2011 RELATÓRIO ANUAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2011 RELATÓRIO ANUAL"

Transcrição

1 RELATÓRIO ANUAL2011

2

3 ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE 2 UMA MENSAGEM DO NOSSO CEO 7 NOSSA EMPRESA 16 DESTAQUES DE NOSSAS LINHAS DE NEGÓCIOS 45 NOSSA PRESENÇA REGIONAL 55 NOSSAS PESSOAS, NOSSA ABORDAGEM 71 GOVERNANÇA CORPORATIVA 74 RESUMO DE RESULTADOS

4 UMA MENSAGEM M DO NOSSO CEO CEO EM DO NOSSO UMA MENSAGEM DO NOSSO CEO UMA MENSAGEM SERGE SCHOEN CHIEF EXECUTIVE OFFICER E MEMBRO DO CONSELHO DELIBERATIVO Em 2011, tivemos um desempenho excepcional dentro de um ambiente de grandes desafios para a Louis Dreyfus Commodities. 2 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

5 Novamente, mostramos nossa capacidade de construir uma história de sucesso de longo prazo. Este foi mais um ano, num ciclo de cinco, em que apresentamos crescimento com lucro e um período de investimentos na construção do futuro de nossa empresa. Nosso principal objetivo para o futuro é construir um projeto de longo prazo, ao mesmo tempo que continuamos crescendo a um ritmo mais acelerado que o mercado e entregamos lucro aos nossos acionistas. Queremos poder alimentar e vestir pessoas em todo o mundo, conectando o campo à mesa. Obviamente, testemunhamos mercado e economia em queda em 2011, e todo o setor vem operando em condições extremamente desafiadoras. Por outro lado, nosso negócio é fundamentalmente resiliente, e acredito na nossa capacidade de identificar e aproveitar as oportunidades de crescimento que se apresentam no cenário atual. 2011: um novo ano de recordes A Louis Dreyfus Commodities é a soma de duas instituições com características únicas: a LDC Core e a LDC Santa Elisa. De um lado, temos a LDC Core, que inclui os Segmentos de Proteínas, Produtos Tropicais e Outros, e atua na produção, processamento e comercialização integrada de diversas commodities em todo o mundo. Do outro lado, está a LDC Santa Elisa, uma empresa de processamento de cana-de- -açúcar sediada no Brasil, que opera 13 usinas. O ano de 2011 foi recorde para a LDC Core, com impressionantes 7% de crescimento em volume, ano sobre ano; bem como um avanço de 12% em margem bruta, com um EBT de mais de US$ 1,1 bilhão, mantendo os mesmos níveis de desempenho que tivemos em Nosso modelo de diversificação provou sua força, com o EBT distribuído de forma equilibrada entre os segmentos de Proteínas e de Produtos Tropicais. Tais resultados foram alcançados em condições macroeconômicas desafiadoras, que tiveram forte impacto sobre todo o setor. De fato, em 2011, a economia mundial entrou em um período difícil, caracterizado significativamente por maior risco e fragilidade. O turbilhão financeiro gerado pela crise fiscal na Europa alastrou-se e afetou tanto países emergen-ergentes como economias mais desenvolvidas, criando condições desfavoráveis. Como resultado, houve uma desaceleração do crescimento global e do comércio internacional. Apesar desse contexto, conseguimos melhorar tanto a qualidade quanto a quantidade de nossas fontes de financiamento, em especial com a contratação de novos financiamentos e alongamento amento de nosso perfil de dívida. Como todo o segmento sucroalcooleiro no Brasil, a LDC Santa Elisa foi afetada pela quebra da safra de cana-de-açúcar decorrente de fatores climáticos. Mesmo assim, a empresa conseguiu alcançar uma margem EBITDA superior a outras empresas de seu setor, tendo registrado um EBITDA de R$ 1.450, conforme as normas contábeis brasileiras. A repentina valorização do dólar perante o real, ocorrida no segundo semestre, teve um significativo impacto negativo na conversão do resultado e lucro da LDC-SEV. Apesar das dificuldades pontuais, acredito firmemente no futuro do setor de processamento de cana-de-açúcar no Brasil e na capacidade acidade da LDC Santa Elisa de superar suas concorrentes. Em 2011, a empresa começou a se reestruturar, reforçando sua organização e melhorando seus processos industriais e agrícolas para os próximos anos. Tenho, portanto, plena confiança na capacidade de recuperação da empresa e acredito que vamos voltar a obter bons resultados no futuro próximo. De forma geral, a Louis Dreyfus Commodities atingiu iu um novo recorde em faturamento líquido, de quase US$ 60 bilhões, com crescimento de 29%; e excelente margem bruta, de mais de US$ 2 bilhões, pelo segundo ano consecutivo. o. A participação no lucro líquido do Grupo foi de US$ 735 milhões, com 16% de ROE¹, comprovando mais uma vez nossa capacidade de crescer de forma lucrativa. ¹ Return On Equity (Retorno sobre Capital) início do período Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

6 UMA MENSAGEM M CEO MENSAGEM DO NOSSO CEO UMA EM DO DO NOSSO NOSSO CEO UMA MENSAGEM Um ano de investimentos para preparar o futuro Além do desempenho apresentado, conseguimos preparar o caminho para o futuro dos nossos negócios, implementando um plano de investimentos de capital de impressionante US$ 1,2 bilhão. Reforçamos nossos laços com produtores, especialmente no Brasil e na África, por meio de uma agressiva expansão da Plataforma de Fertilizantes. O movimento foi marcado pela integração de duas aquisições: Macrofértil e SSI. Fizemos também fortes investimentos- -chave em logística, garantindo nosso acesso a portos em diversas localidades e assegurando nossa capacidade de operar independentemente de gargalos logísticos. Investimos em instalações portuárias na Argentina (Bahía Blanca), Estados Unidos (Port Allen), Brasil (Itaqui), Indonésia (ISAB e Balikpapan) e em diversas outras menores, fundamentais para termos acesso às regiões das quais depende nosso desenvolvimento futuro. De forma geral, investimos tanto em atuais como em novas localidades e commodities, como, por exemplo, na China, onde estreamos no processamento de rações. Investimos em ativos industriais, incluindo a construção de novas refinarias de açúcar na Indonésia e na China, numa planta de esmagamento de soja no Paraguai e na aquisição de uma fábrica de processamento de caroço de algodão no Brasil. Em 2011, o Grupo deu início também à originação de metais na China. Na Ásia, novas aquisições possibilitarão alcançarmos uma posição importante entre produtores e exportadores de óleo de palma. Nossos resultados extraordinários também nos permitiram fortalecer a empresa para o futuro, profissionalizando nossos processos e investindo em duas importantes funções (Recursos Humanos e Compliance & Risco), para que possamos continuar crescendo de forma sustentável. Por operar em um ambiente global cada vez mais volátil, o Grupo aumentou expressivamente o tamanho e escopo de sua atuação em Compliance & Risco. Fortalecemos a governança, criamos mais sete departamentos especializados e aumentamos o head count dessa área em 40%. O foco e os treinamentos em Compliance estão entre as nossas prioridades. Compliance & Risco é uma vantagem competitiva para a companhia, e este investimento nos ajudará a figurar entre as melhores em um ambiente de mudanças. Reconhecemos também que o engajamento e a contribuição das pessoas são vitais para termos sucesso. Os objetivos de nossa Gestão de Capital Humano refletem essa crença, e consideramos a iniciativa indispensável para levar nossos colaboradores a atingir seu mais alto desempenho. Sucesso com base em uma estratégia de longo prazo Nossa bem-sucedida estratégia nos últimos cinco anos foi apoiada em uma visão de longo prazo, possível graças a uma relação única entre o corpo de gestão e os acionistas da companhia com base em confiança, respeito e vontade mútua de construir uma história de longo prazo. Somos uma empresa de 160 anos, com fortes laços junto à família Louis-Dreyfus e ao Grupo Louis Dreyfus, nosso acionista majoritário, sendo os demais acionistas os próprios colaboradores. Os fatores críticos para o sucesso da nossa estratégia foram: Delimitar as atividades agrícolas do Grupo Louis Dreyfus, permitindo à Louis Dreyfus Commodities focar em seu desenvolvimento; Estabelecer uma estratégia clara de investir os lucros na aquisição de ativos logísticos e industriais; Alavancar globalmente nossa histórica expertise de comercialização em uma escala global; Convidar colaboradores-chave a se tornarem acionistas (representando cerca de 20% do capital acionário), de forma a alinhar seus objetivos com os da empresa. Essa ousada estratégia trouxe extraordinários resultados ao Grupo nos últimos anos, e consolidamos nossa posição como um dos players mais importantes na indústria global de alimentos. A cada ano, transportamos cerca de 70 milhões de toneladas de alimentos, ou 10 kg de alimentos por habitante de nosso planeta! A Louis Dreyfus Commodities ajuda a alimentar e vestir até 500 milhões de pessoas em todo o mundo. Somos um grupo global, diversificado, com uma importante participação em 13 valiosas commodities. Graças à expansão de nossa base de ativos, temos hoje uma forte presença em todos os principais países envolvidos na produção agrícola, originação e consumo. Cada uma de nossas commodities é gerida em escala global, e estamos sempre alertas e prontos para aproveitar oportunidades de investimento em todo o mundo. Dentro de nossa ampla estratégia geral, nos últimos anos viemos diversificando os tipos e métodos de investimentos na agricultura, como, por exemplo, com a Calyx Agro, um fundo 4

