INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS/INES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS/INES"

Transcrição

1 INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS/INES C O N C U R S O P Ú B L I C O E D I T A L 29 / PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO - BIOLOGIA CADERNO DE PROVA OBJETIVA LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO 1. Só abra este caderno quando autorizado pelo Fiscal de Sala. 2. Contém o mesmo 50 questões de múltipla escolha e 05 questões discursivas. 3. Verifique se há o número exato de questões, e que a prova objetiva contenha 05 opções de resposta cada. Caso esteja incompleto ou com qualquer defeito, comunique ao Fiscal. 4. Não rasure o Cartão de Respostas. Não serão computadas questões não assinaladas ou que contenham mais de uma resposta, emenda ou rasuras, ainda que legíveis. 5. Não serão consideradas as respostas não preenchidas com caneta que não seja de tinta azul ou preta. 6. O candidato, caso necessite, poderá utilizar o verso da prova para rascunho. 7. O candidato somente poderá ausentar-se da sala 60 (sessenta) minutos após o início das provas, acompanhado de um Fiscal. Exclusivamente nos casos de alteração psicológica e/ou fisiológica temporários e necessidade extrema, que o candidato necessite ausentar-se da sala antes dos 60 (sessenta) minutos após o início das provas, poderá fazê-lo desde que acompanhado de um fiscal. 8. O candidato poderá entregar sua Folha de Respostas e Folha da Versão Definitiva e deixar definitivamente o local de realização das provas somente após decorridos, no mínimo, 60 (sessenta) minutos do seu início, porém não poderá levar consigo o Caderno de Questões. 9. O candidato poderá levar consigo o Caderno de Questões, desde que permaneça na sala até o final do período de 5 horas de duração da prova, devendo, obrigatoriamente, devolver ao fiscal da sala sua Folha de Respostas, assinada e a Folha da Versão Definitiva devidamente preenchida. 10. Os três últimos candidatos só poderão deixar a sala após entregarem suas Folhas de Respostas e Folhas da Versão Definitiva e assinarem o termo de fechamento do envelope no qual serão acondicionadas todas as Folhas de Respostas e Folhas da Versão Definitiva da sala. 11. Duração máxima de 05 (cinco) horas. GABARITO PRELIMINAR Dia 14/04/2014 no site

2

3 PROVA DE PORTUGUÊS Nº40 SUPERIOR A consumidora consumida Vilém Flusser Um dos chavões que poluem a atmosfera mental e ameaçam sufocar os intelectos é a expressão sociedade de consumo. Como todo chavão, este também encobre a realidade que procura captar, conter e transmitir de modo sintético, embora, ao defini-la (o que faz apenas aparentemente), crie tão só uma ilusão de tê-la revelado. De modo que, ao dizermos sociedade de consumo, damos provas de nossa lucidez (pois enquadramo-nos no contexto, isto é, somos pra frente ), e, ao mesmo tempo, estamos sendo dispensados do penoso esforço de realmente pensar sobre as profundas e violentas modificações que estão ocorrendo na circunstância que nos cerca. Esta dupla vantagem do chavão explica a explosão demográfica de tais expressões na sociedade das palavras. Mas urge um certo controle de natalidade linguística, se é do nosso interesse e intuito orientar-nos na circunstância, ao invés de desconversá-la. Não se pretende negar, com tais afirmativas, o consumo efetivamente representa um problema central da atualidade. Apenas parece que o problema do consumo é exatamente oposto ao sugerido pela expressão sociedade de consumo. Com esta observação ficam constatados dois fatos: o óbvio a geração atual consome mais que as precedentes e gasta mais tempo em empresa de consumir; e o menos óbvio a geração atual não é capaz de consumir uma parte considerável dos produtos (materiais e ideais), que sobre ela se precipitam. Este segundo fato representa o verdadeiro problema do consumo, de modo que uma expressão mais adequada à captação da situação seria: sociedade impotente para o consumo. A história da humanidade serve, no caso, apenas para confundir-nos, prova que a história ensina apenas que nada ensina. Porque, ao longo de seu curso, desde o paleolítico até a Segunda Guerra Mundial, os bens produzidos nunca conseguiriam suprir a avidez da demanda, e eram, portanto, consumidos praticamente todos. Eram poucos bens que, guardados e não consumidos imediatamente, exigiam que se freasse a avidez do consumo (por exemplo pela virtude burguesa da poupança, imposta, obviamente, não tanto aos próprios burgueses, mas aos dominados por eles). [...] Uma asserção tacitamente aceita por todos rezava: a capacidade consumidora humana é sempre maior que sua capacidade produtora. Em consequência disso, a história da humanidade nos oferece o seguinte modelo de cultura: a cultura é um processo que devora a natureza (produzindo bens), excreta a natureza (consumindo bens) e que cresce apesar da natureza (poupando). Produzir significa: arrancar pedaços à natureza, e dar-lhes valor e forma. Consumir significa: gastar valores e formas e devolver os pedaços desvalorizados e desinformados à natureza. Poupar significa: armazenar valores e formas. A síntese da cultura é pois a armazenagem crescente de valores e formas. Engajar-se em cultura significa: engajar-se em valores e formas e assumir a posição contrária a qualquer sem-valor e à tendência desinformante da natureza; significa, portanto, engajar-se na dignidade humana (no bem [valor] e no belo [forma]). E a meta do processo todo (da qual a história se aproxima assintoticamente) é um estágio no qual a natureza é transformada em cultura, valorizada, informada isto é: humanizada. 1

4 Mas O modelo esboçado é atualmente inaplicável, porque atualmente existem ilhas crescentes na cultura (principalmente nos Estados Unidos e na Europa Ocidental), nas quais a evidência é aproximadamente esta: a circunstância humana nessas ilhas está repleta de produtos (sejam eles duráveis ou perecíveis, distinção esta muito relativa. Estes produtos formam um labirinto no qual se movimentam os homens parcialmente ocupados na tarefa de produzir mais produtos, parcialmente na tarefa de transportar os produtos de um lugar para outro, parcialmente (sempre mais desesperadamente) na tarefa de consumir os produtos e fazê-los desaparecer do ambiente, parcialmente na tarefa (sempre mais difícil) de encontrar-se mutuamente e dar-se as mãos a despeito dos produtos que interferem e obstruem os caminhos do homem para o homem, e parcialmente na tarefa de encontrar um caminho que conduza para fora do labirinto quiçá rumo à natureza que desapareceu no além do horizonte. E em todos os cantos do labirinto está-se amontoando lixo, isto é: restos inconsumíveis. E é este lixo que merece atenção mais apurada, porque tende a ser a parte mais determinante da condição humana. O lixo que está inundando a cultura na forma de produtos mal digeridos e vomitados (produtos, materiais e ideais), não apenas perturba os passos dos homens que perambulam no labirinto, corta as plantas dos seus pés com seus cacos, infecta com as bactérias de podridão os seus pulmões e suas mentes [...] A nossa sociedade é rotulada, por chavão gasto, leviano, e altamente duvidoso, como sendo de consumo. O que tal chavão implica é uma sociedade mais interessada em consumir que produzir, mais em receber que dar, mais em gozar que criar, mais em vivenciar o mundo que mudar o mundo. Uma sociedade de telespectadores. Pode ser que o implicado pelo chavão seja o caso. Mas mesmo se o for, não é isto que caracteriza fundamentalmente a nossa sociedade. O a que caracteriza, pelo contrário, é a sua impotência para fazer desaparecerem do ambiente os produtos gastos, isto é: para consumir num sentido radical do termo. De forma que se trata de uma sociedade muito mais caracterizada por um passado não digerido que por abertura para o futuro. Em suma: uma sociedade de lixo. [...] Revista Cult, fev (fac-símile). Originalmente publicado na revista Comentário de ) Ao empregar a expressão explosão demográfica, no primeiro parágrafo, Vilém Flusser está se referindo: [A] ao crescimento do número de pessoas consumistas no mundo pós-moderno. [B] à prática crescente do uso de expressões neológicas pelo consumidor. [C] ao aparecimento crescente de expressões que passam a funcionar como clichês. [D] às violentas modificações que estão ocorrendo nas circunstâncias que nos cercam. [E] a uma avaliação pessimista acerca dos resultados futuros do consumismo pósmoderno. 2

