Encontro discute a avaliação do risco ambiental de OGMs

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Encontro discute a avaliação do risco ambiental de OGMs"

Transcrição

1 Ano 17 Nº 2 abril a junho de 2009 Encontro discute a avaliação do risco ambiental de OGMs Nesta Edição: EDITORIAL Metas Traçadas 2 VALE LEMBRAR Alimentação a favor da saúde 3 Segurança Alimentar em debate 3 ARTIGO CIENTÍFICO Comfort food: alimento para emoção 4 DESTAQUE Conhecimento Científico Partilhado 6 Fortificar para Nutrir 6 Preocupado em discutir a ciência envolvida na avaliação do risco alimentar e ambiental dos OGMs (Organismos Geneticamente Modificados) e difundir informações, o comitê de Biotecnologia do promove a segunda edição do Workshop Avaliação do Risco Ambiental de Culturas Geneticamente Modificadas, nos dias 17 e 18 de agosto, em Brasília. A ênfase é para o possível impacto que as culturas geneticamente modificadas poderiam representar para os organismos não-alvo, seres vivos que habitam as áreas agrícolas onde estas plantas são cultivadas e que poderiam sofrer algum efeito por parte delas. Outro tema relevante será o monitoramento destas culturas, após sua aprovação para uso comercial pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio), traçando parâmetros deste processo no Brasil e outros países. Entre os convidados internacionais, destacam-se o Dr. Joerg Romeis, especialista em avaliação de risco ambiental do grupo de biossegurança do Agroscope Reckenholz - Tänikon Research Station (ART), instituição de pesquisas agrícolas da Suíça, e o Dr. Alan Gray, pesquisador emérito do Centro de Ecologia e Hidrologia do Reino Unido. As relevantes discussões do primeiro encontro foram reunidas em um artigo submetido para publicação na revista eletrônica BioAssay. O foco, em 2008, foi a formulação do problema em relação à avaliação de risco da cana-de-açúcar e algodão. Nossa proposta é desenvolver ações que reforçam a relevância do tema, à medida que os OGMs começam a ser aprovados no Brasil e a fazer parte do nosso dia-adia. O artigo é uma forma de levar à comunidade científica informação para os que não tiveram acesso ao workshop e seus resultados avalia Eugênio Ulian, coordenador do Comitê. l

2 Presidente Aldo Baccarin Diretoria/Conselho Diretoria Dr. Franco Lajolo Dr. Felix G. Reyes Dr. Flávio A. D. Zambrone Dra. Ione P. Lemônica Ana Meisel Ary Bucione José Mauro de Moraes Gottfried Stützer Diretoria Executiva Mariela Weingarten Berezovsky Conselho Científico e de Administração Aldo Baccarin - Presidente Alexandre Novachi Ana Meisel Kraft Foods Brasil Ltda. Ary Bucione Danisco Brasil Ltda. Dra. Bernadette Franco - Fac. Ciências Farmacêuticas / USP Cláudia Araujo Fernandes Cadbury Adams Dra. Elizabeth Nascimento Fac. Ciências Farmacêuticas/ USP Eugenio Ulian Monsanto do Brasil Ltda. Dr. Felix G. Reyes Fac. Eng. Alimentos/UNICAMP Dr. Flávio Ailton Duque Zambrone - Fac. Ciências Med./UNICAMP Dr. Franco Lajolo Fac. Ciências Farmacêuticas / USP Geórgia Castro Dr. Hélio Vannucchi FM USP Rib. Preto Dra. Ione P. Lemonica UNESP Botucatu João Alberto Bordignon Nutrimental S/A Ind. e Com. de Alimentos João Henrique Alarcon Alegro Milenia Agro Ciências S/A José Mauro Moraes Recofarma Ind. Amazonas Ltda. (Coca-Cola) Dra. Maria Cecília Toledo Fac. Eng. Alimentos, UNICAMP Dr. Mauro Fisberg UNIFESP Publicação do: International Life Sciences Institute Rua Hungria, 664 Cj São Paulo-SP tel.: (11) Conselho Editorial: Clarice Tonato, Felix G. Reyes e Mariela Weingarten Berezovsky Editora Executiva: Mariela Weingarten Berezovsky Redação: Edna Vairoletti Expediente Produção: DPI Studio e Editora Tel./Fax: (11) Circulação externa Tiragem de exemplares Direitos reservados ao Ésempre animador traçar metas e alcançá-las, principalmente diante da expectativa, inevitável, às vésperas de cada evento. Com a segunda edição da Reunião Anual do, realizada m abril, não foi diferente. Mas deu tudo certo. Contamos com a presença de representantes da indústria, academia e governo e cumprimos uma agenda sob medida, entre reuniões de trabalho para definição dos próximos passos para 2009, incluindo as eleições dos novos membros do Conselho Científico e de Administração, que já assumiram seus cargos, e uma intensa programação científica. Foram três simpósios promovidos pelos comitês de Avaliação de Risco, Biotecnologia e Nutrição. Traçadas as metas, mais uma vez saímos a campo. Em maio realizamos o workshop Estilos de Vida Saudá- Editorial Metas Traçadas veis: Nutrição e Saúde da Mulher. O universo feminino foi debatido por especialistas que observaram que para a mulher moderna não basta apenas uma dieta saudável. É preciso também que ela alimente sua autoestima para ter fôlego para encarar seus desafios diários na profissão, família e vida pessoal. Os próximos meses reservam muito trabalho que refletem a mobilização de todas as forçastarefas e a participação do ILSI em eventos externos, como foi o Ganepão, em junho. Para encerrar, damos as boas-vindas ao novo membro, a Alellyx que atua no melhoramento genético e biotecnologia de cana-de-açúcar. Até a próxima! Mariela Weingarten Berezovsky Diretora Executiva ILSI no mundo e no Brasil A manutenção de um fórum permanente de atualização de conhecimentos técnico-científicos que contribuem para a saúde da população e são de interesse comum às empresas, governos, universidades e institutos de pesquisa. Este é o principal objetivo do International Life Sciences Institute (ILSI), associação sem fins lucrativos, com sede em Washington, D.C., nos Estados Unidos, e seções regionais na América do Norte, Argentina, Austrália, Brasil, Europa, Japão, México e Sudeste Asiático. É afiliado à Organização Mundial da Saúde (OMS), como entidade não-governamental e órgão consultivo da ONU para Alimentação e Agricultura (FAO). No Brasil, o ILSI colabora para o melhor entendimento de assuntos ligados à nutrição, segurança alimentar, toxicologia e meio ambiente, reunindo cientistas do meio acadêmico, do governo e da indústria. abril - junho 2009 NOTÍCIAS2

3 Vale lembrar Alimentação a favor da saúde O10º evento da série de workshops internacionais O Impacto dos Alimentos Funcionais no Cenário Epidemiológico Brasileiro reuniu dezenas de participantes no dia 22 de junho, no Hotel Maksoud Plaza (SP). Uma das principais conclusões foi que a adoção regular de alimentos funcionais numa dieta equilibrada, aliada a um estilo de vida saudável, menos sedentário, é uma conduta que pode contribuir para a diminuição do risco de doenças crônicas não-transmissíveis e promover a qualidade de vida da população. Prof. Franco Lajolo (USP), coordenador científico do evento, lembrou que estes alimentos são produzidos há mais de 20 anos e o Japão foi o pioneiro. E que, além da questão nutricional, há um interesse econômico a ser considerado, quando se busca soluções para reduzir os gastos da saúde pública, com tratamentos de pacientes com Diabetes Mellitus, Obesidade, Câncer e problemas cardiovasculares, que seguem em ritmo crescente. Dos EUA, Dr. John Milner, do National Cancer Institute, enfatizou que o câncer é um problema mundial e deve ter maior incidência na América Latina, pois esta população está envelhecendo e cada vez mais obesa. Destacou que estudos apontam que a doença tem relação com o que se come em percentuais que variam para seus diferentes tipos. O desafio é detectar as populações vulneráveis ao câncer e os alimentos que podem ajudar na prevenção, pois há diferenças singulares entre as pessoas e nem tudo que é bom para um indivíduo serve para o outro. Do Canadá, Dr. Jerzy Zawistowski, da University of British Columbia, fez uma detalhada explanação sobre as evidências necessárias para claims relacionados aos alimentos funcionais. Entre os brasileiros, destaque para Dr. Protásio Lemos da Luz, do Instituto do Coração e Faculdade de Medicina da USP, que ressaltou a importância do estilo de vida na prevenção de doenças cardiovasculares. Todos os participantes receberam a publicação Alimentos Funcionais Ciência, Saúde e Alegações, uma tradução da obra Dr. Paulo Cesar Stringhetta, Dra. Claudia Juswiak, Dra. Antonia Maria Aquino, Dr. Jerzy Zawistowski, Dr. Steven Rumsey, Dr. Helio Vannucchi. original editada pelo ILSI Europe. Com uma linguagem acessível a diferentes públicos, o livro aborda que uma dieta saudável, incluindo alimentos com propriedades funcionais, pode contribuir para a promoção do bem-estar e até reduzir o risco de desenvolver certas doenças. Ilustrações, tabelas e um texto dividido em tópicos tornam a leitura fácil e interessante. Para adquirir um exemplar, basta contatar o : l Segurança Alimentar em debate A tualidades em Food Safety, workshop agendado para 04 de agosto, no Blue Tree Towers Faria Lima (SP), tem como principal objetivo discutir casos emergentes e atuais em Segurança Alimentar que podem ter um impacto importante na cadeia produtiva de alimentos. O debate, sob a coordenação científica da Dra Maria Cecília de F. Toledo, pesquisadora da UNICAMP, irá abranger temas focados nos riscos toxicológicos e microbiológicos potenciais, associados à presença de contaminantes nos alimentos. A exposição humana ao alumínio e a resíduos de agrotóxicos na dieta, e a contaminação de alimentos infantis com melamina são destaques da programação. Outras importantes palestras fazem parte do programa: Estudo Clínico e Laboratorial de sensibilidade à tartrazina em pacientes atópicos, Inovações em Embalagens e em Nanotecnologia ; Situação atual sobre aflatoxinas e micotoxinas em alimentos e Avaliação de risco microbiológico em alimentos: como está no Brasil?. O recall e problemas relacionados com a contaminação alimentar têm sido recorrentes em todo mundo. Os países em desenvolvimento possuem menor controle e histórico em relação a este cenário, pois há uma limitante nos recursos existentes nesta área e menor abrangência do tratamento destes casos. Os EUA possuem o maior número de dados e domínio destas ocorrências, por Distrito, o que possibilita um rastreamento mais eficiente. Por isso, toda mobilização e discussão sobre Segurança Alimentar é um passo a favor da conscientização dos riscos e alternativas de prevenção e monitoramento, em benefício de toda a cadeia: produção, processamento, comercialização e consumo de alimentos, comenta Adriana Apuzzo, representante da Danisco e coordenadora da Força-Tarefa Food-Safety, segmento indústria. l NOTÍCIAS3

