SISTEMA DE IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CLÍNICAS RADIOLÓGICAS PARA O PROJETO INVESALIUS: DESENVOLVENDO A CAMADA DE APRESENTAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CLÍNICAS RADIOLÓGICAS PARA O PROJETO INVESALIUS: DESENVOLVENDO A CAMADA DE APRESENTAÇÃO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS SISTEMA DE IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CLÍNICAS RADIOLÓGICAS PARA O PROJETO INVESALIUS: DESENVOLVENDO A CAMADA DE APRESENTAÇÃO FLAVIO RODRIGUES SILVA LAVRAS MINAS GERAIS BRASIL 2008

2 FLAVIO RODRIGUES SILVA SISTEMA DE IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CLÍNICAS RADIOLÓGICAS PARA O PROJETO INVESALIUS: DESENVOLVENDO A CAMADA DE APRESENTAÇÃO Monografia apresentada ao Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Produção de Software Livre, para a obtenção do título de especialização. Orientadora Professora Ângela Maria Alves LAVRAS MINAS GERAIS BRASIL

3 FLAVIO RODRIGUES SILVA SISTEMA DE IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CLÍNICAS RADIOLÓGICAS PARA O PROJETO INVESALIUS: DESENVOLVENDO A CAMADA DE APRESENTAÇÃO Monografia apresentada ao Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências do curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Produção de Software Livre, para a obtenção do título de especialização. APROVADA em de de. Prof. Prof. Prof. UFLA (Orientador) LAVRAS MINAS GERAIS BRASIL

4 Dedico este trabalho a toda minha família que me sempre me apoiou e sempre se orgulhou de mim. Aos meus amigos que me ensinaram o caminho do Rock and Roll. 4

5 Agradecimentos Em primeiro lugar quero agradecer o Carpinteiro do Universo, que sempre me guiou pelo caminho da Luz. A minha orientadora, Professora Ângela Maria Alves, que transmitiu segurança ao meu grupo de estudos ao longo do desenvolvimento do trabalho. Aos professores da pós-graduação da turma PSL207/UFLA que me mostraram outros horizontes no mundo do software livre. E a todos os meus grandes amigos Fernando, Saulo, Sérgio e Sandro que contribuíram demais neste projeto e me guiaram ao longo do curso de pós-graduação. 5

6 SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS INTRODUÇÃO SOFTWARE LIVRE, CÓDIGO ABERTO E SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO História do Software Livre Software Livre e Código Aberto Software Público SOFTWARE INVESALIUS Um pouco de história: Quem foi Vesalius? Sobre o Software InVesalius Objetivos e Funcionalidades do Software InVesalius DICOM e PACS DICOM PACS DESENVOLVENDO A CAMADA DE APRESENTAÇÃO Ferramentas necessárias para a criação das Janelas Plataforma Python wxpython Boa Constructor Prototipagem das Janelas Janela do ponto DICOM receptor Janela do ponto DICOM transmissão Janela do ponto DICOM importar busca CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANEXOS ANEXO A ANEXO B

7 LISTA DE FIGURAS Figura 1. Logo da Free Software Foundation Figura 2. Logo do Movimento Open Source Figura 3. Andréas Vesalius Figura 4. Software InVesalius Figura 5. Equipamentos que compõem o PACS Figura 6. Esboço do esquema dos Cliente-Servidor PACS Figura 7. Plataforma Python Figura 8. wxpython Figura 9. Boa-Constructor - IDE Python Figura 10. Janela ponto DICOM receptor Documentada Figura 11. Prototipagem da Janela ponto DICOM receptor Figura 12. Janela ponto DICOM transmissão Documentada Figura 13. Prototipagem da Janela ponto DICOM transmissão Figura 14. Janela ponto DICOM importar Documentada Figura 15. Prototipagem da Janela ponto DICOM importar

8 Sistema de importação de dados de clínicas radiológicas para o projeto InVesalius: Desenvolvendo a Camada de Apresentação Flávio Rodrigues Silva Departamento de Ciência e Computação Universidade Federal de Lavras (UFLA) Caixa Postal Lavras MG Brasil Abstract. This paper describes the development of the presentation layer of the module "point DICOM" project implemented in InVesalius free software. Resumo. Esta monografia descreve o desenvolvimento da camada de apresentação do módulo "ponto DICOM" implementado no projeto de software livre InVesalius. Introdução Com o objetivo de desenvolver um projeto de software livre, reuniu-se uma equipe de alunos da UFLA, através da orientadora professora Ângela Maria Alves e foi realizado um contato com um dos responsáveis pelo portal do Software Público Brasileiro (SPB), Corinto Meffe. Uma lista de projetos que precisavam de colaboração foi enviada para o grupo, desta lista os alunos da UFLA escolheram o projeto InVesalius, um Software Livre e Público, atualmente desenvolvido e mantido pelo Centro Tecnológico de Informação CTI. Dentro das propostas do InVesalius havia 3 demandas de desenvolvimento da qual escolhemos o: SISTEMA DE IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CLÍNICAS RADIOLÓGICAS. O projeto consiste na criação de um módulo para o InVesalius que adicionará a funcionalidade de importar imagens diretamente de servidores PACS. Esse documento tem como objetivo descrever o desenvolvimento da camada de apresentação do módulo ponto DICOM. Esta monografia está estruturada na seguinte forma: 8

9 Capítulo 1 Software Livre, Código Livre e Software Público Brasileiro: o objetivo deste capítulo é mostrar os conceitos básicos de cada um. Capítulo 2 Software InVesalius: o objetivo deste capítulo é descrever qual é a finalidade dessa ferramenta. Capítulo 3 Dicom e Pacs: citar de uma maneira geral os conceitos de DICOM e PACS. Capítulo 4 Desenvolvendo a camada de apresentação: o objetivo é dar uma introdução a plataforma Python e as bibliotecas usadas no desenvolvimento do software InVesalius e prototipagem das janelas camada de apresentação. Por fim serão apresentadas as conclusões do trabalho. 1. SOFTWARE LIVRE, CÓDIGO ABERTO E SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Software Livre é qualquer programa produzido, que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído com algumas restrições (GNU, 2008), segundo a definição da Free Software Foundation (FSF). Por mais que estes softwares tenham sucesso, eles geralmente são produzidos não profissional através de ferramentas simples. É justamente a percepção informal que faz o sucesso destes softwares, como é o caso do Python, PHP, Apache, Ubuntu Linux dentre outras ferramentas. Entretanto, para ser considerado software livre, é necessário que existam determinadas liberdades : - De executar o programa; - De modificar o programa; - De distribuir livremente o programa original; - De distribuir cópias da versão modificada. 1.1 História do Software Livre A história do software livre tem início com o sistema operacional Unix, pois era um sistema que usufruía do conceito de portabilidade, possibilitando o uso por diversas arquiteturas de computadores. E baseado nesses conceitos, os softwares livres foram produzidos com muito êxito. Em 1975 foi fundada a FSF por Richard Stalman, com o objetivo de criar um sistema operacional completamente livre. Porém, para que esta liberdade fosse garantida, foi preciso criar a GNU GPL, ou seja, a licença de software livre (a qual é a mais utilizada atualmente). A formulação da GPL ao invés de limitar a distribuição do software por ela protegido, impede que este software seja integrado em software proprietário. Já em 1991, Linnus Torvalds, quando ainda era um estudante, começou a desenvolver um núcleo de sistema operacional o Linux. Para que este software fosse desenvolvido, Linnus convidou desenvolvedores a fim de ajudá-lo a pôr o Sistema Operacional em prática e torná-lo uma realidade. O impasse principal foi à constatação 9

