CERTIFICAÇÃO DIGITAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CERTIFICAÇÃO DIGITAL"

Transcrição

1 Autenticidade Digital CERTIFICAÇÃO DIGITAL Certificação Digital 1

2 Políticas de Segurança Regras que baseiam toda a confiança em um determinado sistema; Dizem o que precisamos e o que não precisamos proteger; São responsáveis por mostrar contra quem é preciso proteger as informações; Documentos e regras a serem utilizadas nas transações eletrônicas Infraestrutura de Segurança São os mecanismos básicos para garantir que as políticas sejam seguidas; Infraestrutura física servidores; roteadores; hardwares de firewalls controle de acesso aos CPDs etc. Infraestrutura lógica sistemas operacionais; sistemas antivírus; sistemas anti-spyware; software de firewalls; etc. São normalmente utilizados por qualquer empresa que possua um Website. 2

3 Introdução Certificação Digital Autenticação Privacidade Autorização Integridade dos dados Não Repúdio Infraestrutura de Segurança Políticas de Segurança Autenticação É o ato de estabelecer ou confirmar algo ou alguém como autêntico; Confirmação da procedência de um objeto ou pessoa, geralmente por meio da verificação da sua identidade. As pessoas são quem dizem ser? 3

4 Autenticação A identidade pode ser verificada das seguintes formas: O que você tem Ex: RG, CPF, título de eleitor, certidão de nascimento; É diretamente vinculada à pessoa para a qual foi emitida; É difícil de forjar, copiar ou alterar; É emitido por um terceiro confiável. O que você sabe Ex: segredos, senhas; Pode ser interceptado e usado de forma ilícita O que você é Ex: biometria: digitais, face, retina ou íris, geometria da mão, voz; É inconveniente e intrusiva Uma vez digitalizados para comparação, torna-se um conjunto de bits que pode ser copiado;; Qualquer alteração no corpo (mutilações, machucados) pode interferir no reconhecimento Autenticação Autenticação por certificação digital Pode ser efetuada através dos certificados digitais, por exemplo, por seu e-cpf; 1. Identificação inequívoca; 2. Validade é facilmente verificável por outras pessoas; 3. Proteção contra fraude e falsificação; 4. Vincula uma pessoa física ou jurídica a uma transação eletrônica; 5. É de utilização simples e fácil 4

5 Privacidade Habilidade de uma pessoa controlar a exposição e a disponibilização de informações acerca de si; Capacidade de existir na sociedade de forma anônima, bem como garantir que informações sobre si não sejam expostas; Diz respeito à capacidade que temos de garantir sigilo às informações sensíveis, protegendo-as contra acesso não autorizado; No mundo físico, a privacidade é buscada mediante o uso de chaves, cofres, alarmes, etc. No mundo digital é necessário a utilização de algum mecanismo que nos permita um certo grau de sigilo nas transações; CRIPTOGRAFIA Privacidade Criptografia Grego: kriptos (oculto) grapho (escrita); Ciência ou arte de codificar mensagens usando uma fórmula que também será utilizada para decodificar a mesma mensagem; Os navegadores Web, a maioria dos programas de , processadores de texto, etc. já estão preparados para prover essa funcionalidade de maneira segura e transparente. 5

6 Autorização Mecanismo responsável por garantir que apenas usuários autorizados utilizem recursos protegidos de forma controlada; Diz respeito à garantia de que as pessoas não executarão qualquer ação para a qual não possuam explícita permissão; Garante que o usuário só consiga fazer aquilo que ele realmente tem autorização para fazer. Com a utilização da certificação digital, as aplicações podem reconhecer o usuário e, automaticamente, atribuir-lhe as autorizações necessárias à execução de suas funções. Integridade dos dados Garantia de que possamos identificar que um determinado dado ou informação não tenha sofrido alterações não autorizadas; No mundo físico: Autenticação de cópias por agentes autorizados ou cartórios; Assinatura de testemunhas; Papéis especiais; Assinaturas de próprio punho; Análises grafotécnicas; Perícias; etc. Quando existe alguma alteração, existem meios técnicos e científicos para provar essa alteração 6

7 Integridade dos dados No mundo digital a identificação de alterações é geralmente difícil; Para atender a esta necessidade, a certificação digital utiliza um mecanismo de resumo (hash), que permite gerar um extrato/resumo do conteúdo a ser protegido; Se um bit for alterado, a assinatura digital inicialmente criada não funcionará mais, mostrando que o documento foi alterado; Não repúdio Garantia de que o autor não negue ter criado e assinado o documento; No mundo físico, quando uma pessoa assina um documento, mesmo diferente da sua assinatura habitual, existem mecanismos periciais que permitem identificar se uma pessoa foi quem assinou ou não o documento; No mundo digital, o não repúdio pode ser realizado por mecanismos de certificação digital; A emissão de um certificado digital permite a associação de uma pessoa ao seu respectivo certificado; Na emissão do e-cpf, por exemplo, existe sempre um terceiro de confiança, que é responsável pela identificação do usuário e sua vinculação ao e-cpf; Nesse processo é necessário apresentar uma série de documentos físicos; 7

8 Criptografia Criptografia Clássica Se evidencia com o início da comunicação escrita; Scylate Escrita ao contrário ODERGES SEGREDO 8

