MÓDULO AUTOLIQUIDAÇÃO DA TAXA DE JUSTIÇA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MÓDULO AUTOLIQUIDAÇÃO DA TAXA DE JUSTIÇA"

Transcrição

1 MÓDULO AUTOLIQUIDAÇÃO DA TAXA DE JUSTIÇA REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS - DL n.º 34/2008, de 26/02 LEGISLAÇÃO APLICÁVEL Alterado por: Declaração de Retificação n.º 22/2008, de 24/04 Lei n.º 43/2008, de 27/08 DL n.º 181/2008, de 28/08 Lei n.º 64-A/2008, de 31/12 Lei n.º 3-B/2010, de 28/04 DL n.º 52/2011, de 13/04 Lei n.º 7/2012, de 13/02 - Republicação Retificação n.º 16/2012, de 26/03 Lei n.º 66-B/2012, de 31/12 DL n.º 126/2013, de 30/08 Regulamentado por: Portaria n.º 419-A/2009, de 17 de Abril Regula o modo de elaboração, contabilização, liquidação, pagamento, processamento e destino das custas processuais, multas e outras penalidades. Alterada por: Portaria n.º 179/2011, de 2 de Maio, Portaria n.º 200/2011, de 20 de Maio, Portaria n.º 1/2012, de 2 de Janeiro, Portaria n.º 82/2012, de 29 de Março, Portaria n.º 284/2013, de 30 de agosto, retificada pela Declaração de Retificação n.º 43/2013, de 25 de outubro; departamento de formação Página 1

2 ENQUADRAMENTO O RCP veio condensar num único diploma todas as disposições sobre custas, bem como toda a regulamentação sobre isenções que estavam dispersas em legislação avulsa. A matéria substantiva, inerente à tributação das custas, transita para as respetivas leis processuais. Excluem-se da aplicação do RCP: Os Processos do Tribunal Constitucional, e Os Processos dos Julgados de Paz. departamento de formação Página 2

3 Para efeitos do RCP, entende-se por processo: As ações; As execuções; Os incidentes (os do CPC e do artº 7º, nº 8 RCP); Os procedimentos cautelares, e Os recursos Que corram ou não por apenso e desde que possam dar origem a uma tributação própria artº 1º, nº 1 e 2 do RCP. Todos os processos estão sujeitos a custas. (Artº1º do RCP) As custas processuais compreendem: TAXA DE JUSTIÇA artº 529ºCPC ENCARGOS COM O PROCESSO artº 532º CPC CUSTAS DE PARTE Artº 533º CPC departamento de formação Página 3

4 FIXAÇÃO TAXA DE JUSTIÇA art.º 530º CPC e art.ºs 5º, 6º, 7º, 9º e 10º RCP REGRAS GERAIS - art.º 6º RCP A taxa de justiça corresponde ao montante devido pelo impulso processual de cada interveniente, seja ele, autor ou réu, exequente ou executado, requerente ou requerido, recorrente ou recorrido e está fixada nas Tabelas I-A, I-B, Tabela II e nos casos aplicáveis na Tabela I-C, todas do RCP nº 1 do Art.º 6º RCP A taxa de justiça é fixada em função do valor e complexidade da causa. REGRAS ESPECIAIS - art.º 7º RCP A taxa de justiça é determinada de acordo com a tabela II do RCP, nos seguintes casos: Incidentes; Procedimentos Cautelares; Procedimentos de Injunção; Procedimentos Europeus de Injunção; Procedimentos ou Incidentes Anómalos; Execuções, incluindo: - Execuções por custas, multas ou coimas. Nos procedimentos de injunção e nos procedimentos europeus de injunção, que sigam como ação, é devido o pagamento da taxa de justiça pelo Autor e pelo Réu, no prazo de 10 dias a contar da distribuição (cf. artigo7.º n.º 6 do Regulamento das Custas Processuais) departamento de formação Página 4

5 A UNIDADE DE CONTA (UC) Art.º 5º RCP O Regulamento das Custas Processuais (DL 34/2008), trouxe diferentes regras de fixação e atualização da UC, clarificadas com as alterações do DL 181/2008, de 28 de Agosto. A partir dessa data, a UC passou a ter o valor correspondente a ¼ do valor do IAS (Indexante de Apoios Sociais), arredondado à unidade de Euro. A Portaria nº 9/2008, de 03/01, fixou o valor do IAS para o ano de 2008, em 407,41. Ora, 407,41:4 = 101,85 - arredondado para a unidade de euro é igual a 102,00 A UC é atualizada anual e automaticamente de acordo com o indexante dos apoios sociais (IAS), devendo atender-se, para o efeito, ao valor de UC respeitante ao ano anterior (nº 2) 2014 IAS (Indexante de Apoios Sociais) 419,22 - Lei 83-C/2013, de 31/12 UC (Unidade de Conta) 102,00 - DL 34/2008, de 28/2 (alterado pelo DL 181/2008, de 28/8, e Lei 64-A/2008, de 31/12) O valor correspondente à UC aplicável a cada processo (ação, execução, incidente, procedimento cautelar ou recurso), independentemente do momento em que a taxa deva ser paga, fixa-se no momento em que o mesmo se inicia - nº 3 do artº 5º RCP ISENÇÕES O DL que aprovou o R.C.P. revogou todas as isenções previstas em legislação avulsa. Nesse sentido, são apenas válidas as isenções previstas no artigo 4.º do RCP. Existem duas categorias de isenções: 1) Isenções subjetivas ou pessoais (nº1) Estão diretamente relacionadas com a qualidade do interveniente processual, entre outros: a) O Ministério Público b) Qualquer pessoa, fundação ou associação, em ação popular; c) Os magistrados e os vogais do Conselho Superior da Magistratura; d) Os membros do Governo e equiparados; e) As pessoas coletivas privadas, sem fins lucrativos; f) Os trabalhadores, em matéria de direito de trabalho; g) Os menores ou os respetivos representantes legais; departamento de formação Página 5

6 h) O Fundo de Garantia; i) Os agentes das forças e serviços de segurança; j) O demandante e o arguido demandado; k) Os municípios; l) As sociedades civis ou comerciais, as cooperativas e os estabelecimentos individuais de responsabilidade limitada que estejam em situação de insolvência ou em recuperação de empresa. m) O Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social; 2) Isenções objetivas ou processuais (nº2) São as que dizem respeito ao tipo de processo, nomeadamente: a) As remições obrigatórias de pensões; b) Os processos administrativos urgentes relativos ao pré-contencioso eleitoral; c) Os processos do Tribunal de Execução das Penas, quando o recluso tenha insuficiência económica; d) Os processos de liquidação e partilha de bens de instituições de previdência social e associações sindicais de classe; e) Os processos de confiança judicial de menores, tutela, adoção e outros de natureza análoga que visem a entrega do menor a pessoa idónea, em alternativa à institucionalização do mesmo. NOTAS: 1. As entidades com isenções subjetivas, poderão perde-las, ficando responsáveis pelos encargos, em caso de: Manifesta improcedência do pedido; Desistência do pedido, ou Se ficarem totalmente vencidas; 2. Algumas das isenções estão condicionadas à decisão final do processo, razão pela qual poderão ficar sem efeito, relativamente a custas ou apenas aos encargos gerados no processo. 3. A isenção de custas não abrange os reembolsos à parte vencedora a título de custas de parte, pelo que neste casos terá de ser suportada extrajudicialmente nrº7 do artº 4º RCP departamento de formação Página 6

7 PRIMEIRA (OU ÚNICA) PRESTAÇÃO DA TAXA DE JUSTIÇA a) Momento do pagamento Art.º 144º e 145º CPC e art.º 14º do RCP Autor -> Petição Réu -> Contestação 1ª Intervenção Recorrente -> Alegações Recorrido -> Oposição Exequente -> Req. Executivo Executado -> Embargos A primeira ou única prestação é paga até ao momento da prática processual. 2ª Prestação - O artigo 44.º da Portaria nº 419-A/2009, de 17 de abril, alterada pelas Portarias nºs 179/2011, de 2 de maio, e 200/2011, de 20 de maio b) Junção da taxa de justiça ao processo art.º 145º CPC e art.º 9º da Portaria 280/2013 de 26/08 O documento comprovativo do pagamento prévio da taxa de justiça ou da concessão de benefício de apoio judiciário, deve ser junto com a peça processual, na 1ª intervenção do interessado art.º 145º CPC A junção de comprovativo de pagamento inferior ao devido, equivale à falta de junção, mas não implica a recusa da peça processual - nº 2 e 3 departamento de formação Página 7

