DADOS A RETER 5 M E N S AGEM AOS AC C I O N I S TA S 6

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DADOS A RETER 5 M E N S AGEM AOS AC C I O N I S TA S 6"

Transcrição

1 1

2 DADOS A RETER 5 M E N S AGEM AOS AC C I O N I S TA S 6 R E L ATÓRIO DO CONSELHO DE A D M I N I S T R A Ç Ã O N ovo Modelo de Gestão E volução dos Negócios M e rcado de Capitais E n q u a d ramento Re g u l a m e n t a r Pe s s o a l I nve s t i gação e Desenvo l v i m e n t o E u ro e Ano Impacte Social e A m b i e n t a l Análise Económica e Fi n a n c e i ra Gestão e Governo das Sociedades Pe rs p e c t i vas Fu t u ra s 39 C O N TAS CONSOLIDA DA S 41 R E L ATÓRIO E PARECER DO CONSELHO FISCAL E CERT I F I CAÇÃO LEGAL DAS CONTA S 119 R E L ATÓRIOS DOS AU D I TO R E S 123 A N E XO S 127 P rincipais Indicadores por Segmento de Negócio 128 Detalhe das Receitas Consolidadas de Explora ç ã o 133 A Gestão da PT 134 I n formação aos Ac c i o n i s t a s 135

3 Clientes do Gru p o 4

4 DADOS A RETER em milhões C L I E N T E S / AC E S S O S ı 998 ı /98 % Total de clientes PT Po r t u g a l Mercado internacional ( ı ) P E S S OA L ı 998 ı /98 % Pessoal ao serviço no Gr u p o Po r t u g a l Mercado internacional ( ı ) P r o d u t i v i d a d e Acessos telefónicos principais ( 2 ) por trabalhador ( 3 ) Po r t u g a l Acessos fi x o s ( 2 ) e celulares por trabalhador ( 4 ) Po r t u g a l n ú m e r o em milhões, excepto* R E S U LTADOS CONSOLIDA D O S ı 998 ı 999 ı 999 e s c u d o s e s c u d o s e u r o s Proveitos consolidados operacionais Receitas consolidadas de exploração EBITDA (consolidado) Resultados consolidados operacionais Resultado extraordinário: (3 077) PT Mu l t i m e d i a O u t r o s (3 077) (81 174) ( 405 ) Resultado consolidado líquido Resultado consolidado líquido ajustado ( 5 ) Resultado líquido por acção ( 6 ) * (unidades) em percentagem, excepto* MARGENS E INDICA D O R E S ı 998 ı 999 ı 999 Margem EBITDA (consolidada) Margem operacional Margem líquida R O E Dívida líquida/(dívida líquida + capital próprio) E B I T D A/juros líquidos* (n.º vezes) e s c u d o s e s c u d o s e u r o s Cash flow* (milhões) Investimento* (milhões) em milhões S I T UAÇÃO FINANCEIRA ı ı ı e s c u d o s e s c u d o s e u r o s Activo líquido Dívida líquida Capitais próprios Capital social (ı) Empresas consolidadas integral ou proporcionalmente; (2) Exclui circuitos alugados, acessos para comunicação de dados, postos suplementares exteriores, marcação directa de extensões e múltiplos activos; (3) Efectivos e contratados a prazo da Portugal Telecom, S.A. e Marconi, S.A., líquidos do pessoal cedido/requisitado a outras subsidiárias e entidades; (4) Efectivos e contratados a prazo da Portugal Telecom, S.A., Marconi, S.A. e TMN, S.A. (excluindo a Te l e m e n s a g e m ), líquidos do pessoal cedido/requisitado a outras subsidiárias e entidades; (5) Ajustado pelo impacto dos investimentos realizados no Brasil, pelo esforço de redução de efectivos e pelo ganho patrimonial resultante do aumento de capital da TV Cabo e pela mais-valia da alienação da PT Multimedia; (6) Ajustando o número de acções de ı998 para 950 milhões, em conformidade com o share split de ı para 5 realizado em ı999. 5

5 Ca r o s A c c i o n i s t a s, O ano de ı999 foi mais um excelente ano para a PT. Os Resultados Consolidados Operacionais aumentaram ıı% e o Resultado Consolidado Líquido ı2%. Esta boa performance foi devida ao crescimento das receitas, quer a nível doméstico, quer a nível internacional, acompanhada por um programa de racionalização de custos. Nos últimos anos tomámos uma série de medidas orientadas para a criação de valor que tiveram já reflexo em ı999 e que certamente se irão repercutir no futuro. Temos vindo a prosseguir uma estratégia clara de crescimento e aposta nos negócios do futuro móvel, cabo, Internet, multimédia e serviços de banda larga. Foi assim possível aumentarmos o valor accionista da, que passou de 535 milhões de contos em ı995 para milhões de contos (ıı 380 milhões de euros) no final de ı999, atingindo milhões de contos ( ı milhões de euros) no dia ı0 de Março último. Em ı999 as acções da Portugal Telecom valorizaram-se 39.5% contra ı0.2% do Índice BVL 30. Para tirarmos melhor partido das oportunidades que se deparam no sector de telecomunicações e multimédia desenvolvemos um novo modelo de gestão. Ad o p t á m o s uma organização empresarial por segmentos de mercado e clientes, de modo a sermos mais flexíveis e orientados para as necessidades do Cliente. Este modelo permite igualmente uma maior responsabilização dos nossos gestores e a criação de alianças ao nível dos diferentes negócios, como foram os casos da Microsoft na Multimedia, da SIBS na PT Prime e da IBM e CGI na PT Sistemas de Informação. Recorremos ao mercado de capitais para flexibilizar a estrutura financeira da Portugal Telecom e ao mesmo tempo baixar o custo de capital e diversificar as nossas fontes de financiamento. Salienta-se a emissão do eurobond e das obrigações convertíveis, bem como o aumento de capital realizado simultaneamente com a quarta fase de privatização. O pagamento antecipado da dívida ao BNDES permitiu-nos reduzir em 7ı3.ı milhões de USD a dívida contraída para o financiamento das aquisições no processo de privatização do sistema Te l e b r á s. A criação da PT Multimedia e a sua admissão em bolsa permitiu o reconhecimento pelo mercado do valor dos nossos activos nesta área, na qual temos vindo a prosseguir uma estratégia clara de crescimento e aposta nos negócios do futuro, sendo a PT claramente líder e motor do desenvolvimento destes serviços. O número de trabalhadores ao serviço da telefonia fi x a no mercado doméstico reduziu-se em cerca de 2ı%, atingindo o rácio número de linhas principais por trabalhador um valor de 3ı9, um dos melhores a nível europeu. Cumprimos com as metas que pretendíamos alcançar na área de redução de custos. Os fornecimentos e serviços de terceiros (excluindo subcontratos) da empresa- -mãe reduziram-se em ı0.9% e o investimento corpóreo e incorpóreo baixou 22%, fruto de uma rede moderna e com um grau de digitalização de ı00%. Continuámos a preparar-nos para a liberalização total do mercado no ano Implementámos com sucesso o novo plano de numeração e estabelecemos a oferta de interligação com outros operadores ao nível das melhores práticas na Europa, só possível devido ao nível de efi c i ê n c i a atingido pela Portugal Telecom. Baixámos signifi c a- tivamente os nossos preços para 2000, nomeadamente na longa distância nacional em que se verificou uma redução de cerca de 35%, e introduzimos a facturação ao s e g u n d o. 6

6 Reforçámos a liderança nos nossos negócios. O total do tráfego cursado na rede fixa cresceu ı3.5% e o tráfego originado por acesso/dia cifrou-se em 9. 4 minutos, um crescimento por acesso de 8.2%. O crescimento do tráfego fixo-móvel e da Internet foram os principais responsáveis por este comportamento, representando este último ı9.5% do tráfego originado. Continuámos a inovar nesta área oferecendo serviços de valor acrescentado aos nossos clientes como o PT Mobilé, o primeiro produto convergente fixo-móvel a ser comercializado em Po r t u g a l. Para os clientes empresariais estabelecemos uma oferta completa de serviços voz, dados, imagem e soluções i n t e g r a d a s permitindo uma oferta o n e - s t o p - s h o p p i n g. Estamos a desenvolver um b a c k b o n e IP de segunda geração que servirá de suporte a esta oferta de serviços, sendo de destacar as soluções de VPN sobre IP e a plataforma de e - c o m m e r c e essencialmente na vertente b u s i n e s s - t o - b u s i n e s s, onde estabelecemos recentemente um acordo estratégico com a Commerce One. A TMN reforçou a sua liderança no mercado celular atingindo 2.ı milhões de clientes, um crescimento superior a 48% relativamente a ı998. Apesar do aumento da concorrência verificado em ı999, o bom desempenho da TMN permitiu alcançar uma quota de mercado de 45.3%. Continuámos a investir fortemente no sentido de incorporar na rede as tecnologias mais avançadas e a desenvolver novos produtos. Brevemente a TMN oferecerá serviços de Internet numa estratégia coordenada com a PT Mu l t i m e d i a. A criação da PT Multimedia enquadra-se na nossa estratégia global de criação de valor. Ao nível operacional continuámos a desenvolver a televisão por cabo, aumentando significativamente o número de clientes do serviço básico e dos canais p r e m i u m. Aumentámos a qualidade da oferta e criámos novos canais temáticos, como o canal de notícias CNL, e continuaremos a apostar nos conteúdos de língua portuguesa. Na área da Internet adquirimos o portal SAPO o portal líder do mercado português e lançámos o serviço de acesso gratuito NetSapo. Fomos pioneiros no acesso de banda larga à Internet através da rede de cabo o NetCabo e brevemente iremos lançar a Web TV em parceria com a M i c r o s o ft. Fizemos uma aposta forte na área do multimédia e continuaremos a desenvolver este negócio. Recentemente, a PT Multimedia expandiu as suas operações para o Brasil, tendo adquirido a Zip.net, S.A., empresa detentora do terceiro maior portal brasileiro e da maior base de subscritores de da América Latina. A nível internacional será de destacar a boa performance da Telesp Ce l u l a r, a qual obteve mais de ı milhão de clientes em ı999. O lançamento dos pré-pagos Baby e Pe g & Fa l e impulsionaram este crescimento tirando partido do know how do Grupo PT nesta área. O forte investimento realizado permitiu digitalizar totalmente a rede na zona metropolitana de São Paulo e aumentar a qualidade do serviço e a oferta de novos serviços. As perspectivas económicas para o Brasil são boas e continuaremos a desenvolver a nossa estratégia de crescimento baseada na notoriedade da empresa, modernização da rede, inovação e serviço ao Cliente. Na sua estratégia de expansão internacional, a PT ganhou a segunda licença de GSM em Marrocos, acreditando no potencial deste mercado e nas sinergias e know how q u e detém na área do celular. Finalmente uma palavra de agradecimento aos nossos colaboradores, os quais com a sua competência e dedicação têm contribuído para o desenvolvimento da PT e serão peça fundamental para o crescimento futuro do Gr u p o. Francisco Luís Murteira Nabo Presidente do Conselho de Ad m i n i s t r a ç ã o 7

7 1. N OVO MODELO DE GESTÃO O exercício de ı999 foi marcado pelo desencadear de um profundo processo de reorganização empresarial da PT. Globalmente, o modelo traduz-se na criação e redefi n i ç ã o de unidades de negócios empresarialmente autónomas, coordenadas e controladas por uma h o l d i n g. Um dos objectivos estratégicos visados com a reorganização foi aumentar a visibilidade dos vários negócios do Grupo e o reflexo do valor destes no da própria PT, como foi o caso da admissão em bolsa da h o l d i n g responsável pela gestão dos negócios multimédia. Pretende-se também melhorar a competitividade empresarial. A reorganização permitiu igualmente o desenvolvimento de parcerias específicas para cada negócio, como os realizados com a Microsoft, nos negócios multimédia, a SIBS nas soluções empresariais e a IBM e CGI nos sistemas de inform a ç ã o. Flexibilizar a estrutura do Grupo foi outro dos objectivos da restruturação, permitindo uma maior eficácia no desenvolvimento de novas oportunidades, com as diferentes estruturas empresariais focalizadas nos vários segmentos chave de clientes e negócios. Finalmente, a reorganização permitirá potenciar as sinergias do Grupo, a flexibilização e responsabilização da gestão e, simultaneamente, a racionalização dos recursos. Concluída a primeira fase do processo de reorganização do Grupo, a estrutura actualmente existente é a seguinte: Po rt u gal Te l e c o m PT Inve s t i m e n t o s ( S G P S ) P ri m e M a rc o n i T M N M u l t i m e d i a ( S G P S ) I n t e r n a c i o n a l ( S G P S ) I n ova ç ã o Sistemas de I n fo r m a ç ã o O u t ra s PT Pri m e A PT Prime Soluções Empresariais de Te l e c o m u n i c a ç õ e s e Sistemas, S.A. ( PT Prime ), foi criada com o objectivo de prestar serviços aos grandes clientes e grandes empresas, de modo a responder com flexibilidade, eficiência e soluções inovadoras e avançadas às solicitações complexas deste mercado. A PT Prime agregou os serviços anteriormente prestados a este segmento pela Portugal Telecom e o negócio de comunicação de dados, e de redes empresariais e de comércio electrónico b u s i n e s s - t o - b u s i n e s sque eram prestados pela Te l e p a c. A PT Prime oferece soluções integradas de voz, dados e imagem, comércio electrónico, bem como soluções de convergência fixo-móvel, consultoria e o u t s o u r c i n g, disponibilizadas a partir de um interface comercial único. A PT Prime dispõe de um b a c k b o n e IP e uma rede de banda larga que permite uma elevada qualidade e capacidade de t r a n s m i s s ã o. 8

8 PT Multimedia A PT tem vindo a alargar a oferta de serviços multimédia, interactivos e Internet, tendo criado a sub-holding Mu l t i- média Serviços de Telecomunicações e Mu l t i m é d i a, S G P S, S.A. ( PT Mu l t i m e d i a ), para a qual transferiu as participações que detinha na TV Cabo Portugal, na Te l e p a c Comunicações Interactivas e na Páginas Amarelas, S.A. A TV Cabo Portugal é responsável pelo desenvolvimento dos serviços de televisão por cabo e gestão dos investimentos na área de produção de canais de televisão e de programação p r e m i u m, bem como pelo acesso à Internet via c a b l e m o d e m de alta velocidade. A Telepac Comunicações Interactivas é o Internet Service Provider ( ISP ) do Grupo e está envolvida na gestão de conteúdos Internet e na área do comércio electrónico. A Páginas Amarelas, S.A. é responsável pela publicação das listas. PT Inova ç ã o A Portugal Telecom Inovação, S.A. ( PT Inovação ), passou a agregar as actividades de investigação e desenvolvimento, anteriormente dispersas em duas unidades, a unidade de I&D da Portugal Telecom Centro de Estudos de Te l e- comunicações e o INESCTEL. A PT Inovação tem por missão o desenvolvimento de competências de inovação ao nível de serviços, tecnologias e operações nas áreas das telecomunicações e das tecnologias da informação, garantindo um factor de diferenciação face à concorrência. Exemplos disso foram o desenvolvimento dos produtos p r é-pagos MIMO e SPOT para a TMN e Baby para a Te l e s p Ce l u l a r. Mais recentemente, foi acordado com a Me d i Te l e c o m, segundo operador de rede móvel GSM em Marrocos no qual a PT é o accionista principal em conjunto com a Te l e f ó n i c a, o fornecimento de um serviço pré-pago. PT Sistemas de Informação e DCSI Para autonomizar as actividades da PT desenvolvidas no âmbito das tecnologias e sistemas de informação, foram criadas a PT Sistemas de Informação, S.A. ( PT SI ) em parceria com a CGI, a CASE e a IBM, vocacionada para o desenvolvimento de soluções na área dos sistemas e tecnologias de informação do Grupo, e a DCSI Desenvolvimento, Computadores e Sistemas de Informação, Lda. ( DCSI ), em parceria com a IBM, para gestão dos centros operacionais de processamento de dados. Foram transferidas para estas sociedades as funções de sistemas de informação, na sua componente operacional e nos centros de processamento de dados das empresas do Grupo PT. Pretende-se focalizar as empresas do Grupo no seu c o r e - b u s i n e s s e posicionar a PT na área das tecnologias de informação, fornecendo soluções integradas e constituindo um elemento de suporte aos novos negócios. PT Inve s t i m e n t o s No âmbito do processo de reorganização empresarial foi constituída a Portugal Telecom Investimentos, SGPS, S.A. ( I n v e s t i m e n t o s ), tendo-se destacado para essa sociedade todas as participações sociais detidas pela Po r t u g a l Te l e c o m. E s t ru t u ra fi n a l A estrutura final que se pretende atingir terá no topo do Grupo PT uma sociedade gestora de participações sociais, a Portugal Telecom, SGPS, S.A. Esta será titular de todas as participações do Grupo, incluindo a participação na empresa que será responsável pela rede fixa de telecomunicações, a PT Comunicações, a ser constituída por destaque da Portugal Telecom S.A., uma vez obtidas as necessárias autorizações do Estado no que diz respeito ao Contrato de Concessão. Esta empresa comercializará os serviços de rede fixa para mercado residencial e PME s e será responsável pela gestão e revenda das infra-estruturas de telecomunicações, sendo-lhe atribuída a responsabilidade pelo serviço universal no âmbito da concessão de serviço p ú b l i c o. 9

9 Po rt u gal Te l e c o m ( S G P S ) Co mu n i c a ç õ e s P ri m e M a rc o n i T M N M u l t i m e d i a ( S G P S ) I n t e r n a c i o n a l ( S G P S ) I n ova ç ã o Sistemas de I n fo r m a ç ã o O u t ra s Negócios de Rede Fi x a N e g ó c i o s M ó ve i s M u l t i m é d i a O p e ra ç õ e s I n t e r n a c i o n a i s I n s t ru m e n t a i s 2. E VOLUÇÃO DOS NEGÓCIOS Negócios de rede fi x a dos minutos originados na rede fixa (8.5% em ı998) e o tráfego fixo-móvel corresponde a 7.5%. Em negócios de rede fi x a considera-se o serviço fixo de telefone, os serviços a operadores (w h o l e s a l e), as soluções empresariais, as vendas de equipamentos, outras prestações de serviços e as receitas de publicidade em l i s t a s. Serviço fi xo de telefo n e Em crescimento apesar da sua maturidade O número de acessos telefónicos principais em serviço (*) cresceu 2.7% e o tráfego total escoado pela rede fixa aumentou ı3.5% face ao ano anterior, não obstante a maturidade deste serviço e os efeitos de canibalização que vêm sendo exercidos pelos telefones móveis. No final do ano o parque de acessos principais situou-se em milhares a que corresponde uma penetração de linhas por ı00 habitantes. Os acessos RDIS equivalentes aumentaram 52%, ascendendo a ı ı.3% do total de acessos principais em serviço. Para o comportamento do tráfego continuaram a contribuir s i g n i ficativamente as componentes Internet e móvel. O tráfego de acesso à Internet aumentou ı55%, correspondendo a ı9.5% ( * ) Não inclui circuitos alugados, acessos para comunicação de dados, postos suplementares exteriores, extensões com marcação directa de P P C A s e números múltiplos activos. 1 0

10 Redução e segmentação dos preços Tendo em vista a competitividade da oferta e a liberalização total a partir de Janeiro de 2000, prosseguiu-se em ı999 o processo de rebalanceamento tarifário do serviço telefónico. Conforme previsto e anunciado registou-se uma descida nominal média anual dos preços de 3.ı% (5.4% em termos reais) ao nível do cabaz de preços do serviço fixo de telefone. Numa política de segmentação e diferenciação da oferta foram introduzidos vários pacotes tarifários inovadores: PT ı7 preço único no país, independentemente da distância e horário; Vantagem Internacional preços inferiores aos tabelados para cinco países pré-definidos, mediante uma mensalidade; PT ı.ª Vez pagamentos faseados da instalação e oferta de tráfego; Dias PT preço máximo independentemente da duração da chamada no país. Novo sistema tarifário O tarifário introduzido em ı de Janeiro de 2000, o primeiro em liberalização plena, é marcado pela introdução da tarifação contínua ( tarifação ao segundo ): o tarifário é aplicado ao segundo, após um determinado tempo de conversação, a que corresponde um preço inicial. O preço inicial a pagar em qualquer comunicação é inferior ao praticado em ı999. As variações decorrentes do novo tarifário determinam globalmente uma descida acentuada do preço do serviço telefónico, que supera os limites da Convenção (IPC 4%). Com efeito, tomando uma inflação de referência de 2%, estamos perante uma variação média anual de IPC 8%, mais precisamente 6.ı% em termos nominais. Este tarifário promove a convergência dos preços com os praticados pelos operadores europeus congéneres e aumenta a competitividade do tarifário PT face à concorrência, nomeadamente no preço da longa distância nacional o qual sofreu uma redução de cerca de 35%. Oferta diversificada Em ı999 apostou-se igualmente numa atitude comercial focada no cliente e na consolidação da imagem e notoriedade da Empresa. Nesse sentido, procurando reforçar a diferenciação da oferta e a ligação aos clientes, promoveu-se o desenvolvimento e lançamento de novos produtos e soluções avançadas, bem como campanhas orientadas para os diferentes segmentos de mercado. Foi lançado o PT Mobilé, o primeiro produto de convergência fixo/móvel disponibilizado em Portugal, sendo a PT um dos primeiros operadores mundiais a lançar este tipo de produto. O PT Mobilé concentra num único telefone todas as vantagens da rede fixa da PT e da rede móvel da TMN, funcionando na rede fixa da PT via DECT e na rede TMN através de cartão M I M O. No âmbito da promoção do acesso e utilização da Internet, privilegiando o segmento residencial, será de referir os produtos NETline, YesNET e Cyberkit RDIS PT, este último uma solução integrada com base num acesso RDIS. Ma i s vocacionadas para as PME s, estão disponíveis as soluções RDIS Easy e RDIS Mobilidade que inclui também a ligação de terminais DECT. Destaque ainda para o CyberLAN RDIS, pacote integrado de Internet/intranet para redes locais e o VídeoMeeting, solução completamente criada pela Portugal Telecom para videoconferência sobre acessos RDIS. Em ı999 foi ainda lançado o serviço Número Pessoal, que permite ao cliente ter um único número telefónico associado a si e não aos seus diferentes acessos telefónicos. Os produtos incentivadores de tráfego de carácter mais tradicional continuaram a registar crescimentos apreciáveis: o parque de número verde e número azul aumentou 22% e o de voice mail mais do que duplicou. Melhoria contínua da qualidade A modernização das infra-estruturas e a sucessiva introdução de novas tecnologias, com a crescente utilização de acessos digitais, permitiram melhorar os índices de qualidade de s e r v i ç o. Face a ı998, o número de avarias por ı00 acessos diminuiu 24%, o número de avarias reparadas em menos de doze 11

11 horas úteis elevou-se em 4 p.p. para 89% e o número de reclamações de facturação por cada mil facturas baixou para 0.3, quando fora de 0.5 no ano de ı998. Os desenvolvimentos ocorridos no domínio dos sistemas de informação e de gestão, nomeadamente das novas aplicações integradas de gestão de bases de dados de clientes e de facturação, foram também determinantes para melhorar os índices de qualidade. No decurso de ı999 foi concluída e implementada a aplicação CLIP para gestão integrada do processo da facturação e contas dos clientes, permitindo melhorar consideravelmente a nossa relação com o mercado. Serviços a opera d o re s A PT escolhida pelos concorrentes A PT é o principal fornecedor de serviços w h o l e s a l e, n ã o obstante a possibilidade de os operadores de serviços já liberalizados poderem constituir infra-estruturas próprias e de os operadores móveis poderem interligar directamente a nível internacional. A capacidade dos circuitos alugados para operadores aumentou 62% em ı999 e o tráfego de operadores cresceu 92% relativamente a ı998. O parque de circuitos alugados a operadores atingiu os 402 mil em equivalentes a 64 kbps, 95% do qual diz respeito a circuitos digitais. A competitividade da oferta ao nível da qualidade e do preço tem sido crucial para este comportamento. Preços competitivos Em ı999 o cabaz de preços dos circuitos alugados para operadores diminuiu ı7%. Em ı998 e ı999 verificou-se uma redução acumulada de preços na totalidade de circuitos (incluindo os de clientes finais) de 33%, em termos reais, quando no acordo estabelecido com o ICP e a DGCP se havia estabelecido para o cabaz de preços um price cap de 29%, em termos reais, para o triénio ı998/2000. Por outro lado, os preços do tráfego de interligação reduziram- -se ı3% em ı999 (ı2% na interligação nacional e 36% na internacional). Para além da competitividade da oferta, a determinação dos preços também tem sido orientada para os custos e para as best practices i n t e r n a c i o n a i s. Oferta de interligação Em ı999 foi apresentada pela PT e ratificada pelo ICP a proposta de Oferta de Referência de Interligação ( ORI ) para Estabelecem-se aí, pela primeira vez, os preços de interligação a praticar com os novos operadores de rede fixa, na sequência da liberalização total do serviço fixo de t e l e f o n e. Os preços constantes da ORI aproximam-se dos praticados nos restantes países europeus e enquadram-se nas recomendações da UE, só possível devido aos níveis de efi c i ê n c i a atingidos pela Portugal Te l e c o m. Esta situação, conjuntamente com o aumento de número de operadores e prestadores de serviços no mercado e a expansão dos negócios móveis e Internet, determinaram um assinalável crescimento da actividade de w h o l e s a l e. Soluções empre s a ri a i s Comunicação de dados em crescimento Ao nível deste negócio são de registar bons resultados, nomeadamente ao nível da comunicação de dados em 1 2

12 modo comutado, cujo número de acessos directos aumentou cerca de 5% face a ı998, continuando a fomentar-se a utilização de soluções frame relay, acréscimo de 43% face a ı998. ı 8. 9 mil. A capacidade total instalada aumentou 29%, atingindo um total de 74.5 mil circuitos em equivalentes a 64 kbps, dos quais 88% correspondem a circuitos d i g i t a i s. A PT tem vindo a promover reduções nos preços neste serviço por forma a torná-lo mais competitivo, sobretudo no caso dos circuitos digitais que configuram uma oferta comercial com maior qualidade, tendo ocorrido uma redução global de 9.8% ao longo do ano de ı999. Em Março de ı999 foi introduzido um novo preçário contemplando uma redução média de preços de 4.5% na assinatura mensal dos serviços X.25, X.28 e SNA (S y s t e m Network Architecture) e de ı4% no Serviço de Frame Relay. Adicionalmente, foram efectuadas revisões dos preços de referência para contratos personalizados baseados em plataformas de f l a t - r a t e. O parque de circuitos alugados a clientes finais evoluiu de forma muito favorável, tendo atingido um total de Construir as bases do futuro Para além dos serviços tradicionais, a PT tem vindo a fazer um esforço significativo para o lançamento de novas soluções, sobre as quais deposita grandes expectativas. Por forma a responder ao desenvolvimento da sociedade de informação em Portugal, a PT Prime está a construir a maior rede IP em Portugal, desenvolvida por mais de ı ı km de fibra óptica. Esta é uma rede de transmissão de dados de grande capacidade, flexibilidade e segurança que irá integrar progressivamente as actuais infra-estruturas de voz e dados. As soluções sobre IP possibilitam a interligação das empresas com os seus colaboradores, clientes ou parceiros comerciais a partir de acessos remotos de uma forma rápida e económica. Exemplos de serviços sobre a plataforma IP que têm vindo a ser lançados são os casos dos serviços Dial IP, Prime Evolution e Prime Lan, bem como da solução V P N. I P, que permite a interligação de redes locais em ambiente IP privado e a sua ligação à Internet. Esta última, permite congregar voz, vídeo e dados, com vantagens associadas à sua flexibilidade, preço e capacidade e v o l u t i v a. As soluções de banda larga são utilizadas para o transporte de grandes quantidades de informação de forma segura, rápida, flexível e a menores custos. A PT Prime oferece várias soluções alternativas consoante os tipos de informação (voz, dados ou imagem), os volumes associados, os níveis de prioridade e a estabilidade do fluxo de 13