9 Criptografia Clássica Substituição Monoalfabética A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z SEGREDO 19, 05, 07, 18, 05, 04, 15 segredo chave = 3 22, 08, 10, 21, 08, 07, 18 vhjuhgr Criptografia Clássica Evoluções aumento no nível de segurança Criptografia para fins militares Com máquinas, a cifragem era feita de forma mais rápida e segura, permitindo transmitir às tropas determinadas estratégias sem que o inimigo compreendesse. Também se desenvolveu a criptoanálise, que consiste em estudar métodos para decifrar as mensagens sem a necessidade de chaves. Durante a Segunda Guerra Mundial, os alemães utilizaram a máquina Enigma, que era capaz de criptografar mensagens, cujo código foi quebrado pelos aliados (que mantiveram esse feito em segredo durante toda guerra), ocasionando muitas perdas aos alemães. 9

10 Criptografia Clássica Dois tipo de criptografia Criptografia Simétrica Criptografia Assimétrica Criptografia Simétrica A mensagem a ser enviada é cifrada pela mesma chave que será utilizada pera decifrá-la; Para que o destinatário consiga decifrar a mensagem é necessário que ele conheça o método (algoritmo) e a chave utilizados na cifragem; A segurança depende da combinação prévia e segura entre o emissor e o receptor de uma chave; É utilizada em hardware e software atuais; Alguns algoritmos DES (Data Encryption Standard) Chaves de 40 e 56 bits Triple-DES chaves de 80, 112 e 168 bits RC2, RC4, RC5 e RC6 chaves que variam de 40 a 128 bits IDEA chaves de 128 bits 10

11 Criptografia Simétrica Na medida em que a capacidade computacional cresce, os atuais sistema criptográficos ficam mais suscetíveis à quebra por força bruta; Tamanho da chave Qtd. chaves possíveis Tempo necessário para quebrar o código 40 bits 1x10 12 (1 trilhão) 2 horas 56 bits 7x horas 64 bits 2x anos 112 bits 5x anos 128 bits 3x anos 256 1x anos * tempo necessário para um ataque de força bruta usando um computador para quebrar o código Criptografia Simétrica É importante observar que de acordo com a lei de Moore, comprovada na prática há mais de 30 anos, a capacidade computacional dobra a cada 18 meses; Mas a tecnologia e os recursos e criptografia também evoluem; Em 30/06/2010 a AC (autoridade certificadora) da ICP- Brasil publicou uma nova estrutura utilizando chaves de 512 bits. 11

12 Criptografia Assimétrica A criptografia simétrica garante apenas a privacidade; É preciso garantir os outros pilares: autenticação, autorização, integridade e não repúdio; Na criptografia simétrica as chaves precisam ser combinadas previamente entre emissor e receptor; Nos processos eletrônicos via Web, isso seria uma barreira, pois os interlocutores geralmente não se conhecem; Criptografia Assimétrica Chaves assimétricas São usadas duas chaves (privada e pública) ligadas matematicamente; Uma das chave é mantida em segredo: chave privada; Uma das chave pode ser disponibilizada a todos: chave pública; O que uma chave cifra, apenas a sua chave correspondente pode decifrar; As chaves não são apenas senhas, mas arquivos digitais complexos que eventualmente até podem estar associados a uma senha 12

13 Criptografia Assimétrica Criptografia Assimétrica 13

14 Criptografia Assimétrica Certificação Digital Autenticação Parcial Privacidade OK Autorização Integridade dos dados Não Repúdio Infraestrutura de Segurança Políticas de Segurança Resumo (HASH) das mensagens 14

15 Resumo (HASH) das mensagens Consiste em gerar um valor, chamado messagedigest (MD), a partir de um texto qualquer; O algoritmo HASH é composto por fórmulas matemáticas que garantem a irreversibilidade e a unicidade do MD gerado; Irreversibilidade: Não é possível reconstruir o texto a partir do MD; Unicidade: Textos diferentes produzem necessariamente MD diferentes; A alteração de um simples bit na mensagem gera um MD completamente diferente; Default.asp{{ Resumo (HASH) das mensagens 15

16 Resumo (HASH) das mensagens Certificação Digital Autenticação Parcial Privacidade OK Autorização Integridade dos dados OK Não Repúdio Infraestrutura de Segurança Políticas de Segurança Vídeos 16

17 Vídeos Criptografia (3 min) Criptografia simétrica e assimétrica (5 min, 30 seg) Criptografia, chaves (12 min) Bibliografia 17

18 Bibliografia 18

Assinatura Digital: problema

Assinatura Digital: problema Assinatura Digital Assinatura Digital Assinatura Digital: problema A autenticidade de muitos documentos, é determinada pela presença de uma assinatura autorizada. Para que os sistemas de mensagens computacionais

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação (Extraído da apostila de Segurança da Informação do Professor Carlos C. Mello) 1. Conceito A Segurança da Informação busca reduzir os riscos de vazamentos, fraudes, erros, uso indevido,

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

Criptografia. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Criptografia. 2.2. Criptoanálise e Criptologia. 2.3. Cifragem, Decifragem e Algoritmo

Criptografia. 1. Introdução. 2. Conceitos e Terminologias. 2.1. Criptografia. 2.2. Criptoanálise e Criptologia. 2.3. Cifragem, Decifragem e Algoritmo 1. Introdução O envio e o recebimento de informações são uma necessidade antiga, proveniente de centenas de anos. Nos últimos tempos, o surgimento da Internet e de tantas outras tecnologias trouxe muitas

Leia mais

M3D4 - Certificados Digitais Aula 2 Certificado Digital e suas aplicações

M3D4 - Certificados Digitais Aula 2 Certificado Digital e suas aplicações M3D4 - Certificados Digitais Aula 2 Certificado Digital e suas aplicações Prof. Fernando Augusto Teixeira 1 2 Agenda da Disciplina Certificado Digital e suas aplicações Segurança Criptografia Simétrica

