Jornal da Cabinda Gulf. Tômbua-Lândana A Excelência de um Projecto para Angola

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Jornal da Cabinda Gulf. Tômbua-Lândana A Excelência de um Projecto para Angola"

Transcrição

1 Jornal da Cabinda Gulf Tômbua-Lândana A Excelência de um Projecto para Angola Nr. 37, 2009

2 Índice Negócios Tômbua-Lândana Inicia Produção de Petróleo no Bloco 14 Plataforma Takula Atinge 1 Bilião de Barris Vice-Presidente da Chevron Elogia Desenvolvimento de Angola Chevron Tem Novo Presidente Riqueza Cultural... 8 Os Khoisan: Preservação de uma Memória Milenar Ante a Dinâmica Sócio-Cultural Gente Nossa Ana Major: Nunca Desista dos Seus Sonhos Cesaltino Pedro: A Minha Posição Permite-me Familiarizar com o Centro das Operações Ambiente Queima de Gás de Rotina Eliminada de Takula Bombeiros Municipais de Cabinda e da CABGOC: Parceria para Melhores Serviços Edição: Grupo de Comunicação do PGPA/SASBU Contribuições: Américo Kwononoca, Filipe Rodrigues da Silva e Lara Sweeney Design: José Tavares Envie-nos as suas sugestões e comentários: Chevron Todos os direitos reservados Responsabilidade Corporativa Chevron nas Comemorações do 30º Aniversário da Faculdade de Direito da UAN Kimbo Liombembwa: Chegando aos Confins de Angola com Apoio do Bloco 14 Hospital Pediátrico e Fundo Lwini Recebem Doações Preocupações Reduzidas para Universitários de Cabinda Eventos Nova Parceria para uma Economia Diversificada e Sustentável Feira Internacional de Luanda: Chevron Destaca Investimentos no Sector Agrícola Angolano O Humor dos Tuneza À Procura de Novos Talentos Perguntas & Respostas Bernardo Domingos, Director de Superfície do Tômbua- Lândana: Este é Um Projecto Singular Flash Empreiteira da CABGOC Atinge Recorde de Segurança Trabalhadora da Chevron Lança Livro Sobre Direito Chevron Preside à Câmara de Comércio Angola-Estados Unidos

3 Tômbua-Lândana inicia produção de petróleo no Bloco 14 Negócios Tômbua-Lândana, um projecto localizado no Bloco 14 a 50 milhas (80 quilómetros) da costa angolana, iniciou a produção de petróleo em Agosto. Localizado a aproximadamente pés (366 metros) da linha de água, prevê-se que este projecto, de 3,8 biliões de dólares, atinja um pico de produção de barris de petróleo bruto por dia em Os recusos recuperáveis para os seus campos estão estimados em 350 milhões de barris. O Tômbua-Lândana é um entre sete grandes projectos a entrar em operação este ano, no qual o investimento da Chevron é de mais de 200 milhões de dólares, referiu George Kirkland, Vice-Presidente Executivo da Global Upstream and Gas da Chevron. O projecto, de 46 poços, inclui uma torre flexível elevada de pés (474 m), uma das estruturas mais elevadas do mundo. A plataforma possui a quarta torre flexível mais alta do mundo, a terceira da Chevron em todo o planeta e a segunda da companhia em Angola. O Tômbua-Lândana reforça o nosso profundo compromisso com Angola. Os angolanos constituem mais de 80% da nossa força de trabalho no País e o projecto, que é o nosso terceiro desenvolvimento em águas profundas em Angola, utilizou fornecedores locais com sucesso para concluir o fabrico de componentes fundamentais, declarou Ali Moshiri, Presidente da Chevron África e América Latina Exploração e Produção. 3

4 Negócios O projecto Tômbua-Lândana possui características que o diferenciam dos demais Características e desafios da plataforma 4 A plataforma incorpora a primeira utilização de uma sonda assistida por barcaça para uma estrutura fixa em águas profundas e inclui membranas para remoção do sulfato e tratamento da água do mar. A água produzida será reinjectada nos reservatórios, uma das primeiras instalações de nova geração na zona marítima de Angola a aplicar esta tecnologia. A plataforma foi concebida para evitar a queima rotineira de gás. O gás natural associado será processado e armazenado no Bloco 0, para ser comercializado no projecto de Gás Natural Liquefeito de Angola, em fase de construção no Soyo. Os locais de trabalho incluíram a área de engenharia em Houston (EUA), Paris (França) Oslo (Noruega), Leiden (Holanda) e Aberdeen (Escócia). O fabrico incluiu instalações nos Estados Unidos, Reino Unido, Holanda, Coreia do Sul e Angola. Os componentes fabricados tiveram de ser instalados por sete grandes navios de construção, obedecendo a um rigoroso calendário. Além deste desafio, a construção também foi executada durante um pico na indústria, quando os recursos e materiais eram difíceis de obter e apenas a um custo mais elevado. A equipa do Tômbua-Lândana foi desafiada a trabalhar em diferentes partes do mundo. Demonstrou liderança na área de segurança e provocou uma mudança positiva na percepção que os nossos empreiteiros tinham sobre segurança, disse Jeff Brubaker, director de projecto do Tômbua- Lândana.

5 Takula NEGÓCIOSatinge um bilião de barris Quando o Campo Takula foi descoberto, em Outubro de 1971, surgiram dúvidas quanto à possibilidade deste sobreviver como um desenvolvimento autónomo. Quase 40 anos e mais de 100 poços perfurados, o campo não só provou ser comercial, como atingiu um marco histórico: 1 bilião de barris de petróleo produzidos. Alan Kleier, Director Geral da Unidade Empresarial Estratégica da África Austral (SASBU), declarou que Takula desempenha um papel importante na indústria de petróleo e gás do País como uma das descobertas mais importantes de Angola. Com o compromisso da equipa relativamente à segurança industrial e aplicação consistente de novos processos, continua a ser um dos campos mais prolíficos de Angola. Está no top 20 do legado da Chevron, notou. Para atingir 1 bilião de barris, o campo, que entrou em operação em Dezembro de 1982, teve de produzir uma média de barris de petróleo por dia durante 26 anos. Primeiro Campo Gigante de Angola A importância de Takula para a indústria petrolífera de Angola vai além dos barris já produzidos. Devido às economias de escala, também se utiliza como infraestrutura de apoio à produção de campos satélite, inclindo Banzala, Numbi, Wamba e N Sano, tornandoos economicamente viáveis. Ao longo dos anos, a injecção de água a alta pressão para arrastar o petróleo de modo mais eficiente nos poços de produção, desempenhou um papel importante na recuperação de mais petróleo do reservatório. A injecção de água no Takula Vermelha tem sido uma das mais bem sucedidas operações deste tipo em todo mundo. Poços horizontais e de ângulo elevado também desempenharam um papel fundamental no desenvolvimento do campo e inclusões nas suas reservas. Quem possui uma perspectiva única do campo é Paulo Luquimbi, coordenador de projecto da área do Takula, aí colocado há 27 anos. Foi também operador assistente de plataforma, operador de plataforma e seu supervisor. Testemunhei o gradual desenvolvimento do campo e observei a equipa do Takula trabalhar como uma grande família. Ajudou-nos a desenvolver uma cultura de segurança industrial, de modo a garantir que todos fossem para casa em segurança todos os dias, afirmou. O campo possui um excelente laboratório para a aplicação de tecnologias emergentes e de última geração. As lições aprendidas e as melhores práticas partilhadas foram aplicadas não apenas no Bloco 0, mas também em outros blocos angolanos. De olho no futuro Takula continua a produzir cerca de barris de petróleo por dia, estimando-se que se mantenha comercial por pelo menos mais 40 anos. Temos constatado tempos de execução livres de incidentes cada vez maiores e operações muito mais estáveis, disse Joe Kalal, superintendente de produção do projecto. Como é possível este nível de fiabilidade? Com uma equipa dedicada de aproximadamente 250 trabalhadores, na qual se junta uma grande equipa de apoio técnico no campo do Malongo, Luanda e Houston (EUA). São eles quem ajudarão a tornar em realidade a produção do Takula por mais 40 anos. 5

6 Negócios Vice-Presidente da Chevron elogia desenvolvimento de Angola Ali Moshiri, John Watson e Alan Kleier com o Ministro e Vice-Ministro dos Petróleos, Botelho de Vasconcelos, e Aníbal Silva, e (no topo, à direita) com o PCA da Sonangol, Manuel Vicente 6 Durante uma recente visita a Angola, o Vice-Presidente da Chevron, John Watson, reconheceu e felicitou a Unidade Empresarial Estratégica da África Austral (SASBU) por ter atingido 30 milhões de horas de mão-de-obra sem lesões com Dias de Ausência do Trabalho. Este feito extraordinário é o resultado de um compromisso de todos com a implementação de uma cultura de operações livres de incidentes, disse Watson. Peço que todos continuem vigilantes nos vossos esforços no sentido de garantir que mantemos todos os empregados seguros. Watson reuniu com os trabalhadores da SASBU e membros de alto nível do Governo Angolano, nomeadamente o Ministro dos Petróleos, José Maria Botelho de Vasconcelos, e o Presidente do Conselho de Administração da Sonangol E.P., Manuel Vicente. Teve também uma reunião de cortesia com o antigo Ministro dos Petróleos, Desidério Costa. Nesses encontros, Watson, que se fez acompanhar por Ali Moshiri, Presidente da Chevron África e América Latina Exploração e Produção, falou sobre o excelente desempenho da companhia este ano, bem como sobre os nossos grandes projectos de investimento em curso, nomeadamente o Tômbua-Lândana (que entrou em produção em Agosto último) e o Angola LNG, em construção no Soyo. No encontro com os trabalhadores da SASBU, Watson realçou as mudanças ocorridas desde a sua última visita. É maravilhoso estar novamente em Angola. Os sinais de progresso e de desenvolvimento em todo o País são evidentes. A actual situação económica mundial foi um dos temas abordados. Apesar dos desafios que 2009 colocou, o executivo notou que a Chevron está bem posicionada para o crescimento, tendo destacado a flexibilidade financeira da companhia, credibilidade operacional, oportunidades de investimento e capacidades em toda a companhia, incluindo o nosso talento, tecnologia e relações excepcionais. Dado os desafios que enfrentamos, Watson lembrou os trabalhadores da importância da gestão dos custos. Realçou a necessidade de simplificação e padronização de processos e sistemas e a eliminação de trabalho desnecessário e de baixa prioridade.

7 Negócios Chevron tem novo Presidente O Conselho de Administração da Chevron elegeu John S. Watson, de 52 anos, para Presidente da companhia a partir do dia 31 de Dezembro. Watson, actual Vice- Presidente, sucederá no cargo David J. O Reilly, que se reformará da companhia depois de 41 anos de carreira, 10 dos quais como Presidente. O Conselho de Administração elegeu também George L. Kirkland, de 59 anos, para Vice-Presidente, em substituição de John Watson. David J. O Reilly A Chevron está bem posicionada. Para um novo capítulo da história e John é a pessoa certa para liderar a companhia no futuro, disse O Reilly, de 62 anos. John desempenhou um papel crucial em grande parte dos nossos sucessos. Provou ser um grande líder e as suas qualidades únicas, combinadas com a visão estratégica, tornam-no ideal para o cargo. Será uma honra suceder a David. Ele deixará um legado como um dos líderes mais pragmáticos e impressionantes da nossa indústria, referiu John Watson. Watson tem uma carreira de 29 anos na Chevron. Foi indigitado para o actual cargo a 1 de Abril deste ano, responsável por uma gama de responsabilidades, como planeamento estratégico, desenvolvimento de negócios, politicas, relações governamentais e públicas, projectos de maior investimento, entre outras. Natural da Califórnia, gradou-se em Economia Agrícola pela Universidade da Califórnia, em 1978, e obteve um mestrado em Administração de Empresas pela Universidade de John R. Watson Chicago, em Neste mesmo ano entrou para a Chevron como analista financeiro, e em 1996 foi indicado para presidente da Chevron Canadá Ltd. Em 1998, foi eleito presidente da Chevron para planeamento estratégico, aquisições e fusões. Em 2000 liderou os esforços da companhia que culminaram com a fusão Chevron-Texaco. Logo a George L. Kirkland seguir ocupou o cargo de director Financeiro. Em 2005, Watson foi eleito presidente da Chevron International Exploration and Production, responsável pelas áreas de exploração e produção fora da América do Norte. É presidente do Instituto Americano do Petróleo. 7

8 Cultural Wealth Os Khoisan Preservação de uma memória milenar ante a dinâmica sócio-cultural (conclusão) Por Américo Kwononoka * Os Kung são facilmente identificados, não só pelas suas características somáticas (tez da pele com tonalidades amareladas, estatura baixa, cabelos encaracolados, olhos com uma pálpebra que cobre o ângulo interno) mas, e sobretudo, pelos estalidos da língua na região dental, labial e palatal. São os famosos clik. A procura de segurança das suas vidas, como resultado da guerra que assolou o seu habitat natural, transformando-o em teatro de operações militares, forçou circunstancialmente os Kung a aprenderem as línguas bantu dos Nyaneka na Hwila, dos Kwanyama no Kunene e dos Ngangela no Kwandu Kuvangu. A música palmada, típica dessa comunidade, é hoje enriquecida com o emprego de instrumentos como a pwita e o batuque, empréstimo cultural dos seus vizinhos. As danças que outrora imitavam os movimentos dos diferentes animais tendem a desaparecer, abraçando as dos seus vizinhos. Os Kung crêem numa entidade extra-humana, criadora do universo e que os supervisiona. Trata-se de Ndadi ou Hishe, que significa céus. Para eles, Ndadi não tem nenhuma interferência nem influência na sua felicidade ou infortúnio. Entretanto, acreditam nas chamadas doenças espirituais provocadas por feitiço ou por demónios, cujo tratamento é feito à noite com preces, cantos e danças ao som da música palmada e da pwita. Para o efeito, realizam cerimónias de xinguilamento acompanhadas de convulsões de um dos membros do grupo, o sande. Justificam a realização diária dessas cerimónias com a necessidade de afugentar o forte feitiço que os vizinhos espalham para nos matarem. O seu regime alimentar sofreu mudanças radicais. De frutos silvestres (noncha, noheva, nonyandi, njuanjua, mangongo, metu, makhete, entre outros) passaram aos produtos agrícolas, nomeadamente masangu, masambala e milho para o pirão. Actualmente, a maioria dos Kung sabe trabalhar a terra, tendo nas redondezas das suas cabanas pequenas parcelas de terra cultiváveis, mas insuficientes para a sustentação das suas famílias, o que justifica comida por trabalho nas lavras dos seus vizinhos bantu. Uma das razões por que os Kung não podem viver muito distante dos seus vizinhos é justamente essa dependência relativa: os bantu têm quase tudo, mas precisam dos kung como mão-de-obra barata. Quanto à saúde, a fitoterapia é a base do tratamento das suas enfermidades, embora às vezes recorram aos kimbandas. Conhecem as plantas medicinais, venenosas e comestíveis, pelo que as crianças são instruídas através de observação e imitação dos mais velhos sobre os segredos das matas e dos desertos. Homens, mulheres e crianças conhecem as folhas e raízes das plantas e capins curativos que mastigam e esfregam nos braços para que o cheiro afugente os animais ferozes. Quando um dos membros é mordido por uma serpente, os kung recorrem igualmente a certas raízes e folhas que são mastigadas, ingeridas ou aplicadas na região afectada para se neutralizar o veneno. * Investigador e Consultor Obras consultadas: ALMEIDA, António- Os Bochimanes de Angola, Lisboa ESTERMAN, Carlos- Etnografia do Sudoeste de Angola, I Vol, GUERREIRO, Manuel Veiga- Os Bochimanes de Angola, Lisboa KWONONOKA, Américo- Relatório do diagnostico da situação actual dos van de Angola, Luanda, PAKLEPA, Richard e KWONONOKA, Américo- Onde os Primeiros são os últimos (A luta pela sobrevivência das comunidades San de Angola),

9 Gente Nossa Ana Major, Directora Geral do Departamento Jurídico e de Negociações da CABGOC Nunca desista dos seus sonhos Ana Major, Directora Geral do Departamento Jurídico e de Negociações da Chevron- CABGOC, acredita que aproveitar as oportunidades e nunca as desperdiçar é essencial para se alcançar o sucesso profissional. Ela foi a primeira mulher a ocupar uma posição de direcção na companhia. No actual cargo, adquire não apenas competências na área jurídica, mas também nas áreas comercial, negociações, regulamentação, recursos humanos e gestão. Permaneceu três anos em missão de serviço nos EUA, onde apreendeu novos métodos de trabalho. A sua carreira na indústria petrolífera iniciou-se na Texaco. A fusão desta com a Chevron abriu novas oportunidades. Entrei num universo maior, no qual alcancei um nível diferente, que me proporciona algum senso de realização e desenvolvimento pessoal, diz. Antes de integrar a Texaco, trabalhou durante 11 anos para a ENSA (empresa nacional de seguros de Angola) como consultora jurídica independente pelo Colectivo de Advogados e depois num escritório de advocacia. Como consultora jurídica independente, lidou com a indústria petrolífera, trabalhou com a CABGOC e várias outras companhias do sector. Isto permitiu-lhe efectuar um pouco de tudo, tal como registo de subsidiárias, consultoria em recursos humanos e assistência na negociação de muitos dos Acordos de Partilha de Produção, incluindo o do Bloco 14 (operado pela CABGOC). Nota que foi nessa altura que sentiu que a sua carreira estava a avançar 9

10 Gente Nossa Trabalhar como jurista para a Chevron dá-me a sensação de ser uma fornecedora de soluções 10 de forma rápida na área petrolífera, mas a estagnar na área de seguros. Achei que chegara o momento de enfrentar novos desafios. Para Ana Major, trabalhar como advogada numa companhia da dimensão da Chevron proporciona- -lhe um senso de responsabilidade e de ser uma prestadora de soluções. Realça o facto de os clientes esperarem que uma solução seja legal, mesmo quando o assunto não é necessariamente legal. Somos os vigias da companhia. Deslocamo- -nos com o cliente para todo o lado e aprendemos muito da linguagem do negócio, a linguagem do cliente: dos recursos humanos às operações e até médica. Ela acredita que a Chevron proporciona aos seus empregados as condições e oportunidades necessárias para serem bem sucedidos na carreira e que a ambição para realizar os sonhos depende de cada um. Normalmente sabemos o que queremos, mas esquecemo-nos das ferramentas que nos permitem alcançar os nossos sonhos. Não temos em consideração os obstáculos e como ultrapassá- -los, sustenta. Baseando-se na própria experiência, adverte para a necessidade de sabermos o que queremos e estar preparados para as oportunidades. Aconselha a que sejamos observadores e nunca desperdiçar nenhuma oportunidade para realizar uma tarefa. Por vezes o sucesso advém do modo como se efectua pequenas tarefas ou se as delega às pessoas que possuem a solução. A Chevron possui normas claras e restritas e uma tradição de tratamento igualitário entre homens e mulheres. Por esse motivo, a directora jurídica da CABGOC acredita que qualquer funcionária que queira evoluir na companhia encontrará as condições a sua disposição. Precisamos saber que o nosso sonho na Chevron pode ser parte de um sonho muito maior. Oferece uma receita para o êxito: Aprender a libertarmo-nos de tudo o que seja imaterial, tal como a raiva, pois torna a jornada mais penosa e difícil. A caminhada também conta: Possuímos uma tendência para concentrarmo-nos na linha de chegada e esquecer o percurso. Apesar de conhecermos a nossa meta, a trajectória não é sempre tão previsível. Por isso, prestem atenção ao que poderá ter impacto ao longo do nosso crescimento. Ana Major crê que uma pessoa deve abraçar os seus sonhos e reconhecer que muitos deles podem nascer de quem nos dá apenas um simples conselho. Os mentores surgem de muitas maneiras, finaliza.

11 Cesaltino Pedro, engenheiro de Produção da CABGOC Gente Nossa A minha posição permite-me familiarizar com o centro das operações Para Cesaltino Pedro, engenheiro de Produção da CABGOC, trocar uma carreira técnica pela oportunidade de explorar a faceta de liderança com o grupo de Gestão de Projectos representou um importante estágio de desenvolvimento. A posição permitelhe prestar apoio técnico ao director das Operações de Produção e agir como contacto entre esta área e outros departamentos da companhia. Nessa função é auto-suficiente na maioria das decisões técnicas e presta apoio a uma equipa de superintendentes muito experientes. Esta posição facilita muitas das iniciativas multifuncionais realizadas no campo do Malongo. Tudo é mais imediato e representou um grande ajuste para mim, declara. Ele é amplamente reconhecido como um dos profissionais mais promissores do grupo de Gestão de Projectos. Iniciou a carreira na CABGOC após a conclusão dos estudos em 1996, como assistente técnico de Engenharia de Petróleos no Malongo, a base central de operações, em Cabinda. Seis meses depois foi transferido para a posição de engenheiro estagiário, na qual permaneceu um ano em offshore, aprendendo as várias tarefas dos operadores. Revelouse uma experiência gratificante. Ajudou a moldar a minha carreira, afirma. 11

12 Gente Nossa Cesaltino Pedro sente-se orgulhoso da sua actual posição na base de Malongo 12 Após a conclusão da sua formação, foi transferido para a equipa de Gestão de Projectos do Takula como engenheiro estagiário. Aí permaneceu dois anos na Engenharia de Reservatórios. Foi posteriormente indicado para a área de Engenharia de Produção do projecto Numbi, onde pôde utilizar a sua criatividade na implementação de vários projectos de produção, sob a orientação de engenheiros mais experientes. Em 2001, a Chevron concluiu a aquisição da Texaco. Na época, Pedro e a equipa de Gestão de Projectos foram transferidos para Luanda. Pouco tempo depois, foi destacado para Houston (Texas, EUA), onde trabalhou como engenheiro de Reservatórios para a equipa de Desenvolvimento de Novos Campos do Bloco 0, ao abrigo do desenvolvimento profissional que a CABGOC proporciona a todo o seu pessoal. Esta oportunidade permitiu-me evoluir tecnicamente, expandir o meu conhecimento da companhia no global, compreender as fases iniciais de um projecto e investir na continuação da minha educação formal. Conclui a minha licenciatura em Engenharia de Petróleos pela Universidade A&M do Texas, descreve a missão de serviço de três anos nos EUA. Pedro também considera ter tido uma enorme vantagem no seu estágio de desenvolvimento, devido ao facto da equipa multinacional lhe haver proporcionado a oportunidade de aprender mais acerca das várias culturas que compõem a Maneira da Chevron. Viver em Houston revelou-se uma experiência agradável. A cultura da cidade é influenciada pelo grande número de estrangeiros que lá vivem e trabalham. A minha função permite-me ver o centro das nossas operações. É o que mais aprecio nela, diz. Pedro realça: Somos obrigados a interagir com inúmeras áreas fora da nossa base de conhecimento natural. Só após nos libertarmos do conceito da zona de conforto é que temos hipótese de ser bem sucedidos. Outro benefício da sua actual função reside no facto de proporcionar a oportunidade de familiarizar-se com a visão global e agir como um veículo de transmissão da visão de sucesso da direcção aos colegas. Não existe nada mais gratificante do que testemunhar metas estratégicas metamorfoseando-se em planos operacionais tácticos, sustenta. No instante em que finalizávamos a presente edição, soubemos que Cesaltino Pedro subiu mais um escalão da sua carreira. Ele é agora o chefe da Área de Engenharia de Produção e Serviços de Campo do projecto Takula, no Bloco 0.

13 Ambiente Queima de gás eliminada no campo Takula Por Lara Sweeney Durante vários anos, o Projecto de Modificações dos Sistemas de Alívio da Pressão e Queima de Gás (FARM) da CABGOC trabalhou para atingir uma meta importante: eliminar a queima de gás na Área A do Bloco 0, zona marítima de Angola. A equipa alcançou recentemente uma relevante meta com a conclusão das modificações na Área do Takula, providenciando, deste modo, as instalações necessárias para alcançar este feito. O resultado reflecte uma queda de aproximadamente 80% do volume da queima na Área A, ou seja, mais de 55 milhões de pés cúbicos por dia. Os restantes 20% serão eliminados com a conclusão de trabalhos similares na Área do Malongo. FARM é um dos três projectos que desempenharam papéis distintos nesta importante eliminação da queima. Um deles, o Projecto da Plataforma de Processamento de Gás do Takula (TGPP), entrou em actividade no início deste ano, tendo aumentando a capacidade de compressão no Campo Takula. O TGPP e o FARM permitiram que o Campo Takula produzisse petróleo sem queima do seu gás associado, como era comum no passado. O terceiro projecto, a Fábrica de Gás de Cabinda, eliminará a queima em zona marítima e deverá gerar receitas adicionais, através das vendas do gás de petróleo liquefeito. Especificamente, o Projecto FARM realizou modificações na tubagem, necessárias para capturar e redireccionar o gás excedente para as instalações de compressão, de modo a ser utilizado de forma útil, tais como na recuperação secundária de petróleo por elevação a gás (tornando o líquido mais leve), reinjecção de gás ou recuperação de seus líquidos. O gás reinjectado será retido para futura recuperação e transporte para a fábrica do Angola LNG, actualmente em construção na vila do Soyo, província do Zaire. No total, foram modificadas no Campo Takula quatro estações colectoras e uma plataforma de compressão. Um dos desafios mais interessantes que a equipa enfrentou foi realizar o trabalho sem causar nenhum impacto sério nas operações. Havia um compromisso e um enorme esforço por parte dos empreiteiros em cumprir os procedimentos e práticas de segurança industrial, e implementar um programa de segurança industrial agressivo, observou Artur Custódio, Director Geral do Departamento de Saúde, Ambiente e Segurança Industrial da CABGOC. À medida que a equipa planea iniciar o restante trabalho na Área do Malongo, permanece concentrada na importância destes projectos, demonstrando que somos ambientalmente responsáveis. Minimizamos a área de cobertura ambiental da companhia, preservamos e rentabilizamos as reservas de hidrocarbonetos. 13

14 Ambiente Bombeiros Municipais de Cabinda e da CABGOC reforçam Parceria o coordenador de formação em Resposta a Emergências do Departamento de Saúde, Ambiente e Segurança Industrial (HES) da CABGOC, José Puna. O curso foi conduzido por Hermanus Binneman e Tshediso Leotlela, membros do Instituto de Serviços de Emergência da África Austral (SAESI), os quais estavam muito satisfeitos por observar o resultado deste curso. Foi uma excelente experiência, declarou Leotlela. O Corpo de Bombeiros da CABGOC e o Corpo de Bombeiros Municipal de Cabinda realizaram, em Julho, uma sessão de formação conjunta sobre Consciência dos Materiais Perigosos na base do Malongo. A iniciativa pretendeu fortalecer a parceria existente entre os dois corpos de bombeiros, visando cumprir melhor os princípios internacionais de resposta a situações de emergências. Dezassete bombeiros de Cabinda, Luanda e Zaire submeteram-se a mais de 500 horas de formação em técnicas de salvamento, extinção de incêndios, protecção a exposição a incêndios, assistência durante uma situação de risco de vida e respondendo a todos os acidentes. Durante a sessão, os participantes refrescaram os conhecimentos sobre novas tecnologias para combate a incêndios. Precisamos continuar a trabalhar com o corpo de Bombeiros Municipal de Cabinda para fortalecer a nossa relação e atingir com sucesso os princípios internacionais de resposta a emergências, referiu É realmente gratificante, sustentou o Comandante da Polícia de Cabinda, na cerimónia de graduação, acerca da parceria entre a CABGOC e o corpo de bombeiros da cidade. António Pedro, observou que a formação melhorou o potencial dos participantes, visando desafios futuros. Os formandos tiveram de passar, entre outros testes, os módulos Bombeiro 1, Primeiros Socorros e Consciência sobre Materiais Perigosos. No final da formação receberam um certificado de participação, numa cerimónia realizada no Malongo a 16 de Julho. O Congresso de Acreditação Internacional de Bombeiros (IFSAC) e a Cruz Vermelha Sul-Africana forneceram as certificações necessárias para os formandos. 14

15 Responsabilidade Corporativa Eunice de Carvalho, Directora de Relações Públicas da Chevron, e o Decano da FDUAN, José Serra Van-Dúnem, no corte da fita Chevron nas comemorações do 30º aniversário da Faculdade de Direito Trinta anos de serviço reconhecidamente notável é algo que merece e deve ser celebrado com pompa e circunstância. Assim aconteceu com a Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto (UAN), que no dia 15 de Agosto comemorou três décadas de existência em prol do saber. A Chevron teve a honra de juntar-se às comemorações, doando livros e material informático a uma das mais antigas instituições de ensino do País. A doação consistiu em mais de 1700 livros, cinco computadores de mesa e mobiliário para a biblioteca local. Com esta iniciativa, a Chevron espera contribuir no reforço da capacidade institucional e humana para que a instituição cumpra melhor a sua missão académica. A Chevron ofereceu ainda cinco computadores portáteis aos melhores estudantes da disciplina de Direito Comercial da faculdade. A iniciativa constituiu uma demonstração do compromisso de longo prazo que a Chevron tem com Angola visando o reforço da capacidade das instituições de ensino em Angola e ajudar a melhorar a qualidade do sistema de educação no País. O Decano da Faculdade de Direito, José Serra Van-Dúnem, agradeceu o gesto, salientando que o mesmo enquadra-se no espírito de parceria sólida que a sua instituição defende e que possibilite aumentar os níveis de conhecimento dos futuros quadros do País. O apoio da Chevron à UAN vem de longe. De 2003 a 2007 a companhia contribuiu com mais de 1 milhão de dólares à Faculdade de Ciências Agrárias (FCA) do Huambo para financiar a realização de pesquisas, serviços técnicos e apoio a programas de formação agrária. Mais recentemente, doou acima de 500 livros ao ISCED Luanda e à Faculdade de Engenharia. 15

16 Responsabilidade Corporativa Kimbo Liombembwa Chegando aos confins de Angola com o apoio do Bloco 14 Rosalino Neto, da Kimbo Liombembwa, põe à prova as novas viaturas 16 A livre circulação de pessoas e bens por estrada é um dos grandes benefícios que o actual processo de recons-trução nacional oferece a todos. Alguns fazem-no por diversão ou turismo, enquanto outros aproveitam esta abertura para realizar viagens de trabalho. O segundo exemplo aplica-se à Kimbo Liombembwa-Aldeia da Criança, uma organização não-governamental angolana sem fins lucrativos de assistência a crianças necessitadas. A Kimbo Liombembwa enfrentava várias dificuldades devido à falta de um único transporte e a CABGOC e os parceiros do Bloco 14 (Sonangol P&P., ENI Angola Exploration B.V., Total Petroleum E&P Angola e Galp E&P. Angola) tomaram a iniciativa de diminuir esta preocupação. No dia 1 de Julho, as petrolíferas ofereceram a esta organização sete viaturas de marca Toyota. A doação, avaliada em mais de 400 mil dólares, consistiu em cinco jipes todo-terreno, um miniautocarro e uma carrinha, os quais deverão ajudar as actividades desta ONG nas 18 províncias de Angola. A Kimbo Liombembwa presta assistência a crianças angolanas que padecem de várias enfermidades e deficiências mediante a sua identificação em todo o País e o seu consequente envio para a Alemanha, onde são submetidas a tratamento especializado. Mais de 1200 menores já beneficiaram deste programa desde o início das suas actividades, em Esta doação irá certamente alargar o impacto e alcance das nossas actividades a favor das crianças angolanas, disse Rosalino Neto, Secretário-Geral da Kimbo Liombembwa. A CABGOC identificou a falta de transporte da organização durante uma visita aos seus escritórios. Dada a natureza e o impacto do trabalho que realizam, decidimos que iríamos apoiar-vos, disse Eunice de Carvalho, Directora Geral de Relações Governamentais e Públicas da CABGOC, na cerimónia de doação. A executiva observou ainda que a companhia e seus parceiros desejam contribuir nos esforços da organização, de modo a garantir o desenvolvimento das crianças angolanas e suas famílias.

17 Responsabilidade Corporativa Hospital Pediátrico e Fundo Lwini recebem doações Preocupações reduzidas para universitários de Cabinda Reconhecendo as dificuldades que estudantes universitários de Cabinda enfrentam para completar os seus estudos, a CABGOC e os seus parceiros do Bloco 0 institucionalizaram um Programa de Bolsas de Estudos para a província. A iniciativa visa auxiliar os estudantes no pagamento de propinas mensais. Este ano, 49 estudantes que reuniram as condições previstas no regulamento programa foram agraciados com bolsas, de um total de 75 inicialmente disponíveis. No dia 22 de Julho a Chevron doou 500 mil dólares ao Hospital Pediátrico de Luanda, como parte do contínuo apoio a causas sociais em Angola. A doação ao principal hospital pediátrico do País servirá para a construção de um novo pavilhão de cirurgia com dois blocos operatórios. Esta acção é parte do compromisso da companhia em prol da melhoria da qualidade dos serviços de saúde em Angola, particularmente para crianças. A companhia apoia esta unidade desde Em 2008 doou 100 mil dólares para a capacitação do seu pessoal. No mesmo dia, a Chevron doou também 260 cadeiras de rodas e 240 triciclos ao Fundo Lwini. Gostaríamos de agradecer à Chevron, nossa parceira de longa data, pelo seu empenho e apoio contínuo na preparação de um futuro melhor para os deficientes físicos e suas respectivas famílias, acrescentou a Dra. Joana Lina, Presidente Executiva do Fundo Lwini. A Chevron já doou mais de 5 mil cadeiras de rodas desde 1999, altura em que a companhia e o Fundo Lwini estabeleceram a parceria. Algo que permitiu apoiar igualmente outros projectos, como o programa de micro crédito para mulheres que vivem em áreas rurais, denominado Vem Comigo. As doações foram feitas por Diane Watson, esposa do Vicepresidente da Chevron Corporação, John Watson, que recentemente visitou Angola. Acompanharam- -na Misi Moshiri e Janetta Kleier, respectivamente esposas do Presidente da Chevron para África e América Latina Pesquisa e Produção, e do Director Geral da Chevron em Angola. O Programa abrange os pólos universitários da Universidade Lusíada de Angola (ULA) e Universidade Privada de Angola (UPRA). Eunice de Carvalho, Directora Geral de Relações Governamentais e Públicas da CABGOC, disse na cerimónia de atribuição simbólica que a Associação do Bloco 0 pretende continuar a apostar na formação da futura geração de quadros angolanos, capazes e comprometidos com o renascimento económico e social de Angola. Com este programa, sai reforçada a nossa parceria com as instituições de ensino universitário de Cabinda para um ensino cada vez melhor e para todos. O Programa de Bolsas de Estudos para Cabinda já financiou a formação de vários estudantes no Pais e no estrangeiro, num investimento estimado em mil dólares. 17

18 Eventos FIL: Chevron destaca investimentos no sector agrícola angolano O Directo Geral da CABGOC, Alan Kleier, dá as boas-vindas ao Ministro dos Petróleos, Botelho de Vasconcelos 18 A participação da Chevron na edição deste ano da Feira Internacional de Luanda (FIL) destacou os investimentos da companhia no sector agrícola do País, em apoio aos esforços do Governo para a diversificação da economia nacional. Um gráfico representando um campo agrícola constituiu a principal atracção do stand, ao lado de painéis informativos sobre os projectos agrícolas mais importantes apoiados pela Chevron. Entre estes, esteve o ProAgro, um projecto avaliado em 8 milhões de dólares, actualmente em implementação nas províncias de Benguela, Bengo e Kwanza Sul. O mesmo consiste na produção de banana e café, sendo a Chevron o maior patrocinador ao lado da Agência Americana para o Desenvolvimento internacional (USAID), Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural e demais organismos. Outros dos destaques incluiu um balcão informativo do Departamento dos Recursos Humanos, onde os visitantes puderam receber diversas informações, tais como oportunidades de empregos e benefícios que a companhia oferece aos seus empregados. A área médica esteve também presente, interagindo com o público em matéria sobre prevenção do HIV/AIDS e malária. O Tômbua-Lândana, o mais recente projecto petrolífero da Chevron em Angola que entrou em actividade em Agosto deste ano, foi também destaque. Para melhor informar o público, a Chevron trouxe a Luanda pessoal técnico do projecto para falar sobre segurança, tecnologia, Angolanização e parceria. O tradicional Dia do Petróleo, assinalado a 17 de Julho, foi marcado pela visita ao nosso stand do Ministro dos Petróleos, José Maria Botelho de Vasconcelos. O governante felicitou a Chevron pelos seus esforços na assistência médica adequada e melhoria da qualidade de vida da população angolana. Outros membros do Governo Angolano, políticos, empresários e demais entidades visitaram o stand ao longo dos cinco dias do evento, enaltecendo o contributo da companhia ao desenvolvimento nacional, nomeadamente no domínio social.

19 Da esquerda para direita: Director Geral da CABGOC, Alan Kleier, Embaixador dos EUA, Dan Mozena, e o representante da CLUSA, Estevão Rodrigues. Chevron, USAID e CLUSA Nova parceria para uma economia angolana diversificada e sustentável A Chevron, em parceria com a Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e a Liga das Cooperativas dos Estados Unidos da América (CLUSA), lançou as bases para uma nova parceria para apoiar o interesse de Angola em desenvolver uma economia diversificada e sustentável. O Memorando de Entendimento, cuja assinatura foi testemunhada pela Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, durante a sua visita a Angola, a 9 de Agosto, tem como principais objectivos o apoio a serviços financeiros, educacionais, técnicos e de formação, pequenos e médios agricultores e empreendimentos agrícolas em Angola. Assinaram o memorando o Director Geral da Chevron em Angola, Alan Kleier, o Embaixador dos EUA, Dan Mozena, e o representante da CLUSA, Estêvão Rodrigues. O memorando dará continuidade à Iniciativa de Parceria com Angola (API, na sigla em inglês), orçada em 56 milhões de dólares e estabelecida em 2002, entre a Chevron e outros parceiros para apoio à educação, segurança alimentar, capacitação de instituições governamentais e desenvolvimento de pequenos negócios. O acordo é sequência de um Programa Financeiro e de Desenvolvimento Agrícola orçado em 5,6 milhões de dólares, iniciado em 2006 e com a duração de 5 anos, que possibilitou o aumento do rendimento, qualidade e participação no mercado dos produtos locais, tais como a banana e o café. Este investimento ajudará a impulsionar o desenvolvimento sustentável, além de apoiar os esforços de Angola na revitalização do sector agrícola, destruído pela guerra mas que pode ser novamente uma ampla fonte de prosperidade, referiu Hillary Clinton Gostaria de agradecer e felicitar a CLUSA, a Chevron, e a USAID pela sua parceria nestes projectos, declarou Clinton, salientando as suas felicitações especialmente à Chevron por reconhecer a importância de retribuir aos países de onde os recursos natu-rais provêem, disse Clinton. O apoio da Chevron a outros programas de desenvolvimento em Angola inclui o NovoBanco, que concede crédito a pequenos empreendedores e famílias de baixos rendimentos. Inaugurado em 2004, o banco já concedeu mais de 40 milhões de dólares em empréstimos e beneficiou mais de 30 mil empreendedores. Inclui também uma parceria anti-malária com o Ministério da Saúde, orçada em 5 milhões de dólares, como parte do compromisso de 30 milhões com o Fundo Global para combate ao HIV/ SIDA, Tuberculose e Malária. 19

20 Eventos À procura de novos talentos A Chevron participou, de 6 a 8 de Julho, numa feira de carreira de alto nível em Luanda, destinada a atrair novos profissionais. Organizada pela Elite Carrers, o evento juntou milhares de quadros de diferentes sectores, desejosos de desenvolver as suas carreiras. A equipa de recrutamento da Chevron prestou considerações gerais sobre as iniciativas empresariais da CABGOC, incluindo oportunidades de emprego e formação contínua. As apresentações foram feitas por Daniel Rana, Director Geral dos Recursos Humanos, Irene Graça, supervisora de Recrutamento e Emprego, e Lisandra Sassingui, analista de Recrutamento. Estes e outros membros da equipa interagiram com os visitantes participantes durante os três dias do evento. A Chevron não vos oferece apenas emprego depois de terminarem os vossos cursos, mas também uma oportunidade de carreira, disse Ana Martins, analista de Recrutamento, dirigindo-se aos participantes. Participaram no encontro, que decorreu no anfiteatro da Faculdade de Ciências, mais de 115 finalistas de Química, Biologia, Geologia, Matemática e outros cursos daquela unidade orgânica da universidade pública. Vários estudantes demonstraram forte interesse em ingressar nos quadros da Chevron, solicitando esclarecimentos adicionais, o que manteve os representantes da companhia ocupados ao longo do evento. Centenas de profissionais de diferentes ramos de actividade fizeram chegar os seus currículos ao stand da Chevron, tendo a companhia iniciado já o processo de entrevistas e oferta de emprego a muitos deles. Alguns membros da Direcção participaram também activamente do evento, incluindo o Director Geral, Alan Kleier, que passou pelo local no primeiro dia e interagiu com os visitantes. 20 Por outro lado, no dia 10 de Agosto estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade Agostinho Neto interagiram com especialistas da Chevron durante uma sessão de informação destinada a apresentar a companhia e os benefícios multiformes que oferece.

21 Eventos O Humor dos Tuneza Os Tuneza numa brilhante apresentação ao Ministro dos Petróleos, Botelho de Vasconcelos......e, certamente, contando uma piada ao Director Geral da CABGOC, Alan Kleier Quem consegue manter-se sério quando eles estão por perto? Falamos dos Tuneza, o popular grupo humorista angolano. Esteve na última edição da Feira Internacional de Luanda (FIL) no tradicional Dia dos Petróleos, a convite da Chevron para, ao lado da Direcção da companhia, dar as boas vindas ao Ministro dos Petróleos, José Maria Botelho de Vasconcelos. Foi tudo uma questão de humor. Eles ajudaram nas explicações ao Ministro e sua delegação sobre os projectos representados no stand, passando a palavra a um funcionário sempre que tivessem alguma dificuldade. Desculpe, Sr. Ministro, o meu colega vai complementar o que pretendo dizer, justificavam. Os cinco humoristas interagiram ainda com os empregados da Chevron e demais visitantes após a passagem da delegação governamental. Contaram piadas e provocaram gargalhadas hilariantes. Composto por cinco membros (Costa, Gil, Tigre, Tinocas e Orlando), os Tuneza atingiram a fama no programa Fora de Série, do canal 2 da TPA, e recentemente iniciaram uma nova fase da sua carreira na TV Zimbo. Como parte do contributo da Chevron à promoção e desenvolvimento da cultura angolana, no dia 6 de Junho deste ano Os Tuneza actuaram em Cabinda com o patrocínio exclusivo da companhia. O evento, realizado no Cine Chiloango, reuniu milhares de fãs. 21

22 Perguntas & Respostas Bernardo Domingos, Director de Subsuperfície do Tômbua-Lândana Este é um projecto singular Tômbua-Lândana, o mais recente projecto da Cabinda Gulf Oil Company a iniciar produção, reúne um grupo diversificado de empregados nacionais e estrangeiros. Bernardo Domingos é um deles. Em entrevista, este engenheiro angolano ressalta as principais características do projecto, os desafios da sua construção e fala da sua carreira na companhia. 22

23 Perguntas & Respostas Bernardo Domingos acompanhado do Vice-Ministro do Ambiente, Syanga Abílio A sua posição parece ser fundamental no projecto Tômbua- Lândana. O que faz exactamente? Como parte da Equipa de Projectos Multifuncional do Tômbua-Lândana (CFAT), as minhas principais responsabilidades profissionais incluem a realização de avaliações geológicas, planeamento de poços e a sequência das completações e sondagens para o programa de sondagem. Também sou responsável por reportar sobre as reservas e gestão de reservatórios para o Plano de Desenvolvimento do TL aprovado, incluindo fornecer previsões de produção. O meu papel inclui a facilitação da tomada de decisões pela Concessionária e Comissão Conjunta de Operações do Bloco 14, em apoio aos aspectos administrativos do projecto, gestão dos aspectos comerciais do desenvolvimento, incluindo estratégias contratuais, acordo para exportação de petróleo em todo o bloco, distribuição dos custos e produção da área de desenvolvimento, bem como a apresentação de previsões para a futura produção de gás do Angola LNG. Possui algum papel de liderança e de gestão do pessoal? Sim. Sou responsável pela gestão de parte da nossa força de trabalho, nas áreas de caracterização de subsuperfície, interpretação geofísica, engenharia de petróleos e geologia do desenvolvimento. Esta posição gere 16 outras, das quais seis se encontram em Luanda e as restantes em Houston. As responsabilidades incluem orientação e acompanhamento individuais dos empregados, processo de gestão do desempenho, planos de desenvolvimento, administração de salários e desenvolvimento de empregados angolanos, em todos os aspectos do trabalho de subsuperfície. É uma função estimulante. É a primeira vez que trabalha num grande projecto? Na minha função anterior tive a oportunidade de trabalhar alguns meses no projecto Nemba ESR, previsto para iniciar no final deste ano, o qual ajudará a reduzir a queima de gás na Área B, Bloco 0. O que torna o Tômbua-Lândana diferente de outros projectos da CABGOC? Trata-se de um projecto singular, com algumas características que nunca haviam sido utilizadas antes. Por exemplo, pela primeira vez a plataforma usará Membranas para Remoção do Sulfato e tratamento da água do mar. Isto reduzirá o teor de sulfato na água do mar, antes da sua injecção no reservatório, ajudando a prevenir a formação de sulfato de bário que pode provocar cortes dramáticos de produção. Em Angola nunca se tinha reinjectado água produzida. Qual foi a fase mais complexa do projecto? Manter o fabrico e a instalação de todas as instalações de desenvolvimento. A torre e o queimador da plataforma foram fabricados na Sonamet (Benguela), Heerema Fabricators (Holanda), Gulf Marine e Gulf Island (ambos no Golfo do México). As estruturas superiores vieram da Coreia do Sul, a área dos alojamentos em Houston. O equipamento submarino foi trazido do Reino Unido, EUA e Noruega e montado na Sonamet. As condutas de escoamento submarinas foram fabricadas na Europa, revestidas em Angola e enroladas em Luanda. Enfrentámos inúmeros desafios multinacionais. A instalação teve de ser cuidadosamente gerida, para se prevenir colisões entre os navios de instalação. O principal desafio foi garantir que a logística chegasse 23

24 Perguntas & Respostas A transição da Equipa de Projecto do TL para a equipa de Projectos/Operações foi particularmente complexa 24 no momento certo. Outra grande tarefa residiu no estabelecimento da cultura livre de incidentes e lesões em todos os sete grandes estaleiros de fabrico, em seis países diferentes e a bordo de sete navios de instalação. O Tômbua-Lândana possui uma forte característica de Angolanização. É a primeira vez que um projecto offshore da CABGOC será totalmente operado por nacionais... Tal só foi possível porque a CABGOC estabeleceu um plano para a nacionalização e ter permanecido fiel a este. Proporcionámos o nível correcto de formação, orientação individual e reforçámos um comportamento de elevado desempenho. Também tivemos de incluir um processo de selecção que nos permitisse contratar novos talentos. Possui quase duas décadas de ligação à CABGOC. Que posições já ocupou na empresa? Iniciei a minha carreira na CABGOC em 1996 como engenheiro de Petróleos estagiário, tendo trabalhado em Malongo durante três anos. Como parte do Programa de Formação de engenheiros da companhia, ocupei diferentes posições, tais como engenheiro de produção, engenheiro de campo, engenheiro de reservatórios e engenheiro de simulação de reservatórios. Em 2000, beneficiei de um estágio de desenvolvimento de dois anos em San Ramon (EUA), como engenheiro de Simulação. Em Janeiro de 2002 regressei a Angola e tornei-me engenheiro de Reservatórios sénior para o Campo do Kuito no Bloco 14. Em 2004, integrei o Departamento de Operações de Produção no Malongo, no qual trabalhei inicialmente como engenheiro de Operações e posteriormente no Campo Nemba. Quais os maiores desafios que enfrentou desde então? A transição da Equipa de Projecto do TL para a equipa de Projectos/ Operações foi particularmente complexa. Atingi um estágio mais avançado do projecto, no qual tive de assegurar uma transição sem percalços, bem como obter um completo e rápido entendimento do projecto em poucos meses. De um modo geral, tem sido uma enorme satisfação trabalhar com todas as diferentes funções da Equipa Multifuncional do TL (CFAT).

25 Flash Empreiteiro da CABGOC bate recorde de segurança A empreiteira da Cabinda Gulf Oil Company (CABGOC) Teixeira Duarte S.A. completou recentemente 2 milhões de horas trabalhadas (164 dias) sem Incidentes com Perda de Tempo, assinalando um impressionante recorde de segurança. Com este feito, a Teixeira Duarte demonstra estar em perfeito alinhamento com o lema da CABGOC Faça de maneira segura ou não o faça; haverá sempre tempo para fazê-lo da forma correcta. A Teixeira Duarte S.A. está a construir a futura nova sede da CABGOC na zona da Chicala, em Luanda, empregando para o efeito mais de 400 pessoas. O edifício terá sete pisos e deverá acolher mais de 700 funcionários, substituindo assim seis diferentes locais actualmente espalhados pela cidade. A sua construção resulta da necessidade de se albergar num único local estes trabalhadores, o que deverá melhorar a eficiência e a comunicação entre os diferentes departamentos e áreas da companhia. Como resultado de novos investimentos em exploração, pesquisa e produção de petróleo e gás no País e um bem sucedido programa de Angolanização, a subsidiária da Chevron em Angola cresceu significativamente, o que levou ao aumento do seu pessoal. Teixeira Duarte: dois Milhões de horas sem acidentes de trabalho. 25

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

A Chevron e Angola. Parceiros de Longa Data

A Chevron e Angola. Parceiros de Longa Data A Chevron e Angola Parceiros de Longa Data As oportunidades de crescimento e progresso nunca foram tão vastas nas seis décadas de história da Chevron em Angola. Biliões de dólares estão a ser investidos

Leia mais

O DESAFIO DOS EXECUTIVOS

O DESAFIO DOS EXECUTIVOS COACHING EXECUTIVO O DESAFIO DOS EXECUTIVOS Os executivos das empresas estão sujeitos a pressões crescentes para entregarem mais e melhores resultados, liderando as suas organizações através de mudanças

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

visão global do mundo dos negócios

visão global do mundo dos negócios Senhor Primeiro Ministro Senhor Ministro da Saúde Senhor Presidente da AM Senhor Presidente do CA da Lenitudes Senhores Deputados Srs. Embaixadores Srs. Cônsules Senhores Vereadores e Deputados Municipais

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO AMBIENTE REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE O Ministério do Ambiente tem o prazer de convidar V. Exa. para o Seminário sobre Novos Hábitos Sustentáveis, inserido na Semana Nacional do Ambiente que terá

Leia mais

Criando Oportunidades

Criando Oportunidades Criando Oportunidades Clima, Energia & Recursos Naturais Agricultura & Desenvolvimento Rural Mercados de Trabalho & Sector Privado e Desenvolvimento Sistemas Financeiros Comércio & Integração Regional

Leia mais

Introdução à Responsabilidade Social das Pequenas e Médias Empresas

Introdução à Responsabilidade Social das Pequenas e Médias Empresas Introdução à Responsabilidade Social das Pequenas e Médias Empresas Este guia foi produzido como parte da Campanha de Consciencialização Pan-Europeia sobre RSE, uma iniciativa da Comissão Europeia, Directoria

Leia mais

Empresas Responsáveis Questionário de Sensibilização

Empresas Responsáveis Questionário de Sensibilização Empresas Responsáveis Questionário de Sensibilização 1. Introdução O presente questionário ajudá-lo-á a reflectir sobre os esforços desenvolvidos pela sua empresa no domínio da responsabilidade empresarial,

Leia mais

A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto

A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto Universidade Agostinho Neto Faculdade de Direito Workshop sobre Formação Pós-Graduada e Orientação A Formação Pós-Graduada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto Por: Carlos Teixeira Presidente

Leia mais

Programa de Estágios Comunitários. Ontem, Hoje e Amanhã. Estagiocomunitario@yahoo.com.br

Programa de Estágios Comunitários. Ontem, Hoje e Amanhã. Estagiocomunitario@yahoo.com.br Programa de Estágios Comunitários Estágios Comunitários Ontem, Hoje e Amanhã Estagiocomunitario@yahoo.com.br Introdução O Programa de estágios comunitários é um projecto que nasceu a partir da experiência

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL. ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014

MISSÃO EMPRESARIAL. ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014 MISSÃO EMPRESARIAL ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014 ANGOLA Com capital na cidade de Luanda, Angola é um país da costa ocidental de África, cujo território principal é limitado a norte

Leia mais

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia,

Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro da Economia, ANGOLA NO CONTEXTO DA INTEGRAÇAO ECONÓMICA REGIONAL 29 de Setembro, 2015 Intervenção do Doutor Paolo Balladelli, Representante Residente do PNUD em Angola Sua Excelência, Doutor Abrahão Gourgel, Ministro

Leia mais

Reflexões sobre Conteúdo Local & Áreas de Oportunidade Maputo - Fev 2014. Company of ENH, EP Group

Reflexões sobre Conteúdo Local & Áreas de Oportunidade Maputo - Fev 2014. Company of ENH, EP Group Reflexões sobre Conteúdo Local & Áreas de Oportunidade Maputo - Fev 2014 Company of ENH, EP Group Agenda 1 ENH Logistics 2 Áreas de Oportunidade 3 Reflexões sobre Conteúdo Local 2 ENH Logistics ENH Logistics

Leia mais

Banco Popular, Espanha

Banco Popular, Espanha Banco Popular, Espanha Tecnologia avançada de automação do posto de caixa para melhorar a eficiência e beneficiar a saúde e segurança dos funcionários O recirculador de notas Vertera contribuiu para impulsionar

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013. 1. Título "Opções de financiamento para a CPLP" não é meu.

FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013. 1. Título Opções de financiamento para a CPLP não é meu. FRANCISCO MANTERO - PWC - CPLP 23/01/2013 1. Título "Opções de financiamento para a CPLP" não é meu. Poderia dar ideia que há opções de financiamento específicas para a CPLP em si mesma e para os Estados

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino. Cerimónia de Abertura do WTPF-09

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES. Eng. Mário Lino. Cerimónia de Abertura do WTPF-09 INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O MINISTRO DAS OBRAS PÚBLICAS, TRANSPORTES E COMUNICAÇÕES Eng. Mário Lino Cerimónia de Abertura do WTPF-09 Centro de Congressos de Lisboa, 22 de Abril de 2009 (vale a versão

Leia mais

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017

REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 REDE LUTA CONTRA POBREZA URBANA RLCPU PLANO ESTRATÉGICO,2015-2017 Adão Augusto, Consultor 12-02-2015 1. Contextualização. Os projectos sociais fazem parte de um sistema complexo de relações que envolvem

Leia mais

ANÚNCIO DE VAGA DESCRIÇÃO DO POSTO. Junho de 2012.

ANÚNCIO DE VAGA DESCRIÇÃO DO POSTO. Junho de 2012. ANÚNCIO DE VAGA DESCRIÇÃO DO POSTO Posição: Director Executivo Programa Inter Religioso Contra a Malária (PIRCOM) Projecto Academy for Educational Development/Communication for Change (C Change) Supervisor:

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013 Política de Responsabilidade Corporativa Março 2013 Ao serviço do cliente Dedicamos os nossos esforços a conhecer e satisfazer as necessidades dos nossos clientes. Queremos ter a capacidade de dar uma

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes)

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes) Processo nº1-project Manager Construction Company Engenheiro Civil para ser Gerente de Projetos - Experiência de 5 anos em empresas relevantes (construção); Alto nível de habilidades organizacionais e

Leia mais

Discurso de Abertura do Embaixador INS Cerimónia de Lançamento da Primeira Pedra do Laboratório Nacional de Referência 13 de Novembro de 2014

Discurso de Abertura do Embaixador INS Cerimónia de Lançamento da Primeira Pedra do Laboratório Nacional de Referência 13 de Novembro de 2014 Discurso de Abertura do Embaixador INS Cerimónia de Lançamento da Primeira Pedra do Laboratório Nacional de Referência 13 de Novembro de 2014 S. Excia Ministro da Saúde S. Excia Governadora da Província

Leia mais

A Concepção da Ideia

A Concepção da Ideia A Concepção da Ideia Inov@emprego - Fórum do emprego, formação e empreendedorismo do litoral alentejano Tiago Santos Sines, 7 de Novembro de 2008 Sines Tecnopolo O Sines Tecnopolo é uma associação de direito

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Presidência da República

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Presidência da República REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Presidência da República Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República por ocasião do Almoço dos 20 Anos da Cervejas de Moçambique Maputo, 18 de Setembro

Leia mais

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental

Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental Política da Nestlé sobre Sustentabilidade Ambiental A Nestlé, na qualidade de Companhia líder em Nutrição, Saúde e Bem-Estar, assume o seu objectivo

Leia mais

Cimeira do Fórum Índia África

Cimeira do Fórum Índia África REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU Presidência da República Cimeira do Fórum Índia África Intervenção de Sua Excelência Senhor José Mário Vaz Presidente da República Nova Delhi, 29 de Outubro de 2015 Excelência,

Leia mais

Resolver os principais desafios de engenharia do mundo.

Resolver os principais desafios de engenharia do mundo. 10% Sede global Parker Hannifin Corporation 6035 Parkland Boulevard Cleveland, Ohio 44124-4141 216 896 3000 Sede na EMEA Parker Hannifin Europe Sàrl La Tuilière 6 - CH-1163 Etoy, Suíça 41 0 21 821 85 00

Leia mais

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho A Segurança não é negociável Na Nestlé, acreditamos que o sucesso sustentável apenas poderá ser alcançado através dos seus Colaboradores. Nenhum

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE Local de trabalho: Maputo, Moçambique Duração do contrato: Três (3) meses: Novembro 2011

Leia mais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Exmo Senhor Presidente da Associação Angolana de Bancos Sr. Amílcar Silva Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Estimados Bancários Minhas Senhoras

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

República de Moçambique

República de Moçambique República de Moçambique Dia do Médico Moçambicano: Momento de celebração e reflexão sobre desafios da classe e do sector Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique,

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 393/VIII ESTABELECE O ESTATUTO LEGAL DO MEDIADOR SÓCIO-CULTURAL. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 393/VIII ESTABELECE O ESTATUTO LEGAL DO MEDIADOR SÓCIO-CULTURAL. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 393/VIII ESTABELECE O ESTATUTO LEGAL DO MEDIADOR SÓCIO-CULTURAL Exposição de motivos A necessidade de função de mediação sócio-cultural surgiu da vontade de melhorar a relação entre

Leia mais

Certificação da Qualidade numa Empresa a nível Nacional

Certificação da Qualidade numa Empresa a nível Nacional Certificação da Qualidade numa Empresa a nível Nacional Quem somos Origem, posição actual Actividade iniciada em 1952. O prestígio de meio século de presença no mercado, A Qualidade dos produtos que comercializa

Leia mais

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique DESCRIÇÃO DO TRABALHO Título de posição: Responde a: Supervisiona: Localização: Gestor de Comunicação Directora Nacional, WWF Moçambique Todo pessoal de comunicações Maputo, Moçambique Data: 19 de Agosto

Leia mais

2º CICLO DE PALESTRAS SODEPAC GESTÃO DE PEQUENOS NEGÓCIOS

2º CICLO DE PALESTRAS SODEPAC GESTÃO DE PEQUENOS NEGÓCIOS 2º CICLO DE PALESTRAS SODEPAC GESTÃO DE PEQUENOS NEGÓCIOS Msc. Economista Carlos Kibuba INAPEM-MALANJE carloskibuba@hotmail.com GESTÃO DE PEQUENOS NEGÓCIOS CARLOS QUIBUBA REPRESENTANTE PROVINCIAL DO INAPEM-MALANJE.

Leia mais

QUADROS SUPERIORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DIRIGENTES E QUADROS SUPERIORES DE EMPRESA

QUADROS SUPERIORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DIRIGENTES E QUADROS SUPERIORES DE EMPRESA GRANDE GRUPO 1 QUADROS SUPERIORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DIRIGENTES E QUADROS SUPERIORES DE EMPRESA Os quadros superiores da administração pública, dirigentes e quadros superiores de empresa dão pareceres

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS

2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS - DOCUMENTO 15 Extractos dos Referentes Externos e Internos que suportam o Referencial 2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS REFERENTES EXTERNOS LEGISLAÇÃO Lei nº 31/2002 de 20 de Dezembro CAPÍTULO I Sistema

Leia mais

A Gestão da experiência do consumidor é essencial

A Gestão da experiência do consumidor é essencial A Gestão da experiência do consumidor é essencial Sempre que um cliente interage com a sua empresa, independentemente do canal escolhido para efetuar esse contacto, é seu dever garantir uma experiência

Leia mais

Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil. Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres

Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil. Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres Aliança do Setor Privado para a Redução do Risco de Desastres no Brasil Escritório das Nações Unidas para a Redução do Risco de Desastres Iniciativas Globais Aliança do Setor Privado para a Redução do

Leia mais

27% das empresas prevê aumento dos postos de trabalho

27% das empresas prevê aumento dos postos de trabalho Análise da Michael Page sobre Recursos Humanos 27% das empresas prevê aumento dos postos de trabalho Manter a motivação das equipas é o principal desafio das empresas portuguesas, sendo apontado por 42%

Leia mais

ACORDO DE PLANEAMENTO ESTRATÉGICO PARA O DESENVOLVIMENTO ENTRE O GOVERNO DE TIMOR-LESTE O GOVERNO DA AUSTRÁLIA. Novembro de 2011

ACORDO DE PLANEAMENTO ESTRATÉGICO PARA O DESENVOLVIMENTO ENTRE O GOVERNO DE TIMOR-LESTE O GOVERNO DA AUSTRÁLIA. Novembro de 2011 ACORDO DE PLANEAMENTO ESTRATÉGICO PARA O DESENVOLVIMENTO ENTRE O GOVERNO DE TIMOR-LESTE E O GOVERNO DA AUSTRÁLIA Novembro de 2011 Acordo de planeamento estratégico para o desenvolvimento Timor-Leste Austrália

Leia mais

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 Lisboa, 26 de Novembro 2009 1. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 2. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 3. EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO 4. DOUTORAMENTO EM MEIO EMPRESARIAL 5. OPEN

Leia mais

Descrição de Tarefas para a Posição de Director de Programas, Políticas e Comunicação da AAMOZ

Descrição de Tarefas para a Posição de Director de Programas, Políticas e Comunicação da AAMOZ Descrição de Tarefas para a Posição de Director de Programas, Políticas e Comunicação da AAMOZ ActionAid é uma federação internacional trabalhando para erradicar a pobreza e a injustiça. A ActionAid foi

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003 Intervenção de Sua Excelência a Ministra da Ciência e do Ensino Superior, na II Reunião Ministerial da Ciência e Tecnologia da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Rio de Janeiro, 5 de Dezembro

Leia mais

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA 2015 CONSTITUIÇÃO DO JÚRI Joaquim Sérvulo Rodrigues Membro da Direcção da COTEC Portugal, Presidente do Júri; Carlos Brazão Director Sénior de Vendas

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Canadá Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios De acordo com a nomenclatura usada pelo Ministério da Indústria do Canadá, o porte

Leia mais

Comemoração dos 30 Anos APAF Análise Financeira: alicerce do mercado de capitais e do crescimento económico Intervenção de boas vindas

Comemoração dos 30 Anos APAF Análise Financeira: alicerce do mercado de capitais e do crescimento económico Intervenção de boas vindas Comemoração dos 30 Anos APAF Análise Financeira: alicerce do mercado de capitais e do crescimento económico Intervenção de boas vindas Exm.ªs Senhoras, Exm.ºs Senhores É com prazer que, em meu nome e em

Leia mais

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 54 CAPA www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 CAPA 55 ENTREVISTA COM PAULO VARELA, PRESDIDENTE DA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGAL ANGOLA O ANGOLA DEVE APOSTAR NO CAPITAL HUMANO PARA DIVERSIFICAR

Leia mais

República de Moçambique Presidência da República DISCURSO PARA BANQUETE DE ESTADO

República de Moçambique Presidência da República DISCURSO PARA BANQUETE DE ESTADO República de Moçambique Presidência da República DISCURSO PARA BANQUETE DE ESTADO Discurso de Sua Excelência Filipe Jacinto Nyusi, Presidente da República de Moçambique, por ocasião do Banquete de Estado

Leia mais

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade

Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Memória descritiva do projecto Sanjonet Rede de Inovação e Competitividade Candidatura aprovada ao Programa Política de Cidades - Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação Síntese A cidade de S.

Leia mais

PPP e Desenvolvimento de Competências Desenvolvimento e implementação de projetos de parcerias de desenvolvimento público-privadas

PPP e Desenvolvimento de Competências Desenvolvimento e implementação de projetos de parcerias de desenvolvimento público-privadas 13 de maio de 2015 PPP e Desenvolvimento de Competências Desenvolvimento e implementação de projetos de parcerias de desenvolvimento público-privadas Virpi Stucki Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

PROGEST, fundada no ano de 1989 em Luanda, Angola como uma Empresa de Projectos Técnicos, Consultoria e Gestão, por:

PROGEST, fundada no ano de 1989 em Luanda, Angola como uma Empresa de Projectos Técnicos, Consultoria e Gestão, por: PROGEST, fundada no ano de 1989 em Luanda, Angola como uma Empresa de Projectos Técnicos, Consultoria e Gestão, por: Manuel Alfredo Resende de Oliveira (Engenheiro Civil Instituto Superior Técnico) Valério

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: UM DESAFIO PARA A IGUALDADE E AUTONOMIA

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA: UM DESAFIO PARA A IGUALDADE E AUTONOMIA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA UM DESAFIO PARA A IGUALDADE E AUTONOMIA CENTRO CULTURAL DE BELÉM 3 DE DEZEMBRO DE 2009 MARIA GUIDA DE FREITAS FARIA 1 AGRADEÇO

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto

Estratégia Empresarial. Capítulo 4 Missão e Objectivos. João Pedro Couto Estratégia Empresarial Capítulo 4 Missão e Objectivos João Pedro Couto ESTRATÉGIA EMPRESARIAL Pensamento Estratégico Análise do Meio Envolvente Análise da Empresa Análise Estratégica Missão, Objectivos

Leia mais

O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão

O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão 1 2 O que pode a União Europeia fazer pelas pessoas? O Fundo Social Europeu é uma resposta a esta questão 3 A origem do Fundo Social Europeu O Fundo Social Europeu foi criado em 1957 pelo Tratado de Roma,

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

É precisamente nestas alturas que temos de equacionar todos os meios possíveis para tornar viáveis, nomeadamente, os museus.

É precisamente nestas alturas que temos de equacionar todos os meios possíveis para tornar viáveis, nomeadamente, os museus. Museus Novos produtos para novos públicos António Ponte Paço dos Duques de Bragança PORTO, 2011-11-07 Ao iniciar esta apresentação quero agradecer o convite que nos foi endereçado para apresentar a situação

Leia mais

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas

Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Exma. Sra. Presidente do Conselho Geral Transitório Exmos. Srs. Conselheiros Exmos. Srs. Professores Exmos. Srs. Funcionários Caros amigos e amigas Em primeiro lugar gostaria de expressar o meu agradecimento

Leia mais

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade.

Simon Schwartzman. A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. A educação de nível superior superior no Censo de 2010 Simon Schwartzman (julho de 2012) A evolução da educação superior no Brasil diferenças de nível, gênero e idade. Segundo os dados mais recentes, o

Leia mais

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos,

A sustentabilidade da economia requer em grande medida, a criação duma. capacidade própria de produção e fornecimento de bens e equipamentos, REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE -------- MINISTÉRIO DA ENERGIA GABINETE DO MINISTRO INTERVENÇÃO DE S.EXA SALVADOR NAMBURETE, MINISTRO DA ENERGIA, POR OCASIÃO DA INAUGURAÇÃO DA FÁBRICA DE CONTADORES DA ELECTRO-SUL

Leia mais

Cooperação no Ensino Politécnico Orlando Rodrigues

Cooperação no Ensino Politécnico Orlando Rodrigues Os Dias do Desenvolvimento Conhecimento, Capacitação e Transferência de Tecnologia Lisboa, 22 de Abril Cooperação no Ensino Politécnico Orlando Rodrigues Objectivo: Breve reflexão em torno da experiência

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA ACQUALIVEEXPO Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA Lisboa, 22 de Março de 2012 1 1. Introdução A diplomacia económica é um

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS

CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS CARTA EUROPEIA DAS PEQUENAS EMPRESAS As pequenas empresas são a espinha dorsal da economia europeia, constituindo uma fonte significativa de emprego e um terreno fértil para o surgimento de ideias empreendedoras.

Leia mais

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Introdução O International Accreditation Forum (IAF) é uma associação mundial de Organismos de Acreditação, Associações de Organismos de Certificação e outras

Leia mais

Vítor Caldeira. Presidente do Tribunal de Contas Europeu

Vítor Caldeira. Presidente do Tribunal de Contas Europeu Os Tribunais de Contas e os desafios do futuro Vítor Caldeira Presidente do Tribunal de Contas Europeu Sessão solene comemorativa dos 160 anos do Tribunal de Contas Lisboa, 13 de Julho de 2009 ECA/09/46

Leia mais

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO

REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE GABINETE DO PRIMEIRO-MINISTRO Alocução de Sua Excelência Kay Rala Xanana Gusmão Primeiro-Ministro da República Democrática de Timor-Leste por ocasião da Primeira Conferência

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA INTEGRAR POOL DE VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS PARA MISSÕES DE EMERGÊNCIA

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA INTEGRAR POOL DE VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS PARA MISSÕES DE EMERGÊNCIA TERMOS DE REFERÊNCIA PARA INTEGRAR POOL DE VOLUNTÁRIOS INTERNACIONAIS PARA MISSÕES DE EMERGÊNCIA A AMI é uma Organização Não Governamental (ONG) portuguesa, privada, independente, apolítica e sem fins

Leia mais

1. Eixo(s) em que se insere Eixo 3 Qualidade de vida nas zonas rurais e diversificação da economia rural

1. Eixo(s) em que se insere Eixo 3 Qualidade de vida nas zonas rurais e diversificação da economia rural MEDIDA 3.1 Diversificação da Economia e Criação de Emprego 1. Eixo(s) em que se insere Eixo 3 Qualidade de vida nas zonas rurais e diversificação da economia rural 2. Enquadramento Regulamentar Artigo

Leia mais

Auto-emprego Juvenil e o Papel das Cooperativas Modernas Maputo, 02 de Agosto de 2012

Auto-emprego Juvenil e o Papel das Cooperativas Modernas Maputo, 02 de Agosto de 2012 Auto-emprego Juvenil e o Papel das Cooperativas Modernas Maputo, 02 de Agosto de 2012 Por Ocasião do Lançamento do Projecto Oficinas de Trabalho e Aprendizagem promovido pela O nosso bem estar e a qualidade

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

Bom dia. Muito Obrigado. Felicito hoje o significativo dia desta conferência na nossa cooperação de saúde.

Bom dia. Muito Obrigado. Felicito hoje o significativo dia desta conferência na nossa cooperação de saúde. Desenvolvimento Económico e Cuidados de Saúde da Coreia Bom dia. Muito Obrigado. Felicito hoje o significativo dia desta conferência na nossa cooperação de saúde. A Coreia agora ocupa o (décimo terceiro

Leia mais

DESTAQUES LEGISLATIVOS DEZEMBRO 2013

DESTAQUES LEGISLATIVOS DEZEMBRO 2013 ANGOLA JANEIRO 2014 VISÃO GLOBAL, EXPERIÊNCIA LOCAL DESTAQUES LEGISLATIVOS DEZEMBRO 2013 AMBIENTE DESPACHO N.º 2746/13, MINISTÉRIO DO AMBIENTE DIÁRIO DA REPÚBLICA Iª SÉRIE N.º 235, DE 6 DE DEZEMBRO DE

Leia mais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE CENTRO DE BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO. CAPÍTULO I Das disposições gerais

UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE CENTRO DE BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO. CAPÍTULO I Das disposições gerais UNIVERSIDADE EDUARDO MONDLANE CENTRO DE BIOTECNOLOGIA REGULAMENTO DE ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO CAPÍTULO I Das disposições gerais ARTIGO 1 (Denominação, natureza jurídica e finalidade) O Centro de Biotecnologia,

Leia mais

ÍNDICE. Sumário. Apoios. Media Partners. Dados Gerais. Conferência. Expositores. Visitantes. Campanha de Marketing. Mídia Espontânea.

ÍNDICE. Sumário. Apoios. Media Partners. Dados Gerais. Conferência. Expositores. Visitantes. Campanha de Marketing. Mídia Espontânea. ÍNDICE Sumário Apoios Media Partners Dados Gerais Conferência Expositores Visitantes Campanha de Marketing Mídia Espontânea Imagens 2 Sumário O Evento A 7ª Edição da BRASIL OFFSHORE - Feira e Conferência

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

As Vendas e Prestações de Serviços

As Vendas e Prestações de Serviços Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano lectivo: 2009/2010 Prof: Adelina Silva As Vendas e Prestações de Serviços Trabalho Realizado por: Susana Carneiro 12ºS Nº18 Marketing Marketing é a parte do processo

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012

MENSAGEM DO PRESIDENTE2012 1. Pela 12 ª vez relatamos atividades e prestamos contas. Este é dos actos mais nobres de um eleito, mostrar o que fez, como geriu o dinheiro dos cidadãos, dar transparência à governação. Constitui um

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012

Human Resources Human Resources. Estudos de Remuneração 2012 Human Resources Human Resources Estudos de Remuneração 2012 3 Michael Page Page 4 Apresentamos-lhe os Estudos de Remuneração 2012, realizados pela Michael Page. O objectivo dos nossos Estudos de Remuneração

Leia mais

GUIÃO PARA REDUÇÃO E CONTENÇÃO DE CUSTOS NO TRIÉNIO 2015-2017

GUIÃO PARA REDUÇÃO E CONTENÇÃO DE CUSTOS NO TRIÉNIO 2015-2017 GUIÃO PARA REDUÇÃO E CONTENÇÃO DE CUSTOS NO TRIÉNIO 2015-2017 1 I - Enquadramento A instabilidade vigente no mercado petrolífero resultou na queda do preço do barril de petróleo (Brent) em USD 24, no período

Leia mais

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO REGULAMENTO INTERNO DAS REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS DA REPÚBLICA DE ANGOLA NO ESTRANGEIRO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º (Natureza) As representações são órgãos de execução

Leia mais

COMBATE AO TRABALHO INFANTIL Nota de Imprensa

COMBATE AO TRABALHO INFANTIL Nota de Imprensa COMBATE AO TRABALHO INFANTIL Nota de Imprensa No próximo dia 12 de Junho, comemora-se o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. O PETI e o Escritório da OIT Organização Internacional do Trabalho em

Leia mais