RESISTÊNCIA BACTERIANA AOS ANTIBIÓTICOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESISTÊNCIA BACTERIANA AOS ANTIBIÓTICOS"

Transcrição

1 RESISTÊNCIA BACTERIANA AOS ANTIBIÓTICOS Um fantasma que nós tornamos real Goreth Barberino & Ana Verena Mendes [ ] [Type the abstract of the document here. The abstract is typically a short summary of the contents of the document. Type the abstract of the document here. The abstract is typically a short summary of the contents of the document.]

2 RESISTÊNCIA BACTERIANA AOS ANTIBIÓTICOS Um fantasma que nós tornamos real Ponto de vista: Goreth Barberino & Ana Verena Mendes A descoberta da penicilina em 1928 foi considerada uma das maiores descobertas da área médica dos últimos cem anos e deu início a uma nova era na Medicina tornando possível o tratamento dos feridos da II Guerra Mundial, oferecendo a possibilidade de cura para doenças infecciosas estigmatizantes como a Sífilis e reduzindo um número significativo de mortes, com aumento importante de sobrevida e mão de obra produtiva. Entretanto, já naquela época, Alexander Fleming, previa que o uso indiscriminado, em subdoses e por tempo incorreto da milagrosa droga, levaria inevitavelmente à seleção de bactérias resistentes. Na verdade, a resistência aos antibióticos em parte pode ser considerada um fenômeno inexorável, conseqüência natural da adaptação da célula bacteriana à exposição aos agente terapêuticos. Entretanto, o uso abusivo e equivocado destas drogas, sem dúvida facilitou o processo seletivo e o exarcebou. Antes de 1990, o problema de resistência aos antibióticos não era considerado uma ameaça para gestão das infecções bacterianas. Entretanto, as falhas de tratamento com utilização de drogas de primeira linha, foram surgindo nas unidades de saúde. Na atualidade a resistência aos antimicrobianos é um crescente problema global no tratamento de doenças infecciosas, representando um grande desafio para a comunidade médica, com forte impacto na morbidade e mortalidade. Inicialmente as infecções causadas por micro-organismos resistentes eram restritas ao ambiente hospitalar, onde o uso de antimicrobianos é mais amplo, em função de características próprias do ambiente e dos pacientes. Contudo, nos últimos anos, tem sido observado um aumento da prevalência de bactérias resistentes na comunidade, a exemplo de S.aureus resistente a meticilina (MRSA - AC) associados a pneumonias, infecções de pele, entre outros. Sem falar da crescente resistência de micro-organismos causadores de doenças seculares como a Tuberculose. A possível causa da mudança no perfil de resistência destes

3 isolados pode ser associada à má utilização de antibióticos nos ambulatórios, à prática de automedicação, ao uso abusivo de dispositivos médicos protéticos e invasivos além da globalização que gerou o aumento da movimentação das populações ao redor do mundo. Outra possível causa não menos importante para o desenvolvimento de cepas resistentes aos antimicrobianos na comunidade, começou a ser descrita em 1950, os antibióticos passaram a ser utilizados como promotores de crescimento adicionados à ração de animais, podendo conduzir ao desenvolvimento de cepas bacterianas resistentes. Esses isolados uma vez selecionados poderiam transmitir resistência para micro-organismos não resistentes e assim, contribuir para o aumento da resistência bacteriana numa enorme gama de indivíduos. Em suma, a resistência bacteriana é atribuída a uma soma de fatores: aquisição de genes de resistência, pressão seletiva e disseminação clonal, muitos destes favorecidos pelo uso irrestrito e errático de antimicrobianos no meio médico e agroveterinário. Tornando-se assim, o principal problema de saúde pública no mundo, afetando todos os países, desenvolvidos ou não e, curiosamente servindo de indicador de má gestão em saúde. Nos países desenvolvidos, a fácil disponibilidade das medicações, a judicializacão da medicina, o uso de ampla tecnologia médica, o prolongamento da vida e o uso ostensivo de antimicrobianos na agricultura e na veterinária são fatores que favorecem a seleção de cepas resistentes. Por outro lado, nos países sem recursos, a má qualidade das drogas, a ausência de diagnóstico, as eventuais interrupções e as subdoses são igualmente fatores indutores do mesmo problema. Desta forma, temos aí um indicador que afeta ricos e pobres desde que tenham em comum, má gestão das tão preciosas drogas antimicrobionas. O mais estarrecedor é que, apesar de reconhecer que o papel da utilização de antibióticos no surgimento de resistência, através do efeito seletivo, competitivo e da subseqüente transferência de resistência, a comunidade científica reconhece que a redução da resistência exigirá estratégias amplas e duradouras e tenderá a ser lenta e com efeitos pouco perceptíveis em curto prazo. Este cenário tem sido apontado como causa da diminuição da eficácia dos tratamentos, prolongamento das doenças e

4 aumento de morbidade, além, de maior custo, maiores taxas de hospitalização e maior uso de antibióticos de amplo espectro e conseqüentemente aumento da mortalidade. Estudos apontam para pontos que poderiam contribuir para minimizar a resistência, tais como: a redução do tempo de uso, ajuste de doses, o uso do antibiótico adequado e quando necessário. Todos estes pontos são abordados nos programas de gestão do uso de antibióticos atualmente conhecidos como Stewardship. Estes programas surgiram como parte das recomendações do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) para a prevenção de doenças infecciosas emergentes e da Organização Mundial de Saúde (OMS, WHO) para combate da Resistência Bacteriana. Diante da abrangência e gravidade do problema, em 2011, a OMS lançou um pacote de medidas que devem ser desenvolvidas em todos países para fazer uma frente ampla aos diversos fatores envolvidos neste cenário. A base das medidas está estruturada em seis pontos: 1. Desenvolvimento de um Plano Nacional ABRANGENTE e FINANCIADO pelo Governo com Envolvimento das Sociedades Civis. 2. Fortalecimento da Vigilância e Capacidade dos Laboratórios. 3. Assegurar o acesso ininterrupto aos medicamentos essenciais e de qualidade assegurada. 4. Regular e promover uso racional de medicamentos, Incluindo em animais, e garantir a boa assistência ao paciente. 5. Reforçar a prevenção e controle de infecção 6. Favorecer Desenvolvimento de novas ferramentas de INOVAÇÕES e PESQUISA Cada uma destas medidas traz um enorme peso em si e pressupõe uma enorme seriedade no enfretamento do problema por parte de todas as esferas das Políticas Públicas e Sociedades Privadas. A estrada é longuíssima em um país como o Brasil em que se convive de modo esquizofrênico com altíssima tecnologica e ausência quase absoluta de controles processuais e de distribuição de recursos. Cabe ao menos aos profissionais de saúde educarem e se educarem na boa prática dos ensinamentos seculares de Alexander Flemming,

5 Referências:

USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS EM GERMES MULTIRRESISTENTES

USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS EM GERMES MULTIRRESISTENTES USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS EM GERMES MULTIRRESISTENTES Francisco Eugênio Deusdará de Alexandria Infectologista e Mestre em Genética e Toxicologia Aplicada 14/04/2015 13:19 1 O QUE É USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS?

