Federação em Notícias

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Federação em Notícias"

Transcrição

1 Federação em Notícias Mato Grosso do Sul /2010 FED. UNIMEDS MS Informativo da Federação das Unimeds de MS- ano I nº2 Dezembro/2010 Dourados sedia Reunião Itinerante Corumbá também sediou um edição da Reunião Itinerante Ramo saúde participa de eventos nacionais. Federação realiza primeira videoconferência. Leia!...Pág 5 Confira!...Pág 8 Veja!...Pág 4

2 Federação em Notícias é uma publicação da Federação das Unimeds de MS Expediente Diretoria Executiva Editorial Reformulação no sistema e intercooperação entre as singulares 2 Dr. Jamal Nasser Haddad Diretor Presidente Dr. Edson Batista de Lima Diretor Administrativo Dr. Francisco Alberto Dopp Diretor Financeiro Diretores Vogais Dr. José Arruda Fialho Presidente da Unimed Aquidauana Dr. Paulo de Tarso Crozara Alves Presidente da Unimed Campo Grande Dr. Luis Mário Urt Delvizio Vice presidente da Unimed Corumbá Dr. Jocely Matheus de Moraes Junior Vice presidente da Unimed Dourados Dr. Marco Lúcio Trajano dos Santos Presidente da Unimed Três Lagoas Conselho Fiscal Efetivos Dr. Essi Manoel Leal Unimed Aquidauana Dr. Ernani José Vilela dos Reis Unimed Três Lagoas Dr. José Ivan Albuquerque Aguiar Unimed Campo Grande Suplentes Dr. Leidniz Guimarães da Silva Unimed Dourados Dr. Alberto Cubel Brull Junior Unimed Campo Grande Dr. Sílvio Rebelo de Freitas Unimed Cormbá Jornalista Responsável Gabriela Borsari DRT 510/MS Rua José Domingues, Santa Fé Campo Grande- MS (67) O sistema Unimed está no mercado há mais de 40 anos. Já venceu diversas mudanças econômicas no País e obstáculos mercadológicos, por isso é importante sempre rever nossos conceitos e bases estruturais para manter nosso negócio próspero. Para isso, a Federação das Unimeds de Mato Grosso do Sul propicia encontros e eventos para reunir dirigentes e colaboradores em momentos de reflexão e discussão sobre o sistema Unimed. O mercado de saúde suplementar no Brasil está cada vez mais competitivo e por isso precisamos reformular nosso sistema, mas para isso é necessário estudar todas as possibilidades, conhecer bem nosso cenário e as tendências de mercado. Só assim teremos condições de tomarmos decisões maduras e seguras para contemplar o sistema. A intercooperação entre as singu- lares também é uma alternativa para ampliar a competitividade, reduzir custos e criar estratégias para enfrentar a concentração de mercado atual. Trabalhando em conjunto, enaltecemos o cooperativismo, fortalecendo as grandes singulares e protege as menores. Estamos buscando essa intercooperação, estreitando o relacionamento entre as singulares através da capacitação dos cooperados e colaboradores. Algumas delas estão nesta edição do nosso informativo, que ainda traz duas reuniões itinerantes, novidades do Conenfa e Auditoria Médica, além de outros eventos do ramo saúde e do sistema Unimed. O ano de 2010 foi muito positivo para os trabalhos da Federação que pretende dar continuidade em 2011 e conquistar novas metas. Desejamos um Natal abençoado e um Ano Novo cheio de prosperidade a todos! Mensagem de Natal Que neste Natal Aquela magia toda guardada durante todo o ano Venha presente nos corações daqueles que festejam o amor. Que não apenas seja uma comemoração, Mas um início para uma nova geração. O Natal simboliza nova vida, Pois nele comemoramos o nascimento do Homem Que modificou a nossa maneira de ver o mundo. Trazendo-nos amor e esperança. Que neste natal sejam confraternizados todos os desejos De um mundo melhor. Que todos estabeleçam um novo vigor de humanidade. E que nada seja mais forte do que a união Daqueles que brindam o afeto entre eles. Feliz Natal e Próspero Ano Novo!!! São os votos da Federação das Unimeds de MS

3 CONENFA Federação das Unimeds de MS presente na reunião do Conenfa 3 Em agosto, aconteceu a 45ª Reunião do Colégio Nacional de Auditores Médicos Unimed, em conjunto com a reunião do Comitê Nacional de Enfermeiros Auditores (CONENFA), na sede da Confederação, em São Paulo. O sistema Unimed de MS tinha dois representantes nos eventos, o dr. Luis Carlos Asato e a enfermeira Andréia Barboza. No primeiro dia, foi feita a deliberação da revisão do anexo IV do Manual de Consultas das Normas de Auditoria Médica e Enfermagem, e a inserção de novos capítulos, entre eles "Fundamentos e Conceitos de Auditoria de Enfermagem". Os membros do Colégio leram e analisaram previamente as propostas votadas e aprovadas pelo CONENFA, juntamente com o enfermeiro membro deste comitê. Depois, houve um momento para tirar dúvidas e, para finalizar, o item ficou validado pelo Colégio. O CONENFA atingiu o objetivo e conseguiu estabelecer uma parceria entre os auditores médicos e enfermeiros. No segundo dia, o grupo discutiu uma série de questões, entre elas a normatização do pagamento de diária para acompanhante de criança, idosos e gestantes, o pagamento da taxa de sala para múltiplos procedimentos realizados pela mesma equipe, esclarecimentos sobre os novos procedimentos contemplados na RN nº 211, sem valoração no Rol de Procedimentos Médicos Unimed, apresentação dos resultados do 5º Congresso Nacional Unimed de Auditoria em Saúde, entre outros. 5ª Reunião do Conenfa via videoconferência No mês de outubro, nas dependências da Federação ocorreu a 5ª Reunião do Conenfa via videoconferência. O encontro abordou temas de grande relevância como segurança do paciente, mudanças nas práticas e assistências e seus impactos nos custos da Saúde. O objetivo central do fórum foi discutir e esclarecer conceitos sobre os novos produtos: conhecimento técnico, RCD 45, enquadramento ou não no conceito de EPI, apresentação das principais empresas que comercializam estes novos produtos e impacto de custos nas contas hospitalares. Após a abordagem dos assuntos, o CONENFA normatizou para o intercâmbio Nacional quais serão as diretrizes para o Sistema Unimed. Segundo Andreia Barbosa, representante do CONENFA pela Federação das Unimeds do Mato Grosso do Sul, a 5ª reunião do CONENFA foi extremamente produtiva no sentido de que todas as singulares do Estado enviaram seus representantes enfermeiros auditores, onde puderam participar do Evento promovido pela Unimed do Brasil a t r a v é s d e v i d e o - conferência, discutindo assuntos relevantes como a NR 32 e a Portaria 939/08. Foram apresentados os materiais disponíveis no mercado para atender as normas que entrarão em vigor a partir de 19 de novembro, bem como, questões técnicas, custo X efetividade, entre outros. "No encontro tivemos a oportunidade de ampliarmos nossos conhecimentos e nos integrarmos. Acreditamos que outros eventos desta magnitude serão realizados com intuito de agregar e Todas as singulares mandaram representante esclarecer sobre os principais eventos novos que surgem durante o trabalho da auditoria. Acreditamos que a auditoria de enfermagem tem papel fundamental dentro das Unimeds,propondo mudanças e buscando as melhorias necessárias para o crescimento da Unimed." Núcleo de auditoria médica da Federação das Unimeds de MS se reúne A reunião ocorreu em Campo Grande Também em agosto, o núcleo de auditoria médica da Federação das Unimeds de MS se reuniu para apresentar os relatórios da reunião do CONENFA e Colégio Nacional de Auditores Médicos Unimed e da 44ª Reunião do Colégio Nacional de Auditores Médicos Unimed e discutir questões administrativas e técnicas entre as singulares. A apresentação dos relatórios foi feita pela enfermeira Andréia Barboza, que disse que o objetivo da reunião do CONENFA foi a revisão sistemática do manual de consulta das normas de auditoria médica e de enfermagem, na qual as propostas foram enviadas previamente, discutidas e aprovadas na reunião. Mato Grosso do Sul ficou responsável pelo item de materiais e medicamentos. O núcleo discutiu as principais alterações do manual e formas de implementá-las. E por fim, deram continuidade na pauta.

