Prêmio. Balanço Social

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prêmio. Balanço Social"

Transcrição

1 Prêmio Balanço Social relatórioanualnatura2004

2 A Natura é uma das empresas líderes quando se trata de relatar o desempenho econômico, social e ambiental. Foi importante ouvir seus líderes explicarem por que agem assim e como esse comportamento é representativo do modelo de negócio da empresa. O valor dessa escolha foi recentemente reconhecido no mercado de ações. Ernest Ligteringen, presidente executivo da Global Reporting Initiative

3 bemestarbemestarbemestarbemestarbemes apresentação índice apresentação 3 histórico 4 estrutura 6 produção 12 conceito e projeto gráfico 14 distribuição 16 reconhecimentos 19 perspectivas 23 clipping 27 expediente 40 Para a Natura, o valor e a longevidade de uma empresa estão ligados à capacidade de contribuir para a evolução da sociedade e seu desenvolvimento sustentável. Nesse sentido, o Relatório Anual é uma ferramenta valiosa, pois ele é responsável por disseminar, de forma ampla e transparente, os resultados da empresa e seus compromissos com as comunidades que a cercam. O Relatório Anual 2004, por sua vez, tem um simbolismo especial, porque é o primeiro produzido depois da abertura de capital, ocorrida em março do ano passado, quando a empresa passou a negociar suas ações no Novo Mercado Bolsa de Valores de São Paulo, a Bovespa. A partir de agora, o documento atinge um público mais amplo e diversificado, composto também por milhares de novos acionistas e investidores. Assim como vem fazendo desde o relatório de 2002, a Natura reuniu em um só volume e de forma integrada as informações dos resultados econômico-financeiros e os indicadores que retratam seu desempenho nas áreas social e ambiental. A Natura foi uma das primeiras empresas nacionais a utilizar esse formato, conferindo o mesmo peso aos aspectos econômico-financeiros, sociais e ambientais presentes no tripé da sustentabilidade na divulgação de seus resultados. Prêmio Balanço Social pag. 3

4 histórico As informações divulgadas no Relatório Anual 2004 estão em consonância com as práticas e os modelos sugeridos por respeitadas entidades nacionais e estrangeiras. Na elaboração do balanço social, a empresa segue o padrão proposto pelo Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social e as diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI), uma instituição internacional criada em 1997 que visa desenvolver e disseminar um modelo de comunicação sobre os impactos econômicos, sociais e ambientais nos negócios. A Natura foi a primeira empresa a adotar integralmente o modelo de relatório dessas duas entidades, bem como as diretrizes de comunicação corporativa da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial, Aberje. Além disso, a Natura é a única empresa brasileira a integrar o Structured Feedback Group, fórum composto por 31 grandes corporações internacionais que adotam o modelo GRI nos seus relatórios (veja relação completa destas empresas no capítulo Perspectivas ). Na apresentação dos resultados econômico-financeiros, a empresa obedece ao padrão das normas contábeis internacionais e segue as recomendações das principais entidades do mercado de capitais brasileiro, como a Associação dos Analistas e Profissionais de Investimentos do Mercado de Capitais, Apimec, e a Associação Brasileira das Companhias Abertas, Abrasca. A Natura é o melhor exemplo de aplicação das diretrizes da GRI no Brasil Flávia Azevedo, consumidora Natura Colaboradores no Espaço Natura Cajamar Ricardo Young, presidente do UniEthos e do Conselho Deliberativo do Instituto Ethos A gestão dos indicadores utilizados na produção do relatório foi feita pela Diretoria de Assuntos Corporativos, que contou com a colaboração direta da vice-presidência de Finanças e da área de Relações com os Investidores. As informações foram discutidas no âmbito do Comitê de Sustentabilidade da Natura, criado em 2002 e composto pelos presidentes da empresa, diretores, gestores das áreas de Meio Ambiente, Qualidade, Recursos Humanos e Responsabilidade Corporativa. pag. 4 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 5

