Conteúdo de sala de aula.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conteúdo de sala de aula."

Transcrição

1 Assunto. Administração Pública I. Categoria. Conteúdo de sala de aula. III - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Mesmo sabendo que a expressão Administração Pública tem vários sentidos e formas de estudo, nesse momento vamos prender nossos esforços no estudo da organização da Administração Pública. 3.1 Diferença entre entidades políticas e administrativas. As entidades políticas são mais conhecidas no Direito Constitucional como entes federativo. De acordo com o federalismo brasileiro a União, Estadosmembros, Distrito Federal e Município na forma do art. 18 da Constituição Federal são conhecidos como entidades políticas ou federativas. Obs.: de acordo com o próprio texto constitucional (art. 18) e conceito de federalismo (junção de entidades autônomas) todas as entidades políticas têm autonomia política, financeira e de organização. Prosseguindo, já entidades administrativas são entidades que formam a estrutura da Administração Publica em sua visão indireta. Elas são dotadas de autonomia política, mas tão somente Administrativa. São exemplos de entidades administrativas: autarquia, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista. 3.2 Noções de centralização, descentralização e desconcentração. Tendo sempre a noção que a Administração Pública executa sua função por meio de órgãos, agentes e pessoas jurídicas.

2 Há centralização é a visão da Administração exercida por órgãos e agentes da Administração Pública direta. Do contrário há descentralização quando a Administração Pública exerce suas funções por meio das pessoas jurídicas. Conclusão: a Administração Pública centralizada corresponde a Administração Pública direta. Já a Administração Pública descentralizada corresponde a Administração Pública indireta. Desconcentração pressupõe a distribuição das competências dentro da própria estrutura da pessoa jurídica. Assim, a desconcentração ocorre, quando, por exemplo, a União distribui competências dentro da sua própria estrutura. Obs.: na verdade desconcentração em regra distribui as competências por meio da criação de órgãos na estrutura da própria pessoa jurídica. 3.3 Administração Pública: direta e indireta. A Administração Pública direta é composta pelo conjunto de órgãos públicos que neles atuam os agentes públicos. Lembramos que trata-se de uma atividade centralizada desempenhada pelos entes federativos entidades políticas. Já a Administração Publica indireta é composta de pessoas jurídicas. São elas: autarquias, fundações, empresas públicas e sociedades de economia mista. 3.4 Para-estatais. O conceito de paraestatis é por demais complexo. Dentre tantos fatores que comprovam essa tese, apresentam-se dois: as entidades que fazem parte das para-estatais e o seu conceito. Pois bem, levando-se em consideração a doutrina do Prof. Hely Lopes Meirelles, para-estatais seriam gênero que compreenderia as pessoas jurídicas de direito privado, criadas por lei, para a realização de serviços de interesse

3 coletivo, sob normas e controle do Estado (para essa doutrina seriam as Empresas Públicas e os serviços sociais autônomos Sistema S, SESI, SENAI etc.). Uma crítica bem feita a esse conceito, é a inclusão as Empresas Publicas e das Sociedades de Economia Mista nesse conceito, pois essas são entidades da Administração Pública indireta e por isso têm envolvimento com o Estado. Da mesma forma, restringir somente a essas os exemplos de para-estatais. No nosso sentir o melhor conceito é o do Prof. Celso Antonio B. M., onde o mesmo afirma que exclusivamente pessoas privadas, sem fins lucrativos, que exercem atividades de interesse público, mas não exclusivas de Estado, recebendo fomento do Poder Público, e que não integram a Administração Pública em sentido formal. Obs.: aqui estamos nitidamente falando do terceiro setor, que é composto por entidades privadas da sociedade civil, que prestam atividade de interesse social, por iniciativa privada, sem fins lucrativos. Nesse grupo de para-estais podemos incluir: a) os serviços sociais autônomos; b) as organizações sociais; c) as organizações da sociedade civil de interesse coletivo (OSCIP); d) as entidades de apoio. Obs.: todas serão tratadas no material complementar de Adm. Pública. 3.5 Órgãos públicos.

4 Na visão mais acertada os órgãos públicos correspondem a Administração Direta e integram a estrutura das entidades políticas. Em sua razão de ser, os órgãos visam explicar a relação entre o Estado e os agentes públicos, onde nasce a famosa Teoria do Órgão. 1 Teoria do Órgão. Por esta teoria, amplamente adotada por nossa doutrina e jurisprudência, presume-se que a pessoa jurídica manifesta sua vontade por meio dos órgãos, que são partes integrantes da própria estrutura da pessoa jurídica, de tal modo que, quando os agentes que atuam nestes órgãos manifestam sua vontade, considera-se que esta foi manifestada pelo próprio Estado. Fala-se em imputação (e não representação) da atuação do agente, pessoa natural, à pessoa jurídica. Obs.: é essa teoria que explica os atos dos agentes de fato. Obs.: a essa teoria deve ser juntada mais duas, teoria da imputação e da aparência. Obs.: todas essas serão melhor tratadas quando da analise do material complementar da Adm. Pública. Em conceito órgãos públicos são unidades abstratas que têm vários círculos de atribuições do Estado. Os órgãos públicos de uma forma geral têm as seguintes características: - não são pessoas jurídicas e muito menos física. NÃO SÃO PESSOAS. - não têm personalidade jurídica. - não têm capacidade processual, pois se não são pessoas são podem estar em juízo. - são criados por lei ordinária. 1 Contrario a teoria do órgão, temos a teoria do mandato e da representação.

5 - são extintos por lei ordinária. - a criação corresponde a desconcentração. dentre elas: a) Classificação dos órgãos públicos. Os órgãos públicos podem ser classificados de varias formas diferentes, a.1) Quanto a atuação funcional. Singular: a atuação é atribuída a um único agente; ex: Presidência da República. Colegiados: necessita de manifestação em conjunto; ex: Tribunais e o Congresso Nacional. a.2) Quanto a composição estatal. Estes são independentes, autônomos, superiores e subalternos. ÓRGÃOS INDEPENDENTES : têm origem dna Constituição Federal, colocados no ápice da pirâmide da estrutura administrativa, não sofrem qualquer tipo de subordinação hierárquica ou funcional, e só estão sujeitos aos controles constitucionais de um Poder pelo outro. Tendem a exercer as funções políticas, judiciais e quase-judiciais outorgadas diretamente pela Constituição, para serem desempenhadas diretamente pelos seus membros (agentes políticos, distintos de seus servidores, que são agentes administrativos). Obs.: são chamados de órgãos primários do Estado. - São exemplos de órgãos independentes : a) casas legislativas - Congresso Nacional, Câmara dos Deputados, Senado Federal, Assembléias Legislativas, Câmaras de Vereadores. b) chefias do Executivos Presidência da República, Governadorias, Prefeituras.

6 c) tribunais Judiciários e Juízes singulares; ÓRGÃOS AUTÕNOMOS: estão colocados logo abaixo dos independentes e estão diretamente subordinados a esses. Têm ampla autonomia administrativa, financeira e técnica. São chamados de órgãos diretivos com funções precípuas de planejamento, supervisão, coordenação e controle das atividades que constituem sua área de competência. - São exemplos : a) Ministérios, Secretarias Estaduais, Secretarias Municipais. b) Advocacia-Geral da União, Procuradorias dos Estados e Municípios. ÓRGÃOS SUPERIORES: estão colocados logo abaixo dos órgãos autônomos. Sua liberdade funcional restringe-se ao planejamento e soluções técnicas, dentro de sua área de competência, com responsabilidade pela execução, geralmente a cargo de seus órgãos subalternos (próxima espécie). Obs.: não gozam de autonomia administrativa nem financeira, que são atributos dos órgãos independentes e dos autônomos a que pertencem. - São exemplos a) Gabinetes; b) Inspetorias-Gerais; c) Procuradorias Administrtivas e Judiciais; d) Coordenadorias; e) Departamentos; f) Divisões. ÓRGÃOS SUBALTERNOS: destinam-se á realização de serviços de rotina, tarefas de formalização de atos administrativos, com reduzido poder decisório e predominância de atribuições de execução, a exemplo das atividades-meios e atendimento ao público.

7 São exemplos. a) Seções de expediente b) Delegacias. c) e as demais repartições públicas de execução e atendimento ao público Entidades da Administração Pública indireta. De uma forma geral, a Administração Pública indireta corresponde a um grupo de pessoas jurídicas. Sendo elas: autarquias, fundações, empresas públicas e sociedade de economia mista. Em razão do nosso objetivo, que é a sua aprovação, vamos partir para um estudo direto e direcionado em cada uma desses entidades. a) Autarquia: trata-se da pessoa jurídica de direito público, hoje dividida em duas espécies: de regime comum e de regime especial. A de xxxxxxx pessoa jurídica de direito publico; personalidade jurídica própria; exercem atividade típica da Administração Pública; sua criação depende de lei especifica; sua responsabilidade por danos é objetiva; carece sempre de fazer licitação; seus bens são públicos; gozam de imunidade recíproca na forma do art. 150, 2º da CF. seus prazos processuais são em quádruplo para contestar e em dobro para recorrer; seguem as regras de competência do art. 109, I da CF; Ex: IBAMA, INSS e INCRA.

8 Hoje existem algumas espécies de autarquia sobre as quais vale comentar: Autarquia de regime Agencias reguladoras comum. Desempenham atividade Fiscalizam e normatizam típica da Adm. Pública. atividade econômica, em regra, serviço público delegado. Têm regimes jurídico de Têm um regime especial, direito publico comum. tal como: seus agentes detêm prerrogativas que extrapolam ao regime comum. Ex: os acima. Ex: ANATEL, ANAEL, ANP, ANAC, ANTT etc. Agencias executivas Atuam por meio de contrato de gestão com o Poder Público para cumprimento de metas estabelecidas pelo mesmo. Têm um regime jurídico especial, principalmente no que diz respeito a formação, pois é por decreto*. Ex: INMETRO. *_ o decreto presidencial cria uma mera designação, posto que agencia executiva é uma designação (qualificação) que incide sobre autarquias e fundações públicas já existentes art. 51, 1º da lei 9649/98. b) Fundações: hoje é a pessoa jurídica de direito público ou privado que desempenha atividade social, onde por iniciativa do Poder Público é destinado patrimônio público e dotação orçamentária para tanto. Hoje no direito brasileiro em razão das alterações da EC 19/98 temos que as fundações públicas podem ter duas naturezas jurídicas diversas. Fundações públicas de direito público (chamadas de fundações autárquicas, seguem o mesmo regramento das autarquias acima) e as fundações públicas de direito privado que segue os regramentos dos entes privados (veremos isso abaixo).

9 Características das fundações de direito privado: criadas por autorização em lei; pessoa jurídica de direito privado; bens privados; devem licitar. quem trabalha nas fundações segundo a 8112/90 são os servidores públicos. c) Empresas Públicas: pessoa jurídica de direito privado destina a atividade econômica ou serviços públicos, com capital totalmente público. Em razão de nossas necessidades passemos a analise das características dessas figuras: criadas por autorização em lei; pessoa jurídica de direito privado; bens privados; quando estiverem prestando serviços públicos serão equiparados a bens públicos. prestam serviços públicos ou atividade econômica na forma dos moldes constitucionais (art. 173 da CF). responsabilidade objetiva para quando estiverem explorando serviço público e subjetiva quando estiverem explorando atividade econômica. licitação: obrigatória ou não? Duas posições: - 1º.: tanto para a exploração de serviço público, quanto para a exploração de atividade econômica a licitação é obrigatória. - 2º.: quando for serviço público sempre obrigatório, quando for exploração de atividade econômica é obrigatório nas atividades meio e facultativa nas atividades fins. - não sofrem imunidade tributária, exceto quando estiverem prestando serviço público essencial ex: CORREIOS e EMBRAER. - seus prazos processuais são simples; - e tem forma jurídica livre: pode ser LTDA, S/A etc.

