Melhorias de Processos com a aplicação da Filosofia Lean

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Melhorias de Processos com a aplicação da Filosofia Lean"

Transcrição

1 Melhorias de Processos com a aplicação da Filosofia Lean Thiago Ribeiro Francelino (UFC/CE) José de Pala Barros Neto (UFC/CE) Liz Fernando M. Heineck (UFSC/SC) Marcelo da Costa Teixeira (UFSC/SC) Sérgio Lis Kemmer (UFSC/SC) Resmo Este trabalho mostra o resltado de diversas melhorias realizadas em obras verticais na tilização de novas técnicas de organização da prodção tomando-se por base a aplicação da filosofia Lean-Constrction. Esta aplicação foi inserida em algmas constrtoras participantes de m projeto de inovação tecnológica para a constrção civil conhecido como INOVACON-CE, existente desde 1998, hoje em sa terceira edição. Foi realizado m inventário das melhorias tecnológicas e gerenciais introdzidas nas empresas destacado-se pela aplicação de técnicas qe bscam aperfeiçoar o processo de trabalho e introdzir as ferramentas da filosofia Lean. São apresentadas as seqüências de trabalho desenvolvidas para vários serviços e sas melhorias. Como também, os resltados da implantação de ferramentas como: Kanbans, Andon, 5S, demarcação de flxos, linhas de balanço, dentre otras. O trabalho é fartamente ilstrado com gráficos e diagramas simples de serem implantados em obras, o qe vem a preencher ma lacna em termos de material didático no país. Palavras-chave: prodtividade, racionalização, Lean Constrction Introdção O Programa de Inovação da Indústria da Constrção Civil do Estado do Ceará (INOVACON- CE), institcionalizado a partir de 1998, hoje em sa terceira edição, tem como metodologia de atação, a criação de módlos de transferência de conhecimento, com dração padrão de qatro meses. Drante este período, consltores ministram palestras sobre o tema de sa especialidade e ma eqipe técnica ata jnto às empresas, para implantar as inovações. O presente artigo tem como objetivo apresentar os resltados obtidos com as diversas melhorias realizadas em obras verticais na tilização de novas técnicas de organização da prodção tomando-se por base a aplicação da filosofia Lean. O embasamento teórico sobre esta filosofia foi repassado as constrtoras participantes do INOVACON-CE por meio do primeiro módlo qe trato sobre Lean Constrction (Constrção Enxta). Escolhe-se ma vertente da Lean, no caso o Sistema Toyota de Prodção (STP), como o elemento norteador das ações a serem realizadas nas obras do grpo do INOVACON-CE. Trabalhos anteriores foram pblicados pela Eqipe Técnica do INOVACON (SOUZA et al., 2005 e BARROS NETO, 2005) exaltando a aplicação da filosofia da Constrção Enxta realizada pelo grpo de empresas do INOVACON, tomando por base ma obra piloto a qal foi escolhida drante o módlo de Constrção Enxta. O presente artigo mostrará as diversas ferramentas aplicadas e as melhorias aportadas para o processo de racionalização da constrção de edifícios após a implantação da filosofia Lean nas empresas do grpo do INOVACON-CE. As técnicas baseadas na filosofia de Constrção Enxta qe foram 1

2 observadas nas obras verticais do grpo INOVACON-CE e qe serão mostradas a segir são: técnicas de otimização do processo de trabalho, através do estdo de seqüências de trabalho desenvolvidas para vários serviços; melhorias implementadas na gestão organizacional (padronização da execção de serviços; layot de canteiro, Kanbans, programa 5S, pallets e transpallets); no planejamento e controle da obra (Linha de Balanço, pacotização dos serviços e diagramas de seqüências). Desta forma, procrar-se-á repassar medidas simples, fáceis, mas de cnho essencial para ma mdança no pensamento gerencial: a constante melhoria do processo. Não qe em termos teóricos não se tenha coberto o escopo desta nova filosofia gerencial, principalmente, insistindo-se em ses aspectos sistêmicos e na integração de ações de cnho estratégico, tático e operacional. Não qe não se tenha tilizado toda a bagagem anteriormente amealhada pelas empresas, tanto nos módlos anteriores do INOVACON, como pela própria experiência individal das empresas. Assim, elementos como a programação de obras por Linha de Balanço, a padronização da execção de serviços, o layot de canteiros e os Programas 5S, foram valorizados, mas sempre com o objetivo de otimizar o processo de trabalho, para se obter melhores índices de aproveitamentos de mão de obra. Utilizo-se como bibliografia, a clássica na área, qe vem sendo citada em todas as dissertações e trabalhos acadêmicos recentes. Assim Koskela (1992 e 2000), Santos (1999), Isatto et al (2000) e os artigos do IGLC International Grop for Lean Constrction em ses congressos anais, formaram a estrtra referencial para as ações desenvolvidas. Especificamente sobre o STP, foram sados os textos de Ohno (1996) e Shingo (1996). Em particlar, tilizaram-se textos da Constrtora Fibra/IRB pblicados em congressos nacionais, qe serviram de exemplo para as demais empresas na bsca do registro acadêmico de sa prodção em obra. Segndo Rocha et al (2004), as pesqisas realizadas em obras, permiti o reqadro das iniciativas de gerenciamento do canteiro dentro de ma perspectiva maior do gerenciamento do empreendimento como m todo. Os conceitos de constrção enxta foram aprofndados pelos textos recentes de Teixeira et al (2004), Miranda et al (2003) e Pantaleão et al (2003), tanto da área de constrção civil, como da manfatra em geral. Especificamente, as ações em obra foram patadas pela bibliografia ligada ao planejamento e controle de obras, como encontrado em Heineck et al (2001), Blhões et al (2003) e Coelho et al (2003). Ainda qe mitos dos artigos não adotem os conceitos do STP no desenho e controle do processo prodtivo, estes artigos fornecem ma metodologia estrtrada para aqelas empresas qe qerem implantar ações de melhoria ainda dentro de ma visão taylorista e de gerenciamento de projetos tradicional Metodologia de Trabalho Drante o módlo de Constrção Enxta foram realizadas as segintes etapas: realização de alas teóricas (doze alas de 3 horas cada) às empresas participantes, visando o repasse dos conceitos e das ferramentas sobre o tema constrção enxta; realização de visitas técnicas às empresas participantes do módlo; e realização de estdo de caso. Nosso objetivo maior, neste presente artigo, não é mostrar como foram exectadas as atividades drante o módlo de Constrção Enxta, mas sim, de constatar as mdanças e melhorias reais ocorridas nas empresas em qe a filosofia do Lean foi trabalhada, após o término do módlo. A metodologia de trabalho consisti em realizar visitas de cnho técnico com o objetivo de observar as mdanças implantadas com a incorporação da nova filosofia. Foram observados os segintes princípios da constrção enxta definidos pelo STP: 2