Leia mais

Infecções causadas por microrganismos multi-resistentes: medidas de prevenção e controle.

Infecções causadas por microrganismos multi-resistentes: medidas de prevenção e controle. INFORME TÉCNICO XXXVII Outubro 2010 Infecções causadas por microrganismos multi-resistentes: medidas de prevenção e controle. Definição de microorganismos multi-resistentes: São microrganismos resistentes

Leia mais

Biossegurança Resistência Bacteriana. Professor: Dr. Eduardo Arruda

Biossegurança Resistência Bacteriana. Professor: Dr. Eduardo Arruda Biossegurança Resistência Bacteriana Professor: Dr. Eduardo Arruda Introdução Penicilina (1940): Revolução; Ilusão de que as infecções foram vencida; Ser vivo em resposta à agressão: Resistir; Hoje: Estafilococos

Leia mais

Controvérsias: FIM da vigilância para MRSA, VRE, ESBL

Controvérsias: FIM da vigilância para MRSA, VRE, ESBL Controvérsias: FIM da vigilância para MRSA, VRE, ESBL M A R T A F R A G O S O I N F E C T O L O G I S T A / E P I D E M I O L O G I S T A G E R E N T E N G S A / E Q H O S P I T A I S V I T A M É D I C

Leia mais

51 o CONSELHO DIRETOR 63 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

51 o CONSELHO DIRETOR 63 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 51 o CONSELHO DIRETOR 63 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 26 á 30 de setembro de 2011 Tema da Agenda 4.12 CD51/15, Rev.

Leia mais

ALIANÇA PORTUGUESA PARA A PRESERVAÇÃO DO ANTIBIÓTICO (APAPA)

ALIANÇA PORTUGUESA PARA A PRESERVAÇÃO DO ANTIBIÓTICO (APAPA) ALIANÇA PORTUGUESA PARA A PRESERVAÇÃO DO ANTIBIÓTICO (APAPA) A descoberta, síntese e produção em larga escala de antibióticos permitiu reduzir marcadamente a mortalidade devida a doenças infecciosas e

Leia mais

USO RACIONAL DOS ANTIBIÓTICOS. Prof. Dra. Susana Moreno

USO RACIONAL DOS ANTIBIÓTICOS. Prof. Dra. Susana Moreno USO RACIONAL DOS ANTIBIÓTICOS Prof. Dra. Susana Moreno 1 Antibióticos Uma das mais importantes descobertas da medicina moderna Salva milhões de vidas ANTIBIÓTICOS BETA-LACTÂMICOS 3 Antibióticos Beta Lactâmicos

Leia mais

ANTIBIÓTICOS: Características Químicas e como seu Consumo Indevido Pode Causar um Problema na Saúde Pública.

ANTIBIÓTICOS: Características Químicas e como seu Consumo Indevido Pode Causar um Problema na Saúde Pública. ANTIBIÓTICOS: Características Químicas e como seu Consumo Indevido Pode Causar um Problema na Saúde Pública. Edna Elias de Souza Graduanda em Tecnologia em Processos Químicos, Faculdades Integradas de

Leia mais

Literacia em saúde na área do medicamento e da terapêutica medicamentosa

Literacia em saúde na área do medicamento e da terapêutica medicamentosa Literacia em saúde na área do medicamento e da terapêutica medicamentosa Ação financiada pela Fundação Calouste Gulbenkian no âmbito do projeto em Literacia da Saúde 2014. Manuel Morgado, Pharm.D., Ph.D.

Leia mais

Mastite ou mamite é um processo inflamatório da glândula mamária causada pelos mais diversos agentes. Os mais comuns são as bactérias dos gêneros

Mastite ou mamite é um processo inflamatório da glândula mamária causada pelos mais diversos agentes. Os mais comuns são as bactérias dos gêneros 1 Mastite ou mamite é um processo inflamatório da glândula mamária causada pelos mais diversos agentes. Os mais comuns são as bactérias dos gêneros estreptococos e estafilococos, além dos coliformes. A

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE ELIMINAÇÃO DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES (BMR) USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS

PLANO ESTADUAL DE ELIMINAÇÃO DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES (BMR) USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS 2016 PLANO ESTADUAL DE ELIMINAÇÃO DE BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES (BMR) USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS Uso racional de antimicrobianos Luis Gustavo Oliveira Cardoso, Milton Lapchik, Thaís Guimarães, Valquíria

Leia mais

Infecções por Gram Positivos multirresistentes em Pediatria

Infecções por Gram Positivos multirresistentes em Pediatria Infecções por Gram Positivos multirresistentes em Pediatria FABIANE SCALABRINI PINTO JUNHO DE 2017 Principais tópicos Importância dos Gram positivos nas infecções pediátricas Fatores relacionados à resistência

Leia mais

A REAL CONTRIBUIÇÃO DA COMERCIALIZAÇÃO DE ANTIBIÓTICOS MEDIANTE PRESCRIÇÃO DE RECEITA MÉDICA EM UMA DROGARIA EM CASTILHO-SP

A REAL CONTRIBUIÇÃO DA COMERCIALIZAÇÃO DE ANTIBIÓTICOS MEDIANTE PRESCRIÇÃO DE RECEITA MÉDICA EM UMA DROGARIA EM CASTILHO-SP A REAL CONTRIBUIÇÃO DA COMERCIALIZAÇÃO DE ANTIBIÓTICOS MEDIANTE PRESCRIÇÃO DE RECEITA MÉDICA EM UMA DROGARIA EM CASTILHO-SP Elizabeth Luques Rosselli Jorge Graduanda em Farmácia Franciely de Souza dos

Leia mais

Orientações Programáticas

Orientações Programáticas Programa de Prevenção e Controlo de Infeções e Resistências aos Antimicrobianos Orientações Programáticas 1 - Enquadramento As infeções associadas aos cuidados de saúde dificultam o tratamento adequado

Leia mais

FARMACOVIGILÂNCIA A QUALIDADE FQM EM SUAS MÃOS ENTENDA MANUAL COMO E POR QUE. RELATAR EventoS AdversoS

FARMACOVIGILÂNCIA A QUALIDADE FQM EM SUAS MÃOS ENTENDA MANUAL COMO E POR QUE. RELATAR EventoS AdversoS FARMACOVIGILÂNCIA A QUALIDADE FQM EM SUAS MÃOS MANUAL ENTENDA COMO E POR QUE RELATAR EventoS AdversoS Apresentação O desastre da Talidomida no final da década de 50 foi um marco mundial na história da

Leia mais

Curso de Infecção e Microbiologia Hospitalar

Curso de Infecção e Microbiologia Hospitalar Curso de Infecção e Microbiologia Hospitalar Instituto de Educação - Hospital do Coração Bactérias multi-resistentes têm aumentado em níveis alarmantes, estimando-se que sejam responsáveis por cerca de

Leia mais

Simone Suplicy Vieira Fontes

Simone Suplicy Vieira Fontes Simone Suplicy Vieira Fontes Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

Oliveira Angélica rocha 3 ; Machado Karine Cáceres 2 ; Pereira Simone Barbosa 3 RESUMO 1.INTRODUÇÃO

Oliveira Angélica rocha 3 ; Machado Karine Cáceres 2 ; Pereira Simone Barbosa 3 RESUMO 1.INTRODUÇÃO INFECÇÃO HOSPITALAR E SUA CONEXÀO NO CONTEXTO DO USO IRRACIONAL DE ANTIMICROBIANOS, ALIADO A MEDIDAS DE TRANSMISSÃO E PREVENÇÃO DE DOENÇAS INFECCIOSAS EM UNIDADE HOSPITALAR 1. Oliveira Angélica rocha 3

Leia mais

USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS

USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS USO RACIONAL DE ANTIBIÓTICOS Fco Eugênio D. de Alexandria Prof. Mestrando em Genética e Toxicologia Aplicada Infectologista As lições retiradas do tempo de guerra devem ser transferidas aos médicos civis.

Leia mais

Prioridades em Segurança do doente

Prioridades em Segurança do doente Prioridades em Segurança do doente Ana Cristina Costa No decurso das últimas duas décadas a segurança do doente está no centro das atenções das políticas de saúde e é uma prioridade por parte de múltiplos

Leia mais

Antimicrobianos e bases ecológicas da resistência bacteriana às drogas

Antimicrobianos e bases ecológicas da resistência bacteriana às drogas UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA, MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA Antimicrobianos e bases ecológicas da resistência bacteriana às drogas Daniele Maria Knupp Souza Sotte Abril

Leia mais

O Problema da Doença Pneumocócica na América Latina

O Problema da Doença Pneumocócica na América Latina O Problema da Doença Pneumocócica na América Latina Dr. Raul E. Istúriz: Olá. Eu sou o Dr. Raul Istúriz, do Centro Médico de Caracas, na Venezuela. Bem-vindos a esta discussão sobre o problema da doença

Leia mais

PRESERVE OS ANTIBIÓTICOS Campanha de sensibilização do cidadão

PRESERVE OS ANTIBIÓTICOS Campanha de sensibilização do cidadão PRESERVE OS ANTIBIÓTICOS Campanha de sensibilização do cidadão Dossier de Imprensa Lisboa 28 de Setembro de 2011 2 Índice Sobre o G.I.S (Grupo de Infecção e Sepsis) 2 Sobre os antibióticos 3 Quando tomar

Leia mais

SUPERBACTÉRIAS: UM PROBLEMA EMERGENTE

SUPERBACTÉRIAS: UM PROBLEMA EMERGENTE SUPERBACTÉRIAS: UM PROBLEMA EMERGENTE Yasmim de Souza; Kely Raiany Araujo da Costa; Prof Ms.Silvana Barbosa Santiago. yaasmimsouza@gmail.com; kellyraianny@outlook.com; silvanasantiago@unifan.edu.br Instituto

Leia mais

1.4 Metodologias analíticas para isolamento e identificação de micro-organismos em alimentos

1.4 Metodologias analíticas para isolamento e identificação de micro-organismos em alimentos Áreas para Submissão de Resumos (1) Microbiologia de Alimentos Trabalhos relacionados com micro-organismos associados aos alimentos: crescimento, identificação, biossíntese, controle, interação com o hospedeiro,

Leia mais

ALIANÇA INTERSECTORIAL PARA A PRESERVAÇÃO DOS ANTIBIÓTICOS

ALIANÇA INTERSECTORIAL PARA A PRESERVAÇÃO DOS ANTIBIÓTICOS ALIANÇA INTERSECTORIAL PARA A PRESERVAÇÃO DOS ANTIBIÓTICOS José Artur Paiva MD, PhD Coordenador do Programa Nacional de Prevenção de Resistências aos Antimicrobianos Departamento de Qualidade Direcção

Leia mais

Tela 1. Imagem. Esboço da tela. texto

Tela 1. Imagem. Esboço da tela. texto Título da animação: No tempo certo Autoras: Maria Aparecida da Silva Prado e Silvana Texto: A descoberta casual da penicilina por Alexander Fleming no final da década de 20 marca o início da era moderna

Leia mais

USO DE ANTIBIÓTICOS COMO PROMOTORES DE CRESCIMENTO E SEUS IMPASSES

USO DE ANTIBIÓTICOS COMO PROMOTORES DE CRESCIMENTO E SEUS IMPASSES USO DE ANTIBIÓTICOS COMO PROMOTORES DE CRESCIMENTO E SEUS IMPASSES Em Animais Domésticos Barbara do Prado Verotti Graduanda de Medicina Veterinária 2011 História da descoberta Muitas culturas da antiguidade