5 estrutura Metas assumidas no Relatório Anual Natura 2003 Por se tratar de uma importante ferramenta de comunicação com os diversos stakeholders da empresa e um instrumento de orientação para a condução dos negócios de acordo com os princípios de sustentabilidade, o Relatório Anual da Natura é produzido segundo conceitos de transparência, abrangência e integridade. Ao pensar a sua estrutura, a Natura também levou em conta aspectos como a clareza das informações e a facilidade de leitura. Desta forma, o documento está estruturado em diversos capítulos e tem na sua abertura uma mensagem dos presidentes da Natura, seguida da Razão de Ser, Crenças,Visão e um perfil da companhia. O segundo bloco de informações começa com uma exposição da metodologia e dos indicadores presentes no relatório que estão agrupados de acordo com as três dimensões da sustentabilidade (econômica, social e ambiental) e seguem com uma apresentação dos princípios de Governança Corporativa e do sistema de gestão de riscos da Natura (financeiros, de produtos, de segurança e tecnologia da informação, de meio ambiente e de consistência entre valores e práticas). Depois, são apresentados ao leitor os resultados econômico-financeiros, sociais e ambientais e mostrados os principais destaques dos investimentos em Responsabilidade Corporativa. Nesse tópico, vale destacar o quadro que resume as metas assumidas em 2003 e os resultados alcançados, bem como a relação de palestras na área de Responsabilidade Corporativa ministradas em Iniciativa Meta assumida em 2003 Programa de Certificação de Definir fonte de origem conhecida e de manejo sustentável para Ativos Naturais ou Vegetais mais oito plantas utilizadas na linha Ekos. Projeto Plântula Identificação de fonte sustentável para 17 plantas. Programa de Iniciar a aplicação do fundo para o desenvolvimento sustentável Desenvolvimento Sustentável nas comunidades do Médio-Juruá, Iratapuru e do entorno de com as Comunidades Belém. Fornecedoras Programa Crer para Ver Formação de Agentes Culturais Agenda 21 em Cajamar Novos Olhares Oficinas de Automaquiagem Gente Bonita de Verdade na Comunidade Programa Natura Educação Lançar campanha nacional Crer para Ver/Educação de Jovens e Adultos, aumentando a demanda por matrículas, a qualidade do ensino e a atenção da sociedade sobre essa questão; iniciar processo para inclusão de produtos provenientes de projetos de geração de emprego e renda no portfólio da linha Crer para Ver em Conclusão do curso de formação de agentes culturais de no mínimo 80% dos jovens inscritos em 2003; envolver os jovens formados em atividades culturais e educacionais do município e da empresa. Ampliar o Grupo de Trabalho Tripartite e iniciar processo de envolvimento das lideranças locais em fóruns democráticos para planejamento do município. Ampliação do projeto para mais cinco localidades do Brasil e em uma operação da Natura na América do Sul; e implantação de oficinas de automaquiagem nas comunidades do entorno da empresa Cajamar e Itapecerica da Serra; fortalecer pequenos núcleos em cada cidade e ampliar a participação livre das Consultoras. Constituir, ao longo do ano, seis grupos de colaboradores, totalizando 140 integrantes, atuantes nas comunidades do entorno; finalizar o ano com mapas de necessidades estruturais das organizações sociais para planejamento de ações em 2005 Ampliar o escopo do programa para os públicos Consultoras Natura e terceiros. Oferecer para os colaboradores 80 bolsas para cursos técnicos, 90 para cursos de idiomas e 100 para cursos universitários. Resultados Meta parcialmente atingida. Foram certificadas sete plantas utilizadas na linha Ekos (veja descrição dos resultados do projeto, pág. 68). Meta atingida. Foram identificadas as áreas potenciais para o fornecimento das espécies medicinais de interesse, ficando evidenciada a necessidade de pesquisas que estabeleçam um processo produtivo continuado e contribuam na conservação destes recursos genéticos. Meta parcialmente atingida. Em 2004 as iniciativas de apoio às comunidades foram desenvolvidas por meio de parcerias e de um acompanhamento local contínuo. Os investimentos da Natura no programa e o retorno financeiro às comunidades garantiram melhorias importantes na cadeia produtiva e no fortalecimento das cooperativas locais. Porém, a aplicação do fundo no entorno de Belém e Médio-Juruá ainda está sendo definida. Meta atingida. A campanha foi lançada e foi iniciado o estudo para inclusão de produtos provenientes de projetos de geração de emprego e renda no portfolio (veja descrição dos resultados do projeto, pág. 69). Meta Atingida. 100% dos 52 jovens inscritos no curso de formação de agentes culturais, em parceria com o Senac, completaram o curso; 100% dos jovens participaram, profissionalmente, de dois projetos em parceria com a Diretoria Municipal de Educação de Cajamar, atuando nas escolas municipais. Esses jovens foram remunerados pelos parceiros dos projetos. Meta parcialmente atingida. O processo de ampliação do grupo de trabalho tripartite foi iniciado com o 1º Encontro Pró-Agenda 21, foi elaborado o diagnóstico do município e foram realizadas oficinas de trabalho interativas em dois bairros da cidade (veja descrição dos resultados do projeto, pág. 68). Meta parcialmente atingida. Em 2004 o projeto foi ampliado para quatro novas gerências de mercado no Brasil. Foram realizadas 114 oficinas e atendimentos a pacientes e acompanhantes nas dez instituições apoiadas pelo projeto. O número de voluntárias do projeto cresceu de 123 para 170. A meta de implantação do projeto nas operações internacionais não foi alcançada. Foram implantadas oficinas de automaquiagem nas comunidades do entorno da empresa, com o envolvimento de colaboradores da Natura. Estuda-se a continuidade desse projeto em Meta parcialmente atingida. Em 2004 seis entidades parceiras participaram do projeto e receberam os voluntários da Natura. Os voluntários desenvolveram atividades ligadas à massagem shantala, oficinas de automaquiagem e jogos e brincadeiras. Ao todo, participaram 110 colaboradores, em 166 períodos de visitas, divididos em quatro grupos. O mapa de necessidades estruturais das organizações sociais, meta também assumida para 2004, não foi totalmente acabado. Meta parcialmente atingida. Foram oferecidas todas as bolsas de estudo previstas. Porém, não foram totalmente utilizados. A ampliação do escopo do programa será feita em 2005 (veja descrição dos resultados do projeto, pág. 68). pag. 6 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 7