13 informação. Inclui, nomeadamente, os serviços e soluções M e d i a B a n d, FlexBand e I n t e r L a n. Em ı999, o número de acessos aos serviços de banda larga aumentou 97%, atingindo os 224. A PT Prime pretende tirar o maior partido das oportunidades ao nível dos pagamentos electrónicos, certifi c a ç ã o digital e Market Place. Irá também diversificar a oferta EDI Prime Web, Catálogo, EDI Financeiro, EDI Prime P l u s, W e b F a x e M a i l F a x de modo a aumentar a quota de mercado e o crescimento do tráfego sobre as plataformas actuais de e-c o m m e r c e. É de realçar o acordo recentemente concluído com a Commerce One, Inc., empresa líder em soluções globais de e - c o m m e r c e para b u s i n e s s - t o - b u s i n e s s, que permitem ligar dinamicamente empresas compradoras e fornecedoras. Com este acordo, a PT pretende posicionar-se como líder na prestação deste tipo de serviços no mundo lusófono e em Marrocos, assumindo um papel de relevo mesmo a nível mundial. I n f ra - e s t ru t u ra s 100% de digitalização da comutação O desenvolvimento e modernização das infra-estruturas são um factor crítico para a competitividade da oferta, num contexto de liberalização total dos negócios de rede fixa. Os esforços de racionalização têm sido um dos vectores da actuação da PT nesta área, orientando os investimentos directamente para os negócios segundo critérios de rendibilidade, assim como a inovação, no sentido de implementar as soluções tecnológicas mais modernas e competitivas. O ano de ı999 foi marcado pela conclusão do processo de digitalização da comutação que se havia iniciado em ı987, atingindo-se em Outubro os ı00% de digitalização da comutação local, sendo que a restante comutação já se encontrava totalmente digitalizada. Novo plano de numeração Em face à liberalização total do serviço telefónico foi implementado com pleno sucesso, em 3ı de Outubro passado, o novo Plano Nacional de Numeração (numeração fechada a nove dígitos). Foi igualmente necessário adaptar os comutadores para a oferta da funcionalidade de selecção de operador. Estas acções de inegável êxito em termos operacionais foram bastante exigentes quanto aos meios envolvidos, tendo sido despendidos cerca de 3 milhões de contos na componente rede fi x a. As tecnologias mais modernas na transmissão No desenvolvimento da rede e ao nível da rede de acesso, as principais realizações passaram pela utilização crescente de fibra óptica e de soluções rádio, com impacto nos custos de exploração associados. Na rede de transmissão (regional e de longa distância nacional) também se aumentou significativamente o uso de fibra óptica, tendo na rede de transmissão c o r e s i d o instaladas novas estruturas SDH (Synchronous Digital H i e r a r c h y), e o uso dos sistemas de feixes hertzianos, em p a r t i c u l a r, m i n i l i n k s. Expansão da plataforma ATM Ao nível das plataformas de serviço, foi ampliada a de Rede Inteligente (IN) para disponibilizar novos serviços 1 4

14 de cartão pré-pago e ir ao encontro da procura crescente de serviços de número verde e de voice mail. A plataforma ATM (Asynchronous Transfer Mode) foi igualmente ampliada (com um crescimento de 55% do número de portas) para responder à procura de serviços de banda larga e para disponibilizar os novos serviços M e d i a B a n d e G e t B a n d. Foi implementada uma solução piloto de emulação de circuitos de N 64Kbit/s sobre AT M, que permitirá no futuro uma redução significativa de custos e a convergência de redes e serviços sobre esta tecnologia. Em termos de inovação foram também desenvolvidos test e s-piloto de VoIP (Voz sobre IP) e ADSL (A s y m m e t r i c a l Digital Subscriber Line), permitindo este último aumentar consideravelmente a velocidade de acesso sobre a rede de c o b r e. I n v e s t i m e n t o Durante o ano de ı999 investiram-se 62.7 milhões de contos (3ı3 milhões de euros) em infra-estruturas de suporte aos negócios de rede fixa, tendo o investimento corpóreo e incorpóreo nestes negócios ascendido a 93.ı m i- lhões de contos (464 milhões de euros). Este investimento corresponde a um decréscimo de 20% relativamente a ı998, o que denota os resultados do esforço de racionalização em curso e o elevado grau de modernização da r e d e. Receitas consolidadas de ex p l o ra ç ã o Em ı999 os negócios de rede fixa geraram milhões de contos (2 099 milhões de euros) de receitas consolidadas de exploração, continuando a representar a principal fonte de receitas do Grupo PT Negócios móve i s Em Portugal, o serviço móvel celular manteve um elevado dinamismo. Portugal apresenta uma das mais elevadas taxas de penetração da Europa, correspondente a um parque de 4.7 milhões de cartões activos. 15

15 Líder de merc a d o A TMN registou um crescimento muito acentuado do número de cartões activos, atingindo no final de ı999 os 2.ı milhões, mais 48.3% do que no ano anterior. A TMN manteve a liderança do mercado, 45.3% de quota de mercado, reforçando o diferencial face ao segundo operador (mais 375 mil clientes, que corresponde a 8 p.p. de quota de mercado). Também em termos de acréscimo líquido de parque a TMN conseguiu manter a liderança de mercado, com 43.ı% de quota de mercado, evidenciando esta uma tendência de crescimento ao longo do ano. De salientar o aumento de 3% do tráfego médio por cliente, reflectindo, nomeadamente, a capacidade da TMN em fidelizar os segmentos residenciais de maior consumo e e m p r e s a r i a i s. Qualidade superi o r A TMN prosseguiu o desenvolvimento das infra-estruturas visando ampliar a capacidade disponível e reforçar a cobertura nas zonas urbanas de maior densidade de tráfego. Instalaram- -se mais 856 estações base, aumento proporcionalmente superior ao do número de clientes, que permitiu o desenvolvimento de uma vantagem sobre a concorrência. A incorporação das tecnologias mais avançadas conduziu à i n t e n s i ficação da exploração de equipamentos de rádio de tecnologia DCS ı800, com a instalação de perto de duas centenas de estações base nesta tecnologia. Desta forma, os clientes da TMN e os de outros operadores com acordos de r o a m i n g com a TMN podem utilizar terminais dual band, recorrendo às duas frequências em caso de congestionamento de tráfego e beneficiando de uma maior cobertura de canais d i s p o n í v e i s. As soluções mais inova d o ra s A TMN continuou a liderar o mercado também em termos de inovação e de introdução de novos produtos e serviços, destacando-se claramente dos seus concorrentes. Para o mercado de grande consumo é de realçar o alargamento aos produtos pré-pagos da possibilidade de envio de mensagens escritas. Este serviço, que permite o envio de notícias de economia, desporto ou outras, bem como de pequenos textos compostos pelos clientes, tem tido uma adesão extraordinária, atingindo recentemente cerca de ı0 m i l h õ e s de mensagens mensais. Durante o ano foram lançados diversos serviços de mensagens, sendo de destacar o serviço de notícias em parceria com o CNL e o Bolsa On Line, a que se pode aceder por voz ou via SMS e que disponibiliza as cotações de índices e acções da Bolsa de Valores de Lisboa em tempo real. 1 6

16 A TMN prepara-se para, no futuro próximo, responder a novos desafios que se lhe deparam, nomeadamente relacionados com a convergência dos serviços fixos e móveis, comunicação de dados, acesso à Internet e oferta de serviços multimédia. Para tanto estão a ser desenvolvidos projectos conducentes à disponibilização de novas tecnologias, nomeadamente GPRS (General Packet Radio Service) e WAP (Wireless Application Protocol). O melhor serviço ao cliente A oferta de elevados níveis de serviço é um elemento crítico de diferenciação para a angariação e fidelização de clientes. A TMN dedicou especial atenção à rede de distribuição, promovendo o seu reforço selectivo através das redes de agentes, hipermercados, supermercados e lojas da Po r t u g a l Telecom. Procedeu-se, também, a um redimensionamento da força de vendas directa, o que teve reflexos nítidos na ampliação da sua presença no segmento empresarial. Adicionalmente, reforçaram-se as estruturas e processos de atendimento e apoio ao cliente e de serviços pós-venda com a abertura do quarto Call Center da TMN no país. Este permitiu igualmente a melhoria dos procedimentos de assistência técnica e o aumento do número de postos de atendimento e assistência. Deste modo, a TMN tornou-se no primeiro operador a possibilitar aos seus clientes a activação e desactivação de serviços através da página W e b da Internet. No final de ı999, a TMN tinha em exploração comercial acordos com ı42 operadores, ou seja, mais 42 operadores do que no final de ı998. De entre os novos acordos estabelecidos em ı999, há a realçar o incremento dos efectuados com empresas que operam na rede GSM ı800 e GSM ı900. Do ponto de vista da acessibilidade, e realçando os esforços de cooperação com outras empresas, no âmbito do Gr u p o, destaca-se a facilidade concedida aos clientes da Telesp Ce l u l a r de poderem utilizar, desde Abril de ı999, a rede TMN e as dos seus parceiros de r o a m i n g, isto é, a concessão de r o a m i n g u n i l a t e r a l. Uma palavra de destaque também para a expansão do r o a m i n g contratual, r o a m i n gpara clientes aderentes a produtos pré-p a g o s, e para o lançamento e desenvolvimento do serviço de r o a m i n g automático com Espanha, para o mesmo tipo de clientes. I nve s t i m e n t o A preocupação com a qualidade resultou num plano de investimentos muito ambicioso na ampliação da infra-estrutura de rede, tendo o valor do investimento total atingido os milhões de contos (268 milhões de euros), mais 42% do que no ano anterior. Receitas consolidadas de ex p l o ra ç ã o O desempenho referido permitiu que as receitas consolidadas de exploração do negócio móvel celular da PT, no mercado doméstico, registassem em ı999 um apreciável aumento face ao ano anterior, mais 32%, ascendendo a ı44.5 milhões de contos (72ı milhões de euros) e passando a representar 22% das receitas consolidadas de exploração da PT M u l t i m é d i a A PT Multimedia engloba os serviços de televisão por subscrição, a produção e comercialização de conteúdos televisivos, o acesso à Internet, portais e e-commerce. 17

17 Te l evisão por subscrição em grande cre s c i m e n t o Na actividade da televisão por subscrição, o número total de clientes ascendeu a 773 mil, representando um crescimento de 29% face a ı998, dos quais 72 mil são clientes ligados por satélite (DTH). O número de casas passadas cifrou-se em ı 822 mil (acréscimo de ı ı.7%), tendo a taxa de penetração aumentado para 38 %. A TV Cabo, fruto dos investimentos realizados e da qualidade do serviço prestado, mantém uma clara liderança do mercado de televisão por cabo. A melhor cart e i ra de conteúdos telev i s i vos e de serviços No final do ano, os serviços p r e m i u m que incluem a Sport T V, Telecine ı e 2, Pacote Estendido DTH, Zee TV e o Ca n a l P l a y b o y, contavam já com 320 mil adesões, ou seja 4ı% do total de clientes. De referir, particularmente, o sucesso destes serviços para os clientes ligados por satélite, onde o rácio pay to basic atingiu os ı55%. Nos serviços de televisão por subscrição aumentou-se o número de canais dos pacotes básico e minibásico, promovendo a língua portuguesa, e introduziram-se novos canais direccionados para segmentos específicos de clientes. Durante o mês de Setembro iniciaram-se as emissões do Canal de Notícias de Lisboa (CNL), integralmente dedicado à informação. Foi ainda lançado, no final de Novembro, o acesso por cabo à Internet, o NetCabo, destinado a clientes que procuram um serviço com velocidade de acesso à Internet de 640 kbps, cerca de dez vezes superior à de um acesso RDIS. Em Março, foi celebrada uma aliança estratégica com a Microsoft com vista ao desenvolvimento conjunto de serviços de vídeo e dados interactivos suportado em nova tecnologia de serviços de banda larga, integrando designadamente a televisão digital interactiva, serviços interactivos através da Internet e serviços móveis. Durante o ano 2000 esta parceria terá como o u t p u t principal o lançamento da Web TV. I n ovação e liderança do mercado de acesso à Internet As actividades relacionadas com o acesso à Internet têm vindo a evoluir de forma bastante positiva. O número de acessos teve um crescimento assinalável, atingindo 26ı mil no final de ı999, mais ı23% do que no ano anterior. Este crescimento foi fomentado, nomeadamente, pelo lançamento em Outubro do acesso gratuito NetSapo. Do total de acessos por rede telefónica, cerca de 45% correspondem ao serviço N e t Pac e 36% ao NetSapo, no final de ı999. Muito relevante foi igualmente o número de horas de utilização, 26.5 milhões, que superaram em 63% as verifi c a d a s no ano anterior. Serviços e produtos inova d o re s Dos novos produtos e serviços lançados destacam-se para o mercado empresarial: o Si t e Pac, um pacote de serviços integrados de acesso, alojamento e correio electrónico, destinado a melhorar a eficiência e acessibilidade das PME s; o pacote NETPo w e r, disponível em três versões direccionadas para diferentes segmentos de PME s e residencial sofi s t i c a d o, possuindo qualidade superior de redes e serviços e permitindo ao cliente controlar a evolução do produto e o Netkey, a solução chave na mão, simples e integrada, para as empresas entrarem na Internet. Para o mercado residencial a postura inovadora traduziu-se no lançamento do Net-by-TV, assegurando o acesso à Internet através do televisor, abrindo o mercado ao muito vasto e ainda inexplorado universo de clientes sem PC, e do Netfun, produto vocacionado para o segmento dos utilizadores intensivos de c h a t s e jogos. D e s e nvolvimento dos conteúdos on line e comércio electrónico Em Setembro, a PT Multimedia adquiriu uma participação de 74.9% da Saber & Lazer, proprietária do Portal SAPO. Simultaneamente estabeleceu uma parceria estratégica com a Texto Editora, visando o desenvolvimento e comercialização dos conteúdos on line produzidos por esta empresa. 1 8

18 O portal SAPO é uma plataforma para a prestação de serviços e oferta de publicidade. É o portal nacional de maior utilização com uma quota de mercado de 36.6%, mesmo superior à dos portais internacionais mais conhecidos, o que revela a importância na disponibilização de conteúdos em português. Desde Janeiro é possível, igualmente, realizar pesquisas não apenas nos directórios portugueses no domínio.pt, mas em todo o mundo, graças ao acordo estabelecido com o Google, considerado um dos melhores motores de pesquisa g l o b a i s. Constitui igualmente um espaço privilegiado para as actividades de comércio electrónico, tendo sido inaugurado em Abril o Shopping SAPO, o maior centro comercial virtual em Portugal com cerca de trinta empresas registadas. Em Novembro foi lançado o Canal Opinião, ponto de passagem obrigatório para todos os utilizadores da Net de língua portuguesa. Em Novembro, foi adquirida uma participação de 74.9% na Infordesporto, empresa que detém o portal líder de desporto em Portugal. A Infordesporto é, igualmente, especialista em gestão de conteúdos, sendo líder no fornecimento de informação desportiva em tempo real para televisão e Internet e de dados estatísticos relativos a eventos desportivos. Já em Janeiro do ano 2000, a PT Multimedia estabeleceu uma parceria estratégica com a Valentim de Carvalho que envolve a constituição de uma sociedade que será detida em cerca de 74.9% pela primeira e em 25.ı% pela segunda. Os principais objectivos desta parceria serão o desenvolvimento de um portal vertical dedicado à música, a disponibilização para comercialização electrónica do maior catálogo português de produtos musicais, com cerca de ı títulos, e a produção de eventos musicais para transmissão via Internet. Posteriormente, em Fevereiro, a PT Multimedia adquiriu a Zip.net, S.A., empresa detentora do terceiro maior portal do Brasil e da maior base de subscritores de da América Latina. Com esta aquisição, a PT Multimedia posiciona-se como uma das empresas líderes na área da Internet no mundo de expressão portuguesa, um universo de mais de ı 75 milhões de pessoas. I nve s t i m e n t o No domínio tecnológico, uma das actuais prioridades prende- -se com o desenvolvimento das várias plataformas de acesso à Internet telefone, cabo e televisão que implicam um esforço de investimento significativo, de modo a suportar a m a s s i ficação do serviço. Ao nível dos conteúdos, televisivos e o n - l i n e, está igualmente a ser realizado um esforço significativo de investimento, criando conteúdos adaptados às necessidades e apetências das audiências de língua portuguesa. Assim, o total de investimento corpóreo e incorpóreo realizado na área dos negócios multimédia, em ı999, ascendeu a ı ı. 8 milhões de contos (59 milhões de euros). Receitas consolidadas de ex p l o ra ç ã o O crescimento do número de clientes e de adesões aos canais p r e m i u m no serviço TV Cabo, bem como a expansão do negócio Internet permitiram incrementar fortemente as receitas consolidadas de exploração nesta área, que, em ı999, ascenderam a 32.5 milhões de contos (ı62 milhões de euros). Este valor é 53% superior ao de ı998 e faz elevar para 5% o seu peso nas receitas consolidadas de exploração da PT O p e rações internacionais A prioridade estratégica definida para a internacionalização da PT assenta no desenvolvimento dos negócios em mercados em que detenha vantagens competitivas e em áreas com elevado potencial de crescimento, assegurando uma rentabilidade adequada e acréscimo de valor accionista. Em ı999 esta orientação consolidou-se no reforço da participação na Telesp Celular e na aquisição, em Agosto, da segunda licença de telefones móveis em Marrocos, por intermédio do consórcio Me d i Telecom, co-liderado pela PT e pela Telefónica. O lançamento comercial das operações está programado para a parte inicial do ano. 19

19 da rede, na introdução de sistemas de informação e apoio ao cliente, em acções de marketing e promoções e na reformulação e expansão da rede de vendas. Telesp Ce l u l a r Líder de mercado A Telesp Celular lidera o mercado celular do Estado de São Paulo, com cerca de mil clientes no final de ı999, representando um acréscimo de 60% face ao final de ı998 e uma quota de mercado de 63%. De salientar que a quota de mercado da Telesp Celular na área metropolitana de São Paulo passou de 54% em ı998, para 56% em ı999. Soluções inovadoras Entre as acções desenvolvidas durante ı999, assume particular destaque o lançamento, em Abril, do Baby, primeiro produto celular pré-pago disponível no Brasil, combinando simplicidade, total controlo dos gastos, segurança e recarga electrónica de créditos. Em Agosto, foi lançado outro produto pré-pago, o Pe g & Fa l e, dirigido a um segmento de menor poder de compra, com pagamento por prestações cujo valor é integralmente revertido para o cliente como crédito. No seu conjunto, estes dois produtos ultrapassaram no fim de ı999 os 863 mil clientes, correspondendo a 79% do total de novos clientes e a 30% do total de clientes da Telesp Ce l u l a r. Foram lançados dois serviços suplementares para possuidores de equipamento digital, como a notificação de mensagens recebidas no correio de voz e o Alertcall, que identifica o número de telefone iniciador da chamada. No final do ano, foi iniciado, em regime experimental com clientes empresariais, o serviço de mensagens curtas clickfone oferecendo escolha de conteúdo informativo e recepção de correio electrónico e de mensagens Internet. Merece também referência o alargamento do serviço de r o a m i n g internacional, em grande parte através de acordo firmado com a TMN, para mais de setenta países, servidos por mais de ı ı 0 operadoras, da Europa, Ásia, África, Oceânia e EUA. Este crescimento foi suportado no lançamento de produtos e serviços inovadores, no crescimento da capacidade digital Aumento de capacidade e eficiência de distribuição Tendo em vista aumentar a capacidade, cobertura e eficácia da rede comercial foi restruturada e aumentada a rede de lojas próprias, que passaram de ı4 no final de ı998, para 32 no fim de ı999. Na rede de agentes foram assinados contratos de exclusividade, revistas as comissões e introduzidas remunerações indexadas ao volume, fidelidade e exclusividade dos clientes angariados, tendo os pontos de venda aumentado 44%. 2 0

20 I n v e s t i m e n t o Prosseguiu o esforço de expansão da rede digital, iniciado em ı998, aumentando a cobertura e melhorando a qualidade dos serviços prestados, estando a totalidade da região metropolitana de São Paulo coberta pela tecnologia digital CDMA. Foi assim possível eliminar a lista de espera para a aquisição de terminal, atingindo o serviço digital cerca de 5ı% do total de clientes. A racionalização da arquitectura de rede, com o estabelecimento de rotas de tráfego mais e ficientes, possibilita poupanças significativas de custos de i n t e r l i g a ç ã o. A modernização da rede celular concentrou cerca de 90% do investimento do ano, em particular ao nível da sua digitalização, o qual se situou em ı.2 mil milhões de reais. Para aumentar a capacidade e a qualidade do atendimento aos clientes foi feito um investimento muito significativo na instalação de um moderno Call Center e na formação e preparação dos respectivos recursos humanos. Para o segmento de mercado empresarial foram criados um sistema informático de apoio à venda e um Call Center p r ó p r i o s. Receitas consolidadas de exploração das operações i n t e r n a c i o n a i s A totalidade das receitas consolidadas de exploração geradas no mercado internacional, considerando a consolidação proporcional da Telesp Celular (ı3.92%), representaram cerca de 9% das receitas consolidadas de exploração do Gr u p o, atingindo 57.8 milhões de contos (288 milhões de euros), valor superior em 4ı% ao verificado em ı M E R CADO DE CA P I TA I S Acções da PT va l o rizam-se em 39.5% O sector das telecomunicações encontra-se actualmente em plena transformação, sendo um dos motores do crescimento da economia. O desenvolvimento verificado nas áreas de multimédia e da Internet, recorrendo muitas destas empresas ao mercado de capitais para financiar as suas actividades, ajudou igualmente à evolução favorável dos índices bolsistas. Igualmente, os movimentos de consolidação verificados no sector tiveram um efeito positivo sobre as principais praças fi n a n c e i r a s. 21

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 13 de Setembro de 2001 Princípios Contabilísticos Internacionais Síntese do 1º Semestre de 2001 Principais Acontecimentos do 1º Semestre Forte liderança

Leia mais

Apresentação dos Resultados de 1999. Francisco Murteira Nabo

Apresentação dos Resultados de 1999. Francisco Murteira Nabo Apresentação dos Resultados de 1999 Francisco Murteira Nabo gócios de ede Fixa Móveis Multimédia Internacion 1999 (Mc) Δ Hom. % veitos Consolidados Operacionais 682,8 +10,2 ITDA Consolidado 299,4 sultados

Leia mais

Grupo. Negócios. Rede Fixa. Serviço fixo de telefone

Grupo. Negócios. Rede Fixa. Serviço fixo de telefone Negócios do Grupo Rede Fixa Os proveitos operacionais dos negócios de rede fixa situaram-se em ıı49 milhões de euros no primeiro semestre de 2003, uma redução de 5,7% face a igual período do ano anterior,

Leia mais

Resultados Consolidados 2001

Resultados Consolidados 2001 Resultados Consolidados 2001 Francisco Murteira Nabo Presidente Lisboa, 13 de Março 2002 Princípios Contabilísticos Internacionais A Portugal Telecom Grupo Empresarial Português de referência Maior valorização

Leia mais

Decisão sobre processo de controlo prévio da concentração Sonaecom/PT

Decisão sobre processo de controlo prévio da concentração Sonaecom/PT Decisão sobre processo de controlo prévio da concentração Sonaecom/PT Abel M. Mateus Presidente Autoridade da Concorrência Lisboa, de 22 Dezembro de 2006 A decisão Decisão de não oposição acompanhada da

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE 2009

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE 2009 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE Índice 1. Evolução do número de prestadores habilitados para a prestação do Serviço de Acesso à Internet... 3 2. Número de clientes

Leia mais

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Sumário País Portugal Sector Saúde Perfil do Cliente O Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho envolve

Leia mais

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal 1 Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal As alterações verificadas no comportamento dos consumidores, consequência dos novos padrões

Leia mais

E- Marketing - Estratégia e Plano

E- Marketing - Estratégia e Plano E- Marketing - Estratégia e Plano dossier 2 http://negocios.maiadigital.pt Indíce 1 E-MARKETING ESTRATÉGIA E PLANO 2 VANTAGENS DE UM PLANO DE MARKETING 3 FASES DO PLANO DE E-MARKETING 4 ESTRATÉGIAS DE

Leia mais

ESTATÍSTICA DO MERCADO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO EM CABO VERDE ANO DE 2011

ESTATÍSTICA DO MERCADO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO EM CABO VERDE ANO DE 2011 ESTATÍSTICA DO MERCADO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO EM CABO VERDE ANO DE 2011 INDICADORES ESTATÍSTICOS DO ANO DE 2011 Índice INTRODUÇÃO... 2 1. PANORAMA GERAL SOBRE O

Leia mais

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas.

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. Solução Base Descrição do Serviço A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. O acesso Internet Banda Larga que evolui com as suas necessidades. Características Solução adequada para:

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA

APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA APRESENTAÇÃO DO GRUPO INCENTEA Quem Somos Somos um grupo de empresas de prestação de serviços profissionais nas áreas das Tecnologias de Informação, Comunicação e Gestão. Estamos presente em Portugal,

Leia mais

DADOS CHAVE. anexo, que estão de acordo com as regras Portuguesas de contabilidade.

DADOS CHAVE. anexo, que estão de acordo com as regras Portuguesas de contabilidade. PT MULTIMÉDIA.Com - Serviços de Acesso à Internet, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Avenida 5 de Outubro, nº. 206-2º., Lisboa Capital Social: 196.381.518,50 Euros Matriculada na Conservatória do Registo

Leia mais

Entendimento do ICP-ANACOM. Originação de chamadas nas redes móveis nacionais

Entendimento do ICP-ANACOM. Originação de chamadas nas redes móveis nacionais Entendimento do ICP-ANACOM Originação de chamadas nas redes móveis nacionais I. Enquadramento Os serviços de originação de chamadas prestados pelos operadores móveis nacionais são definidos como os serviços

Leia mais

01 _ Evolução dos negócios

01 _ Evolução dos negócios 01 _ Evolução dos negócios 14 Mercado doméstico 14 Rede fixa 20 Móvel Portugal TMN 24 Multimédia PT Multimédia 28 Mercado internacional 28 Móvel Brasil Vivo 32 Outros negócios internacionais 01 _ Evolução

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores Newsletter Janeiro 2011 Campanha Colaboradores Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro Principais Vantagens para Associados A Vodafone oferece condições especiais

Leia mais

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM:

O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: O ESTADO PORTUGUÊS EM CONJUNTO COM: Decidiu apoiar as PME através deste programa, que permite: Modernizar a sua infraestrutura de comunicações Fazer crescer o seu negócio Incorporar competências essenciais

Leia mais

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010.

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010. Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010. Embratel Participações S.A. ( Embrapar ) (BOVESPA: EBTP4, EBTP3) detém 99,2 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ), 100,0

Leia mais

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais de 55,8 milhões EBITDA de 3,1 milhões Margem EBITDA de 5,6% EBIT de 0,54 milhões Resultado Líquido negativo

Leia mais

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal SAÚDEGLOBAL AON Portugal Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Saúdeglobal N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010

Leia mais

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing

Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Manual Planeamento de Campanha de E-Marketing Planeamento de Campanha de E-Marketing Cada variável, a nível de marketing tem normas próprias, em função dos meios de comunicação através dos quais se veiculam

Leia mais

COMUNICADO A PORTUGAL TELECOM APRESENTA OS RESULTADOS 1 RELATIVOS AOS NOVE MESES FINDOS EM 30 DE SETEMBRO DE 2001

COMUNICADO A PORTUGAL TELECOM APRESENTA OS RESULTADOS 1 RELATIVOS AOS NOVE MESES FINDOS EM 30 DE SETEMBRO DE 2001 COMUNICADO Portugal Telecom, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Avenida Fontes Pereira de Melo, 40, Lisboa Capital Social: 1.254.285.000 Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa

Leia mais

Empresa em análise: PT Multimedia

Empresa em análise: PT Multimedia Empresa em análise: PT Multimedia 27 de Maio de 2002 A PT Multimedia foi criada em Julho de 1999 pelo Grupo Portugal Telecom de forma a aproveitar o potencial de crescimento da área dos media e internet

Leia mais

Consortia e-market da Fileira Moda. para o Mercado Externo

Consortia e-market da Fileira Moda. para o Mercado Externo Consortia e-market da Fileira Moda para o Mercado Externo O que é? Consórcio entre empresas da Fileira Moda e a Exponor Digital destinado a criar e explorar uma ou mais lojas online, orientada(s) para

Leia mais

PT Wi-Fi: Internet em Movimento

PT Wi-Fi: Internet em Movimento PT Wi-Fi: Internet em Movimento Clipping de Media (05 a 09 de Dezembro de 2003) Meio: Diário Económico Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 6 Meio: Jornal de Negócios Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 8

Leia mais

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia.

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Bem-vindos à Conferência da ANACOM. Antes de mais gostaria de agradecer

Leia mais

Neste particular, se trata da publicação e divulgação das estatísticas das telecomunicações em Cabo Verde referente ao ano 2007.

Neste particular, se trata da publicação e divulgação das estatísticas das telecomunicações em Cabo Verde referente ao ano 2007. COMPÊNDIO DAS ESTATÍSTICAS DOS MERCADOS DE SERVIÇOS PÚBLICOS DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS EM CABO VERDE ANO 27. SECTOR DAS TELECOMUNICAÇÕES: Enquadramento A ANAC enquanto autoridade reguladora do sector

Leia mais

IP Communications Platform

IP Communications Platform IP Communications Platform A Promessa de Convergência, Cumprida As comunicações são essenciais para os negócios mas, em última análise, estas são conduzidas a nível pessoal no ambiente de trabalho e por

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

Portugal Telecom. Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre. 18 Maio 2006

Portugal Telecom. Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre. 18 Maio 2006 Portugal Telecom Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre 18 Maio 2006 Safe Harbour A presente release contém objectivos acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S. Private Securities

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

4º Congresso brasileiro de meios eletrônicos de pagamento, São Paulo - Brasil, 15/10/2009 4º Congresso brasileiro de meios eletrônicos de pagamento

4º Congresso brasileiro de meios eletrônicos de pagamento, São Paulo - Brasil, 15/10/2009 4º Congresso brasileiro de meios eletrônicos de pagamento Solução Made by Um cartão à medida de cada cliente, São Paulo - Brasil, 15/10/2009 São Paulo, 15-10-2009 1 Agenda Overview Os mercado de meios eletrônicos de pagamento em Portugal Posicionamento da Caixa

Leia mais

PARCEIROS Modelo de Negócio

PARCEIROS Modelo de Negócio PARCEIROS Modelo de Negócio YouBIZ Telecom O YouBIZ Telecom é um negócio da empresa YouBIZ, parceira da. Somos uma empresa líder no canal de Marketing de Rede, com uma quota de mercado superior a 85%.

Leia mais

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel.

A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. A certificação de Qualidade para a Reparação Automóvel. Projecto A Oficina+ ANECRA é uma iniciativa criada em 1996, no âmbito da Padronização de Oficinas ANECRA. Este projecto visa reconhecer a qualidade

Leia mais

O futuro da Banda Larga em Portugal

O futuro da Banda Larga em Portugal O futuro da Banda Larga em Portugal Dr. Miguel Horta e Costa Presidente Executivo da Portugal Telecom Lisboa, 5 de Fevereiro de 2004 Quadro 1 Portugal encontra-se hoje particularmente bem posicionado para

Leia mais

REDES COMUNITÁRIAS. Casos Internacionais. Stokcab Municipios de Estocolmo. MetroWeb Municipios de Milão

REDES COMUNITÁRIAS. Casos Internacionais. Stokcab Municipios de Estocolmo. MetroWeb Municipios de Milão REDES COMUNITÁRIAS Casos Internacionais Stokcab Municipios de Estocolmo MetroWeb Municipios de Milão BorderLight.net Municipios da Suécia / Cidade de Uppsala Utopia.net Municipios do Estado do Utah 0 O

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

Condições Especiais para Inscritos no Conselho Distrital da Madeira Ordem dos Advogados Portugueses

Condições Especiais para Inscritos no Conselho Distrital da Madeira Ordem dos Advogados Portugueses Condições Especiais para Inscritos no Conselho Distrital da Madeira Ordem dos Advogados Portugueses 1. Proposta de Condições Comerciais 1.1 Posicionamento Proposta de condições especiais de tarifas e de

Leia mais

ACEP lança Comissão Especializada Business to Consumer

ACEP lança Comissão Especializada Business to Consumer COMUNICADO DE IMPRENSA Com o objectivo de promover e potencializar o Comércio Electrónico em Portugal ACEP lança Comissão Especializada Business to Consumer. Comissão B2C visa a promoção e divulgação do

Leia mais

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO

INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO INOVAÇÃO E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO O contexto da Globalização Actuação Transversal Aposta no reforço dos factores dinâmicos de competitividade Objectivos e Orientações Estratégicas para a Inovação Estruturação

Leia mais

Características dos operadores

Características dos operadores RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 21 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 29 Características dos operadores Salvo indicação em contrário, os números apresentados neste documento

Leia mais

DESCONTOS EXCLUSIVOS PARA COLABORADORES

DESCONTOS EXCLUSIVOS PARA COLABORADORES 1 DESCONTOS EXCLUSIVOS PARA COLABORADORES 2 AS MELHORES VANTAGENS ESTÃO NO MEO Mais de 220 canais incluindo os seus favoritos Canais e Aplicações Interativas exclusivas VideoClube com os últimos êxitos

Leia mais

Santander Totta. Santander Totta. Especializado no Negócio de PME

Santander Totta. Santander Totta. Especializado no Negócio de PME Santander Totta Santander Totta Especializado no Negócio de PME O Banco Santander Totta está integrado num dos maiores Grupos Financeiros a nível Mundial. Distingue-se pela sua capacidade de oferecer as

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADAS 1º SEMESTRE DE 2000 ÍNDICE

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADAS 1º SEMESTRE DE 2000 ÍNDICE RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADAS 1º SEMESTRE DE 2000 ÍNDICE DADOS A RETER 3 MENSAGEM AOS ACCIONISTAS 5 RELATÓRIO DE GESTÃO 7 1. Evolução dos Negócios 7 2. Mercado de Capitais 24 3. Pessoal 27 4. Investigação

Leia mais

Radiografia do Sector das Telecomunicações de Cabo Verde

Radiografia do Sector das Telecomunicações de Cabo Verde Radiografia do Sector das Telecomunicações de Cabo Verde Associação Empresarial de Telecomunicações Radiografia do Sector das telecomunicações de Cabo Verde 2 Radiografia do Sector das telecomunicações

Leia mais

Em início de nova fase, forumb2b.com alarga a oferta

Em início de nova fase, forumb2b.com alarga a oferta Em início de nova fase, alarga a oferta Com o objectivo de ajudar as empresas a controlar e reduzir custos relacionados com transacções de bens e serviços, o adicionou à sua oferta um conjunto de aplicações

Leia mais

02 _ Evolução dos negócios

02 _ Evolução dos negócios 02 _ Evolução dos negócios 30 Mercado doméstico 30 Rede fixa 34 Móvel Portugal TMN 38 Mercado internacional 38 Móvel Brasil Vivo 42 Outros negócios internacionais Portugal Telecom Relatório e contas consolidadas

Leia mais

As nossas acções Sonaecom

As nossas acções Sonaecom 3.0 As nossas acções Em 2009, as acções da Sonaecom registaram o segundo melhor desempenho do PSI-20, valorizando cerca de 92,2 %, o que constitui uma prova clara da nossa resiliência e um voto de confiança

Leia mais

O princípio da afirmação da sociedade civil.

O princípio da afirmação da sociedade civil. Dois dos Valores do PSD O Princípio do Estado de Direito, respeitante da eminente dignidade da pessoa humana - fundamento de toda a ordem jurídica baseado na nossa convicção de que o Estado deve estar

Leia mais

Projectar o Algarve no Futuro

Projectar o Algarve no Futuro Projectar o Algarve no Futuro Os Novos Desafios do Algarve Região Digital paulo.bernardo@globalgarve.pt 25 Maio 2007 Auditório Portimão Arena Um mundo em profunda mudança O Mundo enfrenta hoje um processo

Leia mais

COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta

COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO ANO DE 2006 Após

Leia mais

BANCO BPI, S.A. Sociedade Aberta COMUNICADO

BANCO BPI, S.A. Sociedade Aberta COMUNICADO BANCO BPI, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua Tenente Valadim, 284, Porto Matriculada na Conservatória do Registo Comercial do Porto sob o número único de matrícula e identificação fiscal 501 214 534 Capital

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

Banco Popular, Espanha

Banco Popular, Espanha Banco Popular, Espanha Tecnologia avançada de automação do posto de caixa para melhorar a eficiência e beneficiar a saúde e segurança dos funcionários O recirculador de notas Vertera contribuiu para impulsionar

Leia mais

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Proveitos Operacionais de 60,8 milhões de euros (+ 8,1%) EBITDA de 5,6 milhões de euros (+ 11,1%) Margem EBITDA 9,2% (vs. 8,9%) Resultado

Leia mais

3T12 TRADING UPDATE 0

3T12 TRADING UPDATE 0 TRADING UPDATE Lisboa, 8 novembro 2012 0 Aviso importante O presente comunicado contém objetivos acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S. Private Securities Litigation Reform Act de 1995. Tais objetivos

Leia mais

Grupo. Negócios. Rede Fixa. Esforço contínuo de reforço da performance do negócio de rede fixa

Grupo. Negócios. Rede Fixa. Esforço contínuo de reforço da performance do negócio de rede fixa Rede Fixa Várias iniciativas foram tomadas no âmbito de um esforço contínuo de reforço da performance negócio de rede fixa, através da retenção e fidelização s clientes, o reforço da competitividade no

Leia mais

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS NOVEMBRO DE 2007 CMVM A 1 de Novembro de 2007 o

Leia mais

Estratégia para os Sistemas e Tecnologias de Informação

Estratégia para os Sistemas e Tecnologias de Informação Estratégia para os Sistemas e Tecnologias de Informação A transcrição ou reprodução deste documento não é permitida sem a prévia autorização escrita do IGIF PRINCIPAIS MENSAGENS O IGIF, na vertente SI,

Leia mais

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010

I Fórum Lusófono de Comunicações. Abril. 2010 I Fórum Lusófono de Comunicações Abril. 2010 Evolução do Setor de Telecomunicações no Brasil Pré-Privatização Monopólio estatal Poucos investimentos Baixa qualidade dos serviços 98 Grande demanda reprimida

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

Estratégia de Marketing na Comunicação Interna. O caso épt! Miguel Horta e Costa Presidente Executivo

Estratégia de Marketing na Comunicação Interna. O caso épt! Miguel Horta e Costa Presidente Executivo Estratégia de Marketing na Comunicação Interna O caso épt! Miguel Horta e Costa Presidente Executivo Conferência Mercator XXI Lisboa, 7 de Outubro 2004 O papel da comunicação no desenvolvimento dos negócios

Leia mais

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO

PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO CVGARANTE SOCIEDADE DE GARANTIA MÚTUA PROMOTORES: PARCEIROS/CONSULTORES: FUNCIONAMENTO RESUMO 14 de Outubro de 2010 O que é a Garantia Mútua? É um sistema privado e de cariz mutualista de apoio às empresas,

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO

RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO RELATÓRIO E CONTAS BBVA MULTIFUNDO ALTERNATIVO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO 30 JUNHO 20 1 BREVE ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 1º semestre de 20 No contexto macroeconómico, o mais relevante no primeiro

Leia mais

Dinâmicas de exportação e de internacionalização

Dinâmicas de exportação e de internacionalização Dinâmicas de exportação e de internacionalização das PME Contribuição da DPIF/ Como fazemos? 1. Posicionamento e actuação da DPIF A DPIF tem como Missão: Facilitar o acesso a financiamento pelas PME e

Leia mais

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010 RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 211 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 21 Características dos operadores Salvo precisión en contrario, los datos presentados en este documento

Leia mais

3. Oferta de produtos e serviços ZON

3. Oferta de produtos e serviços ZON AGENDA 1. A Empresa e a sua história 2. Contexto do mercado de Telecomunicações e Entretenimento em Portugal 3. Oferta de produtos e serviços ZON 4. Novos projectos e iniciativas estratégicas 12 REDE AVANÇADA

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º /X SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º /X SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA. Exposição de motivos Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º /X SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA Exposição de motivos O enorme atraso na democratização do acesso à internet é um motivo de preocupação para

Leia mais

Competitividade e Inovação

Competitividade e Inovação Competitividade e Inovação Evento SIAP 8 de Outubro de 2010 Um mundo em profunda mudança Vivemos um momento de transformação global que não podemos ignorar. Nos últimos anos crise nos mercados financeiros,

Leia mais

A Gestão da experiência do consumidor é essencial

A Gestão da experiência do consumidor é essencial A Gestão da experiência do consumidor é essencial Sempre que um cliente interage com a sua empresa, independentemente do canal escolhido para efetuar esse contacto, é seu dever garantir uma experiência

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas À semelhança do que acontece nas sociedades contemporâneas mais avançadas, a sociedade portuguesa defronta-se hoje com novos e mais intensos

Leia mais

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News 28 PME Líder CRITÉRIOS Bloomberg News CRITÉ RIOS COMO CHEGAR A PME LÍDER Atingir o Estatuto PME Líder é a ambição de muitas empresas. É este o primeiro passo para chegar a PME Excelência. Saiba o que precisa

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Gabinete do Ministro CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Breve apresentação da proposta de Orçamento de Estado para 2008 23 de Outubro de 2007 Texto

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC

PHC Mensagens SMS. Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC PHCMensagens SMS DESCRITIVO O módulo PHC Mensagens SMS permite o envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo, sem ser necessário criar e enviar uma a uma. Comunique com mais sucesso: ganhe

Leia mais

Objectivos de aprendizagem

Objectivos de aprendizagem Capítulo 6 1 Telecomunicações e redes 2 Objectivos de aprendizagem ƒ Identificar as principais tendências e os grandes desenvolvimentos nas empresas, nas tecnologias e nas aplicações de negócio, das telecomunicações

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Sumário 1. Quem somos 2. Nossa missão 3. O que fazemos 3.1. Nossos Serviços 3.2. Nossos Produtos 4. Solução de PABX IP - NetPBX 4.1. Solução de PABX IP 4.2. Solução de Billing 5.

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 9 Desde o nascimento do telemóvel e o seu primeiro modelo vários se seguiram e as transformações tecnológicas que estes sofreram ditaram o nascimento de várias gerações. O Motorola DynaTac 8000X é

Leia mais

Oi e Portugal Telecom formalizam parceria e investimento estratégico

Oi e Portugal Telecom formalizam parceria e investimento estratégico Oi e Portugal Telecom formalizam parceria e investimento estratégico A parceria prevê capitalização da empresa brasileira em até R$ 12 bi, reduzindo alavancagem e ampliando capacidade de investimento,

Leia mais

Relatório e Contas Consolidadas

Relatório e Contas Consolidadas Relatório e Contas Consolidadas 2001 Portugal Telecom Relatório de Gestão Portugal Telecom, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Pessoa Colectiva n.º 503215058 Capital social 1.254.285.000 euros Mat. n.º 3602/940706,

Leia mais

Mercados & Reguladores duas faces da mesma moeda Manuel Rosa da Silva Administrador Executivo

Mercados & Reguladores duas faces da mesma moeda Manuel Rosa da Silva Administrador Executivo Financiamento das Telecoms Mercados & Reguladores duas faces da mesma moeda Manuel Rosa da Silva Administrador Executivo III Forum Telecom & Media Diário Económico Lisboa, 22 de Setembro 2004 Agenda Wall

Leia mais

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDOC Sistema de Gestão Documental Dossier de Produto DP10.02 02.01.2009 www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDoc Sistema de Gestão Documental A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais,

Leia mais

Projecto de Governo Electrónico e de Infra-estruturas de Comunicação

Projecto de Governo Electrónico e de Infra-estruturas de Comunicação Projecto de Governo Electrónico e de Infra-estruturas de Comunicação (Mozambique egovernment and Communication Infrastructure Project) (MEGCIP) 5º Fórum Lusófono das Comunicações Painel 4: Infra-estruturas

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Nota Prévia Os resultados reportados oficialmente reflectem a integração do Grupo Tecnidata a 1 de Outubro de 2008, em seguimento da assinatura do contrato de

Leia mais

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade

PHC dcrm. Aumente o potencial da força de vendas da sua empresa ao aceder remotamente à informação comercial necessária à sua actividade PHC dcrm DESCRITIVO O módulo PHC dcrm permite aos comerciais da sua empresa focalizar toda a actividade no cliente, aumentando a capacidade de resposta aos potenciais negócios da empresa. PHC dcrm Aumente

Leia mais

ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos

ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos ARQUIVO DIGITAL e Gestão de Documentos TECNOLOGIA INOVAÇÃO SOFTWARE SERVIÇOS A MISTER DOC foi constituída com o objectivo de se tornar uma referência no mercado de fornecimento de soluções de gestão de

Leia mais

O GRUPO AITEC. Breve Apresentação

O GRUPO AITEC. Breve Apresentação O GRUPO AITEC Breve Apresentação Missão Antecipar tendências, identificando, criando e desenvolvendo empresas e ofertas criadoras de valor no mercado mundial das Tecnologias de Informação e Comunicação

Leia mais

Liderança Empresarial A crise como alavanca de oportunidades. AEP Março.2012

Liderança Empresarial A crise como alavanca de oportunidades. AEP Março.2012 Liderança Empresarial A crise como alavanca de oportunidades AEP Março.2012 1/ Perfil Em busca da Excelência Missão Inovar com qualidade 1/ Perfil Trabalhamos diariamente no desenvolvimento de soluções

Leia mais

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL 1 São muitas e variadas as soluções e medidas de apoio à competitividade empresarial. Na intervenção de abertura o Presidente da

Leia mais

Resultados 1º Semestre _ 2006

Resultados 1º Semestre _ 2006 Resultados 1º Semestre _ 2006 Comunicado Portugal Telecom Índice 01 Destaques financeiros 4 02 Destaques operacionais 6 03 Demonstração de resultados consolidados 9 04 Capex 17 05 Cash flow 18 06 Balanço

Leia mais

A. E. / P T Comunicações PROPOSTA DE REVISÃO * 2009

A. E. / P T Comunicações PROPOSTA DE REVISÃO * 2009 STPT Sindicato dos Trabalhadores 1 do Grupo Portugal Telecom Fundamentação Económica A. E. / P T Comunicações PROPOSTA DE REVISÃO * 2009 A proposta de revisão do AE/PT-C que para efeitos de negociação

Leia mais

CENTRAL DE COMPRAS PORTUGAL MAIS

CENTRAL DE COMPRAS PORTUGAL MAIS CENTRAL DE COMPRAS PORTUGAL MAIS APRESENTAÇÃO PARCEIROS: Introdução Preparámos-lhe esta apresentação porque acreditamos que são importantes para si e para a sua Entidade os seguintes princípios: OPORTUNIDADE

Leia mais

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 1 INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS 3.1 Concretizar o Potencial da Biedronka 3.2 Assegurar o Crescimento de Longo Prazo 1. THE GROUP TODAY 4. EXPLORAR TODO O POTENCIAL

Leia mais