10 de que construir um sistema operacional seria uma tarefa difícil de ser concluída a partir do uso de um software com o código fonte fechado. Sendo assim, Linnus prontificou-se a criar um sistema operacional com o código aberto a fim de ser aperfeiçoado através de contribuições de colaboradores com o objetivo de aperfeiçoar e corrigir defeitos. Comunidade de software livre ou Open Source é a denominação do grupo de colaboradores ( ou interessados) em desenvolver softwares livres. As características mais importantes dos colaboradores são: tem como objetico desenvolver um software para ser redistribuído livremente; desenvolve software com excelência técnica, modularidade, reuso, portabilidade e observância a padrões publicados; com a Internet, não há distância geográfica entre eles e os projetos de software. Os softwares livres se apóiam uns nos outros, incentivando, desta forma, a interação dos mesmos. E o sucesso do sistema operacional Linux, deu-se ao uso da licença GPL escolhida, garantindo a preservação do trabalho contribuído. Diante do exposto nessa introdução, podemos afirmar que o software livre e Código Aberto estão evoluindo cada vez mais, trazendo inúmeras contribuições à sociedade mundial. 1.2 Software Livre e Código Aberto Os defensores do software livre argumentam que a liberdade é valiosa não só do ponto de vista técnico, mas também sob a ótica da moral e ética. Esse movimento é encabeçado Free Software Foundation (Figura 1). Figura 1. Free Software Foundation Os defensores do código aberto ou open source (Figura 2) argumentam a respeito das virtudes pragmáticas do software livre ao invés das questões morais. Esse movimento é encabeçado pela OSI - Open Systems Interconnection. Figura 2. Movimento Open Source A discordância básica dos movimentos está no discurso. Enquanto o foco do movimento encabeçado pela FSF chama a atenção para valores morais, éticos, direitos e liberdade o movimento encabeçado pela OSI defende um discurso mais agradável às empresas. Por este fato, o movimento de software livre condena o uso e desenvolvimento de software proprietário, enquanto o movimento de código aberto é conivente com o desenvolvimento de software proprietário. 10

11 As definições oficiais de software livre e de código aberto são praticamente as mesmas, porém escritas de formas distintas. E partindo deste princípio todo software de código aberto é também software livre. O movimento software livre não costuma tomar uma posição sobre trabalhos que não sejam software e documentação dos mesmos, mas alguns defensores do software livre acreditam que outros trabalhos que servem um propósito prático também devem ser livres. Para o movimento do software livre, que é um movimento social, não é ético aprisionar conhecimento científico, que deve estar sempre disponível, para assim permitir a evolução da humanidade. Já o movimento pelo código aberto, que é um movimento mais voltado ao mercado, prega que o software desse tipo traz diversas vantagens técnicas e econômicas. Ou seja, o movimento do Código Aberto surgiu para levar as empresas a adotarem o modelo de desenvolvimento de software livre. E como a diferença entre os movimentos "software livre" e "Código Aberto" está apenas na argumentação em prol dos mesmos softwares, é comum que esses grupos se unam em diversas situações. 1.3 Software Público O conceito do Software Público Brasileiro - SPB é utilizado como um dos alicerces para definir a política de uso e desenvolvimento de software pelo setor público no Brasil. Tal política compreende a relação entre os entes públicos, em todas as unidades da federação e demais esferas de poder, e destes com as empresas e a sociedade. A idéia para estruturação de um portal de soluções livres surgiu no ano de 1995 em função de uma proposta feita pela ABEP - Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação, durante um encontro entre a diretoria executiva da entidade e o Conselho Nacional de Secretários de Administração (Consad). Inicialmente a proposta da ABEP tinha como principal objetivo o compartilhamento de soluções entre as instituições públicas, em particular as instituições de informática pública. Com a experiência do sistema de inventário CACIC, disponibilizado pela Dataprev, sob a Licença Pública Geral-GPL, a visão deste compartilhamento foi ampliada para toda sociedade. A iniciativa do Portal do Software Público Brasileiro facilita a implantação de novas ferramentas nos diversos setores administrativos dos estados, promove a integração entre as unidades federativas e oferece um conjunto de serviços públicos para sociedade com base no bem software. 2. SOFTWARE INVESALIUS 2.1 Um pouco de história: Quem foi Vesalius? O nome do software, InVesalius, é uma homenagem ao médico belga Andreas Vesalius (Figura 3), que nasceu em Bruxelas a 31 de dezembro de Os conhecimentos de anatomia e fisiologia da época limitavam-se às descobertas feitas na Antigüidade, baseadas na dissecação de animais. A ausência de aulas práticas de anatomia na 11

12 Universidade de Paris o levou a freqüentar cemitérios em busca de ossadas de criminosos executados e vítimas de praga. Graduou-se doutor em Medicina pela Universidade de Pádua, na Itália, e em 1538 publicou seu primeiro trabalho, as Tabulae Sex, um conjunto de seis desenhos de anatomia feitos por ele mesmo. Figura 3. Andréas Vesalius A obra máxima de Andréas Vesalius, De Humani Corporis Fabrica, foi concluída em 1543, após inúmeras dissecações de cadáveres humanos. Dividida em sete partes ossos, músculos, sistema circulatório, sistema nervoso, abdômen, tórax e cérebro, o atlas traz magníficas ilustrações das estruturas do corpo e representa o marco inicial da anatomia moderna. Vesalius morreu em 1564, provavelmente em um naufrágio, na volta de uma peregrinação à Terra Santa. É considerado o pai da anatomia moderna. 2.2 Sobre o Software InVesalius InVesalius é um software público que busca revolucionar os procedimentos cirúrgicos em hospitais brasileiros. A partir de imagens bidimensionais (no formato DICOM) de equipamentos de Tomografia Computadorizada ou Ressonância Magnética, o programa permite criar modelos virtuais tridimensionais de estruturas anatômicas, fornecendo ao cirurgião uma visão mais clara da situação clínica de seu paciente. Desenvolvido desde julho de 2001 no contexto do projeto ProMED (Prototipagem Rápida na Medicina), sob responsabilidade da Divisão para Desenvolvimento do Produto (DDP) do Centro de Pesquisas Renato Archer (CenPRA), o programa tem sido amplamente empregado por cirurgiões e hospitais brasileiros desde Entretanto, apenas em agosto de 2007 o software aderiu ao conceito de Software Público, obtendo dentre muitas vantagens a possibilidade de se ter uma excelente infraestrutura de desenvolvimento e de suporte - o Portal do Software Público. O software InVesalius (Figura 4)permite criar, a partir de imagens médicas tomográficas, modelos virtuais e até mesmo réplicas tridimensionais em tamanho natural de estruturas anatômicas como crânios, mandíbulas e sistemas vasculares, através da técnica de prototipagem rápida. 12