8 Nota: A falta pode ser sanada nos 10 dias subsequentes à prática do acto sob pena de multa ou desentranhamento da peça processual. Art.º 570º, n.º 3 C.P.C. O uso dos meios eletrónicos é obrigatório quando tenha sido constituído mandatário, não havendo nestes termos lugar a qualquer tipo de redução da taxa de justiça, como sucedia antes da entrada em vigor do NCPC. NOTA: O uso dos meios eletrónicos é obrigatório quando tenha sido constituído mandatário, não havendo nestes termos lugar a qualquer tipo de redução da taxa de justiça, como sucedia antes da entrada em vigor do NCPC. c) Dispensa do pagamento prévio da taxa de justiça Ficam dispensados do pagamento prévio da taxa de Justiça: O Estado, incluindo os seus serviços e organismos, as Regiões autónomas e as autarquias locais, quando demandem ou sejam demandados, nos tribunais administrativos e fiscais, exceto em matéria administrativa contratual e pré-contratual e relativas às relações laborais com os funcionários, agentes e trabalhadores do Estado; O demandante e o arguido demandado no pedido de indemnização civil apresentado em processo penal, quando o respetivo valor seja igual ou superior a 20 UC; As partes nas ações sobre o estado das pessoas; As partes nos processos de jurisdição de menores; SEGUNDA PRESTAÇÃO DA TAXA DE JUSTIÇA a) Momento e Junção do Pagamento Deve ser paga no prazo de 10 dias a contar da notificação para a audiência final, devendo o interessado juntar no mesmo prazo o documento comprovativo de pagamento ou da concessão de benefício de apoio judiciário nº 2 do artº14º do RCP Caso contrário, a secretaria notifica o interessado para, no prazo de 10 dias, efetuar o pagamento, acrescido de multa de igual montante, nunca inferior a 1 UC nem superior a 10 UC nº 3 do artº14º do RCP departamento de formação Página 8

9 Se ainda assim o interessado não efetuar o pagamento, então, o tribunal determina a impossibilidade de realização das diligências de prova que tenham sido ou venham a ser requeridas pela parte em falta - nº 4 do artº14º do RCP Caso não haja lugar a audiência final e não sendo dispensada a 2ª prestação, então, a mesma é incluída na conta de custas final art.º 14º do RCP nº 5 do artº14º do RCP Caso a parte não seja representada por mandatário, o pagamento só é devido após notificação onde conste o prazo de 10 dias para efetuar o pagamento. b) Dispensa de pagamento da 2ª Prestação art.º 14º A do RCP Não há lugar ao pagamento da segunda prestação da taxa de justiça, nos seguintes casos: Ações que não comportem citação do réu, oposição ou audiência de julgamento; Ações que terminem antes de oferecida a oposição ou em que, devido à sua falta, seja proferida sentença, ainda que precedida de alegações; Ações que terminem antes da designação da data da audiência final; Ações administrativas especiais em que não haja lugar a audiência pública; Ações administrativas especiais em massa suspensas, salvo se o autor requerer a continuação do seu próprio processo; Processos de jurisdição de menores; Processos de jurisdição voluntária, em matéria de direito da família; Processos emergentes de acidente de trabalho ou de doença profissional terminados na fase contenciosa por decisão condenatória imediata ao exame médico; Processos tributários, no que respeita à taxa paga pelo impugnante, em caso de desistência no prazo legal após a revogação parcial do acto tributário impugnado. departamento de formação Página 9

10 c) Dispensa do pagamento prévio art.º 15º do RCP Estão dispensados do pagamento prévio da taxa de justiça: O Estado, os seus serviços e organismos; As partes nos processos de jurisdição de menores; As partes nas ações sobre o estado das pessoas; O demandante e o demandado, no pedido de indemnização cível, de valor igual ou superior a 20 UC. As partes são notificadas com a decisão final, para efetuar o pagamento da taxa no prazo de 10 dias. BASE TRIBUTÁVEL art.º 11º do RCP O valor tributário, para efeitos de cálculo da taxa de justiça, corresponde ao valor da ação, determinado de acordo com as regras previstas nas leis processuais respetivas, nomeadamente: o o o o o o o Artigos 11.º e 12.º do RCP; Artigos 120.º do Código de Processo do Trabalho; Artigos 15.º e 301.º do CIRE; Artigos 31.º a 34.º do CPTA; Artigo 97.º-A do CPPT; Artigo 38.º do Código das Expropriações. Artigos 296.º a 310.º do Código de Processo Civil; EXEMPLOS DE VALORES PROCESSUAIS EM PROCESSO CIVIL: Ações de Despejo a renda de 2 anos e meio, acrescido das rendas em dívida por 12 ou o da indemnização, se for superior n.º 1 do artigo 298.º do CPC; Alimentos definitivos e contribuição para despesas domésticas o quíntuplo da anuidade correspondente ao pedido n.º 3 do artigo 298.º do CPC; departamento de formação Página 10

11 Ações de Divisão de Coisa Comum o da coisa que se divide n.º 2 do artigo 302.º do CPC; Inventários o dos bens a partilhar ou, na sua falta, o da relação apresentada na repartição de finanças n.º 3 do artigo 302.º do CPC; Ações sobre o estado de pessoas ou interesses imateriais o equivalente à alçada da Relação e mais 0,01 - n.º 1 do artigo 303.º do CPC; Assim, o valor tributário que servirá ao cálculo da taxa de justiça, corresponde ao valor processual, determinado nos termos do Código de Processo Civil, e que nos termos do art.º 305º do CPC deve ser indicado pelas partes, no momento da propositura da ação, não obstante a poder ser corrigido pelo Juiz, a final. departamento de formação Página 11

12 departamento de formação Página 12

13 O QUE SÃO ENCARGOS DO PROCESSO? São todas as despesas que se vão produzindo ao longo do processo, resultantes da condução do mesmo, requeridas pelas partes ou ordenadas pelo tribunal. TIPOS DE ENCARGOS Art.º 16º RCP Reembolsos ao IGFEJ, IP, por: Despesas adiantadas; Despesas com o apoio judiciário, incluindo o pagamento de honorários; Reembolsos por despesas adiantadas à Direção-Geral de Impostos; Diligências efetuadas pelas forças de segurança, a fixar por Portaria; Compensações devidas às testemunhas de acordo com a tabela IV, mas o seu pagamento depende de requerimento a solicitar; Pagamento da utilização de depósitos públicos Portaria nº 512/2006, de 5 de Junho; Pagamentos de produção ou entrega de documentos, prestação de serviços ou outros análogos, requisitados pelo juiz ou oficiosamente; Pagamento das certidões exigidas pela lei processual, quando o responsável beneficie de apoio judiciário na certidão deve constar o seu custo e a indicação que entra em custas; As retribuições dos intervenientes acidentais - de acordo com a tabela IV; As despesas de transporte e ajudas de custo nas diligências afetas ao processo art.º 18º RCP departamento de formação Página 13

14 QUEM PAGA OS ENCARGOS? Os encargos são pagos pela parte que lhes tenha dado origem ou que deles aproveita. Se ambas as partes aproveitarem da diligência e dela tirarem igual proveito ou se não for possível determinar quem foi a parte interessada da diligência, então, a responsabilidade pelos encargos é repartida de igual modo. Se forem requeridas diligências manifestamente desnecessárias e dilatórias, os encargos são pagos unicamente pela parte que as requereu. COMO SÃO PAGOS OS ENCARGOS? Os encargos são pagos pela parte requerente ou interessada, imediatamente ou no prazo de 10 dias a contar da notificação do despacho que ordene a diligência, determine a expedição ou cumprimento de carta rogatória ou marque a data da audiência de julgamento nº 1 do art.º 20º RCP A Secretaria faz um cálculo da despesa previsível com determinada diligência, com base na Tabela IV e emite guias para pagamento antecipado de encargos, até 5 dias antes da realização da diligência e envia à parte ou partes responsáveis. Os encargos que sejam da responsabilidade de uma parte isenta ou dispensada por beneficiar do apoio judiciário, são sempre adiantados pelo Instituto de Gestão Financeira e dos Equipamentos da Justiça - n.º 1 do artigo 19.º do RCP; E SE A PARTE FOR ISENTA OU BENEFICIAR DE APOIO JUDICIÁRIO? Nestes casos, os encargos que sejam da responsabilidade de uma parte isenta ou dispensada por beneficiar do apoio judiciário, são sempre adiantados pelo Instituto de Gestão Financeira e dos Equipamentos da Justiça. n.º 1 do artigo 19.º do RCP FALTA DE PAGAMENTO DOS ENCARGOS O não pagamento dos encargos implica a não realização da diligência requerida nº 1 do art.º 23º RCP A parte que não efetuou o pagamento pontual dos encargos pode, se ainda for oportuno, realizá-lo nos cinco dias posteriores ao termo do prazo, mediante o pagamento de uma sanção de igual valor, com o limite máximo de 3UC nº 2 No final, os encargos que estejam por contar são imputados na conta de custas da parte ou partes que foram nelas condenadas, na proporção da condenação art.º 24º RCP departamento de formação Página 14

15 O QUE SÃO CUSTAS DE PARTE? São o valor despendido por uma das partes, com determinado processo e que tem direito a ser compensada em virtude da condenação da parte contrária nº4 do art.º 529º CPC As custas de parte são pagas direta e extrajudicialmente pela parte vencida à parte vencedora, na proporção do seu decaimento e nos termos do RCP artº533º CPC e nº 2 do art.º 26º RCP Ver também o nº1 do art.º 3º e 25.º e 26.º do RCP Pode pois adiantar-se que "as custas de parte constituem o universo das despesas que cada parte efetua com vista ao impulso de um processo, bem como o restante dispêndio necessário ao desenvolvimento da lide", significando isto que, "desta forma as partes, na exata proporção do seu vencimento, têm direito a ser compensadas [pela outra parte] das despesas suportadas. (taxa de justiça e encargos) Mas não só estas duas rubricas integram as custas de parte. Com efeito, para além delas há também que ter em linha de conta que das custas de parte faz parte uma outra rubrica que visa compensar a parte vencedora das despesas que esta haja suportado com os honorários e despesas do seu mandatário judicial, seja este advogado ou solicitador, e com a remuneração e despesas do agente de execução que acaso tenha tido intervenção no pleito. departamento de formação Página 15

16 COMO SE PROCESSO ESSE PAGAMENTO? A parte vencedora, no prazo de 5 dias após o trânsito em julgado da decisão no processo declarativo, ou após a notificação de que foi obtida a totalidade do pagamento ou do produto da penhora em processo executivo, remete à parte vencida e ao Tribunal, uma nota discriminativa e justificativa com os seguintes elementos: nº 3 do art.º 533º CPC e nº 2 do art.º 25º RCP Indicação da parte; Indicação do processo; Indicação do mandatário; Indicação do agente de execução, se for o caso; Indicação das quantias pagas a título de taxa de justiça; Indicação das quantias pagas a título de encargos ou despesas previamente suportadas pelo agente de execução; Indicação das quantias pagas a título de honorários de mandatário ou de agente de execução; Indicação do valor a receber. departamento de formação Página 16

17 Aos valores pagos a título de taxa de justiça, na proporção do seu vencimento; Aos valores pagos a título de encargos, incluindo as despesas com o Agente de Execução; Aos valores pagos a título de honorários com o Agente de Execução; O valor a receber para suportar os honorários do mandatário é de 50% do somatório das taxas de justiça pagas pela parte vencida e pela parte vencedora, incluindo as taxas pagas nos procedimentos e outros incidentes. Isto com a finalidade de compensar "a parte vencedora face às despesas com honorários do mandatário judicial". Tanto se estabelece no referido art.º 26º, nº. 3, c) do RCP Não são contabilizadas: Multas; Outras penalidades; Taxa sancionatória excecional, e O agravamento pago pelas sociedades com 200 ou mais ações. A parte que não tenha constituído mandatário e/ou na ausência de agente de execução, não tem direito a custas de parte na parte dos 50% do somatório das taxas de justiças pagas pelas partes. n.º 5 do art.º 26º RCP departamento de formação Página 17

18 Integram também as custas de parte as quantias que sejam pagas para fazer face a despesas que tenham sido previamente suportadas por agente de execução, ou que integrem honorários deste - Art.º 26º, nº. 3, d) do RCP. Valendo, aqui também, quanto a contributo para honorários, a limitação explicitada acima e que consta do já invocado art.º 26º, nº. 3, c) do RCP. Pedir ou não no Requerimento Executivo? A parte vencida, tem o prazo de 10 dias para efetuar o pagamento à parte vencedora. Se a parte vencida gozar do benefício de apoio judiciário na modalidade de dispensa de taxa de justiça e demais encargos com o processo, o reembolso das taxas de justiça pagas pelo vencedor é suportado pelo Instituto de Gestão Financeira e dos Equipamentos da Justiça, I. P. A solução para esta questão não consta expressamente plasmada no RCP, o que é uma lacuna do diploma. Com efeito, a propósito das custas judiciais propriamente ditas, estabelece-se no art.º 31º, nº. 1 do RCP que "a conta é sempre notificada..., e à parte responsável pelo pagamento, para que, no prazo de 10 dias,..., efetuem o pagamento". Por seu turno, de alguma forma regulamentando esta disposição, estabelece o art.º 28º, nº. 1 da já mencionada Portaria Nº. 419-A/09, de 17 de Abril que "o prazo de pagamento voluntário da conta é de 10 dias". Reforma e reclamação da conta de custas de parte art.º 31º RCP Pagamento das custas de parte em prestações art.º 33º RCP O incumprimento da obrigação de pagamento das custas de parte art. 35º RCP NOTA: Quando o autor, podendo recorrer a estruturas de resolução alternativa de litígios, opte pelo recurso ao processo judicial, não tem direito a receber custas de parte seja qual for o desfecho do processo, salvo quando tenha sido a parte contrária a inviabilizar esse recurso aos meios alternativos de litígio. nº 4 do art.º 533º CPC departamento de formação Página 18

19 MULTAS As multas e outras penalizações são sempre fixadas de forma autónoma das custas. A parte não pode ser simultaneamente condenada, pelo mesmo acto processual, em multa e taxa sancionatória excecional. - A taxa sancionatória excecional é fixada pelo juiz entre 2 e 15 UC art.º. 10º RCP Sempre que for prevista condenação em multa, sem indicação do respetivo montante, este pode ser fixado entre 0,5 e 5 UC. A condenação por litigância de má-fé é multada entre 2 e 100 UC artº 542 CPC e nº 3 do art.º 27º RCP. As multas, penalidades e a taxa sancionatória excecional são devidas mesmo que o condenado: Seja isento de custas; Goze do benefício do apoio judiciário, ou Tenha tido vencimento na causa. O montante da multa é sempre fixado pelo juiz. O despacho que condena em multa, penalidade ou taxa sancionatória excecional é passível de recurso (de apelação), a ser interposto autonomamente, no prazo de quinze dias, após a sua notificação nº 6 do art.º 27º do RCP O prazo de pagamento das multas, penalidades ou taxa sancionatória excecional é de 10 dias após o trânsito em julgado do despacho que as fixou. O trânsito em julgado é de 15 dias art.º 644º, nº 2 alínea e) + art.º 638, nº1 do CPC Caso as multas e penalidades não sejam pagas no prazo de pagamento voluntário, transitam para a conta de custas do responsável com um acréscimo de 50% - n.º 3 do artigo 28.º do RCP devendo ser pagas a final. departamento de formação Página 19

20 AUTOLIQUIDAÇÃO DA TAXA DE JUSTIÇA EMISSÃO DUC DE COBRANÇA A emissão dos DUC s de cobrança, para qualquer processo e independentemente da data do seu início, foi uniformizada com a entrada em vigor da Lei n.º 7/2013, de 13 de Fevereiro. Para a Emissão do DUC podemos: 1) Aceder ao site do Instituto de Gestão Financeira e Equipamento da Justiça (IGFEJ) Selecionar a opção custas judicias Autoliquidações 2) Aceder ao site do CITIUS https://citius.tribunaisnet.mj.pt/habilus/myhabilus/login.aspx departamento de formação Página 20

21 Selecionar a opção Notas de Honorários e Emissão de Documentos Únicos de Cobrança Clicar em Emissão de Documentos Únicos de Cobrança departamento de formação Página 21

22 Selecionar uma das três opções 1ª OPÇÃO - LEI N.º 7/2012 RCP (TAXA DE JUSTIÇA TABELAS I E II DO R.C.P.) departamento de formação Página 22

23 Optar pelo tipo de processo Indicar valor da ação departamento de formação Página 23

24 Introduzir código de segurança Emitir DUC departamento de formação Página 24

25 EFETUAR PAGAMENTO 1. O pagamento do DUC pode ser efetuado através dos meios eletrónicos disponíveis: Multibanco Homebanking Terminal de Pagamento Automático (TPA) - instalado nas secretarias dos tribunais ou nos balcões das instituições Financeiras que constam da circular conjunta nº 2/2009 do IGFIJ e da DGAJ (CGD, Santander, Millennium, BES, etc.) 2. O pagamento por Multibanco e por Homebanking é efetuado através da opção Pagamentos ao Estado departamento de formação Página 25

26 2ª OPÇÃO - AUTOLIQUIDAÇÕES DIVERSAS Escolher o tipo de Autoliquidação Esta opção dará origem à emissão do DUC para pagamento de: Complemento da taxa de justiça: Há lugar a complemento da taxa de justiça nos seguintes casos: 1) Se o procedimento de injunção seguir como ação, então: O Autor (Requerente) deverá completar o pagamento de taxa de justiça, tendo em conta o que foi pago previamente no procedimento de injunção art.º 7º, nº5 do RCP. Exemplo: Valor do pedido (ação) é de 1.500,00 Qual o valor da Taxa de Justiça paga pelo Requerido? O Requerido em sede de oposição à injunção, paga a totalidade da taxa de justiça prevista na Tabela I-A, tendo em conta o valor da ação. departamento de formação Página 26

27 R: Neste caso, o valor da taxa de justiça a pagar é de 102,00 Qual o valor da Taxa de Justiça paga pelo Requerente? O Requerente paga a diferença entre o que já pagou no procedimento de injunção e o valor previsto para a ação. Valor da Ação: 1.500,00 Tabela I-A departamento de formação Página 27

28 Valor da Taxa de Justiça já paga em sede de Procedimento de Injunção Vide Tabela II RCP Então, 102,00-51,00 = 51,00 R: O valor complementar da taxa de justiça a pagar pelo Requerente (Autor) é de 51,00 Há ainda lugar a complemento da taxa de justiça: Reconvenção ou intervenção principal, com pedido distinto do Autor nº 2 e 3 do art.º 530º CPC Quando a secretaria confirme que a sociedade comercial intentou 200 ou mais ações no ano anterior e efetuou o pagamento pela tabela I-A quando deveria ter aplicado a tabela I-C É elaborada anualmente pelo MJ uma lista de sociedades comerciais, que no ano civil anterior tenham intentado 200 ou mais ações e que é publicada na 2ª Série do DR sob a forma de Aviso e disponibilizada no CITIUS. Depósitos autónomos: Produto da Execução, Rendas, Salários, cauções e outras quantias estranhas ao pagamento direto de custas processuais; Multas; Apoio Judiciário Pagamento faseado departamento de formação Página 28

29 departamento de formação Página 29

30 Actos Avulsos (artigo 9.º do Regulamento das Custas Processuais) Certidões Afixação de Editais Translados Citações Cópias Certificada s Notificações por oficial de Justiça Fotocópias de Processo Notificações Judiciais Avulsas departamento de formação Página 30

31 Revalidação de Taxas de Justiça Para revalidar um DUC que não tenha sido utilizado, deverá: 1. Aceder ao site do IGFEJ 2. Selecionar a opção Custas Judiciais / Revalidações Reembolsos art.º 14º, nº 8 do RCP e art.º 23ºA da Portaria nº 419-A/2009, de 17 de Abril, alterada pela Portaria nº 82/2012, de 29/03 Caso pretenda ser reembolsado de um DUC pago e não utilizado deverá: 1. Estar na posse do original do DUC e do comprovativo de pagamento; 2. Aceder ao site do IGFEJ 3. Selecionar a opção Custas Judiciais / Reembolsos departamento de formação Página 31

32 departamento de formação Página 32

Regulamento das Cus stas Processuais A Conta de Custas no Regulamento das Custas Processuais

Regulamento das Cus stas Processuais A Conta de Custas no Regulamento das Custas Processuais A Conta de Custas no Regulamento das Custas Processuais 1 Conceito de taxa de justiça no C.C.J. A taxa de justiça do processo corresponde ao somatório das taxas de justiça inicial e subsequente de cada

Leia mais

REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS. Dec-Lei nº 34/2008, de 26 de Fevereiro Alt. Pelo Dec-Lei nº 181/2008, de 28 Agosto

REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS. Dec-Lei nº 34/2008, de 26 de Fevereiro Alt. Pelo Dec-Lei nº 181/2008, de 28 Agosto 1 REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS Alcanena, 12 de Março de 2010 Dec-Lei nº 34/2008, de 26 de Fevereiro Alt. Pelo Dec-Lei nº 181/2008, de 28 Agosto Edgar Valles 2 Regulamento das custas processuais Entrada

Leia mais

CUSTAS JUDICIAIS. A CÓDIGO DAS CUSTAS JUDICIAIS: Decreto-Lei n.º 224-A/1996 e posteriores alterações.

CUSTAS JUDICIAIS. A CÓDIGO DAS CUSTAS JUDICIAIS: Decreto-Lei n.º 224-A/1996 e posteriores alterações. CUSTAS JUDICIAIS A CÓDIGO DAS CUSTAS JUDICIAIS: Decreto-Lei n.º 224-A/1996 e posteriores alterações. I Regime Geral - Aplica-se aos processos iniciados entre 1 de Janeiro de 1997 e 19 de Abril de 2009;

Leia mais

- PORTARIA N.º 225/2013, de 10 de julho: alteração à Portaria n.º 331- B/2009, de 30 de março

- PORTARIA N.º 225/2013, de 10 de julho: alteração à Portaria n.º 331- B/2009, de 30 de março DIPLOMAS - LEI N.º 41/2013, de 26 de junho: aprova o CPC - PORTARIA N.º 225/2013, de 10 de julho: alteração à Portaria n.º 331- B/2009, de 30 de março - DECLARAÇÃO DE RETIFICAÇÃO N.º 36/2013, de 12 de

Leia mais

Regulamento das Custas Processuais ADENDA

Regulamento das Custas Processuais ADENDA DECRETO-LEI Nº 398/98, DE 17 DE DEZEMBRO Regulamento das Custas Processuais 2013 9ª EDIÇÃO ALTERAÇÕES ADENDA I O Regulamento alterado pelo Decreto-Lei nº 126/2013, de 30 de agosto 1. Página 109, artigo

Leia mais

Regulamento das Custas Processuais

Regulamento das Custas Processuais Regulamento das Custas Processuais Regulamento das Custas Processuais, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 34/2008, de 26 de fevereiro, retificado pela Declaração de Retificação n.º 22/2008, de 24 de abril,

Leia mais

Breviário de funções do secretário de justiça

Breviário de funções do secretário de justiça Centro de Formação de Funcionários de Justiça ENTRAR Ver instruções de utilização Direção-geral da Administração da Justiça Bem vindo à apresentação Padronização das custas Esta apresentação é composta

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Diário da República, 1.ª série N.º 31 13 de fevereiro de 2012 681 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 7/2012 de 13 de fevereiro Procede à sexta alteração ao Regulamento das Custas Processuais, aprovado pelo

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. DIRECÇÃO GERAL DA ADMINISTRAÇÃO DA JUSTIÇA Centro de Formação de Oficiais de Justiça NOTA INTRODUTÓRIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. DIRECÇÃO GERAL DA ADMINISTRAÇÃO DA JUSTIÇA Centro de Formação de Oficiais de Justiça NOTA INTRODUTÓRIA NOTA INTRODUTÓRIA A entrada em vigor do Decreto-Lei 324/2003 de 27 de Dezembro, alterou substancialmente o modo de processamento das custas de parte relativamente aos processos instaurados a partir de

Leia mais

Regulamento das Custas Processuais. Aplicação no Tempo CFFJ Direção-geral da Administração da Justiça

Regulamento das Custas Processuais. Aplicação no Tempo CFFJ Direção-geral da Administração da Justiça Regulamento das Custas Processuais Aplicação no Tempo CFFJ - 2012 Direção-geral da Administração da Justiça Índice Objeto... 3 Alteração ao Regulamento das Custas Processuais... 3 Alteração às tabelas

Leia mais

Regulamento das Custas Processuais Procedimentos a observar na tramitação das secretarias judiciais CFFJ

Regulamento das Custas Processuais Procedimentos a observar na tramitação das secretarias judiciais CFFJ Regulamento das Custas Processuais Procedimentos a observar na tramitação das secretarias judiciais CFFJ - 2012 Direção-Geral da Administração da Justiça Face à uniformização do sistema de custas consagrado

Leia mais

Custas no tribunal administrativo e fiscal

Custas no tribunal administrativo e fiscal Regulamento das Custas Processuais Custas no tribunal administrativo e fiscal CFFJ - 2012 Direção-Geral da Administração da Justiça Índice Siglas e Abreviaturas... 4 Nota prévia... 5 Enquadramento... 6

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 347/XII/2.ª FUNDO DE GARANTIA SALARIAL

PROJETO DE LEI N.º 347/XII/2.ª FUNDO DE GARANTIA SALARIAL Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 347/XII/2.ª FUNDO DE GARANTIA SALARIAL Exposição de motivos Apesar de ter sido criado há já mais de 10 anos e muito embora esteja previsto no artigo 336.º do Código

Leia mais

GUIA PRÁTICO REGIME EXCECIONAL DE REGULARIZAÇÃO DE DÍVIDAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REGIME EXCECIONAL DE REGULARIZAÇÃO DE DÍVIDAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REGIME EXCECIONAL DE REGULARIZAÇÃO DE DÍVIDAS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático - Regime Excecional de Regularização de Dívidas (2019 v1.0) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º

INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º INTERVENÇÕES EM PROCESSOS JUDICIAIS E OUTROS PROCEDIMENTOS para efeitos de cumprimento do disposto nos números 1, 2 e 5 do artigo 22º do REGULAMENTO NACIONAL DE ESTÁGIO (Regulamento nº 913 A/2015) A segunda

Leia mais

Coimbra - Juízos Cíveis de Coimbra ,00 (Sete Mil Trezentos e Oitenta e Um Euros) Un. Orgânica: 2º Juízo Cível

Coimbra - Juízos Cíveis de Coimbra ,00 (Sete Mil Trezentos e Oitenta e Um Euros) Un. Orgânica: 2º Juízo Cível REFª: 4149729 REQUERIMENTO EXECUTIVO TRIBUNAL COMPETENTE, TÍTULO EXECUTIVO E FACTOS Finalidade: Tribunal Competente: Forma: Especie: Valor da Execução: Nº Processo: Objecto da Execução: Título Executivo:

Leia mais

Direção-geral da Administração da Justiça

Direção-geral da Administração da Justiça Centro de Formação de Funcionários de Justiça Direção-geral da Administração da Justiça Introdução Constitui contraordenação todo o facto ilícito e censurável que preencha um tipo legal no qual se comine

Leia mais

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL LEI 41/2013, DE 26/6

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL LEI 41/2013, DE 26/6 CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL LEI 41/2013, DE 26/6 * Lei n.º 62/2013, de 26 de Agosto (Lei da Organização do Sistema Judiciário) * Declaração de Retificação nº 36/2013, de 12 de Agosto * Portaria nº 280/2013,

Leia mais

ALTERAÇÕES PROCESSUAIS

ALTERAÇÕES PROCESSUAIS ALTERAÇÕES PROCESSUAIS ALTERAÇÕES PROCESSUAIS AO CÓDIGO DO PROCESSO CIVIL À LEI Nº 6/2006 DE 27.02 PROCEDIMENTO ESPECIAL DE DESPEJO: ADITAMENTOS À LEI Nº 6/2006 DE 27.02 DL nº 1/2013, 7.01; Portaria nº

Leia mais

DECRETO N.º 458/XII. Décima quarta alteração ao Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 114/94, de 3 de maio

DECRETO N.º 458/XII. Décima quarta alteração ao Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 114/94, de 3 de maio DECRETO N.º 458/XII Décima quarta alteração ao Código da Estrada, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 114/94, de 3 de maio A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição,

Leia mais

Código de Processo do Trabalho

Código de Processo do Trabalho DECRETO-LEI Nº 398/98, DE 17 DE DEZEMBRO Código de Processo do Trabalho 2013 9ª Edição Actualização nº 1 1 LEI GERAL TRIBUTÁRIA CÓDIGO DE PROCESSO DO TRABALHO Actualização nº 1 EDITOR EDIÇÕES ALMEDINA,

Leia mais

Alterações ao Código da Estrada

Alterações ao Código da Estrada Alterações ao Código da Estrada Decreto-Lei nº 116/2015, de 28 de Agosto, publicada no Diário da República nº 168, Iª Série A Décima quarta alteração ao Código da Estrada aprovado pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras Regulamento de Assistência Jurídica Capítulo I Disposições gerais e preliminares Artigo 1.º 1. O presente Regulamento visa regular o direito à assistência jurídica dos Associados do SCIF. 2. O SCIF garante,

Leia mais

RELATÓRIO PERIÓDICO. 1 - Acções Laborais I II III I II I II III A Acções Laborais

RELATÓRIO PERIÓDICO. 1 - Acções Laborais I II III I II I II III A Acções Laborais RELATÓRIO PERIÓDICO COMARCA DE: NOME DO MAGISTRADO: PERÍODO A QUE RESPEITA: DATA: CÍRCULO DE 1 - Acções Laborais Processos Conciliações Acções Arquivamento Acções Recebidos Pré-Judiciais Propostas Pedido

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação 1.2. Endereço 1.3. Contactos BEST Banco Electrónico de Serviço Total, S.A. Praça Marquês de Pombal, 3 3º, 1250-161

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I CONSULTA JURÍDICA 1.1 Consulta jurídica 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3 Gestão do cliente e seu processo II PATROCÍNIO

Leia mais

O Solicitador Mandatário - Ação Executiva -

O Solicitador Mandatário - Ação Executiva - O Solicitador Mandatário - Ação Executiva - Transmissão Processual Eletrónica Práticas Forenses e Aconselhamento Jurídico MÓDULO I 1 INTRODUÇÃO 2 - CITIUS ENTREGA DE PEÇAS PROCESSUAIS (Ação declarativa)

Leia mais

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1

Sumário. Capítulo 1 A Situação Concreta Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Sumário Capítulo 1 A Situação Concreta... 1 1.1. Exposição da Situação Concreta e de suas mais de 50 Petições Vinculadas...1 Capítulo 2 Petições Cíveis: Procedimento Comum... 7 2.1. Petição Inicial...7

Leia mais

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código da Estrada ª Edição. Atualização nº 1

Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código da Estrada ª Edição. Atualização nº 1 Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro [1] Código da Estrada 2015 8ª Edição Atualização nº 1 1 [1] Código do Trabalho CÓDIGO DA ESTRADA Atualização nº 1 ORGANIZAÇÃO BDJUR BASE DE DADOS JURÍDICA EDITOR EDIÇÕES

Leia mais

Portaria n.º 286/2012 de 20 de setembro

Portaria n.º 286/2012 de 20 de setembro Portaria n.º 286/2012 de 20 de setembro A presente portaria vem alterar as Portarias n.os 1416-A/2006, de 19 de dezembro, 1594/2007, de 17 de dezembro, 622/2008, de 18 de julho, 1513/2008, de 23 de dezembro,

Leia mais

Coimbra - Juízos Cíveis de Coimbra ,50 (Quinze Mil e Vinte e Cinco Euros e Cinquenta Cêntimos) Un. Orgânica: 1º Juízo Cível

Coimbra - Juízos Cíveis de Coimbra ,50 (Quinze Mil e Vinte e Cinco Euros e Cinquenta Cêntimos) Un. Orgânica: 1º Juízo Cível REFª: 4157380 REQUERIMENTO EXECUTIVO TRIBUNAL COMPETENTE, TÍTULO EXECUTIVO E FACTOS Finalidade: Tribunal Competente: Forma: Especie: Valor da Execução: Nº Processo: Objecto da Execução: Título Executivo:

Leia mais

Regulamentação do Pagamento das Custas e Multas Processuais

Regulamentação do Pagamento das Custas e Multas Processuais CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Regulamentação do Pagamento das Custas e Multas Processuais Todos os direitos reservados à DATAJURIS, Direito e Informática,

Leia mais

IVA ARTIGO 78º REGULARIZAÇÕES. Para estes créditos aplicam-se sempre os nºs 7 a 12, 16 e 17 do CIVA).

IVA ARTIGO 78º REGULARIZAÇÕES. Para estes créditos aplicam-se sempre os nºs 7 a 12, 16 e 17 do CIVA). IVA 14-03-2015 ARTIGO 78º REGULARIZAÇÕES 1 -REGIME TRANSITÓRIO (créditos vencidos até 31/12/2012) Para estes créditos aplicam-se sempre os nºs 7 a 12, 16 e 17 do CIVA). a) Se a data relevante para a dedução,

Leia mais

Este documento respeita as regras do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Este documento respeita as regras do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. orquê as atualizações aos livros da COL. LEGISLAÇÃO? O panorama legislativo nacional é bastante mutável, sendo constante a publicação de novos diplomas. Ao disponibilizar novas atualizações, a ORTO EDITORA

Leia mais

Novo Código de Processo Civil, 2.ª Edição Col. Legislação, Edição Académica

Novo Código de Processo Civil, 2.ª Edição Col. Legislação, Edição Académica COLEÇÃO LEGISLAÇÃO Atualizações Online orquê as atualizações aos livros da COLEÇÃO LEGISLAÇÃO? No panorama legislativo nacional é frequente a publicação de novos diplomas legais que, regularmente, alteram

Leia mais

Parecer da Câmara dos Solicitadores sobre o Projeto de Portaria que. regulamenta o Regime Jurídico do Processo de Inventário

Parecer da Câmara dos Solicitadores sobre o Projeto de Portaria que. regulamenta o Regime Jurídico do Processo de Inventário Parecer da Câmara dos Solicitadores sobre o Projeto de Portaria que regulamenta o Regime Jurídico do Processo de Inventário O Ministério da Justiça remeteu à Câmara dos Solicitadores, para parecer, um

Leia mais

Sistema Fiscal Moçambicano GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS A PRESTAÇÕES COMPENSAÇÃO DAS DÍVIDAS

Sistema Fiscal Moçambicano GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS A PRESTAÇÕES COMPENSAÇÃO DAS DÍVIDAS Sistema Fiscal Moçambicano GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE PAGAMENTO DE DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS A PRESTAÇÕES COMPENSAÇÃO DAS DÍVIDAS TRIBUTÁRIAS GARANTIAS GERAIS E MEIOS DE DEFESA DO CONTRIBUINTE

Leia mais

Calendário das Obrigações Fiscais e Parafiscais para o mês de MAIO DE 2015

Calendário das Obrigações Fiscais e Parafiscais para o mês de MAIO DE 2015 Calendário das Obrigações Fiscais e Parafiscais para o mês de MAIO DE 2015 OBRIGAÇÕES RELATIVAS AO IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS SINGULARES (IRS) E IMPOSTO SOBRE O RENDIMENTO DAS PESSOAS COLETIVAS

Leia mais

CUSTAS * * * * * * * * * * Âmbito de aplicação

CUSTAS * * * * * * * * * * Âmbito de aplicação Correspondendo ao honroso convite que me endereçou o Movimento Justiça & Democracia para tecer algumas considerações sobre a aplicação do Regulamento das Custas Processuais, e da Portaria nº 419-A/2009,

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA PRÉ REFORMA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Redução de Taxa Contributiva Pré Reforma (2005 v5.4) PROPRIEDADE Instituto da

Leia mais

GUIA PRÁTICO FUNDO DE GARANTIA SALARIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO FUNDO DE GARANTIA SALARIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO FUNDO DE GARANTIA SALARIAL INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Fundo de Garantia Salarial (2003 v4.13) PROPRIEDADE Instituto da Segurança Social, I.P. AUTOR

Leia mais

GUIA PRÁTICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO MEDIDA EXCECIONAL DE APOIO AO EMPREGO: REDUÇÃO DE 0,75 PONTOS PERCENTUAIS DA TAXA CONTRIBUTIVA PARA A SEGURANÇA SOCIAL A CARGO DA ENTIDADE EMPREGADORA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA

Leia mais

CAPA DO REQUERIMENTO

CAPA DO REQUERIMENTO CAPA DO REQUERIMENTO CAPA I TIPO DE REQUERIMENTO 1 Requerimento inicial 2 Requerimento de retificação DADOS EM CASO DE CONVOLAÇÃO 3 Valor total da dívida _ _ _. _ _ _. _ _ _, _ _ E u r o s 4 Tribunal competente

Leia mais

PROCEDIMENTOS ESPECIAIS

PROCEDIMENTOS ESPECIAIS PROCEDIMENTOS ESPECIAIS AÇÃO MONITÓRIA DA AÇÃO MONITÓRIA Art. 700. A ação monitória pode ser proposta por aquele que afirmar, com base em prova escrita sem eficácia de título executivo, ter direito de

Leia mais

Inspeções e contraordenações

Inspeções e contraordenações Inspeções e contraordenações A empresa pode ser objeto de inspeções e da aplicação de contraordenações. Depois de ser notificada da aplicação destas, a sua resposta pode variar em função do tipo de infração

Leia mais

Regulamento das Custas Processuais

Regulamento das Custas Processuais CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 35059 Regulamento das Custas Processuais Todos os direitos reservados à DATAJURIS, Direito e Informática, Lda. É expressamente

Leia mais

PERES. Decreto-Lei nº 67/2016, de 3 de Novembro

PERES. Decreto-Lei nº 67/2016, de 3 de Novembro Classificação: 2 1 5. 0 5. 0 1 Segurança: U s o I n t e r n o Processo: Mail de 2016-11-03 ANEXO I PERES Decreto-Lei nº 67/2016, de 3 de Novembro Em 2016/11/03 foi publicado o Decreto-Lei nº 67/2016 Programa

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA, LISBOA 27 DE NOVEMBRO DE 2015 Ana Celeste Carvalho

UNIVERSIDADE CATÓLICA, LISBOA 27 DE NOVEMBRO DE 2015 Ana Celeste Carvalho UNIVERSIDADE CATÓLICA, LISBOA 27 DE NOVEMBRO DE 2015 Ana Celeste Carvalho O Artigo 45.º sofre alterações (exercício de clarificação): - pressuposto material da norma: que a pretensão do autor seja fundada

Leia mais

TRAMITAÇÃO ELETRÓNICA DOS PROCESSOS JUDICIAIS - CITIUS

TRAMITAÇÃO ELETRÓNICA DOS PROCESSOS JUDICIAIS - CITIUS TRAMITAÇÃO ELETRÓNICA DOS PROCESSOS JUDICIAIS - CITIUS (Portaria n.º 280/2013, de 26 de agosto) A entrada em vigor do novo Código de Processo Civil, aprovado pela Lei n.º 41/2013, de 26 de junho, implica

Leia mais

CURSO PARA EMPREGADOS FORENSES

CURSO PARA EMPREGADOS FORENSES PROGRAMA CURSO PARA EMPREGADOS FORENSES DE AGENTES DE EXECUÇÃO Abril/Maio 2012 Braga Viseu Santarém Faro Departamento de Formação - Câmara dos Solicitadores 2011 Avenida José Malhoa, 16-1B2 1070 159 Lisboa-Portugal

Leia mais

REGIME DE SEGURANÇA SOCIAL DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES DECRETO-LEI N.º 328/93, DE 25 DE SETEMBRO

REGIME DE SEGURANÇA SOCIAL DOS TRABALHADORES INDEPENDENTES DECRETO-LEI N.º 328/93, DE 25 DE SETEMBRO Legislação publicada: Despacho Normativo n.º 19/87, de 19 de Fevereiro: vai ser feita referência a este despacho no art. 6.º do D.L. 328/93; Decreto-Lei n.º 328/93, de 25 de Setembro: instituiu o regime

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Alienação de Autorização de Produção. Concurso Público nº: 01/EPDRR-ABM/2015-AP CADERNO DE ENCARGOS

CADERNO DE ENCARGOS. Alienação de Autorização de Produção. Concurso Público nº: 01/EPDRR-ABM/2015-AP CADERNO DE ENCARGOS Alienação de Autorização de Produção Concurso Público nº: 01/EPDRR-ABM/2015-AP Página 1 de 8 Índice de Conteúdo CAPÍTULO I - CLÁUSULAS JURÍDICAS -... 3 ARTIGO 1º - OBJETO -... 3 ARTIGO 2º - PRAZO -...

Leia mais

GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS

GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS GUIA PRÁTICO FUNDO ESPECIAL DE SEGURANÇA SOCIAL DO PESSOAL DA INDÚSTRIA DE LANIFÍCIOS INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Fundo

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL. Atualizado em 09/11/2016. Custas Judiciais

JUSTIÇA FEDERAL. Atualizado em 09/11/2016. Custas Judiciais JUSTIÇA FEDERAL Atualizado em 09/11/2016 Custas Judiciais Atenção: As custas devem ser recolhidas por meio de GRU exclusivamente na Caixa Econômica Federal. Informações importantes para a emissão de GRU

Leia mais

AJUSTE DIRECTO. Aquisição de Escultura em Pedra Mármore de Estremoz CADERNO DE ENCARGOS

AJUSTE DIRECTO. Aquisição de Escultura em Pedra Mármore de Estremoz CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRECTO Aquisição de Escultura em Pedra Mármore de Estremoz CADERNO DE ENCARGOS Índice Capítulo I - Disposições Gerais... Cláusula 1.ª Objeto... Cláusula 2.ª Local, prazo e modo da prestação...

Leia mais

*RN PT* FLEXOPACK - INDÚSTRIA EMBALAGENS, LDA. LUGAR ALÉM DO RIO Nº 35 ANTA ESPINHO

*RN PT* FLEXOPACK - INDÚSTRIA EMBALAGENS, LDA. LUGAR ALÉM DO RIO Nº 35 ANTA ESPINHO Delegação Regional do Norte Rua Eng. Ezequiel Campos, 488 4149-004 PORTO - Porto *RN057158099PT* FLEXOPACK - INDÚSTRIA EMBALAGENS, LDA. LUGAR ALÉM DO RIO Nº 35 ANTA 4500-579 ESPINHO Refª n.º 05-05-2016

Leia mais

Preçário. Volkswagen Bank GmbH - Sucursal Portugal SUCURSAL. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário. Volkswagen Bank GmbH - Sucursal Portugal SUCURSAL. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário Volkswagen Bank GmbH Sucursal Portugal SUCURSAL Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 05Maio2017 O Preçário completo do VW Bank

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL. Atualizado em 02/06/2016. Custas Judiciais

JUSTIÇA FEDERAL. Atualizado em 02/06/2016. Custas Judiciais JUSTIÇA FEDERAL Atualizado em 02/06/2016 Custas Judiciais Atenção: As custas devem ser recolhidas por meio de GRU exclusivamente na Caixa Econômica Federal. Informações importantes para a emissão de GRU

Leia mais

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO DISPENSA DE PAGAMENTO DE CONTRIBUIÇÕES 1º EMPREGO E DESEMPREGADO LONGA DURAÇÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Dispensa de Pagamento de Contribuições 1º

Leia mais

Acesso ao Direito e Tribunais

Acesso ao Direito e Tribunais Acesso ao Direito e Tribunais Módulo 2 Luís Filipe Santos Conselho Distrital de Lisboa Ordem dos Advogados Acesso ao Direito e Tribunais Sistema de Acesso ao Direito e Tribunais Noções Básicas Nomeação

Leia mais

PROCEDIMENTOS P/CUMPRIMENTO DE OBRIGAÇÕES EMERGENTES DE CONTRATOS. INJUNÇÃO

PROCEDIMENTOS P/CUMPRIMENTO DE OBRIGAÇÕES EMERGENTES DE CONTRATOS. INJUNÇÃO ( Até às alterações do DL n.º 34/2008, de 26 de Fevereiro) PROCEDIMENTOS P/CUMPRIMENTO DE OBRIGAÇÕES EMERGENTES DE CONTRATOS. INJUNÇÃO Artigo 1.º Procedimentos especiais É aprovado o regime dos procedimentos

Leia mais

Guia da Segurança Social: Como vão funcionar os descontos para quem tem recibos verdes

Guia da Segurança Social: Como vão funcionar os descontos para quem tem recibos verdes Guia da Segurança Social: Como vão funcionar os descontos para quem tem recibos verdes *Fonte: Dinheiro vivo Desde a entrada em vigor do Código Contributivo (Lei n.º 110/2009, de 16 de Setembro), em 1

Leia mais

Regulamentação da Tramitação Electrónica dos Processos Judiciais

Regulamentação da Tramitação Electrónica dos Processos Judiciais CÓDIGOS ELECTRÓNICOS DATAJURIS DATAJURIS é uma marca registada no INPI sob o nº 350529 Regulamentação da Tramitação Electrónica dos Processos Judiciais (2013) Todos os direitos reservados à DATAJURIS,

Leia mais

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL DE 2013

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL DE 2013 CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL DE 2013 Paulo Pimenta 5 de Setembro de 2013 Etapas por que passou a reforma do processo civil - 1ª Comissão (Dezembro 2009 / Novembro 2010) - 2ª Comissão (Setembro 2011 / Dezembro

Leia mais

Direito Processual Civil Executivo. Programa

Direito Processual Civil Executivo. Programa Direito Processual Civil Executivo Programa Rui Pinto Duarte 2010/2011 I Aspectos Gerais 1. Noção de acção executiva 2. O princípio do dispositivo na acção executiva (3.º, 810 e 675-A) 3. Execução individual

Leia mais

Regime Contraordenacional

Regime Contraordenacional Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição de Regimes Editor: DGSS Conceção Gráfica: DGSS / Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação

Leia mais

(Sumário elaborado pela Relatora) Acordam os Juízes no Tribunal da Relação de Lisboa:

(Sumário elaborado pela Relatora) Acordam os Juízes no Tribunal da Relação de Lisboa: Acórdãos TRL Processo: 258/14.8TBPDL.L1 6 Relator: ANABELA CALAFATE Descritores: ADMINISTRADOR DE INSOLVÊNCIA REMUNERAÇÃO Nº do Documento: RL Data do Acordão: 02 07 2015 Votação: UNANIMIDADE Texto Integral:

Leia mais

Lei n.º 20/2012, de 14 de maio. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte:

Lei n.º 20/2012, de 14 de maio. A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Lei n.º 20/2012, de 14 de maio A Assembleia da República decreta, nos termos da alínea g) do artigo 161.º da Constituição, o seguinte: Artigo 1.º Objeto 1. A presente lei altera a Lei n.º 64-B/2011, de

Leia mais

ADENDA REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS. SALVADOR DA COSTA Juiz Conselheiro

ADENDA REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS. SALVADOR DA COSTA Juiz Conselheiro ADENDA REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS SALVADOR DA COSTA Juiz Conselheiro I INTRODUÇÃO Esta adenda é motivada pela circunstância de, depois da publicação da terceira edição do Regulamento das Custas

Leia mais

NOMEAÇÃO DE ADMINISTRADORES JUDICIAIS

NOMEAÇÃO DE ADMINISTRADORES JUDICIAIS NOMEAÇÃO DE ADMINISTRADORES JUDICIAIS REQUISITOS E FUNCIONALIDADES V. 3.2 07-2-205 Enquadramento... 2 2 Requisitos da Nomeação Aleatória... 3 2. Requisitos Gerais... 3 2.2 Requisitos Específicos... 3 2.3

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Diário da República, 1.ª série N.º 40 26 de Fevereiro de 2008 1261 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Decreto-Lei n.º 34/2008 de 26 de Fevereiro O actual sistema de custas processuais, em vigor desde 1996, assenta

Leia mais

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO

MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO MEDIDA ESTÁGIOS EMPREGO Entidades Promotoras: Entidades privadas, com ou sem fins lucrativos e Autarquias Locais. Destinatários: Jovens à procura de emprego, entre os 18 e os 30 anos, inscritos no IEFP

Leia mais

Portaria n.º 280/2013 de 26/08

Portaria n.º 280/2013 de 26/08 Câmara dos Solicitadores Colégio de Especialidade de Agentes de Execução Portaria n.º 280/2013 de 26/08 Versão 1 Setembro de 2013 - 2 - Portaria n.º 280/2013 de 26 de agosto A entrada em vigor do novo

Leia mais

GUIA PRÁTICO SUPLEMENTO ESPECIAL DE PENSÃO

GUIA PRÁTICO SUPLEMENTO ESPECIAL DE PENSÃO GUIA PRÁTICO SUPLEMENTO ESPECIAL DE PENSÃO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/8 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Suplemento Especial de Pensão (7017-A v4. 11) PROPRIEDADE

Leia mais

PROVIMENTO N.º 2/2013. (Juízo de Execução

PROVIMENTO N.º 2/2013. (Juízo de Execução PROVIMENTO N.º 2/2013 (Juízo de Execução de Ovar) Considerando a entrada em vigor no pretérito dia 1 de setembro do novo Código de Processo Civil, aprovado em anexo à Lei n.º 41/2013, de 26 de junho, que

Leia mais

REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS

REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS compilações legislativas VERBOJURIDICO REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS E DIPLOMAS CONEXOS Versão 3.0 Actualizado até Lei n.º 64-A/2008, de 31.12 (Lei Orçamento do Estado 2009) verbojuridico JANEIRO

Leia mais

Projecto de Decreto-Lei que estabelece a sétima alteração ao Decreto-Lei n. 269/98, de 1 de Setembro (...)

Projecto de Decreto-Lei que estabelece a sétima alteração ao Decreto-Lei n. 269/98, de 1 de Setembro (...) Projecto de Decreto-Lei que estabelece a sétima alteração ao Decreto-Lei n. 269/98, de 1 de Setembro (...) Foram ouvidos o Conselho Superior da Magistratura, o Conselho Superior do Ministério Público,

Leia mais

PASSO A PASSO CONSULTA DA POSIÇÃO ATUAL PERANTE A SEGURANÇA SOCIAL. Passo a Passo instalar o SKYPE ÍNDICE. Manual de

PASSO A PASSO CONSULTA DA POSIÇÃO ATUAL PERANTE A SEGURANÇA SOCIAL. Passo a Passo instalar o SKYPE ÍNDICE. Manual de Manual de PASSO A PASSO CONSULTA DA POSIÇÃO ATUAL PERANTE A SEGURANÇA SOCIAL ÍNDICE Capítulo 1... Erro! Marca Título... Erro! Marcado Capítulo 2... Erro! Marca Título... Erro! Marcado Capítulo 3... Erro!

Leia mais

CUSTAS JUDICIAIS NOS TRIBUNAIS ADMINISTRATIVOS

CUSTAS JUDICIAIS NOS TRIBUNAIS ADMINISTRATIVOS - CUSTAS JUDICIAIS NOS TRIBUNAIS ADMINISTRATIVOS Decreto-Lei n.º 324/03, de 27 de Dezembro CUSTAS JUDICIAIS UINTRODUÇÃO: O Código das Custas Judiciais é um diploma complementar das legislações processuais.

Leia mais

CORRECÇÃO DIREITO E PROCESSO CIVIL ESTÁGIO 2011/2012 JULHO DE 2012

CORRECÇÃO DIREITO E PROCESSO CIVIL ESTÁGIO 2011/2012 JULHO DE 2012 CORRECÇÃO DIREITO E PROCESSO CIVIL ESTÁGIO 2011/2012 JULHO DE 2012 A presente grelha de correção é feita de forma sucinta, indicando o que de essencial deve ser referido pelo aluno estagiário. Cotação

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES - GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES - GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES - GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL Nº Conta: Nº Contribuinte: Data: 2 6 / 1 1 / 2 0 1 2 A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação

Leia mais

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES

REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES REGULAMENTO DO REGISTO DAS SOCIEDADE CIVIS DE SOLICITADORES O Estatuto da Câmara dos Solicitadores, aprovado pelo Decreto-Lei 88/2003, de 26 de Abril, no seu artigo 102º, prevê que os solicitadores podem

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Pagamento Voluntário de Contribuições

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Pagamento Voluntário de Contribuições Pagamento Voluntário de Contribuições Ficha Técnica Título Autor Conceção gráfica de Segurança Social Pagamento Voluntário de Contribuições Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação Edição http://www.seg-social.pt/dgss-direccao-geral-da-seguranca-social

Leia mais

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo. No módulo 10, tratamos dos recursos. Agora veremos algumas questões sobre a fase executiva.

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo. No módulo 10, tratamos dos recursos. Agora veremos algumas questões sobre a fase executiva. CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 11 EXECUÇÃO Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos ao nosso décimo primeiro módulo.

Leia mais

Disciplina o pagamento de tributos e contribuições federais nas condições estabelecidas nos arts. 13 e 14 da Lei nº , de 2002.

Disciplina o pagamento de tributos e contribuições federais nas condições estabelecidas nos arts. 13 e 14 da Lei nº , de 2002. Portaria Conjunta SRF/PGFN nº 07, de 8 de janeiro de 2003 DOU de 10.1.2003 Disciplina o pagamento de tributos e contribuições federais nas condições estabelecidas nos arts. 13 e 14 da Lei nº 10.637, de

Leia mais

Regulamento das Custas Processuais

Regulamento das Custas Processuais Regulamento das Custas Processuais ANOTADO 2013 José António Coelho Carreira Escrivão de Direito REGULAMENTO DAS CUSTAS PROCESSUAIS ACTUALIZAÇÃO Nº 1 autor José António Coelho Carreira editor EDIÇÕES ALMEDINA,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 15ª REGIÃO 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba PODER JUDICIÁRIO FEDERAL Justiça do Trabalho - 15ª Região 2ª Vara do Trabalho de Sorocaba

Leia mais

Diploma DRE. Capítulo I. Modelos oficiais. Artigo 1.º. Objeto

Diploma DRE. Capítulo I. Modelos oficiais. Artigo 1.º. Objeto Diploma Aprova a declaração modelo 2, o modelo do recibo eletrónico de quitação de rendas e a declaração modelo 44, previstos no Código do Imposto do Selo e no Código do IRS Portaria n.º 98-A/2015 de 31

Leia mais

REGIME GERAL DAS TAXAS DAS AUTARQUIAS LOCAIS. CAPÍTULO I Princípios gerais

REGIME GERAL DAS TAXAS DAS AUTARQUIAS LOCAIS. CAPÍTULO I Princípios gerais REGIME GERAL DAS TAXAS DAS AUTARQUIAS LOCAIS CAPÍTULO I Princípios gerais Artigo 1.º Âmbito 1 A presente lei regula as relações jurídico-tributárias geradoras da obrigação de pagamento de taxas às autarquias

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Prazos Capítulo 2 Incompetência: principais mudanças

Sumário Capítulo 1 Prazos Capítulo 2 Incompetência: principais mudanças Sumário Capítulo 1 Prazos 1.1. Forma de contagem: somente em dias úteis 1.2. Prática do ato processual antes da publicação 1.3. Uniformização dos prazos para recursos 1.4. Prazos para os pronunciamentos

Leia mais

Regulamento de Arbitragem. Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve

Regulamento de Arbitragem. Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve Regulamento de Arbitragem Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Algarve Capítulo 1 Objeto, natureza e âmbito geográfico Artigo 1.º Objeto O Centro de Informação, Mediação e Arbitragem de Conflitos

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DIREITO PROCESSUAL CIVIL 1. APRESENTAÇÃO A Pós-Graduação em Direito Processual Civil da FAACZ visa à conjugação das referidas áreas em meio à atualização da legislação em vigor,

Leia mais

Processo de Execução no Direito Previdenciário

Processo de Execução no Direito Previdenciário Processo de Execução no Direito Previdenciário Introdução ao Processo de Execução. A Execução contra a Fazenda Pública Previdenciária - Noções Gerais: objeto, partes, requisitos, prazos, procedimento Execução

Leia mais

Problemática da aplicabilidade das novas regras de custas aos processos tutelares de menores e de sua constitucionalidade em geral

Problemática da aplicabilidade das novas regras de custas aos processos tutelares de menores e de sua constitucionalidade em geral compilações doutrinais ESTUDO JURÍDICO Problemática da aplicabilidade das novas regras de custas aos processos tutelares de menores e de sua constitucionalidade em geral André Mouzinho ADVOGADO VERBOJURIDICO

Leia mais

Contraordenações Rodoviárias Advogados

Contraordenações Rodoviárias Advogados Francisco Marques Vieira Santa Maria da Feira 18 de setembro de 2015 Contraordenações Rodoviárias Advogados Defesa do Arguido Impugnação Judicial Recurso 2 Dinâmica do Processo Fiscalização Auto de notícia

Leia mais

Aos vinte e nove dias do mês de novembro de dois mil e treze, os seguintes outorgantes:

Aos vinte e nove dias do mês de novembro de dois mil e treze, os seguintes outorgantes: CONTRATO DE FORNECIMENTO DE SERVIÇOS DE PRODUÇÃO DE DOCUMENTO DE DESIGN E ACOMPANHAMENTO DE PRODUÇÃO DE JOGO ESTRATÉGICO PARA A REDE DE CASTELOS E MURALHAS DO MONDEGO Valor: 34.000,00 Aos vinte e nove

Leia mais

Preparo efetuado. 1. Data e assinatura.

Preparo efetuado. 1. Data e assinatura. 1. RECEBIMENTO DE PETIÇÃO INICIAL (Rito ordinário) Autos n. Comarca de Preparo efetuado. 1 282). Recebo a petição inicial, por ser a mesma apta (CPC, art. Cite-se o requerido para que, caso queira, apresente

Leia mais

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO

GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO GUIA PRÁTICO MEDIDAS ESPECÍFICAS E TRANSITÓRIAS DE APOIO E ESTÍMULO AO EMPREGO REDUÇÃO DE TAXA CONTRIBUTIVA APOIO À REDUÇÃO DA PRECARIEDADE NO EMPREGO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO

Leia mais

ÍNDICE. Caderno de Encargos: Parte I Disposições Gerais. 1. Identificação do procedimento. 2. Objeto do procedimento

ÍNDICE. Caderno de Encargos: Parte I Disposições Gerais. 1. Identificação do procedimento. 2. Objeto do procedimento ÍNDICE Caderno de Encargos: Parte I Disposições Gerais 1. Identificação do procedimento 2. Objeto do procedimento 3. Locais de realização dos serviços 4. Obrigações do adjudicatário 5. Valor Base 6. Prazo

Leia mais