4 Artigo Comfort food: alimento para emoção Artigo comentado por Márcia Terra* sobre o estudo clínico: Exploring Comfort Food Preferences Across Gender and Age, de Brian Wansink, conduzido no Cornell Food and Brand Lab na Universidade de Illinois, EUA. *Nutricionista, especialista em Nutrição Clínica pelo ICHC USP, pós-graduada em Administração de Empresas com ênfase em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas, pós-graduada em Ciências do Consumo de ESPM, membro da American Dietetic Association, Diretora da Nutri Insight - Consultoria em Nutrição, representante da Herbalife no. Todos nós usamos os alimentos com funções além daquelas conhecidas pela nutrição. Sempre que passamos por situações onde há algum tipo de celebração, quase sempre a comida ocupa papel principal e dá o tom da festa. Também quando estamos tristes e infelizes ou, simplesmente, com vontade de desabafar sobre aquilo que nos atormenta, a comida de novo é nossa grande aliada. Pessoas em situações particulares tendem a desejar determinados alimentos que possam lhe trazer algum conforto emocional. Essa comida, que nos acalenta, foi batizada nos EUA como comfort food ou comida para o conforto. A expressão sugere que esse alimento não tenha apenas a função biológica de nutrir o corpo, mas sim, trazer conforto psicológico e até certo estado de prazer. Estudo conduzido pelo Dr. Brian Wansink, em 2003, quando ainda era diretor do laboratório Food and Brand na Universidade de Cornell, demonstrou que os sentimentos evocados pela comfort food são os fatores que levam ao consumo de algo diferente, que pode conter uma ligação do alimento e uma pessoa em especial, assim como a relação entre comer algo preparado por alguém muito querido, ou a lembrança do alimento estar atrelada a situações de atenção e carinho, como a comida preparada pela mãe quando se ficou muito doente. É possível, ainda, conectar o alimento a uma emoção que se deseja reviver, como quando se foi recompensado com um chocolate por ter tirado boas notas na escola. Algumas vezes, pode ser simplesmente o desejo por um sabor ou aroma específico. O alimento pode ser usado como prêmio por uma conquista ou por um trabalho executado. Como consolo para um desencanto amoroso. Como forma de autoagrado por um dia muito pesado e estressante. Como distração para nos afastar daquela tarefa árdua ainda pendente... Há várias razões pelas quais comemos e uma das mais comuns é usar o alimento para o autoconforto e autoindulgência. Por isso, o relacionamento que os indivíduos têm com a comida tende a ser pessoal e, muitas vezes, influenciado pelo ambiente que os cerca e pelas associações condicionadas. NOTÍCIAS4

5 Artigo Além destes contextos afetivos e sociais, os estudos também apontaram uma conexão entre alimento e humor. Nós comemos quando estamos felizes. Comemos quando estamos tristes. Comemos quando estamos aborrecidos. Comemos quando estamos irritados. Comemos quando estamos relaxados. A comfort food, portanto, remete tanto a momentos negativos como de felicidade. Dr. Wansink, que hoje é o diretor executivo do Centro de Política e Promoção da Nutrição do USDA (USA), explicou que há uma tendência a usar o alimento para manter o bom humor ou para recuperá-lo e se usam diferentes itens para isso. E completa. O que descobrimos foi que quando se está de bom humor se busca comer alimentos que estão mais relacionados com refeições, aquelas com certa densidade nutricional, como hambúrguer, macarrão ou sopa e vegetais. Quando a situação causa mau humor, o que se procura são alimentos mais calóricos e convenientes, como os snacks. O especialista acredita que todas as pessoas que se dizem infelizes têm um desejo de curto prazo: querem algo para mudar seu estado de espírito e se inclinam a consumir alimentos mais calóricos e hedônicos (relacionados aos prazeres imediatos). As estressadas, infelizes e solitárias respondem da mesma forma, sendo que na solidão podem comer muito mais do que sob estresse. Enquanto os estudos psicológicos mostram que o estresse e a tristeza levam à compulsão por alimentos ricos em calorias e convenientes, atrelados com lembranças positivas, há evidências de que existe uma conexão científica entre comfort food e humor, pois, normalmente, são ricos em açúcar, sal e gordura e afetam neurotransmissores como as endorfinas, serotonina e a dopamina. O consumo de grandes quantidades de açúcar faz com que o pâncreas libere insulina para que ocorra a regulação dos níveis da glicemia. Com isso, a insulina causa um rápido pico nos níveis de triptofano, o aminoácido responsável pela produção de serotonina. A serotonina cria uma sensação de bem-estar e prazer. Contudo, alimentos ricos em açúcar e amidos, com alta carga glicêmica, desencadeiam rápidos picos e, conseqüentemente, quedas nos níveis glicêmicos, o que origina uma ação por feedback fechado que levará novamente à compulsão alimentar. Por que mulheres preferem snacks e homens preferem pratos prontos como comfort foods? O trabalho do Dr. Wansink também relatou que mulheres e homens têm preferências particulares. Os alimentos favoritos são: batata frita (23%), sorvete (14%), biscoitos doces (12%), chocolates (11%), churrasco e hamburger (9%), ensopados (9%), sopas (7%), vegetais (4%) e salada (3%). Eles tendem por pratos prontos, pizza, macarrão, carnes ou ensopados; elas por alimentos mais relacionados à conveniência como os snacks, balas, doces e chocolates. Opções que as fazem sentir, em algum momento, menos saudáveis e mais culpadas do que os homens. Os pesquisadores especulam que as diferentes preferências alimentares entre o sexo feminino e masculino podem estar relacionadas, no caso dos homens, à criação que receberam, condicionando-os a refeições quentes e mais trabalhosas de preparar. Já as mulheres optam por alimentos mais convenientes e práticos, que requerem pouco ou nenhum preparo, pois não há ninguém, se não elas próprias para prepará-los. É importante perceber que a comfort food pode, na verdade, ser constituída por escolhas saudáveis pois, aparentemente, somos condicionados a preferir determinados tipos de alimentos neste universo, lembra Dr. Wansink. Por isso, é possível tentar moldar, de forma mais saudável e mais democrática, as preferências do cardápio dos nossos filhos e filhas. l abril - junho 2009 NOTÍCIAS5

