PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA ONS JUL2015/DEZ2015 PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA ONS JUL2015/DEZ2015 PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II"

Transcrição

1 PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA ONS JUL2015/DEZ2015 PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova Rio de Janeiro RJ Tel (+21) Fax (+21)

2 2004/ONS Todos os direitos reservados. Qualquer alteração é proibida sem autorização. ONS PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II - PROGRAMAS E PROJETOS ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 2 / 96

3 Sumário 1. Introdução O Plano de Ação de julho de 2014 a junho de O Plano de Ação para o ciclo de julho de 2015 a junho de Programas e Projetos Orçamento do Plano de Ação para o ciclo de julho/15 a dezembro/ Visão Geral dos Programas... 8 ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 3 / 96

4 1. INTRODUÇÃO O Plano de Ação elaborado de forma a atender adequadamente as Orientações Estratégicas definidas pela Diretoria está totalmente integrado com o Orçamento do ONS, possibilitando uma avaliação mais precisa quanto à eficiência e efetividade do uso dos recursos. Este documento contém o Volume II do Plano de Ação do ONS para o ciclo de Julho de 2015 a Junho de O PLANO DE AÇÃO DE JULHO DE 2014 A JUNHO DE 2015 O orçamento do Plano de Ação para o período de Julho/2014 a Junho/2015 aprovado pela ANEEL em através da Resolução Autorizativa nº 4.731/2014, estava estimado em R$ mil. A expectativa de execução econômica do atual orçamento do Plano de Ação é de R$ mil, correspondentes a 97,1% do total aprovado, para o horizonte de julho 2014 a junho Cabe destacar que as justificativas referentes aos desvios serão encaminhadas, através do Relatório de Prestação de Contas, conforme sistemática vigente, até 60 dias após o encerramento do ciclo em referência No final deste ciclo deverão estar concluídos 10 projetos do Plano de Ação, para os quais o ONS apresentará à ANEEL Relatórios de Conclusão comparando os cronogramas planejados com os realizados e os produtos obtidos, conforme determinação da Agência. A tabela a seguir apresenta os projetos que deverão ser concluídos neste ciclo: Nº Descrição 01_20 Sistema de Apoio à Avaliação dos Processos Corporativos e de Produtividade de RH 02_07 Reformulação do website do ONS 02_10 Desenvolvimento do Ambiente Analítico do Sistema de Integração de Novas Instalações - SINI 04_23 Concepção de biblioteca de Componentes reutilizáveis de TI 08_15 Aperfeiçoamento dos Modelos de Previsão Meteorológica e Climática com Incorporação de um Novo Modelo 10_30 Monitoração de unidades transformadoras do SIN focada no gerenciamento da capacidade de sobrecarga ao longo da vida útil 10_32 Sistema de Administração e Apuração da Transmissão - SAAT 11_15 Gestão da mudança para o REGER 11_20 Aperfeiçoamento da Observabilidade e Controlabilidade do SIN 11_23 Adequação da BDT para suportar as alterações de Proprietários de Instalações ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 4 / 96

5 3. O PLANO DE AÇÃO PARA O PERÍODO DE JULHO/15 A DEZEMBRO/15 Visando ao aprimoramento do controle físico-econômico dos projetos para elaboração do Plano de Ação referente o período julho/2015 a dezembro/2015 foram consideradas algumas premissas básicas listadas a seguir: i. Revisão de todos os projetos em execução considerando sua situação físico-econômica; ii. Avaliação dos novos projetos considerando sua aderência aos objetivos estratégicos para o próximo ciclo Programas e Projetos O Plano de Ação para o período de julho/2015 a dezembro/2015 está agrupado em 8 Programas, sendo encerrado o Programa 2 - Desenvolvimento do Modelo Integrado de Gestão da Informação e reativado o Programa 5 - Aperfeiçoamento dos Modelos, Metodologias e Processos para o Planejamento e Programação da Operação. A carteira de projetos será composta de 23 projetos, dos quais 20 em execução e 3 novos incluídos no atual período, conforme resumido a seguir: Programas Atuais 8 Inclusões 1 Encerramentos 1 Programas no Próximo Ciclo 8 Projetos Atuais 30 Inclusões 3 Encerramentos 10 Projetos no Próximo Ciclo 23 A tabela a seguir apresenta a relação completa dos Projetos encerrados, aqueles que permanecerão na carteira de Projetos, bem como dos Novos Projetos para o próximo Ciclo: ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 5 / 96

6 PROGRAMA 1 Projetos Status 01_15 Programa de educação corporativa do ONS Em Andamento 01_20 Sistema de Apoio à Avaliação dos Processos Corporativos e de Produtividade de RH Encerrado PROGRAMA 2 Projetos 02_07 Reformulação do website do ONS Encerrado Desenvolvimento do Ambiente Analítico do Sistema de Integração de Novas Instalações - 02_10 SINI Encerrado PROGRAMA 4 Projetos Desenvolvimento e Implantação de Melhorias Prioritárias nos Processos de Obtenção de 04_16 Bens e Serviços e Gestão de Contratos Em Andamento 04_20 Segurança da Informação Corporativa Em Andamento Gerenciamento dos Processos de Manutenção, Desenvolvimento de Aplicativos e Controle e 04_21 Atualização de Hardware e Software Em Andamento 04_22 Reestruturação da infraestrutura de telecomunicação Corporativa do ONS Em Andamento 04_23 Concepção de biblioteca de Componentes reutilizáveis de TI Encerrado 04_24 Desenvolvimento de plataforma baseada em processos e regras de negócio Em Andamento 04_25 Evolução da Infraestrutura e Procedimentos de Backup, Restore e Disaster Recovery Novo PROGRAMA 5 Projetos 05_20 Desenvolvimento do Sistema de Gestão da Programação Diária Elétroenergética do SIN Novo PROGRAMA 6 Status Status Status Projetos Status 06_02 Sistema de Medição Fasorial do SIN Em Andamento PROGRAMA 7 07_06 Sistema de Consolidação da Previsão de Carga por Barramento - SCPCB Em Andamento PROGRAMA 8 08_10 Aplicação de modelos de previsão de vazões a curto prazo Em Andamento 08_11 Desenvolvimento de Sistemas de Previsão de Vazões Em Andamento Aperfeiçoamento dos Modelos de Previsão Meteorológica e Climática com Incorporação de 08_15 um Novo Modelo Encerrado PROGRAMA 10 10_23 Incorporação das DITs nos processos do ONS Em Andamento 10_28 Projeto Básico do Sistema de Transmissão de Belo Monte Em Andamento Monitoração de unidades transformadoras do SIN focada no gerenciamento da capacidade de 10_30 sobrecarga ao longo da vida útil Encerrado 10_32 Sistema de Administração e Apuração da Transmissão - SAAT Encerrado 10_33 Projetos Projetos Projetos Requisitos para utilização de subestações isoladas a gás na rede básica para tensões de 500 kv e acima Status Status Status Em Andamento 10_34 Desenvolvimento do Sistema de Gestão do PAR - SGPAR Novo ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 6 / 96