4 4 Primeira reunião via viodeoconferência Federação participa do programa SINAL A Federação das Unimeds de MS realizou a primeira reunião via videoconferência no dia 19 de agosto, das 9 às 16h nas dependências da Casa. A reunião foi da Câmara de Fornecedores e ocorrereu direto da Unimed do Brasil em São Paulo. Foi a primeira reunião via videoconferência que a Federação das Unimeds de MS participa através do programa SINAL- Sistema de Integração Nacional. A Federação aderiu ao programa para oportunizar que mais colaboradores das singulares de MS possam participar de reuniões e capacitações do Sistema Unimed. Colaboradores dos departamentos de Tecnologia da Informações e de Contas Médicas de quatro singulares do Estado participaram da reunião, que permitiu conhecer as adequações necessárias para trabalhar com o AJIUS- Software de Contestação Nacional, ferramenta obrigatória em "Esse novo software vai facilitar o nosso Curso sobre Normas Contábeis Internacionais 2010 trabalho, além de proporcionar mais controle da contabilidade de cada singular", afirmou Philippe Mello Pippus, coordenador de Contas Médicas da Unimed Dourados. Ivânia Valdes, analista de Contas Médicas da Unimed Campo Grande, concorda com Pippus e acrescenta que a AJIUS vai reduzir o vai e vem de contas entre as singulares e vai até estreitar o relacionamento entre elas. "As pequenas singulares sofrem para se adaptar com essas mudanças, mas é preciso e não podemos ficar de fora", disse Simone Góes Rodrigues de Souza, do departamento de Contas Médicas da Unimed Corumbá. Já em relação a grande inovação de reuniões via videoconferência, há grandes entusiasmos. "Este novo sistema por videoconferência propicia que mais pessoas participem, se fosse presencial, menos colaboradores teriam a oportunidade de participar devido aos custos e a distância", afirmou Márcio César Pereira, administrador de TI, da U n i m e d D o u r a d o s. R e n a t a d e Albuquerque Moreira, operadora de Entrada de Dados, da Unimed Três Lagoas acredita que talvez ela não poderia participar da reunião se fosse presencial em São Paulo, que esta ferramenta possibilitou maior participação das singulares. O sistema Unimed preocupado com a atualização dos profissionais das singulares e com as mudanças que estão ocorrendo devido a convergência às normas contábeis brasileiras ao padrão internacional, organizou o curso sobre normas contábeis internacionais. Este curso será ministrado em todo o Brasil, por docentes altamente qualificados, todos ligados a FIPECAFI/USP, sendo a maioria mestres em contabilidade. Em Mato Grosso do Sul, o curso ocorreu na Federação das Unimeds, nos dias 18 e 19 de novembro. Este evento foi patrocinado pelo SESCOOP Nacional, Federação das Unimeds de Mato Grosso do Sul, Unimed do Brasil e apoio da Fundação Unimed. Segundo o professor do curso, Marcus Vinícius Biazzin Beszile, é uma tendência mundial a padrozinação das normas contábeis, por isso que há essas mudanças. "Em 2007 foi alterada a legislação contábil e a partir de 2010 é obrigatório seguir as normas interncionais para a produção de todas as peças contábeis, por isso é importante este curso", afirmou A padronização mundial das normas contábeis é uma tendência Odácio Pereira Moreira, auditor contábil da Unimed Dourados. A contadora do sistema OCB/ SESCCOP/MS, Zenilda Martins, que também estava presente, afirmou que o curso foi importante para entender melhor o CPC- Comitê de Pronunciamentos Contábeis, que influencia na forma de elaborar e interpretar as peças contábeis.

5 5 Reunião Itinerante chega à cidade branca Integração entre os cooperados a marca reunião A reunião itinerante em Corumbá foi bastante prestigiada pelos cooperados Corumbá sediou mais edição da Reunião Itinerante promovida pela Federação das Unimeds de MS, nos dias 27 e 28 de agosto. A reunião tem o objetivo de discutir assuntos pertinentes do Sistema Unimed e reuniu dirigentes, cooperados e técnicos da Unimed Corumbá e do Sistema Unimed de MS. Na abertura do evento, o diretor financeiro da Federação das Unimeds de MS, Dr. Francisco Alberto Dopp deu as boas vindas a todos os participantes da reunião. O presidente da Federação, Dr. Jamal Nasser Haddad disse que a reunião é uma oportunidade de trazer as novidades para as singulares. "Estamos discutindo assuntos pertinentes para um dia estarmos prontos para uma tomada de decisão. As cinco singulares estão alinhadas com o mesmo pensamento e a Federação é um reflexo de suas singulares", afirmou Dr. Haddad. Palestra A grande atração da noite de sexta-feira foi a palestra "Operadora Única de Plano de Saúde", proferida pelo Dr. José Abel Alcanfor Ximenes, presidente da Federação Unimed Cerrado. Dr. Ximenes iniciou sua palestra promovendo algumas reflexões. "Construímos as cooperativas, agora precisamos construir o cooperativismo. Nós médicos estamos construindo o nosso futuro e construindo bem". Ele também falou sobre as cinco dimensões do cooperativismo: política, social, educativa, associativa e empresarial. Em todas elas, o sistema Unimed já deu os primeiros passos e caminha para um desenvolvimento pleno. Logo após, Dr. Ximenes apresentou o projeto "Unimed Prestadora", desenvolvido em Goiás. Esse projeto foi baseado na experiência do sistema Unimed de Santa Catarina. Em Goiás o projeto começou em 2001 e implantado em Esse projeto visa fortalecer o sistema para o enfrentamento dos desafios colocados pela nova realidade no mercado de Saúde Suplementar. "Nós somos competentes e podemos enfrentar as adversidades", afirmou o Dr. Ximenes. Primeiramente, em 2001, foi criado uma Diretoria Regional com a atribuição de estabelecer a integração entre a Federação e as singulares de Goiás, para depois ocorrer a implantação em Todo esse processo tinha a premissa de promover a responsabilidade compartilhada na gestão dos resultados com a adoção do Sistema Pro-rata. Hoje já é possível ver os resultados desse projeto. O número de usuários cresceu 108% de 2004 para 2010 e o faturamento do hospital cresceu 5085%.Para fechar a noite, ocorreu um jantar de confraternização. Na manhã de sábado, ocorreu a Reunião do Conselho de Administração, a qual fechou a programação da Reunião Itinerante em Corumbá. Operadora Única de Plano de Saúde foi a palestra da noite

6 6 A Unimed Dourados sediou mais uma edição da tradicional Reunião Itinerante nos dias 03 e 04 de dezembro. A programação começou às 14 horas com o 2º Fórum Unimed MS de Intercâmbio e Auditoria Médica, que foi mediado por Maria do Carmo Hernandez Massarelli, da Unimed do Brasil. O fórum reuniu colaboradores da área técnica e auditores médicos e enfermeiros auditores de todas as singulares que puderam discutir questões sobre intercâmbio e auditoria médica. Um dos objetivos da Federação das Unimeds de MS é promover momentos de reflexão e discussão para traçarmos pelos rumos para o nosso sistema, afirmou o dr. Jamal Nasser Haddad, presidente da Federação. Maria do Carmo trouxe os principais pontos que serão alterados no novo manual de intercâmbio que será aprovado em reunião no Fórum Nacional, que ocorrerá em fevereiro. Este manual está previsto entrar em vigor em maio de De acordo com a apresentação de Maria do Carmo o manual terá alterações nas regras de comercialização, nos repasses em pré- pagamento, eventual e habitual, como também no guia médico, nas regras de liberação de atendimento, cobrança e etc. Ela também destacou a importância do relacionamento entre as Programação diversificada na Reunião Itinerante de Dourados Colaboradores e cooperados compareceram Os participantes puderam discutir questões relevantes singulares. Os colaboradores das singulares precisam se conhecer. Eventos como este proporcionam estreitamento do relacionamento que facilita na hora de resolver problemas com o intercâmbio, afirmou Maria do Carmo. Logo após, no período da noite, houve a palestra Cenários, perspectivas e tendências das operadoras de planos de saúde com o diretor de Integração Cooperativista da Unimed do Brasil, dr. Valdmário Rodrigues Júnior. A palestra foi prestigiada por muitos cooperados do Estado e da singular de Dourados e destacou o cenário da saúde suplementar no País. Ao abrir o evento, o dr. Jamal Nasser Haddad falou da necessidade de reformular o sistema Unimed que existe há mais de 40 anos, mas que para isso é preciso saber as tendências de mercado e o cenário da saúde suplementar. O sistema precisa se reunir e discutir as questões de reformulação para podermos tomar uma decisão madura e segura, afirmou dr. Haddad. Dr. Valdmário abriu sua palestra fazendo um panorama da nossa economia, demonstrando que a expectativa de melhorias econômicas no Brasil, expressa o desejo de redução de iniqüidades sociais e construção de uma efetiva cidadania, na qual a saúde se constitui um componente decisivo. A saúde suplementar atinge 23% da população brasileira, ainda há um nicho de mercado a ser atingido. O grande número da saúde suplementar, o grau de Dr. Valdmário palestrou sobre as perspectivas da saúde suplementar

7 7 importância das Unimeds neste cenário, e a necessidade de sustentabilidade das cooperativas, acentuam a necessidade repensarmos de forma abrangente e com elevada integração sobre os problemas e desafios que precisamos enfrentas, afirmou dr. Valdmario. Outra preocupação abordada pelo palestrante foi o aumento expressivo da sinistralidade, que chegou a 83% e o envelhecimento da população. O aumento dos custos e sinistralidade em um mercado de baixo crescimento, alinhados ao aumento das exigências do órgão regulador sobre as garantias financeiras e rol de procedimentos vêm impactando a já apertada margem de contribuição das operadoras. Uma das estratégias seria evoluir o modelo assistencial atual, para um modelo de cuidado integrado através da medicina preventiva e promoção da saúde, no qual se crie uma estreita parceria entre médico, paciente e operadora. Repensar a forma de remuneração atual aos prestadores, sejam eles hospitais, clínicas ou médicos, para um modelo baseado em eficácia/efetividade, afirmou o palestrante. Para concluir, dr. Valdmário completou dizendo que a viabilidade econômicofinanceira de uma Operadora de Planos de Saúde deve considerar a diluição do risco, assim quanto menor for a carteira A palestra foi prestigiada por cooperados do Estado de clientes maior será a concentração do risco, e portanto, menores as possibilidades e vialibilizar economicamente seu negócio. Devemos refletir sobre asvantagens do aumento do número de prestadoras no Sistema Unimed, a fim de garantir a solidez e imagem da marcar. No final da noite ocorreu um jantar de confraternização e no sábado de manhã a reunião do conselho administrativo para encerrar a programação. Sistema Unimed em MS As Unimeds são prioritariamente de pequeno porte, na média o índice de usuários é de 77, com exceção da Unimed Dourados que passa de 100 usuários por cooperado. Entre a população do Estado, a cobertura de plano está em torno de 15%, mas entre os possuidores de planos de saúde, as Unimeds atingem 45,5% de participação. Sistema Unimed 374 Cooperativas 3 Confederações 1 Central Nacional 34 Federações 335 Singulares 16,5 milhões de clientes 109 mil médicos cooperados 73 mil empresas contratantes 50 mil empregos diretos Para encerrar, houve a reunião do Conselho de Administração 46% Unimeds de pequeno porte (até 20 mil usuários) 31% Unimeds de médio porte (de 20 mil a 100 mil) 10% Unimeds de grande porte (acima de 100 mil) 8% Unimeds Prestadoras 5% Federações Unimed

8 Ramo saúde de MS no XIII Congresso Brasileiro do Cooperativismo 8 Cooperados do Estado estavam presentes Com a presença de 800 delegados de todos os Estados, o XIII Congresso Brasileiro do Cooperativismo foi aberto no dia 9 de setembro, no auditório da C o n f e d e r a ç ã o N a c i o n a l d o s Trabalhadores no Comércio, em Brasília. O homenageado da noite, Roberto Rodrigues, em um discurso emocionado, fez um retrospecto da história do cooperativismo no Brasil. Quem não sabe de onde vem, não sabe para onde vai, lembrou Rodrigues, exortando os participantes à reflexão sobre o tema central do XIII CBC, Cooperativismo é sustentabilidade: o desafio da inovação. O mote havia sido dado pelo presidente da OCB, Márcio de Freitas, quando disse que o objetivo do evento seria pensar o passado, enxergar o presente e lançar nossos olhares para o futuro. Foi isso que imaginamos para este congresso. Não era hora de fazer mais uma convenção, onde discutiríamos mais um tema e as decisões ficaria apenas nos anais do encontro. É um momento de maturidade, de trabalhar nossos anseios, convidou Márcio. Quarenta anos atrás, em Belo Horizonte, um congresso tomou a decisão de formar um organismo como a OCB. Agora vamos decidir como iniciar a caminhada dos próximos 40. Roberto Rodrigues rememorou a iniciativa do ministro da Agricultura Cirne Lima de unificar o cooperativismo brasileiro. Em 1970, a Organização das Cooperativas Brasileiras foi reconhecida como órgão consultivo do governo brasileiro e em 1971, com a lei do cooperativismo, o Sistema ganhou consistência. Em 1985, Rodrigues assumiu a presidência da OCB às vésperas da Assembléia Nacional constituinte e 47 deputados federais criaram a Frente Parlamentar do Cooperativismo. Tenho andado muito pelo mundo, como conselheiro de empresas internacionais ligadas à sustentabilidade. As grandes organizações vêm perdendo protagonismo no planeta. A sociedade precisa se organizar e tomar rumo. É a hora das organizações sociais tomarem esse lugar. Sob a ótica da sustentabilidade, isto está no DNA do cooperativismo, previu. Roberto Rodrigues recebeu das mãos do presidente da OCB Márcio de Freitas a medalha que tem o seu nome e simboliza a participação dos cooperados na construção da entidade. O ramo saúde de MS foi representado pelo Dr. Francisco Alberto Dopp, diretor da Federação das Unimeds de MS e presidente da Uniemd Corumbá e pelo Dr. Paulo de Tarso, presidente da Unimed Campo Grande. MS marca presença na 40ª Convenção Nacional Unimed Goiânia sediou a convenção Quatro dias de evento, mais de 1,2 mil inscritos, cerca de 50 empresas mostrando seus produtos e serviços nas Feiras de Negócio e de Intercooperação, 21 apresentações, palestras e mesasredondas. Esses são alguns dos números que mostram a grandeza da 40ª Convenção Nacional Unimed, realizada, entre os dias 21 e 24 de setembro. A diretoria da Federação das Unimeds de Mato Grosso do Sul esteve presente no evento. Na sessão de encerramento, além do anúncio dos vencedores dos Prêmios Dr. Nilo Marciano de Oliveira de Marketing, Dr. Djalma Chastinet Contreiras de Responsabilidade Social e de Contador do Ano, e da leitura da Carta de Goiânia, houve a escolha da sede da 42ª edição do evento, que acontecerá em Florianópolis (SC), e a confirmação de Fortaleza, como a anfitriã da do próximo ano. O diretor de Marketing e Desenvolvimento da Unimed do Brasil e coordenador do evento, Aucélio Melo de Gusmão, declarou que o balanço final, segundo as manifestações colhidas ao longo da Convenção, foi positivo, tanto na parte da organização como em termos de programação. Sizenando da Silva Campos Júnior, presidente da Unimed Goiânia, salientou a oportunidade de convivência e de encaminhamento de temas complexos. Sua opinião foi compartilhada pelo presidente da Unimed Cerrado e assessor da diretoria da Unimed do Brasil, José Abel Ximenes. Já o presidente da Confederação, Eudes de Freitas Aquino, afirmou que o clima vivenciado traduz o sucesso do evento e que é neste clima de ombreamento que a diretoria pretende conduzir suas ações.

9 9 Investimento na profissionalização Colaboradores da Federação fazem MBA em Gestão Empresarial em Cooperativa Outras singulares de MS têm colaboradores no MBA. A capacitação é uma excelente oportunidade para ampliar os conhecimentos e aprofundar os estudos da doutrina cooperativista com visão moderna e eficiente na gestão das cooperativas. O conhecimento é apresentado como o ouro das empresas. Hoje, não basta ter bons edifícios, bons carros, sistemas de informação fáceis de usar e capazes de processar quantidades imensas de dados, comunicações rápidas que permitam circular rapidamente a informação, é preciso sobretudo dispor da capacidade de usar esses meios e aproveitar exaustivamente as oportunidades de negócio que o mercado oferece. A Federação das Unimeds de MS se preocupa com essas novas tendências e oferece essa oportunidade aos seus colaboradores. Luciana Alves Moreira, coordenadora financeiro e Silvio Cubel Machado, assistente financeiro, cursam o MBA em Gestão Empresarial em Cooperativas, promovido pelo Sescoop/MS em parceria com FGVFundação Getúlio Vargas. O MBA propicia conhecer novas cooperativas, adquirir novos conhecimentos e promover uma melhora comportamental que agrega no nosso desempenho profissional, afirma Luciana. Já para Sílvio, essa oportunidade mostra a confiança que a Federação tem em seus colaboradores. Nos sentimos lisonjeados e agradecidos pela oportunidade. As singulares de Campo Grande, Dourados e Três Lagoas possuem colaboradores no MBA.

10 10 Sistema Unimed de MS participou do Natal da Cooperação Mais de 300 brinquedos foram arrecadados pela Federação O sistema cooperativo de MS voltou com mais uma edição do Natal da Cooperação, uma campanha de arrecadação de brinquedos que visa incentivar a prática da responsabilidade social entre as cooperativas e seus cooperados, destacando a importância da cooperação e do interesse a comunida- de, tão inerente a filosofia do cooperativismo. A campanha começou dia 18 de outubro foi até 30 de novembro, e foi promovida pelo sistema OCB/SESCO OP/MS em parceria com a Federação das Unimeds de MS, Sicredi e Unimed Campo Grande. Todos foram postos de arrecadação, além das cooperativas de Campo Grande. Sua primeira edição foi em 2009 e arrecadou cerca de 2200 brinquedos em todo o Estado. Este ano a campanha Colaborador participa da Meia-Maratona Volta da Nações O Sesi realizou no dia 10 de outubro mais uma edição da Meia-Maratona Internacional do Pantanal - Volta das Nações, em parceria com a TV Morena. A corrida, que conta com o patrocínio da Unimed Campo Grande, terá um percurso de 21 km e contará com mais duas provas simultâneas: uma corrida de 10 km e uma caminhada de 6 km. Silvio Cubel Machado de 46 anos, colaborador da Federação das Unimeds de MS particip o u d a corrida de 10 km. Silvio s e m p r e praticou esportes e há pouco tempo vem praticando corrida. "Sempre fiz esportes, pois acre-dito que faz bem à saúde e traz uma melhor qualidade de vida", afirma Silvio, que está se preparando para sua primeira competição. A Federação das Unimeds de MS patrocina o uniforme do atleta, pois estimula e incentiva a prática esportiva, que só traz ganhos para a mente e o corpo. visou aumentar este número e envolver mais pessoas. A Federação das Unimeds de MS participou desta campanha, pois acredita que o crescimento econômico excludente contraria os princípios do cooperativismo. Para ocorrer desenvolvimento sustentável é preciso comprometimento com uma visão responsável que busca o equilíbrio social e a interação ética com a comunidade. A campanha foi muito bem recebida pela comunidade local e pelas cooperativas do Estado. Além do sistema OCB/SESCOOP/MS e seus parceiros, a campanha envolveu cerca de 10 cooperativas de MS. Isso mostra que o sistema cooperativo sul-mato-grossense está comprometido com o desenvolvimento e bem-estar da comunidade onde está inserido. A Federação arrecadou mais de 200 brinquedos. Dia do Médico é lembrado pela Federação O médico é um dos mais importantes profissionais presentes em nossa sociedade. Sua função está ligada à manutenção e restauração da saúde. Este profissional utiliza o saber, técnicas e abordagens específicas que lhe permitem promover a saúde e o bemestar físico, mental e social dos indivíduos. O sistema Unimed de MS preza pela qualidade de vida de seus usuários e cooperados. E não esqueceu deles deste dia. Todos os cooperados do sistema Unimed de MS receberam um cartão de parabenização.

11 11 Sistema Unimed frente às mudanças nos novos mercados Avaliar mercado nos tempos atuais nos remete à seguinte pergunta: Por quanto tempo? Ainda mais quando passamos por transformações diárias e recorrentes no comércio, na indústria, na legislação... Precisamos nos apressar para permanecermos no mundo mercadológico, atuar pro - ativamente, sem demandar burocracias, mas apelar para processos inovadores. O Sistema Unimed é por si só um intercooperador, pois trata diretamente entre as cooperativas singulares e federações o seu próprio intercâmbio, feito este, que é uma marca única para o cooperativismo. O 6º princípio do cooperativismo diz: Intercooperação - as cooperativas servem de forma mais eficaz aos seus membros e dão mais - força ao movimento cooperativo, trabalhando em conjunto, através das estruturas locais, regionais, nacionais e internacionais. Este princípio pode e deve ser inovado, pois a sedimentação do cooperativismo também se reflete em ações conjuntas. Cooperativas fortes, cooperados felizes, comunidade receptiva. Não basta seguir modelos efêmeros em seus resultados, mas podemos aplicar a intercooperação em todos os treze segmentos de cooperativas, gerando condições mútuas entre os cooperados. O Sistema Unimed pode fazer a diferença neste momento tão oportuno: concentrar ainda mais seus negócios em sua rede própria, descartando intermediários dinheiristas; criar necessidades em que outras cooperativas venham a contribuir em um ciclo virtuoso de resultados positivos; abrir caminhos para o crescimento saudável de seu negócio em parceria com entidades classistas e, porque não, com o setor público. Assim, o sistema cooperativo prova que princípios nascidos há séculos atrás têm fundamentos de vanguarda e com a garantia de sucesso aos que nele compactuam a força e a união do cooperado. Hamilton Cintra Gerente Geral da Federação das Unimeds de MS, Administrador, Pós-Graduado em Administração Financeira e Orçamento pelo INPG Instituto Nacional de Pós Graduação de São Paulo, PósGraduado em Controladoria pelo INPG Instituto Nacional de Pós Graduação de São Paulo, MBA Gestão Financeira de Cooperativa pela FGV RJ

12

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Informativo www.unicred.com.br

Informativo www.unicred.com.br Informativo www.unicred.com.br ano 5 nº 40 2011 Editorial Unicred do Brasil Definido o tema da IX Convenção Nacional Unicred A Comissão Organizadora da Convenção Nacional Unicred, que se realizará na cidade

Leia mais

Sistema Unimed DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIOR DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

Sistema Unimed DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIOR DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Sistema Unimed DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIOR DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU Confederação COOPERATIVA DE 2º GRAU Federação ou Central COOPERATIVA

Leia mais

Planejamento Estratégico Sistema OCB/MS 2 0 1 5-2 0 2 0

Planejamento Estratégico Sistema OCB/MS 2 0 1 5-2 0 2 0 Planejamento Estratégico Sistema OCB/MS 2 0 1 5-2 0 2 0 Planejamento Estratégico Sistema OCB/MS 2 0 1 5-2 0 2 0 Índice Mapa Estratégico OCB/MS 2015-2020 Visão do Cooperativismo Missão da OCB/MS Valores

Leia mais

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU CONFEDERAÇÃO COOPERATIVA DE 2º GRAU FEDERAÇÃO OU CENTRAL COOPERATIVA DE 1º GRAU

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Reunião na Federação das Unimeds do Rio apresenta ações para o ramo

Reunião na Federação das Unimeds do Rio apresenta ações para o ramo Reunião na Federação das Unimeds do Rio apresenta ações para o ramo 27 de FEVEREIRO A Federação das Unimeds do Estado do Rio de Janeiro promoveu, em sua sede, reunião do Conselho Federativo. O presidente

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC C T E C E N T R O D E T E C N O L O G I A E M P R E S A R I A L C T E C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e g r a n d e p o r t e Na teoria e na vida, FDC AF - 05-006 - CTE02 R.indd 2 7/10/07

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) procura

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Informativo Especial da ABEM. Abril de 2014

Informativo Especial da ABEM. Abril de 2014 Informativo Especial da ABEM Prezado(s) Sócios(as), Abril de 2014 Neste informativo divulgamos o calendário com a programação dos eventos que serão promovidos pela Associação Brasileira de Educação Musical

Leia mais

1º Seminário de Melhores Práticas

1º Seminário de Melhores Práticas 1º Seminário de Melhores Práticas SESI /DR/ACRE Painel 3 Educação e Saúde SESISAÚDE Programa de Saúde do Trabalhador Aparecida Ribeiro Tagliari Costa Sumário O Programa SESISAUDE foi implantado no ano

