GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR"

Transcrição

1 Curso Licenciatura em Restauração e Catering Ano letivo Unidade Curricular Manutenção e Equipamentos ECTS 4 Regime Obrigatório Ano 3º Semestre 1º Semestre Horas de trabalho globais Docente (s) Prof. Arlindo Ferreira Total 109 Contacto 79 Coordenador da área Prof.ª Aida Brito disciplinar GFUC CUMPRIDO OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM Objetivos gerais - Sensibilizar os alunos para a importância das normas, do edifício normativo, do seu enquadramento técnico e legal e os seus contributos positivos para a definição de especificações e requisitos mínimos nos equipamentos, sistemas e instalações hoteleiras; - Conhecer e familiarizar os principais conteúdos normativos e regras aplicáveis à gestão da manutenção dos equipamentos e sistemas de restauração e catering; - Identificar as principais normas aplicadas à restauração e catering, em geral, e à manutenção de equipamentos, em particular e a sua importância para a sustentabilidade económica e ambiental; - Conhecer e identificar as instalações técnicas necessárias ao bom funcionamento das unidades turístico - hoteleiras, em geral, e na restauração e catering, em particular; - Familiarizar os alunos com planos de manutenção, de equipamentos, sistemas e instalações. Objetivos específicos - Conhecer e aplicar corretamente as grandezas e unidades do Sistema Internacional de Unidades SI, assim como os seus múltiplos e submúltiplos; Página 1

2 - Saber ler e interpretar as características e especificações técnicas de cada equipamento pela consulta de catálogos técnicos. Selecionar os equipamentos com base na informação disponível e recorrendo à relação qualidade/preço. Comparar os equipamentos através dos requisitos e parâmetros de qualidade incluídos em check-list; - Caracterizar os diferentes tipos de manutenção; - Conhecer, identificar e analisar as principais avarias técnicas dos equipamentos de Restauração e Catering. Identificar as causas e origens. Planear ações com vista a minimização de avarias. Identificar as necessidades de manutenção específica inerente a cada equipamento, sistema e instalação técnica. - Saber recolher e tratar a informação inerente a cada equipamento, objetivando a elaboração de registos destinados à gestão da manutenção; - Efetuar a gestão da manutenção, recorrendo à consulta de catálogos técnicos, comerciais e técnicos, gráficos, cálculo numérico e à informática específica; 1. CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1 INTRODUÇÃO Sistema Internacional de Unidades - Grandezas e unidades fundamentais; múltiplos e submúltiplos; - Definições e simbologia; - Grandezas e unidades comuns nas especificações técnicas de equipamentos em Restauração e Catering Conceitos e leis da Física elementar. Página 2

3 1.3 - Noções e conceitos gerais de mecânica, eletricidade, transmissão de calor e termodinâmica Metrologia e normalização - Definição, tipos, objetivos e importância da metrologia; - Instrumentos de medição de grandezas. Noção de precisão, erro e algarismos significativos; - Importância da estandardização; - Normas: a sua importância para a Qualidade e Produtividades; exemplos. 2 INSTALAÇÕES, EQUIPAMENTOS E SISTEMAS 2.1 Identificação, caracterização e análise das funcionalidades dos equipamentos e instrumentos utilizados em Restauração e Catering. Etiqueta energética dos equipamentos Leitura e interpretação das características e especificações técnicas dos equipamentos através da consulta de catálogos técnicos dos fornecedores Análise técnico-económica e comparativa de equipamentos. A importância das check-list na análise Fatores determinantes na seleção de equipamentos. 2.5 Noção de avaria. Familiarização com as principais avarias técnicas dos equipamentos de restauração e catering. 3 MANUTENÇÃO E GESTÃO DA MANUTENÇÃO Definições e conceitos Página 3

4 - Conceito de manutenção. A importância e os objetivos da manutenção de equipamentos; - Tipos de manutenção; exemplos práticos; - Indicadores de manutenção; - Técnicas e procedimentos de manutenção; - Monitorização dos processos. Noção de avaria; avarias típicas nos equipamentos e sistemas em Restauração e Catering; - Técnicas de análise e diagnóstico de avarias; - Registo de avarias. Importância para o histórico do equipamento Implementação da manutenção - Introdução à organização da gestão da manutenção; - Implementação de melhorias na gestão da manutenção. Ciclos e operações de melhoria; - Custos da manutenção. Composição dos custos. Minimização dos custos da manutenção; - Custos da manutenção Vs Custos da não manutenção; Plano de manutenção - Plano de manutenção preventiva: obrigação legal de acordo com o RSECE; - Plano de manutenção, dos equipamentos, dos sistemas e das instalações; notas introdutórias Noções introdutórias sobre gestão de equipamentos Valorização de resíduos Página 4

5 - Introdução; - Ciclo de vida dos equipamentos desde a matéria-prima até ao fim de vida, morte do equipamento ; - Legislação ambiental aplicável. DEMONSTRAÇÃO DA COERÊNCIA DOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS COM OS OBJETIVOS DA UC - Conhecer e aplicar corretamente as grandezas e unidades do Sistema Internacional de Unidades SI, assim como os múltiplos e submúltiplos. Coerência: Capitulo 1 dos conteúdos programáticos. - Saber ler e interpretar as características e especificações técnicas de cada equipamento pela consulta de catálogos técnicos. Selecionar os equipamentos com base na informação disponível e recorrendo à relação qualidade/preço. Comparar os equipamentos através dos requisitos e parâmetros de qualidade incluídos em check-list; Coerência: Capitulo 2 dos conteúdos programáticos. - Caracterizar os diferentes tipos de manutenção; Coerência: Capitulo 3 dos conteúdos programáticos. Página 5

6 - Conhecer, analisar e identificar as principais avarias técnicas dos equipamentos de restauração e catering. Identificar as causas e origens. Plano de ação para a minimização de avarias. Identificar as necessidades de manutenção específica inerente a cada equipamento, sistema e instalação técnica. Coerência: Capitulo 3 dos conteúdos programáticos. - Saber recolher e tratar a informação inerente a cada equipamento e de utilidade para elaborar registos destinados à gestão da manutenção. Coerência: Capitulo 3 dos conteúdos programáticos. - Efetuar a gestão da manutenção, recorrendo à consulta de catálogos técnicos, comerciais e técnicos, gráficos, cálculo numérico e à informática específica. Coerência: Capitulo 3 dos conteúdos programáticos. 2. BIBLIOGRAFIA PRINCIPAL Orientadora - guia MONTEIRO, Victor; Manutenção de Equipamentos e Sistemas Hoteleiros, 2.ª edição, Lidel, Lisboa, 2009 NUNES, C.A, Gestão Hoteleira: Equipamentos e Manutenção, Europa América, Lisboa 2005 Página 6

7 MONTEIRO, Victor; Instalações de Gás na Hotelaria Restauração e Catering, Lidel, Lisboa, 2004 QUINTAS, Manuel Ai, Organização e Gestão Hoteleira, OtelTur, Volumes I, II e III Lisboa, 2006 Elementos de estudo e consulta fornecidos pelo docente Recomendada BENJAMIM, S. Blanchard, Maintainability, Editions Wiley, EUA, CITB, Gas Service-Commercial Catering Appliances-Study Notes, Norfolk Reino Unido, CRANE, R., Dixon, M., Cocinas, Ediciones Gili, México, MONTEIRO, Victor; Novas Técnicas de Refrigeração Comercial na Hotelaria, Lidel, Lisboa, 2001 MONTEIRO, Victor; Ventilação na Restauração Hotelaria e Catering Técnicas para uma boa QAI, Lidel, Lisboa, 2009 KINTON, R. e outros; The Theory of Catering, 9th edition, London, UK, SARAIVA Cabral, J. P., Organização e Gestão da Manutenção, 5.ª edição, Lidel Edições Técnicas, Lisboa, Documentos formativos complementares CITB, Gas Service-Commercial Catering Appliances-Study Notes, Norfolk Reino Unido, DEFENSE STATES, Catering Equipment Specification, Specification 42, Reino Unido, Página 7

8 DOCUMENTO DW/172 Guide to Good Pratice-Cleness STANDARD FOR KITCHEN VENTILATION SYSTEMS, Heating and Ventilation Contractor s Association, Reino Unido, ELECTROLUX, Equipamentos de Hotelaria e Catering, Catálogos Comerciais, ZANUSSI Professional, Equipamentos N900 e N700, Itália, NORMA PORTUGUESA, NP 1037:2001 Parte 4, (IPQ), PECOMARK, Catálogo Técnico Consumíveis e Recâmbios, Espanha, RSECE Regulamento de Sistemas de Climatização em Edifícios, publicado no Decreto-Lei N.º 79/2006, de 4 de abril. ROCA, Energia Solar, Fundamentos y Aplicaciones para Agua Caliente, 2.ª edicion, METODOLOGIAS DE ENSINO (REGRAS DE AVALIAÇÃO) Avaliação por frequência/contínua Elementos de avaliação: Trabalho(s) prático(s) individual/grupo..20% Prova escrita, teórico-prática.. 80% Para obtenção de aprovação por frequência os alunos preencheram as seguintes condições: 1) Submeterem-se à avaliação por trabalho(s) prático(s) e prova escrita; 2) Obtenção de classificação mínima de 7,5 valores na prova escrita; Página 8

9 3) Obtenção de média ponderada dos elementos de avaliação, frequência/contínua, superior ou igual a 9,5. Classificação por frequência/contínua (0,2 x classificação do trabalho prático + 0,8 x classificação da prova escrita) 9,5 valores. Avaliação por exame final / época normal: - Prova escrita, teórico prática (100%) Avaliação por exame época de recurso - Prova escrita, teórico prática (100%) 4. DEMONSTRAÇÃO DA COERÊNCIA DAS METODOLOGIAS DE ENSINO COM OS OBJETIVOS DA Metodologia de ensino a considerar e passiveis de ser utilizadas: Método afirmativo: - Método expositivo, - Método demonstrativo Método participativo, Método interrogativo, Método ativo, Estudo/análise de casos/situações. As metodologias de ensino procuram apresentar propostas de ensino para diferentes situações inerentes às dinâmicas do processo ensino-aprendizagem. A metodologia de ensino não deve ser rígida e imutável; o docente deve selecionar e adequar as metodologias de acordo com os objetivos da unidade curricular e das Página 9

10 diferentes condicionantes do processo de ensino-aprendizagem, com o objetivo último de transmitir ao aluno os conhecimentos, competências e experiências propostas. Neste sentido, a demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos da unidade curricular não é um processo linear e objetivo pois depende de outros fatores como os conteúdos programáticos e público-alvo. O docente deve selecionar e/ou adaptar as metodologias de ensino, não só em função dos objetivos da unidade curricular, mas também, e principalmente, em função dos conteúdos programáticos a lecionar e dos alunos envolvidos. 5. REGIME DE ASSIDUIDADE 6. OUTROS Data: Assinaturas: Docente Coordenador da área disciplinar Página 10

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Restauração e Catering Ano letivo 2012/2013 Unidade Curricular Logística e aprovisionamento ECTS 4 Regime Obrigatório Ano 2º Ano Semestre 1º Semestre Horas de trabalho globais Docente (s) Assistentes

Leia mais

Os principais objetivos da unidade curricular de Marketing assentam na aprendizagem de conhecimentos por parte do aluno de modo a:

Os principais objetivos da unidade curricular de Marketing assentam na aprendizagem de conhecimentos por parte do aluno de modo a: Curso Gestão Hoteleira Ano letivo 2012/2013 Unidade Curricular Marketing ECTS 4 Regime Obrigatório Ano 2º Semestre 1º Semestre Horas de trabalho globais Docente (s) Adriano Costa Total 124 Contacto 94

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Faculdade de Engenharia Licenciatura Engenharia e Gestão Industrial Unidade Curricular Instalações e Serviços Industriais Semestre: 5 Nº ECTS: 6,0 Regente José

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Restauração e Catering Ano letivo 2012x2013 Unidade Curricular Informática Aplicada à Restauração ECTS 5 Regime Obrigatório Ano 1º Semestre 1º Horas de trabalho globais Docente (s) Vitor Manuel Gomes

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/2013 Unidade Curricular Engenharia de Software I ECTS 6 Regime Obrigatório Ano 1º Semestre 2º sem Horas de trabalho globais Docente (s) Rui Pedro Marques Pereira;

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/2013 Unidade Curricular Aspectos Sociais da Informática ECTS 5 Regime Obrigatório Ano 2º Semestre 2º sem Horas de trabalho globais Docente (s) Natália Fernandes

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/13 Unidade Curricular Engenharia de Redes ECTS 5 Regime Obrigatório Ano 3º Semestre 1º sem Horas de trabalho globais Docente (s) Sérgio Duarte Total 140 Contacto

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Engenharia Licenciatura Engenharia e Gestão Industrial Unidade Curricular GESTÃO DA PRODUÇÃO Semestre: 5 Nº ECTS: 6, Regente João Paulo Oliveira Pinto Assistente

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/13 Unidade Curricular Bases de Dados I ECTS 5 Regime Obrigatório Ano 2º Semestre 1º sem Horas de trabalho globais Docente (s) José Carlos Fonseca Total 140

Leia mais

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre

Plano de Formação - 2011. Form + Lab. 2 Semestre Plano de Formação - 2011 Form + Lab 2 Semestre Form + Lab O que é? O Form + Lab é um serviço de formação criado para apoiar os laboratórios na valorização e formação dos seus colaboradores dando resposta

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/2013 Unidade Curricular Engenharia de Software II ECTS 6 Regime Obrigatório Ano 3º Semestre 1º sem Horas de trabalho globais Docente Maria Clara Silveira Total

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/13 Unidade Curricular Redes de Computadores ECTS 5 Regime Obrigatório Ano 2º Semestre 2º sem Horas de trabalho globais Docente (s) Sérgio Duarte Total 140 Contacto

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/2013 Unidade Curricular Sistemas Distribuídos ECTS 6 Regime Obrigatório Ano 3º Semestre 2º sem Horas de trabalho globais Docente (s) Rui Pedro Marques Pereira

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/13 Unidade Curricular Bases de Dados II ECTS 6 Regime Obrigatório Ano 2º Semestre 1º sem Horas de trabalho globais Docente (s) José Carlos Fonseca Total 168

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Engenharia Licenciatura Engenharia e Gestão Industrial Unidade Curricular Logística Industrial Semestre: 6 Nº ECTS: 6,0 Regente João Paulo Pinto Assistente Carga

Leia mais

Unidade Curricular de Contabilidade I 1º Ano 1º Semestre 5 ECTS Tempo Total de Trabalho do Aluno: 125 horas Horas de contacto: 60 h (15T+15T/P+30P)

Unidade Curricular de Contabilidade I 1º Ano 1º Semestre 5 ECTS Tempo Total de Trabalho do Aluno: 125 horas Horas de contacto: 60 h (15T+15T/P+30P) INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR Curso de Gestão das Organizações Desportivas Unidade Curricular de Contabilidade I 1º Ano 1º Semestre 5 ECTS Tempo Total de Trabalho

Leia mais

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5

DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 DESCRIÇÃO DA UNIDADE CURRICULAR Unidade Curricular: Turismo, Hotelaria e Restauração Área Científica: Hotelaria CÓDIGO: CRÉDITOS ECTS: 5 CURSO: Licenciatura em Restauração e Catering Ano: 1º Semestre:

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/13 Unidade Curricular Programação e Segurança ECTS 4 Regime Opcional Ano 2º/3º Semestre 2º sem Horas de trabalho globais Docente (s) José Carlos Fonseca Total

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012-2013 Unidade Curricular Arquitectura de Computadores ECTS 6 Regime Obrigatório Ano 2º Semestre 2ºsem Horas de trabalho globais Docente (s) Luis Figueiredo Total

Leia mais

Curso Restauração & Catering Ano letivo 2012-2013 Unidade Curricular Turismo, Hotelaria e Restauração ECTS 5

Curso Restauração & Catering Ano letivo 2012-2013 Unidade Curricular Turismo, Hotelaria e Restauração ECTS 5 Curso Restauração & Catering Ano letivo 2012-2013 Unidade Curricular Turismo, Hotelaria e Restauração ECTS 5 Regime Obrigatório Ano 1º Semestre 1º Semestre Horas de trabalho globais Docente (s) João Estêvão

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/2013 Unidade Curricular Redes de alta velocidade ECTS 4 Regime Opcional Ano 2º/3º Semestre 2º sem Horas de trabalho globais Docente (s) Fernando Melo Rodrigues

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC)

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) Ano letivo 2015/2016 Ano/Semestre curricular 2º Ano 1º Semestre Curso Licenciatura em Enfermagem (1º Ciclo) Unidade Curricular Gestão de cuidados de enfermagem [designação

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/2013 Unidade Curricular Sistemas Domóticos ECTS 4 Regime Opcional Ano 2º/3º Semestre 2º sem Horas de trabalho globais Docente (s) Fernando Melo Rodrigues Total

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS QUALITATIVOS Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular MÉTODOS QUALITATIVOS Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular MÉTODOS QUALITATIVOS Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular MÉTODOS

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação: Técnicas de Representação Digital I Área Científica: Desenho (DES) Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 3º ECTS: 6 Tempo

Leia mais

Ano Letivo: 201415. Grupo Disciplinar: Contabilidade Pública ECTS: 5,0. Regime: EL. Semestre: S1

Ano Letivo: 201415. Grupo Disciplinar: Contabilidade Pública ECTS: 5,0. Regime: EL. Semestre: S1 CONTABILIDADE ANALÍTICA APLICADA [14003] GERAL Ano Letivo: 201415 Grupo Disciplinar: Contabilidade Pública ECTS: 5,0 Regime: EL Semestre: S1 OBJETIVOS Considerando que os estudantes da licenciatura em

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular (UC)

Ficha da Unidade Curricular (UC) Impressão em: 03-01-2013 16:13:42 Ficha da Unidade Curricular (UC) 1. Identificação Unidade Orgânica : Escola Superior de Tecnologia e Gestão Curso : [IS] Informática para a Saúde Tipo de Curso : UC/Módulo

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC)

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) Ano/Semestre curricular Ano letivo 2014/2015 Curso Unidade Curricular [designação e tipo/se é do tipo obrigatório ou optativo] (máx100 caracteres) Língua de ensino ECTS

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular LEGISLAÇÃO DO SECTOR TURÍSTICO Ano Lectivo 2015/2016

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular LEGISLAÇÃO DO SECTOR TURÍSTICO Ano Lectivo 2015/2016 Programa da Unidade Curricular LEGISLAÇÃO DO SECTOR TURÍSTICO Ano Lectivo 2015/2016 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Turismo 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Regras de procedimentos para transporte de bens e

Regras de procedimentos para transporte de bens e Regras de procedimentos para transporte de bens e Os Sistemas de Gestão Técnica na nova regulamentação para a eficiência energética mercadorias em edifícios Associação Portuguesa da Indústria de Refrigeração

Leia mais

Guia de Curso. Administração e Gestão Educacional. Mestrado em. 15ª Edição. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância

Guia de Curso. Administração e Gestão Educacional. Mestrado em. 15ª Edição. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância Universidade Aberta Sede R. da Escola Politécnica, 147 1269-001 Lisboa Campus do Taguspark Av. J. Delors, Edifício Inovação I 2740-122 Porto Salvo, Oeiras Coordenadora: Guia de Curso Lídia Grave-Resendes

Leia mais

A CHAVE PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

A CHAVE PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA A CHAVE PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Agenda Enquadramento dos consumos Energéticos nos Edifícios e no ramo Hoteleiro Enerbiz Conceito Geral e explicação funcional Conclusões e Aspetos Gerais Índice Enquadramento

Leia mais

Componente de Formação Técnica. Disciplina de

Componente de Formação Técnica. Disciplina de CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de ENERGIAS RENOVÁVEIS PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de Organização Industrial Escolas Proponentes / Autores Escola Profissional de

Leia mais

Apresentação Wintek.Center... 4. Programa das Ações de Formação... 3. Básico de Refrigeração e Climatização... 6

Apresentação Wintek.Center... 4. Programa das Ações de Formação... 3. Básico de Refrigeração e Climatização... 6 ÍNDICE Apresentação Wintek.Center... 4 Programa das Ações de Formação... 3 Básico de Refrigeração e Climatização... 6 Automação, Controlo e Instrumentação... 7 Electricidade de Sistemas de Refrigeração

Leia mais

2015-2016. Mestrado em Educação Especial Desenvolvimento Cognitivo e Motor. Tecnologias de Informação e da Comunicação para NEE.

2015-2016. Mestrado em Educação Especial Desenvolvimento Cognitivo e Motor. Tecnologias de Informação e da Comunicação para NEE. Ano Letivo 2015-2016 Designação do Curso Mestrado em Educação Especial Desenvolvimento Cognitivo e Motor Unidade Curricular Tecnologias de Informação e da Comunicação para NEE Área Científica Informática

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR

ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR Curso de Gestão das Organizações Desportivas Unidade Curricular de Contabilidade de Gestão 2º Ano 1º Semestre 5 ECTS Tempo Total

Leia mais

Curso de Secretariado Clínico

Curso de Secretariado Clínico EDITAL Curso de Secretariado Clínico Edição 2015/2017 A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) anuncia a abertura do Curso de Secretariado Clínico,

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR ANO LECTIVO: 2013/14 FICHA DE UNIDADE CURRICULAR MESTRADO/LICENCIATURA 1.Unidade Curricular Nome: METODOS E TÉCNICAS DE INVESTIGAÇÃO SOCIAL Código: 172 Área Científica: SOCIOLOGIA Curso: MESTRADO EM GERONTOLOGIA

Leia mais

INTRODUÇÃO À BIOMECÂNICA

INTRODUÇÃO À BIOMECÂNICA 1 Ano Lectivo 2009/10 Licenciatura em Condição Física e Saúde no Desporto PROGRAMA UNIDADE CURRICULAR INTRODUÇÃO À BIOMECÂNICA Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior

Leia mais

LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL Obrigatória. Unidade Curricular TECNOLOGIA DOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃOII

LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL Obrigatória. Unidade Curricular TECNOLOGIA DOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃOII Ficha de Unidade Curricular (FUC) Curso LICENCIATURA EM ENGENHARIA CIVIL Obrigatória Unidade Curricular TECNOLOGIA DOS MATERIAIS DE CONSTRUÇÃOII Opcional Área Científica ENGENHARIA CIVIL Classificação

Leia mais

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico)

Guião para a autoavaliação. Ciclo de estudos em funcionamento. (Ensino Universitário e Politécnico) Guião para a autoavaliação Ciclo de estudos em funcionamento (Ensino Universitário e Politécnico) Guião ACEF 2014/2015 PT (Revisão aprovada em 26.03.2014) Caracterização do pedido A1. Instituição de ensino

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À FISICA Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À FISICA Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular INTRODUÇÃO À FISICA Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Informática 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso ENGENHARIA CIVIL Ano letivo 2011-2012 Unidade Curricular INSTALAÇÕES DE EDIFÍCIOS ECTS 5 Regime Obrigatório Ano 2º Semestre 2º Semestre Horas de trabalho globais Docente(s) José António Furtado Figueiredo

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico. Professor: Renato Custódio da Silva

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico. Professor: Renato Custódio da Silva PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Ética e Cidadania Organizacional Eixo Tecnológico: Gestão e

Leia mais

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h

Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas Teórico-Práticas 60 h UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA F A C U L D A D E D E E NGE N H ARIA Disciplina de DESENHO Contexto da Disciplina Horas de Trabalho do Aluno Curso(s): Licenciaturas em Engenharia Total de horas Aulas

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO 2013

PLANO DE FORMAÇÃO 2013 PLANO DE FORMAÇÃO 2013 código Designação da acção PF1 ENSAIOS EM ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS PF2 CÁLCULO DE INCERTEZAS EM ENSAIOS DE ACÚSTICA DE EDIFÍCIOS PF3 MEDIÇÃO E INCERTEZAS EM ENSAIOS DE RUÍDO LABORAL

Leia mais

Ano Letivo: 201415. Grupo Disciplinar: Contabilidade Pública ECTS: 6,0. Regime: PL. Semestre: S1

Ano Letivo: 201415. Grupo Disciplinar: Contabilidade Pública ECTS: 6,0. Regime: PL. Semestre: S1 COMPLEMENTOS DE CONTABILIDADE E FINANÇAS PÚBLICAS [9393132] GERAL Ano Letivo: 201415 Grupo Disciplinar: Contabilidade Pública ECTS: 6,0 Regime: PL Semestre: S1 OBJETIVOS A unidade curricular pretende aprofundar

Leia mais

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC)

FICHA DE UNIDADE CURRICULAR (UC) Ano letivo 2014/2015 Ano/Semestre curricular Curso Unidade Curricular [designação e tipo/se é do tipo obrigatório ou optativo] 1º Ano/1º semestre Ano letivo 2013/2014 Língua de ensino ECTS - tempo de trabalho

Leia mais

O programa da UC encontra-se dividido em quatro (4) módulos principais. Cada módulo encontra-se organizado por tópicos

O programa da UC encontra-se dividido em quatro (4) módulos principais. Cada módulo encontra-se organizado por tópicos CONTABILIDADE FINANCEIRA PÚBLICA I [14000] GERAL Ano Letivo: 201415 Grupo Disciplinar: Contabilidade Pública ECTS: 4,5 Regime: EL Semestre: S1 OBJETIVOS São objectivos da unidade curricular: Compreender

Leia mais

Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente

Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente 1 Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente O Corinthia Hotel Lisbon está implementado num edifício com mais de 30 anos em que a

Leia mais

E S C O L A S U P E R I O R A G R Á R I A

E S C O L A S U P E R I O R A G R Á R I A Licenciatura em Engenharia do Ambiente Ref.ª : 1722004 Ano lectivo: 2007-08 DESCRITOR DA UNIDADE CURRICULAR DESENHO ASSISTIDO POR COMPUTADOR 1. Unidade Curricular: 1.1 Área científica: 581/Arquitectura

Leia mais

Curriculum vitae. Dados Pessoais. Residência. Nome: Nuno António Ramos Cristo. Data de Nascimento: 31/08/1973. Nacionalidade: Portuguesa

Curriculum vitae. Dados Pessoais. Residência. Nome: Nuno António Ramos Cristo. Data de Nascimento: 31/08/1973. Nacionalidade: Portuguesa Curriculum vitae Dados Pessoais Nome: Nuno António Ramos Cristo Data de Nascimento: 31/08/1973 Nacionalidade: Portuguesa Bilhete de identidade n.º 10538742, emitido em 29/08/2002 pelo arquivo de Lisboa.

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/01851 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fedrave - Fundação Para O Estudo E

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Introdução à Pedagogia Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) A disciplina se constitui como

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO O Regulamento do Curso de Especialização em Medicina do Trabalho (CEMT) visa enquadrar, do ponto de vista normativo, o desenvolvimento das actividades inerentes ao funcionamento do curso, tendo

Leia mais

PROGRAMA (FORMAÇÃO) Área de educação e formação Código 720. Curso - Emergência e Primeiros Socorros no Local de Trabalho

PROGRAMA (FORMAÇÃO) Área de educação e formação Código 720. Curso - Emergência e Primeiros Socorros no Local de Trabalho 1 - Objetivos: Dotar os trabalhadores de conhecimentos e competências, adequados e específicos à realidade de trabalho da empresa, estabelecimento ou serviço, que permitam aplicar as medidas de primeiros

Leia mais

PLANIFICAÇÃO MODULAR

PLANIFICAÇÃO MODULAR Direção Regional de Educação Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRA ESCOLA SECUNDÁRIA/3º DR.ª M.ª CÂNDIDA ENSINO PROFISSIONAL DE NÍVEL SECUNDÁRIO POR MÓDULOS Curso Profissional em funcionamento no âmbito

Leia mais

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR

GUIA DE FUNCIONAMENTO DA UNIDADE CURRICULAR Curso Engenharia Informática Ano letivo 2012/13 Unidade Curricular Probabilidade e Estatística ECTS 5,5 Regime Obrigatório ou opcional Ano 2º Semestre 1º sem Horas de trabalho globais Docente (s) Paulo

Leia mais

Integrado em Automação Industrial

Integrado em Automação Industrial Plano de Trabalho Docente (PTD) Integrado em Automação Industrial Ano Letivo de 2014 1 Sumário 1º Módulo COMPONENTE CURRICULAR: ELETRICIDADE BÁSICA... 5 COMPONENTE CURRICULAR: INSTALAÇÕES ELÉTRICAS...

Leia mais

PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) Guião de apresentação do pedido

PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) Guião de apresentação do pedido PEDIDO ESPECIAL DE RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE CICLO DE ESTUDOS NÃO-ALINHADO (PERA) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação do pedido Versão 1.0 março de 2015 0. Âmbito do guião e síntese

Leia mais

2º/3º/4º Semestre 2009/2010

2º/3º/4º Semestre 2009/2010 I N S T I T U T O POLITÉCNICO DE SAN T AR É M Escola Superior de Desporto de Rio Maior LICENCIATURAS em T.D., C.F.S.D. e D.N.T.A. (Opção T.P.) Desporto para Deficientes 2º/3º/4º Semestre 2009/2010 Docentes:

Leia mais

Considerando os objetivos da unidade curricular, pretende-se, com o programa apresentado, que os estudantes obtenham os resultados seguintes:

Considerando os objetivos da unidade curricular, pretende-se, com o programa apresentado, que os estudantes obtenham os resultados seguintes: AUDITORIA DO RELATO FINANCEIRO [12006] GERAL Ano Letivo: 201516 Grupo Disciplinar: Auditoria ECTS: 6,0 Regime: D, PL Semestre: S2 OBJETIVOS Com esta unidade curricular, pretende-se evidenciar a importância

Leia mais

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO DE Área de Formação 862 Segurança e Higiene no Trabalho Formação Profissional Contínua/de Especialização ÍNDICE 1- ENQUADRAMENTO... 3 2- OBJECTIVO GERAL... 4 3- OBJECTIVOS

Leia mais

REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO

REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO Guia Agenda 21 Local REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO Isabel Lico Divisão de Desempenho e Qualificação Ambiental ESTORIL 23 de Setembro de 2009 A Proposta... REQUISITOS PARA A IMPLEMENTAÇÃO Apoiar a preparação

Leia mais

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques

Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Apreenda como os Auditores Externos das diferentes Normas analisam e auditam processos Coordenador Eng.º Pedro Marques Índice Duração Total... 2 Destinatários... 2 Perfil de saída... 2 Pré-Requisitos...

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Ambiente, saúde e segurança CURSO: Curso Técnico em Meio Ambiente FORMA/GRAU: ( ) integrado ( X ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Artigo 1º (Âmbito) O presente regulamento aplica se a todos os cursos ministrados no ISEP, podendo existir casos em

Leia mais

Departamento de Ciências da Saúde LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOMÉDICAS - 2014-2015. Biologia Oral II. Designação ECTS Docentes T TP.

Departamento de Ciências da Saúde LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOMÉDICAS - 2014-2015. Biologia Oral II. Designação ECTS Docentes T TP. LICENCIATURA Ciências Biomédicas ANO/SEMESTRE UNIDADE CURRICULAR Biologia Oral II ANO LECTIVO 3 º Ano/1.º Semestre 2014/2015 ECTS DA UNIDADE HORAS DE CONTACTO 7 T:20 TP:14 RESPONSÁVEL DA UNIDADE Nuno Rosa

Leia mais

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012

PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 PROPOSTA DE CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2011/2012 1. INTRODUÇÃO: Na lógica do Decreto-Lei 6/2001, de 18 de janeiro, a avaliação constitui um processo regulador das aprendizagens, orientador do percurso escolar

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Instalador de Refrigeração e Climatização Doméstica

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de Instalador de Refrigeração e Climatização Doméstica MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Ensino Médio Integrado ao Técnico

Ensino Médio Integrado ao Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Médio Integrado ao Técnico Código: 262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Inst. e Manut. De Computadores Eixo Tecnológico:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico. Professor: Renato Custódio da Silva

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico. Professor: Renato Custódio da Silva PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Ética e Cidadania Organizacional Eixo Tecnológico: Segurança

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO ALOJAMENTO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO ALOJAMENTO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO ALOJAMENTO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Turismo 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente - 2015

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente - 2015 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça - SP Eixo Tecnológico: Controle e Processo Industrial Habilitação

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Índice. Centros de Formação Vulcano 03 Programa de Formação 04 Cursos: Esquentadores e Termoacumuladores. Aquecimento Central e A.Q.S.

Índice. Centros de Formação Vulcano 03 Programa de Formação 04 Cursos: Esquentadores e Termoacumuladores. Aquecimento Central e A.Q.S. PROGRAMA DE FORMAÇÃO 2013 Índice ENTRADA DO CENTRO DE FORMAÇÃO - AVEIRO Centros de Formação Vulcano 03 Programa de Formação 04 Cursos: Esquentadores e Termoacumuladores E1 Águas Quentes Sanitárias 04

Leia mais

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE CGD 1 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE GEE CGD S.A. 2014 2 CGD Relatório de Compensação de Emissões de GEE - CGD S.A. 2014 1.1 Introdução O Programa de Baixo Carbono, pioneiro no setor da banca

Leia mais

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países)

Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça), fundada em 1947 (normatização de 140 países) A SÉRIE ISO 14.000 A ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE NORMALIZAÇÃO (ISO) ISO => Internacional Organization for Standardization Organização de normas internacionais do setor privado, com sede em Genebra (Suíça),

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular SISTEMAS DE TELECOMUNICAÇÕES Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Engenharia Electrotécnica e de Computadores 3.

Leia mais

Documento de Divulgação Externa. Certificação de Técnicos de. Segurança Alimentar. DDE-CER-011 Ed.: 04 Data: 2011-10-10. Mod.CER.

Documento de Divulgação Externa. Certificação de Técnicos de. Segurança Alimentar. DDE-CER-011 Ed.: 04 Data: 2011-10-10. Mod.CER. Documento de Divulgação Externa Certificação de Técnicos de Segurança Alimentar Mod.CER.009-04 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 CARACTERIZAÇÃO DA CATEGORIA... 3 3 REQUISITOS DE QUALIFICAÇÃO... 3 3.1 Formação...

Leia mais

DISCIPLINA: Finanças Empresariais II Ano Lectivo: 2011/2012 3º ANO - 2º Semestre

DISCIPLINA: Finanças Empresariais II Ano Lectivo: 2011/2012 3º ANO - 2º Semestre DISCIPLINA: Finanças Empresariais II Ano Lectivo: 2011/2012 3º ANO - 2º Semestre PROGRAMA Área Científica (Secção): Finanças Coordenador: Gualter Couto Docente: Gualter Manuel Medeiros do Couto, Ph.D,

Leia mais

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE

ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE ACEF/1112/20852 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Fundação Minerva - Cultura - Ensino E Investigação

Leia mais

PROMOTOR. Parceria Científica com a UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA

PROMOTOR. Parceria Científica com a UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA PROMOTOR Parceria Científica com a UNIVERSIDADE FERNANDO PESSOA Apresentação O objetivo deste curso é proporcionar uma formação avançada, bem como a aquisição de competências e conhecimentos, de forma

Leia mais

Capítulo I Introdução à gestão da manutenção Capítulo II Terminologia, definições e conceitos

Capítulo I Introdução à gestão da manutenção Capítulo II Terminologia, definições e conceitos Prefácio XIII Nota do Autor XV Capítulo I Introdução à gestão da manutenção 1 1.1. A manutenção 2 1.2. A gestão 4 1.3. Gestão da manutenção 5 1.4. Custos de manutenção 7 1.5. Software de gestão da manutenção

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

Programa de Unidade Curricular

Programa de Unidade Curricular Programa de Unidade Curricular Faculdade Engenharia Licenciatura Engenharia Electrónica e Informática Unidade Curricular Física Geral I Semestre: 1 Nº ECTS: 6,0 Regente Carlos Alberto Rego de Oliveira

Leia mais

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO

PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO PLANO DE CURSO SIMPLIFICADO CURSO: MECÂNICO DE AR CONDICIONADO AUTOMOTIVO - PRONATEC 200 horas ÁREA: AUTOMOTIVA MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL UNIDADE(S) HABILITADA(S): CT PALMAS Plano de Curso

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DA FORMAÇÃO O presente Regulamento pretende enquadrar as principais regras e linhas de orientação pelas quais se rege a atividade formativa da LEXSEGUR, de forma a garantir

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. Jairo de Oliveira EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. Jairo de Oliveira EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Turismo, Hospitalidade e Lazer CURSO: Técnico em Hospedagem FORMA/GRAU:( X )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura (

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Área Profissional: Indústria Habilitação Profissional: Técnico de Nível Médio Técnico em Mecânica

Leia mais

O serviço Elaboramos propostas de formação de acordo com as reais necessidades dos laboratórios, sugerindo os seguintes temas:

O serviço Elaboramos propostas de formação de acordo com as reais necessidades dos laboratórios, sugerindo os seguintes temas: Form + Lab O que é? O Form + Lab é um serviço de formação criado para apoiar os laboratórios na valorização dos seus colaboradores e na resposta às necessidades do Sistema de Gestão da Qualidade. Recorrendo

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento dos cursos do ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado O presente regulamento estabelece as normas que complementam as que decorrem do regime

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO ALOJAMENTO Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO ALOJAMENTO Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO ALOJAMENTO Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Turismo 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Língua Portuguesa Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Fundamentos

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) Unidade Curricular: DIREITO CONSTITUCIONAL

Ficha de Unidade Curricular (FUC) Unidade Curricular: DIREITO CONSTITUCIONAL INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÃO DE COIMBRA Parecer do Conselho Técnico-Científico / / Parecer do Conselho Pedagógico / / Ficha de Unidade Curricular

Leia mais

Licenciaturas. Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo

Licenciaturas. Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo Licenciaturas Organização e Gestão Hoteleira Gestão de Empresas Turismo L I C E N C I A T U R A O R G A N I Z A Ç Ã O E G E S T Ã O H O T E L E I R A O B J E T I V O Formar profissionais competentes para

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES

UNIVERSIDADE DOS AÇORES UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS E DESENVOLVIMENTO CURSO ARQUITECTURA GRAMÁTICAS DE COMPOSIÇÃO E REPRESENTAÇÃO II Ano Letivo 2012. 2013 1 Ano. 2º Semestre Docente: Joana Guarda.

Leia mais

SOCIOLOGIA OBJECTO E MÉTODO

SOCIOLOGIA OBJECTO E MÉTODO Ano Lectivo 2008/2009 SOCIOLOGIA OBJECTO E MÉTODO Cursos: Licenciatura em Sociologia e Licenciatura em Sociologia e Planeamento (1º ciclo) Unidade Curricular: Sociologia Objecto e Método Localização no

Leia mais