GESTÃO DE PROJECTOS IMOBILIÁRIOS, LDA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DE PROJECTOS IMOBILIÁRIOS, LDA."

Transcrição

1 GESTÃO DE PROJECTOS IMOBILIÁRIOS, LDA.

2 GESTÃO COORDENAÇÃO FISCALIZAÇÃO

3 03 1: INTRODUÇÃO

4 1: INTRODUÇÃO 04 A promoção de um empreendimento imobiliário é um processo complexo que envolve capitais avultados e elevado risco, que se desenvolve num prazo longo, quase nunca inferior a 5 anos, desde o estudo para aquisição do terreno ou do prédio no qual se pretende desenvolver o projecto, até à comercialização e subsequente apoio pós-venda aos clientes. Para além de outros objectivos estratégicos, tais como conceber e realizar um projecto que deixe uma marca de qualidade e bom gosto no tecido urbano onde intervém, para um investidor imobiliário, o seu projecto deve ser, enquanto tal, entendido como um conjunto de fluxos de entradas e saídas, de receitas e despesas, que lhe garantam um retorno superior ao de outras aplicações alternativas para o seu capital. O sucesso de um empreendimento imobiliário, depende não só de externalidades incontroláveis pelo promotor, de que é exemplo cabal a actual crise que assola a economia portuguesa, mas também, e sobretudo, de factores internos relacionados com o modelo de organização do promotor imobiliário, e das competências de que se rodeia para o desenvolvimento do seu projecto. De entre estas competências assume particular relevo a figura do project managing, que, na dependência directa do Promotor deve assegurar o acompanhamento e participar activamente em todas as fases do desenvolvimento do empreendimento cabendo-lhe uma intervenção activa na definição da estratégia, nas acções a desenvolver, na selecção e definição das condições de contratação de todos os intervenientes no processo, por forma a que sejam atingidos os objectivos estabelecidos, com o mínimo consumo de recursos, e ao melhor custo, garantindo através do acompanhamento permanente do planeamento e budget estabelecidos, o cumprimento dos prazos e custos definidos para o desenvolvimento do empreendimento. Para além do project managing, é fundamental assegurar, em fase de obra um adequado acompanhamento da construção, através de uma Coordenação e Fiscalização competente e experiente, que possa, com eficácia, assegurar o controlo permanente do cumprimento dos custos, prazos e qualidade previstos para empreendimento. É pois essencial para qualquer promotor rodear-se de profissionais experientes e competentes em quem possa delegar a totalidade, ou parte significativa, das tarefas inerentes à realização do seu investimento. Criámos para este efeito, alicerçada num núcleo de técnicos pluridisciplinares e experientes, uma organização para project managing e coordenação e fiscalização de empreendimentos imobiliários. A FFC foi fundada em 1992 e ao longo de mais de 20 anos acompanhou mais de 30 empreendimentos imobiliários, tendo sabido granjear o reconhecimento de inúmeros promotores que nos concederam o privilégio de os assessorar no desenvolvimento dos seus projectos.

5 05 2: OBJECTO E FASEAMENTO DAS MISSÕES 2.1: PROJECT MANAGING 2.2: COORDENAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DA CONSTRUÇÃO

6 2: OBJECTO E FASEAMENTO DAS MISSÕES DE PROJECT MANAGING E COORDENAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DA CONSTRUÇÃO : PROJECT MANAGING a) Apoiar o Promotor na definição do Programa do Empreendimento, em função dos instrumentos de planeamento para o local e dos objectivos estratégicos a atingir; b) Estabelecer contactos com os Serviços Técnicos da Câmara Municipal, e das restantes entidades com tutela na zona, para antecipar condicionantes a ter em conta na execução dos projectos, por forma a garantir a sua atempada aprovação; c) Elaborar um Orçamento Preliminar do Empreendimento, com estimativa de todos os custos necessários à sua concretização; d) Elaboração de um Estudo Preliminar de Viabilidade Económica do empreendimento, que permita uma análise de todas as eventuais alterações estratégicas a introduzir; e) Preparação de um Planning Preliminar do Empreendimento, sujeito a constante actualização, por forma a manter o promotor permanentemente informado do progresso do empreendimento, e dos eventuais desvios, desenvolvendo todas as acções junto de todos os intervenientes por forma a minimizar os atrasos; f) Com base nos documentos referidos em c), d) e e) preparar um Projecto de Investimento, donde conste a análise de custos e o planeamento financeiro da totalidade do empreendimento, a manter permanentemente actualizado, e que permita uma análise periódica conjunta com o promotor, por forma a que se possam tomar atempadamente as medidas correctivas que se justificarem; g) Estabelecer o Programa Preliminar a fornecer aos projectistas, onde constarão todas as características essenciais do empreendimento, em função dos objectivos a atingir, e que deverão ser respeitadas e contempladas nos projectos; h) Apoiar o promotor na definição de todos os estudos e projectos essenciais ao licenciamento e execução da obra, bem como na selecção dos projectistas a consultar em função do programa estabelecido e das características da construção que se pretender levar a efeito;

7 2: OBJECTO E FASEAMENTO DAS MISSÕES DE PROJECT MANAGING E COORDENAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DA CONSTRUÇÃO 07 i) Apoiar o promotor na preparação dos contratos a celebrar com os projectistas, dispensando particular atenção à calendarização dos prazos de execução dos projectos, de molde a minimizar o seu prazo global de execução; j) Apoiar o promotor, assistindo-o quando para tal solicitado, relativamente às opções de projecto a tomar, analisando as suas implicações nos custos e prazos de construção; k) Acompanhar a execução dos projectos e proceder a uma análise constante dos mesmos, no sentido de assegurar a perfeita compatibilidade com o programa definido; l) Desenvolver as acções necessárias junto de cada projectista para garantir o cumprimento dos prazos de elaboração dos projectos, de modo a não comprometer a calendarização estabelecida; m) Acompanhar o licenciamento dos projectos junto da Câmara Municipal de Lisboa e restantes entidades oficiais e concessionárias; n) Apoiar e assistir o promotor relativamente à estratégia de consulta ao mercado, propondo as modalidades de faseamento das consultas aos empreiteiros e fornecedores, julgadas mais convenientes; o) Preparação dos dossiers de consulta, integrando os projectos de execução e os programas de concurso e caderno de encargos, nos quais constarão as condições jurídicas e administrativas por que se regerão as diferentes empreitadas e fornecimentos; p) Propor os empreiteiros e fornecedores a consultar; q) Recepcionar e apreciar as propostas dos empreiteiros e fornecedores e elaborar os relatórios de apreciação devidamente fundamentados; r) Participar e assessorar o promotor nas negociações para eleição dos adjudicatários das diferentes empreitadas e fornecimentos; s) Preparação das minutas de contrato por que se regerão as empreitadas e fornecimentos.

8 2: OBJECTO E FASEAMENTO DAS MISSÕES DE PROJECT MANAGING E COORDENAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DA CONSTRUÇÃO : COORDENAÇÃO E FISCALIZAÇÃO DA CONSTRUÇÃO a) Preparar e formalizar os autos de consignação das diferentes empreitadas; b) Organizar e dirigir as reuniões de obra, elaborando e difundindo as respectivas actas; c) Fiscalizar a conformidade da execução dos trabalhos com o estabelecido nos contratos, em matéria de qualidade, preços e prazos; d) Preparar e verificar os autos mensais dos trabalhos realizados pelos diferentes empreiteiros e fornecedores informando as correspondentes facturas com indicação das respectivas condições e prazos de liquidação; e) Elaborar um relatório mensal de progresso dos trabalhos para manter o promotor informado da evolução das diferentes empreitadas e fornecimentos, e do cumprimento e evolução dos planos de trabalho e cronogramas financeiros; f) Garantir o cumprimento dos prazos contratuais e propor a aplicação das medidas correctivas e penalidades para evitar ou minimizar os eventuais atrasos relativamente aos planos de trabalhos contratuais; g) Proceder às recepções provisórias das empreitadas e fornecimentos contratados, dos quais serão elaborados os respectivos autos com as ressalvas de reparações a efectuar; h) Preparação da conta final das empreitadas e fornecimentos contratados, bem como, do dossier de telas finais e manuais de utilização e manutenção;

9 09 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS

10 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 10 HOTEL ROSA ARAÚJO LISBOA ( ) Hotel de 4 estrelas com 83 quartos. CERQUIA, S.A. BAI CENTER CABO VERDE ( ) Edifício de comércio e serviços com uma área de construção total de 9.060m². BANCO SUL ATLÂNTICO Coordenação dos Projectos PALÁCIO DA INQUISIÇÃO E PÁTEO DE S. MIGUEL ÉVORA ( ) Reabilitação/Remodelação do antigo colégio Jesuíta do Palácio da Inquisição e do conjunto edificado do Páteo de S. Miguel na Acrópole de Évora FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA Coordenação e Fiscalização das Obras

11 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 11 REPUBLICA 25 LISBOA ( ) Edifício de serviços com uma área de construção total de m². IMOURBE - Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Revisão dos Projectos GAIART S PLAZA CENTRUM VILA NOVA DE GAIA ( ) Complexo constituído por um Retail, um Hospital, uma Unidade de Residências Assistidas, um Hotel e um Pólo Universitário, num total de construção de m2 CLIENTE: FUNDO VIP - Fundo de Valores e Investimentos Prediais Revisão dos Projectos SEDE DO BANCO AFRICANO DE INVESTIMENTOS CABO VERDE (2008) Adaptação de parte do edifício de serviços numa área de construção total aproximada de 3.500m² BANCO AFRICANO DE INVESTIMENTOS

12 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 12 EDIFÍCIO DE HABITAÇÃO E COMÉRCIO (AV. DA ÍNDIA) LISBOA ( ) Edifício de habitação e comércio com uma área total de construção de m2. ARENA - Construções Imobiliárias, S.A. Revisão dos Projectos COMPLEXO DA NOVA ADEGA CARTUXA ÉVORA ( ) Complexo constituído por uma nova Adega com uma área de implantação de m2, reabilitação do Monte anexo e construção de um novo Páteo Agrícola. FUNDAÇÃO EUGÉNIO DE ALMEIDA Revisão dos Projectos QUINTA DE S. PEDRO OEIRAS ( ) Condomínio residencial resultante da remodelação e ampliação da antiga casa Senhorial da Quinta de S. Pedro. TELHA REAL, S.A. Revisão dos Projectos

13 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 13 EDIFÍCIO PALMELA - SEDE DO BANCO BARCLAYS LISBOA ( ) Edifício de serviços com uma área de construção total de 8.500m². SILCOGE - Sociedade Construtora de Obras Gerais, Lda Coordenação de Projectos Licenciamentos ZONA COMERCIAL DA AROEIRA - HERDADE DA AROEIRA AROEIRA ( ) Edifício de comércio com uma área de construção total de 2.000m². SILCOGE - Sociedade Construtora de Obras Gerais, Lda Revisão dos Projectos COLÉGIO TAGUS PARK OEIRAS ( ) Edifício destinado exclusivamente a unidade escolar com uma área de construção total de 4.500m² CIÊNCIA ACTIVA - Educação e Ocupação de Tempos Livres, Lda Revisão dos Projectos

14 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 14 NOVA ALCÂNTARA LISBOA ( ) Empreendimento de habitação e serviços num terreno com 4,2 ha e uma área de construção prevista de m² SILCOGE - Sociedade Construtora de Obras Gerais, Lda Coordenação dos Projectos de Loteamento Elaboração de Projectos de Investimento OEIRAS PARQUE LOTE 7 PORTO SALVO / OEIRAS ( ) Edifício de serviços com uma área de construção total de m² ESAF - Espírito Santos Fundos de Investimento Imobiliário, S. A. Revisão dos Projectos EDIFÍCIO SEDE CME PORTO SALVO / OEIRAS ( ) Complexo composto por 3 edifícios de serviços com uma área de construção total de m² 3SI - Gestão e Investimento Imobiliário, S.A. Revisão dos Projectos

15 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 15 EDIFÍCIO SEDE PROSONIC PORTO SALVO / OEIRAS ( ) Edifício de serviços com uma área de construção total de m² ENTRETOM - Imóveis e Serviços, S.A. Revisão dos Projectos POLIS BEJA BEJA ( ) Fiscalização do Programa Polis da cidade de Beja BEJAPOLIS - Sociedade para o Desenvolvimento do Programa Polis em Beja, SA Fiscalização da Obra VILLAS DA AROEIRA HERDADE DA AROEIRA ALMADA ( ) 726 apartamentos turísticos em condomínio de golf, com uma área de construção total de m² SILAROEIRA

16 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 16 QUINTA DA FRANCA BARCARENA / OEIRAS ( ) Loteamento Urbano de 251 fogos numa propriedade de 9ha. QUINTA DA FRANCA, S.A. CASAS DE S. MARCOS OLEIROS / AZEITÃO ( ) Condomínio fechado composto por 18 moradias. ROSADO & FRAZÃO IMOBILIÁRIA, LDA Licenciamentos Gestão, AV. 5 DE OUTUBRO, LISBOA ( ) Edifício de Comercio e Escritórios com uma área total de construção de 6.000m². TEAM EQUMEIOS - Publicidade e Estudos de Mercado, SA

17 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 17 EDIFÍCIO CASTILHO 5 LISBOA (1998) Remodelação de Escritórios, com uma área total de construção de m² FUNDO VIP - Fundo de Valores e Investimentos Prediais PISCINA TROPICAL DA AROEIRA HERDADE DA AROEIRA (1997) Construção de piscina tropical em condomínio de golf SILAROEIRA EDIFÍCIO TRIUNFO CARNAXIDE / OEIRAS ( ) Condomínio de Comércio e Serviços, com uma área total de construção de m² SCOG - Sociedade Construtora de Obras Gerais, Lda

18 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 18 EDIFÍCIO ATLAS I E II MIRAFLORES / OEIRAS ( ) Edifício de Escritórios, com área total de construção de m² FUNDO VIP - Fundo de Valores e Investimentos Prediais Licenciamentos EDIFÍCIO SEDE GRUNDFOS PORTUGAL PAÇO D ARCOS / OEIRAS ( ) Complexo de Escritórios e Armazém BOMBAS GRUNDFOS PORTUGAL, LDA Licenciamentos EDIFÍCIO PALMELA LISBOA ( ) Remodelação e ampliação das instalações do Jornal Expresso, na Rua Duque de Palmela m² SOJORNAL Licenciamento dos projectos

19 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 19 EDIFÍCIO CASTRO E MELO LISBOA ( ) Reconstrução do edifício de Habitação e Comercio na zona sinistrada do Chiado, com a área total de 4.800m² CASTRO E MELO PÓRTICO DAS FLORES MIRAFLORES / OEIRAS ( ) Desenvolvimento do Loteamento Urbano composto por 21 edifícios e 1 Health Club, num total de m² de construção. SILIMO - Sociedade Imobiliária, SA HOTEL PULLMAN / SOFITEL LISBOA ( ) Hotel de 4 estrelas com 172 quartos. SILTEL - Sociedade Portuguesa de Hotéis, S.A.

20 3: PRINCIPAIS EMPREENDIMENTOS GERIDOS PELA FFC OU PELOS SEUS SÓCIOS 20 APARTHOTEL VILLAGE CASCAIS CASCAIS ( ) Aparthotel com 233 apartamentos SCOG - Sociedade Construtora de Obras Gerais, Lda HERDADE DOS AIVADOS COSTA ALENTEJANA ( ) Desenvolvimento urbanístico da Herdade dos Aivados, com 550ha no sudoeste Alentejano JOAQUIM CARLOS SILVEIRA Gestão de Projecto

21 GESTÃO DE PROJECTOS IMOBILIÁRIOS, LDA. RUA RODRIGO DA FONSECA, N.º 178, 6.º DTO LISBOA TEL: FAX: SOCIEDADE POR QUOTAS CAPITAL SOCIAL PESSOA COLECTIVA E C.R.C. LISBOA N.º

Curriculum Vitae. Nome Ricardo Hermano de Sousa Alves Ferreira. Data de Nascimento 05/03/1955, em Moçambique. Morada Urbanização Terraços do Pinhal,

Curriculum Vitae. Nome Ricardo Hermano de Sousa Alves Ferreira. Data de Nascimento 05/03/1955, em Moçambique. Morada Urbanização Terraços do Pinhal, Curriculum Vitae Dados Pessoais Nome Ricardo Hermano de Sousa Alves Ferreira Nacionalidade Portuguesa Data de Nascimento 05/03/1955, em Moçambique Estado Civil Casado Morada Urbanização Terraços do Pinhal,

Leia mais

projectos de engenharia e fiscalização de obras, lda.

projectos de engenharia e fiscalização de obras, lda. projectos de engenharia e fiscalização de obras, lda. PORTUGAL ARGELIA ANGOLA BARRA4 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 MORADIAS EM BANDA Correia & Nóbrega, Lda Caniço, R. A. Madeira MORADIA UNIFAMILIAR

Leia mais

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES

MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES 1783 MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Decreto n.º 7/2008 de 27 de Março A rede ferroviária de alta velocidade constitui um empreendimento público de excepcional interesse nacional

Leia mais

TURIM S.A. Telefone: 2415 018 Fax: 2415 017 Móvel: 9843 432 E-mail: jasmine-villas@turim.cv Site: www.turim.cv

TURIM S.A. Telefone: 2415 018 Fax: 2415 017 Móvel: 9843 432 E-mail: jasmine-villas@turim.cv Site: www.turim.cv TURIM S.A. Telefone: 2415 018 Fax: 2415 017 Móvel: 9843 432 E-mail: jasmine-villas@turim.cv Site: www.turim.cv Index 1. Murdeira 2. Jasmine Villas O Conceito Localização Arquitectura As Vivendas Tipologias

Leia mais

MUNICIPIO DE PENELA CÂMARA MUNICIPAL

MUNICIPIO DE PENELA CÂMARA MUNICIPAL MUNICIPIO DE PENELA CÂMARA MUNICIPAL PLANO DE APOIO AO INVESTIMENTO 2006-2009 Artigo 1º. O Programa para o quadriénio (2006/2009) da Câmara Municipal de Penela, ao Apoio ao Investimento privado e cooperativo

Leia mais

Gestão global de empreendimentos

Gestão global de empreendimentos Gestão global de empreendimentos Coordenação e fiscalização de obras José Amorim Faria FEUP - Porto 1 CONTEÚDO Gestão global de empreendimentos Análise mais detalhada das principais áreas da fiscalização

Leia mais

Lisbon Investments & Avenida Luxury Retail Projects. Lisboa no centro de grandes negócios

Lisbon Investments & Avenida Luxury Retail Projects. Lisboa no centro de grandes negócios Lisbon Investments & Avenida Luxury Retail Projects Lisboa no centro de grandes negócios 1 PLMJ criou um serviço tailored para operadores de retail e investidores que necessitem de aconselhamento jurídico

Leia mais

C U R R I C U L U M V I T A E

C U R R I C U L U M V I T A E CURRICULUM VITAE INFORMAÇÃO PESSOAL Nome Morada Contacto Tel / Email Nacionalidade Portuguesa Data de nascimento 14/06/1965 JOÃO ANTÓNIO DIAS MARTINS Rua Custódio Pereira Ramos, 480-D, R/c, Dto. 4455-123

Leia mais

Escolas de Pentatlo Moderno

Escolas de Pentatlo Moderno Escolas de Pentatlo Moderno ÍNDICE O que é o franchising PENTAKID? 3 Serviços PENTAKID 5 Marketing 6 Recursos Humanos 7 Financiamento 8 Processo de aquisição 9 Ficha técnica 10 Carta de resposta 11 2 O

Leia mais

CURRICULUM VITAE NOME DATA DE NASCIMENTO HABILITAÇÕES LITERÁRIAS CONHECIMENTO DE LÍNGUAS EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL - JOSÉ MIGUEL SARDINHA - 15/09/59

CURRICULUM VITAE NOME DATA DE NASCIMENTO HABILITAÇÕES LITERÁRIAS CONHECIMENTO DE LÍNGUAS EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL - JOSÉ MIGUEL SARDINHA - 15/09/59 CURRICULUM VITAE NOME - JOSÉ MIGUEL SARDINHA DATA DE NASCIMENTO - 15/09/59 HABILITAÇÕES LITERÁRIAS - LICENCIADO EM DIREITO PELA FACULDADE DE DIREITO DE LISBOA (1984). 13 valores.grau de Mestre em Direito

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Organização de Eventos Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/7 ÁREA DE ACTIVIDADE OBJECTIVO GLOBAL SAÍDAS

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Considerando que os Municípios dispõem de atribuições no domínio da promoção do desenvolvimento, de acordo com o disposto na alínea n) do n.º 1 do

Leia mais

Reabilitação Urbana Sustentabilidade Caso Coimbra

Reabilitação Urbana Sustentabilidade Caso Coimbra Reabilitação Urbana Sustentabilidade Caso Coimbra Sustentabilidade (visões): -Económica -Ambiental -Social Reabilitação Urbana (Dec.-Lei nº307/2009): Intervenção integrada sobre o tecido urbano existente,

Leia mais

Avaliação. As avaliações são realizadas, de acordo com os métodos que melhor se adequam ao imóveis em causa.

Avaliação. As avaliações são realizadas, de acordo com os métodos que melhor se adequam ao imóveis em causa. Apresentação A Real Consul uma empresa portuguesa, com uma estrutura de capital inteiramente nacional, que se dedica à consultoria e avaliação imobiliária desde 1995. A empresa combina um alto nível de

Leia mais

Investir em Moçambique Aspectos jurídicos do Investimento Imobiliário. Manuel Camarate de Campos

Investir em Moçambique Aspectos jurídicos do Investimento Imobiliário. Manuel Camarate de Campos Manuel Camarate de Campos logo_rsalp Investir em Moçambique Coimbra, 3 de Novembro de 2014 Investimento imobiliário? Habitação (condomínios, moradias, habitação social) Centros comerciais/retail Parks

Leia mais

Decreto Presidencial n.º 152/11, de 13 de Junho

Decreto Presidencial n.º 152/11, de 13 de Junho Decreto Presidencial n.º 152/11, de 13 de Junho Página 1 de 16 Considerando a importância histórica, paisagística, turística e a localização privilegiada do perímetro demarcado do Futungo de Belas, o Conselho

Leia mais

Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar. Regulamento

Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar. Regulamento Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar Regulamento junho de 2011 Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar Projeto aprovado por Deliberação da Câmara Municipal,

Leia mais

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem;

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem; SIPIE SISTEMA DE INCENTIVOS A PEQUENAS INICIATIVAS EMPRESARIAIS FICHA DE MEDIDA Apoia projectos com investimento mínimo elegível de 15.000 e a um máximo elegível de 150.000, que visem a criação ou desenvolvimento

Leia mais

Resultados do projeto: prática de financiamento. Joana Castro e Almeida

Resultados do projeto: prática de financiamento. Joana Castro e Almeida Resultados do projeto: prática de financiamento Joana Castro e Almeida Financiamento externo pelas CM? 1/3 SIM; 2/3 NÃO Objetivos T. 4 Sistema de financiamento 1. Conhecer a prática de financiamento bancário

Leia mais

O Programa de Acção Territorial do Escarpão

O Programa de Acção Territorial do Escarpão O Programa de Acção Territorial do Escarpão João Telha CEDRU - Centro de Estudos e Desenvolvimento Regional e Urbano, Lda Seminário Indústria Extractiva Ordenamento Territorial e Licenciamento de Pedreiras

Leia mais

(n.º/lote), (andar), (localidade) (cód. Postal), Freguesia de, com o telefone n.º, telemóvel n.º fax n.º e-mail Site (WWW):.

(n.º/lote), (andar), (localidade) (cód. Postal), Freguesia de, com o telefone n.º, telemóvel n.º fax n.º e-mail Site (WWW):. FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Ano a que respeita a candidatura I. IDENTIFICAÇÃO DA ENTIDADE GESTORA (Designação da Entidade/Organização) n.º de contribuinte, com sede na (Rua, Av.) (n.º/lote), (andar), (localidade)

Leia mais

AVALIAÇÕES IMOBILIÁRIAS

AVALIAÇÕES IMOBILIÁRIAS 2013 AVALIAÇÕES IMOBILIÁRIAS Índice 03 Apresentação 03 Clientes Sociedades Gestoras de Fundos de Investimento Imobiliário; Promotores Imobiliários; Mediadoras Imobiliárias; Empresas; Advogados; Particulares.

Leia mais

A Vortal é uma empresa portuguesa, líder destacada no mercado ibérico de comércio G2B2B (government-to-business-to-business).

A Vortal é uma empresa portuguesa, líder destacada no mercado ibérico de comércio G2B2B (government-to-business-to-business). Uma parceria: A Confidencial Imobiliário é a primeira publicação dirigida ao sector imobiliário, com uma tradição de 20 anos a divulgar os preços do mercado imobiliário Publica a revista Confidencial Imobiliário

Leia mais

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Serpa

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Serpa Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Serpa Anexo I ao protocolo financeiro e de cooperação Normas e Condições de Acesso Artigo 1º. (Objectivo) Pretende-se colocar à disposição das

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão, incluindo os de Corrupção e Infracções conexas

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão, incluindo os de Corrupção e Infracções conexas Plano de Prevenção de Riscos de Gestão, incluindo os de Corrupção e Infracções conexas Relatório Anual O presente relatório pretende demonstrar o acompanhamento e a forma como os diversos serviços do Município

Leia mais

Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social

Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social Enquadramento Com base numa visão estratégica de desenvolvimento social que valorize a rentabilização dos recursos técnicos e financeiros

Leia mais

PROTOCOLO INSTITUTO DO CINEMA, AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA RADIOTELEVISÃO PORTUGUESA SA. Considerando que: - Em 18 de Setembro de 1996, foi celebrado

PROTOCOLO INSTITUTO DO CINEMA, AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA RADIOTELEVISÃO PORTUGUESA SA. Considerando que: - Em 18 de Setembro de 1996, foi celebrado PROTOCOLO INSTITUTO DO CINEMA, AUDIOVISUAL E MULTIMÉDIA RADIOTELEVISÃO PORTUGUESA SA. Considerando que: - Em 18 de Setembro de 1996, foi celebrado entre o Ministério da Cultura (MC) e a Radiotelevisão

Leia mais

B-Bruxelas: Estudo sobre a situação do mercado de encomendas da UE, com especial ênfase no comércio electrónico 2012/S 99-163950. Anúncio de concurso

B-Bruxelas: Estudo sobre a situação do mercado de encomendas da UE, com especial ênfase no comércio electrónico 2012/S 99-163950. Anúncio de concurso 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:163950-2012:text:pt:html B-Bruxelas: Estudo sobre a situação do mercado de encomendas da UE, com especial ênfase no comércio

Leia mais

ESTATUTOS DO CENTRO DE INFORMAÇÃO, MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM DA ORDEM DOS NOTÁRIOS. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1.º

ESTATUTOS DO CENTRO DE INFORMAÇÃO, MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM DA ORDEM DOS NOTÁRIOS. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1.º Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1.º Natureza, âmbito, objecto e sede 1. O Centro de Informação, Mediação e Arbitragem da Ordem dos Notários (adiante designado por Centro), é a instituição de arbitragem,

Leia mais

Conselho Municipal de Educação

Conselho Municipal de Educação 1 Regimento do (CME) do Município de Vila Nova de Paiva A Lei 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo 19, n.º2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos locais

Leia mais

ESEIGlobal Simulador Empresarial 3ª Edição - 2005/2006 NEGÓCIOS. Ana Pestana SEGMENTO DE MERCADO CAPACIDADE FINANCEIRA.

ESEIGlobal Simulador Empresarial 3ª Edição - 2005/2006 NEGÓCIOS. Ana Pestana SEGMENTO DE MERCADO CAPACIDADE FINANCEIRA. PLANO DE NEGÓCIOS Ana Pestana VIABILIDADE DO PROJECTO SEGMENTO DE CAPACIDADE FINANCEIRA Ana Pestana 1 CARACTERÍSTICAS Elevado nível de objectividade Adaptado àrealidade do projecto Transmitir uma imagem

Leia mais

reconversão de empreendimentos turísticos

reconversão de empreendimentos turísticos reconversão de empreendimentos turísticos 01. Reconversão de Empreendimentos Turísticos Com o objectivo de requalificar a oferta turística nacional, foi aprovado um novo regime jurídico dos empreendimentos

Leia mais

Propostas de Modelos de Gestão e Financiamento. José Antunes Ferreira Joana Castro e Almeida Ana Morais de Sá

Propostas de Modelos de Gestão e Financiamento. José Antunes Ferreira Joana Castro e Almeida Ana Morais de Sá Propostas de Modelos de Gestão e Financiamento José Antunes Ferreira Joana Castro e Almeida Ana Morais de Sá Constrangimentos Número de PP Tempos de realização Défice de adequabilidade do Instrumento A

Leia mais

BENEFÍCIOS FISCAIS PARA A REABILITAÇÃO URBANA ENQUADRAMENTO LEGAL

BENEFÍCIOS FISCAIS PARA A REABILITAÇÃO URBANA ENQUADRAMENTO LEGAL BENEFÍCIOS FISCAIS PARA A REABILITAÇÃO URBANA ENQUADRAMENTO LEGAL Refere o Decreto-Lei nº 307/2009 de 23 de Outubro No artigo 2º Definições i) «Reabilitação de edifícios» a forma de intervenção destinada

Leia mais

Sociedade de Desenvolvimento Turístico das Ilhas de Boa Vista e Maio, SA

Sociedade de Desenvolvimento Turístico das Ilhas de Boa Vista e Maio, SA Sociedade de Desenvolvimento Turístico das Ilhas de Boa Vista e Maio, SA MISSÃO E OBJECTIVOS Iª APOIBM, Ilha da Boa Vista, 15 de Outubro de 2009 NATUREZA SOCIETÁRIA E Sociedade CAPITAL SOCIAL anónima de

Leia mais

Conselho Municipal de Educação de Santa Marta de Penaguião Projecto de Regimento

Conselho Municipal de Educação de Santa Marta de Penaguião Projecto de Regimento Conselho Municipal de Educação de Santa Marta de Penaguião Projecto de Regimento A Lei de Bases do Sistema Educativo assume que o sistema educativo se deve organizar de forma a descentralizar, desconcentrar

Leia mais

Sociedade de capitais exclusivamente públicos, criada em Novembro de 2004 CAPITAL

Sociedade de capitais exclusivamente públicos, criada em Novembro de 2004 CAPITAL Reabilitação Urbana Sustentável o caso do Centro Histórico e da Baixa da cidade do Porto Álvaro Santos Presidente Executivo do Conselho de Administração Porto, 13 de Julho de 2015 Porto Vivo, SRU Sociedade

Leia mais

Norma Nr.016 / 1999 de 29/12 REVOGA AS NORMAS N.º 10/96-R E N.º 11/97-R

Norma Nr.016 / 1999 de 29/12 REVOGA AS NORMAS N.º 10/96-R E N.º 11/97-R Norma Nr.016 / 1999 de 29/12 REVOGA AS NORMAS N.º 10/96-R E N.º 11/97-R AVALIAÇÃO DOS TERRENOS E EDIFÍCIOS DAS EMPRESAS DE SEGUROS E DOS FUNDOS DE PENSÕES Considerando que, de acordo com a regulamentação

Leia mais

P-Évora: Equipamento de controlo e telemetria 2008/S 132-176072 ANÚNCIO DE CONCURSO. Fornecimentos

P-Évora: Equipamento de controlo e telemetria 2008/S 132-176072 ANÚNCIO DE CONCURSO. Fornecimentos 1/5 P-Évora: Equipamento de controlo e telemetria 2008/S 132-176072 ANÚNCIO DE CONCURSO Fornecimentos SECÇÃO I: ENTIDADE ADJUDICANTE I.1) DESIGNAÇÃO, ENDEREÇOS E PONTOS DE CONTACTO: Águas do Centro Alentejo,

Leia mais

Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão. Preâmbulo

Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão. Preâmbulo REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO FUNDÃO Publicação II SÉRIE N.º 98 20 de Maio de 2010 Regulamento do Conselho Municipal de Educação do Fundão Preâmbulo A Lei de Bases do Sistema Educativo

Leia mais

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico, Turismo de Portugal, I.P. Rua Ivone Silva, Lote 6, 1050-124 Lisboa Tel. 211 140 200 Fax. 211 140 830 apoioaoempresario@turismodeportugal.pt

Leia mais

Curso de Pós-Graduação

Curso de Pós-Graduação Curso de Pós-Graduação PÓS GRADUAÇÃO EM DIREITO IMOBILIÁRIO Funchal Maio de 2010 PÓS-GRADUAÇÃO DE DIREITO IMOBILIÁRIO Esta Pós-Graduação resulta da parceria entre a APEL (Associação Promotora do Ensino

Leia mais

ESCLARECIMENTO ORDEM DOS ARQUITECTOS, ENCOMENDA PÚBLICA E PARQUE ESCOLAR. UMA CRONOLOGIA 29-03-2010

ESCLARECIMENTO ORDEM DOS ARQUITECTOS, ENCOMENDA PÚBLICA E PARQUE ESCOLAR. UMA CRONOLOGIA 29-03-2010 ESCLARECIMENTO ORDEM DOS ARQUITECTOS, ENCOMENDA PÚBLICA E PARQUE ESCOLAR. UMA CRONOLOGIA 29-03-2010 Por forma a melhor esclarecer os membros da OA quanto à posição e actuação da Ordem, nos últimos dois

Leia mais

Gestão de Energia e Eficiência Energética nas Empresas O enquadramento legal!

Gestão de Energia e Eficiência Energética nas Empresas O enquadramento legal! Gestão de Energia e Eficiência Energética nas Empresas O enquadramento legal! 25 de Janeiro de 2013 Agenda: Enquadramento Legislativo e Regulamentar adequado à Utilização de Energia nas empresas; Âmbito

Leia mais

Estaleiros Temporários ou Móveis Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

Estaleiros Temporários ou Móveis Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro Estaleiros Temporários ou Móveis Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro 1. INTRODUÇÃO A indústria da Construção engloba um vasto e diversificado conjunto de características, tais como: Cada projecto

Leia mais

DIRECÇÃO DE OBRA SÍNTESE DOS PRINCIPAIS CONCEITOS

DIRECÇÃO DE OBRA SÍNTESE DOS PRINCIPAIS CONCEITOS DIRECÇÃO DE OBRA SÍNTESE DOS PRINCIPAIS CONCEITOS MAIO 2004 J. Amorim Faria 1/29 ÍNDICE Organograma empresa; Organograma obra; Organização do trabalho operário; Principais funções; Gestão de recursos produtivos;

Leia mais

Propostas para Revitalização do sector do Turismo Residencial Janeiro de 2013

Propostas para Revitalização do sector do Turismo Residencial Janeiro de 2013 Propostas para Revitalização do sector do Turismo Residencial Janeiro de 2013 APR Associação Portuguesa de Resorts A Associação Portuguesa de Resorts (APR) tem por missão promover a imagem, empresas e

Leia mais

Ministério das Obras Públicas

Ministério das Obras Públicas Ministério das Obras Públicas ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS CAPÍTULO I Natureza e Atribuições Artigo 1.º (Natureza) O Ministério das Obras Públicas é o órgão da administração pública

Leia mais

REGULAMENTO DE COMPENSAÇÕES POR NÃO CEDÊNCIA DE TERRENOS PARA EQUIPAMENTOS E ESPAÇOS VERDES PÚBLICOS DECORRENTE DA APROVAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

REGULAMENTO DE COMPENSAÇÕES POR NÃO CEDÊNCIA DE TERRENOS PARA EQUIPAMENTOS E ESPAÇOS VERDES PÚBLICOS DECORRENTE DA APROVAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS REGULAMENTO DE COMPENSAÇÕES POR NÃO CEDÊNCIA DE TERRENOS PARA EQUIPAMENTOS E ESPAÇOS VERDES PÚBLICOS DECORRENTE DA APROVAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS 1. O Regulamento referente à compensação pela não

Leia mais

INICIATIVA JESSICA. Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo. Faro, 22 de maio de 2013

INICIATIVA JESSICA. Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo. Faro, 22 de maio de 2013 INICIATIVA JESSICA Fundo de Desenvolvimento Urbano Turismo Faro, 22 de maio de 2013 O Turismo na economia Peso no PIB Peso no Emprego Peso nas Exportações Peso dos Mercados O Turismo e a Regeneração Urbana

Leia mais

1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008

1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 1372-(6) Diário da República, 1.ª série N.º 44 3 de Março de 2008 inferior a 0,8 m 1,2 m, ou, caso se trate de operação urbanística em fracção já existente, confinante com arruamento ou espaço de circulação

Leia mais

Overview pela fiscalidade no sector imobiliário

Overview pela fiscalidade no sector imobiliário Overview pela fiscalidade no sector imobiliário A perspectiva do pequeno investidor II Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa Sociedade de Geografia 16 de Abril de 2015 ÍNDICE DE CONTEÚDOS I INCENTIVOS

Leia mais

Câmara Municipal de Almeida Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Enquadramento legal

Câmara Municipal de Almeida Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Enquadramento legal 1 Câmara Municipal de Almeida Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Enquadramento legal 1. A Câmara Municipal de Almeida tem, nos termos da lei e dos estatutos, autonomia administrativa, financeira e

Leia mais

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS

SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - SIADAP - ANO DE 2015 MISSÃO E OBJECTIVOS DAS UNIDADES ORGÃNICAS DOS SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS DA MAIA, PARA O ANO DE 2015 DIVISÃO ECONÓMICA

Leia mais

2. Regra geral, o IVA não dedutível deve ser registado na conta 68111 : a) Verdadeira; b) Falsa Justificação:

2. Regra geral, o IVA não dedutível deve ser registado na conta 68111 : a) Verdadeira; b) Falsa Justificação: 1. A aplicação do princípio da prudência está exclusivamente relacionada com o registo de perdas de imparidade em activos e provisões : a) Verdadeira; b) Falsa 2. Regra geral, o IVA não dedutível deve

Leia mais

Currículo da Empresa Pichelaria Jaime Soares Gomes Unipessoal, Lda

Currículo da Empresa Pichelaria Jaime Soares Gomes Unipessoal, Lda 2011 Currículo da Empresa Pichelaria Jaime Soares Gomes Unipessoal, Lda WWW.PJAIMEGOMES.COM GERAL@PJAIMEGOMES.COM PICHELARIA JAIME SOARES GOMES UNIPESSOAL, LDA CURRÍCULO DA EMPRESA P á g i n a 2 EMPRESA

Leia mais

Regulamento para a Concessão de Subsídios a Entidades e Organismos que Prossigam Fins de Interesse Público da Freguesia de Areeiro CAPÍTULO I

Regulamento para a Concessão de Subsídios a Entidades e Organismos que Prossigam Fins de Interesse Público da Freguesia de Areeiro CAPÍTULO I Regulamento para a Concessão de Subsídios a Entidades e Organismos que Prossigam Fins de Interesse Público da Freguesia de Areeiro CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º Objecto O presente regulamento

Leia mais

LINHA DE CRÉDITO JESSICA - BPI

LINHA DE CRÉDITO JESSICA - BPI LINHA DE CRÉDITO JESSICA - BPI Balanço do 1º ano e Perspectivas Porto, 28 Nov 2012 ÍNDICE 1. Ponto de situação 2. Condições dos financiamentos JESSICA do BPI 3. Operações fechadas 4. Projectos em carteira

Leia mais

PROPOSTA CONJUNTA IEFP- CASES PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO

PROPOSTA CONJUNTA IEFP- CASES PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO PROPOSTA CONJUNTA IEFP- CASES PROGRAMA NACIONAL DE MICROCRÉDITO CONSIDERANDO: A Portaria n^ 985/2009, de 4 de Setembro, criou o Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE),

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

NORMAS DE ADMISSÃO DE SÓCIOS À AGENCIA REGIONAL DE PROMOÇÃO TURÍSTICA DO ALENTEJO TURISMO DO ALENTEJO

NORMAS DE ADMISSÃO DE SÓCIOS À AGENCIA REGIONAL DE PROMOÇÃO TURÍSTICA DO ALENTEJO TURISMO DO ALENTEJO NORMAS DE ADMISSÃO DE SÓCIOS À AGENCIA REGIONAL DE PROMOÇÃO TURÍSTICA DO ALENTEJO TURISMO DO ALENTEJO CAPITULO I Disposições Gerais 1. Âmbito As presentes normas têm como finalidade estabelecer as regras

Leia mais

A ÁREA DE PRÁTICA DE IMOBILIÁRIO E URBANISMO DA ABBC

A ÁREA DE PRÁTICA DE IMOBILIÁRIO E URBANISMO DA ABBC ABBC A actuação da ABBC assenta na independência, no profissionalismo e na competência técnica dos seus advogados e colaboradores, com o escrupuloso respeito das regras deontológicas que presidem ao exercício

Leia mais

APOIOS E INCENTIVOS À REABILITAÇÃO URBANA

APOIOS E INCENTIVOS À REABILITAÇÃO URBANA APOIOS E INCENTIVOS À REABILITAÇÃO URBANA RJRU REGIME JURÍDICO DA REABILITAÇÃO URBANA AS NOVAS POLÍTICAS Reabilitar em vez de construir Reabilitar a área urbana em vez do edifício Diferenciar a responsabilidade

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE ENTRADA NO BH-TEC

SOLICITAÇÃO DE ENTRADA NO BH-TEC SOLICITAÇÃO DE ENTRADA NO BH-TEC DE... (Candidato)... (Data) 1. CARTA DE CANDIDATURA (Minuta) (Candidato) declara seu interesse em instalar-se no BH-TEC - Parque Tecnológico de Belo Horizonte. Na oportunidade,

Leia mais

Anacleta Cipriano Advogada Associada FBL Angola. 12 a 14 de Junho de 2012, Luanda, Angola

Anacleta Cipriano Advogada Associada FBL Angola. 12 a 14 de Junho de 2012, Luanda, Angola Anacleta Cipriano Advogada Associada FBL Angola ENQUADRAMENTO LEGAL, REGULAMENTAR, BUROCRÁTICO E FISCAL Módulo II Requisitos para Aprovação de Projectos, Documentos Necessários e Processo Burocrático Índice

Leia mais

Comprar: Deixe-se guiar!

Comprar: Deixe-se guiar! Está prestes a comprar um imóvel e tem numerosas perguntas bem legítimas. Quais as diferentes etapas e as formalidades a efetuar, antes, durante e após a compra? Siga o guia! Antes da compra Se está a

Leia mais

AQUISIÇÃO, ARRENDAMENTO E ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS

AQUISIÇÃO, ARRENDAMENTO E ALIENAÇÃO DE IMÓVEIS SEMINÁRIO SOBRE AS REGRAS DE EXECUÇÃO DO OGE/2010 E NORMAS E PROCEDIMENTOS A CUMPRIR NO ÂMBITO DO INVENTÁRIO DOS BENS DO ESTADO (IGBE) 14 de Abril de 2010 Apresentação da AQUISIÇÃO, ARRENDAMENTO E ALIENAÇÃO

Leia mais

Financiamento e Apoio às Micro e Pequenas Empresas

Financiamento e Apoio às Micro e Pequenas Empresas Financiamento e Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho da Nazaré no âmbito do Programa FINICIA Anexo I ao protocolo financeiro e de cooperação Normas e Condições de Acesso Artigo 1º. (Objectivo)

Leia mais

QUADROS SUPERIORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DIRIGENTES E QUADROS SUPERIORES DE EMPRESA

QUADROS SUPERIORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DIRIGENTES E QUADROS SUPERIORES DE EMPRESA GRANDE GRUPO 1 QUADROS SUPERIORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DIRIGENTES E QUADROS SUPERIORES DE EMPRESA Os quadros superiores da administração pública, dirigentes e quadros superiores de empresa dão pareceres

Leia mais

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Experiência profissional. Apelido(s) / Nome(s) próprio(s)

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Experiência profissional. Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada(s) Duarte, João Pedro da Silveira Rua da Bela Vista nº6, 2670-700 Fanhões, Loures, Portugal Telefone(s) - Telemóvel: 00351 968708417

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE CONSÓRCIO

MINUTA DE CONTRATO DE CONSÓRCIO ADVERTE-SE QUE ESTA MINUTA CONSTITUI APENAS UM EXEMPLO, PELO QUE DEVERÁ SER ADAPTADA CASO A CASO. A AICCOPN NÃO SE RESPONSABILIZA PELA INSUFICIENTE OU INDEVIDA ADAPTAÇÃO DA PRESENTE MINUTA. MINUTA DE CONTRATO

Leia mais

Concurso de Ideias de Negócio

Concurso de Ideias de Negócio Concurso de Ideias de Negócio Preâmbulo O Concurso de Ideias é uma iniciativa desenvolvida através do Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS) de Estarreja 7 Desafios em Rede, promovido pela DESTAC

Leia mais

Overview pela fiscalidade no sector imobiliário

Overview pela fiscalidade no sector imobiliário Overview pela fiscalidade no sector imobiliário A perspectiva do pequeno investidor II Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa Sociedade de Geografia 16 de Abril de 2015 ÍNDICE DE CONTEÚDOS I INCENTIVOS

Leia mais

Município de Vieira do Minho

Município de Vieira do Minho CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE VIEIRA DO MINHO REGIMENTO INTERNO A lei nº 159/99, de 14 de Setembro estabelece no seu artigo19º, nº 2, alínea b), a competência dos órgãos municipais para criar os conselhos

Leia mais

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS

Plano de Actividades. Orçamento ASSOCIAÇÃO DO COMÉRCIO, INDÚSTRIA E SERVIÇOS DOS CONCELHOS DE VILA FRANCA DE XIRA E ARRUDA DOS VINHOS Plano de Actividades e Orçamento Exercício de 2012 Plano de Actividades e Orçamento para o exercício de 2012 Preâmbulo: O Plano de Actividades do ano de 2012 foi concebido com a prudência que resulta da

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS DE SUCESSO 1 Sumário: Conceito e Objectivos Estrutura do PN o Apresentação da Empresa o Análise do Produto / Serviço o Análise de Mercado o Estratégia de Marketing o

Leia mais

NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS

NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS NORMAS DO PROGRAMA REABILITA PRIMEIRO PAGA DEPOIS 1.OBJETO O presente programa tem como objeto a alienação de prédios e/ou frações municipais para reabilitação 2. OBJECTIVOS O Programa Reabilita Primeiro

Leia mais

Comissão Social Inter Freguesias da Zona Central

Comissão Social Inter Freguesias da Zona Central Comissão Social Inter Freguesias da Zona Central Regulamento Interno Preâmbulo O Regulamento Interno estabelece a constituição, organização e funcionamento da Comissão Social Inter Freguesia da Zona Central,

Leia mais

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel.

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. Projecto A Oficina+ ANECRA é uma iniciativa criada em 1996, no âmbito da Padronização de Oficinas ANECRA. Este projecto visa reconhecer a qualidade

Leia mais

NOVO REGIME JURÍDICO DA REABILITAÇÃO URBANA. Decreto-Lei n.º 309/2007, de 23 de Outubro Workshop IHRU 12 Abril 2010

NOVO REGIME JURÍDICO DA REABILITAÇÃO URBANA. Decreto-Lei n.º 309/2007, de 23 de Outubro Workshop IHRU 12 Abril 2010 NOVO REGIME JURÍDICO DA REABILITAÇÃO URBANA Decreto-Lei n.º 309/2007, de 23 de Outubro Workshop IHRU 12 Abril 2010 DOIS CONCEITOS FUNDAMENTAIS «área de reabilitação urbana» - cuja delimitação pelo município

Leia mais

Investimento Adjudicado 2007-2009

Investimento Adjudicado 2007-2009 Programa de Modernização das Escolas do Ensino Secundário Investimento Adjudicado 2007-2009 Comissão Parlamentar de Educação e Ciência, Memorando de apoio à audição parlamentar de 24 Março de 2010 NOTA

Leia mais

16ª Sessão: Resorts Integrados: Da concepção à exploração

16ª Sessão: Resorts Integrados: Da concepção à exploração 16ª Sessão: Resorts Integrados: Da concepção à exploração Luís Correia da Silva Lisboa, 9 de Março de 2013 Faculdade de Direito Universidade de Lisboa A) Definição de Resorts Integrados Espaços de lazer

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las PFC Valorização PSI 20 Entidade Emitente:

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 INOVAÇÃO PRODUTIVA SECTOR TURISMO QREN QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL 2007-2013 INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 ÍNDICE PÁGINA OBJECTO

Leia mais

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge Terceira alteração ao Decreto Regulamentar Regional n.º 21/2007/A, de 24 de outubro, alterado pelos Decretos Regulamentares Regionais 11/2009/A, de 13 de agosto, e 9/2010/A, de 14 de junho. Promotores

Leia mais

Regulamento Geral Interno Associação dos Amigos do Armazém das Artes RI AAAA

Regulamento Geral Interno Associação dos Amigos do Armazém das Artes RI AAAA RegulamentoGeralInterno AssociaçãodosAmigosdoArmazémdasArtes RI AAAA CAPÍTULOPRIMEIRO DisposiçõesGerais Artigo1.º Sede 1. Opresenteregulamentogeralinterno,aprovadoemAssembleia Geral,regula ofuncionamentodaassociação,comsedenaruaeng.duartepacheco,nº38,

Leia mais

Denominação Social Sogei Engenharia e Construção, SA Sede: Av. Cidade de Lisboa Edifício Águia R/C Chã de Areia Praia Santiago CP 426/A Natureza

Denominação Social Sogei Engenharia e Construção, SA Sede: Av. Cidade de Lisboa Edifício Águia R/C Chã de Areia Praia Santiago CP 426/A Natureza Denominação Social Sogei Engenharia e Construção, SA Sede: Av. Cidade de Lisboa Edifício Águia R/C Chã de Areia Praia Santiago CP 426/A Natureza Jurídica S.A. Sociedade Anónima Telefone: (+238 2602200)

Leia mais

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste:

O Ministério da Justiça da República Portuguesa e o Ministério da Justiça da República democrática de Timor - Leste: Protocolo de Cooperação Relativo ao Desenvolvimento do Centro de Formação do Ministério da Justiça de Timor-Leste entre os Ministérios da Justiça da República Democrática de Timor-Leste e da República

Leia mais

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS APROVA OS MODELOS DE ALVARÁS DE LICENCIAMENTO OU AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS (Portaria n.º 1107/2001, de 18 de Setembro) O Decreto-Lei n.º 555/99, de 16 de Dezembro, que aprovou o novo regime

Leia mais

DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE REPÚBLICA DE CABO VERDE ASSEMBLEIA NACIONAL REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE ASSEMBLEIA NACIONAL PROGRAMA DE COOPERAÇÃO ENTRE AS ADMINISTRAÇÕES PARLAMENTARES DA ASSEMBLEIA NACIONAL DA REPÚBLICA

Leia mais

Pretendemos por este meio dar a conhecer as áreas de intervenção da nossa empresa, na expectativa do vosso interesse.

Pretendemos por este meio dar a conhecer as áreas de intervenção da nossa empresa, na expectativa do vosso interesse. Energia sem limites Lic. n.º 38549 Amorlux Projectos e Instalações Eléctricas, Lda. Amorlux, Projectos e Instalações Eléctricas, Lda, fundada em 1994, é uma empresa Portuguesa com ampla e reconhecida experiência

Leia mais

Solução RCR DESENVOLVER

Solução RCR DESENVOLVER Solução RCR DESENVOLVER Destinatários Micro e pequenas empresas Objectivo da solução A Solução RCR DESENVOLVER disponibiliza as ferramentas e o apoio necessários para as empresas que procuram soluções

Leia mais

Conselho Municipal de Educação de Barrancos

Conselho Municipal de Educação de Barrancos Conselho Municipal de Educação de Barrancos Regimento Interno (versão consolidada com a 1ª alteração aprovada em 09/10/2008) (Deliberação nº 23/AM/2008, de 15/12, sob proposta aprovada pela Deliberação

Leia mais

Escolas. Segurança nas. Escolas. nas. Segurança. Escolas. Segurança das Escolas ajudar os órgãos de gestão dos estabelecimentos.

Escolas. Segurança nas. Escolas. nas. Segurança. Escolas. Segurança das Escolas ajudar os órgãos de gestão dos estabelecimentos. egurança Segurança Segurança A segurança deve ser uma preocupação comum a todos os membros da comunidade educativa pessoal docente e não docente, alunos, pais, encarregados de educação e representantes

Leia mais

REGULAMENTO DO CRC GAIA SUL

REGULAMENTO DO CRC GAIA SUL REGULAMENTO DO CRC GAIA SUL I - Natureza e funções do Centro de Recursos em Conhecimento Gaia Sul 1. O Centro de Recursos em Conhecimento Gaia Sul (CRC Gaia Sul), é uma unidade organizacional da responsabilidade

Leia mais

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL

INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL INTERVENÇÕES DE REGENERAÇÃO URBANA EM PORTUGAL JESSICA KICK-OFF MEETING FÁTIMA FERREIRA mrferreira@ihru.pt POLÍTICA DE CIDADES NO ÂMBITO DO QREN - PORTUGAL PO Regional Programas integrados de regeneração

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Preâmbulo

PROJETO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Preâmbulo PROJETO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Preâmbulo A elaboração do presente Regulamento tem como objetivo criar um conjunto de regras e princípios que permitam dotar o Município

Leia mais

Na sua experiência profissional, salienta-se uma longa lista de obras realizadas, entre as quais:

Na sua experiência profissional, salienta-se uma longa lista de obras realizadas, entre as quais: 1. A EMPRESA retende-se com o presente capítulo efectuar a apresentação da Tomás de Oliveira, do seu compromisso em relação à qualidade e da organização que disponibiliza para alcançar esse objectivo.

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DE VENDA E INSTALAÇÃO DO PARQUE EMPRESARIAL DE PROENÇA-A-NOVA

PROJETO DE REGULAMENTO DE VENDA E INSTALAÇÃO DO PARQUE EMPRESARIAL DE PROENÇA-A-NOVA PROJETO DE REGULAMENTO DE VENDA E INSTALAÇÃO DO PARQUE EMPRESARIAL DE PROENÇA-A-NOVA PREÂMBULO Considerando que ao Município de Proença-a-Nova é sócio único da empresa municipal Pepa Parque Empresarial

Leia mais

REGULAMENTO PROJECTO EMPREGO JOVEM E COESÃO SOCIAL

REGULAMENTO PROJECTO EMPREGO JOVEM E COESÃO SOCIAL REGULAMENTO PROJECTO EMPREGO JOVEM E COESÃO SOCIAL Página 1 de 7 CAPITULO I Enquadramento O Projecto Emprego Jovem e Coesão Social enquadra-se no Programa Regional para a Coesão Social e o Emprego Jovem,

Leia mais