5 02) A tradução aproximada da linguagem conotativa para a denotativa, de acordo com o contexto no qual está inserida, está incoerente em: [A] natalidade linguística: criação de palavras [B] sociedade das palavras: léxico [C] consumidora consumida: consumista, a sociedade entra num processo de autodestruição. [D] produtos mal digeridos e vomitados: produtos não muito aceitos ou pouco usados. [E] ilhas crescentes na cultura: lugar isolado 03) O teor da expressão sugerida por Flusser para nomear a sociedade atual ( sociedade impotente para o consumo ), identifica-se semântica e diretamente com: [A] com o objetivo central apresentado ao longo do texto. [B] com a definição correta da expressão sociedade de consumo. [C] a preocupação linguística demonstrada ao longo do texto. [D] o processo histórico citado em torno do consumo dos dominados pela burguesia. [E] ao hábito de se guardarem determinados produtos não consumidos imediatamente. 04) Pelas ideias apontadas e desenvolvidas ao longo do texto, percebe-se que o problema da impotência humana para o consumo: [A] nasceu da necessidade de criação de produtos sempre atualizados. [B] é uma consequência do hábito de armazenar. [C] apareceu após a Revolução Industrial. [D] é inerente à geração atual. [E] surgiu para limitar poder o potencial humano para o consumo. 05) Comparando a charge acima com o texto de Flusser, podemos estabelecer uma relação entre eles em que se percebe: [A] a retomada explícita do texto de Flusser pelo autor da imagem. [B] a mesma preocupação demonstrada no primeiro texto. [C] um posicionamento contrário ao que é defendido por Flusser. [D] uma repetição das mesmas ideias já desenvolvidas no primeiro texto. [E] a abordagem na charge de um tema diferente do tratado no primeiro texto. 3

6 06) O texto de Flusser tem o objetivo de esclarecer: [A] a destruição das reservas ambientais. [B] o imediatismo do consumidor contemporâneo. [C] a definição correta da expressão sociedade de consumo. [D] o problema sócio-ambiental ocasionado pelo consumismo. [E] o aumento do consumismo nos dias atuais. 07) Analise a concordância verbal nos períodos abaixo. 1. Carlos ou Ângelo assumirão o cargo de diretor do colégio. 2. Penso que houveram fatos que não podem ser abordados ao telefone. 3. É importante que mantenhamos abertas as lojas e os bancos. 4. A maior parte dos médicos é contra a eutanásia. 5. Saudades, doenças, tristezas, nada o afastaram de sua missão. Estão corretas as frases: [A] 3 e 4. [B] 1 e 5. [C] 1 e 2. [D] 2 e 3. [E] 4 e 5. 08) O emprego da crase é facultativo em: [A] Irei a Curitiba ou à cidade de Juiz de fora para estudar mobilidade urbana. [B] Não tenho o hábito de assistir a programas televisivos banais. [C] Você está se opondo à minha posição diante da violência? [D] Chegavam a casa sempre mais cedo que seus vizinhos. [E] Seria necessário ir àquela reunião de condôminos para expor sua opinião. 09) A colocação pronominal está adequada em: [A] Ele se encorajou a dizer que não importava-se com os problemas alheios. [B] Tomara que você encontre-o a tempo de o convidar para a festa. [C] Gritou, se contrapondo ao projeto que não o agradava. [D] Havia lembrado-se de escrever o recado, mas nunca entregou-lhe. [E] Encarava-o como quem lhe tivesse dado o golpe de misericórdia. 4

7 10) O atendente a quem entreguei os formulários foi muito atencioso. A oração destacada acima possui a mesma classificação e exerce a mesma função sintática que a oração reduzida em: [A] Comportando-se dessa maneira, não alcançarás nenhum de seus objetivos. [B] Preocupada num momento como aquele, não consegui me comunicar com clareza. [C] Espanta-me que, sendo tão responsável, você tenha esquecido o material. [D] Estava disposto a caminhar sozinho até o final daquela estrada. [E] Só então entregou ao diretor o projeto feito pelo pai. PROVA DE LEGISLAÇÃO Nº 41 PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO 11) De acordo com as disposições constitucionais relativas à Educação, é incorreto afirmar: [A] Os Estados e o Distrito Federal aturarão prioritariamente no ensino fundamental e médio. [B] A educação básica pública atenderá prioritariamente ao ensino regular. [C] O acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direito público subjetivo. [D] A educação básica pública terá como fonte adicional de financiamento a contribuição social do salário-educação, recolhida pelas empresas na forma da lei. [E] É vedado às universidades admitir professores, técnicos e cientistas estrangeiros, na forma da lei. 12) A lei estabelecerá o plano nacional de educação, de duração decenal, com o objetivo de articular o sistema nacional de educação, em regime de e definir diretrizes, objetivos, metas e estratégias de implementação para assegurar do ensino em seus diversos níveis, etapas e modalidades por meio de ações integradas dos poderes públicos. De acordo com a Constituição Federal de 1988, preenche corretamente as lacunas: [A] colaboração _ a manutenção e desenvolvimento _ da União. [B] colaboração _ a manutenção e desenvolvimento _ das diferentes esferas federativas. [C] universalização _ a manutenção e desenvolvimento _ dos Estados e Municípios. [D] universalização _ a valorização _ das diferentes esferas federativas. [E] suplementação _ a valorização _ das diferentes esferas federativas. 5

8 13) Conforme a Lei n /96, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, os sistemas de ensino dos Estados e do Distrito Federal compreendem, exceto: [A] As instituições de ensino fundamental e médio criadas e mantidas pela iniciativa privada. [B] As instituições de educação superior mantidas pelo Poder Público municipal. [C] As instituições de ensino mantidas, respectivamente, pelo Poder Público estadual e pelo Distrito Federal. [D] Os órgãos de educação estaduais e do Distrito Federal, respectivamente. [E] As instituições de educação infantil criadas e mantidas pela iniciativa privada. 14) De acordo com a Lei n /96, é incorreto afirmar: [A] A União, em colaboração com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, estabelecerá padrão mínimo de oportunidades educacionais para o ensino fundamental, baseado no cálculo do custo mínimo por aluno, capaz de assegurar ensino de qualidade. [B] O custo mínimo por aluno será calculado pela União ao final de cada ano, com validade para o ano subseqüente, considerando variações regionais no custo dos insumos e as diversas modalidades de ensino. [C] Considera-se como manutenção e desenvolvimento do ensino as despesas realizadas com vistas à consecução dos objetivos básicos das instituições educacionais de todos os níveis estando nela compreendidas as que se destinem a aquisição de material didáticoescolar, e obras de infra-estrutura realizadas para beneficiar diretamente a rede escolar. [D] A ação supletiva e redistributiva da União e dos Estados será exercida de modo a corrigir, progressivamente, as disparidades de acesso e garantir o padrão mínimo de qualidade de ensino. [E] A ação supletiva e redistributiva ficará condicionada ao efetivo cumprimento pelos Estados, Distrito Federal e Municípios do disposto nessa Lei, sem prejuízo de outras prescrições legais. 15) Conforme a Lei n /96, é incorreto afirmar: [A] Qualquer cidadão pode acionar o poder público para exigir o acesso à educação básica obrigatória. [B] Em todas as esferas administrativas, o Poder Público assegurará em primeiro lugar o acesso ao ensino obrigatório, contemplando em seguida os demais níveis e modalidades de ensino, conforme as prioridades constitucionais e legais. [C] Os Estados incumbir-se-ão de definir, com os Municípios, formas de colaboração na oferta do ensino fundamental, as quais devem assegurar a distribuição proporcional das responsabilidades, de acordo com a população a ser atendida e os recursos financeiros disponíveis em cada uma das esferas do Poder Público. [D] Os Municípios incumbir-se-ão de oferecer a educação infantil em creches e préescolas, e, com prioridade, o ensino fundamental, permitida a atuação em outros níveis de ensino somente quando estiverem atendidas plenamente as necessidades de sua área de competência e com recursos que perfazem os percentuais mínimos vinculados pela Constituição Federal à manutenção e desenvolvimento do ensino. [E] Os Municípios poderão optar por se integrar ao sistema estadual de ensino ou compor com ele um sistema único de educação básica. 6

9 16) Conforme a lei nº /07, que regulamenta o FUNDEB é incorreto afirmar: [A] No âmbito de cada Estado e do Distrito Federal foi instituído um Fundo de Manutenção de Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação FUNDEB, de natureza contábil. [B] A União complementará os recursos dos Fundos sempre que, no âmbito de cada Estado e no Distrito Federal, o valor médio ponderado por aluno, não alcançar o mínimo definido nacionalmente. [C] A utilização dos recursos oriundos da arrecadação da contribuição social do salárioeducação poderá ser utilizada na complementação da União aos Fundos. [D] Pelo menos 60% dos recursos anuais totais dos Fundos serão destinados ao pagamento da remuneração dos profissionais do magistério da educação básica em efetivo exercício na rede pública. [E] É vedada a utilização dos recursos dos Fundos no financiamento das despesas não consideradas como manutenção e desenvolvimento da educação básica. 17) Conforme a lei nº /07, que regulamenta o FUNDEB, parcela de complementação da União, limitada a até 10% de seu valor anual, poderá ser distribuída para os Fundos por meio de programas direcionados para a melhoria da qualidade da educação básica. Para distribuição dessa parcela aos Fundos de âmbito estadual beneficiários da complementação, levar-se-á em conta, exceto: [A] A proporção de recursos aplicados na educação especial. [B] A apresentação de projetos em regime de colaboração por Estado e respectivos Municípios ou por consórcios municipais. [C] O desempenho do sistema de ensino no que se refere ao esforço de habilitação dos professores e aprendizagem dos educandos e melhoria do fluxo escolar. [D] O esforço fiscal dos entes federados. [E] A vigência de plano estadual ou municipal de educação aprovado por lei. 18) De acordo com a Lei n /90 (ECA), a criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos civis, humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis. O direito à liberdade compreende os seguintes aspectos, exceto: [A] Participar da vida familiar e comunitária, sem discriminação. [B] Participar da vida política, na forma da lei. [C] Buscar refúgio, auxílio e orientação. [D] Opinião e expressão. [E] Inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral. 7

10 19) De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, verificada a prática de ato infracional, a autoridade competente poderá aplicar medidas socioeducativas ao adolescente levando em conta: [A] Somente sua capacidade de cumpri-la. [B] Somente a gravidade da infração. [C] Somente as circunstâncias e a gravidade da infração. [D] Sua capacidade de cumpri-la, as circunstâncias e a gravidade da infração. [E] Sua idade, capacidade de cumpri-la, as circunstâncias e a gravidade da infração. 20) Conforme a Lei n /90 (ECA) é vedado ao adolescente empregado, aluno de escola técnica, assistido em entidade governamental ou não governamental, trabalhos nas condições a seguir, exceto: [A] Realizado em horários e locais que não permitam a frequência à escola. [B] Noturno, realizado no período de 19:00 hs às 22hs. [C] Perigoso. [D] Insalubre ou penoso. [E] Realizado em locais prejudiciais à sua formação e ao seu desenvolvimento moral e social. PROVA ESPECÍFICA Nº 42 PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO BIOLOGIA CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS COMUM PARA TODOS OS PROFESSORES 21) Para que o projeto político pedagógico seja, de fato, um instrumento de melhoria de qualidade da escola, é necessário, exceto: [A] Definição da missão. [B] Descrição da clientela. [C] Estabelecimento de diretrizes pedagógicas. [D] Elaboração do plano de ação. [E] Descrição de datas comemorativas. 8

11 22) Assinale a alternativa incorreta: [A] Na construção do Projeto Político Pedagógico, a escola deve levar em consideração as práticas e necessidades da comunidade escolar. [B] O Projeto Político Pedagógico deve se limitar à elaboração dos conteúdos curriculares e à formação continuada dos docentes, garantindo novas práticas. [C] O Projeto Político Pedagógico deve ser um instrumento democrático, abrangente e duradouro e imutável. [D] O Projeto Político Pedagógico busca a construção da identidade da escola; estabelece seu direcionamento; almeja o comprometimento da comunidade escolar com uma visão comum e compartilhada de educação. [E] O Projeto Político Pedagógico é um processo permanente de reflexão e discussão dos problemas da escola, na busca de alternativas viáveis à efetivação de sua intencionalidade. 23) Assinale a alternativa incorreta em relação ao currículo: [A] O Currículo constitui um dispositivo em que se concentram as relações entre a sociedade e a escola, entre os saberes e as práticas socialmente construídos e os conhecimentos escolares. [B] Na estrutura curricular pós-moderna, o currículo vai sendo construído na medida em que os projetos de trabalho com os alunos revelem questões e temas de estudo. [C] O Currículo deve dar oportunidade de conexão entre a experiência escolar e a extra escolar dos alunos procedentes de diferentes meios sociais. [D] O Currículo só se materializa no ensino, momento em que os alunos e professores vivenciam experiências nas quais constroem e reconstroem conhecimentos e saberes. [E] O Currículo determina a padronização do conhecimento a ser ensinado em todos os estados do país de forma fragmentada e hierárquica privilegiando os componentes da parte diversificada. 24) Segundo Antonio Flávio B. Moreira e Vera Maria Candau (2006, p.86) existem várias concepções de currículo, as quais refletem variados posicionamentos, compromissos e pontos de vista teóricos. Assinale a alternativa incorreta: [A] As questões curriculares são marcadas pelas discussões sobre conhecimento, verdade, poder e identidade. [B] O Currículo não está envolvido em um simples processo de transmissão de conhecimentos e conteúdos. [C] O Currículo é um conjunto de objetivos, conteúdos, experiências de aprendizagem e avaliação. Representa um programa de estudos pré-estabelecido e determinado pelos PCNs. [D] O conhecimento, a cultura e o currículo são produzidos no contexto das relações sociais e de poder. [E] O currículo possui um caráter político e histórico e também constitui uma relação social, no sentido de que a produção de conhecimento nele envolvida se realiza por meio de uma relação entre pessoas. 9

12 25) Assinale a alternativa incorreta em relação ao currículo e diversidade: [A] A diversidade pode ser entendida em uma perspectiva biológica e cultural. [B] A cultura não deve ser vista como um tema e nem como disciplina, mas como um eixo que orienta as experiências e práticas curriculares. [C] A diversidade indaga o currículo, a escola, as suas lógicas, a sua organização espacial e temporal. [D] A diversidade do currículo deve estabelecer uma lista de conteúdos ou de práticas encadeadas que permitam que certos objetivos sejam alcançados como um direito de aprendizagem. [E] A articulação entre currículo, tempos e espaços escolares pressupõe uma nova estrutura de escola que se articula em torno de uma concepção mais ampla de educação, entendida como pleno desenvolvimento dos educandos. 26) São características dos Parâmetros Curriculares Nacionais, exceto: [A] Ampliar a visão de conteúdo para além dos conceitos, inserindo procedimentos, atitudes e valores como conhecimentos tão relevantes quanto os conceitos tradicionalmente abordados. [B] Difundir princípios da reforma curricular como um modelo homogêneo e impositivo, orientando os professores em suas práticas pedagógicas, avaliando o desenvolvimento dos alunos. [C] Evidenciar a necessidade de tratar de temas sociais urgentes, chamados Temas Transversais, no âmbito das diferentes áreas curriculares e no convívio escolar. [D] Mostrar a importância da participação da comunidade na escola, de forma que o conhecimento aprendido gere maior compreensão, integração e inserção no mundo. [E] Valorizar os trabalhos dos docentes como produtores, articuladores, planejadores das práticas educativas e como mediadores do conhecimento socialmente produzido. 27) Assinale a alternativa incorreta em relação aos Parâmetros Curriculares Nacionais: [A] É um modelo curricular homogêneo e impositivo, que se sobrepõe à competência dos estados e municípios, à diversidade política e cultural das múltiplas regiões do país. [B] Busca garantir o respeito à diversidade, que é marca cultural do país, por meio de adaptações que integrem as diferentes dimensões da prática educacional. [C] É uma proposta aberta e flexível, a ser concretizada nas decisões regionais e locais sobre currículo. [D] Esses referenciais buscam orientar e garantir a coerência das políticas de melhoria da qualidade de ensino. [E] Tem como objetivo estabelecer referenciais a partir dos quais a educação possa atuar, decisivamente, no processo de construção da cidadania. 10

13 28) Assinale a alternativa incorreta em relação as abordagens da educação de surdos: [A] O objetivo da educação bilíngue é que a criança surda possa ter um desenvolvimento cognitivo-linguístico equivalente ao verificado na criança ouvinte. [B] A língua de sinais é considerada a mais adaptada à pessoa surda, por contar com a integridade do canal viso-gestual. [C] O modelo de educação bilíngue é igual ao modelo oralista porque considera o canal viso-gestual de fundamental importância para a aquisição de linguagem da pessoa surda. [D] A comunicação total favoreceu de maneira efetiva o contato com sinais, que era proibido pelo oralismo, e esse contato propiciou que os surdos se dispusessem à aprendizagem das línguas de sinais. [E] A Comunicação Total é a prática de usar sinais, leitura orofacial, amplificação e alfabeto digital. 29) A história da educação de surdos mostra diversas mudanças que ocorreram ao longo do tempo. Assinale a alternativa incorreta: [A] Na Idade Moderna, no século XVI, o médico italiano Girolamo Cardamo, declara que os surdos podiam receber instrução. Ele afirmava que essas pessoas podiam ser ensinadas a ler e escrever sem fala. [B] No começo do século XX já se ouvia falar dos insucessos do oralismo, trazendo consigo outras conotações para os surdos, ou seja, quando não progrediam na oralidade, eram considerados deficientes. [C] Na antiguidade, podemos falar que os gregos e romanos não consideravam os surdos como pessoas competentes. [D] A experiência de Johann Conrad Amman foi realmente importante para se reconhecer a língua de sinais como uma língua natural dos surdos e o caminho para o conhecimento. [E] O Congresso de Milão realizado em 1880 declarou a superioridade do método oral puro sobre o uso de sinais, o que provocou uma grande polêmica entre professores ouvintes e surdos. 30) A fase de ausência quase total de leis que amparassem principalmente os direitos linguísticos do surdo foi amplamente modificada. Assinale a alternativa incorreta em relação às mudanças da legislação: [A] A estruturação da educação de surdos nos moldes propostos pelo modelo inclusivista, traz o bilinguismo como orientador das ações. [B] A formação de docentes para o ensino de Libras nas séries finais do ensino fundamental, no ensino médio e na educação superior deve ser realizada em nível médio. [C] Garantida às pessoas surdas em todas as etapas e modalidades da educação básica, nas redes públicas e privadas de ensino, a oferta da Língua Brasileira de Sinais LIBRAS, na condição de língua nativa das pessoas surdas. [D] Obrigatório o uso da língua de sinais não somente para os surdos, mas também para os professores que atendem esses alunos, além de disciplinar a presença de intérpretes de Libras. [E] A Libras deve ser inserida como disciplina curricular obrigatória nos cursos de formação de professores para o exercício do magistério, em nível médio e superior, e nos cursos de Fonoaudiologia, de instituições de ensino, públicas e privadas. 11

14 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS BIOLOGIA 31) Em relação à classificação e distribuição dos seres vivos e de acordo com a proposta de Robert Whittaker ( ), baseada no tipo de célula, no nível de organização celular, e no tipo de nutrição, podemos encontrar cinco grupos, exceto: [A] Monera: procariontes unicelulares, autótrofos e heterótrofos. [B] Protaleo: eucariontes unicelulares e pluricelulares, autótrofos e heterótrofos. [C] Fungi: eucariontes unicelulares e pluricelulares; heterótrofos. [D] Plantae: eucariontes pluricelulares, autótrofos. [E] Animalia: eucariontes pluricelulares, heterótrofos. 32) São estruturas do vírus HIV, exceto: [A] Capsídeo. [B] Glicoproteína. [C] RNA. [D] DNA duplo filamento. [E] Enzima transcriptase reversa. 33) É o único átomo com capacidade de formar longas cadeias com ligações covalentes entre si, constituindo estruturas complexas com forte estabilidade química, como as proteínas. [A] Hidrogênio. [B] Fósforo. [C] Carbono. [D] Oxigênio. [E] Nitrogênio. 34) A desintoxicação de seu organismo é realizada pelo fígado. Qual organela desempenha papel semelhante no interior das células? [A] Ribossomos. [B] Mitocôndrias. [C] Peroxissomas. [D] Cloroplastos. [E] Citoesqueleto. 12

15 35) Como componente inorgânico da célula em maior proporção e como solvente universal, a água atua nas seguintes funções, exceto: [A] Como dispersante de compostos orgânicos e inorgânicos. [B] Como responsável pelo transporte de substâncias intra e extracelular. [C] Na manutenção do equilíbrio térmico. [D] Na eliminação de resíduos e substâncias indesejáveis aos organismos. [E] Como responsável pelo aumento das moléculas de colesterol nas paredes das artérias. 36) Numa solução hipertônica há: [A] Maior concentração de soluto. [B] Igual concentração de soluto. [C] Menor concentração de soluto. [D] Maior concentração de solvente. [E] Igual concentração de solvente. 37) O desenvolvimento de um novo ser se inicia com a fertilização, ou seja, após o contato de um espermatozóide com um ovócito, que acontece, usualmente, na ampola da tuba uterina, formando o zigoto. Ao caminhar pela tuba uterina em direção ao útero, o zigoto sofre a clivagem (várias divisões celulares mitóticas), ficando constituído por células menores, chamadas: [A] Mórulas. [B] Blastômeros. [C] Endométrios. [D] Zona pelúdica. [E] Folhetos germinativos. 38) Conforme explicou Oparin, em 1922, teria a vida surgido pela combinação dos seguintes gases, exceto: [A] Metano. [B] Amônia. [C] Hidrogênio. [D] Hélio. [E] Vapor d água. 13

16 39) A intervenção da ciência e da tecnologia na reprodução humana constitui um problema ético a medida que interfere nos valores da família e no respeito aos direitos humanos. Os problemas éticos, decorrentes da interferência da ciência na reprodução humana, podem ser assim enunciados: à utilização do consentimento informado; a seleção de sexo; a doação de espermatozóides, óvulos, pré-embriões e embriões; a seleção de embriões com base na evidência de doenças ou problemas associados; a maternidade substitutiva; a redução embrionária; a clonagem; pesquisa e criopreservação (congelamento) de embriões (GOLDIN, 2005, p. 01). O trecho acima se refere, especificamente, à: [A] Gametogênese. [B] Divisão celular. [C] Bioética. [D] Especiação. [E] Reprodução assexuada. 40) São bases nitrogenadas que formam a molécula do DNA, exceto: [A] Colina. [B] Adenina. [C] Guanina. [D] Timina. [E] Citosina. 41) Quanto ao grupo sanguíneo, o tipo AB: [A] Apresenta aglutininas anti-a no plasma. [B] Apresenta aglutininas anti-a e anti-b no plasma. [C] Apresenta aglutininas anti-b no plasma. [D] Não apresenta aglutininas no plasma. [E] O tipo de aglutinina dependerá do fator Rh. 42) Preocupa-se com a aplicação dos avanços científicos e tecnológicos resultantes de pesquisas em ciências biológicas, utilizando-se organismos vivos, ou suas células e moléculas, para industrialização de produtos comercializáveis, como por exemplo, vacinas, alimentos transgênicos, insulina transgênica, diagnose e cura de doenças fatais, produção de novos medicamentos, redução do custo de medicamentos de grande uso, produção de tecidos e orgãos para transplantes, entre outros. A este conceito, damos o nome específico de: [A] Biotecnologia. [B] Biotermia. [C] Fatores morfológicos. [D] Bioética. [E] Bioderma. 14

17 43) Organismos cuja presença de plastos são estruturas características: [A] Fungos. [B] Bactérias. [C] Protozoários. [D] Moluscos. [E] Vegetais. 44) São partes da estrutura da flor, exceto: [A] Plânula. [B] Gineceu. [C] Androceu. [D] Corola. [E] Cálice. 45) De acordo com a disponibilidade de água no ambiente e das características a elas adaptadas, são plantas que possuem um sistema radicular muito desenvolvido ao contrário de suas folhas, onde ambos contribuem para uma transpiração controlada (uma vez se desenvolverem em ambientes desérticos). Estas espécies são chamadas: [A] Mesófitas. [B] Hidrófitas. [C] Higrófitas. [D] Xerófitas. [E] Sapófitas. 46) Compõem o sistema nervoso, exceto: [A] Telencéfalo. [B] Coencéfalo. [C] Mesencéfalo. [D] Mielencéfalo. [E] Metencéfalo. 47) Órgão linfóide, formado por massa irregular, situado em parte no tórax e em parte na porção inferior do pescoço. A porção torácica fica atrás do esterno e a porção cervical anteriormente e dos lados da traquéia. Cresce após o nascimento até atingir seu maior tamanho na puberdade. A seguir, começa a regredir, sendo grande parte de sua substância substituída por tecido adiposo e fibroso, não desaparecendo, entretanto, todo o tecido. Estas características são da(o): [A] Baço. [B] Timo. [C] Linfonodo. [D] Pericárdio. [E] Veia Esplênica. 15

18 48) Eles surgiram há cerca de 1 bilhão de anos e, provavelmente, se originaram de seres unicelulares e heterotróficos que se agruparam em colônias. Possuem tecidos, mas não apresentam órgãos nem sistemas; são animais exclusivamente aquáticos. São informações dos(as): [A] Celenterados. [B] Moluscos. [C] Poríferos. [D] Caravelas. [E] Platelmintos. 49) São plantas vasculares sem sementes, tendo as samambaias, avencas e cavalinhas seus representantes mais conhecidos: [A] Briófitas. [B] Angiospermas. [C] Gimnospermas. [D] Liquens. [E] Pteridófitas. 50) Entre as células epidérmicas (sem cloroplastos) e as subsidiárias, são encontradas, células clorofiladas, conhecidas como células-guardas. Estas células controlam o fluxo de entrada e saída de gases e a saída de vapor d água, por pequenos poros. Comumente o termo é empregado para designar o conjunto das duas células-guardas e o poro. Estas são descrições do(a): [A] Epiderme. [B] Tricomas. [C] Periderme. [D] Felogênio. [E] Estômatos. 16

19 PROVA DISCURSIVA Nº 43 BIOLOGIA VERSÃO RASCUNHO 1 - A prova discursiva será avaliada considerando-se os seguintes aspectos: a) o atendimento ao tema proposto na questão; b) a clareza de argumentação/senso crítico; c) a seletividade de informação; d) a utilização adequada da Língua Portuguesa; 2 - O candidato terá sua prova discursiva avaliada com nota 0 (zero): a) em casos de não atendimento ao conteúdo avaliado e ao tema proposto, de manuscrever em letra ilegível ou de grafar por outro meio que não o determinado neste Edital; b) apresentar acentuada desestruturação na organização textual ou atentar contra o pudor; c) redigir seu texto a lápis ou à tinta em cor diferente de azul ou preta; d) não apresentar as questões redigidas na FOLHA DA VERSÃO DEFINITIVA ou entregar em branco; e) apresentar identificação, em local indevido, de qualquer natureza (nome parcial, nome completo, outro nome qualquer, número(s), letra(s), sinais, desenhos ou códigos); Será desconsiderado para efeito de avaliação qualquer fragmento de texto que for escrito fora do local apropriado ou que ultrapassar a extensão de 15 (quinze) linhas permitida para a elaboração de seu texto. 17

20 51) Recentes estudos sobre a filogenia, a classificação e a organização dos seres vivos possibilitam o conhecimento das características gerais e aspectos básicos desses seres, o que permite ao ser humano reconhecer sua importância ecológica e econômica, interferindo no desenvolvimento de tecnologias para modificação do material genético. Cite 5 elementos decorrentes destes estudos

21 52) No princípio, criou Deus os céus e a terra.(...) E disse Deus: produza a terra alma vivente conforme a sua espécie; gado, e répteis, e bestas-feras da terra conforme a sua espécie. E assim foi. E fez Deus as bestas-feras da terra conforme a sua espécie, e o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil da terra conforme a sua espécie. E viu Deus que era bom. E disse Deus: façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e domine sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra. E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou. (...) BÍBLIA, Adaptado do Livro do Gênesis cap.1. Essa ideia esta fundamentada no livro do Genesis. Que ideia evolucionista é esta? Descreva em poucas palavras suas características

22 53) O saco vitelino é uma espécie de bolsa que se desenvolve a partir do endoderma, está presente em todos os vertebrados com função de armazenar alimentos para o embrião. Sob o aspecto evolutivo, descreva o que acontece com o saco vitelino na espécie humana

23 54) Dentro da evolução, explique o que é especiação:

24 55) O controle e a organização do crescimento e desenvolvimento depende, entre outros fatores, da produção e equilíbrio entre substâncias que atuam como mensageiros químicos comunicando as diferentes partes do vegetal. Essas substâncias são os hormônios vegetais ou fitormônios. São efetivos mesmo em pequenas concentrações nas células, as quais possuem receptores que irão interagir com eles garantindo a comunicação intercelular. Os fitormônios agem em vários fenômenos nos vegetais como crescimento, floração, divisão celular, amadurecimento dos frutos, dormência e quebra de dormência, entre outros. Cite 3 fitormônios com seus respectivos efeitos no crescimento dos frutos (apenas frutos)

25 23

INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS/INES

INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS/INES INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS/INES C O N C U R S O P Ú B L I C O E D I T A L 29 / 2 0 1 3 PROFESSOR DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO LIBRAS CADERNO DE PROVA OBJETIVA LEIA COM ATENÇÃO

Leia mais

Constituição Federal

Constituição Federal Constituição Federal CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1 CONSTITUIÇÃO FEDERAL DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL - 1988 COM A INCORPORAÇÃO DA EMENDA 14 Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO III DA EDUCAÇÃO, DA CULTURA E DO DESPORTO Seção I Da Educação Art. 208. O dever do Estado com a educação será efetivado

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 05/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 05/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 05/2014 CARGO E UNIDADES: Professor de Educação Infantil e Fundamental (MACAÍBA) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova:

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO VIÇOSA/ALAGOAS PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGCIO Texto:Ângela Maria Ribeiro Holanda ribeiroholanda@gmail.com ribeiroholanda@hotmail.com A educação é projeto, e, mais do que isto,

Leia mais

A construção da. Base Nacional Comum. para garantir. Direitos e Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento

A construção da. Base Nacional Comum. para garantir. Direitos e Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento A construção da Base Nacional Comum para garantir Direitos e Objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento Política pública de Educação ESTADO dever de educar legislação planejamento instituições CIDADÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS LEI Nº 1059, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2009. Dispõe sobre a Organização do Sistema Municipal de Ensino do Município de Pinhais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE PINHAIS,, aprovou e eu, PREFEITO

Leia mais

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano

Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano Educadora: Daiana Araújo C. Curricular:Ciências Naturais Data: / /2013 Estudante: 8º Ano O termo célula foi usado pela primeira vez pelo cientista inglês Robert Hooke, em 1665. Por meio de um microscópio

Leia mais

FUNDAMENTOS LEGAIS, PRINCÍPIOS E ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

FUNDAMENTOS LEGAIS, PRINCÍPIOS E ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL FUNDAMENTOS LEGAIS, PRINCÍPIOS E ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL I - Fundamentos legais A Constituição de 1988, inciso IV do artigo 208, afirma: O dever do Estado com a educação será efetivado

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DO ENSINO REGULAR

ALFABETIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DO ENSINO REGULAR ALFABETIZAÇÃO DE ESTUDANTES SURDOS: UMA ANÁLISE DE ATIVIDADES DO ENSINO REGULAR INTRODUÇÃO Raquel de Oliveira Nascimento Susana Gakyia Caliatto Universidade do Vale do Sapucaí (UNIVÁS). E-mail: raquel.libras@hotmail.com

Leia mais

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BIOLOGIA NO ENEM: CONTEÚDO PROGRAMÁTICO O ENEM, Exame Nacional do Ensino Médio, em sua versão 2012, apresentará uma redação e 180 questões objetivas, divididas nas quatro áreas do conhecimento: - Ciências

Leia mais

Disciplina Estrutura e Funcionamento da. Licenciatura em Química Professor: Weslei Cândido

Disciplina Estrutura e Funcionamento da. Licenciatura em Química Professor: Weslei Cândido Disciplina Estrutura e Funcionamento da Educação básicab Licenciatura em Química Professor: Weslei Cândido Ementa da Disciplina Os caminhos da educação brasileira. A estrutura e organização do ensino no

Leia mais

Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios?

Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios? Ensino fundamenta - responsabilidade só dos Municípios? O que prevê a legislação e qual tem sido a participação estadual, municipal e privada na oferta de educação básica no RJ? Nicholas Davies, prof.

Leia mais

Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro

Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma Colheita para o Futuro A Campanha Nacional pela Proteção Infanto-Juvenil no campo: uma colheita para o futuro, é uma ação estratégica do Movimento Sindical de Trabalhadores

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ESPECIALISTA EM EDUCAÇÃO CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

Teste de Habilidade Específica - THE

Teste de Habilidade Específica - THE LEIA COM ATENÇÃO 1. Só abra este caderno após ler todas as instruções e quando for autorizado pelos fiscais da sala. 2. Preencha os dados pessoais. 3. Autorizado o inicio da prova, verifique se este caderno

Leia mais

Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 PEDAGOGIA

Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 PEDAGOGIA assinatura do(a) candidato(a) Admissão por Transferência Facultativa. a Transferência Facultativa/00 Segunda Etapa Prova Dissertativa LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. Confira atentamente se os dados

Leia mais

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1528/2004. A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1528/2004 "INSTITUI O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DO MUNICÍPIO DE ARAUCÁRIA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS". A CÂMARA MUNICIPAL DE ARAUCÁRIA, Estado do Paraná, aprovou, e eu, Prefeito Municipal, sanciono

Leia mais

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013.

LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. LEI N. 1397/2013, de 03 de dezembro de 2013. REESTRUTURA O SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO, O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE FAZENDA VILANOVA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PEDRO ANTONIO DORNELLES, PREFEITO

Leia mais

CADERNO DE PROVAS OBJETIVA E REDAÇÃO

CADERNO DE PROVAS OBJETIVA E REDAÇÃO CADERNO DE PROVAS OBJETIVA E REDAÇÃO CURSO: PEDAGOGIA LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 1. Esta prova contém Redação e 20(vinte) questões objetivas. Caso o caderno esteja incompleto e/ou tenha qualquer

Leia mais

EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM

EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM EIXO IV QUALIDADE DA EDUCAÇÃO: DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO, PERMANÊNCIA, AVALIAÇÃO, CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO E APRENDIZAGEM PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS 1.2. Universalização do ensino fundamental de nove anos

Leia mais

PEDAGOGIA ENADE 2005 PADRÃO DE RESPOSTAS - QUESTÕES DISCURSIVAS COMPONENTE ESPECÍFICO

PEDAGOGIA ENADE 2005 PADRÃO DE RESPOSTAS - QUESTÕES DISCURSIVAS COMPONENTE ESPECÍFICO PEDAGOGIA ENADE 2005 PADRÃO DE RESPOSTAS - QUESTÕES DISCURSIVAS COMPONENTE ESPECÍFICO QUESTÃO 4 a) O conteúdo do diálogo a ser completado deve manifestar que as colocações da aluna não constituem aquilo

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE ENSINO FUNDAMENTAL DE 9 ANOS Perguntas mais frequente e respostas do Departamento de Políticas Educacionais. 1. Qual é a nomenclatura adequada para o primeiro ano do ensino fundamental

Leia mais

II - obrigatoriedade de participação quando realizados no período letivo; III - participação facultativa quando realizados fora do período letivo.

II - obrigatoriedade de participação quando realizados no período letivo; III - participação facultativa quando realizados fora do período letivo. Capítulo II DA EDUCAÇÃO Art. 182. A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada pelo Município, com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Art. 205 - A educação, direito de todos e dever do Estado e da família,

Leia mais

Art. 2º - Para efeito desta Resolução, considerar-se-á a seguinte nomenclatura e respectivas definições:

Art. 2º - Para efeito desta Resolução, considerar-se-á a seguinte nomenclatura e respectivas definições: RESOLUÇÃO N.º 180/2000-CEE/MT Fixa normas para a oferta da Educação de Jovens e Adultos no Sistema Estadual de Ensino. O CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO, no uso de suas atribuições, e com

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Resumo: O presente trabalho apresenta uma análise, que se originou a

Leia mais

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO BÁSICA RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 1, DE 21 DE JANEIRO DE 2004.(*) Estabelece Diretrizes Nacionais para a

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias outubro/2008 página 1 Atenção ao olhar crítico dos professores Maria Malta Campos: Há uma enorme demanda reprimida por creches nas periferias das grandes cidades,

Leia mais

******************************************************************************** LEI Nº 7508/2007, de 31 de dezembro de 2007

******************************************************************************** LEI Nº 7508/2007, de 31 de dezembro de 2007 ******************************************************************************** LEI Nº 7508/2007, de 31 de dezembro de 2007 ********************************************************************************

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são Atividade extra Fascículo 2 Biologia Unidade 4 Questão 1 O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são chamados de genes. Assinale abaixo quais

Leia mais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais

TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Seção I Das Disposições Gerais TÍTULO V DOS NÍVEIS E DAS MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO CAPÍTULO II DA EDUCAÇÃO BÁSICA Seção I Das Disposições Gerais Art. 22. A educação básica tem por finalidades desenvolver o educando, assegurar-lhe

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL. De acordo a LDB 9394/96 o Ensino Fundamental, juntamente com a Educação Infantil e o Ensino Médio, compõe a Educação básica.

ENSINO FUNDAMENTAL. De acordo a LDB 9394/96 o Ensino Fundamental, juntamente com a Educação Infantil e o Ensino Médio, compõe a Educação básica. ENSINO FUNDAMENTAL De acordo a LDB 9394/96 o Ensino Fundamental, juntamente com a Educação Infantil e o Ensino Médio, compõe a Educação básica. Art. 32 "o Ensino Fundamental, com duração mínima de oito

Leia mais

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica Francisco Aparecido Cordão Conselheiro da Câmara de Educação Básica do CNE facordao@uol.com.br 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Leia mais

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE MATERIAL DIDÁTICO- ORIENTAÇÕES AOS DOCENTES Deficiência auditiva parcial Annyelle Santos Franca Andreza Aparecida Polia Halessandra

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS/INES C O N C U R S O P Ú B L I C O E D I T A L 29 / 2 0 1 3 CONTADOR CADERNO DE PROVA OBJETIVA

INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS/INES C O N C U R S O P Ú B L I C O E D I T A L 29 / 2 0 1 3 CONTADOR CADERNO DE PROVA OBJETIVA INSTITUTO NACIONAL DE EDUCAÇÃO DE SURDOS/INES C O N C U R S O P Ú B L I C O E D I T A L 29 / 2 0 1 3 CONTADOR CADERNO DE PROVA OBJETIVA LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO 1. Só abra este caderno quando

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DE CURITIBA

A ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DE CURITIBA A ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA MUNICIPAL DE ENSINO DE CURITIBA ZAIONS, Eliane de Souza Cubas CME/SME ezaions@sme.curitiba.pr.gov.br Eixo Temático: Políticas Públicas e Gestão da Educação Agência Financiadora:

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DA LEI 9394/1996 E DA LEI 12.796/2013

ESTUDO COMPARATIVO DA LEI 9394/1996 E DA LEI 12.796/2013 ESTUDO COMPARATIVO DA LEI 9394/1996 E DA LEI 12.796/2013 1 Art. 3º. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: [...] Art. 3 O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

r I MINISTÉRIOOAEDUCAÇAO

r I MINISTÉRIOOAEDUCAÇAO ti,. GOVERNO DE r I MINISTÉRIOOAEDUCAÇAO PORTUGAL ECI~NCIA Direção Geral dos Estabelecimentos Escolares do Centro AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA CRUZ DA TRAPA 330309 CONTRIBUINTE N.o600080102 AV. SÃO

Leia mais

Questões fundamentadas Lei 9.394/96 - LDB

Questões fundamentadas Lei 9.394/96 - LDB Para adquirir apostila digital de 500 Questões Fundamentadas da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Lei 9.394/96 (LDB) acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br OBS.: ESSA APOSTILA DIGITAL SERÁ

Leia mais

Prefeitura Municipal de Vitória Secretaria Municipal de Educação. Resolução COMEV Nº. 01/2014

Prefeitura Municipal de Vitória Secretaria Municipal de Educação. Resolução COMEV Nº. 01/2014 Prefeitura Municipal de Vitória Secretaria Municipal de Educação Resolução COMEV Nº. 01/2014 Fixa normas relativas à Organização e Funcionamento do Ciclo Inicial de Aprendizagem do Ensino Fundamental na

Leia mais

PROVA SIMULADA SOBRE A LEI DE DIRETRIZES E BÁSICAS DA EDUCAÇÃO NACIONAL LDBEN

PROVA SIMULADA SOBRE A LEI DE DIRETRIZES E BÁSICAS DA EDUCAÇÃO NACIONAL LDBEN PROVA SIMULADA SOBRE A LEI DE DIRETRIZES E BÁSICAS DA EDUCAÇÃO NACIONAL LDBEN 1. A Lei de Diretrizes e Bases, Lei nº. 9394/96, em seu artigo 3º enfatiza os princípios norteadores do ensino no Brasil. Analise-os:

Leia mais

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Resumo Gabriel Mathias Carneiro Leão1 - IFPR, UFPR Rosane de Fátima Batista Teixeira2 - IFPR Grupo de Trabalho Cultura, Currículo e Saberes

Leia mais

EXAME DISCURSIVO 2ª fase

EXAME DISCURSIVO 2ª fase EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 Biologia Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Biologia. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO DO SISTEMA PÚBLICO DA EDUCAÇÃO BÁSICA

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO DO SISTEMA PÚBLICO DA EDUCAÇÃO BÁSICA LEI N. 1.694, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2005 Institui o Sistema Público da Educação Básica do Estado do Acre, face às diretrizes da Educação Nacional e demais instrumentos legais relativos ao regime de colaboração

Leia mais

Proposta de inserção da Cronobiologia na educação infantil

Proposta de inserção da Cronobiologia na educação infantil Proposta de inserção da Cronobiologia na educação infantil 1. Apresentação 2.Inserção da Cronobiologia na pré-escola 3.Inserção da Cronobiologia no fundamental ciclo I 4.Referências. 1. Apresentação Este

Leia mais

O PAPEL DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS VOLTADAS PARA A DEFESA DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NA EDUCAÇÃO

O PAPEL DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS VOLTADAS PARA A DEFESA DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NA EDUCAÇÃO O PAPEL DAS ORGANIZAÇÕES SOCIAIS VOLTADAS PARA A DEFESA DE DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NA EDUCAÇÃO Soraya Hissa Hojrom de Siqueira Diretora da Superintendência de Modalidades e Temáticas

Leia mais

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1

PROJETO DE VIVÊNCIA 2016.1 FACULDADE PIO DÉCIMO LICENCIATURA EM QUÍMICA ENSINO DE QUÍMICA ÁREA 4 PROF a MARIA ANTÔNIA ARIMATÉIA FREITAS QUESTÃO 01 Com base na projeção da população brasileira para o período 2010-2040 apresentada

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Erika Cristina Pereira Guimarães (Pibid-UFT- Tocantinópolis) Anna Thércia José Carvalho de Amorim (UFT- Tocantinópolis) O presente artigo discute a realidade das

Leia mais

EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015)

EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015) EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015) 1- A Fábrica Celular Células de bactérias (procarióticas) e células animais (eucarióticas), apresentam semelhanças e diferenças. a) Qual a estrutura presente em ambas que

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 030/2013.

PROJETO DE LEI N.º 030/2013. PROJETO DE LEI N.º 030/2013. Institui o Programa Menor Aprendiz no âmbito do Município de Bela Vista de Minas e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Bela Vista de Minas, Estado de Minas Gerais,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.755, DE 29 DE JANEIRO DE 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica,

Leia mais

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia 1. Componentes curriculares O currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia engloba as seguintes dimensões. 1.1. Conteúdos de natureza teórica Estes conteúdos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 5.626, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2005. Regulamenta a Lei n o 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira

Leia mais

PARECER Nº 717/05 APROVADO EM 22.08.05 PROCESSO Nº 34.087

PARECER Nº 717/05 APROVADO EM 22.08.05 PROCESSO Nº 34.087 PARECER Nº 717/05 APROVADO EM 22.08.05 PROCESSO Nº 34.087 Consulta oriunda da Gerência da Educação Básica da FIEMG com pedido de orientações de ordem prática para cumprimento da Lei Federal nº 11.114,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTA GROSSA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - 2015 Á 2025

PREFEITURA MUNICIPAL DE PONTA GROSSA PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - 2015 Á 2025 PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO - 2015 Á 2025 Profº Esmeria de Lourdes Saveli Secretária Municipal de Educação 1. CONCEITO O Plano Municipal de Educação é um orientador da ação do município na política educacional.

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

A INCLUSÃO ESCOLAR DE UM ALUNO SURDO: UM ESTUDO DE CASO NA REGIÃO DO CARIRI ORIENTAL DA PARAÍBA

A INCLUSÃO ESCOLAR DE UM ALUNO SURDO: UM ESTUDO DE CASO NA REGIÃO DO CARIRI ORIENTAL DA PARAÍBA A INCLUSÃO ESCOLAR DE UM ALUNO SURDO: UM ESTUDO DE CASO NA REGIÃO DO CARIRI ORIENTAL DA PARAÍBA 1.0 INTRODUÇÃO JUSCIARA LOURENÇO DA SILVA (UEPB) VIVIANA DE SOUZA RAMOS (UEPB) PROFESSOR ORIENTADOR: EDUARDO

Leia mais

BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 11, DE 2012

BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 11, DE 2012 BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 11, DE 2012 Educação e Sustentabilidade Tatiana Feitosa de Britto A Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) tem como tema o futuro que queremos,

Leia mais

A Educação Bilíngüe. » Objetivo do modelo bilíngüe, segundo Skliar:

A Educação Bilíngüe. » Objetivo do modelo bilíngüe, segundo Skliar: A Educação Bilíngüe Proposta de educação na qual o bilingüismo atua como possibilidade de integração do indivíduo ao meio sociocultural a que naturalmente pertence.(eulália Fernandes) 1 A Educação Bilíngüe»

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA RESUMO

A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA RESUMO A EDUCAÇÃO DOS SURDOS: UMA ANÁLISE HISTÓRICO-CRÍTICA Mayara Cordeiro da Silva ( UFAL) Mayaracordeiro4@gmail.com Rebecca Thamyres de Missena Costa( UFAL) rebecca.ufal@gmail.com RESUMO Muito vem sendo discutido

Leia mais

Dispõe sobre a Educação Infantil no âmbito do Sistema de Ensino do Ceará.

Dispõe sobre a Educação Infantil no âmbito do Sistema de Ensino do Ceará. RESOLUÇÃO N.º 361/2000 Dispõe sobre a Educação Infantil no âmbito do Sistema de Ensino do Ceará. O Conselho de Educação do Ceará (CEC), no uso de suas atribuições e tendo em vista a necessidade de regulamentar

Leia mais

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME Os desafios da Educação Infantil nos Planos de Educação Porto de Galinhas/PE Outubro/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores

Leia mais

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 CARTA DE OTTAWA PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 A Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizada em Ottawa, Canadá, em novembro

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia

de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia Anais do I Seminário Internacional de Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia A CONTRIBUIÇÃO DA DIDÁTICA CRÍTICA NA INTERLIGAÇÃO DE SABERES AMBIENTAIS NO PROCESSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES

Leia mais

O ORIENTADOR FRENTE À INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIENCIA NA ESCOLA REGULAR DE ENSINO

O ORIENTADOR FRENTE À INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIENCIA NA ESCOLA REGULAR DE ENSINO O ORIENTADOR FRENTE À INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIENCIA NA ESCOLA REGULAR DE ENSINO Flávia Fernanda Vasconcelos Alves Faculdades Integradas de Patos FIP flaviavasconcelos.edu@hotmail.com INTRODUÇÃO Observa-se

Leia mais

A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 2006 E 2014

A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 2006 E 2014 A ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE FORMAÇÃO DE DOCENTES NO PARANÁ A PARTIR DOS DOCUMENTOS ORIENTADORES DE 006 E 014 Resumo Eduardo Marcomini UNINTER 1 Ligia Lobo de Assis UNINTER Grupo de Trabalho Políticas

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PORTARIA Nº 586/10/GS/SEDUC/MT

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PORTARIA Nº 586/10/GS/SEDUC/MT ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PORTARIA Nº 586/10/GS/SEDUC/MT Dispõe sobre os critérios para atribuição do professor articulador e professor da sala de recursos multifuncionais

Leia mais

CIÊNCIAS DESCRITORES

CIÊNCIAS DESCRITORES CIÊNCIAS DESCRITORES 1. BIMESTRE - 2015 4.º ANO Identificar a permeabilidade nos diferentes tipos de solo. Identificar a presença de água no interior do corpo dos seres vivos. Identificar as condições

Leia mais

:: Legislação. Unidade: Câmara de Educação Básica. Número: 79/2009 Ano: 2009. Ementa:

:: Legislação. Unidade: Câmara de Educação Básica. Número: 79/2009 Ano: 2009. Ementa: :: Legislação Unidade: Câmara de Básica Número: 79/2009 Ano: 2009 Ementa: Estabelece normas para a Especial, na Perspectiva da Inclusiva para todas as etapas e Modalidades da Básica no Sistema Estadual

Leia mais

MANUAL VESTIBULAR SIMPLIFICADO 2015

MANUAL VESTIBULAR SIMPLIFICADO 2015 MANUAL VESTIBULAR SIMPLIFICADO 2015 AEDS Autarquia Educacional de Salgueiro Fone: (87) 3871 6040 FACHUSC Faculdade de Ciência Humanas do Sertão Central Rua Antônio Filgueira Sampaio, 134 - Salgueiro -

Leia mais

II - ANÁLISE PRELIMINAR DOS DADOS EDUCACIONAIS DE SERGIPE:

II - ANÁLISE PRELIMINAR DOS DADOS EDUCACIONAIS DE SERGIPE: EDUCAÇÃO INFANTIL I - META 1 DO PNE: Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches

Leia mais

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm A biodiversidade em diferentes ambientes http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm Unidade básica da vida a célula Quem foi Robert Hooke? Por volta de 1667, o cientista inglês

Leia mais

CIRANDA INFANTIL: A EDUCAÇÃO DA CRIANÇA EM MOVIMENTO

CIRANDA INFANTIL: A EDUCAÇÃO DA CRIANÇA EM MOVIMENTO CIRANDA INFANTIL: A EDUCAÇÃO DA CRIANÇA EM MOVIMENTO ADILSON DE ANGELO Desde a sua criação, o MST assegurou na sua agenda política a luta pela educação e por uma escola mais significativa para a família

Leia mais

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 13/2015 LETRAS/PEDAGOGIA/LIBRAS Campus São João del-rei

Concurso Público para provimento de cargo efetivo de Docentes. Edital 13/2015 LETRAS/PEDAGOGIA/LIBRAS Campus São João del-rei Questão 01 O reconhecimento oficial da Língua Brasileira de Sinais como meio legal de comunicação se deu a partir: a) da publicação da Lei n o 10.436, em 2002. b) da elaboração do Dicionário de Língua

Leia mais

II Encontro MPSP/MEC/UNDIME-SP. Material das Palestras

II Encontro MPSP/MEC/UNDIME-SP. Material das Palestras II Encontro MPSP/MEC/UNDIME-SP Material das Palestras II Encontro MPSP e MEC Educação Inclusiva MARCOS LEGAIS CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Art. 208. O dever do Estado com a educação

Leia mais

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais)

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) UFPR SETOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) 1º ANO

Leia mais

1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS. Eu um ser no ambiente

1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS. Eu um ser no ambiente 1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS Eu um ser no ambiente Higiene Corporal Os cinco sentidos Corpo humano Perceber a importância do cuidado com o corpo, da vacinação e da prevenção de acidentes.

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

Rua da Educação. Municipalino:

Rua da Educação. Municipalino: Todas as crianças e adolescentes tem direito à educação e devem freqüentar a escola. As diretrizes para a área da educação são dadas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) Lei 9394 de

Leia mais

1.3. Planejamento: concepções

1.3. Planejamento: concepções 1.3. Planejamento: concepções Marcelo Soares Pereira da Silva - UFU O planejamento não deve ser tomado apenas como mais um procedimento administrativo de natureza burocrática, decorrente de alguma exigência

Leia mais

Fundamentos e Práticas em Libras II

Fundamentos e Práticas em Libras II Fundamentos e Práticas em Libras II Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Movimento Nossa São Paulo Outra Cidade. Gestão Democrática

Movimento Nossa São Paulo Outra Cidade. Gestão Democrática Movimento Nossa São Paulo Outra Cidade Gestão Democrática Diagnóstico Em agosto de 2002, o Fórum de Educação da Zona Leste promoveu o 2º seminário Plano Local de Desenvolvimento Educativo. Realizado no

Leia mais

Revista Especial de Educação Física Edição Digital v. 3, n. 1, novembro 2006.

Revista Especial de Educação Física Edição Digital v. 3, n. 1, novembro 2006. UM ENSAIO SOBRE A DEMOCRATIZAÇÃO DA GESTÃO NO COTIDIANO ESCOLAR: A CONEXÃO QUE FALTA. Noádia Munhoz Pereira Discente do Programa de Mestrado em Educação PPGE/FACED/UFU - noadia1@yahoo.com.br Resumo O presente

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica

TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica TRABALHOS TÉCNICOS Divisão Jurídica EMENDA CONSTITUCIONAL Nº 53/2006 FUNDO DE MANUTENÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA E DE VALORIZAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO (FUNDEB) Ary Jorge Advogado

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015 Prova 02 2015 2.º Ciclo do Ensino

Leia mais

Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 SERVIÇO SOCIAL

Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 SERVIÇO SOCIAL assinatura do(a) candidato(a) Admissão por Transferência Facultativa 2. a Transferência Facultativa/2010 Segunda Etapa Prova Dissertativa LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1 Confira atentamente se

Leia mais

Gestão Democrática da Educação

Gestão Democrática da Educação Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Departamento de Articulação e Desenvolvimento dos Sistemas de Ensino Coordenação Geral de Articulação e Fortalecimento Institucional dos Sistemas de

Leia mais