3 a) Estabilizar o flxo de material e informação (kaizen de flxo); b) Melhorar os processos constrtivos (kaizen de processo); c) Prodzir o necessário, qando necessário (jst-in-time); e d) Otimização da Mão de Obra, redzindo os tempos de ociosidade Resltado de tabelas e figras As ações aqi apresentadas foram observadas nas constrtoras participantes do INOVACON- CE, as qais totalizam 13 empresas. Neste item, serão mostradas as melhorias baseados na filosofia Lean, mas a identidade das empresas em qe as melhorias foram observadas serão gardadas em sigilo Ações implementadas na gestão organizacional das obras verticais Os trabalhos repetitivos, característicos das obras de edifícios residenciais, propiciam a implantação de sinalização, de atividades prodtivas, de planejamento e de controle de prodção particlares a este tipo de obra. Podemos citar algmas das melhorias implantadas (ver tabela 01): a) Pacotização dos Serviços de alvenaria; b) Racionalização dos flxos de transportes no canteiro; c) Projeto do carro prateleira (em desenvolvimento); d) Programa visal do canteiro; e) Projeto de Paginação de Alvenaria; f) Melhorias no serviço de alvenaria; g) Formlário de acompanhamento detalhado da execção de serviços; h) Formlários de acompanhamento da seqüência de execção do serviço e motivo de paradas; e i) Exemplo do Kanban de sinalização, Cartões Kanbans instalados no almoxarifado, heijnka box e detalhe do cartão Kanban. Fotos Foto 01: Pacote de alvenaria Descrição das melhorias implantadas na gestão organizacional em obras de edifícios verticais A pacotização dos serviços de alvenaria aporto melhorias e prodtividade para as obras verticais. A tilização de blocos especiais, de diferentes espessras, de blocos calhas, de blocos caixa, troxe ma redção na perda de materiais e ma melhoria na padronização dos serviços. Na foto 05 mostrar-se-á o projeto específico de alvenaria, o qal axilia na execção dos serviços a partir da pacotização dos mesmos. Foram demarcados pelas empresas os caminhos por onde devem passar os materiais. Desta forma, pode-se otimizar os flxos de materiais, redzindo a distância média de transporte, e facilitando a desobstrção do trajeto a ser percorrido pelos materiais. Foto 02: Racionalização dos flxos de transportes no canteiro 3

4 Um Projeto em desenvolvimento é o do carro prateleira para transporte de argamassa dentro das nidades habitacionais (ver foto 03), para sbstitir as jericas, melhorando o flxo dos materiais no canteiro. O carro prateleira será composto por várias caixas plásticas para transporte de argamassa, com volme sperior ao da jerica, para abastecimento dos carros de argamassa com dimensões qe permita o livre transito dentro dos apartamentos. Foto 03: Carro Prateleira Foto 04: Placas indicativas de qantidade de materiais por pavimento Fotos 05: Projeto de Paginação de Alvenaria Fotos 06 e 07. Confecção de tijolo Mestra e Baias de estoqe de tijolos especiais, respectivamente. Fotos 8 e 9: Exemplo do Kanban de sinalização As placas indicativas (ver foto 04) foram criadas com o intito de indicar a qantidade necessária de material por pavimento tipo, obtendo desta forma ma melhor visalização dos materiais necessários a serem empregados em determinados serviços. Permite também ma maior difsão das informações por todos os níveis hierárqicos da empresa. O projeto de paginação das alvenarias (ver foto 05), com tilização de blocos cerâmicos especiais de diferentes espessras, blocos calhas e bloco caixa para racionalização dos trabalhos axiliam os pedreiros na marcação e na elevação das alvenarias. Também axilia no levantamento exato do material (tijolo) a ser tilizado nesta etapa da obra. Com a criação do tijolo emestrado, as diversas espessras de mestra dos tijolos emestrados confeccionados, na central de emestramento, são prodzidos (Foto 06) tilizando-se de gabaritos e posteriormente armazenados nas baias do spermercado de prodtos (Foto 07). Com a criação do spermercado de prodtos. Os materiais estão sendo dispostos em baias, devidamente identificadas, para agilizar o transporte para os locais de aplicação. Foram feitos e instalados kanbans de sinalização para os principais materiais em grande parte das obras participantes do INOVACON, com o intito de controlar visalmente a qantidade mínima, determinada para cada m deles, evitando assim, o desabastecimento. A determinação dessas qantidades mínimas fico a cargo da eqipe técnica de cada obra, qe se baseo para isso, nas necessidades diárias da obra. Por exemplo, para o cimento foi determinada a qantidade mínima de 50 sacos. Desta forma consegi-se redzir o estoqe de materiais e melhor controlar a faltas destes na obra. (Ver foto 8 e 9). Com intito de se evitar o desabastecimento de materiais importantes na obra, foram feitos e instalados kanbans de sinalização para o controle do estoqe mínimo dentro do almoxarifado dos principais materiais e sas qantidades mínimas. 4

5 Os transpallets foram adqiridos por algmas constrtoras jntamente com pallets com dimensões especiais para facilitar a livre circlação do flxo de materiais (tijolos; cimento; argamassa pronta; etc). Otimizando desta forma o flxo físicos dentro da obra. Foto 10: Transpallets e pallets adqiridos por ma das obras Tabela 01: Resenha fotográfica e melhorias implantadas na gestão organizacional das obras 3.2. Ações implementadas no planejamento e controle das obras Dentre as ações de planejamento e controle implementadas nas obras destacam-se as segintes (ver tabela 02): a) Linha de balanço parcial das atividades de prodção; b) Programação diária de serviços Execção da Estrtra de Concreto ; c) Constrção do diagrama homem-máqina para a betoneira e para a eqipe de enchimento dos pilares, respectivamente; d) Elaboração do diagrama de seqüência tilizado na atividade de revestimento cerâmico; e e) Implantação de indicadores de parada de atividades. Imagens Descrição das melhorias implantadas no planejamento e controle das obras Nesta imagem pode-se observar ma Linha de Balanço gerada por m software de gerenciamento de obras. A empresa criadora do software, frente à necessidade de ses clientes e por intermédio de solicitações das empresas participantes do INOVACON-CE, lanço m módlo qe gera a linha de balanço a partir dos dados de controle da obra. Facilitando desta forma a obtenção de ma visão global da obra e m melhor controle das atividades. Imagem 01: Linha de balanço implantada em software 5

6 O b ra : Serviço : M a ter ia l : D a ta : C o n fer ên c ia : Eqipe da betoneira Concreto Pilares 03-jan jan-05 2 m in to A jdante 1 - A bastecer a betoneira com brita, areia e encher as padiolas de brita. 3 - D I A G R A M A H O M E M -M Á Q U I N A C -1 1 Seste Plaza 8 m in to 8 m in to 7 m in to 6 m in to 5 m in to 4 m in to 3 m in to 1 m in to Sitação anterior 01 Sitação atal 01 B e t o n e i o A j d - 1 A j d - 2 G i n c h. 7 m in to 6 m in to 5 m in to 4 m in to 3 m in to 2 m in to 1 m in to D escrição dos serviços S e rv iç o 1 - A d e n s a r o c o n c re to, a b a s te c e r a b e to n e ira c o m á g a e c im e n to Serviço 2 - Abastecer a betoneira com areia e encher as padiolas Serviço 3 - Abastecer a betoneira com brita e encher as padiolas Serviço 3 - Transportar o concreto da betoneira p / o gincho, com giricas Serviço 4 - Transportar o concreto no gincho, com giricas. T e m p o o c io s o Seqüência dos serviços B e to n e ir o - A d e n s a r o c o n c re t o, a b a s te c e r a b e to n e ir a c o m á g a e c im e n to e e n c h e r a s p a d io la s d e a r e ia. G in c h e iro - T ra n s p o r ta r a s g ir ic a s p / o s b s o lo, t ra n s p o r ta r o c o n c r e to p a ra o g in c h o, transportar o concreto do sbsolo para o pav. de aplicação. Imagem 02: Diagrama homem-máqina para a eqipe de enchimento dos pilares. B e t o n e i o A j d - 1 G i n c h. Qando do estdo do diagrama homem-máqina para betoneira nos serviços de concretagem de pilar observo-se ma redção de ate 40% da mão de obra tilizada. Os gráficos homem x tempo, foram confeccionados com medições nma determinada obra, onde foi verificado o qe e qanto tempo cada pessoa necessitava para exectar sa atividade. O segndo diagrama (imagem 06), foi criado para a eqipe de enchimento dos pilares. Na sitação anterior tínhamos m pedreiro e três ajdantes, com m tak-time de 8 mintos entre a solicitação de cada traço. Na sitação atal foi retirado m ajdante e redistribídas as atividades, onde foi detectado qe o tempo ocioso da eqipe dimini consideravelmente, sem nenhm atraso no fornecimento e nem tão poco desgaste excessivo da eqipe; qe tem m tempo de setp de 10 mintos entre o enchimento dos pilares. O resltado final desta aplicação, foi qe drante o período de 10 dias úteis (tak-time da execção das lajes), foi liberado 3 ajdantes para exectarem otras atividades no período de enchimento dos pilares, qe é de três dias. Imagem 03: Diagrama de seqüência tilizado na atividade de revestimento cerâmico. A nidade qe se realiza a programação é o apartamento. Desta forma pode-se observar a atividade qe cada profissional está realizando balanceando as cargas de trabalhos para qe m não fiqe mais sobrecarregado do qe o otro. Tabela 02: Resenha fotográfica e melhorias implantadas no planejamento e controle das obras 4.0. Considerações finais Apresento-se neste trabalho diversas melhorias de processos, nas empresas constrtoras de edifícios participantes do INOVACON-CE, no qe diz respeito à implantação da filosofia Lean Constrction. Inúmeras foram as melhorias realizadas, as qais troxeram para as empresas m maior controle dos flxos, sejam eles físicos, de informação o financeiros. O planejamento da obra também teve ma maior abertra qanto à visalização do mesmo, tanto em crto qanto em longo prazo. O estdo de flxos do serviço verificando os possíveis 6