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Thais Peixoto de Medeiros(1); Estephany Calado(2); Gisele Gregório Araújo(2); Márcio André Veras Machado (3); Francisco Roberto Guimarães Júnior(4) Centro

Leia mais

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO Brasília, 11 de setembro de 2010 TEMA 1 DIRETRIZES E HORIZONTES DA RELAÇÃO POLÍTICA E INSTITUCIONAL DO SISTEMA COOPERATIVISTA 1.1 - FORTALECER A REPRESENTAÇÃO

Leia mais

Agricultura Familiar FORTALECIDA. A melhor notícia da nossa história. Celebrando a Agricultura Familiar

Agricultura Familiar FORTALECIDA. A melhor notícia da nossa história. Celebrando a Agricultura Familiar Agricultura Familiar FORTALECIDA A melhor notícia da nossa história Celebrando a Agricultura Familiar dez anos, inicia os debates sobre a possibilidade de construção de um software para cooperativas

Leia mais

Sistema Integrado de Municipalização do Licenciamento Ambiental

Sistema Integrado de Municipalização do Licenciamento Ambiental Sistema Integrado de Municipalização do Licenciamento Ambiental Documento Interno Texto base: Leoni Fuerst Preocupações referentes às questões relativas ao meio ambiente e a ecologia vêm se tornando crescentes

Leia mais

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Resumo: A finalidade desse documento é apresentar o projeto de planejamento

Leia mais

Aproximam-se duas datas muito especiais. Mensagem do Presidente

Aproximam-se duas datas muito especiais. Mensagem do Presidente NOTÍCIAS DO MUTUALISMO Informação Quinzenal Edição n.º 55 - II Série 15 de outubro de 2014 Mensagem do Presidente Aproximam-se duas datas muito especiais para o Mutualismo e para os Mutualistas, a Comemoração

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

_ APLAUSOS - PROGRAMA GLOBAL DE RECONHECIMENTO DA ANGLO AMERICAN

_ APLAUSOS - PROGRAMA GLOBAL DE RECONHECIMENTO DA ANGLO AMERICAN _ APLAUSOS - PROGRAMA GLOBAL DE RECONHECIMENTO DA ANGLO AMERICAN Apresentação e Cenário A Anglo American é uma das maiores empresas de mineração do mundo, com operações na África do Sul, América do Sul

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT

FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃODE RECURSOS HUMANOS DA ANTT Quadro de Servidores SITUAÇÃO 2008 2009 Abril 2010 CARGOS EFETIVOS (*) 429 752 860 Analista Administrativo 16 40 41 Especialista em Regulação 98 156 169

Leia mais

OBSERVADOR. Social Outubro Rosa e Novembro Azul p.06. Agrícola Reunião com contabilistas na Usina Ipê p.05

OBSERVADOR. Social Outubro Rosa e Novembro Azul p.06. Agrícola Reunião com contabilistas na Usina Ipê p.05 OBSERVADOR ano 45 n 517 nov/dez de 2015 Social Outubro Rosa e Novembro Azul p.06 Treinamento Pedra e Buriti concluem mais duas escolas de formação p.02 Comunicação Jornal Observador: 45 anos de história

Leia mais

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO. Número de participantes:

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO. Número de participantes: 1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO Organização Estadual: Sistema OCB/SESCOOP-RR Data de realização do seminário: 17 de Junho de 2010 Local: Auditório do Sistema FAERR/SENAR-RR

Leia mais

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015

XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 XVI Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação 22 a 24 de julho de 2015 Modelo 2: resumo expandido de relato de experiência Resumo expandido O Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

Projeto Casa Aberta - ELETROSUL: 20 anos educando para a cidadania

Projeto Casa Aberta - ELETROSUL: 20 anos educando para a cidadania Projeto Casa Aberta - ELETROSUL: 20 anos educando para a cidadania 1. A EMPRESA A ELETROSUL Centrais Elétricas S.A. é uma empresa subsidiária de Centrais Elétricas do Brasil S.A. - ELETROBRAS, vinculada

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

Relatório de Sustentabilidade 2014

Relatório de Sustentabilidade 2014 1 Relatório de Sustentabilidade 2014 2 Linha do Tempo TAM VIAGENS 3 Política de Sustentabilidade A TAM Viagens uma Operadora de Turismo preocupada com a sustentabilidade, visa fortalecer o mercado e prover

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ)

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro MBA Controller Ao cursar o MBA CONTROLLER FIPECAFI/ANEFAC, o aluno convive com pessoas de diferentes perfis entre os mais diversos segmentos de mercado e com a experiência profissional exigida para que

Leia mais

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade.

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade. MISSÃO Oferecer serviços imobiliários de qualidade, gerando valor para os clientes, colaboradores, sociedade e acionistas. VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários

Leia mais

GESTÃO DE RISCO NO CONFINAMENTO

GESTÃO DE RISCO NO CONFINAMENTO GESTÃO DE RISCO NO CONFINAMENTO Avaliação e redução do nível de incertezas O Workshop Gestão de Risco foi desenvolvido para atender às necessidades de inclusão da gestão de risco e análise de indicadores

Leia mais

CARTA DA 1ª CONFERÊNCIA INTERATIVA DE PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR DE SEGURO

CARTA DA 1ª CONFERÊNCIA INTERATIVA DE PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR DE SEGURO CARTA DA 1ª CONFERÊNCIA INTERATIVA DE PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR DE SEGURO Em 03 de março de 2010, foi realizada no Rio de Janeiro a 1ª CONFERENCIA INTERATIVA DE PROTEÇAO DO CONSUMIDOR DE SEGURO Reunidos sob

Leia mais

Prefeitura Municipal de Botucatu

Prefeitura Municipal de Botucatu I- Identificação: Projeto Empresa Solidária II- Apresentação : O Fundo Social de Solidariedade é um organismo da administração municipal, ligado ao gabinete do prefeito, que atua em diversos segmentos

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

Perguntas Frequentes do Prêmio Catarinense de Excelência

Perguntas Frequentes do Prêmio Catarinense de Excelência Perguntas Frequentes do Prêmio Catarinense de Excelência O que é o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) e quais são seus objetivos? O Modelo de Excelência da Gestão reflete a experiência, o conhecimento

Leia mais

Gestão 2013-2017. Plano de Trabalho. Colaboração, Renovação e Integração. Eduardo Simões de Albuquerque Diretor

Gestão 2013-2017. Plano de Trabalho. Colaboração, Renovação e Integração. Eduardo Simões de Albuquerque Diretor Gestão 2013-2017 Plano de Trabalho Colaboração, Renovação e Integração Eduardo Simões de Albuquerque Diretor Goiânia, maio de 2013 Introdução Este documento tem por finalidade apresentar o Plano de Trabalho

Leia mais

Eventos Fehosp. Promovendo e fortalecendo as relações para o aprimoramento das ações na saúde.