13 A metodologia proposta é resultado da estreita colaboração entre engenharia e medicina, tendo nascido da convergência das tecnologias de aquisição de imagens médicas, computação gráfica e prototipagem rápida. Tanto o modelo virtual gerado pelo software como o modelo real obtido através da aplicação de prototipagem possibilitam planejar e simular intervenções cirúrgicas, a fim de se modelar implantes exclusivos para cada paciente, de acordo com suas características individuais. Figura 4. Software InVesalius Os protótipos são gerados com base nos dados obtidos em exames de tomografia computadorizada e ressonância magnética. As imagens são processadas pelo software, que reconstrói computacionalmente um modelo tridimensional da estrutura de interesse. Este volume é então transformado em um modelo físico preciso e detalhado por meio da prototipagem rápida. Embora seja relativamente nova na área médica, a técnica de biomodelagem vem demonstrando ótimos resultados no planejamento de cirurgias complexas, principalmente as bucomaxilofaciais e de reconstrução craniofacial. Além da Medicina, o software InVesalius está sendo aplicado em outras áreas, como: antrolopologia; paleontologia e veterinária. 2.3 Objetivos e Funcionalidades do Software InVesalius O Software InVesalius tem como objetivo: auxiliar no diagnóstico e planejamento cirúrgico; auxiliar no ensino de medicina, odontologia, veterinária, paleontologia; oferecer ferramentas de computação gráfica e processamento de imagens de modo acessível a profissionais da área de saúde. As principais funcionalidades suportadas são: reconstrução tridimensional de imagens médicas bidimensionais no formato DICOM; visualização bi e tridimensional dos dados; simulação de câmera endoscópica; segmentação de estruturas de interesse; geração de malha STL usada para prototipagem rápida, a fim de fazer reconstruções físicas. 13

14 3. DICOM e PACS 3.1 DICOM DICOM (Digital Imaging Communications in Medicine) ou comunicação de imagens digitais em medicina é um conjunto de normas para tratamento, armazenamento e transmissão de informação médica (imagens médicas) em um formato eletrônico, estruturando um protocolo. As dificuldades de se criar um padrão estão no seu planejamento e desenvolvimento, o que envolve os interesses das empresas. A padronização só será eficiente se os usuários forem beneficiados com as mudanças feitas e se for amplamente utilizado. Grande parte do tempo é perdida nas negociações. O sistema DICOM vem sendo desenvolvido há uma década, e, só agora está sendo posto em funcionamento. O sistema DICOM foi desenvolvido pela indústria de imagem, representada por membros do NEMA (National Electric Manufacturers Association dos EUA) e pela comunidade de usuários de imagens médicas, como o American College of Radiology, o American College of Cardiology e o European Society of Cardiolgy. Atualmente existe o DICOM Standars Committee formado pelas companhias que geram as imagens e representantes de grandes sociedades médicas. O comitê se reúne três vezes por ano e discute as mudanças necessárias para o sistema, bem como a utilização do padrão em outras áreas da medicina. DICOM é a terceira versão do padrão de imagens, pois já existiam o ACR/NEMA 1.0 e 2.0 que foram desenvolvidos em meados da década de 80. A tendência é que, no futuro, esse sistema seja amplamente utilizado no mundo e para isso alguns grupos presentes na Europa, Ásia e América tentam difundir a utilização do sistema dentro dos países. 3.2 PACS Com o surgimento da Tomografia Computadorizada no inicio dos anos 70 iniciou-se o uso de imagens digitais no diagnóstico. Conseqüentemente, um Sistema de Informação Hospitalar (SIH) contém um grande conjunto de informações digitais, as quais incluem dados financeiros, gerenciais, informações de paciente. Devido ao tipo de tecnologia empregada, as imagens médicas são consideradas como um sistema à parte, e são organizadas em um sistema de transmissão e arquivamento de imagens médicas chamado PACS (Figura 5). O PACS é um sistema que proporciona o armazenamento e comunicação de imagens geradas por equipamentos médicos que trabalham com imagens originadas em equipamento de Raio-X, Ressonância Magnética, Tomografia Computadorizada, Ultrassonografia, Mamografia, Endoscopia, etc., de uma forma normalizada possibilitando que as informações dos pacientes e suas respectivas imagens digitalizadas e, armazenadas em mídia eletrônica sejam compartilhadas e visualizadas em monitores de alta resolução, distribuídos em locais fisicamente distintos. 14

15 Figura 5 - Equipamentos que compõem o PACS Os principais elementos a serem observados na estrutura do PACS são: Dispositivos de entrada (Raio-X, Ressonância Magnética, Tomografia Computadorizada, Ultrassonografia, Mamografia, Endoscopia, etc.); Rede de computadores; Servidor de DICOM; Integração com o Sistema de Informação Radiológica (SIR) e o Sistema de Informação Hospitalar (SIH) ; Dispositivos de saída (monitores, impressoras, gravadoras). 4. DESENVOLVENDO A CAMADA DE APRESENTAÇÃO A camada de apresentação do módulo ponto DICOM foi desenvolvida a partir criação do documento Escopo do ponto DICOM (ANEXO A) e especifica as informações a respeito do sistema, mostrando as funcionalidades que serão agregadas ao software InVesalius, ou seja, tem como objetivo fornecer um módulo de software livre que satisfaça as necessidades do próprio Projeto InVesalius. Essa implementação é um módulo para importação de dados dos PACS (Picture Archiving and Communication System) para o Software Invesalius pela intranet ou internet (Figura 6). 15

16 Figura 6. Esboço do esquema dos Cliente-Servidor PACS 4.1 Ferramentas necessárias para a criação das Janelas As ferramentas necessárias para criação das janelas da camada de apresentação no projeto serão: O código fonte do software InVesalius; Plataforma Python 2.5.2; Biblioteca wxpython 2.8; IDE Boa Constructor 0.6.1; Plataforma Python Python é uma linguagem de programação de alto nível interpretada, interativa, orientada a objetos e de tipagem dinâmica e forte, lançada por Guido van Rossum em Atualmente possui um modelo de desenvolvimento comunitário e aberto gerenciado pela organização sem fins lucrativos Python Software Foundation (Figura 7). Apesar de várias partes da linguagem possuírem padrões e especificações formais, a linguagem como um todo não é formalmente especificada. A linguagem foi projetada com a filosofia de enfatizar a importância do esforço do programador sobre o esforço computacional. Prioriza a legibilidade do código sobre a velocidade ou expressividade. Combina uma sintaxe concisa e clara com os recursos poderosos de sua biblioteca padrão e por módulos e frameworks desenvolvidos por terceiros. Python suporta a maioria das técnicas da programação orientada a objeto. Qualquer objeto pode ser usado para qualquer tipo, e o código funcionará enquanto haja métodos e atributos adequados. O conceito de objeto na linguagem é bastante abrangente: classes, funções, números e módulos são todos considerados objetos. 16

17 Também há suporte para metaclasses, polimorfismo, e herança (inclusive herança múltipla). Há um suporte limitado para variáveis privadas. A linguagem e seu interpretador estão disponíveis para as mais diversas plataformas, desde Unix (Linux, FreeBSD, Solaris, MacOS X, etc.), Windows, versões antigas de MacOS até consoles de jogos eletrônicos ou mesmo alguns celulares, como a série 60 da Nokia e palmtops. O nome Python teve a sua origem no grupo humorístico britânico Monty Python, criador do programa Monty Python's Flying Circus, embora muitas pessoas façam associação com o réptil do mesmo nome (em português, Pitão). Figura 7. Plataforma Python wxpython A wxpython (Figura 8) é uma ferramenta de GUI para a linguagem de programação Python. Permite aos programadores Python gerarem programas com a interface gráfica de interação com o usuário, de um modo simples e fácil. É implementado como uma extensão módulo Python (código nativo) que envolve a popular biblioteca GUI wxwidgets (escrito em C++). Assim como Python e wxwidgets, wxpython é Open Source, o que significa que ele é livre para qualquer um poder usar o código fonte e está disponível para qualquer um contribuir com correções ou melhorias para o projeto. Além disso, wxpython é multi-plataforma. Isto significa que o mesmo programa será executado em múltiplas plataformas sem qualquer modificação. Figura 8. wxpython Boa Constructor Boa Constructor é uma IDE para plataforma Python e que utiliza wxpython para construir as interfaces de interação com o usuário. Muito parecido com o ambiente de trabalho do VB/Delphi, o Boa-Constructor cria automaticamente os códigos em Python, a medida que você vai "desenhando" as janelas. Além do mais essa IDE tem : uma grande variedades de controles; um ótimo depurador; integração com FTP, CVS e Zope; recurso de autocompletar ("CTRL+<ESPAÇO>"); gera o UML das suas classes; desenvolvida totalmente em Python. No presente momento essa IDE (Figura 9) está na versão beta

