1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/15."

Transcrição

1 1- CENÁRIOS DO MERCADO E PREÇOS PARA SOJA, MILHO E TRIGO SAFRA 2014/ SOJA No caso da soja a produção mundial nas últimas 2 safras aumentou em 17% e a produção prevista para 2014/15 pelo Departamento de Agricultura Norte Americano - Usda é de safra de 311,2 milhões de toneladas, enquanto o consumo aumentou no período somente 10%. Esta situação fez com que a relação estoque/consumo mundial neste período fosse de 22% para 32%. Isto bate direto nos preços internacionais (CmeGroup) que reduziram em média nos últimos 12 meses de US$ 13,5 para US$ 9,5/bushel, ou seja, redução de 30%. Quadro 01 Balanço de oferta e demanda de soja no Mundo (milhões de t.) Itens Var % 2014/15* 2013/ /13 Estoque inicial 17,0% 66,5 56,8 53,6 Produção 9,2% 311,2 285,0 267,8 Importação 3,3% 112,5 108,9 95,9 Oferta Total 8,7% 490,2 450,8 417,3 Consumo Industrial 5,0% 284,3 270,9 259,9 Moagem 5,1% 251,5 239,2 229,6 Outros 3,8% 32,9 31,7 30,3 Exportações 1,6% 115,2 113,4 100,5 Consumo Total 4,0% 399,5 384,3 360,4 Estoques finais 36,4% 90,7 66,5 56,8 Relação estoque/consumo 32% 25% 22%. Quadro 02 Balanço de oferta e demanda de soja no Brasil (milhões de t.) Itens Var % 2014/15* 2013/ /13 Estoque inicial 10% 16,8 15,3 13,0 Produção 8% 94,0 86,7 82,0 Importação 0% 0,6 0,6 0,4 Oferta Total 9% 111,4 102,6 95,4 Consumo Industrial 4% 40,8 39,0 38,2 Moagem 4% 37,6 36,0 35,2 Outros 5% 3,2 3,0 3,0 Exportações 0% 46,7 46,8 41,9 Consumo Total 2% 87,5 85,8 80,1 Estoques finais 43% 24,0 16,8 15,3 Relação estoque/consumo 27% 20% 19% A estimativa da safra de soja no Brasil para 2014/15 é de 94 milhões de toneladas, representando um aumento de 12 milhões de toneladas nas últimas 2

2 safras. Aliado a esta maior oferta está a posição dos fundos que potencializam os movimentos dos preços, para cima e para baixo, na bolsa de Chicago CmeGroup, conforme consta no gráfico a seguir. Gráfico 01 Relação entre a posição dos fundos e o preço da soja na bolsa de Chicago (milhões de t. e US$ por bushel) Fonte: Agrural, elaboração: Ocepar/Getec set/2014 O que ameniza em parte esta super oferta é que a demanda continua favorável principalmente na China que importará nesta safra 74 milhões de toneladas de soja em grãos, ou seja, 70% das importações mundiais de soja. Nos últimos 2 anos a China aumentou as importações em 14 milhões de toneladas e se considerarmos na última década este aumento foi superior a 50 milhões de toneladas TRIGO Quadro 03 Balanço de oferta e demanda de trigo no mundo (milhões de t.) Itens Var (%) 2014/ / /13 Estoque inicial 6% 185,6 175,0 196,2 Produção 1% 721,1 715,1 658,3 Importação -1% 154,7 156,5 144,2 Oferta Total 1% 1.061, ,6 998,7 Consumo 1% 714,1 704,5 679,5 Indústria 0% 573,8 574,3 542,2 Ração 8% 140,3 130,2 137,3 Exportações -6% 156,0 166,2 137,4 Consumo Total 0% 870,1 870,7 816,9 Estoques finais 4% 192,6 185,6 175,0 Relação estoque/consumo 22% 21% 21%

3 Quadro 04 Balanço de oferta e demanda de trigo no Brasil (milhões de t.) Itens Var (%) 2014/ / /13 Est. Inicial 80% 1,8 1,0 1,8 Produção 19% 6,3 5,3 4,4 Importação -7% 6,5 7,0 7,4 Oferta Total 10% 14,6 13,3 13,5 Consumo Interno 4% 11,9 11,4 10,9 Moagem 5% 11,3 10,8 10,7 Ração 0% 0,6 0,6 0,2 Exportações 900% 1,0 0,1 1,6 Consumo Total 12% 12,9 11,5 12,5 Estoques finais -6% 1,7 1,8 1,0 Relação estoque/consumo 13% 16% 8% A cultura do trigo a produção aumentou em 9,4% e a previsão de safra para 2014/15 do Usda é de 721,1 milhões de t. e o consumo no período aumentou em 4,5% fazendo com que, as relações estoque/consumo do trigo aumentassem de 21% para 22%. No Brasil a estimativa do Usda de out/14 é de uma safra de 6,3 milhões de toneladas, mas dados da Conab já apontam para uma safra próxima a 8,0 milhões de toneladas. As importações brasileiras para este ano estão previstas em 6,5 milhões de toneladas com redução de 1,0 milhão de toneladas na comparação com as 2 últimas safras MILHO Quadro 05 Balanço de oferta e demanda de milho no mundo (milhões de t.) Itens Var % 2014/ / /13 Estoque inicial 26% 173,0 137,7 134,4 Produção 0% 990,7 988,6 868,6 Importação -8% 111,7 122,0 99,4 Oferta Total 2% 1.275, , ,4 Consumo 2% 973,1 953,2 865,4 Ração 4% 596,2 575,8 519,4 Ind./Doméstico 0% 376,9 377,4 346,0 Exportações -12% 114,1 129,0 95,2 Consumo Total 0% 1.087, ,3 960,5 Estoques finais 10% 190,6 173,0 137,7 Rel. Estoque/consumo 18% 16% 14%

4 A cultura do milho a produção nas 2 últimas safras aumentou em 14,1% e a previsão de safra para 2014/15 do Usda é de 990,7 milhões de t. e o consumo no período aumentou em 12,4% fazendo com que, as relações estoque/consumo do milho aumentasse de 14% para 18%. Quadro 06 Balanço de oferta e demanda de milho no Brasil (milhões de t.) Itens Var % 2014/ / /13 Estoque inicial 25% 17,8 14,2 9,2 Produção -5% 75,0 79,3 81,5 Importação 0% 0,8 0,8 0,9 Oferta Total -1% 93,6 94,3 91,6 Consumo Interno 3% 56,5 55,0 52,5 Ração 3% 47,5 46,0 44,5 Doméstico 0% 9,0 9,0 8,0 Exportações -7% 20,0 21,5 25,0 Consumo Total 0% 76,5 76,5 77,5 Estoques finais -4% 17,1 17,8 14,2 Rel. Estoque/consumo 22% 23% 18% No Brasil a estimativa do Usda de out/14 é de uma safra de 75,0 milhões de toneladas com redução de 8% em relação há 2 safras. As exportações brasileiras para este ano estão previstas em 20 milhões de toneladas com redução de 5,0 milhões de toneladas na comparação com as 2 últimas safras. Os cenários da agricultura brasileira para 2014/15 são de redução dos preços em cerca de 30% no mercado internacional e de 15% no mercado doméstico, esta diferença de variações de preços é motivada pela desvalorização do Real frente ao Dólar. Este é um novo momento do agronegócio brasileiro, que após 8 anos apresenta um cenário de queda nos preços agrícolas e elevação de custos de produção da ordem de 5%, o que efetivamente afetará a rentabilidade dos produtores rurais. As culturas da soja, milho, trigo e algodão após 2 anos de safras cheias mundo afora apresentaram uma recomposição fantástica dos estoques mundiais e elevação da relação estoque/consumo, com impactos negativos nos preços internacionais das commodities.

5 2 - PREÇOS DO MILHO, TRIGO E SOJA AOS PRODUTORES PARANAENSES. Gráfico 02 Evolução dos preços médios recebidos pelos produtores paranaenses nos últimos 5 anos (R$/saca de 60 kg) Fonte: Seab/Deral, out/14. * ano de média dos preços até agosto. De acordo com os gráficos 02 e 03, os preços da soja, do milho e do trigo, apesar da queda ocorrida em 2014, estão em patamares muito melhores que os preços de O milho apresentou um acréscimo no período (2010 a 2014) de 32,5%, o trigo apresentou um acréscimo de 65% e a soja um acréscimo de 66% e isso explica fundamentalmente a expansão do agronegócio no Brasil. Gráfico 03 Evolução dos preços médios recebidos pelos produtores paranaenses nos últimos 12 meses (R$/saca de 60 kg) Fonte: Seab/Deral, out/14.

6 De acordo com o gráfico 03, os preços do milho estão estáveis há 1 ano (R$ 17,8/saca de 60 kg), os do trigo reduziram em R$ 19,0/saca e estão cotados atualmente em R$ 30,0/saca de 60 kg e os da soja também reduziram-se em R$ 10,0/saca e estão cotados atualmente em R$ 53,4/saca de 60 kg. 3 - EXPECTATIVAS DE PREÇOS FUTUROS NA CBOT - MILHO, TRIGO E SOJA Gráfico 04 Indicativo dos preços do milho, trigo e soja - novembro de 2014 a julho de 2016, nos contratos futuros da Bolsa de Chicago (US$/bushel) Fonte: CmeGroup Bolsa de Chicago, out/14. 1 bushel de soja e trigo = 27,216 kg e 1 bushel de milho = 25,400 kg. O indicativo dos preços na bolsa que é referencia para os preços no mundo é de ligeira melhoria, o que, indica que dados os fatores atuais de oferta e demanda das commodities não há espaço para redução e também para aumentos significativos. Os indicativos atuais para a evolução dos preços de nov./14 a jul./16 para o milho na bolsa de Chicago é de elevação de 20,0% para o milho, de 13,5% para o trigo e de 3,0% para soja. Esta informação do cenário futuro de preços das commodities demonstra que não há mais espaço para queda, pois, se os preços recuarem ainda mais, os produtores ao redor do mundo tenderão a reduzir a área cultivada e consequentemente a produção. Pois, preços abaixo dos atuais na Bolsa de Chicago não cobrem os custos de produção agrícola e desestimulam os produtores, principalmente os norte americanos a continuarem ampliando as áreas de cultivo.

7 4. RESULTADO DA ANÁLISE DOS MERCADOS Nos últimos 2 anos, ocorreu crescimento da oferta maior que o crescimento da demanda mundial para as commodities e também no Brasil, o que, propiciou a recomposição dos estoques mundiais e abastecimento mais tranquilo, com a recomposição da relação estoque/consumo. Quadro 07 Estoques finais mundiais do milho, trigo e soja (milhões de t.) Culturas Safra 2012/13 (milhões t.) Safra 2014/15 (milhões t.) Var. (milhões t.) Var. (%) Milho % Trigo % Soja % Fonte: Usda, Elaboração: Ocepar/Getec out/14. Este cenário levou ao equilíbrio de mercado com os preços em patamares menores que os vigentes nos últimos 2 anos. No entanto, o setor ligado ao agronegócio e principalmente os produtores estão capitalizados e em situação distinta da última crise vivenciada no setor que foi nas safras 2004/05 e 2005/06 com perdas na produção por problemas climáticos e também pelos baixos preços das commodities. O momento, em que, o setor vai passar será de otimização nos custos de produção, monitoramento mais intenso de oportunidades de mercado e gestão dos negócios com certa redução nos investimentos no médio e longo prazo. Este último fator motivado pelo novo cenário e principalmente pelos intensos investimentos realizados nos últimos 5 anos, o que propiciou a modernização dos meios de produção dos produtores rurais.

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL

REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL RELATÓRIO DA SAFRA DE SOJA E MILHO REGIÕES DE MAIOR CONCENTRAÇÃO NA PRODUÇÃO DE SOJA NO BRASIL Relatório do USDA traz levantamento das regiões de produção de soja no Brasil, com a concentração da produção

Leia mais

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015

AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 AGROSAFRA SETEMBRO DE 2015 1. Indicadores da macroeconomia brasileira. 2. Agro-cotações no PR para soja, trigo e milho - anual e mensal. 3. Agro-cotações na CBOT (bolsa de Chicago) para soja, trigo e milho

Leia mais

ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA

ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO NA AGRICULTURA Trabalho Elaborado pela Gerência Técnica e Econômica da Ocepar Curitiba, julho de 2008 ELEVAÇÃO DOS CUSTOS DE PRODUÇÃO I - INTRODUÇÃO: A agricultura brasileira

Leia mais

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif.

Fechamento dos Mercados Segunda-feira 07/11/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif. COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 989,25 981,50 7,75 992,00 981,75 JAN 998,50 990,75 7,75 1.001,75 990,00 MAR 1005,50 997,25 8,25 1.007,75 996,25 MAI 1012,25 1004,00 8,25 1.014,25

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas 2017

Balanço 2016 Perspectivas 2017 2203 Valor Bruto da Produção (VBP) 23 24 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 AGRICULTURA PUXA CRESCIMENTO DO VBP EM 2017 O cenário econômico internacional será o responsável pelo comportamento

Leia mais

(41) (41) Engenheiro-agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas

(41) (41) Engenheiro-agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas OS MERCADOS DE SOJA e MILHO EM 13/14 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro-agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas SINDIADUBOS Curitiba (PR), 31/out/13 www.agrural.com.br fmuraro@agrural.com.br

Leia mais

Trigo: Evolução dos preços recebidos pelos agricultores no PR e RS (jan/03 a abr/08) jan/07 mai/07. jan/06 set/06. set/05

Trigo: Evolução dos preços recebidos pelos agricultores no PR e RS (jan/03 a abr/08) jan/07 mai/07. jan/06 set/06. set/05 Trigo: Porque os preços estão subindo? Os agricultores brasileiros que ainda possuem trigo para vender estão recebendo atualmente um preço em reais, bem superior aos verificados nesta mesma época em anos

Leia mais

ANÁLISE DO MERCADO TRIGO. Análise para 2016

ANÁLISE DO MERCADO TRIGO. Análise para 2016 ANÁLISE DO MERCADO TRIGO Análise para 2016 SOJA MUNDO ANÁLISE DO MERCADO DE TRIGO MUNDO LONGO PRAZO Consumo e Projeção do Consumo Mundial de Trigo (em milhões de toneladas) 900 800 700 600 616 713 741

Leia mais

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda

mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda Soja Os preços médios da soja apresentaram pequena queda em fevereiro, como mostra a Tabela 1. O estado do Rio Grande do Sul não acompanhou o cenário de queda e apresentou variação positiva para fevereiro,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRIGO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A cultura da soja apresenta relevante importância para a economia brasileira, sendo responsável por uma significativa parcela na receita cambial do Brasil, destacando-se

Leia mais

Fechamento dos Mercados Quinta-feira 13/10/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif.

Fechamento dos Mercados Quinta-feira 13/10/16 granoeste.com.br (45) Atual Ant. Dif. COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 956,25 945,50 10,75 959,50 937,25 JAN 964,75 953,50 11,25 967,50 945,25 MAR 971,00 960,25 10,75 974,00 952,00 MAI 978,00 967,25 10,75 980,50 959,75

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja 1. PREVISÃO DE SAFRA E DESTINAÇÃO De acordo com o 7 Levantamento de safra 2015/16, publicado em abril pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área

Leia mais

Série histórica dos estoques mundiais Arroz 2005/ / / / / /2011

Série histórica dos estoques mundiais Arroz 2005/ / / / / /2011 BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Fevereiro 2011 ARROZ: Os preços de arroz em casca mostram-se praticamente estáveis no mês de fevereiro. Na terceira semana do mês, as cotações na Região Sul aumentaram, em

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SOJA DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar

Balanço 2016 Perspectivas Cana-de-açúcar Cana-de-açúcar 85 86 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 DÉFICIT NA PRODUÇÃO MUNDIAL DE AÇÚCAR, AUMENTO DA DEMANDA E QUEDA NOS ESTOQUES MANTERÃO TENDÊNCIA DE PREÇOS ALTOS A perspectiva é de

Leia mais

Gerenciamento de risco no agronegócio Ivan Wedekin

Gerenciamento de risco no agronegócio Ivan Wedekin Gerenciamento de risco no agronegócio Ivan Wedekin Junho de 2008 Assim caminha a humanidade 1. O consumidor é o grande beneficiário da inovação tecnológica no agronegócio. 2. Mais integração e adensamento

Leia mais

GIRASSOL Período: Julho de 2012

GIRASSOL Período: Julho de 2012 GIRASSOL Período: Julho de 2012 QUADRO I PREÇOS PAGO AO PRODUTOR (R$ 60/Kg) Centro de Referência Un Período Anteriores Período atual Variação (%) Julho/11 Julho/12 Preços Mínimos (60/Kg) Centro Sul 60

Leia mais

TRIGO Período de 27 a 30/07/2015

TRIGO Período de 27 a 30/07/2015 TRIGO Período de 27 a 30/07/205 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço PR 60 kg 34,43 34,35 34,45 34,42 Semana Atual Preço

Leia mais

CONJUNTURA MENSAL MAIO

CONJUNTURA MENSAL MAIO SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA MENSAL MAIO ANO 1 Nº1 O mercado de soja tem observado movimentação de queda em seus preços, decorrente principalmente das evoluções no lado da oferta, tanto em âmbito nacional

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016

CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 01 A 15/02/2016 ANO 2 Nº14 A colheita avança e começa a derrubar os preços da soja em Mato Grosso. De acordo com dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Boletim n.51, Outubro, AGROPECUÁRIA. Análise do segundo trimestre de 2012 e primeiro semestre de 2012

Boletim de Conjuntura Econômica Boletim n.51, Outubro, AGROPECUÁRIA. Análise do segundo trimestre de 2012 e primeiro semestre de 2012 Tonin et al. 37 CONJUNTURA ECONÔMICA Boletim de Conjuntura Econômica Boletim n.51, Outubro, 2012 5 AGROPECUÁRIA Análise do segundo trimestre de 2012 e primeiro semestre de 2012 Julyerme Matheus Tonin Professor

Leia mais

A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG. Alexandre Mendonça de Barros

A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG. Alexandre Mendonça de Barros A economia agrícola internacional e a questão da expansão agrícola brasileira ABAG Alexandre Mendonça de Barros 05 de Agosto de 2013 1 Índice As transformações da economia agrícola internacional Vantagens

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ARROZ NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 31/03/2016

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 31/03/2016 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 31/03/2016 ANO 2 Nº17 A colheita praticamente finalizada em Mato Grosso e o recuo do dólar têm contribuído para o movimento de baixa dos preços, mesmo com a

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Outubro de 2015 Safra de grãos recorde contribuirá para o avanço do agronegócio brasileiro neste ano Priscila Pacheco Trigo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos A agricultura brasileira vem mostrando

Leia mais

No mês de janeiro houve queda no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Goiás.

No mês de janeiro houve queda no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Goiás. BOLETIM DO COMPLEXO SOJA 1. Grão: No mês de janeiro houve queda no preço médio em quase todos os estados, com exceção de Goiás. Mesmo com a queda no preço Santa Catarina obteve a maior média de preços

Leia mais

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015

CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015 SOJA - MATO GROSSO CONJUNTURA QUINZENAL 16 A 30/11/2015 ANO 1 Nº9 O ritmo intenso de plantio da soja em Mato Grosso ao longo de todo o mês de novembro contribuiu para que a marca de 95,6% fosse atingida

Leia mais

Fechamento dos Mercados Sexta-feira 13/10/17 granoeste.com.br (45)

Fechamento dos Mercados Sexta-feira 13/10/17 granoeste.com.br (45) COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min NOV 1000,25 992,00 8,25 1003,25 990,25 JAN 1010,25 1002,50 7,75 1013,00 1000,50 MAR 1019,25 1012,00 7,25 1022,25 1010,25 MAI 1.028,00 1.021,25 6,75

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Agosto de 2012

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Agosto de 2012 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Agosto de 2012 Milho: Em Unaí (MG), a elevação registrada na cotação em relação ao mês de julho foi de 17,4%. Desta forma, o valor da saca de 60 quilos de milho passou para R$ 28,20.

Leia mais

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos

Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos www.imea.com.br Perspec8vas para a agropecuária brasileira para os próximos cinco anos Daniel Latorraca Superintendente Agenda Visão da cadeia de grãos nos últimos 10 anos Visão da pecuária nos últimos

Leia mais

Esalq a vista 150,67-0,02 150,69

Esalq a vista 150,67-0,02 150,69 COTAÇÕES AGRÍCOLAS SEMANAL SEMANA: 43 sexta-feira, 21 de outubro de 216 BOI (contrato 33@) - Em R$/@ Esalq a vista 15,67 -,2 15,69 out/16 15,81 -,76 15,7 151, 263 9.546 151,57-25,8 nov/16 152,2 -,58 151,7

Leia mais

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2014 MUNDO SAFRA 2014/15 Devido ao aumento das cotações nas últimas safras, principalmente na comparação com o milho, o cultivo da soja vem aumentando

Leia mais

COMPLEXO SOJA. Fechamento dos Mercados Segunda-feira 03/08/15

COMPLEXO SOJA. Fechamento dos Mercados Segunda-feira 03/08/15 COMPLEXO SOJA CBOT - Soja (U$/Bushel = 27,216) Máx Min AGO 977,50 980,75-3,25 983,75 971,50 SET 945,00 953,25-8,25 953,50 939,50 NOV 935,50 940,25-4,75 942,25 926,25 JAN 941,00 945,75-4,75 947,75 931,75

Leia mais

Associação Brasileira dos Produtores de Soja

Associação Brasileira dos Produtores de Soja Associação Brasileira dos Produtores de Soja De acordo com o 5 Levantamento de safra 2015/16, publicado em fevereiro pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada deve crescer 3,6%

Leia mais

Mamona Período: janeiro de 2016

Mamona Período: janeiro de 2016 Mamona Período: janeiro de 2016 Quadro I: preço pago ao produtor Centro de Produção UF Unidade 12 meses (a) Média de Mercado 1 mês (b) Mês atual (c) Preço mínimo Var % (c/a) Irecê BA 60kg 78,96 93,13 88,33

Leia mais

BOLETIM DO MILHO Nº 13

BOLETIM DO MILHO Nº 13 BOLETIM DO MILHO Nº 13 COMERCIALIZAÇÃO O acompanhamento semanal de safras do DERAL indica que foram comercializadas, no Paraná, até o momento, 10,4 milhões de toneladas de milho, o que representa 73% da

Leia mais

ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO. Perspectivas para 2016 e Projeções para 2017

ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO. Perspectivas para 2016 e Projeções para 2017 ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO Perspectivas para 2016 e Projeções para 2017 ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO LONGO PRAZO Consumo e Projeção do Consumo Mundial de Milho em Grão (em milhões de toneladas) 1.400 1.200

Leia mais

TRIGO ABASTECIMENTO NACIONAL

TRIGO ABASTECIMENTO NACIONAL TRIGO ABASTECIMENTO NACIONAL Paulo Magno Rabelo Diretoria de Política Agrícola e Informações Analista de Mercado SITUAÇÃO NO MUNDO PRODUÇÃO MUNDIAL E BRASILEIRA DOS PRINCIPAIS GRÃOS EM 2014/15 ÁREA, PRODUÇÃO,

Leia mais

O TRIGO NO BRASIL E NO MUNDO CADEIA DE PRODUÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO

O TRIGO NO BRASIL E NO MUNDO CADEIA DE PRODUÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO O TRIGO NO BRASIL E NO MUNDO CADEIA DE PRODUÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO Prof José Roberto Canziani DERE/UFPR Profª Vania Di Addario Guimarães DERE/UFPR Agosto - 2009 SEQUÊNCIA DA APRESENTAÇÃO

Leia mais

Total das exportações do Rio Grande do Sul. Exportações no período acumulado de janeiro a fevereiro de 2016.

Total das exportações do Rio Grande do Sul. Exportações no período acumulado de janeiro a fevereiro de 2016. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de fevereiro de 2016. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

FERTILIZANTES E GLIFOSATO SOBEM MAIS DE 30% NA SAFRA 2007/08

FERTILIZANTES E GLIFOSATO SOBEM MAIS DE 30% NA SAFRA 2007/08 Custos Soja FERTILIZANTES E GLIFOSATO SOBEM MAIS DE 30% NA SAFRA 2007/08 Os reajustes de fertilizantes e glifosato da safra 2006/07 para a 2007/08 de soja no Centro-Oeste são históricos, ultrapassando

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADEDE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIASECONÔMICAS CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADEDE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIASECONÔMICAS CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS Bollettiim de Agrropecuárriia da FACE Nº 61,, Settembrro de 2016 Segue abaixo uma breve explicação sobre os dados agropecuários analisados neste Boletim. Pesquisa, acompanhamento e avaliação de safras

Leia mais

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013

SEAB Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento DERAL - Departamento de Economia Rural. MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 MILHO PARANENSE - SAFRA 2013/14 Novembro de 2013 A estimativa para a 1ª safra de milho, temporada 2013/14, aponta uma redução de aproximadamente 180 mil hectares, que representa um decréscimo de 23% em

Leia mais

O que falta é gestão!! Leonardo Sologuren Horizon Company

O que falta é gestão!! Leonardo Sologuren Horizon Company O que falta é gestão!! Leonardo Sologuren Horizon Company Agricultura: um banco a céu aberto? Estamos inseridos em diversos operações financeiras: Taxa de câmbio Taxa de juros Cotação em bolsas Emissão

Leia mais

Importações no período acumulado de janeiro até dezembro de 2015.

Importações no período acumulado de janeiro até dezembro de 2015. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de dezembro de 2015. Total das exportações do Rio Grande

Leia mais

CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL

CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL CENÁRIO DO TRIGO PARA O BRASIL EDSON CSIPAI BUNGE ALIMENTOS S.A. 25-10-2010 A importância do TRIGO no CUSTO dos negócios... Moinho de Trigo 80% Indústria de Macarrão 85% A formação do preço do trigo...

Leia mais

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008

1 Lavouras. Cereais, leguminosas e oleaginosas. Área e Produção - Brasil 1980 a 2008 1 Lavouras 1.1 Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas A quinta estimativa da safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas 1, indica uma produção da ordem de 144,3 milhões de toneladas,

Leia mais

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO Analista de Mercado Élcio A. Bento elcio@safras.com.br ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/@ Preço Mínimo R$ 44,6/@ ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/2 Jul A FORMAÇÃO DE PREÇOS NO MERCADO

Leia mais

A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná

A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná Fórum de Competitividade da Câmara Americana de Comércio - AMCHAM Curitiba 27/setembro/2017 Curitiba/PR A semente do cooperativismo no desenvolvimento competitivo do Estado do Paraná Eng. Agr. J O S É

Leia mais

GRÃOS TABELA 2 PREÇOS MÉDIOS RECEBIDOS PELOS PRODUTORES

GRÃOS TABELA 2 PREÇOS MÉDIOS RECEBIDOS PELOS PRODUTORES INDICADORES ECONÔMICOS TABELA 1 PRINCIPAIS INDICADORES ECONÔMICOS 2015 IPCA acumulado 12 meses anteriores ao mês de abril 8,17% 6,27% IPCA mês de abril 0,71% 0,67% PIB (último trimestre) 0,1% 2,7% 13,25%

Leia mais

TRIGO Período de 04 a 08/04/2016

TRIGO Período de 04 a 08/04/2016 TRIGO Período de 04 a 08/04/2016 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 12 meses Períodos anteriores 1 mês (*) 1 semana Preço PR 60 kg 33,89 40,13 40,62 41,00 Semana Atual

Leia mais

Preços do café continuam a cair, embora a uma taxa menor

Preços do café continuam a cair, embora a uma taxa menor Preços do café continuam a cair, embora a uma taxa menor Os preços do café continuaram em queda enquanto que o mercado permaneceu bem abastecido e os estoques nos países consumidores altos como resultado

Leia mais

BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Janeiro 2011

BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Janeiro 2011 BOLETIM CUSTO E PREÇO Balanço Janeiro 2011 ARROZ: Os preços de arroz em casca, cotados na terceira semana de janeiro de 2011, vem apresentando uma notável estabilidade, variando positivamente em 0,3% em

Leia mais

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período de 10/06 á 14/06 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período de 10/06 á 14/06 - Em R$ por saca de 60 kg. SOJA» MERCADO INTERNO O período correspondente a segunda semana do mês de junho foi de ajuste nos preços do mercado interno da soja com leve desvalorização. Houve um recuo de 2,66% nos preços praticados

Leia mais

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado

Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise. Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Cenário e a gestão do produtor em tempos de crise Fernando Lobo Pimentel Eng. Agrônomo e Advogado Agenda Cenário macroeconômico Internacional Doméstico Mercado agrícola Soja e milho Status da Safra Atual

Leia mais

Agropecuária CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA. Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados!

Agropecuária CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA. Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados! Agropecuária 2 CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA Consultoria Desenvolvendo soluções, alavancando resultados! Expansão do Comércio Apesar da ocorrência de crises econômicas nos principais países produtores

Leia mais

SOJA. Queda de 1,21% no preço médio da saca em MS na terceira semana de setembro, a saca está

SOJA. Queda de 1,21% no preço médio da saca em MS na terceira semana de setembro, a saca está SOJA Queda de 1,21% no preço médio da saca em MS na terceira semana de setembro, a saca está cotada em R$ 71,50. No mês, o preço médio da saca acumula leve alta de 0,35%. Quando comparado a setembro do

Leia mais

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017

PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS. Bebedouro, 21 de junho de 2017 PANORAMAS DE MERCADO DE GRÃOS: MILHO E SOJA FLAVIO ANTUNES CONSULTOR EM GERENCIAMENTO DE RISCOS Bebedouro, 21 de junho de 2017 Disclaimer A INTL FCStone não é responsável por qualquer redistribuição deste

Leia mais

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Leite

Balanço 2016 Perspectivas Pecuária de Leite Pecuária de Leite 121 122 Balanço 2016 Perspectivas 2017 Perspectivas 2017 TENDÊNCIA MUNDIAL É DE QUEDA NA PRODUÇÃO, MAS BRASIL PODE SER EXCEÇÃO NESTE CENÁRIO A baixa demanda de importantes países importadores

Leia mais

RESENHA SEMANAL 6-07 A 13/05/2017

RESENHA SEMANAL 6-07 A 13/05/2017 RESENHA SEMANAL 6-07 A 13/05/2017 INDICADORES: No Boletim Focus desta semana, as previsões para o IPC-Fipe e Investimento Direto no país pioraram, enquanto foram mais otimistas para IPCA, Balança Comercial

Leia mais

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio

Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial. Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio Evento: O Agronegócio e o Comércio Mundial Agronegócio Brasileiro: Atualidade e Desafio São Paulo, 22 de Setembro de 2015 Parece que estamos decolando ECONOMIA A BRASILEIR Agronegócio - Balança Comercial

Leia mais

UM ANO 4, 10EM JANEIRO UM ANO US$ US$ OUTUBRO 27/10/2016 PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE SOJA E MILHO EM 2016/17

UM ANO 4, 10EM JANEIRO UM ANO US$ US$ OUTUBRO 27/10/2016 PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE SOJA E MILHO EM 2016/17 PERSPECTIVAS PARA O MERCADO DE SOJA E MILHO EM 2016/17 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas SINDIADUBOS CURITIBA (PR), 27/out/16 US$ R$ UM ANO

Leia mais

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL Ano: 20 Mês: Outubro 1. Resumo Global Mercados internacionais de grãos permaneceram voláteis em Outubro. Enquanto os preços do milho, soja e

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Julho de 2013

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Julho de 2013 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Julho de 2013 Milho: O mês de julho foi marcado por preços em baixa no mercado doméstico e poucos negócios. Em Sorriso/MT apresentaram queda de 15,0% em relação ao mês junho, sendo

Leia mais

O panorama nacional do mercado de lácteos 2017 & Valter Bertini Galan MilkPoint Inteligência

O panorama nacional do mercado de lácteos 2017 & Valter Bertini Galan MilkPoint Inteligência O panorama nacional do mercado de lácteos 2017 & 2018 Valter Bertini Galan MilkPoint Inteligência www.dairyvision.com.br www.milkpoint.com.br/mercado Agenda O que temos até o momento em 2017 A memória

Leia mais

Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas

Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas Soja Os preços médios da soja pago aos produtores familiares pelas cooperativas apresentaram queda no primeiro mês de 2014, como mostra a Tabela 1. O estado de Minas Gerais foi o único que apresentou variação

Leia mais

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Equipe Técnica Kennya Beatriz Siqueira - Pesquisadora Embrapa Gado de Leite Alziro Vasconcelos Carneiro - Analista Embrapa Gado de

Leia mais

ANÁLISE DO PREÇO DO MILHO ENTRE OS ANOS DE 2005 A 2014

ANÁLISE DO PREÇO DO MILHO ENTRE OS ANOS DE 2005 A 2014 ANÁLISE DO PREÇO DO MILHO ENTRE OS ANOS DE 2005 A 2014 Lázaro Eduardo Faraoni¹, Fabio Bechelli Tonin² ¹Discente do curso de Tecnologia em Agronegócio- FATEC Botucatu edufaraoni@gmail.com ² Prof. Dr. Faculdade

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos MILHO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA

03/10/2014. Roteiro da Apresentação FINANCEIRIZAÇÃO DO MERCADO ANÁLISE TÉCNICA E DE CICLOS OFERTA E DEMANDA OS MERCADOS DE SOJA, MILHO E TRIGO EM 2015 FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas OCEPAR Curitiba (PR), 02/out/14 www.agrural.com.br A INFORMAÇÃO

Leia mais

Redução na produção mundial e brasileira e aumento no consumo trazem preços maiores aos agricultores

Redução na produção mundial e brasileira e aumento no consumo trazem preços maiores aos agricultores Redução na produção mundial e brasileira e aumento no consumo trazem preços maiores aos agricultores Safra mundial menor em 2007/08 Na safra 2007/08, o mundo deve colheu apenas 118,86 milhões de sacas

Leia mais

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A ÍNDIA CAEM 18% EM MARÇO

EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A ÍNDIA CAEM 18% EM MARÇO Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XIX 24/abril/2017 n. 672 EXPORTAÇÕES DE AÇÚCAR PARA A ÍNDIA CAEM 18% EM MARÇO Os dados mais atualizados sobre as exportações de açúcar bruto, refinado e

Leia mais

PANORAMA Y PERSPETIVAS DEL MERCADO MUNDIAL PARA EL ARROZ DEL MERCOSUR

PANORAMA Y PERSPETIVAS DEL MERCADO MUNDIAL PARA EL ARROZ DEL MERCOSUR PANORAMA Y PERSPETIVAS DEL MERCADO MUNDIAL PARA EL ARROZ DEL MERCOSUR Tiago Sarmento Barata Mestre em Agronegócios Analista de mercado de arroz Relação comercial entre os países do mercosul... Dez anos

Leia mais

Análise da evolução dos preços de milho no Brasil

Análise da evolução dos preços de milho no Brasil Introdução Análise da evolução dos preços de milho no Brasil Michele Souza Freitas (1), Rubens Augusto de Miranda (2), João Carlos Garcia (3) Segundo a Conab, na safra 2014/15, dos 202,3 milhões de toneladas

Leia mais

Esalq a vista 148,77-0,77 149,54

Esalq a vista 148,77-0,77 149,54 COTAÇÕES AGRÍCOLAS SEMANAL SEMANA: 52 sexta-feira, 23 de dezembro de 216 BOI (contrato 33@) - Em R$/@ Esalq a vista 148,77 -,77 149,54 dez/16 149,59 -,12 149,5 149,99 1 2.59 149,71-39,6 jan/17 149,5 1,1

Leia mais

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário

Gestão de Recebíveis. Um Novo Cenário 2015-16 Gestão de Recebíveis Um Novo Cenário Sobre a recuperação da economia americana: No começo achávamos que viria a recuperação em V, começamos a falar em U, daí passaram para o L - Austan Goolsbee

Leia mais

TRIGO Período de 25 a 29/04/2016

TRIGO Período de 25 a 29/04/2016 TRIGO Período de 25 a 29/04/206 Tabela I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$/60 kg) Centro de Produção Unid. 2 meses Períodos anteriores mês (*) semana Preço PR 60 kg 33,89 40,3 4,45 4,60 Semana Atual Preço

Leia mais

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL

MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR INFORMAÇÃO MENSAL Ano: 20 Mês: Setembro 1. Resumo Global Preços globais dos grãos mantiveram firmes em Setembro, com os preços do trigo atingindo novos picos relativamente

Leia mais

Apresentação dos Resultados 1T14

Apresentação dos Resultados 1T14 Apresentação dos Resultados 1T14 2 Processo de Turnaround Primeiros Resultados Medidas Implementadas Resultado Devolução de áreas com baixa relação entre produtividade e custo Definição e implementação

Leia mais

População mundial crescerá 34% até 2050.

