LATIN AMERICA CDMA CONFERENCE 2005

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LATIN AMERICA CDMA CONFERENCE 2005"

Transcrição

1 LATIN AMERICA CDMA CONFERENCE a 20 de Abril 2005

2 Tópicos VIVO Área de atuação / Tecnologias ; Arquitetura das redes ; CDMA para voz e dados ; Tecnlogias para voz e dados ; Implementação do EV-DO ; Experiência com a implantação ; Experiência VIVO : Medições de Campo EVDO ; Experiência VIVO : Medições de Campo 1xRTT x EDGE ;

3 Tópicos VIVO Área de atuação / Tecnologias ; Arquitetura das redes ; CDMA para voz e dados ; Tecnlogias para voz e dados ; Implementação do EV-DO ; Experiência com a implantação ; Experiência VIVO : Medições de Campo EVDO ; Experiência VIVO : Medições de Campo 1xRTT x EDGE ;

4 BRASIL : Área de atuação da VIVO ( até 2003 ) BOA VISTA RORAIMA AMAPÁ MACAPÁ BELÉM SAO LUIS MANAUS A M A Z O N A S P A R Á MARANHAO CEARÁ FORTALEZA RIO GRANDE DO NORTE NATAL A C R E RIO BRANCO PORTO VELHO PIAUÍ PARAIBA PERNAMBUCO ALAGOAS JOAO RECIFE VIVO criada em 13/04/2003 RONDONIA MATO GROSSO CUIABÁ TOCANTINS PALMAS DISTRITO FEDERAL B A H Í A MACEIÓ SERGIPE ARACAJU SALVADOR BRASILIA Operadoras CDMA : Bahia / Sergipe CDMA + AMPS Rio de Janeiro / Espírito Santo CDMA + AMPS São Paulo CDMA + AMPS Paraná / Santa Catarina - CDMA Operadoras TDMA : TCO TDMA + AMPS NBT TDMA Rio Grande do Sul TDMA + AMPS CAMPO GRANDE MATO GROSSO DO SUL RIO GRANDE DO SUL GOIÁS CURITIBA PARANÁ GOIANIA SAO PAULO SAO PAULO SANTA CATARINA PORTO ALEGRE FLORIANÓPOLIS MINAS GERAIS BELO HORIZONTE RIO DE JANEIRO ESPÍRITO SANTO VITÓRIA RIO DE JANEIRO

5 BRASIL : Área de atuação da VIVO ( atual ) BOA VISTA RORAIMA AMAPÁ MACAPÁ BELÉM SAO LUIS ,88 % ,5 % A C R E A M A Z O N A S RIO BRANCO PORTO VELHO RONDONIA MANAUS P A R Á MATO GROSSO MARANHAO CEARÁ TOCANTINS SERGIPE B A H Í A PALMAS SALVADOR FORTALEZA RIO GRANDE DO NORTE NATAL PARAIBA PIAUÍ PERNAMBUCO ALAGOAS MACEIÓ ARACAJU JOAO RECIFE CUIABÁ DISTRITO FEDERAL BRASILIA NBT TCO Bahia / Sergipe Total de clientes - Dez 2002 Rio de Janeiro / Espírito Santo São Paulo Paraná / Santa Catarina Rio Grande do Sul Total de clientes - Dez 2003 Total de clientes - Dez 2004 CDMA X RTT / EVDO CAMPO GRANDE MATO GROSSO DO SUL RIO GRANDE DO SUL GOIÁS CURITIBA PARANÁ GOIANIA SAO PAULO SAO PAULO SANTA CATARINA PORTO ALEGRE FLORIANÓPOLIS MINAS GERAIS BELO HORIZONTE RIO DE JANEIRO ESPÍRITO SANTO VITÓRIA RIO DE JANEIRO

6 Mercado Evolução dos acessos móveis m - Brasil BACKGROUND PRELIMINAR VIVO : 26,54 MM(40,4%) Fonte : Anatel

7 Tópicos VIVO Área de atuação / Tecnologias ; Arquitetura das redes ; CDMA para voz e dados ; Tecnlogias para voz e dados ; Implementação do EV-DO ; Experiência com a implantação ; Experiência VIVO : Medições de Campo EVDO ; Experiência VIVO : Medições de Campo 1xRTT x EDGE ;

8 Service Nodes Service Nodes BACKGROUND PRELIMINAR Arquitetura Funcional da Rede Plataformas de Serviços Standard OTA SCP PP IVR SMS VML Portal Wi Fi LBS PTT MMS PTS HLR AAA WAP Arquitetura funcional da rede Core - Circuitos GTW VLR STFC MSC VPN INTERNET IWF IP PDSN Core - Pacotes Acesso-1G BSC BTS AMPS IS-553 Acesso-2G BSC BTS CDMA-2G TDMA IS-95A/ IS 136 Acesso-2,5G BSC BTS 1X-RTT IS-2000 Acesso-3G BSC BTS 1X-EVDO IS-2000 IS-41C TUP / ISUP TCP/IP SMPP Protocolo Proprietário Frame-Relay AAA: Authentication, Authorization, Accounting BSC: Base Station Controler BTS: Base Station Transceiver ERB: Estação Rádio Base GTW: Gateway HLR: Home Location Register IVR: Interactive Voice Response IWF: Interworking Function MSC: Mobile Switching Center LBS: Location Based Services OTA: Over the Air activation LEGENDA PDSN: Packet Data Server Node PTS: Ponto de transferência de Sinalização SCP: Plataforma do Serviço pré-pago SSM: Plataforma do Serviço de Short Message STFC: Serviço telefônico fixo comutado VLR: Visitor Location Register VML: Plataforma de Voice Mail VPN: Virtual Private Network WAP: Wireless Application Protocol MMS: Multi Mídia Service Wi Fi: wireless Fidelity PTT: Push to Talk

9 Arquitetura funcional da rede PDN BACKGROUND PRELIMINAR 3GPP/3GPP2 IMS Reference Model PSTN / PLMN OSA-AS Mb 34 Mb BGCF CSCF 42 Mb Mk PSTN BGCF Mk dd/ff Mw Mj IMS IM-MGW MGCF -MGW Mc Mg CSCF CSCF Mb Mr Mw MRFP 25 P-CSCF P-CSCF MRFC PCF PDF Mp 32 Mb Gm Mb Mb UE Go OSA Mm SLF Dx SIP-AS ISC 12 OSA-SCS 16 Cx Sh AAA 3 4 HSS 23 Control & Signalling Bearer & Transport Databases User Equipment x 3GPP2 Interface Xx 3GPP Interface Signalling Protocols COPS Diameter H.248 / Megaco ISUP SIP

10 Tópicos VIVO Área de atuação / Tecnologias ; Arquitetura das redes ; CDMA para voz e dados ; Tecnlogias para voz e dados ; Implementação do EV-DO ; Experiência com a implantação ; Experiência VIVO : Medições de Campo EVDO ; Experiência VIVO : Medições de Campo 1xRTT x EDGE ;

11 CDMA para Voz e Dados CDMA2000 1xRTT Garante taxas médias entre 60 e 90 kbps em vasta cobertura Serviços como download de jogos, ringtones, acesso internet para laptops, MMS, LBS CDMA2000 1xEV-DO Banda-larga celular em regiões com alta demanda por dados Serviços como download de músicas completas, streaming de vídeos de alta qualidade e acesso internet para laptops e desktops com altas taxas. cdmaone CDMA 1xRTT CDMA 1xEV-DO Rel.0 CDMA 1xEV-DO Rev.A Taxas Max Download 14.4kbps 153kbps 2.4Mbps 3.1Mbps Taxas Max Upload 14.4kbps 153kbps 153kbps 1.8Mbps

12 Tópicos VIVO Área de atuação / Tecnologias ; Arquitetura das redes ; CDMA para voz e dados ; Tecnlogias para voz e dados ; Implementação do EV-DO ; Experiência com a implantação ; Experiência VIVO : Medições de Campo EVDO ; Experiência VIVO : Medições de Campo 1xRTT x EDGE ;

13 Tencnologias para Voz e Dados Technology Wireline Analogue Modem ISDN Cable Modem ADSL Data Rate (bits per second) 9.6k 28.8k 64k 128k 384k 1M 2M 4M 10M 14M Wireless GSM HSCSD GPRS EDGE CDMA2000 1X UMTS CDMA2000 1xEV-DO HSDPA (LU R3 s/w) HSDPA (LU R4 s/w) Note HSDPA peak throughput supported by LU UTRAN, User experience depends on terminal and application Data Rate Key: Typical Peak Fonte : Lucent minimum requirement (146 kbps (3 x average dial up speed)

14 Tópicos VIVO Área de atuação / Tecnologias ; Arquitetura das redes ; CDMA para voz e dados ; Tecnlogias para voz e dados ; Implementação do EV-DO ; Experiência com a implantação ; Experiência VIVO : Medições de Campo EVDO ; Experiência VIVO : Medições de Campo 1xRTT x EDGE ;

15 Implementação do EV-DOE Tecnologia sem-fio 3G otimizada para dados Baseada em protocols IP totalmente comutada a pacotes Não há competição com voz por recursos de RF Compatível com redes CDMA existentes Não necessita de novas faixas de freqüência Possui alta eficiência espectral e performance para usuários Downloads de até 2.4 Mbps com médias de 400 a 700 kbps Experiência similar à banda-larga fixa CDMA Evolution 3G CDMA Designed for In-Band Migration 1.25 MHz Voice & Data 2G CDMA 2.5G CDMA 1.25 MHz Optimized for Data IS-95A IS-95B IS-2000 Rel kbps data Soft handoff Synchronous timing cdmaone 64 kbps packet data Channel Concatenation Double voice capacity Fast fwd pwr control Coherent uplink kbps packet data Turbo codes CDMA2000 1xEV-DO IS-856 CDMA2000 1X Rel. 0, A Dedicated and optimized for packet data 2.4 Mbps peak rates All IP architecture Additional voice capacity doubling Terminal antenna diversity Rel. A Rel. B Rel. C 307 kbps packet data Simultaneous voice and data Enhancements QoS, personal media, IMM, fwd & rev. capacity gains, 2x 1xEV-DV Rel. Rel. D Improvements to data services More flexible data packet scheduling Designed for New Spectrum 5 MHz Voice & Data UMTS (WCDMA) 3GPP Rel. 99 Rel. 4 HSDPA Rel. 5 64/384 kbps cs/packet data Soft handoff Asynchronous timing Improvements to data services More flexible data packet scheduling

16 Implementação do EV-DO Mesma faixa de freqüência. Adiciona-se um novo canal otimizado para dados Simples upgrade de módulo nas ERBs existentes Mesma área de cobertura Implementa-se em áreas onde exista demanda Sem investimentos adicionais em redes de circuito Filters Filtros High-End Residential Areas Downtown/ Business Area University Amplificadores Amplifiers RNC PDSN 1x / 1xEV -DO BTS (upgrade) 1x BTS 1x Carrier Portadora Empty Vazio DO Portadora 1x Carrier Portadora Vazio Empty Airport

17 Tópicos VIVO Área de atuação / Tecnologias ; Arquitetura das redes ; CDMA para voz e dados ; Tecnlogias para voz e dados ; Implementação do EV-DO ; Experiência com a implantação ; Experiência VIVO : Medições de Campo EVDO ; Experiência VIVO : Medições de Campo 1xRTT x EDGE ;

18 Experiência com a implantação VERIFICAÇÕES MÍNIMAS NA ATIVAÇÃO DA REDE EVDO AUTENTICAÇÃO ( PDSN, AAA ) ; CALL PROCESSING ( CONEXÃO / HANDOFF ) ; PERFORMANCE DA REDE DE ACESSO ( LATÊNCIA, THROUGHPUT ) ; COBERTURA DO SISTEMA ( PLANEJADO x MEDIDO ) ; MODO HÍBRIDO 1x <> EVDO ( HANDOFF ) e 1x/IS95 ( ORIG. / TERM. VOZ e SMS EM IDLE, DORMANT e ACTIVE ) ; PERFORMANCE DA APLICAÇÃO ( HTTP, FTP e STREAM ÁUDIO/VÍDEO) ; TESTES DE DISPOSITIVOS DE ACESSO CDG 3 ; APROVISIONAMENTO E BILLING ; SERVIÇOS VIGENTES ( BREW, MMS, WAP, VIVO ZAP, PTT, VPNs.. ).

19 Principais Serviços VIVO VIVO ENCONTRA VIVO MUSIC TONES VIVO TONS MUSICAIS VIVO DOWNLOADS VIVO CHAT VIVO IMAGENS VIVO SMACK VIVO VIDE TORPEDO VIVO FOTO TORPEDO VIVO TORPEDO SMS VIVO TORPEDO WEB VIVO TORPEDO INFO VIVO QUIZ VIVO VIVO CUPIDO VIVO MENSAGENS ANIMADAS VIVO ZAP VIVO WAP E WAP 1X VIVO CABUM VIVO TORPEDO VOX

20 Tópicos VIVO Área de atuação / Tecnologias ; Arquitetura das redes ; CDMA para voz e dados ; Tecnlogias para voz e dados ; Implementação do EV-DO ; Experiência com a implantação ; Experiência VIVO : Medições de Campo EVDO ; Experiência VIVO : Medições de Campo 1xRTT x EDGE ;

21 Experiência VIVO Medições EVDO e 1X RTT OTIMIZAÇÃO - PERFORMANCE UF QUEDA DE CHAMADA 3G1X Througput 3G1X EVDO (Web) ÁREA A 0,84 % 77,77 kbps 460 kbps ÁREA B 0,95 % 78,50 kbps 500 kbps ÁREA C 0,87 % 98,7 kbps 470 kbps ÁREA D 0,85 % 79,90 kbps 477 kbps

22 Experiência VIVO Medições EVDO Medidas realizadas na Megastore do Barra Shopping Barra da Tijuca Servidor FTP 1* Web (http)** Web (Ftp) DRC Rate Request 2.4 Mbps 2.4 Mbps 2.4 Mbps Média Pico Média Pico Média Pico Physical Layer (Camada Física) 650 kbps 1200 kbps 660 kbps 1100 kbps 813 kbps 1200 kbps RLP (Radio Link Protocol) Application Layer (Camada de Aplicação) 668 kbps 760 kbps 589 kbps 750 kbps 668 kbps 760 kbps * Servidor FTP localizado junto ao PDSN ** Download de 5 arquivos simultâneos.

23 Tópicos VIVO Área de atuação / Tecnologias ; Arquitetura das redes ; CDMA para voz e dados ; Tecnlogias para voz e dados ; Implementação do EV-DO ; Experiência com a implantação ; Experiência VIVO : Medições de Campo EVDO ; Experiência VIVO : Medições de Campo 1xRTT x EDGE ;

24 Experiência VIVO Medições de Campo CDMA 1X e EDGE THROUGHPUT Média do Throughput DL e UL para todas as aplicações de DL, FTP DL, LW DL, HTTP Throughput Download / Upload - (Kbps) 80,00 70,00 67,64 69,64 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 34,12 27,16 20,71 16,40 Região A 10,00 6,32 4,39 0,00 VIVO - CDMA1X CLARO OPER. 1 - EDGE OPER. TIM EDGE BRT OPER GPRS Throughput Médio DL Throughput Médio UL Throughput Download / Upload - (Kbps) Região B 90,00 80,00 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 79,60 68,07 23,02 19,90 9,92 13,52 3,70 1,91 VIVO - CDMA1X CLARO OPER EDGE OPER. TIM EDGE BRT OPER GPRS Throughput Médio DL Throughput Médio UL

25 Experiência VIVO Medições de Campo CDMA 1X e EDGE THROUGHPUT Média do Throughput DL e UL para todas as aplicações de DL, FTP DL, LW DL, HTTP Throughput Download / Upload - (Kbps) 80,00 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 69,28 62,86 21,85 21,39 14,65 9,92 3,97 0,90 VIVO - CDMA1X OPER. TIM EDGE CLARO OPER EDGE OPER. BRT GPRS Throughput Médio DL Throughput Médio UL Região C Throughput Download / Upload - (Kbps) Região D 70,00 60,00 50,00 40,00 30,00 20,00 10,00 0,00 65,74 58,99 22,08 17,42 10,59 11,40 3,62 2,43 VIVO - CDMA1X CLARO OPER EDGE OPER. TIM EDGE BRT OPER GPRS Throughput Médio DL Throughput Médio UL

26 FIM OBRIGADO!

Introdução. Sistemas de Comunicação Wireless. Sumário. Visão Geral de Redes Móveis "#$%%% Percentual da população com telefone celular

Introdução. Sistemas de Comunicação Wireless. Sumário. Visão Geral de Redes Móveis #$%%% Percentual da população com telefone celular Sumário Sistemas de Comunicação Wireless! #$%%% & Visão Geral de Redes Móveis Introdução Percentual da população com telefone celular Brasil 19% 34% 2001 2005 Fonte: Global Mobile, Goldman Sachs, DiamondCluster

Leia mais

CDMA, 3G e Aplicações. Luiz Gustavo Nogara nogara@inf.puc-rio.br

CDMA, 3G e Aplicações. Luiz Gustavo Nogara nogara@inf.puc-rio.br CDMA, 3G e Aplicações Luiz Gustavo Nogara nogara@inf.puc-rio.br Tópicos da apresentação História CDMA Padrões 3G Aplicações História Conceito básico: reuso de frequência 1969 Primeiro sistema celular com

Leia mais

A 2ª geração se caracteriza pelo advento das redes digitais. São elas o TDMA (Time Division Multiple Access), GSM e o CDMA.

A 2ª geração se caracteriza pelo advento das redes digitais. São elas o TDMA (Time Division Multiple Access), GSM e o CDMA. GERAÇÕES DA TELEFONIA MÓVEL A Telefonia móvel iniciou no final dos anos 70. A 1ª geração de telefonia era a analógica. O serviço padrão era o AMPS (Advanced Mobile Phone System). Esse sistema tinha como

Leia mais

Evolução das Redes de Telecomunicação: Arquitetura IMS

Evolução das Redes de Telecomunicação: Arquitetura IMS Evolução das Redes de Telecomunicação: Arquitetura IMS Samuel R. Lauretti Graduado em Engenharia Elétrica pela USP-São Carlos em 1987, com Mestrado em Telecomunicações pela UNICAMP em 1993. Completou o

Leia mais

UMTS. www.teleco.com.br 1

UMTS. www.teleco.com.br 1 UMTS Este tutorial apresenta os conceitos básicos do Universal Mobile Telecommunications System (UMTS) padrão de 3ª Geração de sistemas celulares para evolução de redes GSM. Autor: Eduardo Tude Engenheiro

Leia mais

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco.