7 PROGRAMA 11 Projetos Status 11_01 SINOCON Em Andamento 11_05 Evolução dos aplicativos dos SSC Em Andamento 11_14 REGER Em Andamento 11_15 Gestão da mudança para o REGER Encerrado Integração da BDT e de aplicativos corporativos com o sistema REGER utilizando tecnologias 11_16 CIM e BPM-SOA Em Andamento 11_20 Aperfeiçoamento da Observabilidade e Controlabilidade do SIN Encerrado 11_22 Plano para Ampliação da Segurança do Sistema Interligado Nacional Em Andamento 11_23 Adequação da BDT para suportar as alterações de Proprietários de Instalações Encerrado Desenvolvimento de Módulo Específico no SGI para Gestão de Intervenções nos Centros de 11_24 Operação Em Andamento 11_25 Substituição do Sistema de Refrigeração, Ventilação e Ar Condicionado - CNOS, COSR-NCO Em Andamento 3.2. Orçamento do Plano de Ação para o ciclo de julho/15 a junho/18 O orçamento do Plano de Ação para julho 2015 a junho 2018 está estimado em R$ mil, sendo que para o período de julho/15 a dezembro/15 estão previstos R$ mil, conforme detalhado a seguir por Programa: Plano de Ação Julho/15 a Junho/18 - Valores em R$ mil Programas Junho - Dezembro/2015 Ano 2016 Ano 2017 Ano 2018* TOTAL TOTAL *Até Junho 2018 ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 7 / 96

8 A tabela a seguir apresenta o resumo do orçamento dos principais Projetos para o próximo ciclo orçamentário: Plano de Ação Julho/14 a dezembro/15 - Valores em R$ mil Itens Junho - Dezembro/2015 SINOCON Projetos REGER Outros Projetos Subtotal Sistema de Refrigeração, Ventilação e Ar Condicionado TOTAL VISÃO GERAL DOS PROGRAMAS Os Programas constituem o nível superior das ações da organização e são os meios com os quais o ONS pretende alcançar seus objetivos estratégicos. Os Projetos são um conjunto articulado de ações relacionadas com um determinado Programa. A seguir está apresentada a descrição sumarizada dos 08 Programas do Plano de Ação para os ciclos de Julho/15 a Junho/18: ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 8 / 96

9 PROGRAMA 1 DESENVOLVIMENTO DO MODELO ESTRATÉGICO DE GESTÃO As significativas mudanças no SIN, associadas com o desafio permanente da evolução e dinâmica da tecnologia aplicada a sistemas corporativos e técnicos, impuseram ao ONS a necessidade de investimentos na estratégia de sua gestão, reconhecendo que os aspectos técnicos e corporativos deviam ser planejados no âmbito estratégico. O Programa no ciclo atual do Plano de Ação está voltado para a complementação das propostas de implantação iniciadas nos ciclos anteriores com a continuação da execução de 01 projeto. O orçamento total deste Programa para o horizonte Julho/2015 a Junho/2018 está estimado em R$ , sendo este montante previsto a ser realizado de Julho/2015 a Dezembro/2015, conforme detalhado na tabela a seguir: PROGRAMA 1 Projetos Jul15 - Dez15 ANO ANO ANO (até jun/18) TOTAL 01_15 Programa de educação corporativa do ONS ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 9 / 96

10 Dados Gerais do Projeto Identificação Projeto Programa Tipo Programa de Educação Corporativa Desenvolvimento de Modelo Estratégico de Gestão C Gerente Coordenador Diretoria Bianca Iannarella Martins Ângela Bessa DAC Características do Projeto Início Término 01/09/ /12/2015 Finalidade A partir da implantação do Projeto Trajetórias de Carreira, que define um conjunto de competências a serem desenvolvidas continuamente e avaliadas no processo de Gestão de Desempenho, e da Revisão do Mapa de Conhecimentos de Foco Prioritário, através do processo de Gestão do Conhecimento, torna-se possível a transição do modelo atual de Treinamento & Desenvolvimento, que tem como foco as demandas individuais de capacitação, para um modelo de Educação Corporativa que está baseado prioritariamente em soluções corporativas alinhadas às estratégias da empresa, às competências e aos conhecimentos priorizados. O novo modelo elimina a tendência de construção do PDI a partir das demandas/interesses apenas dos empregados e gestores, passando a direcionar as ações de capacitação de acordo com as competências requeridas pelos eixos de carreira, bem como conhecimentos requeridos pelos processos de trabalho, executados por cada função/cargo, proporcionando assim maior consistência aos investimentos em educação e assegurando o alinhamento entre as ações priorizadas no Planejamento Estratégico e os Programas Corporativos e Planos de Desenvolvimento, a luz de uma única metodologia de educação, denominada Aprendizagem pela Ação (Action Learning). ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 10 / 96

11 Resultados Esperados (Valor Agregado) Estrutura de eventos de capacitação diretamente relacionados às competências estabelecidas para os eixos de carreira do Programa de Trajetória de Carreiras; Vinculação direta da posição funcional do empregado com as ofertas de ações de capacitação; Estabelecimento de subsídios que propiciem priorização e foco nas decisões da governança relativas à alocação de investimentos em capacitação; Criação de trilhas para a formação de profissionais especialistas ou generalistas, ou líderes de equipes. Pré-Requisitos Implantação de ambiente que suporte o controle e acompanhamento das ações de capacitação, entre elas o Ensino à Distância, o que vem sendo estudado com apoio da Gerência de TI; Uma Governança Corporativa que integre as prioridades apresentadas pela Diretoria, com as necessidades e demandas identificadas nas equipes relativas a capacitação, bem como realize a gestão do conhecimento gerado a partir do novo modelo. Etapas e Produtos Diagnóstico do modelo atual para elaboração da arquitetura para a Educação Corporativa; Estruturação do Modelo de Educação Corporativa para o ONS; Organização dos programas de capacitação a partir de trilhas de formação contendo os conhecimentos, competências e os públicos associados; Implantação da Educação Corporativa no ONS com todas as soluções de capacitação alinhadas ao modelo de competências da organização eixos de carreira; Testagem e Avaliação da implementação do piloto para cada Ênfase de Aprendizagem; Estrutura de Governança da Educação Corporativa inserida no Modelo de Gestão do ONS. Cronograma de Execução do Projeto Dados das Etapas Etapas Concluídas Descrição: Data de conclusão ETAPA 1 Nivelamento do tema para a equipe de RH 29/05/2012 ETAPA 2 Construção do modelo de Ensino à Distância EAD ONS 28/05/2013 ETAPA 3 Contratação de Parceiro Externo 30/04/2013 ETAPA 4 Diagnóstico para entendimento do contexto atual Proposição da Arquitetura 31/05/2013 ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 11 / 96

12 ETAPA 5 Construção do Projeto Piloto (INCORPORADA À ETAPA 2) 28/09/2012 ETAPA 6 Estruturação do Modelo de Educação Corporativa 31/12/2013 ETAPA 7 Organização dos Programas de Capacitação 30/05/2014 ETAPA 8 Implantação da metodologia de Educação Corporativa 30/06/2015 ETAPA 9 Reavaliação do projeto e adequações finais (CANCELADA) 31/12/2013 Etapas a Executar Descrição: Início Conclusão ETAPA 10 Implantação da Governança e Divulgação aos Empregados 30/07/15 30/12/15 Cronograma de Execução Financeira do Projeto Valores em R$ Acompanhamento Financeiro do Projeto Realização até Jun15 Previsão de Execução Jul15 / Dez em Diante TOTAL ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 12 / 96

13 PROGRAMA 4 - MELHORIA DA INFRAESTRUTURA OPERACIONAL E CORPORATIVA DE INFORMÁTICA E TELECOMUNICAÇÕES Esse Programa visa dotar o ONS das condições necessárias para operar os seus sistemas corporativos de informática e de telecomunicações para assegurar a produtividade e a eficiência dos seus processos. O Programa contempla 6 projetos, sendo 5 Projetos referente propostas anteriormente iniciadas e inclusão do Projeto novo 04_25 Evolução da Infraestrutura e Procedimentos de Backup, Restore e Disaster Recovery cujo valor agregado é assegurar a capacidade de recuperação da infraestrutura de TI necessária ao funcionamento dos processos críticos: Programação Diária, PMO, apuração de G e T, emissão de IPDO e Análise de Perturbação. Este programa prevê um orçamento total para o horizonte Julho/2015 a Junho/2018 estimado em R$ , dos quais R$ para o período de Julho/15 a Dezembro/15, conforme apresentado a seguir: 04_16 Projetos Desenvolvimento e Implantação de Melhorias Prioritárias nos Processos de Obtenção de Bens e Serviços e Gestão de Contratos PROGRAMA 4 Jul15 - Dez15 ANO 2016 ANO 2017 ANO 2018 (até jun/18) TOTAL _20 Segurança da Informação Corporativa _21 Gerenciamento dos Processos de Manutenção, Desenvolvimento de Aplicativos e Controle e Atualização de Hardware e Software _22 04_24 04_25 Reestruturação da infraestrutura de telecomunicação Corporativa do ONS Desenvolvimento de plataforma baseada em processos e regras de negócio Evolução da Infraestrutura e Procedimentos de Backup, Restore e Disaster Recovery TOTAL ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 13 / 96

14 Dados Gerais do Projeto Identificação Projeto Programa Tipo Implantação de Melhorias nos Processos de Compras de Bens e Serviços e Portal de Compras ONS. 4 Aperfeiçoar a Gestão Corporativa e os Recursos de TI e de Infraestrutura B Gerente Coordenador Diretoria Aurea Gonçalves Silva Angela Bessa DAC Características do Projeto Início Término 01/07/10 17/03/16 Finalidade Aprimoramento dos processos de compras e contratações de serviços na DAC desenvolvendo mecanismos automatizados para gestão de fornecedores, possibilitando padronização, economicidade, acompanhamento e controle da cadeia de suprimentos de bens e serviços. Rastreabilidade dos processos de compras e novas contratações pela área demandante do bem ou serviço. Economicidade, acompanhamento e controle da cadeia de suprimentos de bens e serviços. Resultados Esperados (Valor Agregado) Redução significativa no valor de compras de bens/serviços na área pela utilização de mecanismos mais ágeis e automatizados. Pré-Requisitos ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 14 / 96

15 GIT ETAPA 1 Diagnóstico da Situação Atual Etapas e Produtos ETAPA 2 Workshop e Treinamento sobre novas práticas de Gestão de Ciclo de Vida de Contratos para público ONS envolvido com o tema ETAPA 3 Diretrizes para Ajuste da Norma para adequação das novas práticas da estrutura de compras, contratação e gestão. ETAPA 4 Implementação dos Controles e check list da área de gestão de contratos, compras e novas contratações ETAPA 5 Estudo de Metodologia de Strategic Sourcing para a área de compras da ADG. ETAPA 6 Apresentação e Aprovação do Plano de Execução do Projeto e Implantação da 1ª fase do Portal (Módulos de Requisição / Cotação / Pedidos e Pagamentos) ETAPA 7 Implantação da 2ª fase do Portal (Customizações para que o portal de gestão de fornecedores seja integrado ao portal de compras) ETAPA 8 Implantação da 3ª fase do Portal (módulo de controle de contratos) Cronograma de Execução do Projeto Dados das Etapas Etapas Concluídas Descrição: Data de conclusão ETAPA 1 Diagnóstico da Situação Atual 31/12/10 ETAPA 2 Workshop e Treinamento sobre novas práticas de Gestão de Ciclo de Vida de Contratos para público ONS envolvido com o tema ETAPA 3 Diretrizes para Ajuste da Norma para adequação das novas práticas da estrutura de compras, contratação e gestão. ETAPA 4 Implementação dos Controles e check list da área de gestão de contratos, compras e novas contratações 31/12/10 31/12/10 28/04/11 ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 15 / 96

16 ETAPA 5 Estudo de Metodologia de Strategic Sourcing para a área de compras da ADG. ETAPA 6 - Implantação da 1ª Fase do Portal de Compras Etapas a Executar 30/06/11 28/08/14 Descrição: Início Conclusão ETAPA 7 Implantação da 2ª fase do Portal 24/03/14 17/03/16 ETAPA 8 Implantação da 3ª fase do Portal 02/06/14 17/03/16 Cronograma de Execução Financeira do Projeto Acompanhamento Financeiro do Projeto Valores em R$ Realização até Jun/15 Previsão de Execução Jul/15 a Dez/15 Ano 2016 Ano 2017 Ano 2018 em diante TOTAL ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 16 / 96

17 Dados Gerais do Projeto Identificação Projeto Programa Tipo Segurança da Informação Corporativa 4 Aperfeiçoar a gestão corporativa e os recursos de TI e de infraestrutura B Gerente Coordenador Diretoria Geraldo Fonseca Angela Bessa DAC Características do Projeto Início Término 01/12/ /12/15 Finalidade Este Projeto tem por objetivo promover a redução do risco relacionado à Segurança da Informação no ONS através de ações de investimento em novas tecnologias, evolução da infraestrutura de TI, criação de normativos e realização de campanhas de treinamento e conscientização. As ações aqui previstas estão alinhadas com o Plano de Segurança Cibernética aprovado pelo CDI em 2010, e foram priorizadas considerando-se o nosso nível de maturidade atual em cada um dos 20 Controles Críticos definidos pelo SANS 1 e o nível que desejamos estar no médio e longo prazo. Os controles que serão diretamente influenciados pelas ações deste projeto estão identificados na seção Etapas e Produtos deste documento, assim como a evolução esperada nos indicadores de cada um deles ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 17 / 96

18 Resultados Esperados (Valor Agregado) Proteger aplicações, portais, infraestrutura e repositórios de informação do ONS contra ataques direcionados (como os sofridos pelo ONS em Novembro de 2009), através de tecnologias e processos de detecção proativa de vulnerabilidades, e da identificação e bloqueio dos referidos ataques. Aperfeiçoar, padronizar e automatizar o processo de concessão, manutenção e cancelamento de acesso de usuários a recursos computacionais, capacitando o ONS a atender plenamente a recomendações de auditoria relacionados ao controle de acesso. Garantir a confidencialidade das informações corporativas sigilosas contidas em notebooks e outros dispositivos móveis. Aumentar o conhecimento e a consciência dos colaboradores nos temas relacionados à Segurança da Informação. Pré-Requisitos Diretoria envolvida/diretorias envolvidas: DAC e DGL Envolvimento da GIT: GIT-Seg, GIT1, GIT2, GIT-Qual e Arquitetura. Entidades externas envolvidas: Fornecedores Etapas e Produtos ETAPA 1 - Aquisição e Implantação de Firewall de Aplicação Firewall de Aplicação instalado e protegendo as aplicações de produção do ONS; Contrato com empresa para monitoramento 24x7 dos eventos gerados pelo Firewall de Aplicação Controles influenciados: Segurança de Aplicação, Análise de Vulnerabilidades, Prevenção de Perda de Dados. ETAPA 2 - Implantação de solução para teste de Segurança das Aplicações Contrato assinado com empresa para efetuar teste automatizado da segurança de todos os sistemas do ONS acessíveis via Internet e do site institucional. Controles influenciados: Segurança de Aplicação, Análise de Vulnerabilidades, Prevenção de Perda de Dados. ETAPA 3 - Segurança da Informação: Campanha de Conscientização no ONS Realização de duas palestras em cada localidade do ONS com palestrantes especializados em conscientização de usuários para questões relacionadas à segurança da informação. Controles influenciados: Conhecimento e Treinamento da Equipe. ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 18 / 96

19 ETAPA 4 - Aquisição de Solução para varredura de vulnerabilidade de Infraestrutura Software de descobrimento de vulnerabilidades instalado e varrendo um mínimo de 85% dos ativos de informação do ONS. Controles influenciados: Análise de Vulnerabilidades ETAPA 5 - Aquisição de Solução para proteção de dispositivos móveis Software para criptografia de informações críticas armazenadas em dispositivos móveis como notebooks e smartphones. Controles influenciados: Prevenção de Perda de Dados OBS: Essa etapa havia sido cancelada, mas foi retomada a partir de negociação com a empresa Trend (fornecedora das soluções de antivírus) que possibilitou a inclusão da solução de proteção de dispositivos móveis no mesmo contrato de licenciamento. Não houve execução financeira no projeto pois a solução não gerou custo adicional. ETAPA 6 - Implantação de Solução de Gestão de Identidades e Acesso Implantação de um processo automatizado de concessão, revogação e manutenção de acesso de usuários a aplicações e sistemas do ONS, garantindo conformidade com requerimentos de auditoria. Controles influenciados: Controle de Privilégios Administrativos, Controle de Acesso Baseado em Mínimo Necessário, Monitoração de Contas de Usuários. ETAPA 7 - Evolução das proteções atuais Expansão da proteção oferecida pelo IPS do Escritório Central; Substituição dos servidores dos Firewalls corporativos, viabilizando o uso da capacidade total da versão atual do Firewall. Controles influenciados: Monitoração de Segurança, Defesa de Perímetro. ETAPA 8 - Descoberta de ameaças em tempo real Evolução do ferramental de detecção de ameaças digitais, adaptando-se às novas ameaças direcionadas que não podem ser detectadas pelos produtos tradicionais como Antivírus, Firewall e IPS. Controles influenciados: Monitoração de Segurança, Defesa de Perímetro. ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 19 / 96

20 Cronograma de Execução do Projeto Dados das Etapas Etapas Concluídas Descrição: Data de conclusão ETAPA 7 - Evolução das proteções atuais 10/04/13 ETAPA 3 - Segurança da Informação: Campanha de Conscientização no ONS 28/06/13 ETAPA 5 - Aquisição de Solução para proteção de dispositivos móveis 31/12/14 ETAPA 1 - Aquisição e Implantação de Firewall de Aplicação 31/10/13 ETAPA 4 - Aquisição de Solução para varredura de vulnerabilidade de Infraestrutura 31/10/14 Etapas a Executar Descrição: Início Conclusão ETAPA 2 - Implantação de solução para teste de Segurança das Aplicações ETAPA 6 - Implantação de Solução de Gestão de Identidades e Acesso ETAPA 8 - Descoberta de ameaças em tempo real 01/01/14 30/06/15 01/07/14 26/08/15 01/07/ /12/2015 Cronograma de Execução Financeira do Projeto Valores em R$ Acompanhamento Financeiro do Projeto Realização até Jun15 Previsão de Execução Jul15 / Dez em Diante TOTAL ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 20 / 96

21 Dados Gerais do Projeto Identificação Projeto Programa Tipo Gerenciamento dos Processos de Manutenção, Desenvolvimento de Aplicativos e Controle e Atualização de Hardware e Software 4 Aperfeiçoar a gestão corporativa e os recursos de TI e de infraestrutura B Gerente Coordenador Diretoria Paula Medeiros/Yvens Marques/Jeane Saldanha Angela Bessa DAC Características do Projeto Início Término 01/07/13 30/09/15 Finalidade Este projeto tem como finalidade consolidar e operacionalizar o gerenciamento dos serviços, soluções e ativos de TI por meio de uma plataforma que proporcione a eficiência, qualidade, colaboração e segurança em conformidade com as melhores práticas e metodologias existentes. Esta estrutura interligada possibilitará a integração com sistemas de informação em ambiente colaborativo, aumentando a disponibilidade dos serviços, aprimorando a automação dos processos de manutenção e desenvolvimento de aplicações, diminuindo os tempos de atendimento para os colaboradores do ONS e Agentes. Trata-se de um programa de implantação, modernização e consolidação dos serviços e soluções da infraestrutura de TI, com um horizonte de um ano, onde serão adquiridos e implantados produtos e serviços, com a respectiva capacitação da equipe técnica, sendo relacionados a seguir: Implantação da Gestão de Ativos de Hardware e Software; Evolução Tecnológica da Plataforma de Gestão de Serviços de TI; Integração com o Sistema de Gestão de Desenvolvimento de Aplicações; Evolução do Sistema de Data Warehouse para Indicadores de Bussiness Intelligence; ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 21 / 96

22 Evolução da Gestão da Plataforma de Monitoramento e Serviços da TI; Evolução da Gestão de Mudança de Sistemas; Automação do Processo de Instalação e Testes de Aplicações, integrando com a plataforma de Gestão de Serviços de TI; Resultados Esperados (Valor Agregado) Promover a evolução do gerenciamento dos serviços, soluções e ativos de TI, melhorando o atendimento das demandas e projetos que suportam as áreas finalísticas e implantando uma plataforma robusta de colaboração. Benefícios: Possibilita o aumento da disponibilidade e qualidade dos serviços de TI que suportam os processos de negócio; Redução de Riscos de Vulnerabilidade; Redução do tempo de atendimento; Melhoria da satisfação dos clientes internos; Habilita acesso rápido, único e simplificado para a função do cliente; Disponibilização de capacidades e comportamentos comuns às soluções e serviços do ONS; Suporte a evolução dos processos e procedimentos contidos na metodologia de desenvolvimento de software do ONS; Mantém a plataforma de gestão de serviços de TI e monitoramento da infraestrutura da TI corporativa atualizadas; Evolução da automação e integração dos processos de planejamento, confecção, execução e coleta de evidências de testes das aplicações; Automatização e integração com a ferramenta de gestão de incidentes e mudanças; Automação e integração com ferramentas de monitoramento e diagnóstico de aplicações críticas em produção; Oferece um ambiente colaborativo com capacidade de integração de aplicações mediando a troca de informações entre processos de negócio; Aumento da usabilidade e melhoria do relacionamento entre ONS, Agentes do Setor e Orgãos Reguladores; Proporciona adaptabilidade a mudança, aumentando a capacidade de atendimento para demandas originadas da entidade reguladora; Estabelece a melhoria e evolução dos processos de gestão de ativos de TI e ciclo de vida de desenvolvimento de aplicações que suportam as atividades finalísticas do ONS; Mitigação de multas por uso indevido de software sujeito a licenciamento nos ativos da rede corporativa; Diminuição de esforço e custos envolvidos no desenvolvimento de soluções de negócio. ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 22 / 96

23 Consequências da Não-Realização do Projeto: Aumento da vulnerabilidade da plataforma de Gestão de Serviços da TI pela necessidade de evolução e manutenção da garantia pelo fabricante; Impossibilidade de integração dos serviços de infraestrutura de TI com os sistemas aplicativos desenvolvidos; Inconsistência de informações aumentando o risco de multas por irregularidades do uso de softwares não autorizados ou não licenciados; Aumento do custo operacional na gestão de inventários de software e hardware manualmente; Aumento do esforço para planejar, executar e gerir os testes de aplicações; Diminuição da garantia de qualidade do software desenvolvido e dificultando a validação do atendimento das necessidades de negócio; Diminuição da capacidade de detecção de falhas e aumento no esforço de diagnóstico; Maior dificuldade de integração entre os processos da TI já suportados pelas ferramentas atualmente em uso; Ausência de ferramental para suportar as necessidades de evolução contínua da metodologia de desenvolvimento do ONS; Pré-Requisitos Diretoria envolvida/diretorias envolvidas: DAC e DGL Envolvimento da GIT: GIT1, GIT2, GIT3 Entidades externas envolvidas: Fornecedores Etapas e Produtos ETAPA 1 - Serviços de Gestão de Ativos Implantação da Gestão de Ativos de Hardware e Software; ETAPA 2 Evolução da Gestão dos Serviços de Atendimento Evolução Tecnológica da Plataforma de Gestão de Serviços de TI; Integração com o Sistema de Gestão de Desenvolvimento de Aplicações; Evolução do Sistema de Data Warehouse para Indicadores de Bussiness Intelligence; Evolução da Gestão da Plataforma de Monitoramento e Serviços da TI; ETAPA 3 Evolução da Gestão de Mudança de Sistemas (GMS) - CANCELADA Evolução da Gestão de Mudança de Sistemas; OBS: Em virtude de redefinição de prioridades da TI, e considerando que foi desenvolvida internamente uma aplicação para integração entre o Remedy e o TFS para acompanhamento das mudanças nas aplicações, essa etapa foi cancelada, gerando redução no custo total estimado para o projeto. ETAPA 4 Automação do Processo de Instalação e Testes de Aplicações ONS - PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2015/JUN2018 VOLUME II 23 / 96