6 Relações Transparentes com a Sociedade e Diálogo com Partes Interessadas Palestras na área de Responsabilidade Corporativa ministradas em 2004 Evento Grupo de Trabalho de Meio Ambiente Curso Princípios e Práticas de Responsabilidade Social Empresarial: Módulo Seleção, Avaliação e Parceria com Fornecedores Assembléia Anual da Comissão Pan-Americana de Normas Técnicas (COPANT) 1º Fórum para Desenvolvimento de Fornecedores Curso para Gestores Curso para Gestores Mobiliza Amazônia 2004 Seminário de Mobilização de Recursos para Organizações da Sociedade Civi V Ciclo de Palestras da Universidade Federal de São Carlos VI Semana de Meio Ambiente VI Semana de Meio Ambiente Comitê de Jovens Executivos da Câmara de Comércio de Campinas II Seminário de Responsabilidade Social Unimed Encontro Internacional sobre Responsabilidade Social Corporativa Encontro mensal sobre Responsabilidade Social Seminário Educação e Gestão Ambiental Comitê de Meio Ambiente Seminário Gestão Socialmente Responsável XXIV Seminário Nacional da Propriedade Intelectual Reunião Apimec SP III Fórum Empresarial Fundamentos da Excelência Palestra Ind. Ambientais Case Responsabilidade Social Natura Case Responsabilidade Social Natura Implantação do Sistema de Gerenciamento Ambiental Natura Natura e Responsabilidade Corporativa Relatório Anual Natura Mobilização de Relações e de Vocação A Experiência da Natura Natura e Responsabilidade Social Caso Nacional de Reúso de Água Indicadores de Desempenho Ambiental Case Responsabilidade Social Natura A Natura e o Meio Ambiente Responsabilidade Corporativa Responsabilidade Social O Olhar da Natura A Natura e o Meio Ambiente Do Projeto à Prática da Sustentabilidade Tecnologias Ambientais Implantadas na Construção do Novo Espaço A Adesão à Responsabilidade Social dos Investidores, Fundos de Pensão e de Investimentos Debate Biodiversidade e Propriedade Intelectual Apimec Natura Excelência em Gestão e Responsabilidade Social Organização/Solicitante Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumarias e Cosméticos Fundação Getúlio Vargas SP, Curso de Extensão Responsabilidade Social Associação Brasileira de Normas Técnicas Transportadora Americana Escola Superior de Propaganda e Marketing Fundação Getúlio Vargas SP Ashoka Empreendedores Sociais e Câmara Setorial de Responsabilidade Social da Associação Comercial do Pará Universidade Federal de São Carlos Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Departamento de Meio Ambiente Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Departamento de Meio Ambiente Câmara Americana de Comércio Campinas Unimed Bureau Veritas Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresas Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo (FCFRP USP) Câmara Americana de Comércio São Paulo Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Centro das Indústrias do Estado de São Paulo e Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social ABPI Associação Brasileira de Propriedade Intelectual Apimec SP Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais de São Paulo e Natura Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade Palestrante Eliane Anjos Eliane Anjos Rodolfo Witzig Guttilla Karina Aguilar Nelmara Arbex Nelmara Arbex Guilherme Leal Isabel Ferreira Eliane Anjos Eliane Anjos Giuliana Ortega Karina Aguilar Itamar Correia da Silva Pedro Passos Eliane Anjos Eliane Anjos Rodolfo Witzig Guttilla Antônio Siqueira Pedro Passos, David Uba e Helmut Bossert Pedro Passos Data 18/2/04 26/4/04 14/5/04 20/5/04 20/5/04 26/5/04 28/5/04 31/5/04 1/6/04 3/6/04 8/6/04 24/6/04 7/7/04 28/7/04 10/8/04 11/8/04 11/8/04 17/8/04 18/8/04 18/8/04 Local Salvador/BA Americana/SP Belém/PA São Carlos/SP Campinas/SP Atibaia/SP Ribeirão Preto/ SP Cajamar/SP Brasília/DF Cajamar/SP Público Cerca de 20 participantes, entre gerentes, assessores e técnicos de meio ambiente de diversas indústrias Cerca de 30 estudantes do curso Cerca de 220 participantes, entre executivos das áreas de responsabilidade social e qualidade e representantes do Comitê Pan- Americano de Normas Técnicas e organismos de normalização da América Latina Cerca de 150 funcionários e fornecedores da Transportadora Americana Cerca de 30 gestores de empresas Cerca de 30 gestores de empresas Cerca de 300 participantes, entre empreendedores sociais, pequenos empresários, representantes da sociedade civil organizada, especialistas em terceiro setor, comunidade e público em geral Cerca de 400 estudantes dos cursos de engenharia de produção, psicologia, ciências sociais, entre outros Cerca de 300 representantes do setor industrial, governo, associações de classe e entidades do terceiro setor Cerca de 300 representantes do setor industrial, governo, associações de classe e entidades do terceiro setor Cerca de 35 jovens executivos Cerca de cem funcionários da Unimed e convidados Cerca de 400 executivos, em especial da área de qualidade Cerca de 20 empresários de diversos setores Cerca de 200 estudantes de graduação e pós-graduação, professores e funcionários da FCFRP e demais unidades do campus da USP Ribeirão Preto (medicina, enfermagem, odontologia, filosofia, economia e administração) Cerca de 50 participantes, entre eles diretores, gerentes, técnicos de meio ambiente de indústrias, advogados, membros de outras câmaras de comércio, representantes do governo, entre outros Cerca de 100 participantes, entre empresários e profissionais da área de responsabilidade social Cerca 250 pessoas, entre advogados e técnicos da área de propriedade intelectual 160 participantes entre analistas de mercado de capitais, investidores e outros 18 conselheiros da Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade Evento Palestra Organização/Solicitante Palestrante Data Local Público I Fórum de Gestão Ambiental em Plantas Industriais Fórum Empresarial Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa 5ª Semana de Palestras da Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas da Universidade do Vale do Paraíba Fórum sobre análise e ações afirmativas de gênero em empresas II Encontro Paraense de Comunicação Empresarial, Assessoria de Imprensa e Relações Públicas Comitê de Meio Ambiente Semana de Administração da Escola Superior de Propaganda e Marketing Reunião do Conselho de Cidadania da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais Curso Gestão Integrada III Simpósio Multidisciplinar UNIFAI Curso para Gestores Palestra Natura Global Summit on Social Entrepreneurship The Future of Social Entrepreneurship How Big Can Small Get? European Conference on Corporate Social Responsability 5º Congresso Brasileiro de Governança Corporativa Reunião Apimec RJ Simpósio sobre Conhecimento Tradicional e Conservação da Agrobiodiversidade Gestão do Conhecimento Experiências de empresas Curso Planejamento e Implementação Gestão da Responsabilidade Social para o Desenvolvimento Sustentável I Seminário de Marketing Financeiro 10º Fórum de Debates da APP Associação Paulista de Propaganda Biodiversity and Business in the Amazon: Partnerships between Communities, Corporations and Government Análise de Ciclo de Vida como Ferramenta da Gestão Ambiental Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa A Importância da Responsabilidade Social para as Empresas Desafios sobre Gênero na Natura Responsabilidade e Utilidade Social Do Projeto à Prática da Sustentabilidade Tecnologias Ambientais Implantadas na Construção do Novo Espaço Case Responsabilidade Social Natura Responsabilidade Social Princípios e Práticas Case Responsabilidade Social Natura Responsabilidade Corporativa Desafio ou Compromisso? Sistema de Gestão de Responsabilidade Corporativa Uma Experiência da Natura Case Institucional Natura Participação no painel Lessons from Scaling from Various Models Organic Growth Model Case Natura Ekos Oferta de Ações e Governança Corporativa A Experiência da Natura Case Natura Acesso à Biodiversidade e Repartição de Benefícios Case Responsabilidade Social Natura Programa de Relacionamento com a Comunidade de Entorno Case Relatório Anual Natura Responsabilidade Corporativa Natura a Gestão Ambiental Responsabilidade Social e Comunicação Participação em debate e mesa-redonda Editora Caju Centro de Estudos em Sustentabilidade e Fundação Getúlio Vargas Universidade do Vale do Paraíba ABN-Amro e Itaipu Binacional Gaby Comunicação Câmara Americana de Comércio Campinas Escola Superior de Propaganda e Marketing Fiemg Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais Senac SP Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de São Paulo Unifai Centro Universitário Assunção FGV Fundação Getúlio Vargas SP Unip Universidade Paulista The Schwab Foundation for Social Entrepreneurship Ministério de Assuntos Econômicos da Holanda IBGC Instituto Brasileiro de Governança Corporativa Apimec RJ Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais do Rio de Janeiro e Natura Esalq Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Associação Internacional de Educação Continuada Uniethos Federação Brasileira de Bancos Associação de Profissionais de Propaganda Yale School of Forestry and Environmental Studies Eliane Anjos Rodolfo Witzig Guttilla Giuliana Ortega Nelmara Arbex Rodolfo Witzig Guttilla Eliane Anjos Susy Yoshimura Guilherme Leal Giuliana Ortega e Cristina Pastorello Nelmara Arbex Nelmara Arbex Helmut Bossert Guilherme Leal Sonia Tuccori Guilherme Leal David Uba e Moacir Salzstein Fernanda Ferraz Solange Rubio Giuliana Ortega Nelmara Arbex Rodolfo Witzig Guttilla Sonia Tuccori 23/8/04 24/8/04 26/8/04 3/9/04 11/9/04 15/9/04 28/9/04 4/10/04 16/10/04 25/10/04 4/11/04 4/11/04 5/11/04 8/11/04 8/11/04 11/11/04 11/11/04 20/11/04 24/11/04 25/11/04 1º/12/04 1º/12/04 São José dos Campos/SP Belém/PA Campinas/SP Belo Horizonte/MG Cajamar/SP Maastricht/ Holanda Rio de Janeiro/RJ Piracicaba/SP Yale, Connecticut EUA Cerca de 30 participantes diretores, gerentes e técnicos de Meio Ambiente de diversas indústrias Cerca de 120 participantes, entre profissionais do setor privado e entidades da sociedade civil Cerca de 240 estudantes do curso de ciências sociais Representantes de dez empresas com foco no tema Cerca de 180 profissionais da área de comunicação Cerca de 50 participantes entre diretores, gerentes, técnicos de meio ambiente de indústrias, advogados, representantes do governos, entre outros Cerca de 30 estudantes do curso de Administração Cerca de 40 membros do Conselho de Cidadania Empresarial da Fiemg 31 estudantes do curso de mestrado de saúde, segurança e meio ambiente Cerca de 200 estudantes de diversas áreas Cerca de 30 gestores de empresas e áreas afins Cerca de 300 estudantes do curso de administração Cerca de 500 participantes, entre empreendedores sociais, empresários, representantes da sociedade civil organizada, representantes de organizações multilaterais, representantes de governos e especialistas em terceiro setor Cerca de 200 participantes, entre líderes empresariais, comunidade e ONGs Cerca de 380 executivos, entre conselheiros, presidentes e diretores de empresas 90 participantes entre analistas de mercado de capitais, investidores e outros Cerca de 180 acadêmicos de graduação, mestrado e doutorado 60 estudantes do curso de administração de empresas 25 profissionais de diversas empresas Cerca de 200 gestores empresariais e profissionais de diversas áreas Cerca de 80 profissionais da área de publicidade e propaganda Cerca de 300 participantes, entre professores, estudantes, antropólogos e pesquisadores da Universidade de Yale pag. 8 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 9

7 É preciso aceitar que, à medida que as empresas avançarem na busca do desenvolvimento sustentável, haverá muitos erros. É natural que isso aconteça e torna-se necessário aprender rapidamente com eles. O que a natura está fazendo já é o estado da arte. Seu desafio será propagar isso fora da empresa. John Elkington, co-fundador da organização inglesa SustainAbility No capítulo destinado aos indicadores econômicos, sociais e ambientais, a empresa usou como modelo a estrutura sugerida pela GRI. Nos indicadores econômicos, são apresentados os impactos econômicos diretos e indiretos causados pela empresa a seus consumidores, fornecedores, colaboradores, investidores e setor público. Os indicadores de desempenho ambiental apresentam dados sobre o uso de materiais, gasto de energia, consumo, reciclagem e reutilização de água, biodiversidade, emissão de efluentes, transportes etc. Os indicadores sociais, por sua vez, abordam questões relacionadas a segurança e saúde no trabalho, treinamento e educação, diversidade, oportunidade e direitos humanos, entre outras. Para facilitar a leitura dos dados, a parte final do relatório apresenta um índice remissivo dos indicadores GRI e as demonstrações financeiras da organização. Uma novidade do Relatório Anual Natura 2004 foi a inclusão, pela primeira vez, de informações sobre as operações realizadas no exterior, o que torna o documento ainda mais abrangente. Alguns dos processos de coleta de informações sociais e ambientais das operações internacionais encontram-se em implantação e estarão mais completos nos próximos anos. Além disso, 2004 foi o primeiro ano em que o Sistema de Gestão Ambiental e o Sistema de Gestão de Responsabilidade Corporativa foram completamente implantados, levando a uma consolidação de processos internos.também foi o ano em que a empresa obteve a certificação NBR ISO Em 2005, o relatório deverá apresentar dados mais detalhados e melhor indicação dos pontos a serem aprimorados. pag. 10 Prêmio Balanço Social/Abrasca Prêmio Balanço Social pag. 11

8 produção A produção do Relatório Anual segue um longo roteiro de trabalho e um controlado cronograma de execução. Uma equipe interna multidisciplinar comanda todo o processo de produção, que envolve jornalistas e designers gráficos externos. Essa equipe, responsável pela apuração e pelo fornecimento de indicadores e informações do relatório, é formada por representantes da Vice-Presidência de Finanças e da Diretoria de Assuntos Corporativos, e das áreas de Relações Institucionais, Recursos Humanos, Relações com os Investidores, Responsabilidade Corporativa e Meio Ambiente. O levantamento do conteúdo acontece em dois grandes blocos. O primeiro diz respeito aos indicadores GRI. Ao longo do ano, as diversas áreas da empresa fazem o levantamento e acompanhamento dos indicadores. Uma análise prévia desses indicadores, referente aos nove primeiros meses do ano, é realizada em outubro e apresentada para a alta gestão. A consolidação das informações da GRI é feita em janeiro do ano seguinte. Com base nessas informações, são construídos os capítulos referentes aos indicadores sociais e ambientais da empresa. Um grupo de 121 colaboradores esteve envolvido, direta ou indiretamente, na produção do documento. Coube a eles apurar os 89 indicadores entre os 96 sugeridos pela GRI, assim como os dados referentes ao balanço patrimonial, às demonstrações financeiras e ao mercado de capital. A coordenação editorial e a redação dos textos ficaram sob responsabilidade dos jornalistas José Paulo Kupfer e Antônio Félix, ambos profissionais experientes, com passagens por destacadas publicações, como Revista Exame, Gazeta Mercantil, DCI e O Estado de S.Paulo.Vale destacar que os dois profissionais também têm larga experiência na produção de relatórios anuais de grandes corporações. O segundo bloco está relacionado à confecção dos demais textos do Relatório Anual. O processo começa em outubro, quando os vice-presidentes e alguns diretores redigem um texto que trata das principais realizações e desafios de suas áreas sempre nas dimensões econômico-financeiras, social e ambiental. Esses textos são consolidados em um documento chamado Sumário Executivo, que é aprovado pela alta gestão e serve como base para a realização de entrevistas com diretores e gerentes de diversas áreas. A partir dessas entrevistas, é elaborado o texto do relatório. Assim como aconteceu no Relatório Anual de 2003, os balanços patrimoniais e as demonstrações financeiras foram organizados pela Vice-Presidência de Finanças e auditados pela empresa Deloitte Touche Tohmatsu. Os dados relacionados aos indicadores sociais e ambientais foram submetidos a checagens internas pelas equipes responsáveis. pag. 12 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 13

9 Da esquerda para a direita: Verónica Saez, consumidora Natura, e Ladilas Robert, parceiro da Natura. conceito e projeto gráfico Abaixo: Delbanor Mello Viana, fornecedor da Natura, Fernanda Inouye Miura, Consultora Natura, e Teresa Testino, Consultora Natura. Para a Natura, uma empresa é um conjunto de relações e para que ela se desenvolva é preciso cuidar dessas relações e aperfeiçoá-las. Ao longo de seus 36 anos de existência, a empresa vem procurando estabelecer relacionamentos de qualidade com aqueles que fazem parte de sua comunidade: consumidores, colaboradores, Consultoras, fornecedores e demais parceiros. O Relatório Anual 2004, em reconhecimento a esses parceiros, tem como tema as relações desenvolvidas pela Natura com seus diversos públicos. Eles estão representados por uma série de histórias e depoimentos de brasileiros e estrangeiros que ajudaram e ajudam a construir a história da Natura. Os depoimentos desses personagens foram colhidos pelo Museu da Pessoa, organização especializada em levantamento de histórias de vida. As fotos foram feitas pelo fotógrafo paulista Eduardo Simões. A direção de arte e a elaboração do projeto gráfico ficaram sob responsabilidade do designer Wilson Spinardi Junior, da Modernsign Design e Inovação. Spinardi recorreu a cenas do cotidiano desses personagens para desenvolver as gravuras realizadas com a técnica de monotipia que ilustram o relatório. Com 128 páginas, o documento foi impresso em papel reciclado 240 g/m 2 na capa e 120 g/m 2 no miolo. Além das fotos feitas por Eduardo Simões, o relatório foi ilustrado por imagens de fotógrafos consagrados, como Arnaldo Pappalardo, Willy Biondani, Matthieu Belin, Rafael Quintino, Marcos Suguio, Roberto Linsker, Bob Wolfenson e Pedro Martinelli. Da esquerda para a direita: Maria Aparecida Souza, colaboradora Natura e Cybele Amado de Oliveira, líder de projeto apoiado pela Natura. pag. 14 Prêmio Balanço Social

10 distribuição O Relatório Anual é distribuído aos cerca de 5 mil acionistas pessoas físicas e às centenas de investidores institucionais, ao corpo gerencial e aos colaboradores e Consultoras.Também recebem o documento outros públicos com os quais a companhia se relaciona, como empresas e órgãos governamentais, organizações não-governamentais, entidades de classe, veículos de imprensa e universidades. No total, foram produzidos exemplares em português do relatório. A Natura também confecciona versões do Relatório Anual em inglês (1.500 unidades) e espanhol (1.000 unidades), que são dirigidos a investidores, acionistas, colaboradores e outros públicos no exterior, em especial nos países da América do Sul onde a Natura tem operações Argentina, Chile, Peru e Bolívia. Os colaboradores da Natura também puderam tomar contato com o relatório por meio de uma versão condensada, divulgada numa edição especial de abril do jornal SerNaturaColaborador. O veículo, de circulação interna, é publicado mensalmente e tem uma tiragem de exemplares. O público externo, por sua vez, também pôde conferir o balanço da companhia por meio de anúncio de quatro páginas (em quatro cores), publicado no jornal Valor Econômico, em sua edição de 25 a 27 de fevereiro de Entidades internacionais como a Organização das Nações Unidas, a GRI e a Business for Social Responsability, além de um mailing qualificado de empresas de outros países, também recebem o relatório. Para facilitar e ampliar o acesso ao documento, uma versão em braile e em tipografia para visão subnormal é produzida e distribuída a entidades voltadas a deficientes físicos e bibliotecas especializadas nesse público. Além disso, uma íntegra do relatório é disponibilizada na internet (inclusive nas versões em inglês e espanhol) e na intranet. pag. 16 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 17

11 Hoje, segundo especialistas, a Natura (...) está na vanguarda mundial da responsabilidade social empresarial, ao lado de nomes como a inglesa The Body Shop e a rede de cafeterias americanas Starbucks. Revista Exame, 1/12/2004 reconhecimentos Ao longo de sua história, o Relatório Anual da Natura tem recebido importantes prêmios conferidos por instituições do Brasil e do exterior, além de ser citado com freqüência na imprensa. Em 2004, o documento foi escolhido, pelo segundo ano seguido, como o melhor relatório de companhia fechada pela Associação Brasileira das Companhias Abertas, Abrasca. O Relatório Anual Natura 2003 também ganhou, pelo terceiro ano consecutivo, o Prêmio Balanço Social, na categoria Regional São Paulo. O prêmio é uma promoção conjunta do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, Ethos, Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais, Apimec, Associação Brasileira de Comunicação Empresarial, Aberje, Fundação Instituto de Desenvolvimento Empresarial e Social, Fides, e Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas, Ibase. Por fim, o Relatório Anual 2002 foi eleito o 16º melhor relatório anual entre 350 companhias analisadas no mundo pela consultoria inglesa SustainAbility, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente e a agência de rating Standard & Poors. Esse ranking, elaborado a cada dois anos desde 1994, relacionou as empresas de todo o mundo com relatórios anuais considerados eficientes na integração de informações financeiras, sociais e ambientais. A Natura foi a única empresa brasileira a figurar na lista. pag. 18 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 19

12

13 perspectivas Ao longo de seus 36 anos de atividade, a Natura tem pautado suas ações pela transparência e pela atuação responsável em relação a questões sociais e ambientais. E o relatório publicado anualmente pela empresa é o mais fiel retrato deste compromisso. É importante salientar que, mesmo quando era uma companhia de capital fechado, a Natura já divulgava, segundo os mais rigorosos critérios, seu relatório de administração e balanço social, embora não houvesse exigência legal. A partir do próximo ano, esse instrumento de comunicação será ainda mais preciso, pois contará também com uma auditoria externa para analisar seus impactos sociais e ambientais a exemplo do que já ocorre atualmente com relação às demonstrações financeiras e o balanço patrimonial. Por fim, vale ressaltar que o Relatório Anual é um instrumento muito usado pelos colaboradores no dia-a-dia da Natura no planejamento das áreas e como referência, por conter dados que não reunidos em nenhum outro documento. Ao mesmo tempo, provoca na empresa um exercício de reflexão sobre os caminhos percorridos pela organização. pag. 22 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 23

14 Empresas que participam do Grupo de Feedback da Global Reporting Initiative: Agilent, dos Estados Unidos BASF, da Alemanha Baxter International, dos Estados Unidos Bayer AG, da Alemanha British American Tobacco, da Inglaterra CWS Powder Coatings, da Alemanha ESAB, da Suécia Ford Motor Company, dos Estados Unidos Gaz de France, da França General Motors Automobiles, dos Estados Unidos Halliburton Energy, dos Estados Unidos Ito Yokado, do Japão Jebsen and Jessen, de Cingapura Kirin Brewing, do Japão Natura, do Brasil Nike, dos Estados Unidos Panasonic, do Japão Procter & Gamble, dos Estados Unidos Renault, da França Rio Tinto, da Inglaterra Shell, da Inglaterra Siam Pulp & Paper, da Tailândia SKF Group, da Suécia Suncor Energy, do Canadá Sydkraft Group, da Suécia Texaco, dos Estados Unidos TotalFinaElf, da França TransAlta, do Canadá TXU Europe, da Inglaterra Vivendi Communications, da França WSP Group, da Inglaterra Para saber mais acesse:

15 clipping

16 Gazeta Mercantil, 21/12/2004, página 7 Folha de S.Paulo, 26/6/2004, página B2 pag. 28 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 29

17 Guia Exame de Boa Cidadania Corporativa 2004, 1/12/2004, páginas pag. 30 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 31

18 Relatório da Gazeta Mercantil Balanço Social, 12/7/2004, página 1 Relatório da Gazeta Mercantil Balanço Social, 12/7/2004, página 3 pag. 32 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 33

19 Gazeta Mercantil, 11/8/2004, página A11 CartaCapital Especial Responsabilidade Social, 28/7/2004, página 18 pag. 34 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 35

20 CartaCapital Especial Responsabilidade Social, 28/7/2004, páginas pag. 36 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 37

21 Revista RI, junho 2005, páginas pag. 38 Prêmio Balanço Social Prêmio Balanço Social pag. 39

22 expediente Coordenação Geral Renata Sbardelini e Flávia Motta, Gerência de Relações Institucionais Coordenação Editorial e Edição Carmen Nascimento, Gerência de Conteúdo Coordenação de Produção Juliana Nappo e Rafaela Dores, Mídias Institucionais Reportagem e Redação Yuri Vasconcelos Projeto Gráfico e Editoração Modernsign Design e Inovação Impresso em papel reciclado.

23

relatórioanua latórioanualn relatórioanualnatu a Natura Cosméticos sempre primou pela ética e transparência relatórioanualnatura

relatórioanua latórioanualn relatórioanualnatu a Natura Cosméticos sempre primou pela ética e transparência relatórioanualnatura relatórioanualnatura relatórioanua relatórioanualnatura latórioanualn relatórioanualnatu Com 35 anos de fundação, a Natura Cosméticos sempre primou pela ética e transparência em seus negócios. Alicerçada

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva

Leia mais

Quem somos. Fabiana Pereira e Solange A. Barreira

Quem somos. Fabiana Pereira e Solange A. Barreira Quem somos Fabiana Pereira e Solange A. Barreira Graduadas em comunicação social, habilitação jornalismo, pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) Especializadas em Responsabilidade

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2003 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

Comunicação diferenciada e relacionamento efetivo. Um novo enfoque de RI para um novo mercado

Comunicação diferenciada e relacionamento efetivo. Um novo enfoque de RI para um novo mercado + Comunicação diferenciada e relacionamento efetivo Um novo enfoque de RI para um novo mercado + Menu Cenário Menu + + Cenário RI hoje: uma operação indiferenciada Comunicação muito limitada com foco quase

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal Discurso 04/12/2003 Dr. Alfredo Setubal Presidente do Conselho de Administração do IBRI - Instituto Brasileiro de Relações com Investidores Boa Noite! Esta cerimônia de final de ano é a minha última à

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Em 2013, a Duratex lançou sua Plataforma 2016, marco zero do planejamento estratégico de sustentabilidade da Companhia. A estratégia baseia-se em três

Leia mais

e das pessoas; conceitos e informações socialmente responsável funcionais e institucionais; estimular o comportamento divulgar aos colaboradores

e das pessoas; conceitos e informações socialmente responsável funcionais e institucionais; estimular o comportamento divulgar aos colaboradores Levar todas as informações decisivas da empresa, de forma rápida e simples; jornalmural divulgar aos colaboradores conceitos e informações funcionais e institucionais; reconhecer o trabalho das áreas e

Leia mais

Responsabilidade Social Empresarial

Responsabilidade Social Empresarial Responsabilidade Social Empresarial Henry Ford: produto e preço - Gestão de Produto e Processo. Jerome McCarty e Philip Kotler: produto, preço, praça (ponto de venda) e promoção. - Gestão de Marketing.

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual

Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Edina Biava Abrasca; Marco Antonio Muzilli IBRACON;

Leia mais

Produto da Divisão Marketing

Produto da Divisão Marketing Marketing para o Terceiro Setor Produto da Divisão Marketing OBJETIVO Dispor ao mercado de entidades relacionadas ao Terceiro Setor, um leque de atividades relacionados ao marketing e comunicação voltados

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria A Íntegra é uma empresa de auditoria e consultoria, com 25 anos de experiência no mercado brasileiro. Cada serviço prestado nos diferentes

Leia mais

PROFILE RESUMIDO LIDERANÇA DAS EQUIPES

PROFILE RESUMIDO LIDERANÇA DAS EQUIPES PROFILE RESUMIDO LIDERANÇA DAS EQUIPES A Prima Consultoria A Prima Consultoria é uma empresa regional de consultoria em gestão, fundamentada no princípio de entregar produtos de valor para empresas, governo

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) procura

Leia mais

Programa de Formação, Fortalecimento e Consolidação

Programa de Formação, Fortalecimento e Consolidação Programa de Formação, Fortalecimento e Consolidação da Cultura de Companhia Aberta 2 0 0 6 Governança Corporativa nas Diversas Instâncias da Companhia 28 e 29 de agosto BOVESPA São Paulo, SP coordenação

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Av. Princesa Diana, 760 34000-000 Nova Lima MG Campus Aloysio Faria Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil Campus BH Rua Bernardo Guimarães, 3.071 Santo Agostinho

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa

Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade Social Corporativa João Paulo Vergueiro jpverg@hotmail.com Stakeholders GOVERNOS ORGANISMOS INTERNACIONAIS FORNECEDORES CONCORRENTES INDÚSTRIA DA COMUNICAÇÃO ACIONISTAS PROPRIETÁRIOS EMPRESA

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Nome Desarrollo de Sistemas de Gobierno y Gestión en Empresas de Propiedad Familiar en el Perú Objetivo Contribuir

Leia mais

Amcham Brasil Projeto Escola Legal 2008. Projeto Piloto

Amcham Brasil Projeto Escola Legal 2008. Projeto Piloto Amcham Brasil Projeto Escola Legal 2008 Projeto Piloto Apresentação Amcham Fundada em 1919, na capital paulista, a Câmara Americana de Comércio é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos,

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental

Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental Sustentabilidade nas instituições financeiras Os novos horizontes da responsabilidade socioambiental O momento certo para incorporar as mudanças A resolução 4.327 do Banco Central dispõe que as instituições

Leia mais

Engajamento com Partes Interessadas

Engajamento com Partes Interessadas Instituto Votorantim Engajamento com Partes Interessadas Eixo temático Comunidade e Sociedade Principal objetivo da prática Apoiar o desenvolvimento de uma estratégia de relacionamento com as partes interessadas,

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

Estratégias Empresariais Geradoras de Valor Durável

Estratégias Empresariais Geradoras de Valor Durável hapiterra.com Curso de Formação em Estratégias Empresariais Geradoras de Valor Durável Como aplicar o pensamento sistêmico na estratégia empresarial? Crescimento e sustentabilidade são compatíveis? Como

Leia mais

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário.

visitas às instituições sociais. Os colaboradores voluntários também foram consultados, por meio da aplicação de um questionário. 1. Apresentação O Voluntariado Empresarial é um dos canais de relacionamento de uma empresa com a comunidade que, por meio da atitude solidária e proativa de empresários e colaboradores, gera benefícios

Leia mais

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança

PLANO SETORIAL DE DANÇA. DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança PLANO SETORIAL DE DANÇA DOCUMENTO BASE: Secretaria de Políticas Culturais - SPC Fundação Nacional de Artes FUNARTE Câmaras Setoriais de Dança MARÇO DE 2009 CAPÍTULO I DO ESTADO FORTALECER A FUNÇÃO DO ESTADO

Leia mais

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor

PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2012 FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Inscrição Prêmio ABF-AFRAS - Categoria Fornecedor Dados da empresa Razão Social: Visa do Brasil Empreendimentos Ltda. Nome Fantasia:

Leia mais

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira.

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 1 PROJETO SETORIAL INTEGRADO BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 2 Introdução O Ministério da Cultura, sugeriu a Fundação

Leia mais

FIPECAFI e CFC renovam convênio de capacitação de profissionais de Contabilidade

FIPECAFI e CFC renovam convênio de capacitação de profissionais de Contabilidade FIPECAFI e CFC renovam convênio de capacitação de profissionais de Contabilidade A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) e o CFC (Conselho Federal de Contabilidade)

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

MBA 2010 - Gestão de Relacionamento com Investidores

MBA 2010 - Gestão de Relacionamento com Investidores MBA 2010 - Gestão de Relacionamento com Investidores Objetivos Qualificação em nível de especialização lato sensu em Relações com Investidores com vistas a preparar os profissionais para atuar em cargos

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC C T E C E N T R O D E T E C N O L O G I A E M P R E S A R I A L C T E C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e g r a n d e p o r t e Na teoria e na vida, FDC AF - 05-006 - CTE02 R.indd 2 7/10/07

Leia mais

BPM Uma abordagem prática para o sucesso em Gestão de Processos

BPM Uma abordagem prática para o sucesso em Gestão de Processos BPM Uma abordagem prática para o sucesso em Gestão de Processos Este curso é ideal para quem está buscando sólidos conhecimentos em como desenvolver com sucesso um projeto de BPM. Maurício Affonso dos

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS do conteúdo dos Indicadores Ethos com outras iniciativas Com a evolução do movimento de responsabilidade social e sustentabilidade, muitas foram as iniciativas desenvolvidas

Leia mais

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6.

Nani de Castro. Sumário. Resumo de Qualificações... 2. Atuação no Mercado... 3. Formação Profissional... 5. Contatos... 6. Sumário Resumo de Qualificações... 2 Atuação no Mercado... 3 Formação Profissional... 5 Contatos... 6 Página 1 de 6 Resumo de Qualificações Consultora responsável pela organização e gestão da RHITSolution,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA Função no Projeto: Contratação de consultoria especializada para desenvolver e implementar estratégias de impacto e sustentabilidade da Campanha Coração Azul no

Leia mais

Informações Integradas

Informações Integradas Informações Integradas IMPLANTAÇÃO DO RELATO INTEGRADO: O CASE DA SANASA REUNIÃO TÉCNICA DE NORMAS INTERNACIONAIS Tatiana Gama Ricci São Paulo, 22 de maio de 2015 Evolução das Informações não financeiras

Leia mais

Ano XI - nº 169- Edição de 29 de setembro de 2010

Ano XI - nº 169- Edição de 29 de setembro de 2010 Ano XI - nº 169- Edição de 29 de setembro de 2010 IBRI tem alteração na Superintendência Após mais de seis anos no IBRI, o Sr. Salim Ali se desligou do cargo de Superintendente rumo a novos desafios em

Leia mais

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil

Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil Certificações ISO 9001 por Setor Econômico no Brasil 9000 8000 8690 7000 6000 5000 4000 3000 4709 3948 2000 1000 29 4 0 Indústria Comércio e Serviços Agropecuária Código Nace Inválido TOTAL Fonte: Comitê

Leia mais

FIPECAFI e IBRI divulgam resultado da 5ª Pesquisa sobre o Perfil e a Área de Relações com Investidores

FIPECAFI e IBRI divulgam resultado da 5ª Pesquisa sobre o Perfil e a Área de Relações com Investidores FIPECAFI e IBRI divulgam resultado da 5ª Pesquisa sobre o Perfil e a Área de Relações com Investidores Os resultados da 5ª Pesquisa sobre o perfil e a área de Relações com Investidores no Brasil divulgado

Leia mais

Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto.

Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto. Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto. Instituto Educacional BM&FBOVESPA e Endeavor: Negócios de Alto Impacto. Com reconhecida experiência, o Instituto Educacional BM&FBOVESPA, a Escola de Negócios

Leia mais

AGENDA DE CURSOS E EVENTOS

AGENDA DE CURSOS E EVENTOS AGENDA DE S E EVENTOS 2015 AGENDA DE S E EVENTOS 2015 CATEGORIAS DE S Introdução à Governança Primeiro passo dentro da Governança Corporativa, os cursos de Introdução à Governança fornecem uma visão de

Leia mais

Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade?

Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade? Meio acadêmico Sustentabilidade Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade? Além do maior foco na cadeia de valor e na materialidade, a quarta geração (G4)

Leia mais

PROJETOS ÁREA COMUNICAÇÃO

PROJETOS ÁREA COMUNICAÇÃO Comunicação Christina Ferraz Musse estratégica Comunicação Social para grupos de economia popular solidária de Juiz de Fora e região (Núcleo de Comunicação Social da INTECOOP/ UFJF) Website da Liga Acadêmica

Leia mais

FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS

FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) abre inscrições para o curso elearning:

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Público-alvo Mantenedores, Reitores, Pró-Reitores, Diretores e demais dirigentes de IES.

Público-alvo Mantenedores, Reitores, Pró-Reitores, Diretores e demais dirigentes de IES. Público-alvo Mantenedores, Reitores, Pró-Reitores, Diretores e demais dirigentes de IES. Descrição O Programa tem como foco capacitar os gestores e executivos líderes das Instituições de Educação Superior,

Leia mais

A história do Balanço Social

A história do Balanço Social C A P Í T U L O 1 A história do Balanço Social D esde o início do século XX registram-se manifestações a favor de ações sociais por parte de empresas. Contudo, foi somente a partir da década de 1960, nos

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

MBA. Controladoria PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Controladoria

MBA. Controladoria PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Controladoria MBA Controladoria Controladoria O MBA Controladoria une a tradição do Ibmec em pesquisas avançadas em Administração, Economia e Finanças com a Controladoria. Com este embasamento, propõe-se desenvolver

Leia mais

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Dezembro/2011 Instrumentos da Política SocioAmbiental Linhas de Instituições Financiamento participantes da pesquisa Participação de

Leia mais

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Anexo V - A Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Breve Histórico A Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do MERCOSUL RECYT, criada em 1992, realizou a sua primeira

Leia mais

Especialização em Gestão de Negócios

Especialização em Gestão de Negócios Especialização em Gestão de Negócios e Projetos Rio de Janeiro Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação

Leia mais

Questionário para Instituidoras

Questionário para Instituidoras Parte 1 - Identificação da Instituidora Base: Quando não houver orientação em contrário, a data-base é 31 de Dezembro, 2007. Dados Gerais Nome da instituidora: CNPJ: Endereço da sede: Cidade: Estado: Site:

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO CANA SUL 2008 RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO Maria Luiza Barbosa Campo Grande, 23 de agosto de 2008 RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL É a forma de gestão que se define pela

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Compliance Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Compliance Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Círculos de Diálogos no Município. Municipalização dos ODM - 2010

Círculos de Diálogos no Município. Municipalização dos ODM - 2010 Círculos de Diálogos no Município Municipalização dos ODM - 2010 Desde 2006, o Movimento Nós Podemos Paraná articula os Círculos de Diálogo que são encontros para incentivar o trabalho voluntário dos três

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013 Instituto Lojas Renner Instituto Lojas Renner Promover a inserção de mulheres no mercado de trabalho por meio de projetos de geração de renda é o objetivo do Instituto Lojas

Leia mais

ELEKEIROZ S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47 Companhia Aberta NIRE 35300323971

ELEKEIROZ S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47 Companhia Aberta NIRE 35300323971 ELEKEIROZ S.A. CNPJ 13.788.120/0001-47 Companhia Aberta NIRE 35300323971 ATA SUMÁRIA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 7 DE FEVEREIRO DE 2014 DATA, HORA E LOCAL: Em 7 de fevereiro de

Leia mais

AIESEC em Ribeirão Preto. Proposta de Parceria

AIESEC em Ribeirão Preto. Proposta de Parceria AIESEC em Ribeirão Preto Proposta de Parceria Apresentação Presente em mais de 110 países, a AIESEC é a plataforma internacional para jovens desenvolverem e explorarem seus potenciais de liderança. Parceira

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

MBA FINANÇAS, COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES COM INVESTIDORES (PARCERIA IBRI)

MBA FINANÇAS, COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES COM INVESTIDORES (PARCERIA IBRI) MBA FINANÇAS, COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES COM INVESTIDORES (PARCERIA IBRI) Apresentação FIPECAFI A Faculdade FIPECAFI é mantida pela Fundação Instituto de Pesquisa Contábeis, Atuariais e Financeiras, criada

Leia mais

MÍDIA KIT C O M U N I C A Ç Ã O I N T E G R A D A CONTEÚDOS INTEGRADOS EM TODOS OS CANAIS DE COMUNICAÇÃO: Redes Sociais

MÍDIA KIT C O M U N I C A Ç Ã O I N T E G R A D A CONTEÚDOS INTEGRADOS EM TODOS OS CANAIS DE COMUNICAÇÃO: Redes Sociais C O M U N I C A Ç Ã O I N T E G R A D A MÍDIA KIT 2015 CONTEÚDOS INTEGRADOS EM TODOS OS CANAIS DE COMUNICAÇÃO: Impresso Web Tablets Smartphones Apps Parceiros Estratégicos Portal da ABF Mailing Exclusivo

Leia mais

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL: ESTUDO DE CASO DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL: ESTUDO DE CASO DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO Colocar foto de autor AVALIAÇÃO DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL: ESTUDO DE CASO DA FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO Autoras: Queiroz, Helena Maria Gomes Coelho, Michelle Queiroz Introdução Objetivo Geral:

Leia mais

Seminário Em Busca da Excelência 2008

Seminário Em Busca da Excelência 2008 Seminário Em Busca da Excelência 2008 IEL/SC - Implementação de sistema de gestão com base nos fundamentos da excelência Natalino Uggioni Maio, 2008 1 IEL em Santa Catarina Integrante da FIESC Federação

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

Fabiana Pereira Solange A. Barreira projetos editoriais B Comunicação

Fabiana Pereira Solange A. Barreira projetos editoriais B Comunicação Fabiana Pereira e Solange A. Barreira são graduadas em comunicação social pela ECA-USP (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo). Acumulam hoje uma experiência de 20 anos como gestoras

Leia mais

Governança Corporativa ao Alcance de Todos

Governança Corporativa ao Alcance de Todos Autor: Charles Holland* Governança Corporativa ao Alcance de Todos Segundo o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa IBGC, governança corporativa são as práticas e os relacionamentos entre acionistas/quotistas,

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Outubro/2011 Temas de Interesse Meio Ambiente Ações Sociais / Projetos Sociais / Programas Sociais Sustentabilidade / Desenvolvimento

Leia mais

O valor da natureza para o desenvolvimento local: uma oportunidade econômica real a ser aproveitada

O valor da natureza para o desenvolvimento local: uma oportunidade econômica real a ser aproveitada O valor da natureza para o desenvolvimento local: uma oportunidade econômica real a ser aproveitada Simpósio Internacional para Formuladores de Políticas Públicas Sediado pela Cidade de Curitiba Curitiba,

Leia mais

Gestão de Departamentos Jurídicos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração

Gestão de Departamentos Jurídicos Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

A Fundação Espaço ECO

A Fundação Espaço ECO www.espacoeco.org Sustentabilidade que se mede A Fundação Espaço ECO (FEE ) é um Centro de Excelência em Educação e Gestão para a sustentabilidade, que mede e avalia a sustentabilidade por meio de metodologias

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

FÓRUM DAS ESTATAIS PELA EDUCAÇÃO Diálogo para a Cidadania e Inclusão

FÓRUM DAS ESTATAIS PELA EDUCAÇÃO Diálogo para a Cidadania e Inclusão FÓRUM DAS ESTATAIS PELA EDUCAÇÃO Diálogo para a Cidadania e Inclusão 1. OBJETIVO DO FÓRUM O Fórum das Estatais pela Educação tem a coordenação geral do Ministro Chefe da Casa Civil, com a coordenação executiva

Leia mais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa Informações gerais Produzido por BSD Brasil. Pode ser reproduzido desde que citada a fonte. Introdução Lançada em novembro de 1999, em versão

Leia mais

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS SOBRE O CURSO O administrador é um profissional com um mercado vasto, pois é um generalista por natureza e pode trabalhar nas mais diversas áreas. O profissional

Leia mais

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais.

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais. Unidade de Projetos de Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais Branding Agosto de 2009 Elaborado em: 3/8/2009 Elaborado por: Apex-Brasil Versão: 09 Pág: 1 / 8 LÍDER DO GRUPO

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL UNITAU - Universidade de Taubaté CBH-PS Comitê de Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul Trabalho realizado

Leia mais

1. Ementa a) Orçamento Pessoal b) Uso do Crédito c) Finanças Comportamentais d) Avaliação de Investimentos. 2. Carga Horária: 20 horas/aula

1. Ementa a) Orçamento Pessoal b) Uso do Crédito c) Finanças Comportamentais d) Avaliação de Investimentos. 2. Carga Horária: 20 horas/aula 2015.2 1. Ementa a) Orçamento Pessoal b) Uso do Crédito c) Finanças Comportamentais d) Avaliação de Investimentos 2. Carga Horária: 20 horas/aula 3. Horário: 13:00 às 18:00 4. Encontros 21/11 (sábado)-

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Dois temas centrais foram selecionados para o debate na conferência de 2012:

APRESENTAÇÃO. Dois temas centrais foram selecionados para o debate na conferência de 2012: Comércio + Sustentável APRESENTAÇÃO A Rio+20, como é chamada a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, vai ser realizada no Rio de Janeiro em junho de 2012. Exatos vinte anos

Leia mais

Porque Educação Executiva Insper

Porque Educação Executiva Insper 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo atual exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR)

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultor para a elaboração e execução do Projeto Conceitual e do Planejamento

Leia mais

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde Inovação, Regulação e Certificação I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde São Paulo 11/04/2012 ABDI Criada pelo Governo Federal em 2004 Objetivo Objetivos Desenvolver ações

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013 SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX Agosto 2013 ESTRATÉGIA EM SUSTENTABILIDADE Visão Uma estratégia de sustentabilidade eficiente deve estar alinhada com o core business da empresa

Leia mais