18 Figura 9. Boa-Constructor - IDE Python 4.2 Prototipagem das Janelas A prototipagem das janelas foram criadas a partir do documento ponto DICOM Prototipagem das Janelas (ANEXO B) e foram geradas utilizando a IDE Boa- Constructor Janela do ponto DICOM receptor O ponto DICOM receptor vai permitir ao usuário configurar e ver as configurações do seu ponto DICOM local. O ponto DICOM receptor terá acesso através do menu PREFERÊNCIAS submenu TRANSMISSÃO VIA REDE item RECEPTOR. Ao clicar no item receptor será aberta uma janela (Figura 10) onde terá os seguintes campos: AETitle, TCP/IP, Número da porta do TCP/IP, Nome Computador + Domínio, Verificação de atualização, Time-out de comunicação, Tempo de armazenamento de log e Diretório. Para cada campo haverá ao lado uma opção de ajuda que permitirá o usuário a ter um melhor entendimento do termo utilizado no campo e como deverá ser preenchido este campo, caso necessário. 18

19 Figura 10. Janela ponto DICOM receptor Documentada Abaixo segue uma tabela mostrando as características de cada campo, sendo que todos os campos poderão ser alterados pelo usuário: AETitle --> Será gerado um nome automático (INVESALIUS-CLIENTE- XXX). Endereço TCP/IP --> Deverá ser capturado automaticamente do computador. Porta TCP/IP --> Padrão: 4096 (mas deverá poder ser alterado pelo usuário) Nome Computador + Domínio --> Exemplo: laptop.empresa.com.br. Deverá ser capturado automaticamente do computador. Verificação de atualização --> Padrão: 30 segundos. Irá verificar se há novos arquivos de 30 em 30 segundos. Time-out de comunicação --> Padrão: 2 segundos. Tempo máximo para aguardar requisição de determinado conjunto de arquivo DICOM. Tempo de armazenamento de log --> Padrão: semanalmente. Tempo de armazenamento de logs contendo informações de transmissão e possíveis erros. Diretório Padrão --> /home/nome-usuario/invesalius ou C:\Documents and Settings\usuario\invesalius. Diretório onde serão armazenados localmente os arquivos. Após análise do User Story foi criado uma versão alfa dessa janela através da IDE Boa-Constructor conforme demonstrado abaixo (Figura 11). Figura 11. Prototipagem da Janela ponto DICOM receptor 19

20 4.2.2 Janela do ponto DICOM transmissão O ponto DICOM transmissão permitirá ao usuário visualizar servidores DICOM central previamente instalados, os quais já estarão na intranet, sendo possível configurá-los e também cadastrar novos servidores DICOM central, onde será necessário ao utilizar a internet para acesso ao servidor. O ponto DICOM transmissão terá acesso através do menu PREFERÊNCIAS submenu TRANSMISSÃO VIA REDE item TRANSMISSÃO. Ao clicar no item transmissão será aberta uma janela (Figura 12) onde será mostrada em tipo de lista os servidores já cadastrados, mostrando os campos AETitle, Endereço TCP/IP, Porta TCP/IP, Descrição e Status (onde será informado se o servidor está ou não disponível) e no fim um botão permitindo a configuração manual. Nessa janela também haverá um botão para que possa ser acrescentado novos servidores DICOM, ao clicar neste botão aparecerá uma nova janela com os seguintes campos para serem preenchidos: AETitle, Endereço TCP/IP, Porta TCP/IP, Descrição, sendo que apenas os campos Endereço TCP/IP, Porta TCP/IP serão obrigatórios. Caso o servidor DICOM central necessite de senha para autenticação, o usuário pode já deixar a senha armazenada. Para saber o status do servidor(s), será feito uma verificação através de testes como ping, C-Echo. Figura 12. Janela ponto DICOM transmissão Documentada Abaixo é mostrado exemplos de dados de servidores: 1) AETitle = PACS_X ; Endereço TCP/IP = ; Porta TCP/IP = 4445 ;Descrição = Servidor X;Status = Ativo 2) AETitle = PACS_Y ; Endereço TCP/IP = ; Porta TCP/IP = 4444 ;Descrição = PACS da Clinica Y;Status = Inativo Após análise do User Story foi criado uma versão alfa dessa janela através da IDE Boa-Constructor conforme demonstrado abaixo (Figura 13). 20

21 Figura 13. Prototipagem da Janela ponto DICOM transmissão Janela do ponto DICOM importar busca O ponto DICOM importar permitirá ao usuário pesquisar dados em um determinado servidor DICOM central e fazer a importação dos dados que o usuário estiver necessitando. O ponto DICOM importar terá acesso através do menu NOVO item IMPORTAR DO SERVIDOR. Ao clicar em Importar do Servidor, será aberta uma janela (Figura 14) mostrando ao usuário os servidores encontrados e se estão ou não ativos, ao selecionar o servidor almejado (se necessitar de autenticação, será pedida ao usuário), depois abrirá uma nova janela onde o usuário poderá fazer uma busca no servidor DICOM central, ele poderá pesquisar utilizando um dos seguintes campos ou uma combinação deles, Nome do Paciente, Modalidade (TC, MR, US,...), Data de Aquisição, Idade, Sexo. Figura 14. Janela ponto DICOM importar Documentada 21

22 Após análise do User Story foi criado uma versão alfa dessa janela através da IDE Boa-Constructor conforme demonstrado abaixo (Figura 15). Figura 15. Prototipagem da Janela ponto DICOM importar 5. CONCLUSÃO A filosofia do software livre e do código aberto é uma energia que contagia os colaboradores novatos, comunidades de software, empresas e instituições governamentais. Todos com um objetivo em comum de criar uma solução em software com baixo custo, alto nível técnico e acessível a todos os interessados. Pois os colaboradores entram com as idéias, as comunidades organizam as informações (e direcionam o projeto) e as empresas e as instituições governamentais dão o suporte necessário à execução do projeto de software. O InVesalius é um software livre que foi desenvolvido em cima da plataforma Python que é código aberto. Mas o mais importante é o fato do projeto de software livre InVesalius estar cativando mais e mais colaboradores para a sua comunidade, não apenas pelo motivo de ser uma solução de software para área médica, mas também por estar se mostrando muito útil em outras áreas. Este trabalho teve como objetivo mostrar o desenvolvimento da camada de apresentação do módulo ponto DICOM, onde esta camada permitirá o usuário a visualizar seu exame independente de onde esteja, sendo que o maior beneficiário será o médico, que poderá analisar os exames de qualquer lugar do mundo. Para trabalhos futuros, pode-se ajudar a comunidade do InVesalius a agregar mais valores ao software e/ou ajudar nos diversos projetos existente no portal do software livre brasileiro. 22

