e Locadora Relator: Rafael Euclydes de Campos Cardoso; Revisor: Edmundo de Paulo. Recursos nºs.: Tunker Industrial Pagoda Intl. Corporation do Brasil., Textil Marpez do Brasil, Nbra Comercial, Fabrica de Latícinos Monte Azul, United Medical, Karibe Indústria e Comércio, Mapri-Textron do Brasil, Hospital São Paulo. Relator: Rita Maria Scarponi; Revisor: Marcos Galileu Lorena Dutra. Recursos nºs.: Trane Do Brasil Indústria e Comércio, Dow Agrociences Indústria., Furtiva Importação e Exportação, Andrew Indústria e Comércio, Day Brasil S.A., Smh do Brasil Indústria e Comércio de Relógios, Ti Brasil Indústria e Comércio, Cisa Trading S.A., Camco Internacional Brasil Relator: Fábio Martins Faria; Revisor: Valdecyr Maciel Gomes. Recursos nºs.: New Stetic Dental, Chocolates Garoto S.A., Inspec Brasil, Radio e Televisão Record S.A., Rockwell Automation do Brasil, Celpav Celulose e Papel, Novartis Biociências S/A, Aventis Pharma, Degussa Brasil Relator: Pedro Wilson Carrano Albuquerque; Revisor: João Cox Neto. Recursos nºs.: Bras-Kosmos Importação e Exportação, Peugeot do Brasil Automóveis, Habro Comércio Importação e Exportação, Marquip do Brasil, Editora Caras S/A, Dow Corning do Brasil, Westfalia Separator do Brasil, Imcopa Impartação Exportação e Indústria de Óleos, Volex do Brasil Relator: Marcos Galileu Lorena Dutra; Revisor: Fábio Martins Faria. Recursos nºs.: Importação Perene de Gêneros Alimentícios, Polaris Artes Gráficas e Editora, Sacmi do Brasil Indústria e Comércio, Diamante Importação e Exportação, Preston Empreendimentos, Danbel Indústria e Comércio de Artigos de Ferro, Double Importação Exportação e Representação, Rexlaine Modas, Trigo Clodia Comercial Relator: Valdecyr Maciel Gomes; Revisor: Rafael Euclydes de Campos Cardoso. Recursos nºs.: Periolo Comércio Internacional, Hospservice Importação e Distribuidora de Medic., Davelco Prodrução Hospitalares, Temppo Indústria e Comércio de Confecções, Temparaito Vidros de Segurança, T-Comércio, Ssl Brasil, Solorrico S/A Indústria e Comércio e Itautec Philco S/A. Relator: João Cox Neto; Revisor: Pedro Wilson Carrano Albuquerque. a)total de recursos: 81 (oitenta e um); Suspensão dos trabalhos: Segundo o disposto no 2º, do art. 18, do regimento interno do CRSFN, aprovado pelo Decreto nº 1.935, de 20 de junho de 1996, "nos casos em que se tornar impossível julgar todos os processos da pauta ou quando não se concluir o julgamento na data designada, fica facultado ao presidente suspender a sessão e reiniciá-la no dia útil subseqüente, independentemente de nova convocação e publicação." Brasília, 13 de janeiro de 2006 PEDRO WILSON CARRANO ALBUQUERQUE Presidente MARCOS MARTINS DE SOUZA Secretário Executivo IMEIRO CONSELHO DE CONTRIBUINTES 6ª CÂMARA PAUTA DE JULGAMENTO DE RECURSOS PAUTA DAS SESS?ES ORDIN?RIAS A SEREM REALI- ZADAS NAS DATAS A SEGUIR MENCIONADAS, NO SETOR COMERCIAL SUL, QUADRA 01, BLOCO "J", SALA 405, EDIF?CIO ALVORADA, BRAS?LIA/DF. OBSERVA??O: Ser?o julgados na primeira sess?o subseq?ente, independentemente de nova publica??o, os recursos cuja decis?o tenha sido adiada em raz?o de pedido de vista de Conselheiro, n?o comparecimento do Conselheiro Relator, falta de tempo na sess?o marcada, ser feriado ou ponto facultativo ou por outro motivo objeto de decis?o do Colegiado. DIA 25 DE JANEIRO DE 2006,?S 09:00 HORAS RELATORA: CONSELHEIRA SUELI EFIG?NIA MEN- DES DE BRITTO 01 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ANT?NIO CARLOS FERREIRA TRINDADE - Recorrida: DRJ-SALVADOR/BA - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: MARIA STELA BELLINI FERREIRA - Recorrida: 2? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: VICENTE DELICATO - Recorrida: 7? TUR- MA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): 1999 a RELATOR: CONSELHEIRO GON?ALO BONET ALLA- GE 04 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: KRUPP METAL?RGICA CAMPO LIMPO LTDA. - Recorrida: DRJ-CAMPINAS/SP - IRF - Ano(s): 1990 a RELATOR: CONSELHEIRO LUIZ ANTONIO DE PAU- LA 05 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ALCIONE DE OLIVEIRA - Recorrida: 2? TUR- MA/DRJ-CURITIBA/ - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: FARFALLA T?XTIL LTDA. - Recorrida: 3? TUR- MA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRF - Ano(s): RELATOR: CONSELHEIRO JOS? CARLOS DA MATTA RIVITTI 07 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ANDR? VARGAS - Recorrida: 1? TURMA/DRJ- RIO DE JANEIRO/RJ I - IRPF - Ex(s): RELATORA: CONSELHEIRA ANA NEYLE OL?MPIO HOLANDA 08 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: CIN?SIO JO?O DA SILVA - Recorrida: 2? TUR- MA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): 2001 e Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JO?O M?RIO DE ARRUDA - Recorrida: 2?TUR- MA/DRJ-CAMPO GRANDE/MS - IRPF - Ex(s): RELATORA: CONSELHEIRA ROBERTA DE AZEREDO FERREIRA PAGETTI 10 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JOS? VALDEMIR SILVA PACHECO - Recorrida: 2? TURMA/DRJ-SANTA MARIA/RS - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JAIRTON KRUGER RUSSO - Recorrida: 4? TUR- MA/DRJ-PORTO ALEGRE/RS - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO WILFRIDO AUGUSTO MARQUES 12 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: CL?UDIO ROBERTO DE FREITAS - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ADOLFO PEDRO VEIGA DA SILVA - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO JOS? RIBAMAR BARROS PENHA 14 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ORLANDO BOHRER MONTEIRO - Recorrida: DRJ- RIO DE JANEIRO/RJ - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: MILTON AMEDEO ARIOLI - Recorrida: 2? TUR- MA/DRJ-SANTA MARIA/RS - IRPF - Ex(s): DIA 25 DE JANEIRO DE 2006,?S 14:00 HORAS RELATORA: CONSELHEIRA SUELI EFIG?NIA MEN- DES DE BRITTO 16 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: PL?NIO XAVIER DE MENDON?A J?NIOR - Recorrida: 6? TURMA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ALLIED DOMECQ BRASIL IND?STRIA E COM?RCIO LTDA. - Recorrida: 8? TURMA/DRJ-RIO DE JANEI- RO/RJ I - IRF - Ano(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: DEUTSCHE BANK S.A. - BANCO ALEM?O - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-CAMPINAS/SP - IRF - Ano(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: GERALDO AUGUSTO LE?A TEIXEIRA - Recorrida: 6? TURMA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: VERA REGINA RIBEIRO SUCENA - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-BRAS?LIA/DF - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO GON?ALO BONET ALLA- GE 21 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JUSSARA WADY CEC?LIO SAHIUM - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-BRAS?LIA/DF - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: HUMBERTO SIQUEIRA DE AZEVEDO - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF/DOI - Ex(s): 1999 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: NIVALDO HARTUNG TOPPA - Recorrida: 5? TURMA/DRJ-BELO HORIZONTE/MG - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO LUIZ ANTONIO DE PAU- LA 24 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JOS? ROBERTO DE SOUZA MORAIS - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-SALVADOR/BA - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: WILSON JOS? PONTARA - Recorrida: 2? TUR- MA/DRJ-CURITIBA/ - IRPF - Ex(s): 2000 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: MARIA DAS GRA?AS LUMMERTZ KUHNEN - Recorrida: 2? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF/DOI - Ex(s): 1999 a 2002.