Assumiu em 2002 um novo desafio profissional como empreendedor e Presidente do Teleco. Roteiro de Estudo: Telefonia Celular - Tecnologias Básicas I O Portal Teleco passa a apresentar periodicamente Roteiros de Estudo sobre os principais temas das Telecomunicações. Os roteiros apresentam

Leia mais

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA

NÚMERO DE ACIDENTES POR DIA DA SEMANA RODOVIÁRIAS Quadro 13 - UF: ACRE Ano de 211 82 5 6 8 9 5 3 14 4 11 9 4 4 63 2 4 7 6 6 9 4 8 4 4 3 6 68 4 2 8 3 1 8 4 9 2 6 7 5 63 3 6 3 2 13 9 8 7 5 1 5 1 67 4 2 9 6 8 5 5 7 6 6 4 5 85 3 7 1 1 4 7 9 6

Leia mais

Figura 1 - Arquitectura do GSM

Figura 1 - Arquitectura do GSM GSM O aparecimento das redes de comunicações no século passado veio revolucionar o nosso mundo. Com os primeiros telefones surgiu a necessidade de criar redes que os suportassem. Começaram a surgir as

Leia mais

Tecnologia de redes celular GSM X CDMA

Tecnologia de redes celular GSM X CDMA Tecnologia de redes celular GSM X CDMA GSM (Global Standard Mobile) GSM (Global Standard Mobile) Também baseado na divisão de tempo do TDMA, o GSM foi adotado como único sistema europeu em 1992, e se espalhou

Leia mais

2006 3G CDMA Latin America Regional Conference Benefícios do CDMA2000 e business case sobre 3G no Mercado latino-americano

2006 3G CDMA Latin America Regional Conference Benefícios do CDMA2000 e business case sobre 3G no Mercado latino-americano 2006 3G CDMA Latin America Regional Conference Benefícios do CDMA2000 e business case sobre 3G no Mercado latino-americano Roger Solé Diretor de Segmento Premium São Paulo, 24 de Maio de 2006 VIVO Números

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DOS SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

Tel (21) 3287-2509 ou 8809-5779

Tel (21) 3287-2509 ou 8809-5779 1) Susana é produtora de eventos no Rio de Janeiro-RJ e não está conseguindo enviar as suas propostas comerciais via e-mail, através do Outlook. Sabendo que ela consegue baixar as suas mensagens, podemos

Leia mais

Interface Acesso Rádio Informação e normas aplicáveis ao desenvolvimento e testes de equipamento terminal

Interface Acesso Rádio Informação e normas aplicáveis ao desenvolvimento e testes de equipamento terminal Interface Acesso Rádio Informação e normas aplicáveis ao desenvolvimento e testes de equipamento terminal Versão: 1.5 Vodafone 2009. Reservados todos os direitos. A reprodução e uso escrito ou verbal de

Leia mais

Computação Móvel: Sistemas de Telefonia Móvel

Computação Móvel: Sistemas de Telefonia Móvel Computação Móvel: Sistemas de Telefonia Móvel Mauro Nacif Rocha DPI/UFV 1 Conceitos Básicos Sistema móvel celular (SMC) Estrutura em célula. Célula é uma área geográfica coberta por um transmissor de baixa

Leia mais

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009)

RANKING NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) NACIONAL DO TRABALHO INFANTIL (5 a 17 ANOS) QUADRO COMPARATIVO DOS DADOS DA PNAD (2008 e 2009) População Ocupada 5 a 17 anos 2008 Taxa de Ocupação 2008 Posição no Ranking 2008 População Ocupada 5 a 17

Leia mais

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados Norte 0 0,00 0 0 0 0,00 Rondônia

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

Soluções Móveis Corporativas Divisão de Soluções Corporativas

Soluções Móveis Corporativas Divisão de Soluções Corporativas Soluções Móveis Corporativas Divisão de Diretoria de Planejamento e Gestão Data: 09/10/2015 As informações contidas neste documento são proprietárias e para uso público. Propriedade da Vivo. Agenda Institucional

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS E DE CONSULTORIA EM GESTÃO EMPRESARIAL POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO DO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO ATIVIDADES DE SEDES DE EMPRESAS

Leia mais

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DE ATIVIDADES DE PRESTAÇÃO DE DE INFORMAÇÃO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA -

Leia mais

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos

Grandes Regiões e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos e Unidades da Federação: Esperança de vida ao nascer segundo projeção populacional: 1980, 1991-2030 - Ambos os sexos Unidades da Federação 1980 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Tecnologias de telefonia celular GSM (Global System for Mobile Communications) Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (dezembro/13) Janeiro de 2014 Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda

Leia mais

HIV/aids no Brasil - 2012

HIV/aids no Brasil - 2012 HIV/aids no Brasil - 2012 Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Novembro de 2012 HIV Dados gerais Prevalência do HIV maior entre homens (15

Leia mais

1x EV-DO (cdma2000) Eduardo Esteves

1x EV-DO (cdma2000) Eduardo Esteves 1x EV-DO (cdma2000) Este tutorial apresenta os conceitos básicos do 1xEV-DO (Evolution Data Optimized), tecnologia verdadeiramente 3G, uma vez que permite transmissão de dados com taxas acima de 2,4 Mbit/s

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

Parâmetros de qualidade em redes LTE

Parâmetros de qualidade em redes LTE REDES MÓVEIS 80 RTI AGO 2015 Parâmetros de qualidade em redes LTE Luciano Henrique Duque, da LHD Engenharia O artigo apresenta uma forma de extrair os indicadores de qualidade de banda larga em redes 4G

Leia mais

O IP Multimedia Subsystem (IMS)