População mundial crescerá 34% até 2050. Agronegócio no Mundo Protagonista no Cenário Mundial População mundial crescerá 34% até 2050. 10.000 9.000 8.000 7.000 6.000 5.000 4.000 3.000 2.000 1.000-9.150 7.670 6.830 195 210 219 2009 2020 2050 Mundo

Leia mais

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL PERSPECTIVAS PARA A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA NOS PRÓXIMOS 5 ANOS FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas ANDA 5º CONGRESSO BRASILEIRO DE FERTILIZANTES

Leia mais

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ

SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ CICLO DE PALESTRAS E DEBATES SOBRE COMERCIALIZAÇÃO DE ARROZ E TRIGO NO BRASIL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado Federal Flávio Turra Gerente Técnico e Econômico da Ocepar fturra@ocepar.org.br

Leia mais

SOJA Período: 11 a 15/05/ meses mês semana. Períodos anteriores. Paridade Exportação Centro de Referência Unid Efetivo (1)

SOJA Período: 11 a 15/05/ meses mês semana. Períodos anteriores. Paridade Exportação Centro de Referência Unid Efetivo (1) SOJA Período: 11 a 15/05/2015 Centro de Produção Quadro I - PREÇO PAGO AO PRODUTOR (em R$) Unid Períodos anteriores 12 1 1 meses mês semana Média mercado Semana atual Composto atacado Preço Mínimo SORRISO-MT

Leia mais

Parceiros Comerciais do RS no período de. janeiro a abril de 2016.

Parceiros Comerciais do RS no período de. janeiro a abril de 2016. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio exterior do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2016. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Leia mais

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil

LSPA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. Dezembro de Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil Diretoria de Pesquisas Coordenação de Agropecuária Gerência de Agricultura LSPA Dezembro de 2013 Levantamento Sistemático da Produção Agrícola Pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas

Leia mais

Abril de USDA PREVÊ AUMENTO DE 2,3% DA PRODUÇÃO DE LEITE BRASILEIRA EM 2012

Abril de USDA PREVÊ AUMENTO DE 2,3% DA PRODUÇÃO DE LEITE BRASILEIRA EM 2012 USDA PREVÊ AUMENTO DE 2,3% DA PRODUÇÃO DE LEITE BRASILEIRA EM 2012 De acordo com o relatório semestral do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção de leite no Brasil em 2012 deve

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS OUTUBRO/2016 Resumo de desempenho Outubro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR. Perspectivas 2010

INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR. Perspectivas 2010 Agência Nacional de Segurança Alimentar INFORMAÇÃO SOBRE O MERCADO INTERNACIONAL DE CEREAIS E AÇÚCAR Perspectivas 2010 Ano: 2010 Mês: Janeiro 1. Resumo Global As perspectivas para a produção mundial de

Leia mais

SOJA MERCADO INTERNO

SOJA MERCADO INTERNO SOJA MERCADO INTERNO O preço médio da saca em MS recuou 0,94% entre 11 e 24 de janeiro e cotada a R$ 65,63, destaque negativo foi para Campo Grande onde a queda chegou a 2,24% com a saca negociada a R$

Leia mais

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem.

Atualmente lavouras da Região Centro-Sul, principalmente Guarapuava e União da Vitória, estão sendo afetadas pela estiagem. Data : 11/03/2004 Hora : Título: Milho Fonte: Autor: Vera da Rocha Matéria: Apesar dos problemas climáticos no Paraná, ou seja, chuvas irregulares e mal distribuídas desde o início do ano, a produção da

Leia mais

No comparativo Set.13/ Set.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,47% e o vestuário apresentou queda de 8,26%.

No comparativo Set.13/ Set.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,47% e o vestuário apresentou queda de 8,26%. 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em Jan-Out de 2013 cresceram, em valor (US$), 2,4%, as exportações caíram 1,7%, enquanto o crescimento do déficit na Balança Comercial foi

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2016

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2016 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2016 As exportações paranaenses, em março, apresentaram aumento de +48,60% em relação a fevereiro. O valor exportado atingiu a US$ 1,490 bilhão, o mais

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ"

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ O conteúdo deste arquivo foi elaborado pela equipe Cepea no início de março/2008. Neste arquivo: Produtores de Mato Grosso deixam de ganhar até 38% Vendas antecipadas diminuem lucro do produtor Colheita

Leia mais

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015 LEITE E DERIVADOS JULHO / 2015 1. Mercado nacional 1.1 Preços pagos ao produtor Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em ho, ponderados pela produção, dos e estados pesquisados pelo Centro

Leia mais

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado

AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado AGROMENSAL CEPEA/ESALQ Informações de Mercado Mês de referência: FEVEREIRO/2012 CEPEA - SOJA I - Análise Conjuntural II - Séries Estatísticas 1. Diferenciais de preços 2. Estimativa do valor das alternativas

Leia mais

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão

Metodologia. Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Metodologia CONAB IBGE MAPA EMBRAPA FAPRI (Food and Agricultural Policy Research Institute ) USDA (United States Department of Agriculture) Modelos de Séries Temporais Específicos para previsão Foram usados

Leia mais

Terça 07 de março 08:00 IGP-DI (fev) FGV. 09:00 Índice de Preços ao Produtor - indústrias de transformação (jan) IBGE - PIB (4º tri.

Terça 07 de março 08:00 IGP-DI (fev) FGV. 09:00 Índice de Preços ao Produtor - indústrias de transformação (jan) IBGE - PIB (4º tri. Informe Semanal 42/2017 Publicado em 08 de março de 2017 Brasil Relatório Focus 06/03/2017 Agenda da Semana Conjuntura ISAE SUMÁRIO EXECUTIVO DA SEMANA Segunda 06 de março 08:25 Boletim Focus (Semanal)

Leia mais

Painel II: A Força do Agronegócio Brasileiro no Mercado Internacional. Comércio Exterior Agrícola

Painel II: A Força do Agronegócio Brasileiro no Mercado Internacional. Comércio Exterior Agrícola Painel II: A Força do Agronegócio Brasileiro no Mercado Internacional Comércio Exterior Agrícola Comércio Agrícola Mundial 2016 Principais Produtos Produção Exportação Nº de destinos do Brasil Açúcar 1

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos ALGODÃO DEZEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais