A sociedade controlando os gastos públicos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A sociedade controlando os gastos públicos"

Transcrição

1 A sociedade controlando os gastos públicos

2

3 Dez 1973

4 Set 1994

5 Jul 2008

6 Mar 1971

7 Nov 1991

8 Jun 2008 Educação: 36 anos depois Os mesmos problemas

9 Por que estes e outros problemas não se resolvem?

10 Evolução da Carga Tributaria no Brasil 40,01 34,7 40, ,8 19,36 22,4 CONSTITUIÇÃO FEDERAL 13, CRC-PR 25%

11 Abril 2004

12 Jun 2008

13 Abril 2008

14

15 Qual é a conclusão desta reflexão?

16 Por que o cidadão precisa acompanhar a aplicação do dinheiro público?

17 1. Estrutura oficial de fiscalização é insuficiente nos países em desenvolvimento e geralmente está concentrada nas capitais

18 2. Os órgãos de fiscalização do Estado agem depois que a fraude/desvio de recursos ocorreu

19 3. Eficiência X Efetividade Geralmente o Estado não recupera os recursos desviados

20 Conclusão: É preciso evitar os desvios... Trabalhar dia-a-dia na vigilância

21

22 4. Portais de transparência: Qual é o efeito?

23 Problema: Sociedade analfabeta em Cidadania Fiscal Proposta: Educação Fiscal

24 Maringá Paraná - Brasil habitantes (IBGE 2012) Orçamento 2012: R$ 773 milhões

25 MARINGÁ Dez 2000 Desvio de mais de R$ 100 milhões

26 Secretário Municipal Salário = R$ 4 mil Patrimônio = R$ 25 milhões

27 Ganhando R$4.000, o secretário municipal de Fazenda possuia: 10 (dez) apartamentos no Brasil e no exterior, 09 (nove) fazendas, 15 (quinze) carros, 02 (dois) aviões, 01 (um) helicóptero, 01 (uma) empresa de água mineral Patrimônio R$ ,00

28 Pedra Fundamental Em reunião na Receita Federal de Maringá, dia 30 de julho de 2003, diversas lideranças da cidade comentaram a necessidade e conveniência de se por as mãos na massa nas questões de ética e cidadania em nossa comunidade.

29 Receita Federal Universidades Estaduais Asociação Comercial Rotary Secretaria Educação PARCEIROS Cesumar e Faculdades Secretaria Ciência Tec Sincontábil OAB Receita Estadual

30 Receita Federal Universidades Estaduais Asociação Comercial Rotary Secretaria Educação Cesumar e Faculdades Secretaria Ciência Tec Sincontábil OAB Receita Estadual

31

32 Formada por voluntários, professores, estudantes, servidores públicos, profissionais liberais, empresários, aposentados e outros representantes da sociedade. Não filiados a partidos políticos.

33 Vote Certo Vote Certo

34 Sensibilização Fazendo Pensar

35

36 Sensibilização Fazendo Pensar

37 Sensibilização Fazendo Pensar

38

39

40

41

42 Participação da sociedade A legislação garante e incentiva DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO Art.15º, a sociedade tem o direito de pedir contas a todo agente público de sua administração. CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 5º, Incisos XXXIII e XXXIV, Art. 31 3º, Art. 74 2º LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL Lei Complementar nº. 101/2000 Art. 48 e 49 ESTATUTO DA CIDADE Lei nº /01 Art. 2º, inciso II e Art. 44

43 Primeiro Treinamento dos voluntários TCE, CGU e Universidade

44 FILOSOFIA DE TRABALHO 1. Sem vinculação político-partidaria 2. Não projetar uma pessoa ou institução (trabalho conjunto em nome do OBM) 3. Buscar mudança de cultura

45 IMPORTANTE - Apoio (tácito ou expresso) de autoridades públicas - (Poder coercitivo) Participacão efetiva da imprensa

46 Questionamentos dos Processos Analisados Ofício à Secretaria de Controle Interno Resposta SATISFATÓRIA Resposta INSATISFATÓRIA Metodologia do Ofício ao Chefe do Poder Executivo Observatório nos questionamentos dos processos acompanhados: Resposta SATISFATÓRIA Resposta INSATISFATÓRIA Reunião com Conselho Superior Encaminhamento Poder Legislativo e MP

47 Fase I Auditoria dos Editais de Licitação Metodologia Análise em tempo real dos editais: Detecta falhas e da sugestões para correção Maior planejamento Redução de Custos. Fase II Auditoria Fiscal Análise dos processos licitatórios em andamento: Detecta preços superfaturados Compras exageradas Deficiências nas especificações do objeto. Fase III Auditoria na Entrega Acompanha a entrega dos produtos e/ou serviço adquiridos Verifica se a quantidade e a qualidade do produtos conforme o contrato Audita o controle dos estoques nos almoxarifados

48 Alguns trabalhos realizados pelo OSM

49 Concorrência 016/05 Remédios Item Descrição Qtde Preço Unitário Preço Total ASS -100 mg - Preço Máximo , ,50 2 ASS -100 mg - Preço Licitado , ,50 ASS -100 mg - Preço da Ata , ,00 900% 11/5/2005 Adquirido empresa X NF Empenho / , ,00 (-) Preço Licitado , ,00 (=) Superfaturamento ,00 Intervenção do Observatório e cheque suspenso a pedido do Prefeito

50 PROVIDÊNCIAS RESTITUIÇÃO DO VALOR PAGO INDEVIDO R$ , ,00 (correção) = R$ ,50 Banco do Brasil Ag c/c Abertura de sindicância interna Encaminhamento ao Ministério Público Apurar responsabilidade funcional

51 COMPRAS SUPERFATURADAS Preço Sugerido de lançamento R$ 1,99 Licitação unidades R$ 4,30 R$ ,00 Licitação unidades R$ 0,31 R$ 930,00

52 PRODUTO DIFERENTE E DE BAIXA QUALIDADE Produto do Almoxarifado Amostra do representante ao OSM - 1 Linha Amostra Entregue na Licitação Como de 1 Linha Códigos Diferentes

53 Produto 02 Pomada com retinol, 5000 UI, 45 g Licitação 2006 (sem OSM) Licitação 2007 (com OSM) Marca - Cimed Empresa - Farmacia Paulo Quantidade 980 Marca - Cimed Empresa Cidade Verde Quantidade 600 Valor Unitário U$ 6,24 Valor Unitário U$ 1,19 Economia 424 %

54 Produto 16 Esparadrapo hipoalérgico (2,5 cm X 4 m) Licitação 2006 (sem OSM) Licitação 2007 (com OSM) Marca - Missiner Empresa Cidade Verde Quantidade 400 Marca - Missiner Empresa Cidade Verde Quantidade 400 Valor Unitário U$ 4,10 Valor Unitário U$ 0,98 Economia 320 %

55 64 medicamentos adquiridos em comum (mesmas quantidades) Medicamentos U$S Antes do Observatório Depois do Observatório , ,90 (=) Superfaturamento 425% ,62 Tenoxicam 20mg Antiinflamatório Lamotrigina 25mg Antiépiletico Furosemida 2ml Diurético 3,588 12,600 0,288 0,045 0,220 0,004 Antes OSM Depois OSM Antes OSM Depois OSM Antes OSM Depois OSM

56 COMPRA DE PRODUTO INEXISTENTE NO MERCADO Materiais de Limpeza para Lavagem de Veículos Tarja sobreposta Rótulo adulterado

57 Recursos Públicos Correta Aplicação Licitação Secretaria de Educação 19 empresas participantes Preço e Qualidade 51,4% 60,7%

58 Aquisição de Uniformes Escolares Produto Quant Economia Economia CAMISETA , , , , ,61 BERMUDA , , , , ,16 AGASALHO , , , , ,06 TOTAL , , , , ,83 Obs.: Considerando as mesmas quantidades Total de economia em dois anos R$ , Computadores 46 Casas Populares 17 mil Cestas Básicas

59 ENTREGA DE BRINQUEDOS DIFERENTE DO LICITADO Item Qtd Un Especificação PM Total PM Fornecedor PL BLOCOS de encaixe com 1000 peças Brink Mobil coloridas atóxicas e laváveis, com rodas e saco 171, ,20 peças para montar carrinhos, em sacolas Marca Brink 45,00 pva, com zíper. Mobil kit BLOCOS de montar tamanho médio em cores suaves, com 250 peças, com possibilidades de montar carrinhos com rodas. 169, ,90 Marileia Leal Marca Big Star 55,20

60 LIVROS DIDÁTICOS ACERVO TV CULTURA DVD entregue pela Editora Bearare R$ 59,70 Site da gravadora ST2 - Distribuidora dos produtos licenciados da TV Cultura R$ 24,90 Sobrepreço 139% Foto do encarte/atividades anexo ao DVD

61 LIVROS DIDÁTICOS ACERVO TV CULTURA Vários títulos, várias capas porém com conteúdo impresso idêntico. R$ 59,70/cada Pesquisa: Site Submarino R$ 35,90 DVD anexo ao BOOK Conteúdo impresso idêntico para todos os exemplares Sobrepreço 66%

62 LIVROS DIDÁTICOS ACERVO TV CULTURA DVD entregue pela Editora Bearare R$ 59,70 Site da gravadora ST2 - da TV Cultura R$ 18,60

63 Americana - SP

64 Outras atividades

65 Treinamentos para voluntários

66 Treinamentos para Servidores Municipais

67 Divulgação dos Editais de Licitações Mais participantes nos certames de noviembre de 2009 Redução média de 29,8% nos preços licitados em 2009

68 Quadro de Aviso das Licitações Quadro com os avisos de licitações expostos Quadro com os avisos de licitações fechado Avisos de licitações divulgados no sítio da PMM

69 INFORMATIZAÇÃO DO SETOR DE LICITAÇÃO Sala de licitações PMM Lei 9.163/12 Transmissão on-line das licitações

70 REUNIÃO COM EQUIPE DA SECRETARIA DA SAÚDE 27/08/08 APRESENTAÇÃO DO SISTEMA GESTOR SAÚDE PROJETO PILOTO NO POSTO CIDADE ALTA A Secretaria de Saúde de Maringá tem hoje o melhor Sistema e que pode ser aplicado no processo de Informatização de todo o SUS. Diretor adjunto de Desenvolvimento de Sistemas do DATASUS - Francisco Marques. Junho/2012

71 ALMOXARIFADO SECRETARIA DE SAÚDE Controle de estoque realizado a lápis.

72 Produtos em Estoque Fragilidades nos controles Produtos em Estoque Unidade Est. Est. Anos Consumo Inicial Final Aprox. Caderno de desenho gd - 96 folhas Unid Copo descartável - água ml Caixa Giz de cera 12 cores Caixa Limpa vidros ml Frasco Mamadeira de 160ml p/ chá Unid Pincel marcador p/quadro branco Unid Plástico transparente branco Rolo

73 QUANTIDADES INSUFICIENTES OU EXAGERADAS A regra: Não é quanto preciso comprar e sim quanto dinheiro tenho para gastar.

74

75

76 Controle de estoque (informatizado)

77 Evolução nos Almoxarifados ANTES

78 ALMOXARIFADO SECRETARIA DE SAÚDE Climatização não funcionava

79 Almoxarifado Central Agora

80 Antes, o Município possuía mais de 20 almoxarifados na cidade e cada Secretaria com setor próprio de manutenção de veículos. Agora, o Município possui Central de Compras e Central de Veículos CENTRAL DE COMPRAS CENTRAL DE VEÍCULOS

81 Reunião com as Diretoras de Escolas e Centros 24/04/2009 Balanças para pesagem dos hortifrutis Escolas e Centros Antes Total de 96 escolas e centros 25 sem balanças Agora TODAS AS ESCOLAS e CENTROS POSSUEM BALANÇAS

82 Apresentação do Compromisso Eleitoral na Campanha do Voto Consciente ACIM 17/08/2012

83 Mudança de Cultura

84 IRREGULARIDADES APURADAS Compras superfaturadas; Compras sem Licitação Produtos de baixa qualidade; Desperdícios de produtos em estoque; Participação de atravessadores; Especificação inadequada no descritivo do edital; Controle de estoque insuficiente; Entrega de produto diferente do licitado; Aquisição de produto inexistente no mercado.

85 Resultados

86 Resultados

87 LICITACIONES LICITAÇÕES EM MEDIA / MES PROCESSOS LICITATÓRIOS ANALISADOS PELO OSM = 23/Ano

88 Indicadores da Câmara Municipal de Maringá 1º Semestre 2010 Objetivo Acompanhar o trabalho realizado pelos vereadores maringaenses que compõem a décima quarta legislatura, no período de 2009 a 2012, fornecendo parâmetros que ajudem o cidadão a avaliar a atuação de seus representantes no Poder Legislativo.

89 ,15 Despesas Liquidadas de Janeiro a julho - 2,6% - 5% Sem considerar a atualização monetária ,26-5,2% , ,

90 Proposituras apresentadas de Janeiro a Junho de 2010 Tipo propositura Qtde % Qtde % Indicação ,24% ,76% Intervenção Setorial 27 3,47% 76 14,42% Homenagem 35 4,50% 50 9,49% Requerimentos Administrativos 86 11,07% 39 7,40% Autorizativo 51 6,56% 38 7,21% Aspectos Internos 9 1,16% 12 2,28% Req. Cumprimento de Lei 13 1,67% 10 1,90% Segmento Institucional 25 3,22% 4 0,76% Outros Requerimentos 94 12,10% 99 18,79% Total % %

91 Proposituras apresentadas de Janeiro a Junho de

92 Aspectos Internos Autorizativo Homenagem Intervenção Setorial Segmento Institucional Indicação Req. Cumprimento Lei Req. Administrativo Outros Req. Total Proposituras por autor Vereador Luiz do Postinho Dr. Heine Macieira Evandro Junior Marly Martin Zebrão Bravin Flávio Vicente Humberto Henrique Mário Verri Dr. Sabóia Dr. Paulo Soni Dr. Manoel Mário Hossokawa John Wellington Andrade Ton Schiavone Total

93 Área de Fundo de Vale do Jardim Universo Data Indicação Sugestão 20/01/ /01/ /01/ /01/ Implantação de campo de futebol suíço na área de fundo de vale do Jardim Universo. Implantar uma academia da primeira idade na área de fundo de vale do Jardim Universo. Implantar uma academia da terceira idade na área de fundo de vale do Jardim Universo. Implantação de pista de caminhada ao redor da área de fundo de vale do Jardim Universo. 20/01/ Construção de um salão comunitário no Jardim Universo. 30/01/ Implantação de sanitários ao lado da academia da terceira idade localizada no Jardim Universo.

94 Posto de Saúde do Conjunto Residencial Ney Braga Data Indicação Sugestão 14/09/ Alambrado ao redor do posto 14/09/ Implantação de estacionamento para ambulância defronte do posto 14/09/ Implantação de iluminação no pátio do posto 14/09/ Implantação de mureta ao longo da rampa de acesso ao posto 14/09/ Determine a realização de vistoria nas instalações do posto 14/09/ Implantação de escada para acesso ao estacionamento do posto 14/09/ Realização de limpeza no terreno localizado nos fundos do posto 14/09/ Implantação de horta comunitária no terreno existente nos fundos do posto 14/09/ Instalação de placa, com os dizeres "proibido jogar lixo", no terreno nos fundos do posto

95 Participação nas sessões e votações Vereador Fevereiro Março Abril Maio Junho Total Sess. Voto Sess. Voto Sess. Voto Sess. Voto Sess. Voto Sess. Voto Bravin 0% 0% 78% 72% 88% 74% 100% 95% 100% 98% 75,0% 72,4% Dr. Heine Macieira 100% 99% 100% 98% 100% 100% 100% 99% 63% 63% 92,5% 91,6% Dr. Manoel 100% 99% 100% 81% 100% 100% 100% 97% 100% 98% 100,0% 94,6% Dr. Paulo Soni 100% 97% 89% 79% 100% 96% 100% 98% 88% 84% 95,0% 90,4% Dr. Sabóia 100% 96% 89% 99% 88% 86% 100% 98% 100% 99% 95,0% 95,8% Evandro Junior 100% 75% 89% 56% 88% 56% 88% 61% 75% 67% 87,5% 62,0% Flávio Vicente 100% 93% 78% 74% 100% 95% 88% 78% 100% 96% 92,5% 86,8% Humberto Henrique 100% 100% 100% 100% 88% 87% 100% 99% 88% 86% 95,0% 94,2% John 43% 34% 67% 31% 63% 39% 75% 62% 75% 52% 65,0% 44,1% Luiz do Postinho 100% 97% 100% 99% 100% 98% 88% 85% 100% 99% 97,5% 95,6% Mário Hossokawa 100% 86% 89% 87% 100% 97% 100% 96% 100% 94% 97,5% 92,5% Mário Verri 86% 72% 89% 82% 75% 76% 88% 83% 88% 69% 85,0% 77,0% Marly Martin 100% 92% 100% 92% 63% 50% 100% 86% 88% 78% 90,0% 79,1% Ton Schiavone % 84% 100% 93% 100% 92% 100,0% 89,6% Wellington Andrade 43% 34% 89% 59% ,8% 49,5% Zebrão 100% 86% 100% 81% 88% 78% 100% 92% 88% 79% 95,0% 82,9%

96 Resultados

97 11 ju 08 jun Resultados 10 jun

98 Recursos Humanos Aposentados Voluntários Estagiários (universitários) Empregados Contratados Não mais de 30 pessoas Com o apoio de juízes, promotores, professores, auditores da Administração Tributaria, e de imprensa...

99 Quem financia o Observatório de Maringá 1. JUSTIÇA FEDERAL 2. ACIM Associação Comercial e Industrial 3. SIVAMAR Sindicato de comerciantes varejistas 4. CESUMAR Faculdade particular - 3 estagiários 5. GVT - Empresa de telecomunicação 6. SINEPE Sindicato estabelecimentos ensino 7. MELHOR COMUNICAÇÃO Empresa de Marketing 8. RECEITA FEDERAL 9. COCAMAR (cooperativa agro industrial) 10. SICRED (cooperativa de crédito) 11. SICOOB (cooperativa de crédito) 12. SINCONTABIL Sindicato de contadores

100 PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO 2008 O diretor da FINEP, Fernando Ribeiro, entrega troféu a Ricardo Bruno, presidente da SER Maringá. Curitiba, 08 de outubro de 2008

101 Lugar Programa Experiências em Inovação Social INOVAÇÃO SOCIAL A sociedade acompanhando os gastos públicos, para que o Governo exerça sua função de Estado, possibilitando que os cidadãos tenham assegurados seus direitos constitucionais: segurança, saúde, educação...

102

103

104 Observatórios em mais de 53 municípios distribuídos em 12 Estados

105 OUTROS PAÍSES Uruguai 2009 e 2011 São Diego e Los Angeles EUA 2010 Colômbia 2010 Mexico 2010 e 2011 Chile 2011

106 Problemas

107 Desafios

108 Próximos passos: 1. Licitações - com profissionais da área 2. Recursos Humanos (9.041 Servidores 231 CC) 3. Estabelecimento de indicadores para acompanhamento 4. Conscientização sobre eleição proporcional 5. Redesenhar portal da transparência

109 Sustentabilidade Justiça Federal; Ministério Público; Receita Federal; Receita Estadual; TCE; Polícia Federal Sociedade... CGU;

110 Apoio e Sustentação

111 FIM

112

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela

A ESTRELA QUE QUEREMOS. Planejamento Estratégico de Estrela Planejamento Estratégico de Estrela 2015 2035 O planejamento não é uma tentativa de predizer o que vai acontecer. O planejamento é um instrumento para raciocinar agora, sobre que trabalhos e ações serão

Leia mais

COMO INICIAR UM OS FLUXO PARA A IMPLANTAÇÃO DE UM OBSERVATÓRIO SOCIAL (OS)

COMO INICIAR UM OS FLUXO PARA A IMPLANTAÇÃO DE UM OBSERVATÓRIO SOCIAL (OS) COMO INICIAR UM OS FLUXO PARA A IMPLANTAÇÃO DE UM OBSERVATÓRIO SOCIAL (OS) 1 A seguir apresentamos o fluxo para a Implantação de um Observatório Social(OS), dentro do Sistema de Franquia Social da Rede

Leia mais

O CIDADÃO DEVE SER UM AUDITOR. Controladoria-Geral da União

O CIDADÃO DEVE SER UM AUDITOR. Controladoria-Geral da União O CIDADÃO DEVE SER UM AUDITOR Controladoria-Geral da União Controladoria-Geral da União Órgão central do Sistema de Controle Interno do Poder Executivo Federal MISSÃO DA CGU Zelar pela boa e regular aplicação

Leia mais

Transparência e Controle Social Pela eficiência e qualidade na aplicação dos recursos públicos

Transparência e Controle Social Pela eficiência e qualidade na aplicação dos recursos públicos Transparência e Controle Social Pela eficiência e qualidade na aplicação dos recursos públicos O que é um Observatório Social Que reúne o maior nº de entidades representativas da sociedade civil Atuando

Leia mais

Programa Nacional de Educação Fiscal A vivência da Educação Fiscal em Maringá - PR

Programa Nacional de Educação Fiscal A vivência da Educação Fiscal em Maringá - PR Programa Nacional de Educação Fiscal A vivência da Educação Fiscal em Maringá - PR Apresentação: Marcos Luchiancenkol Delegacia da Receita Federal Maringá-PR Ações que antecederam a Implantação do Programa

Leia mais

Sociedade: Um mecanismo de controle dos gastos públicos Prestação de Contas 3º Quadrimestre 2014

Sociedade: Um mecanismo de controle dos gastos públicos Prestação de Contas 3º Quadrimestre 2014 Sociedade: Um mecanismo de controle dos gastos públicos Prestação de Contas 3º Quadrimestre 2014 O que é? OBSERVATÓRIO SOCIAL É um espaço para o exercício da cidadania, que deve ser democrático e apartidário

Leia mais

Observatório Social de Campo Grande. osbrasil.org.br

Observatório Social de Campo Grande. osbrasil.org.br Observatório Social de Campo Grande ÁREA LIVRE DE CORRUPÇÃO O MENINO E A BOLA http://www.youtube.com/watch?v=7ugkofbau Oc Fundado em 02 de Junho de 2011, o Observatório Social de Campo Grande, mesmo sabendo

Leia mais

Encontros Estaduais/Regionais_2015 Pautas nacionais do OSB

Encontros Estaduais/Regionais_2015 Pautas nacionais do OSB Encontros Estaduais/Regionais_2015 Pautas nacionais do OSB Rede OSB pelo Brasil Roraima Pará Piauí Tocantins Rondônia Goiás Mato Grosso D.Federal Minas Gerais Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas

Leia mais

Encontros Estaduais/Regionais_2015 Pautas nacionais do OSB

Encontros Estaduais/Regionais_2015 Pautas nacionais do OSB Encontros Estaduais/Regionais_2015 Pautas nacionais do OSB 4 eixos de atuação da Rede OSB Licitações Cargos em Comissão Convênios Obras Processos Estoques Câmara Municipal 1- Gestão Pública 2- Educação

Leia mais

Brasília- IPEA-IFC-CONFEA Oficina de Políticas Públicas - 10/10/11 Lizete Verillo

Brasília- IPEA-IFC-CONFEA Oficina de Políticas Públicas - 10/10/11 Lizete Verillo Brasília- IPEA-IFC-CONFEA Oficina de Políticas Públicas - 10/10/11 Lizete Verillo Fundação Novembro/1999 Desenvolvimento social, cultural, turístico, econômico, juventude Objetivos: O acompanhamento da

Leia mais

Transparência e Controle Social Pela qualidade na aplicação dos recursos públicos 5ª Reunião Virtual com Observatórios Sociais 10 de junho

Transparência e Controle Social Pela qualidade na aplicação dos recursos públicos 5ª Reunião Virtual com Observatórios Sociais 10 de junho Transparência e Controle Social Pela qualidade na aplicação dos recursos públicos 5ª Reunião Virtual com Observatórios Sociais 10 de junho PAUTA 7 CRD Parceria CGU e OSB Boa prática: Estudo de Caso de

Leia mais

NOVA ATITUDE SOCIAL PARA A SUSTENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO

NOVA ATITUDE SOCIAL PARA A SUSTENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO Maio 2005 NOVA ATITUDE SOCIAL PARA A SUSTENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO Uma empresa cidadã tem direitos e deveres, assim como qualquer indivíduo. Trata-se de uma consciência crítica que nasce a partir do respeito

Leia mais

Transparência e Controle Social Pela qualidade na aplicação dos recursos públicos

Transparência e Controle Social Pela qualidade na aplicação dos recursos públicos Transparência e Controle Social Pela qualidade na aplicação dos recursos públicos O que é um Observatório Social Rede OSB de Controle Social Rede OSB pelo Brasil Roraima Pará Piauí Tocantins Rondônia Goiás

Leia mais

PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER

PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER PLANO DE AÇÕES SINDICAIS 2012 anexo ata de 03 de fevereiro de 2012 DEMANDA AÇÃO QUANDO FAZER COMO FAZER 1.1-Reunião com a diretoria 1.1.1 03/02 ( sexta feira ) 17h 1.1.1.1 Convocar membros da diretoria

Leia mais

PELA TRANSPARÊNCIA E QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS

PELA TRANSPARÊNCIA E QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS PELA TRANSPARÊNCIA E QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS ORIENTAÇÃO NORMATIVA n 01, de 02 de janeiro de 2010, atualizada em 01 de dezembro de 2012. Toda ação da sociedade em relação à transparência

Leia mais

Arranjo Produtivo Local APL Associação Terra Cozida do Pantanal

Arranjo Produtivo Local APL Associação Terra Cozida do Pantanal Arranjo Produtivo Local APL Associação Terra Cozida do Pantanal Rio Verde de MT MS Novembro/ 2010 1 PRESIDENTE DA ATCPAN Natel Henrique Farias de Moraes VICE PRESIDENTE DA ATCPAN Luiz Claudio Sabedotti

Leia mais

ROTEIRO DAS FISCALIZAÇÕES

ROTEIRO DAS FISCALIZAÇÕES ROTEIRO DAS FISCALIZAÇÕES A) CONHECER OS PROGRAMAS E POLÍTICAS PÚBLICAS B) PLANEJAR A AÇÃO DE CONTROLE/FISCALIZAÇÃO C) SOLICITAR INFORMAÇÕES PRÉVIAS D) VISITA AO LOCAL / INSPEÇÕES / ENTREVISTAS (TÉCNICAS

Leia mais

Relatório Quadrimestral de Prestação de Contas. Setembro à Dezembro de. osbrasil.org.br

Relatório Quadrimestral de Prestação de Contas. Setembro à Dezembro de. osbrasil.org.br Relatório Quadrimestral de Prestação de Contas Setembro à Dezembro de 2014 ESCLARECIMENTO Primeiramente esclarecemos aos presentes que as informações que aqui serão apresentadas foram obtidas nos sites

Leia mais

EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA - 2015 HISTÓRICO DO GRUPO DE EDUCAÇÃO FISCAL DO MUNICÍPIO DE LAGES

EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA - 2015 HISTÓRICO DO GRUPO DE EDUCAÇÃO FISCAL DO MUNICÍPIO DE LAGES EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA - 2015 HISTÓRICO DO GRUPO DE EDUCAÇÃO FISCAL DO MUNICÍPIO DE LAGES Em setembro 2011 reuniram-se pela primeira vez um grupo formado por representantes de diversas entidades

Leia mais

Observatório Social de Campo Grande. osbrasil.org.br

Observatório Social de Campo Grande. osbrasil.org.br Observatório Social de Campo Grande ÁREA LIVRE DE CORRUPÇÃO O MENINO E A BOLA http://www.youtube.com/watch?v=7ugkofbau Oc Fundado em 02 de Junho de 2011, o Observatório Social de Campo Grande, mesmo sabendo

Leia mais

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 018 /2011/CSCI Versão: 01 Aprovação em: 17 de novembro de 2011 Ato de Aprovação: 018/2011 Unidades Responsáveis: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS

Leia mais

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015

Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 Relatório Controle Interno 2º. Quadrimestre 2015 1. APRESENTAÇÃO Nos termos do artigo 74 da Constituição Federal, artigo 59 da Lei Complementar nº. 59, artigos 63 a 66 da Lei Complementar nº. 33, de 28

Leia mais

Comissão Permanente de Licitação. Servidores que compõem a Comissão Permanente de Licitação. Presidente: Claudia Márcia Oliveira Silva.

Comissão Permanente de Licitação. Servidores que compõem a Comissão Permanente de Licitação. Presidente: Claudia Márcia Oliveira Silva. Comissão Permanente de Licitação Servidores que compõem a Comissão Permanente de Licitação Presidente: Claudia Márcia Oliveira Silva Membros: Elisabeth Ribeiro Leite Silvia Cristina Vasconcelos Ferreira

Leia mais

PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OS DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO A ATUAÇÃO DO IBCPF NESSE CONTEXTO

PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OS DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO A ATUAÇÃO DO IBCPF NESSE CONTEXTO PLANEJAMENTO FINANCEIRO E OS DESAFIOS PARA A EDUCAÇÃO A ATUAÇÃO DO IBCPF NESSE CONTEXTO Gisele C. Andrade, CFP Rio de Janeiro, Dezembro de 2014 Licença do FPSB para promover a certificação CFP no Brasil

Leia mais

CAPA. Ministério de Ministério do Ministério do Ministério do Minas e Energia Desenvolvimento Social Meio Ambiente Planejamento

CAPA. Ministério de Ministério do Ministério do Ministério do Minas e Energia Desenvolvimento Social Meio Ambiente Planejamento CAPA Contextualização Crescimento das Despesas Administrativas Despesas Administrativas - comparáveis entre os órgãos; Suporte às despesas finalísticas. Apoio Administrativo, Técnico e Operacional Serviços

Leia mais

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010

FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 FESURV UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2009-2010 1 Fragilidade resultado inferior a 50% Ponto a ser melhorado 50% e 59,9% Potencialidade igual ou

Leia mais

Nova ética emergindo de crises mudança no sistema de emprego exclusão/marginalização social aumento das demandas sociais concentração de poder e

Nova ética emergindo de crises mudança no sistema de emprego exclusão/marginalização social aumento das demandas sociais concentração de poder e PROGRAMA NACIONAL DE EDUCAÇÃO FISCAL - PNEF A EDUCAÇÃO FISCAL COMO EXERCÍCIO DE CIDADANIA CONTEXTO Nova ética emergindo de crises mudança no sistema de emprego exclusão/marginalização social aumento das

Leia mais

Articulação Institucional para a Coleta Seletiva com Inclusão Social: Projeto Recicla Pernambuco

Articulação Institucional para a Coleta Seletiva com Inclusão Social: Projeto Recicla Pernambuco Articulação Institucional para a Coleta Seletiva com Inclusão Social: Projeto Recicla Pernambuco BERTRAND SAMPAIO DE ALENCAR São José dos Campos, 11 de junho de 2015 O INSTITUTO DE TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO

Leia mais

O PAPEL DO CONTROLE EXTERNO

O PAPEL DO CONTROLE EXTERNO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO FINANCEIRA I CICLO DE APERFEIÇOAMENTO EM GESTÃO FINANCEIRA O PAPEL DO CONTROLE EXTERNO Prof. Ariel Lopes Torres E-mail: ariel@unemat.br CÁCERES

Leia mais

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS

A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI: TÍTULO II DISPOSIÇÕES GERAIS LEI N o 1.633 DE 14 DE JANEIRO DE 2013. DEFINE A NOVA ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO MUNICÍPIO DE CAIAPÔNIA E DETERMINA OUTRAS PROVIDÊNCIAS A CÂMARA MUNICIPAL DE CAIAPÔNIA, ESTADO DE GOIÁS, APROVA E EU, PREFEITO

Leia mais

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA

TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR DIRETA De: Gabinete do Vereador Jimmy Pereira Para: Ação Jovem Brasil Resposta à solicitação de Informações para a formação do Índice de Transparência da Câmara do Rio TRANSPARÊNCIA QUANTO À ATUAÇÃO PARLAMENTAR

Leia mais

4 4 Ter uma educação básica de qualidade faz toda a diferença para o pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Para contribuir com essa

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DAS AÇÕES DO PVCC

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DAS AÇÕES DO PVCC ESTADO: GOIÁS COORDENADOR: HENRIQUE RICARDO BATISTA PERÍODO DO RELATÓRIO: Ano de 20 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DAS AÇÕES DO PVCC ATIVIDADE DATA N o DE HORAS LOCAL (Município) OBJETIVO N o PART RESULTADO/

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO CAPA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Contextualização Crescimento das Despesas Administrativas Despesas Administrativas - comparáveis entre os órgãos; Suporte às despesas finalísticas. Apoio Administrativo,

Leia mais

SIMA - Rotary Clube Arapongas - Rotary Clube de Arapongas Amanhecer Rotary Clube de Arapongas Maracanã FIEP - Sebrae - S.O.S.

SIMA - Rotary Clube Arapongas - Rotary Clube de Arapongas Amanhecer Rotary Clube de Arapongas Maracanã FIEP - Sebrae - S.O.S. SIMA - Rotary Clube Arapongas - Rotary Clube de Arapongas Amanhecer Rotary Clube de Arapongas Maracanã FIEP - Sebrae - S.O.S. Guarda Mirim Loja Maçônica Pássaros da Paz ASENARAG SESCAP/PR Paraná CRC/PR

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO MERENDA ESCOLAR. MERENDA ESCOLAR Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE)

QUESTIONÁRIO DO MERENDA ESCOLAR. MERENDA ESCOLAR Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) Este questionário tem por objetivo orientar a participação do cidadão na gestão pública a partir do controle das despesas públicas efetuadas e da oferta de sugestões aos órgãos do governo, para que estes

Leia mais

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 O Diretor Geral do Câmpus Juiz de Fora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG), no uso de suas atribuições

Leia mais

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL

CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO CARTILHA DE ORIENTAÇÃO SOBRE A LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL 1. O que é a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)? A Lei de Responsabilidade Fiscal é um código

Leia mais

www.osbrasil.org.br Indignar-se é importante Atitude é fundamental

www.osbrasil.org.br Indignar-se é importante Atitude é fundamental www.osbrasil.org.br Indignar-se é importante Atitude é fundamental VÍDEO INSTITUCIONAL Pela transparência e qualidade na aplicação dos recursos públicos! www.osbrasil.org.br OS instalados em 81 cidades

Leia mais

Tecnologia nos Municípios Brasileiros

Tecnologia nos Municípios Brasileiros PREFEITURA DE ITABORAÍ SECRETARIA DE FAZENDA ASSCT&I & (COBRA/BANCO DO BRASIL) DIRETORIA DE SISTEMAS INTEGRADOS Tecnologia nos Municípios Brasileiros O TERMO CIDADE DIGITAL Uma Cidade Digital muitas vezes

Leia mais

Mobilização: 5% do Orçamento para Assistência Social. [Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município nº 02/09]

Mobilização: 5% do Orçamento para Assistência Social. [Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município nº 02/09] Mobilização: 5% do Orçamento para Assistência Social [Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município nº 02/09] Apresentação O retrato social da cidade de São Paulo revela uma lógica contraditória: a cidade

Leia mais

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64

CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE CAMPINAS S/A - CEASA/CAMPINAS CNPJ: 44.608.776/0001-64 1.... ATIVO 152.101.493,67 50.040.951,48 153.182.697,98 1.10... ATIVO CIRCULANTE 12.634.079,13 49.780.167,34 14.042.894,83 1.10.10.. DISPONIBILIDADES 10.621.727,62 40.765.261,82 12.080.213,47 1101001 BENS

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA: Como fazer pagamentos em ordem cronológica e a responsabilidade do ordenador da despesa.

GESTÃO FINANCEIRA: Como fazer pagamentos em ordem cronológica e a responsabilidade do ordenador da despesa. GESTÃO FINANCEIRA: Como fazer pagamentos em ordem cronológica e a responsabilidade do ordenador da despesa. Paulo César Flores Contador, Sócio Diretor do IGAM - Instituto Gamma de Assessoria a Órgãos Públicos,

Leia mais

FILOSOFIA EMPRESARIAL

FILOSOFIA EMPRESARIAL FILOSOFIA EMPRESARIAL FILOSOFIA EMPRESARIAL Bebidas S/A Troféu Prata FILOSOFIA EMPRESARIAL MISSÃO SACIAR NATURALMENTE A SEDE DOS GAÚCHOS. Bebidas S/A Troféu Prata FILOSOFIA EMPRESARIAL VISÃO QUEREMOS SER

Leia mais

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS ILUMEXPO 2015 4ª Exposição e Fórum de Gestão de Iluminação Pública Luciana Hamada / Junho 2015 IBAM, MUNICÍPIO E

Leia mais

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração 00 20.01.204 Emissão inicial do documento. Sumário das Alterações Pág. 1 1. Resumo Esta norma estabelece requisitos técnicos para a concessão do Selo

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO 2014

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO 2014 Processo nº 2013/174887 PLANO ANUAL DE ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO 2014 Novembro/2013 Sumário INTRODUÇÃO... 2 PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES DE CONTROLE INTERNO... 2 1. ÁREA ADMINISTRATIVA... 3 1.1 Acompanhamento

Leia mais

EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA. Abril / 2014

EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA. Abril / 2014 EDUCAÇÃO FISCAL PARA A CIDADANIA Abril / 2014 Reflexão Inicial Se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. (Paulo Freire) Mundo em Crise 30 mil crianças morrem

Leia mais

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil

Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Protocolo de Relacionamento Político dos Escoteiros do Brasil Este guia pretende nortear os Grupos Escoteiros do Brasil a desenvolverem um

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA AS INSTALAÇÕES DA GARAGEM PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA CONCORRÊNCIA CONCESSÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS DE TRANSPORTE COLETIVO URBANO DE PASSAGEIROS DO MUNICÍPIO EDITAL DE CONCORRÊNCIA

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor Dados da empresa Razão Social: Visa do Brasil Empreendimentos Ltda. Nome Fantasia:

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE JAHU ESTADO DE SÃO PAULO

CÂMARA MUNICIPAL DE JAHU ESTADO DE SÃO PAULO CÂMARA MUNICIPAL DE JAHU ESTADO DE SÃO PAULO REQUERIMENTOS Requerimento nº 635/2014 Indagando ao Chefe do Executivo se a Prefeitura já firmou convênio para que sejam implantados em nosso Município os programas

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE CUSTOS PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS Equipe Técnica o o o o Prefeito Municipal Luiz Goularte Alves Secretaria Municipal

Leia mais

Lista de exercícios 01

Lista de exercícios 01 PARTE I Lista de exercícios 01 1. Defina os seguintes termos: entidade, atributo, valor do atributo, atributo composto, atributo multivalorado, atributo derivado, atributo-chave, domínio. 2. Explique as

Leia mais

Balanço das Experiências de Controle Social no Brasil

Balanço das Experiências de Controle Social no Brasil Balanço das Experiências de Controle Social no Brasil IX Congresso de Gestão Pública - CONGESP RN NATAL 13 de agosto de 2015 AMARRIBO BRASIL Lizete Verillo AMARRIBO BRASIL - INÍCIO Fundação Novembro/1999

Leia mais

Manual do Padrinho. Projeto Adote um Município. Aperte enter para avançar

Manual do Padrinho. Projeto Adote um Município. Aperte enter para avançar Manual do Padrinho Projeto Adote um Município Aperte enter para avançar Caro Padrinho, Esse manual tem como objetivo passar orientações sobre o seu importante papel no âmbito do Projeto Adote um Município.

Leia mais

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO

RIO GRANDE DO SUL CONTROLE INTERNO 1/15 A Coordenadoria do Sistema de Controle Interno do Município, considerando: - O volume de recursos recebidos pelo Município a título de repasse de outros entes da Federação via Convênio ou Contrato

Leia mais

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências.