Eventos Fehosp. Promovendo e fortalecendo as relações para o aprimoramento das ações na saúde. Eventos Fehosp. Promovendo e fortalecendo as relações para o aprimoramento das ações na saúde. Quem Somos A Fehosp Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo, é uma instituição

Leia mais

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO

Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO Tudo sobre TELEMEDICINA O GUIA COMPLETO O QUE É TELEMEDICINA? Os recursos relacionados à Telemedicina são cada vez mais utilizados por hospitais e clínicas médicas. Afinal, quem não quer ter acesso a diversos

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS

RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS RELATÓRIO FORMADORES DE OPINIÃO E ASSOCIADOS RESULTADOS PESQUISA COM COMITÊS Definição e significado do PGQP para os comitês: Definições voltadas para ao Programa Significado do PGQP Qualificação das organizações

Leia mais

Pós-graduação MBA em Administração e Marketing

Pós-graduação MBA em Administração e Marketing 1 Ascensão Acadêmica Pós-Graduação alavanca sucesso na carreira profissional Pesquisa coordenada pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2010, indica que as pessoas que não

Leia mais

Política de Patrocínio

Política de Patrocínio SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...02 1. OBJETIVO INSTITUCIONAL...03 2. OBJETIVOS ESTRATÉGICOS...04 3. LINHAS DE ATUAÇÃO...05 3.1 Projetos prioritários...05 3.2 Projetos que não podem ser patrocinados...05 4. ABRANGÊNCIA...06

Leia mais

Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017

Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Escola Técnica de Saúde Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017 Proposta de trabalho apresentada como pré-requisito para inscrição no processo

Leia mais

INFORMATIVO SOBRE ENTIDADES ESTUDANTIS

INFORMATIVO SOBRE ENTIDADES ESTUDANTIS PRÓ- DE EXTENSÃO INFORMATIVO SOBRE ENTIDADES ESTUDANTIS Olá! Você já deve ter feito uma dessas perguntas: O que são entidades estudantis? Para que servem? Qual a diferença entre um CA e um DA? Como criar

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

A temática Sistema Nacional de Educação foi dissertada pela Profa. Flávia Maria Barros Nogueira Diretora da SASE.

A temática Sistema Nacional de Educação foi dissertada pela Profa. Flávia Maria Barros Nogueira Diretora da SASE. CARTA DE RECIFE O Fórum Nacional de Conselhos Estaduais de Educação realizou em Recife, no período de 16 a 18 de setembro a Reunião Plenária da Região Nordeste, com a participação dos Conselhos Estaduais

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER?

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? Anderson Katsumi Miyatake Emerson Oliveira de Almeida Rafaela Schauble Escobar Tellis Bruno Tardin Camila Braga INTRODUÇÃO O empreendedorismo é um tema bastante

Leia mais

PROGRAMA DE PONTUAÇÃO PARTICIPATIVA

PROGRAMA DE PONTUAÇÃO PARTICIPATIVA PROGRAMA DE PONTUAÇÃO PARTICIPATIVA 1 INTRODUÇÃO O desenvolvimento das ações promovidas no decorrer deste projeto, terão como resultado o estreitamento dos laços Cooperado\Cooperativa que vai integrar

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Projeto de Patrocínio. Curitiba - PR. 7 Fórum de Tecnologia em Software Livre

Projeto de Patrocínio. Curitiba - PR. 7 Fórum de Tecnologia em Software Livre Projeto de Patrocínio Curitiba - PR 2015 2014 VI FÓRUM TECNO SOFTW LIVRE VI Fó Te So Liv 16 a 18 de setembro de 2015 Curitiba PR Brasil Sumário 1 Apresentação...1 2 Local, data e site...1 3 Público alvo...1

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você

Leia mais

Relatório de Atividades 2014. Comissão de Ética

Relatório de Atividades 2014. Comissão de Ética Comissão de Ética Introdução As ações desenvolvidas pela Comissão de Ética em 2014 foram pautadas nos parâmetros do Questionário de Avaliação da Ética elaborado pela Comissão de Ética Pública (CEP) que

Leia mais

qualidade do cuidado em saúde A segurança

qualidade do cuidado em saúde A segurança A Segurança nos serviços de saúde é um problema tão grande e as causas tão diversas e complexas que não é mais possível não separar as práticas da Qualidade e as práticas da Segurança. A qualidade do cuidado

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO VEÍCULO: NATAL NOTÍCIAS DATA: 02.12.15 01 Dez 2015 Presidente Marcelo Queiroz participa da 17ª Convenção do Comércio e Serviços

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

9 anos acreditando na comunidade! 05.05 - RELATÓRIO GERAL DE ATIVIDADES 2012 / 2013

9 anos acreditando na comunidade! 05.05 - RELATÓRIO GERAL DE ATIVIDADES 2012 / 2013 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO ESPERANÇA BRASIL OSCIP ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO 9 anos acreditando na comunidade! 05.05 - RELATÓRIO GERAL DE ATIVIDADES 2012 / 2013 Janeiro de 2014.

Leia mais

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes

O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes O passo a passo da participação popular Metodologia e diretrizes Com o objetivo de garantir a presença da população na construção e no planejamento de políticas públicas, o Governo de Minas Gerais instituiu

Leia mais

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA

SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA SAÚDE MENTAL NA RODA :A SENSIBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES DA REDE DE ATENÇÃO BÁSICA Romaldo Bomfim Medina Jr 1 Luciane Silva Ramos 2 Fernanda Franceschi de Freitas 3 Carmem Lúcia Colomé Beck 4 O movimento

Leia mais

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO

ECONOMIA SOCIAL PORTUGUESA: PAPEL NO PÓS-TROIKA GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO GERIR UMA FUNDAÇÃO É UM COMPROMISSO PARA O FUTURO Citação de Dr. Emílio Rui Vilar 2 Tempo de mudanças sociais Estamos no início de um século que se adivinha difícil e instável nos seus Problemas Globais

Leia mais

Plano de Advocacy. Repensando o Plano. Isabel d Avila Coordenadora de Advocacy

Plano de Advocacy. Repensando o Plano. Isabel d Avila Coordenadora de Advocacy Plano de Advocacy Repensando o Plano Isabel d Avila Coordenadora de Advocacy Relembrando Ações Finalizamos o 1º Dia da Capacitação Listando: - as Ações que foram Realizadas e representam um Avanço à condução

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento

Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento Sumário Apoios Dados Gerais Expositores Visitantes Congresso Fenabrave Campanha de Marketing Mídia Espontânea Fotos do evento Sumário XXI EDIÇÃO DO CONGRESSO FENABRAVE TERMINA COM PREVISÃO OTIMISTA PARA

Leia mais

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA

CONSELHO TEMÁTICO DA MICRO, PEQUENA E MÉDIA INDÚSTRIA ASSUNTOS TRATADOS Cartilha sobre produtos e serviços bancários para Micro e Pequenos Empresários Apresentação dos cases de sucesso e fracasso no setor da Construção Civil Notícias sobre o Fórum Permanente

Leia mais

PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado

PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado PRÊMIO ABF- AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueado Dados da empresa Razão Social: FLY IDIOMAS Nome Fantasia: WIZARD Data de fundação: 10/07/2010 Número de funcionários:

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Criação de cooperativa de infraestrutura popular é tema de reunião. 30 de NOVEMBRO. Encontro de Secretárias Atendimento Humanizado ao Cliente

Criação de cooperativa de infraestrutura popular é tema de reunião. 30 de NOVEMBRO. Encontro de Secretárias Atendimento Humanizado ao Cliente Criação de cooperativa de infraestrutura popular é tema de reunião 30 de NOVEMBRO O Sistema OCB/RJ recebeu, na sua sede, a visita do belga Paul Dhuyvetter e do francês Augustin Butrulle. Eles têm interesse

Leia mais

Módulo 4 O que é CRM?

Módulo 4 O que é CRM? Módulo 4 O que é CRM? Todos nós já sabemos a importância de manter os clientes fiéis e a qualidade do atendimento que temos que oferecer para fidelizar cada vez mais os clientes. Atualmente, uma das principais

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso

Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Anais. III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva. Ações Inclusivas de Sucesso Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais Anais III Seminário Internacional Sociedade Inclusiva Ações Inclusivas de Sucesso Belo Horizonte 24 a 28 de maio de 2004 Realização: Pró-reitoria de Extensão

Leia mais

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal Discurso 04/12/2003 Dr. Alfredo Setubal Presidente do Conselho de Administração do IBRI - Instituto Brasileiro de Relações com Investidores Boa Noite! Esta cerimônia de final de ano é a minha última à

Leia mais

Pós-graduação de Gestão em Saúde

Pós-graduação de Gestão em Saúde 1 Ascensão Acadêmica Pós-Graduação alavanca sucesso na carreira profissional Pesquisa coordenada pelo Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em 2010, indica que as pessoas que não

Leia mais

CONGRESSO ESTADUAL DE ARQUITETOS E URBANISTAS DE SANTA CATARINA PARTICIPAÇÃO, ATUAÇÃO, QUALIFICAÇÃO

CONGRESSO ESTADUAL DE ARQUITETOS E URBANISTAS DE SANTA CATARINA PARTICIPAÇÃO, ATUAÇÃO, QUALIFICAÇÃO CONGRESSO ESTADUAL DE ARQUITETOS E URBANISTAS DE SANTA CATARINA PARTICIPAÇÃO, ATUAÇÃO, QUALIFICAÇÃO CONGRESSO ESTADUAL DE ARQUITETOS E URBANISTAS NOS OUÇAM! Regimentalmente o Conselho de Arquitetura e

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009

PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 PESQUISA O USO DO E-MAIL MARKETING NAS CORPORAÇÕES BRASILEIRAS 4ª EDIÇÃO - 2009 REALIZAÇÃO TABULAÇÃO Quem Somos A WBI BRASIL é uma empresa especializada em planejamento de marketing digital, que presta

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 Reunidos na cidade de Quebec de 18 a 22 de setembro de 1997, na Conferência Parlamentar das Américas, nós, parlamentares das Américas, Considerando que o

Leia mais

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre

Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre Projeto Alvorada: ação onde o Brasil é mais pobre N o Brasil há 2.361 municípios, em 23 estados, onde vivem mais de 38,3 milhões de pessoas abaixo da linha de pobreza. Para eles, o Governo Federal criou

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage.

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage. Preâmbulo Para a elaboração da Política de Sustentabilidade do Sicredi, foi utilizado o conceito de Sustentabilidade proposto pela abordagem triple bottom line (TBL), expressão que reúne simultaneamente

Leia mais

A revolução da excelência

A revolução da excelência A revolução da excelência ciclo 2005 PNQ Foto: Acervo CPFL CPFL Paulista, Petroquímica União, Serasa e Suzano Petroquímica venceram o Prêmio Nacional da Qualidade 2005. A Albras, do Pará, foi finalista.

Leia mais

SAÚDE MENTAL DO ENFERMEIRO E O SETOR DE EMERGÊNCIA: UMA QUESTÃO DE SAÚDE NO TRABALHO

SAÚDE MENTAL DO ENFERMEIRO E O SETOR DE EMERGÊNCIA: UMA QUESTÃO DE SAÚDE NO TRABALHO SAÚDE MENTAL DO ENFERMEIRO E O SETOR DE EMERGÊNCIA: UMA QUESTÃO DE SAÚDE NO TRABALHO Valesca Boarim da Silva 1 Regina Célia Gollner Zeitoune 2 Introdução:Trata-se de nota prévia de estudo que tem como

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES

SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES SITUAÇÃO DOS RECURSOS HUMANOS DA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS IFES Introdução A questão dos recursos humanos na área de Tecnologia da Informação é assunto de preocupação permanente no Colégio de

Leia mais

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 28 de setembro a 2 de outubro de 2009 CD49.R10 (Port.) ORIGINAL:

Leia mais

Eventos Fehosp 2012. Congresso Anual Audhosp Encontros Regionais

Eventos Fehosp 2012. Congresso Anual Audhosp Encontros Regionais Eventos Fehosp 2012 Congresso Anual Audhosp Encontros Regionais Hotel Palm Plaza Resort em Campinas 24 a 27 de abril de 2012 www.fehosp.com.br / eventos@fehosp.com.br FEHOSP Fundada em 1959, a Federação

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes pág. 1 VISÃO GERAL Objetivo 1 - No âmbito da seção escoteira, apoiar a correta aplicação do método escoteiro, em especial as práticas democráticas previstas

Leia mais

Resumo. O caminho da sustentabilidade

Resumo. O caminho da sustentabilidade Resumo O caminho da sustentabilidade Termos recorrentes em debates e pesquisas, na mídia e no mundo dos negócios da atualidade, como sustentabilidade, desenvolvimento sustentável, responsabilidade empresarial

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes

PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes pág. 1 PLANO DE TRABALHO Rede Nacional de Jovens Líderes MISSÃO Somos uma rede nacional escoteira de

Leia mais