7 de produtores agrícolas. Continuamos a participar também com capital acionário em joint ventures com fortes parceiros locais. Nosso objetivo para o futuro: manter nosso ritmo de crescimento e lucratividade, ao mesmo tempo que ampliamos os horizontes para continuarmos construindo uma extraordinária trajetória de longo prazo Depois de um impressionante período de cinco anos consecutivos de um crescimento lucrativo, estamos construindo os alicerces para um novo e emocionante período. Temos um plano ambicioso que prevê investimentos de US$ 7 bilhões nos próximos cinco anos, autorizado pelo Conselho da Louis Dreyfus Commodities Holdings, e vamos continuar diversificando nossas atividades e crescendo a um ritmo mais acelerado que o mercado. O objetivo principal da Louis Dreyfus Commodities é conseguir um crescimento lucrativo, dando seguimento ao seu extraordinário histórico dos últimos cinco anos. Isso irá motivar a expansão da companhia nos próximos cinco anos e a consolidação da nossa posição de liderança no setor, enquanto apresentamos os melhores resultados do mercado aos nossos acionistas. O ambiente econômico e financeiro mundial levou a uma desaceleração de todo o setor no segundo semestre de 2011, e é muito provável que essa situação se estenda pelo primeiro semestre de No entanto, nosso desempenho se mantém forte em comparação aos concorrentes, e tenho confiança na resiliência de nosso setor, movido pela crescente demanda por alimentos, especialmente nos países em desenvolvimento. Conforme seguimos adiante, nosso corpo de gestores, composto por pessoas de diferentes culturas e partes do mundo, está comprometido com o fortalecimento de nossa diversificada companhia. Iremos aproveitar a força de nosso amplo e variado portfólio, que já conta hoje com múltiplas posições ao longo de toda a cadeia, do campo à mesa. Juntamente com nossa cuidadosa e respeitada gestão de risco, nossa diversificação está baseada em uma rede de ativos de produção e processamento idealmente localizados. Fizemos parcerias locais, investindo no futuro para garantir a sustentabilidade financeira e ambiental tanto para nossa empresa quanto para nossos parceiros de negócios. Acompanhando o crescimento com atenção e determinação, estamos comprometidos a continuar buscando ativamente novas oportunidades e parceiros. Em apoio aos nossos negócios, manteremos o foco contínuo na disponibilidade de caixa, permitindo que tenhamos a agilidade necessária na hora de fechar aquisições e parcerias estratégicas. Flexíveis, mas pacientes, estamos prontos para investir em novas oportunidades, onde quer que se apresentem. Em paralelo ao nosso crescimento sustentável, vamos assegurar a profissionalização em todos os níveis da Louis Dreyfus Commodities, tendo como referência os exigentes padrões de uma empresa de capital aberto. Vamos garantir que práticas sustentáveis façam parte de todas as nossas atividades e operações industriais, assegurando que desempenhem um papel fundamental no nosso crescimento socialmente responsável. Conclusão O desempenho deste ano provou nossa capacidade de apresentar um crescimento consistente e lucrativo, ao mesmo tempo que investimos no futuro. Temos objetivos de longo prazo e estamos sempre nos posicionando de forma a poder atingi-los. Queremos sempre ampliar nosso alcance, enquanto melhoramos constantemente a forma como atuamos, a fim de enfrentarmos o desafio de alimentar uma crescente população mundial. 5

8

9 NOSSA EMPRESA Perfil A Louis Dreyfus Commodities no mundo Cadeia de valor História

10 NOSSA NOSSA EMPRESA EMPRESA Perfil A Louis Dreyfus Commodities é uma empresa privada da família Louis-Dreyfus, controlada pelo trust Robert Louis-Dreyfus e com 20% de participação de seus colaboradores. Organizada em uma estrutura matricial de 6 Regiões e 13 Plataformas, a Louis Dreyfus Commodities estabeleceu-se em mais de 55 países e conta com cerca de colaboradores (no pico da safra) em todo o mundo. NOSSA MISSÃO Para poder alimentar e vestir pessoas em todo o mundo, a Louis Dreyfus Commodities estabeleceu sua participação global em um grande número de commodities. Estamos presentes ao longo de toda a cadeia de valor, dos campos à mesa na agricultura, originação, logística, processamento, armazenagem, gestão de risco, financiamento, comercialização e distribuição. Para ser uma líder no setor em que atuamos, alavancamos nosso profundo conhecimento de mercado, as parcerias de longo prazo, nossa superior capacidade de gestão de negócios e riscos e nossa agilidade de resposta. A comprovada expertise adquirida ao longo de 160 anos e nosso crescente desempenho mostram que sabemos usar todas as nossas atuais vantagens competitivas, além de criar novas. Nossa força também está no profundo conhecimento e conexão que temos com o mundo agrícola. NOSSA VISÃO Ajudamos pessoas em todo o mundo a suprir as suas necessidades básicas: levamos os alimentos certos aos lugares e momentos corretos. Num mundo onde os recursos são cada vez mais escassos, estamos decididos a enfrentar o desafio vital de alimentar e vestir uma população em crescimento. A Louis Dreyfus Commodities irá se manter em posição de liderança no mercado mundial de commodities, sempre pronta para servir à comunidade global. NOSSO COMPROMISSO Estamos comprometidos em entregar soluções adequadas a cada cliente, oferecendo produtos seguros e de qualidade, sempre da forma mais eficiente. Estamos comprometidos também em proporcionar um ambiente de trabalho seguro a nossos colaboradores e a conduzir os negócios de forma ética e ambientalmente sustentável. 8 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

11 NOSSOS VALORES Nossos valores são nossa diferenciação e nossa força, e essenciais para podermos atingir nossa visão e missão. São eles que nos guiam enquanto trabalhamos para atingir nossos objetivos e metas estratégicas. Comprometimento Empreendedorismo Humildade Diversidade Construímos relações baseadas em confiança, por meio de uma conduta ética pessoal consistente. Temos satisfação em servir bem os nossos parceiros, em desenvolver as pessoas e em oferecer resultados superiores aos nossos acionistas. Temos determinação inabalável para alcançar a excelência em tudo que fazemos, respeitando a lei, as comunidades nas localidades onde atuamos e o meio ambiente. alcance global ampla oferta de produtos alcance e escala verdadeiramente globais histórico de ciclos de gestão Somos empreendedores. Tomamos decisões rápidas e claras no limite da nossa autoridade e usamos argumentos embasados para tomar riscos mensurados e controlados. Agimos com iniciativa e criatividade, porque temos um comportamento repleto de energia e entusiasmo. solidez solidez financeira equipe de gestores experiente e estável longevidade: uma reputação de 160 anos parceiro confiável sólida base de ativos CRESCIMENTO SUSTENTÁVEL Criamos e incentivamos uma cultura de confiança para gerar crescimento e estabilidade a longo prazo. Aprendemos por meio de questionamentos e críticas construtivas. Ainda que reconheçamos que a maneira de fazer as coisas possa ser boa, esforçamo-nos constantemente a aprender uns com os outros e a encontrar melhores soluções. competências a melhor gestão de riscos conhecimento de mercado e insights padrões operacionais de alto nível Respeitamos cada indivíduo; respeitamos as várias abordagens para resolução de problemas e a comunicação honesta entre colaboradores de diversas regiões, culturas e atividades, contribuindo para o desenvolvimento das comunidades onde atuamos. perspicácia nos negócios engajamento dos colaboradores (mais de 500 são acionistas) abordagem centrada no cliente criatividade na forma de investimentos em oportunidades flexibilidade agilidade ao reagir a oportunidades de mercado Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

12 NOSSA NOSSA EMPRESA EMPRESA A LOUIS DREYFUS COMMODITIES NO MUNDO AMÉRICA DO NORTE 12 escritórios colaboradores 6 unidades de processamento 37 unidades logísticas NORTE DA AMÉRICA LATINA E LDC-SEV 4 escritórios principais colaboradores (incluídos os da LDC-SEV) 32 unidades de processamento (incluídas as 13 usinas da LDC-SEV) 43 unidades logísticas hectares de plantações de cana-deaçúcar e hectares de fazendas de citros SUL DA AMÉRICA LATINA 6 escritórios colaboradores 6 unidades de processamento 13 unidades logísticas EUROPA & MAR NEGRO 15 escritórios colaboradores 1 unidade de processamento 17 unidades logísticas ORIENTE MÉDIO & ÁFRICA 22 escritórios 550 colaboradores 4 unidades de processamento 27 unidades logísticas ÁSIA 8 escritórios colaboradores 9 unidades de processamento 7 unidades logísticas hectares de plantações de palma 10 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

13 PLATAFORMA GRÃOS & OLEAGINOSAS ALGODÃO SUCOS AÇÚCAR CAFÉ METAIS FERTILIZANTES ARROZ LEGENDA Escritórios ATIVOS EM QUE OPERAMOS *contratos com terceiros FAZENDA/PLANTAÇÃO UNIDADE AGRÍCOLA E DE PROCESSAMENTO PARCERIA MINORITÁRIA UNIDADE LOGÍSTICA UNIDADE DE PROCESSAMENTO EM CONSTRUÇÃO Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

14 NOSSA NOSSA EMPRESA EMPRESA CADEIA DE VALOR Ativos cuidadosamente escolhidos, situados em pontos estratégicos ao longo de toda a cadeia de valor, protegem nossa capacidade de fornecimento e garantem que possamos atender os nossos clientes de forma eficiente. Essa ampla abrangência e cobertura de nossa base de ativos é crucial aos negócios, sendo também vital para nossa superior gestão de risco. A mitigação de riscos é também apoiada por centros de pesquisa espalhados pelos cinco continentes, os quais coletam informações que oferecem ao Grupo excepcional inteligência de mercado. Na Louis Dreyfus Commodities, conseguimos aproveitar as sinergias entre nossa base de ativos e as operações de comercialização e marketing para gerar valor a todos os nossos públicos de relacionamento. 12 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

15 Operação de ativos fixos e inteligência de mercado Originamos e produzimos uma grande diversidade de produtos agrícolas e industriais Processamos e refinamos produtos in natura, não refinados e envasados/embalados Armazenamos e transportamos todas as commodities que comercializamos no mercado interno e externo Pesquisamos e comercializamos em nossos principais escritórios e em todos os 55 países onde atuamos ao mesmo tempo que fazemos gestão de risco Customizamos e distribuímos a um amplo leque de clientes, de grandes empresas multinacionais a produtores locais Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

16 NOSSA EMPRESA EMPRESA HISTÓRIA Do início das nossas atividades, há mais de 160 anos, até os dias atuais, somos uma líder mundial na comercialização de commodities e no processamento de produtos agrícolas. Ao longo de todos esses anos, a Louis Dreyfus Commodities sempre se superou e continuou crescendo. Em meio a constantes mudanças globais, mantivemos um olhar atento às oportunidades de crescimento e diversificação, conduzindo o nosso negócio ao sucesso. Hoje, contribuímos para alimentar e vestir cerca de 500 milhões de pessoas em todo o mundo. 1851Aos 18 anos, Léopold Louis-Dreyfus, filho de um agricultor de Sierentz, na região da Alsácia (França), deu início às primeiras raízes da empresa internacional de hoje. Ele ingressou no ramo de comercialização de grãos, levando trigo comprado de produtores agrícolas alsacianos para a cidade da Basileia (Suíça). Em anos mais tarde a empresa já havia conquistado presença global, com escritórios na Europa, América do Norte e do Sul, África do Sul, Indochina, China, Austrália e Rússia. Após 50 anos apresentando um crescimento acelerado, o Grupo ampliou seu portfólio, expandindo sua atuação, antes baseada nos mercados de grãos e oleaginosas, para algodão, açúcar, cítricos, café, metais e arroz. Na década de 1990 e início do novo milênio, o Grupo passou a suportar atividades de originação, comprando ativos de processamento em cítricos, oleaginosas, bem como usinas de cana-de- -açúcar. 14 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

17 2011 Em 2006, começou uma nova era para o Grupo, quando Robert Louis- -Dreyfus ( ), bisneto do fundador, reestruturou as diferentes atividades da companhia em empresas subsidiárias autônomas, o que incluiu a criação da Louis Dreyfus Commodities. Nesse mesmo ano, Serge Schoen tornou-se CEO da Louis Dreyfus Commodities. Durante os cinco anos seguintes, foco, comprometimento e garra resultaram em um desempenho consistente, com CAGR (taxa de crescimento anual composta) de 22%. O Grupo desenvolveu sua base de ativos, conseguiu atingir massa crítica, aproveitando economias de escala, e capitalizou suas competências para construir novas parcerias. A base de ativos fixos aumentou cinco vezes entre 2006 e 2010, superando o valor de US$ 6 bilhões. A companhia dá início ao processamento de açúcar na Ásia, com a construção de duas refinarias na Indonésia e na China. O Grupo entra no mercado de processamento de ração na China, marcando um passo estratégico para a companhia a partir do ingresso nesse novo segmento. A empresa expande suas atividades de processamento de oleaginosas na América do Sul, com a construção de uma unidade de esmagamento em Angostura, no Paraguai. Ocorre a expansão de instalações logísticas na África, com a aquisição da SSI, uma empresa distribuidora de fertilizantes. Com foco nas questões logísticas, a Louis Dreyfus Commodities fecha contratos de arrendamento de longo prazo em estratégicas instalações portuárias no estado norte- -americano da Louisiana e no Brasil. Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

18 DESTAQUES SES S DE DE DE 2011 DESTAQUES FINANCEIROS Resiliência com resultados A deterioração do ambiente global no terceiro trimestre do ano, com a crise da dívida europeia levando à instabilidade dos mercados e a um cenário nebuloso, pressionou muitas empresas. Os resultados do Grupo provaram ser, particularmente, resilientes e resistentes a um ambiente econômico instável. Em 2011, a Louis Dreyfus Commodities registrou um faturamento líquido recorde de US$ 59,6 bilhões; e excelente margem líquida, superior a US$ 2 bilhões, pelo segundo ano consecutivo. A participação do Grupo no lucro total das empresas foi de US$ 735 milhões, comparados a US$ 1,051 bilhão em 2010, que foi um resultado histórico. Mais uma vez, como em tantos anos anteriores, nosso negócio continuou sendo altamente lucrativo em Ainda que, no médio e longo prazos, as perspectivas para o setor de açúcar e etanol no Brasil sejam positivas, no curto prazo, a valorização repentina do dólar frente ao real, somada ao impacto negativo da quebra de safra brasileira, tornou 2011 um ano desafiador para a LDC-SEV. De qualquer forma, apoiada por sua rede global e diversificação, a Louis Dreyfus Commodities continuou operando, como sempre, com sua abordagem cuidadosa e sistemática para medir, controlar e prever riscos que tenha desenvolvido ao longo dos anos. 16 Em 2011, assim como tem sido nos últimos anos, os resultados financeiros da Louis Dreyfus Commodities confirmaram a decisão acertada da direção estratégica adotada pelo Grupo. Os excelentes desempenhos apresentados pelos nossos segmentos Proteínas, Produtos Tropicais e Outros e Regiões mostraram a força do nosso modelo de negócios, mesmo em um ambiente macroeconômico desfavorável. Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011 A partir dos sólidos relacionamentos baseados na reputação de que desfrutamos junto a mais de 170 bancos em cerca de 35 países ao redor do mundo, e do nosso monitoramento das previsões de fluxo de caixa, a liquidez do Grupo se manteve forte. A companhia assegurou financiamentos e alongou seu perfil de dívida, especialmente com dois empréstimos com prazo de três anos, por meio de consórcios de bancos na Ásia e Suíça, representando um total de US$ 1,2 bilhão. O CAPEX atingiu a marca de US$ 1,2 bilhão em 2011, o que mostra que a Louis Dreyfus Commodities continua buscando investimentos alinhados ao seu objetivo estratégico de acelerar o crescimento, para manter-se em posição de liderança e garantir o desenvolvimento com lucratividade. Outro resultado que demonstrou a força e resiliência do nosso modelo foi o ROE¹, atingindo 16% em ¹Return On Equity (Retorno Sobre Patrimônio Líquido), início do período - Participação do Grupo

19 60% do faturamento líquido em países emergentes CAPEX de US$ 4,9 bilhões entre Relacionamento com 170 bancos em todo o mundo US$ 6 bilhões de ativos fixos* Faturamento Líquido EM MILHÕES DE US$ 59,562 46,119 34, % Taxa de Crescimento Anual Composta (CAGR) entre CAPEX EM MILHÕES DE US$ 1, US$ 745 por ano Média entre Lucro Líquido Participação do Grupo EM MILHÕES DE US$ , Patrimônio Líquido EM BILHÕES DE US$ 23% ROE Retorno médio entre sobre capital aplicado no início do período Capital acionário no grupo Participação minoritária *Propriedades, instalações industriais e equipamentos + ativos biológicos + ativos intangíveis Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

20 DESTAQUES SES S DE DE DE 2011 DESTAQUES DO DO MERCADO CONDIÇÕES MACROECONÔMICAS JÁ DESAFIADORAS SE AGRAVARAM AO LONGO O ANO E TIVERAM FORTE IMPACTO NEGATIVO NO MERCADO DE COMMODITIES EM 2011 No primeiro semestre de 2011, os aportes de liquidez feitos em 2009 e 2010 ainda influenciavam e impulsionavam as atividades do Grupo. Finalmente, a crise da dívida soberana instalou-se nas economias em desenvolvimento, tendo início nos países periféricos da União Europeia Irlanda, Portugal e Grécia e dos Estados Unidos, e depois se espalhando para o coração da Europa e atingindo Espanha, Itália e França. O protecionismo e a inflação alcançaram os mercados emergentes, assim como o enfraquecimento das exportações e a redução de investimentos. A alta volatilidade do câmbio, assim como a desvalorização do real frente ao dólar e a grande variação do valor do dólar em comparação ao euro, influenciaram fortemente a agricultura mundial e o comércio internacional. Com a redução do apoio básico, os fundos saíram dos mercados de futuros em commodities, resultando em perda de liquidez, maior volatilidade e queda de preços. Restrições financeiras em algumas regiões representam outro impacto negativo sobre o mercado. ALÉM DOS FATORES MACROECONÔMICOS, QUESTÕES RELACIONADAS AO CLIMA E UMA MAIOR INTERVENÇÃO DO GOVERNO TAMBÉM AFETARAM A AGRICULTURA GLOBAL Além da conjuntura macroeconômica, o mercado também sofreu com a influência de eventos específicos que se refletiram nos balanços das principais commodities agrícolas. Condições climáticas desfavoráveis impactaram a oferta em 2011, tais como o frio no Brasil, que ocasionou a quebra da safra de cana-de-açúcar. Nos Estados Unidos e na Europa, a seca causou problemas às safras de algodão e milho; e na Austrália, inundações prejudicaram a safra de trigo. A oferta global de commodities também foi influenciada por intervenções governamentais, em parte pelo receio de uma maior inflação e pela apreciação das moedas de mercados emergentes. Na Ucrânia e na Rússia, por exemplo, a eliminação de proibições de exportação e cotas para o trigo criaram novas oportunidades de negócios. Já o movimento das autoridades chinesas de aumentar estoques levou a uma forte demanda por algodão, oleaginosas, açúcar e milho. Na Tailândia, o governo estabeleceu um piso para o preço do arroz. 18 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

21 APESAR DO CONTEXTO, AS BASES DO MERCADO DE COMMODITIES AGRÍCOLAS CONTINUARÃO GERANDO CRESCIMENTO DURANTE 2012 E NOS ANOS SEGUINTES A despeito das incertezas macroeconômicas, o comércio global de commodities agrícolas ainda apresenta fortes alicerces e um balanço robusto. Para o futuro, prevemos que a demanda por commodities agrícolas continuará aumentando, impulsionada pelo crescimento populacional e por mudanças nos hábitos de consumo. Também esperamos que continuem a existir oportunidades de comercialização internacional, geradas por gargalos na oferta e por descompassos entre as principais origens e destinos. MESMO COM OS DESAFIOS DO MERCADO, O FORTE E DIFERENCIADO MODELO DE NEGÓCIOS DA LOUIS DREYFUS COMMODITIES, MAIS UMA VEZ, GARANTIU UM DESEMPENHO IMPRESSIONANTE De forma geral, a Louis Dreyfus Commodities registrou um bom desempenho em 2011, apesar das difíceis condições do mercado. Nosso modelo de diversificação, tanto em commodities como em regiões de atuação, nos permitiu atingir um desempenho geral sólido, mesmo com a volatilidade do mercado. A presença da Louis Dreyfus Commodities ao longo de toda a cadeia de valor, com uma sólida e crescente base de ativos, permitiu que construíssemos fortes relacionamentos com todos os players do mercado agrícola. Uma gestão de riscos apropriada e no tempo correto, bem como uma ágil resposta ao mercado, também contribuíram para um 2011 muito rentável. NOSSAS PRINCIPAIS REALIZAÇÕES COMERCIAIS EM 2011 INCLUEM: Crescimento do volume de vendas em 7%, em comparação a 2010, com destaque para os mercados de grãos, arroz, sucos e fertilizantes. Melhor posição de mercado na maioria das commodities. Somos hoje, por exemplo, a número um na comercialização de algodão proveniente dos Estados Unidos e a principal exportadora de trigo proveniente do Mar Negro. Além disso, vemos um crescimento expressivo na distribuição de oleaginosas no Sudeste asiático, especialmente óleo de palma. Expansão bem-sucedida em novas commodities, como em fertilizantes, com a aquisição e integração de redes de distribuição no Brasil e na África. Fortalecemos, ainda, nossa posição em plantações de palma por meio de uma joint venture com um parceiro estratégico na Indonésia. Finalização de importantes etapas na criação de nosso negócio global de processamento de rações. Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

22

23 NOSSAS LINHAS DE NEGÓCIOS Destaques Plataformas Atividades agrícolas

24 NOSSAS LINHAS S DE DE NEGÓCIOS PRODUTOS TROPICAIS Destaques ALGODÃO Comercialização de algodão descaroçado, Pima e de fibra longa. O Grupo definiu quatro linhas específicas de negócios: Proteínas, Produtos Tropicais, Outros (commodities não agrícolas, como metais) e LDC- -SEV. Cada um dos negócios está organizado em uma Plataforma dedicada. Atualmente, são 13 Plataformas cobrindo toda a cadeia de valor, alimentando o crescimento em volumes e executando com sucesso nossa estratégia de expansão. N 1 no mundo na comercialização de algodão N 1 na comercialização de algodão dos Estados Unidos SUCOS Processamento e comercialização de sucos de laranja, pomelo, lima, limão e maçã, além de derivados de cítricos. PROTEÍNAS OLEAGINOSAS Processamento e comercialização de soja, farelo e óleo de soja; sementes (colza, girassol e caroço de algodão), farelo e óleo de sementes; óleo de palma, biodiesel e glicerina. ARROZ Comercialização de arroz com casca, arroz integral e arroz branco N 1 no mundo na comercialização de arroz Crescimento de 16% em volume em relação a ª maior empresa do mundo no processamento de laranjas Maior processador único de limão thaiti Crescimento de 26% em volume de suco concentrado de laranja e maçã em relação a 2010 CAFÉ Mais de 10% dos fluxos globais do complexo soja Mais de hectares de plantações de palma; um volume 40% maior que em ª maior exportadora de palma para a África GRÃOS Comercialização de trigo, milho, sorgo, cevada, centeio, aveia e etanol. Crescimento de 10% em volume de grãos se comparado a % de crescimento em volume de etanol em relação a 2010 Ingresso no processamento de rações na Ásia FRETE Soluções de frete para as Plataformas do grupo e para terceiros. Crescimento de 11% sobre o volume de cargas transportado em 2010 Total de dias de frota, representando 16% mais que em 2010 FINANÇAS Gestão de riscos para as Plataformas do Grupo. Realocação de recursos e expertise a mercados de Produtos Tropicais, em franco crescimento Comercialização e processamento das variedades Arábica e Robusta. 3ª maior empresa do mundo na comercialização de café verde Membro da 4C Association, grupo formado por diversas organizações, visando a maior sustentabilidade em toda a cadeia de valor do café AÇÚCAR Comercialização de açúcar bruto e branco, etanol e açúcar bruto refinado. 2ª maior empresa do mundo na comercialização de açúcar Crescimento de 15% em volume em relação a Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

25 OUTROS FERTILIZANTES Distribuição de fertilizantes de nitrogênio, fosfato e potassa, além de produtos para a proteção de lavouras. Triplicamos o volume em relação a 2010 Estamos entre as três maiores distribuidoras na África Ocidental METAIS Comercialização de concentrados de cobre, zinco, chumbo e também cátodos de cobre e cobalto. 3ª maior em volumes comercializados nos mercados de concentrados (cobre, zinco e chumbo) PROTEÍNAS LINHAS DE NEGÓCIOS Oleaginosas Grãos Arroz Frete Finanças LATICÍNIOS Comercialização de leite integral normal, integral homogeneizado, integral instantâneo, em pó reconstituído com gordura e em pó desnatado. Crescimento de 14% em volume em relação a 2010 LDC-SEV Plantio e moagem de cana-de-açúcar para a produção de açúcar e etanol. PRODUTOS TROPICAIS OUTROS Algodão Sucos Café Açúcar Fertilizantes Metais Laticínios Maior empresa de foco único nesse segmento e 2ª maior empresa do mundo no processamento de cana-de-açúcar Segunda maior empresa em energia renovável Exportação de 1,2 milhão de toneladas de açúcar LDC-SEV Açúcar Etanol Energia Elétrica Outros produtos Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

26 FINANÇAS SUCOS Oleaginosas 14 unidades de processamento em 8 países 23 milhões de toneladas métricas em volume para todos os produtos ONTEM, HOJE E AMANHÃ: GERAÇÕES DE SUCESSO A Louis Dreyfus Commodities é uma das mais importantes players do mercado de oleaginosas e desfruta de uma posição de liderança mundial neste segmento há anos. Desde o século XIX, o Grupo vem aumentando sua expertise, identificando oportunidades e construindo uma sólida presença internacional nas principais regiões produtoras e consumidoras. Hoje, somos responsáveis por originar, manipular, armazenar, processar e comercializar todo o escopo de produtos e derivados do setor de oleaginosas, incluindo soja e sementes (colza, canola, caroço de algodão e semente de girassol), óleos de grãos e de sementes, farelo, óleo de palma, biodiesel e outros derivados, como a oleína, estearina e lecitina. Graças ao foco na essência do negócio, preservamos nossa sólida reputação em oleaginosas. Crescimento e resultados impressionantes são alcançados por meio de nosso espírito empreendedor, aliado a uma profunda análise de mercado e à integração ao longo da cadeia de valor. Mais de colaboradores fazem isso possível. RESUMO DAS REALIZAÇÕES DE 2011: Expansão de nossa rede de distribuição e logística em regiões de destino estratégicas, com novas instalações portuárias na Indonésia e nos Estados Unidos e tanques de armazenagem em portos do Quênia Fortalecimento de nossa posição em óleo de palma, com uma joint venture em plantação de palma na Indonésia Desenvolvimento de nossa base de processamento na América do Sul, com uma nova unidade de esmagamento de caroço de algodão no Brasil, uma fábrica de processamento de soja no Paraguai e uma usina de biodiesel na Argentina EXCELENTE GESTÃO DE RISCO Em todas as áreas, as melhores ferramentas e práticas de gestão de risco garantiram grande rentabilidade em 2011, apesar do ambiente de incertezas. NEGÓCIOS AQUECIDOS NA ÁSIA Nossas duas novas instalações portuárias na Ásia ISAB e Balikpapan alavancaram a iniciativa do programa de expansão no mercado de óleo de palma. Em 2010, adquirimos uma participação no ISAB, um porto de águas profundas na Sumatra do Sul, o qual agora estamos expandindo. Também em 2011, atracamos nossa primeira barcaça no porto de Balikpapan, na Indonésia. Trazendo mais força à nossa posição em óleo de palma e expandindo nosso alcance em originação, finalizamos a criação de uma joint venture numa grande plantação de palma na Indonésia. 24 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

27 Nossas atividades de distribuição no Sudeste da Ásia continuam se expandindo e crescendo em volume. E, finalmente, estamos hoje construindo nossa segunda refinaria de óleo comestível na Índia, com início das operações previsto para o começo de ABRINDO PORTAS NOS MERCADOS EMERGENTES DA AMÉRICA DO SUL Nos promissores mercados emergentes na América do Sul, a Plataforma de Oleaginosas está construindo uma segunda usina de produção de biodiesel na Argentina, em General Lagos. A previsão é entrar em funcionamento no começo de Fortalecemos nossa posição no Brasil com a aquisição de uma fábrica de oleaginosas da empresa Maeda, saltando para a primeira colocação no mercado de processamento de caroço de algodão no Brasil. Além disso, por meio de uma joint venture com a Amaggi, garantimos um contrato de arrendamento de um lote do terminal de grãos no porto de Itaqui, no Maranhão. Fizemos, ainda, outra joint venture para construir e operar uma fábrica de esmagamento de soja com capacidade de toneladas métricas/dia no Paraguai. CONSOLIDANDO NOSSA POSIÇÃO NA AMÉRICA DO NORTE Fortalecendo a nossa capacidade de comercialização e nossa presença nos fluxos globais da soja, em 2011, fomos selecionados para o arrendamento de uma unidade de exportação no porto American Baton Rouge. EXPANDINDO NA REGIÃO ORIENTE MÉDIO & ÁFRICA O ano de 2011 também presenciou o crescimento das atividades do Grupo na Região do Oriente Médio & África, com a aquisição de uma empresa de tanques de armazenamento em portos no Quênia. Este investimento é um marco importante no desenvolvimento de nossas atividades em óleo de palma, e já estamos em processo de expansão da capacidade inicial de armazenagem. 10% dos fluxos mundiais do complexo soja Combinando ativos- -chave, originação e ampla distribuição para acessar fluxos importantes Administramos, detemos e operamos ativos estratégicos em pontos-chave da cadeia de valor em todo o mundo. Estamos posicionados de forma a assegurar o acesso aos principais pontos de oferta e demanda, bem como aos fluxos comerciais mais importantes. Comprovando nossa presença estratégica e nosso alcance, o Grupo exporta e distribui oleaginosas e seus derivados a mais de 35 principais destinos em todo o mundo. Como uma empresa mundial de fornecimento de commodities, estamos integrados da origem ao destino e ao longo de toda a cadeia de valor. Um fator essencial para nosso crescimento contínuo é a combinação adequada das habilidades em comercialização e pesquisa, apoiadas por uma estratégica base de ativos de última geração. Ao longo de 2012, vamos continuar executando nossa bem-sucedida estratégia: consolidar nossos pontos fortes; acelerar o crescimento nos mercados da Ásia e África, bem como expandir a presença nessas regiões; diversificar nossas atividades e preparar a nova geração de talentos para sustentar nosso desenvolvimento no longo prazo e assegurar o futuro da companhia. Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

28 FINANÇAS SUCOS Grãos da cadeia, dos campos à mesa. Aumento de 20% em volumes de etanol em comparação a 2010 DOS CAMPOS À MESA "Grãos" é uma das principais Plataformas do Grupo, tendo transitado em regiões de todo o mundo há mais de um século. A Louis Dreyfus Commodities ranqueia de forma consistente entre as maiores comercializadoras de grãos do planeta. Estamos firmemente estabelecidos nos principais mercados e continuamos crescendo e alavancando nossa posição no segmento de grãos. Atendemos às necessidades de nossos clientes, originando grãos das principais regiões produtoras em todo o mundo. Uma matriz bem orientada de importação e distribuição garante rotas de suprimento a grandes regiões consumidoras, como Europa, Ásia, África e Oriente Médio. Entre os produtos da Plataforma de Grãos estão: trigo, milho, sorgo, cevada, centeio, aveia e etanol. RÚSSIA/UCRÂNIA: CRESCIMENTO EM RAÇÕES Os Estados Unidos, Brasil, China, Índia, Austrália, Argentina, Rússia, Ucrânia, Canadá, África do Sul e o bloco dos 27 países da União Europeia são os principais países desta Plataforma. Em 2011, o crescimento foi especialmente acentuado nas principais regiões produtoras de trigo da Rússia e da Ucrânia. A decisão dos governos russo e ucraniano de eliminar a proibição de exportação e de cotas para o trigo levou a um crescimento considerável da Plataforma, que também se beneficiou de uma safra maior que nos anos anteriores, com excedentes exportáveis. A cadeia de valor inclui silos para a originação, instalações portuárias para a exportação e armazéns para a distribuição. Complementando essa infraestrutura, está a ampla rede logística do Grupo, que permite mobilidade ao longo de todas as etapas A China emergiu como uma importadora de milho, trazendo um impacto importante sobre os fluxos voltados à Ásia em Fortalecendo nossa Plataforma já robusta, desenvolvemos nossas 26 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

29 LINHAS NEGÓCIOS NOSSAS NOSSAS LINHAS DE SS DE DE NEGÓCIOS instalações para exportação na Bahía Blanca, na Argentina, e conseguimos um contrato de arrendamento de longo prazo para as instalações de exportação em Port Allen, nos Estados Unidos. Os ativos da Plataforma na América do Norte tiveram bom desempenho em Os silos de exportação em Seattle, Washington, Houston e Beaumont, no Texas, operaram a plena capacidade e nos permitiram obter margens saudáveis para milho e trigo. A margem média obtida no processamento de etanol e grãos de destilação a partir do milho foi boa durante todo o ano. Conseguimos um recorde nas margens obtidas com o processamento de etanol em nossas fábricas de Grand Junction, Iowa e de Norfolk, Nebraska. Os silos das planícies do Canadá trabalharam com grandes volumes de trigo e estão bem posicionados para um mercado oscilante esperado para O negócio de grãos especiais da Plataforma teve uma expansão rentável de suas atividades de comercialização nos Estados Unidos, México e África do Sul. Talento tecnológico Os inúmeros desafios para a Plataforma de Oleaginosas em 2012 incluem: intervenção governamental, forte valorização de ativos e maior concorrência, bem como uma potencial consolidação do setor. Encarando os desafios com integridade e dinamismo, iremos fazer, gradativamente, investimentos com base em pesquisas e modelos de comercialização com maior número de ativos, atividades e fluxos. +10% de crescimento em volume em relação a 2010 A Plataforma continua se diversificando e, em 2011, entramos também no negócio de processamento de rações. A Louis Dreyfus Commodities abriu um escritório em Astana, no Cazaquistão, para apoiar e expandir suas atividades de originação e comercialização na região. Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

30 FINANÇAS SUCOS Arroz DIVERSIFICAÇÃO: A CHAVE PARA MANTER NOSSA LIDERANÇA NO COMÉRCIO GLOBAL DE ARROZ Queremos maior integração vertical, com mais ativos próprios na origem e destino N 1 na comercialização de arroz 16% de crescimento em volume em relação a 2010 A MATRIZ DE ARROZ COBRE TODO O MERCADO GLOBAL Em operação desde 1999, a Plataforma de Arroz fortaleceu sua posição no mercado mundial, oferecendo arroz com casca, arroz integral e arroz branco da Tailândia, do Vietnã, Paquistão, Índia, Estados Unidos, e também do Brasil, Argentina e Uruguai. Compramos arroz de múltiplas origens para poder satisfazer à crescente demanda global de importação. Aproveitando a sinergia com nossa capacidade de frete marítimo, atendemos o crescente mercado global com produtos de qualidade, a preço competitivo. A África, com importação de 7,5 a 8 milhões de toneladas métricas, continuou sendo nosso maior mercado em Estabelecemos nossas redes próprias de distribuição na região para fortalecer nossa posição no mercado africano, que deve crescer bastante pela maior demanda decorrente do acelerado aumento populacional. As Américas devem continuar agregando maiores volumes graças à nossa ativa participação nos fluxos intracontinentais de arroz. Na América Latina, negociamos quase 760 mil toneladas métricas em 2011 (em exportações e volumes intracontinentais), o que representa um aumento de 410 mil toneladas sobre Na Europa, a variação foi extremamente positiva, com os volumes passando de 40 mil toneladas métricas em 2010 a 150 mil em Possíveis acordos com novos parceiros europeus estão na agenda, visando à expansão de nossas vendas na região. A Ásia é uma região de grandes volumes de exportação de arroz, sendo responsável por 75% da oferta mundial. Além de negociar, estamos avançando na direção de estabelecer nossos ativos próprios de processamento e instalações portuárias como forma de garantir a originação. Ao mesmo tempo, estamos usando nossa rede asiática para expandir volumes. Em 2011, nosso volume de negócios na Ásia alcançou a marca de 200 mil toneladas métricas. Explorando o potencial da Ásia 28 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

31 NOSSAS LINHASDE NEGÓCIOS 7% de participação na movimentação global de soft commodities 45,6 milhões de toneladas (4.600 vezes o peso da Torre Eiffel!) métricas transportadas em 2011 Fortalecendo conexões Com uma situação econômica global instável e um ambiente de dificuldades financeiras para o setor marítimo em 2012, a Plataforma fortalecerá suas relações com parceiros- -chave, visando assegurar a disponibilidade de navios que atendam à demanda de transporte da companhia. Um de nossos objetivos estratégicos é conquistar uma maior percentagem dos negócios de exportação de nossa empresa. FROTA PODEROSA FAVORECE A MITIGAÇÃO DE RISCOS Ao longo de mais de 100 anos, desenvolvemos nossa capacidade logística global ao lado de nossa carteira de commodities principais como forma de mitigar riscos. Hoje, nossa frota conta com 170 embarcações e continuamos em expansão, ligando os principais destinos globais para atender a nossos próprios negócios diversificados, e servindo também a clientes externos. CRESCENDO COM O DRAGÃO Em 2011, um entre quatro embarques realizados teve como destino o crescente mercado chinês. Apesar de termos perdido o importante mercado de destino japonês, em decorrência dos devastadores terremoto e tsunami ocorridos em 2011, a comprometida equipe da Plataforma conseguiu alcançar um crescimento no patamar dos dois dígitos um avanço de 11% no volume de carga transportada nos diferentes oceanos de nosso planeta. O forte desempenho da Plataforma veio ao encontro do objetivo de equilibrar nosso programa interno com o desenvolvimento de fretes para terceiros. Nosso avanço nessa área só foi possível porque nossos clientes reconhecem o valor e a estabilidade oferecidos pela Louis Dreyfus Commodities. Nossa frota de navios graneleiros inclui embarcações de diferentes portes: panamaxes, supramaxes, capesizes e handysize. Em 2011, registramos mais de dias de frete, um notável crescimento de 16% em relação a Para atender à crescente demanda, expandimos o frete e agregamos mais duas embarcações com contratos de longo prazo. Como investimento adicional, assinamos contratos de concessão de longo prazo para mais três embarcações, a serem entregues em Frete Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual

32 FINANÇAS SUCOS Finanças MITIGAÇÃO DE RISCOS PARA UM MERCADO RESILIENTE Com a vantagem de quatro escritórios principais espalhados pelo globo, a Plataforma de Finanças utiliza uma série de instrumentos financeiros para fazer um hedge dinâmico dos fluxos de moeda do Grupo. A percepção global bem-fundamentada e atualizada, combinada à forte presença local, nos permite aproveitar as oportunidades que surgem em mercados globais. Damos suporte a todos os negócios dentro da Louis Dreyfus Commodities para a mitigação de riscos. EQUIPE ENXUTA, GRANDES RESULTADOS Mesmo com os crescentes desafios para ativos financeiros, em 2011 a Plataforma apresentou bom desempenho e sólida rentabilidade. Estendemos nosso alcance e aumentamos nossa presença nos principais mercados da Ásia e Europa. Ao mesmo tempo, nossa presença na América do Norte e na América Latina foi uma fonte equilibrada e constante de rentabilidade para o Grupo. Visando dar apoio aos maiores fluxos de negócio do Grupo nas regiões do mundo onde o crescimento é mais acelerado, continuamos reforçando as operações de nossa plataforma asiática em Cingapura. Realocamos recursos e expertise para os mercados de maior crescimento e mantivemos o mesmo plano de negócios original de ter uma equipe enxuta, profissional e bem-integrada. Aproveitando novas oportunidades Para 2012, prevemos a continuidade da conjuntura financeira problemática em todo o mundo, com os reflexos da crise financeira europeia passando da periferia para os mercados centrais da Europa. Esta reorganização da liquidez global vai forçar as autoridades monetárias a tomar novas medidas conciliatórias para proteger o mercado de riscos sistêmicos. Neste contexto, a Plataforma de Finanças pretende diversificar riscos e aproveitar as muitas oportunidades apresentadas por um ano de desafios. 30 Louis Dreyfus Commodities Relatório Anual 2011

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

BRASIL. Francisca Peixoto

BRASIL. Francisca Peixoto BRASIL Francisca Peixoto INTRODUÇÃO BRASIL Um dos principais fornecedores de alimentos e matériasprimas do mundo Dotação única em recursos naturais Política agropecuária alinhada com estratégia nacional

Leia mais

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel.

Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508. Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. Press Release Date 1º de outubro de 2013 Contato Imagem Corporativa Marta Telles marta.telles@imagemcorporativa.com.br Tel: (11) 3526-4508 Márcia Avruch marcia.avruch@br.pwc.com Tel. (11) 3674-3760 Pages

Leia mais

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita)

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita) Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas sobre a dinâmica futura

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

Pressão sobre os recursos nos mercados globais de commodities afeta economia global

Pressão sobre os recursos nos mercados globais de commodities afeta economia global Pressão sobre os recursos nos mercados globais de commodities afeta economia global Conclusão é do novo relatório do Earth Security Group, lançado hoje em São Paulo na sede da Cargill São Paulo, 23 de

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho

Receita do Network PwC cresce 6% e atinge US$ 34 bilhões no ano fiscal encerrado em junho Press release Data Contato EMBARGO 00h01min (horário Brasília) Terça-feira, 7 de outubro de 2014 Márcia Avruch Tel: +55 11 3674 3760 Email: marcia.avruch@br.pwc.com Pages 4 Receita do Network PwC cresce

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

No geral, a Hamburg Süd alcançou um resultado positivo nos serviços marítimos mesmo com as adversidades verificadas no mercado.

No geral, a Hamburg Süd alcançou um resultado positivo nos serviços marítimos mesmo com as adversidades verificadas no mercado. Hamburg Süd encerra 2014 com faturamento de 5,2 bilhões de euros Empresa movimentou, juntamente com a subsidiária Aliança, cerca de 3,4 milhões de contêineres, um aumento de 2% em relação ao período anterior

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

Nossa História. Ajudando o mundo a produzir os alimentos de que precisa

Nossa História. Ajudando o mundo a produzir os alimentos de que precisa Nossa História Ajudando o mundo a produzir os alimentos de que precisa O desafio é imenso: acabar com a fome, dobrar a produção de alimentos até 2050 e ajudar a reduzir o impacto ambiental da agricultura

Leia mais

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF.

SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF é uma marca comercial registrada do Grupo SKF. SKF 2011 Os direitos autorais desta publicação pertencem ao editor e seu conteúdo não pode ser reproduzido (mesmo em parte) sem uma permissão por escrito.

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões.

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões. Crise na Ucrânia: dificuldades e potencialidades para o setor de carne suína e milho em Santa Catarina Glaucia Padrão, Dr.ª Analista de Economia, Epagri/Cepa Reney Dorow, Msc. Analista de Mercado, Epagri/Cepa

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos.

Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos. Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos. Industria Matéria-prima Mão de obra Saúde e Meio Ambiente Economia 2

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Terceiro Trimestre 2014 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Institucional Tokio Marine Seguradora Tokio Marine no Mundo Grupo Tokio Marine é o um dos líderes entre os grupos seguradores globais. Fundada em1879 Ativos:US$98bilhões

Leia mais

Emergência de cadeias de valor de produtos básicos sustentáveis na Ásia

Emergência de cadeias de valor de produtos básicos sustentáveis na Ásia Emergência de cadeias de valor de produtos básicos sustentáveis na Ásia Sr. a Lakshmi Venkatachalam Vice Presidente (Setor Privado e Operações de Cofinanciamento) Sumário Desafios da segurança alimentar

Leia mais

Esta é a XL Catlin Cinco maneiras pelas quais vamos turbinar seu negócio.

Esta é a XL Catlin Cinco maneiras pelas quais vamos turbinar seu negócio. Esta é a XL Catlin Cinco maneiras pelas quais vamos turbinar seu negócio. Separadas, XL e Catlin eram duas empresas fortes e inovadoras. Juntas, somos ainda mais fortes. Conteúdo Conheça a XL Catlin Pessoas

Leia mais

A balança comercial do agronegócio brasileiro

A balança comercial do agronegócio brasileiro A balança comercial do agronegócio brasileiro Antonio Carlos Lima Nogueira 1 Qual é a contribuição atual dos produtos do agronegócio para o comércio exterior, tendo em vista o processo atual de deterioração

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

Ficha de informação 1 POR QUE RAZÃO NECESSITA A UE DE UM PLANO DE INVESTIMENTO?

Ficha de informação 1 POR QUE RAZÃO NECESSITA A UE DE UM PLANO DE INVESTIMENTO? Ficha de informação 1 POR QUE RAZÃO NECESSITA A UE DE UM PLANO DE INVESTIMENTO? Desde a crise económica e financeira mundial, a UE sofre de um baixo nível de investimento. São necessários esforços coletivos

Leia mais

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 1 INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS 3.1 Concretizar o Potencial da Biedronka 3.2 Assegurar o Crescimento de Longo Prazo 1. THE GROUP TODAY 4. EXPLORAR TODO O POTENCIAL

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

Cimento. Concessões de Energia. Concessões de Transportes. Engenharia e Construção. Vestuário e Calçados. Cimento

Cimento. Concessões de Energia. Concessões de Transportes. Engenharia e Construção. Vestuário e Calçados. Cimento 37 Relatório Anual 2011 - Camargo Corrêa S.A. Áreas de Negócios Alisson Silva, Fábrica da InterCement em Ijaci (MG) 38 Relatório Anual 2011 - Camargo Corrêa S.A. Áreas de Negócios Os negócios de cimento

Leia mais

Palestra: História da Cana-de. de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A

Palestra: História da Cana-de. de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A Palestra: História da Cana-de de-açúcar no Centro-Oeste Professora: Ana Paula PROJETO: PRODUÇÃO DO AÇÚCAR ORGÂNICO NA JALLES MACHADO S/A ORIGEM DA CANA-DE-AÇÚCAR A cana-de de-açúcar é uma planta proveniente

Leia mais

Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014

Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014 Maia - Portugal, 5 de Março de 2015 Sonae Sierra regista um Resultado Líquido de 96,3 milhões em 2014 Resultado Direto atinge 52,7 milhões EBIT de 106,1 milhões Resultado Indireto atinge 43,6 milhões Dois

Leia mais

6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia

6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia 6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia Complementando o que foi exposto sobre a gerência da cadeia de suprimentos analisada no Capítulo 3, através de

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

CENÁRIO GLOBAL DE CARNES (FRANGO E SUÍNO) E MILHO

CENÁRIO GLOBAL DE CARNES (FRANGO E SUÍNO) E MILHO CENÁRIO GLOBAL DE CARNES (FRANGO E SUÍNO) E MILHO Leonardo Sologuren Céleres Junho de 2008 Cresce o consumo de proteína animal no BRIC BRASIL RÚSSIA 108 4,000 60 3.000 kg/habitante/ano 90 72 54 36 18 3,800

Leia mais

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 A Petrobras comunica que seu Conselho de Administração aprovou o Plano Estratégico Petrobras 2030 (PE 2030) e o Plano de Negócios

Leia mais

2002 - Serviços para empresas

2002 - Serviços para empresas 2002 - Serviços para empresas Grupo Telefónica Data. Resultados Consolidados 1 (dados em milhões de euros) Janeiro - Dezembro 2002 2001 % Var. Receita por operações 1.731,4 1.849,7 (6,4) Trabalho para

Leia mais

Commodities Agrícolas - Market Share por Porto

Commodities Agrícolas - Market Share por Porto 1 Destaques 2009 OvolumedaALLnoBrasilcresceu5,8%em2009para35.631bilhõesdeTKU,apesardo difícil cenário de mercado, com forte queda na produção industrial e redução de 12% na produção de produtos agrícolas

Leia mais

Melhorias da Infraestrutura

Melhorias da Infraestrutura Melhorias da Infraestrutura Refino Papel e Celulose Energia Fóssil Processos Químicos Processos Industriais Conversão De Resíduos Em Energia www.azz.com/wsi Fornecedora de soluções e serviços completos

Leia mais

Capítulo 03 Mercados regionais

Capítulo 03 Mercados regionais Capítulo 03 Mercados regionais As organizações decidem atuar no mercado global quando sabem que o crescimento externo será maior do que o interno. Nesse sentido, a China é um dos mercados para onde as

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado

Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado AGROSSÍNTESE Produção de grãos na Bahia cresce 14,64%, apesar dos severos efeitos da seca no Estado Edilson de Oliveira Santos 1 1 Mestre em Economia, Gestor Governamental da SEAGRI; e-mail: edilsonsantos@seagri.ba.gov.br

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

O PAPEL DA AGRICULTURA. Affonso Celso Pastore

O PAPEL DA AGRICULTURA. Affonso Celso Pastore O PAPEL DA AGRICULTURA Affonso Celso Pastore 1 1 Uma fotografia do setor agrícola tirada em torno de 195/196 Entre 195 e 196 o Brasil era um exportador de produtos agrícolas com concentração em algumas

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

Máquinas e Equipamentos de Qualidade

Máquinas e Equipamentos de Qualidade Máquinas e Equipamentos de Qualidade 83 A indústria brasileira de máquinas e equipamentos caracteriza-se pelo constante investimento no desenvolvimento tecnológico. A capacidade competitiva e o faturamento

Leia mais

Adapte. Envolva. Capacite.

Adapte. Envolva. Capacite. Adapte. Envolva. Capacite. Ganhe produtividade em um Ambiente de trabalho digital #DigitalMeetsWork Os benefícios de um ambiente de trabalho digital têm impacto na competitividade do negócio. Empresas

Leia mais

Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil. Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres

Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil. Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres Iniciativas Globais Aliança do Setor Privado para a Redução do

Leia mais

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo

Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 Sumário Executivo Economia Móvel América Latina 2013 A GSMA representa os interesses da indústria mundial de comunicações móveis. Presente em mais de 220 países, a GSMA

Leia mais

Valor do portfólio da Temasek atinge recorde de R$ 250 bilhões

Valor do portfólio da Temasek atinge recorde de R$ 250 bilhões Comunicado à Imprensa Valor do portfólio da Temasek atinge recorde de R$ 250 bilhões - O portfólio apresentou um retorno total de 9% aos acionistas no período de 10 anos - Os investimentos realizados após

Leia mais

Conjuntura Macroeconômica e Setorial

Conjuntura Macroeconômica e Setorial Conjuntura Macroeconômica e Setorial O ano de 2012 foi um ano desafiador para a indústria mundial de carnes. Apesar de uma crescente demanda por alimentos impulsionada pela contínua expansão da renda em

Leia mais

METANOR S.A. Metanol do Nordeste Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2011

METANOR S.A. Metanol do Nordeste Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2011 METANOR S.A. Camaçari - Bahia - Brasil Relatório da Administração de 2011 Senhores Acionistas, Em conformidade com as disposições legais e estatutárias, a administração da METANOR S.A. submete à apreciação

Leia mais

Adicionando valor na produção

Adicionando valor na produção Adicionando valor na produção Em um mercado global altamente competitivo e em constantes transformações, a otimização do resultado dos processos de produção é fundamental. Pressões ambientais e de custo,

Leia mais

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 30/novembro/2015 n. 603 USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Com o título já enfático sobre o futuro dos preços

Leia mais

A GP no mercado imobiliário

A GP no mercado imobiliário A GP no mercado imobiliário A experiência singular acumulada pela GP Investments em diferentes segmentos do setor imobiliário confere importante diferencial competitivo para a Companhia capturar novas

Leia mais

A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes

A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes Serkan Arslanalp e Takahiro Tsuda 5 de março de 2014 Há um trilhão de razões para se interessar em saber quem detém

Leia mais

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro 2015 PARANÁ A estimativa de área para a safra 2015/16 de soja é recorde no Paraná. Segundo os técnicos de campo serão semeados 5,24 milhões de hectares,

Leia mais

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA)

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Alicia Ruiz Olalde Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Exportações Agronegócio (CEPEA) Em 2012, a receita das exportações do agronegócio brasileiro alcançou US$ 97 bilhões. Em 2014,

Leia mais

Milho Período: 16 a 20/03/2015

Milho Período: 16 a 20/03/2015 Milho Período: 16 a 20/03/2015 Câmbio: Média da semana: U$ 1,00 = R$ 3,2434 Nota: A paridade de exportação refere-se ao valor/sc desestivado sobre rodas, o que é abaixo do valor FOB Paranaguá. *Os preços

Leia mais

China e África: Será que a lua-de-mel vai continuar?

China e África: Será que a lua-de-mel vai continuar? China e África: Será que a lua-de-mel vai continuar? Wenjie Chen e Roger Nord 21 de dezembro de 2015 A promessa recente de apoio financeiro no valor de USD 60 mil milhões ao longo dos próximos três anos

Leia mais

A sua operação de mina faz uso de uma solução de software de planejamento integrado ou utiliza aplicações de software isoladas?

A sua operação de mina faz uso de uma solução de software de planejamento integrado ou utiliza aplicações de software isoladas? XACT FOR ENTERPRISE A ênfase na produtividade é fundamental na mineração à medida que as minas se tornam mais profundas, as operações se tornam cada vez mais complexas. Empresas de reconhecimento mundial

Leia mais

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015

TRIGO Período de 02 a 06/11/2015 TRIGO Período de 02 a 06//205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço Atual PR 60 kg 29,56 35,87 36,75 36,96 Semana Atual

Leia mais

Iniciativas Futuro Verde" do Japão

Iniciativas Futuro Verde do Japão 1. Compreensão Básica Iniciativas Futuro Verde" do Japão 1. Nas condições atuais, em que o mundo está enfrentando diversos problemas, como o crescimento populacional, a urbanização desordenadas, a perda

Leia mais

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS JUNHO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Plano de Sustentabilidade da Unilever

Plano de Sustentabilidade da Unilever Unilever Plano de Sustentabilidade da Unilever Eixo temático Governança Principal objetivo da prática Para a Unilever, o crescimento sustentável e lucrativo requer os mais altos padrões de comportamento

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares

Profissionais Portugueses no Brasil. Empresas Familiares Profissionais Portugueses no Brasil Empresas Familiares Tópicos Abordados As Gerações e o Mercado de Trabalho Empresas Familiares no Brasil Cenário Brasileiro e Estatísticas de Emprego no Brasil Características

Leia mais

Mensagem do presidente

Mensagem do presidente Mensagem do presidente A giroflex-forma está em um novo momento. Renovada, focada em resultados e nas pessoas, ágil e mais competitiva no mercado de assentos e de mobiliário corporativo. Representando

Leia mais

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024

[Infográfico] As projeções de produção da cana, açúcar e etanol na safra 2023/2024 As projeções de produção de cana, açúcar e etanol para a safra 2023/24 da Fiesp/MB Agro No Brasil, a cana-de-açúcar experimentou um forte ciclo de crescimento da produção na década passada. A aceleração

Leia mais

O outro lado da dívida

O outro lado da dívida O outro lado da dívida 18 KPMG Business Magazine A crise de endividamento na Europa abalou a economia global como a segunda grande onda de choque após a ruptura da bolha imobiliária nos Estados Unidos,

Leia mais

Criando Oportunidades

Criando Oportunidades Criando Oportunidades Clima, Energia & Recursos Naturais Agricultura & Desenvolvimento Rural Mercados de Trabalho & Sector Privado e Desenvolvimento Sistemas Financeiros Comércio & Integração Regional

Leia mais

Nota à imprensa. Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital

Nota à imprensa. Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital Nota à imprensa ab Novo estudo sigma da Swiss Re, O seguro no mundo em 2010 revela aumento do volume global de prêmios e do capital Contatos: Daniel Staib, Zurique Telefone +41 43 285 8136 Thomas Holzheu,

Leia mais

Vivendo de acordo com nossos valores...

Vivendo de acordo com nossos valores... Vivendo de acordo com nossos valores... o jeito Kinross Nossa empresa, Kinross, é uma empresa internacional de mineração de ouro sediada no Canadá, com operações nos Estados Unidos da América, Rússia,

Leia mais

LANXESS AG. Rainier van Roessel Membro da Diretoria. Sustentabilidade em Borrachas: Hoje e Amanhã. Painel 1 Discurso de Abertura

LANXESS AG. Rainier van Roessel Membro da Diretoria. Sustentabilidade em Borrachas: Hoje e Amanhã. Painel 1 Discurso de Abertura LANXESS AG Rainier van Roessel Membro da Diretoria Sustentabilidade em Borrachas: Hoje e Amanhã Painel 1 Discurso de Abertura LANXESS Rubber Day São Paulo (Favor verificar em relação à apresentação) 23

Leia mais

14º CONGRESSO BRASILEIRO DO AGRONEGÓCIO FÓRUM ALIMENTOS. Vamos tornar o Brasil o primeiro produtor de Alimentos do Mundo?

14º CONGRESSO BRASILEIRO DO AGRONEGÓCIO FÓRUM ALIMENTOS. Vamos tornar o Brasil o primeiro produtor de Alimentos do Mundo? 14º CONGRESSO BRASILEIRO DO AGRONEGÓCIO FÓRUM ALIMENTOS Vamos tornar o Brasil o primeiro produtor de Alimentos do Mundo? ALAN BOJANIC Ph.D. REPRESENTANTE DA FAO NO BRASIL ALIMENTAR O MUNDO EM 2050 As novas

Leia mais

A rede de franquias nº 1 em produtividade do mundo

A rede de franquias nº 1 em produtividade do mundo FRANQUIA A rede de franquias nº 1 em produtividade do mundo A rede de franquia com maior volume de vendas nos EUA. (Real Trends 500 2011) Primeiro sistema de franquias imobiliárias da América do Norte

Leia mais

CRESCIMENTO DAS MARGENS E RESULTADOS NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015 Em relação ao primeiro semestre de 2014:

CRESCIMENTO DAS MARGENS E RESULTADOS NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2015 Em relação ao primeiro semestre de 2014: PARIS, 28 de julho de 2015 O Conselho de Administração da Teleperformance, líder mundial em multichannel customer experience, examinou recentemente os relatórios financeiros consolidados para o semestre

Leia mais

Itautec S.A. Grupo Itautec. Guilherme Pereira Diretor Administrativo e Financeiro CFO 07.03.2013

Itautec S.A. Grupo Itautec. Guilherme Pereira Diretor Administrativo e Financeiro CFO 07.03.2013 Itautec S.A. Grupo Itautec Guilherme Pereira Diretor Administrativo e Financeiro CFO 07.03.2013 Sumário Executivo a mudança no cenário macroeconômico do Brasil (desvalorização cambial, redução das taxas

Leia mais

Tendências para o mercado de ovos e outras commodities Lygia Pimentel é médica veterinária e consultora pela Agrifatto

Tendências para o mercado de ovos e outras commodities Lygia Pimentel é médica veterinária e consultora pela Agrifatto Tendências para o mercado de ovos e outras commodities Lygia Pimentel é médica veterinária e consultora pela Agrifatto Para analisar qualquer mercado é importante entender primeiramente o contexto no qual

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação 3T08 Apresentação de Resultados José Carlos Aguilera (Diretor Presidente e de RI) Eduardo de Come (Diretor Financeiro) Marcos Leite (Gerente de RI) Destaques do Período Contexto de crise no

Leia mais

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo. Brasil: vento, energia e investimento. São Paulo/SP 23 de novembro de 2007

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo. Brasil: vento, energia e investimento. São Paulo/SP 23 de novembro de 2007 O Mercado de Energia Eólica E no Brasil e no Mundo Brasil: vento, energia e investimento São Paulo/SP 23 de novembro de 2007 Energia: importância e impactos A energia é um dos principais insumos da indústria

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO II RELATÓRIO ANALÍTICO 15 1 CONTEXTO ECONÔMICO A quantidade e a qualidade dos serviços públicos prestados por um governo aos seus cidadãos são fortemente influenciadas pelo contexto econômico local, mas

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011. Análise CEPLAN Recife, 17 de agosto de 2011. Temas que serão discutidos na VI Análise Ceplan A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe sobre mão de obra qualificada.

Leia mais

AGROINDÚSTRIA. O BNDES e a Agroindústria em 1998 BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 1 Gerência Setorial 1 INTRODUÇÃO 1.

AGROINDÚSTRIA. O BNDES e a Agroindústria em 1998 BNDES. ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 1 Gerência Setorial 1 INTRODUÇÃO 1. AGROINDÚSTRIA BNDES FINAME BNDESPAR ÁREA DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS 1 Gerência Setorial 1 O BNDES e a Agroindústria em 1998 INTRODUÇÃO Este informe apresenta os principais dados sobre os desembolsos do BNDES

Leia mais

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001

Assim é a Telefónica. Distribuição do EBITDA por países em 2001 Assim é a Telefónica A aquisição da Lycos, aliada ao fato de a nova empresa Terra Lycos operar em 43 países, permitiu, por um lado, uma maior penetração nos Estados Unidos e no Canadá. Por outro lado,

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Março de 205 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO 4T4 2 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO 4T4

Leia mais

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A.

Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. BRF RESULTADOS 2T14 Os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2014 consolidam as Empresas BRF S.A. As declarações contidas neste relatório relativas à perspectiva dos negócios da Empresa,

Leia mais

Respeitamos o fato de que cada cliente tem diferentes necessidades e demandas. Nosso objetivo é simplificar o complexo mercado de capitais e

Respeitamos o fato de que cada cliente tem diferentes necessidades e demandas. Nosso objetivo é simplificar o complexo mercado de capitais e Respeitamos o fato de que cada cliente tem diferentes necessidades e demandas. Nosso objetivo é simplificar o complexo mercado de capitais e proporcionar atendimento personalizado, sem perder de vista

Leia mais

Levin Flake Economista Senior de Comércio Escritório de Análise Global Serviço Exterior de Agricultura Departamento de Agricultura dos Estados Unidos

Levin Flake Economista Senior de Comércio Escritório de Análise Global Serviço Exterior de Agricultura Departamento de Agricultura dos Estados Unidos Levin Flake Economista Senior de Comércio Escritório de Análise Global Serviço Exterior de Agricultura Departamento de Agricultura dos Estados Unidos Levin.Flake@fas.usda.gov Global Policy Analysis Division

Leia mais

Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais

Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais Avaliação Ambiental Estratégica em Instituições Financeiras Multilaterais Garo Batmanian Banco Mundial Seminário Latino Americano de Avaliação Ambiental Estratégica Brasília, 28 de agosto de 2006 Estratégia

Leia mais

Resolver os principais desafios de engenharia do mundo.

Resolver os principais desafios de engenharia do mundo. 10% Sede global Parker Hannifin Corporation 6035 Parkland Boulevard Cleveland, Ohio 44124-4141 216 896 3000 Sede na EMEA Parker Hannifin Europe Sàrl La Tuilière 6 - CH-1163 Etoy, Suíça 41 0 21 821 85 00

Leia mais

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 14 de maio de 2014 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina¹ O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 O indicador

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

Seja um Profissional em Energia Solar

Seja um Profissional em Energia Solar Seja um Profissional em Energia Solar Nós, da Blue Sol, acreditamos no empoderamento de todos os consumidores de energia elétrica no Brasil através da possibilidade de geração própria da energia consumida.

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Canadá Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios De acordo com a nomenclatura usada pelo Ministério da Indústria do Canadá, o porte

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais