Parceria do CRMV-RJ com Qualicorp garante plano de saúde para profissionais da classe. Ano novo, novos desafios

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Parceria do CRMV-RJ com Qualicorp garante plano de saúde para profissionais da classe. Ano novo, novos desafios"

Transcrição

1 Informativo do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro I Ano XXII - Nº Novembro de 2011 Palavra do Presidente 3 Paulo Alcântara Gomes (Funadesp, CEE e Redetec), Cícero Pitombo (CRMV-RJ) e Aristeu Pessanha (AMVERJ) foram os membros da mesa de abertura do lançamento do projeto Ano novo, novos desafios O ano de 2011 está chegando ao fim e as expectativas em relação ao novo ano, suscitam algumas discussões que merecem apreciação,principalmente em relação ao nosso futuro profissional. 4 Capa Parceria do CRMV-RJ com Qualicorp garante plano de saúde para profissionais da classe A partir de dezembro de 2011, médicos veterinários e zootecnistas inscritos no CRMV-RJ poderão usufruir do benefício de contratar plano de saúde. Pág. 05 Vigilância Sanitária do município do Rio promove painel em educação e pesquisa Nos dias 23 e 24 de novembro, a Vigilância Sanitária do Município do Rio de Janeiro promoveu o I Painel Municipal de Educação e Pesquisa em Vigilância Sanitária que aconteceu no auditório da FIRJAN. O CRMV-RJ esteve presente no evento como instituição de classe convidada a participar desta iniciativa. PÁG. 05 CRMV-RJ em parceria com a Funadesp e AMVERJ lança proposta pedagógica de um repensar dos cursos de Medicina Veterinária do Estado do RJ e suas articulações com o mercado de trabalho No dia 10 de novembro, o CRMV-RJ promoveu o lançamento do projeto intitulado Um repensar sobre as propostas pedagógicas dos cursos de graduação em Medicina Veterinária do Estado do Rio Subsecretário da Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro, Arnaldo Lassance, fez a abertura do I Painel da Municipal de Educação e Pesquisa em Vigilância Sanitária. de Janeiro, em parceria com a Academia de Medicina Veterinária no Estado do Rio de Janeiro (AMVERJ) e Fundação Nacional de Desenvolvimento do Ensino Superior Particular (Funadesp). PÁG. 04 Novas tendências para Pet food- Dietas naturais e personalizadas Artigo assinado pela zootecnista DSc., MSc. Aline C. Almeida. Pág.07 Conheça a Diretoria e Conselheiros da gestão do CRMV-RJ Nesta edição do Jornal preparamos um quem é quem dos membros da nova gestão do CRMV-RJ. Confira! Págs. 06 e 07. I M P R E S S O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro Endereço: Rua Torres Homem, 475, Vila Isabel CEP Rio de Janeiro/RJ Tel.: (21) Fax: (21) Impresso Especial DR/RJ CRMV-RJ CORREIOS Jornal CRMV RJ 1

2 Agenda Curso de Ultrassonografia Veterinária Prático-Intensivo Data: Dezembro de 2011 Local: Vila Isabel - RJ Info: (21) Sovet Rio - 1º Simpósio de Oncologia Veterinária Data: 03 e 04 de dezembro de 2011 Local: Centro de Convenções do CBC - Botafogo - RJ Info: (21) Curso Básico de Ultrassonografia Data: 03, 04, 05, 10, 11 e 12 de dezembro de 2011 (Dra. Solange Carné) Local: Vargem grande - Rio de janeiro Info: (21) Cursos de Ultrassonografia Veterinária Teórico / Prático e Prático Intensivo Data: Janeiro de 2012 Local: Vila Isabel - RJ Info: (21) Iii Curso Anual de Aprofundamento em Ultrassonografia de Pequenos Animais Data: Janeiro a Dezembro de 2012 (carga horária 216h) - Dra. Solange Carné Local: Vargem Grande - RJ Info: (21) Curso Avançado de Ultrassonografia Data: 07, 08, 09, 14, 15 e 16 de janeiro de 2012 (Dra. Solange Carné) Local: Vargem grande - Rio de janeiro Info: (21) I Curso de Atualização em Cardio-Pneumologia Veterinária Data: 14 e 15 de janeiro de 2012 Local: IEMEV - Rua 19 de fevereiro, nº 65 - Botafogo - Rio de Janeiro Inscrições: Tópicos Avançados em Cardiologia - Atualização em Valvopatias Data: 22 e 29 de janeiro de 2012 (12h/a - 10 vagas) Local: Vila Isabel - Rio de Janeiro Info: (21) Curso de Homeopatia para Médicos Veterinários Data: Início em 04 de fevereiro de 2012 Local: Instituto Hahnemanniano do Brasil - Rua Frei Caneca, 94 - Centro - Rio de Janeiro Info: (21) Tópicos Avançados em Cardiologia - Atualização em Miocardiopatias Data: 19 e 26 de fevereiro de 2012 (12h/a - 10 vagas) Local: Vila Isabel - Rio de Janeiro Info: (21) Iii Curso Anual de Aprofundamento em Ultrassonografia Data: Início em março de 2012 (2 dias de aula por mês) Local: Vargem grande - Rio de janeiro Info: (21) Ix Curso Teórico - Prático de Ultrassonografia em Pequenos Animais (70 Horas) Data: 03 de março a 06 de maio de 2012 (aulas sábados e domingos) Local: Centro Clínico e apoio ao Diagnóstico Veterinário - LABOVET Info: (21) Tópicos Avançados em Cardiologia - Atualização em Radiologia do Paciente Cardiopata Data: 25 de março de 2012 (06h/a - 10 vagas) Local: Vila Isabel - Rio de Janeiro Info: (21) Curso de Cardiologia & Eletrocardiografia - Teórico/Prático Data: Abril/julho de 2012 (de 09:00 às 17:00, às quartas-feiras) - 5 vagas Local: São Cristóvão - Rio de Janeiro Info: (21) Curso de Pós-Graduação em Anestesiologia Veterinária Data: Início em 12 e 13 de maio de 2012 Local: Hospital Veterinário Octávio Dupont - Jockey Club da Gávea Info: Movimentação de Pesssoas Físicas MÉDICOS VETERINÁRIOS - Inscrição Rodrigo Azevedo Silveira José Claret Campos Carvalho Calili Cardozo dos Santos Paravidini Julia Jordão Tostes Gustavo Dornelles Machado Carinne Rodrigues de Oliveira Pinto Celso Fasura Balthazar Deborah Souza da Silva Thatiana Leite Pinto Max de Moraes Andrade Mayke Vital Daima Juliana Furtado da Silva Antunes Daianne Carneiro de Oliveira Santos Barbara Bianca do Nascimento Pereira Maxminiano José Rodrigues da Silva Tania Cristina Carvalho de O. de Souza Simone Bizerra Calado Letícia de Castro Gonçalves Marta Cristina de Oliveira João Luís Baqui Dias Glacielle Gaspar Lemos Beatriz Helena Bauman Vieira Glauce Vaz Diniz Araújo Luna Ricciardi Nunes Alessandro Silva Lopes Rafael Vianna Barbosa de Almeida Guerra Michelle Bezerra da Silva Kalezia Pessanha Pereira Camila da Silva Terra Flávia Trigo de Moraes Flávia Fontaine Pontvianne Letícia Mesquita de Aguiar Daniel de Carvalho Machado Transferências recebidas de outros CRMVs Transferências concedidas para outros CRMVs Flávio Honório de Oliveira CRMV-TO 8820-Adriana Silva de Paula Oliveira CRMV-SP 9362-Amanda Carvalho Domingos- CRMV-SP 9399-Patrícia Helena Carvalho dos Santos Pereira CRMV-BA 9500-Fabiana Gentile- CRMV-SP Cancelamentos de inscrição ZOOTECNISTAS - Inscrição 796/Z Tatiana Frota de Vasconcellos Dias Transferências recebidas de outros CRMVs Transferências concedidas para outros CRMVs Cancelamentos de inscrição 2 Jornal CRMV RJ