Leia mais

Sistema de Vigilância das Zoonoses e das Doenças Transmitidas pelos Alimentos

Sistema de Vigilância das Zoonoses e das Doenças Transmitidas pelos Alimentos IV Ciclo de Conferências de Saúde Pública Veterinária Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar Universidade do Porto Porto, 12 de Junho 2010 Sistema de Vigilância das Zoonoses e das Doenças Transmitidas

Leia mais

Quimioterápicos Arsenobenzóis Sulfas

Quimioterápicos Arsenobenzóis Sulfas ANTIBIÓTICOS 1 INTRODUÇÃO: História: Penicillium notatum Antibiose S. aureus Ser Vivo x Ser Vivo Antibiótico Fungo x Bactéria Quimioterápicos Antibiótico Sir Alexander Fleming 1909 Arsenobenzóis 1935 -

Leia mais

Conceito de Ecoepidemiologia Prof. Claudia Witzel

Conceito de Ecoepidemiologia Prof. Claudia Witzel Conceito de Ecoepidemiologia Prof. Claudia Witzel Definição Os fenômenos estudados pela epidemiologia pertencem ao âmbito coletivo e, portanto, devem remeter ao social. Faz sentido pensar em algum processo

Leia mais

PRINCIPAIS INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE

PRINCIPAIS INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE O QUE É INFECÇÃO HOSPITALAR? PRINCIPAIS INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE Francisco Eugênio Deusdará de Alexandria e Mestre em Genética e Toxicologia Aplicada Atualmente, tem sido sugerida a

Leia mais

DATA: 05 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE BIOLOGIA 2.º ANO/EM ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 05 / 05 / 2016 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE BIOLOGIA 2.º ANO/EM ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 05 / 05 / 206 UNIDADE: I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE BIOLOGIA 2.º ANO/EM ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR:

Leia mais

Antimicrobianos: Resistência Bacteriana. Prof. Marcio Dias

Antimicrobianos: Resistência Bacteriana. Prof. Marcio Dias Antimicrobianos: Resistência Bacteriana Prof. Marcio Dias Resistência Capacidade adquirida de resistir aos efeitos de um agente quimioterápico, normalmente que um organismo é sensível. Como eles adquiriram:

Leia mais

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/AIDS na Saúde Mental no Brasil

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/AIDS na Saúde Mental no Brasil Seminário PRISSMA-PESSOAS Rio de Janeiro, RJ 13 e 14 de março de 2008 Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/AIDS na Mental no Brasil Cristina de A. Possas Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

Programa Ibero-americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017

Programa Ibero-americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017 Programa Ibero-americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Proposta de Ação Estratégica para a Convocatória 2017 Área da Saúde: Investigação da diabetes, sobrepeso e obesidade na Ibero-América:

Leia mais

Farmacêutico na Área Hospitalar. Professor: Dr. Eduardo Arruda

Farmacêutico na Área Hospitalar. Professor: Dr. Eduardo Arruda Farmacêutico na Área Hospitalar Professor: Dr. Eduardo Arruda Introdução Administração de recursos materiais é intimamente ligada ao Farmacêutico Hospitalar; Medicamentos + correlatos = 75% $ no hospital;

Leia mais

CARTILHA SEGURANÇA DO PACIENTE. Como você pode contribuir para que a saúde e segurança do paciente não seja colocada em risco na sua instituição?

CARTILHA SEGURANÇA DO PACIENTE. Como você pode contribuir para que a saúde e segurança do paciente não seja colocada em risco na sua instituição? CARTILHA SEGURANÇA DO PACIENTE Como você pode contribuir para que a saúde e segurança do paciente não seja colocada em risco na sua instituição? ESTA CARTILHA FOI DESENVOLVIDA PARA ORIENTÁ-LOS SOBRE AS

Leia mais

Pneumonia (Pneumonia Humana) (compilado por Luul Y. Beraki)

Pneumonia (Pneumonia Humana) (compilado por Luul Y. Beraki) Pneumonia (Pneumonia Humana) (compilado por Luul Y. Beraki) Pneumonia A pneumonia é uma inflamação do pulmão. Comumente ocorre em todas as faixas etárias. É a principal causa de morte entre idosos e pessoas

Leia mais

ALTERNATIVA A ANTIMICROBIANOS É VACINAÇÃO E HIGIENE AMBIENTAL

ALTERNATIVA A ANTIMICROBIANOS É VACINAÇÃO E HIGIENE AMBIENTAL ALTERNATIVA A ANTIMICROBIANOS É VACINAÇÃO E HIGIENE AMBIENTAL INTRODUÇÃO A história do uso de antibióticos na produção animal vem de longa data. Nas décadas de 20 e 30, a descoberta da penicilina e das

Leia mais

DIA EUROPEU DOS ANTIBIÓTICOS INFORMAÇÃO PARA O CIDADÃO

DIA EUROPEU DOS ANTIBIÓTICOS INFORMAÇÃO PARA O CIDADÃO DIA EUROPEU DOS ANTIBIÓTICOS INFORMAÇÃO PARA O CIDADÃO O Dia Europeu dos Antibióticos tem lugar no dia 18 de Novembro. Este dia tem por objectivo proporcionar uma oportunidade de sensibilização do público

Leia mais

RESISTÊNCIA A ANTIBIÓTICOS: DA FAZENDA A MESA

RESISTÊNCIA A ANTIBIÓTICOS: DA FAZENDA A MESA RESISTÊNCIA A ANTIBIÓTICOS: DA FAZENDA A MESA Orientador: Prof. Dr. Victor Augustus Marin Juliana Wolff Salles de oliveira RESISTÊNCIA A ANTIBIÓTICOS A capacidade das bactérias resistirem aos efeitos das

Leia mais

Tópico 9 Prevenção e controle de infecções

Tópico 9 Prevenção e controle de infecções Tópico 9 Prevenção e controle de infecções 1 1 Objetivos pedagógicos Demonstrar os efeitos devastadores de uma inadequada realização de prevenção & controle de infecção Mostrar aos estudantes como eles,

