OS MEIOS ELETRÔNICOS QUE CONTRIBUEM COM O APRIMORAMENTO DA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "OS MEIOS ELETRÔNICOS QUE CONTRIBUEM COM O APRIMORAMENTO DA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL"

Transcrição

1 OS MEIOS ELETRÔNICOS QUE CONTRIBUEM COM O APRIMORAMENTO DA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL LAÍS GOMES BERGSTEIN Mestre em Direito Econômico e Socioambiental pela PUC/PR; Bolsista da CAPES por todo o período do Mestrado; Professora do curso de Direito das Faculdades da Indústria (Sistema FIEP); Membro do Instituto dos Advogados do Paraná; Advogada integrante do Escritório Professor René Dotti, em Curitiba/PR. INTRODUÇÃO A revolução tecnológica abriu horizontes em quase todas as atividades produtivas e não poupou os operadores do Direito que, em muitos aspectos, se beneficiam com as facilidades proporcionadas pelas novas ferramentas. Atualmente diversos meios eletrônicos contribuem com o aprimoramento da prestação jurisdicional, ao passo que oferecem aos Magistrados e operadores do Direito instrumentos eficazes que atuam em prol da tutela dos direitos. A concepção de um sistema para tramitação de processos judiciais eletrônicos, implementado há muitos anos em países como a França e os Estados Unidos da América, com a edição da Lei nº /2006, passou a integrar também o quotidiano de advogados, magistrados e servidores do Poder Judiciário em todo o Brasil. Há, no entanto, outros relevantes meios eletrônicos que contribuem com o aprimoramento da prestação jurisdicional. O presente trabalho introduz alguns dos principais instrumentos eletrônicos que facilitam as comunicações entre membros do Poder Judiciário e outros entes públicos, além de apresentar uma resenha sobre o conceito da tramitação de processos virtualmente. 1 O DIREITO FUNDAMENTAL DE ACESSO À JUSTIÇA E O PRINCÍPIO DA RAZOÁVEL DURAÇÃO DO PROCESSO

2 2 A partir do final dos anos 70 a concepção de pós-modernidade passou a integrar o palco intelectual com o objetivo de qualificar o novo estado cultural das sociedades desenvolvidas, marcadas pela dinâmica de individualização e de pluralização das sociedades, assim como pela primazia do aqui-agora. 1 Gilles Lipovetsky afirma que estamos vivendo uma segunda modernidade, desregulamentada e globalizada, que se alicerça em três premissas: o mercado, a eficiência técnica e o indivíduo. Os homens testemunham na sociedade hodierna a aceleração do ritmo das operações econômicas e uma explosão dos volumes de capital que circulam no planeta, além das transformações vertiginosas da tecnologia. 2 As mudanças de comportamento e relacionamento entre as pessoas, a globalização e a efemeridade das novas relações sociais podem ser aferidas em inúmeros setores das sociedades, em praticamente todo o mundo. Para o economista e filósofo Adam Schaff, as transformações revolucionárias da ciência e da técnica, com as consequentes modificações na produção e na prestação de serviços inevitavelmente produzem mudanças nas relações sociais. 3 E as consequências desta nova realidade também influem sobre o trabalho dos construtores do Direito e membros do Poder Judiciário. A já mencionada efemeridade das relações sociais contribui com o aumento do volume de demandas ajuizadas diariamente. A capacidade de resolução de lides judicialmente, contudo, é limitada. Isto resulta no agravamento de um dos maiores problemas no âmbito de funcionamento do Poder Judiciário brasileiro: o elevado tempo de tramitação dos processos. A preocupação redobra quando se verifica que esta realidade implica na violação de uma série de direitos dos cidadãos. O direito fundamental de acesso à justiça, ou princípio do direito de ação, previsto no art. 5º, inciso XXXV, da Constituição da República, além de significar que toda pessoa pode postular a tutela jurisdicional relativa a um direito, está inexoravelmente ligado à compreensão de que todos têm direito a obter uma tutela jurisdicional adequada. Nelson Nery Junior, neste sentido, afirma que Não é 1 LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. Tradução: Mário Vilela. São Paulo: Barcarolla, p. 49, 54, 55, passim. 2 Ibid. 3 SCHAFF, Adam. A sociedade informática: as consequências sociais da segunda revolução industrial. Tradução: Carlos Eduardo Jordão Machado e Luiz Arturo Obojes. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, p

3 3 suficiente o direito à tutela jurisdicional. É preciso que essa tutela seja a adequada, sem o que estaria vazio de sentido o princípio.. 4 Neste sentido, Gilmar Ferreira Mendes, Ministro do Supremo Tribunal Federal, ao avaliar a norma que assegura a duração razoável do processo, afirmou que: Positiva-se, assim, no direito constitucional, orientação há muito perfilhada nas convenções internacionais sobre direitos humanos e que alguns autores já consideravam implícita na ideia de proteção judicial efetiva, no princípio do Estado de Direito e no próprio postulado da dignidade da pessoa humana. [...] A duração indefinida ou ilimitada do processo judicial afeta não apenas e de forma direta a ideia de proteção judicial efetiva, como compromete de modo decisivo a proteção da dignidade da pessoa humana, na medida em que permite a transformação do ser humano em objeto dos processos estatais. 5 Entende-se que a prestação jurisdicional não é adequada quando deixa de oferecer uma resposta ao jurisdicionado em um prazo razoável de tempo. Esta constatação acarretou a inclusão, pela Emenda Constitucional nº 45, de 30 de dezembro de 2004, do disposto no inciso LXXVIII, do art. 5º, da Constituição da República, in verbis: [...] a todos, no âmbito judicial e administrativo, são assegurados a razoável duração do processo e os meios que garantam a celeridade de sua tramitação. Eduardo Cambi, por sua vez, pondera que na civilização tecnológica os valores da eficiência dos resultados e da probabilidade de sua consecução imperam, induzindo o Poder Judiciário a fazer avaliações prospectivas, com o objetivo de viabilizar o direito para o futuro. No Estado Social, sucessor do Estado Liberal, exigese do poder público a adoção de ações voltadas à efetivação dos direitos, verdadeiras obrigações de fazer que visem a promoção da justiça constitucional. 6 O direito constitucional à tutela jurisdicional efetiva, de acordo com o processualista Luiz Guilherme Marinoni, corresponde ao direito a uma tutela capaz de impedir a violação do direito, sempre que se tratar de direitos não patrimoniais. A 4 NERY JUNIOR, Nelson. Princípios do processo na Constituição Federal: processo civil, penal e administrativo. 9. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, p Grifos do autor. 5 MENDES, Gilmar Ferreira. Direitos Fundamentais de Caráter Judicial e Garantias Constitucionais do Processo. In: MENDES, Gilmar Ferreira; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 6. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, p CAMBI, Eduardo. Neoconstitucionalismo e Neoprocessualismo: direitos fundamentais, políticas públicas e protagonismo judiciário. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Revista dos Tribunais, p. 195.

4 4 tutela jurisdicional que adequada e efetivamente garante a inviolabilidade dos direitos é uma imposição constitucional expressa nos valores da dignidade da pessoa humana (art. 1º, III), da proteção aos direitos da personalidade (art. 5º, X) e do direito de acesso à justiça (art. 5º, XXXV). 7 No mesmo sentido, Cambi sustenta que a perspectiva constitucional dos direitos fundamentais institui o direito a um processo estruturado formalmente, mas que, além disso, constitua uma garantia mínima de meios e resultados. Trata-se do aspecto jurídico-processual dos direitos fundamentais ou o chamado due process iusfundamental, que demanda a existência de meios (organizações e procedimentos) aptos a produzir os resultados de acordo com os direitos fundamentais. 8 Portanto, mais do que a mera declaração de direitos no texto legal, é necessário que sejam desenvolvidos, cada vez mais, instrumentos eficazes a garantir o resultado esperado pelo cidadão que procura a tutela do Poder Judiciário. 2 OS MEIOS ELETRÔNICOS QUE CONTRIBUEM COM O APRIMORAMENTO DA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL As transformações vertiginosas da tecnologia possibilitaram mudanças também na forma de resolução de conflitos. Aliada ao avanço das telecomunicações, a informática possibilitou a criação de diversos meios eletrônicos insertos em um sistema de redes que permite o acesso remoto de informações, assim como o envio e recebimento instantâneos de ordens judiciais. Paulo Cezar Alves Sodré lembra os primeiros atos de governança eletrônica no país: o primeiro foi a instituição do voto eletrônico nas eleições de [...] o segundo, foi a utilização da rede mundial de computadores para a transmissão da declaração de Imposto de Renda, perante a Secretaria da Receita Federal. 9. Desde 7 MARINONI, Luiz Guilherme. Técnica Processual e Tutela dos Direitos. São Paulo: Revista dos Tribunais, p CAMBI, Eduardo. Op. cit., p Grifos do autor. 9 SODRÉ, Paulo Cezar Alves. O processo judicial eletrônico: reflexos e consequências da sociedade da informação na administração do Poder Judiciário. In: MEIRELLES, Jussara Maria Leal de; RIBEIRO, Marcia Carla Pereira (coord.). Direito e Desenvolvimento: biomedicina, tecnologia e sociedade globalizada. Belo Horizonte: Fórum, p. 335.

5 5 então, o uso de instrumentos eletrônicos se populariza e propaga pelo país intensamente. O Poder Judiciário não ficou alheio a estes avanços. Em 1999, a Lei nº provocou uma verdadeira revolução na prática dos atos processuais, ao permitir o envio de petições escritas por meio de sistema de transmissão de dados e imagens tipo fac-símile ou outro mecanismo similar. A condição imposta para o recebimento da peça era apenas a entrega dos documentos originais no prazo de cinco dias (vide art. 2º, Lei nº 9.800/90), o que contribuiu sobremaneira com o exercício do direito de ação. Com o propósito de aprimorar a prestação jurisdicional, foram estabelecidos diversos convênios entre Tribunais de Justiça e entes da administração pública para agilizar e facilitar a comunicação com o Poder Judiciário, principalmente no âmbito dos processos executivos e na esfera criminal. Alguns deles merecem especial destaque no presente trabalho. 2.1 SISTEMA BACEN JUD: PODER JUDICIÁRIO E BANCO CENTRAL DO BRASIL Um dos primeiros instrumentos de comunicação eletrônica implementados no país foi o chamado Bacen Jud, sistema igualmente identificado pela expressão penhora online e é intermediado e gerido pelo Banco Central do Brasil. 10 As estatísticas divulgadas pelo Banco Central 11 demonstram a ampla utilização do Bacen Jud pelos diversos Juízos e Tribunais brasileiros. Durante o ano de 2001 foram registradas, ao todo, 524 solicitações do Poder Judiciário por intermédio deste sistema. Nenhuma ordem eletrônica foi originada no Paraná. Em 2011, por outro lado, foram efetuadas solicitações via Bacen Jud. Destas, solicitações eletrônicas foram computadas apenas no âmbito da justiça estadual do Paraná, contra 6.327ofícios expedidos fisicamente na mesma região. Em apenas cinco anos, entre 2005 e 2010 o crescimento do número de solicitações realizadas pelo sistema disponibilizado pelo Banco Central foi exponencial: partiu-se de utilizações em 2005 para no ano de 2010, 10 BRASIL. Sistema Financeiro Nacional. Sistema Bacen Jud. Disponível em: <http://www.bcb.gov.br/?bcjudintro > Acesso em: 27 jan BRASIL. Sistema Financeiro Nacional. Sistema Bacen Jud. Estatísticas do Bacen Jud. Disponível em: < Acesso em: 27 jan

6 6 em todo o país. A segurança que envolve o trânsito das informações no Bacen Jud, que já é operado na versão 2.0 e dispõe de mecanismos de criptografia de dados, favorece a ampliação dos recursos disponibilizados. Atualmente, além das solicitações de bloqueios e desbloqueios de ativos financeiros, é possível, por meio deste mecanismo, formular requisições de informações de dados cadastrais de quaisquer usuários do sistema financeiro nacional, além de determinar a imediata transferência de recursos bloqueados para contas judiciais. 12 Ou seja, a prática judiciária de expedição de ofícios ao Banco Central ou a cada uma das instituições financeiras em operação no país, tanto para bloqueio de recursos quanto para o fornecimento de dados (como o número de inscrição no CPF ou o atual endereço de determinada pessoa), está sendo gradativamente superada. Com o aprimoramento e ampliação do uso deste sistema, o Tribunal de Justiça do Paraná, inclusive promoveu a alteração do Código de Normas da Corregedoria- Geral de Justiça para dispensar a lavratura do termo de penhora, contribuindo ainda mais com a celeridade processual. Trata-se do procedimento previsto no item , in verbis: Recebida resposta positiva, com bloqueio realizado (integral ou parcial), o juiz imprimirá também o respectivo extrato, o qual substituirá o termo de penhora. A economia decorrente do uso deste sistema extrapola os gastos com papel e tinta, pois é expressa também no melhor aproveitamento do tempo dos servidores públicos, na redução das despesas com o envio de correspondências e na redução do trabalho de intermediação entre o Poder Judiciário e as instituições financeiras que era desempenhado, fisicamente, pelo Banco Central. A partir desta experiência muito bem sucedida, outros sistemas foram desenvolvidos e paulatinamente implementados no país. 2.2 INFOJUD: PODER JUDICIÁRIO E RECEITA FEDERAL A Receita Federal do Brasil detém um dos melhores e mais completo banco de dados do país, reunindo informações atualizadas sobre milhões de contribuintes. 12 BRASIL. Sistema Financeiro Nacional. Sistema Bacen Jud. Manual do Bacen Jud. Disponível em: < > Acesso em: 27 jan

7 7 Diante da grande quantidade de ofícios oriundos do Poder Judiciário requisitando informações, foi desenvolvido o sistema Infojud, a partir de uma parceria instituída entre Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Receita Federal. Trata-se de conexão com a Receita Federal que facilita a solicitação de fornecimento das seguintes documentações: declarações anuais do imposto de renda, declarações do imposto sobre a propriedade territorial rural, declarações sobre operações imobiliárias e declarações da extinta contribuição provisória sobre movimentações financeiras (CPMF), tudo isso tanto de pessoas físicas quanto de pessoas jurídicas. O mecanismo permite aos Juízos, ainda, a solicitação de fornecimento dos dados cadastrais atualizados dos contribuintes. É necessário, para utilização do sistema, que o Magistrado seja previamente cadastrado em uma base específica da Receita Federal (diligência que é realizada pelo próprio Tribunal ao qual é vinculado) e detenha um certificado digital emitido pela Autoridade Certificadora integrante da ICP-Brasil REDE INFOSEG A Rede de Integração Nacional de Informações de Segurança Pública, Justiça e Fiscalização, chamada rede Infoseg, é mantida pela Secretaria Nacional de Segurança Pública e reúne informações das Polícias Civil e Militar, do Departamento Nacional de Trânsito, do Exército Brasileiro, do Superior Tribunal de Justiça, dos Tribunais de Justiça Estaduais e da Justiça Federal, além dos Departamentos de Polícia Federal, da Secretaria da Receita Federal e do Projeto Fronteiras. 14 A rede viabiliza o acesso, por meio de um canal privado na internet, de dados básicos de pessoas de pessoas com inquéritos, processos, mandados de prisão e envolvimento com narcotráfico, além de reunir outros bancos de dados, como os de armas, veículos, condutores e de cadastros de pessoas físicas e jurídicas (CPF e 13 BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Sistemas. Infojud. Disponível em: < Acesso em: 27 jan BRASIL. Manual do Infoseg. Disponível em: < Acesso em: 25 jan

8 8 CNPJ). 15 O Infoseg apresenta-se atualmente como o maior sistema de informações de segurança pública do país, segundo informações divulgadas pelo CNJ E-MANDADO: TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ E SECRETARIAS DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA E DA JUSTIÇA E CIDADANIA No Estado do Paraná, a Corregedoria Geral de Justiça regulamentou, por meio do Provimento nº 202, o uso do emandado; sistema eletrônico de envio de mandados de prisão gerados e expedidos pelo Poder Judiciário do Estado do Paraná para as Secretarias de Estado da Segurança Pública e da Justiça e Cidadania. Os mandados são assinados digitalmente pelos Magistrados e enviados pelo sistema para os órgãos de segurança pública, podendo, assim, ser imediatamente visualizados pela Polícia Civil e pelo Departamento Penitenciário para cumprimento imediato. O sistema, além de guardar as informações sobre o cumprimento da ordem judicial e as diligências realizadas, ainda permite a emissão de certidões sobre o cumprimento do mandado para juntada aos autos. 17 A despeito do inegável avanço que envolve as redes integradas de informações, é fundamental que quaisquer entes que formem bancos de dados respeitem a legislação vigente, especialmente no que tange os prazos de manutenção e a atualização das informações cadastradas. O recolhimento dos mandados de prisão inválidos, por exemplo, é fundamental para garantir a eficácia do sistema e a segurança dos jurisdicionados. 2.5 RENAJUD: PODER JUDICIÁRIO E DETRAN Com o mesmo objetivo de optimização das solicitações judiciais, o Conselho Nacional de Justiça promoveu junto ao Departamento Nacional de Trânsito (DETRAN) o desenvolvimento do Renajud. 15 Ibid. 16 BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Sistemas. Infoseg. Disponível em: < Acesso em: 25 jan BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado do Paraná. EMandado. Disponível em: < Acesso em: 28 jan

9 9 Trata-se de sistema que possibilita consultas e o envio, em tempo real, de ordens judiciais eletrônicas de restrição e de levantamento de restrições de transferências, licenciamento e circulação de veículos automotores inscritos no banco do Registro Nacional de Veículos Automotores (RENAVAM). 18 No Estado do Paraná, para que o Magistrado possa utilizar o sistema, basta que solicite o seu cadastramento ao Departamento de Informática do Tribunal de Justiça, por meio do Sistema Mensageiro. Note-se que o instrumento de comunicação entre Juízos e Tribunal de Justiça paranaense é, também, eletrônico. 2.6 MALOTES DIGITAIS Além de estreitar laços com outros entes públicos, o uso de instrumentos facilitadores das comunicações entre os próprios membros do Poder Judiciário contribuem com a agilidade e a segurança dos atos judiciais. O CNJ, diante da [...] necessidade de modernizar a administração da Justiça com a utilização dos recursos disponíveis da tecnologia da informação 19, publicou, em novembro de 2009, a Resolução nº 100, que instituiu o sistema Malote Digital para as comunicações com o Conselho da Justiça Federal (CJF), o Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT) e os demais órgãos do Poder Judiciário, exceto o STF. A recomendação é que o sistema seja utilizado não apenas como meio de comunicação com o CNJ, mas também entre os Tribunais. Há, na Resolução, até mesmo uma menção expressa relativa à transmissão de Cartas Precatórias: O Sistema Hermes - Malote Digital deve ser utilizado, entre outros, para expedição e devolução de Cartas Precatórias entre juízos de tribunais diversos, salvo se deprecante e deprecado utilizarem ferramenta eletrônica específica para esse fim. (art. 1º, 3º, Resolução nº 100/2009 do CNJ). 18 BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Regulamento do Renajud: restrições judiciais de veículos automotores. Disponível em: <https://denatran2.serpro.gov.br/renajud/> Acesso em: 27 jan BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Resolução nº 100, de 24 de novembro de Dispõe sobre a comunicação oficial, por meio eletrônico, no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/atos-administrativos/atos-da-presidencia/323-resolucoes/12215-resolucao-no-100- de-24-de-novembro-de-2009> Acesso em: 30 jan

10 10 Segundo Gilberto Dupas, as tecnologias da informação encolhem o espaço. As diversas teles anulam distâncias, desmaterializando os encontros. 20. No que tange o uso dos meios eletrônicos facilitadores da prestação jurisdicional, as tecnologias da informação contribuem com a efetivação de direitos fundamentais, pois é inegável a economia e a celeridade resultantes do uso de sistemas eletrônicos de comunicação na esfera de prestação da tutela jurisdicional. 3 O PROCESSO JUDICIAL ELETRÔNICO E A BUSCA DA PRESTAÇÃO JURISDICIONAL ADEQUADA Outro instrumento que está sendo implementado em todo o país, visando ao atendimento à garantia constitucional da razoável duração do processo, é o processo judicial eletrônico. No Brasil, a Lei nº , de 19 de dezembro de 2006, ao dispor sobre a informatização do processo judicial, instituiu, formalmente, o uso do meio eletrônico na tramitação de processos judiciais, na comunicação de atos e na transmissão de peças processuais em qualquer grau de jurisdição (art. 1º). Este novo meio de tramitação processual permite, dentre outras facilidades, a consulta aos autos do processo simultaneamente por advogados, magistrado e partes; dispensa uma série de atos administrativos judiciais, a exemplo da autuação, da juntada de documentos, da formação de volumes e do translado dos autos; extingue as infindáveis buscas por autos perdidos; assim como reduz os custos com material, possibilitando que a maior parte dos investimentos seja convertida em equipamentos de informática e na formação de serventuários da Justiça. A economia decorrente da transformação dos atos processuais em virtuais poderá ser comprovada estatisticamente. Apenas o Supremo Tribunal Federal, em julho de 2010, ao anunciar a inclusão de oito novas classes de processos no seu sistema eletrônico, noticiou que seriam deixados de ser feitos aproximadamente 707 (setecentos e sete) deslocamentos de processos físicos por dia e 943 (novecentas e quarenta e três) juntadas de documentos e costuras judiciais. 20 DUPAS, Gilberto. Ética e Poder na Sociedade da Informação: de como a autonomia das novas tecnologias obriga a rever o mito do progresso. São Paulo: UNESP, p. 56.

11 11 Segundo nota divulgada à população também pelo STF, a medida proporciona agilidade na análise das ações, além de diminuir custos e reduzir o impacto ambiental, devido à eliminação de grande parte do uso de papel, tinta de impressora, combustível de trânsito das partes e advogados, entre outras pequenas ações que afetam direta e indiretamente o meio ambiente.. 21 Diversos exemplos positivos da implementação de meios eletrônicos para tramitação de processos judiciais podem ser aferidos em diversos países. Em Seattle, nos Estados Unidos da América, a máxima Justice delayed is Justice denied (em tradução literal: Justiça atrasada é Justiça negada ), conduziu à criação ainda na década de 1990 de um sistema para tramitação de processos eletronicamente, o chamado Electronic Court Records (ECR), iniciativa que resultou na obtenção de prêmios e comendas especiais, como a premiação outorgada pelo Ash Center da Universidade de Harvard. 22 A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional do Paraná, promoveu, ao longo de 2011, uma ampla e importante pesquisa com os advogados paranaenses sobre o processo judicial eletrônico. Os resultados, divulgados no Jornal da Ordem nº 150, de junho de 2011, revelam que metade dos entrevistados ainda encontrava dificuldades no trabalho com o processo eletrônico, no entanto, ainda consideravam que [...] o sistema virtual de peticionamento e acompanhamento das ações judiciais representa o melhor caminho para a modernização, celeridade e eficiência da Justiça brasileira. 23. Ao todo, foram entrevistados 690 advogados, dos quais 345 atuam na Capital e o restante nas demais subseções no Estado. A pesquisa também demonstrou que a maioria dos entrevistados 90,14% (noventa vírgula catorze por cento) defende a unificação, em âmbito nacional, do sistema de peticionamento eletrônico. Atualmente o advogado depara-se com uma grande variedade de sistemas de peticionamento eletrônico (Projudi, e-saj, e-pet, e- 21 BRASIL. STF torna obrigatório envio eletrônico de mais oito tipos de processos. Disponível em: <http://www.stf.jus.br/portal/cms/vernoticiadetalhe.asp?idconteudo=156081> Acesso em: 10 out EUA.Electronic Court Record Program. Disponível em: <http://www.kingcounty.gov/courts/ecrlibrary.aspx> Acesso em: 20 out BRASIL. Pesquisa mostra opinião dos advogados do Paraná sobre processo eletrônico. Jornal da Ordem, Curitiba, n. 150, jun. 2011, p

12 12 DOC, e-proc, PEJ, e-jur, dentre outros), que são operacionalizados de maneiras distintas, o que dificulta sobremaneira o exercício da advocacia. Sabe-se, outrossim, que o sistema, ainda que seguro, não é indene de falhas. Atualmente existem legítimos pleitos dos advogados e magistrados visando ao aperfeiçoamento dos mecanismos disponíveis. Todavia, acredita-se que com o desenvolvimento progressivo desses novos instrumentos de peticionamento se perceba que o processo eletrônico constitui, de fato, um grande aliado dos direitos constitucionais de acesso à justiça e da razoável duração do processo. Nas palavras de René Ariel Dotti: Da escrita com a pena de ganso para a máquina elétrica de escrever houve notável progresso que atingiu o seu estágio culminante com o computador e a internet. Surge, agora, o processo eletrônico para substituir o processo físico, representado pelo papel. Acredito que a mudança revelará o profundo contraste entre o cinema mudo e o cinema falado. 24 Nas instituições que compõem as sociedades modernas, conforme ensina Anthony Giddens, deve prevalecer o sentimento de confiança: em condições de modernidade, atitudes de confiança para com sistemas abstratos são via de regra rotineiramente incorporadas à continuidade das atividades cotidianas e são em grande parte reforçadas pelas circunstâncias intrínsecas do dia a dia.. Para o autor, A confiança, assim, é muito menos um salto para o compromisso do que uma aceitação tácita de circunstâncias nas quais outras alternativas estão amplamente descartadas. 25. Já o sociólogo espanhol Manuel Castells defende que os fenômenos da globalização e da informacionalização, ao mesmo tempo em que transformam a capacidade produtiva e as comunicações, privam as sociedades de direitos políticos e privilégios. Isto porque a repentina aceleração do tempo histórico, somada à abstração do poder, estaria desagregando os atuais mecanismos de controle social e de representação política DOTTI, René Ariel. O processo eletrônico judicial. Curitiba, Boletim Trimestral do Escritório Professor René Dotti, a. 7, n. 12, Abr., maio e jun p GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. Tradução: Raul Fiker. São Paulo: UNESP, p. 87 e CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. Tradução: Alexandra Lemos e Rita Espanha. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, p

13 13 O autor conclui, enfim, que à excepção de uma elite reduzida de globopolitanos (meio seres humanos, meio fluxos), as pessoas em todo o mundo ressentem-se da perda do controlo sobre as suas próprias vidas, o seu meio, os seus empregos, as suas economias, os seus governos, os seus países e, em última análise, sobre o destino do planeta.. 27 Não obstante as fundadas razões que ensejaram a crítica de Castells, principalmente considerando-se a grande quantidade de pessoas que, por diferentes razões, não são tecnologicamente incluídas, os novos instrumentos eletrônicos constituem avanços importantes em diversos setores, inclusive, no âmbito da prestação jurisdicional. É certo, também, que devem ser respeitados certos limites na seara da informatização dos atos processuais. Assim como as súmulas vinculantes não são aptas a solucionar todo o problema do abarrotamento do Poder Judiciário, deve-se preservar a prática presencial de alguns atos judiciais, a exemplo do interrogatório nas ações penais, zelando, assim, para que a prestação jurisdicional seja mais ágil sem que direitos sejam violados. CONSIDERAÇÕES FINAIS A revolução tecnológica abriu horizontes em quase todas as atividades produtivas e não poupou os operadores do Direito que, em muitos aspectos, se beneficiam com as facilidades proporcionadas pelas novas tecnologias. O casamento da prestação jurisdicional com a informática descortina um universo de novas possibilidades para o futuro da advocacia, agregando tanto entusiastas quanto céticos. A máxima de que Justice delayed is justice denied, em tradução livre, Justiça tardia é justiça negada, cada dia se torna mais verdadeira também perante a sociedade brasileira. Embora a concepção de um sistema para tramitação de processos judiciais exclusivamente em meio eletrônico divida opiniões no Brasil, a partir da edição da Lei 27 Ibid. Grifos do autor.

14 14 nº /2006 esta realidade passa a integrar, inevitavelmente, o quotidiano de advogados, magistrados e servidores do Poder Judiciário. Neste contexto, por mais que a adoção de meios eletrônicos para facilitar o trâmite processual e o acesso do jurisdicionado aos autos do processo demande certa dose de confiança dos operadores do Direito, é inegável que a prestação jurisdicional adequada demanda tanto a observância do devido processo legal, quanto a rápida resolução da lide. Com a massificação das relações sociais e o aumento exponencial de lides submetidas diariamente à apreciação do Poder Judiciário, o uso de mecanismos que optimizem os atos processuais tornou-se primordial, sob pena de se atingir um colapso de todo o sistema. O que se denota, enfim, é que o conhecimento e o domínio dos novos instrumentos relacionados à tramitação dos processos são fundamentais para garantir a adequada prestação jurisdicional. É verdade também que o primeiro e maior beneficiário da adoção de novas tecnologias e instrumentos que agreguem segurança e celeridade à execução dos atos processuais será, sempre, o jurisdicionado. REFERÊNCIAS BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Regulamento do Renajud: restrições judiciais de veículos automotores. Disponível em: <https://denatran2.serpro.gov.br/renajud/> Acesso em: 27 jan BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Resolução nº 100, de 24 de novembro de Dispõe sobre a comunicação oficial, por meio eletrönico, no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/atos- administrativos/atos-da-presidencia/323-resolucoes/12215-resolucao-no-100-de-24- de-novembro-de-2009> Acesso em: 30 jan BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Sistemas. Infojud. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/programas-de-a-a-z/sistemas/pg-infojud > Acesso em: 27 jan BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Sistemas. Infoseg. Disponível em: <http://www.cnj.jus.br/programas-de-a-a-z/sistemas/infoseg> Acesso em: 25 jan

15 15 BRASIL. Sistema Financeiro Nacional. Sistema Bacen Jud. Disponível em: <http://www.bcb.gov.br/?bcjudintro > Acesso em: 27 jan BRASIL. Pesquisa mostra opinião dos advogados do Paraná sobre processo eletrônico. Jornal da Ordem, Curitiba, n. 150, jun. 2011, p BRASIL. STF torna obrigatório envio eletrônico de mais oito tipos de processos. Disponível em: <http://www.stf.jus.br/portal/cms/vernoticiadetalhe.asp?idconteudo=156081> Acesso em: 10 out BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado do Paraná. EMandado. Disponível em: <http://portal.tjpr.jus.br/web/di/emandado> Acesso em: 28 jan CAMBI, Eduardo. Neoconstitucionalismo e Neoprocessualismo: direitos fundamentais, políticas públicas e protagonismo judiciário. 2. ed. rev. e atual. São Paulo: Revista dos Tribunais, CASTELLS, Manuel. O poder da identidade. Tradução: Alexandra Lemos e Rita Espanha. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, DINAMARCO, Cândido Rangel. Instituições de Direito Processual Civil. 6. ed. rev. e atual. São Paulo: Malheiros, DOTTI, René Ariel. O processo eletrônico judicial. Curitiba, Boletim Trimestral do Escritório Professor René Dotti, a. 7, n. 12, Abr., maio e jun DUPAS, Gilberto. Ética e Poder na Sociedade da Informação: de como a autonomia das novas tecnologias obriga a rever o mito do progresso. São Paulo: UNESP, EUA. Electronic Court Record Program. Disponível em: <http://www.kingcounty.gov/courts/ecrlibrary.aspx> Acesso em: 20 out EUA. Public Access to Court Electronic Records (PACER) Disponível em: <http://www.pacer.gov/> Acesso em: 26 out

16 16 GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. Tradução: Raul Fiker. São Paulo: UNESP, LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. Tradução: Mário Vilela. São Paulo: Barcarolla, MARINONI, Luiz Guilherme. Técnica Processual e Tutela dos Direitos. São Paulo: Revista dos Tribunais, MEIRELLES, Jussara Maria Leal de; RIBEIRO, Marcia Carla Pereira (coord.). Direito e Desenvolvimento: biomedicina, tecnologia e sociedade globalizada. Belo Horizonte: Fórum, MENDES, Gilmar Ferreira. Direitos Fundamentais de Caráter Judicial e Garantias Constitucionais do Processo. In: MENDES, Gilmar Ferreira; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 6. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, NERY JUNIOR, Nelson. Princípios do processo na Constituição Federal: processo civil, penal e administrativo. 9. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, SCHAFF, Adam. A sociedade informática: as consequências sociais da segunda revolução industrial. Tradução: Carlos Eduardo Jordão Machado e Luiz Arturo Obojes. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, SODRÉ, Paulo Cezar Alves. O processo judicial eletrônico: reflexos e consequências da sociedade da informação na administração do Poder Judiciário. In: MEIRELLES, Jussara Maria Leal de; RIBEIRO, Marcia Carla Pereira (coord.). Direito e Desenvolvimento: biomedicina, tecnologia e sociedade globalizada. Belo Horizonte: Fórum, 2011.

INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD INSTRUMENTOS DE EFETIVIDADE DA JURISDIÇÃO

INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD INSTRUMENTOS DE EFETIVIDADE DA JURISDIÇÃO INFOJUD, RENAJUD E BACENJUD INSTRUMENTOS DE EFETIVIDADE DA JURISDIÇÃO I PROGRAMA DE INTERCÂMBIO DE MAGISTRADOS FÓRUM BRIC Exchange Program for Judges BRIC Forum Marivaldo Dantas de Araújo Juiz de Direito

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 149/2010. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 149/2010. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições legais, RESOLUÇÃO Nº 149/2010 Autoriza a implantação do Processo Eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Acre e dá outras providências. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA

SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA 0 SISTEMAS Á DISPOSIÇÃO DA PRIMEIRA INSTÂNCIA 1. APOLO Descrição: Sistema de acompanhamento processual. Usuários: Juízes, servidores, advogados e partes de processos distribuídos nas Comarcas. Objetivo:

Leia mais

Vantagens que todo advogado precisa conhecer. Autoridade Certificadora da Ordem dos Advogados do Brasil

Vantagens que todo advogado precisa conhecer. Autoridade Certificadora da Ordem dos Advogados do Brasil Certificado Digital OAB Vantagens que todo advogado precisa conhecer Autoridade Certificadora da Ordem dos Advogados do Brasil A Justiça brasileira está cada vez mais digital. A rotina do advogado não

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Justiça PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINSTRATIVO Nº 0006549-41.2009.2.00.0000 RELATOR : CONSELHEIRO JOSÉ ADONIS CALLOU DE ARAÚJO SÁ REQUERENTE : FLÁVIO BRITO BRÁS REQUERIDO : TRIBUNAL

Leia mais

irtualização de Processos Compreendendo o Processo Eletrônico na Prática DO PODER JUDICIÁRIO ALAGOANO

irtualização de Processos Compreendendo o Processo Eletrônico na Prática DO PODER JUDICIÁRIO ALAGOANO Compreendendo o Processo Eletrônico na Prática Apresentação O Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas, diante dos avanços tecnológicos e das vantagens do processo eletrônico, resolveu implantar em todas

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO RESOLUÇÃO Nº 221/2011 Regulamenta as atividades da Central de Atendimento, a forma de assinatura eletrônica e a utilização do meio eletrônico para a prática de atos processuais e dá outras providências.

Leia mais

A Informática e a Prestação Jurisdicional

A Informática e a Prestação Jurisdicional A Informática e a Prestação Jurisdicional Advogado/RS que nela crêem. e distribuição da Justiça exige a maciça utilização de recursos tecnológicos, especialmente informática. com a tecnologia hoje disponível

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 342/SEJUD.GP, DE 27 DE JULHO DE 2010

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 342/SEJUD.GP, DE 27 DE JULHO DE 2010 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 342/SEJUD.GP, DE 27 DE JULHO DE 2010 Regulamenta o processo judicial eletrônico no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL SUPERIOR

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RECOMENDAÇÃO Nº 37, DE 15 DE AGOSTO DE 2011

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RECOMENDAÇÃO Nº 37, DE 15 DE AGOSTO DE 2011 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RECOMENDAÇÃO Nº 37, DE 15 DE AGOSTO DE 2011 Recomenda aos Tribunais a observância das normas de funcionamento do Programa Nacional de Gestão Documental e Memória do Poder Judiciário

Leia mais

RESOLUÇÃO N 427, DE 20 DE ABRIL DE 2010

RESOLUÇÃO N 427, DE 20 DE ABRIL DE 2010 Publicada no DJE/STF, n. 72, p. 1-2 em 26/4/2010 RESOLUÇÃO N 427, DE 20 DE ABRIL DE 2010 Regulamenta o processo eletrônico no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DO

Leia mais

*F69F3DF9* PROJETO DE LEI N.º, de de 2012. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO)

*F69F3DF9* PROJETO DE LEI N.º, de de 2012. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) ** PROJETO DE LEI N.º, de de 2012. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) Dispõe sobre a criação de cargos de provimento efetivo no Quadro de Pessoal da Secretaria do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região.

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

TJM-RS NGE-JME-RS. Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014

TJM-RS NGE-JME-RS. Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014 2013 TJM-RS NGE-JME-RS Anexo I - 2.2.3 - Levantamento de dados históricos Projetos TJM/RS de 2009 a 2014 [PAINEL DE INDICADORES-TJM-RS] Contém os indicadores do do Tribunal de Justiça Militar do Rio Grande

Leia mais

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. O CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 20, DE 09 DE OUTUBRO DE 2013. Institui a emissão de Certidões Judiciais Cíveis e Criminais, inclusive por meio eletrônico, no âmbito da 1ª Instância do Poder Judiciário do Estado de Alagoas

Leia mais

Belém, 26 de abril de 2012. JOSÉ DE ALENCAR Presidente

Belém, 26 de abril de 2012. JOSÉ DE ALENCAR Presidente PROCESSO TRT P-00968/2012 RESOLUÇÃO Nº 032/2012 APROVA o Provimento nº 01/2012, da Corregedoria Regional deste Egrégio Tribunal, que estabelece procedimentos para recebimento das Petições Iniciais e documentos

Leia mais

Vantagens que todo advogado precisa conhecer

Vantagens que todo advogado precisa conhecer Certificado Digital OAB Vantagens que todo advogado precisa conhecer A Justiça brasileira está cada vez mais digital. A rotina do advogado não vai ficar atrás. Está ocorrendo um fato inédito na Justiça

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça II Encontro Nacional do PJe (Brasília, 5 de agosto de 2015) O novo CPC: o papel do Conselho Nacional de Justiça nas disposições sobre o processo eletrônico Luciano Athayde

Leia mais

PARTE 1. Resolução 551/2011

PARTE 1. Resolução 551/2011 PARTE 1 Resolução 551/2011 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO RESOLUÇÃO Nº 551/2011 Regulamenta o processo eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e dá outras providências.

Leia mais

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto

ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto ROTEIRO DA LEI DO PROCESSO ELETRÔNICO Ana Amelia Menna Barreto A Lei que instituiu o processo judicial informatizado, em vigor desde março de 2007, aplica-se indistintamente aos processos civil, penal,

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA-TCU Nº 68, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA-TCU Nº 68, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA-TCU Nº 68, DE 25 DE OUTUBRO DE 2011 Dispõe sobre o recebimento de documentos a serem protocolados junto ao Tribunal de Contas da União. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

PROVIMENTO Nº 38/2012. O Corregedor-Geral da Justiça do Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PROVIMENTO Nº 38/2012. O Corregedor-Geral da Justiça do Estado de Mato Grosso, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO Nº 38/2012 Dispõe sobre o envio, por meio eletrônico, através do Portal Eletrônico do Advogado - PEA, das petições iniciais e em andamento de processos físicos que tramitam na primeira instância

Leia mais

Editoria e Diagramação Núcleo de Imagem Ascom TJPE. Ilustração Gerência de Atendimento Técnico

Editoria e Diagramação Núcleo de Imagem Ascom TJPE. Ilustração Gerência de Atendimento Técnico Conceitos de Segurança da Informação, Certificação Digital e suas Aplicações no TJPE 3ª Edição - Maio/2013 Elaboração Núcleo de Segurança da Informação SETIC Editoria e Diagramação Núcleo de Imagem Ascom

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA, CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS GABINETE DA SECRETÁRIA RESOLUÇÃO N 126/2012 GS/SEJU

SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA, CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS GABINETE DA SECRETÁRIA RESOLUÇÃO N 126/2012 GS/SEJU RESOLUÇÃO N 126/2012 GS/SEJU Dispõe sobre a criação da Central de Alvarás de Soltura e disciplina os procedimentos administrativos para o encaminhamento, cumprimento e execução dos alvarás de soltura eletrônicos.

Leia mais

Conteúdo. Juízes Titulares das Varas Digitais COORDENADORIA DAS VARAS DIGITAIS JUIZ COORDENADOR: RICARDO GOMES FAÇANHA

Conteúdo. Juízes Titulares das Varas Digitais COORDENADORIA DAS VARAS DIGITAIS JUIZ COORDENADOR: RICARDO GOMES FAÇANHA Conteúdo 1. Para distribuir uma ação nova:... 3 2. Como protocolar uma petição nas varas digitais... 4 3. Dicas Úteis... 5 4. Materialização do processo digital... 7 5. Consulta do Processo... 7 6. Responsabilidade...

Leia mais

Justiça Federal Subseção Judiciária de Santa Maria. http://www.jef-rs.gov.br

Justiça Federal Subseção Judiciária de Santa Maria. http://www.jef-rs.gov.br http://www.jef-rs.gov.br VANTAGENS DO SISTEMA ELETRÔNICO: DIRETAS INDIRETAS Diminuição de custos com papel, impressão, fotocópias; deslocamentos ao JEF; comodidade do acesso imediato aos autos no momento

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça.

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça. ESTRUTURA PROGRAMÁTICA - PROPOSTA 2016 UNIDADE - UO 0301 PROGRAMA PROGRAMA Garantir o pagamento pelo efetivo serviço exercido por magistrados e servidores, bem como as obrigações de responsabilidade do

Leia mais

*486EBBAA* PROJETO DE LEI N.º, de 2014. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO)

*486EBBAA* PROJETO DE LEI N.º, de 2014. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) ** PROJETO DE LEI N.º, de 2014. (DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO) Dispõe sobre a criação de cargos de provimento efetivo e de cargos em comissão no Quadro de Pessoal da Secretaria do Tribunal Regional

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 5ª REGIÃO Gabinete da Presidência PROVIMENTO GP - 02, DE 24 DE JULHO DE 2012 *

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 5ª REGIÃO Gabinete da Presidência PROVIMENTO GP - 02, DE 24 DE JULHO DE 2012 * PROVIMENTO GP - 02, DE 24 DE JULHO DE 2012 * Dispõe sobre o Sistema Integrado de Protocolização e Fluxo de Documentos Eletrônicos (e DOC), bem como a indisponibilidade dos equipamentos de facsímile (fax)

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I

ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I ANO VI EDIÇÃO nº 1282 Suplemento SEÇÃO I DISPONIBILIZAÇÃO: sexta-feira, 12 de abril de 2013 PUBLICAÇÃO: segunda-feira, 15 de abril de 2013 Senhores(as) Usuários(as), A Seção I do Diário da Justiça Eletrônico

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02/2009

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02/2009 INSTRUÇÃO NORMATIVA N 02/2009 Regulamenta os procedimentos relativos à certificação digital, para garantir a segurança das transações eletrônicas realizadas por meio dos sistemas, das aplicações e dos

Leia mais

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUÇÃO Nº. 16/2009 Autoriza a implantação do Processo Eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO Nº 002/PRES/OAB/RO RESOLVE:

RESOLUÇÃO DO CONSELHO Nº 002/PRES/OAB/RO RESOLVE: RESOLUÇÃO DO CONSELHO Nº 002/PRES/OAB/RO O CONSELHO SECCIONAL DO ESTADO DE RONDÔNIA DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL, no uso de suas atribuições estatutárias, com base no que dispõe o art. 10, 1º da Lei

Leia mais

CARTILHA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS - CNDT

CARTILHA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS - CNDT 1 CARTILHA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS - CNDT DESIN DEPARTAMENTO SINDICAL Setembro 2011 2 Í N D I C E Introdução... 3 Lei nº 12.440, de 07/07/2011... 4 Alteração na CLT... 4 Alteração na

Leia mais

GOVERNO DE SERGIPE DECRETO Nº 29.720 DE 03 DE FEVEREIRO DE 2014

GOVERNO DE SERGIPE DECRETO Nº 29.720 DE 03 DE FEVEREIRO DE 2014 PUBLICADO NO D.O.E. Nº 26.912 DE 13.02.2014. Regulamenta a Lei nº 7.650, de 31 de maio de 2013, que dispõe sobre a comunicação eletrônica entre a Secretaria de Estado da Fazenda SEFAZ, e o sujeito passivo

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES 2 I. Finalidade A presente Política de Divulgação de Informações e de Negociação de Ações tem como finalidade estabelecer as práticas de divulgação

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 14, DE 02 DE DEZEMBRO DE 2014.

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 14, DE 02 DE DEZEMBRO DE 2014. PROVIMENTO CONJUNTO Nº 14, DE 02 DE DEZEMBRO DE 2014. Regulamenta os critérios a serem observados no âmbito da Justiça do Trabalho da 4ª Região para operacionalização do Sistema de Investigação de Movimentações

Leia mais

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Senhores, No encerramento destes trabalhos, gostaria de agradecer a contribuição

Leia mais

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N /2011

RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N /2011 RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA N /2011 Regulamenta a expedição da Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas CNDT e dá outras providências. O EGRÉGIO ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO, em sessão

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L

Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90): Artigos 260 a 260-L Art. 260. Os contribuintes poderão efetuar doações aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente nacional, distrital, estaduais

Leia mais

Nova regulamentação do PJe na Justiça Trabalhista. O quê mudou?

Nova regulamentação do PJe na Justiça Trabalhista. O quê mudou? Nova regulamentação do PJe na Justiça Trabalhista. O quê mudou? O Conselho Superior da Justiça do Trabalho editou a nova Resolução 136/2014, revogando a Resolução 94/2012 que regulamenta o sistema PJe-JT

Leia mais

Peticionar Inquérito e Outros Documentos

Peticionar Inquérito e Outros Documentos Peticionar Inquérito e Outros Documentos Este manual se destina a orientar a Polícia Civil a realizar o Peticionamento de Inquéritos e Outros Documentos (exceto Auto de Prisão em Flagrante) para o Tribunal

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL - 2ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL - 2ª REGIÃO OFÍCIO CIRCULAR Nº T2-OCI-2010/00037 Rio de Janeiro, 25 de março de 2010. Senhor(a) Juiz(a), No 3º Encontro Nacional do Poder Judiciário, promovido pelo Conselho Nacional de Justiça e ocorrido no último

Leia mais

Aprovada na Reunião do Conselho de Administração de 10.05.2012. Sumário

Aprovada na Reunião do Conselho de Administração de 10.05.2012. Sumário POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES E DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES Aprovada na Reunião do Conselho de Administração de 10.05.2012 Sumário I. Finalidade... 3 II. Abrangência... 3 III. Divulgação de Informação

Leia mais

(Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) O Congresso Nacional decreta:

(Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI N o, DE 2005 (Do Sr. Antonio Carlos Mendes Thame) Dispõe sobre a desburocratização dos processos de constituição, funcionamento e baixa das microempresas e empresas de pequeno porte, nos

Leia mais

Advogados fazem ato contra sistema de Processo Judicial Eletrônico e TRT admite falha

Advogados fazem ato contra sistema de Processo Judicial Eletrônico e TRT admite falha Fonte: Dra. Cláudia Brum Mothé Seção: Rio Versão: Online Data: 31/07 Advogados fazem ato contra sistema de Processo Judicial Eletrônico e TRT admite falha Presidente da OAB do Rio recorre ao STF para garantir

Leia mais

ATO TRT 17ª PRESI N.º 093/2010*

ATO TRT 17ª PRESI N.º 093/2010* ATO TRT 17ª PRESI N.º 093/2010* A DESEMBARGADORA-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 17.ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO a necessidade de se implementar

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014.

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. PROVIMENTO CONJUNTO Nº 13, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2014. Regulamenta os procedimentos a serem adotados no âmbito da Justiça do Trabalho da 4ª Região em virtude da implantação do PJe- JT, revoga o Provimento

Leia mais

PROCESSO ELETRÔNICO NA JUSTIÇA FEDERAL

PROCESSO ELETRÔNICO NA JUSTIÇA FEDERAL PROCESSO ELETRÔNICO NA JUSTIÇA FEDERAL CONFORTO, AGILIDADE, ECONOMIA, SEGURANÇA 1ª Edição dezembro de 2009 Elaboração e Projeto Gráfico Subsecretaria de Informação e Documentação SID Arte Cristina Gerheim

Leia mais

Tribunal deve dar meios para petição virtual

Tribunal deve dar meios para petição virtual Page 1 of 5 Texto publicado terça, dia 23 de fevereiro de 2010 NOTÍCIAS Tribunal deve dar meios para petição virtual POR MARINA ITO O processo eletrônico no Judiciário é uma realidade sem volta. Em decisão

Leia mais

CONVÊNIO BACEN / STJ / CJF 2005.

CONVÊNIO BACEN / STJ / CJF 2005. CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO TÉCNICO- INSTITUCIONAL QUE FAZEM ENTRE SI O BANCO CENTRAL DO BRASIL, O SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA E O CONSELHO DA JUSTIÇA FEDERAL, PARA FINS DE OPERACIONALIZAÇÃO DO SISTEMA BACEN

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO Assegurar o acesso à justiça, de forma efetiva, na composição dos conflitos decorrentes das relações de trabalho. Missão Institucional do TRT da 8ª Região. INTRODUÇÃO Prática adotada pelo Tribunal Regional

Leia mais

PJe. Conceitos Básicos Nuno Lopes

PJe. Conceitos Básicos Nuno Lopes PJe Conceitos Básicos Nuno Lopes OUTUBRO 2011 O fundamento do trâmite eletrônico Da sanção da Lei 11419 de 19 de dezembro de 2006 (O uso de meio eletrônico na tramitação de processos judiciais ) até o

Leia mais

O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições constitucionais e regimentais;

O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições constitucionais e regimentais; Recomendação nº 37, de 15 de agosto de 2011 Texto Original Recomendação nº 46/2013 Recomenda aos Tribunais a observância das normas de funcionamento do Programa Nacional de Gestão Documental e Memória

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás Dispõe sobre a implantação e estabelece normas para o funcionamento do processo eletrônico no Poder Judiciário do Estado de Goiás. O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE GOIÁS, por seu Órgão Especial, no exercício

Leia mais

VEJAMOS AS NORMAS PROCESSUAIS E CIVIS PARA CUMPRIMENTO POR PARTE DO(S) CARTÓRIO(S):

VEJAMOS AS NORMAS PROCESSUAIS E CIVIS PARA CUMPRIMENTO POR PARTE DO(S) CARTÓRIO(S): Título: Modernização entre o Judiciário paulista e o registro civil de pessoas naturais e de interdições e tutelas Autor: Nelson Batistão Filho Comarca: Bariri Colocação: 2º lugar DESCRIÇÃO Proposta de

Leia mais

Nome da Prática inovadora: Boletim de Acidente de Trânsito On line. Caracterização da situação anterior:

Nome da Prática inovadora: Boletim de Acidente de Trânsito On line. Caracterização da situação anterior: Nome da Prática inovadora: Boletim de Acidente de Trânsito On line Caracterização da situação anterior: O registro de acidente de trânsito sem vítima atendido diariamente pela CIPTRAN através das viaturas

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Virtualização do processo judicial André Luiz Junqueira 1. INTRODUÇÃO A Associação dos Juizes Federais do Brasil (AJUFE) encaminhou um projeto de lei sobre a informatização do processo

Leia mais

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Assessoria de Planejamento de Modernização do Poder - APMP Divisão de Estatística do Tribunal de Justiça - DETJ Assessoria de Planejamento

Leia mais

Novo Guia de uso rápido do PROJUDI

Novo Guia de uso rápido do PROJUDI 1. O que é o PROJUDI? Novo Guia de uso rápido do PROJUDI O Processo Judicial Digital PROJUDI, também chamado de processo virtual ou de processo eletrônico, pode ser definido como um software que reproduz

Leia mais

a) nome completo, sexo, data de nascimento, naturalidade, nacionalidade, estado civil, filiação e nome do cônjuge ou companheiro;

a) nome completo, sexo, data de nascimento, naturalidade, nacionalidade, estado civil, filiação e nome do cônjuge ou companheiro; Instrução CVM 301/99. DA IDENTIFICAÇÃO E CADASTRO DE CLIENTES Art. 3º Para os fins do disposto no art. 10, inciso I, da Lei nº 9.613/98, as pessoas mencionadas no art. 2º (DENTRE OUTRAS, CORRETORAS DE

Leia mais

Tecnologia para garantir qualidade e eficiência

Tecnologia para garantir qualidade e eficiência Tecnologia para garantir qualidade e eficiência 20 Fenacon em Serviços Julho/Agosto 2010 É cada vez maior o número de empresas que adotam a virtualização de documentos. Além de economia em tempo e papel,

Leia mais

Tema: Eficiência Operacional. Tribunal de Origem Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região. Nome do projeto Processo Virtual

Tema: Eficiência Operacional. Tribunal de Origem Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região. Nome do projeto Processo Virtual Tema: Eficiência Operacional Tribunal de Origem Tribunal Regional do Trabalho da 14ª Região Nome do projeto Processo Virtual Finalidade do projeto Implementar o projeto Processo Virtual no âmbito do TRT

Leia mais

INDICADORES E METAS DO TRT7 OBJETIVO ESTRATÉGICO TRT 7ª REGIÃO Nº.1.

INDICADORES E METAS DO TRT7 OBJETIVO ESTRATÉGICO TRT 7ª REGIÃO Nº.1. 34 Os indicadores são índices utilizados para aferir resultados. O TRT da 7ª Região adotou indicadores aferidos pelo CNJ e criou outros considerados relevantes para o processo decisório da gestão institucional,

Leia mais

Informações sobre o Lançamento da Certificação Digital da OAB

Informações sobre o Lançamento da Certificação Digital da OAB Informações sobre o Lançamento da Certificação Digital da OAB RELEASE A Justiça Brasileira está presenciando um momento de mudança. Os atos processuais que anteriormente eram praticados de forma presencial

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2009

PROJETO DE LEI N o, DE 2009 PROJETO DE LEI N o, DE 2009 (Do Sr. NELSON GOETTEN) Altera o Decreto-Lei nº 3.689, de 1941 Código de Processo Penal. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta lei altera o Decreto-Lei nº 3.689, de 1941

Leia mais

Conselho da Justiça Federal

Conselho da Justiça Federal RESOLUÇÃO Nº 058, DE 25 DE MAIO DE 2009 Estabelece diretrizes para membros do Poder Judiciário e integrantes da Polícia Federal no que concerne ao tratamento de processos e procedimentos de investigação

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Conceitos Segurança da Informação Assinatura Digital Certificado Digital Criptografia Legislação Aplicabilidade no TJMG AGENDA Segurança da Informação É a proteção da informação de vários tipos de ameaças

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010

PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Edição Número 18 de 27/01/2010 Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA NORMATIVA Nº 2, DE 26 DE JANEIRO DE 2010 Institui e regulamenta o Sistema de Seleção Unificada, sistema informatizado

Leia mais

O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL, no uso das suas atribuições, e

O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL, no uso das suas atribuições, e SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 18/03/2013 RESOLUÇÃO Nº 25/2013 Assunto: Institui o Sistema

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria

Ordem dos Advogados do Brasil Seção do Estado do Rio de Janeiro Procuradoria EXCELENTÍSSIMO SENHOR PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA CNJ A ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SEÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, serviço público independente, dotada de personalidade jurídica e

Leia mais

PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014.

PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014. PORTARIA Nº 126, DE 12 DE MARÇO DE 2014. Dispõe sobre a implantação e o funcionamento do processo eletrônico no âmbito do Ministério das Comunicações. O MINISTRO DE ESTADO DAS COMUNICAÇÕES, no uso das

Leia mais

A Gerência do Projeto

A Gerência do Projeto A Gerência do Projeto O projeto é coordenado pela Comissão de Tecnologia da Informação e Infraestrutura do Conselho Nacional de Justiça, presidida pelo Ministro Cezar Peluso e integrada também pelos conselheiros

Leia mais

Nunca foi tão fácil utilizar

Nunca foi tão fácil utilizar Nunca foi tão fácil utilizar o Conectividade Social da CAIXA O que antes era feito com a autenticação de disquetes e precisava do antigo programa CNS para o relacionamento com a CAIXA e prestação de informações

Leia mais

A Sua Excelência o Senhor Deputado Federal RÔMULO GOUVEIA DD. Presidente da Comissão Especial do PL 1.775/2015

A Sua Excelência o Senhor Deputado Federal RÔMULO GOUVEIA DD. Presidente da Comissão Especial do PL 1.775/2015 Nota Técnica ADPF/ANPR/AJUFE Registro Civil Nacional (RCN) Proposição: PL 1.775/2015 Ementa: Dispõe sobre o Registro Civil Nacional - RCN e dá outras providências. Explicação da Ementa: Revoga a Lei nº

Leia mais

Entrevista com o réu preso por videoconferência

Entrevista com o réu preso por videoconferência Entrevista com o réu preso por videoconferência Priscila Simara Novaes, Rafael Rocha Paiva Cruz e Fabricio Bueno Viana Defensores Públicos do Estado de São Paulo Só com uma ardente paciência conquistaremos

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 2/2015

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 2/2015 PROVIMENTO CONJUNTO Nº 2/2015 Regulamenta os critérios para operacionalização do Sistema de Investigações Bancárias Simba no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região. O PRESIDENTE E O CORREGEDOR

Leia mais

O PAPEL DAS AUTORIDADES CENTRAIS E A SECRETARIA DE COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL DO MPF

O PAPEL DAS AUTORIDADES CENTRAIS E A SECRETARIA DE COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL DO MPF O PAPEL DAS AUTORIDADES CENTRAIS E A SECRETARIA DE COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL DO MPF Curso de Cooperação Jurídica Internacional para membros e servidores da Procuradoria da República no Paraná 31

Leia mais

Apresentação do Projecto «Citius» e entrega de computadores portáteis com esta aplicação aos alunos do Centro de Estudos Judiciários Lisboa 2007-09-20

Apresentação do Projecto «Citius» e entrega de computadores portáteis com esta aplicação aos alunos do Centro de Estudos Judiciários Lisboa 2007-09-20 Apresentação do Projecto «Citius» e entrega de computadores portáteis com esta aplicação aos alunos do Centro de Estudos Judiciários Lisboa 2007-09-20 Não tendo podido estar presente na abertura das actividades

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 14 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003

PROVIMENTO CONJUNTO Nº 14 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003 PROVIMENTO CONJUNTO Nº 14 DE 15 DE DEZEMBRO DE 2003 Dispõe sobre a auto-intimação eletrônica de advogados no âmbito dos Juizados Especiais Federais na 2 a Região. O CORREGEDOR-GERAL DA JUSTIÇA FEDERAL

Leia mais

Tribunal Regional Federal da 1 a Região

Tribunal Regional Federal da 1 a Região Tribunal Regional Federal da 1 a Região Sistema de Transmissão Eletrônica de Atos Processuais e-proc Manual do Usuário 1 1. Disposições Provisórias O Sistema de Transmissão Eletrônica de Atos Processuais

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal SPED Contábil e Fiscal Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal SPED. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

ATO CONJUNTO TRT GP-CRT N.º 8/2015

ATO CONJUNTO TRT GP-CRT N.º 8/2015 ATO CONJUNTO TRT GP-CRT N.º 8/2015 Estabelece os parâmetros gerais para inclusão dos processos físicos no Cadastramento de Liquidação e Execução (CLE) do PJe-JT no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho

Leia mais

Brasília, 27 de maio de 2013.

Brasília, 27 de maio de 2013. NOTA TÉCNICA N o 20 /2013 Brasília, 27 de maio de 2013. ÁREA: Desenvolvimento Social TÍTULO: Fundo para Infância e Adolescência (FIA) REFERÊNCIAS: Lei Federal n o 4.320, de 17 de março de 1964 Constituição

Leia mais

O NASCEIRO DO PROSÔNIMO PENHORA ON-LINE

O NASCEIRO DO PROSÔNIMO PENHORA ON-LINE O NASCEIRO DO PROSÔNIMO PENHORA ON-LINE FÁTIMA NANCY ANDRIGHÍ Ministra do Superior Tribunal de Justiça É certo considerar uma ousadia o aluno escrever sobre a matéria em que o seu professor é a estrela

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça de 11 02/12/2015 08:34 Conselho Nacional de Justiça Autos: PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS - 0004736-66.2015.2.00.0000 Requerente: ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL - SECCIONAL DE RONDÔNIA Requerido: TRIBUNAL DE JUSTIÇA

Leia mais

Justiça sem papel. Como alcançar eficiência no mundo digital. Alexandre Atheniense

Justiça sem papel. Como alcançar eficiência no mundo digital. Alexandre Atheniense Justiça sem papel Como alcançar eficiência no mundo digital Alexandre Atheniense Mantenha-se atualizado 2 www.alexandreatheniense.com Blog : www.dnt.adv.br @atheniense www.facebook.com/ atheniense www.linkedin.com/atheniense

Leia mais

Processo Eletrônico. Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores:

Processo Eletrônico. Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores: Processo Eletrônico Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores: Princípio da Universalidade; Princípio da Uniquidade; Princípio da Publicidade; Princípio

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01 TCE-TO de 07 de março de 2012. Dispõe sobre o processo eletrônico no âmbito do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01 TCE-TO de 07 de março de 2012. Dispõe sobre o processo eletrônico no âmbito do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01 TCE-TO de 07 de março de 2012. Dispõe sobre o processo eletrônico no âmbito do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins. O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO TOCANTINS, no uso de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 Dispõe sobre instauração e organização de processo de tomada de contas especial e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso do

Leia mais

NBA 10: INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CONTAS. INTRODUÇÃO [Issai 10, Preâmbulo, e NAT]

NBA 10: INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CONTAS. INTRODUÇÃO [Issai 10, Preâmbulo, e NAT] NBA 10: INDEPENDÊNCIA DOS TRIBUNAIS DE CONTAS INTRODUÇÃO [Issai 10, Preâmbulo, e NAT] 1. Os Tribunais de Contas somente podem realizar suas tarefas quando são independentes da entidade auditada e são protegidos

Leia mais

Processo Judicial Eletrônico: Juizados Especiais Cíveis

Processo Judicial Eletrônico: Juizados Especiais Cíveis Processo Judicial Eletrônico: Juizados Especiais Cíveis BPM Day Serra Gaúcha 2013 Carolina Möbus Volnei Rogério Hugen O Poder Judiciário De acordo com o fundamento do Estado, o Poder Judiciário tem a Missão

Leia mais

Informática Básica (Windows, Word, Internet). Curso: Excel Básico

Informática Básica (Windows, Word, Internet). Curso: Excel Básico Informática Básica (Windows, Word, Internet). Objetivo: Proporcionar conhecimentos básicos no sistema operacional windows, word e excel. Público alvo: Servidores públicos municipais, que ainda não tenham

Leia mais

Portal Cidadão - Governo

Portal Cidadão - Governo Portal Cidadão - Governo A Certisign Manaus Recife Brasília Goiânia Belo Horizonte São Paulo Rio de Janeiro Porto Alegre A Certisign Pioneira no mercado Certificação na América Latina Única com foco exclusivo

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA AMATRA XV

REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA AMATRA XV REGULAMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE PRERROGATIVAS DA AMATRA XV CAPÍTULO I DAS ATRIBUIÇÕES Art. 1º. Compete à Comissão de Prerrogativas a efetivação prática do disposto no inciso III do artigo 2º do Estatuto

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 22.143. INSTRUÇÃO Nº 100 - CLASSE 12ª - DISTRITO FEDERAL (Brasília).

RESOLUÇÃO Nº 22.143. INSTRUÇÃO Nº 100 - CLASSE 12ª - DISTRITO FEDERAL (Brasília). RESOLUÇÃO Nº 22.143 INSTRUÇÃO Nº 100 - CLASSE 12ª - DISTRITO FEDERAL (Brasília). Relator: Ministro Caputo Bastos. Dispõe sobre pesquisas eleitorais. O Tribunal Superior Eleitoral, usando das atribuições

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.419, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2006. Mensagem de veto Dispõe sobre a informatização do processo judicial; altera a Lei no 5.869,

Leia mais