RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2011 GRUPO SOARES DA COSTA SGPS, SA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2011 GRUPO SOARES DA COSTA SGPS, SA"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2011 GRUPO SOARES DA COSTA SGPS, SA

2 RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE 2011 GRUPO SOARES DA COSTA SGPS, SA

3 05 Notas Introdutórias O Relatório de Sustentabilidade do Grupo Soares da Costa integra o conjunto de informação anual disponibilizada pela Empresa a todas as suas partes interessadas. Para uma melhor compreensão da informação contida neste documento, esta deve ser analisada em coerência com o âmbito do documento. Dada a diversidade das atividades do Grupo Soares da Costa e as diferentes fases de maturidade da informação reportada, foram considerados diferentes âmbitos de reporte. Estes são explicitados no final deste documento, no capítulo Anexos Limites do Relatório (Âmbito), entre as páginas 80 e 81. Este documento foi preparado pelo Grupo Soares da Costa SGPS, SA. Nem a Empresa, nem qualquer dos seus representantes assumem algum tipo de responsabilidade, pelos danos ou perdas causadas pelo uso deste documento e da informação que contém. O documento não constitui qualquer oferta pública ou convite para a aquisição ou alienação de ações, designadamente na aceção dada no Título III do Código os Valores Mobiliários. O documento também não constitui uma oferta de compra, de venda ou de troca, nem um pedido de compra, venda ou troca, nem um pedido de voto ou uma aprovação em qualquer jurisdição. Nem este documento, nem nenhuma parte do mesmo, constitui um documento de natureza contratual, nem poderá ser utilizado para integrar ou interpretar qualquer contrato ou outro tipo de compromisso.

4 Índice 1. Introdução Mensagem do Presidente da Comissão Executiva Indicadores Chave de Desempenho em resumo Gestão Sustentável Grupo Soares da Costa Gestão da Sustentabilidade Impactes Diretos e Indiretos da Atividade Crescimento Responsável Responsabilidade Económica Responsabilidade Social Responsabilidade Ambiental Anexos Notas Metodológicas Contactos Questionário de Avaliação 90

5 1. Introdução

6 MENSAGEM DO PRESIDENTE DA COMISSÃO EXECUTIVA É com muita satisfação que publicamos o nosso quinto Relatório de Sustentabilidade e o damos a conhecer a todas as partes interessadas do Grupo Soares da Costa. Assumimos o compromisso com o Desenvolvimento Sustentável como um dos pilares da nossa atividade e cultivamos esse valor dentro da nossa cultura. O ano fica também marcado pela revisão do Plano Estratégico do Grupo Soares da Costa, que vem reforçar a atuação da Empresa na área de negócio nuclear a construção aproveitando as competências técnicas dos nossos quadros para desenvolver novas oportunidades de negócio. Em 2011, contrariando muitas tendências, aumentámos em 40% os investimentos de responsabilidade social num total de 745 mil euros, em iniciativas internas e apoio a iniciativas externas. Merecem destaque neste ano, a continuidade de programas de responsabilidade social como a atribuição de Bolsas de Estudo a filhos de colaboradores, a realização das Jornadas e Visitas Técnicas do Grupo SdC ou o Prémio Talento. O nosso programa de Voluntariado Empresarial registou uma elevada adesão em iniciativas de solidariedade que envolveram vários segmentos desfavorecidos da comunidade. Nos vários países onde temos atividades permanentes multiplicam-se também as ações de responsabilidade social interna e externa. Caminhamos sem precipitações, convictos de que estamos no bom caminho e de que o envolvimento dos nossos colaboradores, parceiros e outras entidades com quem nos relacionamos é fundamental para o sucesso do nosso compromisso. António Castro Henriques Presidente da Comissão Executiva Introção Grupo Soares da Costa SGPS, SA

7 INDICADORES CHAVE DE DESEMPENHO O Grupo Soares da Costa, SGPS, SA apresenta neste capítulo, um conjunto de indicadores relevantes para as suas partes interessadas, no que diz respeito ao seu desempenho económico, social e ambiental. Em cada um dos capítulos subsequentes estes indicadores e as iniciativas que a eles deram origem são analisados com maior detalhe. Indicadores Económicos % 11/10 Volume de Negócios Consolidado (milhões de euros) 944,5 893,5 873,5-2,2% EBITDA (milhões de euros) 85,7 88,2 94,1 6,6% Resultados Operacionais (milhões de euros) 51,6 49,9 58,9 18,0% Resultados Líquidos (milhões de euros) 11,5 15,6 2,4-84,8% Resultados Financeiros (milhões de euros) -36,3-33,5-51,8 54,4% Endividamento Bancário Líquido - net-debt (milhões de euros) 675,9 735,4 863,0 16,7% Indicadores Sociais % 11/10 Número de Colaboradores ,9% Proporção de Colaboradores Femininos (%) 8,6 8,9 9,7 9,0% Horas de Formação por Colaborador (horas) 13,2 12,8 8,6-32,8% Sinistralidade - Índice Frequência (AT/10 6 horas trabalhadas) 37,5 29,0 25,0-13,8% Donativos e Patrocínios (milhares de euros) ,0% Indicadores Ambientais % 11/10 Consumo de Energia (GJ/Milhão euros) 712,7 371,4 67,1-81,9% Consumo de Água (m 3 /Milhão euros) 152,7 79,2 74,4-6,1% Produção de Resíduos (kg/milhão euros) 16,7 10,1 19,3 91,1% Investimento em Gestão Ambiental (euros/milhão euros) 1.235, ,2 416,6-54,6% Introção Grupo Soares da Costa SGPS, SA

8 Em RESUMO JANEIRO ABRIL Adjudicações Portugal: Pousada Serra da Estrela, Lançamento 2ª edição do Prémio Talento Apresentação dos Resultados de 2010 Visita Técnica - Reforço de Potência da Barragem Infraestruturas Bloco de Aljustrel e Bloco de Pedrógão. (2010/2011) do Alqueva Adjudicações Angola: Edifício Lobito Sede BESA, AAA Adjudicações Angola: Bairro Marinha School Upgrade Lançamento do Centro de Competências Office Building Campanha "Jovens Mamãs" Ecoponto Solidário Project (Soyo) para a Sustentabilidade do Habitat (recolha a favor do Centro de Maternidade Precoce) Publicação do Relatório de Sustentabilidade 2010 Aquisição de Participação maioritária na empresa Missa de Reis no Centro Juvenil de Campanhã Workshop técnico Modelo de Gestão Contratual FIDIC Energia Própria, SA (Self Energy) (finalização dos trabalhos de reabilitação da Capela) Workshop técnico Reforço de Potência da Barragem FEVEREIRO do Alqueva 74º lugar no ranking das 100 empresas mais reputadas de Portugal em 2011, assumindo a liderança no setor da construção (Reputation Institute) Adjudicações Portugal: Variante Madalena do Mar 2ª fase (Madeira), Via Espresso Fajã-Ovelha (Madeira), Campanha "Sapatos com História" Ecoponto Solidário (recolha de mais de 220 pares de sapatos) MAIO Pestana Tróia Resort Colaboração com a Paróquia de Ramalde na cedência Workshop técnico Código dos Contratos Públicos 14ª posição no ranking 25 Melhores Empresas do de contentores pré-fabricados Campanha "Jovens Mamãs" Ecoponto Solidário Distrito do Porto (elaborado pela Coface para a revista (recolha a favor do Centro de Maternidade Precoce) Invest ) - Sociedade de Construções Soares da Costa Adjudicações Clear: Sistema de Extinção de Incêndio MARÇO na A32 Túnel Seixo-Alvo Outdoor SdC 2011 Inicio da Clínica de Golfe Soares da Costa (Porto Workshop técnico Eficiência Energética Adjudicações Portugal: Moradia Tróia Resort Adjudicações Angola: Luanda Towers Project e Lisboa) Adjudicações Brasil: Cimenteira Rio Branco do Sul, Workshop técnico Metodologias de Montagem JUNHO Cimenteira São Luís de Estruturas Metálicas e Mistas Adjudicações EUA: Ampliação de troço de autoestrada Conclusão obra Vila Olimpíca para os X Jogos Adesão ao GRACE Grupo de Reflexão e Apoio Visita Técnica Viaduto sobre o rio Fervença (CAETXXI) I-75 (PRINCE) Africanos (Moçambique) à Cidadania Empresarial Jogo de Futebol do Centro Juvenil de Campanhã Participação dos SdC Runners na Corrida de S. João (conclusão da reabilitação do Campo de Futebol) Introção Grupo Soares da Costa SGPS, SA