10 - e seguem a regra de competência do art. 109 I da CF. d) Sociedade de Economia Mista: pessoa jurídica de direito privado destina a atividade econômica, com capital misto (com a necessidade do capital majoritário ser público). Em razão de nossas necessidades passemos a analise das características dessas figuras: criadas por autorização em lei; pessoa jurídica de direito privado; bens privados; quando estiverem prestando serviços públicos serão equiparados a bens públicos. prestam serviços públicos ou atividade econômica na forma dos moldes constitucionais (art. 173 da CF). responsabilidade objetiva para quando estiverem explorando serviço público e subjetiva quando estiverem explorando atividade econômica. licitação: obrigatória ou não? Duas posições: - 1º.: tanto para a exploração de serviço público, quanto para a exploração de atividade econômica a licitação é obrigatória. - 2º.: quando for serviço público sempre obrigatório, quando for exploração de atividade econômica é obrigatório nas atividades meio e facultativa nas atividades fins. - seus prazos processuais são simples; - só podem ser criadas sobre a forma de S/A e as ações votantes tende ficar sobre o comando do ente federativo (ex: União) ou da Administração Pública. - e seguem a regra de competência do art. 109 I da CF.

DIREITO ADMINISTRATIVO ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

DIREITO ADMINISTRATIVO ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DIREITO ADMINISTRATIVO ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Atualizado em 27/10/2015 ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DESCENTRALIZAÇÃO E DESCONCENTRAÇÃO A administração pública exerce as suas competências

Leia mais

Organização Administrativa Administração Direta, Indireta e Entes de Cooperação. Professora: Paloma Braga

Organização Administrativa Administração Direta, Indireta e Entes de Cooperação. Professora: Paloma Braga Organização Administrativa Administração Direta, Indireta e Entes de Cooperação Professora: Paloma Braga Introdução Através da função administrativa, o Estado cuida da gestão de todos os seus interesses

Leia mais

PONTO 1: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA PONTO 4: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA. 1. ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Administração Direta e Indireta

PONTO 1: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA PONTO 4: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA. 1. ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Administração Direta e Indireta 1 DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA PONTO 4: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA 1. ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Administração Direta e Indireta O Estado, enquanto

Leia mais

Administração Pública. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior

Administração Pública. Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior Administração Pública Prof. Joaquim Mario de Paula Pinto Junior 1 A seguir veremos: Novas Modalidades de Administração no Brasil; Organização da Administração Pública; Desafios da Administração Pública.

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 - Administraça o Indireta Administração Indireta: Autarquias* Fundações Empresas Públicas Sociedade de Economia Mista *Dentro do conceito de autarquias: Consórcios públicos, associações públicas, agências

Leia mais

SETOR PÚBLICO, SETOR PRIVADO E TERCEIRO SETOR

SETOR PÚBLICO, SETOR PRIVADO E TERCEIRO SETOR SETOR PÚBLICO, SETOR PRIVADO E TERCEIRO SETOR Consiste na forma como as diferentes Pessoas Jurídicas atuam no desenvolvimento de atividades econômicas e sociais no âmbito da sociedade. De acordo com o

Leia mais

1 (FCC/TRE-AC/Analista/2010) A respeito das entidades políticas e administrativas, considere:

1 (FCC/TRE-AC/Analista/2010) A respeito das entidades políticas e administrativas, considere: 1 (FCC/TRE-AC/Analista/2010) A respeito das entidades políticas e administrativas, considere: I. Pessoas jurídicas de Direito Público que integram a estrutura constitucional do Estado e têm poderes políticos

Leia mais

Características das Autarquias

Características das Autarquias ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Professor Almir Morgado Administração Indireta: As entidades Administrativas. Autarquias Define-se autarquia como o serviço autônomo criado por lei específica, com personalidade d

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PROFESSORA DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. 2 o. SEMESTRE/2009

MATERIAL DE APOIO PROFESSORA DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA. 2 o. SEMESTRE/2009 INTENSIVO REGULAR DE SÁBADO Disciplina: Direito Administrativo Profª.: Daniela Mello Datas: 03.10.2009 Aula n 01 MATERIAL DE APOIO PROFESSORA DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

Direito Administrativo: Organização Administrativa

Direito Administrativo: Organização Administrativa Direito Administrativo: Organização Administrativa Material didático destinado à sistematização do conteúdo da disciplina Direito Administrativo I ministrada no semestre 2014.1 do curso de Direito. Autor:

Leia mais

Agências Executivas. A referida qualificação se dará mediante decreto do Poder Executivo. Agências Reguladoras

Agências Executivas. A referida qualificação se dará mediante decreto do Poder Executivo. Agências Reguladoras Agências Executivas A Lei nº 9.649/98 autorizou o Poder Executivo a qualificar, como agência executiva aquela autarquia ou fundação pública que celebre contrato de gestão com o Poder Público. A referida

Leia mais

www.concursovirual.com.br

www.concursovirual.com.br DIREITO ADMINISTRATIVO TEMA: CONHECIMENTOS GERAIS CORREIOS/2015 CONHECIMENTOS GERAIS ESTADO UNITÁRIO - PODER CENTRAL (França) ESTADO COMPOSTO ESTADO UNITÁRIO (Formação histórica) ESTADO REGIONAL MENOS

Leia mais

Evandro Guedes. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br

Evandro Guedes. Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações www.iesde.com.br Evandro Guedes Graduado em Administração de Empresas pelo Centro Universitário Barra Mansa (UBM). Graduado em Direito pelo Centro Universitário Geraldo di Biasi (UGB) e pela Faculdade Assis Gurgacz (FAG-PR).

Leia mais

ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Administração Direta A Administração Pública subdivide-se em Administração Direta (centralizada) e Administração Indireta (descentralizada). A Administração Direta é

Leia mais

Tropa de Elite - Batalha Final Direito Constitucional Administração Pública Giuliano Menezes

Tropa de Elite - Batalha Final Direito Constitucional Administração Pública Giuliano Menezes Tropa de Elite - Batalha Final Direito Constitucional Administração Pública Giuliano Menezes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Leia mais

Capítulo 3 ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Capítulo 3 ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Capítulo 3 ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Fernando Baltar Sumário 1. Introdução 2. Órgãos públicos 3. Autarquias: 3.1 Conceito; 3.2 Características; 3.3 Criação; 3.4 Prerrogativas; 3.5 Capacidade

Leia mais

Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes. Organização do Estado Federação na Constituição de 1988

Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes. Organização do Estado Federação na Constituição de 1988 Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes Organização do Estado Federação na Constituição de 1988 a) CARACTERÍSTICAS I. Órgãos representativos: Câmara dos Deputados Representa o Povo

Leia mais

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA DIREITO ADMINISTRATIVO Estado, governo e administração pública: conceitos, elementos, poderes e organização; natureza, fins e princípios. Direito Administrativo: conceito, fontes e princípios. Organização

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Conceito Administração Pública é todo o aparelhamento do Estado, preordenado à realização de seus serviços, visando à satisfação das necessidades coletivas. (MEIRELLES, Hely Lopes).

Leia mais

Direito Administrativo. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda

Direito Administrativo. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direito Administrativo Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda QUESTÃO 1: CESPE - AA (ICMBIO)/ICMBIO/2014 No que diz respeito à organização administrativa,

Leia mais

Direito Constitucional II Organização do Estado Político-Administrativa. Arts. 18 e seguintes da Constituição Federal

Direito Constitucional II Organização do Estado Político-Administrativa. Arts. 18 e seguintes da Constituição Federal Direito Constitucional II Organização do Estado Político-Administrativa Arts. 18 e seguintes da Constituição Federal Conceitos Organização político-administrativa, em sentido próprio, significam por um

Leia mais

Administração direta e indireta, órgãos públicos e. agentes públicos

Administração direta e indireta, órgãos públicos e. agentes públicos Administração direta e indireta, órgãos públicos e agentes públicos Prof. Aloizio Sinuê da Cunha Medeiros Prezados alunos, estamos de volta com mais uma aula, cujos pontos estão acima destacados. Vamos

Leia mais

Direito Administrativo. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda

Direito Administrativo. Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Direito Administrativo Professor Marcelo Miranda professormiranda@live.com facebook.com/professormarcelomiranda Administração Pública Todo aparelhamento do Estado preordenado à realização de serviços,

Leia mais

Prof. Marcelino Fernandes DIREITO ADMINISTRATIVO

Prof. Marcelino Fernandes DIREITO ADMINISTRATIVO Prof. Marcelino Fernandes DIREITO ADMINISTRATIVO Twitter: @profmarcelino facebook.com/profmarcelino88 Fanpage:facebook.com/profmarcelino instagram.com/profmarcelino professormarcelino@hotmail.com AULA

Leia mais

Autarquia. Administração Indireta. Figura sujeita a polemicas doutrinárias e de jurisprudência. Ausente na estrutura do Executivo Federal

Autarquia. Administração Indireta. Figura sujeita a polemicas doutrinárias e de jurisprudência. Ausente na estrutura do Executivo Federal Administração Direta Fundação Publica Direito Público Consórcio Público Direito Público Fundação Publica Direito Privado Empresa Pública Consórcio Público Direito Privado Sociedade Economia Mista Subsidiária

Leia mais

Teoria do órgão, classificação e Poderes do Estado

Teoria do órgão, classificação e Poderes do Estado Teoria do órgão, classificação e Poderes do Estado Órgão público Várias teorias tentam explicar a natureza do órgão público e identificar suas atribuições ao Estado. Os órgãos públicos são meros centros

Leia mais

Administração Pública e Terceiro Setor

Administração Pública e Terceiro Setor CAPÍTULO II Administração Pública e Terceiro Setor Sumário 1. Administração Pública: 1.1 Noções gerais; 1.2 Concentração e desconcentração. Centralização e descentralização; 1.3 Administração Direta: 1.3.1

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONCEITO

DIREITO ADMINISTRATIVO CONCEITO DIREITO ADMINISTRATIVO CONCEITO Para conceituar o Direito Administrativo, deve-se partir do significado e da classificação do próprio Direito. Segundo Hely Lopes Meirelles, Direito é o conjunto de regras

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Olá, pessoal! Trago hoje uma pequena aula sobre a prestação de serviços públicos, abordando diversos aspectos que podem ser cobrados sobre o assunto. Espero que gostem. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS O

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO Profa. Patrícia Newley Kopke Resende 1. Administração Pública 2. Direito Administrativo 3. Organização Administrativa ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1.PODERES (art. 2º CF/88) 2. CONCEITO

Leia mais

2.6.2. Entidades fundacionais as fundações públicas 2.6.2.1. Conceito

2.6.2. Entidades fundacionais as fundações públicas 2.6.2.1. Conceito Esses consórcios, a fim de poder assumir obrigações e exercer seus direitos perante terceiros, precisam de personalidade jurídica, assim, a citada lei dispôs que eles serão pessoas jurídicas de direito

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I - 6º período Prof. Danilo Vieira Vilela

DIREITO ADMINISTRATIVO I - 6º período Prof. Danilo Vieira Vilela Direito Administrativo UNISO 1 DIREITO ADMINISTRATIVO I - 6º período Prof. Danilo Vieira Vilela Organização jurídico-administrativa: primeiro setor Sumário Organização jurídico-administrativa: primeiro

Leia mais

Consórcio Público. Administração Indireta

Consórcio Público. Administração Indireta Ordem Social Ordem Econômica Administração Direta Autarquia Fundação Publica Fundação Publica Empresa Pública Sociedade Economia Mista Subsidiária Consórcio Público Administração Indireta 1 Consórcio público

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Parte 1 Carlos Barbosa Advogado e Consultor Jurídico em ; Professor de Direito, especialista em Aperfeiçoamento em Direito pela Faculdade de Direito Damásio de Jesus - São Paulo

Leia mais

Novas formas de prestação do serviço público: Gestão Associada Convênios e Consórcios Regime de parceria- OS e OSCIPS

Novas formas de prestação do serviço público: Gestão Associada Convênios e Consórcios Regime de parceria- OS e OSCIPS Novas formas de prestação do serviço público: Gestão Associada Convênios e Consórcios Regime de parceria- OS e OSCIPS Material de apoio para estudo: slides trabalhados em sala de aula com acréscimo de

Leia mais

AS PROCURADORIAS GERAIS DOS ESTADOS E AS PROCURADORIAS DAS AUTARQUIAS E FUNDAÇÕES PÚBLICAS (pessoas jurídicas de direito público)

AS PROCURADORIAS GERAIS DOS ESTADOS E AS PROCURADORIAS DAS AUTARQUIAS E FUNDAÇÕES PÚBLICAS (pessoas jurídicas de direito público) AS PROCURADORIAS GERAIS DOS ESTADOS E AS PROCURADORIAS DAS AUTARQUIAS E FUNDAÇÕES PÚBLICAS (pessoas jurídicas de direito público) No art. 132 da CR 88 está escrito: Art. 132. Os Procuradores dos Estados

Leia mais

2º SIMULADO DE DIREITO ADMINISTRATIVO (ESAF) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ

2º SIMULADO DE DIREITO ADMINISTRATIVO (ESAF) PROFESSOR: ANDERSON LUIZ Prezados(as) concurseiros(as), Espero que todos estejam bem! Prontos(as) para mais um simulado? QUADRO DE AVISOS: Informo o lançamento dos seguintes cursos aqui no Ponto: Direito Administrativo em Exercícios

Leia mais

PF 04 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

PF 04 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CONCEITO: É a atividade desenvolvida pelo Estado ou seus delegados, sob o regime de Direito Público, destinada a atender de modo direto e imediato, necessidades concretas da coletividade.

Leia mais

Execução Orçamentária e Financeira

Execução Orçamentária e Financeira Execução Orçamentária e Financeira Introdutório aos cursos dos Sistemas de Contabilidade e Gastos Públicos Setembro / 2008 Administração Pública Classifica-se, conforme a CF/88 em: Administração Direta

Leia mais

1 (FCC/TRE-RS/Analista/2010) A publicidade, como um dos princípios básicos da Administração,

1 (FCC/TRE-RS/Analista/2010) A publicidade, como um dos princípios básicos da Administração, 1 (FCC/TRE-RS/Analista/2010) A publicidade, como um dos princípios básicos da Administração, a) deve ser observada em todo e qualquer ato administrativo, sem exceção. b) é elemento formativo do ato. c)

Leia mais

Natanael Gomes Bittencourt Acadêmico do 10º semestre de Direito das Faculdades Jorge Amado

Natanael Gomes Bittencourt Acadêmico do 10º semestre de Direito das Faculdades Jorge Amado ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Natanael Gomes Bittencourt Acadêmico do 10º semestre de Direito das Faculdades Jorge Amado Resumo: A Administração Pública se liga ao interesse público e às necessidades sociais,

Leia mais

SEPARAÇÃO DE PODERES DO ESTADO

SEPARAÇÃO DE PODERES DO ESTADO SEPARAÇÃO DE PODERES DO ESTADO Plano horizontal diferenciação funcional (Legislativo, Executivo e Judiciário) Plano vertical ordens jurídicas especiais (União, Estados, DF e Municípios) Impõe limites e

Leia mais

1 (FCC/MPE-AP/Técnico/2009) É característica das fundações públicas de direito público, dentre outras:

1 (FCC/MPE-AP/Técnico/2009) É característica das fundações públicas de direito público, dentre outras: 1 (FCC/MPE-AP/Técnico/2009) É característica das fundações públicas de direito público, dentre outras: a) Penhorabilidade dos seus bens. b) Necessidade de inscrição dos seus atos constitutivos no Registro

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DE 1988

CONSTITUIÇÃO DE 1988 CONSTITUIÇÃO DE 1988 Art. 37. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade,

Leia mais

AULA 01. Esses três primeiros livros se destacam por serem atualizados pelos próprios autores.

AULA 01. Esses três primeiros livros se destacam por serem atualizados pelos próprios autores. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Direito Administrativo / Aula 01 Professora: Luiz Oliveira Castro Jungstedt Monitora: Mariana Simas de Oliveira AULA 01 CONTEÚDO DA AULA: Estado Gerencial brasileiro.introdução1

Leia mais

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Profa. Dra. Júnia Mara do Vale

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Profa. Dra. Júnia Mara do Vale NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Profa. Dra. Júnia Mara do Vale Ad(preposição) + ministro,as,are(verbo) que significa servir, executar; para outros vem de ad manus trahere que envolve a idéia de direção

Leia mais

Administração Direta. Empresas Estatais

Administração Direta. Empresas Estatais Ordem Social Ordem Econômica Administração Indireta Administração Direta Autarquia Fundação Publica Direito Público Consórcio Público Direito Público Fundação Publica Direito Privado Consórcio Público

Leia mais

Simulado de Direito Administrativo Professor Estevam Freitas

Simulado de Direito Administrativo Professor Estevam Freitas Simulado de Direito Administrativo Professor Estevam Freitas 01. ( FUNIVESA/SEPLAG/AFC 2009) Assinale a alternativa correta acerca da organização administrativa brasileira. ( A ) Toda a sociedade em que

Leia mais

QUESTÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO

QUESTÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO QUESTÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO Prof. Alexandre Bastos Direito Administrativo 1 - O conceito de empresa estatal foi elaborado durante anos pela doutrina. Contudo, a edição do Decreto-Lei nº 200/67,

Leia mais

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D 3.3 Fundamentos do Direito Público (20h) Professores: Juliana Bonacorsi de Palma e Rodrigo Pagani de Souza

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D 3.3 Fundamentos do Direito Público (20h) Professores: Juliana Bonacorsi de Palma e Rodrigo Pagani de Souza EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA D 3.3 Fundamentos do Direito Público (20h) Professores: Juliana Bonacorsi de Palma e Rodrigo Pagani de Souza 29 e 30 de setembro, 01, 05, 06 e 07 de outubro de 2011 ENAP Escola

Leia mais

PONTO 1: Poderes Administrativos: - Poder Hierárquico continuação. - Poder de Polícia. - Poder Vinculado. - Poder Discricionário.

PONTO 1: Poderes Administrativos: - Poder Hierárquico continuação. - Poder de Polícia. - Poder Vinculado. - Poder Discricionário. 1 DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: Poderes Administrativos: - Poder Hierárquico continuação. - Poder de Polícia. - Poder Vinculado. - Poder Discricionário. 1)Poderes Administrativos: Poder hierárquico continuação:

Leia mais

DECRETO LEI 509 DECRETO-LEI Nº 509, DE 20 DE MARÇO DE 1969.

DECRETO LEI 509 DECRETO-LEI Nº 509, DE 20 DE MARÇO DE 1969. DECRETO LEI 509 DECRETO-LEI Nº 509, DE 20 DE MARÇO DE 1969. Dispõe sobre a transformação do Departamento dos Correios e Telégrafos em empresa pública, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

FACULDADE FORTIUM UNIDADE ASA SUL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. PROFESSOR: Marcelo Thimoti

FACULDADE FORTIUM UNIDADE ASA SUL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. PROFESSOR: Marcelo Thimoti FACULDADE FORTIUM UNIDADE ASA SUL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: DIREITO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO SEMESTRE: 3º TURNO: Noite PROFESSOR: Marcelo Thimoti 1. Enumere a segunda coluna de acordo com a

Leia mais

PROJETO DE CAPACITAÇÃO INTRODUÇÃO À GESTÃO PÚBLICA

PROJETO DE CAPACITAÇÃO INTRODUÇÃO À GESTÃO PÚBLICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS SANTA CRUZ COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE PESSOAS PROJETO

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E TERCEIRO SETOR

ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E TERCEIRO SETOR 388 Lucas dos Santos Pavione CAPÍTULO III ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E TERCEIRO SETOR 1. NOÇÕES Conforme visto no capítulo I, o termo administração pública admite dois sentidos, um objetivo e

Leia mais

PROJETO DE CAPACITAÇÃO INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL

PROJETO DE CAPACITAÇÃO INICIAÇÃO AO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS JOÃO CÂMARA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE PESSOAS PROJETO

Leia mais

Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal de Contas

Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal de Contas TREINAMENTO AOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DE RORAIMA Módulo: Processos e Técnicas Legislativas Noções Básicas de Direito Administrativo e Administração Pública Instrutor: Marlon L. Souto Maior Auditor-Fiscal

Leia mais

1. (FCC/TRT3/Analista/2009) São exemplos de atuação concreta da Administração Pública fundada no poder de polícia em sentido estrito:

1. (FCC/TRT3/Analista/2009) São exemplos de atuação concreta da Administração Pública fundada no poder de polícia em sentido estrito: 1. (FCC/TRT3/Analista/2009) São exemplos de atuação concreta da Administração Pública fundada no poder de polícia em sentido estrito: (A) desapropriação de terras improdutivas. (B) penhora de bens em execução

Leia mais

Acerca das características básicas das organizações formais modernas, julgue os itens subseqüentes.

Acerca das características básicas das organizações formais modernas, julgue os itens subseqüentes. Administração Pública- Prof. Claudiney Silvestre 1- CESPE - 2012 - TRE-RJ - Técnico Judiciário - Área Administrativa Disciplina: Administração Acerca de noções de administração pública, julgue os itens

Leia mais

Consórcios públicos de regulação do saneamento básico

Consórcios públicos de regulação do saneamento básico Consórcios públicos de regulação do saneamento básico Formas de prestação de serviços públicos Centralizada Órgão da Adm. Pública Prestação de serviço público Direta Indireta Descentralizada Terceirização

Leia mais

CIRLANE MARA NATAL MESTRE EM EDUCAÇÃO PPGE/UFES 2013

CIRLANE MARA NATAL MESTRE EM EDUCAÇÃO PPGE/UFES 2013 CIRLANE MARA NATAL MESTRE EM EDUCAÇÃO PPGE/UFES 2013 LEGISLAÇÃO E NORMA LEGISLAÇÃO GENERALIDADE PRINCÍPIOS; NORMA ESPECIFICIDADE REGRAS; CONSELHO DE EDUCAÇÃO: - CONTROLE SOBRE O CUMPRIMENTO DA LEI; - NORMATIZADOR

Leia mais

ENTIDADES PARAESTATAIS

ENTIDADES PARAESTATAIS ENTIDADES PARAESTATAIS I) CONCEITO Embora não empregada na atual Constituição Federal, entidade paraestatal é expressão que se encontra não só na doutrina e na jurisprudência, como também em leis ordinárias

Leia mais

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Banca: SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO/RJ Edital SMA Nº 84/2010 (data da publicação: 27/09/2010) Carga horária (aulas presenciais): 126 horas

Leia mais

CONVÊNIOS E CONSÓRCIOS

CONVÊNIOS E CONSÓRCIOS CONVÊNIOS E CONSÓRCIOS 1. LEGISLAÇÃO - Fundamentação Constitucional: Art. 241 da CF/88 - Fundamentação Legal: Art. 116 da Lei 8.666/93, 2. CONCEITO - CONVÊNIO - é o acordo firmado por entidades políticas

Leia mais

LIVRO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONCESSÕES E TERCEIRO SETOR EDITORA: LUMEN JURIS EDIÇÃO: 2ªED., 2011 SUMÁRIO

LIVRO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONCESSÕES E TERCEIRO SETOR EDITORA: LUMEN JURIS EDIÇÃO: 2ªED., 2011 SUMÁRIO LIVRO: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, CONCESSÕES E TERCEIRO SETOR EDITORA: LUMEN JURIS EDIÇÃO: 2ªED., 2011 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... PRIMEIRA PARTE: A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO Capítulo

Leia mais

POLÍCIA CIVIL DO RJ- FEC www.beabadoconcurso.com.br Todos os direitos reservados. - 1 -

POLÍCIA CIVIL DO RJ- FEC www.beabadoconcurso.com.br Todos os direitos reservados. - 1 - f POLÍCIA CIVIL DO RJ- FEC www.beabadoconcurso.com.br Todos os direitos reservados. - 1 - DIREITO ADMINISTRATIVO SÚMARIO UNIDADE 1. Direito Administrativo: conceito, fontes, princípios. Conceito de Estado,

Leia mais

Regime jurídico das empresas estatais

Regime jurídico das empresas estatais Prof. Márcio Iorio Aranha Regime jurídico das empresas estatais 1) Submissão aos princípios gerais da Administração Pública (art. 37, caput legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência)

Leia mais

CORREIOS Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos - Concurso Público Cargos: Atendente - Carteiro - Operador de Triagem e Transbordo ano 2015

CORREIOS Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos - Concurso Público Cargos: Atendente - Carteiro - Operador de Triagem e Transbordo ano 2015 1.Organização da administração pública no Brasil a partir da Constituição Federal de 1988. 2.Conceitos relativos às administrações direta e indireta. 3.Diferenças entre autarquias, fundações e empresas

Leia mais

Aos Estados-membros é assegurada autonomia consistente na capacidade de autoadministração, autolegislação, autogoverno e auto-organização.

Aos Estados-membros é assegurada autonomia consistente na capacidade de autoadministração, autolegislação, autogoverno e auto-organização. Organização do Estado e da Administração Pública Noções introdutórias Gustavo Justino de Oliveira* A Constituição da República trata, em seu Título III, da Organização do Estado, precisamente, do artigo

Leia mais

FUNÇÕES DO ESTADO função = é quando alguém exerce uma atividade representando interesses de terceiros. cláusulas exorbitantes, desapropriação etc).

FUNÇÕES DO ESTADO função = é quando alguém exerce uma atividade representando interesses de terceiros. cláusulas exorbitantes, desapropriação etc). DIREITO ADMINISTRATIVO é o ramo do direito que regula a função administrativa do Estado, independentemente de ser ela exercida ou não pelo Poder Executivo. FUNÇÕES DO ESTADO função = é quando alguém exerce

Leia mais

2. (CESPE/MMA/2009) O modelo de federalismo brasileiro é do tipo segregador.

2. (CESPE/MMA/2009) O modelo de federalismo brasileiro é do tipo segregador. 1. (CESPE/SEJUS-ES/2009) A CF adota o presidencialismo como forma de Estado, já que reconhece a junção das funções de chefe de Estado e chefe de governo na figura do presidente da República. 2. (CESPE/MMA/2009)

Leia mais

Poderes Administrativos. Professora: Paloma Braga

Poderes Administrativos. Professora: Paloma Braga Poderes Administrativos Professora: Paloma Braga Poderes Administrativos - Conceito São os meios ou instrumentos através dos quais a Administração Pública exerce a atividade administrativa na gestão dos

Leia mais

Lei nº11.107 Consórcios públicos e gestão associada de serviços públicos

Lei nº11.107 Consórcios públicos e gestão associada de serviços públicos Lei nº11.107 Consórcios públicos e gestão associada de serviços públicos Seminário de Licenciamento Ambiental de Destinação Final de Resíduos Sólidos Brasília, DF - Novembro de 2005 Coleta de resíduos

Leia mais

Professor Helder Saraiva FACON Bateria-Organização da Administração Pública.

Professor Helder Saraiva FACON Bateria-Organização da Administração Pública. 1 1(CESPE / ANAL. ADM. / DPU/ 30.5.2010/ Questão 29 Acerca da administração indireta na organização administrativa brasileira, assinale a opção correta. A As autarquias estão sujeitas a controle administrativo

Leia mais

APOSTILA DE DIREITO ADMINISTRATIVO

APOSTILA DE DIREITO ADMINISTRATIVO APOSTILA DE DIREITO ADMINISTRATIVO Professor: Euro Cássio Tavares de Lima Júnior Material Gratuito Reprodução para venda proibida Queridos alunos, abaixo segue material para estudo das nossas aulas feito

Leia mais

Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais. Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor

Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais. Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor Congresso Ministério Público e Terceiro Setor Atuação Institucional na Proteção dos Direitos Sociais Painel: Formas de Fomento ao Terceiro Setor Outubro-2010 ESTADO BRASILEIRO SUBSIDIÁRIO COM A PARTICIPAÇÃO

Leia mais

PARECER PARECER SOBRE LEGALIDADE DAS CÂMARAS MUNICIPAIS FILIAREM Á ABRACAM E CONTRIBUIREM FINANCEIRAMENTE COM A INSTITUIÇÃO.

PARECER PARECER SOBRE LEGALIDADE DAS CÂMARAS MUNICIPAIS FILIAREM Á ABRACAM E CONTRIBUIREM FINANCEIRAMENTE COM A INSTITUIÇÃO. PARECER PARECER SOBRE LEGALIDADE DAS CÂMARAS MUNICIPAIS FILIAREM Á ABRACAM E CONTRIBUIREM FINANCEIRAMENTE COM A INSTITUIÇÃO. REFERÊNCIA AO PARECER DO TCE/MG, QUE MANIFESTOU EM RESPOSTA A CONSULTA DA CÂMARA

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010.

RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. RIO GRANDE DO NORTE LEI COMPLEMENTAR Nº 411, DE 08 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre a estrutura organizacional do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte e dá outras providências. A GOVERNADORA

Leia mais

SUMÁRIO INTRODUÇÃO... PRIMEIRA PARTE: A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO

SUMÁRIO INTRODUÇÃO... PRIMEIRA PARTE: A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO SUMÁRIO INTRODUÇÃO... PRIMEIRA PARTE: A ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E O ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO Capítulo I As transformações do Estado e a organização administrativa moderna 1.1. Estado Liberal, Estado

Leia mais

Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF)

Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF) Tribunal Regional do Trabalho 15.ª Região (Campinas/SP) Direito Previdenciário (AJAJ e OJAF) XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-15/FCC/2013): 57. Quanto à relação entre empresas estatais e as

Leia mais

CAMPO DE APLICAÇÃO DA CONTABILIDADE PÚBLICA 1ª PARTE Leonardo Silveira do Nascimento cpublicaconcursos@yahoo.com.br

CAMPO DE APLICAÇÃO DA CONTABILIDADE PÚBLICA 1ª PARTE Leonardo Silveira do Nascimento cpublicaconcursos@yahoo.com.br CAMPO DE APLICAÇÃO DA CONTABILIDADE PÚBLICA 1ª PARTE Leonardo Silveira do Nascimento cpublicaconcursos@yahoo.com.br Olá pessoal! Nesta aula iremos abordar um assunto cada vez mais recorrente nas provas

Leia mais

CAPITULO I DA POLÍTICA MUNICIPAL DO COOPERATIVISMO.

CAPITULO I DA POLÍTICA MUNICIPAL DO COOPERATIVISMO. LEI Nº 1.827/2009. EMENTA: Institui a política de apoio e incentivo ao desenvolvimento do Cooperativismo no âmbito do município de Santa Cruz do Capibaribe/PE e dá outras providências. A MESA DIRETORA

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONCEITO

DIREITO ADMINISTRATIVO CONCEITO DIREITO ADMINISTRATIVO CONCEITO O Direito, como ensina Hely Lopes Meirelles, é um conjunto de regras de conduta coativamente impostas pelo Estado, e se divide, para fins didáticos, em dois grandes ramos:

Leia mais

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER DIVISÃO ESPACIAL DO PODER FORMA DE ESTADO: UNITÁRIO 1. Puro: Absoluta centralização do exercício do Poder; 2. Descentralização administrativa: Concentra a tomada de decisões, mas avança na execução de

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Direito tributário

Maratona Fiscal ISS Direito tributário Maratona Fiscal ISS Direito tributário 1. São tributos de competência municipal: (A) imposto sobre a transmissão causa mortis de bens imóveis, imposto sobre a prestação de serviço de comunicação e imposto

Leia mais

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos... 15. Apresentação... 17

Sumário. Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos... 15. Apresentação... 17 Sumário Proposta da Coleção Leis Especiais para Concursos... 15 Apresentação... 17 Parte I Teoria Geral das Agências Reguladoras e seu regime de pessoal Capítulo I Teoria Geral das Agências Reguladoras...

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO

APRESENTAÇÃO DO CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO APRESENTAÇÃO DO CURSO DE DIREITO ADMINISTRATIVO Salve salve mais uma vez meus amigos concurseiros! O Curso de Direito Administrativo que terá início na primeira semana de julho (08/07) voltará sua atenção

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

Direito Administrativo: Princípios e Adm. Pública - Exercícios

Direito Administrativo: Princípios e Adm. Pública - Exercícios Professor Gustavo Fregapani E-mail: gustavofregapani@gmail.com Página de dicas no Facebook: https://www.facebook.com/gustavofregapani Curta a página e receba novidades, informações e dicas para concursos

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 09/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015.

PROJETO DE LEI Nº 09/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015. PROJETO DE LEI Nº 09/2015, DE 23 DE MARÇO DE 2015. CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTES, ABRE CRÉDITO ESPECIAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O PREFEITO MUNICIPAL DE GUAPORÉ-RS faz saber, em cumprimento ao disposto

Leia mais

TABELA DE NATUREZA JURÍDICA 2014

TABELA DE NATUREZA JURÍDICA 2014 TABELA DE NATUREZA JURÍDICA 2014 NOTAS EXPLICATIVAS 1. Administração Pública A categoria Administração Pública compreende os órgãos públicos, as autarquias e as fundações públicas da União, dos Estados,

Leia mais

Organizações Sociais. Organizações Sociais (OS) e Organizações da Sociedade de Interesse Público (OSCIP) ENTES DE COOPERAÇÃO. Antes.

Organizações Sociais. Organizações Sociais (OS) e Organizações da Sociedade de Interesse Público (OSCIP) ENTES DE COOPERAÇÃO. Antes. Professor Luiz Antonio de Carvalho Organizações Sociais (OS) e Organizações da Sociedade de Interesse Público (OSCIP) lac.consultoria@gmail.com 1 Segundo o PDRAE-1995 O Projeto Organizações Sociais e Publicização

Leia mais

Desejo a todos que realizem uma excelente preparação para esse e outros concursos.

Desejo a todos que realizem uma excelente preparação para esse e outros concursos. ..FUNDOS ESPECIAIS Amigos e amigas estudantes do Ponto dos Concursos! Com a aproximação do concurso do TCU, estamos programando três cursos on line específicos para esse certame: Contabilidade Pública,

Leia mais

PROGRAMA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL

PROGRAMA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL LÍNGUA PORTUGUESA Compreensão e interpretação de textos Tipologia textual Ortografia oficial Acentuação gráfica Emprego das classes de palavras Emprego do sinal indicativo de crase Sintaxe da oração e

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA CAPÍTULO III ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA QUESTÕES 1. ASPECTOS GERAIS SOBRE ORGANIZAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1. (CESPE Unificado Set/09) No que concerne à administração pública, assinale a

Leia mais

Congresso de Gestão Pública Ceará Fortaleza, 29 e 30/10/08

Congresso de Gestão Pública Ceará Fortaleza, 29 e 30/10/08 Congresso de Gestão Pública Ceará Fortaleza, 29 e 30/10/08 Levantamento dos Novos Arranjos Organizacionais nos Municípios Paulistas (2006): breves considerações Estudo da Fundação Prefeito Faria Lima Cepam

Leia mais

Paraadministração. Entidades criadas a partir de autorização legislativa. Sociedade e Mercado. Administração Pública. Administração Indireta

Paraadministração. Entidades criadas a partir de autorização legislativa. Sociedade e Mercado. Administração Pública. Administração Indireta Administração Pública Sociedade e Mercado Administração Direta Autarquia Fundação Publica Direito Público Consórcio Público Direito Público Fundação Publica Direito Privado Empresa Pública Consórcio Público

Leia mais

Planejamento Tributário Empresarial

Planejamento Tributário Empresarial Planejamento Tributário Empresarial Aula 03 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina, oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades,

Leia mais

Prof. José Eduardo 4. REGIME JURÍDICO ADMINISTRATIVO 4.REGIME JURÍDICO ADMINISTRATIVO. Princípios: Conceito: Conteúdo: Princípios Expressos na CF/88:

Prof. José Eduardo 4. REGIME JURÍDICO ADMINISTRATIVO 4.REGIME JURÍDICO ADMINISTRATIVO. Princípios: Conceito: Conteúdo: Princípios Expressos na CF/88: Direito 4. REGIME JURÍDICO ADMINISTRATIVO Conceito: Conjunto normas, princípios e poderes que conferem à Administração Pública, de um lado, prerrogativas, e de outro, sujeições. Conteúdo: Princípios da

Leia mais

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA RIA DIREITO TRIBUTÁRIO. RIO 2ª parte. Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.

PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA RIA DIREITO TRIBUTÁRIO. RIO 2ª parte. Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail. PREPARATÓRIO RIO EXAME DA OAB DIREITO TRIBUTÁRIO RIO 2ª parte COMPETÊNCIA TRIBUTÁRIA RIA Prof. JOSÉ HABLE www.josehable.adv.br johable@gmail.com SISTEMA TRIBUTÁRIO RIO NA CONSTITUIÇÃO FEDERAL 2. Competência

Leia mais