SISTEMA DE IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CLÍNICAS RADIOLÓGICAS PARA O PROJETO INVESALIUS: AMBIENTE DE DESENVOLVIMENTO E OS PASSOS DA CRIAÇÃO DO PROJETO

SISTEMA DE IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CLÍNICAS RADIOLÓGICAS PARA O PROJETO INVESALIUS: AMBIENTE DE DESENVOLVIMENTO E OS PASSOS DA CRIAÇÃO DO PROJETO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS SISTEMA DE IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CLÍNICAS RADIOLÓGICAS PARA O PROJETO INVESALIUS: AMBIENTE DE DESENVOLVIMENTO E OS PASSOS DA CRIAÇÃO DO PROJETO FERNANDO ROBERTO RODRIGUES

Leia mais

InVesalius 3.0a Pré-Manual pelo Usuário

InVesalius 3.0a Pré-Manual pelo Usuário InVesalius 3.0a Pré-Manual pelo Usuário Versão 1.0 (26/01/2009) 1 Sobre o InVesalius InVesalius é um software público para área de saúde que realiza análise e segmentação de modelos anatômicos virtuais,

Leia mais

ESTUDO SOBRE SOFTWARE DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS DIGITAIS: INVESALIUS

ESTUDO SOBRE SOFTWARE DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS DIGITAIS: INVESALIUS ESTUDO SOBRE SOFTWARE DE VISUALIZAÇÃO DE IMAGENS MÉDICAS DIGITAIS: INVESALIUS ADRIANY DA S. CARVALHO * EDUILSON LÍVIO NEVES DA C. CARNEIRO ** Resumo. O presente trabalho se propõe, através de uma revisão

Leia mais

Introdução. aborda algumas das metodologias de conversão de imagens médicas no padrão DICOM para o padrão XML

Introdução. aborda algumas das metodologias de conversão de imagens médicas no padrão DICOM para o padrão XML DICOM - XML Introdução aborda algumas das metodologias de conversão de imagens médicas no padrão DICOM para o padrão XML Introdução Até a década de 70, maioria dos dispositivos armazenava imagens em formatos

Leia mais

PACS. III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica. Santa Casa de Porto Alegre, RS. 24 de Novembro de 2012

PACS. III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica. Santa Casa de Porto Alegre, RS. 24 de Novembro de 2012 PACS III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica Santa Casa de Porto Alegre, RS 24 de Novembro de 2012 III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica PACS - Agenda Histórico Workflow Modalidades

Leia mais

Software Livre e GIS: Quais são as alternativas?

Software Livre e GIS: Quais são as alternativas? Software Livre e GIS: Quais são as alternativas? Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org 1 Sumário Conceitos GIS e Software Livre Ferramentas: Thuban Qgis Jump MapServer O Futuro das Tecnologias

Leia mais

Recuperação de imagens médicas em bases de dados distribuídas

Recuperação de imagens médicas em bases de dados distribuídas Recuperação de imagens médicas em bases de dados distribuídas Vágner Nepumuceno Guimarães Orient.: Paulo Eduardo Ambrósio Introdução O avanço tecnológico vem influenciando cada vez mais na área médica.

Leia mais

O que é software livre

O que é software livre O que é software livre Publicado por brain em Sáb, 2006-03-25 17:12. :: Documentação [http://brlinux.org/linux/taxonomy/term/13] por Augusto Campos Este artigo responde a diversas dúvidas comuns de novos

Leia mais

Cenário atual de uso e das ferramentas de software livre em Geoprocessamento

Cenário atual de uso e das ferramentas de software livre em Geoprocessamento Cenário atual de uso e das ferramentas de software livre em Geoprocessamento Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org 1 Sumário Conceitos GIS e Software Livre Ferramentas: Jump Qgis Thuban MapServer

Leia mais

Grifon Alerta. Manual do Usuário

Grifon Alerta. Manual do Usuário Grifon Alerta Manual do Usuário Sumário Sobre a Grifon Brasil... 4 Recortes eletrônicos... 4 Grifon Alerta Cliente... 4 Visão Geral... 4 Instalação... 5 Pré-requisitos... 5 Passo a passo para a instalação...

Leia mais

Como é o desenvolvimento de Software?

Como é o desenvolvimento de Software? Como é o desenvolvimento de Software? Fases do Desenvolvimento Modelo Cascata Define atividades seqüenciais Outras abordagens são baseadas nesta idéia Especificação de Requisitos Projeto Implementação

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação Guia de Instalação 29 de setembro de 2010 1 Sumário Introdução... 3 Os Módulos do Andarta... 4 Instalação por módulo... 6 Módulo Andarta Server... 6 Módulo Reporter... 8 Módulo Agent... 9 Instalação individual...

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02. Prof. André Lucio

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02. Prof. André Lucio FTIN Formação Técnica em Informática Módulo Sistema Proprietário Windows AULA 02 Prof. André Lucio Competências da aula 2 Instalação e configuração dos sistemas operacionais proprietários Windows (7 e

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PRONATEC PROFESSOR: NATANIEL VIEIRA ALUNOS: ANA CAROLINA, ROMÁRIO, WAGNER.

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PRONATEC PROFESSOR: NATANIEL VIEIRA ALUNOS: ANA CAROLINA, ROMÁRIO, WAGNER. 1 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA PRONATEC PROFESSOR: NATANIEL VIEIRA ALUNOS: ANA CAROLINA, ROMÁRIO, WAGNER. TURMA: 2 TERMOS TÉCNICOS PELOTAS, 2012 ANA CAROLINA, ROMÁRIO,

Leia mais

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar

Software Livre. Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Software Livre Acesso ao código fonte Alterar o código fonte Redistribuir Utilizar como desejar Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) Linux Licença GPL (Licença Pública Geral) - A liberdade de executar

Leia mais

MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem;

MOODLE é o acrónimo de Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment. Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; MOODLE é o acrónimo de "Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment Software livre, de apoio à aprendizagem; Executado em um AVA - Ambiente Virtual de Apresendizagem; A expressão designa ainda

Leia mais

Confrontada com o gabarito oficial e comentada. 75. A denominada licença GPL (já traduzida pra o português: Licença Pública Geral)

Confrontada com o gabarito oficial e comentada. 75. A denominada licença GPL (já traduzida pra o português: Licença Pública Geral) Prova Preambular Delegado São Paulo 2011 Módulo VI - Informática Confrontada com o gabarito oficial e comentada 75. A denominada licença GPL (já traduzida pra o português: Licença Pública Geral) a) Garante

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Conteúdo SOFTWARE LIVRE. Terminologia. Histórico de Software Livre. Terminologia: Software livre. Terminologia: Software livre

Conteúdo SOFTWARE LIVRE. Terminologia. Histórico de Software Livre. Terminologia: Software livre. Terminologia: Software livre Conteúdo SOFTWARE LIVRE SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002 Histórico de Software Livre Terminologia Fases do Licença de Software Livre

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado 2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado Neste capítulo são apresentados os tipos de dados utilizados neste trabalho e a anatomia do fígado, de onde foram retiradas todas as heurísticas adotadas para segmentação

Leia mais

Software Livre e proprietário: Coexistência de diferentes formas de Licenciamento, interoperabilidade e eficiência na inclusão digital e social.