6 Destaque Conhecimento Científico Partilhado Na busca de maior difusão de informações e a partir do conhecimento acumulado pela Força-Tarefa de Alimentos Fortificados e Suplementos foi idealizada uma série de publicações com a revisão da literatura científica sobre nutrientes. Escrita por profissionais e estudiosos renomados dos temas, as edições visam suportar, cientificamente, as alegações de funções plenamente reconhecidas, além de colaborar com os setores Regulador e Regulado e possibilitar o acesso a informações adequadas e corretas. Os fascículos independentes facilitam a atualização e permitem a elaboração e lançamento de novos capítulos, com maior agilidade. O modelo adotado tem como referência o elaborado pelo JHCI (Joint Health Claims Initiative) para a Food Standards Agency, UK, (http://www.food.gov.uk/multimedia/ pdfs/jhci_healthreport.pdf), porém, cada autor é livre para uma revisão da literatura atual e a inclusão de dados de seus estudos. Já estão em circulação as referentes a Cálcio, Vitamina D e Ferro. A mais recente edição reúne conceitos atuais e Recomendações de Nutrientes (DRIs) e tem um formato diferenciado, de cartilha. As próximas publicações previstas são: Carotenóides, Vitamina A, Selênio, Vitamina E e Zinco. Temos nos empenhado para abordar os temas de maior interesse e o retorno tem sido positivo. A iniciativa também tem servido de estímulo para membros de outras forças-tarefas que planejam adotar o mesmo formato para publicações de temas de interesse específico. Hoje a tiragem é de mil exemplares, distribuídos em nossos eventos, para os associados do ILSI e estão disponíveis para aquisição no ILSI detalha Gabriela Losso, representante da Pepsico e coordenadora da Força-Tarefa, segmento indústria. l Fortificar para Nutrir A ções e Oportunidades na área de Fortificação de Alimentos é o principal tema do workshop latinoamericano agendado para 31 de agosto, no Hotel Maksoud Plaza (SP) que irá apresentar iniciativas públicas e privadas desenvolvidas no Brasil e outros países. O encontro possibilitará avaliar casos relevantes de fortificação, o que é fundamental para elaborar estratégias adequadas que visam contribuir com a melhora do estado nutricional dos indivíduos. Entre os projetos a serem apresentados, um deles será direcionado para o universo das crianças em idade escolar, foco dos estudos desenvolvidos pelo Dr. Mauro Fisberg, da UNIFESP, no projeto Nutri-Brasil Infância. Sob outros pontos-de-vista, os alimentos enriquecidos serão abordados por vários especialistas, como Dr. Geraldo Medeiros, da Faculdade de Medicina da USP, que mostrará detalhes da fortificação mandatória do sal no Brasil; Dr. José Eduardo Dutra de Oliveira, da USP Ribeirão Preto, da fortificação da água com ferro; Dra Marilia Nutti, Embrapa-RJ, da Biofortificação e Dr. Carel Wreesmann, da Akzo Nobel e Dr. Willian Latorre, do Centro de Vigilância Sanitária (SP), da fortificação da farinha. Entre os convidados internacionais, Dra Catalina Barba, do Ministério da Saúde do Chile falará de DHA no Chile e Dr. Omar Dary, dos EUA, irá traçar um panorama mundial sobre os programas de fortificação e casos de sucesso. l NOTÍCIAS6

RELATÓRIO ANUAL 2009 FT FUNCIONAIS

RELATÓRIO ANUAL 2009 FT FUNCIONAIS RELATÓRIO ANUAL 2009 FT FUNCIONAIS 1. ÁREA DE ATUAÇÃO Alimentos e ingredientes com propriedades funcionais e/ou de saúde. 2. HISTÓRICO E JUSTIFICATIVA O avanço dos conhecimentos mostrando a relação entre

Leia mais

Projeto do Piauí será financiado pelo ILSI Brasil

Projeto do Piauí será financiado pelo ILSI Brasil Ano 19 nº 2 Projeto do Piauí será financiado pelo ILSI Brasil É da Universidade Federal do Piauí, o trabalho vencedor do programa Projetos de Pesquisa - Estilos de Vida Saudáveis 2010. Marize Melo dos

Leia mais

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

Regulamentação do marketing de alimentos: uma questão de saúde pública

Regulamentação do marketing de alimentos: uma questão de saúde pública Audiência Pública P 18 de novembro de 2009 Regulamentação do marketing de alimentos: uma questão de saúde pública Maria José Delgado Fagundes Gerente Geral - /ANVISA Perfil Epidemiológico Brasileiro Atual:

Leia mais

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson Saúde e produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso nos negócios Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo,

Leia mais

Tendências no mercado da nutrição

Tendências no mercado da nutrição Parceiros Tendências no mercado da nutrição Apresentação: Nut. Juliana Tolêdo de Faria Graduada em Nutrição FANUT/UFG Esp. Nutrição em Saúde Pública FANUT/UFG Esp. Atividade Física e suas Bases Nutricionais

Leia mais

Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis

Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis Atuação do Nutricionista no Desenvolvimento de Produtos Mais Saudáveis Elizabeth Vargas Nutricionista Unilever America Latina Seminário Tecnológico de Nutrição, Saudabilidade e Meio Ambiente Junho 2014

Leia mais

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER

MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER MOVIMENTO CASCAVEL ROSA - NA LUTA CONTRA O CÂNCER Área Temática: Saúde Adriane de Castro Martinez Martins 1 (Coordenadora) Claudecir Delfino Verli 2 Aline Maria de Almeida Lara 3 Modalidade: Comunicação

Leia mais

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente

Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente 16 Mapeamento do Perfil Saúde em Instituição Pública - Fundação Centro de Atendimento Sócio Educativo ao Adolescente Leidiane Silva Oliveira Chagas Gestora de Recursos Humanos - Anhanguera Educacional

Leia mais

Alimentos funcionais é tema de evento especial

Alimentos funcionais é tema de evento especial Ano 18 Nº 3 julho a setembro de 2010 Alimentos funcionais é tema de evento especial Nesta Edição: EDITORIAL Mobilização positiva 2 EVENTOS Hábitos alimentares em foco 3 Encontro discute avaliação do risco

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL ILSI Brasil - 2009

RELATÓRIO ANUAL ILSI Brasil - 2009 RELATÓRIO ANUAL ILSI Brasil - 2009 Presidente: Diretor Executivo: Aldo Baccarin Mariela Weingarten Berezovsky Em dezembro de 2009: 39 empresas associadas Introdução A manutenção de um fórum permanente

Leia mais

Educação Alimentar e Nutricional no Espaço Escolar como Promotora de Vida Saudável

Educação Alimentar e Nutricional no Espaço Escolar como Promotora de Vida Saudável Educação Alimentar e Nutricional no Espaço Escolar como Promotora de Vida Saudável Comissão de Educação e Cultura da Câmara de Deputados 16 de outubro de 2007, Brasília-DF UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

Leia mais

Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde

Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde Perspectivas legais de alegações de propriedades funcionais e ou de saúde 4º Simpósio de Segurança Alimentar Gramado/RS, 29 e 30/05/2012 Antonia Maria de Aquino GPESP/GGALI/ANVISA Missão da Anvisa Promover

Leia mais

Conheça mais sobre. Diabetes

Conheça mais sobre. Diabetes Conheça mais sobre Diabetes O diabetes é caracterizado pelo alto nível de glicose no sangue (açúcar no sangue). A insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, é responsável por fazer a glicose entrar para

Leia mais

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes

Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Programa Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) Campanha de Prevenção e Controle de Hipertensão e Diabetes Objetivos: - Desenvolver uma visão biopsicossocial integrada ao ambiente de trabalho, considerando

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

Segurança Alimentar e Nutricional

Segurança Alimentar e Nutricional Segurança Alimentar e Nutricional Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição/ DAB/ SAS Ministério da Saúde Afinal, o que é Segurança Alimentar e Nutricional? Segurança Alimentar e Nutricional

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 Institui diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e de nível médio das redes pública e privada, em âmbito nacional.

Leia mais

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 28 de setembro a 2 de outubro de 2009 CD49.R10 (Port.) ORIGINAL:

Leia mais

ATUAÇÃO DA FAO NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR

ATUAÇÃO DA FAO NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ATUAÇÃO DA FAO NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR II Encontro Nacional de Experiências Inovadoras em Alimentação Escolar 50 ANOS Sr. José Tubino Representante da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação

Leia mais

Programa 5 ao Dia. Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos.

Programa 5 ao Dia. Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos. Programa 5 ao Dia Um Alimentação Saudável está nas nossas mãos. O que é o Programa 5 ao Dia? Enquadramento Conceito Objectivos e Destinatários Associação 5 ao Dia Desenvolvimento Enquadramento Mudança

Leia mais

Proteger nosso. Futuro

Proteger nosso. Futuro Proteger nosso Futuro A Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) é uma entidade sem fins lucrativos criada em 1943, tendo como objetivo unir a classe médica especializada em cardiologia para o planejamento

Leia mais

Pessoas especiais. Ano 18 Nº 2 abril a junho de 2010

Pessoas especiais. Ano 18 Nº 2 abril a junho de 2010 Ano 18 Nº 2 abril a junho de 2010 Pessoas especiais Aabertura da Reunião Anual e do I Congresso registrou momentos marcantes. Estavam reunidas pessoas que ajudaram a construir a história de 20 anos do

Leia mais

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres

Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres 2 Proposta para Implantação do Programa Atividade Física & Mulheres Ana Paula Bueno de Moraes Oliveira Graduada em Serviço Social Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUC Campinas Especialista

Leia mais

folder_socesp.indd 1 04/09/2012 15:33:13

folder_socesp.indd 1 04/09/2012 15:33:13 Doenças cardiovasculares (DCVs), incluindo doenças cardíacas e derrames, matam prematuramente. De fato, elas causam 17,3 milhões de mortes a cada ano e os números estão aumentando. Até 2030, espera-se

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

Comissão apresenta proposta sobre alegações nutricionais e de saúde para informar melhor os consumidores e harmonizar o mercado

Comissão apresenta proposta sobre alegações nutricionais e de saúde para informar melhor os consumidores e harmonizar o mercado IP/03/1022 Bruxelas, 16 de Julho de 2003 Comissão apresenta proposta sobre alegações nutricionais e de saúde para informar melhor os consumidores e harmonizar o mercado A Comissão Europeia adoptou hoje

Leia mais

Proposta do Termo de Adesão

Proposta do Termo de Adesão Proposta do Termo de Adesão Informação Nutricional em Fast Food Gerência de Produtos Especiais Gerência-Geral de Alimentos 1. Histórico - Resolução RDC nº 40/01 Tornou obrigatória a Rotulagem Nutricional

Leia mais

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 CARTA DE OTTAWA PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 A Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizada em Ottawa, Canadá, em novembro

Leia mais

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo

PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam desejo PRINCÍPIOS Prevenção e o controle das doenças, especialmente as crônico-degenerativas estimulam o desejo de participação social direciona as ações para a estruturação de um processo construtivo para melhoria

Leia mais

Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil. Maria Rita Marques de Oliveira

Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil. Maria Rita Marques de Oliveira Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil Maria Rita Marques de Oliveira 1- MEIO AMBIENTE E PRODUÇÃO DE ALIMENTOS 2- ACESSO AOS ALIMENTOS 3- ALIMENTO SEGURO 4- PREVENÇÃO E CONTROLE

Leia mais

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar

Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar Campanha da Rede Asbran alerta este mês sobre consumo de açúcar A Rede Asbran e Filiadas lança nesta sexta-feira, dia 31, mais uma ação da campanha nacional pela redução no consumo do sal e do açúcar,

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Epidemiologia Gerencial aplicada à Gestão de Serviços e Sistemas de Saúde

FICHA TÉCNICA. Epidemiologia Gerencial aplicada à Gestão de Serviços e Sistemas de Saúde FICHA TÉCNICA Epidemiologia Gerencial aplicada à Gestão de Serviços e Sistemas de Saúde O atual cenário de saúde tem exigido cada vez mais dos profissionais uma oferta equitativa de serviços (baseada na

Leia mais

Informativo Digital da Escola de Nutrição da UFBA N.117/2012

Informativo Digital da Escola de Nutrição da UFBA N.117/2012 Informativo Digital da Escola de Nutrição da UFBA N.117/2012 Salvador, 14 de setembro de 2012 A editora da UFBA, EDUFBA lançou vários livros ontem na Biblioteca Central da UFBA. O evento teve uma boa aceitação

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Nutrição e Gastronomia Tendências e Inovações para a Alimentação Saudável. Andréa Luiza Jorge

Nutrição e Gastronomia Tendências e Inovações para a Alimentação Saudável. Andréa Luiza Jorge Nutrição e Gastronomia Tendências e Inovações para a Alimentação Saudável Andréa Luiza Jorge Introdução Nenhum alimento que entra em nossas bocas é neutro. A historicidade da sensibilidade gastronômica

Leia mais

ENCONTROS DE SAUDE CORPORATIVA ESC III

ENCONTROS DE SAUDE CORPORATIVA ESC III ENCONTROS DE SAUDE CORPORATIVA ESC III PESQUISA SOBRE SAÚDE CORPORATIVA EFETUADA POR UM CONSORCIO DE EMPRESAS DA ÁREA DE SAUDE CONSTATAÇÕES E IMPLICAÇÕES Duração: 4 semanas 44 respondentes Respondentes

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA

CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO-FORMAÇÃO NUTRICIONISTA Coordenaçăo: Profª. MS. Mara Rosana dos Santos E-mail: nutricao@immes.com.br Telefone (96)3223-4244 ramal: 211 Ser Nutricionista É atuar em todas

Leia mais

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004)

(II Conferência Nacional de Segurança Alimentar Nutricional, 2004) 1 Segurança Alimentar e Nutricional Segurança alimentar é a realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a

Leia mais

ALIMENTOS TRANSGÊNICOS E BIOSSEGURANÇA

ALIMENTOS TRANSGÊNICOS E BIOSSEGURANÇA 1 ALIMENTOS TRANSGÊNICOS E BIOSSEGURANÇA Luiz Carlos Bresser Pereira Ministro da Ciência e Tecnologia Trabalho escrito maio de 1999 para ser publicado no site do MCT. O País presencia hoje intenso debate

Leia mais

Mesa de controvérsia sobre transgênicos

Mesa de controvérsia sobre transgênicos Mesa de controvérsia sobre transgênicos Transgênicos: questões éticas, impactos e riscos para a Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional e o Direito Humano à Alimentação Adequada e Saudável Posição

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

FIQUE DE BOM HUMOR! Por Dra. Taís Baddo, nutricionista

FIQUE DE BOM HUMOR! Por Dra. Taís Baddo, nutricionista FIQUE DE BOM HUMOR! Por Dra. Taís Baddo, nutricionista A máxima de que você é o que come se aplica também ao bom humor. Há uma série de alimentos que podem contribuir para melhorar o ânimo porque estimulam

Leia mais

Alimento Industrializado Redução de Sal, Açúcares e Gordura

Alimento Industrializado Redução de Sal, Açúcares e Gordura 4º Simpósio de Segurança Alimentar sbcta - RS Alimento Industrializado Redução de Sal, Açúcares e Gordura Eliane Miyazaki FOODSTAFF Assessoria de Alimentos Ltda. Maio/2012 1988 equipe multidisciplinar

Leia mais

HOMENAGENS, MÚSICA, LIVROS E FELICIDADE

HOMENAGENS, MÚSICA, LIVROS E FELICIDADE Ano 23 nº 2 HOMENAGENS, MÚSICA, LIVROS E FELICIDADE Além de uma programação científica diversificada, os participantes do evento também puderam se confraternizar. Um dos momentos mais marcantes foi a homenagem

Leia mais

Art. 2º - São diretrizes da Política Municipal de Educação Alimentar e Combate à Obesidade:

Art. 2º - São diretrizes da Política Municipal de Educação Alimentar e Combate à Obesidade: PROJETO DE LEI N. 426/2013 ESTADO DO AMAZONAS ESTABELECE diretrizes para a Política Municipal de Educação Alimentar Escolar e Combate à Obesidade, e dá outras providências. Art.1º - O Poder Público Municipal,

Leia mais

ANS Longevidade - Custo ou Oportunidade. Modelos de Cuidados à Saúde do Idoso Rio de Janeiro/RJ 25/09/2014

ANS Longevidade - Custo ou Oportunidade. Modelos de Cuidados à Saúde do Idoso Rio de Janeiro/RJ 25/09/2014 ANS Longevidade - Custo ou Oportunidade. Modelos de Cuidados à Saúde do Idoso Rio de Janeiro/RJ 25/09/2014 Cenário 1) Nas últimas décadas, os países da América Latina e Caribe vêm enfrentando uma mudança

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES JANEIRO/2011 COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES CNHD Supervisão

Leia mais

ARROZ E FEIJÃO: PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E BENEFÍCIOS

ARROZ E FEIJÃO: PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E BENEFÍCIOS ARROZ E FEIJÃO: PROPRIEDADES NUTRICIONAIS E BENEFÍCIOS À SAÚDE Beatriz da Silveira Pinheiro Beatriz da Silveira Pinheiro Embrapa Estudos e Capacitação Arroz e Feijão Associados, constituem a base da dieta

Leia mais

PERCEPÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS DO PONTO DE VISTA FÍSICO E NUTRICIONAL

PERCEPÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS DO PONTO DE VISTA FÍSICO E NUTRICIONAL PERCEPÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS DO PONTO DE VISTA FÍSICO E NUTRICIONAL Nilza Matias Oliver Cruz Faculdade Maurício de Nassau/CG nilzamoc31@hotmail.com Débora de Araújo Targino Faculdade Maurício

Leia mais

Atualização em Fortificação de Alimentos

Atualização em Fortificação de Alimentos Ano 20 nº 2 Atualização em Fortificação de Alimentos A fortifi cação de alimentos é sempre um tema atual pela importância das discussões sobre as vantagens e difi culdades de estratégias adequadas, que

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - 2008. Projeto: Meio ambiente, qualidade de vida e desenvolvimento sustentável na prática pedagógica da FSP.

PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - 2008. Projeto: Meio ambiente, qualidade de vida e desenvolvimento sustentável na prática pedagógica da FSP. PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL - 2008 Projeto: Meio ambiente, qualidade de vida e desenvolvimento sustentável na prática pedagógica da FSP. 1. Delimitação do tema: Alimentação saudável, verdades e mentiras.

Leia mais

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE A INSTITUIÇÃO A Universidade Livre do Meio Ambiente - Unilivre, instalada em Curitiba, Paraná, é uma organização não governamental sem fins lucrativos, recentemente

Leia mais

SE-CAISAN Secretaria-Executiva da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional

SE-CAISAN Secretaria-Executiva da Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional RELATO DA 9ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO COMITÊ TÉCNICO DA ESTRATÉGIA DA PREVENÇÃO E CONTROLE DA OBESIDADE DA CAISAN DATA: 16 de julho de 2015 HORÁRIO: 10h00 às 12h00 LOCAL: Ministério do Desenvolvimento Social

Leia mais

Desafio de Perda de Peso da Herbalife

Desafio de Perda de Peso da Herbalife Desafio de Perda de Peso da Herbalife Um grupo de apoio para quem quer saber mais sobre nutrição equilibrada e controlo de peso. Nutrição para uma vida melhor. O que é que tem a perder? Não se trata apenas

Leia mais

154 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO

154 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO 154 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO Washington, D.C., EUA 16 a 20 de junho de 2014 CE154.R17 Original: inglês RESOLUÇÃO CE154.R17 ESTRATÉGIA PARA COBERTURA UNIVERSAL DE SAÚDE A 154 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO,

Leia mais

IV Seminário Hospitais Saudáveis

IV Seminário Hospitais Saudáveis IV Seminário Hospitais Saudáveis São Paulo 26 e 27 Setembro 2011 Verónica Odriozola Coordenadora Regional Saúde sem Dano - América Latina www.saudesemdano.org O que é Saúde sem Dano? Saúde sem Dano é uma

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS 3. CURSO DE NUTRIÇÃO Área de atuação De acordo com a RESOLUÇÃO

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

Sobre Este Livro. O Que Você Não Lerá. 2 Dieta Para Leigos, 2 a Edição

Sobre Este Livro. O Que Você Não Lerá. 2 Dieta Para Leigos, 2 a Edição 2 Dieta Para Leigos, 2 a Edição depois do nascimento). Engordei e emagreci 110 quilos em meus 50 anos e passei 30 anos fazendo dietas. Mas não fiz mais dieta desde que meu filho se afastou, 11 anos atrás.

Leia mais

Construindo caminhos para a Segurança Alimentar na comunidade

Construindo caminhos para a Segurança Alimentar na comunidade Construindo caminhos para a Segurança Alimentar na comunidade Uma estratégia de Planejamento Participativo 1ª edição A apresentação deste material aos delegados da XI Conferência Nacional de Saúde, foi

Leia mais

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos

Atuando com responsabilidade para. colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Atuando com responsabilidade para colher um futuro melhor. Fábrica de São José dos Campos Compromisso com um futuro melhor. Com o nosso trabalho, somos parte da solução para uma agricultura mais sustentável.

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO NACIONAL DE HIPERTENSÃO E DIABETES JANEIRO/2011 HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES MELLITUS MORBIDADE AUTO REFERIDA

Leia mais

Ginástica Laboral como Meio de Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho

Ginástica Laboral como Meio de Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho 6 Ginástica Laboral como Meio de Promoção da Qualidade de Vida no Trabalho José Cicero Mangabeira Da Silva Gestor Em Recursos Humanos - Anhanguera Educacional - Campinas-SP Especialista Em Gestão Da Qualidade

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

ATUAÇÃO DA ANVISA NO CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS Previsões 2014

ATUAÇÃO DA ANVISA NO CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS Previsões 2014 Reunião ILSI São Paulo, 5 de dezembro de 2013 ATUAÇÃO DA ANVISA NO CONTROLE SANITÁRIO DE ALIMENTOS Previsões 2014 William Cesar Latorre Gerente de Inspeção e Controle de Riscos em Alimentos Gerência Geral

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe

FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe 1 FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe ITIL V2 Service Support Aracaju, Setembro de 2009 EDUARDO DA PAIXÃO RODRIGUES LUCIELMO DE AQUINO SANTOS 2 ITIL V2 Service Support Trabalho de graduação

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

VIGILÂNCIA AMBIENTAL

VIGILÂNCIA AMBIENTAL VIGILÂNCIA AMBIENTAL VIGILÂNCIA AMBIENTAL Introdução Considera-se a vigilância ambiental como o processo contínuo de coleta de dados e análise de informação sobre saúde e ambiente, com o intuito de orientar

Leia mais

Contato de Meios para a América Latina: Luciano Bonini, luciano.bonini@interface.com, +562 2944 4130

Contato de Meios para a América Latina: Luciano Bonini, luciano.bonini@interface.com, +562 2944 4130 Contato de Meios para a América Latina: Luciano Bonini, luciano.bonini@interface.com, +562 2944 4130 ESTUDO GLOBAL CONECTA NÍVEIS DE PRODUTIVIDADE DOS ASSOCIADOS E O BEM ESTAR COM O DESIGN DO ESCRITÓRIO

Leia mais

Alimentação e Saúde a responsabilidade de cada um e de todos nós

Alimentação e Saúde a responsabilidade de cada um e de todos nós Alimentação e Saúde a responsabilidade de cada um e de todos nós Elisabetta Recine Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutrição OPSAN/UnB Ação Brasileira pela Nutrição e Direitos Humanos

Leia mais

AÇÕES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SOBRE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS

AÇÕES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SOBRE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS AÇÕES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SOBRE DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS WILLIAM CESAR LATORRE Diretor de Alimentos Centro de Vigilância Sanitária SES / SP Decreto Lei 986, de 21/10/1969 Institui normas

Leia mais

Querida Lojista, O tempo de simplesmente vender a mercadoria para a cliente acabou faz muito tempo. Passamos pela época de encantar as clientes e

Querida Lojista, O tempo de simplesmente vender a mercadoria para a cliente acabou faz muito tempo. Passamos pela época de encantar as clientes e Calendário Lojistas Querida Lojista, O tempo de simplesmente vender a mercadoria para a cliente acabou faz muito tempo. Passamos pela época de encantar as clientes e hoje estamos vivendo os tempos de superar

Leia mais

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Projeto Novos Talentos Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Oficina: Comer bem, para viver melhor! Cristiane da Cunha Alves Tatiane Garcez Bianca Maria de Lima Danielle Costa INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA

Leia mais

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos A formação em Farmácia Seminário do BNDES 7 de maio de 2003 Por que RH para Fármacos e Medicamentos? Fármacos e Medicamentos como campo estratégico

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO HENRIQUE MEDINA PROJETO PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO HENRIQUE MEDINA PROJETO PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO HENRIQUE MEDINA PROJETO PROMOÇÃO E EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE Ano letivo 2014/2015 1. Enquadramento Entre os objetivos prioritários da atual política educativa encontram-se os

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO TRABALHO SEGURO SGTS NA LIGHT

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO TRABALHO SEGURO SGTS NA LIGHT IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO TRABALHO SEGURO SGTS NA LIGHT Autor Gustavo César de Alencar LIGHT SERVIÇOS DE ELETRICIDADE S.A. RESUMO O objetivo deste trabalho é mostrar todo o esforço que a Light

Leia mais

Programa de Controle de Peso Corporal

Programa de Controle de Peso Corporal 15 Programa de Controle de Peso Corporal Denis Marcelo Modeneze Mestre em Educação Física na Área de Atividade Física, Adaptação e Saúde na UNICAMP principal objetivo de desenvolver este tema com os alunos

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO CAMPUS MAFRA/RIONEGRINHO/PAPANDUVA

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO CAMPUS MAFRA/RIONEGRINHO/PAPANDUVA UNIVERSIDADE DO CONTESTADO CAMPUS MAFRA/RIONEGRINHO/PAPANDUVA Núcleo de Ciências da Saúde e Meio Ambiente Prof. Wellington Santos PROJETO: Saúde: Obesidade e Estética Pleiteante: Núcleo de Ciências da

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

Comunidade de Prática Internacional para apoiar o fortalecimento e liderança da BIREME OPAS/OMS Fortalecimento institucional da BIREME OPAS/OMS

Comunidade de Prática Internacional para apoiar o fortalecimento e liderança da BIREME OPAS/OMS Fortalecimento institucional da BIREME OPAS/OMS Comunidade de Prática Internacional para apoiar o fortalecimento e liderança da BIREME OPAS/OMS Fortalecimento institucional da BIREME OPAS/OMS TERMOS DE REFERÊNCIA Versão 17/07/2012 No âmbito de um processo

Leia mais

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA

VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA LIGA DE DIABETES ÂNGELA MENDONÇA VI CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM DIABETES DIETOTERAPIA ACADÊMICA ÂNGELA MENDONÇA LIGA DE DIABETES A intervenção nutricional pode melhorar o controle glicêmico. Redução de 1.0 a 2.0% nos níveis de hemoglobina

Leia mais

As Ferramentas e Opções do Varejo no Mercado de FLV

As Ferramentas e Opções do Varejo no Mercado de FLV As Ferramentas e Opções do Varejo no Mercado de FLV Luiz Claudio Haas Diretor Comercial de Frutas, Legumes e Verduras Agosto 2014 Por que o agronegócio é importante mundialmente? 100% da população depende

Leia mais

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya

Documento em construção. Declaração de Aichi-Nagoya Documento em construção Declaração de Aichi-Nagoya Declaração da Educação para o Desenvolvimento Sustentável Nós, os participantes da Conferência Mundial da UNESCO para a Educação para o Desenvolvimento

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Evanir Soares da Fonseca

Evanir Soares da Fonseca CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde AÇÕES DE COMBATE AO ESTRESSE: PROMOÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DOS TRABALHADORES DA SAÚDE DE PARACATU - MG Evanir Soares

Leia mais

Iniciativas Futuro Verde" do Japão

Iniciativas Futuro Verde do Japão 1. Compreensão Básica Iniciativas Futuro Verde" do Japão 1. Nas condições atuais, em que o mundo está enfrentando diversos problemas, como o crescimento populacional, a urbanização desordenadas, a perda

Leia mais

ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO

ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO ANEXO RESOLUÇÃO COFEN Nº 468/2014 ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO NO ACONSELHAMENTO GENÉTICO I. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para atuação privativa do Enfermeiro em Aconselhamento Genético, no âmbito da equipe

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 406, DE 2005

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 406, DE 2005 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 406, DE 2005 Altera o Decreto-Lei nº 986, de 21 de outubro de 1969, a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990 (Estatuto da Criança e do Adolescente) e a Medida Provisória nº 2.178-36,

Leia mais

Relatório de Pesquisa. Campina Grande 2010 KÉTSIA MEDEIROS

Relatório de Pesquisa. Campina Grande 2010 KÉTSIA MEDEIROS Núcleo de Pesquisa e Extensão (Nupex) Curso: Fisioterapia Equipe: Professor coordenador/orientador: Kétsia Medeiros Alunos: Arélli Pâmella Brasileiro Chaves Lizandra de Farias Rodrigues Queiroz Mariana

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS 1. Introdução As Boas Práticas Nutricionais constituem-se um importante instrumento para a modificação progressiva da composição nutricional

Leia mais

Este trabalho possui como objetivo a aplicação prática dos

Este trabalho possui como objetivo a aplicação prática dos 22 Proposta de Intervenção em Empresa de Desenvolvimento de Tecnologias de Informática com Programa de Reeducação Alimentar Márcia Martino Especialista em Gestão da Qualidade de Vida na Empresa - UNICAMP

Leia mais

Clipping Eletrônico Quinta-feira dia 16/07/2015

Clipping Eletrônico Quinta-feira dia 16/07/2015 Clipping Eletrônico Quinta-feira dia 16/07/2015 Jornal Acrítica Cidades Pág. C4 16 de Julho de 2015. Jornal Acrítica Política Pág. A7 16 de Julho de 2015. Av. Mário Ypiranga, 1695 Adrianópolis Jornal

Leia mais