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA ONS JUL2014/JUN2015 PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2014/JUN2017 VOLUME II

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA ONS JUL2014/JUN2015 PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2014/JUN2017 VOLUME II PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA ONS JUL2014/JUN2015 PLANO DE AÇÃO DO ONS JUL2014/JUN2017 VOLUME II Operador Nacional do Sistema Elétrico Rua Júlio do Carmo, 251 Cidade Nova 20211-160 Rio de Janeiro RJ Tel (+21)

Leia mais

Projeto SAAT/SAGER. Reunião com os Proponentes 18/03/2015

Projeto SAAT/SAGER. Reunião com os Proponentes 18/03/2015 Projeto SAAT/SAGER Reunião com os Proponentes 1 18/03/2015 Agenda Visão Geral dos Sistemas SAGER SAAT Requisitos Contexto Plataforma Tecnológica Plano do Projeto Estrutura de Gestão Atividades de apoio

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

ANEXO II - Especificações Técnicas

ANEXO II - Especificações Técnicas ANEXO II - Especificações Técnicas Índice 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO ESCOPO... 24 1.1 OBJETIVO DESTE DOCUMENTO... 24 1.2 CARACTERÍSTICAS DAS SOLUÇÕES SAGER E SAAT... 24 1.3 COMPONENTES DO PROJETO PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Soluções em Segurança

Soluções em Segurança Desafios das empresas no que se refere a segurança da infraestrutura de TI Dificuldade de entender os riscos aos quais a empresa está exposta na internet Risco de problemas gerados por ameaças externas

Leia mais

Curso Plano de Continuidade de Negócios

Curso Plano de Continuidade de Negócios Curso Plano de Continuidade de Negócios Em um cenário mundial de alto risco e volatilidade, com uma interconexão e interdependência de todas as cadeias de suprimento, a segurança e continuidade dos negócios

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0

Diretoria de Informática TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Brivaldo Marinho - Consultor. Versão 1.0 TCE/RN 2012 PDTI PLANO DIRETOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Brivaldo Marinho - Consultor Versão 1.0 CONTROLE DA DOCUMENTAÇÃO Elaboração Consultor Aprovação Diretoria de Informática Referência do Produto

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Número do Recibo:83500042

Número do Recibo:83500042 1 de 21 06/06/2012 18:25 Número do Recibo:83500042 Data de Preenchimento do Questionário: 06/06/2012. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: GOVERNANÇA

Leia mais

Continuidade de Negócio de TI O Sucesso da sua empresa também depende disso. Qual é sua necessidade...

Continuidade de Negócio de TI O Sucesso da sua empresa também depende disso. Qual é sua necessidade... Continuidade de Negócio de TI O Sucesso da sua empresa também depende disso. Qual é sua necessidade... Reduzir custo de TI; Identificar lentidões no ambiente de TI Identificar problemas de performance

Leia mais

REQUISIÇÃO DE PROPOSTA. 1.1 Desenvolver o Plano de Continuidade de Negócios - PCN com base na ISO 22301.

REQUISIÇÃO DE PROPOSTA. 1.1 Desenvolver o Plano de Continuidade de Negócios - PCN com base na ISO 22301. REQUISIÇÃO DE PROPOSTA Esta Requisição de Proposta foi elaborada pela Gerência de Segurança Empresarial - GESEM da Cartão BRB e tem como objetivo fornecer aos interessados as especificações do objeto abaixo,

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA 1 APRESENTAÇÃO Este conjunto de diretrizes foi elaborado para orientar a aquisição de equipamentos

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica.

Artigo 1º - Aprovar revisão da Política de Segurança da PRODEB, que com esta se publica. Classificação: RESOLUÇÃO Código: RP.2007.077 Data de Emissão: 01/08/2007 O DIRETOR PRESIDENTE da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia - PRODEB, no uso de suas atribuições e considerando

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

Hospedagem Virtualizada

Hospedagem Virtualizada Conheça também Desenvolvimento de sistemas Soluções de Segurança Soluções com o DNA da Administração Pública Há 43 anos no mercado, a Prodesp tem um profundo conhecimento da administração pública e também

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

SOLUÇÕES DE RESILIÊNCIA E SEGURANÇA

SOLUÇÕES DE RESILIÊNCIA E SEGURANÇA SERVIÇO DE RESPOSTA A INCIDENTES D Solução de segurança que fornece orientações para o efetivo controle ou correção de ataques externos causados por vulnerabilidades encontradas no ambiente do cliente.

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região

Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação. Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Plano Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região Dezembro/2010 2 TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Missão: Prover soluções efetivas de tecnologia

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC

Governança de TI com COBIT, ITIL e BSC {aula #2} Parte 1 Governança de TI com melhores práticas COBIT, ITIL e BSC www.etcnologia.com.br Rildo F Santos rildo.santos@etecnologia.com.br twitter: @rildosan (11) 9123-5358 skype: rildo.f.santos (11)

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Curso Plano de Continuidade de Negócios

Curso Plano de Continuidade de Negócios Curso Plano de Continuidade de Negócios Em um cenário mundial de alto risco e volatilidade, com uma interconexão e interdependência de todas as cadeias de suprimento, a segurança e continuidade dos negócios

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI

Objetivos. PDI - Plano Diretor de Informática. O que é? Como é feito? Quanto dura sua elaboração? Impactos da não execução do PDI Objetivos Assegurar que os esforços despendidos na área de informática sejam consistentes com as estratégias, políticas e objetivos da organização como um todo; Proporcionar uma estrutura de serviços na

Leia mais

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios

Módulo 4. Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Módulo 4 Visão geral dos controles do COBIT aplicáveis para implantação da Sarbanes, o papel de TI, a importância dos softwares e exercícios Estruturas e Metodologias de controle adotadas na Sarbanes COBIT

Leia mais

Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA

Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA 2011 Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA SUMÁRIO Introdução... 4 Metodologia... 6 Resultado 1: Cibersegurança é importante para os negócios... 8 Resultado

Leia mais

PO 2015 Programa e Estrutura

PO 2015 Programa e Estrutura PO 1 PO Programa e Estrutura PO Programa Considerando a necessidade de transparência e efetiva demonstração dos resultados alcançados o Processo da PO compreende as seguintes fases: Fase Definição das

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Plano de Recuperação de Desastre em TI

Plano de Recuperação de Desastre em TI Plano de Recuperação de Desastre em TI Edgar T. Monteiro The LatAm Healthcare IT Summit - 2014 >> AGENDA Blue Solutions na Saúde Ameaças para a TI em HeathCare Disaster Recovery >> Blue Solutions 10 anos

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências.

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. PORTARIA No- 192, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. O ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation.

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. O SoftExpert PPM Suite é a solução mais robusta, funcional e fácil para priorizar, planejar, gerenciar e executar projetos, portfólios

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI GERENCIAMENTO DE LIBERAÇÃO

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI GERENCIAMENTO DE LIBERAÇÃO 1 ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI GERENCIAMENTO DE LIBERAÇÃO 2 INTRODUÇÃO A cada dia que passa, cresce a pressão pela liberação para uso de novas tecnologias disponibilizadas pela área de TI, sob o argumento

Leia mais

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens

Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens Academia de Tecnologia da IBM White paper de liderança de pensamento Novembro de 2010 Estratégias para avaliação da segurança da computação em nuvens 2 Proteção da nuvem: do desenvolvimento da estratégia

Leia mais

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Oficina : CUSTOS 2 Orçamento sem financeiro (Cronograma X Desembolso) Comunicação quanto ao Risco de não execução do projeto Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Negociação com SPOA/Secr.

Leia mais

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios

Governança de TI. Focos: Altas doses de Negociação Educação dos dirigentes das áreas de negócios Governança de TI Parte 3 Modelo de Governança v2 Prof. Luís Fernando Garcia LUIS@GARCIA.PRO.BR Modelo de Governança de TI Modelo adaptação para qualquer tipo de organização Componentes do modelo construídos/adaptados

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

Serviço HP IMC EAD Implementation

Serviço HP IMC EAD Implementation Serviço HP IMC EAD Implementation Dados técnicos O serviço HP IMC EAD Implementation tem o objetivo de fornecer a personalização do módulo Endpoint Admission Defense de acordo com as necessidades do Cliente

Leia mais

Cloud Computing: Quando a nuvem pode ser um risco para o negócio. Marco Lima aka Mago Enterprise Technology Specialist

Cloud Computing: Quando a nuvem pode ser um risco para o negócio. Marco Lima aka Mago Enterprise Technology Specialist Cloud Computing: Quando a nuvem pode ser um risco para o negócio Marco Lima aka Mago Enterprise Technology Specialist 05 De onde vem o termo nuvem? Business Servidores SAN WAN SAN LANs Roteador NAS Switch

Leia mais

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança.

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda Managed Office Protection É fato, tanto pequenas e médias e grandes empresas enfrentam os mesmos riscos

Leia mais

SERPRO Serviço Federal de Processamento. Gerenciamento das Redes Locais no SERPRO. Jones Lamanna Tesser jones.tesser@serpro.gov.br

SERPRO Serviço Federal de Processamento. Gerenciamento das Redes Locais no SERPRO. Jones Lamanna Tesser jones.tesser@serpro.gov.br Capítulo 1 SERPRO Instituição: Sítio: Caso: Responsável: Palavras- Chave: SERPRO Serviço Federal de Processamento de Dados www.serpro.gov.br Gerenciamento das Redes Locais no SERPRO. Jones Lamanna Tesser

Leia mais

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio

ESTRUTURA E ASPECTOS. 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio ESTRUTURA E ASPECTOS 3S Networks. Tecnologia alinhada ao seu negócio A 3S Networks surgiu com a proposta de oferecer as mais avançadas soluções tecnológicas a empresas dos setores privado e público, atuamos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES DESENHO DE SERVIÇO Este estágio do ciclo de vida tem como foco o desenho e a criação de serviços de TI cujo propósito será realizar a estratégia concebida anteriormente. Através do uso das práticas, processos

Leia mais

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia.

A EMPRESA. A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A EMPRESA A Future Technology é uma divisão da Do Carmo voltada para o mercado de soluções em tecnologia. A experiência da Future Technology nas diversas áreas de TI disponibiliza aos mercados público

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Aviso de Isenção de Responsabilidade e Direitos Autorais As informações contidas neste documento representam a visão atual da Microsoft

Leia mais

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA.

CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. CIGAM SOFTWARE CORPORATIVA LTDA. Raquel Engeroff Neusa Cristina Schnorenberger Novo Hamburgo RS Vídeo Institucional Estratégia Visão Missão Ser uma das 5 maiores empresas de software de gestão empresarial

Leia mais

Serviço de gestão, operação, monitoramento e. atividades do datacenter interno

Serviço de gestão, operação, monitoramento e. atividades do datacenter interno Serviço de gestão, operação, monitoramento e documentação das atividades do datacenter interno VISÃO POR TECNOLOGIA MODELO DE OPERAÇÃO IN LOCO -ASSISTIDA A LPCti disponibiliza uma equipe de profissionais

Leia mais

RESPOSTA Nº 02 DO EDITAL ADG 002/2015 - Contratação de prestação dos serviços de Service Desk.

RESPOSTA Nº 02 DO EDITAL ADG 002/2015 - Contratação de prestação dos serviços de Service Desk. RESPOSTA Nº 02 DO EDITAL ADG 002/2015 - Contratação de prestação dos serviços de Service Desk. PERGUNTA 1: Sobre o Item Minuta Contratual: CONSIDERANDO QUE O ONS É UMA PESSOA JURÍDICA DE DIREITO PRIVADO

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Nº de Páginas: 1 / 5 1. OBJETIVOS Os objetivos desta Política de Segurança da Informação são estabelecer orientações gerais de segurança da informação no âmbito da Braslight, fornecendo o apoio conceitual

Leia mais

PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3

PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3 PÁGINA 4 ITIL V.2 & ITIL V.3 Gerência de Níveis de Serviço Manter e aprimorar a qualidade dos serviços de TI Revisar continuamente os custos e os resultados dos serviços para garantir a sua adequação Processo

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC

AVALIAÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA DO QUADRO DE SERVIDORES DA COTEC MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA Coordenação-Geral de Administração e Tecnologia da Informação Coordenação

Leia mais

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network)

Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) Anexo III: Solução de Rede Local - LAN (Local Area Network) 1. Objeto: 1.1. Contratação de uma Solução de rede de comunicação local (LAN) para interligar diferentes localidades físicas e os segmentos de

Leia mais

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S.

Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Disciplina: Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Auditoria e Análise de Segurança da Informação - 4º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 4: Trilhas de Auditoria Existe a necessidade

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Diretoria Executiva Aprovação: DD-494-0001/2012 Revisão 05 Vigência a partir de 25/09/2012 1. Introdução Os processos e atividades de negócio são suportados, cada vez

Leia mais

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos O que você vai mudar em sua forma de atuação a partir do que viu hoje? Como Transformar o Conteúdo Aprendido Neste Seminário em Ação! O que debatemos

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União I Workshop de Governança de TI da Embrapa Estratégia utilizada para

Leia mais

Controlar. Otimizar. Crescer.

Controlar. Otimizar. Crescer. Controlar. Otimizar. Crescer. Neste material de suporte, você encontrará informações de SAM para: Novos Líderes de Tecnologia Fusões e Aquisições True-Up Assist Serviço Microsoft EAP Assist Assuma o controle

Leia mais

2 INOVAÇÃO NA PROVISÃO DE SERVIÇOS

2 INOVAÇÃO NA PROVISÃO DE SERVIÇOS 1 MELHORIA DA GESTÃO FISCAL DE MÉDIO PRAZO E DO INVESTIMENTO PÚBLICO 1.1 Diagnóstico e Proposição de Melhorias do Marco de Gasto de Médio Prazo 1.1.0 Não há 1.1.0.0 Não há 1.1.0.0.1 Diagnóstico da metodologia

Leia mais

A consolidação de servidores traz uma séria de vantagens, como por exemplo:

A consolidação de servidores traz uma séria de vantagens, como por exemplo: INFRAESTRUTURA Para que as empresas alcancem os seus objetivos de negócio, torna-se cada vez mais preponderante o papel da área de tecnologia da informação (TI). Desempenho e disponibilidade são importantes

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação

TERMO DE REFERÊNCIA. 1. Objeto. 2. Antecedentes. 3. Objeto da Licitação TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto 1.1. Contratação de empresa especializada em auditoria de tecnologia da informação e comunicações, com foco em segurança da informação na análise de quatro domínios: Processos

Leia mais

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 133/2012 COMPRASNET

COTAÇÃO ELETRÔNICA: 133/2012 COMPRASNET COTAÇÃO ELETRÔNICA: 133/2012 COMPRASNET AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE ANTIVÍRUS MCAFEE PARA PLATAFORMA DE SERVIDORES VIRTUALIZADOS VMWARE DA REDE CORPORATIVA PRODAM Diretoria de Infraestrutura e Tecnologia-

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011

COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO COORDENAÇÃO DE TECNOLOGIA (COTEC) ABRIL/2011 Rua do Rouxinol, N 115 / Salvador Bahia CEP: 41.720-052 Telefone: (71) 3186-0001. Email: cotec@ifbaiano.edu.br

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09

RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 RESOLUÇÃO CNJ nº 90/09 29 de setembro de 2009 PLANO DE TRABALHO - PDTI O presente Plano de Trabalho objetiva o nivelamento do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima aos requisitos de tecnologia da informação

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1

Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Faculdade de Tecnologia SENAI Porto Alegre Aula 1 Prof. Me. Humberto Moura humberto@humbertomoura.com.br Evolução da TI Postura TI Níveis de TI Princípios de TI (papel da TI perante o negócio) Arquitetura

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

Coren-MG - Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções

Coren-MG - Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções Coren-MG - Tecnologia da Informação Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções Infraestrutura Projeto Inicial de Infraestrutura Formação de equipe de TI interna; Estruturação de Datacenter; Redução

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

INFRAESTRUTURA DE TI DA TEKSID PASSA POR ATUALIZAÇÃO COMPLETA, OBTENDO REDUÇÃO DE GASTOS E MELHORIAS NO AMBIENTE

INFRAESTRUTURA DE TI DA TEKSID PASSA POR ATUALIZAÇÃO COMPLETA, OBTENDO REDUÇÃO DE GASTOS E MELHORIAS NO AMBIENTE INFRAESTRUTURA DE TI DA TEKSID PASSA POR ATUALIZAÇÃO COMPLETA, OBTENDO REDUÇÃO DE GASTOS E MELHORIAS NO AMBIENTE Perfil O Grupo Teksid é o maior em fundição de autopeças do mundo, com capacidade produtiva

Leia mais

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14

9.6. Política de segurança para Usuários(PSU)... 14 9.7. Questionários de Segurança da Informação... 14 10. CONCLUSÃO... 14 ANEXO I PSI Índice 1. FINALIDADE... 4 2. ABRANGÊNCIA... 4 3. FREQUÊNCIA DE REVISÃO... 4 4. PORTAL DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 4 5. TERMOS E DEFINIÇÕES... 4 5.1. Segurança da Informação... 4 5.2. Confidencialidade...

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado

Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Tema: Apresentador: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Ricardo Scheurer Sonda Supermercado Objetivo desta palestra será resolver as seguintes questões: Porque fazer um PDTI? Quais os benefícios

Leia mais