Software Livre e proprietário: Coexistência de diferentes formas de Licenciamento, interoperabilidade e eficiência na inclusão digital e social. Software Livre e proprietário: Coexistência de diferentes formas de Licenciamento, interoperabilidade e eficiência na inclusão digital e social. Palestrante: Paulo Cesar Alves 19/09/2005 Agenda Formulação

Leia mais

Software de sistema Software aplicativo

Software de sistema Software aplicativo SOFTWARE O que é Software? Software, logicial ou programa de computador é uma sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas, na manipulação, redireccionamento ou modificação de um dado/informação

Leia mais

Sistemas Operacionais: Aplicativos. Prof. Rafael J. Sandim

Sistemas Operacionais: Aplicativos. Prof. Rafael J. Sandim Sistemas Operacionais: Aplicativos Prof. Rafael J. Sandim Aplicativos Programa de computador que desempenha uma tarefa específica; Em geral ligada ao processamento de dados; Podem ser divididos em duas

Leia mais

Salvando arquivos em PDF nos Sistemas Mainframes, utilizando emuladores de terminal

Salvando arquivos em PDF nos Sistemas Mainframes, utilizando emuladores de terminal DIRETORIA DE OPERAÇÕES DO GERÊNCIA DE GESTÃO DE AMBIENTES GGA Salvando arquivos em PDF nos Sistemas Mainframes, utilizando emuladores de terminal Documento Versão 1.0.1 Adaptado por Coordenação Data de

Leia mais

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com.

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com. Sumário Principais Características...5 Configuração necessária para instalação...6 Conteúdo do CD de Instalação...7 Instruções para Instalação...8 Solicitação da Chave de Acesso...22 Funcionamento em Rede...26

Leia mais

Atualmente, as organizações de saúde estão reavaliando seus modelos de negócios tendo em vista as regulamentações governamentais, pressões das fontes

Atualmente, as organizações de saúde estão reavaliando seus modelos de negócios tendo em vista as regulamentações governamentais, pressões das fontes Atualmente, as organizações de saúde estão reavaliando seus modelos de negócios tendo em vista as regulamentações governamentais, pressões das fontes pagadoras e a exigência dos pacientes por serviços

Leia mais

Manual de Utilização do GLPI

Manual de Utilização do GLPI Manual de Utilização do GLPI Perfil Usuário Versão 1.0 NTI Campus Muzambinho 1 Introdução Prezado servidor, o GLPI é um sistema de Service Desk composto por um conjunto de serviços para a administração

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 2. Tela Inicial... 2 3. Abrindo uma nova Solicitação... 3 4. Acompanhando as solicitações abertas... 4 5. Exibindo Detalhes da Solicitação... 6 6.

Leia mais

INSTALAÇÃO DE SOFTWARES ÚTEIS EM ENGENHARIA CARTOGRÁFICA

INSTALAÇÃO DE SOFTWARES ÚTEIS EM ENGENHARIA CARTOGRÁFICA INSTALAÇÃO DE SOFTWARES ÚTEIS EM ENGENHARIA CARTOGRÁFICA Primeiramente é importante observar a importância do desenvolvimento de softwares específicos para agilizar o trabalho do Engenheiro Cartógrafo.

Leia mais

Distribuições de Linux embarcado. O mercado de Linux embarcado. Distribuição Linux: desktop x embarcados. Projeção do mercado de Linux embarcado

Distribuições de Linux embarcado. O mercado de Linux embarcado. Distribuição Linux: desktop x embarcados. Projeção do mercado de Linux embarcado Linux Sistemas Embarcados Introdução ao Linux embarcado e aspectos de software livre Aula 02 É um núcleo, não um sistema operacional Altamente modulável usado desde servidores a equipamentos dedicados

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa

ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA. Rodrigo Luiz da Rosa ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESTRELA TÉCNICO EM INFORMÁTICA SISTEMA DE LOCADORA Rodrigo Luiz da Rosa Estrela 2012 EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação TÍTULO: SISTEMA DE LOCADORA AUTOR:

Leia mais

LASERJET ENTERPRISE M4555 SÉRIE MFP. Guia de instalação do software

LASERJET ENTERPRISE M4555 SÉRIE MFP. Guia de instalação do software LASERJET ENTERPRISE M4555 SÉRIE MFP Guia de instalação do software HP LaserJet Enterprise M4555 MFP Series Guia de instalação do software Direitos autorais e licença 2011 Copyright Hewlett-Packard Development

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

TUTORIAL PARA O USO DO SCRIPTLATTES

TUTORIAL PARA O USO DO SCRIPTLATTES TUTORIAL PARA O USO DO SCRIPTLATTES Sumário GNU General Public License? 2 O que é o ScripLattes, qual sua finalidade? 2 Código fonte (GNU-GPL) 3 Como saber se o Python está instalado? 4 Como instalar módulos

Leia mais

Guia de Referência 0800net

Guia de Referência 0800net Guia de Referência 0800net 1. Apresentação: Com o intuito de melhorar cada vez mais os serviços de atendimento, o Grupo GCI, disponibiliza a Central de Atendimento, através do endereço http://0800net.gci.com.br/.

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 3 2. ESCOPO DO SERVIÇO DE CUSTOMIZAÇÃO 3

1. INTRODUÇÃO 3 2. ESCOPO DO SERVIÇO DE CUSTOMIZAÇÃO 3 2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 2. ESCOPO DO SERVIÇO DE CUSTOMIZAÇÃO 3 2.1. OBJETIVO DOS SERVIÇOS DE CUSTOMIZAÇÕES 3 2.2. NÃO SE COMPREENDE COMO SERVIÇOS DE CUSTOMIZAÇÕES 3 2.3. RESPONSABILIDADE SOBRE ARTEFATOS

Leia mais

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo

Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação. versão 2.0. experts em Gestão de Conteúdo Extensão ez Open Document Format (ezodf) Documentação versão 2.0 Conteúdo 1. Introdução... 3 2 1.1 Público alvo... 3 1.2 Convenções... 3 1.3 Mais recursos... 3 1.4 Entrando em contato com a ez... 4 1.5

Leia mais

Software Livre. para concursos. Questões comentadas

Software Livre. para concursos. Questões comentadas Software Livre para concursos Questões comentadas Prefácio Hoje, qualquer instituição, seja ela pública ou privada, necessita utilizar programas de computadores para auxiliar os seus processos, gerando

Leia mais

A INTERNET 2 NA TELEMEDICINA

A INTERNET 2 NA TELEMEDICINA A INTERNET 2 NA TELEMEDICINA Marco Antonio Gutierrez, Sérgio Shiguemi Furuie, Júlio Figueiredo, Marcos Yamaguti, InCor Instituto do Coração-HC FMUSP, São Paulo, Brasil 1. Introdução A distribuição dos

Leia mais

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino

SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino SAPENS - Sistema Automático de Páginas de Ensino Eduardo Kokubo kokubo@inf.univali.br Fabiane Barreto Vavassori, MSc fabiane@inf.univali.br Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI Centro de Ensino Superior

Leia mais

Processos de Backup Sistemas Cali

Processos de Backup Sistemas Cali Processos de Backup Sistemas Cali 2 Processos de Backup ÍNDICE O QUE É BACKUP?... 3 INSTALAÇÃO COBIAN BACKUP 9... 5 AGENDANDO TAREFAS (COBIAN BACKUP 9)... 10 BACKUP MANUAL DO MICROSOFT SQL 2005 EXPRESS...

