ORPLANA INFORMA N de SETEMBRO de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORPLANA INFORMA N 37 16 de SETEMBRO de 2013"

Transcrição

1 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : P F de de 2013 PÇ D ÇÚC D D DD C D D PÇÃ: emana de 09 a 13/09/ Preços médios do açúcar no mercado P e do etanol, anidro e hidratado, levantados pelo CP/Q. PD 09 a 13/09/ a 06/09/2013 $/kg $/kg $ $ VÇÃ $ % $/saco 44,78 0, ,44 0,4687 0,34 0,76 C $/m3 1285,50 0, ,00 0, ,50 0,82 C $/m3 1139,30 0, ,60 0,4189 8,70 0,77 $/m3 1141,80 0, ,40 0,4199 8,40 0,74 Dólar $ 2,2780 2,3442-0,0661-2,82 Figura 1. Comportamento dos preços do kg de do, C, C, e do D no mês de de Preço líquido do açúcar ao produtor 09 a 13/09/ a 06/09/2013 VÇÃ $/t $/saco $/t $/saco $/t $/saco % 832,91 41,65 826,66 41,33 6,25 0,31 0,76 PD preço do açúcar no mercado P apresenta no mês de etembro uma alta de 1,4% ($ 11,53/t), e na safra apresenta uma alta de 3,8% ($ 30,69/t ou $ 1,53/saco). 3. Projeção de preços semanal 1

2 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : projeção de preços da safra 2013/2014 apresentada a seguir, foi elaborada com base nos preços do açúcar e do etanol praticados no mercado interno, divulgados pelo CP/Q e da cotação de preços médios de açúcar branco e VP, projetados com base na olsa de ova York. ês PÇÃ Fechamento 1ª 2ª 3ª 4ª bril/13 0,4444 0,4444 0,4447 0,4447 0,4473 0,4473 0,4483 0,4483 0,4470 0,4470 aio 0,4344 0,4406 0,4363 0,4417 0,4360 0,4411 0,4284 0,4370 0,4363 0,4416 unho 0,4386 0,4412 0,4394 0,4415 0,4425 0,4429 0,4425 0,4435 0,4416 0,4426 ulho 0,4479 0,4446 0,4446 0,4438 0,4419 0,4430 0,4402 0,4425 0,4415 0,4429 gosto 0,4388 0,4426 0,4357 0,4418 0,4362 0,4420 0,4384 0,4427 0,4436 0,4440 etembro 0,4467 0,4447 0,4443 0, ercado Futuro o mercado futuro, os preços do açúcar na olsa de ova York fecharam a semana em alta, enquanto que os preços do tanol idratado posto Paulínia (P) e a cotação do dólar fecharam a semana 09 a 13/09/2013 novamente em queda em relação à semana anterior (02 a 06/08/2013). 5. Figura 2 - Comportamento dos preços do açúcar de mercado interno () e externo ( e VP), nos meses de abril a agosto e os projetados para o mês de setembro de F 2013/ P D ÇÚC $ P C D ÇÚC Variação porcentual dos preços líquidos do etanol anidro carburante (C), do etanol hidratado carburante (C) e industrial (), devidos ao produtor, praticados no mês de etembro e na afra 2013/

3 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : 3 VÇÃ % C C ês 0,8 0,8 0,7 afra -3,8-5,3-6,9 7. Figura 3 - Comparação entre os preços do çúcar de ercado nterno (), expresso em preço do etanol anidro e os do tanol de todos os tipos nos meses de abril a agosto e os projetados para o mês de setembro de 2013 da F 2013/ C C $/m3 de anidro VDD D Dia 09 ssessoria écnica participou de reunião com duardo ichi Ferrari, da PF eguros e lexandre aldini, da Wellnes, dministradora e Corretora de eguros para tratar de assuntos relacionados com eguro ural, na ede da P, em Piracicaba. Dia 13 Presidente, o Vice Presidente, o Diretor esoureiro e as ssessorias écnica e urídica, participaram da eunião do Conselho Deliberativo da P, em Piracicaba, para tratar dos seguintes assuntos: 1. provação da ta da eunião de 16/08/2013; 2. tividades da Diretoria; 3. elato da eunião do CC; 4. afra 2013/ Produção de cana, açúcar e etanol; Qualidade da atéria Prima: tualização dos resultados; Projeção de preço do kg de para etembro; Custos de Produção gosto de 2013; 5. anifesto do etor Carta de ertãozinho e providências futuras; 6. utros assuntos. Participaram da reunião, representantes das ssociações de Fornecedores de: ndradina, ngélica, raporã, raraquara, ssis, Capivari, Chavantes, eneral algado, uariba, turama, aú, ençóis Paulista, rindiuva, Piracicaba, anta árbara Doeste e ertãozinho.

4 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : D D PÓX Dia 16 Presidente e a ssessoria écnica estarão participando da eunião do CC, na C, em ão Paulo. Dia 18 Presidente estará participando da eunião do Comitê de ioenergia no scritório da /P, em ão Paulo. Dia 19 Presidente participará do vento da Y, em rasília sobre: Como produzir alimento suficiente sem destruir nosso planeta. Dia 20 Presidente estará participando da Premiação D ÓC, a ser realizado em Campinas/P. C D ibeirão Preto pode ganhar Frente Parlamentar do tanol ogo após participar da reunião do comitê organizador do to Público m Defesa da Cadeia Produtiva CÉC, em ertãozinho na última sextafeira (6), o vereador arcos Papa (PV) anunciou que vai propor a criação da Frente do tanol na Câmara unicipal de ibeirão Preto. mbora não tenhamos mais nenhuma usina em nossa cidade, aqui se produz cana-de-açúcar e também aqui residem muitos profissionais que trabalham nas indústrias da região. odos estamos sentindo os efeitos da crise do setor sucroenergético e por isto queremos nos engajar neste movimento legítimo, afirmou arcos Papa. parlamentar também enfatizou que os setores de comércio e prestação de serviços de ibeirão Preto são afetados pela crise em razão do fechamento de postos de trabalho e diminuição da renda dos trabalhadores e produtores. e aprovada a proposta do vereador arcos Papa, ibeirão Preto pode ser a primeira cidade do País a criar a Frente do tanol. deputado federal rnaldo ardim (PP-P), em pronunciamento feito da tribuna da Câmara Federal na última terça-feira (3), propôs a criação da Frente do tanol no âmbito do Congresso acional. á no dia seguinte, os deputados estaduais Welson asparini (PD) e oberto orais (PP) propuseram a criação da Frente do tanol na ssembleia egislativa de ão Paulo (Da edação, 9/9/13). eajuste da gasolina tem 'janela' com recuo do PC nflação mais moderada é oportunidade para elevar preço, dizem especialistas. nfraquecimento do dólar nos últimos dias é outro fator que pode ajudar governo a elevar logo os combustíveis. recuo da inflação e a recente queda do dólar abrem uma janela para o governo liberar o aumento da gasolina e do diesel nas refinarias da Petrobras em setembro, de acordo com especialistas. Para eles, é inevitável que o governo conceda algum alívio para o caixa da empresa ainda neste ano. mais recente ata do Copom (Comitê de Política onetária), divulgada na semana passada, indicou espaço de aumento de 5% para os combustíveis, o que animou o mercado e fez subir as enfraquecidas ações da estatal. 4