7 pontos de não agregação de valor, para a eliminação destes, foi importante drante a implantação desta nova filosofia. Embora a implantação destas melhorias tenha trazido mdanças significativas para a rotina da obra, deve-se ressaltar qe o princípio da melhoria contína deve estar sempre na mentalidade dos gestores. Vale ressaltar qe apesar das melhorias alcançadas, inúmeras foram as dificldades encontradas na implantação desta nova filosofia, pode-se citar a maior de todas as dificldades a resistência dos fncionários as mdanças provenientes da implantação da nova filosofia. A intenção do grpo do INOVACON-CE será de não tardar em realizar otro módlo qe trate das qestões de planejamento e controle da prodção dentro dos canteiros de obra, para qe se possa sempre estar alimentando o pensamento gerencias das empresas constrtoras na cidade de Fortaleza. E desta forma se chegar a atingir melhorias significativas, no qe se refere ao planejamento nos ses diversos níveis, antes não visalizadas pelas empresas de constrção civil de nossa região Referências bibliográficas BARROS NETO, J. P., HEINECK, L. F. M. & SOUZA, D. P. A Aplicação dos Princípios da Mentalidade Enxta na Constrção Civil: os exemplos de Fortaleza/CE, ENAMPAD, Brasília, BULHÕES, I.R.; FORMOSO, C.T. & AVELLAN, T.V. Gestão dos flxos físicos e sa integração com o planejamento e controle da prodção: caso de ma empresa de Salvador-BA. III SIMBRAGEC, São Carlos, COELHO, H.O. & FORMOSO, C.T. Planejamento e controle da prodção em nível de médio prazo: fnções básicas e diretrizes de implementação. III SIMBRAGEC, São Carlos, HEINECK, L.F.M. & MACHADO, R.L. A geração de cartões de prodção na programação enxta de crto prazo em obra. II SIMBRAGEQ, Fortaleza, ISATTO, E.L. ET AL. Lean constrction: diretrizes e ferramentas para o controle de perdas na constrção civil. 1 a edição. Porto Alegre: SEBRAE/RS, 2000, 175P. KOSKELA, L. An exploration towards a prodction theory and its application to constrction. 296p, 2000, Theses, Doctor of Philosophy, VTT Bilding Technology, Espoo. MIRANDA,C.M.G.; ALENCAR, L.H.; CAMPOS, C.A.O.; PONTES, L.A.C. & GHINATO, P. Um modelo para o sistema de constrção enxta a partir do sistema toyota de prodção. XXIII ENEGEP, Oro Preto, ONHO, T. Sistema toyota de prodção. Porto Alegre, SC, Brasil, Bookman, PANTALEÃO, L.H. & ANTUNES JR. Avaliação da aprendizagem organizacional a respeito do sistema toyota de prodção/lean prodction system: ma proposição metodológica. XXIII ENEGEP, Oro Preto, ROCHA, F.E.M.; HEINECK, L.F.M.; RODRIGUES, I.T.P. & PEREIRA, P.E. Logística e lógica na constrção lean. Fortaleza- Ce, Brasil, Fibra, ROTHER, M. & HARRIS, R. Criando flxo contíno: m gia de ação para gerentes, engenheiros e associados da prodção. São Palo, SP, Brasil, Lean Institte Brasil, ROTHER, M. & SHOOK, J. Aprendendo a enxergar: mapeando o flxo de valor para agregar valor e eliminar o desperdício. São Palo, SP, Brasil, Lean Institte Brasil, SANTOS, A. Application of flow principles in the prodction management os constrction sites. 463p, 1999, Theses, Doctor of Philosophy, The University of Salford, Salford, UK. SCHIMITT, C.M. & HEINECK, L.F.M. Módlo 1/6 Planejamento e Controle da Prodção Linha de Balanço, INOVACON, SHINGO, S. O sistema toyota de prodção do ponto de vista da engenharia de prodção. Porto Alegre, SC, Brasil, Bookman,

8 SOUZA, D. P.; BASTOS, M. R.; BARROS NETO, J. P.; MOURA, R. S. M.; PEREIRA, P. E. & HEINECK, L. F. M. Uma metodologia de implantação do Sistema Toyota de Prodção em ma empresa de constrção de edifícios a partir do sporte tecnológico do Programa de Inovação da constrção civil do ceará (INOVACON-CE). IV SIBRAGEC, POA, TAVARES, C.B.P.; HEINECK, L.F.M.; LEITE, M.O.; PEREIRA, P.E. & ROCHA, F.E.M. A constitição de céllas de trabalho na programação de obras em edifícios. X ENTAC, São Palo, TEIXEIRA, M.C.; KEMMER, S.L.; SILVA, M.F.S. & HEINECK, L.F.M. Melhorias gerenciais e tecnológicas: princípios da constrção enxta contemplados. XXIV ENEGEP, Florianópolis,

1. INTRODUÇÃO 2. METODOLOGIA DE TRABALHO

1. INTRODUÇÃO 2. METODOLOGIA DE TRABALHO UMA METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA TOYOTA DE PRODUÇÃO EM UMA EMPRESA DE CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS A PARTIR DO SUPORTE TECNOLÓGICO DO PROGRAMA DE INOVAÇÃO DA CONSTRUÇÃO CIVIL DO CEARÁ (INOVACON-CE)

Leia mais

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS E GERENCIAIS EM UMA EMPRESA CONSTRUTORA DE PEQUENO PORTE SEM A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS CARAS

INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS E GERENCIAIS EM UMA EMPRESA CONSTRUTORA DE PEQUENO PORTE SEM A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS CARAS INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS E GERENCIAIS EM UMA EMPRESA CONSTRUTORA DE PEQUENO PORTE SEM A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS CARAS Thiago R. Francelino (1); José de P. Barros Neto (2); Marcelo da Costa Teixeira (3);

Leia mais

A Aplicação dos Princípios da Mentalidade Enxuta na Construção Civil: os exemplos de Fortaleza/CE

A Aplicação dos Princípios da Mentalidade Enxuta na Construção Civil: os exemplos de Fortaleza/CE 1 A Aplicação dos Princípios da Mentalidade Enxuta na Construção Civil: os exemplos de Fortaleza/CE Autoria: José de Paula Barros Neto, Luiz Fernando Mahlmann Heineck, Denilson Pereira de Souza Resumo

Leia mais

Melhorias nos processos construtivos baseado no estudo dos fluxos físicos no canteiro de obra em uma empresa de Fortaleza

Melhorias nos processos construtivos baseado no estudo dos fluxos físicos no canteiro de obra em uma empresa de Fortaleza Melhorias nos processos construtivos baseado no estudo dos fluxos físicos no canteiro de obra em uma empresa de Fortaleza Alessandra Luize Fontes Sales (Engª. Civil) luize.sales@ig.com.br José de Paula

Leia mais

Access Professional Edition 2.1

Access Professional Edition 2.1 Engineered Soltions Access Professional Edition 2.1 Access Professional Edition 2.1 www.boschsecrity.com/pt Controle de acesso compacto baseado na inovadora família de controladores AMC da Bosch Verificação

Leia mais

Aplicação do sistema kanban no transporte de materiais na construção civil

Aplicação do sistema kanban no transporte de materiais na construção civil Aplicação do sistema kanban no transporte de materiais na construção civil Madalena Osório Leite (IRB) viladosol@secrel.com.br Igor Barros Pinho (IRB) igorbpinho@zipmail.com.br Pedro Eduardo Pereira (M

Leia mais

BIS Access Engine (ACE) 4.1

BIS Access Engine (ACE) 4.1 Engineered Soltions Access Engine (ACE) 4.1 Access Engine (ACE) 4.1 www.la.boschsecrity.com Controle de acesso sofisticado com gerenciamento direto de alarmes Integração e interação perfeitas com sistemas

Leia mais

Access Professional Edition

Access Professional Edition Engineered Soltions Access Professional Edition Access Professional Edition www.la.boschsecrity.com Software para controle de acesso e gerenciamento de segrança qe tiliza a inovadora linha de Controladores

Leia mais

Access Professional Edition

Access Professional Edition Engineered Soltions Access Professional Edition Access Professional Edition www.la.boschsecrity.com Software para controle de acesso e gerenciamento de segrança qe tiliza a inovadora linha de Controladores

Leia mais

Descreve um caso de implantação de um modelo para reduzir custos e melhorar planejamento de transporte e armazenagem de açúcar.

Descreve um caso de implantação de um modelo para reduzir custos e melhorar planejamento de transporte e armazenagem de açúcar. Verax consltoria VX00 090826 Logistica OtimizacaoAccar.docx Fnção: operações Segmento: commodities / logística Tema: otimização de negócios / planeamento de operações Metodologia: análise qantitativa OTIMIZAÇÃO

Leia mais

Relatório de Estágio Curricular. Rafael Menezes Albuquerque

Relatório de Estágio Curricular. Rafael Menezes Albuquerque Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica Relatório de Estágio Curricular Rafael Menezes Albuquerque São José dos Campos Novembro2005 Relatório de Estágio

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS

DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DESENVOLVIMENTO DE FERRAMENTAS GERENCIAIS PARA O PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS Sheyla Mara Baptista SERRA Dra., Eng., Professora Adjunto do Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São

Leia mais

A racionalização do uso de equipamentos em obra melhoria de processos para a viabilização dos fluxos em obra

A racionalização do uso de equipamentos em obra melhoria de processos para a viabilização dos fluxos em obra XII SIMPEP - Bauru, SP, Brasil, 07 a 09 de novembro de 2005 A racionalização do uso de equipamentos em obra melhoria de processos para a viabilização dos fluxos em obra Willy Castelo Branco T. Romano (CCB)

Leia mais

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia 4 1 INTRODUÇÃO Esse relatório tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas pelo acadêmico Joel Rubens da Silva Filho no período do estágio obrigatório para conclusão do curso de Engenharia

Leia mais

Access Professional Edition 3.0

Access Professional Edition 3.0 Engineered Soltions Access Professional Edition 3.0 Access Professional Edition 3.0 www.boschsecrity.com/pt Software para controle de acesso e gerenciamento de segrança qe tiliza a inovadora linha de Controladores

Leia mais

CLASSIFICAR EMPRESAS CONSTRUTORAS QUANTO AO GRAU DE APLICAÇÃO DE FERRAMENTAS LEAN

CLASSIFICAR EMPRESAS CONSTRUTORAS QUANTO AO GRAU DE APLICAÇÃO DE FERRAMENTAS LEAN ISSN 1984-9354 CLASSIFICAR EMPRESAS CONSTRUTORAS QUANTO AO GRAU DE APLICAÇÃO DE FERRAMENTAS LEAN HELOIZA PIASSA BENETTI (UTFPR) Ildeivan da Silva Junior (UTFPR) Eduardo Bellei (UTFPR) Resumo Nesta pesquisa,

Leia mais

EMPRESAS DE CONTAS SEGREGADAS RECURSOS DA ACE: UMA VISÃO GERAL

EMPRESAS DE CONTAS SEGREGADAS RECURSOS DA ACE: UMA VISÃO GERAL EMPRESAS DE CONTAS SEGREGADAS RECURSOS DA : UMA VISÃO GERAL a simplicidade originária da complexidade Recrsos de contas segregadas da Gerenciar ses próprios riscos agora fico mais fácil. Nos últimos anos,

Leia mais

MEDIÇÃO DE INDICADORES PARA O SERVIÇO DE ALVENARIA

MEDIÇÃO DE INDICADORES PARA O SERVIÇO DE ALVENARIA MEDIÇÃO DE INDICADORES PARA O SERVIÇO DE ALVENARIA Sandra Maria Carneiro Leão Mestranda - Universidade Federal da Paraiba - Departamento de Engª de Produção Caixa Postal 5045 - CEP 58051-970 - João Pessoa

Leia mais

Identificação de melhorias ligadas ao princípio lean da transparência na construção de edifícios residenciais um estudo de caso

Identificação de melhorias ligadas ao princípio lean da transparência na construção de edifícios residenciais um estudo de caso Identificação de melhorias ligadas ao princípio lean da transparência na construção de edifícios residenciais um estudo de caso Luiz Fernando M. Heineck (UFSC) freitas8@terra.com.br Izabel T. P. Rodrigues

Leia mais

BIS - Access Engine (ACE)

BIS - Access Engine (ACE) Engineered Soltions BIS - Access Engine (ACE) BIS - Access Engine (ACE) www.boschsecrity.com/pt Controle de acesso sofisticado com gerenciamento direto de alarmes Integração e interação perfeitas com sistemas

Leia mais

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING MANUFATURA ENXUTA DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING A ORIGEM DA PALAVRA LEAN O termo LEAN foi cunhado originalmente no livro A Máquina que Mudou o Mundo de Womack, Jones e Roos, publicado nos EUA em 1990.

