As Irmãs Keyes. Livro dois. Um gosto de Amor. Susan Mallery

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As Irmãs Keyes. Livro dois. Um gosto de Amor. Susan Mallery"

Transcrição

1

2 As Irmãs Keyes Livro dois Um gosto de Amor Susan Mallery

3 Torta de Cerejas Negras ao Vinho da Borgonha da Nicole 1 xícara de água 1/4 de xícara de açúcar 1 pacote de gelatina de cereja (cerca de 50g) 2 xícaras de cerejas doces e escuras, sem caroço 1/2 litro de sorvete de baunilha 3 colheres de sopa de vinho da Borgonha 1 colher de chá de suco de limão 1 disco de massa de torta pronta de cerca de 23 cm de diâmetro Ferva a água e dissolva o açúcar e a gelatina. Acrescente as cerejas. Junte o sorvete, uma colher de cada vez, até que ele derreta. Misture o vinho e o suco de limão. Despeje sobre a massa e deixe esfriar até assentar. Você pode usar a calda da cereja ao marrasquino em vez de água, ou pode usar sorvete de amora no lugar de sorvete de creme. Essência de amêndoa ou de baunilha podem substituir o vinho, e a torta pode ser coberta com chantili e cerejas. 1

4 Capítulo Um NICOLE KEYES sempre acreditou que, quando a vida nos dá limões, devemos jogá-los dentro de uma tigela sobre a bancada da cozinha e providenciar imediatamente um danish e uma xícara de café para nos ajudarem a esperar por tempos melhores. Isso explicava por que os cartões de ponto estavam todos melados e por que ela já se sentia zonza de tanta cafeína. Nicole olhou para a vitrine, onde um danish de queijo com cereja parecia sussurrar seu nome, baixinho, sem parar, e desviou os olhos para a atadura em seu joelho e para a bengala, ao seu lado. Nicole estava se curando de uma cirurgia recente, o que significava que não podia permitir-se muita atividade física. E se não quisesse correr o risco de deixar seus jeans ainda mais apertados, teria de abrir mão do segundo danish. Melhor me sentir tentada por um doce do que por um homem ela lembrou a si mesma. Doces gostosos poderiam deixar uma mulher gorda, mas um homem poderia partir seu coração e deixá-lo em pedaços, sangrando. Apesar de a cura para o primeiro problema dieta e exercícios não ser muito agradável, era alguma coisa com a qual poderia lidar. Mas a cura para um coração partido era no mínimo incerta. Distância, distrações, ótimo sexo. Naquele momento, Nicole não tinha nenhuma dessas coisas em sua vida. A porta da frente da confeitaria foi aberta, fazendo soar o sininho que ficava em cima. Nicole mal levantou os olhos enquanto um garoto do colegial caminhava até o balcão e pedia cinco dúzias de donuts. Ela lambeu os dedos, secou-os em um guardanapo e recomeçou com os cartões de ponto para poder mandá-los à contadora naquela tarde. Maggie, que estava atrás da vitrine com os doces, colocou as caixas com donuts sobre o balcão e foi até a caixa registradora para tirar a nota. Nesse momento, o telefone tocou e ela virou-se para atender. Nicole não saberia dizer o que a fez levantar os olhos nesse instante. Um sexto sentido? Sorte? Ou a agitação do adolescente chamou a sua atenção? Ela viu quando o garoto enfiou o telefone celular de volta no bolso da frente do short, pegou as caixas de donuts e se encaminhou para a porta. Sem pagar. 2

5 Nicole aceitava que era, por natureza, uma pessoa mal-humorada. Raramente via o melhor lado da situação e era conhecida por exagerar em suas reações de tempos em tempos. Mas nada, absolutamente nada, a enfurecia mais do que alguém tentando fazê-la de boba. Já tivera o bastante disso em sua vida recentemente, e não iria deixar, de jeito nenhum, que esse garoto fosse mais um na lista. Sem pensar muito no que fazia, ela esticou a bengala, deu uma rasteira no rapaz e apoiou a bengala no meio das costas dele. Acho que não, garoto falou Nicole. Maggie, chame a polícia. Ela contava com a possibilidade de o rapaz se levantar de um pulo e sair correndo. Se isso acontecesse, não conseguiria detê-lo. Mas ele não se mexeu. Dez minutos mais tarde, a porta se abriu de novo, mas em vez de um dos simpáticos guardas de Seattle, Nicole viu alguém que poderia passar com facilidade por um modelo de roupas íntimas masculinas ou por um herói de ação. O homem era alto, bronzeado e parecia levar os exercícios físicos muito a sério. Ela podia afirmar isso porque ele estava usando um short vermelho e uma camiseta cinza, da Pacific High School, cortada na altura da cintura. Músculos que Nicole nem imaginava que existissem no corpo humano ondulavam e saltavam conforme o homem se movia. Seus olhos estavam cobertos por óculos escuros de lentes espelhadas. Ele baixou a cabeça na direção do garoto mantido no chão pela bengala e dos donuts espalhados ao redor. Então, tirou os óculos e sorriu para ela. Nicole já vira aquele sorriso antes. Oh, não nele especificamente. Aquele era o sorriso que Pierce Brosnan, no papel de James Bond, costumava usar para extrair informações de secretárias levemente ofegantes. Também era o sorriso que o ex-marido dela usara, mais de uma vez, para sair de alguma encrenca. Nicole não poderia estar mais imune àquele sorriso nem se ela mesma houvesse inventado a vacina. Olá disse o homem. Sou Eric Hawkins. Pode me chamar de Hawk. Que honra... Sou Nicole Keyes. Pode me chamar de sra. Keyes. Você está com a polícia? Ela o olhou de cima a baixo, tentando não se deixar impressionar por tanta perfeição masculina em um espaço tão restrito. Seu uniforme está na lavanderia? 3

6 O sorriso dele ficou mais largo. Sou o treinador do time de futebol americano da Pacific High School. Um amigo meu, na delegacia, recebeu a ligação de vocês e me chamou. As pessoas pensavam em Seattle como uma cidade grande, mas a verdade era que ela era composta de vários pequenos bairros em que todos se conheciam. Na maioria das vezes Nicole gostava dessa característica de sua cidade natal. Mas não naquele dia. Indignada, ela olhou para a senhora atrás do balcão. Maggie, poderia telefonar novamente para a polícia? Maggie, espere um instante disse Hawk. Ele afastou a bengala de Nicole de modo que o garoto pudesse se erguer. Raoul, você está bem? Nicole revirou os olhos. Oh, por favor! O que poderia ter acontecido a ele? Ele é meu quarterback, meu lançador, entende? Não posso correr nenhum risco. Raoul? O garoto girou a cabeça, baixou-a e levantou-a. Estou bem, treinador. Hawk puxou o rapaz para o lado e conversou baixinho com ele. Nicole observava, atenta. Washington podia não ser o Texas, mas o futebol americano das escolas secundárias também era bastante valorizado ali. Ser o lançador atraente de um time do colegial era quase tão bom quanto ser Paris Hilton. Hawk provavelmente esperava que ela sucumbisse ao seu charme questionável e deixasse o garoto ir embora sem nada além de um dar de ombros diante do mal-entendido. Só que isso não aconteceria. Escute ela disse, com a voz mas dura que conseguiu, ele roubou cinco dúzias de donuts. Em seu mundo isso pode ser perfeitamente normal, mas no meu não. Vou chamar a polícia. A culpa não foi dele falou Hawk. Foi minha. Nicole ficou chateada por já ter revirado os olhos antes isso significava que ela não poderia revirá-los novamente. 4

7 Porque você lhe disse para roubar? Raoul, espere por mim na caminhonete disse Hawk. Raoul, nem sequer pense em se mover disparou Nicole. Ela viu o bom humor de Hawk finalmente desaparecer. Ele puxou uma cadeira para perto dela, sentou-se e inclinou-se na direção de Nicole. Hawk era um desses caras que ocupavam muito espaço, pensou Nicole, lutando contra o impulso de recuar. Mas ela se manteve firme, mesmo ele estando tão perto que era possível distinguir os vários tons de marrom, verde e ouro que coloriam suas íris. Você não compreende falou Hawk, em voz baixa. O hálito dele cheirava a menta. Raoul é cocapitão do time e, todas as sextas-feiras, tem como função levar donuts para o resto dos rapazes. As mãos dele eram enormes, pensou Nicole, deixando-se distrair pelo tamanho delas. Grandes e de aparência forte. Ela se forçou a voltar a prestar atenção à conversa. Então deveria pagar por eles. Ele não pode. Hawk ainda falava baixo. Raoul é um bom garoto. Ele vive em um lar adotivo. Costuma trabalhar em alguma coisa, mas durante os treinos é impossível. Nosso acordo é que eu dê a Raoul alguns dólares para que ele compre os donuts, mas me esqueci de fazer isso ontem, e o garoto é orgulhoso demais para pedir. E hoje é sexta-feira, ele precisava levar os donuts. Raoul fez uma escolha errada. Você nunca cometeu um erro, Nicole? Ele quase conseguiu. A história triste do pobre Raoul realmente tocou o coração cínico de Nicole. Então Hawk baixou a voz para um tom mais íntimo e disse o nome dela de um jeito que realmente a irritou. Não faça joguinhos comigo falou Nicole, zangada. Não estou... E não me trate como se eu fosse estúpida. Hawk ergueu as duas mãos. Não estou... Ela o interrompeu com o olhar. 5

8 Nicole podia apostar que aquele homem estava acostumado a fazer as coisas do seu jeito, especialmente com as mulheres. Um lampejo daquele sorriso matador e qualquer pessoa com um par de cromossomos X derreteria como manteiga sob o sol. Muito bem, ela não. Nicole se levantou e segurou a bengala para apoiar-se. Esse garoto vai para a cadeia. Hawk levantou-se abruptamente. Droga, isso não é justo! Ela apontou para os donuts, ainda espalhados pelo chão. Diga isso ao juiz. Hawk começou a andar na direção dela, mas Raoul se colocou entre eles. Está tudo bem, treinador. Eu errei. Sabia que era errado roubar e roubei mesmo assim. O senhor está sempre nos dizendo que precisamos aceitar as consequências de nossas ações. Essa é uma delas. O garoto virou-se para Nicole, e baixou os olhos. Não ter dinheiro não é desculpa. Eu não deveria ter feito isso. Estava com medo de passar vergonha na frente do time. Ele deu de ombros. Desculpeme, sra. Keyes. Nicole detestou a vontade que sentiu de acreditar nele. A postura de Raoul era tão derrotada... Ela disse a si mesma que ele também podia estar tentando enganá-la, que os dois formavam um belo time, mas sentia que o menino estava dizendo a verdade. Raoul ficara envergonhado e estava arrependido. Nicole ponderou sobre o que deveria fazer. Roubar era errado, mas ela não queria punir Raoul apenas para dar o troco no sr. Presunçoso. O fato de o treinador dele ser um conquistador/possivelmente ex-modelo de roupas íntimas/atleta não era culpa de Raoul. Mesmo sabendo que iria odiar-se na manhã seguinte quando o garoto não aparecesse, ela disse: Vou fazer um trato. Você pode trabalhar para pagar o que roubou. Esteja aqui amanhã às seis da manhã. 6

9 Pela primeira vez desde que Nicole o derrubara, Raoul levantou os olhos para encará-la. Alguma coisa muito próxima da esperança cintilava em seus olhos. É sério? Sim. Mas, se você não aparecer, vou caçá-lo como a um cão e você vai se arrepender do dia em que nasceu. Temos um trato? Raoul sorriu. Nicole suspirou. Mais uns dois anos e ele seria tão letal quanto seu treinador. Isso era justo? Estarei aqui ele prometeu. Chegarei mais cedo. Eu, não. Hawk virou-se para ela. Agora ele pode me esperar na caminhonete? Claro. Embora, no que dependesse dela, o treinador Hawkins também pudesse ir junto com o rapaz. Afinal, eles não tinham nada a dizer um ao outro. Nicole olhou para ele e teve vontade de esfregar os olhos. Talvez fosse apenas um efeito da luz, mas ela quase podia jurar que a aparência de Hawk estava ainda melhor. Sentiu-se ainda mais irritada. HAWK RELANCEOU o olhar para a mulher que o encarava com raiva. Ela o fazia lembrar o gato vira-lata que sua filha levara para casa alguns anos atrás. O bicho se garantia com berros e muita atitude. Nicole era sensata. Hawk podia dizer isso por causa da saia de brim exatamente na altura dos joelhos, da camiseta lisa que ela usava e também por causa da ausência de maquiagem e do modo como não se incomodara em fazer nada com o longo cabelo loiro além de prendê-lo em um rabo de cavalo. Nicole não era o tipo de mulher que se deixava impressionar com facilidade. Não que ele estivesse preocupado. Obrigado falou Hawk. Você não precisava fazer isso. Você está certo. Não precisava mesmo. E também sei que vou me arrepender por deixá-lo escapar assim. Havia fúria nos olhos azuis. Nicole parecia estar com vontade de bater em alguém. Ele pensou em se oferecer como vítima não havia chance de ela 7

10 machucá-lo, mas sabia que Nicole pensaria que ele estava zombando dela. O que era... em parte, verdade. Você não vai se arrepender. Ele é um bom garoto. Tem muito talento... pode ter um caminho brilhante. Você se vê nele, não é? Hawk sorriu. Sim. Isso é tão típico. Ela relanceou o olhar para o relógio. Você não deveria estar em algum lugar? No treino. Os rapazes estão esperando. Ele pegou a carteira. Quanto eu lhe devo pelos donuts? Nicole franziu o cenho. Você não escutou? Raoul vai pagar por eles com trabalho duro. Pelo menos essa é a minha fantasia. Então ainda preciso de cinco dúzias para o time. Nicole olhou para as mulheres atrás do balcão. Maggie, você poderia servir os donuts ao treinador para que ele possa ir embora daqui? Hawk se inclinou e pegou os donuts do chão. Você está tentando se ver livre de mim. Acha mesmo? Mas sou a melhor parte do seu dia. Talvez entre uma farpa no meu pé daqui a pouco, e isso passe a ser então o grande destaque do meu dia. Ele riu. Você não é fácil. Essa é a primeira coisa inteligente que você me diz. Hawk colocou sobre uma das mesas as caixas amassadas e os donuts que pegara no chão. 8

11 Sou inteligente o bastante, Nicole. Continue repetindo isso para si mesmo que um dia talvez se torne verdade. Ele a encarou, com o olhar muito firme, até ela começar a ter vontade de se contorcer, desconfortável. Por que está se empenhando tanto em não gostar de mim? perguntou Hawk. Eu a intimido? Eu... Você... Vá embora! E, dizendo isso, Nicole se apoiou na bengala e se encaminhou para os fundos da confeitaria. Nenhuma resposta malcriada? ele perguntou. Isso quer dizer que venci? Nicole virou-se e encarou Hawk com raiva. Nem tudo na vida é ganhar ou perder. É claro que é. Ela cerrou o maxilar. Vá embora. Eu vou, porque os rapazes estão me esperando. Mas voltarei. Não se incomode. Não é um incômodo. Será divertido. Ele deixou a confeitaria, e foi assoviando até a caminhonete que estava estacionada em frente. Hawk tinha certeza de que Nicole não gostara nada de não dizer a última palavra. Ela obviamente estava acostumada a estar no controle e a conseguir o que queria. O futebol americano o ensinara muito sobre a vida. Às vezes os rapazes de alguns times ficavam muito convencidos, achando-se realmente bons naquilo. Se fossem afastados do futebol, acabavam se atrapalhando com a vida. Com as mulheres também era assim... Especialmente com as mulheres. Aquele seria um bom dia, ele pensou enquanto entregava os donuts a Raoul e ligava o motor. De repente um mundo de possibilidades se abria diante dele. O QUE você acha? perguntou Claire. 9

12 Nicole continuou a examinar as camisas penduradas. Não. Vamos lá! Esta é rosa! Ahã. Você não está nem mesmo olhando. Nicole reprimiu um sorriso. Não preciso olhar. Não. Essa não cai bem. Como você sabe? Talvez porque você esteja com cerca de três meses de gravidez e tenha ganhado no máximo dois quilos. Você não precisa de roupas de grávida. Mas quero comprar alguma coisa. Compre uma mantinha para o bebê. Quero alguma coisa para eu usar. Nicole ergueu os olhos e gemeu ao ver a irmã parada diante do espelho usando uma camiseta cor-de-rosa shocking com uma seta enfeitada com lantejoulas apontando para a barriga e para a palavra Bebê, para o caso de alguém não entender. Você está brincando murmurou Nicole. Talvez não esta, mas quero que as pessoas saibam que estou grávida. Mande imprimir alguns cartões. Você pode entregá-los a todos que encontrar. Você não está ajudando. Você não precisa de ajuda para enlouquecer. Faz um grande trabalho sozinha. Claire passou o longo cabelo loiro por sobre um dos ombros. Você não é uma irmã muito boa. Nicole sorriu. Sou a melhor irmã que tem e sua gêmea favorita. 10

13 Minha única gêmea. E ainda não decidi se é minha irmã favorita. Talvez aquela com os patos? Não. A outra, com os coelhos? Claire, o bebê é do tamanho daquelas borrachinhas que ficam na ponta do lápis. No máximo do tamanho de uma uva. Você não precisa de roupas especiais porque está carregando uma uva! Mas estou grávida. Daqui a dois meses, quando já tiver ganhado quatro quilos, então conversaremos. Até lá, usar qualquer roupa de grávida vai fazer com que pareça estar usando um saco de batatas. Mas estou animada. Eu sei, e deve estar mesmo. É uma coisa fantástica. O rosto de Claire se iluminou de alegria. Nicole considerava seu próprio contentamento genuíno com a gravidez da irmã uma prova de seu bom caráter. Conseguia sentir-se feliz por Claire, mesmo sabendo que suas próprias chances de algum dia ter um filho eram tão grandes quanto a probabilidade de ganhar na loteria... Não que ela algum dia ao menos houvesse comprado um bilhete. Gravidez, a não ser que houvesse procedimentos científicos envolvidos, geralmente implicava a presença de um homem. E ela desistira dos homens. Para sempre. Você está bem? perguntou Claire. Está pensando em Drew, não está? Nicole se encolheu e se apoiou mais na bengala. Como você consegue fazer isso? Saber o que estou pensando? Somos gêmeas. Bivitelinas. Ainda assim. Conheço você. Era de causar arrepios, pensou Nicole. Além de irritar um pouco. Ela mesma não sabia o que Claire estava pensando na maioria das vezes. 11

14 Não estou pensando em Drew falou Nicole. Recusava-se a desperdiçar qualquer pensamento ou energia com seu quase ex-marido. Pensava em homens em geral. Você vai encontrar alguém prometeu Claire, soando irritantemente pesarosa. Não quero ninguém. Mal me separei, e estou muito satisfeita em ficar sozinha. Ou estaria se as pessoas em sua vida parassem de presumir que ela estava arrasada por causa da devastação emocional que encontrar a irmã caçula na cama com seu marido teria lhe causado. Sim, fora horrível, degradante e provavelmente partira seu coração. Mas ela estava se recuperando. Preciso me acostumar a ser só disse Nicole. Por quê? Você já estava sozinha antes, quando era casada com Drew. Uau... Claire suspirou. Desculpe-me. Não tinha a intenção de falar desse jeito. Está tudo bem. Nicole não demonstraria a mágoa que ainda sentia. Nem mesmo para a irmã. Claire sorriu para ela com carinho. Um sorriso que demonstrava compaixão e uma decisão firme de levantar o assunto novamente em outro momento. Quando Claire sentisse que ela, Nicole, estava mais forte emocionalmente. Oh, que maravilha... Agora era ela quem estava lendo a mente da irmã gêmea? Fantástico... Nicole checou o relógio. Precisamos ir. Temos de encontrar Wyatt. Oh! Está na hora! Vou me apressar. Claire correu de volta para o provador. Nicole se perguntou se não deveria se envergonhar por ter arrumado, de propósito, um modo de desviar a atenção da irmã da vida trágica de Nicole, mas decidiu que merecia um descanso. Afinal, era noite de sexta-feira e lá estava ela, no shopping, claramente uma penetra no que deveria ser um momento do casal. Mas eles a haviam convidado, e ela não estava com vontade de passar a noite sozinha. 12

15 Vou esperar por você na entrada da loja falou Nicole, através da cortina do provador. Estarei lá em um instante prometeu Claire. Nicole saiu da loja de roupas para gestantes e encontrou Wyatt esperando diante da vitrine. Ele parecia desconfortável enquanto examinava uma manequim obviamente grávida. Olá! ela disse. Você me deve uma. Acabei de evitar que sua noiva comprasse algumas coisas abomináveis. Você fez isso por si mesma respondeu Wyatt. Dá muito mais importância a essas coisas do que eu. Nicole sabia que era verdade, por isso ignorou o que ele disse. Ela olhou para a sacola na mão de Wyatt. Era de uma livraria. Outro manual de instruções sobre gravidez. Nicole meneou a cabeça. Ainda há algum que vocês não tenham? Queremos fazer tudo certo falou ele. Como se você fosse agir diferente... Nicole sabia que não agiria mesmo, mas aquele não era o ponto. Ela estava prestes a sugerir que fossem ao cinema quando Wyatt falou: Você está bem? Nicole piscou, confusa, e encarou-o. Como? Já faz algum tempo que não conversamos. Você está bem? Você sabe. Com as coisas todas. Coisas todas era a forma de os homens se referirem a questões emocionais. Wyatt era seu cunhado, e amigo desde muito antes de ele se apaixonar por Claire. Ele conhecia muitos dos seus segredos. Até se oferecera para dar uma surra em Drew quando soubera da traição. Nicole o amava como a um irmão a não ser naquele momento, em que tinha vontade de lhe dar uma paulada na cabeça. Você e Claire andaram conversando a meu respeito? ela quis saber. Sou o tema de uma dessas horríveis conversas do tipo o que vamos fazer com a 13

16 pobre Nicole?. Porque, se sou, vocês precisam parar com isso agora. Não necessito da ajuda de nenhum dos dois. Estou bem. Na verdade, estou ótima! Wyatt não se deixou impressionar pela explosão de temperamento da amiga. Você passa a maior parte do seu tempo em casa, não está vendo ninguém. Anda mais brigona do que o habitual, o que é um desafio e tanto. Não estou com humor para encontros amorosos. Sei que isso é uma surpresa, mas é onde estamos no momento. Não julgue todos os homens por Drew, certo? Há grandes homens por aí. Você precisa voltar a subir no cavalo, depois da queda. Por favor, me diga que você não acabou de dizer isso. Voltar a subir no cavalo? Não levei um tombo de bicicleta! Meu marido me traiu com a minha irmã caçula. Na minha casa. Esse não é um momento do tipo voltar a subir no cavalo. Na verdade, é o tipo de coisa que faz alguém repensar sua preferência sexual! Nicole sentia o peito apertado. Era só ela que estava sentindo, ou estava mesmo calor ali? Olha só, eu preciso ir. Obrigada por me convidar para jantar. Falo com vocês depois. Ela se virou e saiu andando. Nicole, espere. Ela continuou a andar. Quando viu a placa do estacionamento, apressou-se para chegar lá, grata por ter combinado de encontrar com eles no shopping. Ao menos estava em seu próprio carro. TRINTA MINUTOS mais tarde, Nicole já estava em casa, onde tudo era tranquilo, familiar, e onde não havia ninguém para lhe fazer perguntas idiotas ou para sentir pena dela. Mas ali também havia muitas memórias e um vazio que a fez passear por vários canais da TV até encontrar um seriado cômico. Ela ficou olhando fixamente para a tela e jurou para si mesma que nunca mais choraria por causa de Drew de novo. Nem naquele instante, nem nunca mais. 14

17 Capítulo Dois NO SÁBADO de manhã, Nicole chegou à confeitaria cerca de dez minutos antes do começo do turno de Raoul. Não que realmente esperasse o garoto. Sua reação no dia anterior fora impulsiva, ela fora boa. E acreditava com firmeza que nenhuma boa ação passava impune. Portanto, Raoul não apareceria e ela ficaria furiosa, principalmente consigo mesma. Nicole se encaminhou para a porta dos fundos da confeitaria e logo se viu acompanhada por um rapaz alto de cabelos escuros. Bom dia disse Raoul, educado. Ela o encarou. Você chegou cedo. Não queria me atrasar. Já estou impressionada por você simplesmente estar aqui. Não esperava que eu viesse? Não. Eu dei a minha palavra. Você roubou donuts. Isso torna sua palavra questionável. Como não estava exatamente olhando para ele enquanto falava, Nicole não podia ter certeza, mas teve a impressão de tê-lo visto hesitar pelo canto dos olhos. Por que duvidara dele? Por que mencionara o roubo? Ótimo. As manhãs agora começariam com um confeiteiro ladrão e hipersensível. Além do mais você é atleta acrescentou Nicole, sem saber muito bem por que se sentia compelida a fazê-lo sentir-se melhor. Tenho um problema com atletas. Lembram-me os tempos da escola secundária, quando todos os garotos por quem me apaixonava me ignoravam. Não acredito nisso. Nicole suspirou. Está tentando ser sedutor? 15

18 Só um pouquinho. Estou praticando. Ela podia imaginar quem era o professor que o vinha inspirando... Guarde isso para alguém que se deixe impressionar com mais facilidade. Sou imune. Eu percebi. Você não gosta muito do treinador Hawkins. Eu não diria isso murmurou Nicole, embora fosse verdade. Ela achava Hawk lindo e reconhecia que ele tinha um corpo mais do que capaz de acender labaredas nela, mas isso não significava que gostasse do homem. De jeito algum se deixaria enganar pelo sorriso experiente e pelo calor sexual que ardia de tal maneira que provavelmente contribuía para o aquecimento global. Raoul abriu a porta da confeitaria para ela. Nicole entrou e acenou para Phil. Bom dia ela disse. Phil, um senhor todo vestido de branco, inclusive o avental, se apressou a encontrá-los. Bom dia ele falou, examinando Raoul. Está preparado para trabalhar? Sim, senhor. Phil não pareceu convencido. Não é um trabalho fácil, e não quero reclamações. Está me ouvindo? Não vou aceitar que fique choramingando. Raoul aprumou o corpo. Eu não choramingo. Vamos ver. Phil guiou o rapaz. Nicole os observou. Raoul iria pagar pelo que lhe devia esfregando enormes recipientes usados para fazer massa de pão. Depois disso, ele seria designado para várias tarefas escolhidas a dedo a fim de fazê-lo pensar duas vezes e entender que roubar não era melhor do que comprar. Ela se perguntou se a lição seria realmente aprendida ou simplesmente tolerada. QUATRO HORAS mais tarde, Nicole já cuidara da pilha de coisas que estavam acumuladas em sua bandeja de afazeres, uma tarefa que sempre temia. Mas 16

19 queria ficar por ali durante o turno de Raoul, e trabalhar no balcão da confeitaria seria uma tarefa impossível até que estivesse livre da bengala. Nicole colocou as faturas em um envelope e etiquetou-o para mandá-lo para sua contadora. Phil bateu na porta aberta, entrou e parou diante da escrivaninha dela. Como ele está indo? Bem. Melhor do que eu esperava. O garoto trabalha. Ele faz o que lhe é mandado, sem fazer corpo mole, nem cara feia. Gosto dele. Nicole ergueu as sobrancelhas. Isso é raro. Não precisa me dizer. Acho que você deveria oferecer um emprego ao garoto. Precisamos de alguém como ele nas horas de maior movimento. Raoul vai para o colégio, joga futebol e depois fica disponível. É aí que ele pode ser muito útil para mim. Está certo. Vou conversar com ele. Nicole ficou de pé e endireitou o corpo. A dor em seu joelho era tolerável e estava melhorando cada vez mais. Raoul estava nos fundos, empilhando sacos de farinha. Ele colocava um saco cuidadosamente sobre o outro, certificando-se de que as pilhas não iriam se inclinar e acabar tombando. Bom trabalho ela disse. Você impressionou Phil, e isso não é fácil. Obrigado. Quer um emprego de verdade? De meio expediente. Podemos organizar o horário de acordo com sua agenda da escola e do futebol. O salário não é ruim. Nicole mencionou uma soma que ficava um pouco acima do que ele ganharia trabalhando em uma loja ou até mesmo em um restaurante. Raoul colocou o último saco no lugar, então limpou as mãos no avental que Phil separara para ele. Não posso falou Raoul, sem encará-la. Está bem. Eu preciso do dinheiro. Não é isso. 17

20 Então qual é o problema? Estão fazendo testes para a nova temporada de programas de TV e seu agente vai querer que você voe para Los Angeles? Isso fez com ele a brindasse com um leve sorriso, que logo se apagou. Ele pareceu reunir coragem antes de finalmente olhar para ela. A senhora não iria querer me contratar. Ainda não. Vou completar 18 anos em duas semanas. Quando for maior de idade, posso entrar com uma petição para que tornem confidencial a minha ficha de delitos como menor. Até lá, tenho ficha na polícia. Nicole ficou um pouco surpresa e também desapontada. O que você fez? Roubei um carro quando tinha 12 anos. Para impressionar meus amigos. Eu era tolo e fui pego cinco minutos mais tarde. Não havia feito nada semelhante antes e não voltei a fazer depois. A não ser pelos donuts, e sobre isso a senhora sabe. Aprendi minha lição. Ele baixou os olhos para o chão. Não há razão para a senhora acreditar em mim. Havia uma razão, sim, pensou Nicole. Seria fácil checar a história dele, portanto seria tolice de Raoul mentir. E ele não lhe parecia nada estúpido. Começar sua ficha criminal com um roubo de carro é bastante impressionante. A maioria das pessoas apenas rouba coisas em lojas. Você foi direto para o topo. Isso lhe valeu um leve sorriso. Eu era uma criança. Não sabia de nada. A oferta de emprego ainda está de pé. Não é um trabalho fácil, mas é honesto. E você ainda pode ficar com todas as sobras da confeitaria que seu estômago conseguir aguentar. Meu estômago aguenta muito. Então é um bom negócio para você. Raoul olhou bem dentro dos olhos de Nicole. Por que a senhora confiaria em mim? Todo o mundo já fez besteira uma vez na vida. 18

21 Ela pensou na irmã caçula. Jesse tivera quatrocentas ou quinhentas chances e conseguira estragar todas elas. Então ficarei com o emprego falou Raoul. Tenho treino de futebol todas as tardes, então talvez pudesse trabalhar de manhã, antes da escola. Converse com Phil a esse respeito. Ele será seu chefe. Se estiver interessado em trabalhar mais horas depois que a temporada de futebol acabar, avise a ele. Raoul assentiu. Obrigado. A senhora não precisava fazer nada disso. Poderia ter chamado a polícia. Nicole não se deu ao trabalho de lembrar a ele que havia tentado. Só que, em vez da polícia de Seattle, fora Hawk quem aparecera. O que acontece entre os homens e o futebol? ela perguntou. Por que você joga? Pela glória? Adoro o jogo falou Raoul. Quero ir para a universidade. Não posso pagar, mas tenho a esperança de ganhar uma bolsa de estudos como jogador de futebol. Então vai se profissionalizar e ganhar milhões? Talvez. As chances não são muitas, mas o treinador diz que eu tenho talento. Ele está em posição de julgar? Raoul franziu o cenho. Ele é meu treinador. O que não respondia à pergunta, pensou Nicole. Como um treinador de escola secundária poderia saber se um jogador teria chance de percorrer todo o caminho até se tornar profissional? Como qualquer pessoa poderia saber? A senhora não sabe quem ele é... falou o rapaz, parecendo chocado. Não tem ideia... Nicole se agitou, desconfortável. Ele é seu treinador. E era muito sexy também, mas isso não vinha ao caso. 19

22 Ele é Eric Hawkins. Jogou como profissional por oito anos e se aposentou no auge da carreira. O homem é uma lenda. Nicole achava difícil de acreditar. Sorte dele. Ele é o melhor. Não precisa trabalhar pelo dinheiro. Está treinando o time da escola secundária porque ama o futebol e quer retribuir o que recebeu. Nicole teve de reprimir um desejo de bocejar. Raoul estava recitando o que parecia ser um discurso pronto. Provavelmente um discurso que o garoto ouvira dezenas de vezes da própria lenda viva. Bom saber disse ela, e tirou quarenta dólares do bolso. Tome. Raoul não pegou o dinheiro. Você não pode me pagar. É claro que posso. Você não será oficialmente um empregado da loja até preencher toda a papelada. Então, pegue isso por enquanto. Você terá um cartão de ponto e logo receberá um salário de verdade. Raoul colocou as mãos para trás. Eu estava trabalhando para pagar os donuts que roubei. Tecnicamente, você nem mesmo saiu com eles pela porta. Você não é muito bom nessa coisa de roubar, não é? Nicole suspirou quando o garoto não sorriu. Escute, você trabalhou duro hoje. E agradeço por isso. Merece o pagamento. Pegue-o ou eu vou ficar brava de verdade, e você não vai querer ver isso. Raoul pegou o dinheiro. A senhora se acha muito durona, mas não me assusta. Aquilo quase a fez soltar uma gargalhada. Dê-me mais tempo, rapaz. Dê-me mais tempo. NICOLE LEVOU Raoul até a parte da frente da confeitaria e encheu dois sacos com doces do dia anterior e pães. A senhora não precisa fazer isso falou o garoto, embora olhasse com avidez para a meia dúzia de biscoitos que ela pegava. 20

23 Você não terá problemas com as calorias. Como eu disse... isso é um bônus. Há mais bônus? Não foi Raoul quem fez essa pergunta. Nicole não precisou se virar e nem mesmo pensar para saber quem estava falando. E, no caso de ter havido alguma confusão em seu cérebro, o calor que percorreu seu corpo confirmaria que estava certa. Ela se aprumou, preparou-se para o impacto e se virou. Como imaginara, Hawk estava parado atrás do caixa, esboçando aquele sorriso sexy que parecia dizer você sabe que me quer. Ele estava um pouco mais vestido do que na véspera. O short agora era mais comprido e a camiseta cobria todo o peito e a barriga, o que era ao mesmo tempo bom e ruim. Na teoria, isso deveria fazê-la raciocinar com mais facilidade, mas na prática era um pouco desapontador. O que você quer? perguntou Nicole, sem se preocupar por estar soando agressiva. Pergunta interessante murmurou Hawk, e piscou para Raoul. Vim para ver como o meu astro se saiu. Ele causou uma impressão e tanto em você, não foi? Nicole percebeu que caíra em uma armadilha. Realmente gostara de Raoul e ficara feliz em oferecer um emprego a ele. Mas com Hawk ali, sentia vontade de dizer que nada dera certo e que ela estava feliz por se livrar do garoto. Ele foi bem falou Nicole, e entregou os sacos para Raoul. Com medo de ver desapontamento nos olhos do rapaz, ela acrescentou: Melhor do que bem. Foi ótimo. Eu sabia. Isso na verdade não tem nada a ver com você. Sei que deve ser difícil para você compreender isso, portanto talvez eu devesse lhe dar alguns minutos para se acostumar com a ideia. Hawk riu. Raoul, você não precisa ficar por aqui. Nós nos veremos no treino, em algumas horas. O rapaz assentiu e foi embora. Nicole o observou partir, porque era mais fácil do que tentar não olhar para Hawk. O homem parecia erva-de-gato. 21

24 Quando os dois ficaram sozinhos, Nicole de repente se sentiu muito desajeitada. Teve vontade de recuar... ou de chegar muito, muito perto dele. Seus braços pareciam estranhos, pendurados ao lado do corpo. Mas cruzá-los seria um gesto muito hostil. Ela odiava aquilo. O homem tinha o poder de fazê-la sentir-se estranha em sua própria pele. Você não precisa mais ficar aqui falou Nicole. Quero lhe agradecer por dar uma chance a Raoul disse Hawk, aproximando-se sem sequer parecer que se movera. Um truque e tanto, pensou ela, com raiva. Raoul trabalhou duro. Isso acontece bem menos do que eu gostaria. Ofereci um emprego a ele. Hawk ergueu uma das sobrancelhas. Raoul realmente a impressionou. Ele precisa de trabalho, eu preciso de ajuda. Não torne a coisa maior do que é. Os olhos escuros dele pareciam ver o que Nicole tinha de mais profundo. Você quer que as pessoas pensem que é durona. Eu sou durona. Você é um marshmallow por dentro. Nicole enrijeceu o corpo. Eu poderia ter colocado seu jogador na cadeia. Não pense que não teria feito isso se ele não houvesse aparecido hoje. Venho tocando esse lugar há anos. Sei o que estou fazendo. E gosta do que está fazendo? É claro respondeu ela, automaticamente, porque era o que sempre respondia. Soubera que seria responsável pela confeitaria quando tinha 8 ou 9 anos. Aquilo fora acertado... esperado mesmo. A vida dela não era feita de muitas surpresas. E ultimamente com certeza não houvera nenhuma boa. 22

25 Espere. Houvera Claire. Reunir-se novamente com a irmã fora bom. Observar Claire se apaixonar loucamente, engravidar, ficar noiva e descobrir a mais completa felicidade havia sido abusar um pouco de sua boa índole, mas ela vinha conseguindo lidar com isso. Afinal, que outra escolha tinha? Terra chamando Nicole. Nicole piscou e viu Hawk parado perto demais. Perdi você para seus pensamentos ele falou. Deve ser a primeira vez que isso lhe acontece na vida respondeu Nicole, sem pensar. Uma mulher concentrada em alguma outra coisa que não você por um décimo de segundo. Porque eu sou irresistível? Não para mim. Não acredito nisso. Você está interessada. Se Nicole fosse capaz de encará-lo por mais de cinco segundos sem ter vontade de gemer, poderia ter pego alguma coisa pesada e acertado a cabeça dele. Mas, do jeito como eram as coisas, Hawk estava dizendo a verdade e ela estava constrangida demais para encontrar um modo rápido de arrasá-lo verbalmente. Assim, só lhe restou a humilhante resposta: Não estou interessada. Hawk riu. Isso foi tão convincente... Não me importo se foi ou não, é a verdade. Quase. A irritação a impeliu a ser honesta: Você sabe que tem um belo corpo e obviamente gosta de exibi-lo para o mundo. O que isso quer dizer? Você já passou bem dos 30 anos. Já não deveria ter superado isso? Não deveria passar pelo menos um terço do seu tempo desenvolvendo sua mente tanto quanto desenvolveu seu corpo? Não pode ser treinador de futebol americano para sempre. Tarde demais, Nicole se lembrou de que ele poderia, sim, ser treinador para sempre, e que Raoul mencionara alguma coisa sobre Hawk ser um jogador de futebol profissional. O que provavelmente significava que ele era rico. Você está presumindo que sou burro? perguntou Hawk, em um tom que era ao mesmo tempo divertido e insultado. Porque eu tenho músculos, ou 23

26 porque jogo futebol americano? Isso não é o mesmo que eu presumir que você é uma idiota só porque é uma loira natural? Talvez. Sim. Nicole ignorou a pergunta. Como sabe que sou uma loira natural? Meus excelentes poderes de observação. Eu dirijo um negócio de sucesso. Obviamente sou uma mulher capaz ela falou, sem modéstia. HAWK GOSTAVA do modo como Nicole se eriçava toda quando ficava irritada. Gostava do modo como toda vez que se aproximava um pouco mais ela ficava perturbada e não sabia para onde olhar. Se não estivesse interessada, Nicole teria lhe dito para recuar e ir embora, mas ela não dissera uma palavra. Ele gostava disso, também. É óbvio provocou Hawk, chegando mais perto. Você não tem respeito algum pelo espaço pessoal? Não. Nicole ergueu a cabeça e o encarou, irritada, mas, antes que pudesse dizer alguma coisa, Hawk falou: Você tem lindos olhos. Ela abriu e fechou a boca. O que pensa que está fazendo? Flertando com você. Por quê? É divertido. Não para mim. Todo mundo gosta de receber atenção. Fale por si mesmo. Você não acha que seus olhos são lindos? Eles são bons. Funcionais. Não me importo com a cor. 24

27 É claro que se importa. Tem de saber que eles são bonitos. Você é bonita. Nicole ruborizou. A princípio Hawk não percebeu o rubor. Ela se virou e resmungou alguma coisa, baixinho. Tudo o que ele conseguiu entender foram algumas poucas palavras como incrivelmente arrogante e ego. Por isso Hawk não estava prestando atenção, até ver Nicole levar os dedos ao rosto, como se estivesse tentando esfriar a pele. Por que alguém tão determinada iria corar apenas porque ele dissera que ela era bonita? A menos que mais ninguém se importasse em olhar. Hawk tinha a sensação de que Nicole era o tipo de mulher que assustava os homens e depois ficava se perguntando por que se sentia solitária. Ele podia dar um jeito nisso. Gosta que eu flerte com você falou Hawk. É a melhor parte do seu dia. Você é impressionante. Eu sei. Ela grunhiu. Não falei como um elogio. Está se iludindo. Nada que diga respeito a você é a melhor parte do meu dia. Mentirosa. Nicole deixou escapar um gemido de frustração. Quase um rosnado. Hawk se perguntou se era aquele o som que ela fazia antes de perder o controle na cama. Ele tinha a sensação de que ela gritaria. Guarde o flerte para alguém que esteja interessado resmungou Nicole, segurando a bengala com tanta força que os nós dos seus dedos ficaram brancos. Você está interessada. Ela negou com a cabeça. Não há nenhum lugar onde precise estar? Claro que há, mas isso aqui está mais divertido. Não está, não. 25

28 Ele estava mexendo com ela. O rubor se tornou mais intenso, e Nicole não conseguia decidir se queria se jogar em cima dele ou se preferia nocauteá-lo. Frustração era o nome do que sentia. Significava que estava interessada e aborrecida consigo mesma, ao mesmo tempo. Deveríamos sair juntos falou Hawk, sabendo que o convite ainda a deixaria mais abalada. O quê? Não. Jantar. Vamos sair para jantar. Não vou jantar com você. Por que não? Não é uma boa ideia. Ele ganhara o primeiro round. Se Nicole realmente não estivesse interessada, teria lhe dito diretamente. É claro que é. Hawk chegou tão perto que ela precisou inclinar a cabeça para trás para continuar olhando nos olhos dele. É uma excelente ideia. Eu não vou. Sim, você vai. Não vou, e você não pode me obrigar. Hawk caminhou até a porta da confeitaria e parou. Quer apostar? E então ele foi embora. Enquanto andava até a caminhonete, Hawk quase podia ouvir Nicole soltando faíscas. As coisas estavam indo bem. Ainda estavam no primeiro quarto do jogo e ele já invadira o território adversário e se preparava para marcar. A TERAPIA de Amy está indo realmente bem disse Claire, enquanto picava mais cogumelos e depois os colocava em uma tigela. Ela é jovem, e isso ajuda. Seu cérebro está aberto a mudanças. Ao contrário de nós, que temos o cérebro fechado. Nicole rasgou a alface na tigela. Não tenho ideia de onde fica meu cérebro nessa questão de fechado e aberto. 26

29 Amy era a filha de Wyatt e futura enteada de Claire. Ela nascera surda e recentemente pedira para fazer um implante coclear, para ajudá-la a ouvir. Na cirurgia era colocado o aparelho necessário, mas também era preciso uma terapia especial para treinar a menina a reconhecer os sons de uma nova maneira e a processá-los. Amy está tão animada com o implante disse Claire. Tem me pedido para tocar para ela toda noite. E você adora. É verdade. Ela é minha maior fã. Levando-se em consideração que Claire era uma concertista de piano mundialmente famosa, com CDs vencedores do Grammy e mais convites para concertos do que poderia atender em duas vidas, aquilo era alguma coisa. Pensei que Wyatt fosse seu maior fã provocou Nicole. A irmã riu e Nicole sorriu. Estava feliz por Claire. De verdade. Tentava se convencer de que não queria homem algum para si mesma, mas sabia que estava mentindo. Queria alguém especial. Alguém que a amasse e fosse presente em sua vida. Infelizmente, havia escolhido Drew. No mesmo instante ela pareceu voltar no tempo para a noite em que flagrara Drew e Jesse juntos na cama. Eles estavam se beijando, ou prestes a. Jesse estava de seios nus. Nicole... Ela se advertiu para não seguir por esse caminho. Precisava parar de se torturar com o passado. Deixara Drew para trás, tinha de seguir em frente. Devia pensar em alguma coisa mais agradável. Imediatamente, imagens de Hawk encheram sua mente. Ele podia irritá-la ao extremo, mas tinha um corpo de matar. Nicole nunca fora muito ligada em aparências, mas no caso dele estava inclinada a abrir uma exceção. Hora para nova mudança de assunto mental, disse Nicole a si mesma. Ela terminou de rasgar a alface e passou a tigela para a irmã. Então, conseguiu organizar sua agenda de viagens para a temporada de outono? Claire deu de ombros. 27

30 Quase. Lisa me deu uma lista de lugares e estou selecionando-os. Não quero ficar longe muito tempo. Não apenas porque vou sentir saudade de Wyatt e de Amy, mas também porque não quero ficar exausta para o bebê. Está checando tudo isso também com sua médica? perguntou Nicole, que confiava mais na médica para cuidar da saúde de Claire do que em Lisa, a agente da irmã. Claire assentiu. Ela quer que eu viaje o mínimo durante as duas últimas semanas do meu primeiro trimestre. Então viajarei bastante durante o segundo trimestre. E menos durante o terceiro. Lisa mencionou alguma coisa sobre uma série de concertos durante as festas de fim de ano, no Havaí, mas acho que não estarei disponível. Nicole pegou um abacate. Por que não? Você não pode levar Amy? Oh, claro. Teríamos uma bela casa de praia à nossa disposição, mas é muito longe, e não é uma época em que quero estar viajando. Você sabe. Longe da família. Nicole estava prestes a dizer que a maior parte da família de Claire seu noivo e a filha dele estariam com ela. Então entendeu. Claire não queria ficar longe dela, Nicole. A irmã não queria que ela ficasse sozinha no Natal. Eu ficarei bem falou Nicole, rapidamente. Você deve ir. Não é por sua causa respondeu Claire, mas não soou convincente. Essa é a nossa primeira oportunidade de passarmos juntas as festas de final de ano desde que tínhamos 6 anos. Não vou para o Havaí. Não quero ir. Não acredito em você. Sinto muito falou Claire. Você está preocupada comigo. É claro, mas vou superar isso. Nicole tentou sorrir, mas não conseguiu fazer os lábios se moverem. Ficava grata pela preocupação das pessoas, mas não gostava de precisar dessa simpatia. Costumava levar sua vida de tal modo que normalmente era ela quem 28

31 estava no controle. Os outros procuravam por sua orientação. Não costumava ser dela que sentiam pena. Falando em superar as coisas falou Claire, casualmente, tem falado com Jesse? Você sabe que não. Terá de fazer isso em algum momento. Por quê? Se dependesse de Nicole, ela nunca mais teria contato algum com Jesse. Como se já não fosse ruim o bastante ter ido para a cama com o meu marido, ela ainda roubou a receita secreta da família e vendeu nosso famoso Bolo de Chocolate Keyes pela internet. Só pensar nisso já a deixava furiosa. Drew era uma coisa, mas aprontar com o negócio da família também? Esse é bem o jeito dela resmungou Nicole. Aposto qualquer coisa com você que se eu fosse falar com Jesse ela teria um milhão de desculpas. Jesse jamais assume a responsabilidade por nada. Você a expulsou de casa falou Claire, tranquila. Ela precisa ganhar a vida. Exatamente. Devia ter arrumado um emprego. Há dezenas de empregos por aí, mas Jesse nem sequer tentou encontrar um. Não. Ela roubou. Primeiro o Drew, depois o bolo. O estômago de Nicole começou a doer. Não quero falar mais sobre isso. Essa questão não vai ser deixada definitivamente de lado até que você descubra um modo de se reconciliar com Jesse. Talvez eu não queira mais ter nada a ver com ela. Nicole lutava contra a raiva e a mágoa. Pegue, por exemplo, esse garoto que entrou na confeitaria na semana passada. Ele roubou um monte de donuts, ou ao menos tentou. Quando o confrontei, o garoto assumiu a responsabilidade pelo que fizera. Estava se sentindo culpado e sabia que agira errado. Ele trabalhou para pagar o que roubara. E fez um trabalho tão bom que lhe dei um emprego. Por que Jesse não pode ser assim? Por que não pode assumir a responsabilidade pelo que faz? Sei que ela a magoou. É mais do que mágoa murmurou Nicole. Muito mais do que mágoa. Vocês duas precisam resolver isso. 29

32 Eu sei Nicole voltou a murmurar. E farei isso. Em algum momento. Penso em fazer isso, mas então fico com tanta raiva que não quero nem vê-la, quanto mais falar com ela. Fico triste por vocês não estarem se entendendo disse Claire. É nossa família. Ela não é uma família que eu queira. Não acredito em você. Claire olhou para ela. Tem todo o direito de ficar com raiva e magoada, mas acho que já está na hora de perguntar a si mesma quanto desse seu comportamento é para ensinar uma lição a Jesse, e quanto tem a ver com vingança. 30

33 Capítulo Três NICOLE SE sentia tola e óbvia enquanto se apoiava na bengala e caminhava em direção ao estádio de futebol da escola secundária. Era muito velha para assistir a um jogo de sexta-feira à noite... ou muito jovem. Não era mais estudante, e também não tinha filhos na escola. Então o que exatamente estava fazendo ali? É isso o que eu ganho por ficar conversando com meus empregados resmungou para si mesma. Deveria apenas ter afastado a possibilidade com um aceno e continuado seu caminho. Mas não. Acabara parando para conversar com Raoul no final da primeira semana de trabalho do rapaz na confeitaria. Ela perguntara como iam as coisas, porque era uma idiota. E quando o rapaz mencionou o jogo de futebol naquela noite, fingira estar interessada. Você podia ter dito não relembrou a si mesma. Quando Raoul perguntara se ela iria, poderia ter dito que estaria ocupada. Só que não estaria, e não costumava mentir. De um ponto de vista espiritual, isso deveria ser uma coisa boa, mas, no que dizia respeito a onde passaria a noite, era uma tragédia. Nicole examinou as fileiras de arquibancadas. Não conhecia ninguém ali. Mas, como a escolha era entre os alunos da escola secundária e seus pais, ficaria com os pais. Ao menos teria a chance de conversar com alguém. Nicole! Ela se virou na direção do campo e viu um dos jogadores de futebol americano correndo em sua direção. Ele estava com o uniforme completo, e Nicole demorou um instante para reconhecer que era Raoul. Olá ela falou, caminhando até a grade que separava o campo da arquibancada. Impressionante. Você parece ameaçador e corpulento. Raoul sorriu. É mesmo? Nicole assentiu. O garoto parecia diferente. Mais velho. Perigoso. Ela sentiu vontade de dizer a ele para tomar cuidado e não se machucar. Ao que parecia, os instintos maternais não precisavam de muito para aflorar. 31

34 Vão jogar contra um time durão? ela perguntou. Eles são bons. Mas vamos acabar com eles. Espero que sim. Ele riu. Obrigado por vir esta noite. Não costumo ter ninguém torcendo por mim nos jogos. A não ser meus amigos, você sabe. Não um adulto. E ela era isso. Uma adulta. Vou torcer muito e tentar deixá-lo embaraçado ela o provocou. Que bom. Uma loirinha vestindo uniforme de líder de torcida correu até eles. Olá ela falou com um grande sorriso no rosto. Sou Brittany. A adolescente era ainda mais linda de perto. Parecia perfeita e muito popular. Nicole pensou em odiá-la apenas por princípio. Nicole ela falou. Minha patroa Raoul apresentou. Eu lhe falei sobre ela. Brittany é minha namorada. Prazer em conhecê-la disse Nicole. O prazer é meu. Espero que goste do jogo. Vamos ter um grande ano. Alguém assoviou no campo. Preciso ir disse Raoul. Vejo você depois do jogo. Ele saiu correndo antes que Nicole pudesse explicar que não ia ficar. Então ela lembrou a si mesma que não tinha exatamente uma agenda social cheia. E se passasse a noite inteira ali? Você não conseguiu ficar longe, não é? Nicole ouviu a voz, sentiu o calor subir por seu corpo e desprezou Hawk por causar aquela reação, e a si mesma por permiti-la. Ela olhou por sobre a grade, para onde Hawk estava parado, no gramado. 32

35 Pelo menos dessa vez ele estava vestido... calça cáqui, camisa polo nas cores da escola. Estava bem. Mais do que bem. Ela sentiu-se ainda mais aborrecida. Raoul me pediu para vir vê-lo jogar. Hawk não pareceu convencido. Estou dizendo a verdade ela insistiu. Ele disse que nenhum adulto vinha assisti-lo. Por que isso? Raoul vive em um lar adotivo. Já está lá há muito tempo. É bom saber que você se interessa. Ele parecia sincero, o que a fez sentir-se culpada por ter reclamado de vir. Não é nada de mais. Para ele, é. Tenho de ir. Aproveite o jogo. Hawk também saiu correndo. Nicole tentou não ficar encarando o traseiro dele, embora fosse difícil ignorar qualquer parte daquele corpo. Isso era estranho, porque ela nunca fora superficial assim antes. Sempre se interessara mais pela mente do homem em questão. Mas a culpa era do momento que vivia, disse Nicole a si mesma, enquanto se virava para os assentos gastos e começava a subir, usando a bengala para se equilibrar. Sob qualquer outra circunstância, mal se lembraria do nome de Hawk. Ele é danado de bonito disse uma mulher. Nicole olhou para ela. O treinador. É a melhor parte do jogo, embora meus dois meninos fossem se sentir desprezados se me ouvissem dizer isso. A mulher sorriu. Sou Barbara. Ela chegou para o lado para abrir espaço. Nicole se sentou perto dela. Olá. Sou Nicole. Você é um pouco jovem para ser uma das mães disse Barbara. Está aqui por causa de Hawk? Não respondeu Nicole, rapidamente. Sou dona de uma confeitaria. Um dos rapazes do time trabalha para mim e me pediu para vir. 33

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA

DESENGANO CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA DESENGANO FADE IN: CENA 01 - CASA DA GAROTA - INT. QUARTO DIA Celular modelo jovial e colorido, escovas, batons e objetos para prender os cabelos sobre móvel de madeira. A GAROTA tem 19 anos, magra, não

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

História Para as Crianças. A menina que caçoou

História Para as Crianças. A menina que caçoou História Para as Crianças A menina que caçoou Bom dia crianças, feliz sábado! Uma vez, do outro lado do mundo, em um lugar chamado Austrália vivia uma menina. Ela não era tão alta como algumas meninas

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Local: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial Esta é uma história de mudança que ocorre em um labirinto em que quatro personagens

Leia mais

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br

Alô, alô. www.bibliotecapedrobandeira.com.br Alô, alô Quero falar com o Marcelo. Momento. Alô. Quem é? Marcelo. Escuta aqui. Eu só vou falar uma vez. A Adriana é minha. Vê se tira o bico de cima dela. Adriana? Que Adriana? Não se faça de cretino.

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares

BOLA NA CESTA. Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares BOLA NA CESTA Roteiro para curta-metragem de Marcele Linhares 25/04/2012 SINOPSE Essa é a história de Marlon Almeida. Um adolescente que tem um pai envolvido com a criminalidade. Sua salvação está no esporte.

Leia mais

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht

Efêmera (título provisório) Por. Ana Julia Travia e Mari Brecht Efêmera (título provisório) Por Ana Julia Travia e Mari Brecht anaju.travia@gmail.com mari.brecht@gmail.com INT. SALA DE - DIA. VÍDEO DE Números no canto da tela: 00 horas Vídeo na TV., 22, com seus cabelos

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar

1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar 1. Porque eu te amo nunca será suficiente 2. Porque a cada dia você me conquista mais e de um jeito novo 3. Porque a ciência não tem como explicar nosso amor 4. Porque a gente discute nossos problemas

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER

Atividades Lição 5 ESCOLA É LUGAR DE APRENDER Atividades Lição 5 NOME: N º : CLASSE: ESCOLA É LUGAR DE APRENDER 1. CANTE A MÚSICA, IDENTIFICANDO AS PALAVRAS. A PALAVRA PIRULITO APARECE DUAS VEZES. ONDE ESTÃO? PINTE-AS.. PIRULITO QUE BATE BATE PIRULITO

Leia mais

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997.

017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. 017. Segunda-Feira, 05 de Julho de 1997. Acordei hoje como sempre, antes do despertador tocar, já era rotina. Ao levantar pude sentir o peso de meu corpo, parecia uma pedra. Fui andando devagar até o banheiro.

Leia mais

Luís Norberto Pascoal

Luís Norberto Pascoal Viver com felicidade é sucesso com harmonia e humildade. Luís Norberto Pascoal Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. ISBN 978-85-7694-131-6 9 788576 941316 Era uma vez um pássaro que

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada.

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Cláudia Barral (A sala é bastante comum, apenas um detalhe a difere de outras salas de apartamentos que se costuma ver ordinariamente: a presença de uma câmera de vídeo

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Nada de telefone celular antes do sexto ano

Nada de telefone celular antes do sexto ano L e i n º1 Nada de telefone celular antes do sexto ano Nossos vizinhos da frente estão passando uma semana em um cruzeiro, então me pediram para buscar o jornal e a correspondência todos os dias, enquanto

Leia mais

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO.

PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. Roteiro de Telenovela Brasileira Central de Produção CAPÍTULO 007 O BEM OU O MAL? Uma novela de MHS. PERSONAGENS DESTE CAPÍTULO. AGENOR ALBERTO FERNANDO GABRIELE JORGE MARIA CLARA MARIA CAMILLA MARÍLIA

Leia mais

O dia em que parei de mandar minha filha andar logo

O dia em que parei de mandar minha filha andar logo O dia em que parei de mandar minha filha andar logo Rachel Macy Stafford Quando se está vivendo uma vida distraída, dispersa, cada minuto precisa ser contabilizado. Você sente que precisa estar cumprindo

Leia mais

Não é o outro que nos

Não é o outro que nos 16º Plano de aula 1-Citação as semana: Não é o outro que nos decepciona, nós que nos decepcionamos por esperar alguma coisa do outro. 2-Meditação da semana: Floresta 3-História da semana: O piquenique

Leia mais

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas).

Titulo - VENENO. Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Titulo - VENENO Ext Capital de São Paulo Noite (Avista-se a cidade de cima, forrada de prédios, algumas luzes ainda acesas). Corta para dentro de um apartamento (O apartamento é bem mobiliado. Estofados

Leia mais

14 segredos que você jamais deve contar a ele

14 segredos que você jamais deve contar a ele Link da matéria : http://www.dicasdemulher.com.br/segredos-que-voce-jamais-deve-contar-aele/ DICAS DE MULHER DICAS DE COMPORTAMENTO 14 segredos que você jamais deve contar a ele Algumas lembranças e comentários

Leia mais

SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO

SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO FAÇA ACONTECER AGORA MISSÃO ESPECIAL SEU GUIA DEFINITIVO PARA PLANEJAR E EXECUTAR DE UMA VEZ POR TODAS SEU SONHO ENGAVETADO RENATA WERNER COACHING PARA MULHERES Página 1 Q ue Maravilha Começar algo novo

Leia mais

10 segredos para falar inglês

10 segredos para falar inglês 10 segredos para falar inglês ÍNDICE PREFÁCIO 1. APENAS COMECE 2. ESQUEÇA O TEMPO 3. UM POUCO TODO DIA 4. NÃO PRECISA AMAR 5. NÃO EXISTE MÁGICA 6. TODO MUNDO COMEÇA DO ZERO 7. VIVA A LÍNGUA 8. NÃO TRADUZA

Leia mais

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA

INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA INT. BIBLIOTECA (1960) - DIANTE DO BALCãO DA BIBLIOTECáRIA Carolina e, acompanhados de, estão na biblioteca, no mesmo lugar em que o segundo episódio se encerrou.os jovens estão atrás do balcão da biblioteca,

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM?

PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? PORQUE É QUE NÃO DANÇAM? Na cozinha, ele serviu se de mais uma bebida e olhou para a mobília de quarto de cama que estava no pátio da frente. O colchão estava a descoberto e os lençóis às riscas estavam

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS

CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS CANDIDATO BANCADO PELOS PAIS Desânimo total Acho que minhas forças estão indo abaixo, ando meio desmotivado!!!! Não quero desanimar, mas os fatores externos estão superando minha motivação... cobrança

Leia mais

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava O menino e o pássaro Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava comida, água e limpava a gaiola do pássaro. O menino esperava o pássaro cantar enquanto contava histórias para

Leia mais

O que fazer em meio às turbulências

O que fazer em meio às turbulências O que fazer em meio às turbulências VERSÍCULO BÍBLICO Façam todo o possível para viver em paz com todos. Romanos 12:18 OBJETIVOS O QUÊ? (GG): As crianças assistirão a um programa de auditório chamado Geração

Leia mais

O Boneco de Neve Bonifácio e o Presente de Natal Perfeito

O Boneco de Neve Bonifácio e o Presente de Natal Perfeito O Boneco de Neve Bonifácio e o Presente de Natal Perfeito Era uma vez um boneco de neve chamado Bonifácio, que vivia numa terra distante onde fazia muito frio. Ele era um boneco especial, porque podia

Leia mais

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com TRECHO: A VOLTA POR CIMA Após me formar aos vinte e seis anos de idade em engenharia civil, e já com uma

Leia mais

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1

JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 1 JOSÉ DE SOUZA CASTRO 1 ENTREGADOR DE CARGAS 32 ANOS DE TRABALHO Transportadora Fácil Idade: 53 anos, nascido em Quixadá, Ceará Esposa: Raimunda Cruz de Castro Filhos: Marcílio, Liana e Luciana Durante

Leia mais

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II Capítulo II Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo Dois Como uma nota de $10 me deixou mais rico do que todos os meus amigos Das centenas de estratégias de construção de riqueza que

Leia mais

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.

Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri. Tia Pri Didáticos Educação Cristã PROIBIDA REPRODUÇÃO,CÓPIA OU DISTRIBUIÇÃO POR QUALQUER MEIO tiapri@tiapri.com (47) 3365-4077 www.tiapri.com Página 1 1. HISTÓRIA SUNAMITA 2. TEXTO BÍBLICO II Reis 4 3.

Leia mais

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta

MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta MERGULHO de Betina Toledo e Thuany Motta Copyright Betina Toledo e Thuany Motta Todos os direitos reservados juventudecabofrio@gmail.com Os 13 Filmes 1 MERGULHO FADE IN: CENA 1 PRAIA DIA Fotografia de

Leia mais

A DIVERSIDADE NA ESCOLA

A DIVERSIDADE NA ESCOLA Tema: A ESCOLA APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS. A DIVERSIDADE NA ESCOLA Quando entrei numa escola, na 1ª série, aos 6 anos, tinha uma alegria verdadeira com a visão perfeita, não sabia ler nem escrever, mas

Leia mais

O mar de Copacabana estava estranhamente calmo, ao contrário

O mar de Copacabana estava estranhamente calmo, ao contrário epílogo O mar de Copacabana estava estranhamente calmo, ao contrário do rebuliço que batia em seu peito. Quase um ano havia se passado. O verão começava novamente hoje, ao pôr do sol, mas Line sabia que,

Leia mais

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro

Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro Histórias do Velho Testamento 3 a 6 anos Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse Unidade 4: Obedeça ao Senhor Neemias e o muro O Velho Testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas e verdadeiras.

Leia mais

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro!

Sei... Entra, Fredo, vem tomar um copo de suco, comer um biscoito. E você também, Dinho, que está parado aí atrás do muro! Capítulo 3 N o meio do caminho tinha uma casa. A casa da Laila, uma menina danada de esperta. Se bem que, de vez em quando, Fredo e Dinho achavam que ela era bastante metida. Essas coisas que acontecem

Leia mais

KIT CÉLULA PARA CRIANÇAS: 28/10/15

KIT CÉLULA PARA CRIANÇAS: 28/10/15 KIT CÉLULA PARA CRIANÇAS: 28/10/15 A mentira não agrada a Deus Principio: Quando mentimos servimos o Diabo o Pai da mentira. Versículo: O caminho para vida é de quem guarda o ensino, mas o que abandona

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br A U A UL LA O céu Atenção Aquela semana tinha sido uma trabalheira! Na gráfica em que Júlio ganhava a vida como encadernador, as coisas iam bem e nunca faltava serviço. Ele gostava do trabalho, mas ficava

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração do Centro de Especialidades Odontológicas de Campo Limpo

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração do Centro de Especialidades Odontológicas de Campo Limpo , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração do Centro de Especialidades Odontológicas de Campo Limpo São Paulo-SP, 20 de outubro de 2004 Meus queridos companheiros e minhas queridas companheiras

Leia mais

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura.

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Palavras do autor Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Durante três anos, tornei-me um leitor voraz de histórias juvenis da literatura nacional, mergulhei

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM

Roteiro para curta-metragem. Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM Roteiro para curta-metragem Aparecida dos Santos Gomes 6º ano Escola Municipalizada Paineira NÃO ERA ASSIM SINOPSE José é viciado em drogas tornando sua mãe infeliz. O vício torna José violento, até que

Leia mais

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO

Roteiro para curta-metragem. Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO Roteiro para curta-metragem Nathália da Silva Santos 6º ano Escola Municipalizada Paineira TEMPESTADE NO COPO SINOPSE Sérgio e Gusthavo se tornam inimigos depois de um mal entendido entre eles. Sérgio

Leia mais

Tenho um espelho mágico no porão e vou usá-lo.

Tenho um espelho mágico no porão e vou usá-lo. Capítulo um Meu espelho mágico deve estar quebrado Tenho um espelho mágico no porão e vou usá-lo. Jonah está com as mãos paradas em frente ao espelho. Está pronta? Ah, sim! Com certeza estou pronta. Faz

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012.

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. MALDITO de Kelly Furlanetto Soares Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. 1 Em uma praça ao lado de uma universidade está sentado um pai a

Leia mais

Tempo para tudo. (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais)

Tempo para tudo. (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais) Tempo para tudo (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais) Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da

Leia mais

Anexo II - Guião (Versão 1)

Anexo II - Guião (Versão 1) Anexo II - Guião (Versão 1) ( ) nº do item na matriz Treino História do Coelho (i) [Imagem 1] Era uma vez um coelhinho que estava a passear no bosque com o pai coelho. Entretanto, o coelhinho começou a

Leia mais

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem.

MARIANA: Fátima? Você tem certeza que seu pai vai gostar? Ele é meio careta, apesar de que é uma linda homenagem. Pais e filhos 1º cena: música ambiente (início da música pais e filhos legião urbana - duas pessoas entram com um mural e começam a confeccionar com frases para o aniversário do pai de uma delas (Fátima),

Leia mais

MARK CARVALHO. Capítulo 1

MARK CARVALHO. Capítulo 1 MARK CARVALHO Capítulo 1 Mark era um menino com altura média, pele clara, pequenos olhos verdes, cabelos com a cor de avelãs. Um dia estava em casa vendo televisão, até que ouviu: Filho, venha aqui na

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades Extraclasse Complementares de Língua Portuguesa Nome: SER FILHO É PADECER NO PURGATÓRIO

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades Extraclasse Complementares de Língua Portuguesa Nome: SER FILHO É PADECER NO PURGATÓRIO 5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades Extraclasse Complementares de Língua Portuguesa Nome: Leia este texto com atenção: SER FILHO É PADECER NO PURGATÓRIO 1 Psssiu, psssiu. Eu? virou-se Juvenal

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

Eu, Você, Todos Pela Educação

Eu, Você, Todos Pela Educação Eu, Você, Todos Pela Educação Um domingo de outono típico em casa: eu, meu marido, nosso filho e meus pais nos visitando para almoçar. Já no final da manhã estava na sala lendo um livro para tentar relaxar

Leia mais

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa.

Olga, imigrante de leste, é empregada nessa casa. Está vestida com um uniforme de doméstica. Tem um ar atrapalhado e está nervosa. A Criada Russa Sandra Pinheiro Interior. Noite. Uma sala de uma casa de família elegantemente decorada. Um sofá ao centro, virado para a boca de cena. Por detrás do sofá umas escadas que conduzem ao andar

Leia mais

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim?

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim? viu? eu não falei pra você? o quê? este ano está igualzinho ao ano passado! foi você que jogou esta bola de neve em mim? puxa, acho que não... essa não está parecendo uma das minhas... eu costumo comprimir

Leia mais

Índice Geral. Índice de Autores

Índice Geral. Índice de Autores Victor Fernandes 1 Índice Geral A perua-galinha 3 A vida de um porco chamado Ricky 4 Um burro chamado Burro 5 O atrevido 6 O Burro que abandonou a família por causa de uma rã 7 A burra Alfazema 8 Índice

Leia mais

A.C. Ilustrações jordana germano

A.C. Ilustrações jordana germano A.C. Ilustrações jordana germano 2013, O autor 2013, Instituto Elo Projeto gráfico, capa, ilustração e diagramação: Jordana Germano C736 Quero-porque-quero!! Autor: Alexandre Compart. Belo Horizonte: Instituto

Leia mais

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série.

HISTÓRIA DE SÃO PAULO. Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. EE Bento Pereira da Rocha HISTÓRIA DE SÃO PAULO Alunos: Tatiana Santos Ferreira, Joyce Cruvello Barroso, Jennifer Cristine Silva Torres dos Santos, Sabrina Cruz. 8ª série. História 1 CENA1 Mônica chega

Leia mais

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor

Belo reparo. capítulo um. No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas. Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor capítulo um Belo reparo Hoje Nova York Apartamento de Cassandra Taylor No Japão, eles têm o kintsugi a arte de remendar porcelanas preciosas com ouro. O resultado é uma peça que nitidamente foi quebrada,

Leia mais

10 coisas que cachorros ensinam sobre o que de fato importa

10 coisas que cachorros ensinam sobre o que de fato importa 10 coisas que cachorros ensinam sobre o que de fato importa Cães são uma fonte constante de amor e diversão, mas, além disso, nos ensinam algumas das maiores lições de nossas vidas Debbie Gisonni, do Cachorro:

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido.

Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Fim. Começo. Para nós, o tempo começou a ter um novo sentido. Assim que ela entrou, eu era qual um menino, tão alegre. bilhete, eu não estaria aqui. Demorei a vida toda para encontrá-lo. Se não fosse o

Leia mais

Quem te fala mal de. 10º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também." 2-Meditação da semana:

Quem te fala mal de. 10º Plano de aula. 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também. 2-Meditação da semana: 10º Plano de aula 1-Citação as semana: Quem te fala mal de outra pessoa, falará mal de ti também." Provérbio Turco 2-Meditação da semana: Mestre conselheiro- 6:14 3-História da semana: AS três peneiras

Leia mais

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque

Fantasmas da noite. Uma peça de Hayaldo Copque Fantasmas da noite Uma peça de Hayaldo Copque Peça encenada dentro de um automóvel na Praça Roosevelt, em São Paulo-SP, nos dias 11 e 12 de novembro de 2011, no projeto AutoPeças, das Satyrianas. Direção:

Leia mais

Patrícia Engel Secco Ilustrações Christian Held

Patrícia Engel Secco Ilustrações Christian Held Patrícia Engel Secco Ilustrações Christian Held Projeto Gráfico Ilustra Online Revisão Trisco Comunicação Uma história de amor pelo nosso planeta. Coordenação Editorial Ler é Fundamental Produções e Projetos

Leia mais

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU

MULHER SOLTEIRA. Marcos O BILAU MULHER SOLTEIRA REFRÃO: Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir Ei, quem tá aí Se tem mulher solteira dá um grito que eu quero ouvir (Essa música foi feita só prás mulheres

Leia mais

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal.

Lembro-me do segredo que ela prometeu me contar. - Olha, eu vou contar, mas é segredo! Não conte para ninguém. Se você contar eu vou ficar de mal. -...eu nem te conto! - Conta, vai, conta! - Está bem! Mas você promete não contar para mais ninguém? - Prometo. Juro que não conto! Se eu contar quero morrer sequinha na mesma hora... - Não precisa exagerar!

Leia mais

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2

DOCE BALANÇO. Novela de Antonio Figueira. Escrita por. Antonio Figueira. Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO Novela de Antonio Figueira Escrita por Antonio Figueira Personagens deste capítulo: DIANA PADRE MARCOS D. SANTINHA BEATA 1 BEATA 2 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10 PÁGINA 1 DOCE BALANÇO CAPÍTULO 10

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

...existe algum motivo legal que impeça a sentença de ser pronunciada?

...existe algum motivo legal que impeça a sentença de ser pronunciada? Levante-se o réu. 6 ...capítulo um Fiquei de pé. Por um momento vi Glória de novo, sentada no banco no píer. A bala acabara de atingir a sua cabeça, de lado, o sangue ainda nem tinha começado a escorrer.

Leia mais

Lucas Liberato Coaching Coach de Inteligência Emocional lucasliberato.com.br

Lucas Liberato Coaching Coach de Inteligência Emocional lucasliberato.com.br Script de Terapia de Liberação Emocional (EFT) para desfazer crenças relativas aos clientes que você merece ter. Eu não consigo atrair clientes dispostos a pagar preços altos A Acupuntura Emocional é uma

Leia mais

Vamos falar de amor? Amornizando!

Vamos falar de amor? Amornizando! Vamos falar de amor? Amornizando! Personagens 1) Neide Tymus (Regente); 2) Sérgio Tymus (Marido Neide); 3) Nelida (Filha da Neide); 4) Primeiro Coralista; 5) Segundo Coralista; 6) Terceiro Coralista; 7)

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

www.thesimstv.net Não foi fácil chegar ao topo. Mas ela irá mostrar como.

www.thesimstv.net Não foi fácil chegar ao topo. Mas ela irá mostrar como. Não foi fácil chegar ao topo. Mas ela irá mostrar como. Querido Diário, hoje começo uma nova vida. Nem acredito, parece que foi ontem que entrei pela primeira vez naquele karaokê... Minha vida mudou completamente

Leia mais

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:...

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:... ALEGRIA PERSONAGENS: Duas amigas entre idades adolescentes. ALEGRIA:... TATY:... Peça infanto-juvenil, em um só ato com quatro personagens sendo as mesmas atrizes, mostrando a vida de duas meninas, no

Leia mais

JANEIRO DE 2013,SEXTA FEIRA DIA 11. escrito por: Antפnio Carlos Calixto. Filho. Personagens: Dana de. Oliveira uma moça. simples ingênua morena

JANEIRO DE 2013,SEXTA FEIRA DIA 11. escrito por: Antפnio Carlos Calixto. Filho. Personagens: Dana de. Oliveira uma moça. simples ingênua morena OSUTERBOS DE 2013,SEXTA FEIRA DIA 11. JANEIRO escrito por: Antפnio Carlos Calixto Filho Personagens: Dana de Oliveira uma moça simples ingênua morena olhos pretos como jabuticaba,1.70a,sarad a cabelos

Leia mais

UM SOL ALARANJADO. Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA QUARTO

UM SOL ALARANJADO. Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA QUARTO SEQUÊNCIA 1 - INTERIOR - DIA UM SOL ALARANJADO Roteiro de Eduardo Valente, a partir de argumento e com a colaboração de Rubio Campos. Por uma janela, vemos o sol nascendo ao fundo de uma série de casas

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal O Tomás, que não acreditava no Pai Natal Era uma vez um menino que não acreditava no Pai Natal e fazia troça de todos os outros meninos da escola, e dos irmãos e dos primos, e de qualquer pessoa que dissesse

Leia mais

Unidade 04: Obedeça ao Senhor Josué obedece, o muro cai

Unidade 04: Obedeça ao Senhor Josué obedece, o muro cai Histórias do Velho Testamento Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 04: Obedeça ao Senhor Josué obedece, o muro cai O velho testamento está cheio de histórias que Deus nos deu, espantosas

Leia mais