5 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : omado a isso, a possibilidade da volta da conta petróleo, que subsidia o aumento de preços para frear a inflação, também ajudou a reacender a expectativa de um aumento iminente, apesar das negativas do governo. ma possível invasão da íria pelos, porém, pode mudar totalmente o cenário, preveem os analistas, devido ao impacto que isso teria no preço do petróleo, que poderia chegar a $ 150 o barril. Com os preços defasados em relação ao mercado internacional em torno de 30%, tanto para a gasolina como para o diesel, a Petrobras vem perdendo cerca de $ 1 bilhão por mês para importar os combustíveis a preço internacional mais alto do que revende no mercado interno. Com uma guerra, essa defasagem ficaria ainda maior. D m eventual ajuste em meados deste mês não teria um grande impacto na taxa de inflação medida pelo PC, diz o professor uiz oberto Cunha, da PC/. "á deveriam ter feito [o aumento], mas, com o resultado de agosto [alta de 0,24% ante julho], que reduziu o PC em 12 meses, abre-se uma boa oportunidade." inflação nos últimos 12 meses caiu de 6,27% em julho para 6,09% em agosto, segundo dados do. expectativa de Cunha é que, com um aumento de 10% para os combustíveis em setembro, a inflação neste mês suba 0,55%, e não o 0,4% inicialmente previsto, o que vai frustrar a intenção do governo de fechar o ano com inflação mais baixa do que a de 2012 (5,84%). "Qualquer alta de gasolina agora tende a reverter a trajetória de queda da inflação." De acordo com a consultoria C, um ajuste da gasolina em meados de setembro levaria o PC de outubro a 0,58%. peso da gasolina no PC é da ordem de 3%, enquanto o do diesel é de 0,13%. Para o ex-diretor do C Carlos adeu de Freitas, o fator decisivo para a alta será o comportamento do dólar e da demanda do consumo. "Com o dólar na faixa de $ 2,30, e com a demanda mais fraca, que vai de setembro a outubro, esta é a melhor hora." Pedro aldi, da W Corretora, brinca que "ontem" é o melhor momento para o ajuste. "e houver reajuste, certamente o mercado comemorará, mas a empresa ainda terá prejuízo com o negócio." driano Pires, diretor do Centro rasileiro de nfraestrutura, não espera reajuste neste ano. as diz que, se o governo resolver amenizar perdas da Petrobras, deverá fazê-lo o mais rápido possível. " Petrobras está muito endividada", afirma Pires. "Qualquer aumento que se dê agora vai fazer apenas cócega no caixa da empresa, mas é melhor do que nada." efinarias em atraso afetam produção m dos principais motivos da diferença entre a oferta e a demanda de combustíveis no país são os atrasos na construção de refinarias da Petrobras. s motivos são variados: greves, chuvas, demora em obter licenças ambientais e superfaturamento. mais antiga em construção é a breu e ima, em Pernambuco. Planejada para ser uma parceria entre a Petrobras e a venezuelana PDV, que desistiu do negócio, deveria ter ficado pronta no primeiro semestre de empreendimento terá capacidade para refinar 230 mil barris diários de petróleo. previsão é que a primeira fase, com capacidade de refino de 115 mil barris por dia, fique pronta em novembro do ano que vem. expectativa é que a segunda fase, para mais 115 mil barris por dia, esteja pronta em maio de

6 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : Com início de operação previsto para 2012, o Comperj (Complexo Petroquímico do io) só começará a funcionar, com 165 mil barris diários de capacidade, em agosto de refinaria Premium, no aranhão, deveria entrar neste semestre em operação. unidade terá capacidade para refinar 600 mil barris por dia. m outubro de 2017, prevê-se que a usina esteja refinando metade de sua capacidade; a outra metade, só em outubro de 2020 (Folha de. Paulo, 8/9/13). ário Campos: bastecer com etanol é como plantar uma árvore etanol é um combustível ainda muito questionado por consumidores e que enfrenta uma série de preconceitos. uitos acreditam que abastecer o veículo com etanol não é opção rentável, mesmo que o preço seja bem mais baixo que o da gasolina, e o rendimento também seja menor. ideia da ssociação das ndústrias CÉC de inas erais () é inverter essa situação, mostrar aos consumidores o benefício que o combustível traz, tanto ao veículo quanto ao meio ambiente. intenção, segundo o secretário xecutivo da, economista ário Campos, entrevistado desta semana do ornal da anhã, é tornar o etanol cada vez mais popular, por isso já está na mídia a campanha publicitária "tanol Completão". ornal da anhã - Qual é o objetivo da campanha tanol Completão, a intenção é realmente popularizar o combustível? ário Campos - ão dois objetivos, primeiro mostrar para a sociedade que o etanol é um combustível completo, gera riqueza e renda para os municípios que o produzem. le é ambientalmente correto, e ainda é um grande gerador de emprego e renda para a cidade onde atua. osso outro objetivo é mostrar para a sociedade que o etanol está novamente nos postos sendo competitivo com relação à gasolina. os últimos três anos, os preços estavam realmente mais elevados e o consumidor migrou para a gasolina. m 2009, nós tínhamos um consumo alto no rasil como um todo. Para cada 100 litros de gasolina se consumia 40 litros de etanol. o ano passado, essa relação caiu para 14 litros de etanol para cada 100 litros de gasolina. ma queda muito brusca. gora, com o aumento da produção, que no stado de inas erais cresceu em mais de 20%, os preços caíram e o combustível está mais competitivo na bomba novamente. - oje compensa mais para o consumidor usar o etanol? C - qui em beraba a relação de preço do etanol para a gasolina é 68%. o que se fala, em uma relação teórica, é de que o preço do etanol estando em até 70% do preço da gasolina é vantajoso abastecer com ele. a verdade, cada carro tem a sua própria relação, cada motorista dirige de um jeito, uns gostam de acelerar mais que os outros, portanto, é importante que façam a sua própria conta. Volte a colocar o etanol no seu veículo. os primeiros seis meses deste ano o consumo de etanol no estado aumentou 30%, enquanto que o da gasolina teve crescimento de apenas 4%. sse ano já deu para perceber que o consumo está voltando. é justamente esse o objetivo da campanha, dizer ao consumidor que o etanol está aí, que ele é interessante, principalmente na região que é produzido. basteça com o etanol. Costumo dizer que abastecer com o etanol é como plantar uma árvore. É um combustível tão interessante ambientalmente, que reduz 90% das emissões do efeito do gás estufa, comparado com a gasolina. - quanto às críticas pela forma em que é produzido o etanol, incluindo a própria colheita? C - s coisas mudaram. ntes o corte era manual e agora pode ser feito de forma mecanizada. lém disso, a queima da cana-de-açúcar tem data para terminar. qui na região do riângulo ineiro mais de 90% da cana é colhida sem queima. xistem usinas com 100% da colheita sem ter de colocar fogo. sso tornou o nosso produto ainda mais correto ambientalmente do que era, o que é muito 6