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL Secretaria-Executiva

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA-GERAL Secretaria-Executiva Projeto PNUD BRA/12/018 - Documento técnico com complementação da documentação de instalação e uso da plataforma Noosfero contendo conceitos e tutoriais. Consultora: Daniela Soares Feitosa Contrato n o

Leia mais

Implementação do Office365. O365 Migração de usuários. Preparado por: Edilson Alves da Nóbrega Divisão de Informática Administração Central

Implementação do Office365. O365 Migração de usuários. Preparado por: Edilson Alves da Nóbrega Divisão de Informática Administração Central Implementação do Office365 O365 Migração de usuários Preparado por: Edilson Alves da Nóbrega Divisão de Informática Administração Central Abril de 2015 Controle de Versões Registro Data Autor Versão Histórico

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

PROVA BRASIL NO VISUAL CLASS

PROVA BRASIL NO VISUAL CLASS PROVA BRASIL NO VISUAL CLASS A Caltech Informática desenvolveu 2 soluções alternativas para simulação da Prova Brasil utilizando o Software de Autoria Visual Class: A) Utilizando o pacote Visual Class

Leia mais

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com.

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com. Sumário Principais Características... 5 Configuração necessária para instalação... 6 Conteúdo do CD de Instalação... 7 Instruções para Instalação... 8 Solicitação da Chave de Acesso... 22 Funcionamento

Leia mais

File Transport Protocolo - FTP. Fausto Levandoski, Marcos Vinicius Cassel, Tiago Castro de Oliveira

File Transport Protocolo - FTP. Fausto Levandoski, Marcos Vinicius Cassel, Tiago Castro de Oliveira File Transport Protocolo - FTP Fausto Levandoski, Marcos Vinicius Cassel, Tiago Castro de Oliveira Universidade do Vale do Rios dos Sinos (UNISINOS) Curso Tecnólogo em Segurança da Informação Av. Unisinos,

Leia mais

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

CACIC. Inventário de Hardware e Software para o Governo Federal

CACIC. Inventário de Hardware e Software para o Governo Federal CACIC Inventário de Hardware e Software para o Governo Federal Origem Software originário do escritório da DATAPREV ( Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social) no Espírito Santo. Desenvolvido

Leia mais

CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais

CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais CESPE - 2012 - FNDE - Técnico em Financiamento e Execução de Programas e Projetos Educacionais De modo semelhante ao Linux, o Windows é considerado um software microbásico. Uma característica desse tipo

Leia mais

O que é software livre

O que é software livre CAMPOS, Augusto. O que é software livre. BR-Linux. Florianópolis, março de 2006. Disponível em . Consultado em 16 de Dezembro de 2008. O que é software livre

Leia mais

Schooltool: Software de Gestão Escolar Para Criação e Manutenção de Quadro de Horários

Schooltool: Software de Gestão Escolar Para Criação e Manutenção de Quadro de Horários Universidade Federal de Lavras UFLA Ciência da Computação Programa de Pós-Graduação Informática em Educação Autor(es) José Maria Ferreira Faria Wendell Bento Geraldes Schooltool: Software de Gestão Escolar

Leia mais

Índice. Manual Backup Online. 03 Capítulo 1: Visão Geral

Índice. Manual Backup Online. 03 Capítulo 1: Visão Geral Índice 03 Capítulo 1: Visão Geral 04 Capítulo 2: Conta de Usuário 04 Criação 08 Edição 09 Grupo de Usuários 10 Informações da Conta 12 Capítulo 3: Download do Backup Online Embratel 16 Capítulo 4: Cópia

Leia mais

Projeto FlexiGrid IWA. Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens

Projeto FlexiGrid IWA. Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens Projeto FlexiGrid IWA Sistema de Armazenamento e Comunicação de Imagens Aristófanes C. Silva Danilo Launde Lúcio Dias Roteiro PACS Definição Infra-Estrutura Camadas Problemas Soluções DICOM IWA Histórico

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SERGIPE Coordenadoria de Modernização, Suporte, Infraestrutura e Sistema MANUAL DO PROCESSO ELETRÔNICO Processos de Concessão de Benefícios Histórico da Revisão Data Versão

Leia mais

Manual do Cantor. Alexander Rieder Tradução: Marcus Gama

Manual do Cantor. Alexander Rieder Tradução: Marcus Gama Alexander Rieder Tradução: Marcus Gama 2 Conteúdo 1 Introdução 5 2 Usando o Cantor 6 2.1 Recursos do Cantor..................................... 6 2.2 As infraestruturas do Cantor...............................

Leia mais

GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR

GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR GUIA INTEGRA SERVICES E STATUS MONITOR 1 - Integra Services Atenção: o Integra Services está disponível a partir da versão 2.0 do software Urano Integra. O Integra Services é um aplicativo que faz parte

Leia mais

BH PARK Software de Estacionamento

BH PARK Software de Estacionamento BH PARK Software de Estacionamento WWW.ASASSOFTWARES.COM.BR Índice 1 Informações Básicas... 1 1.1 Sair da aplicação... 1 1.2 Travar aplicação... 1 1.3 Licenciando a aplicação... 1 1.4 Contrato de Manutenção...

Leia mais

A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS

A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS A REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO CONTROLE E AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS Gláucio Alves Oliveira; Ildeberto de Genova Bugatti Resumo O trabalho utilizou técnicas de integração entre tecnologia de Realidade

Leia mais

Introdução ao. Linux do MEC

Introdução ao. Linux do MEC Introdução ao Linux do MEC Abril/2006 ÍNDICE Software Livre 3 Linux do MEC 4 Inicializando e finalizando o sistema 5 Área de trabalho 6 Operações com arquivos 7 Administração do ambiente 9 Navegador Internet

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

MANUAL BACKUP XDENTAL 2012

MANUAL BACKUP XDENTAL 2012 MANUAL BACKUP XDENTAL 2012 Sumário CONFIGURANDO BACKUP... 2 ESCOLHENDO O TAMANHO DO ARQUIVO DE BACKUP... 4 CONFIGURANDO HORÁRIO DE INÍCIO DO BACKUP... 5 CONFIGURANDO BACKUP AO INICIAR O SISTEMA XDENTAL...

Leia mais

ÍNDICE 1.CONHECENDO OS APLICATIVOS NECESSÁRIOS PARA O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA URANO INTEGRA...

ÍNDICE 1.CONHECENDO OS APLICATIVOS NECESSÁRIOS PARA O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA URANO INTEGRA... Instalação do Sistema Urano Integra em Sistema Operacional Windows 1 ÍNDICE 1.CONHECENDO OS APLICATIVOS NECESSÁRIOS PARA O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA URANO INTEGRA.... 3 1.1 URANO INTEGRA... 3 1.2 JAVA RUNTIME

Leia mais

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric

Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Manual de Instalação, Administração e Uso do Sistema Elétric Versão 1.0 Autores Bruna Cirqueira Mariane Dantas Milton Alves Robson Prioli Nova Odessa, 10 de Setembro de 2013 Sumário Apoio 1. Licença deste

Leia mais

Instalação: permite baixar o pacote de instalação do agente de coleta do sistema.

Instalação: permite baixar o pacote de instalação do agente de coleta do sistema. O que é o projeto O PROINFODATA - programa de coleta de dados do projeto ProInfo/MEC de inclusão digital nas escolas públicas brasileiras tem como objetivo acompanhar o estado de funcionamento dos laboratórios

Leia mais

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre

16:21:50. Introdução à Informática com Software Livre 16:21:50 Introdução à Informática com Software Livre 1 16:21:50 Hardware & Software 2 16:21:50 Hardware Hardware é a parte física de um computador, é formado pelos componentes eletrônicos, como por exemplo,

Leia mais

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4.

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. 1 Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. Interface do sistema... 4 1.4.1. Janela Principal... 4 1.5.

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO

SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Doutoranda em Engenharia UNICAMP Professor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Campus Bragança Paulista O Brasil inaugurou uma nova fase no desenvolvimento

Leia mais

DIF-e - MANUAL DE ORIENTAÇÃO AO CONTRIBUINTE

DIF-e - MANUAL DE ORIENTAÇÃO AO CONTRIBUINTE Página 1 de REVISÃO DATA VERSÃO DO HISTÓRICO DAS ALTERAÇÕES SISTEMA 00 1.0 Emissão inicial. Página 2 de Sumário 1. Introdução... 4 2. Modelo Conceitual... 4 3. Programa Cliente... 5 3.1 Telas de Configuração...

Leia mais

ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar

ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar ETEC Dr. Emílio Hernandez Aguilar Grupo: Leonardo; Ronaldo; Lucas; Gustavo; Fabio. 2º Informática Tarde 2º Semestre de 2009 Introdução O PostgreSQL é um SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) objeto-relacional

Leia mais

Perry Werneck Érico M. Mendonça Miris Silva. Software Público Brasileiro

Perry Werneck Érico M. Mendonça Miris Silva. Software Público Brasileiro Perry Werneck Érico M. Mendonça Miris Silva Software Público Brasileiro Mainframes O modelo dominante de mainframe nos anos 60 e 70 era o IBM System/370 As unidades de display, como eram conhecidas, eram

Leia mais

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG

Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Sistema Gerenciador de Conteúdo OpenCms: um caso de sucesso no CEFET-MG Marco T. A. Rodrigues*, Paulo E. M. de Almeida* *Departamento de Recursos em Informática Centro Federal de Educação Tecnológica de

Leia mais

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.

Curso Introdução ao Linux. Desmistificando o Software Livre. Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com. Curso Introdução ao Linux Desmistificando o Software Livre Nícholas André - www.iotecnologia.com.br - nicholas@iotecnologia.com.br Índice 1 O que é Software Livre? 2 A história por trás do Software Livre.

Leia mais

Sistemas Operacionais. (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto

Sistemas Operacionais. (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO. Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Sistemas Operacionais (Capítulo 3) INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto Estrutura 1. Definições 2. Classificações 3. CPU 4. Memória 5. Utilitários O que se

Leia mais

Processo de Envio de email

Processo de Envio de email Processo de Envio de email Introdução O envio de documentos de forma eletrônica vem sendo muito utilizado, assim o envio de arquivos, relatórios, avisos, informações é realizado via e-mail. O sistema disponibiliza

Leia mais

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF Guilherme Macedo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil guilhermemacedo28@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 2 INTRODUÇÃO Com a informatização dos sistemas nas empresas veio também o aumento da competitividade e isso fez com que a qualidade dos serviços fosse questionada. O

Leia mais

Aplicativo para elaboração de questionários, coleta de respostas e análise de dados na área da saúde em dispositivos móveis

Aplicativo para elaboração de questionários, coleta de respostas e análise de dados na área da saúde em dispositivos móveis Aplicativo para elaboração de questionários, coleta de respostas e análise de dados na área da saúde em dispositivos móveis Visão Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 24/06/12

Leia mais

Agenda. Histórico Máquinas virtuais X Emuladores Vantagens & Desvantagens Vmware Quemu Xen UML Comparação entre VM's Conclusão

Agenda. Histórico Máquinas virtuais X Emuladores Vantagens & Desvantagens Vmware Quemu Xen UML Comparação entre VM's Conclusão Máquinas Virtuais Agenda Histórico Máquinas virtuais X Emuladores Vantagens & Desvantagens Vmware Quemu Xen UML Comparação entre VM's Conclusão Histórico Mainframe É um computador de grande porte, dedicado

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Guia ineocontrol. iphone e ipod Touch

Guia ineocontrol. iphone e ipod Touch Guia ineocontrol iphone e ipod Touch Referência completa para o integrador do sistema Module. Aborda os recursos necessários para a itulização, instalação do software e importação das interfaces criadas

Leia mais

Curso de Joomla na Prática

Curso de Joomla na Prática Curso de Joomla na Prática Joomla! (pronuncia-se djumla) é um CMS (Content Management System) desenvolvido a partir do Mambo. É escrito em PHP e roda no servidor web Apache ou IIS e banco de dados MySQL.

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0

AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 AUTOR: DAVID DE MIRANDA RODRIGUES CONTATO: davidmr@ifce.edu.br CURSO FIC DE PROGRAMADOR WEB VERSÃO: 1.0 SUMÁRIO 1 Conceitos Básicos... 3 1.1 O que é Software?... 3 1.2 Situações Críticas no desenvolvimento

Leia mais

Vid8 Servidor. Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR;

Vid8 Servidor. Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR; Vid8 Servidor Versão 8.13.0411 Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Versão 8.12.0311 Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR; Versão 8.11.0311 Correção

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid

Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Documento de Instalação e Configuração do InfoGrid Tecgraf/PUC Rio infogrid@tecgraf.puc rio.br 1.Introdução O objetivo deste documento é podermos registrar em um único local todas as informações necessárias

Leia mais

Introdução a Sistemas Abertos

Introdução a Sistemas Abertos Introdução a Sistemas Abertos Apresentação filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistemas Abertos Qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado e redistribuído inclusive com seu código fonte

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE 2.6 PERFIL ALUNO Versão 1.0 2014 NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NTIC MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MOODLE

Leia mais

Manual de digitação de contas Portal AFPERGS

Manual de digitação de contas Portal AFPERGS Manual de digitação de contas Portal AFPERGS 1 Sumário Acesso à função digitação de contas... 3 O que é a Função digitação de contas (DC)... 4 Como proceder na função digitação de conta médica (DC)...

Leia mais

Administração de Sistemas Livres. Prof. Lais Farias Alves

Administração de Sistemas Livres. Prof. Lais Farias Alves Administração de Sistemas Livres Prof. Lais Farias Alves Administração de Sistemas Livres Software e Suas Licenças O que é um Software Livre? Software Livre x Software Proprietário Software e Suas Licenças

Leia mais

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS

SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS 769 SISTEMA VIRTUAL PARA GERENCIAMENTO DE OBJETOS DIDÁTICOS Mateus Neves de Matos 1 ; João Carlos Nunes Bittencourt 2 ; DelmarBroglio Carvalho 3 1. Bolsista PIBIC FAPESB-UEFS, Graduando em Engenharia de

Leia mais

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP

Uma poderosa ferramenta de monitoramento. Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Uma poderosa ferramenta de monitoramento Madson Santos - madson@pop-pi.rnp.br Técnico de Operação e Manutenção do PoP-PI/RNP Abril de 2008 O que é? Características Requisitos Componentes Visual O que é?

Leia mais

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica

e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Página1 e-nota NFS-e Sistema de Geração e Emissão de Nota Fiscal de Serviço eletrônica Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é Nota Fiscal de Serviço eletrônica

Leia mais