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. PORTARIA No- 192, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. O ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ

FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ FÓRUM REGIONAL PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE DO ESTADO DO PARANÁ MISSÃO DO FÓRUM REGIONAL Promover, articular e integrar governo, entidades de apoio e de representação visando

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO GRANDE DA SERRA Exercício: 2014

PREFEITURA MUNICIPAL DE RIO GRANDE DA SERRA Exercício: 2014 Programa: MANUTENÇÃO DO LEGISLATIVO Código do programa: 0001 Unidade responsável pelo programa: CAMARA MUNICIPAL Código da unidade responsável: 01.01 DAR COMPRIMENTO AS FUNÇÕES BASICAS DO PODER LEGISTALTIVO,

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE www.ucp.fazenda.gov.br PROGRAMAS EM ANDAMENTO Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros - PNAFM

Leia mais

Câmara de Vereadores de Piracicaba Setor de Informática Dezembro/2015

Câmara de Vereadores de Piracicaba Setor de Informática Dezembro/2015 Seja bem vindo ao novo Portal da Transparência da Câmara de Vereadores de Piracicaba. Este manual lhe auxiliará a navegar pelo site, acessando diversas informações a respeito do Poder Legislativo Piracicabano.

Leia mais

Secretaria da Fazenda. Receita Federal do Brasil. Secretaria de Educação do Estado do Ceará CENTRESAF. Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza

Secretaria da Fazenda. Receita Federal do Brasil. Secretaria de Educação do Estado do Ceará CENTRESAF. Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FISCAL PEF - CEARÁ Programa de Educação Fiscal PEF PROGRAMA DE EDUCAÇÃO FISCAL PEF - CEARÁ PARCEIROS Secretaria da Fazenda Receita Federal do Brasil Secretaria de Educação do Estado

Leia mais

Diretoria Geral Ouvidoria RELATÓRIO DE ATIVIDADES DA OUVIDORIA MÊS DE OUTUBRO DE 2015

Diretoria Geral Ouvidoria RELATÓRIO DE ATIVIDADES DA OUVIDORIA MÊS DE OUTUBRO DE 2015 Diretoria Geral Ouvidoria RELATÓRIO DE ATIVIDADES DA OUVIDORIA MÊS DE OUTUBRO DE 1 A Ouvidoria do DNPM, órgão de assistência direta e imediata ao Diretor-Geral, foi criada por meio do Decreto nº 7.9, de

Leia mais

Negócio Missão Visão

Negócio Missão Visão Histórico A CEASA é um projeto que surgiu a partir da necessidade de organizar a comercialização e melhorar o abastecimento de produtos hortigranjeiros em Rio Branco. Pleiteada desde o início do Governo

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

RECOMENDAÇÃO CONJUNTA Nº. 03/09

RECOMENDAÇÃO CONJUNTA Nº. 03/09 RECOMENDAÇÃO CONJUNTA Nº. 03/09 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS, pelos Promotores de Justiça que esta subscrevem, nos termos do artigo 129, inciso IX da Constituição Federal de 1988, do artigo

Leia mais

MOVIMENTO PARANÁ SEM CORRUPÇÃO PLANEJAMENTO PARA 2014

MOVIMENTO PARANÁ SEM CORRUPÇÃO PLANEJAMENTO PARA 2014 MOVIMENTO PARANÁ SEM CORRUPÇÃO PLANEJAMENTO PARA 2014 Objetivo principal Disseminar, nas escolas do ensino médio, conhecimento e fomentar a prática de ações para o exercício da cidadania; Objetivos específicos

Leia mais

ESCOLA DE GOVERNO ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS

ESCOLA DE GOVERNO ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS ESCOLA DE GOVERNO ORÇAMENTO E FINANÇAS PÚBLICAS 13/10/2015 Natalina Ribeiro ORÇAMENTO PÚBLICO O Orçamento Público é um dos principais instrumentos de planejamento das políticas de governo. Histórico do

Leia mais

TMS 2014 Gestão do ISS CCR SSR - SGE

TMS 2014 Gestão do ISS CCR SSR - SGE CCR SSR - SGE TMS de 2014 Objetivo Verificar as condições de organização e funcionamento do controle do ISS TMS de 2014 Razões da escolha 74% dos municípios não realizaram ações fiscais em 2012 (Del. 247/08)

Leia mais

Ouvidoria Pública e Gestão

Ouvidoria Pública e Gestão Ouvidoria Pública e Gestão Brasília, agosto de 03 OUVIR É SER SENSÍVEL AOS OUTROS Sotiguy Kouyaté Ator africano SER OUVIDOR É SER SENSÍVEL AOS OUTROS. Jones Carvalho Compromissos da Ouvidoria Pública Atendimento/

Leia mais

O que é o FNDE? Autarquia Federal do MEC. Orçamento: 14 bilhões em 2008

O que é o FNDE? Autarquia Federal do MEC. Orçamento: 14 bilhões em 2008 AUDITORIA INTERNA O que é o FNDE? Autarquia Federal do MEC Orçamento: 14 bilhões em 2008 CONTROLE INTERNO Função Assegurar a efetiva e regular gestão dos recursos públicos, em benefício da sociedade. Quem

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015.

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. DISPÕE SOBRE O SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DO MUNICÍPIO DE MORMAÇO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUÍS CARLOS MACHADO PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O

P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O P R E F E I T U R A M U N I C I P A L D E B A U R U E s t a d o d e S ã o P a u l o S E C R E T A R I A D A E D U C A Ç Ã O E. M. E. F. P R O F ª. D I R C E B O E M E R G U E D E S D E A Z E V E D O P

Leia mais

CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO

CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO OBJETIVO DO CURSO MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA Oferecer condições ferramentais para o profissional

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO RELATÓRIO DE AUDITORIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO RELATÓRIO DE AUDITORIA 1 de 6 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO TIPO DE AUDITORIA : ESPECIAL UNIDADE AUDITADA : HOSPITAL FEDERAL DE BONSUCESSO CÓDIGO : 250042 CIDADE : Rio de Janeiro/RJ RELATÓRIO Nº : 201204188

Leia mais

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA

ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Boletim Informativo Edição 01 19 de Março de 2012 ACESSO À INFORMAÇÃO PÚBLICA Controladoria-Geral da União Implementação da Lei de Acesso a Informação A Lei de Acesso à Informação (LAI) representa mais

Leia mais

Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU

Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU Experiências Nacionais Bem Sucedidas com Gestão de Tributos Municipais Ênfase no IPTU O Papel dos Tributos Imobiliários para o Fortalecimento dos Municípios Eduardo de Lima Caldas Instituto Pólis Marco

Leia mais

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Maceió -Setembro/2013 HISTÓRICO PORTARIA GM/MS nº 3.916/98 POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS ESTABELECEU DIRETRIZES

Leia mais

Pela transparência e qualidade na aplicação dos recursos públicos!

Pela transparência e qualidade na aplicação dos recursos públicos! Pela transparência e qualidade na aplicação dos recursos públicos! PERFIL Tempo de Atuação Estrutura da Equipe PERFIL DO OBSERVATÓRIO SOCIAL 3 anos Receita do OS 1º Quadrimestre 2014 R$ 14.135,00 Despesas

Leia mais

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade regulamentar as atividades de propriedade intelectual

Leia mais

Berçário. Lista de material de uso individual ano letivo 2015

Berçário. Lista de material de uso individual ano letivo 2015 Berçário 01 bolsinha contendo: 01 colônia infantil. 01 agasalho 04 conjuntos de peça de roupa; 01 bico com porta bico e prendedor; 03 mamadeiras; 02 babadores; 01 escova de cabelo; 01 fralda de pano. 01

Leia mais

Período Fevereiro a Maio de 2014

Período Fevereiro a Maio de 2014 Relatório da Campanha Participação Período Fevereiro a Maio de 2014 Assunto Objetivo Observadores(as) Campanha de sensibilização para a importância da participação da sociedade nos espaços de debate e

Leia mais

setores administrativos Barreiro

setores administrativos Barreiro setores administrativos Barreiro PUC Minas no atualização março de 2010 Pró-reitoria Adjunta Local: Prédio 4, sala 102 Telefone: 3328 9508 E-mail: proreitoriasec.bar@pucminas.br Diretoria Acadêmica Local:

Leia mais

ANEXO III QUADRO DOS REQUISITOS DE PROVIMENTO, REMUNERAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DOS EMPREGADOS PÚBLICOS. Requisitos Salário Bruto* Atribuições

ANEXO III QUADRO DOS REQUISITOS DE PROVIMENTO, REMUNERAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DOS EMPREGADOS PÚBLICOS. Requisitos Salário Bruto* Atribuições ANEXO III QUADRO DOS REQUISITOS DE PROVIMENTO, REMUNERAÇÃO E ATRIBUIÇÕES DOS EMPREGADOS PÚBLICOS Secretário Executivo Carga horária 40 h/sanais Cargo Provimento cinco R$ 16.000,00 Assessoria ao liberações

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013

PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 1. O que é Registro de Preços? PERGUNTAS E RESPOSTAS FREQUENTES Sistemática de Registro de Preços Versão: 06/12/2013 O Sistema de Registro de Preços é "o conjunto de procedimentos para seleção de proposta

Leia mais

REQUERIMENTO. (Do Sr. Edson Silva) Senhor Presidente:

REQUERIMENTO. (Do Sr. Edson Silva) Senhor Presidente: REQUERIMENTO (Do Sr. Edson Silva) Requer o envio de Indicação ao Poder Executivo, sugerindo ao Ministério da Educação que a disciplina língua inglesa seja incluída nos currículos dos cursos de graduação

Leia mais

Tributação Imobiliária no Brasil Revendo Desafios

Tributação Imobiliária no Brasil Revendo Desafios SEMINÁRIO INTERNACIONAL TRIBUTAÇÃO IMOBILIÁRIA INICIATIVAS PARA O FORTALECIMENTO DA AÇÃO FISCAL DOS MUNICÍPIOS EM TRIBUTAÇÃO IMOBILIÁRIA Escola de Administração Fazendária _ ESAF Lincoln Institute of Land

Leia mais

Ciclo Verde 2012 Projeto Escola Sustentável não é conversa, é Atitude.

Ciclo Verde 2012 Projeto Escola Sustentável não é conversa, é Atitude. Ciclo Verde 2012 Projeto Escola Sustentável não é conversa, é Atitude. 1 Ciclo Verde 2012 Projeto Escola Sustentável não é conversa, é Atitude. Local onde o projeto será instalado/executado: Escola Municipal

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA:

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA: PROJETO DE LEI Nº. 243/2015 Dispõe sobre regulamentação do atendimento ao serviço de Transporte Individual de Passageiros, Táxi, em casos de solicitação por aplicativo (APP) ou internet, no Município de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E DO ABASTECIMENTO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA 9º DISTRITO DE METEOROLOGIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E DO ABASTECIMENTO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA 9º DISTRITO DE METEOROLOGIA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E DO ABASTECIMENTO INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA 9º DISTRITO DE METEOROLOGIA RELATÓRIO DE GESTÃO EXERCÍCIO DE 2001 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

Leia mais

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO - CGU-REGIONAL/MT MATRIZ DE PLANEJAMENTO - CONTRATOS EM GERAL E TERCEIRIZADOS

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO - CGU-REGIONAL/MT MATRIZ DE PLANEJAMENTO - CONTRATOS EM GERAL E TERCEIRIZADOS CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO - CGU-REGIONAL/MT MATRIZ DE PLANEJAMENTO - CONTRATOS EM GERAL E TERCEIRIZADOS 1. GERAL - O contrato contém todas as cláusulas essenciais e necessárias, define com precisão

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PIAUÍ Agente de Transformação Social Promotoria de Justiça de Gilbués

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE PIAUÍ Agente de Transformação Social Promotoria de Justiça de Gilbués TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Aos 06 de Maio de 2014, nos termos do art. 5º, 6º, da Lei nº 7.347/85, de um lado o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ, por meio da, representada pelo

Leia mais

PREFEITURA DE XINGUARA

PREFEITURA DE XINGUARA 50/000-20 Anexo IV - Programas, Metas e Ações - (PPA Inicial) Página de 5 Programa: 000 AÇÃO LEGISLATIVA Manutenção da CMX através do apoio financeiro às atividades legislativas, custeio de despesas administrativas,

Leia mais

1. As Propostas da UGT para a Reforma Fiscal (tanto do lado da despesa quando do lado da receita)

1. As Propostas da UGT para a Reforma Fiscal (tanto do lado da despesa quando do lado da receita) 1. As Propostas da UGT para a Reforma Fiscal (tanto do lado da despesa quando do lado da receita) CORTE DE DESPESA 1. Redução do Número de Ministérios, que hoje são 39 (os Estados Unidos possuem 15 ministérios

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO CAPA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Contextualização Crescimento das Despesas Administrativas Despesas Administrativas - comparáveis entre os órgãos; Suporte às despesas finalísticas. Apoio Administrativo,

Leia mais

CONTROLE SOCIAL DAS LICITAÇÕES. Roberto Costa de Freitas Júnior J Juiz de Direito

CONTROLE SOCIAL DAS LICITAÇÕES. Roberto Costa de Freitas Júnior J Juiz de Direito CONTROLE SOCIAL DAS LICITAÇÕES Roberto Costa de Freitas Júnior J Juiz de Direito REGIME DEMOCRÁTICO = PARTICIPAÇÃO POPULAR EXERCÍCIO CIO DA DEMOCRACIA Por meio de representação ou diretamente LEGITIMAÇÃO

Leia mais