3 Palavra do Presidente Atividades e Notícias O Cícero Pitombo, presidente do CRMV-RJ Ano novo, novos desafios ano de 2011 está chegando ao fim e as expectativas em relação ao novo ano, suscitam algumas discussões que merecem apreciação, principalmente em relação ao nosso futuro profissional. Muito já se discutiu e debateu sobre as ações e funções dos órgãos de classe e sua interação com a classe. O grupo que está a frente da gestão do CRMV-RJ tem plena consciência de que a classe anseia por medidas que a beneficiem e conta com o Conselho como um dos grandes pilares para isso. Fiscalizar o exercício profissional é a atribuição mais clara dos Conselhos de classe. Na nossa visão, a fiscalização pode ser realizada de várias formas, inclusive tratando a prevenção como a ferramenta mais adequada. Uma das melhores formas de prevenção está relacionada com a valorização profissional e neste aspecto processos de educação continuada serão ampliados em consonância com as necessidades da classe e do mercado e em interação com as universidades, entidades e centros de pesquisa. Tais ações são importantes, porém existe a necessidade da sociedade estar realmente a par de todo o potencial de ação de nossas profissões para que a capacitação do profissional converta realmente em benefício para o mesmo. Para tanto, estamos elaborando um projeto de marketing, dividido em fases, na qual inicialmente mostraremos a sociedade todos os campos de atuação do nosso profissional de forma clara e objetiva. A percepção social é, sem dúvida, um dos principais instrumentos de reconhecimento e conseqüente valorização, além de proteção da classe contra maus profissionais e de denúncias muitas das vezes infundadas, principalmente na área da clínica. Em paralelo ao projeto de marketing, outras ações de apoio a classe serão implementadas, principalmente no âmbito político, tanto a nível estadual como nos municípios,com o objetivo de se aumentar a participação em concursos e cargos públicos. Concursos para cargos federais serão defendidos, em consonância com as ações políticas do Conselho Federal de Medicina Veterinária. Ainda em relação a este tema,além do aumento da oferta de vagas,o salário e as questões pertinentes a proteção da classe em relação a ações de outras profissões também serão temas de nossa ação. Aproveito a ocasião para em nome da diretoria, conselheiros e funcionários desejar um feliz natal e um 2012 diferente, forte e de crescimento profissional. 250 anos da Medicina Veterinária no Senado A Organização Mundial de Saúde Animal comemora o ano de 2011 como o Ano da Medicina Veterinária, pelos 250 anos da criação da profissão. No dia 17 de outubro, o Senado Federal promoveu uma sessão especial para celebrar a data, liderada pela senadora Ana Amélia (PP-RS). A solenidade comemorativa contou com cerca de 100 profissionais de todo país. O Estado do RJ foi representado pela Tesoureira da AMVERJ, Maria das Graças Paiva e também pelo Presidente da AMVERJ Aristeu Pessanha Gonçalves que representou o CRMV-RJ no evento. Aristeu Pessanha representou o CRMV-RJ na sessão especial do Senado em comemoração aos 250 anos de Medicina Veterinária Instituto Pasteur de São Paulo não consta mais na lista de laboratórios autorizados pela União Europeia para teste sorológico para raiva O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) informa que o Instituto Pasteur de São Paulo não consta mais da lista de laboratórios autorizados pela União Europeia para a realização de teste sorológico para raiva, visando à exportação de cães, gatos e furões para aquela comunidade. Assim, desde outubro de 2011, apenas o Laboratório de Zoonoses e Doenças Transmitidas por Vetores de São Paulo (CCZ/SP) está autorizado a executar a titulação de anticorpos para raiva pela União Europeia. Jornal CRMV RJ 3

4 CRMV-RJ em parceria com a AMVERJ e Funadesp lança proposta pedagógica de um repensar dos cursos de Medicina Veterinária do Estado do RJ e suas articulações com o mercado de trabalho 4 N o dia 10 de novembro, o CRMV-RJ promoveu o lançamento do projeto intitulado Um repensar sobre as propostas pedagógicas dos cursos de graduação em Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com a Academia de Medicina Veterinária no Estado do Rio de Janeiro (AMVERJ) e Fundação Nacional de Desenvolvimento do Ensino Superior Particular (Funadesp). Segundo o Vice- Presidente do CRMV-RJ e coordenador do projeto, Marcelo Pacheco, o objetivo é proporcionar condições específicas para a reestruturação dos projetos pedagógicos dos Cursos de Graduação em Medicina Veterinária das instituições de Ensino Superior (IES) no Estado do Rio de Janeiro, valorizando o previsto nas diretrizes curriculares. A mesa de abertura foi composta pelo Presidente do CRMV-RJ, Cícero Pitombo, pelo Presidente da AMVERJ, Aristeu Pessanha e pelo Presidente do Conselho Diretor da Rede de Tecnologia do Rio de Janeiro (Redetec) e do Conselho Curador da Funadesp, Paulo Alcântara Gomes. A Redetec tem a missão de promover a articulação de universidades e empresas com oferta e demanda por tecnologia. A parceria com o CRMV-RJ é para contribuir com a qualidade do ensino. A escolha da área da medicina veterinária foi por ser estratégica no Brasil. A veterinária é uma ciência voltada para o coletivo, está inserida na saúde pública, na segurança alimentar, na preservação de espécies, entre outras áreas. O projeto lançado com o CRMV-RJ será projeto-piloto para outras classes. Nossa principal meta é definir diretrizes curriculares para instituições privadas de ensino superior através desse projeto que possa impactar na empregabilidade. Por isso, ressalto que sem o Conselho esse projeto não seria viável, falou Paulo Alcântara Gomes. Segundo Aristeu Pessanha, o momento é oportuno para discutir transformações para que o profissional possa Jornal CRMV RJ Vice-Presidente do CRMV-RJ Marcelo Pacheco apresentou a Proposta Pedagógica para os curso de Medicina Veterinária se adequar as demandas do mercado. As instituições de ensino devem interagir com o perfil de profissional que o mercado precisa, para que absorva esse profissional com uma formação de qualidade. O Diretor Superintendente da Funadesp, Sérgio Missiaggia, explicou que a Funadesp abrange ações na graduação e pós-graduação de instituições privadas. Nosso papel é apoiar pesquisas desenvolvidas nessas instituições através de bolsas. Além da concessão de bolsas, nosso foco é promover discussões para melhoria na qualidade tanto na graduação como na pós-graduação. Esse projeto em parceria com o CRMV-RJ e AMVERJ, será aplicado será aplicado primeiramente no Estado do RJ como projeto-piloto para todo país na área da medicina veterinária e em seguida para outras graduações de diferentes áreas. Nosso questionamento hoje é o currículo das instituições de formação para medicina veterinária atende as demandas do mercado? A reforma curricular é uma realidade levantada através de uma pesquisa desenvolvida pelo CRMV-RJ que está sendo apresentada através dessa proposta de trabalho. Por fim, Marcelo Pacheco coordenador do grupo de trabalho do projeto, enfatiza que após o lançamento dessa proposta de trabalho, o próximo passo é definir a formação de grupo de trabalho que deverá ser composto por profissionais da área, por gestores de curso e diretores, voltado para três dimensões: Perfil profissional, para o mapeamento das diferentes demandas do profissional veterinário e estudo detalhado das Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Medicina Veterinária; Metodologia, discussão de propostas metodológicas voltadas para a aprendizagem e organização de programa de educação continuada que abordem a visão empreendedora do profissional; e Logística, com foco em análise e interpretação de currículos de cursos de Medicina Veterinária de diferentes IES e discussão de modelos que considerem a problemática da evasão, bem como debate sobre a conveniência da existência de ênfases por área e certificações parciais. O cronograma de trabalho é de um ano para que possamos realizar um seminário específico de proposta orientadora que contemple os resultados do estudo e que facilite a implementação de estratégias e currículos inovadores. A programação do evento abrangerá palestras sobre o tema e o trabalho realizado, envolvendo ampla divulgação prévia e transmissão on line aos cursos de Medicina Veterinária do país. Para que em seguida, possa ser contemplada a capacitação de professores e gestores dos Cursos de Medicina Veterinária, detalhou Marcelo Pacheco.

5 A Parceria do CRMV-RJ com Qualicorp garante plano de saúde da UNIMED para profissionais da classe partir de dezembro de 2011, médicos veterinários e zootecnistas inscritos no CRMV-RJ poderão usufruir do benefício de contratar plano de saúde da UNIMED através da parceria com a Qualicorp Administradora de Benefícios S.A., que oferece os produtos da Unimed Rio com até 40% de redução das mensalidades comparadas com os planos individuais. Segundo o Superintendente Geral da Qualicorp, Valdir Câmara Filho, a empresa oferece planos da UNIMED de 1ªlinha com um valor diferenciado por ser uma contratação coletiva por adesão, o que garante a redução dos preços nas mensalidades. Além disso, para incentivar a contratação do plano de saúde através de nossa administração, a Qualicorp reembolsa a anuidade do CRMV-RJ do exercício em que o profissional contratar o plano de saúde da UNIMED Rio, através da Qualicorp, após permanecer 12 meses adimplentes no contrato. É um incentivo que fazemos para o profissional registrado no CRMV-RJ, mas corra, pois a promoção é valida apenas por um tempo determinado, explica. O Presidente do CRMV-RJ, Cícero Pitombo, fala que a parceria com a Qualicorp para a aquisição de plano de saúde com descontos é o primeiro passo de ações em benefício aos profissionais da classe através de intermédio do CRMV-RJ. N Vigilância Sanitária do município do Rio promove painel em educação e pesquisa os dias 23 e 24 de novembro, cerca de 200 profissionais participaram do I Painel Municipal de Educação e Pesquisa em Vigilância Sanitária, evento promovido pela Vigilância Sanitária do Município do Rio de Janeiro que aconteceu no auditório da FIRJAN. O CRMV-RJ esteve presente no evento como instituição de classe convidada desta iniciativa que teve como objetivo abordar a educação e pesquisa em vigilância sanitária como forma de agregar conhecimento e parcerias ao exercício da gestão da Vigilância Sanitária na Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro. A mesa de abertura foi composta pelo Subsecretário de Vigilância Sanitária do Rio de Janeiro, Arnaldo Lassance, pela Coordenadora do Núcleo de Educação, Pesquisa e Conhecimento (Nepec) da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) Daniella Guimarães e pela Superintendente de Vigilância da Secretaria Estadual de Saúde e defesa Civil do Rio de Janeiro (SESDC) Elisa Pires. Para o Subsecretário Arnaldo Lassance, a educação é o caminho certo para a construção e transformação da Vigilância Sanitária, esse evento é o primeiro passo, falou na abertura. O evento foi coordenado pelo Núcleo de Educação Sanitária da Subsecretaria de Vigilância, Fiscalização Sanitária e Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro. A proposta do Painel foi discutir novos formatos de atuação da Vigilância Sanitária no Município do Rio de Janeiro, frente aos inúmeros riscos contemporâneos e a reflexão sobre sua intervenção. Assim busca-se a educação como uma das fontes que reúna, contextualize e globalize os diferentes saberes para contribuir na formação de indivíduos conscientes de seus deveres e direitos. Partindo dos profissionais o próprio processo educativo, e chegando à sociedade. Fomentando assim o exercício da cidadania, a co- responsabilização, as ações integradas de saúde e a participação social, explicou Flávia Mello, coordenadora do Núcleo de Educação Sanitária. A SUBVISA hoje é composta por equipes multidisciplinares contendo 600 funcionários efetivos, dos quais 162 são médicos veterinários, distribuídos nas Superintendências de Vigilância, Fiscalização Sanitária em Alimentos, em Saúde e em Zoonoses. A Medicina Veterinária vem ampliando sua atuação na prevenção de doenças transmitidas por alimento, zoonoses, agravos causados por animais e de riscos sanitários em geral. Além do grande desenvolvimento dos serviços veterinários para animais de companhia como radiodiagnóstico, radioterapia, quimioterapia, cirurgias e tratamentos complexos que tem requerido profissionais qualificados para sua execução e (da esq. para dir) Médico Veterinário da SUBVISA e Conselheiro do CRMV-RJ Ismar A. de Moraes, Subsecretário da SUBVISA Arnaldo Lassance, Coordenadora do Núcleo de Educação da SUBVISA Flávia Mello e Coordenadora do Nepec da ANVISA Daniella Guimarães. capazes de controlar riscos e agravos à saúde humana, animal e ambiental. A participação do CRMV neste contexto é importante como elo de ligação entre os setores envolvidos como: prestadores de serviço ( público e privado), instituições de ensino, demais associações e gestores da Vigilância Sanitária. Esperamos consolidar esta e outras parcerias com a SUBVISA, através do Núcleo de Educação Sanitária, por entendermos que a proteção e promoção da saúde é de interesse de todos e se faz muito mais pela vigilância, educação e democratização das informações do que apenas por atos normativos e fiscalizatórios, finalizou Flávia Mello. Jornal CRMV RJ 5

6 6 Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado Rio de Janeiro Balanço Financeiro Agosto/2011 Receita Receita orçamentária ,86 Receitas correntes ,86 Receita de contribuições ,39 Receitas patrimonial ,36 Receitas de serviços ,52 Outras receitas correntes ,59 Receita extra orçamentária ,12 Diversos responsáveis 790,79 Devedores da entidade 2.794,43 Consignações ,48 Credores da entidade ,34 Entidades publicas credoras ,08 Saldos do exercício anterior ,26 Bancos-c/movimento ,01 Bancos-c/arrecadação 8.793,90 Responsável por suprimento 4.880,00 Bancos-c/vinculada 0,00 Bancos-c/vinculada a aplicações financeiras ,35 Total ,24 Despesa Despesa orçamentária ,54 Despesas correntes ,54 Despesa de custeio ,54 Transferências correntes ,00 Despesas de capital ,00 Investimentos ,00 Despesa extra-orçametária ,77 Diversos responsáveis 1.036,04 Devedores da entidade 5.143,58 Restos a pagar ,20 Consignações ,82 Credores da entidade ,65 Entidades públicas credoras ,48 Saldos para o exercício seguinte ,93 Bancos-c/movimento ,27 Bancos-c/arrecadação ,79 Responsável por suprimento 4.800,00 Bancos-c/Vinculada 0,00 Bancos-c/vinculada a aplicações financeiras ,87 Total ,24 Cicero Araújo Pitombo - Presidente CRMV-RJ Nº CPF: Sergio Henrique Emerick - Tesoureiro CRMV-RJ Nº CPF Anna Maria da Cunha - Contadora CRC-RJ N CPF: Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro Presidente Cícero Araújo Pitombo Vice-Presidente Marcelo Hauaji de Sá Pacheco Secretária Geral Cristina Silva Grootenboer Tesoureiro Sergio Henrique Emerick Conselheiros Efetivos Eulógio Carlos Q. de Carvalho Irineu Machado Benevides Filho Ismar Araujo de Moraes Endereço: Rua da Alfândega, 91 14º andar Centro Rio de Janeiro RJ Tel.: (21) Fax: (21) Web: Siga-nos: Encontre o CRMV-RJ no facebook: Diagramação e arte: I Graficci (21) CTP e Impressão: Unigráficas União de Gráficas & Multimídia Ltda (21) Jornal CRMV RJ Jonimar Pereira Paiva José Luis Peçanha Rosa Paulo Henrique P. de Moraes Conselheiros Suplentes Daniele Medeiros Novellino Gustavo Almeida Gonçalves Jorge A. de Moura Teixeira Marcio Pinto de Castro Regina H. Ruckert Ramadinha Renato Borges Pacheco Jornalista Responsável Isis Breves Reg. Prof. JP RJ Os artigos assinados são de exclusiva responsabilidade dos autores e manifestam a sua opinião e, não necessariamente, o ponto de vista do Jornal do CRMV-RJ. Tiragem: exemplares Periodicidade: Mensal Distribuição Gratuita Conheça a Diretoria e Conselheiros da gestão do CRMV-RJ Diretoria Presidente Cícero Pitombo Médico Veterinário (UFF-1987), Mestre em Clínica e Cirurgia Animal (UFF-1995), Doutor em Sanidade Animal (UFRRJ-2003), Professor Adjunto IV de Clínica Médica de Grandes Animais da Faculdade de Medicina Veterinária da UFF, atuando com ruminantes, especialmente bovinos. Secretária Geral Cristina Grootenboer Médica Veterinária formada pela UFF, especialista em Administração Pública pela CEPERJ, especialista em Processamento e Controle de Qualidade em Carne, Leite, Ovos e Pescado pela UFLA, responsável pela Coordenação da Setorial de Controle e Inspeção da Coordenadoria de Controle de Qualidade de Produtos Agropecuários industrializados SEAPEC-RJ. Conselheiros Eulógio Carlos Queiroz de Carvalho Mestre e Doutor em Anatomia Patológica, Professor Titular aposentado da UFF, Professor Associado I e Responsável pelo Setor de Patologia Veterinária da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). Irineu Machado Benevides Filho Médico Veterinário formado pela UFF, Mestre e Doutor em Genética pela Universidade de São Paulo (USP), Professor Titular da Faculdade de Veterinária da UFF, Consultor do CBRA, FINEP, CNPq e FAPERJ e Diretor Acadêmico da PROMOVE Educacional. Ismar Araujo de Moraes Médico Veterinário formado pela UFF, Mestre e Doutor pela UFF, Professor de Fisiologia Animal, Coordenador de Extensão Universitária e profissional da Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio de Janeiro. Jonimar Pereira Paiva Médico Veterinário formado pela UFF, mestre em Medicina Veterinária e Doutor em Clínica e Reprodução Animal. Coordenador do Curso de Medicina Veterinária da Universidade Castelo Branco e possui experiência em Clínica Medica com ênfase em Cardiologia e Doenças Respiratórias em pequenos animais, Doenças parasitárias e Epidemiologia. Vice-Presidente Marcelo Pacheco Médico Veterinário (UFF-1989), Mestre em Tecnologia e Higiene de POA (UFF-1999), MBA em Gestão de Empresas (FGV-2007), coordenou e dirigiu cursos de Medicina Veteirnária e foi Vice Reitor da Universidade Castelo Branco. Atualmente coordena a Rede de Agronegócios da Rede de Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro. Tesoureiro Sergio Emerick Médico Veterinário formado pela UFF, Fiscal Federal Agropecuário do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA),Chefe do Posto de Sanidade Animal da Região Serrana e Coordenador Estadual de Sanidade Avícola pelo SISA/SFAR/RJ.

7 José Luis Peçanha Rosa Médico Veterinário formado pela UFF, especialista em Segurança Alimentar e profissional da Vigilância Sanitária da Prefeitura do Rio de Janeiro. Paulo Henrique P. de Moraes Zootecnista formado pela UFF, Licenciado em Ciências Biológicas pela UNIVERSO, Técnico em Agropecuária pela UFF, pós-graduado em Gestão Administrativa Pública pela UFF, Professor de Biologia da SEUDUC/RJ e Superintendente da Defesa Agropecuária da SEAPEC/RJ. Daniele Medeiros Novellino Médica Veterinária formada pela UENF, especialista em Saúde Pública pela UFRJ, Profissional da Vigilância Sanitária do Estado do RJ. Atuou na Vigilância Sanitária do Município de Armação de Búzios ( ). Coordenadora da Vigilância em Saúde de Armação de Búzios ( ) Gustavo Almeida Gonçalves Médico Veterinário formado pela UFF, Doutorando pela UFF/UFRJ (2012), gestor da Vet Ypiranga Hospital e Pet Shop. Jorge Antonio de Moura Teixeira Médico Veterinário formado pela UFF, mestre pelo Centro Universitário Plínio Leite, Professor de Nutrição Animal da Faculdade de Medicina Veterinária do UNIPLI-ANHANGUERA, Presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Itaboraí e Representante Comercial da Central Norte-CN Indústria de Alimentos para Animais de Produção e Estimação em Bom Jardim, RJ. Marcio Pinto de Castro Médico veterinário pela Universidade Plínio Leite(UNIPLI) em Mestrado pela Universidade Federal Fluminse (UFF) em fisiopatologia da reprodução de Trabalha em diagnóstico por imagem(ultrassonografia de pequenos animais) desde 1995.Responsável pelo setor de diagnóstico por imagem do Cevet e Cevet Lagos. Regina Helena Ruckert Ramadinha Doutora em Ciências Veterinárias, Professora Titular de Clínica Médica do Departamento de Medicina e Cirurgia Veterinária da UFRRJ e responsável pelos Setores de Dermatologia e Oncologia do Hospital Veterinário da UFRRJ. Renato Borges Pacheco Medico Veterinário formado pela UFF, mestre em Higiene e Tecnologia de Produtos de Origem Animal e Chefe da Vigilância Sanitária do Município de São Gonçalo. Zootecnia Aline Almeida Zootecnista Msc., Dsc.CRMV-RJ 702/Z Novas tendências para Pet food Dietas naturais e personalizadas H á muitas lendas sobre a alimentação de animais, espalhadas pela internet e que são trazidas de informações do tempo da nossa avó. Hoje sabemos que alguns alimentos que antigamente eram conhecidos como vilões, não são tão medonhos assim. É bom esclarecer que tudo tem o seu limite adequado e ultrapassar esses limites levam a aumento do risco, exatamente como fazemos para nós humanos. Animais podem comer comida de gente? Sim, pois a fonte do problema na verdade está no desequilíbrio! Uma dieta desbalanceada é um problema para o organismo de qualquer ser vivo. O maior dos erros nas dietas é o homem confundir os animais com o próprio homem. As dietas caseiras podem ter efeitos excelentes no fortalecimento do organismo. Complementos naturais podem melhorar a saúde das mucosas intestinais, melhorando até o aproveitamento de nutrientes das rações secas. O alimento caseiro também depende de seu correto processamento, favorecimento do sabor e da biodisponibilidade de nutrientes, e principalmente, com a variação de fontes e quantidades de fornecimento adequadas, pois somente dessa forma, os animais poderão usufruir de seus benefícios. Para fazer o preparo em casa é necessária a orientação de profissional habilitado para desenvolver a função de nutricionista para animais, com conhecimento na composição dos alimentos naturais e na sua utilização adequada, para manter um balanceamento adequado de nutrientes. Dessa forma os animais podem usufruir de todas as vantagens que os alimentos que ingerimos podem nos trazer, principalmente durante os tratamentos de saúde. A nutrição clínica personalizada atende às necessidades de animais que passam por tratamento clínico e não se adaptam bem às rações secas disponíveis para esses cães no mercado atual. Essas dietas são uma importante ferramenta para favorecimento do metabolismo durante os tratamentos, que permite fazer modificações proporcionais para cada caso clinico, respeitando limites e proporções de nutrientes mantendo um balanceamento mínimo. As dietas caseiras permitem versatilidade, palatabilidade e digestibilidade na alimentação dos animais. Vários distúrbios podem responder às modificações da dieta clínica, como os cardíacos, renais, do trato urinário inferior (urolitíases), obesidade, distúrbios do trato digestivo, distúrbios de fígado, distúrbios glandulares, com reflexos metabólicos como de tireóide, pâncreas e supra renais, e ainda dermatites e alterações diversas de pele e pêlos. Uma dieta sozinha dificilmente irá curar a doença, dependendo de sua causa, mas esta será uma maneira de se controlar o problema. Providenciando um suporte nutricional, na maioria dos casos, aumentam-se as chances de sobrevivência, porque a dieta vai prevenir a deterioração ou tornar mais lenta a progressão da doença, evitando nutrientes que possam levar ao aparecimento de sintomas e melhorando a qualidade de vida do animal. Essa forma de alimentação também pode favorecer à saúde com a inclusão de alimentos com características nutracêuticas, que além de nutrir gera benefícios extras ao organismo, como o fortalecimento do sistema imune. O mercado de alimentação para Pets já percebeu uma demanda entre os proprietários de animais, e cabe ao médico veterinário se informar sobre essas novas possibilidades. Saiba mais sobre nutrição animal em Jornal CRMV RJ 7

8 8 Jornal CRMV RJ

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR!

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! Eleições 2014 Faculdade de Odontologia UFRJ VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! PLANO DE TRABALHO EQUIPE - CHAPA 1: Diretor - Maria Cynésia Medeiros de Barros Substituto Eventual do Diretor - Ednilson

Leia mais

Bacharelado em Medicina Veterinária

Bacharelado em Medicina Veterinária Bacharelado em Medicina Veterinária INFORMAÇÕES Duração do Curso: 05 anos (10 semestres) Horário: Manhã Número de Vagas: 100 anuais Coordenador: Profº Dr. Carlos Tadeu Bandeira de Lavor O CURSO O Curso

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA PROPOSTA 1 Curso Nome(s) do(s) Curso(s) ZOOTECNIA Código e-mec 56129 Conceito ENADE 4 Coordenador da Proposta (Tutor do Grupo) ANA MARIA BRIDI 2 Caracterização da Proposta 2.1Área de Conhecimento (código

Leia mais

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira

FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO. Profª Omara Machado Araujo de Oliveira FUNDAMENTOS E HISTÓRIA DA NUTRIÇÃO Profª Omara Machado Araujo de Oliveira Nutricionista (UFF) Mestre em Saúde Coletiva (UFF) Pós-Graduada em Nutrição Clínica ( UFF) Surgimento da Nutrição O campo da Nutrição

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES

MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH? ATIVIDADES COMPLEMENTARES MANUAL DE ORIENTAÇÃO DAS LIGAS ACADÊMICAS CURSO DE MEDICINA UNIFENAS BH ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1- O QUE É UMA LIGA ACADÊMICA? As Ligas Acadêmicas são entidades sem fins lucrativos. As Ligas Acadêmicas

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Unidade Acadêmica de Educação Continuada

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS Unidade Acadêmica de Educação Continuada MBA Gestão em Negócios de Saúde Curso disponível em Porto Alegre Coordenação Ana Karina Marimon da Cunha - karina@unisinos.br Marcelo Sonneborn - marcelo.ucmd@maededeus.com.br Apresentação O MBA Gestão

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Número da Ação (Para

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

Lançamento do relatório - Mercados Inclusivos no Brasil: Desafios e Oportunidades do Ecossistema de Negócios

Lançamento do relatório - Mercados Inclusivos no Brasil: Desafios e Oportunidades do Ecossistema de Negócios Lançamento do relatório - Mercados Inclusivos no Brasil: Desafios e Oportunidades do Ecossistema de Negócios Ana Cecília de Almeida e Nathália Pereira A Iniciativa Incluir, promovida pelo PNUD Programa

Leia mais

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes

Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Minuta do Capítulo 8 do PDI: Políticas de Atendimento aos Discentes Elaborada pela Diretoria de Assuntos Estudantis 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão nos dias

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 7 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO NAS DOENÇAS CRÔNICAS

Leia mais

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA

FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA 1 FEFUC - FOLDER EXPLICATIVO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS CURSO DE FARMÁCIA 1ª LINHA CONCEITUAL: CARACTERIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DE FARMÁCIA O PROFISSIONAL FARMACÊUTICO O Farmacêutico é um profissional da

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Programa Municipal de Controle Ético da População Canina e Felina

Mostra de Projetos 2011. Programa Municipal de Controle Ético da População Canina e Felina Mostra de Projetos 2011 Programa Municipal de Controle Ético da População Canina e Felina Mostra Local de: São José dos Pinhais Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais

Leia mais

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos A formação em Farmácia Seminário do BNDES 7 de maio de 2003 Por que RH para Fármacos e Medicamentos? Fármacos e Medicamentos como campo estratégico

Leia mais

CFMV Conselho Federal de Medicina Veterinária

CFMV Conselho Federal de Medicina Veterinária CFMV Conselho Federal de Medicina Veterinária Zoot. Adeilton Ricardo da Silva Conselheiro Efetivo Professor da FIMCA e UNIRON Agência IDARON adeiltonricardo@ibest.com.br Sistema CFMV/CRMV: É uma Autarquia

Leia mais

Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS. Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C.

Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS. Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C. Pós - Graduação Lato Sensu CONTROLADORIA E FINANÇAS Projeto desenvolvido pela Prof.a. Msc. Cristina Santos Titular do Curso de C. Contábei da FAP Piracanjuba-GO 2014 1 1. APRESENTAÇÃO: Formato: presencial

Leia mais

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS

NORMAS REGULADORAS DO PROCESSO SELETIVO Edital Nº 17/2014-SEDIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DE FORTALECIMENTOS DOS CONSELHOS ESCOLARES PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO CENTRO DE EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

PROJETO TUTOR UNIVERSITÁRIO:

PROJETO TUTOR UNIVERSITÁRIO: PROJETO TUTOR UNIVERSITÁRIO: ESTUDO DE CASO DE UMA EXPERIÊNCIA BEM-SUCEDIDA PROJETO IMPLATADO PELA ANHANGUERA EDUCACIONAL Palestrante: Ana Maria Costa de Sousa Debatedor: Gabriel Mário Rodrigues Tutoria

Leia mais

Evidências para a gestão de recursos humanos no sistema de saúde brasileiro

Evidências para a gestão de recursos humanos no sistema de saúde brasileiro Evidências para a gestão de recursos humanos no sistema de saúde brasileiro Coordenação Geral Dra. Celia Regina Pierantoni, MD, DSc Professora Associada do Instituto de Medicina Social UERJ Procientista

Leia mais

Contato: GRACE MONTEIRO Tel.: 3138-1274 Email: grace.monteiro@fecomercio-rj.org.br

Contato: GRACE MONTEIRO Tel.: 3138-1274 Email: grace.monteiro@fecomercio-rj.org.br SEDEIS Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços Membro Titular: DULCE ANGELA PROCÓPIO DE CARVALHO Subsecretária de Comércio e Serviços Tel.: 2332-8346 Fax: 2332-8349

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Contribuição da metodologia de pesquisa na Educação Tutorial: A formação dos petianos do PET Pedagogia da UFOP

Contribuição da metodologia de pesquisa na Educação Tutorial: A formação dos petianos do PET Pedagogia da UFOP Contribuição da metodologia de pesquisa na Educação Tutorial: A formação dos petianos do PET Pedagogia da UFOP ALVES, Crislaine 1; CARVALHO, Daiane 1; CRUZ, Júlia 1, FÉLIX, Michelle 1; FERREIRA, Juliane

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Solenidade de posse da gestão 2014/2017

Solenidade de posse da gestão 2014/2017 I M P R E S S O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro Rua da Alfândega, 91/14º andar, Centro CEP: 20070-003 Rio de Janeiro/RJ Tel.: (21) 2576-7281 Fax: (21) 2576-7844 www.crmvrj.org.br

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O NASF

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O NASF PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O NASF Preocupados com inúmeros questionamentos recebidos pela Comissão Nacional de Saúde Pública Veterinária do Conselho Federal de Medicina Veterinária, a CNSPV/CFMV vem por

Leia mais

Programa Gestão Viva

Programa Gestão Viva Programa Gestão Viva Subprograma: Gestão de Gente Título: Gestão de Pessoas Objetivo: Proporcionar alternativas que levem os profissionais a atingirem o ápice de seu desempenho profissional, visando, que

Leia mais

Planejamento CPA Metropolitana 2013

Planejamento CPA Metropolitana 2013 Planejamento CPA Metropolitana 2013 1 Planejamento CPA Metropolitana Ano 2013 Denominada Comissão Própria de Avaliação, a CPA foi criada pela Legislação de Ensino Superior do MEC pela Lei 10.861 de 10

Leia mais

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas.

O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. O trabalho do CFN amplia o campo de atuação dos nutricionistas. Quando o campo se expande, mais profissionais chegam ao mercado, mais áreas de atuação se formam e a categoria conquista mais visibilidade.

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

Mão de obra especializada: Produtividade Qualidade Conhecimento dos Processos de Soldagem Como solucionar este gargalo?

Mão de obra especializada: Produtividade Qualidade Conhecimento dos Processos de Soldagem Como solucionar este gargalo? Apresentação SOLDA BRASIL 2014 Mão de obra especializada: Produtividade Qualidade Conhecimento dos Processos de Soldagem Como solucionar este gargalo? A escassez de mão de obra qualificada no Brasil, em

Leia mais

Balanço Social UNINORTE 2015

Balanço Social UNINORTE 2015 Balanço Social UNINORTE 2015 Diretora Acadêmica Vanessa Voglio Igami Diretora Administra va Ká a Cris na Do o Gasparini Diretora Comercial Indira Maria Kitamura Diretor Financeiro Fábio Ricardo Leite Secretária

Leia mais

Ensino. Principais realizações

Ensino. Principais realizações Principais realizações Reestruturação dos Programas de ; Início do Projeto de Educação à Distância/EAD do INCA, por meio da parceria com a Escola Nacional de Saúde Pública ENSP/FIOCRUZ; Três novos Programas

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR

PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE O PARFOR 1. Como são os cursos ofertados pela plataforma freire e quais os benefícios para os professores que forem selecionados? O professor sem formação poderá estudar nos

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 Institui diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e de nível médio das redes pública e privada, em âmbito nacional.

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Inscrições até dia 08 de setembro de 2015, na Secretaria do Núcleo de Pesquisa da FDSM.

Inscrições até dia 08 de setembro de 2015, na Secretaria do Núcleo de Pesquisa da FDSM. 23/06/2015 Página 1 de 7 FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS COORDENADORIA CIENTÍFICA E DE PÓS-GRADUAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISA EDITAL DE SELEÇÃO DE BOLSA-ESTÍMULO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FDSM - PIBIC/FDSM

Leia mais

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS"

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - A SANTA MARIA QUE QUEREMOS Elaborar o projeto do Plano Municipal de Projeto do Plano Projeto realizado Cultura com ampla participação dos setores da sociedade Conferência Municipal de Cultura Conferência realizada PLANILHA DE OBJETIVOS

Leia mais

Programa Estadual de Controle e Erradicação da Tuberculose e Brucelose Bovídea - PROCETUBE

Programa Estadual de Controle e Erradicação da Tuberculose e Brucelose Bovídea - PROCETUBE Estado do Rio Grande do Sul Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio Departamento de Defesa Agropecuária Divisão de Defesa Sanitária Animal Programa Estadual de Controle e Erradicação da Tuberculose

Leia mais

Projetos de informatização educacional. Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca

Projetos de informatização educacional. Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca Projetos de informatização educacional Ketiuce Ferreira Silva 3º Período G1 Professora: Gilca O uso do computador como instrumento de educação ainda não é uma realidade para muitos no Brasil, mas aqui

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento.

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas. Coordenação Programa e metodologia; Investimento. SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula Cronograma de Aulas Pág. PÓS-GRADUAÇÃO EM RADIOFARMÁCIA Unidade Dias e Horários

Leia mais

Comunicação Digital Empresarial MANUAL DO CURSO

Comunicação Digital Empresarial MANUAL DO CURSO Comunicação Digital Empresarial MANUAL DO CURSO ESPM Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo - SP Informações Central de Relacionamento: (11) 5081-8200 (opção 1) Segunda a sexta 9h às 20h45 Sábado

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EXTERNA DO PROJETO EDUCANDO COM A HORTA ESCOLAR 1. Breve Histórico do Projeto de Cooperação Técnica

Leia mais

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - SESu COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS EM ENSINO EM MEDICINA VETERINÁRIA VERIFICAÇÃO

Leia mais

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações

Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Nº 08/2012 Av. Teotônio Segurado, Quadra 401 Sul, ACSU-SO 40, conjunto 1, Lote 17, 1º andar (prédio do antigo Sine) Escola de Gestão Pública de Palmas em novas instalações Diante da crescente procura por

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO TECNOLÓGICA INOVATEC/UERGS 2012

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO TECNOLÓGICA INOVATEC/UERGS 2012 PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO TECNOLÓGICA INOVATEC/UERGS 2012 EDITAL PROPPG 011/2011 O Reitor da UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO

Leia mais

Ata da 37ª. Reunião Extraordinária de Congregação das Faculdades Unificadas da Fundação Educacional de Barretos, realizada no dia 10 de outubro de

Ata da 37ª. Reunião Extraordinária de Congregação das Faculdades Unificadas da Fundação Educacional de Barretos, realizada no dia 10 de outubro de Ata da 37ª. Reunião Extraordinária de Congregação das Faculdades Unificadas da Fundação Educacional de Barretos, realizada no dia 10 de outubro de 2007 na sala 22 do com início às 16horas com a presença

Leia mais

Fundamentos da Gestão Sustentável e Socialmente Responsável MANUAL DO CANDIDATO ESPM. Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo/SP

Fundamentos da Gestão Sustentável e Socialmente Responsável MANUAL DO CANDIDATO ESPM. Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo/SP Fundamentos da Gestão Sustentável e Socialmente Responsável MANUAL DO CANDIDATO ESPM Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo/SP Informações Central de Candidatos: (11) 5081-8225 (Opção 1) Segunda

Leia mais

Relatório de Atividades 2014. Comissão de Ética

Relatório de Atividades 2014. Comissão de Ética Comissão de Ética Introdução As ações desenvolvidas pela Comissão de Ética em 2014 foram pautadas nos parâmetros do Questionário de Avaliação da Ética elaborado pela Comissão de Ética Pública (CEP) que

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino

INCA - Relatório Anual 2003 - Ensino 54 55 Ensino Principais realizações Início da primeira etapa do Projeto de Diagnóstico de Recursos Humanos em Oncologia no país. Implementação da inscrição informatizada. Início do Projeto de Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX NÚCLEO DE EDUCAÇÃO E CIDADANIA NUEC

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX NÚCLEO DE EDUCAÇÃO E CIDADANIA NUEC UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO PROEX NÚCLEO DE EDUCAÇÃO E CIDADANIA NUEC Rua Almirante Teffé, 637 2º andar Centro CEP 24.030-085 Telefone: (21) 2629-2478 / 2629-2479 e-mail: nuecproex.uff@gmail.com

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 6. Cronograma de Aulas Pág. 9. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 5 Etapas do Processo Seletivo Pág. 6 Matrícula 8 Cronograma de Aulas Pág. 9 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM ONCOLOGIA - CURITIBA Unidade

Leia mais

Itaguaí realiza Fórum

Itaguaí realiza Fórum Edição Extra nº 426 Ano: 08 Publicado Semanalmente quarta-feira, 12 de agosto de 2015 Distribuição Gratuita Itaguaí realiza Fórum de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva Meta é formular proposta de incentivo

Leia mais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais

no Brasil O mapa da Acreditação A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais O mapa da Acreditação no Brasil A evolução da certificação no país, desafios e diferenças entre as principais metodologias Thaís Martins shutterstock >> Panorama nacional Pesquisas da ONA (Organização

Leia mais

PROJETO DE EXTENSÃO INSTITUCIONAL FTA

PROJETO DE EXTENSÃO INSTITUCIONAL FTA PROJETO DE EXTENSÃO INSTITUCIONAL FTA Faculdade de Tecnologia de Macapá - FTA ALESSANDRO SOUZA DE OLIVEIRA Diretor Geral FRANQUILÉIA L. BEZERRA Diretora Acadêmica Coordenadora de Curso (Gestão RH/Comercial/Hospitalar)

Leia mais

CRA/RN realiza primeira Reunião Plenária de 2014

CRA/RN realiza primeira Reunião Plenária de 2014 Nº 1, Ano II, 24/01/2014 CRA/RN realiza primeira Reunião Plenária de 2014 Realizou-se no último dia 29 de janeiro a primeira Reunião Plenária do CRA/RN em 2014. As reuniões possuem periodicidade mensal

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - MEDICINA VETERINÁRIA

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - MEDICINA VETERINÁRIA 1. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO - MEDICINA Estágio Supervisionado Obrigatório (ESO) é uma disciplina curricular da Faculdade de Medicina Veterinária da Faculdade

Leia mais

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança PLANO SETORIAL DE DANÇA DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança MARÇO DE 2009 CAPÍTULO I DO ESTADO FORTALECER A FUNÇÃO DO ESTADO

Leia mais

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição.

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. TURMA 3 Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu GESTÃO ESTRATÉGICA DA PRODUÇÃO E QUALIDADE GESTÃO FARMACEUTICA EMPRESARIAL

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural No período compreendido entre os dias 16 e 19 do mês de setembro de 2004, realizou-se a Primeira Feira Nacional do Turismo Rural - 1º FEIRATUR,

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2013 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE PADI DA FACULDADE DE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃDO

Leia mais

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global

data PROJETO DE LEI N 8035/2010. 1 Supressiva 2. Substitutiva 3. Modificativa 4. Aditiva 5. Substitutivo global Página Artigo: 6º Parágrafo: Único Inciso Alínea EMENDA MODIFICATIVA O parágrafo único do Artigo 6º do PL n 8035 de 2010, passa a ter a seguinte redação: Art. 6º... Parágrafo único. O Fórum Nacional de

Leia mais

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição.

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. TURMA 3 Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu GESTÃO ESTRATÉGICA DA PRODUÇÃO E QUALIDADE GESTÃO FARMACEUTICA EMPRESARIAL

Leia mais

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS FACULDADE DE ARACRUZ FAACZ CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURRICULAR DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ARACRUZ 201 1. APRESENTAÇÃO A coordenação do Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

O Dirigente Municipal de Educação e a articulação com o terceiro setor

O Dirigente Municipal de Educação e a articulação com o terceiro setor Missão Promover e realizar ações que contribuam para a melhoria da qualidade da educação pública e que fomentem o desenvolvimento social de comunidades de baixa renda. Visão Ser referência como fundação

Leia mais

Gestão da Sustentabilidade e Responsabilidade Social Empresarial MANUAL DO CANDIDATO. ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen

Gestão da Sustentabilidade e Responsabilidade Social Empresarial MANUAL DO CANDIDATO. ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen Gestão da Sustentabilidade e Responsabilidade Social Empresarial MANUAL DO CANDIDATO ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo/SP Informações Central de Candidatos:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

Características. Carga horária 24 horas presenciais.

Características. Carga horária 24 horas presenciais. 1 Características Sobre o curso As organizações que apresentam melhores resultados financeiros, são nitidamente as que aprendem a lidar com as incertezas de forma proativa. Em mercados em constante mudança

Leia mais

UGE UNIDADE DE GESTÃO ESTRATÉGICA

UGE UNIDADE DE GESTÃO ESTRATÉGICA PLANO PLURIANUAL 2010 2012 Brasília, outubro de 2009. ESTRATÉGIA DE ATUAÇÃO DO SEBRAE/DF CENÁRIO DE RECURSOS DO SEBRAE/DF RESUMO DE RECEITA LIMITES ORÇAMENTÁRIOS RESUMO POR TIPOLOGIA CARTEIRA DE PROJETO

Leia mais

LEGISLAÇÃO EM SANIDADE

LEGISLAÇÃO EM SANIDADE Claudio Regis Depes 1983 Médico Veterinário Unesp (Jaboticabal) 2003 Especialização em Saúde Pública Veterinária Unesp (Botucatu) Trabalha na Coordenadoria de Defesa Agropecuária em Assis Gerente do Programa

Leia mais

Curso de Medicina no GHC: A base para nossos desafios

Curso de Medicina no GHC: A base para nossos desafios Curso de Medicina no GHC: A base para nossos desafios Objetivos do Programa a) Diminuir a carência de médicos em regiões prioritárias; b) Reduzir as desigualdades regionais na área da saúde;

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NITERÓI (COMCITEC)

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NITERÓI (COMCITEC) CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NITERÓI (COMCITEC) COMCITEC Gestão Plenárias Conferência Eventos Legislação QUEM SOMOS? O COMCITEC é um órgão autônomo que atua em estreita articulação com

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto

Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI. Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Coordenação Prof. Dr. Marcos T. Masetto 1 Curso de Formação Pedagógica para Docentes da FEI Professor Doutor Marcos T. Masetto Objetivos Desenvolver competências

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MUSICAL - ABEM Informativo Eletrônico n. 63

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MUSICAL - ABEM Informativo Eletrônico n. 63 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO MUSICAL - ABEM Informativo Eletrônico n. 63 Fevereiro de 2011 Caros(as) Sócios(as) Neste primeiro informativo de 2011, saudamos a todos(as), com o sincero desejo que tenham

Leia mais

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE IV. CÂMARA TEMÁTICA DA EDUCACÃO, CULTURA E DESPORTOS Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE Meta 1 Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola; Meta 2 Até 2010, 80% e,

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Construindo a Sociedade que Queremos

Mostra de Projetos 2011. Construindo a Sociedade que Queremos Mostra de Projetos 2011 Construindo a Sociedade que Queremos Mostra Local de: Piraquara Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Associação

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento

SUMÁRIO. Sobre o curso Pág. 3. Etapas do Processo Seletivo Pág. 5. Cronograma de Aulas Pág. 10. Coordenação Programa e metodologia; Investimento 1 SUMÁRIO Sobre o curso Pág. 3 Coordenação Programa e metodologia; Investimento 3 4 6 Etapas do Processo Seletivo Pág. 5 Matrícula 9 Cronograma de Aulas Pág. 10 2 PÓS-GRADUAÇÃO EM BASES DA MEDICINA INTEGRATIVA

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT Quadro de Servidores SITUAÇÃO 2008 2009 Abril 2010 CARGOS EFETIVOS (*) 429 752 860 Analista Administrativo 16 40 41 Especialista em Regulação 98 156 169

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

Audiência Pública no Senado Federal

Audiência Pública no Senado Federal Audiência Pública no Senado Federal Comissão de Educação, Cultura e Esporte Brasília DF, 7 de maio de 2008 1 Audiência Pública Instruir o PLS n o 026 de 2007, que Altera a Lei n o 7.498, de 25 de junho

Leia mais

Curso de Especialização em Nutrição Clínica em Pediatria

Curso de Especialização em Nutrição Clínica em Pediatria Curso de Especialização em Nutrição Clínica em Pediatria Descrição do curso Período do curso De 18/02/2013 a 29/01/2014 Carga horária Total de horas = 476 horas 292 h de aulas teóricas, 120 h de prática

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO NUFAC SÃO PAULO/SP 2014

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO NUFAC SÃO PAULO/SP 2014 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO NUFAC SÃO PAULO/SP 2014 1) SOBRE O NUFAC O Núcleo de Formação de Agentes de Cultura da Juventude Negra resulta da parceria entre Fundação Cultural Palmares, órgão vinculado

Leia mais

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS

ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ÁREAS DE ATUAÇÃO, PERFIL E COMPETÊNCIAS DOS EGRESSOS DOS NOVOS CURSOS 3. CURSO DE NUTRIÇÃO Área de atuação De acordo com a RESOLUÇÃO

Leia mais

GESTÃO E MARKETING DE CONSULTÓRIOS PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE

GESTÃO E MARKETING DE CONSULTÓRIOS PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE GESTÃO E MARKETING DE CONSULTÓRIOS PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo/SP Informações Central de Candidatos: (11) 5081-8225

Leia mais

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro MBA Controller Ao cursar o MBA CONTROLLER FIPECAFI/ANEFAC, o aluno convive com pessoas de diferentes perfis entre os mais diversos segmentos de mercado e com a experiência profissional exigida para que

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE PROGRAMA GERAL. Módulo I Sociologia da saúde 30 h. Módulo IV Epidemiologia e Estatística vital 30 h

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE PROGRAMA GERAL. Módulo I Sociologia da saúde 30 h. Módulo IV Epidemiologia e Estatística vital 30 h CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA ADMINISTRAÇÃO EM SAÚDE PROGRAMA GERAL Módulos Disciplinas Carga Horária Módulo I Sociologia da saúde 30 h Módulo II Economia da saúde 30 h Módulo III Legislação em saúde 30 h

Leia mais

Federação Nacional dos Nutricionistas. Federação Nacional dos Nutricionistas firma convênio com o Instituto Racine

Federação Nacional dos Nutricionistas. Federação Nacional dos Nutricionistas firma convênio com o Instituto Racine firma convênio com o Instituto Racine A FNN inicia o mês de março trazendo mais um benefício aos profissionais de nutrição de todo o Brasil. O convênio firmado com o Instituto Racine trará a todos os nutricionistas

Leia mais

REGULAMENTO SEMANA UEMG

REGULAMENTO SEMANA UEMG REGULAMENTO SEMANA UEMG Belo Horizonte, abril de 2015 0 SUMÁRIO CAPÍTULO I DA SEDE, DATA E DA INSTITUIÇÃO PROMOTORA... 2 CAPÍTULO II DA ABRANGÊNCIA DA SEMANA UEMG... 2 CAPÍTULO III DOS OBJETIVOS... 2 CAPÍTULO

Leia mais

Plano Plurianual 2012-2015

Plano Plurianual 2012-2015 12. Paraná Inovador PROGRAMA: 12 Órgão Responsável: Contextualização: Paraná Inovador Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior - SETI As ações em Ciência, Tecnologia e Inovação visam

Leia mais