Leia mais

Segurança de Sistemas

Segurança de Sistemas Faculdade de Tecnologia Senac Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Segurança de Sistemas Edécio Fernando Iepsen (edeciofernando@gmail.com) Certificação Digital Ampla utilização

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 06 Criptografia e Esteganografia

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 06 Criptografia e Esteganografia Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício Criptografia A forma mais utilizada para prover a segurança em pontos vulneráveis de uma rede de computadores é a utilização da criptografia. A criptografia

Leia mais

Segurança de Redes. Criptografia. Requisitos da seg. da informação. Garantir que a informação seja legível somente por pessoas autorizadas

Segurança de Redes. Criptografia. Requisitos da seg. da informação. Garantir que a informação seja legível somente por pessoas autorizadas Segurança de Redes Criptografia Prof. Rodrigo Rocha rodrigor@santanna.g12.br Requisitos da seg. da informação Confidencialidade Garantir que a informação seja legível somente por pessoas autorizadas Integridade

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Revisão Criptografia de chave simétrica; Criptografia de chave pública; Modelo híbrido de criptografia. Criptografia Definições

Leia mais

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro

Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento. Douglas Farias Cordeiro Segurança da Informação e Proteção ao Conhecimento Douglas Farias Cordeiro Criptografia Revisando A criptografia trata da escrita de um texto em códigos de forma a torná-lo incompreensível; A informação

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso de Tecnologia em Redes de Computadores Disciplina: Tópicos Avançados II 5º período Professor: José Maurício S. Pinheiro Aula 1 Introdução à Certificação

Leia mais

Entendendo a Certificação Digital

Entendendo a Certificação Digital Entendendo a Certificação Digital Novembro 2010 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. O que é certificação digital?... 3 3. Como funciona a certificação digital?... 3 6. Obtendo certificados digitais... 6 8.

Leia mais

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Auditoria e Segurança da Informação GSI536. Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Auditoria e Segurança da Informação GSI536 Prof. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Princípios de Criptografia Tópicos O papel da criptografia na segurança das redes de comunicação; Criptografia de chave

Leia mais

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura.

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. Módulo 14 Segurança em redes Firewall, Criptografia e autenticação Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. 14.1 Sistemas

Leia mais

67 das 88 vagas no AFRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF Conquiste sua vitória ao nosso lado

67 das 88 vagas no AFRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF Conquiste sua vitória ao nosso lado Carreira Policial Mais de 360 aprovados na Receita Federal em 2006 67 das 88 vagas no AFRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF no PR/SC 150 das 190 vagas no TRF Conquiste sua vitória ao nosso lado Apostila

Leia mais

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada

Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Processo para transformar a mensagem original em uma mensagem ilegível por parte de uma pessoa não autorizada Criptografia Onde pode ser usada? Arquivos de um Computador Internet Backups Redes

Leia mais

Segurança da Informação. Criptografia, protocolos seguros e suas aplicações

Segurança da Informação. Criptografia, protocolos seguros e suas aplicações Segurança da Informação Criptografia, protocolos seguros e suas aplicações Criptografia Serviços Oferecidos Serviços Disponibilidade Integridade Controle de acesso Autenticidade da origem Não-repudiação

Leia mais

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações CRIPTOGRAFIA

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações CRIPTOGRAFIA I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações CRIPTOGRAFIA OBJETIVO Conhecer aspectos básicos do uso da criptografia como instrumento da SIC.. Abelardo Vieira Cavalcante Filho Assistente Técnico

Leia mais

Referências. Criptografia e Segurança de Dados. Outras Referências. Alguns tipos de ataques. Alguns tipos de ataques. Alguns tipos de ataques

Referências. Criptografia e Segurança de Dados. Outras Referências. Alguns tipos de ataques. Alguns tipos de ataques. Alguns tipos de ataques Criptografia e Segurança de Dados Aula 1: Introdução à Criptografia Referências Criptografia em Software e Hardware Autores: Edward D. Moreno Fábio D. Pereira Rodolfo B. Chiaramonte Rodolfo Barros Chiaramonte

Leia mais

Conceitos de Segurança em Sistemas Distribuídos

Conceitos de Segurança em Sistemas Distribuídos Conceitos de Segurança em Sistemas Distribuídos Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA http://www.lsd.ufma.br 30 de novembro de 2011

Leia mais

Criptografia. Prof. Ricardo José Martins ricardo.martins@muz.ifsuldeminas.edu.br. IFSULDEMINAS, campus Muzambinho Curso de Ciência da Computação

Criptografia. Prof. Ricardo José Martins ricardo.martins@muz.ifsuldeminas.edu.br. IFSULDEMINAS, campus Muzambinho Curso de Ciência da Computação IFSULDEMINAS, campus Muzambinho Curso de Ciência da Computação Criptografia Prof. Ricardo José Martins ricardo.martins@muz.ifsuldeminas.edu.br Curso de Bacharelado em Ciência da Computação AED III Algoritmo

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Resumos Volume 1, Julho de 2015 Segurança da Informação POPULARIZAÇÃO DA INFORMÁTICA Com a popularização da internet, tecnologias que antes eram restritas a profissionais tornaram-se abertas, democratizando

Leia mais

Criptografia Digital. Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes

Criptografia Digital. Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes Criptografia Digital Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes Conteúdo 1. Introdução 2. Aplicações 3. Criptografia e seus Conceitos 4. Tipos de Criptografia em Relação ao Uso de Chaves 5. Autenticação Comum

Leia mais

SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa

SISTEMAS DISTRIBUIDOS. Prof. Marcelo de Sá Barbosa Prof. Marcelo de Sá Barbosa Introdução Visão geral das técnicas de segurança Algoritmos de criptografia Assinaturas digitais Criptografia na prática Introdução A necessidade de proteger a integridade e

Leia mais

Identificação Digital

Identificação Digital Identificação Digital Apêndice B da Apostila Criptografia e Segurança na Informática Maio de 2004 Prof. Pedro A. D. Rezende Ciência da Computação - Universidade de Brasília O que é identificação? Parece

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

Certificação digital para agente de registro e aplicações

Certificação digital para agente de registro e aplicações Certificação digital para agente de registro e aplicações Resumo de minicurso realizado no 15º Seminário RNP de Capacitação e Inovação Italo Valcy Ponto de Presença da RNP na Bahia

Leia mais

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO

INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO INFORMÁTICA PROF. RAFAEL ARAÚJO CERTIFICADO DIGITAL O certificado digital é um arquivo eletrônico que contém dados de uma pessoa ou instituição, utilizados para comprovar sua identidade. Este arquivo pode

Leia mais

O QUE É CERTIFICAÇÃO DIGITAL?

O QUE É CERTIFICAÇÃO DIGITAL? O QUE É CERTIFICAÇÃO DIGITAL? Os computadores e a Internet são largamente utilizados para o processamento de dados e para a troca de mensagens e documentos entre cidadãos, governo e empresas. No entanto,

Leia mais

EAD. Controles de Acesso Lógico. Identificar os controles de acesso lógico a serem implementados em cada uma das situações possíveis de ataque.

EAD. Controles de Acesso Lógico. Identificar os controles de acesso lógico a serem implementados em cada uma das situações possíveis de ataque. Controles de Acesso Lógico 3 EAD 1. Objetivos Identificar os controles de acesso lógico a serem implementados em cada uma das situações possíveis de ataque. Usar criptografia, assinatura e certificados

Leia mais

Criptografia e Chave Pública. Segurança da Informação

Criptografia e Chave Pública. Segurança da Informação Criptografia e Chave Pública Segurança da Informação Ementa Visão Global O que é? Criptografia está em todo lugar; Técnicas Primitivas de Cifragem; Outras técnicas de criptografia; Criptografia Moderna;

Leia mais

fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0

fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0 Entenda o que é um certificado digital SSL (OPENSSL) fonte: http://www.nit10.com.br/dicas_tutoriais_ver.php?id=68&pg=0 1. O que é "Certificado Digital"? É um documento criptografado que contém informações

Leia mais

Conceitos de Criptografia e o protocolo SSL

Conceitos de Criptografia e o protocolo SSL Conceitos de Criptografia e o protocolo SSL TchêLinux Ulbra Gravataí http://tchelinux.org/gravatai Elgio Schlemer Ulbra Gravatai http://gravatai.ulbra.tche.br/~elgio 31 de Maio de 2008 Introdução Início

Leia mais

Identificação Digital e Gestão da Segurança

Identificação Digital e Gestão da Segurança Identificação Digital e Gestão da Segurança Seminário Criptografia Presidência da República 2004 Prof. Pedro A. D. Rezendehttp://www.cic.unb.br/docentes/pedro/sd.htm Ciência da Computação - Universidade

Leia mais

www.e-law.net.com.br certificação digital 1 de 5 Introdução

www.e-law.net.com.br certificação digital 1 de 5 Introdução www.e-law.net.com.br certificação digital 1 de 5 Introdução Cada pessoa cria sua assinatura de forma totalmente livre e a utiliza com significado de expressa concordância com os conteúdos dos documentos

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE CERTIFICADOS DIGITAIS COMO SOLUÇÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

UM ESTUDO SOBRE CERTIFICADOS DIGITAIS COMO SOLUÇÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO UM ESTUDO SOBRE CERTIFICADOS DIGITAIS COMO SOLUÇÃO DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Emerson Henrique Soares Silva Prof. Ms. Rodrigo Almeida dos Santos Associação Paraibana de Ensino Renovado - ASPER Coordenação

Leia mais

2) Demonstre a verificação da fraude no envio de um arquivo não sigiloso, porém autenticado, de A para B e alterado indevidamente por T.

2) Demonstre a verificação da fraude no envio de um arquivo não sigiloso, porém autenticado, de A para B e alterado indevidamente por T. Revisão para A1 Criptografia e Certificação Digital Legenda: A + - Chave Pública de A A - - Chave Privada de A s Chave Secreta MD5 Algoritmo de HASH MSG Mensagem de texto claro - Operação de comparação

Leia mais

Tecnologia Segurança. Aires José Rover Universidade Federal de Santa Catarina

Tecnologia Segurança. Aires José Rover Universidade Federal de Santa Catarina Tecnologia Segurança Aires José Rover Universidade Federal de Santa Catarina Ameaças aos documentos Fluxo Normal A Fonte de Informação B Destino da Informação A B A B Interrupção I Intercepção A B A B

Leia mais

MAIO / 2007. Banco Safra S.A Tradição Secular de Segurança

MAIO / 2007. Banco Safra S.A Tradição Secular de Segurança Siissttema de Assssiinattura Diigiittall MAIO / 2007 Banco Safra S.A Tradição Secular de Segurança A internet facilitando nossa vida As exigências e as pressões crescentes da vida moderna, o caos urbano,

Leia mais

Oficial Escrevente 2013. Informática Questões

Oficial Escrevente 2013. Informática Questões Oficial Escrevente 2013 Informática Questões 1) FAURGS - TJ - AUXILIAR DE COMUNICAÇÃO TJM - 2012 CERTIFICADO DIGITAL CERTIFICADO DIGITAL Funciona como uma identidade virtual CERTIFICADO DIGITAL Permite

Leia mais

1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada no processo criptográfico.