Leia mais

PERSPECTIVA FINANCEIRA

PERSPECTIVA FINANCEIRA DEFINIÇÃO DE PROJETO GESTÃO DE PROJETOS AQUÍCOLAS Projeto é m processo único, consistente, com m conjnto ordenado e controlado de atividades, condzidas para atingir m objetivo com reqisitos especificados,

Leia mais

DIRETRIZES ESTRATÉGICAS PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA LOGÍSTICA EM CANTEIROS DE OBRAS

DIRETRIZES ESTRATÉGICAS PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA LOGÍSTICA EM CANTEIROS DE OBRAS DIRETRIZES ESTRATÉGICAS PARA MELHORIA DA EFICIÊNCIA LOGÍSTICA EM CANTEIROS DE OBRAS Thiago de Faria Falcão (1); Maria Carolina G. Oliveira Brandstetter (2); Tatiana Gondim do Amaral (3) (1) Programa de

Leia mais

Gestão da produção: Sistemas isolados. Gestão da produção: Funções envolvidas. Conteúdo. Gestão Integrada. Gestão Integrada

Gestão da produção: Sistemas isolados. Gestão da produção: Funções envolvidas. Conteúdo. Gestão Integrada. Gestão Integrada Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Construção e Estruturas Especialização em Gerenciamento de Obras Gestão Integrada Conteúdo Gestão Integrada Getsão de Fluxos Físicos Gestão

Leia mais

Arquitectura de Computadores II. Revisão e implementação do datapath do MIPS

Arquitectura de Computadores II. Revisão e implementação do datapath do MIPS Arqitectra de omptadores II LESI - 3º Ano Revisão e implementação do datapath do IPS João Lís Ferreira Sobral epartamento do Informática Universidade do inho Janeiro 22 Revisão do datapath (P) do IPS Visão

Leia mais

Telefones analógicos. Guia do Usuário. Plataforma de Comunicação BusinessPhone

Telefones analógicos. Guia do Usuário. Plataforma de Comunicação BusinessPhone Telefones analógicos Plataforma de Comnicação BsinessPhone Gia do Usário Cover Page Graphic Place the graphic directly on the page, do not care abot ptting it in the text flow. Select Graphics > Properties

Leia mais

Qualidade ao melhor preço!

Qualidade ao melhor preço! Bosch Car Service Qalidade ao melhor preço! Dos serviços rápidos aos mais complexos Criada para satisfazer as sas necessidades a rede Bosch Car Service está vocacionada para os novos desafios do sector

Leia mais

Determinante Introdução. Algumas Propriedades Definição Algébrica Equivalências Propriedades Fórmula Matriz

Determinante Introdução. Algumas Propriedades Definição Algébrica Equivalências Propriedades Fórmula Matriz ao erminante Área e em R 2 O qe é? Qais são sas propriedades? Como se calcla (Qal é a fórmla o algoritmo para o cálclo)? Para qe sere? A = matriz. P paralelogramo com arestas e. + A é a área (com sinal)

Leia mais

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS Você foi incumbido do planejamento da execução do edifício habitacional, constituído por um subsolo, um pavimento térreo e oito pavimentos tipo, com

Leia mais

GESTÃO DE FLUXOS LOGÍSTICOS INTERNOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL O CASO DE OBRAS VERTICAIS EM FORTALEZA-CE

GESTÃO DE FLUXOS LOGÍSTICOS INTERNOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL O CASO DE OBRAS VERTICAIS EM FORTALEZA-CE GESTÃO DE FLUXOS LOGÍSTICOS INTERNOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL O CASO DE OBRAS VERTICAIS EM FORTALEZA-CE Carlos A. M. A. Mourão (1); Marcos de V. Novaes (2); Sérgio L. Kemmer (3); Fernando R. M. Nunes (4) (1)

Leia mais

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços 05 Lean Office

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços 05 Lean Office Processos da Indústria de Serviços (LOQ4208) 5 Lean Office Isto não é... LEAN OFFICE 1 Aqui parece ser... LEAN OFFICE Lean Thinking: Os 5 Princípios Fundamentais 1. Definir o que é VALOR sob a ótica do

Leia mais

TÍTULO: SISTEMA KANBAN DE ESTOQUE APLICADO À PRODUÇÃO DE ESTACAS MEGA

TÍTULO: SISTEMA KANBAN DE ESTOQUE APLICADO À PRODUÇÃO DE ESTACAS MEGA TÍTULO: SISTEMA KANBAN DE ESTOQUE APLICADO À PRODUÇÃO DE ESTACAS MEGA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHAGUERA DE JUNDIAÍ AUTOR(ES): JEANNE

Leia mais

INFLUÊNCIAS DO PROJETO DE PRODUÇÃO E DO PROJETO DE CANTEIRO NO SISTEMA LOGÍSTICO DA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS

INFLUÊNCIAS DO PROJETO DE PRODUÇÃO E DO PROJETO DE CANTEIRO NO SISTEMA LOGÍSTICO DA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS INFLUÊNCIAS DO PROJETO DE PRODUÇÃO E DO PROJETO DE CANTEIRO NO SISTEMA LOGÍSTICO DA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS Otávio José de OLIVEIRA M.Sc., Eng., Professor da UNINOVE e UNIBAN - Rua Vasco Cinquini, 70 Bl.:2B

Leia mais

A GESTÃO DOS FLUXOS FÍSICOS NOS CANTEIROS DE OBRAS FOCANDO A MELHORIA NOS PROCESSOS CONSTRUTIVOS

A GESTÃO DOS FLUXOS FÍSICOS NOS CANTEIROS DE OBRAS FOCANDO A MELHORIA NOS PROCESSOS CONSTRUTIVOS I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. A GESTÃO DOS FLUXOS FÍSICOS NOS CANTEIROS

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA FERRAMENTA LINHA DE BALANÇO EM UMA OBRA INDUSTRIAL

IMPLANTAÇÃO DA FERRAMENTA LINHA DE BALANÇO EM UMA OBRA INDUSTRIAL IMPLANTAÇÃO DA FERRAMENTA LINHA DE BALANÇO EM UMA OBRA INDUSTRIAL Vanessa Lira Angelim (1); Luiz Fernando Mählmann Heineck (2) (1) Integral Engenharia e-mail: angelim.vanessa@gmail.com (2) Departamento

Leia mais

Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico. Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda

Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico. Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para o segmento econômico Otávio Pedreira de Freitas Pedreira Engenharia Ltda Painéis de concreto pré-moldados e soluções complementares para

Leia mais

BIS - Access Engine (ACE)

BIS - Access Engine (ACE) Engineered Soltions BIS - Access Engine (ACE) BIS - Access Engine (ACE) www.boschsecrity.com/pt Controle de acesso sofisticado com gerenciamento direto de alarmes Integração e interação perfeitas com sistemas

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DA ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO 1a. parte: TÉCNICA Engenheiro Civil - Ph.D. 85-3244-3939 9982-4969 la99824969@yahoo.com.br skipe: la99824969 de que alvenaria

Leia mais

Conteúdo. Conceitos Básicos de Gestão da Produção. Contexto da gestão da produção na construção. Conceitos básicos de gestão da produção

Conteúdo. Conceitos Básicos de Gestão da Produção. Contexto da gestão da produção na construção. Conceitos básicos de gestão da produção Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Construção e Estruturas Especialização em Gerenciamento de Obras Conceitos Básicos de Gestão da Produção Conteúdo Contexto da gestão da

Leia mais

[65, 187, 188, 189, 190]

[65, 187, 188, 189, 190] Anexo 12 Estimativa de Incertezas [65, 187, 188, 189, 190] 1. Introdção A estimativa da incerteza associada ao resltado de ma medição envolve vários passos: a especificação da grandeza em casa, a identificação

Leia mais

LOGÍSTICA DE OBRAS. Eng. GUILHERME COELHO DE ANDRADE

LOGÍSTICA DE OBRAS. Eng. GUILHERME COELHO DE ANDRADE LOGÍSTICA DE OBRAS Eng. GUILHERME COELHO DE ANDRADE Integração Sistêmica GESTÃO DA IMPLANTAÇÃO DO PROCESSO CONSTRUTIVO NA EMPRESA Parede Controles, Indicadores de desempenho Laje Organização lay-out, fluxo

Leia mais

Planejamento e Controle da Produção

Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção Conceitos básicos Aula 09 Conteúdo do Módulo Aula 1 (30/04): Conceitos básicos Importância do Planejamento Lean Construction: conceitos e exemplos práticos Aula 2 (05/05):

Leia mais

BIS - Access Engine (ACE)

BIS - Access Engine (ACE) Engineered Soltions - Access Engine (ACE) - Access Engine (ACE) www.boschsecrity.com/pt Controle de acesso sofisticado com gerenciamento direto de alarmes Integração e interação perfeitas com sistemas

Leia mais

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA TÍTULO: UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES DEDICADOS PARA O DESENVOLVIMENTO E ELABORAÇÃO DO MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR (MFV) EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO ENXUTA LEAN PRODUCTION CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

TRABALHO PRÁTICO. Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício.

TRABALHO PRÁTICO. Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício. TRABALHO PRÁTICO Objetivo: acompanhamento da execução de uma obra de um edifício. Grupos: grupos de TRÊS ou QUATRO participantes, necessariamente todos da mesma turma (Turma AC - manhã e Turma BD - tarde

Leia mais

A Construtora Colmeia

A Construtora Colmeia Vídeo Golf Ville Vídeo Golf Ville A Construtora Colmeia Fundada em 1980 Constrói empreendimentos residenciais e comerciais Obras em Fortaleza, Manaus, Natal e Campinas Mais de 2.000.000,00 m² construídos

Leia mais

CALIFORNIA CURSO DE FÉRIAS PROGRAMA DE INGLÊS PARA ADOLESCENTES. efigieeducacional.com.br T: 19 4141.1515. Conversação e Cultura Americana

CALIFORNIA CURSO DE FÉRIAS PROGRAMA DE INGLÊS PARA ADOLESCENTES. efigieeducacional.com.br T: 19 4141.1515. Conversação e Cultura Americana Conversação e Cltra Americana CURSO DE FÉRIAS 2015 Saída BRA 11/07 Chegada US 12/07 Saída US 01/08 Chegada BRA 02/08 efigieedcacional.com.br contato@efigieedcacional.com.br Conversação e Cltra Americana

Leia mais

As vantagens da solução empresarial chave da itrak incluem:

As vantagens da solução empresarial chave da itrak incluem: TM Enterprise Soltion Eliminar tarifas de rastreio por GPS Desfrtar dos benefícios adicionais de ma solção personalizada verss solção com anfitrião Amentar a segrança da informação da sa empresa Redzir

Leia mais

BIS - Visão geral e pacote básico V3.0

BIS - Visão geral e pacote básico V3.0 Engineered Soltions BIS - Visão geral e pacote básico V3.0 BIS - Visão geral e pacote básico V3.0 www.boschsecrity.com/pt Gerenciamento de integração predial e da segrança em ma única solção por meio de

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE

ALVENARIA ESTRUTURAL: DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE ALVENARIA ESTRUTURAL: BLOCOS DE CONCRETO DISCIPLINA: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO II PROF.: JAQUELINE PÉRTILE O uso de alvenaria como sistema estrutural já vem sendo usado a centenas de anos, desde as grandes

Leia mais

AUBR-83 Dicas e Truques. Objetivos:

AUBR-83 Dicas e Truques. Objetivos: [AUBR-83] BIM na Prática: Implementação de Revit em Escritórios de Arquitetura e Engenharia Paulo Henrique Giungi Galvão Revenda TECGRAF Consultor técnico Revit da Revenda TECGRAF AUBR-83 Dicas e Truques

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DA FERRAMENTA KANBAN PARA GESTÃO DA PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE TRAÇOS DE ARGAMASSA NO CANTEIRO DE OBRAS: ESTUDO DE CASO EM MACEIÓ-AL

IMPLEMENTAÇÃO DA FERRAMENTA KANBAN PARA GESTÃO DA PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE TRAÇOS DE ARGAMASSA NO CANTEIRO DE OBRAS: ESTUDO DE CASO EM MACEIÓ-AL IMPLEMENTAÇÃO DA FERRAMENTA KANBAN PARA GESTÃO DA PRODUÇÃO E DISTRIBUIÇÃO DE TRAÇOS DE ARGAMASSA NO CANTEIRO DE OBRAS: ESTUDO DE CASO EM MACEIÓ-AL NEUMANN, Jean Vitor Moura (1); SILVA JÚNIOR, Carlos André

Leia mais

Conceitos básicos b Planejamento e Controle da Produção (PCP)

Conceitos básicos b Planejamento e Controle da Produção (PCP) Conceitos básicos b de Planejamento e Controle da Produção (PCP) Carlos T. Formoso Sumário Por que o planejamento é importante? Por que o planejamento é ineficaz? O que é planejamento? Quem deve realizar

Leia mais

Logística no canteiro de obras, utilizando os princípios da construção enxuta. Eng Anivaldo da Costa Antunes

Logística no canteiro de obras, utilizando os princípios da construção enxuta. Eng Anivaldo da Costa Antunes Logística no canteiro de obras, utilizando os princípios da construção enxuta Eng Anivaldo da Costa Antunes Introdução Ao longo dos anos, a maior preocupação dos gestores esteve relacionada aos aspectos

Leia mais

Definição. Kaizen na Prática. Kaizen para a Administração. Princípios do Just in Time. Just in Time 18/5/2010

Definição. Kaizen na Prática. Kaizen para a Administração. Princípios do Just in Time. Just in Time 18/5/2010 Uninove Sistemas de Informação Teoria Geral da Administração 3º. Semestre Prof. Fábio Magalhães Blog da disciplina: http://fabiotga.blogspot.com Semana 15 e 16 Controle e Técnicas de controle de qualidade

Leia mais

PROJETO LEAN SIX SIGMA PARA ADEQUAÇÃO E CONTROLE DE WORK IN PROCESS (WIP) EM UMA INDÚSTRIA ELETROELETRÔNICA DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS

PROJETO LEAN SIX SIGMA PARA ADEQUAÇÃO E CONTROLE DE WORK IN PROCESS (WIP) EM UMA INDÚSTRIA ELETROELETRÔNICA DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS PROJETO LEAN SIX SIGMA PARA ADEQUAÇÃO E CONTROLE DE WORK IN PROCESS (WIP) EM UMA INDÚSTRIA ELETROELETRÔNICA DO PÓLO INDUSTRIAL DE MANAUS FÁBIO ANDRÉ DE FARIAS VILHENA (UFPA) vilhena.fabio@hotmail.com JOSÉ

Leia mais

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR?

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO / PÓS GRADUAÇÃO (LATO - SENSU) RELAÇÕES INTERPESSOAIS NA ESCOLA E A CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA MORAL. Modalidade Presencial

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO / PÓS GRADUAÇÃO (LATO - SENSU) RELAÇÕES INTERPESSOAIS NA ESCOLA E A CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA MORAL. Modalidade Presencial NOVAS TURMAS INÍCIO EM 2015 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO / PÓS GRADUAÇÃO Modalidade Presencial Coordenação Adriana Ramos Início do crso São Palo: 25/02/2015 Campinas: 04/03/2015 Dração / Carga Horária 18 meses

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Gestão da Produção Industrial 4ª Série Gerenciamento da Produção A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE INDICADORES DE PRODUTIVIDADE E PERDAS PARA PROCESSOS CONSTRUTIVOS À BASE DE CIMENTO EM SALVADOR. Prof. Dayana Bastos Costa, UFBA

IMPLEMENTAÇÃO DE INDICADORES DE PRODUTIVIDADE E PERDAS PARA PROCESSOS CONSTRUTIVOS À BASE DE CIMENTO EM SALVADOR. Prof. Dayana Bastos Costa, UFBA IMPLEMENTAÇÃO DE INDICADORES DE PRODUTIVIDADE E PERDAS PARA PROCESSOS CONSTRUTIVOS À BASE DE CIMENTO EM SALVADOR Prof. Dayana Bastos Costa, UFBA Por que medir produtividade e perdas? Brasil vive descasamento

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO DE UMA EMPRESA DA CAPITAL ALAGOANA

DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO DE UMA EMPRESA DA CAPITAL ALAGOANA DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO DE UMA EMPRESA DA CAPITAL ALAGOANA Marcus Costa Tenório Fireman (1); Adriana de Oliveira Santos (2) (1) Eng. Civil, Mestrando do Curso de Mestrado

Leia mais

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional

FCH Consultoria e Projetos de Engenharia Escritório: São Paulo Atuação: Nacional Projeto de Revestimento de Fachada em Argamassa Engª MSc Fabiana Andrade Ribeiro www.fchconsultoria.com.br Projeto de Revestimento de Fachada Enfoque na Racionalização FCH Consultoria e Projetos de Engenharia

Leia mais

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO

ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO ESTRUTURAS MISTAS: AÇO - CONCRETO INTRODUÇÃO As estruturas mistas podem ser constituídas, de um modo geral, de concreto-madeira, concretoaço ou aço-madeira. Um sistema de ligação entre os dois materiais

Leia mais

CALIFÓRNIA PROGRAMA INTENSIVO DE INGLÊS. Intensive English Program (IEP) UNIVERSITY OF CALIFORNIA - RIVERSIDE. Riverside

CALIFÓRNIA PROGRAMA INTENSIVO DE INGLÊS. Intensive English Program (IEP) UNIVERSITY OF CALIFORNIA - RIVERSIDE. Riverside Riverside Califórnia EUA CALIFÓRNIA PROGRAMA INTENSIVO DE INGLÊS Intensive English Program (IEP) UNIVERSITY OF CALIFORNIA - RIVERSIDE Riverside E vo pra Califórnia o me destino é ser star Riverside Riverside

Leia mais

Sistemas de mecanização. Engª Elza Nakakura

Sistemas de mecanização. Engª Elza Nakakura Sistemas de mecanização Engª Elza Nakakura Etapas de serviços de revestimento Etapas Convencional Projetado Recebimento/armazenagem Dosagem da argamassa 3 produtos Baias Peneirar areia Quantificação dos

Leia mais

Modelo de Redução de Custos em TI. Marcelo Udo Diretor de Operações BlackBelts S.A. marcelo_udo@blackbelts.com.br

Modelo de Redução de Custos em TI. Marcelo Udo Diretor de Operações BlackBelts S.A. marcelo_udo@blackbelts.com.br Modelo de Redução de Custos em TI Marcelo Udo Diretor de Operações BlackBelts S.A. marcelo_udo@blackbelts.com.br NA VERDADE... A Empresa MAS ANTES, UM POUCO DE LEMBRANÇA...... O profissionais de TI eram/são

Leia mais

PROVA DE ENGENHARIA CIVIL. Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar:

PROVA DE ENGENHARIA CIVIL. Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar: 18 PROVA DE ENGENHARIA CIVIL QUESTÃO 41 Para uma viga bi-apoiada, com carga concentrada, se desprezarmos o efeito do peso próprio, é CORRETO afirmar: a) o diagrama do esforço cortante (DEC) é composto

Leia mais

Estruturando o Fluxo Puxado - Sistema Puxado e Nivelado

Estruturando o Fluxo Puxado - Sistema Puxado e Nivelado 1 SÍNTESE E CONCLUSÃO Como acoplar ou integrar gerencialmente uma cadeia de valor (ou etapas de um processo produtivo) no âmbito da filosofia Lean? SISTEMA PUXADO NIVELADO SISTEMA PUXADO NIVELADO: É o

Leia mais

APLICAÇÃO DA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE

APLICAÇÃO DA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE ISSN 1984-9354 APLICAÇÃO DA LEAN CONSTRUCTION EM EMPRESAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE Danielle Meireles de Oliveira, Mariana Del Carlo Pereira (Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG)

Leia mais

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO Segurança Antes do início de qualquer serviço, verificar a existência e condições dos equipamentos de segurança

Leia mais

Construção Casa Simples. III - Nome do gerente do projeto, suas responsabilidades e sua autoridade.

Construção Casa Simples. III - Nome do gerente do projeto, suas responsabilidades e sua autoridade. Construção Casa Simples TERMO DE ABERTURA PROJECT CHARTER Preparado por Ronilson Ronald Marques Versão 1.0 Aprovado por Durval Marques 06/04/2011 I - Título do projeto Construção Casa Simples II - Resumo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA ENGENHARIA CIVIL PAULO ROGÉRIO FREITAS DE MATOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA ENGENHARIA CIVIL PAULO ROGÉRIO FREITAS DE MATOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE TECNOLOGIA ENGENHARIA CIVIL PAULO ROGÉRIO FREITAS DE MATOS IMPLANTAÇÃO DO PLANEJAMENTO E CONTROLE DA PRODUÇÃO EM UMA EMPRESA CONSTRUTORA A PARTIR DA FILOSOFIA LEAN

Leia mais

Programa de Desenvolvimento de Carreira

Programa de Desenvolvimento de Carreira Londres Inglaterra Programa de 2015 MELHORE AS PERSPECTIVAS DE CARREIRA INTERNACIONAL COM EXPERIÊNCIA DE TRABALHO EM UMA EMPRESA EM efigieedcacional.com.br contato@efigieedcacional.com.br O qe é o Programa

Leia mais

Renato da Silva SOLANO

Renato da Silva SOLANO INDICADORES OPERACIONAIS DE PRODUTIVIDADE E QUALIDADE PARA EDIFICAÇÕES DE ALTO PADRÃO NA CIDADE DE PORTO ALEGRE: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO DE LEVANTAMENTO NA FASE DE PROJETO E RELACIONAMENTO COM A FUNÇÃO

Leia mais

LINHA de Argamassas. Uma mistura de qualidade com alta produtividade.

LINHA de Argamassas. Uma mistura de qualidade com alta produtividade. Concreto LINHA de Argamassas Uma mistura de qualidade com alta produtividade. Estabilizada 01Argamassa Projetada A evolução chegou ao canteiro de obras. Elimine etapas, corte custos e aumente o controle

Leia mais

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde

Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET. Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Experiência: CADASTRAMENTO DE PRÉ-PROJETOS PELA INTERNET Fundo Nacional de Saúde FNS Ministério da Saúde Responsável: Hernandes Pires do Reis Consultor da Divisão de Manutenção e Suporte a Sistemas Endereço:

Leia mais

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim

VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza. Elaine Valentim VIABILIDADE E RESULTADOS OBTIDOS COM O USO DO BLOCO DE CONCRETO EM ALVENARIA DE VEDAÇÃO - Construtora Dacaza Elaine Valentim CONSTRUTORA DACAZA CENÁRIO - 2005 Mais de 20 anos no mercado; Focada na qualidade

Leia mais

Estar apto a utilizar técnicas, ferramentas e terminologias básicas do gerenciamento de projetos após a realização do curso.

Estar apto a utilizar técnicas, ferramentas e terminologias básicas do gerenciamento de projetos após a realização do curso. Curso sobre Gerenciamento de Projetos Apresentação O Gerenciamento de Projetos evoluiu nos últimos anos, ampliando sua área de atuação dentro das organizações. Nos mais variados campos da administração,

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Planejamento e Controle da Produção

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Planejamento e Controle da Produção Planejamento e Controle da Produção 1 Por que planejamento é importante? Eliminação de problemas relacionados à incidência de perdas e baixa produtividade Aumento da transparência dos processos (possibilidade

Leia mais

TRAÇO Proporções e consumo de materiais

TRAÇO Proporções e consumo de materiais TRAÇO Proporções e consumo de materiais Prof. Marco Pádua Em cada fase da obra usamos diferentes proporções de aglomerantes (cimento e cal), e agregados (areia e pedra) cujo objetivo pode visar: resistência,

Leia mais

I NFORMAÇÕES LEGAIS. ScanSoft Inc. 9 Centennial Drive Peabody, MA 01960 U.S.A.

I NFORMAÇÕES LEGAIS. ScanSoft Inc. 9 Centennial Drive Peabody, MA 01960 U.S.A. I NFORMAÇÕES LEGAIS Copyright 2002 by ScanSoft, Inc. Todos os direitos reservados. Nenhma parte desta pblicação pode ser transmitida, transcrita, reprodzida, armazenada em qalqer sistema de recperação

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO DE GESTORES EM MANUTENÇÃO DE EXCELÊNCIA

CURSO DE FORMAÇÃO DE GESTORES EM MANUTENÇÃO DE EXCELÊNCIA 2013 15 anos CURSO DE FORMAÇÃO DE GESTORES EM MANUTENÇÃO DE EXCELÊNCIA Ministrante: Sidnei Lopes Dias Realização: Gênesis Assessoria Empresarial CURSO DE FORMAÇÃO DE GESTORES EM MANUTENÇÃO DE EXCELÊNCIA

Leia mais

BIS - Visão geral e pacote básico V2.5

BIS - Visão geral e pacote básico V2.5 Engineered Soltions BIS - Visão geral e pacote básico V2.5 BIS - Visão geral e pacote básico V2.5 www.boschsecrity.com/pt Gerenciamento de integração predial e da segrança em ma única solção por meio de

Leia mais

GESTÃo DE RISCO. Presença nacional, reconhecimento mundial.

GESTÃo DE RISCO. Presença nacional, reconhecimento mundial. GESTÃo DE RISCO CORPORATIVO Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva do Financial Times

Leia mais

poder de compra x custo da construção poder de compra:

poder de compra x custo da construção poder de compra: w ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO poder de compra x custo da construção poder de compra: - Conceito Geral - Engenheiro Civil - Ph.D. (85)3244-3939 (85)9982-4969 luisalberto1@terra.com.br custo

Leia mais

a) 0:1:3; b) 1:0:4; c) 1:0,5:5; d) 1:1,5:7; e) 1:2:9; f) 1:2,5:10

a) 0:1:3; b) 1:0:4; c) 1:0,5:5; d) 1:1,5:7; e) 1:2:9; f) 1:2,5:10 ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PCC 2435 - TECNOLOGIA DE CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS I DEFINIÇÃO E DOSAGEM DE ARGAMASSAS PARA ASSENTAMENTO DE

Leia mais

BIS Visão geral e pacote básico V4.1

BIS Visão geral e pacote básico V4.1 Engineered Soltions Visão geral e pacote básico V4.1 Visão geral e pacote básico V4.1 www.la.boschsecrity.com Gerenciamento de integração predial e da segrança em ma única solção por meio de gerenciamento

Leia mais

APLICAÇÃO DO MAPEAMENTO DE FLUXO DE VALOR VERDE NO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL

APLICAÇÃO DO MAPEAMENTO DE FLUXO DE VALOR VERDE NO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL APLICAÇÃO DO MAPEAMENTO DE FLUXO DE VALOR VERDE NO SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL Caio Luciano Migliato Faculdade de Engenharia Ambiental e Sanitária CEATEC Centro de Ciências Exatas, Ambientais e de Tecnologias

Leia mais

ANÁLISE DE COMO PUXAR A PRODUÇÃO EM CANTEIROS REPETITIVOS PLANEJADOS COM LINHA DE BALANÇO

ANÁLISE DE COMO PUXAR A PRODUÇÃO EM CANTEIROS REPETITIVOS PLANEJADOS COM LINHA DE BALANÇO ANÁLISE DE COMO PUXAR A PRODUÇÃO EM CANTEIROS REPETITIVOS PLANEJADOS COM LINHA DE BALANÇO Thaís M. Carneiro (1) ; Patrícia P. Gonçalves (2) Luiz Fernando M. Heineck (3) (1) Universidade Federal do Ceará,

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM CUSTOMER SUCCESS STORY Maio 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários: 182 (2012) Faturamento:

Leia mais

APLICAÇÃO DA CONSTRUÇÃO ENXUTA (LEAN CONSTRUCTION) NA CONSTRUÇÃO CIVIL

APLICAÇÃO DA CONSTRUÇÃO ENXUTA (LEAN CONSTRUCTION) NA CONSTRUÇÃO CIVIL APLICAÇÃO DA CONSTRUÇÃO ENXUTA (LEAN CONSTRUCTION) NA CONSTRUÇÃO CIVIL Adriana Mansur Pereira (Unifran) adriana.mansur@unifran.edu.br Clarissa Fullin Barco (Unifran) cfbarco@hotmail.com Marcel Heimar Ribeiro

Leia mais

concreto É unir economia e sustentabilidade.

concreto É unir economia e sustentabilidade. concreto É unir economia e sustentabilidade. A INTERBLOCK Blocos e pisos de concreto: Garantia e confiabilidade na hora de construir. Indústria de artefatos de cimento, que já chega ao mercado trazendo

Leia mais

CUSTO PERCENTUAL ESTIMADO DE E.P.I.s : ESTUDO DE CASO REALIZADO EM UMA OBRA DE HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR DE JOÃO PESSOA-PB.

CUSTO PERCENTUAL ESTIMADO DE E.P.I.s : ESTUDO DE CASO REALIZADO EM UMA OBRA DE HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR DE JOÃO PESSOA-PB. CUSTO PERCENTUAL ESTIMADO DE E.P.I.s : ESTUDO DE CASO REALIZADO EM UMA OBRA DE HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR DE JOÃO PESSOA-PB. Cláudia Maria Videres Trajano Maria Silene Alexandre Leite Aloisio da Silva Lima

Leia mais

A utilização da ferramenta de mapeamento do fluxo de valor na gestão dos fluxos físicos nos canteiros de obras

A utilização da ferramenta de mapeamento do fluxo de valor na gestão dos fluxos físicos nos canteiros de obras XI SIMPP - Bauru, SP, Brasil, 08 a 10 de novembro de 2004 A utilização da ferramenta de mapeamento do fluxo de valor na gestão dos fluxos físicos nos canteiros de obras Alessandra Luize Fontes Sales (UFC)

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

Comparando as metodologias Lean Enterprise, Six Sigma e de Gestão da Qualidade

Comparando as metodologias Lean Enterprise, Six Sigma e de Gestão da Qualidade Página 1 de 6 NOTÍCIAS CARREIRAS & GESTÂO CURSOS & SEMINÁRIOS LIVROS DANÇA DAS CADEIRAS PESQUISAS COMPRAS ENTREVISTAS EM VÍDEO LAZER & TURISMO HOME Artigos Comparando as metodologias Lean Enterprise, Six

Leia mais

Arquitectura de Computadores II. Exercícios sobre pipelining

Arquitectura de Computadores II. Exercícios sobre pipelining Arqitectra de Comptadores II LESI - 3º Ano Eercícios sobre pipelining Departamento do Informática Universidade do inho Abril 22 Considere o modelo de ma arqitectra IPS com o pipeline da figra em aneo,

Leia mais

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio Software de Gestão Rural ADM Rural 4G 2011 ADM Rural 4G Agenda de Apresentação E Empresa Planejar O Software ADM Rural 4G Diferenciais Benefícios em

Leia mais

LEAN MANUFACTURING FERRAMENTAS E APLICAÇÕES EM PROCESSOS PRODUTIVOS E TRANSACIONAIS

LEAN MANUFACTURING FERRAMENTAS E APLICAÇÕES EM PROCESSOS PRODUTIVOS E TRANSACIONAIS LEAN MANUFACTURING FERRAMENTAS E APLICAÇÕES EM PROCESSOS PRODUTIVOS E TRANSACIONAIS Semana LIAG Limeira: 09/05/2011 1 Apresentação Palestrante: José Augusto Buck Marcos Engenheiro com formação e especialização

Leia mais