Leia mais

DROGAS ANTIMICROBIANAS

DROGAS ANTIMICROBIANAS DROGAS ANTIMICROBIANAS HISTÓRICO 1495: Mercúrio (SÍFILIS) 1630 : Quinino (MALÁRIA) 1905 Paul Ehrlich composto 606 (Salvarsan) 1910: Salvarsan para tratamento da sífilis-paul Ehlrich 1928: Penicillina -

Leia mais

Bases ecológicas da resistência bacteriana às drogas

Bases ecológicas da resistência bacteriana às drogas Bases ecológicas da resistência bacteriana às drogas Drogas antimicrobianas: mecanismo de ação Um aspecto do controle do crescimento dos microrganismos envolve a utilização de fármacos no tratamento de

Leia mais

ESTUDO DA EFICIÊNCIA DE ANTIBIOTICOS CONTRA BACTÉRIAS PATOGÊNICAS

ESTUDO DA EFICIÊNCIA DE ANTIBIOTICOS CONTRA BACTÉRIAS PATOGÊNICAS ESTUDO DA EFICIÊNCIA DE ANTIBIOTICOS CONTRA BACTÉRIAS PATOGÊNICAS Alessandra Maria Stefani NOGUEIRA Franceline Gravielle Bento PEREIRA Lisliana Garcia BELCHIOR Leizer Cordeiro da Silva FREITAS Discentes

Leia mais

Saúde é um completo estado de bem estar físico, mental e social, e não meramente ausência de doença.

Saúde é um completo estado de bem estar físico, mental e social, e não meramente ausência de doença. Saúde é um completo estado de bem estar físico, mental e social, e não meramente ausência de doença. Saúde é o estado do indivíduo cujas funções orgânicas, físicas e mentais se acham em situação normal.

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO 03 de abril de 2017 Página 1/9 DEFINIÇÃO DE A Tuberculose/TB é uma doença infecciosa e contagiosa, causada por um microorganismo denominado Mycobacterium tuberculosis, também denominado de Bacilo de Koch

Leia mais

Vacinação contra HPV e Controle do câncer de colo do útero no SUS Claudio Pompeiano Noronha

Vacinação contra HPV e Controle do câncer de colo do útero no SUS Claudio Pompeiano Noronha Vacinação contra HPV e Controle do câncer de colo do útero no SUS Claudio Pompeiano Noronha Coordenação Geral de Ações Estratégicas CGAE Instituto Nacional de Câncer - INCA Ministério da Saúde junho de

Leia mais

Unidade II MICROBIOLOGIA, IMUNOLOGIA E PARASITOLOGIA. Profa. Dra. Eleonora Picoli

Unidade II MICROBIOLOGIA, IMUNOLOGIA E PARASITOLOGIA. Profa. Dra. Eleonora Picoli Unidade II MICROBIOLOGIA, IMUNOLOGIA E PARASITOLOGIA Profa. Dra. Eleonora Picoli Metabolismo bacteriano Conjunto de reações responsáveis pela manutenção das funções bacterianas básicas. Tipos de metabolismo

Leia mais

21/04/2014. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial

21/04/2014. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial. Infecção nosocomial Microrganismos causadores de infecções hospitalares 1. Bactérias Pode-se distinguir entre: a) Bactérias comensais que constituem a flora normal de indivíduos saudáveis. Algumas bactérias comensais podem

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.905/73 PARECER COREN/SC Nº 01/CT/2015 Assunto: Solicitação de Parecer Técnico sobre a aplicação de Benzilpenicilinas em Unidade Básicas de Saúde, quando prescrito por Médico. I. Do fato Trata-se de expediente

Leia mais

PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA PAV IMPORTÂNCIA, PREVENÇÃO CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS E NOTIFICAÇÃO

PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA PAV IMPORTÂNCIA, PREVENÇÃO CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS E NOTIFICAÇÃO PNEUMONIA ASSOCIADA À VENTILAÇÃO MECÂNICA PAV IMPORTÂNCIA, PREVENÇÃO CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS E NOTIFICAÇÃO IRAS PAINEL GERAL O risco de um passageiro morrer numa viagem aérea é de cerca de um em dez milhões

Leia mais

CONTRIBUTO PARA A SAÚDE PÚBLICA

CONTRIBUTO PARA A SAÚDE PÚBLICA CONTRIBUTO PARA A SAÚDE PÚBLICA REDUÇÃO DA MORBILIDADE E MORTALIDADE Os programas de vacinação têm tido um impacto significativo sobre a redução da mortalidade e morbilidade de inúmeras doenças infecciosas

Leia mais

Uso correto de antibióticos

Uso correto de antibióticos INCT-INOFAR 2010 Uso correto de antibióticos MISSÃO: Conscientizar sobre os riscos do uso inadequado e incorreto de antibióticos; consolidar a importância do uso racional de medicamentos e contribuir para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR PREVENÇÃO DAS INFECÇÕES ASSOCIADAS A CATETER INTRAVASCULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR PREVENÇÃO DAS INFECÇÕES ASSOCIADAS A CATETER INTRAVASCULAR Atualizado em Agosto/2014 PREVENÇÃO DAS INFECÇÕES ASSOCIADAS A CATETER INTRAVASCULAR 1- FATORES PREDISPONENTES Individuais Relacionados à cateterização vascular - Idade - Gravidade da doença de base -

Leia mais

QUALIDADE, IACS E CUSTOS: UM TRINÔMIO DANADO. Estudos de custos

QUALIDADE, IACS E CUSTOS: UM TRINÔMIO DANADO. Estudos de custos QUALIDADE, IACS E CUSTOS: UM TRINÔMIO DANADO Estudos de custos Antonio Tadeu Fernandes CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS DAS IRAS Custos diretos Durante a hospitalização Gastos para cuidados e tratamento do paciente

Leia mais

Antibióticos. Disciplina Farmacologia Profª Janaína Santos Valente

Antibióticos. Disciplina Farmacologia Profª Janaína Santos Valente Antibióticos Disciplina Farmacologia Profª Janaína Santos Valente Introdução São produtos que eliminam os microorganismos vivos que causam danos aos pacientes. Os agentes antimicrobianos podem ser de origem

Leia mais

das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo: características clínicas e microbiológicas

das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo: características clínicas e microbiológicas GISELE MADEIRA DUBOC DE ALMEIDA Rhodotorula spp. isoladas de hemocultura no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo: características clínicas e microbiológicas Tese

Leia mais

Principais Mecanismos de Resistência aos Antimicrobianos em Staphylococcus aureus Agnes Marie Sá Figueiredo, PhD

Principais Mecanismos de Resistência aos Antimicrobianos em Staphylococcus aureus Agnes Marie Sá Figueiredo, PhD Principais Mecanismos de Resistência aos Antimicrobianos em Staphylococcus aureus Agnes Marie Sá Figueiredo, PhD Laboratório de Biologia Molecular de Bactérias Universidade Federal do Rio de Janeiro agnes@micro.ufrj.br

Leia mais

Informativo da Coordenação Estadual de Controle de Infecção Hospitalar

Informativo da Coordenação Estadual de Controle de Infecção Hospitalar Maio/Junho 2015 Edição Extraordinária Informativo da Coordenação Estadual de Controle de Infecção Hospitalar Divulgação dos dados referentes a IRAS no Estado do Rio de Janeiro 2014 As Infecções Relacionadas

Leia mais

Ministério da Saúde Plano Brasileiro de Preparação para uma Pandemia de Influenza

Ministério da Saúde Plano Brasileiro de Preparação para uma Pandemia de Influenza Ministério da Saúde Plano Brasileiro de Preparação para uma Pandemia de Influenza Jarbas Barbosa da Silva Jr Secretário de Vigilância em Saúde Rio de Janeiro, novembro de 2005 Cenário Mundial da Influenza

Leia mais

RESULTADO TRABALHOS CIENTÍFICOS

RESULTADO TRABALHOS CIENTÍFICOS RESULTADO TRABALHOS CIENTÍFICOS Apresentação Titulo Modalidade Dia Horário INVESTIGAÇÃO DE SURTO DE ACINETOBACTER BAUMANNII EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA EM DOENÇAS INFECCIOSAS

Leia mais

Vigilância Epidemiológica. Profa. Rachel Sindeaux

Vigilância Epidemiológica. Profa. Rachel Sindeaux Vigilância Epidemiológica Profa. Rachel Sindeaux Vigilância Atividade contínua, permanente e sistemática; Foco para resultados inespecíficos para obtenção de metas; Utilização de dados relacionados com

Leia mais

INVESTIGAÇÃO DE SURTO

INVESTIGAÇÃO DE SURTO INVESTIGAÇÃO DE SURTO DE ORIGEM HOSPITALAR Dra Dominique Thielmann Infectologista Coordenação da CCIH do Hospital Pró Cardíaco RJ Serviço de Doenças Infectoparasitárias HUPE / UERJ Laboratório DASA RJ

Leia mais

MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV

MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV Quais são os principais agentes da meningite? Etiologia meningites Brasil 2007-2010 (fonte: SINAN) Etiologia

Leia mais

Como medir a efetividade dos programas de otimização do uso de antimicrobianos. Adão R. L. Machado Belo Horizonte Novembro de 2016

Como medir a efetividade dos programas de otimização do uso de antimicrobianos. Adão R. L. Machado Belo Horizonte Novembro de 2016 Como medir a efetividade dos programas de otimização do uso de antimicrobianos Adão R. L. Machado Belo Horizonte Novembro de 2016 Como medir a efetividade dos programas As chamadas métricas de um programa

Leia mais

Farmácia Clínica Farmácia Clínica

Farmácia Clínica Farmácia Clínica Farmácia Clínica Farmácia Clínica A evolução da FH e o surgimento da FC: Final da década de 1950 FDA e American Medical Association conscientização dos farmacêuticos no sentido de controlar as reações

Leia mais

A experiência da SulAmerica na implantação de Programas de Promoção a Saúde e Prevenção de doenças

A experiência da SulAmerica na implantação de Programas de Promoção a Saúde e Prevenção de doenças A experiência da SulAmerica na implantação de Programas de Promoção a Saúde e Prevenção de doenças O Cenário. Os Programas do Saúde Ativa. Qual o Perfil de risco da nossa população e sua evolução nos últimos

Leia mais

EMERGÊNCIA DE Salmonella RESISTENTE A QUINOLONAS NO ESTADO DE SÃO PAULO

EMERGÊNCIA DE Salmonella RESISTENTE A QUINOLONAS NO ESTADO DE SÃO PAULO EMERGÊNCIA DE Salmonella RESISTENTE A QUINOLONAS NO ESTADO DE SÃO PAULO Monique Ribeiro Tiba*, Josefa Maria Lopez da Silva, Carolina Amorim, Carlos Henrique Camargo, Sueli Aparecida Fernandes INSTITUTO

Leia mais

Tópico 10 Segurança do paciente e procedimento invasivo

Tópico 10 Segurança do paciente e procedimento invasivo Tópico 10 Segurança do paciente e procedimento invasivo 1 1 Objetivos pedagógicos Compreender: As principais causas dos eventos adversos em procedimentos invasivos e cirúrgicos Como o uso de orientações,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ROTINA DO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA CLÍNICA. Palavras chaves: Isolamento, antimicrobianos, leite, resistência.

AVALIAÇÃO DA ROTINA DO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA CLÍNICA. Palavras chaves: Isolamento, antimicrobianos, leite, resistência. AVALIAÇÃO DA ROTINA DO LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA CLÍNICA Crisan Smaniotto 1 ; Ediane Kuhn 2 ; Andieli Cristiane Nino 2 ; Diego Luiz Schröpfer 2 ; Milena Tomasi Bassani 3 Palavras chaves: Isolamento,

Leia mais

Resíduos Hospitalares

Resíduos Hospitalares Resíduos Hospitalares MIEA Equipa 2: Alcinda Patrícia Alexandre Bragança Ana Luísa Oliveira Ana Mafalda Brandão Joana Manso Pedro José Sousa Ricardo Correia Monitora : Filipa Magalhães Coordenadora: Professora

Leia mais

MATÉRIA DA CAPA Uso racional de antibióticos em fazendas leiteiras

MATÉRIA DA CAPA Uso racional de antibióticos em fazendas leiteiras MATÉRIA DA CAPA Uso racional de antibióticos em fazendas leiteiras Texto: Flávia Fontes Ilustrações: Flávia Tonelli Ao longo da história, as doenças infecciosas têm sido uma grande ameaça à saúde humana

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SANTA CATARINA RESPOSTA TÉCNICA COREN/SC Nº 04/CT/2016 Assunto: Penicilina Palavras-chave: Penicilina, Injetáveis, Benzilpenicilinas I Solicitação recebida pelo Coren/SC: Quais são os equipamentos e insumos obrigatórios

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a RDC nº 44/2010

Perguntas e respostas sobre a RDC nº 44/2010 1. De que trata a RDC 44/2010? Esta resolução estabelece novos mecanismos para a prescrição e o controle da dispensação de medicamentos antimicrobianos. As novas regras estabelecem adequações de embalagem

Leia mais

HOSPITALIZAÇÕES E MORTALIDADE POR ASMA: É POSSÍVEL EVITAR? DR. GUILHERME FREIRE GARCIA ABRA MAIO DE DIA MUNDIAL DA ASMA

HOSPITALIZAÇÕES E MORTALIDADE POR ASMA: É POSSÍVEL EVITAR? DR. GUILHERME FREIRE GARCIA ABRA MAIO DE DIA MUNDIAL DA ASMA HOSPITALIZAÇÕES E MORTALIDADE POR ASMA: É POSSÍVEL EVITAR? DR. GUILHERME FREIRE GARCIA ABRA MAIO DE 2012- DIA MUNDIAL DA ASMA DIA MUNDIAL DA ASMA 1º DE MAIO DE 2012 EPIDEMIOLOGIA DA ASMA 300 milhões de

Leia mais

UCCI. I Jornadas PPCIRA. Uma Prioridade Nacional. 16 a 18 novembro Artur Paiva, Paulo André, Goreti Silva e Paula Cruz

UCCI. I Jornadas PPCIRA. Uma Prioridade Nacional. 16 a 18 novembro Artur Paiva, Paulo André, Goreti Silva e Paula Cruz UCCI Uma Prioridade Nacional I Jornadas PPCIRA 16 a 18 novembro 2015 Artur Paiva, Paulo André, Goreti Silva e Paula Cruz Objetivo Geral Transmitir a realidade nacional e definir as prioridades de intervenção

Leia mais

SAÚDE AMBIENTAL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA. CONTEÚDO 13: Saúde e Segurança dos Trabalhadores

SAÚDE AMBIENTAL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA. CONTEÚDO 13: Saúde e Segurança dos Trabalhadores SAÚDE AMBIENTAL E VIGILÂNCIA SANITÁRIA CONTEÚDO 13: Saúde e Segurança dos Trabalhadores O TEMPLO DA SAÚDE Nosso corpo é uma máquina perfeita, mas exige manutenção Saúde enquanto patrimônio do trabalhador

Leia mais

02/07/2010. Importância. Pesquisas. Agente Antimicrobiano. Biofilmes. Agentes Quimioterápicos (Antimicróbicos) Antibióticos. Saúde.

02/07/2010. Importância. Pesquisas. Agente Antimicrobiano. Biofilmes. Agentes Quimioterápicos (Antimicróbicos) Antibióticos. Saúde. Importância Saúde Economia Pesquisas Novos compostos Resustência Biofilmes Importância na terapêutica antimicrobiana Agente Antimicrobiano Composto químico que mata ou inibe o crescimento de microrganismos,

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE PREVENÇÃO DE RESISTÊNCIAS AOS ANTIMICROBIANOS

PROGRAMA NACIONAL DE PREVENÇÃO DE RESISTÊNCIAS AOS ANTIMICROBIANOS PROGRAMA NACIONAL DE PREVENÇÃO DE RESISTÊNCIAS AOS ANTIMICROBIANOS José Artur Paiva MD, PhD Coordenador do Programa Nacional de Prevenção de Resistências aos Antimicrobianos Departamento de Qualidade Direcção

Leia mais

Programa Nacional de Controle da Tuberculose

Programa Nacional de Controle da Tuberculose Programa Nacional de Controle da Tuberculose FERNANDA DOCKHORN COSTA CGPNCT / DEVIT Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde tuberculose@saude.gov.br Julho/ 2016 Tuberculose no Brasil - 2015

Leia mais

SÍTIOS DE INFECÇÃO E ANTIBIÓTICOS USADOS EM IDOSOS COM CÂNCER QUE DESENVOLVERAM INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE

SÍTIOS DE INFECÇÃO E ANTIBIÓTICOS USADOS EM IDOSOS COM CÂNCER QUE DESENVOLVERAM INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE SÍTIOS DE INFECÇÃO E ANTIBIÓTICOS USADOS EM IDOSOS COM CÂNCER QUE DESENVOLVERAM INFECÇÕES RELACIONADAS À ASSISTÊNCIA À SAÚDE Shirlane Priscilla Barbosa de Melo Azêdo Raposo (1); Aryele Rayana Antunes de

Leia mais

JOÃO PALERMO NETO FMVZ/USP

JOÃO PALERMO NETO FMVZ/USP JOÃO PALERMO NETO FMVZ/USP Chapecó, 03 de Dezembro de 2014 O emprego de medicamentos veterinários e de aditivos em medicina veterinária vem contribuindo de forma marcante para o sucesso da produção animal

Leia mais

Controlo de Infeção Evolução - Atualidade. Aura Gonçalves

Controlo de Infeção Evolução - Atualidade. Aura Gonçalves Controlo de Infeção Evolução - Atualidade Aura Gonçalves Passado Controlo Infeção Evolução-Atualidade Os livros Sagrados Hindus 1400 a 1200 a.c. Referem a necessidade de desinfetar e higienizar para evitar

Leia mais

Fórum de Qualidade e Segurança em Anestesia Apresentação de Casos: Hospital Ernesto Dornelles

Fórum de Qualidade e Segurança em Anestesia Apresentação de Casos: Hospital Ernesto Dornelles Fórum de Qualidade e Segurança em Anestesia Apresentação de Casos: Hospital Ernesto Dornelles Airton Bagatini Vice-Presidente da SBA Corresponsável pelo CET do SANE Coordenador da Perspectiva Assistencial

Leia mais

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

PROPOSTA DE RESOLUÇÃO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Documento de sessão 14.9.2011 B7- PROPOSTA DE RESOLUÇÃO apresentada na sequência da pergunta com pedido de resposta oral B7- nos termos do n.º 5 do artigo 115.º do Regimento

Leia mais

Prova Escrita de Biologia e Geologia

Prova Escrita de Biologia e Geologia EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Biologia e Geologia 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 702/2.ª Fase Critérios de Classificação 12 Páginas

Leia mais

PREVALENCIA DAS DOENÇAS CRONICAS NÃO-TRANSMISSIVEIS EM IDOSOS NO ESTADO DA PARAIBA

PREVALENCIA DAS DOENÇAS CRONICAS NÃO-TRANSMISSIVEIS EM IDOSOS NO ESTADO DA PARAIBA PREVALENCIA DAS DOENÇAS CRONICAS NÃO-TRANSMISSIVEIS EM IDOSOS NO ESTADO DA PARAIBA Rita de Cássia Sousa Silva (1); Daniele Fidelis de Araújo (1); Ítalo de Lima Farias (2); Socorro Malaquias dos Santos

Leia mais

UTILIZAÇÃO DAS DIFERENTES VACINAS PNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS

UTILIZAÇÃO DAS DIFERENTES VACINAS PNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS UTILIZAÇÃO DAS DIFERENTES VACINAS PNEUMOCÓCICAS CONJUGADAS NORMATIZAÇÃO CONJUNTA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA (SBP) E ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE IMUNIZAÇÕES (SBIm) PARA USO PRÁTICO A vacina pneumocócica

Leia mais

EMENTAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FARMÁCIA CLÍNICA EM INFECTOLOGIA EAD

EMENTAS DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FARMÁCIA CLÍNICA EM INFECTOLOGIA EAD S DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FARMÁCIA CLÍNICA EM INFECTOLOGIA EAD DISCIPLINA: Farmácia Clínica e Atenção Farmacêutica Histórico da farmácia clínica, áreas de atuação da farmácia clínica, situação

Leia mais

Componente Curricular: ENFERMAGEM NO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR PLANO DE CURSO. Permitir ao aluno desenvolver as seguintes habilidades:

Componente Curricular: ENFERMAGEM NO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR PLANO DE CURSO. Permitir ao aluno desenvolver as seguintes habilidades: CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM NO CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR Código: ENF-219 Pré-requisito:

Leia mais

1. Graduanda do curso de Farmácia da Faculdade de Medicina de Campos, FMC. 2. Docente do Curso de Farmácia da Faculdade de Medicina de Campos FMC

1. Graduanda do curso de Farmácia da Faculdade de Medicina de Campos, FMC. 2. Docente do Curso de Farmácia da Faculdade de Medicina de Campos FMC SENSIBILIDADE BACTERIANA A ANTIMICROBIANOS DE PRIMEIRA ESCOLHA PRESCRITOS NO TRATAMENTO DE PNEUMONIAS EM CLÍNICA E UTI PEDIÁTRICA DO MUNICÍPIO DE CAMPOS DOS GOYTACAZES, RJ Amanda Monteiro Piná Queiroz

Leia mais

RESISTÊNCIA AOS ANTIMICROBIANOS EM ANIMAIS. Implementação do Plano de Ação Nacional - PAN

RESISTÊNCIA AOS ANTIMICROBIANOS EM ANIMAIS. Implementação do Plano de Ação Nacional - PAN RESISTÊNCIA AOS ANTIMICROBIANOS EM ANIMAIS Implementação do Plano de Ação Nacional - PAN Taller de Resistencia a Antimicribianos OIE XXII Seminário de Hamonização de Registro e Controle de Medicamentos

Leia mais

Mudança da concepção da Vigilância Epidemiológica (VE) do HIV/Aids

Mudança da concepção da Vigilância Epidemiológica (VE) do HIV/Aids Mudança da concepção da Vigilância Epidemiológica (VE) do HIV/Aids História da vigilância do HIV e Aids Pré 2004 Múltiplas definições de caso de AIDS (1984-98). A notificação de HIV não era uma recomendação

Leia mais

PRECAUÇÕES NA ASSISTÊNCIA EM ISOLAMENTOS POR AEROSSÓIS

PRECAUÇÕES NA ASSISTÊNCIA EM ISOLAMENTOS POR AEROSSÓIS PRECAUÇÕES NA ASSISTÊNCIA EM ISOLAMENTOS POR AEROSSÓIS Fernando Di Frank Rosa Rangel Medeiros Martins Acadêmicos de Enfermagem - UNISUL Histórico SÉCULO XIV - Os doentes eram impedidos de sair às ruas

Leia mais

EVOLUÇÃO DO CONSUMO DE ANTIBIÓTICOS EM AMBULATÓRIO NO ALGARVE

EVOLUÇÃO DO CONSUMO DE ANTIBIÓTICOS EM AMBULATÓRIO NO ALGARVE EVOLUÇÃO DO CONSUMO DE ANTIBIÓTICOS EM AMBULATÓRIO NO ALGARVE FCT - SFRH/BD/60249/2009 Isabel Ramalhinho, PhD Profª Auxiliar da FCT-UALG Seminário: Infeções associadas aos Cuidados de Saúde Escola Superior

Leia mais

Mortalidade e Morbilidade das I.A.C.S. em Portugal

Mortalidade e Morbilidade das I.A.C.S. em Portugal Mortalidade e Morbilidade das I.A.C.S. em Portugal Introdução Em 1930 a D.G.S. aborda o problema Em 1974 vai a enf.franco Henriques ao grupo de trabalho do Conselho da Europa Em 1978 criada a 1ª CCI,no

Leia mais

AULA 4 POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS

AULA 4 POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS FACULDADE CATÓLICA RAINHA DO SERTÃO CURSO DE FARMÁCIA DISCIPLINA: INTRODUÇÃO ÀS CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PROFESSOR: MÁRCIO BATISTA AULA 4 POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS POLÍTICA Políticas configuram decisões

Leia mais

Instruções sobre Farmacovigilância para a equipe de Propagandistas Vendedores da Eurofarma

Instruções sobre Farmacovigilância para a equipe de Propagandistas Vendedores da Eurofarma Instruções sobre Farmacovigilância para a equipe de Propagandistas Vendedores da Eurofarma 1 2 Prefácio O representante é o elo fundamental de relacionamento entre a empresa e nossos clientes, especialmente

Leia mais