16 16 ISSN Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: NELYSON MACEDO MAIA - Recorrida: 3? TUR- MA/DRJ-BRAS?LIA/DF - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO JOS? CARLOS DA MATTA RIVITTI 28 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: TICKET SERVI?OS S.A. - Recorrida: 1? TUR- MA/DRJ-S?O PAULO/SP I - IRF - Ano(s): 1990 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: KEPLER WEBER INDUSTRIAL S.A. - Recorrida: 1? TURMA/DRJ-SANTA MARIA/RS - IRF - Ano(s): 1999, RELATORA: CONSELHEIRA ANA NEYLE OL?MPIO HOLANDA 30 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: CAIXA DE EVID?NCIA DO FUNCION?RIOS DO BANCO DO BRASIL- EVI - Recorrida: 6? TURMA/DRJ- RIO DE JANEIRO/RJ I - IRF - Ano(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: MARCOS ANDR? CARIDADE ASSUMP??O - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): 1999 a RELATORA: CONSELHEIRA ROBERTA DE AZEREDO FERREIRA PAGETTI 32 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: MARCIAL DOMINGOS CORREA TERRA - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-PORTO ALEGRE/RS - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: WALDIR ANT?NIO TEIXEIRA - Recorrida: 5? TUR- MA/DRJ-BELO HORIZONTE/MG - IRPF - Ex(s): 1996 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JO?O REN? TEIXEIRA - Recorrida: 5? TURMA/DRJ- BELO HORIZONTE/MG - IRPF - Ex(s): 1996 a RELATOR: CONSELHEIRO WILFRIDO AUGUSTO MARQUES 35 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: INTERNATIONAL PAPER DO BRASIL LTDA. (CHAMPION PAPEL E CELULOSE LTDA.) - Recorrida: 3? TUR- MA/DRJ-CAMPINAS/SP - IRF - Ano(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: AD?CIO SCABELLO - Recorrida: 6? TUR- MA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRF - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO JOS? RIBAMAR BARROS PENHA 37 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: BBM BRADY FUNDOS DE INVESTIMENTO FI- NANCEIRO - Recorrida: 9? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ I - IRF - Ano(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: FIBRA - FUNDA??O ITAIPU/BR EVID?NCIA E ASSIST?NCIA SOCIAL - Recorrida: 1? TURMA/DRJ-CURITI- BA/ - IRF - Ano(s): 1997 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ALEX ZENAIDE - Recorrida: 1? TURMA/DRJ- RECIFE/PE - IRPF - Ex(s): 1997 e DIA 26 DE JANEIRO DE 2006,?S 08:30 HORAS RELATORA: CONSELHEIRA SUELI EFIG?NIA MEN- DES DE BRITTO 40 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ALAOR MENDES RIBEIRO - Recorrida: 3? TUR- MA/DRJ-BRAS?LIA/DF - IRPF - Ex(s): 1996 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: FABR?CIO HENRIQUE DE SOUZA - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: EDMUNDO ELIAS DOS SANTOS - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: MARIZE LECHUGA DE MORAES BORANGA - Recorrida: 2?TURMA/DRJ-CAMPO GRANDE/MS - IRPF - Ex(s): 2000 e RELATOR: CONSELHEIRO GON?ALO BONET ALLA- GE 44 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ALCIDES BASILIO DE OLIVEIRA - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-BRAS?LIA/DF - IRPF - Ex(s): 1998 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: WALBER BRAGA - Recorrida: 5? TURMA/DRJ-BE- LO HORIZONTE/MG - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: PAULO C?SAR COSTA - Recorrida: 5? TUR- MA/DRJ-BELO HORIZONTE/MG - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO LUIZ ANTONIO DE PAU- LA 47 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: VARIG S.A. - VIA??O A?REA RIO GRANDENSE - Recorrida: DRJ-BELO HORIZONTE/MG - IRF - Ano(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: DIETMAR ERICH BERNHARD LILIE - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): 1999 a RELATOR: CONSELHEIRO JOS? CARLOS DA MATTA RIVITTI 49 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: EMESA NOSSA SENHORA DA GL?RIA LTDA. - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRF - Ano(s): 1992 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: VALCIR ALVES FROES - Recorrida: 1? TUR- MA/DRJ-JUIZ DE FORA/MG - IRPF - Ex(s): RELATORA: CONSELHEIRA ANA NEYLE OL?MPIO HOLANDA 51 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: WALTER ALBERTO XAVIER - Recorrida: 2? TURMA/DRJ-BEL?M/PA - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JORGE LUIZ FAUSTINO - Recorrida: 2? TUR- MA/DRJ-SANTA MARIA/RS - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: S?RGIO REIS BARBOSA - Recorrida: 2? TUR- MA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): RELATORA: CONSELHEIRA ROBERTA DE AZEREDO FERREIRA PAGETTI 54 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ORLANDO ZAMIMI FILHO - Recorrida: 6? TUR- MA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): 1999 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: GILMAR FRANCISCO DA ROCHA - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: MAURO JOS? DESCHAMPS - Recorrida: 4? TUR- MA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: IRANY MANOEL AMARANTE - Recorrida: 2? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO WILFRIDO AUGUSTO MARQUES 58 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: FERNANDO CAMPOS LOBO - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: FL?VIO ROBERTO MELLO - Recorrida: 5? TUR- MA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JUCIARA BARBOSA DA FONSECA DE MELO - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JUCIARA BARBOSA DA FONSECA DE MELO - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO JOS? RIBAMAR BARROS PENHA 62 - Recurso n?: EX OFFICIO e VOLUNT?RIO - Processo n?: / Recorrentes: 2? TURMA/DRJ- RIO DE JANEIRO/RJ I e SERSAN - SOCIEDADE DE TERRA- PLENAGEM, CONSTRU??O CIVIL E AGROPECU?RIA LTDA. - IRF - Ano(s): 1995, 1996 e Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: SERSAN - SOCIEDADE DE TERRAPLENAGEM, CONSTRU??O CIVIL E AGROPECU?RIA LTDA. - Recorrida: 2? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ I - IRF - Ano(s): 1995,1996 e Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ANDR? LUIZ SILVEIRA MACHADO - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ANDR? LUIZ SILVEIRA MACHADO - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): DIA 26 DE JANEIRO DE 2006,?S 14:00 HORAS RELATORA: CONSELHEIRA SUELI EFIG?NIA MEN- DES DE BRITTO 66 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: M?NICA PEREIRA PINTO BOTAFOGO MUNIZ - Recorrida: 2? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: FLORIVALDO QUIDOTTI - Recorrida: 4? TUR- MA/DRJ-CURITIBA/ - IRPF - Ex(s): 1999 e Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: SIDNEY COLUCI - Recorrida: 5? TURMA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ALA?RCIO COMARELLA - Recorrida: 2? TUR- MA/DRJ-CURITIBA/ - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO GON?ALO BONET ALLA- GE 70 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: DAVI JOS? DE PAULA - Recorrida: 4? TURMA/DRJ- S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JURANI BARBOSA - Recorrida: 4? TURMA/DRJ- CURITIBA/ - IRPF - Ex(s): 1998, Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: JOSIMAR FERNANDES DE PAIVA - Recorrida: 1? TURMA/DRJ-RECIFE/PE - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO LUIZ ANTONIO DE PAU- LA 73 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: PAULO FERNANDO CARDOSO - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-SALVADOR/BA - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: AUGUSTO MAURO CARUSO FRAN?A - Recorrida: 1? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO JOS? CARLOS DA MATTA RIVITTI 75 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: WLADIR CALDEIRA DE MORAIS - Recorrida: 5? TURMA/DRJ-BELO HORIZONTE/MG - IRPF - Ex(s): 1996 a Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: THEREZA FELIPPE ESTES - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-PORTO ALEGRE/RS - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ADA FILOMENO FONTES - Recorrida: 4? TUR- MA/DRJ-FLORIAN?POLIS/SC - IRPF - Ex(s): 1992 a RELATORA: CONSELHEIRA ANA NEYLE OL?MPIO HOLANDA 78 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: M?RIO JOEL MALARA - Recorrida: 3? TUR- MA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: GERALDO ALVES RODRIGUES - Recorrida: 1? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: WICKBOLD & NOSSO P?O IND?STRIAS ALI- MENT?CIAS LTDA. - Recorrida: 5? TURMA/DRJ-CAMPINAS/SP - IRF/ILL - Ex(s): 1989 a RELATORA: CONSELHEIRA ROBERTA DE AZEREDO FERREIRA PAGETTI 81 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: TECHINT S.A. - Recorrida: 10? TURMA/DRJ-S?O PAULO/SP I - IRF - Ano(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: WILSON CAVALCANTE COELHO (ESP?LIO) - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-BRAS?LIA/DF - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: SOCIEDADE ADMINISTRADORA DE CONS?RCIOS LTDA. - Recorrida: 1? TURMA/DRJ-SANTA MA- RIA/RS - IRF/ILL - Ex(s): 1989, 1990, Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: AGNALDO ALVES DE FARIAS - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-BRAS?LIA/DF - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO WILFRIDO AUGUSTO MARQUES 85 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: SANDRO ROBERTO MARTINS CINTRA - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-SALVADOR/BA - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ANDREA ALVES DA SILVEIRA - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-JUIZ DE FORA/MG - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: OSVALDO RABELO - Recorrida: 2? TURMA/DRJ- SANTA MARIA/RS - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO JOS? RIBAMAR BARROS PENHA 88 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: RUBENS BONIF?CIO PIRES - Recorrida: 1? TUR- MA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: MARIA ESTHER MEIRELLES JORDON - Recorrida: 5? TURMA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: FERTIPAR FERTILIZANTES DO PARAN? LTDA. - Recorrida: 1? TURMA/DRJ-CURITIBA/ - IRF/LL - Ano(s): 1990 e Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: IZIDORO PL?NIO BASSANI - Recorrida: 4? TUR- MA/DRJ-CURITIBA/ - IRPF - Ex(s): 1988 e DIA 27 DE JANEIRO DE 2006,?S 08:30 HORAS RELATORA: CONSELHEIRA SUELI EFIG?NIA MEN- DES DE BRITTO 92 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: MARIA DA CONCEI??O APARECIDA ROCHA RAMOS - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-JUIZ DE FORA/MG - IRPF - Ex(s): RELATORA: CONSELHEIRA ANA NEYLE OL?MPIO HOLANDA 93 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: LUCIANO DE PAULA PAIVA - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-JUIZ DE FORA/MG - IRPF - Ex(s): RELATORA: CONSELHEIRA ROBERTA DE AZEREDO FERREIRA PAGETTI 94 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: OSMAR BIGNARDI - (ESP?LI0) - Recorrida: 5? TURMA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: ROBERTO KIYOSHI ODAQUIRI. - Recorrida: DRJ- FOZ DO IGUA?U/ - IRPF - Ex(s): RELATOR: CONSELHEIRO JOS? RIBAMAR BARROS PENHA 96 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: FERNANDO SEMEDO SOBRINHO - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-S?O PAULO/SP II - IRPF - Ex(s): Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: CARLOS HENRIQUE MACHADO - Recorrida: 3? TURMA/DRJ-RIO DE JANEIRO/RJ II - IRPF - Ex(s): DIA 27 DE JANEIRO DE 2006,?S 12:00 HORAS RELATORA: CONSELHEIRA SUELI EFIG?NIA MEN- DES DE BRITTO 98 - Recurso n?: Processo n?: / Recorrente: EZIO RENATO DE OLIVEIRA MASINA - Recorrida: 4? TURMA/DRJ-PORTO ALEGRE/RS - IRPF - Ex(s): AFONSO ANT?NIO DA SILVA Chefe da Secretaria

17 <!ID > PORTARIA <!ID > PORTARIA <!ID > CIRCULAR <!ID > CIRCULAR <!ID > PORTARIA Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de ISSN SECRETARIA DO TESOURO NACIONAL 130, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O SECRETÁRIO ADJUNTO DO TESOURO NACIONAL, no uso das atribuições que lhe conferem a Portaria MF nº 183, de 31 de julho de 2003, e a Portaria STN nº 143, de 12 de março de 2004, e tendo em vista as condições gerais da oferta de títulos públicos previstas na Portaria STN n 410, de 04 de agosto de 2003, resolve: Art. 1º Tornar públicas as condições específicas a serem observadas na oferta pública de compra de Notas do Tesouro Nacional, Série B - NTN-B, cujas características estão definidas no Decreto nº 3.859, de 04 de julho de 2001: I - participantes da oferta pública de compra: restrita às instituições credenciadas a operar com o DEMAB/BCB e com a CODIP/STN, nos termos da decisão Conjunta nº 14, de 20 de março de 2003; II - data do acolhimento das propostas e do leilão: ; III - horário para o acolhimento das propostas: de 12h às 13h; IV - divulgação do resultado do leilão: na data do leilão, a partir das 14h30, por meio do Banco Central do Brasil V - data da liquidação financeira: ; VI - critério de seleção das propostas: serão aceitas todas as propostas com cotações iguais ou inferiores à cotação máxima aceita, a qual será aplicada a todas as propostas vencedoras; VII - sistema eletrônico a ser utilizado: exclusivamente por meio Sistema de Oferta Firme (SIOFF), nos termos do Regulamento do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (SELIC); VIII - quantidade máxima de propostas por instituição: 5 (cinco) para cada um dos títulos ofertados; IX - quantidade para o público: até (quinhentos e noventa e quatro mil) títulos, que serão distribuídos, a critério do Tesouro Nacional, entre os títulos listados abaixo, respeitados os limites especificados; Título Código SELIC Prazo a partir da liquidação Quantidade (em mil) Data do Vencimento NTN-B dias Até NTN-B dias Até NTN-B dias Até NTN-B dias Até NTN-B dias Até NTN-B dias Até NTN-B dias Até NTN-B dias Até NTN-B dias Até NTN-B dias Até NTN-B dias Até Art. 2º Na formulação das propostas de compra deverá ser utilizada cotação, com quatro casas decimais; Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JOSE ANTONIO GRAGNANI 131, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O SECRETÁRIO ADJUNTO DO TESOURO NACIONAL, no uso das atribuições que lhe conferem a Portaria MF nº 183, de 31 de julho de 2003, e a Portaria STN nº 143, de 12 de março de 2004, e tendo em vista as condições gerais da oferta de títulos públicos previstas na Portaria STN n 410, de 04 de agosto de 2003, resolve: Art. 1º Tornar públicas as condições específicas a serem observadas na oferta pública de compra de cupons de juros de Notas do Tesouro Nacional, Série B - NTN-B, cujas características estão definidas no Decreto nº 3.859, de 04 de julho de 2001: I - participantes da oferta pública de compra: restrita às instituições credenciadas a operar com o DEMAB/BCB e com a CODIP/STN, nos termos da decisão Conjunta nº 14, de 20 de março de 2003; II - data do acolhimento das propostas e do leilão: ; III - horário para o acolhimento das propostas: de 12h às 13h; IV - divulgação do resultado do leilão: na data do leilão, a partir das 14h30, por meio do Banco Central do Brasil V - data da liquidação financeira: ; VI - critério de seleção das propostas: serão aceitas todas as propostas com cotações iguais ou inferiores à cotação máxima aceita, a qual será aplicada a todas as propostas vencedoras; VII - sistema eletrônico a ser utilizado: exclusivamente por meio Sistema de Oferta Firme (SIOFF), nos termos do Regulamento do Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (SELIC); VIII - quantidade máxima de propostas por instituição: 5 (cinco) para cada um dos cupons de juros ofertados; IX - quantidade para o público: até (quinhentos e dezenove mil) cupons de juros, que serão distribuídos, a critério do Tesouro Nacional, entre os cupons listados abaixo, respeitados os limites especificados; Código Prazo a partir da Quantidade Data do Vencimento SELIC liquidação (em mil) dias Até dias Até Art. 2º Na formulação das propostas de compra deverá ser utilizada cotação, com quatro casas decimais; Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. JOSÉ ANTONIO GRAGNANI 132, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 O SECRETÁRIO ADJUNTO DO TESOURO NACIONAL, no uso das atribuições que lhe conferem a Portaria MF nº 183, de 31 de julho de 2003, e a Portaria STN nº 143, de 12 de março de 2004, e tendo em vista as condições gerais da oferta de títulos públicos previstas na Portaria STN n 410, de 04 de agosto de 2003, resolve: Art. 1º Tornar públicas, em cumprimento ao disposto no parágrafo único do art. 1º da Portaria STN n 124, de 09 de janeiro de 2006, as condições específicas a serem observadas na segunda etapa da oferta pública de Notas do Tesouro Nacional, Série B - NTN-B, a ser realizada em 13 de janeiro de 2006: Prazo a partir da emissão Cotação Aceita Juros Reais (ao ano) Data-Base Data da Emissão Data do Ve n c i m e n t o 485 dias 95, ,95% dias 93, ,48% dias 90, ,15% dias 88, ,15% dias 83,5838 8,90% dias 76,8467 8,95% dias 69,9012 8,95% Art. 2º Para o cumprimento do disposto no art. 6º da Portaria STN n 124, de 09 de janeiro de 2006, os valores nominais atualizados até das Notas do Tesouro Nacional, Série C - NTN-C, a serem considerados para o cálculo dos preços unitários serão: Título Data-Base Data do VNA Ve n c i m e n t o NTN-C , NTN-C , NTN-C , NTN-C , NTN-C , NTN-C , Art. 3º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS IVADOS 316, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 Altera o art. 108 da Circular SUSEP N o 302, de 19 de setembro de O O SUPERINTENDENTE DA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS IVADOS - SUSEP, na forma do art. 36, alínea "b", do Decreto-Lei n o 73, de 21 de novembro de 1966, e tendo em vista o que consta do Processo SUSEP n o / , resolve: Art. 1 o O art. 108 da Circular SUSEP N o 302, de 19 de setembro de 2005, passa a vigorar com a seguinte redação: Art Os planos de seguro protocolados na SUSEP antes do início de vigência desta Circular deverão ser arquivados ou adaptados à presente Circular até 30 de junho de 2006, sob pena de aplicação das penalidades cabíveis. 1 o A ausência de manifestação formal das sociedades seguradoras quanto à adoção de um dos procedimentos descritos no caput deste artigo implicará na respectiva suspensão de comercialização e arquivamento dos planos registrados na SUSEP. 2 o As disposições desta Circular aplicam-se às apólices renovadas ou emitidas a partir da data em que o respectivo plano de seguro adaptado for protocolado na SUSEP, conforme previsto no caput deste artigo. 3 o Independentemente do disposto no 2 o deste artigo, no caso de planos coletivos, as disposições desta Circular aplicam-se a todos os segurados que subscreverem propostas a partir de 1 o de janeiro de Art. 2 o Esta Circular entrará em vigor na data de sua publicação. RENÊ GARCIA JR. 317, DE 12 DE JANEIRO DE 2006 Dispõe sobre as regras complementares de funcionamento e os critérios para operação das coberturas de risco oferecidas em planos de seguros coletivos de pessoas, e dá outras providências. O O SUPERINTENDENTE DA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS IVADOS - SUSEP, na forma do art. 36, alínea "b", do Decreto-Lei N o 73, de 21 de novembro de 1966, e tendo em vista o que consta do Processo SUSEP n o / , resolve: Art. 1 o Estabelecer as regras complementares de funcionamento e os critérios para operação das coberturas de risco oferecidas em planos de seguros coletivos de pessoas. Art. 2 o Além das disposições desta Circular, as condições contratuais e demais operações de seguro coletivo de pessoas deverão observar as disposições da Circular SUSEP N o 302, de 19 de setembro de 2005, em sua totalidade, alterada pela Circular SUSEP N o 316, de 12 de janeiro de JOSÉ ANTONIO GRAGNANI Art. 3 o É obrigatória a emissão e envio ao segurado do certificado individual pela sociedade seguradora no início do seguro e em cada uma das renovações subseqüentes. 1 o O disposto no caput não se aplica no caso de seguro de pessoas com capital global. 2 o O certificado de que trata o caput deste artigo deverá conter os seguintes elementos mínimos: I - data de início e término de vigência da cobertura individual do segurado principal e dos segurados dependentes; e II - capital segurado de cada cobertura relativa ao segurado principal e aos segurados dependentes, além do prêmio total. 3 o Caberá ao diretor responsável pelos controles internos ou a outro diretor designado pela sociedade seguradora a responsabilidade pelo cumprimento do disposto neste artigo. Art. 4 o O contrato de seguro pode ser rescindido a qualquer tempo mediante acordo entre as partes contratantes, com a anuência prévia e expressa de segurados que representem, no mínimo, três quartos do grupo segurado. Art. 5 o As apólices não poderão ser canceladas durante a vigência pela sociedade seguradora sob a alegação de alteração da natureza dos riscos. Art. 6 o A renovação que não implicar em alteração da apólice com ônus ou deveres adicionais para os segurados ou a redução de seus direitos, poderá ser feita pelo estipulante. Art. 7 o As condições contratuais deverão estabelecer as obrigações do estipulante, conforme a regulamentação em vigor. Art. 8 o Deverá ser estabelecido nas condições gerais que qualquer modificação da apólice em vigor que implique em ônus ou dever para os segurados ou a redução de seus direitos dependerá da anuência expressa de segurados que representem, no mínimo, três quartos do grupo segurado. Parágrafo único. Deverá ser observado o disposto no caput deste artigo quanto à alteração de taxas de seguro. Art. 9 o Qualquer alteração nas condições contratuais em vigor deverá ser realizada por aditivo à apólice, com a concordância expressa e escrita do segurado ou de seu representante, ratificada pelo correspondente endosso, observado o disposto no art. 8 o, desta Circ u l a r. Parágrafo único. Quando a alteração não implicar em ônus ou dever aos segurados ou a redução de seus direitos, esta poderá ser realizada apenas com a anuência do estipulante. Art. 10. Poderá ser adotada cláusula de excedente técnico estabelecendo as condições de distribuição, ao estipulante e/ou aos segurados do grupo, dos resultados técnicos da apólice coletiva. 1 o Consideram-se como receitas para fins de apuração dos resultados técnicos, no mínimo: a) prêmios de competência correspondentes ao período de vigência da apólice, efetivamente pagos; e b) estorno de sinistros computados em períodos anteriores e definitivamente não devidos. 2 o São despesas mínimas para os mesmos fins do 1 o deste artigo: a) comissões de corretagem pagas durante o período; b) comissões de administração pagas durante o período; c) valor total dos sinistros ocorridos em qualquer época e ainda não considerados até o fim do período de apuração, computando-se de uma só vez os sinistros com pagamento parcelado;

18 18 ISSN Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de 2006 d) saldos negativos dos períodos anteriores, ainda não compensados; e e) despesas efetivas de administração, acordadas com o estipulante. 3 o As receitas e despesas devem ser atualizadas monetariamente desde: a) o respectivo pagamento, para prêmios e comissões; b) o aviso à seguradora, para os sinistros; c) a respectiva apuração, para os saldos negativos anteriores; d) as datas em que incorreram, para as despesas de administração; e e) outras datas estabelecidas na cláusula de excedente técnico, para receitas ou despesas não previstas no 1 o ou no 2 o deste artigo. 4 o A apuração do resultado técnico deve ser atualizada monetariamente desde o término do período de apuração determinado no contrato até a data da distribuição do excedente técnico, destinando-se aos segurados e/ou estipulante um percentual do resultado apurado, estabelecido no contrato, observado o disposto no 6 o deste artigo. 5 o A distribuição de excedentes técnicos deve ser realizada após o término do prazo previsto no contrato, depois de pagas todas as faturas do período e no prazo máximo de 60 (sessenta) dias a contar da última quitação, vedado qualquer adiantamento a título de resultados técnicos. 6 o Nos seguros parcial ou totalmente contributários, o excedente técnico a ser distribuído deve ser, respectivamente, proporcional ou integralmente destinado ao segurado, podendo ainda ser revertido em benefícios ao grupo segurado, na forma estabelecida na cláusula de excedente técnico. 7 o Para os casos previstos no 6 o deste artigo, deverá ser incluído no certificado individual informação de que o segurado tem direito ao excedente técnico. Art. 11. Para os seguros que não tenham cobertura vitalícia, deverá constar da proposta de contratação, da proposta de adesão, da apólice, do certificado individual e das condições gerais, em destaque, a seguinte informação: Este seguro é por prazo determinado tendo a seguradora a faculdade de não renovar a apólice na data de vencimento, sem devolução dos prêmios pagos nos termos da apólice. Art. 12. Para os seguros que prevejam alteração de taxa por faixa etária, deverá ser estabelecido nas condições gerais que os prêmios serão alterados de acordo com a faixa etária do segurado. Parágrafo único. A forma como os prêmios serão alterados de acordo com a faixa etária do segurado, incluindo os valores ou percentuais, deverão constar das condições contratuais e ser disponibilizados aos proponentes quando da adesão ao seguro. Art. 13. Os planos de seguro protocolados na SUSEP antes de 20 de setembro de 2005 deverão ser arquivados ou adaptados à presente Circular até 30 de junho de 2006, sob pena de aplicação das penalidades cabíveis. 1 o A ausência de manifestação formal das sociedades seguradoras quanto à adoção de um dos procedimentos descritos no caput deste artigo implicará na respectiva suspensão de comercialização e arquivamento dos planos registrados na SUSEP. 2 o As disposições desta Circular aplicam-se às apólices renovadas ou emitidas a partir da data em que o respectivo plano de seguro adaptado for protocolado na SUSEP, conforme previsto no caput deste artigo. 3 o Independentemente do disposto no 2 o deste artigo, as disposições desta Circular aplicam-se a todos os segurados que subscreverem propostas a partir de 1 o de janeiro de Art. 14. Os planos de seguro protocolados na SUSEP a partir de 20 de setembro de 2005 deverão obedecer aos critérios definidos nesta norma. Parágrafo único. Os planos de seguro protocolados na SU- SEP entre 20 de setembro de 2005 e a data de início de vigência desta Circular terão até 30 de junho de 2006 para se adequarem ao disposto no art. 11 desta Circular. Art. 15. Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação, ficando revogada a Circular SUSEP N o 303, de 19 de setembro de RENÊ GARCIA JR.. Ministério da Integração Nacional <!ID >PORTARIA N GABINETE DO MINISTRO o - 10, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece situação de emergência no Município de Taperoá-PB. O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA INTEGRA- ÇÃO NACIONAL, com base no Decreto n o 5.376, de 17 de fevereiro de 2005, considerando o Decreto n o 026, de , do Prefeito Municipal de Taperoá, devidamente homologado pelo Decreto n o , de , do Governador do Estado da Paraíba e, considerando, ainda, as informações da Secretaria Nacional de Defesa Civil no Processo n o / , resolve: Art. 1 o Reconhecer, em virtude de estiagem, a situação de emergência no Município de Taperoá, zona rural, pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias, contados a partir de Art. 2 o Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >PORTARIA N PEDRO BRITO DO NASCIMENTO o - 11, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece situação de emergência no Município de Caraúbas-PB. O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA INTEGRA- ÇÃO NACIONAL, com base no Decreto n o 5.376, de 17 de fevereiro de 2005, considerando o Decreto n o 004, de , do Prefeito Municipal de Caraúbas, devidamente homologado pelo Decreto n o , de , do Governador do Estado da Paraíba e, considerando, ainda, as informações da Secretaria Nacional de Defesa Civil no Processo n o / , resolve: Art. 1 o Reconhecer, em virtude de estiagem, a situação de emergência na zona rural do Município de Caraúbas, pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias, contados a partir de Art. 2 o Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >PORTARIA N PEDRO BRITO DO NASCIMENTO o - 12, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece situação de emergência no Município de São Vicente do Seridó-PB. O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA INTEGRA- ÇÃO NACIONAL, com base no Decreto n o 5.376, de 17 de fevereiro de 2005, considerando o Decreto n o 019, de , do Prefeito Municipal de São Vicente do Seridó, devidamente homologado pelo Decreto n o , de , do Governador do Estado da Paraíba e, considerando, ainda, as informações da Secretaria Nacional de Defesa Civil no Processo n o / , resolve: Art. 1 o Reconhecer, em virtude de estiagem, a situação de emergência no Município de São Vicente do Seridó, zona rural, pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias, contados a partir de Art. 2 o Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. PEDRO BRITO DO NASCIMENTO. <!ID >PORTARIA N o - 13, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece situação de emergência no Município de Pilar. O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA INTEGRAÇÃO NACIONAL, com base no Decreto n o 5.376, de 17 de fevereiro de 2005, considerando o Decreto n o 760, de , do Prefeito Municipal de Pilar, devidamente homologado pelo Decreto n o , de , do Governador do Estado da Paraíba e, considerando, ainda, as informações da Secretaria Nacional de Defesa Civil no Processo n o / , resolve: Art. 1 o Reconhecer, em virtude de estiagem, a situação de emergência no Município de Pilar, zona rural, pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias, contados a partir de Art. 2 o Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. <!ID >PORTARIA N PEDRO BRITO DO NASCIMENTO o - 14, DE 11 DE JANEIRO DE 2006 Reconhece situação de emergência no Município de Alcantil-PB. O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA INTEGRAÇÃO NACIONAL, com base no Decreto n o 5.376, de 17 de fevereiro de 2005, considerando o Decreto n o 008, de , do Prefeito Municipal de Alcantil, devidamente homologado pelo Decreto n o , de , do Governador do Estado da Paraíba e, considerando, ainda, as informações da Secretaria Nacional de Defesa Civil no Processo n o / , resolve: Art. 1 o Reconhecer, em virtude de estiagem, a situação de emergência no Município de Alcantil, pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias, contados a partir de Art. 2 o Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação. PEDRO BRITO DO NASCIMENTO Ministério da Justiça GABINETE DO MINISTRO <!ID > DESPACHOS DO MINISTRO Em 13 de janeiro de Ref.: OCESSO n o / INTERESSADO: MINISTÉRIO DA JUSTIÇA/Departamento de Polícia Rodoviária Federal. ASSUNTO: Processo Administrativo Disciplinar. DECISÃO: Determino a instauração de processo administrativo disciplinar para a apuração de eventuais responsabilidades dos ex-ocupantes de cargo em comissão a que alude o item 18, in fine, do Parecer n o 173/05 da Consultoria Jurídica, que adoto, especificamente aqueles relacionados no Despacho CGCC/CJ n o 285/00, fls. 122 do Processo n o / <!ID > 6 - Ref.: OCESSO n o / INTERESSADO: MINISTÉRIO DA JUSTIÇA/Departamento de Polícia Rodoviária Federal. ASSUNTO: Processo Administrativo Disciplinar. DESPACHO: No uso da atribuição prevista no artigo 1 o, inciso I, do Decreto n o 3.035, de 27 de abril de 1999 e tendo em vista o que consta dos autos em referência e da manifestação da Consultoria Jurídica, por meio do Parecer n o 174/05, fls. 246/254, que adoto, julgo culpado o ex-policial Rodoviário Federal ANTONIO JOÃO PATRÍCIO, com fundamento no art. 132, inciso XIII, este por infringência ao art. 117, inciso XVI, ambos da Lei n o 8.112/90. Registre-se nota de culpa em seus assentamentos funcionais. <!ID > 7 - Ref.: OCESSO n o / INTERESSADOS: MINISTÉRIO DA JUSTIÇA/Departamento de Polícia Rodoviária Federal. ASSUNTO: Processo Administrativo Disciplinar. DECISÃO: Determino a instauração de sindicância para apuração do fato referido no item IV, n o 34, do Parecer n o 174/05 da Consultoria Jurídica, que adoto. LUIZ PAULO TELES FERREIRA BARRETO Interino <!ID > COMISSÃO DE ANISTIA PAUTA DA 2ª SESSÃO ORDINÁRIA Em 13 de janeiro de 2006 O ESIDENTE DA COMISSÃO DE ANISTIA do Ministério da Justiça, criada pelo artigo 12, da Lei nº , de 13 de novembro de 2002, torna público a todos os interessados e aos que virem o presente EDITAL, ou dele conhecimento tiverem, que no dia 16 de janeiro de 2006, as 09:00 horas, no auditório Tancredo Neves do Ministério da Justiça, sito na Esplanada dos Ministérios, bloco T, Brasília, DF, realizarse-à Sessão da Comissão de Anistia. Numero Requerimento Requerente Relator Observação OSCAR FERREIRA DE OLIVEIRA FILHO Conselheiro Vanderlei de Oliveira IDADE NARCISA PEREIRA DE SÁ Conselheiro Vanderlei de Oliveira IDADE MARIA DA GLÓRIA ARAUJO FERREIRA Conselheiro Vanderlei de Oliveira DOENÇA PEDRO SOAVE DE ALMEIDA Conselheiro Vanderlei de Oliveira IDADE MANOEL BRÁS DA SILVA Conselheiro Vanderlei de Oliveira IDADE PEDRO FORTES DE CARVALHO Conselheiro Vanderlei de Oliveira // JOSÉ ARTUR GONZALEZ ALANO Conselheiro Vanderlei de Oliveira IDADE

19 <!ID > PORTARIA <!ID > PORTARIA <!ID > PORTARIA <!ID > PORTARIA <!ID > PORTARIA Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de ISSN YANÊ ARAUJO MENDES Conselheiro Vanderlei de Oliveira IDADE EURICO BARBOSA DOS SANTOS Conselheiro Vanderlei de Oliveira IDADE ERIDES GUIMARÃES Conselheiro Vanderlei de Oliveira IDADE DORALICE MARIA DE SANTANA BORGES Conselheiro Egmar José de Oliveira Nº BAIXO JOSÉ CRISTOVAM DA SILVA Conselheiro Egmar José de Oliveira Nº BAIXO NELI GONÇALVES HILL Conselheiro Egmar José de Oliveira Nº BAIXO ROGÉRIO DUARTE DE QUEIROZ Conselheiro Egmar José de Oliveira Nº BAIXO MARIA AMÉLIA DE ALMEIDA TELES Conselheiro Egmar José de Oliveira Nº BAIXO HELIA JUVENTINA DE ANDRADE Conselheiro Egmar José de Oliveira IDADE CESAR EDUARDO GINO CERQUEIRA Conselheiro Egmar José de Oliveira // ERISVALDO MANOEL DE SANTANA Conselheiro Egmar José de Oliveira // ARTUR SAMPAIO CAREPA Conselheiro Egmar José de Oliveira IDADE SYLVIO RENAN ULYSSÉA DE MEDEIROS Conselheiro Egmar José de Oliveira // JOAQUIM FERNANDO LAPOENTE Conselheiro Egmar José de Oliveira ESTUDANTE MARCELLO LAVENÈRE MACHADO DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL DIRETORIA EXECUTIVA Nº 2.901, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2005 O DIRETOR-EXECUTIVO DO DEPARTAMENTO DE PO- LÍCIA FEDERAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 45 do Decreto nº de 24 de novembro de 1983, alterado pelo art. 1º do Decreto nº de 10 de agosto de 1995, e atendendo solicitação por parte do interessado, bem como decisão prolatada no Processo nº / SR/DPF/PA; resolve: Conceder autorização à empresa LÍDER SUPERMERCA- DOS E MAGAZINE LTDA., CNPJ/MF nº / , sediada no Estado do PARÁ, para adquirir em estabelecimento comercial autorizado pelo Departamento Logístico do Comando do Exército, armas e cartuchos de munição nas seguintes quantidades e natureza: 10 (DEZ) REVÓLVERES CALIBRE 38 E 120 (CENTO E VINTE) CARTUCHOS DE MUNIÇÃO CALIBRE 38. ZULMAR PIMENTEL DOS SANTOS Nº 3.256, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2005 O DIRETOR-EXECUTIVO DO DEPARTAMENTO DE PO- LÍCIA FEDERAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 45 do Decreto nº de 24 de novembro de 1983, alterado pelo art. 1º do Decreto nº de 10 de agosto de 1995, e atendendo solicitação por parte do interessado, bem como decisão prolatada no Processo nº / DELESP/SP; resolve: Conceder autorização à empresa COMPANHIA PAULISTA DE TRENS METROPOLITANOS - CTPM, CNPJ/MF nº / , sediada no Estado de SÃO PAULO, para adquirir em estabelecimento comercial autorizado pelo Departamento Logístico do Comando do Exército, armas e cartuchos de munição nas seguintes quantidades e natureza: 200 (DUZENTOS) REVÓL- VERES CALIBRE 38 E (DOIS MIL E OITOCENTOS) CAR- TUCHOS DE MUNIÇÃO CALIBRE 38. ZULMAR PIMENTEL DOS SANTOS Nº 31, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 O DIRETOR-EXECUTIVO DO DEPARTAMENTO DE PO- LÍCIA FEDERAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 45 do Decreto nº de 24 de novembro de 1983, alterado pelo art. 1º do Decreto nº de 10 de agosto de 1995, e atendendo solicitação por parte do interessado, bem como decisão prolatada no Processo nº / SR/DPF/MG; resolve: Conceder autorização à empresa CONTINENTAL VIGI- LÂNCIA LTDA, CNPJ/MF nº / , sediada no Estado de MINAS GERAIS, para adquirir em estabelecimento comercial autorizado pelo Departamento Logístico do Comando do Exército, armas e cartuchos de munição nas seguintes quantidades e natureza: 04 (QUATRO) REVÓLVERES CALIBRE 38 E 40 (QUA- RENTA) CARTUCHOS DE MUNIÇÃO CALIBRE 38. ZULMAR PIMENTEL DOS SANTOS Nº 34, DE 9 DE JANEIRO DE 2005 O DIRETOR-EXECUTIVO DO DEPARTAMENTO DE PO- LÍCIA FEDERAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 45 do Decreto nº de 24 de novembro de 1983, alterado pelo art. 1º do Decreto nº de 10 de agosto de 1995, e atendendo solicitação por parte do interessado, bem como decisão prolatada no Processo nº / SR/DPF/AP; resolve: Conceder autorização à empresa CIVAM - CENTRO DE INSTRUÇÃO DE VIGILANTES DO AMAPÁ LTDA - ME., CNPJ/MF nº / , sediada no Estado do AMAPÁ, para adquirir em estabelecimento comercial autorizado pelo Departamento Logístico do Comando do Exército, petrechos para recarga de munição nas seguintes quantidades e natureza: (ONZE MIL, TREZENTOS E SETENTA E DOIS) GRAMAS DE PÓL- VORA, (QUARENTA E TRÊS MIL, OITOCENTOS E SE- TENTA E CINCO) OJÉTEIS PARA MUNIÇÃO CALIBRE 38, (QUARENTA E TRÊS MIL, OITOCENTOS E SETENTA E CINCO) ESPOLETAS PARA MUNIÇÃO CALIBRE 38. ZULMAR PIMENTEL DOS SANTOS Nº 35, DE 9 DE JANEIRO DE 2006 O DIRETOR-EXECUTIVO DO DEPARTAMENTO DE PO- LÍCIA FEDERAL, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 45 do Decreto nº de 24 de novembro de 1983, alterado pelo art. 1º do Decreto nº de 10 de agosto de 1995, e atendendo solicitação por parte do interessado, bem como decisão prolatada no Processo nº / DPF/CAS/SP; resolve: Conceder autorização à empresa ESCOLA PAULISTA DE FORMAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DE VIGILANTES LTDA., CNPJ/MF nº / , sediada no Estado de SÃO PAU- LO, para adquirir em estabelecimento comercial autorizado pelo Departamento Logístico do Comando do Exército, cartuchos de munição e petrecho para recarga de munição nas seguintes quantidades e natureza: (SESSENTA E SETE MIL) OJÉTEIS PARA MUNIÇÃO CALIBRE 38, (SESSENTA E SETE MIL) ES- POLETAS PARA MUNIÇÃO CALIBRE 38, (UM MIL, QUI- NHENTOS E VINTE E QUATRO) CARTUCHOS DE MUNIÇÃO CALIBRE 12, 140 (CENTO E QUARENTA) CARTUCHOS DE MUNIÇÃO CALIBRE.380 E (QUATORZE MIL) GRAMAS DE PÓLVORA. ZULMAR PIMENTEL DOS SANTOS SECRETARIA NACIONAL DE JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE ESTRANGEIROS <!ID >DESPACHOS DA DIRETORA Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 28/01/2007. Processo Nº / Eva Maria Bastante Sanchez Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 05/05/2006. Processo Nº / Fernando Oscar Lecherbauer, Cristina Luisa Carrillo Sepulveda e Romina Andrea Lecherbauer Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 23/08/2007. Processo Nº / Ki Ju Son, Me Jeong Lee, Ji Young Son e Mu Gan Son Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 22/10/2006. Processo Nº / Waclaw Jacek Piasecki Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 22/10/2006. Processo Nº / Eddie Adan Garcia Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 22/10/2006. Processo Nº / Gorgonio Bangilan Benatiro III Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 22/10/2006. Processo Nº / Hermelito Apac Betito Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 30/09/2006. Processo Nº / Edilberto Cabrera Castro Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 19/10/2006. Processo Nº / Evgeny Ignatyev Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 04/10/2006. Processo Nº / Isidoro Marchesini Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 25/10/2007. Processo Nº / Marcel Arthur Beerli, Sandra Liliane Beerli Matare e Colin Carlos Beerli Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 19/10/2006. Processo Nº / Valeriy Davydov Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 19/10/2006. Processo Nº / Gennady Nazin Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 19/10/2006. Processo Nº / Vyatcheslav Potapov Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 22/10/2006. Processo Nº / Andrzej Slawomir Dubicki Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 18/11/2007. Processo Nº / Perry Franklin Morris Jr Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 22/10/2006. Processo Nº / Allan Gomez Pamisa Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 15/11/2007. Processo Nº / Joshua Aristotle Milb e rg Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 15/11/2007. Processo Nº / Nicolas Gutierrez Londono

20 20 ISSN Nº 11, segunda-feira, 16 de janeiro de 2006 Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 07/02/2008. Processo Nº / Hans Emanuel Ekstrom Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 25/01/2007. Processo Nº / Randy Thomas Yoder Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 16/11/2007. Processo Nº / Ricardo Hugo Schiller Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 18/01/2008. Processo Nº / Joana da Cunha Costa Andrade Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 14/11/2007. Processo Nº / Jonathan Nieves Corrado e Maria Nuria Echavalete Madeiro Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 10/12/2007. Processo Nº / Daniel Jose Dara, Mirta Beatriz Garcia, Renata Belen Dara Garcia e Francisco Joaquin Dara Garcia Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 23/11/2007. Processo Nº / Stefhanie Emilienne Martin Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 08/10/2007. Processo Nº / Klaus Werner Capelle Diante dos novos elementos constantes nos autos e, considerando a informação do M.T.E., torno insubsistente o ato denegatório publicado no D.O. de 05/10/2005, para DEFERIR o pedido de reconsideração concedendo a prorrogação de prazo de estada no País até 31/01/2007. Processo Nº / Barbara Ulrike Schmidt Rahmer Tendo em vista que a empresa não comprovou os resultados alcançados pelo Programa de Treinamento, apresentado no processo que originou o visto, justificando a necessidade da continuação do estrangeiro no País, conforme o artigo 3º, paragráfo único da Resolução Normativa nº 61/04-CNI e, considerando a informação do M.T.E., INDEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Kjell Armand Marcussen e Signe Marcussen Tendo em vista que não foram apresentados elementos de fato ou de direito que pudessem modificar a decisão recorrida, maxime no que se refere à não comprovação de que a estrangeira vem transferindo know how aos trabalhadores nacionais, bem assim quanto à impossibilidade de sua substituição por profissional brasileiro, INDEFIRO o presente pedido de reconsideração e, mantenho o ato denegatório publicado no D.O. de 04/08/2005. Processo Nº / Paola Pedemonte Taramaso Tendo em vista que a falta de comprovação dos resultados alcançados pelo Programa de Treinamento, com a efetiva transferência de conhecimentos do estrangeiro na empresa, conforme o artigo 1º, paragráfo único da Resolução Normativa nº 61/04 e, considerando a informação do M.T.E., INDEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Jouni Ilmari Jantti Tendo em vista que o estrangeiro não presta mais serviços na empresa requerente, INDEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Nemeth Sandor e Nemeth Sandorne Tendo em vista que o prazo do contrato de prestação de serviços encontra-se vencido e não alcança o prazo solicitado, bem como não demonstrou a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa e, considerando a manifestação do M.T.E., IN- DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Argenis Jesus Vera Cardenas, Migdalia Maria Cardozo de Vera e Argenis Alberto Vera Cardozo Tendo em vista que o prazo do contrato de afretamento da embarcação encontra-se vencido e não alcança o prazo solicitado, bem como a falta de justificativa detalhada para a manutenção do estrangeiro, descrição das atividades desenpenhadas e, considerando a informação do M.T.E., INDEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Marius Baragan Tendo em vista que o contrato de prestação de serviço celebrado entre as partes encontra-se vencido e não alcança o prazo de estada solicitada e, considerando a informação do M.T.E., INDEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Gustavo Javier Asin Mendieta Tendo em vista que ficou verificado nos autos que a remuneração anotada na CTPS do estrangeiro é menor do que foi pactuado no contrato de trabalho inicial, caracterizando, assim, redução salarial, ensejando recolhimentos fundiários abaixo do que foi acordado e, considerando a informação do M.T.E., INDEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Miguel Francisco Loza Lobos, Maria Fernanda Chamorro Diaz e Carolina Fernanda Chamorro Loza Tendo em vista que o prazo do contrato de prestação de serviços encontra-se vencido e não alcança o prazo solicitado, bem como não demonstrou a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa e, considerando a manifestação do M.T.E., IN- DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Janusz Jerzy Chlopecki Tendo em vista que o estrangeiro não presta mais serviços na empresa requerente, INDEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Frederik Karel Alexander Rombach Tendo em vista que o prazo do contrato de prestação de serviços encontra-se vencido e não alcança o prazo solicitado, bem como não demonstrou a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa e, considerando a manifestação do M.T.E., IN- DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Daniel Rene Jacques Mercier Tendo em vista que o prazo do contrato de prestação de serviços encontra-se vencido e não alcança o prazo solicitado, bem como não demonstrou a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa e, considerando a manifestação do M.T.E., IN- DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Auguste François Bernard Duperray Tendo em vista que o prazo do contrato de prestação de serviços encontra-se vencido e não alcança o prazo solicitado, bem como não demonstrou a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa e, considerando a manifestação do M.T.E., IN- DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Lothar Walter Hodl Tendo em vista que o estrangeiro não presta mais serviços na empresa requerente, INDEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Gary Stewart Guy Tendo em vista que não foram apresentados os documentos necessários para análise do pleito, tais como: justificativa detalhada para a manutenção do estrangeiro, descrição das atividades, cópia do contrato de prestação de serviços técnicos, comprovação de treinamento repassado aos técnicos brasileiros e, considerando a informação do M.T.E., INDEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País. Processo Nº / Jaime Manuel Valderrabano Tomas e Maria Josefina Gomez Alonso Tendo em vista que o estrangeiro já obteve a prorrogação de prazo, através do processo nº /04-86, conforme informação do M.T.E., determino o ARQUIVAMENTO do presente pedido. Processo Nº / Herling Gregorio Aguilar Alonzo Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da continuidade do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de transformação de visto temporário em permanente, com base em cargo diretivo. Processo Nº / Bernard Emile Madeleine Jacques Demoulin e Chantal Madeleine Ghislaine Crucifix Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da continuidade do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de transformação de visto temporário em permanente. Processo Nº / Gustavo Gabriel Calatrava Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da continuidade do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de transformação de visto temporário em permanente. Processo Nº / Jose Francisco Hernandez Vargas, Astrid Amayrani Quintero Arias e Fiona Amayrani Hernandez Quintero Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da continuidade do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de transformação de visto temporário em permanente. Processo Nº / Roberto Pasini e Norma Teresa Revuelta de Pasini Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da continuidade do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de transformação de visto temporário em permanente. Processo Nº / Peter Frontzek Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da continuidade do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de transformação de visto temporário em permanente. Processo Nº / Paulo Jorge Baptista Ferreira, Andrea Gisela Baptista Ferreira e Ricardo Baptista Ferreira Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da continuidade do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de transformação de visto temporário em permanente. Processo Nº / Jessie Francys Bazzetti Quiñones Tendo em vista que ficou demonstrada a efetiva necessidade da manutenção do estrangeiro na empresa, considerando que o presente processo encontra-se instruído na forma da Lei e, diante da informação do Ministério do Trabalho e Emprego, DEFIRO o pedido de prorrogação de prazo de estada no País até 22/07/2006. Processo Nº / Carlos Eduardo Figueredo Casanova, Beatriz Elena Bravo Gomez, Carlos Luis Figueredo Bravo e Saul Eduardo Figueredo Bravo IZAURA MARIA SOARES MIRANDA DIVISÃO DE PERMANÊNCIA DE ESTRANGEIROS <!ID >DESPACHOS DO CHEFE DEFIRO o presente pedido de transformação do visto temporário VII, em permanente, nos termos da legislação vigente. Processo Nº / Graça Disingakala Nunes Processo Nº / Virginia Reyes Quintero Processo Nº / Idalia Rosa Ribeiro Processo Nº / Norma Mabel Valenzuela Processo Nº / Davy Pavunny Thattil Face às diligências procedidas pelo Departamento de Polícia Federal, DEFIRO o presente pedido de permanência, vez que restou provado que o (a) estrangeiro (a) está casado de fato e de direito com cônjuge brasileiro (a), salientando, todavia, que o ato persistirá enquanto for detentor da condição que lhe deu origem. Processo Nº / Walter Herrmann Processo Nº / Johannes Gerardus Maria Willemsen Processo Nº / Matthew Justin Page Lieberman Processo Nº / Richard Barclay Roberts Processo Nº / Ierotheos Bournias Face às diligências procedidas pelo Departamento de Polícia Federal, DEFIRO o presente pedido de permanência, vez que restou provado que o(a) estrangeiro(a) mantém a prole brasileira sob sua guarda e dependência econômica, assistindo-a social e moralmente. Processo Nº / Marisol Aramayo Eguez Processo Nº / Fatima Alves Gomes Martins Processo Nº / Jorge Javier Madrazo Processo Nº / Albert Fernandes Processo Nº / Ibrahim Hassan Hoteit Processo Nº / Jari Sakari Sopanen Processo Nº / Scott Daly, Dylan Daly Rodriguez e Esperanza Rodriguez Morales Processo Nº / Patrick Franken Processo Nº / Graciela Esther Carmona Processo Nº / Willy Alberto Mesones Manayalle Processo Nº / Javier Patricio de Sensi Processo Nº / Yoo Hwan Kim, Eun Ho Kang e Jeong Suk Kim Processo Nº / Esther Virginia Aguilera Diaz e Genesis Esmeralda Cardozo Aguilera Processo Nº / Magno Mamani Villca, Maria Isabel Mamani Choque e Wilma Choque Nina

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA DAC N.º 386/SIE, DE 04 DE MAIO DE 2005.

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA DAC N.º 386/SIE, DE 04 DE MAIO DE 2005. MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA DAC N.º 386/SIE, DE 04 DE MAIO DE 2005. Classifica aeroportos públicos nacionais para fins específicos de cobrança de

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA ANAC Nº 329/SIA/SRE, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2011.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA ANAC Nº 329/SIA/SRE, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2011. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA ANAC Nº 329/SIA/SRE, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2011. Classifica os aeroportos para fins de cobrança de tarifas aeroportuárias. Os SUPERINTENDENTES DE REGULAÇÃO ECONÔMICA

Leia mais

PORTARIA Nº 2007/SRE/SIA, DE 26 DE AGOSTO DE 2014.

PORTARIA Nº 2007/SRE/SIA, DE 26 DE AGOSTO DE 2014. PORTARIA Nº 2007/SRE/SIA, DE 26 DE AGOSTO DE 2014. Classifica os aeroportos para fins de cobrança de tarifas aeroportuárias. (Texto compilado) (Alterada pelas Portarias nºs 2893/SRE/SIA, de 03.12.14, 64/SRE/SIA,

Leia mais

Movimento Aeroportuário Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Jenifer Barbosa

Movimento Aeroportuário Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Jenifer Barbosa Esta edição especial do boletim CEPER-FUNDACE tem como objetivo apresentar um panorama da movimentação aeroportuária de nosso país, pois este indicador representa, ainda que indiretamente, o nível geral

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA DECEA Nº 78/DGCEA, DE 26 DE JULHO DE 2012.

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA DECEA Nº 78/DGCEA, DE 26 DE JULHO DE 2012. MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA DECEA Nº 78/DGCEA, DE 26 DE JULHO DE 2012. Atualiza a Relação dos Aeródromos Públicos Nacionais Classificados

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA N o 102/DGCEA, DE 15 DE JULHO DE 2010. Classifica Aeródromos Públicos Nacionais, para fins específicos de Cobrança

Leia mais

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL CONCURSO PÚBLICO PARA FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA O CARGO DE TÉCNICO BANCÁRIO NOVO CARREIRA ADMINISTRATIVA Técnico Bancário Novo AC Cruzeiro do Sul 1618 CR* Técnico Bancário Novo AC Rio Branco 6648 CR * Técnico Bancário Novo AC Sena Madureira 1065 CR* Técnico Bancário Novo AL Maceió 22524 CR * Técnico Bancário

Leia mais

UF MUNICÍPIO TIPO TELEFONE 1 TELEFONE 2 E-MAIL INSTITUCIONAL 1

UF MUNICÍPIO TIPO TELEFONE 1 TELEFONE 2 E-MAIL INSTITUCIONAL 1 AC Rio Branco Cerest Estadual (68) 3223-4266 cerest.saude@ac.gov.br AL Maceió Cerest Estadual (82) 3315-2759 (82) 3315-3920 cerest@saude.al.gov.br AL Maceió Cerest Regional (82) 3315-5260 cerest@sms.maceio.al.gov.br

Leia mais

Origem Destino Preço Araxá Alta Floresta R$ 20,00 Araxá Aracaju R$ 20,00 Araxá Araraquara R$ 10,00 Araxá Araçatuba R$ 15,00 Araxá Altamira R$ 25,00

Origem Destino Preço Araxá Alta Floresta R$ 20,00 Araxá Aracaju R$ 20,00 Araxá Araraquara R$ 10,00 Araxá Araçatuba R$ 15,00 Araxá Altamira R$ 25,00 Origem Destino Preço Araxá Alta Floresta R$ 20,00 Araxá Aracaju R$ 20,00 Araxá Araraquara R$ 10,00 Araxá Araçatuba R$ 15,00 Araxá Altamira R$ 25,00 Araxá Araguaína R$ 20,00 Araxá Barcelos R$ 25,00 Araxá

Leia mais

Página 1 de 8 IPI - Jurisdição - Regiões fiscais 18 de Maio de 2012 Em face da publicação da Portaria MF nº 203/2012 - DOU 1 de 17.05.2012, este procedimento foi atualizado (novas disposições - tópico

Leia mais

MÍDIA KIT 2013. Exploração publicitária, Ações Promocionais e locação de espaços para eventos em AEROPORTOS MÍDIA AEROPORTUÁRIA

MÍDIA KIT 2013. Exploração publicitária, Ações Promocionais e locação de espaços para eventos em AEROPORTOS MÍDIA AEROPORTUÁRIA MÍDIA KIT 2013 Exploração publicitária, Ações Promocionais e locação de espaços para eventos em AEROPORTOS Com o crescente número de passageiros, a Mídia Aeroportuária passou a ser um dos veículos de comunicação

Leia mais

Relação dos cargos do próximo concurso da empresa, que formará cadastro reserva: Analista Superior I

Relação dos cargos do próximo concurso da empresa, que formará cadastro reserva: Analista Superior I Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) Relação dos cargos do próximo concurso da empresa, que formará cadastro reserva: AS I - Arquivista AS I Assistente Social AS I Biólogo Analista

Leia mais

Relação das Estações Prestadoras de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo Categoria ESP SÃO PEDRO DA ALDEIA - RJ SBESYSYX

Relação das Estações Prestadoras de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo Categoria ESP SÃO PEDRO DA ALDEIA - RJ SBESYSYX Anexo I do MCA 102-7 Relação das Estações Prestadoras de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo Categoria ESP COMANDO DA MARINHA COMANDO DA MARINHA - BAENSPA SÃO PEDRO DA ALDEIA - RJ SBESYSYX

Leia mais

PORTARIA Nº 2007/SRE/SIA, DE 26 DE AGOSTO DE 2014.

PORTARIA Nº 2007/SRE/SIA, DE 26 DE AGOSTO DE 2014. PORTARIA Nº 2007/SRE/SIA, DE 26 DE AGOSTO DE 2014. (Texto compilado) (Alterada pela Portaria nº 2893, de 03.12.14) Classifica os aeroportos para fins de cobrança de tarifas aeroportuárias. OS SUPERINTENDENTES

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS. Ordem decrescente. Taxa de crescimento. acumulado. Aeroportos (Cód. ICAO) 2º Trimestre.

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS. Ordem decrescente. Taxa de crescimento. acumulado. Aeroportos (Cód. ICAO) 2º Trimestre. Contato: Cmte Ronaldo Jenkins Diretor Técnico Office: Fone: (55 21)3578 1171 Fax: (55 21) 22201194 Rua Marechal Câmara, 160, sala 1734 Ed. Le Bourget Centro 20.020-080 RJ Brasil www.snea.com.br SINDICATO

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil. Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*)

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil. Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*) MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria da Receita Federal do Brasil Portaria RFB nº 2.327, de 23 de setembro de 2009. (*) Institui o Concurso de Remoção de 2009, destinado a ocupantes do cargo de Auditor-Fiscal

Leia mais

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010

Seleção Territorial Enfrentamento a Violência contra Juventude Negra Classificação 2010 Posição Nome do Município Estado Região RM, RIDE ou Aglomeração Urbana 1 Salvador BA Nordeste RM Salvador 2 Maceió AL Nordeste RM Maceió 3 Rio de Janeiro RJ Sudeste RM Rio de Janeiro 4 Manaus AM Norte

Leia mais

PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008

PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008 PORTARIA GM Nº 1.278, DE 25 DE JUNHO DE 2008 Redefine os limites financeiros destinados ao custeio da Nefrologia (TRS), dos Estados, Distrito Federal e Municípios. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso

Leia mais

Relação das Estações Prestadoras de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo Categoria ESP SÃO PEDRO DA ALDEIA - RJ SBESYSYX

Relação das Estações Prestadoras de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo Categoria ESP SÃO PEDRO DA ALDEIA - RJ SBESYSYX Anexo I do MCA 102-7 Relação das Estações Prestadoras de Serviços de Telecomunicações e de Tráfego Aéreo Categoria ESP COMANDO DA MARINHA COMANDO DA MARINHA - BAENSPA SÃO PEDRO DA ALDEIA - RJ SBESYSYX

Leia mais

Presidência da República

Presidência da República Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 13.079 DE 30 DE DEZEMBRO DE 2014 (publicada no DOU de 31/02/2014, Seção 1, página 23) Abre ao Orçamento Fiscal da União, em

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA - CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2014 RELAÇÃO DE CANDIDATOS POR VAGA

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA - CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2014 RELAÇÃO DE CANDIDATOS POR VAGA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA - CONCURSO PÚBLICO - EDITAL Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2014 RELAÇÃO DE CANDIDATOS POR VAGA Cargo Pólo Trabalho Vagas Candidatos Candidato/Vaga

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO CLIMATOLOGIA AERONÁUTICA INSTITUTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO DADOS CLIMATOLÓGICOS DOS AERÓDROMOS: SBFN, SBFZ, SBTE,

Leia mais

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS

Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Proposta para a Licitação da Folha de Pagamentos de Benefícios do INSS Brasília, 11 de junho de 2014. SISTEMÁTICA ATUAL Desde 01/01/2010, o INSS direciona os benefícios para o vencedor do Lote, desde que

Leia mais

Módulo introdutório de Formação dos Orientadores de Estudo INSTITUIÇÃO RESPONSÁVEL: Universidade Federal do Maranhão PERÍODO:

Módulo introdutório de Formação dos Orientadores de Estudo INSTITUIÇÃO RESPONSÁVEL: Universidade Federal do Maranhão PERÍODO: Módulo introdutório de dos Orientadores de Estudo 2100055 ACAILANDIA MUNICIPAL 2100105 AFONSO CUNHA MUNICIPAL 2100154 AGUA DOCE DO MARANHAO MUNICIPAL 2100204 ALCANTARA MUNICIPAL 2100303 ALDEIAS ALTAS MUNICIPAL

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 6 Nº 892 - Terça feira, 13 de fevereiro de 2007 Ministério da Educação Gabinete do Ministro - Portaria Normativa nº 3, de 9 de fevereiro de 2007 Gabinete do Ministro - Portaria nº 155, de 9

Leia mais

Ano IV Nov./2016. Leite Lopes. Sistema DAESP

Ano IV Nov./2016. Leite Lopes. Sistema DAESP Esta edição especial do boletim Movimento Aeroportuário do CEPER-FUNDACE tem como objetivo apresentar um panorama da movimentação aeroportuária de nosso país, pois este indicador representa, ainda que

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO HOMOLOGATÓRIA N o, DE DE DE 2015 Homologa o resultado da Revisão do Plano de Universalização Rural da Companhia Energética do Maranhão CEMAR e dá outras

Leia mais

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros

Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros Experiências de APLs e outros Arranjos de Empresas no Estado do Rio de Janeiro: resultados alcançados e cenários futuros > Lia Hasenclever (IE/UFRJ) 10º Encontro da ReINC 08 e 09 de novembro de 2007 Grupo

Leia mais

Aeroporto/Sistema Período Passageiros (unid.) Aeronaves (unid.) Carga (kg)

Aeroporto/Sistema Período Passageiros (unid.) Aeronaves (unid.) Carga (kg) Esta edição especial do boletim CEPER- FUNDACE tem como objetivo apresentar um panorama da movimentação aeroportuária do país, uma vez que este indicador representa, ainda que indiretamente, o nível geral

Leia mais

Apresentação...3 Definições...4 Descrição dos resultados...5 Consolida do INFRAERO...6. Movimento nas Regionais...17

Apresentação...3 Definições...4 Descrição dos resultados...5 Consolida do INFRAERO...6. Movimento nas Regionais...17 Sumário Apresentação...3 Definições...4 Descrição dos resultados...5 Consolida do INFRAERO...6 INFRAERO...7 Companhias Aéreas...8 Ranking por Movimento de Aeroves...9 Ranking por Movimento de Passageiros...11

Leia mais

Secretarias Municipais de Meio Ambiente Lista atualizada em 06/05/2005 por Fernando Tatagiba

Secretarias Municipais de Meio Ambiente Lista atualizada em 06/05/2005 por Fernando Tatagiba Secretarias Municipais de Meio Ambiente Lista atualizada em 06/05/2005 por Fernando Tatagiba ACRE Rio Branco SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE DO MUNICÍPIO - SEMEIA Arthur César Pinheiro Leite Antônio da Rocha

Leia mais

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social As inscrições para o concurso público do Instituto Nacional do Seguro Social INSS estarão abertas no período de 12 de agosto a 13 de setembro. São 300 vagas para o cargo de Analista do Seguro Social, sendo

Leia mais

Endereços das Secretarias Estaduais de Educação

Endereços das Secretarias Estaduais de Educação Endereços das Secretarias Estaduais de Educação ACRE MARIA CORRÊA DA SILVA Secretária de Estado da Educação do Acre Rua Rio Grande do Sul, 1907- Aeroporto Velho CEP: 69903-420 - Rio Branco - AC Fone: (68)

Leia mais

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social

Instituto Nacional do Seguro Social INSS Concurso Público para Analista do Seguro Social As inscrições para o concurso público do Instituto Nacional do Seguro Social INSS estarão abertas no período de 12 de agosto a 13 de setembro. São 300 vagas para o cargo de Analista do Seguro Social, sendo

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA DECEA Nº 44 / DGCEA, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016.

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA DECEA Nº 44 / DGCEA, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO PORTARIA DECEA Nº 44 / DGCEA, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2016. Atualiza a Relação dos Aeródromos Públicos Nacionais Classificados

Leia mais

UF Universidade Turno Vagas Nota de corte em 21/1/2015, às 0h. Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp)

UF Universidade Turno Vagas Nota de corte em 21/1/2015, às 0h. Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Integral (Mat/Vesp) Cursos de medicina UF Universidade Turno Vagas Nota de corte em 21/1/2015, às 0h AC ACRE (Rio Branco) 40 748,49 AL UFAL ALAGOAS (Maceió) AM UFAM AMAZONAS (Manaus) AP UNIFAP AMAPÁ (Macapá) BA UFOB OESTE

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 10 Ministério da Educação Nº 1722 - Quarta feira, 19 de fevereiro de 2014 PORTARIA Nº 117 E 127, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2014. SECRETARIA DE REGULAÇÃO E SUPERVISÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - Defere

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 6 Marcelo Franca Alves De: Para: "Editau" ; "Marcelo Franca Alves" Enviada em: segunda-feira, 10 de outubro

Leia mais

QUEM SOMOS A REDEVIDA. canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país.

QUEM SOMOS A REDEVIDA. canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país. A REDEVIDA QUEM SOMOS Cobertura em canal aberto todas as capitais brasileiras 500 maiores cidades do país. Atende à e às Alcance de mais de VHF e UHF. 1.500 municípios. Possui a maior distribuição de TV

Leia mais

Último ano avaliado no Enade. UF Sede. Categoria Administrativa IES. Município Sede. IGC Faixa

Último ano avaliado no Enade. UF Sede. Categoria Administrativa IES. Município Sede. IGC Faixa Último ano avaliado no Enade IES UF Sede Município Sede Categoria Administrativa 2011 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO MT Cuiabá Pública 4 2011 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DF Brasília Pública 4 2011 UNIVERSIDADE

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação 1 de 10 15/05/2014 08:10 Ministério da Educação Nº 1757 - Quarta feira, 14 de maio de 2014 PORTARIA Nº 275, DE 12 DE MAIO DE 2014. SECRETARIA DE REGULAÇÃO E SUPERVISÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR - Autorização

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

Atos do Poder Executivo

Atos do Poder Executivo Página 1 de 9 Marcelo Franca Alves De: "BDE online" Para: "BDE online" Enviada em: quarta-feira, 6 de julho de 2005 23:09 Assunto: BDE on-line - Nº 719-06.07.2005

Leia mais

CÓDIGOS DO MARANHÃO. Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001

CÓDIGOS DO MARANHÃO. Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001 CÓDIGOS DO Fonte: Anexo da resolução 263 de 08/06/2001 UF MUNICÍPIO CÓDIGO DE ÁREA MA AÇAILÂNDIA 99 MA AFONSO CUNHA 98 MA ÁGUA DOCE DO 98 MA ALCÂNTARA 98 MA ALDEIAS ALTAS 99 MA ALTAMIRA DO 98 MA ALTO ALEGRE

Leia mais

Ranking Município P2i - Lead Alto Padrão Médio Padrão Baixo Padrão

Ranking Município P2i - Lead Alto Padrão Médio Padrão Baixo Padrão 1 São Bernardo do Campo -SP 0,8200 Ótimo Ótimo Ótimo 2 Campo Grande -MS 0,7670 Ótimo Ótimo Ótimo 3 Santo André -SP 0,7670 Ótimo Ótimo Ótimo 4 Osasco -SP 0,7460 Ótimo Ótimo Ótimo 5 Natal -RN 0,7390 Ótimo

Leia mais

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012

OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 (Estudo Técnico nº 175) François E. J. de Bremaeker Salvador, julho de 2012 2 OS MUNICÍPIOS BILIONÁRIOS EM 2012 François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo Associação

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO CARGO DE ANALISTA DO SEGURO SOCIAL COM FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL EDITAL Nº 9 DE 27 DE MAIO DE 2013

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO CARGO DE ANALISTA DO SEGURO SOCIAL COM FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL EDITAL Nº 9 DE 27 DE MAIO DE 2013 CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO CARGO DE ANALISTA DO SEGURO SOCIAL COM FORMAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL EDITAL Nº 9 DE 27 DE MAIO DE 2013 O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL - INSS,

Leia mais

Uma proposta da ISES do Brasil

Uma proposta da ISES do Brasil Uma proposta da ISES do Brasil INTRODUÇÃO: Aeroportos x Geração Fotovoltaica Características construtivas: praticamente horizontais, grandes áreas; Formadores de opinião e tomadores de decisão passam por

Leia mais

IN RFB 882/08 - IN - Instrução Normativa RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB nº 882 de 22.10.2008

IN RFB 882/08 - IN - Instrução Normativa RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB nº 882 de 22.10.2008 IN RFB 882/08 - IN - Instrução Normativa RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB nº 882 de 22.10.2008 D.O.U.: 23.10.2008 Dispõe sobre a suspensão da exigência da Contribuição para o PIS/Pasep, da Contribuição

Leia mais

Press Kit Manual de planejamento Copa do Mundo 2014 Press Kit 1 Governo muda operação de aeroportos na Copa BRASÍLIA, 15 DE ABRIL DE 2014 A partir do dia 6 de junho, os aeroportos que atendem às cidades-sede

Leia mais

NOTA OFICIAL. 1 Realizaram a 2ª fase do IV Exame de Ordem 21.818 examinandos;

NOTA OFICIAL. 1 Realizaram a 2ª fase do IV Exame de Ordem 21.818 examinandos; NOTA OFICIAL A Coordenação Nacional do Exame de Ordem Unificado apresenta o resultado da apreciação dos recursos referente à segunda fase do IV Exame de Ordem Unificado, como se segue: 1 Realizaram a 2ª

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação 1 de 11 20/02/2015 08:14 Ministério da Educação Nº 1871 - Quinta feira, 19 de fevereiro de 2015 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO - SECRETARIA EXECUTIVA - RETIFICAÇÃO - Súmula referente à Reunião Ordinária

Leia mais

Relação das Unimeds que implantaram a CBHPM a partir de 01de dezembro de 2005.

Relação das Unimeds que implantaram a CBHPM a partir de 01de dezembro de 2005. Relação das Unimeds que implantaram a CBHPM a partir de 01de dezembro de 2005. Código Unimed 999 Unimed do Brasil 865 Central Nacional Unimed 960 Federação Equatorial 973 Federação Interfederativa do Estado

Leia mais

COORDENAÇÕES ESTADUAIS DO ARTESANATO

COORDENAÇÕES ESTADUAIS DO ARTESANATO COORDENAÇÕES ESTADUAIS DO ARTESANATO ACRE Secretaria de Estado de Turismo e Lazer Endereço: Av. Chico Mendes, s/n - Arena da Floresta - Bairro Areal. CEP: 69.906-119 - Rio Branco - AC TEL: (68) 3901-3027/

Leia mais

VISITA IN LOCO JANEIRO RJ UNIVERSIDADE GAMA FILHO - RJ RIO DE VISITA IN LOCO

VISITA IN LOCO JANEIRO RJ UNIVERSIDADE GAMA FILHO - RJ RIO DE VISITA IN LOCO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ - AP MACAPÁ AP CENTRO UNIVERSITÁRIO DO PLANALTO UNIPLAN DF BRASÍLIA DF CENTRO UNIVERSITÁRIO PLÍNIO LEITE - JANEIRO NITEROI RJ FACULDADE DE NATAL NATAL RN FACULDADE ESTÁCIO

Leia mais

Benefícios do algodão WideStrike TM. Nome cientíƙco

Benefícios do algodão WideStrike TM. Nome cientíƙco Benefícios do algodão Nome cientíƙco Resultados de campo do algodão Convencional Número de lagartas / 10 plantas 40,0 30,0 20,0 10,0 17,0 23,8 38,4 Nível de controle Convencional sem Ins. Convencional

Leia mais

Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS

Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS Mais de 73 milhões de reais para ampliar hemodiálise no SUS Recursos destinados pelo Ministério da Saúde também vão melhorar a qualidade da assistência aos usuários da rede pública na área de nefrologia.

Leia mais

5º Painel: Marcos regulatórios e Infra-Estrutura Aeroviária

5º Painel: Marcos regulatórios e Infra-Estrutura Aeroviária I Simpósio Infra-Estrutura e Logística no Brasil: DESAFIOS PARA UM PAÍS EMERGENTE 5º Painel: Marcos regulatórios e Infra-Estrutura Aeroviária Novembro 2008 Constituição Federal Aeródromos Públicos - Responsabilidades

Leia mais

Portaria nº. 64. De 11 de Janeiro de 2005

Portaria nº. 64. De 11 de Janeiro de 2005 Portaria nº. 64. De 11 de Janeiro de 2005 O Ministro da Educação, usando da competência que lhe foi delegada pelo Decreto nº. 3.860, de 09 de julho de 2001, alterado pelo Despacho nº. 2.516/2004, da Secretaria

Leia mais

SITUAÇÃO ATÉ 10/04/2015 CONTRATAÇÕES AUTORIZADAS (2) VAGAS OFERTADAS (1)

SITUAÇÃO ATÉ 10/04/2015 CONTRATAÇÕES AUTORIZADAS (2) VAGAS OFERTADAS (1) SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) CONCURSO PÚBLICO PARA PREENCHIMENTO DE E FORMAÇÃO DE CADASTRO DE RESERVA PARA OS CARGOS DE ANALISTA E DE TÉCNICO EDITAL Nº 1 SERPRO, DE 26 DE FEVEREIRO

Leia mais

Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada

Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada Lote Produzidos Cidade UF Qte faturada 1400008703 BELEM PA 339 1400008703 BELO HORIZONTE MG 2.034 1400008703 BRASILIA DF 1.356 1400008703 CONGONHAS MG 54 1400008703 CUIABA MT 678 1400008703 GOIANIA GO

Leia mais

Parceria com Universidades (federais, estaduais e privadas) Universidades federais

Parceria com Universidades (federais, estaduais e privadas) Universidades federais Rede Nacional de Treinamento de Atletismo está sendo estruturada pelo Ministério do Esporte (ME) em parceria com universidades, prefeituras, governos estaduais, Confederação Brasileira de Atletismo, federações

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS. RFB-Regimento Interno-Alterações nos Anexos VII e IX

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS. RFB-Regimento Interno-Alterações nos Anexos VII e IX VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX Orientador Empresarial TRIBUTOS RFB-Regimento Interno-Alterações nos Anexos VII e IX PORTARIA RFB 2.401/2011-DOU: 05.04.2011 Altera

Leia mais

Email: dnor1@decea.gov.br AFS: SBRJYGYO TEL.: (21) 2101-6761 ASSINATURA.: (21) 2117-7294

Email: dnor1@decea.gov.br AFS: SBRJYGYO TEL.: (21) 2101-6761 ASSINATURA.: (21) 2117-7294 BRASIL AIC DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO N SUBDEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES 08/14 DIVISÃO DE COORDENAÇÃO E CONTROLE AV. GENERAL JUSTO, 160-2 ANDAR 20021-130 RIO DE JANEIRO-RJ 01 MAIO 2014 Email:

Leia mais

PLANO DE DESCONTO LDN - Bem vindo à Alpha Nobilis- PD02

PLANO DE DESCONTO LDN - Bem vindo à Alpha Nobilis- PD02 PLANO DE DEONTO LDN - Bem vindo à Alpha Nobilis- PD02 Município de Biritiba-mirim 1. E ALPHA NOBILIS CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. 2. NOME DO PLANO PD02 - Plano de desconto LDN - Bem vindo à Alpha Nobilis.

Leia mais

UF Município Micro-Região Classificação Tipo

UF Município Micro-Região Classificação Tipo MA Açailândia Imperatriz Média Renda Inferior Estagnada MA Afonso Cunha Coelho Neto Baixa Renda Estagnada MA Água Doce do Maranhão Baixo Parnaíba Maranhense Baixa Renda Estagnada MA Alcântara Litoral Ocidental

Leia mais

Total de homens Total de mulheres

Total de homens Total de mulheres Nome do população população 2100055 Açailândia 88.320 52.093 51.920 78.241 25.772 104.013 2100105 Afonso Cunha 4.680 3.001 2.956 3.272 2.685 5.957 2100154 Água Doce do Maranhão 9.703 6.026 5.564 3.124

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 1.352, DE 13 DE JUNHO DE 2011

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 1.352, DE 13 DE JUNHO DE 2011 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 1.352, DE 13 DE JUNHO DE 2011 Alterar, para 31 de outubro de 2011, o prazo fixado para validade da Certificação como Hospital de Ensino

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO- Longa Distância Nacional CARTÃO TELEFÔNICO BRASTEL (PAS02)

PLANO ALTERNATIVO- Longa Distância Nacional CARTÃO TELEFÔNICO BRASTEL (PAS02) PLANO ALTERNATIVO- Longa Distância Nacional CARTÃO TELEFÔNICO BRASTEL (S02) 1. EMA ALPHA NOBILIS CONSULTORIA E SERVIÇOS LTDA. 2. NOME DO PLANO S 02 - PLANO ALTERNATIVO Longa Distância Nacional CARTÃO TELEFÔNICO

Leia mais

TERMO DE RE-RATIFICAÇÃO

TERMO DE RE-RATIFICAÇÃO TERMO DE RE-RATIFICAÇÃO A Federação Nacional dos Bancos o Sindicato dos Bancos nos Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre, Amazonas, Para, Amapá, Rondonia e Roraima, o Sindicato

Leia mais

Contagem de citações. Contagem de colaboração com outras instituições. Média de citações. Contagem de artigos. Índiceh. Autocitações% Colaboração%

Contagem de citações. Contagem de colaboração com outras instituições. Média de citações. Contagem de artigos. Índiceh. Autocitações% Colaboração% Instituição Cidade Estado País Índiceh Contagem de artigos Contagem de citações Média de citações Contagem de autocitações Autocitações% Contagem de colaboração com outras instituições Colaboração% Impacto

Leia mais

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL

ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL ÓRGÃO: JUSTIÇA FEDERAL Programa: 0569 - PRESTAÇÃO JURISDICIONAL NA JUSTIÇA FEDERAL Objetivo: Garantir pleno exercício do direito por meio da prestação dos serviços jurisdicionais, observando o disposto

Leia mais

ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA

ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA Visas Estaduais ACRE AC ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA Gerente Da Divisão De Vigilância Sanitária Estadual Rua Benjamim Constant, Nº 830, 4º Andar - Centro CEP: 69908-520 Rio Branco AC Tel.: (68) 3215-2774

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

"XI - custo médio por beneficiário, por unidade orçamentária, por órgão e por Poder, dos gastos com: a) assistência médica e odontológica;"

XI - custo médio por beneficiário, por unidade orçamentária, por órgão e por Poder, dos gastos com: a) assistência médica e odontológica; Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal ASSISTÊNCIA MÉDICA E ODONTOLÓGICA AOS SERVIDORES, EMPREGADOS E SEUS DEPENDENTES Lei nº 10.707, de 30 de julho de 2003, Inciso

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE PREÇOS LOTE 1 REDE WAN EM TODAS AS UNIDADES E INTERNET

ANEXO III PLANILHA DE PREÇOS LOTE 1 REDE WAN EM TODAS AS UNIDADES E INTERNET ANEXO III PLANILHA DE PREÇOS LOTE 1 REDE WAN EM TODAS AS UNIDADES E INTERNET ANEXO III - A UNIDADES DO CJF Localidade UF Site Instalação Endereço CJF DF CJF 32 Mbps 64 Mbps 128 Mbps 250 Mbps TOTAL TOTAL

Leia mais

FLG 0355 Climatologia II

FLG 0355 Climatologia II FLG 0355 Climatologia II Disciplina Ministrada pelo Prof. Dr. Ricardo Designativos OACI Brasil 1 Prefácio Com o intuito de demonstrar o modo de procura de dados meteorológicos, obtidos por METAR, esta

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Gabinete do Ministro Assessoria Internacional

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Gabinete do Ministro Assessoria Internacional COORDENADORES REGIONAIS ACRE Josenir de Araújo Calixto Coordenador do Ensino Médio Coordenação de Ensino Médio Secretaria de Estado da Educação do Acre Rua Rio Grande do Sul, 1907 Aeroporto Velho 69903-420

Leia mais

Cancelamentos e Atrasos de Voos

Cancelamentos e Atrasos de Voos Cancelamentos e Atrasos de Voos A ANAC - Agência Nacional de Regulação Civil publicou em 06 de março de 2012 a Resolução nº 218 que estabelece procedimentos para a divulgação de percentuais de atrasos

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Duração: Janeiro à Dezembro 2013

FICHA TÉCNICA. Duração: Janeiro à Dezembro 2013 FICHA TÉCNICA Duração: Janeiro à Dezembro 2013 Mecânica: os distribuidores serão divididos em 4 grupos levando em consideração faturamento total da distribuidora (PV + GV) 1 2 Belo Horizonte, Brasília,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. Texto compilado Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 12.248, DE 07 DE JUNHO DE 2010 (publicada no DOU de 07/06/2010, seção 01, página 2) Abre ao Orçamento Fiscal da União, em favor

Leia mais

RELAÇÃO DAS VISAS ESTADUAIS ATUALIZADA EM 19 DE JUNHO DE 2012 ACRE AC

RELAÇÃO DAS VISAS ESTADUAIS ATUALIZADA EM 19 DE JUNHO DE 2012 ACRE AC RELAÇÃO DAS VISAS ESTADUAIS ATUALIZADA EM 19 DE JUNHO DE 2012 ACRE AC ALBERTINA MARIA DE SOUZA COSTA Gerente Da Divisão De Vigilância Sanitária Estadual Rua Benjamim Constant, Nº 830, 4º Andar - Centro

Leia mais

Press Kit Manual de planejamento Copa do Mundo 2014 Press Kit 1 Governo muda operação de aeroportos na Copa BRASÍLIA, 15 DE ABRIL DE 2014 A partir do dia 6 de junho, os aeroportos que atendem às cidades-sede

Leia mais

Unidade I: SEPN 515 - Bloco B - Ed. Ômega CEP: 70770-502 - Brasília - DF Telefone: (61) 3448-1000

Unidade I: SEPN 515 - Bloco B - Ed. Ômega CEP: 70770-502 - Brasília - DF Telefone: (61) 3448-1000 5. órgãos do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Unidade I: SEPN 515 - Bloco B - Ed. Ômega CEP: 70770-502 - Brasília - DF Telefone: (61) 3448-1000

Leia mais

SEGUNDA-FEIRA, 26 -SETEMBRO - 2005 D.O. PODER JUDICIÁRIO

SEGUNDA-FEIRA, 26 -SETEMBRO - 2005 D.O. PODER JUDICIÁRIO 94 SEGUNDA-FEIRA, 6 -SETEMBRO - 005 D.O. PODER JUDICIÁRIO Público do Estado do Maranhão, vem pelo presente aditivo fazer conhecido aos interessados que o edital nº0/005 de 9 de agosto de 005, passa a vigorar

Leia mais

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp

http://www.receita.fazenda.gov.br/prepararimpressao/imprimepagina.asp Page 1 of 5 Decreto nº 6.260, de 20 de novembro de 2007 DOU de 20.11.2007 Dispõe sobre a exclusão do lucro líquido, para efeito de apuração do lucro real e da base de cálculo da Contribuição Social sobre

Leia mais

LOA 2005 - Execução da Despesa por Programação

LOA 2005 - Execução da Despesa por Programação Programa (Cod/Desc) 0167 - BRASIL PATRIMONIO CULTURAL 57.079.946 56.642.000 19.655.552 11.516.542 11.047.703 0168 - LIVRO ABERTO 43.796.768 43.975.268 10.490.693 7.865.651 7.859.431 0169 - CINEMA, SOM

Leia mais

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 618, DE 2004 (Nº 885/2003, na Câmara dos Deputados)

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 618, DE 2004 (Nº 885/2003, na Câmara dos Deputados) Maio de 2004 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Quinta-feira 27 16139 1) De acordo 2) Encaminhe-se o processo ao Departamento de Fiscalização e Outorgas para prosseguimento. São Paulo, 26 de junho de 1997. Eduardo

Leia mais

LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE

LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE LEI 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006 Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter desportivo e dá outras providências. * V. Dec. 6.180/2007 (Regulamenta a Lei 11.438/2006).

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.438, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. Dispõe sobre incentivos e benefícios para fomentar as atividades de caráter desportivo e

Leia mais

Relação das VISAS Municipais (capitais)

Relação das VISAS Municipais (capitais) ACRE AC Edson Carneiro da Costa Filho Diretor AV. CEARÁ, 3188 - BAIRRO ABRÃO ALABI ABRÃO ALABI Rio Branco AC 69907-000 (68) 3226-2113 (68) 3213-2113 devisa@riobranco.ac.gov.br ALAGOAS - AL Ednaldo Balbino

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 8 Nº 882 - Quarta feira, 10 de janeiro de 2007 Ministério da Educação Gabinete do Ministro - Portarias de nºs 23 a 26, de 5 de janeiro de 2007 Gabinete do Ministro - Portarias de nºs 33 a 35,

Leia mais

Boletos VSM. Atendimento VSM

Boletos VSM. Atendimento VSM 1 3 7 8 9 Boletos VSM SAT (Sistema de Autenticação e Transmissão de Cupom Fiscal Eletrônico) Versão 2.8 para o estado de MT e MS Atendimento VSM 2 BOLETOS VSM Os boletos das mensalidades do sistema e demais

Leia mais

Atos do Poder Executivo

Atos do Poder Executivo Página 1 de 8 Marcelo Franca Alves De: "BDE on-line" Para: "BDE on-line" Enviada em: quarta-feira, 25 de agosto de 2004 17:39 Assunto: BDE on-line -

Leia mais

Atos do Poder Executivo

Atos do Poder Executivo Página 1 de 6 Marcelo Franca Alves De: "BDE on-line" Para: "BDE on-line" Enviada em: segunda-feira, 20 de dezembro de 2004 17:53 Assunto: BDE on-line

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Page 1 of 9 Nº 1080 - Segunda feira, 8 de dezembro de 2008 Ministério da Educação Gabinete do Ministro - Despacho do Ministro - Em 4 de dezembro de 2008 Secretaria de Educação Superior - Portaria nº 1.004,

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.218, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2011 Altera a Instrução Normativa RFB nº1.052, de 5 de julho de 2010, que institui a Escrituração Fiscal Digital

Leia mais

5º ENCONTRO NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR MUNICÍPIOS SELECIONADOS DO PROGRAMA TERRITÓRIOS DA CIDADANIA

5º ENCONTRO NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR MUNICÍPIOS SELECIONADOS DO PROGRAMA TERRITÓRIOS DA CIDADANIA 5º ENCONTRO NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR MUNICÍPIOS SELECIONADOS DO PROGRAMA TERRITÓRIOS DA CIDADANIA UF TERRITÓRIO MUNICÍPIO AL Da Bacia Leiteira Belo Monte AL Da Bacia Leiteira Olho d`água das Flores

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 38 Marcelo Franca Alves De: "BDE on-line" Para: "BDE on-line" Enviada em: quinta-feira, 12 de agosto de 2004 19:49 Assunto: BDE on-line -

Leia mais