1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada no processo criptográfico. Exercícios da Parte II: Segurança da Informação Walter Cunha Criptografia (CESPE/PCF-PF 03 2002) 1. A quebra de sistemas criptográficos simétricos sempre depende da descoberta da chave secreta utilizada

Leia mais

Apostila. Noções Básicas de Certificação Digital (Aula 2)

Apostila. Noções Básicas de Certificação Digital (Aula 2) Apostila Noções Básicas de Certificação Digital (Aula 2) Diretoria de Pessoas (DPE) Departamento de Gestão de Carreira (DECR) Divisão de Gestão de Treinamento e Desenvolvimento (DIGT) Coordenação Geral

Leia mais

A Certificação Digital e uma Nova Realidade para a Documentação nas Empresas

A Certificação Digital e uma Nova Realidade para a Documentação nas Empresas A Certificação Digital e uma Nova Realidade para a Documentação nas Empresas InfoWorld 2003 SUCESU Eduardo C. Sarlo eduardo@cartoriosarlo.com.br www.cartoriosarlo.com.br A Mudança Cultural Globalização

Leia mais

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1

Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW. Free Powerpoint Templates Page 1 Segurança na Web Cap. 4: Protocolos de Segurança Prof. Roberto Franciscatto 4º Semestre - TSI - CAFW Page 1 é definido como um procedimento seguro para se regular a transmissão de dados entre computadores

Leia mais

Gerenciamento e Segurança de Dados

Gerenciamento e Segurança de Dados Prof. Wanderson Reis professor@wanderson.pro.br Gerenciamento e Segurança de Dados 04/03/2011 Informática - PDS Tópicos principais Definições básicas de segurança da informação Políticas de segurança da

Leia mais

Criptografia assimétrica e certificação digital

Criptografia assimétrica e certificação digital Criptografia assimétrica e certificação digital Alunas: Bianca Souza Bruna serra Introdução Desenvolvimento Conclusão Bibliografia Introdução Este trabalho apresenta os principais conceitos envolvendo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 529, DE 23 DE MAIO DE 2016 Documento nº 00000.029651/2016-57

RESOLUÇÃO Nº 529, DE 23 DE MAIO DE 2016 Documento nº 00000.029651/2016-57 RESOLUÇÃO Nº 529, DE 23 DE MAIO DE 2016 Documento nº 00000.029651/2016-57 Dispõe sobre o uso de Certificado Digital no âmbito da Agência Nacional de Águas ANA. O DIRETOR-PRESIDENTE DA AGÊNCIA DE ÁGUAS-ANA,

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) André Gustavo Assessor Técnico de Informática MARÇO/2012 Sumário Contextualização Definições Princípios Básicos de Segurança da Informação Ameaças

Leia mais

Capítulo 8. Segurança de redes

Capítulo 8. Segurança de redes Capítulo 8 Segurança de redes slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. Computer Networks, Fifth Edition by Andrew Tanenbaum and David Wetherall, Pearson Education-Prentice Hall,

Leia mais

Certificação Digital. Questões

Certificação Digital. Questões Certificação Digital Questões 1) FAURGS - TJ - AUXILIAR DE COMUNICAÇÃO TJM - 2012 2) ESAF - 2012 - MF - Assistente Técnico Administrativo Para a verificação de uma assinatura digital numa mensagem eletrônica,

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA GERENCIAMENTO DE REDES Segurança Lógica e Física de Redes 2 Semestre de 2012 SEGURANÇA LÓGICA: Criptografia Firewall Protocolos Seguros IPSec SSL SEGURANÇA LÓGICA: Criptografia

Leia mais

Criptografia e PGP. Fernando J. Carmo, Pedro A. Lemes, Tiago H. Freitas. Faculdade de Tecnologia de Guaratinguetá Guaratinguetá SP Brasil

Criptografia e PGP. Fernando J. Carmo, Pedro A. Lemes, Tiago H. Freitas. Faculdade de Tecnologia de Guaratinguetá Guaratinguetá SP Brasil Criptografia e PGP Fernando J. Carmo, Pedro A. Lemes, Tiago H. Freitas Faculdade de Tecnologia de Guaratinguetá Guaratinguetá SP Brasil fdesenvolvedor@hotmail.com, pedro.lemes@gmail.com tiagofreitas12@gmail.com

Leia mais

Introdução à Criptografia. Segurança da Informação Prof. João Bosco M. Sobral

Introdução à Criptografia. Segurança da Informação Prof. João Bosco M. Sobral Introdução à Criptografia Segurança da Informação Prof. João Bosco M. Sobral 1 O que é Segurança da Informação Segurança de Informação relaciona-se com vários e diferentes aspectos referentes à: confidencialidade

Leia mais

Segurança em redes de. Histórico da escrita secreta

Segurança em redes de. Histórico da escrita secreta Segurança em redes de computadores Histórico da escrita secreta Evolução da escrita secreta Mensagem oculta Fatos históricos narrados por Heródoto desde 480 a.c. Histaeucontra o rei persa Maria I Stuart,

Leia mais

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com

TRANSMISSÃO DE DADOS Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com - Aula 7 1. A CAMADA DE APLICAÇÃO Parte 1 Depois de estudar todas as camadas preliminares, chegamos à camada onde são encontradas todas as aplicações. As camadas situadas abaixo da camada de aplicação

Leia mais

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:11 Leite Júnior

ÍNDICE. www.leitejunior.com.br 16/06/2008 17:11 Leite Júnior ÍNDICE CRIPTOGRAFIA...2 TERMOS DA CRIPTOGRAFIA...2 MENSAGEM ORIGINAL...2 CIFRAR(ENCRIPTAR)...2 DECIFRAR(DECRIPTAR)...2 ALGORITMO DE CRIPTOGRAFIA...2 MENSAGEM CIFRADA(OU ENCRIPTADA)...2 CHAVE...2 TAMANHO

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação INF-108 Segurança da Informação Autenticação Prof. João Henrique Kleinschmidt Santo André, junho de 2013 Resumos de mensagem (hash) Algoritmo Hash são usados quando a autenticação é necessária, mas o sigilo,

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno

PROJETO INTEGRADOR. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS PROJETO INTEGRADOR 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno GOIÂNIA 2014-1 Sistemas de Gestão Empresarial Alunos: Alessandro Santos André de Deus Bruno

Leia mais

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores. Segurança Lógica

Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores. Segurança Lógica Fundamentos em Segurança de Redes de Computadores Segurança Lógica 1 Segurança Lógica Mecanismos de Controle A Segurança Lógica é aspecto abrangente e complexo, requerendo, consequentemente, um estudo

Leia mais

Software de Telecomunicações. Introdução à Cifra

Software de Telecomunicações. Introdução à Cifra Software de Telecomunicações Introdução à Cifra Prof RG Crespo Software de Telecomunicações Introdução : 1/21 Plano de estudos Parte I Definições básicas Cifras clássicas: Substituição: monoalfabética

Leia mais

Protocolos Básicos e Aplicações. Segurança e SSL

Protocolos Básicos e Aplicações. Segurança e SSL Segurança e SSL O que é segurança na rede? Confidencialidade: apenas remetente e destinatário pretendido devem entender conteúdo da mensagem remetente criptografa mensagem destinatário decripta mensagem

Leia mais

Proteção de Procedimentos Armazenados em Banco de Dados SQL SERVER 2008 Utilizando Criptografia

Proteção de Procedimentos Armazenados em Banco de Dados SQL SERVER 2008 Utilizando Criptografia Proteção de Procedimentos Armazenados em Banco de Dados SQL SERVER 2008 Utilizando Criptografia Altair Alexandre Paula de Souza Faculdade de Tecnologia da Zona Leste SP Brasil altairaps@gmail.com Carolina

Leia mais

Infoestrutura: Autenticação e Assinatura Digital

Infoestrutura: Autenticação e Assinatura Digital Infoestrutura: Autenticação e Assinatura Digital 1. Introdução No mundo físico, é fácil reconhecer quem é quem, seja vendo, escutando ou reconhecendo a caligrafia da pessoa. Entretanto, no mundo digital,

Leia mais

C R I P T O G R A F I A

C R I P T O G R A F I A Faculdade de Ciência e Tecnologia C R I P T O G R A F I A A CRIPTOGRAFIA NA SEGURANÇA DE DADOS Rodrigo Alves Silas Ribas Zenilson Apresentando Cripto vem do grego kryptós e significa oculto, envolto, escondido.

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PROF. SÓCRATES FILHO http://socratesfilho.wordpress.com

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PROF. SÓCRATES FILHO http://socratesfilho.wordpress.com Comentários sobre prova do TRE/PR 2009 (CESPE TRE/PR 2009 Analista Judiciário Especialidade: Análise de Sistemas) A figura acima ilustra como um sistema de gerenciamento de segurança da informação (SGSI)

Leia mais

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com

Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Segurança em Sistemas de Computação Davidson Rodrigo Boccardo flitzdavidson@gmail.com Segurança Segurança deve considerar o ambiente externo do sistema, e proteger de: Acesso não autorizado Alteração ou

Leia mais

C.I.A. Segurança de Informação. Carlos Serrão (MSc., PhD.) IUL-ISCTE, DCTI, Adetti/NetMuST. carlos.serrao@iscte.pt carlos.j.serrao@gmail.

C.I.A. Segurança de Informação. Carlos Serrão (MSc., PhD.) IUL-ISCTE, DCTI, Adetti/NetMuST. carlos.serrao@iscte.pt carlos.j.serrao@gmail. C.I.A. Segurança de Informação Carlos Serrão (MSc., PhD.) IUL-ISCTE, DCTI, Adetti/NetMuST carlos.serrao@iscte.pt carlos.j.serrao@gmail.com http://www.carlosserrao.net http://blog.carlosserrao.net http://www.iscte.pt

Leia mais

Unidade II SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Prof. Victor Halla

Unidade II SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. Prof. Victor Halla Unidade II SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Prof. Victor Halla Conteúdo Importância da Segurança da Informação Propriedades da Informação Ciclo de vida da Informação Estudo de casos Barreiras metodológicas de segurança

Leia mais

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 09 Criptografia. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com

Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 09 Criptografia. Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Auditoria e Segurança de Sistemas Aula 09 Criptografia Felipe S. L. G. Duarte Felipelageduarte+fatece@gmail.com Criptologia Esteganografia Criptografia Criptanálise Cifragem Chaves Assimétrica Chaves Simétrica

Leia mais

Conceitos de segurança da informação. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com

Conceitos de segurança da informação. Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Conceitos de segurança da informação Prof. Nataniel Vieira nataniel.vieira@gmail.com Introdução A infraestrutura de rede, os serviços e dados contidos nos computadores ligados a ela são bens pessoais,

Leia mais

ICSP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ FESP FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

ICSP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ FESP FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ICSP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ FESP FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE CRIPTOGRAFIA CURITIBA 2006 2 CARLOS EDUARDO DOS SANTOS SISTEMAS

Leia mais

Aplicações da Informática na Odontologia

Aplicações da Informática na Odontologia Aplicações da Informática na Odontologia Introdução Qualquer base de conhecimento, fixada materialmente e disposta de maneira que se possa utilizar para consulta. Qualquer registro gráfico. Documento Entende-se

Leia mais

Smart Card Virtual e Autoridade Certificadora Distribuída. Jeroen van de Graaf Laboratório de Computação Científica UFMG jvdg@lcc.ufmg.

Smart Card Virtual e Autoridade Certificadora Distribuída. Jeroen van de Graaf Laboratório de Computação Científica UFMG jvdg@lcc.ufmg. Smart Card Virtual e Autoridade Certificadora Distribuída Jeroen van de Graaf Laboratório de Computação Científica UFMG jvdg@lcc.ufmg.br Programa O que é uma ICP? O que é ICP-EDU Qual é a proposta do GT-ICP-EDU

Leia mais

Sistemas Distribuídos Introdução a Segurança em Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Introdução a Segurança em Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos Introdução a Segurança em Sistemas Distribuídos Departamento de Informática, UFMA Graduação em Ciência da Computação Francisco José da Silva e Silva 1 Introdução Segurança em sistemas

Leia mais

Criptografia fundamentos e prática. Italo Valcy CERT.Bahia / UFBA

Criptografia fundamentos e prática. Italo Valcy <italo@pop-ba.rnp.br> CERT.Bahia / UFBA Criptografia fundamentos e prática Italo Valcy CERT.Bahia / UFBA Licença de uso e atribuição Todo o material aqui disponível pode, posteriormente, ser utilizado sobre os termos da:

Leia mais

UFF - Universidade Federal Fluminense

UFF - Universidade Federal Fluminense UFF - Universidade Federal Fluminense Unidade: PURO - Pólo Universitário de Rio das Ostras Centro Tecnológico Instituto de Computação Departamento de Ciência da Computação Disciplina: Informática I Turma:

Leia mais

Sistemas Distribuídos Segurança em Sistemas Distribuídos: Gerenciamento, Canais de Acesso e Controle de Acesso aos Dados I. Prof. MSc.

Sistemas Distribuídos Segurança em Sistemas Distribuídos: Gerenciamento, Canais de Acesso e Controle de Acesso aos Dados I. Prof. MSc. Sistemas Distribuídos Segurança em Sistemas Distribuídos: Gerenciamento, Canais de Acesso e Controle de Acesso aos Dados I Prof. MSc. Hugo Souza Após abordarmos a distribuição de responsabilidades providas

Leia mais

1 - Conceitos de Certificação Digital - (25 min) Karlos Emanuel

1 - Conceitos de Certificação Digital - (25 min) Karlos Emanuel CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PORTAL DIGITAL DE CONSULTA GERAL ELETRÔNICA Gerente do Projeto: Karlos Emanuel Apresentadores e Apoios: Karlos Freitas Gerente de Projeto Karlos Raphael Analista de Suporte Marieta

Leia mais

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02

Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02 Tencologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina: WEB I Conteúdo: Segurança da Informação Aula 02 Agenda 1. Segurança da Informação 1.1.Introdução 1.2.Conceitos 1.3.Ameaças a Segurança da

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 4 Introdução aos Sistemas Biométricos 1. Identificação, Autenticação e Controle

Leia mais

Criptografia de chaves públicas

Criptografia de chaves públicas Marcelo Augusto Rauh Schmitt Maio de 2001 RNP/REF/0236 Criptografia 2001 RNP de chaves públicas Criptografia Introdução Conceito É a transformação de um texto original em um texto ininteligível (texto

Leia mais

INFRA-ESTRUTURA EM CHAVES PÚBLICAS TEMPORAL

INFRA-ESTRUTURA EM CHAVES PÚBLICAS TEMPORAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Geovani Ferreira da Cruz Guilherme Steinmann INFRA-ESTRUTURA EM CHAVES PÚBLICAS TEMPORAL Florianópolis, fevereiro de 2007 INFRA-ESTRUTURA

Leia mais

Certificados Digitais - Perguntas Frequentes

Certificados Digitais - Perguntas Frequentes Certificados Digitais - Perguntas Frequentes O que é um certificado digital? O certificado, na prática, equivale a uma carteira de identidade, ao permitir a identificação de uma pessoa, quando enviando

Leia mais

Tudo que você precisa saber sobre Criptografia

Tudo que você precisa saber sobre Criptografia Tudo que você precisa saber sobre Criptografia...e tinha medo de perguntar Criptografia vem do grego e significa escrita escondida. Bem, ainda não temos a tecnologia dos filmes de fantasia onde um pergaminho

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Princípios de Segurança de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Junho de 2011 1 / 44 Introdução Uma comunicação é dita segura se apresentar as seguintes

Leia mais

Segurança da Informação. Prof. Gleison Batista de Sousa

Segurança da Informação. Prof. Gleison Batista de Sousa Segurança da Informação Prof. Gleison Batista de Sousa Ao longo do tempo e com a evolução tecnologia surgiram uma quantidade enorme de problemas desafiadores relacionados a segurança da informação. Quais

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Certificado Digital Assinatura Digital

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Certificado Digital Assinatura Digital CERTIFICAÇÃO DIGITAL Certificado Digital Assinatura Digital CERTIFICADO e ASSINATURA DIGITAL CERTIFICADO Éo documento eletrônico de identidade emitido por Autoridade Certificadora credenciada pela AC Raiz

Leia mais

Criptografia simétrica e assimétrica: os principais algoritmos de cifragem

Criptografia simétrica e assimétrica: os principais algoritmos de cifragem Criptografia simétrica e assimétrica: os principais algoritmos de cifragem Ronielton Rezende Oliveira, MBA, PMP, ronielton@ronielton.eti.br Resumo A palavra criptografia provém dos radicais gregos kriptos

Leia mais

Tema 4a A Segurança na Internet

Tema 4a A Segurança na Internet Tecnologias de Informação Tema 4a A Segurança na Internet 1 Segurança na Internet Segurança Ponto de Vista da Empresa Ponto de vista do utilizador A quem Interessa? Proxy Firewall SSL SET Mecanismos 2

Leia mais

Oficial de Justiça 2014. Informática Questões AULA 3

Oficial de Justiça 2014. Informática Questões AULA 3 Oficial de Justiça 2014 Informática Questões AULA 3 - Conceitos básicos de Certificação Digital - Sistema Operacional: Microsoft Windows 7 Professional (32 e 64-bits) operações com arquivos; configurações;

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Segurança na Internet Aula 4 Profa. Rosemary Melo Segurança na Internet A evolução da internet veio acompanhada de problemas de relacionados a segurança. Exemplo de alguns casos de falta

Leia mais

O QUE O CIRURGIÃO DENTISTA PRECISA SABER SOBRE CERTIFICADO DIGITAL

O QUE O CIRURGIÃO DENTISTA PRECISA SABER SOBRE CERTIFICADO DIGITAL O QUE O CIRURGIÃO DENTISTA PRECISA SABER SOBRE CERTIFICADO DIGITAL Resumo A necessidade de comprovar a autenticidade de documentos e atribuir lhes um valor legal, seja através de uma assinatura de próprio

Leia mais

FAQs Projecto Factura Electrónica Índice

FAQs Projecto Factura Electrónica Índice FAQs Projecto Factura Electrónica Índice 1) O que é a factura electrónica?... 2 2) O que significa a certificação legal nestas facturas?... 2 3) Como se obtém a assinatura digital e que garantias ela nos

Leia mais

Administração de Sistemas (ASIST)

Administração de Sistemas (ASIST) Administração de Sistemas (ASIST) Criptografia Outubro de 2014 1 Criptografia kryptós (escondido) + gráphein (escrita) A criptografia utiliza algoritmos (funções) que recebem informação e produzem resultados

Leia mais

Criptografia e Certificação Digital

Criptografia e Certificação Digital Criptografia e Certificação Digital Conheça os nossos produtos em criptografia e certificação digital. Um deles irá atender às necessidades de sua instituição. Criptografia e Certificação Digital Conheça

Leia mais

Certificação Digital - Será Que é Para Valer? 29 abril 2015 Auditório Escola Profissional Gustave Eiffel

Certificação Digital - Será Que é Para Valer? 29 abril 2015 Auditório Escola Profissional Gustave Eiffel Certificação Digital - Será Que é Para Valer? 29 abril 2015 Auditório Escola Profissional Gustave Eiffel Apoio Institucional Patrocinadores Globais A Certificação Digital numa Sociedade Desmaterializada

Leia mais

Tiago Maciel Sidney Medeiros

Tiago Maciel Sidney Medeiros 2º Encontro dos membros do projeto de pesquisa em E-commerce/B2B Tiago Maciel Sidney Medeiros 2º Encontro dos membros do projeto de pesquisa em E-commerce e B2B Objetivos Expor modelagem inicial do sistema

Leia mais

Assinatura e Certificação Digital

Assinatura e Certificação Digital e Certificação Digital Por Rafael Port da Rocha 2006 Versão: 07/04/06 20:28 Notas de ula - 2006 Rafael Port da Rocha 1 Características Básicas para um Processo de Comunicação I B C utenticidade: O usuário

Leia mais

Introdução. Iremos procurar ver aqui alguns mecanismos de proteção mais utilizados como: criptografia e SSL. 1.0 Criptografia

Introdução. Iremos procurar ver aqui alguns mecanismos de proteção mais utilizados como: criptografia e SSL. 1.0 Criptografia Introdução Atualmente no mundo internacional das redes e com o comércio eletrônico, todo sistema de computador se tornou um alvo em potencial para intrusos. O problema é que não há como saber os motivos

Leia mais

Atributos de segurança. TOCI-08: Segurança de Redes. Ataques a canais de comunicação. Confidencialidade

Atributos de segurança. TOCI-08: Segurança de Redes. Ataques a canais de comunicação. Confidencialidade Atributos de segurança TOCI-08: Segurança de Redes Prof. Rafael Obelheiro rro@joinville.udesc.br Aula 9: Segurança de Comunicações Fundamentais confidencialidade integridade disponibilidade Derivados autenticação

Leia mais