O IP Multimedia Subsystem (IMS) O IP Multimedia Subsystem (IMS) O IMS é um sistema global, independente do sistema de acesso, baseado em normas, com connectividade IP e arquitecturas de controlo de serviços que permite disponibilizar

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E SERVIÇOS RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES FINANCEIRAS, DE SEGUROS E RELACIONADOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008

Tabela 1 - Conta de produção por operações e saldos, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação - 2004-2008 (continua) Produção 5 308 622 4 624 012 4 122 416 3 786 683 3 432 735 1 766 477 1 944 430 2 087 995 2 336 154 2 728 512 Consumo intermediário produtos 451 754 373 487 335 063 304 986 275 240 1 941 498

Leia mais

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS E COMPLEMENTARES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

Leia mais

General Packet Radio Service (GPRS) Aluna: Marília Veras

General Packet Radio Service (GPRS) Aluna: Marília Veras General Packet Radio Service (GPRS) Aluna: Marília Veras Tópicos O que é GPSR Arquitetura do Sistema Estados Operacionais do Celular GPRS Classes do Celular GSM/ GPRS Protocolos do GPRS Transmitindo Pacotes

Leia mais

2 Arquitetura do UMTS

2 Arquitetura do UMTS 2 Arquitetura do UMTS Este capítulo apresenta a arquitetura física do UMTS, com a descrição de todos os seus componentes. Em seguida é analisada a arquitetura de protocolos, com a apresentação das principais

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES SEM FIO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

Abinee Tec Tendências Tecnológicas em Telecom

Abinee Tec Tendências Tecnológicas em Telecom Abinee Tec Tendências Tecnológicas em Telecom São Paulo, 08 de Outubro, 2003 Fiore Mangone Ger. Produto & Desenv. de Negócios Nokia Brasil +55-11-5508-0458 +55-11-9105-5388 Fiore.Mangone@nokia.com Visão

Leia mais

HSDPA: Transmissão de Dados em Telefonia Móvel

HSDPA: Transmissão de Dados em Telefonia Móvel HSDPA: Transmissão de Dados em Telefonia Móvel O conteúdo deste tutorial foi obtido do artigo de autoria do Anderson Clayton de Oliveira para a etapa de classificação do II Concurso Teleco de Trabalhos

Leia mais

GSM: Terceira Geração de Telecomunicações

GSM: Terceira Geração de Telecomunicações UFSM Artigo Científico GSM: Terceira Geração de Telecomunicações Carlos Renan Silveira Ciência da Computação Santa Maria, RS, Brasil 2003 GSM: Terceira Geração de Telecomunicações por Carlos Renan Silveira

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Junho/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO FABRICAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES, REBOQUES E CARROCERIAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO

Leia mais

Anexo I - DEFINIÇÕES. Em relação ao presente Acordo, os seguintes termos terão os significados expressos em suas respectivas definições:

Anexo I - DEFINIÇÕES. Em relação ao presente Acordo, os seguintes termos terão os significados expressos em suas respectivas definições: Anexo I - DEFINIÇÕES Em relação ao presente Acordo, os seguintes termos terão os significados expressos em suas respectivas definições: 1. 3G: terceira geração; 2. AA.13: documento da GSMA que contém os

Leia mais

INF-111 Redes Sem Fio Aula 06 Tecnologias para WMAN Prof. João Henrique Kleinschmidt

INF-111 Redes Sem Fio Aula 06 Tecnologias para WMAN Prof. João Henrique Kleinschmidt INF-111 Redes Sem Fio Aula 06 Tecnologias para WMAN Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, outubro de 2014 Roteiro Sistemas de Telefonia Celular Evolução dos Sistemas Celulares WMAN WiMAX Arquitetura

Leia mais

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade

Agência Nacional de Telecomunicações. Entidade Aferidora da Qualidade Agência Nacional de Telecomunicações Entidade Aferidora da Qualidade Qualidade da Banda Larga Publicação de Indicadores (Setembro/14) Medição Banda Larga Fixa (SCM) Para a medição da banda larga fixa (SCM)

Leia mais

HSDPA: A Banda Larga do UMTS

HSDPA: A Banda Larga do UMTS HSDPA: A Banda Larga do UMTS Este tutorial apresenta os conceitos básicos do High Speed Downlink Packet Access (HSDPA), extensão do WCDMA para implementação de um enlace de descida banda larga no UMTS.

Leia mais

Figura 1: Distribuição de CAPS no Brasil, 25. RORAIMA AMAPÁ AMAZONAS PARÁ MARANHÃO CEARÁ RIO GRANDE DO NORTE PAIUÍ PERNAMBUCO ACRE ALAGOAS SERGIPE TOCANTINS RONDÔNIA PARAÍBA BAHIA MATO GROSSO DISTRITO

Leia mais

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores

Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Informações sobre salários e escolaridade dos professores e comparativo com não-professores Total de profissionais, independentemente da escolaridade 2003 2007 2008 Professores da Ed Básica (públicas não

Leia mais

A venda do conceito Outer. está acima da venda de nossos produtos. Breno Bulus - sócio e designer

A venda do conceito Outer. está acima da venda de nossos produtos. Breno Bulus - sócio e designer Tudo começou a partir do sonho de desenvolver uma marca sólida e de personalidade única no cenário carioca, com o objetivo de fornecer lazer e bem estar. E foi com essa ideia na cabeça que em 2004 foi

Leia mais

PARTE 1 TELEFONIA CELULAR AULA 2 INTRODUÇAO. Sistemas de Telecomunicações II Prof. Flávio Ávila

PARTE 1 TELEFONIA CELULAR AULA 2 INTRODUÇAO. Sistemas de Telecomunicações II Prof. Flávio Ávila PARTE 1 TELEFONIA CELULAR AULA 2 INTRODUÇAO Sistemas de Telecomunicações II Prof. Flávio Ávila Comunicações móveis 2 Definição antiga: dispositivo móvel Definição atual: alta velocidade Exemplos Pager

Leia mais

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Sistemas Celulares e sua regulamentação no Brasil.

Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Sistemas Celulares e sua regulamentação no Brasil. Telefonia Celular no Brasil Este tutorial apresenta os conceitos básicos sobre Sistemas Celulares e sua regulamentação no Brasil. (Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 09/12/2002).

Leia mais

Segurança de Rede Sem Fio

Segurança de Rede Sem Fio Segurança de Rede Sem Fio Dilson Catói Felipe Boeira João Cancelli Marcelo Dieder Rafael Dreher Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS dilsoncatoi@gmail.com, felipecboeira@gmail.com, jvcancelli@gmail.com,

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Cobertura de Plano de Saúde Notas Técnicas

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Cobertura de Plano de Saúde Notas Técnicas Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Cobertura de Plano de Saúde Notas Técnicas Sumário Origem dos dados... 2 Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 3 Variáveis de conteúdo... 3 %Pessoas

Leia mais

2 UMTS e arquitetura all-ip

2 UMTS e arquitetura all-ip 2 UMTS e arquitetura all-ip As discussões sobre a evolução das redes de comunicação determinísticas, baseadas nas operações de modo circuito, já ocorrem há algum tempo. As redes operadas em modo circuito

Leia mais

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE TRANSPORTES TERRESTRE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

MIGRAÇÃO DO SISTEMA DE COMUNICAÇÃO MÓVEL DE 2º GERAÇãO PARA 3º GERAÇãO PADRÃO GLOBAL IMT-2000

MIGRAÇÃO DO SISTEMA DE COMUNICAÇÃO MÓVEL DE 2º GERAÇãO PARA 3º GERAÇãO PADRÃO GLOBAL IMT-2000 MIGRAÇÃO DO SISTEMA DE COMUNICAÇÃO MÓVEL DE 2º GERAÇãO PARA 3º GERAÇãO PADRÃO GLOBAL IMT-2000 ELIÉZER SPINELLI MELO YGOR COSTA LIMA Departamento de Engenharia Instituto de Educação Superior de Brasília

Leia mais

HSPA: Conceitos Básicos

HSPA: Conceitos Básicos HSPA: Conceitos Básicos Este tutorial apresenta a tecnologia contida no padrão HSPA (High Speed Packet Access) para as redes celulares de 3ª geração (3G) baseada no conjunto de padrões WCDMA (Wideband

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO Profª. Kelly Hannel Novas tecnologias de informação 2 HDTV WiMAX Wi-Fi GPS 3G VoIP Bluetooth 1 HDTV 3 High-definition television (também conhecido por sua abreviação HDTV):

Leia mais

2006 3G CDMA Latin America Regional Conference Como se diferenciar através do 3G, atrair usuários e aumentar as receitas

2006 3G CDMA Latin America Regional Conference Como se diferenciar através do 3G, atrair usuários e aumentar as receitas 2006 3G CDMA Latin America Regional Conference Como se diferenciar através do 3G, atrair usuários e aumentar as receitas Alexandre Fernandes Diretor de Produtos e Serviços São Paulo, 24 de Maio de 2006

Leia mais

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS TRANSPORTES POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO DO ARMAZENAMENTO E ATIVIDADES AUXILIARES DOS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

HISTÓRICO DA TELEFONIA CELULAR

HISTÓRICO DA TELEFONIA CELULAR HISTÓRICO DA TELEFONIA CELULAR Antes de qualquer coisa é preciso apresentar o conceito de telefone celular. Este conceito pode ser definido como um transmissor de baixa potência onde freqüências podem

Leia mais

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2013

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2013 Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual Julho 2013 SS JUSTIÇA MG SS Justiça MG Julho 2013 Tabela 1 Tribunais de Justiça Estadual posicionados conforme Vencimento Básico Vencimentos

Leia mais

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2014

Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual. Julho 2014 Ranking de salário e benefícios dos Tribunais de Justiça Estadual Julho 2014 SS JUSTIÇA MG SS Justiça MG Julho 2014 Tabela 1 Tribunais de Justiça Estadual posicionados conforme Vencimento Básico Vencimentos

Leia mais

Inventar com a diferenca,

Inventar com a diferenca, Inventar com a diferenca, cinema e direitos humanos PATROCÍNIO APOIO REALIZAÇÃO Fundação Euclides da Cunha O que é Inventar com a diferença: cinema e direitos humanos O projeto visa oferecer formação e

Leia mais

Aspec Informática - Tecnologia da Informação Plano de Numeração dos Ramais. Revisão 07/07/2015 12:02:36

Aspec Informática - Tecnologia da Informação Plano de Numeração dos Ramais. Revisão 07/07/2015 12:02:36 UF Estado Capital DDD SP São Paulo São Paulo 11 RJ Rio de Janeiro Rio de Janeiro 21 ES Espírito Santo Vitória 27 MG Minas Gerais Belo Horizonte 31 PR Paraná Curitiba 41 SC Santa Catarina Florianópolis

Leia mais

Tecnologias de banda larga móvel, UMTS e WiMax

Tecnologias de banda larga móvel, UMTS e WiMax Tecnologias de banda larga móvel, UMTS e WiMax Alex Rodrigo de Oliveira - 06/30403 Danilo Gaby Andersen Trindade - 06/82039 Pedro Rogério Vieira Dias - 06/93472 28 de junho de 2009 Resumo Trabalho final

Leia mais

Gestão de Redes e Qualidade de Serviço na Zapp - o novo operador de comunicações profissionais

Gestão de Redes e Qualidade de Serviço na Zapp - o novo operador de comunicações profissionais Gestão de Redes e Qualidade de Serviço na Zapp - o novo operador de comunicações profissionais Rui Santos Cruz Services Platforms, Applications and Operations Support Systems Agenda Zapp Quem Somos? Os

Leia mais

TERMO DE USO SERVIÇO VIVO TORPEDO DIVERTIDO

TERMO DE USO SERVIÇO VIVO TORPEDO DIVERTIDO TERMO DE USO SERVIÇO VIVO TORPEDO DIVERTIDO 1. OBJETO: 1.1. O presente Instrumento tem por objeto regular a prestação do serviço VIVO Torpedo Divertido (doravante denominado VIVO Torpedo Divertido ), em

Leia mais

7 - Sistemas WCDMA e Evoluções

7 - Sistemas WCDMA e Evoluções Planejamento de Sistemas de Comunicações Celulares e de Radioacesso 7 - Sistemas WCDMA e Evoluções Agenda Conceito 3G UMTS e WCDMA Canais Lógicos HSDPA & HSUPA Tendência CETUC-PUC/Rio ELE 2614 Cap6 Sistemas

Leia mais

SSC0748 - Redes Móveis

SSC0748 - Redes Móveis - Redes Móveis Introdução Redes sem fio e redes móveis Prof. Jó Ueyama Agosto/2012 1 Capítulo 6 - Resumo 6.1 Introdução Redes Sem fo 6.2 Enlaces sem fo, características 6.3 IEEE 802.11 LANs sem fo ( wi-f

Leia mais

Acesso Internet. Hernesto Miyamoto Inovação Tecnológica Julho, 2008. II Seminário sobre Informação na Internet

Acesso Internet. Hernesto Miyamoto Inovação Tecnológica Julho, 2008. II Seminário sobre Informação na Internet Acesso Internet Hernesto Miyamoto Inovação Tecnológica Julho, 2008 Agenda TIM no Brasil Tecnologias de Acesso Banda Larga Aplicações das Tecnologias de Acesso Popularizando o Acesso a Internet TIM no Brasil

Leia mais

1 Sistemas de telefonia celular no Brasil

1 Sistemas de telefonia celular no Brasil 1 Sistemas de telefonia celular no Brasil Em 1984, deu-se início à análise de sistemas de tecnologia celular sendo definido o padrão americano, analógico, AMPS Advanced Mobile Phone System, como modelo

Leia mais

2. Tecnologia LTE (Long Term Evolution)

2. Tecnologia LTE (Long Term Evolution) 23 2. Tecnologia LTE (Long Term Evolution) O LTE (Long Term Evolution) surge como uma evolução das redes 2G (GSM) e 3G (UMTS) existentes. Espera-se que o LTE seja capaz de absorver, eficientemente o crescente

Leia mais

Capítulo 2: Camada Física. Capítulo 2. A camada física

Capítulo 2: Camada Física. Capítulo 2. A camada física Capítulo 2: Camada Física Capítulo 2 A camada física slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson

Leia mais

1º. Wireless Mundi Painel: As vantagens da 3G para o Brasil

1º. Wireless Mundi Painel: As vantagens da 3G para o Brasil 1º. Wireless Mundi Painel: As vantagens da 3G para o Brasil Marco Aurélio Rodrigues QUALCOMM Brasil 27/3/2007 QUALCOMM Proprietary 3G: evolução natural das tecnologias celulares CDMA CDMA/TDM OFDM CDMA2000

Leia mais

Unidade I: SEPN 515 - Bloco B - Ed. Ômega CEP: 70770-502 - Brasília - DF Telefone: (61) 3448-1000

Unidade I: SEPN 515 - Bloco B - Ed. Ômega CEP: 70770-502 - Brasília - DF Telefone: (61) 3448-1000 5. órgãos do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Unidade I: SEPN 515 - Bloco B - Ed. Ômega CEP: 70770-502 - Brasília - DF Telefone: (61) 3448-1000

Leia mais

Redes de Telefonia Móvel Celular. Sumário. Introdução

Redes de Telefonia Móvel Celular. Sumário. Introdução Redes de Telefonia Móvel Celular $OXQR &DUORV $OEHUWR 9LHLUD &DPSRV 2ULHQWDGRU /XtV )HOLSH 0DJDOKmHV GH 0RUDHV Sumário Introdução Evolução das redes celulares Comparação entra algumas tecnologias Arquitetura

Leia mais

Prof. Othon M. N. Batista Mestre em Informática. Página 1 de 25

Prof. Othon M. N. Batista Mestre em Informática. Página 1 de 25 Mestre em Informática Página 1 de 25 Roteiro Introdução Definição História Requerimentos IMT-Advanced Padrões 4G LTE Advanced Padrões 4G WirelessMAN Advanced 4G no Brasil Perguntas Página 2 de 25 Introdução

Leia mais

2006 3G CDMA Latin America Regional Conference Serviços Corporativos

2006 3G CDMA Latin America Regional Conference Serviços Corporativos 2006 3G CDMA Latin America Regional Conference Serviços Corporativos Átila Fagundes Gerente de Serviços Corporativos São Paulo, 24 de Maio de 2006 Introdução Vivo Empresas Segmentação de Mercado Destaques¹

Leia mais

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO TELECOMINICAÇÕES COM FIO POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E 0083 PREVIDENCIA SOCIAL BASICA 48553400

CREDITO SUPLEMENTAR E G R M I F FUNC PROGRAMATICA PROGRAMA/ACAO/SUBTITULO/PRODUTO S N P O U T VALOR F D D E 0083 PREVIDENCIA SOCIAL BASICA 48553400 ORGAO : 33000 - MINISTERIO DA PREVIDENCIA SOCIAL UNIDADE : 33201 - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL ANEXO CREDITO SUPLEMENTAR PROGRAMA DE TRABALHO (SUPLEMENTACAO) RECURSOS DE TODAS AS FONTES - R$ 1,

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA 3G TECNOLOGIAS E DESEMPENHO. Área de Telecomunicações. por. Paulo de Nhandé da Silva Barnabé

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA 3G TECNOLOGIAS E DESEMPENHO. Área de Telecomunicações. por. Paulo de Nhandé da Silva Barnabé UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA 3G TECNOLOGIAS E DESEMPENHO Área de Telecomunicações por Paulo de Nhandé da Silva Barnabé Profa. Ms. Débora Meyhofer Ferreira Orientador Campinas

Leia mais

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15

Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Setores indutriais com maior demanda por formação segundo UF (todas as ocupações) - Média anual 2014/15 Estado Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO Nota Técnica elaborada em 01/2014 pela CGAN/DAB/SAS. MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO-GERAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NOTA TÉCNICA Nº15/2014-CGAN/DAB/SAS/MS

Leia mais

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO

NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO NOTA TÉCNICA 63 2011 PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DO PROJETO VIDA NO TRÂNSITO Repasse financeiro do Fundo Nacional de Saúde aos Fundos de Saúde Estaduais, Municipais e do Distrito Federal, por meio do Piso Variável

Leia mais

Telefonia Móvel Celular

Telefonia Móvel Celular Introdução à Computação Móvel Prof. Francisco José da Silva e Silva Prof. Rafael Fernandes Lopes Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC) Universidade Federal do Maranhão (UFMA) Telefonia

Leia mais

Interior de SP. Mailing Jornais

Interior de SP. Mailing Jornais São Paulo AGORA SÃO PAULO BRASIL ECONÔMICO D.C.I. DESTAK (SP) DIÁRIO DO COMMERCIO (SP) DIÁRIO DE SÃO PAULO DIÁRIO DO GRANDE ABC EMPREGO JÁ (SP) EMPREGOS & CONCURSOS (SP) EMPRESAS & NEGÓCIOS (SP) FOLHA

Leia mais

Redes de Acesso Sem Fio de Banda Larga

Redes de Acesso Sem Fio de Banda Larga Luiz A. R. da Silva Mello smello@cetuc.puc-rio.br Centro de Estudos em Telecomunicações CETUC-PUC/Rio Agenda A evolução das comunicações sem fio WWANs - Sistemas celulares 1G, 2G e 3G WPANs Bluetooth,

Leia mais

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Smart Blackberry 300

REGULAMENTO. Promoção Nextel 3G Smart Blackberry 300 REGULAMENTO Promoção Nextel 3G Smart Blackberry 300 Esta promoção é comercializada pela NEXTEL TELECOMUNICAÇÕES Ltda., prestadora do Serviço Móvel Pessoal SMP, doravante denominada simplesmente NEXTEL,

Leia mais

Acre: Foto 1: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 2: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 3: Caravana em Rio Branco, Acre.

Acre: Foto 1: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 2: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 3: Caravana em Rio Branco, Acre. Acre: Foto 1: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 2: Caravana em Rio Branco, Acre. Foto 3: Caravana em Rio Branco, Acre. Alagoas: Foto 1: Caravana em Maceió, Alagoas na Secretaria de Estado da Mulher, da

Leia mais

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009

FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 FLUXO COMÉRCIO E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 29 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 29 E REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS,

Leia mais

Redes de Nova Geração (NGN) O Desafio para a Regulação

Redes de Nova Geração (NGN) O Desafio para a Regulação Redes de Nova Geração (NGN) O Desafio para a Regulação Índice Interfaces e Interligação Obrigações legais Numeração, Nomes e Endereçamento 2 Interfaces e Interligação Modelo de Evolução da Interligação

Leia mais

Concentrador de Serviços de Telefonia Fixo e Móvel-CFM 1

Concentrador de Serviços de Telefonia Fixo e Móvel-CFM 1 Concentrador de Serviços de Telefonia Fixo e Móvel-CFM 1 André L. Souza, Danilo Caravana, Eduardo M. Franceschini, George E. Bozinis, Guilherme J. de Souza, J. Sindi Yamamoto e Rafael P. de A. Moreno 1

Leia mais

REGULAMENTO OFERTA OI ROAMING INTERNACIONAL

REGULAMENTO OFERTA OI ROAMING INTERNACIONAL REGULAMENTO OFERTA OI ROAMING INTERNACIONAL Oi Móvel S/A, com sede no Setor Comercial Norte, Quadra 03, Bloco A, Edifício Estação Telefônica, Térreo, Parte 2, em Brasília, no Distrito Federal, inscrita

Leia mais

Lista dos órgãos da Justiça com déficits de servidores e as regras para a remoção sem permuta

Lista dos órgãos da Justiça com déficits de servidores e as regras para a remoção sem permuta Lista dos órgãos da Justiça com déficits de servidores e as regras para a remoção sem permuta 1. A remoção sem permuta é o deslocamento do servidor sem contrapartida para o órgão que possui os claros de

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Saúde Bucal Notas Técnicas

Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Saúde Bucal Notas Técnicas Pesquisa Nacional de Saúde Módulo de Saúde Bucal Notas Técnicas Sumário Origem dos dados... 3 Descrição das variáveis disponíveis para tabulação... 4 Variáveis de conteúdo... 4 %Escova dentes 2x ou + p/dia...

Leia mais

COORDENAÇÕES ESTADUAIS DO ARTESANATO

COORDENAÇÕES ESTADUAIS DO ARTESANATO COORDENAÇÕES ESTADUAIS DO ARTESANATO ACRE Secretaria de Estado de Turismo e Lazer Endereço: Av. Chico Mendes, s/n - Arena da Floresta - Bairro Areal. CEP: 69.906-119 - Rio Branco - AC TEL: (68) 3901-3027/

Leia mais

Avaliação dos planos de saúde Brasil. Dezembro de 2010

Avaliação dos planos de saúde Brasil. Dezembro de 2010 Avaliação dos planos de saúde Brasil Dezembro de 2010 Índice 2 Objetivo Metodologia Perfil da amostra Avaliação dos planos ou seguros saúde Avaliação geral dos planos de saúde Desempenho dos planos de

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTÍSTICA DOS SERVIÇOS MÓVEIS

INFORMAÇÃO ESTÍSTICA DOS SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTÍSTICA DOS SERVIÇOS MÓVEIS Empresa: Responsáveis pelo preenchimento: Contactos dos responsáveis - Telf.: E-mail: ES ESTATÍSTICOS A. B. C. D. E. E'. F. G. ESTAÇÕES MÓVEIS E UTILIZADORES TRÁFEGO

Leia mais

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: TELE 3 MOURA LACERDA

PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: TELE 3 MOURA LACERDA PROF.: PAULO GOMES MATÉRIA: TELE 3 MOURA LACERDA Telefonia Móvel 4G A tecnologia da quarta geração de telefonia móvel, ou 4G, designa uma tecnologia que oferece altíssimas velocidades de conexão com a

Leia mais

Endereços das Secretarias Estaduais de Educação

Endereços das Secretarias Estaduais de Educação Endereços das Secretarias Estaduais de Educação ACRE MARIA CORRÊA DA SILVA Secretária de Estado da Educação do Acre Rua Rio Grande do Sul, 1907- Aeroporto Velho CEP: 69903-420 - Rio Branco - AC Fone: (68)

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Introdução Redes

Leia mais