7 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : importante. ntão, coloque etanol no veículo, que você estará plantando uma árvore. - produção da cana corre risco de transformar algumas regiões do stado em monocultura? C - sta é uma atividade que tem 450 anos no país e hoje é mais moderna, com outra característica. a cana-de-açúcar existe uma rotação de cultura, logo depois vem a produção de grãos, como soja, amendoim e sorgo. utra preocupação das empresas é com o meio ambiente. Por isto já existem corredores ecológicos e também o fim da queima, que deve terminar em 2014, uma atividade que está quase eliminada nesta região. questão ambiental é importante para gente. este assunto tem sido levado tão a sério que podemos observar a volta de vários animais em regiões de canaviais que estavam sumidos, como diversos tipos de pássaros. - Como está sendo desenvolvida a campanha "tanol Completão" e em quais cidades ela é veiculada? C - ssa campanha foi desenvolvida para o estado de ão Paulo e estamos trazendo para inas erais. la está sendo veiculada nas rádios de beraba, berlândia, elo orizonte e ontes Claros. a região metropolitana de elo orizonte, que concentra número maior de consumidores e também é área onde não tem essa ligação muito forte com o setor agrícola, nós também estamos veiculando a propaganda na televisão. m 40 dias será transmitido um vídeo na rede lobo mostrando os benefícios do etanol. - as como pretendem convencer o consumidor mineiro a usar o etanol se aqui ele é mais caro que em outros estados? C - Como política de governo, preocupados com o setor do etanol e com o preço, o overno Federal, desde o início do mês de maio, reduziu o P e o CF. medida vale para o país e ajudou a competitividade do produto. gora, a diferença, principalmente de inas com ão Paulo, e aqui em beraba, por estar na fronteira entre os dois estados, isso é mais nítido. É a diferença do C. qui em inas erais o imposto é de 19% sobre o etanol e em ão Paulo é 12%. ma diferença de 7% faz com que os preços na cidade paulista sejam mais baratos do que nos municípios mineiros. sso ainda é mais perceptível nas cidades de limite entre estados como é o caso de beraba. as não podemos negar que houve avanços, á três anos o C em inas era de 25%. overno do stado viu que o setor investiu, aumentou a produção, gerou riqueza e emprego e ainda percebeu que era preciso ter um produto mais competitivo, pois o interessante é produzir etanol em inas e vender aqui. Por outro lado, o C da gasolina aumentou de 25% para 27%. emos uma diferença de alíquota entre gasolina e etanol de 8%. - senhor acredita que um dia o combustível terá o mesmo valor em todos os estados da federação? C - acompanhamento logístico é muito importante. nde tem a produção também existe a facilidade da logística. nde tem centros distribuidores, você tem combustíveis mais baratos. É difícil você ter um produto com o mesmo valor no país inteiro, mas uma das nossas bandeiras é a unificação do C do etanol em todo o país. ão diversas alíquotas. m cada estado é um valor e entender essa variação de preços, para o consumidor, é muito difícil. Com relação à gasolina, o consumo aumentou muito nos últimos anos, e a Petrobras, que é a produtora, não suportou esse crescimento de demanda e teve que expandir as importações. oje, quase 25% da gasolina consumida no país é importada, enquanto isso estamos deixando de consumir um produto que é feito aqui, o etanol. lém disso, o preço internacional da gasolina é mais caro que o preço interno e isto está fazendo com que a Petrobras tenha gastos altos. nclusive vem sendo noticiado um aumento no valor da gasolina para os próximos meses. credito que esse aumento vai dar maior competitividade para o etanol, o que é muito bom, pois faz com que os 7

8 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : empresários invistam no setor. os últimos três anos, fomos muito prejudicados pela política de incentivos que o overno Federal ofereceu para a Petrobras, mas acredito que os rumos vão mudar. - Com relação ao consumo, o senhor acredita no aumento? C - credito, e isso já está acontecendo. e o etanol for competitivo na bomba, o consumidor vai voltar. as existe uma inércia, o que é normal. ssim como em 2009 as pessoas estavam consumindo muito etanol e demorou migrar para gasolina, agora acredito que a mesma situação vai se repetir da gasolina para o etanol. ínhamos 30% de consumo e a nossa intenção é manter esse volume. ós já chegamos a consumir 100 milhões de litros por mês no estado, caímos para 40 milhões de litros por mês, e atualmente já atingimos um pouco mais de 50 milhões de litros de etanol. nossa expectativa é que a gente chegue próximo ao patamar que atingimos em 2009, até porque a frota hoje é muito maior. - com relação ao D, o investimento vai passar por beraba, o que significa para o setor? C - setor sempre se preocupou muito com a logística, pois não basta produzir, você tem que chegar aos portos para exportação, nas companhias distribuidoras e aos postos de combustíveis. o mercado do etanol temos um percentual que é exportado, mas a maior parte fica no mercado interno. ão Paulo tem 60% do consumo nacional do etanol. o D vai ligar a região do riângulo ineiro a Paulínia que é o maior centro distribuidor de etanol no país, depois segue para o Porto. ntão, isso vai criar possibilidade ao produtor da região de ter um produto mais competitivo, na maior região competidora do país. - está acompanhando as articulações para este investimento? C - Quem vai fazer o CD é uma empresa privada. xistem alguns sócios que são produtores e nós estamos acompanhando de longe as negociações. s obras já começaram. duto já foi inaugurado até ibeirão Preto, vai passar por beraba, onde vai ter um polo de coleta e depois segue para tumbiara, em oiás. Vai ser uma grande evolução para produção aqui no stado. não podemos nos esquecer do açúcar, que é um dos produtos mais exportados no país e temos 50% do mercado mundial. - Para finalizar, qual é a importância de beraba para o setor sucroalcooleiro? C - em dúvida, uma região muito importante. beraba é o grande polo do setor no stado. qui você tem duas unidades produtoras. maior grupo produtor do estado que tem uma vasta área de cana. sina Vale do ijuco, a sina beraba que são investimentos recentes. cidade é o maior município com o plantio de cana. lém de uma economia diversificada no agronegócio, a maior produtora de milho e soja no stado. maior produtora de batata, sendo que hoje assume a quinta colocação no stado. ntão, é uma economia diversificada e agora está se tornando cada vez mais uma cidade industrial, por exemplo, com a chegada da planta de amônia da Petrobras. cidade vem ganhando nos últimos anos, tanto é que se tornou o sexto Índice de Desenvolvimento ural do país e o primeiro do udeste. não posso me esquecer de que é a terra do zebu, com destaque na genética bovina. É o agronegócio que move o país, caso contrário, teríamos um déficit na balança comercial bem maior que o atual (ornal da anhã nline, 8/9/13). xcedente global de açúcar vai despencar 68% em 2013/14 excedente global de açúcar deverá cair para 3,06 milhões de toneladas na temporada 2013/14, que começa em outubro, ante um excedente de 9,5 milhões no período 2012/13, estimou nesta quarta-feira a consultoria D, atribuindo 8

9 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : o recuo de 68 por cento a uma produção estável no rasil e a um crescente consumo mundial. estimativa da D para 2012/13 foi revisada, ante projeção anterior de 10,7 milhões de toneladas, em função de um foco maior no etanol por parte das usinas brasileiras na atual safra. " demanda mundial continua crescendo, de 3,5 a 4 milhões de toneladas por ano. se o grande motor desse suprimento mundial, que é o rasil, mantém a sua produção constante, o excedente mundial começa a cair", disse a jornalistas o presidente da consultoria, Plínio astari. D estima a produção de açúcar da região centro-sul do rasil em 34,18 milhões de toneladas na sua safra 2013/14, iniciada em abril, praticamente estável ante os 34,09 milhões de 2012/13, mesmo com um crescimento de 9 por cento no volume de cana processada. " crescimento todo de moagem está sendo direcionado para o etanol. s produtores brasileiros estão dizendo: 'esse preço não nos satisfaz, temos uma alternativa que é produzir álcool'", afirmou astari. D, que faz levantamento de oferta e demanda de açúcar em 122 países, também projeta "pequenos ajustes" na produção de outros países relevantes para o mercado global. produção na ailândia deve crescer 400 mil toneladas em 2013/14 e a da Índia deve cair entre 500 mil e 1 milhão de toneladas. astari projeta uma "ligeira recuperação" na produção da nião uropeia e uma queda no éxico, de 300 a 400 mil toneladas. "as o que pesa mesmo é rasil", disse. s preços do açúcar na bolsa de ova York, referência mundial, registraram em julho o menor patamar em três anos. PVÃ D DÉFC este contexto de preços baixos, astari estima que em um ou dois anos poderá haver novamente déficit na produção mundial de açúcar, algo que foi registrado pela última vez na temporada 2009/10. "Precisa ter um sinal de preço que induza retomada de investimento", avaliou ele, ressaltando que essa sinalização seria traduzida em preços 5 a 6 centavos de dólar por libra-peso acima do custo de oportunidade dos fornecedores, durante "um período razoável" (euters, 11;9;13). anobras políticas ameaçam a agricultura Cesário amalho da ilva Diferentemente do cenário econômico - que, apesar de percalços, até o momento permanece no campo positivo -, o ambiente político da agricultura não anda bem. situação põe em risco o produtor rural e, consequentemente, os bons resultados que o setor agrícola vem fornecendo continuamente ao rasil em termos de abastecimento, emprego, renda e divisas, entre outros ganhos socioeconômicos. os últimos tempos, o inistério da gricultura, Pecuária e bastecimento (apa) se enfraqueceu. Perdeu autonomia, função estratégica, poder político e recursos, deixando o setor produtivo órfão e sem acesso ao centro nervoso do governo. De imediato, é uma absoluta incongruência, já que a agricultura é a atividade de maior força econômica do País, as, paradoxalmente, é a mais fraca politicamente. lém disso, temos um ministro com período de mandato contado, em razão das eleições de ssa fragilidade toma o ministério um alvo fácil para os mais variados estratagemas. pasta vem sendo objeto de um perigoso processo de aparelhamento, marcado pela substituição de profissionais de longa data, com respeitável trajetória e reconhecidos nacional e internacionalmente, por indivíduos 9

10 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : ligados a interesses políticos específicos. ssa manobra, que atinge principalmente o segundo escalão e começa a chegar ao terceiro, fere a autoridade do ministério e retira da pasta a autonomia para selecionar o seu próprio grupo de técnicos. desmantelamento da pasta da gricultura ao longo dos anos é latente e as recentes trocas acentuaram ainda mais esse delicado quadro. Profissionais que têm sido substituídos foram, por exemplo, responsáveis por conquistas de mercados internacionais para produtos agrícolas brasileiros. saída desses profissionais compromete acordos já existentes e ameaça futuros. sso porque o aparelhamento político coloca nesses cargos pessoas sem bagagem técnica, tirando legitimidade e credibilidade de suas decisões com parceiros comerciais, por exemplo. ais grave ainda é o uso do apa para fins partidários, num claríssimo exemplo de esbulho do dinheiro público, somado ao contingenciamento de recursos no seguro rural e também da mpresa rasileira de Pesquisa gropecuária (mbrapa), bem como o desvio de verbas destinadas originalmente à agricultura para o pagamento de emendas parlamentares, numa tacada que já visa ao apoio nas eleições do ano que vem. este ano, a verba contingenciada do ministério "se aproxima de 500 milhões. o seguro rural, cerca de $ 4 milhões da subvenção governamental que cabe às seguradoras - valores relativos, ainda, ao Plano afra do ciclo passado não foram liberados. este ano, o volume represado chega a aproximadamente $ 138 milhões. mbrapa também sofre com cortes e com as amarras institucionais que cerceiam seu poder de decisão e atuação. falta de liberdade orçamentária que aplaca a instituição dilapida sua competitividade. busca pela inovação - pilar das nações desenvolvidas - exige impreterivelmente capital, planejamento e velocidade. Órgãos da pesquisa pública - e não falo só da mbrapa precisam urgentemente de novos mecanismos administrativos que criem um ambiente regulatório propício a uma gestão financeira mais autônoma, com vistas a ganhos de eficiência operacional e consequente produtividade. Por sua importância e complexidade, num rasil cujo agronegócio é o carrochefe da economia, o ministério responsável por esse setor não pode ficar à mercê de interesses políticos particulares. P tem de continuar sendo dos produtores, permanecendo como uma trincheira do setor. Como vimos e continuamos observando nas ruas, a sociedade brasileira não suporta mais o conluio particular subjugando o interesse coletivo na administração pública, e o apa é apenas um exemplo, entre tantos outros (Cesário amalho da ilva é presidente da ociedade ural rasileira (); stado de.paulo, 11/9/13). m novo olhar sobre a agricultura brasileira - lysson Paolinelli, anuel tero, aurício ntônio opes, oberto odrigues e Wagner Furtado Veloso humanidade experimenta enormes mudanças nas últimas décadas. cada momento surgem novas formas de se interpretar e alterar a realidade, assim como novas fontes de compreensão sobre a natureza, a sociedade e os processos históricos. Fica cada vez mais evidente a importância da ciência e de processos aprimorados de análise e antevisão, para lidarmos com a complexidade que marca o nosso tempo. É nestas circunstâncias que identificamos um movimento em curso nas instituições técnicas nacionais e internacionais, nos centros de pesquisa, nas universidades, expresso em artigos, debates e contribuições diversas, que aqui 10

11 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : sintetizamos: urge à sociedade emprestar "um novo olhar sobre a agricultura brasileira". Por um lado, a agropecuária e a bioenergia oferecem uma histórica janela de oportunidades (renda, divisas e emprego) para o rasil e para os brasileiros, do campo, ou das cidades. Por outro, tais objetivos podem e devem ser lastreados na sustentabilidade em seu sentido mais amplo, que articula compromissos ambientais, econômicos e de inclusão social. Valores que se corporificam no fortalecimento do conceito de democracia alimentar: alimentos mais nutritivos e saudáveis, produzidos em maior quantidade, com uso mais inteligente e racional dos recursos naturais, com preços mais acessíveis para a população. Para tanto, é indispensável construir um canal de comunicação entre o campo e a cidade. presentar o rasil ao rasil. al diálogo será mais eficaz se a leitura da realidade for interpretada pelos paradigmas e comparativos praticados pela ciência. les nos ensinam a separar a ideologia do ideário, a emoção dos fatos. agricultura precisa ser percebida por seu real significado para o presente e futuro dos brasileiros. peso histórico desta realidade exige-nos uma leitura mais atenta, justa e elaborada - mais realista e menos passional. m 40 anos, o desenvolvimento de uma agricultura tropical brasileira projetou o país para um papel crucial na oferta. as projeções de crise alimentar são indiscutíveis, resultado do aumento da população (de 7 para 9 bilhões, até 2050) e da renda. m dilema grave, já que a oferta planetária de alimentos exibe um quadro crítico de limitações: intensificação de estresses climáticos, obsolescência tecnológica, limitada disponibilidade de terras, fadiga dos sistemas convencionais de produção, dentre outras. É neste quadro que a F reserva ao rasil a missão de fornecer 40% da demanda suplementar de alimentos das próximas décadas. u, produzir mais 100 milhões de toneladas de grãos em 20 anos. um mercado global cada vez mais competitivo, onde outros segmentos encontram sérias limitações, a agricultura brasileira figura como uma apólice de seguro de crescimento econômico já contratado. sse panorama coloca a nação face a face com suas verdades e responsabilidades. rata-se de um dos maiores desafios de nossa história. De um lado, perspectiva real de desenvolvimento sustentado. De outro, obstáculos colossais. studos recentes apontam para uma limitada disponibilidade de terras de novas fronteiras. produtividade, a segunda safra, a integração de cultivos e a reconversão de pastagens ainda oferecem espaço de crescimento, mas exigem inédito esforço de pesquisa e de desenvolvimento tecnológico, ao lado de providências normativas na infraestrutura e na segurança jurídica, que são condição preliminar para assegurar o ritmo de investimento. percepção do interesse coletivo é o espaço que permite colocar soluções no lugar de preconceitos, aferição no lugar de premonição, e gerenciamento do território e planejamento estratégico no lugar da emoção. mídia aos poucos traduz o verdadeiro sentido da agricultura para a sociedade, seja tentando explicar a vitória sobre o Corinthians de um time plantado na fronteira agrícola, o incógnito uverdense, seja pontuando que nos últimos três anos cerca de 80% do crescimento do P vieram da agricultura. s fatos transitam em julgado: no espaço de uma geração, a pesquisa promoveu o frango do adágio ("quando o pobre come frango, é porque um dos dois está doente") à condição de proteína popular - barata e generalizada. as, reconhecemos, faltam elementos para ilustrar o debate. Por isto, o P, da P, o Fórum do Futuro, o FV-gro, a Fundação Dom Cabral e o C estão promovendo uma série de seminários e eventos, que convergem na aferição da dimensão da ruralidade no rasil e do real peso social, econômico e ambiental da agricultura. a construção do diálogo entre 11

12 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : o campo e a cidade, o referencial científico é o capital de confiança. nvestigar, medir (FÇÕ CÊC), comparar pré-requisitos. escolha do futuro passa por elementos mensuráveis e esclarecedores, capazes de orientar a sociedade na eleição de suas prioridades. xemplo: investir sem demora no conhecimento profundo de cada um dos seis biomas brasileiros, condição sine qua non para a interação ideal com cada um deles, para o bem do campo e das cidades. desafio de combater o espectro da fome e o desiderato da responsabilidade ambiental marcaram inapelável encontro na mesma visão de futuro. Por isso é imperioso que todos os brasileiros compartilhem o que acontece em orriso, io Verde, Cristalina e uiz duardo agalhães, e saibam como isto impacta suas vidas e o porvir do planeta. É decisivo envolver a juventude. ão os jovens estudantes das universidades ditas urbanas (das áreas de engenharia, mecatrônica, economia, informática, de tecnologia em geral) que podem oferecer ao país soluções que conciliem a produção de mais alimentos, com mais inclusão social, e menos impacto sobre os recursos naturais. o caminho inverso, mas no mesmo sentido, as universidades ditas agrárias abraçando cada vez mais os espaços de tecnologia, tecendo um networking de comprometimento nacional. resposta para minimizar o uso e o custo da água na irrigação, por exemplo, pode estar neste momento na cabeça de um estudante de robótica de uma universidade situada numa grande cidade, mas que ainda não atentou para a relevância da agricultura como espaço profissional que já opera no estado da arte das tecnologias. história convoca o rasil para ser vanguarda na construção de um novo tempo, no qual nada é mais nobre do que produzir alimentos. ão é a reputação da agricultura que está em jogo, nem se trata aqui do interesse isolado de um segmento econômico. rata-se aqui de um projeto de sociedade, de um projeto de política maior. ntre mitos e realidades, o rasil administra a invejável condição de poder crescer na liderança, de escolher a qualidade do próprio futuro. o momento é agora (lysson Paolinelli é presidente do conselho consultivo do Fórum do Futuro; anuel tero é representante do nstituto nteramericano de Cooperação para a gricultura (C) no rasil; aurício ntônio opes é presidente da mpresa rasileira de Pesquisa gropecuária; oberto odrigues, do Centro de gronegócio da FV (FV-gro); Wagner Furtado Veloso é presidente executivo da Fundação Dom Cabral; Valor conômico, 12/9/13). Águas calmas até quando? rnaldo uiz Corrêa semana se encerrou em Y com o contrato de açúcar com vencimento para outubro de 2013 cotado a 17,09 centavos de dólar por libra-peso. ma alta de 30 pontos (6,60 dólares por tonelada) na semana. s demais meses cotados na bolsa de Y fecharam igualmente em altas que oscilaram entre 31 e 47 pontos (basicamente entre 7 e 10 dólares por tonelada). Da mesma forma que aconteceu a semana passada, a alta foi praticamente neutralizada com a valorização do real. ssim, em verdade, em reais por tonelada, o mercado fechou com uma alta magricela de 7 reais por tonelada na semana, a $ 895,00 (média do ano $ 841,70). mercado de açúcar continua navegando em águas calmas enfrentando vez por outra uma ondinha mais forte, mas nada que respingue muito no barco. s números não mentem: nos últimos 30 dias o mercado negociou numa faixa de preço bastante estreita, isto é, 107 pontos entre a máxima e a mínima, a mais baixa desde julho/2013. e a gente pegar os últimos pregões (que correspondem a quatro anos) e tirarmos uma média mensal chegamos a 378 pontos de oscilação, com o mínimo de 75 pontos (em março/abril desse ano) e a máxima de intimidantes 977 pontos (fevereiro/março de 2010). comparação pode não ser justa porque fala de números absolutos e não de números relativos. Falar 12

13 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP Piracicaba/P - Fone (019) mail: : de 977 pontos de oscilação com Y a 33 centavos de dólar por libra-peso é diferente se o mercado tivesse 20 centavos de dólar por libra-peso, por exemplo. m valores relativos, a oscilação mensal (pelo critério de faixa de preço dividida pelo fechamento do dia) está em torno de 6,25%, que nos dias analisados tem uma média de 16,34% (!!!). Quantas vezes o mercado oscilou, em bases mensais, abaixo de 6,25%, nos últimos pregões? penas 43 vezes. dessas 43 vezes, quantas ocorreram em 2013? odas. u seja, estamos num mercado mais manso que gato de armazém. Particularmente tenho certa prudência contra mercados muito calmos assim como águas muito calmas. Poder-se-ia dizer que o volume tem caído e isso faz com que os mercados fiquem mornos e insossos. Pura mentira. volume de contratos futuros negociados este ano em Y é de 22,303 milhões, projetando 32 milhões para o ano. e isso ocorrer, será o maior volume da história do contrato de açúcar desde sua criação no atual modelo (1961). erá que essa calmaria vai persistir? Vale notar também que os fundos não-indexados estão apenas lotes vendidos (meras toneladas de açúcar equivalente). sso significa que em uma semana (contada de terça a terça) eles se cobriram (recompraram suas posições vendidas a descoberto) em contratos. Difícil dizer que essa movimentação pode significar uma virada de mão por parte dos fundos (de vendidos para comprados) e/ou que o mercado possa ter uma subida de preços. as merece uma análise criteriosa. sando a média do CC para a safra atual e dólar de fechamento da sexta-feira, o modelo da rcher Consulting calcula o custo de produção de açúcar no Centro-ul como sendo de $ 34,7006 por saca posto sina, sem custo financeiro. sso equivale a 15,79 centavos de dólar por libra-peso F antos. ma usina que tenha o X aproximado desta safra tem um resultado operacional (fechamento de sexta-feira) de 3,40 dólares por tonelada de cana moída. despesa financeira média das usinas, dizem os analistas, está em torno de $ 15 por tonelada. Quem não aproveitou o dólar forte agora fica roendo as unhas. á um mês, a combinação do fechamento de Y com o dólar chegou a $ 798,48 por tonelada posto na sina. as não desanime: para a safra 2014/2015 considerando fechamentos de sexta-feira e contratos a termo de dólares para os vencimentos nos meses de fechamento da bolsa em Y, pode-se D ao equivalente a $ 845 por tonelada posto sina, uma remuneração média de 20% acima do custo de produção. ão fossem os entraves de liquidez e coragem, para a 2015/2016 essa remuneração salta para 32,9%, ou seja, cerca de $ 920 por tonelada posto usina. última vez que tivemos esse retorno foi em agosto de Pouca gente ouviu falar de rover Cleveland. le é o único presidente dos stados nidos a ter tido dois mandatos não consecutivos. primeiro no período e o segundo Cleveland era um democrata e não raramente elogiado pela oposição republicana que o apoiou em 1884 quando ele lutava contra a corrupção política. o seu segundo mandato, o país enfrentou uma depressão econômica (conhecida como o Pânico de 1897) que levou uma série de bancos a falirem devido aos enormes e impagáveis financiamentos para a construção de estradas de ferro. Cleveland não conseguiu reverter a crise mas sua reputação de honestidade e caráter sempre foram realçadas. uma dessas crises, Cleveland disse uma frase genial: m águas calmas, todo o navio tem um bom capitão. 13

ORPLANA INFORMA N 39 01 de Outubro de 2012

ORPLANA INFORMA N 39 01 de Outubro de 2012 D/CÓ ÉCNC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-232 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: PN@PN.com.br : www.pn.com.br PN NF N 39 01 de utubro de 2012 PÇ D ÇÚC, D N ND DD CN DD ND N QD PÇÃ: emana de 24

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

N 03-18 de Janeiro de 2010

N 03-18 de Janeiro de 2010 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-125 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: orplana@orplana.com.br : www.orplana.com.br 1 03-18 de aneiro de 2010 PÇ D ÇÚC D D DD PÇÃ: emana de 11 a 15/01/2010

Leia mais

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo.

Açúcar: Informativo Quinzenal. Oferta se acentua e preços cedem. Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo. Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada CEPEA/ESALQ/USP 25 de maio de 2011 Volume 1, Edição 22 Açúcar: Informativo Quinzenal Indicador de Açúcar Cristal Cepea/Esalq Estado de São Paulo DATA Valor

Leia mais

AÇÚCAR EM NOVA YORK ASSUME VANTAGEM SOBRE PREÇOS DO HIDRATADO EM RIBEIRÃO PRETO

AÇÚCAR EM NOVA YORK ASSUME VANTAGEM SOBRE PREÇOS DO HIDRATADO EM RIBEIRÃO PRETO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 07/setembro/2015 n. 591 AÇÚCAR EM NOVA YORK ASSUME VANTAGEM SOBRE PREÇOS DO HIDRATADO EM RIBEIRÃO PRETO A finalização da primeira semana de setembro

Leia mais

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL

AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL AGRONEGÓCIO PANORAMA ATUAL IMPORTÂNCIA ECONOMICA 1- Exportações em 2014: Mais de US$ 100 bilhões de dólares; 2- Contribui com aproximadamente 23% do PIB brasileiro; 3- São mais de 1 trilhão de Reais e

Leia mais

O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E O SETOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 E OS CENÁRIOS DE LONGO PRAZO Carlos Cogo Agosto/2012 LA NIÑA PROVOCA FORTES QUEBRAS EM SAFRAS DE GRÃOS O

Leia mais

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise A crise econômica afeta o setor sucroenergético principalmente, dificultando e encarecendo o crédito

Leia mais

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30

Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 1 Entrevistado: Almir Barbassa Entrevistador: - Data:11/08/2009 Tempo do Áudio: 23 30 Entrevistador- Como o senhor vê a economia mundial e qual o posicionamento do Brasil, após quase um ano da quebra do

Leia mais

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País o que é O QUE É. Lançado em Brasília em dezembro de 2011, o Movimento Mais Etanol visa detalhar e disseminar políticas públicas e privadas indispensáveis para: w O restabelecimento da competitividade do

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: ABRIL/2014 CEPEA - AÇÚCAR & ETANOL I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Relações de preços mercados interno e internacional

Leia mais

N 047-16 de Novembro de 2009

N 047-16 de Novembro de 2009 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-125 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: orplana@orplana.com.br : www.orplana.com.br 047-16 de ovembro de 2009 PÇ D ÇÚC D D C PÇ D DD PÇÃ: emana de 09 a

Leia mais

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024 As projeções de produção de cana, açúcar e etanol para a safra 2023/24 da Fiesp/MB Agro No Brasil, a cana-de-açúcar experimentou um forte ciclo de crescimento da produção na década passada. A aceleração

Leia mais

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014

Mercado. Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Mercado Cana-de-açúcar: Prospecção para a safra 2013/2014 Por: WELLINGTON SILVA TEIXEIRA As mudanças climáticas provocadas pelo aquecimento global suscitam as discussões em torno da necessidade da adoção

Leia mais

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região.

Ano I Boletim II Outubro/2015. Primeira quinzena. são específicos aos segmentos industriais de Sertãozinho e região. O presente boletim analisa algumas variáveis chaves na atual conjuntura da economia sertanezina, apontando algumas tendências possíveis. Como destacado no boletim anterior, a indústria é o carro chefe

Leia mais

VENDAS DE ETANOL HIDRATADO CRESCEM 56% NO BRASIL EM JUNHO

VENDAS DE ETANOL HIDRATADO CRESCEM 56% NO BRASIL EM JUNHO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano X 13/agosto/2015 n. 458 VENDAS DE ETANOL HIDRATADO CRESCEM 56% NO BRASIL EM JUNHO Os dados mais atualizados disponibilizados pela ANP sobre a venda de combustíveis

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Terceiro Trimestre 2014 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer A demanda crescente nos mercados interno e externo por combustíveis renováveis, especialmente o álcool, atrai novos investimentos para a formação

Leia mais

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a economia nacional registra um de seus piores momentos

Leia mais

DADOS DA CONAB TRAZEM AJUSTES E INDICAM MUDANÇA NA TENDÊNCIA DO MERCADO

DADOS DA CONAB TRAZEM AJUSTES E INDICAM MUDANÇA NA TENDÊNCIA DO MERCADO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 17/agosto/2015 n. 588 DADOS DA CONAB TRAZEM AJUSTES E INDICAM MUDANÇA NA TENDÊNCIA DO MERCADO A quinta-feira foi iniciada com a atualização de um importante

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo

Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas econômicas do governo Cliente: Trade Energy Veículo: Portal R7 Assunto: Saiba o que vai mudar no seu bolso com as novas medidas Data: 21/01/2015 http://noticias.r7.com/economia/saiba-o-que-vai-mudar-no-seu-bolso-com-as-novas-medidaseconomicas-do-governo-21012015

Leia mais

CLIPPING 06/02/2014 Acesse: www.cncafe.com.br

CLIPPING 06/02/2014 Acesse: www.cncafe.com.br CLIPPING Acesse: www.cncafe.com.br Após altas, produtor não deve exercer opção de venda de café Valor Econômico Tarso Veloso e Carine Ferreira Após a sequência de altas do café arábica na bolsa de Nova

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 11 Pronunciamento sobre a questão

Leia mais

20 de agosto de 2013. Xisto muda geopolítica da energia

20 de agosto de 2013. Xisto muda geopolítica da energia 20 de agosto de 2013 Xisto muda geopolítica da energia A "revolução do xisto" em curso nos Estados Unidos, que já despertou investimento de US$ 100 bilhões na indústria americana, vai resultar em uma nova

Leia mais

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca. Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca. Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade Etanol A produção de álcool combustível como fonte de energia deve-se

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DO ÁLCOOL - PROÁLCOOL

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DO ÁLCOOL - PROÁLCOOL UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DO ÁLCOOL - PROÁLCOOL Cintia de Souza Oliveira 8662479 Karina Siqueira 8658676 Verônica Carvalho

Leia mais

GANHOS DO ETANOL HIDRATADO SUPERAM AÇÚCAR BRUTO EM NOVA YORK EM QUASE 10%

GANHOS DO ETANOL HIDRATADO SUPERAM AÇÚCAR BRUTO EM NOVA YORK EM QUASE 10% Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 0613/julho/2015 n. 583 GANHOS DO ETANOL HIDRATADO SUPERAM AÇÚCAR BRUTO EM NOVA YORK EM QUASE 10% O encerramento de junho foi marcado por mais um período

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 1. INTRODUÇÃO O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), realiza sistematicamente

Leia mais

Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores

Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores Projeções de custos e rentabilidade do setor sucroenergético na região Nordeste para a safra 2013/14: o desafio de sobrevivência dos fornecedores Essa publicação apresenta as projeções de custos de produção

Leia mais

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético

Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético 23 de julho de 2015 Situação atual e perspectivas para o setor sucroenergético Antonio de Padua Rodrigues Diretor técnico ROTEIRO I. Perspectivas para a safra 2015/2016 II. Mercados de açúcar e de etanol

Leia mais

Máquinas e Equipamentos de Qualidade

Máquinas e Equipamentos de Qualidade Máquinas e Equipamentos de Qualidade 83 A indústria brasileira de máquinas e equipamentos caracteriza-se pelo constante investimento no desenvolvimento tecnológico. A capacidade competitiva e o faturamento

Leia mais

Edição 40 (Março/2014)

Edição 40 (Março/2014) Edição 40 (Março/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação oficial acelera por alimentos e transportes (Fonte: Terra) O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) avançou 0,73% em março

Leia mais

N 07-15 de Fevereiro de 2010

N 07-15 de Fevereiro de 2010 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-125 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: orplana@orplana.com.br : www.orplana.com.br 1 07-15 de Fevereiro de 2010 PÇ D ÇÚC PÇ D C PÇÃ: emana de 08 a 12/02/2010

Leia mais

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade...

3. Os erros têm sido cometidos exatamente onde há maior dificuldade... Entrevista com PEDRO MANDELLI Consultor na área de mudança organizacional, Pedro Mandelli é um dos maiores especialistas em desenho e condução de processos de mudança em organizações. É professor da Fundação

Leia mais

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros A Lição de Lynch O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros Por Laura Somoggi, de Marblehead (EUA) É muito provável que o nome Peter Lynch não lhe seja familiar. Ele

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA

VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA VERTICALIZAÇÃO OU UNIÃO ESTRATÉGICA ABRAMGE-RS Dr. Francisco Santa Helena Presidente da ABRAMGE-RS Sistema ABRAMGE 3.36 milhões de internações; 281.1 milhões de exames e procedimentos ambulatoriais; 16.8

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

14º CONGRESSO BRASILEIRO DO AGRONEGÓCIO FÓRUM ALIMENTOS. Vamos tornar o Brasil o primeiro produtor de Alimentos do Mundo?

14º CONGRESSO BRASILEIRO DO AGRONEGÓCIO FÓRUM ALIMENTOS. Vamos tornar o Brasil o primeiro produtor de Alimentos do Mundo? 14º CONGRESSO BRASILEIRO DO AGRONEGÓCIO FÓRUM ALIMENTOS Vamos tornar o Brasil o primeiro produtor de Alimentos do Mundo? ALAN BOJANIC Ph.D. REPRESENTANTE DA FAO NO BRASIL ALIMENTAR O MUNDO EM 2050 As novas

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em janeiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 17 Discurso no encerramento do Fórum

Leia mais

Fonte: MAPA e RFA/USA. Elaboração: INTL FCStone

Fonte: MAPA e RFA/USA. Elaboração: INTL FCStone Commodity Insight Agosto de 2013 Analistas Thadeu Silva Diretor de Inteligência de Mercado Thadeu.silva@intlfcstone.com Pedro Verges Analista de Mercado Pedro.verges@intlfcstone.com Natália Orlovicin Analista

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP

Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP Cortadores de cana têm vida útil de escravo em SP Pressionado a produzir mais, trabalhador atua cerca de 12 anos, como na época da escravidão Conclusão é de pesquisadora da Unesp; usineiros dizem que estão

Leia mais

22/05/2006. Discurso do Presidente da República

22/05/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura de protocolos de intenções no âmbito do Programa Saneamento para Todos Palácio do Planalto, 22 de maio de 2006 Primeiro, os números que estão no

Leia mais

Lean na agroindústria: a transformação da indústria de café torrado e moído no Grupo 2 Irmãos

Lean na agroindústria: a transformação da indústria de café torrado e moído no Grupo 2 Irmãos Lean na agroindústria: a transformação da indústria de café torrado e moído no Grupo 2 Irmãos Julio César Paneguini Corrêa A filosofia lean não mais se restringe às empresas de manufatura. Muitos setores

Leia mais

AGOSTO DEVE SER MARCADO POR QUEDA ANUAL DE 33% EM NOVA YORK

AGOSTO DEVE SER MARCADO POR QUEDA ANUAL DE 33% EM NOVA YORK Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 31/agosto/2015 n. 590 AGOSTO DEVE SER MARCADO POR QUEDA ANUAL DE 33% EM NOVA YORK A finalização do mês de agosto traz consigo mais um registro de forte

Leia mais

RENTABILIDADE DO ETANOL HIDRATADO SOBRE O AÇÚCAR CAI NA PRIMEIRA SEMANA DE MAIO

RENTABILIDADE DO ETANOL HIDRATADO SOBRE O AÇÚCAR CAI NA PRIMEIRA SEMANA DE MAIO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano X 07/maio/2015 n. 444 RENTABILIDADE DO ETANOL HIDRATADO SOBRE O AÇÚCAR CAI NA PRIMEIRA SEMANA DE MAIO A finalização da primeira semana de maio mostrou uma

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo;

A costa da África pode ser um foco da indústria no futuro próximo; Fleury Pissaia * Entre 2011 e 2015, investimento previsto no setor industrial é de R$ 600 bilhões. Desse montante, indústria do petróleo representa 62%. No mesmo período, R$ 750 bilhões serão alocados

Leia mais

Edição 38 (Março/2014)

Edição 38 (Março/2014) Edição 38 (Março/2014) Cenário Econômico: A atividade do comércio varejista registrou crescimento de 6,1% em fevereiro ante o mesmo período do ano anterior, na terceira aceleração consecutiva do resultado

Leia mais

www.contratofuturo.com

www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com www.contratofuturo.com História do Milho - Os primeiros registros do cultivo datam de 7.300 anos - Origem Americana: litoral do México - Nome, de origem indígena, significa "sustento

Leia mais

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO

MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO MERCADO DE TRIGO CONJUNTURA E CENÁRIO NO BRASIL E NO MUNDO Paulo Magno Rabelo (1) A análise de desempenho da produção de trigo no mundo desperta apreensões fundamentadas quanto aos indicadores de área

Leia mais

ORPLANA INFORMA N 05 06 de fevereiro de 2012

ORPLANA INFORMA N 05 06 de fevereiro de 2012 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-125 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: P@P.com.br : www.p.com.br P F 05 06 de fevereiro de 2012 PÇ D ÇÚC, D D D DD C QD PÇ D D. PÇÃ: emana de 30/01 a 03/02/2012

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

OS BIOCOMBUSTÍVEIS E A

OS BIOCOMBUSTÍVEIS E A OS BIOCOMBUSTÍVEIS E A INDÚSTRIA DO PETRÓLEO Ricardo de Gusmão Dornelles Diretor do Departamento de Combustíveis Renováveis Jun/2009 MATRIZ ENERGÉTICA MUNDIAL E NACIONAL - 2008 54,9 45,1 Brasil (2008)

Leia mais

04 de maio de 2012 Edição nº. 469

04 de maio de 2012 Edição nº. 469 O relatório Boi na Linha, da Scot Consultoria, na edição dessa sexta feira resumiu bem o status quo do mercado pecuário nesse início de maio A seca que vem afetando as pastagens há algum tempo somado a

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito ficaram praticamente estáveis em janeiro/2013 frente a dezembro/2012. Pessoa Física Das seis

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ"

DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ Na média, pecuarista ganha da inflação em setembro Em setembro, o custo efetivo da pecuária, pesquisado pela CNA/Cepea-USP, teve alta de apenas 0,22%, enquanto que a inflação medida pelo IGP-M alcançou

Leia mais

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*)

Quadro II - PREÇO DO AÇÚCAR CRISTAL COLOCADO NO PORTO DE SANTOS - SP NA CONDIÇÃO SOBRE RODAS - (Em R$/Saca de 50kg*) CANA-DE-AÇÚCAR Período: Janeiro/2016 Quadro I - PREÇO NA USINA EM SÃO PAULO (Em R$/unidade*) Produtos Unidade 24 12 1 Mês Mês Atual Açúcar Cristal Cor ICUMSA 130 a 180 Saco/50 kg 50,20 51,05 80,57 83,75

Leia mais

ORPLANA INFORMA N 06 13 de Fevereiro de 2013

ORPLANA INFORMA N 06 13 de Fevereiro de 2013 D/CÓ ÉCC: v. Dona aria lisa, 283 CP 13405-232 Piracicaba/P - Fone (019) 3423-3690 -mail: P@P.com.br : www.p.com.br P F 06 13 de Fevereiro de 2013 PÇ D ÇÚC QD PÇ D D D DD C D DD D PÇÃ: emana de 04 a 08/02/2013

Leia mais

Com tendência de alta do juro, renda fixa volta a brilhar nas carteiras

Com tendência de alta do juro, renda fixa volta a brilhar nas carteiras Veículo: Estadão Data: 26.11.13 Com tendência de alta do juro, renda fixa volta a brilhar nas carteiras Veja qual produto é mais adequado ao seu bolso: até R$ 10 mil, de R$ 10 mil a R$ 100 mil e acima

Leia mais

O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios

O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios O Setor Elétrico Brasileiro e a Sustentabilidade no Século 21 Oportunidades e Desafios Português Resumo Executivo Esta é a segunda edição revista e ampliada da publicação: O Setor Elétrico Brasileiro e

Leia mais

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente

A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente BRICS Monitor A Ameaça Inflacionária no Mundo Emergente Agosto de 2011 Núcleo de Análises de Economia e Política dos Países BRICS BRICS Policy Center / Centro de Estudos e Pesquisa BRICS BRICS Monitor

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Os fundos de pensão precisam de mais...fundos

Os fundos de pensão precisam de mais...fundos Página 1 de 3 Aposentadoria 20/08/2012 05:55 Os fundos de pensão precisam de mais...fundos Os planos de previdência de empresas e bancos não têm conseguido cumprir suas metas, incompatíveis com um cenário

Leia mais

Repensando a matriz brasileira de combustíveis

Repensando a matriz brasileira de combustíveis 1 Repensando a matriz brasileira de combustíveis Marcos Sawaya Jank Conselheiro do CDES A matriz energética brasileira se destaca pela grande incidência de fontes renováveis... Ao longo desta década, a

Leia mais

Perfil de investimentos

Perfil de investimentos Perfil de investimentos O Fundo de Pensão OABPrev-SP é uma entidade comprometida com a satisfação dos participantes, respeitando seus direitos e sempre buscando soluções que atendam aos seus interesses.

Leia mais

$ $ À espera da competitividade

$ $ À espera da competitividade etanol À espera da competitividade foi mais um ano de sufoco para o setor sucroalcooleiro, que ainda sente os reflexos da crise de 2008, que deixou as usinas sem crédito, justamente quando haviam assumido

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Resultados incluem primeiro ano de cultivo de milho geneticamente modificado, além das já tradicionais

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junio 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

ABRIL INICIA COM QUEDA SUPERIOR A 9% PARA O HIDRATADO

ABRIL INICIA COM QUEDA SUPERIOR A 9% PARA O HIDRATADO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Nº 390 Ano IX 03/abril/2014 ABRIL INICIA COM QUEDA SUPERIOR A 9% PARA O HIDRATADO No mercado físico de etanol, a primeira semana de abril foi marcada pelo abrandamento

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em fevereiro/2015. Estas elevações podem ser atribuídas aos seguintes

Leia mais

PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO. FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO...

PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO. FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO... CADÊ O BRASIL RICO? FICA DO OUTRO LADO DESSE ESPELHO. DESTE LADO, POUCO DINHEIRO NO BOLSO... PARECE IGUAL... MAS, DO OUTRO LADO, É O BRASIL QUE DÁ CERTO.... E AQUI, DINHEIRO SOBRANDO NO FIM DO MÊS. DESTE

Leia mais

Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking

Especialista questiona ascensão de bancos brasileiros em ranking Veículo: Valor Online Data: 13/04/09 Especialista questiona "ascensão" de bancos brasileiros em ranking A crise global colocou os bancos brasileiros em destaque nos rankings internacionais de lucro, rentabilidade

Leia mais

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano.

PESQUISA DE JUROS. As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em dezembro/2013 sendo esta a sétima elevação do ano. Esta elevação é reflexo da elevação da Taxa Básica de Juros (Selic)

Leia mais

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva encontrou com o governador Paulo Hartung no 27º Encontro Econômico Brasil-Alemanha.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva encontrou com o governador Paulo Hartung no 27º Encontro Econômico Brasil-Alemanha. Denise Zandonadi dzandonadi@redegazeta.com.br O presidente Luiz Inácio Lula da Silva encontrou com o governador Paulo Hartung no 27º Encontro Econômico Brasil-Alemanha. O presidente Luiz Inácio Lula da

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2014/2015 São Paulo, 23 de abril de 2014 ROTEIRO I. Safra 2013/2014 na região Centro-Sul: dados finais Condições climáticas e agronômicas Moagem e produção Mercados

Leia mais

Intenções de Investimento

Intenções de Investimento Intenções de Investimento Terceiro Trimestre 2015 Principais Resultados: Resultados:» Preocupações atuais» Intenções de investimento em: Tecnologia / Custeio Maquinas e Equipamentos Gestão de Pessoas Infraestrutura

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO

ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO ESPAÇO RURAL ALIMENTOS PARA OS BRASILEIROS E PARA O MUNDO Introdução O modelo de desenvolvimento rural nos últimos tempos, baseado na modernização agrícola conservou muitas das características históricas

Leia mais

Pequeno investidor tem acesso limitado a ações

Pequeno investidor tem acesso limitado a ações Pequeno investidor tem acesso limitado a ações acima de R$ 50 Altos custos de corretagem para essas aplicações dificultam ganhos O discurso dos especialistas em finanças pessoais é que os investidores

Leia mais

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06

PAINEL 9,6% dez/07. out/07. ago/07 1.340 1.320 1.300 1.280 1.260 1.240 1.220 1.200. nov/06. fev/07. ago/06 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ASSESSORIA ECONÔMICA PAINEL PRINCIPAIS INDICADORES DA ECONOMIA BRASILEIRA Número 35 15 a 30 de setembro de 2009 EMPREGO De acordo com a Pesquisa

Leia mais

Mercado global. vive momento de mudanças

Mercado global. vive momento de mudanças DATAGRO Mercado global vive momento de mudanças A indústria mundial de açúcar e etanol, setor no qual o Brasil figura como um dos principais líderes, vive um cenário de transformações. Enquanto no país

Leia mais

ENTREGAS RÁPIDAS, EFICIENTES E COM QUALIDADE. O diferencial que sua empresa busca para os negócios

ENTREGAS RÁPIDAS, EFICIENTES E COM QUALIDADE. O diferencial que sua empresa busca para os negócios ENTREGAS RÁPIDAS, EFICIENTES E COM QUALIDADE O diferencial que sua empresa busca para os negócios Índice APRESENTAÇÃO 03 CAPÍTULO 1 MOTIVOS DE SOBRA PARA TERCERIZAR SUA FROTA! 05 CAPÍTULO 2 POR QUE A TRANSMIT?

Leia mais

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 A mineração nacional sentiu de forma mais contundente no primeiro semestre de 2012 os efeitos danosos da crise mundial. Diminuição do consumo chinês, estagnação do consumo

Leia mais

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS

IMA Institute of Management Accountants PESQUISA DE JUROS PESQUISA DE JUROS As taxas de juros das operações de crédito voltaram a ser elevadas em outubro/2013, sendo esta a sexta elevação no ano. Esta elevação pode ser atribuída à última elevação da Taxa de Juros

Leia mais

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados

101/15 30/06/2015. Análise Setorial. Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados 101/15 30/06/2015 Análise Setorial Fabricação de artefatos de borracha Reforma de pneumáticos usados Junho de 2015 Sumário 1. Perspectivas do CenárioEconômico em 2015... 3 2. Balança Comercial de Março

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Abril / 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

HIDRATADO ACUMULA QUEDA DE 18,79% EM 30 DIAS. EXPECTATIVA DE QUEDA AINDA CONTINUA

HIDRATADO ACUMULA QUEDA DE 18,79% EM 30 DIAS. EXPECTATIVA DE QUEDA AINDA CONTINUA Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Nº 395 Ano IX 08/maio/2014 HIDRATADO ACUMULA QUEDA DE 18,79% EM 30 DIAS. EXPECTATIVA DE QUEDA AINDA CONTINUA No mercado físico de etanol a segunda semana de

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais