Modulo III Service Oriented Architecture

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Modulo III Service Oriented Architecture"

Transcrição

1 Modulo III Oriented Architecture Prof. Ismael H F Santos April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 1 Bibliografia April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 2 1

2 Ementa Software Architecture SOA Evolution April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 3 SOA Software Architecture April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 4 2

3 What is Software Architecture? IEEE Software architecture is the fundamental organization of a system, embodied in its components, their relationships to each other and the environment, and the principles governing its design and evolution Other definitions of Software Architecture collection of the fundamental decisions about a software product/solution designed to meet the project s quality attributes. Includes the main components, their main attributes, and their collaboration expressed in several levels of abstraction (depending on the project's size). Architecture is the first design artifact where a system s quality attributes are addressed April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 5 Why Architecture? Architecture serves as the blueprint for the system but also for the project: Team structure Documentation organization Work breakdown structure Scheduling, planning, budgeting Unit testing, integration Architecture establishes the communication and coordination mechanisms among components April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 6 3

4 What is a? A facility supplying some public demand the work performed by one that serves HELP, USE, BENEFIT In economics and marketing, a service is the nonmaterial equivalent of a good. provision has been defined as an economic activity that does not result in ownership, and this is what differentiates it from providing physical goods. It is claimed to be a process that creates benefits by facilitating either a change in customers, a change in their physical possessions, or a change in their intangible assets. en.wikipedia.org/wiki/ April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 7 What is a service (2) A Windows? RPC Locator, EventLog, DHCP Client, Software? Distribution, Alert Security, Log Business? Common Operational Picture, Navigation Accounts Receivable, Customers April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 8 4

5 SOA SOA April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 9 SOA -oriented architecture other than its literal translation that it is an architecture that relies on serviceorientation as its fundamental design principle. orientation describes an architecture that uses loosely coupled services to support the requirements of business processes and users Architecture is not tied to a specific technology. It may be implemented using a wide range of technologies, including REST, RPC, DCOM, CORBA or Web s. April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

6 What is SOA? April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 11 SOA Definitions SOA is a design for linking business and computational resources (principally organizations, applications and data) on demand to achieve the desired results for service consumers (which can be end users or other services). OASIS (the Organization for the Advancement of Structured Information Standards) defines SOA as : A paradigm for organizing and utilizing distributed capabilities that may be under the control of different ownership domains. It provides a uniform means to offer, discover, interact with and use capabilities to produce desired effects consistent with measurable preconditions and expectations. April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

7 Origin of -Oriented Architecture IBM has created a model to depict Web services interactions which is referred to as a service-oriented architecture comprising relationships among three entities (see next slide): A Web service provider; A Web service requestor; and a A Web service broker. Note: IBM s service-oriented architecture is a generic model describing service collaboration, not specific to Web services. See April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 13 Origin of -Oriented Architecture provider Publish Bind broker Find requestor -oriented architecture representation (Courtesy of IBM Corporation) April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

8 SOA bridges the gap between the business and IT. The business disaggregates its business process models downward toward the atomic business services layer. IT aggregates software assets upward toward that layer using service-oriented integration. They meet in the middle and negotiate a consensus view of the necessary atomic business services. April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 15 SOA Aplicativo Monolítico Aplicativo Baseado em Componentes Aplicativo Composto Decomposição dos aplicativos em uma representação modular e reutilizável baseada em funções e serviços 2. Combinar as funções e serviços para atender as demandas da Empresa 3. A reutilização dos serviços para atender novas oportunidades ou ameaças de negócios. 3 Recombinar as funções e os serviços para atender novos requisitos de negócios April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

9 SOA Vision Componente de de Negócio A Componente de de Negócio B Componentes de Negócio Serviços Processos do componente de negócio A Aplicação A (Customizada) Processos do componente de negócio B Processos de Negócio (Coreografia de Processos) Serviços (Simples e compostos) Componentes de TI Aplicação B (pacote) Arquitetura de Integração Qualidade, segurança e gerenciamento April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 17 Why SOA? The main drivers for SOA adoption are that it links computational resources and promotes their reuse. Enterprise architects believe that SOA can help businesses respond more quickly and cost-effectively to changing market conditions. This style of architecture promotes reuse at the macro (service) level rather than micro level (objects). It can also simplify interconnection to - and usage of - existing IT (legacy) assets. SOA promotes the goal of separating users (consumers) from the service implementations. s can therefore be run on various distributed platforms and be accessed across networks. This can also maximize reuse of services April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

10 SOA Evolution April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 19 SOA: evolution to a more flexible TI architecture antes 1950 até para início de 2000 final 1990 hoje Arquiteturas Arquiteturas Monolíticas Monolíticas Subrotinas Subrotinas / / Remote Remote Procedure Procedure Calls Calls Invocação Invocação de de Objectos Objectos remotos remotos Processamento Processamento de de mensagem mensagem EAI EAI Serviços Serviços (SOA) (SOA) CICS Object Technologies CORBA MQSeries J2EE Webs Aumentando Modularização para alcançar Flexibilidade April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

11 SOA: evolution to a more flexible architecture April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 21 SOA: flexibility on current investments Backbone de Mensageria Conexão Ponto-a-Ponto entre aplicações Conexão simples e básica Enterprise Application Integration (EAI) EAI conecta aplicações via um hub centralizado Facilita o gerenciamento de um grande número de conexões Flexibildade Orientated Integration Integração e coreografia de serviços através do Enterprise Bus Conexões flexíveis com interfaces bem definidas e baseadas em padrões Evolução dos padrões e infraestrutura de middleware April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

12 Towards Oriented Enterprise April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 23 SOA: next connectivity step Conectividade Direta Message Queuing Message Brokering Brokering Linhas de código Conectividade, mediação & lógica adicional Aplicação Lógica de Conectividade Mediação & Lógica Adicional Aplicação Conectividade e mediação Lógica Adicional Aplicação Conectividade, mediação & lógica adicional Aplicação = agregação de SERVIÇOS Toda conectividade, mediação e lógica adicional está incluida na aplicação. Abstração da lógica de conectividade da aplicação. Abstração da lógica de conectividade e mediação da aplicação. Reduz a aplicação às suas funções de negócios (SERVIÇO) Grau de Flexibilidade e Reuso April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

13 Enterprise Bus Passo 1 Passo 2 Application Application Application Application Interface Interface Interface Application Application Application Application Interface Interface Interface Interface = interface A descrição das interfaces é voltada para negócios Retira as interfaces das aplicações de negócios Reduz o número e a complexidade técnica das interfaces Connection still is point-to-point. Permite a reutilização das aplicações e das interfaces de negócios April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 25 ESB eliminates ponito-to-pont conection Passo 2 Passo Final Interface Interface Interface Enterprise Bus Interface Interface Interface Interface Retira as conexões ponto-a-ponto das interfaces Permite um acoplamento mais flexível das aplicações Utilização de um broker para interação entre as interfaces Permite o reuso das interfaces de conexão. RESULT greater flexibility & agility April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

14 Enterprise Bus (ESB) ESB provides the mechanism for continuously adapting the portfolio of available services to accommodate shifting needs. Rather than requiring constant updates to constituent services, the ESB can adaptively mediate among them. For example, if two services use slightly different formats for their messages, the ESB can translate between them. Alternately, if a business change in one area requires a new version of a service, the ESB can route requests that require enhanced functionality to the new version while routing requests that assume only basic functionality to the old version. April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 27 ESB easily accept newcomers Travel Reservation Process NEW Check Traveler Check Credit Book Flight Adicionar novos serviços mais rápido Enterprise Bus Hotel Availability OLD Flight Flight Availability NEW Flight Availability Book Hotel Book Car Alterar serviços com pouco impacto nos serviços já existentes April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

15 ESB Separation of concerns Serviços de Conectividade (ESB) Serviços de Mediação Roteamento Mudança de transporte Mudança do modelo de programação Incremento/Manipulação de conteúdo Serviços de Transporte Garantia de entrega Entrega segura Entrega transacional Entrega gerenciável Serviços de Eventos Detecção de eventos Disparo de eventos Distribuição de eventos Complex Event Processing (CEP) MQSeries HTTP/HTTPS J AX-RPC SOAP JMS Web s Serviço A Serviço B Serviço C Serviço D MQSeries SOAP/HTTP SOAP/JMS HTTPS Request/Response Coarse Grained Fire and forget Fine Grained Request/Response Fine Grained Request/Response Coarse Grained April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 29 SOA April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

16 SOA April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 31 MudançaparaSOA De Orientado a função Construído para durar Longos ciclos de desenvolvimento Silos de aplicação Forte acoplamento Estruturação das aplicações usando componentes e objetos Implementação conhecida Para Orientado a processo Construído para mudanças Construído e implementado incrementalmente Soluções orquestradas Fraco acoplamento Estruturação das aplicações usando serviços Abstração de implementação April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

17 O que é uma aplicação? User Interaction Logic Data Logic Integration Logic Process Logic Business Rules Infrastructure Logic April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 33 Serviços de negócio Serviços de negócio Função de negócio User Interaction Logic Data Logic Integration Logic Process Logic Business Rules Integração através da desintegração Infrastructure Logic April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

18 SOA Meta-Model April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 35 Arquitetura de Referência SOA Separation of concerns Serviços de Otimização e Inovação de Negócios Facilita o processo decisório com informações do negócio em tempo real Servicços de Desenvolvimento Serviços de Interação Serviços de Processos Serviços de Informação Possibilita a colaboração entre pessoas, processos e informação Orquestração e automação de processos de negócios Gerencia dados diversos de forma unificada Gerência dos Serviços de TI Ambiente Integrado para o projeto e criação de recursos Serviços de Parceiros Conexão com parceiros de negócios Facilita a comunicação ESB entre serviços Serviços de Aplicações de Negócios Construídas em um ambiente de serviços robusto, escalável e seguro. Serviços de Acesso Facilita interações com e aplicações informações existentes Gerencia e assegura os serviços, aplicações e recursos Serviços de Infra-estrutura Otimiza throughput, disponibilidade e performance Model, Assemble Deploy Manage April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

19 SOA Echology Business dashboard Business Innovation & Optimization s Development s Interaction s Portal Process s ESB Information s Federated Query IT Management Partner s Community Manager Business App s App EJBs Access s Oracle SAP DB Adapter Adapter Access Apps & Info Assets IT impact on processes Infrastructure s April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 37 SOA Reference Model April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

20 SOA Reference Model April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 39 SOA SOA Principles April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

21 SOA Architectural Principles (1) Encapsulation Loose coupling - s maintain a relationship that minimizes dependencies and only requires that they maintain an awareness of each other contract - s adhere to a communications agreement, as defined collectively by one or more service description documents abstraction - Beyond what is described in the service contract, services hide logic from the outside world documentation - A description of a serviceoriented design must contain at least three separate uses of the phrase "business value". April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 41 SOA Architectural Principles (2) reusability - Logic is divided into services with the intention of promoting reuse composability - Collections of services can be coordinated and assembled to form composite services autonomy s have control over the logic they encapsulate optimization All else equal, high-quality services are generally considered preferable to low-quality ones discoverability s are designed to be outwardly descriptive so that they can be found and assessed via available discovery mechanisms April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

22 Granularity April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 43 SOA Java Business Integration April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

23 Pre-JBI Based Integration Approaches April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 45 What is JBI (JSR-208)? One of the biggest motivation for SOA is to reduce the cost of application integration Standard-based, pluggable infrastructure Engines: Provides business logic and integration services Binding Components: Provides communications protocols JBI does for application integration what J2EE did for application development April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

24 JBI Architecture April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 47 SOA BPM & SOA April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

25 BPM April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 49 BPM April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

26 BPM April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 51 BPM April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

27 BPM April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 53 BPM April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

28 BPM & SOA April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 55 BPM -> SOA infrastrucuture BPM provides process modeling, execution, and management components. April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

29 Layers of SOA Model April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 57 OMG - Layers of SOA Model April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

30 SOA Vendor s SOA Stack April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 59 Sun s Pragmatic SOA April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

31 Sun s Pragmatic SOA April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 61 Sun Java Composite Application Platform Suite April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

32 Sun Java Composite Application Platform Suite access A layer of presentation services that provide transparent access to multiple device types and simplify the task of integrating Web services into na enterprise portal environment composition Tools for composing Web pages with a consistent user interface and a development environment for building reusable software components that are based on Web services standards April 05 Prof. Ismael H. F. Santos - 63 Sun Java Composite Application Platform Suite orchestration Tools for business process management and assembling composite applications that can be used to create new services in support of business processes integration Legacy or packaged applications can be integrated into the SOA environment using service integration tools and pre-built adapters for commonly used enterprise applications Enterprise service bus Core integration services for connectivity, transformation, and routing are provided by the enterprise service bus April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

33 Sun s Pragmatic SOA April 05 Prof. Ismael H. F. Santos

Otimização dos processos de integração de sistemas de informação por meio de barramento de serviços

Otimização dos processos de integração de sistemas de informação por meio de barramento de serviços Otimização dos processos de integração de sistemas de informação por meio de barramento de serviços Celly de Siqueira Martins, André Lara Temple de Antonio Diretoria de Soluções em Billing Fundação CPqD

Leia mais

Alav a a v nca c n a d n o d o o o P o P d o er da I nt n e t g e r g a r çã ç o o c o c m o SOA Outubro 2011

Alav a a v nca c n a d n o d o o o P o P d o er da I nt n e t g e r g a r çã ç o o c o c m o SOA Outubro 2011 Alavancando o Poder da Integração com SOA Outubro 2011 Agenda O Grupo ewave Alavancando o Poder da Integração com SOA Direcionamento para SOA Transição para SOA Arquiteturas de Referencia A Importância

Leia mais

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas

Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Abstraindo as Camadas de SOA & Aplicações Compostas Serviço Service Requisitante Consumer Service Serviço Provider Provedor consumidores processos business e processes negócios Coreografia process choreography

Leia mais

Roadmap e Arquitetura SOA

Roadmap e Arquitetura SOA Roadmap e Arquitetura SOA São Paulo, Setembro de 2006 0000 2006 Accenture Todos os direitos reservados. Accenture, seu logotipo e Accenture Resultado Alta Performance são marcas registradas da Accenture.

Leia mais

Cloud para o Brasil Cloud Services

Cloud para o Brasil Cloud Services Cloud para o Brasil Como as ofertas da Capgemini endereçam os principais pontos levantados pela pesquisa exclusiva We orchestrate your Cloud Services Current Market Situation with Cloud 2 Current Market

Leia mais

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425 CMDB no ITIL v3 Miguel Mira da Silva mms@ist.utl.pt 919.671.425 1 CMDB v2 Configuration Management IT components and the services provided with them are known as CI (Configuration Items) Hardware, software,

Leia mais

Juliano Sulzbach. Consultor de Vendas Oracle Regional Sul

Juliano Sulzbach. Consultor de Vendas Oracle Regional Sul Juliano Sulzbach Consultor de Vendas Oracle Regional Sul GUO-RS Oracle BPEL Process Manager Agenda Introdução Oracle BPEL Process Manager Rápida revisão Demonstrações Agenda Introdução Oracle BPEL Process

Leia mais

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java

Tese / Thesis Work Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Licenciatura em Engenharia Informática Degree in Computer Science Engineering Análise de desempenho de sistemas distribuídos de grande porte na plataforma Java Performance analysis of large distributed

Leia mais

Gestão de Processos de Negócio

<Insert Picture Here> Gestão de Processos de Negócio Gestão de Processos de Negócio Susana Santos Principal Sales Consultant Agenda Quais os Desafios Business Process Management Modelação Execução Interacção Humana Monitorização Resumo

Leia mais

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 -

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - Glossário BiSL Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - 1. Glossário de Terminologia Terminologia em Inglês Terminologia em Português BiSL processes Processos de BiSL Business data management

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

Curso CP100A - Google Cloud Platform Fundamentals (8h)

Curso CP100A - Google Cloud Platform Fundamentals (8h) Curso CP100A - Google Cloud Platform Fundamentals (8h) Este curso virtual liderado por um instrutor, com 8 horas de duração, introduz os participantes aos produtos e serviços do Google Cloud Platform.

Leia mais

SOA-1: Fundamentos da Arquitetura Orientada a Serviços. Douglas Charcon System Engineer

SOA-1: Fundamentos da Arquitetura Orientada a Serviços. Douglas Charcon System Engineer SOA-1: Fundamentos da Arquitetura Orientada a Serviços Douglas Charcon System Engineer Agenda Direcionadores de Negócios Arquitetura Orientada a Serviços Enterprise Service Bus Enhanced SOA Resumo 2 Busca

Leia mais

inlux Desvende o seu IT

inlux Desvende o seu IT inlux Desvende o seu IT Luís Ganhão Sales Consultant Manager Ask not what your Country can do for you Ask what you can do for your Country John F. Kennedy, Washington, 20 de Janeiro

Leia mais

OVERVIEW DO EAMS. Enterprise Architecture Management System 2.0

OVERVIEW DO EAMS. Enterprise Architecture Management System 2.0 OVERVIEW DO EAMS Enterprise Architecture Management System 2.0 NETWORKS @arqcorp_br #eamsrio http://arquiteturacorporativa.wordpress.com/ WE MANAGE KNOWLEDGE, WITH YOU Arquitetura Empresarial Repositório

Leia mais

Fábio Rosato Professional Services Manager fabio.rosato@sensedia.com @frosato. confidential www.sensedia.com 1

Fábio Rosato Professional Services Manager fabio.rosato@sensedia.com @frosato. confidential www.sensedia.com 1 Fábio Rosato Professional Services Manager fabio.rosato@sensedia.com @frosato confidential www.sensedia.com 1 Sobrea Sensedia Nosso core é Arquitetura de TI: Serviços & Ferramentas Ajudamos empresas a

Leia mais

Project Management Activities

Project Management Activities Id Name Duração Início Término Predecessoras 1 Project Management Activities 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 2 Plan the Project 36 dias Sex 05/10/12 Sex 23/11/12 3 Define the work 15 dias Sex 05/10/12

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Como Dinamizar as Atividades de BPM com uma Robusta Infraestrutura SOA

<Insert Picture Here> Como Dinamizar as Atividades de BPM com uma Robusta Infraestrutura SOA Como Dinamizar as Atividades de BPM com uma Robusta Infraestrutura SOA 2 The following is intended to outline our general product direction. It is intended for information purposes

Leia mais

INT-3: Realistic Service Oriented Architecture Approaches Michael Boyd & Bernard Bresser

INT-3: Realistic Service Oriented Architecture Approaches Michael Boyd & Bernard Bresser Abordagens Realistas da Arquitetura Orientada a Serviços Rodrigo Baptista e Paulo Costa Progress Software Abordagens Realistas de SOA O que você verá Como implementar uma Arquitetura Orientada a Serviços

Leia mais

Fase 1: Engenharia de Produto

Fase 1: Engenharia de Produto Fase 1: Engenharia de Produto Disciplina: Análise de Requisitos DURAÇÃO: 44 h O objetivo principal da disciplina é realizar uma análise das necessidades e produzir um escopo do produto. Representará os

Leia mais

Arquiteturas Orientadas a Serviços ESB. Enterprise Service Bus. Prof. Ricardo J. Rabelo DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos

Arquiteturas Orientadas a Serviços ESB. Enterprise Service Bus. Prof. Ricardo J. Rabelo DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos ESB Enterprise Service Bus Prof. Ricardo J. Rabelo DAS5316 Integração de Sistemas Corporativos Resumo Introdução Definição Problemas atuais e Vantagens Evolução do ESB ESB versus EAI, MOM, Workfow, SOA

Leia mais

João Matias. Managing Director Oracle Portugal

João Matias. Managing Director Oracle Portugal João Matias Managing Director Oracle Portugal Pontos de Partida. Para onde Vamos? Evolução. Estratégia. Desafios. A vida começa aos quarenta... Evolução O passado recente dos ambientes de IT Best of Breed

Leia mais

Arquitecturas Orientadas a Serviços - SOA. Artur Alves Sun Microsystems Portugal

Arquitecturas Orientadas a Serviços - SOA. Artur Alves Sun Microsystems Portugal Arquitecturas Orientadas a Serviços - SOA Artur Alves Sun Microsystems Portugal Introdução: Sun Java Enterprise System... Oferta de Middleware da Sun: Arquitectura de Web Services, Identity Management

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS

ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS ESPECIFICAÇÃO DO AMBIENTE EXPSEE SEGUNDO O MÉTODO CATALYSIS RESUMO Este artigo apresenta a especificação de um sistema gerenciador de workflow, o ExPSEE, de acordo com a abordagem de desenvolvimento baseado

Leia mais

soluções transversais SOLUÇÕES middleware

soluções transversais SOLUÇÕES middleware soluções transversais SOLUÇÕES middleware RESUMO DA SOLUÇÃO ITbank framework 4g performance orquestração interoperabilidade O Middleware SOA ITBank framework 4g implementa uma arquitetura SOA com orquestração

Leia mais

Software AG. Digitalização dos Serviços Públicos. Luiz Mariotto VP Soluções e Tecnologia. 2013 Software AG. All rights reserved.

Software AG. Digitalização dos Serviços Públicos. Luiz Mariotto VP Soluções e Tecnologia. 2013 Software AG. All rights reserved. Software AG Digitalização dos Serviços Públicos Luiz Mariotto VP Soluções e Tecnologia COLLABORATIVE PROCESS ANALYSIS PORTFOLIO MANAGEMENT PROCESS AUTOMATION AND INTEGRATION INTELLIGENT BUSINESS OPERATIONS

Leia mais

Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas)

Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas) Information technology specialist (systems integration) Especialista em tecnologia da informação (integração de sistemas) Professional activities/tasks Design and produce complex ICT systems by integrating

Leia mais

Introdução a Web Services

Introdução a Web Services Introdução a Web Services Mário Meireles Teixeira DEINF/UFMA O que é um Web Service? Web Service / Serviço Web É uma aplicação, identificada por um URI, cujas interfaces podem ser definidas, descritas

Leia mais

Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment

Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment Analysis, development and monitoring of business processes in Corporate environment SAFIRA is an IT consulting boutique known for transforming the way organizations do business, or fulfil their missions,

Leia mais

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures

Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures GeoInfo - 2006 Interoperability through Web Services: Evaluating OGC Standards in Client Development for Spatial Data Infrastructures Leonardo Lacerda Alves Clodoveu A. Davis Jr. Information Systems Lab

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa Prof. Marcelo de Sá Barbosa MÓDULO 6: Sistemas distribuídos baseados em coordenação. Coordenação de serviços Web Coordenação de serviços Web A infraestrutura SOAP suporta interações requisiçãoresposta

Leia mais

DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES. Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES. Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos DISTRIBUTED SYSTEMS ARCHITECTURES Ian Sommerville, 8º edição Capítulo 12 Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos Explicar as vantagens e desvantagens das arquiteturas de sistemas distribuídos

Leia mais

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing Kern, Bryan; B.S.; The State University of New York at Oswego kern@oswego.edu Tavares, Tatiana; PhD;

Leia mais

Unindo o Poder do Sonic, DataXtend SI, e Actional para as Operações SOA

Unindo o Poder do Sonic, DataXtend SI, e Actional para as Operações SOA Unindo o Poder do Sonic, DataXtend SI, e Actional para as Operações SOA Unindo forças Renato Rissardi Solution Engineer Agenda Progress SOA Portfolio Unindo forças? Que forças? Sonic Enterprise Service

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Web Services. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br

Sistemas Distribuídos. Web Services. Edeyson Andrade Gomes. www.edeyson.com.br Sistemas Distribuídos Web Services Edeyson Andrade Gomes www.edeyson.com.br SUMÁRIO Visão geral Arquitetura Web Services Desenvolvimento 2 Visão Geral Web Services Usados para disponibilizar serviços na

Leia mais

Uma arquitetura de software para mediação flexível de Web services

Uma arquitetura de software para mediação flexível de Web services Marcos Cesar da Silva Uma arquitetura de software para mediação flexível de Web services Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre pelo Programa

Leia mais

A sua Organização já está preparada para o novo Código dos Contratos Públicos (CCP, DL 18/2008)?

<Insert Picture Here> A sua Organização já está preparada para o novo Código dos Contratos Públicos (CCP, DL 18/2008)? A sua Organização já está preparada para o novo Código dos Contratos Públicos (CCP, DL 18/2008)? Sessão Aberta Homero Silveira - Sector Público e Saúde Contratação Pública agenda

Leia mais

SINS: um Ambiente para Geração de Aplicações baseadas em Serviços

SINS: um Ambiente para Geração de Aplicações baseadas em Serviços SINS: um Ambiente para Geração de Aplicações baseadas em Serviços Sérgio Larentis Júnior, Jorge Luis Victória Barbosa, Sérgio Crespo Coelho da Silva Pinto, Andrêsa Vargas Larentis Programa Interdisciplinar

Leia mais

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição 15 2 Conceitos relativos a Web services e sua composição A necessidade de flexibilidade na arquitetura das aplicações levou ao modelo orientado a objetos, onde os processos de negócios podem ser representados

Leia mais

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos

Web Services. Integração de aplicações na Web. Sistemas Distribuídos Web Services Integração de aplicações na Web Integração de Aplicações na Web Interoperação entre ambientes heterogêneos desafios diversidade de componentes: EJB, CORBA, DCOM... diversidade de linguagens:

Leia mais

Web Services. (Introdução)

Web Services. (Introdução) Web Services (Introdução) Agenda Introdução SOA (Service Oriented Architecture) Web Services Arquitetura XML SOAP WSDL UDDI Conclusão Introdução Comunicação distribuída Estratégias que permitem a comunicação

Leia mais

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas BPM e SOA Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Como funcionam as organizações? O que ébpm Business Process Management (BPM)

Leia mais

SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços

SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços SINS: Um ambiente para geração de aplicações baseadas em serviços Sérgio Larentis Jr (Unisinos) Andrêsa Larentis (Unisinos) Jorge Barbosa (Unisinos) Sérgio Crespo C. S. Pinto (Unisinos) SBSI 2008 Roteiro

Leia mais

Dynamic Data Center. A infra-estrutura de suporte às SOA. Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers

Dynamic Data Center. A infra-estrutura de suporte às SOA. Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers Dynamic Data Center A infra-estrutura de suporte às SOA Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers As necessidades do negócio pressionam continuamente as infra-estruturas

Leia mais

Transações no Mundo SOA. Luciano Oliveira Solution Consultant

Transações no Mundo SOA. Luciano Oliveira Solution Consultant Transações no Mundo SOA Luciano Oliveira Solution Consultant Agenda Definição Através do Tempo Transações com Bancos Distribuídos Transações em SOA Compensação Coordenador Gerenciado vs. Não-Gerenciado

Leia mais

desenvolvimento de software em indústria, comunidades acadêmicas e científicas uma fábrica de software?... joa@ufrpe.br silvio@cesar.org.

desenvolvimento de software em indústria, comunidades acadêmicas e científicas uma fábrica de software?... joa@ufrpe.br silvio@cesar.org. desenvolvimento de software em indústria, comunidades acadêmicas e científicas uma fábrica de software?... joa@ufrpe.br silvio@cesar.org.br laboratórios de desenvolvimento... Produção de Software: histórico

Leia mais

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps

Digital Cartographic Generalization for Database of Cadastral Maps Mariane Alves Dal Santo marianedalsanto@udesc.br Francisco Henrique de Oliveira chicoliver@yahoo.com.br Carlos Loch cloch@ecv.ufsc.br Laboratório de Geoprocessamento GeoLab Universidade do Estado de Santa

Leia mais

Obtendo Qualidade com SOA

Obtendo Qualidade com SOA Obtendo Qualidade com SOA Daniel Garcia Gerente de Prática BPM/SOA daniel.garcia@kaizen.com.br 11 de Novembro de 2009 Copyright 2009 Kaizen Consultoria e Serviços. All rights reserved Agenda Sobre a Kaizen

Leia mais

Serviços: API REST. URL - Recurso

Serviços: API REST. URL - Recurso Serviços: API REST URL - Recurso URLs reflectem recursos Cada entidade principal deve corresponder a um recurso Cada recurso deve ter um único URL Os URLs referem em geral substantivos URLs podem reflectir

Leia mais

Websphere ESB Caminho para Adopção

Websphere ESB Caminho para Adopção Websphere ESB Caminho para Adopção Websphere ESB: Que desafios para o Negócio? Adaptar rapidamente os meus processos Fusão de organizações Internacionalização Deslocalização Mudança no negócio Novas regras

Leia mais

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez IT Governance e ISO/IEC 20000 Susana Velez Desafios de TI Manter TI disponível Entregar valor aos clientes Gerir os custos de TI Gerir a complexidade Alinhar TI com o negócio Garantir conformidade com

Leia mais

Ferramentas unificadas de SOA alinham negócios e TI IDG Research aponta grandes ganhos potenciais a partir de uma solução integrada

Ferramentas unificadas de SOA alinham negócios e TI IDG Research aponta grandes ganhos potenciais a partir de uma solução integrada Insight completo sobre IDG/Oracle Relatório de pesquisa de SOA Ferramentas unificadas de SOA alinham negócios e TI IDG Research aponta grandes ganhos potenciais a partir de uma solução integrada Alinhamento

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Engenharia de Requisitos. Professor: Dr. Eduardo Santana de Almeida Universidade Federal da Bahia esa@dcc.ufba.br

Engenharia de Requisitos. Professor: Dr. Eduardo Santana de Almeida Universidade Federal da Bahia esa@dcc.ufba.br Engenharia de Requisitos Professor: Dr. Eduardo Santana de Almeida Universidade Federal da Bahia esa@dcc.ufba.br O Documento de Requisitos Introdução The requirements for a system are the descriptions

Leia mais

Redes de Próxima Geração

Redes de Próxima Geração Mestrados Integrados Aveiro, 23 Abril 2008 Redes de Próxima Geração Susana Sargento (http://www.av.it.pt/ssargento/) em cooperação com vários colegas 2005, it - instituto de telecomunicações. Todos os

Leia mais

Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial

Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial Padrões Abertos, Componentização e SOA A chave para a evolução e criação de uma nova geração de sistemas de gestão comercial Sindo V. Dias Antônio C. Mosca Rogério A. Rondini Agenda Cenário do Setor de

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 14 SOA e ESB Service-Oriented

Leia mais

SOA: Service-oriented architecture

SOA: Service-oriented architecture SOA: Service-oriented architecture Roteiro Breve História O que é Arquitetura de Software? O que é SOA? Serviços Infraestrutura Composição Sua empresa está preparada para SOA? Breve História Uma empresa

Leia mais

Integração Empresarial / Abordagem Estratégica

Integração Empresarial / Abordagem Estratégica Integração Empresarial / Abordagem Estratégica Enterprise Integration Billing Service Customer Representative Situação Inicial Sales Portal Customer Enterprise Systems Accounting Order Processing BSD Customer

Leia mais

Uma introdução sobre Frameworks de Desenvolvimento

Uma introdução sobre Frameworks de Desenvolvimento Uma introdução sobre Frameworks de Desenvolvimento Waldemir Cambiucci Arquiteto de Soluções Microsoft Brasil twitter.com/wcamb ogs.msdn.com/wcamb 1 Agenda Ferramentas de produtividade Questões sobre frameworks

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB

CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB CONSTRUÇÃO DE APLICAÇÕES DISTRIBUÍDAS UTILIZANDO SERVIÇOS WEB Deusa Cesconeti e Jean Eduardo Glazar Departamento de Ciência da Computação Faculdade de Aracruz UNIARACRUZ {dcescone, jean}@fsjb.edu.br RESUMO

Leia mais

SAP Business One, version for HANA. Ralph Oliveira

SAP Business One, version for HANA. Ralph Oliveira SAP Business One, version for HANA Ralph Oliveira Informação Certa Hora Certa O Que é BI?? Pessoa Certa Dados Informação O Que é BI?? Conhecimento Otimizar Processos Conhecer o Cliente O Que é BI?? Efetividade

Leia mais

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainware» company www.iportalmais.pt. Manual

Easy Linux! FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL. IPortalMais: a «brainware» company www.iportalmais.pt. Manual IPortalMais: a «brainware» company FUNAMBOL FOR IPBRICK MANUAL Easy Linux! Title: Subject: Client: Reference: Funambol Client for Mozilla Thunderbird Doc.: Jose Lopes Author: N/Ref.: Date: 2009-04-17 Rev.:

Leia mais

Service Oriented Architectures

Service Oriented Architectures Service Oriented Architectures Uma abordagem evolutiva Manager, IT Middleware Vodafone Portugal Mario.saraiva@vodafone.com Agenda 1. O desafio da Integração O princípio do Middleware, ActiveWorks e Middleware

Leia mais

Participatory Map of Rio de Janeiro

Participatory Map of Rio de Janeiro Leandro Gomes Souza Geographer Luiz Roberto Arueira da Silva Director of City Information Pereira Passos Institute - City of Rio de Janeiro About us Pereira Passos Institute (IPP) is Rio de Janeiro municipal

Leia mais

IBM MobileFirst: Identificando e Capturando novas oportunidades de negócio

IBM MobileFirst: Identificando e Capturando novas oportunidades de negócio IBM MobileFirst: Identificando e Capturando novas oportunidades de negócio Eduardo Macedo Curro Gerente de Soluções de Mobilidade 2014 IBM Corporation 1 Quais são as principais tendências do mercado de

Leia mais

Grupo de Arquitetos Microsoft Brasil

Grupo de Arquitetos Microsoft Brasil Grupo de Arquitetos Microsoft Brasil Luciano Condé Markus Christen Otávio Pecego Coelho Waldemir Cambiucci Azure Academy Waldemir Cambiucci Arquiteto de Soluções Microsoft Brasil http://blogs.msdn.com/wcamb

Leia mais

SAP Cloud for Analytics. Alexandre Ribeiro

SAP Cloud for Analytics. Alexandre Ribeiro SAP Cloud for Analytics Alexandre Ribeiro Meu nome é Alexandre Ribeiro Presales Specialist SAP Brasil 2 3 Por que o Dados Analítico na Nuvem? Nos próximos 2 Anos 36% Já migrou ou irá migrar para BI na

Leia mais

Introduction to Network Design and Planning

Introduction to Network Design and Planning Introduction to Network Design and Planning Joao.Neves@fe.up.pt 1 In the Beginning... The project of a Network was the result of the inspiration of a guru or an "artist" (after all was considered an art...)

Leia mais

IBM Software Group. Tendências Tecnológicas. Marcos Panichi IM & WebSphere Executive, panichi@br.ibm.com. Intelligent

IBM Software Group. Tendências Tecnológicas. Marcos Panichi IM & WebSphere Executive, panichi@br.ibm.com. Intelligent IBM Software Group Tendências Tecnológicas Marcos Panichi IM & WebSphere Executive, panichi@br.ibm.com Intelligent Interconnected Instrumented Uma nova realidade A forma na qual pessoas, organizações e

Leia mais

DATA: 06/05/2015 AUDITÓRIO: ESTRATÉGIA E GESTÃO TEMA: INFORMAÇÕES NÃO FALTAM: O QUE FAZER COM ELAS? PALESTRANTE: FERNANDO LEMOS

DATA: 06/05/2015 AUDITÓRIO: ESTRATÉGIA E GESTÃO TEMA: INFORMAÇÕES NÃO FALTAM: O QUE FAZER COM ELAS? PALESTRANTE: FERNANDO LEMOS DATA: 06/05/2015 AUDITÓRIO: ESTRATÉGIA E GESTÃO TEMA: INFORMAÇÕES NÃO FALTAM: O QUE FAZER COM ELAS? PALESTRANTE: FERNANDO LEMOS Copyright 2014 Oracle and/or its affiliates. All rights reserved. Inovando

Leia mais

Governança: Base para Agilidade no. Rodolpho Ugolini Neto rugolini@br.ibm.com

Governança: Base para Agilidade no. Rodolpho Ugolini Neto rugolini@br.ibm.com Governança: Base para Agilidade no Desenvolvimento de Software Rodolpho Ugolini Neto rugolini@br.ibm.com O que é governança? Estabelece a cadeia de responsabilidades, d autoridade e comunicação para empossar

Leia mais

Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio

Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio Web Services como Tecnologia de Suporte a Processos de Negócio Rodrigo C. Macedo, Vasco Mesquita, Artur Caetano, André Vasconcelos, José Tribolet Centro de Engenharia Organizacional, INESC INOV e Departamento

Leia mais

Web Services. Ambientes de Desenvolvimento Avançados. Aula 16 Engenharia Informática. http://www.dei.isep.ipp.pt/~jtavares/adav/adav.

Web Services. Ambientes de Desenvolvimento Avançados. Aula 16 Engenharia Informática. http://www.dei.isep.ipp.pt/~jtavares/adav/adav. Ambientes de Desenvolvimento Avançados http://www.dei.isep.ipp.pt/~jtavares/adav/adav.htm Aula 16 Engenharia Informática 2004/2005 José António Tavares jrt@isep.ipp.pt 1 Web Services 2 1 Conteúdo Introdução

Leia mais

Tecnologia da Informação em Saúde. Consulado Americano no Brasil. Altino Ribeiro Leitão Gerente-geral de Informação e Sistemas 17 de Setembro de 2014

Tecnologia da Informação em Saúde. Consulado Americano no Brasil. Altino Ribeiro Leitão Gerente-geral de Informação e Sistemas 17 de Setembro de 2014 Tecnologia da Informação em Saúde Consulado Americano no Brasil Altino Ribeiro Leitão Gerente-geral de Informação e Sistemas 17 de Setembro de 2014 Missão Institucional da ANS Promover a defesa do interesse

Leia mais

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing

A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Marcello de Lima Azambuja A Cloud Computing Architecture for Large Scale Video Data Processing Dissertação de Mestrado Dissertation presented to the Postgraduate Program in Informatics of the Departamento

Leia mais

Orquestração de aplicações OpenEdge com Sonic

Orquestração de aplicações OpenEdge com Sonic Orquestração de aplicações OpenEdge com Sonic OpenEdge e o ESB... Renato L. Rissardi System Engineer Objetivos Orquestração de aplicações OpenEdge com Sonic Introdução aos produtos Sonic Como ABL interage

Leia mais

Aplicação de Métodos baseado em Processos de Negócio para Desenvolvimento de Serviços

Aplicação de Métodos baseado em Processos de Negócio para Desenvolvimento de Serviços Aplicação de Métodos baseado em Processos de Negócio para Desenvolvimento de Serviços Luan Lima 1, Ricardo Diniz Sul 1,2, Leonardo Guerreiro Azevedo 1,2,3 1 Departamento de Informática Aplicada (DIA) Universidade

Leia mais

R/3 e SAP WAS. 8/28/2003 José Alves Marques. R/3 e SAP WAS(2)

R/3 e SAP WAS. 8/28/2003 José Alves Marques. R/3 e SAP WAS(2) R/3 e SAP WAS O R/3 é um ERP Enterprise Resource Planning Um ERP é o sistema empresarial que disponibiliza módulos para os processos de negócio - de uma empresa Um ERP permite aumentar a eficiência dos

Leia mais

Ontology Building Process: The Wine Domain

Ontology Building Process: The Wine Domain Ontology Building Process: The Wine Domain João Graça, Márcio Mourão, Orlando Anunciação, Pedro Monteiro, H. Sofia Pinto, and Virgílio Loureiro Summary Context Ontology Wine Domain Existing Wine Ontologies

Leia mais

Aplication blackboxing

Aplication blackboxing Aplication blackboxing Além da mentalidade monolítica Diogo Terror escalabilidade de código? escalabilidade de código! Diogo Terror Real Terror Estamos contratando recrutamento@boo-box.com Features++

Leia mais

Linha de Produto para BPM

Linha de Produto para BPM Linha de Produto para BPM Prof. Dr. Marcelo Fantinato m.fantinato@usp.br Sistemas de Informação, EACH/USP Agenda Fundamentos LP para BPM Estabelecimento de Contratos Exemplo de Aplicação Trabalhos em Andamento/Próximos

Leia mais

SAP BASIS O curso completo abrange dois módulos:

SAP BASIS O curso completo abrange dois módulos: SAP BASIS O curso completo abrange dois módulos: - SAP FOUNDATIONS (40 horas EAD) - BASIS (40 horas presenciais), tendo como pré requisito o módulo SAP FOUNDATIONS * Conteúdo Módulo SAP FOUNDATIONS (40

Leia mais

Tendências da Arquitetura na Produção de Software

Tendências da Arquitetura na Produção de Software Tendências da Arquitetura na Produção de Software Prof. Dr. Ivanir Costa icosta11@terra.com.br mai-08 IC TECNOLOGIA EM SOFTWARE LTDA 1 Prof. Dr. Ivanir Costa Bacharel em Física pela USP Pós-Graduado em

Leia mais

Business Process Management «A Era da Agilidade»

Business Process Management «A Era da Agilidade» Business Process Management «A Era da Agilidade» Carlos Vasconcelos Pre Sales Manager cvasconcelos@datacomp.pt www.datacomp.pt Lisboa, 30 de Setembro de 2008 Evento IDC: BPM & BI Centro Cultural de Belém

Leia mais

C o m p o s i t e A p p l i c a t i o n M a n a g e m e n t

C o m p o s i t e A p p l i c a t i o n M a n a g e m e n t EUGENIOf@br.ibm.com IT Specialist Pre Sales Support (55 11) 2132-7793 C o m p o s i t e A p p l i c a t i o n M a n a g e m e n t 2005 IBM Corporation Tendências da Infra-Estrutura Complexidade Alterações

Leia mais

Integrated Network Operations Support System ISO 9001 Certified A Plataforma Integradora Integrated Platform O INOSS V2 é uma poderosa plataforma de operação e gestão centralizada de redes e serviços de

Leia mais

Web services. Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML.

Web services. Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML. Web services Um web service é qualquer software que está disponível através da Internet através de uma interface XML. XML é utilizado para codificar toda a comunicação de/para um web service. Web services

Leia mais

Calendarização Cursos Microsoft Exclusivos para a ACSS

Calendarização Cursos Microsoft Exclusivos para a ACSS Calendarização Cursos Microsoft Exclusivos para a ACSS Curso Datas Lisboa Datas Porto Datas Coimbra Workshop SharePoint 2007 Developer Planning, Deploying and Managing Microsoft System Center Configuration

Leia mais

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços ADILSON FERREIRA DA SILVA Centro Paula Souza São Paulo Brasil afs.software@gmail.com Prof.a. Dr.a. MARILIA MACORIN DE AZEVEDO Centro

Leia mais

Arquitetura Orientada a Serviço

Arquitetura Orientada a Serviço Arquitetura Orientada a Fabio Perez Marzullo IEEE Body of Knowledge on Services Computing Sponsored by Technical Committee on Services Computing, IEEE Computer Society 1 SOA e Web Services SOA é um modelo

Leia mais

Integração Orientada a Serviços

Integração Orientada a Serviços Integração Orientada a Serviços Porto Alegre, Agosto de 2006 Agenda Sobre a e-core SOA O que é? Web Services x SOA Principal Motivação - Integração SOI ESB BPEL JBI ServiceMix Solução Proposta A Empresa

Leia mais

Cloud Computing. Provendo valor ao negócio através da Gerência de Serviços Automatizada. Gerson Sakamoto gsakamoto@br.ibm.com

Cloud Computing. Provendo valor ao negócio através da Gerência de Serviços Automatizada. Gerson Sakamoto gsakamoto@br.ibm.com Cloud Computing Provendo valor ao negócio através da Gerência de Serviços Automatizada Gerson Sakamoto gsakamoto@br.ibm.com 1 Definição de Computação em Nuvem Computação em Nuvem é um novo modelo de aquisição

Leia mais

Meu CIO trouxe um tablet. E agora? Autenticando o usuário e o dispositivo. Fernando Indech Systems Engineer

Meu CIO trouxe um tablet. E agora? Autenticando o usuário e o dispositivo. Fernando Indech Systems Engineer Meu CIO trouxe um tablet. E agora? Autenticando o usuário e o dispositivo Fernando Indech Systems Engineer 1 Agenda 1 2 3 4 Mobilidade voltada ao negócio Confiança no Dispositivo e Usuário Soluções Q&A

Leia mais

Microsoft. Driving Better Business Performance. André Amaral aamaral@microsoft.com

Microsoft. Driving Better Business Performance. André Amaral aamaral@microsoft.com Microsoft Driving Better Business Performance André Amaral aamaral@microsoft.com Business Intelligence Improving business insight A broad category of applications and technologies for gathering, storing,

Leia mais

design para a inovação social

design para a inovação social design para a inovação social mestrado em design - 15 16 universidade de aveiro gonçalo gomes março de 2016 s.1 ergonomia ergonomia > definição Ergonomia A ergonomia (do grego "ergon": trabalho; e "nomos":

Leia mais

Produzindo Valor com Gerenciamento do Ciclo de Vida de Aplicativos Delivering Value with Application Lifecycle Management (ALM)

Produzindo Valor com Gerenciamento do Ciclo de Vida de Aplicativos Delivering Value with Application Lifecycle Management (ALM) Produzindo Valor com Gerenciamento do Ciclo de Vida de Aplicativos Delivering Value with Application Lifecycle Management (ALM) Clementino de Mendonça Senior Development Consultant Microsoft Services O

Leia mais

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410

APRESENTAÇÃO. ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 APRESENTAÇÃO ABNT CB-3 Comitê Brasileiro de Eletricidade Comissão de Estudo CE 03:064.01 Instalações Elétricas de Baixa Tensão NBR 5410 Instalações elétricas de baixa tensão NBR 5410:1997 NBR 5410:2004

Leia mais

Disciplina: Automação de Processos de Negócio

Disciplina: Automação de Processos de Negócio Disciplina: Automação de Processos de Negócio PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROCESSOS DE NEGÓCIO Professor: Eros Viggiano Ementa da disciplina Viabilização da otimização de processo através da

Leia mais