9 16 17 Campanha de Sensibilização Ambiental nas unidades II Jornadas Técnicas da Construção SETEMBRO de trabalho fixas Campanha "Bebés de São João" Ecoponto Solidário Adjudicação Aziparque - Empreendimentos Turísticos Lançamento do Programa de Bolsas de Estudo Lançamento da WIP - World in Progress (3ª Edição) (Revista do Grupo SdC) Campanha Gerir Poupar Apresentação resultados 1º semestre 2011 JULHO Lançamento do novo Programa de Voluntariado Workshop Técnico Construção Sustentável LEED "Sou Capaz" Criação do Comité de Direção Management Comittee Soares da Costa entre as maiores 50 empresas de construção da Europa Campos e Colónias de Férias (para filhos de colaboradores) OUTUBRO Adjudicações Portugal: Hotel da Tocha, Conclusão do projeto de Responsabilidade Social Adjudicações Contacto: Praça da Ribeira 104º lugar no ranking da ENR / Empresas Sana Evolution Hotel Corporativa no Centro Juvenil de Campanhã e Continente Bom Dia Ramalde internacionais de construção pelo volume de negócios de 2010 fora do país de origem Adjudicações Angola: Encostas da Boavista Parcerias com a Aldeias SOS e Legião da Boa Vontade, Ações GIRO Porto (Parque da Cidade / Circuito e Sambizanga, Centro Cultural do Huambo, no âmbito da responsabilidade social corporativa de Orientação 4 Caminhos) e Lisboa (União Zoófila) Campanha "Ensinar a Aprender" Ecoponto Solidário 1ª fase Parking lot Sonangol Programa de Voluntariado Corporativo (recolha de livros para escola em Angola) AGOSTO Criação do Centro Corporativo - Unidade Workshop Técnico Procurement Internacional de Planeamento e Controlo, Auditoria e Risco, Adjudicações Portugal: Adutora Moura-Safara António Castro Henriques assume liderança Fiscalidade, Reporte e Normativo de Consolidação Entrega dos 3 Prémios Talento 2011 (2ª Edição) do Grupo Soares da Costa Adjudicações Moçambique: Ampliação do Hotel Vip Adjudicações Angola: ETAR Sonangol, Edifício Lançamento 3ª Edição do Prémio Talento 2011 / 2012 Inn, Construção Silo-Auto PRINCE vence projeto de conceção-construção de escritórios Oceânia, Casa Protocolar nº2, Pérgulas de substituição de nó de ligação das autoestradas no P.E. e do Cerimonial Adjudicações Angola: Armazém de Embalagem, US27 (SR 25) e SR 50 em Lake County (Flórida) Construção da AES (base da SONILS) Doação de 10 computadores à Associação APOIAR (associação de apoio a ex-combatentes portugueses) Introção Grupo Soares da Costa SGPS, SA

10 18 NOVEMBRO Soares da Costa entrega escola da Trindade (São Tomé e Príncipe) Campanha "Este Natal Vamos Alimentar e Aquecer Portugal" Ecoponto Solidário Lançamento do livro A Odisseia da Cor (projeto de responsabilidade social no Centro Juvenil de Campanhã) Workshop e Visita Técnica Viaduto do Corgo Participação nas Rondas da Caridade da Legião da Boa Vontade (Porto e Lisboa) Adjudicações São Tomé e Príncipe: novo edifício sede do BISTP Adjudicações Angola: Escola Bairro Fina Adjudicações Moçambique: Ministério da Justiça Lançamento da primeira pedra da Fábrica da Nestlé (Luanda, Angola) DEZEMBRO Adjudicações Clear - Implementação de Medidas de Eficiência Energética e Remodelação da Central Térmica de Aquecimento do Hotel Coríntia Rating AA de Governo Societário (Relatório sobre Grau de Acolhimento de Recomendações), segunda classe de rating mais elevada, das oito definidas Campanha "Sapatos e Meias Grossas" Ecoponto Solidário (a favor da Legião da Boa Vontade) Adjudicações Angola: Shopping Fortaleza, Reabilitação de Vivenda na Maianga Comunicação de Resultados e Entrega das Bolsas de Estudo 2011/2012 a filhos de colaboradores Entrega de Cabazes de Natal a colaboradores das empresas do Grupo Introção Grupo Soares da Costa SGPS, SA

11 1. 2. Introdução Gestão Sustentável

12 GRUPO SOARES DA COSTA Em atividade desde 1918, o Grupo Soares da Costa é um dos principais grupos de construção civil e obras públicas do país, reforçando cada vez mais a sua atividade internacional. Além de Portugal, a Empresa tem uma presença permanente em países como Angola, Estados Unidos ou Moçambique, entre outros, com a área da construção como principal negócio mas mantendo uma atividade diversificada que passa pelas áreas de concessões e imobiliária. Perfil Corporativo Razão Social Forma Jurídica Início de Atividade Grupo Soares da Costa, S.G.P.S., S.A. (Sociedade Aberta) Sociedade Anónima cotada (Euronext Lisbon) desde Dezembro de 1986 (com anterior designação de Sociedade de Construções Soares da Costa, S.A.) 1918 como Empresário em Nome Individual nº em 22 Julho de 1944 na Conservatória do Registo Comercial do Porto Capital Social ,00, com ações com valor nominal de 1,00 Sede Social Principais Delegações Rua de Santos Pousada, 220, Porto Portugal Portugal (Lisboa), Angola (Luanda), EUA (Miami e Tampa), Moçambique (Maputo), Roménia (Bucareste), Costa Rica, São Tomé e Príncipe Estrutura Acionista Número de Ações % Capital Social % Direitos de Voto Investifino - Investimentos e Participações, SGPS, SA ,814% 71,042% PARINAMA Participações e Investimentos, SGPS, S.A ,000% 11,035% Santander Asset Management Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliários, S.A ,027% 2,033% Ações próprias ,32% 0,32% Ações preferenciais sem voto ,00% 0,00% Free float ,84% 15,89% Áreas de Negócio Construção: execução de empreitadas gerais de construção e engenharia civil, em Portugal e no estrangeiro. Concessões: angariação e exploração, em Portugal e no estrangeiro, de concessões de infraestruturas ou serviços públicos com forte componente de construção ou engenharia civil. Imobiliária: congrega as participações sociais do Grupo SdC na área imobiliária, quer na vertente de gestão de ativos, quer na promoção de novos empreendimentos. Gestão Sustentável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

13 24 25 Método Integral Método Proporcional Eq. Patrimonial C. aquisição Grupo Soares da Costa, SGPS, SA SDC Construção, SGPS, SA SDC Imobiliária, SGPS, SA SDC Concessões, SGPS, SA SDC América, INC CIAGEST, SA SDC CONCESIONES C.RICA, SA 60% Porto Construction Group, LLC 80% Mercados Novos, LDA COSTAPARQUES, SA SDC Construction Services, LLC SOARTA, SA SDC Serv. Técnicos Gestão, SA Prince, LLC SDC Contractor, LLC HABITOP, SA Infraestruct. SDC C.RICA, SA 51% GEC - Guiné Ecuatorial Construcciones NAVEGAIA, SA CPE, SA 80% 99% SDC Moçambique, SARL SDC IMOBILIÁRIA, LDA (2) INTEVIAS, SA 50,6% SDC S. Tomé e Príncipe, Construções, Lda. HOTTI-Angola Hotéis, S.A. 98% 75% COSTA SUL, LDA (7) Hidroequador S. Tomense SOCOMETAL, SA 98% IMOSEDE, LDA (7) 60% Hidroeléctrica STP, Lda. SDC Construcciones Centro Americanas, SA CAIS da FONTINHA, SA INR - Inv. Nac. Rodoviários Coordenação & SDC 51% 75% 99% CARTA, LDA Carta Angola, Lda (11) IMOKANDANDU, LDA SDC Hidroenergia, S.A. (6) 0,2% 99,8% 95% 99% 1% SDC Hidroenergia 1T,Lda CLEAR, SA CLEAR ANGOLA, SA IMOSDC-Investimentos, LDA 0,2% 99,8% SDC Hidroenergia 8C,Lda 99,96% 0,04% Soares da Costa Brasil, Ltda. 0,2% 99,8% SDC Hidroenergia 8T,Lda 65% 35% Contacto, SA SDC/Contacto ACE 0,2% 99,8% SDC Hidroenergia 4T,Lda SANTOLINA Holding B.V 51% CERENNA, SA SDC Concessions USA, Inc. Soc. Construções Soares da Costa, SA 33,33% 50% 28,57% 14,7% SCUTVIAS, SA TRANSMETRO, ACE GCVC, ACE 34,3% 40% 40% Talatona Imobiliária, Lda. 33,33% 0,002% ASSOC - Estádio de Estádio de Braga, MRN-Man. Rod. Nacionais Braga, ACE ACE 46% 60% 25% Estádio Coimbra, ACE Nova Estação, ACE Auto-estradas XXI, S.A. (4) Somague-SDC, ACE 50% 28,57% Matosinhos, ACE 46% Operestradas XXI, S.A. (4) Três ponto dois, ACE 50% 50% Teatro Circo, ACE 50% Exproestradas XXI, S.A. (5) HidroAlqueva, ACE 50% 50% CAET XXI, ACE 40% Oper. Estradas Zambeze, S.A. GCF, ACE 28,57% 17,25% LGV, ACE 40% Estradas do Zambeze, S.A. Israel Metro Builders 30% 30% LGC, ACE 33,33% Portvias, S.A. (9) NORMETRO, ACE 17,9% 50% SdC e Lena, ACE Terceira Onda, Lda 50% 24% GACE - Gondomar, ACE 40% SOMAFEL, SA 60% OFM, SA Somafel e Ferr., ACE 95% Somafel, Ltda. (Brasil) 5% 45% Alsoma, AEIE 25% GAYAEXPLOR, LDA 50% Traversofer, SARL 33% 28,57% MTA, LDA (11) INDÁQUA, SA 49% SDC Emirates, LLC 0,5% 97,5% Indáqua Matosinhos, SA Construtora S. José Caldera, SA 17% Indáqua V. do Conde, SA 98% 50% Grupul Portughez de Constructii CFE-Indústria de Condutas, SA (1) 0,5% 20% Indáqua Feira, SA (10) MTS, LDA 93% 11,3% VSL, SA Autopistas del Sol 17% 7,24% VORTAL SGPS, SA Autopistas del Valle 17% Construtora-S. José S. Ramon, SA 17% 16,3% Elos - OM, S.A. 16,3% Elos, S.A. (8) SCSP-SDC Serviços Partilhados, SA (3) Energia Própria, S.A. Self Energy Engineering & Innovation, S.A. 60% Ventos do Horizonte, S.A. Self Energy UK Roof Tops of Spain, S.A. 99,96% 57,26% 78,1% 50% Ute Efacec/Self Energy Self Energy Moçambique 45% 49,5% Larvick Espanha 50% MY WATT, LDA 50% Refelxos Púrpura, LDA 10% (1) Sociedade detida em 33,33% pela Clear Instalações Electromecânicas, S.A.. (2) Adicionalmente, a Ciagest, SA detém uma participação de 1% no capital social da SDC Imobiliária, Lda. (3) Adicionalmente, a Sociedade de Construções Soares da Costa, SA, a Ciagest, SA, a Clear, SA e a SDC Serviços Técnicos e de Ges tão, SA detêm, cada uma, 0,01% do capital social da SCSP Soares da Costa Serviços Partilhados, SA. (4) Adicionalmente, a Sociedade de Construções Soares da Costa, S.A. detém uma participação de 4% no capital social da Auto-estradas XXI, S.A. e Operestradas XXI, SA.. (5) Adicionalmente, a Sociedade de Construções Soares da Costa, S.A. detém uma participação de 0,004% no capital social da Exproe stradas XXI, S.A.. (6) Adicionalmente, a SDC Serviços Técnicos e de Gestão, SA e a Hidroequador Santomense detêm, cada uma, 0,002% do capital social da SDC Hidroenergia, SA.. (7) Adicionalmente, a Clear Angola, S.A. detém 2% do capital social da Costa Sul, Lda. e da Imosede, Lda.. (8) Sociedade detida em 16,302% pela Soares da Costa Concessões, SGPS, S.A. e em 0,002% pela Sociedade de Construções Soares da Costa, S.A. (9) Adicionalmente, a Intevias Serviços e Gestão, S.A. detém 0,002% do capital social da Portvias, S.A.. (10) Adicionalmente, a Grupo Soares da Costa, SGPS, S.A. detém uma participação de 0,5% do capital social da Indáqua Feira, S.A.. (11) Adicionalmente, a Sociedade de Construções Soares da Costa, SA, detém uma participação de 1% do capital social da MTA, LDA e do capital social da Carta de Angola, LDA. Gestão Sustentável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

14 26 O Conselho de Administração do Grupo Soares da Costa, SGPS, S.A. é atualmente composto por dez administradores, três dos quais integram a Comissão Executiva a quem cabe a gestão corrente dos negócios da Empresa, tomando decisões de forma colegial. O Conselho de Administração reúne em plenário, por regra, trimestralmente, definindo as grandes linhas de orientação estratégica e aprovando as contas anuais e semestrais. Na dependência da Comissão Executiva funcionam alguns órgãos de apoio, assessoria e prestação de serviços transversais à organização, nomeadamente: Serviços Jurídicos, Relações com Investidores, Fiscalidade, Planeamento Estratégico, Auditoria e Gestão de Risco e Comunicação, Sustentabilidade e Mudança Organizacional 1. Composição do Conselho de Administração do Grupo Soares da Costa, SGPS, SA Membros Não Executivos Membros Executivos (áreas de trabalho) Manuel Roseta Fino (Presidente) António Pereira da Silva Neves José Manuel Baptista Fino Ana Maria Martins Caetano Martim Salema de Sande e Castro Fino António Manuel Formigal de Arriaga Carlos Moreira Garcia António Castro Henriques Chief Executive Officer Representação Institucional Relações com Investidores Recursos Humanos Área Jurídica Comunicação, Sustentabilidade e Mudança Organizacional Aprovisionamentos Área de Negócio Imobiliário ELOS Gonçalo de Andrade Santos Chief Financial Officer Serviços Partilhados Planeamento e Controlo de Gestão (como alternante) Fiscalidade e Reporte Área de Negócio Concessões Área de Negócio Ambiente e Energia AEXXI Jorge Grade Mendes Chief Operating Officer Área de Negócio Construção Área de Negócio Imobiliário (como alternante) Aprovisionamento (como alternante) 1 Toda a informação acerca do Modelo de Governo do Grupo Soares da Costa e das competências dos seus órgãos de administração, podem ser consultadas com maior detalhe no Relatório de Gestão e Demonstrações Financeiras, disponível em Gestão Sustentável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

15 gestão da sustentabilidade Além da Visão, Missão e Valores pelos quais se rege, o Grupo Soares da Costa dispõe ainda de outros instrumentos de orientação para uma atividade sustentada, como o Código de Conduta Empresarial que estabelece um conjunto de normas éticas e princípios basilares que devem nortear a atividade de todas as empresas do Grupo e dos seus representantes, independentemente da função que desempenham. Além disso, o Grupo dispõe de uma Política de Sustentabilidade que reforça o seu compromisso com o desenvolvimento sustentável e abraça um conjunto de outros instrumentos, já existentes ou entretanto desenvolvidos 2. Política de Prevenção, Higiene, Saúde e Segurança Política da QUALIDADE Política de Sustentabilidade Código de Conduta Empresarial e Princípios de Negócio Política AMBIENTAL Política de Igualdade e Diversidade de Oportunidades Política de Responsabilidade Social Corporativa Através da Política de Sustentabilidade o Grupo Soares da Costa SGPS, SA assume o seu compromisso em promover e contribuir para uma atividade sustentável, com um modelo de atuação potenciador da melhoria do desempenho económico, social e ambiental. // Promoção da redução dos impactes ambientais // Contribuição para a redução da sinistralidade da sua atividade, ao nível do consumo de recursos que carateriza o seu setor de atividade, procurando e das cargas ambientais pelos quais é responsável, melhorar as condições de saúde e segurança dos seus numa perspetiva de melhoria contínua sustentada colaboradores, promovendo a formação e acesso pela monitorização de diversos indicadores a informação nesta área e controlando todos incorporados no seu Sistema de Gestão Ambiental. os aspetos de desempenho e melhoria através do seu Sistema de Gestão de Segurança e Saúde // Investimento na promoção da satisfação dos seus no Trabalho. colaboradores, consciente de que estes constituem o seu principal ativo, fornecendo-lhes todos os meios // Desenvolvimento de esforços para que as suas e condições ao seu alcance para que tal aconteça, preocupações e contribuição para um desenvolvimento com a certeza de que essa satisfação potenciará mais sustentável sejam contempladas por todos a prosperidade geral da Empresa. aqueles com quem estabelece relações, encorajando ativamente todas as partes interessadas a // Empenho em contribuir de forma responsável empenharem-se no cumprimento destes objectivos. para uma sociedade mais justa e equilibrada, procurando atuar junto das comunidades // Fomento da investigação e inovação, no sentido envolventes aos locais onde desenvolve as suas de procurar contribuir para novos materiais e processos atividades, no sentido de encontrar as melhores relacionados com as atividades de construção. formas de atuação para aliviar as suas carências. 2 Os documentos indicados encontram-se disponíveis em Gestão Sustentável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

16 30 Compromissos com Iniciativas Externas Numa relação de compromisso com o desenvolvimento sustentável em com as diferentes partes interessadas, o Grupo Soares da Costa participa frequentemente em iniciativas externas no âmbito da sustentabilidade e/ou da responsabilidade social. Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável (BCSD Portugal) Entidade que tem como missão principal, fazer com que a liderança empresarial seja catalisadora de uma mudança rumo ao Desenvolvimento Sustentável e promover nas empresas a ecoeficiência, a inovação e a responsabilidade social. Plataforma para a Construção Sustentável (centrohabitat) A centrohabitat é uma plataforma de conhecimento e inovação que envolve, em rede, instituições de I&D, autarquias e a importante comunidade empresarial da fileira do Habitat, na afirmação de uma especialização em Construção Sustentável. Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial (GRACE) O GRACE é formado por um conjunto de empresas, maioritariamente multinacionais, cujo denominador comum é o interesse em aprofundar o papel do setor empresarial no desenvolvimento social. A sua missão consiste na Reflexão, Promoção e Desenvolvimento de iniciativas de Responsabilidade Social Empresarial. Câmara de Comércio e Indústria Portugal Angola (CCIPA) A Sociedade de Construções Soares da Costa é membro da direção (vogal) da CCIPA, uma associação privada de empresas portuguesas e angolanas, criada em 1987, por iniciativa de um grupo de empresários de relevo na vida económica de Portugal e de Angola, com o objetivo de apoiar o desenvolvimento das relações empresariais entre os dois Países. Associação inova.gaia - Centro de Incubação de Base Tecnológica de Vila Nova de Gaia A inova.gaia tem como missão a gestão e exploração do Centro de Incubação de Base Tecnológica inova. GAIA, que privilegia o acolhimento de projetos de investigação e desenvolvimento, designadamente os que são criadores de conhecimento, de valências de ensino tecnológico e de nível académico médio e superior, bem como a criação de novas empresas de base tecnológica que fomentem e propaguem a inovação no seio da atividade económica por aplicação desses conhecimentos avançados. O Grupo Soares da Costa está representado na inova.gaia, através da CLEAR Instalações Electromecânicas SA, associado fundador desta associação. Gestão Sustentável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

17 IMPACTES DIRETOS E INDIRETOS DA ATIVIDADE As atividades desenvolvidas pelas empresas do Grupo Soares da Costa têm o potencial de gerar impactes, mais ou menos significativos, positivos ou negativos, na economia nacional e internacional, no meio ambiente e nas comunidades envolventes. A atuação do Grupo Soares da Costa em diferentes economias é um fator positivo no contributo para o desenvolvimento económico, ambiental e social das mesmas, quer pelos fluxos económicos diretos que decorrem dessas atividades quer pelos impactes económicos indiretos que origina. Principais Impactes Consequências/Extensão Saúde e Segurança Ambientais Sociais Principais Riscos Riscos de ocorrência de acidentes de trabalho, perda de dias de trabalho, doenças ocupacionais, absentismo e diminuição da produtividade Riscos associados à instabilidade do mercado energético e às alterações climáticas decorrentes das emissões de gases com efeito de estufa Custos decorrentes da gestão inadequada de resíduos e custos / riscos associados à conservação do meio ambiente Riscos de eventuais impactes negativos nas comunidades envolventes Principais Oportunidades A formação / sensibilização é o meio privilegiado para, de forma proativa, prevenir eventuais riscos relacionados com a saúde e segurança dos trabalhadores A empresa monitoriza continuamente o consumo de energia dos seus locais de trabalho, implementando, sempre que possível, medidas de minimização do consumo energético A empresa procede à adequada gestão dos resíduos gerados nas suas atividades e acautela eventuais impactes monitorizando continuamente vários aspetos ambientais A empresa procura desenvolver projetos que são uma mais-valia para as comunidades envolventes e envolver-se em ações de melhoria do seu bem-estar Criação de postos de trabalho diretos (através da contratação direta para as atividades em curso) e indiretos (através da aquisição de bens e serviços) Aquisição de bens ou serviços sustentados por negócios locais Construção de edifícios e infraestruturas várias, alguns dos quais em regime de concepção, construção e exploração Promoção do Ensino, da Investigação e da Inovação Os principais impactes decorrem do pagamento de salários a colaboradores locais, garantindo a sua subsistência pessoal/familiar e a promoção da melhoria da qualidade de vida destes colaboradores. Contribuição indireta para o desenvolvimento socioeconómico de diferentes regiões onde opera, apoiando uma economia local estável através da redução de custos associados à exportação de materiais e, do ponto de vista ambiental, reduzindo os impactes associados ao transporte destes materiais. Ainda que representem um benefício económico direto para a Empresa, as atividades de construção constituem benefícios para sociedades envolventes proporcionando-lhes uma maior qualidade de vida e/ou o acesso a bens e serviços. O Grupo Soares da Costa tem em curso alguns protocolos com instituições académicas com vista à promoção da investigação no ensino superior. Por outro lado, em 2011, lançou a 3ª edição do Prémio Talento, um concurso para distinguir trabalhos académicos desenvolvidos por alunos universitários com o apoio de colaboradores da empresa. Cadeia de Valor Riscos de perder os melhores talentos, devido a insatisfação dos colaboradores, ou obter baixos níveis de produtividade Riscos de associação da empresa a práticas de gestão económica, social e ambiental inadequadas dos fornecedores e empreiteiros A empresa procura ser reconhecida como uma das melhores empresas para trabalhar, atuando de forma justa, capaz de atrair e reter os melhores profissionais, defendendo a não discriminação e apostando no desenvolvimento e formação de todos os colaboradores A empresa procura contribuir para melhorar o desempenho de toda a cadeia de valor estabelecendo requisitos mínimos de desempenho necessários à contratação Assimilação de boas práticas na execução dos trabalhos, pelos parceiros de negócio Desenvolvimento económico de outros setores de atividade para além da construção Transmissão de know-how no setor da construção As boas práticas ao nível da gestão de aspetos da qualidade, do ambiente, da saúde e segurança e da responsabilidade social são, na maioria das vezes, assimiladas e replicadas pelos vários parceiros envolvidos nas atividades. O desenvolvimento das atividades da Soares da Costa acaba por ter, em muitos países, um efeito de arrastamento no impulso ao desenvolvimento de outros setores de atividade. Existe um efeito de aprendizagem induzido em mercados onde a empresa desenvolve atividades e onde não existia esse know-how especializado na comunidade local, surgindo, por vezes, empresas locais, cujos lugares de direção e quadros principais são ocupados por ex-colaboradores da Soares da Costa. Gestão Sustentável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

18 34 35 Satisfação do Cliente Atuar de forma sustentável implica, também, que o Grupo Soares da Costa atenda ao princípio da precaução numa gestão sustentada de todas as suas atividades e nas dimensões económica, ambiental e social/ética, gerando valor para todas as suas partes interessadas. Criação de Valor Princípio da Precaução A avaliação da satisfação dos clientes externos das empresas do Grupo Soares da Costa é gerida pelas Direções de Qualidade, Ambiente e Segurança de cada uma dessas Empresas, sendo que este é um indicador da preocupação e orientação sobre a qual conduzimos a nossa atividade. Uma vez que muitas das Empresas do Grupo Soares da Costa dispõem de sistemas de gestão da qualidade independentes entre si, cada uma delas têm mecanismos próprios de aferir a satisfação dos clientes: Económico Gerindo as atividades de forma a criar RIQUEZA para acionistas, colaboradores, cadeia de valor e sociedade em geral O princípio da precaução é estabelecido através da elaboração dos orçamentos anuais, balanços e demonstrações financeiras, de forma segmentada (por mercado geográfico e área de negócio), permitindo um acompanhamento contínuo a fim de antecipar potenciais impactes negativos sobre as contas da Empresa. Estes balanços e demonstrações servem, também, para apoiar o processo de tomada de decisão em questões de salvaguarda dos interesses das diferentes partes interessadas. A Sociedade de Construções Soares da Costa avalia a satisfação dos clientes nas fases de execução da obra e período de garantia A Contacto Sociedade de Construções avalia a satisfação dos clientes nas fases de estudos e propostas (orçamentação), execução da obra e período de garantia Ambiental Desenvolvendo as atividades minimizando os impactes negativos e maximizando os impactes positivos no meio AMBIENTE Os sistemas de gestão das Empresas do Grupo permitem identificar aspetos ambientais e avaliar os potenciais impactes, que podem ou não ser significativos. Esta identificação conduz à avaliação do tratamento de cada questão e permite a adoção de mecanismos de minimização desses impactes. O mesmo acontece no que se refere à gestão da saúde e segurança no trabalho, onde são identificados os perigos e avaliados os riscos associados, numa perspetiva de prevenção da ocorrência de acidentes de trabalho em obra. A Clear Instalações Electromecânicas centra-se na satisfação geral (que engloba as fases de estudos e propostas, execução da obra e período de garantia) e na satisfação com a assistência técnica e manutenção Os resultados obtidos decorrem da receção de questionários de satisfação preenchidos pelos clientes em cada uma dessas fases. Social/Ético Desenvolvendo projetos, ações e iniciativas que promovam a qualidade de vida e bem-estar da SOCIEDADE O princípio da precaução é aplicado em qualquer situação em que se possam identificar suspeitas de qualquer tipo de práticas desonestas, através da adoção de elevados padrões de ética e integridade na condução de todos os negócios do Grupo, previstos no Código de Conduta Empresarial do Grupo Soares da Costa e são aplicáveis a todas as partes interessadas, internas e externas. No que respeita aos aspetos sociais, existem diversos canais de comunicação, internos e externos, que permitem antecipar potenciais situações negativas de desempenho. Empresa Ano Estudos e Propostas Sociedade de Construções Soares da Costa Contacto - Sociedade de Construções Clear - Instalações Electromecânicas 2009 Execução de Obras Obras em Garantia 77,90% 79,80% 2010 n.a. 72,90% 79,00% ,60% 83,50% ,00% 69,00% 76,70% ,00% 77,40% 56,70% 2011 n.a. 81,30% 74,80% Assistência Técnica e Manutenção ,40% 85,10% ,90% 89,70% ,20% 92,30% n.a. n.a. Gestão Sustentável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

19 3. Crescimento Responsável

20 RESPONSABILIDADE ECONÓMICA Ser um grupo económico de construção e serviços/concessões de projeção internacional com níveis de rentabilidade e de criação de valor acionistas em linha com as melhores referências mundiais do setor. [Visão e Objectivos Estratégicos do Grupo Soares da Costa] O volume de negócios do Grupo Soares da Costa atingiu o valor de 873,5 milhões de euros, menos 20 milhões em valor absoluto e 2,2% abaixo do valor registado no ano anterior. Esta redução foi determinada pelo decréscimo acentuado da atividade no mercado nacional, consequência de um quadro macroeconómico e setorial bastante adverso. Já o mercado externo obteve um crescimento global de 6,1% o que, associado ao decréscimo de 13,5% do mercado domestico, acentua progressivamente a vertente internacional do Grupo passando a quota externa do volume de negócios a representar 62,4%. Nos mercados externos há a registar crescimentos muito expressivos nos Estados Unidos da América (crescimento de 44,8%) e em Moçambique (crescimento de 109,7%). Valor Económico Gerado e Distribuído (Euros) % 11/10 Receitas ,8% Vendas e prestação de serviços VOLUME DE NEGÓCIOS POR MERCADOS GEOGRÁFICOS Variação da produção ,7% Trabalhos para Empresas do Grupo 2011 Proveitos e ganhos financeiros (com exceção de diferenças de câmbio favoráveis e desconto de pronto pagamento obtidos) ,9% S. Tomé e Principe 0% Outros Países 2% Ganhos em imobilizações ,2% Roménia 1% Portugal 38% Custos Operacionais ,0% Custo Mercadorias Vendidas e Materiais Construção ,8% E.U.A. 13% Moçambique 9% Fornecimentos e Serviços Externos ,1% Perdas em Imobilizações ,8% Salários e Benefícios de Colaboradores ,5% Angola 37% Pagamentos a Provedores de Capital ,4% Dividendos distribuídos ,0% Juros suportados, outros custos e perdas financeiros, perdas em investimentos financeiros em associadas, menos valias na alienação de investimentos financeiros ,9% Pagamentos ao Estado ,6% Imposto sobre o rendimento, multas ,6% Investimentos na Comunidade ,8% Apoios anuais (sob a forma de patrocínios e/ou pagamento de quotas) ,2% Patrocínios de iniciativas e eventos externos ,5% Apoios associados a iniciativas internas (SDC) ,9-17,4% Valor económico gerado ,8% Valor económico distribuído ,1% Valor económico retido ,5% Crescimento Responsável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

21 40 Em termos de contribuição de cada área de negócio para o Volume de Negócios consolidado é de realçar o aumento significativo do volume e peso da atividade da área de Concessões, em detrimento da area de Construção, que sofreu uma redução de 5,4% em relação a 2010, continuando, no entanto, a representar a principal área de negócios do Grupo e atingindo em 2011 o valor de 796,2 milhões de euros. Volume de Negócios por Área de Negócio* (milhões de euros) % 11/10 Construção 842,0 94,2% 796,2 91,2% -5,4% Concessões 102,2 11,4% 187,6 21,5% 83,6% Imobiliária 14,6 1,6% 7,1 0,8% -51,4% Energia Própria - - 8,6 1,0% - Grupo + Serviços Partilhados 11,3 1,3% 13,6 1,6% 20,4% Eliminações -76,5-8,6% -139,6-16,0% 82,5% TOTAL 893,6 100,0% 873,5 100,0% -2,2% * Para efeitos de análise comparativa os indicadores da Construção incorporam a Indústria ao tempo objeto de relato separado. Introção Grupo Soares da Costa SGPS, SA

22 RESPONSABILIDADE SOCIAL COLABORADORES DO GRUPO SOARES DA COSTA POR GÉNERO (NÚMERO) 245 Empenhar-se em contribuir de forma responsável para uma sociedade mais justa e equilibrada Contribuir para a redução da sinistralidade que carateriza o seu setor de atividade Investir na promoção e satisfação dos seus colaboradores. [Política de Sustentabilidade do Grupo Soares da Costa] Gestão de Recursos Humanos Mulheres Homens O Grupo Soares da Costa continua a ser uma das maiores empresas para trabalhar, contribuindo ativamente para o emprego direto e indireto, tanto em Portugal, como noutras geografias onde tem atividades. Este capital humano representa o principal ativo do Grupo, para o qual são desenvolvidas várias iniciativas no âmbito da responsabilidade social interna que procuram envolver, valorizar e motivar os colaboradores da Empresa, através da partilha de experiências e do conhecimento adquirido, do contínuo desenvolvimento de competências e do contributo para a realização pessoal e profissional desses colaboradores Colaboradores totais em 2011: colaboradores 2011 Colaboradores a tempo inteiro em 2011: de colaboradores Colaboradores por tempo indeterminado (quadros) em 2011: 95% de colaboradores Crescimento Responsável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

23 44 45 A gestão de recursos humanos da Soares da Costa é orientada de forma a, por um lado atrair e, por outro lado reter e envolver os melhores profissionais do mercado. Embora, de uma forma geral, a percentagem relativa de mulheres no grupo tenha vindo a aumentar ao longo dos últimos anos, as caraterísticas das atividades das empresas do Grupo continuam a implicar um desequilíbrio entre o número de colaboradores masculinos e femininos, apesar de em 2011, a percentagem de mulheres na empresa ter chegado aos 10%. Na perspetiva de retenção dos seus colaboradores e da manutenção / progressão das suas carreiras, o Grupo emprega dos seus colaboradores a tempo inteiro e cerca de 95% destes integram os quadros permanentes das empresas do Grupo Soares da Costa. É ainda de referir que cerca de 56% são colaboradores diretos ou seja, colaboradores que desenvolvem as suas atividades profissionais maioritariamente em obra. Os restantes 44% são colaboradores indiretos que desenvolvem serviços de apoio, transversais às diferentes empresas do Grupo Soares da Costa. COLABORADORES DO GRUPO SOARES DA COSTA POR PAÍS (%) Percentagem de colaboradores diretos em 2011: 56% de colaboradores Percentagem de mulheres em 2011: 10% de colaboradores Percentagem de colaboradores com incapacidade em 2011: 0,4% de colaboradores Além de um conjunto de benefícios atribuídos a todos os colaboradores que fazem parte dos quadros permanentes da empresa como o seguro de saúde e o seguro de vida são colocados à sua disposição, consoante o nível hierárquico dos colaboradores e/ou as funções desempenhadas, outros instrumentos para o exercício das suas funções, como é o caso de viaturas e telefones móveis Outros Países São Tomé e Príncipe Moçambique Nos caso dos seguros referidos, o Grupo permite a sua extensão aos membros do agregado familiar dos colaboradores, em condições privilegiadas. Para além disso, todos os colaboradores podem ter acesso aos serviços de saúde da empresa (nomeadamente a medicina do trabalho). Por outro lado, todos os colaboradores estão abrangidos pelo acordo de contratação coletiva do setor da construção civil e obras públicas (Contrato Coletivo de Trabalho). EUA Angola Portugal Em 2011, fruto da forte retração do setor, sobretudo no mercado nacional, deixaram a empresa (dentro do âmbito específico deste relatório) 238 colaboradores, sendo que a maior taxa de saída ocorreu na faixa etária acima dos 60 anos Crescimento Responsável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

24 46 47 COLABORADORES DO GRUPO SOARES DA COSTA, POR FAIXA ETÁRIA EM 2011 (%) Faixa Etária Colaboradores a 31/12 Saídas a 31/12 Taxa de Rotatividade a 29 anos ,60% 30,00% 24,82% a 39 anos ,53% 21,19% 11,00% a 49 anos ,52% 13,77% 7,88% a 59 anos ,41% 11,29% 7,29% 60 e mais anos ,58% 72,81% 26,67% Total ,26% 17,83% 10,28% e mais anos 50 a 59 anos 40 a 49 anos 30 a 39 anos 18 a 29 anos Género Colaboradores a 31/12 Saídas a 31/12 Taxa de Rotatividade Homens ,50% 18,45% 10,33% Mulheres ,76% 11,40% 9,78% Total ,26% 17,83% 10,28% Taxa de Rotatividade em 2011: 10% de colaboradores Percentagem de colaboradores abrangidos por acordos de negociação coletiva em 2011: de colaboradores Formação A formação contínua dos colaboradores do Grupo Soares da Costa é um vetor muito importante para a Empresa e para a valorização pessoal e profissional dos colaboradores, distinguindo-se entre Formação Planeada (ações de formação decorrentes do Diagnóstico de Necessidades de Formação) e Formação Não Planeada (participações formativas não previstas inicialmente, mas cuja necessidade se confirma posteriormente). Ao nível das faixas etárias, é de notar, uma vez mais, a grande concentração de colaboradores na empresa entre os 50 e os 59 anos e entre os 40 e os 49 anos, dado que é também nestas faixas etárias que se concentra a grande força humana do Grupo Soares da Costa, sobretudo ao nível de colaboradores das categorias de profissionais qualificados, quadros superiores e quadros intermédios. Crescimento Responsável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

25 48 49 HORAS DE FORMAÇÃO POR TIPO (%) A Engenharia, de um modo geral, reuniu o maior número de horas de formação, seguindo-se a área de Qualidade, Ambiente e Segurança e Gestão. No que respeita à distribuição das horas de formação ministradas, foram os quadros dirigentes e quadros superiores que tiveram mais horas de formação por colaborador Por Categoria Profissional Horas de Formação Número de Colaboradores Horas por Colaborador Dirigentes ,8 9,3 9,8 Quadros Superiores ,7 23,7 7, Administrativa e Marketing Direito Engenharia Quadros Médios ,3 13,6 6,1 Quadros Intermédios ,6 1,0 2,4 Profissionais Qualificados ,1 13,9 4,2 Profissionais Semi-Qualificados ,3 1,9 0, Gestão Informática Recursos Humanos e Línguas Estrangeiras Qualidade, Ambiente e Segurança Profissionais Não-Qualificados ,1 0,7 0,7 Praticantes e Aprendizes ,6 1,3 2,4 Em 2011, um dos principais objetivos passou por desenvolver nos titulares de determinadas funções críticas, um conjunto de competências técnicas e comportamentais que se nos afiguram estratégicas para o incremento do capital humano do Grupo: Gestão de Projetos, Idiomas, Liderança, Inovação Empresarial e Competências Técnicas em Engenharia e Gestão. Horas de formação totais em 2011: horas Horas de formação por tipo em 2011: 42% em Engenharia Colaboradores com formação em 2011: colaboradores Crescimento Responsável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

26 50 51 Case Studies Formação 2011 Gestão de Projetos Workshops Temáticos de Engenharia e de Gestão Formação em Idiomas Academia do Conhecimento Início da 2ª edição do Programa Avançado Com grande impato na partilha e transmissão Num cenário de necessidade premente de reforço Em 2011 foi criada a Academia do Conhecimento de Gestão e Negociação de Projetos (parceria do conhecimento existente no seio do Grupo, num da internacionalização, no ano 2011 assistiu-se que, obedecendo ao conceito e modelo de com a Católica Executive Education Lisbon), tendo formato que reúne oradores internos, experientes a um reinvestimento na formação em idiomas universidade corporativa, tem como missão: como destinatários Diretores de Obra, Diretores numa dada temática, que partilham o seu como o inglês e francês. A iminência de mobilizar de Projeto e Coordenadores de Orçamentos. know-how com uma plateia de colegas a quem o para o estrangeiro Diretores de Obra que utilizarão Promover a partilha de experiências e transmissão O programa foi contextualizado à especificidade tema interessa profissionalmente. Nalguns casos o inglês como língua oficial do projeto, assim como do conhecimento das gerações mais experientes do setor da Construção Civil e Obras Públicas, os workshops foram complementados com visitas a análise de concursos públicos internacionais no Grupo para as gerações mais jovens; o que facilita a aprendizagem e a aplicação a obras, para visualizar, in loco, alguns dos aspetos e respetiva elaboração das propostas em inglês, prática, para além de incrementar a motivação técnicos abordados previamente. A totalidade intensificaram a necessidade de domínio da língua Proporcionar um conjunto de programas dos formandos, já reforçada pela reunião dos Workshops Temáticos de Engenharia inglesa. formativos específicos que visam desenvolver de formandos de três empresas do Grupo: e de Gestão reuniu em sala 1100 formandos A entrada no mercado da Argélia despoletou competências corporativas transversais Sociedade de Construções Soares da Costa, e versaram os seguintes temas: a necessidade de ministrar formação em francês, aos diversos grupos funcionais; Contacto e Clear, uma vez que a partilha o que se espera ser uma necessidade formativa experiências e o debate inter-empresas potencia Metodologias de Montagem de Estruturas crescente, atendendo às expetativas de expansão Disseminar um conjunto de valores e padrão o desenvolvimento de competências. Metálicas e Mistas (com visita técnica) no mercado Mediterrâneo e Médio Oriente. comportamental que permita consolidar a Cultura Reforço da Potência da Barragem do Alqueva Organizacional pretendida no seio de todas Encontro de Quadros de Alta Direção Contratos FIDIC Estágios em Engenharia Civil as empresas do Grupo; Produção Descentralizada de Energia e Eficiência Realização do 1º Encontro de Quadros Energética Foram contemplados, no âmbito do Prémio Talento Levar os programas formativos de cariz corporativo de Alta Direção, assessorado por consultores Código dos Contratos Públicos 2010/2011 três recém-licenciados em Engenharia aos colaboradores mobilizados no estrangeiro, em desenvolvimento organizacional e que Jornadas Técnicas 2011 Civil que viram os seus trabalhos de investigação nomeadamente através de soluções e-learning. reuniu, durante dois dias, 50 quadros diretivos Índice de Gestão da Sustentabilidade em Obra premiados com um estágio de 6 meses na para trabalhar os temas liderança e inovação LEED-Avaliação da Construção Sustentável Sociedade de Construções Soares da Costa. Na prossecução desta missão, são estabelecidas empresarial. Procurement Internacional Os estagiários têm a oportunidade de conhecer, parcerias com as melhores escolas de negócios Viaduto sobre o Rio Corgo (com visita técnica) sob a orientação de experientes coordenadores, nacionais ao nível do desenvolvimento dos programas A metodologia adotada conciliou as palestras duas importantes áreas funcionais da atividade formativos. Em 2011 concretizámos a primeira de oradores credenciados nas temáticas, com da empresa: Técnica e Técnico-Comercial. parceria entre a Academia do Conhecimento animadas dinâmicas de grupo muito orientadas e a Católica Executive Education Lisbon, o que para a partilha, coesão e desenvolvimento resultou na realização do Programa Avançado de equipas de trabalho. de Gestão e Negociação de Projetos. Crescimento Responsável Grupo Soares da Costa SGPS, SA

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

Soares da Costa I Relatório e Contas I Primeiro Trimestre 2013 1

Soares da Costa I Relatório e Contas I Primeiro Trimestre 2013 1 Soares da Costa I Relatório e Contas I Primeiro Trimestre 2013 1 ÍNDICE RELATÓRIO DE GESTÃO 3 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS 9 POLÍTICAS CONTABILÍSTICAS E NOTAS EXPLICATIVAS 17 Soares da Costa

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO INTERCALAR AO 3º TRIMESTRE 2010 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS INTERCALARES

RELATÓRIO DE GESTÃO INTERCALAR AO 3º TRIMESTRE 2010 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS INTERCALARES ÍNDICE RELATÓRIO DE GESTÃO INTERCALAR AO 3º TRIMESTRE 2010 DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS INTERCALARES Demonstração da Posição Financeira Consolidada Demonstração dos Resultados Consolidados Separada

Leia mais

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 23 ABRIL 2012 ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 Este documento foi preparado pela Grupo Soares da Costa, SGPS, SA (Soares da Costa), unicamente

Leia mais

Política de Responsabilidade Social

Política de Responsabilidade Social Política de Responsabilidade Social e Programa 2015 I. ENQUADRAMENTO A criação da Fábrica do Chocolate materializa por si só o sentido de responsabilidade social da empresa e das pessoas envolvidas na

Leia mais

GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA RUA DE SANTOS POUSADA, 220 4000-478 PORTO CAPITAL SOCIAL: 160 MILHÕES DE EUROS NIPC E NÚMERO DE MATRICULA NA CRC

GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA RUA DE SANTOS POUSADA, 220 4000-478 PORTO CAPITAL SOCIAL: 160 MILHÕES DE EUROS NIPC E NÚMERO DE MATRICULA NA CRC 1 GRUPO SOARES DA COSTA, SGPS, SA RUA DE SANTOS POUSADA, 220 4000-478 PORTO CAPITAL SOCIAL: 160 MILHÕES DE EUROS NIPC E NÚMERO DE MATRICULA NA CRC PORTO 500 265 763 ÍNDICE I RELATÓRIO DE GESTÃO 3 DESTAQUES

Leia mais

SERVIÇO DA MERCAL CONSULTING GROUP PARA VENDA OU ASSOCIAÇÃO ( JOINT VENTURE OU MERGER ) DA SUA EMPRESA

SERVIÇO DA MERCAL CONSULTING GROUP PARA VENDA OU ASSOCIAÇÃO ( JOINT VENTURE OU MERGER ) DA SUA EMPRESA SERVIÇO DA MERCAL CONSULTING GROUP PARA VENDA OU ASSOCIAÇÃO ( JOINT VENTURE OU MERGER ) DA SUA EMPRESA O primeiro requisito para venda de uma empresa, total ou parcialmente, é apresentá-la de forma atraente,

Leia mais

Identificação da empresa

Identificação da empresa Identificação da empresa Missão e Visão A Missão da Parque Expo consiste na promoção da qualidade da vida urbana e da competitividade do território. Para cumprimento desta Missão, a empresa realiza operações

Leia mais

O Fórum Económico de Marvila

O Fórum Económico de Marvila Agenda O Fórum Económico de Marvila A iniciativa Cidadania e voluntariado: um desafio para Marvila A Sair da Casca O voluntariado empresarial e as políticas de envolvimento com a comunidade Tipos de voluntariado

Leia mais

O contributo do Cluster Habitat Sustentável

O contributo do Cluster Habitat Sustentável O contributo do Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma para a Construção Sustentável Seminário Construção Sustentável CONCRETA 2011 20/10/2011 Visão e Missão O Cluster Habitat? agregador

Leia mais

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study. Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 Novo Conceito de Hotelaria SUSTENTABILIDADE 360 NA HOTELARIA EM PORTUGAL EMPRESA A Inspira, uma joint-venture formalizada em 2006 entre o grupo Blandy, com sede na Madeira e larga experiência

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável 2ª CONFERÊNCIA PASSIVHAUS PORTUGAL 2014 29 de Novembro de 2014 Aveiro - Centro Cultural e de Congressos Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente

Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente 1 Corinthia Hotel Lisbon - Hotel Energeticamente Eficiente O Corinthia Hotel Lisbon está implementado num edifício com mais de 30 anos em que a

Leia mais

Sumário executivo. Em conjunto, as empresas que implementaram

Sumário executivo. Em conjunto, as empresas que implementaram 10 Sumário executivo Conclusões coordenadas pela Deloitte, em articulação com os membros do Grupo de Trabalho da AÇÃO 7 Sumário executivo Em conjunto, as empresas que implementaram estes 17 projetos representam

Leia mais

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço

Política de Produto e Serviço Caixa Geral de Depósitos. Política de Produto e Serviço Política de Produto e Serviço Publicado em julho 2012 1 Fundada em 1876, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) é o maior grupo financeiro nacional, atuando em diferentes áreas, designadamente na banca comercial,

Leia mais

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições.

Estiveram presentes 98 técnicas em representação de 66 Instituições. 1. No dia 4 de Dezembro, a União Distrital de Santarém em parceria com Segurança Social, levou a efeito o ultimo dos 5 encontros realizados em várias zonas do distrito, sobre o tema "Encontros de Partilha",

Leia mais

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020

Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 30 de julho de 2014 Resumo do Acordo de Parceria para Portugal, 2014-2020 Informações gerais O Acordo de Parceria abrange cinco fundos: Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes)

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes) Processo nº1-project Manager Construction Company Engenheiro Civil para ser Gerente de Projetos - Experiência de 5 anos em empresas relevantes (construção); Alto nível de habilidades organizacionais e

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Síntese O Compromisso ALIANSCE para a Sustentabilidade demonstra o nosso pacto com a ética nos negócios, o desenvolvimento das comunidades do entorno de nossos empreendimentos,

Leia mais

O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão

O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão 1 2 O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão 3 A origem do Fundo Social Europeu O Fundo Social Europeu foi criado em 1957 pelo Tratado de Roma,

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA EDP PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA O Grupo EDP Energias de Portugal centra as suas actividades na produção, distribuição e comercialização de energia eléctrica,

Leia mais

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL

PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL PROPOSTAS DE ALGUMAS MEDIDAS CONCRETAS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL 1 São muitas e variadas as soluções e medidas de apoio à competitividade empresarial. Na intervenção de abertura o Presidente da

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

CUMPRIMENTO DOS PRINCIPIOS DE BOM GOVERNO DAS EMPRESAS DO SEE

CUMPRIMENTO DOS PRINCIPIOS DE BOM GOVERNO DAS EMPRESAS DO SEE CUMPRIMENTO DOS PRINCIPIOS DE BOM GOVERNO DAS EMPRESAS DO SEE Princípios do Bom Governo das Cumprir a missão e os objetivos que lhes tenham sido determinados, de forma económica, financeira, social e ambientalmente

Leia mais

Soares da Costa I Relatório e Contas I Primeiro Trimestre de 2012 1

Soares da Costa I Relatório e Contas I Primeiro Trimestre de 2012 1 Soares da Costa I Relatório e Contas I Primeiro Trimestre de 2012 1 RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2012 (contas não auditadas) RELATÓRIO DE GESTÃO DESTAQUES Volume de negócios de 189,9 milhões

Leia mais

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014

Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros. Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 Portugal 2020 e outros instrumentos financeiros Dinis Rodrigues, Direção-Geral de Energia e Geologia Matosinhos, 27 de fevereiro de 2014 O desafio Horizonte 2020 Compromissos Nacionais Metas UE-27 20%

Leia mais

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS

POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS BENEFICIÁRIOS ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS POCI Aviso n.º3/si/2015 Programa Operacional Fatores de Competitividade INOVAÇÃO PRODUTIVA O objetivo específico deste concurso consiste em conceder apoios financeiros a projetos

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Hypercluster do mar. Setembro 2009

Hypercluster do mar. Setembro 2009 Hypercluster do mar Setembro 2009 Hypercluster do mar Segurança Marítima Projecto MarBIS Fórum cientifico e tecnológico Considerações finais 2 Hypercluster do mar Parcerias com empresas petrolíferas com

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

Uma iniciativa que pretende RECONHECER AS BOAS PRÁTICAS em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável.

Uma iniciativa que pretende RECONHECER AS BOAS PRÁTICAS em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável. GREEN PROJECT AWARDS BRASIL Uma iniciativa que pretende RECONHECER AS BOAS PRÁTICAS em projetos que promovam o desenvolvimento sustentável. CANDIDATURAS 201 INSCRIÇÕES NO PRIMEIRO ANO INSCRIÇÕES FEITAS

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

. Reação e Antecipação. Espírito de Equipa e Estabilidade. Consistência e Coerência das Prestações oferecidas

. Reação e Antecipação. Espírito de Equipa e Estabilidade. Consistência e Coerência das Prestações oferecidas 2 Apresentação JOÃO MATA, Angola - Corretores e Consultores de Seguros, é um novo projeto profissional que se afirma na atividade seguradora Angolana, associando a experiência e especialização da sua casa

Leia mais

Apoios às empresas no Norte 2020. Eunice Silva Valença 30.06.2015

Apoios às empresas no Norte 2020. Eunice Silva Valença 30.06.2015 Apoios às empresas no Norte 2020 Eunice Silva Valença 30.06.2015 SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INOVAÇÃO EMPRESARIAL EMPREENDEDORISMO QUALIFICAÇÃO DE PME INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME I&D Produção de

Leia mais

Mais clima para todos

Mais clima para todos Mais clima para todos 1 Mais clima para todos Na União Europeia, entre 1990 e 2011, o setor dos resíduos representou 2,9% das emissões de gases com efeito de estufa (GEE), e foi o 4º setor que mais contribuiu

Leia mais

O SEU PROJECTO É ELEGÍVEL PARA ESTES INCENTIVOS?

O SEU PROJECTO É ELEGÍVEL PARA ESTES INCENTIVOS? O SEU PROJECTO É ELEGÍVEL PARA ESTES INCENTIVOS? O ISQ e a ASK querem ajudar empreendedores e empresários à procura de financiamento a obterem o apoio de que necessitam para lançar ou desenvolver os seus

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

ÍNDICE PERFIL MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE VOLUME DE NEGÓCIOS CERTIFICAÇÕES PROJECTOS DE REFERÊNCIA CONTACTOS

ÍNDICE PERFIL MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE VOLUME DE NEGÓCIOS CERTIFICAÇÕES PROJECTOS DE REFERÊNCIA CONTACTOS DOSSIER DE IMPRENSA ÍNDICE 1 PERFIL - A Empresa - Os Colaboradores - Os serviços 2 MERCADOS ONDE A A400 ESTÁ PRESENTE - A Internacionalização VOLUME DE NEGÓCIOS 4 CERTIFICAÇÕES 5 PROJECTOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

Conheça a MRV Engenharia

Conheça a MRV Engenharia Conheça a MRV Engenharia MRV em Números Ficha técnica MRV Engenharia Número de empregados nas obras (média 2014)...23.704 Vendas Contratadas (R$ milhões) (2014)...R$ 6.005 Receita liquida (R$ milhões)

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013 Política de Responsabilidade Corporativa Março 2013 Ao serviço do cliente Dedicamos os nossos esforços a conhecer e satisfazer as necessidades dos nossos clientes. Queremos ter a capacidade de dar uma

Leia mais

João Mata Moçambique

João Mata Moçambique 2 Apresentação João Mata Moçambique Corretores e Consultores Seguros Lda, é um novo projecto profissional que se afirma na actividade seguradora Moçambicana, associando a experiência e especialização da

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE

OPORTUNIDADES. Cluster energético: oportunidades; horizontes; observatório, BejaGlobal; PASE CLUSTER ENERGÉTICO DE BEJA OPORTUNIDADES SUSTENTABILIDADE ENERGÉTICA E CRESCIMENTO ECONÓMICO A sustentabilidade energética e climática é um desígnio estratégico duplo significado. Por um lado, desenvolvimento

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL

ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL MISSÃO A Associação para a Economia Cívica Portugal é uma Associação privada, sem fins lucrativos cuja missão é: Promover um novo modelo de desenvolvimento económico

Leia mais

Certificação da Qualidade numa Empresa a nível Nacional

Certificação da Qualidade numa Empresa a nível Nacional Certificação da Qualidade numa Empresa a nível Nacional Quem somos Origem, posição actual Actividade iniciada em 1952. O prestígio de meio século de presença no mercado, A Qualidade dos produtos que comercializa

Leia mais

Profico Projetos, Fiscalização e Consultoria, Lda.

Profico Projetos, Fiscalização e Consultoria, Lda. Profico Projetos, Fiscalização e Consultoria, Lda. Rua Alfredo da Silva, 11B 1300-040 Lisboa Tlf. +351 213 619 380 Fax. +351 213 619 399 profico@profico.pt www.profico.pt INDICE 1. DESCRIÇÃO GERAL DA PROFICO...

Leia mais

BES AS APOIO FINANCEIRO BES AS FINANCEIR ÕES ÀS EMPRESAS FINANCEIR ÕES UÇ SOL

BES AS APOIO FINANCEIRO BES AS FINANCEIR ÕES ÀS EMPRESAS FINANCEIR ÕES UÇ SOL 38 PME Líder SOLUÇÕES FINANCEIRAS BES Helen King/CORBIS APOIO FINANCEIRO ÀS EMPRESAS O BES disponibiliza uma vasta oferta de produtos financeiros e serviços, posicionando-se como o verdadeiro parceiro

Leia mais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos Individuais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos Individuais Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos Individuais até concursos abertos 16 de abril de 2012 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos

Leia mais

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO

CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 30 FORTALECIMENTO DO PAPEL DO COMÉRCIO E DA INDÚSTRIA INTRODUÇÃO 30.1. O comércio e a indústria, inclusive as empresas transnacionais,

Leia mais

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental

Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental Melhoria do desempenho ambiental - implementação do Sistema de Gestão Ambiental 1 Melhoria do desempenho ambiental implementação do Sistema de Gestão Ambiental A Caixa Geral de Depósitos (CGD) tem implementado

Leia mais

O que é a Responsabilidade Social Empresarial?

O que é a Responsabilidade Social Empresarial? O que é a Responsabilidade Social Empresarial? 1.5. Campos de acção da RSE Resumo O mundo dos negócios é extremamente heterogéneo. Assim as diferentes abordagens e estratégias sobre responsabilidade compromisso

Leia mais

A Construção Sustentável e o Futuro

A Construção Sustentável e o Futuro A Construção Sustentável e o Futuro Victor Ferreira ENERGIA 2020, Lisboa 08/02/2010 Visão e Missão O Cluster Habitat? Matérias primas Transformação Materiais e produtos Construção Equipamentos Outros fornecedores

Leia mais

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal

Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal 1 Redução da pegada carbónica dos clientes da PT Portugal As alterações verificadas no comportamento dos consumidores, consequência dos novos padrões

Leia mais

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade

Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020. Identidade, Competitividade, Responsabilidade Programa Operacional Regional Alentejo 2014/2020 Identidade, Competitividade, Responsabilidade ACORDO DE PARCERIA Consagra a política de desenvolvimento económico, social, ambiental e territorial Define

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Jorge Abegão Secretário-Técnico do COMPETE Coimbra, 28 de janeiro de 2015 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA EUROPA 2020 CRESCIMENTO INTELIGENTE

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

Grant Thornton & Associados SROC, Lda. Apresentação da Firma

Grant Thornton & Associados SROC, Lda. Apresentação da Firma Grant Thornton & Associados SROC, Lda. Apresentação da Firma A nossa competência e experiência e a qualidade dos nossos serviços ao seu serviço A Grant Thornton assenta a sua estratégia no desenvolvimento

Leia mais

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique. Consolidar o Futuro Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS FERREIRA ROCHA & ASSOCIADOS Em parceria: Portugal Moçambique Consolidar o Futuro Abreu Advogados Ferreira Rocha & Associados 2012 PORTUGAL

Leia mais

Powered by. Desenvolvimento

Powered by. Desenvolvimento Desenvolvimento de Sistemas Sustentáveis 1 Urbancraft Energia, S.A. FDO INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES, SGPS, S.A. ALEXANDRE BARBOSA BORGES, SGPS, S.A. 50% 50% A URBANCRAFT ENERGIA, S.A é uma sociedade

Leia mais

Criando Oportunidades

Criando Oportunidades Criando Oportunidades Clima, Energia & Recursos Naturais Agricultura & Desenvolvimento Rural Mercados de Trabalho & Sector Privado e Desenvolvimento Sistemas Financeiros Comércio & Integração Regional

Leia mais

Turnaround Social 26/07/2015. Instrumentos de Financiamento Portugal 2020. 27 junho 2015. Portugal 2020

Turnaround Social 26/07/2015. Instrumentos de Financiamento Portugal 2020. 27 junho 2015. Portugal 2020 Instrumentos de Financiamento Portugal 2020 27 junho 2015 Portugal 2020 1 Apoios ao setor social A estratégia constante do PO ISE procura dar resposta a um conjunto de compromissos assumidos por Portugal

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

Plano de Atividades e Orçamento. Exercício de 2014

Plano de Atividades e Orçamento. Exercício de 2014 Plano de Atividades e Orçamento Exercício de 2014 Plano de Atividades e Orçamento para o exercício de 2014 Preâmbulo O Plano de Atividades do ano de 2014 foi elaborado de acordo com as expetativas dos

Leia mais

DIAGNÓSTICO PRÁTICAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS DOS AÇORES

DIAGNÓSTICO PRÁTICAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS DOS AÇORES APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS DIAGNÓSTICO PRÁTICAS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS DOS AÇORES JUNHO DE 2012 CENTRO ESTUDOS NATÁLIA CORREIA PONTA DELGADA CATARINA BORGES AGRADECIMENTOS SECRETARIA REGIONAL

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

APRESENTAÇÃO ACCENDO

APRESENTAÇÃO ACCENDO APRESENTAÇÃO ACCENDO "A Accendo é uma empresa que funciona com uma rede de parceiros e associados, vocacionada para o desempenho de todas as actividades ligadas à formação profissional essencialmente a

Leia mais

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva

Curso Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Componente Técnica, Tecnológica e Prática Componente Científica Componente Sociocultural Morada: Rua D. Jaime Garcia Goulart, 1. 9950 361 Madalena do Pico. Telefones: 292 623661/3. Fax: 292 623666. Contribuinte:

Leia mais

CANDIDATURAS ABERTAS:

CANDIDATURAS ABERTAS: Resumo das candidaturas aos Sistemas de Incentivos QREN CANDIDATURAS ABERTAS: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Tipologia de Projectos Abertura Encerramento Individuais

Leia mais

Plano de Ação 2016 GRACE

Plano de Ação 2016 GRACE Plano de Ação 2016 GRACE Mensagem da Direção É tempo de preparar mais um ano de intensa atividade do GRACE, procurando consolidar o capital de experiência e partilha acumulado e alargar novas perspetivas

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Organização Tecnifar - Indústria Tecnica Farmaceutica, SA. Morada Rua Tierno Galvan, Torre 3, 12º 1099-036 LISBOA

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO. Organização Tecnifar - Indústria Tecnica Farmaceutica, SA. Morada Rua Tierno Galvan, Torre 3, 12º 1099-036 LISBOA FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Organização Tecnifar - Indústria Tecnica Farmaceutica, SA Diretor(a) CEO António Chaves Costa Setor de Atividade Farmacêutico Número de Efetivos 90 NIF 500280436 Morada Rua Tierno

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

Dinâmicas de exportação e de internacionalização

Dinâmicas de exportação e de internacionalização Dinâmicas de exportação e de internacionalização das PME Contribuição da DPIF/ Como fazemos? 1. Posicionamento e actuação da DPIF A DPIF tem como Missão: Facilitar o acesso a financiamento pelas PME e

Leia mais

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGEM SOBRE O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL O URBACT permite que as cidades europeias trabalhem em conjunto e desenvolvam

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Diagnóstico do Sistema de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 FCT - A articulação das estratégias regionais e nacional - Estratégia de Especialização Inteligente para a Região

Leia mais

Projeto de Ações de Melhoria

Projeto de Ações de Melhoria DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVES REDOL, VILA FRANCA DE XIRA- 170 770 SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALVES REDOL 400 014 Projeto de Ações de Melhoria 2012/2013

Leia mais

XVIII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE MINISTROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

XVIII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE MINISTROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA XVIII REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO DE MINISTROS DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Maputo, 18 de Julho de 2013 Resolução sobre a Luta Contra o Trabalho Infantil na CPLP O Conselho de Ministros

Leia mais

O Cluster Habitat Sustentável - rede de cooperação para a sustentabilidade

O Cluster Habitat Sustentável - rede de cooperação para a sustentabilidade O Cluster Habitat Sustentável - rede de cooperação para a sustentabilidade Congresso LiderA 2013 Lisboa, 28/05/2013 Victor Ferreira (Plataforma Construção Sustentável) Cluster Habitat Sustentável - Rede

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.

SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio. SISTEMA DE APOIO A AÇÕES COLETIVAS CRITÉRIOS DE SELEÇÃO (PI 1.2, 3.1, 3.2, 3.3 E 8.5) CA 9.03.2015 Versão Definitiva Consulta escrita Maio.2015 19 JUNHO DE 2015 Página 1 de 9 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO

Leia mais

Índice Descrição Valor

Índice Descrição Valor 504448064 Índice Descrição Valor 1 Missão, Objectivos e Princípios Gerais de Actuação 11 Cumprir a missão e os objectivos que lhes tenham sido determinados de forma económica, financeira, social e ambientalmente

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XIX Gestão da Prevenção um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Controlo de Gestão. 2ª Edição. Lisboa, 8 e 15 de Maio de 2013. www.pwc.pt/academia. Academia da PwC. 2ª edição

Controlo de Gestão. 2ª Edição. Lisboa, 8 e 15 de Maio de 2013. www.pwc.pt/academia. Academia da PwC. 2ª edição www.pwc.pt/academia Controlo de Gestão 2ª Edição Lisboa, 8 e 15 de Maio de 2013 Academia da PwC 2ª edição Este curso permite-lhe compreender melhor os princípios do controlo de gestão, com especial enfoque

Leia mais

BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA.

BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA. BLUEWORKS MEDICAL EXPERT DIAGNOSIS, LDA. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A BlueWorks Medical Expert Diagnosis, Lda. é uma start-up de Coimbra que se dedica ao desenvolvimento

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

Política de investimento na Comunidade

Política de investimento na Comunidade Política de investimento na Comunidade Galp Energia in NR-006/2014 1. ENQUADRAMENTO Na sua Política de Responsabilidade Corporativa, aprovada em 2012, a GALP ENERGIA estabeleceu o compromisso de promover

Leia mais

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho A Segurança não é negociável Na Nestlé, acreditamos que o sucesso sustentável apenas poderá ser alcançado através dos seus Colaboradores. Nenhum

Leia mais

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020

COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2014-2020 COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS DA 2014-2020 18-11-2015 INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EMPRESARIAL, IP-RAM MISSÃO Promover o desenvolvimento, a competitividade e a modernização das empresas

Leia mais

Ilustratown - Informação Tecnológica, Lda.

Ilustratown - Informação Tecnológica, Lda. Ilustratown - Informação Tecnológica, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa A é uma software house criada em 2006. A Ilustratown tem por objetivo o desenvolvimento e implementação

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

A empresa em 2014. Quem somos. O que fazemos. recursos

A empresa em 2014. Quem somos. O que fazemos. recursos 6 A Empresa A empresa em 2014 Quem somos A Coca-Cola Iberian Partners é a empresa engarrafadora da The Coca-Cola Company para Espanha, Portugal e Andorra. A empresa constituiu-se em fevereiro de 2013,

Leia mais