ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS"

Transcrição

1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS OBRA DE REFORMA DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E PINTURA NA ESCOLA MUNICIPAL MÁRIO VALENTIM DE ANDRADE - MARANGUAPE/CE 1

2 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ENCARGOS, NORMAS PARA EXECUÇÃO DA OBRA DE REFORMA DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E PINTURA DA ESCOLA MUNICIPAL MÁRIO VALENTIM DE ANDRADE, NESTE MUNICÍPIO. 1. OBJETIVO Este Memorial Descritivo/Especificações Técnicas tem por finalidade estabelecer condições técnicas mínimas exigidas para a execução da Obra de Reforma das Instalações Elétricas da Escola Municipal Mário Valentim de Andrade, cujos serviços têm com objetivo adequar seu sistema elétrico as normas vigentes. As partes gráficas dos desenhos juntamente com as indicações deste Memorial Descritivo/Especificações Técnicas, compõem o projeto, não podendo ser considerados separadamente. 2. DESPESAS Todas as despesas referentes aos serviços, mão-de-obra, matérias, leis sociais, licenças, multas, danos ao patrimônio do município ou de terceiros, enfim, taxas de quaisquer natureza: Federais, Estaduais e Municipais, ficarão a cargo do construtor, bem como prêmios de seguros quaisquer. 3. FISCALIZAÇÃO A fiscalização da obra ficará a cargo da Secretaria de Educação, através de técnico legalmente habilitado; A liberação das faturas correspondentes a serviços executados, dependerá sempre da aprovação da fiscalização; 2

3 Possíveis Acréscimos e Descontos de serviços deverão ter prévio conhecimento e aprovo da fiscalização em comum acordo com a administração. Os preços unitários destes serviços serão obtidos na seguinte forma: a) Extraídos do orçamento inicial para itens ali já descriminados; b) A composição de custo, foi encontrada, a titulo de eventuais, despesas legais, administração beneficio e lucro (BDI), ou c) Através de composição de custos em função dos materiais empregados, fixando-se em 30% (trinta por cento) do valor destes materiais, o custo da mão-de-obra, inclusive obrigações sociais, na impossibilidade de se conhecer referido custo por via tradicional. Também neste caso, o (BDI) será de 25% (vinte e cinco por cento) sobre o valor dos materiais e mão-de-obra; c.1) O valor dos materiais referidos na letra c deverá ser comprovado através de Nota Fiscal, cabendo ao CONTRATANTE, a verificação da compatibilidade dos preços nela contidos, com os de mercado. Todos os preços unitários de serviços acrescidos ou suprimidos, não extraído do orçamento inicial, mas compostos conforme as letras b e c acima, deverão ser retroagidos para o mês da apresentação da proposta; Os serviços acrescidos serão pagos pelo valor previamente aprovado, após sua efetiva execução e recebimento pelo CONTRATANTE, enquanto que os suprimidos serão descontados do calor global, quando do fechamento final das verbas do contrato; O julgamento da qualidade dos serviços é da competência exclusiva da fiscalização da obra. 4. SERVIÇOS PRELIMINARES Deverão ser observadas as exigências do CREA-CE, no que diz respeito à colocação de placas indicando os nomes e atribuições dos responsáveis técnicos pela fiscalização da obra e autores dos projetos tendo em vista as exigências de registro no citado conselho. O construtor deverá fornecer ainda uma placa contendo desenhos e dizeres nos padrões estabelecidos pelo governo; Caberá ao construtor o cumprimento das disposições no tocante ao emprego de equipamentos de segurança dos operários e sistemas de proteção das máquinas instaladas no canteiro de Obra. Deverão ser utilizados Capacetes, Cinto de Segurança, Luvas, Máscaras, etc. quando necessário, como elementos de proteção dos operários. As máquinas deverão conter dispositivos de proteção como: Chaves apropriadas, Disjuntores, Fusíveis, etc; Ficará sob responsabilidade do construtor, qualquer Demolição e Reconstrução dos serviços que a fiscalização verifique como imperfeitos quanto à locação. 5. NORMAS 3

4 Aplicou-se ao projeto as normas e recomendações da ABNT, assim como as normas de fornecimento de energia elétrica em tensão primária de distribuição e secundária da Coelce e as recomendações dos fabricantes dos materiais e equipamentos. Em todos os detalhes, notas e observações direcionadas ao sistema de fornecimento de energia elétrica, para atender a demanda necessária, deverão ser obedecidos às normas NB-3, da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), as normas, padrões e decisões técnicas da COELCE (Companhia de Eletricidade do Estado do Ceará) e a Resolução ANEEL 414 de 29/11/2000, sendo estas: ABNT-NB3 NBR /1997 Instalações elétricas de baixa tensão; NBR /1998 Disjuntores de baixa tensão; NORMA - COELCE NT-001/ SUPRIMENTO DE ENERGIA O ramal de ligação será feito do poste da concessionária até a caixa de medição em poste de concreto duplo T 300/9, localizado externamente a unidade e próximo à entrada do prédio. O suprimento de energia elétrica será feito em tensão secundária de distribuição de 380/220V. 7. DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA A escola terá distribuição de energia em baixa tensão em 380/220V. Do quadro de medição sairá o alimentador para o Quadro Geral de Baixa Tensão (QGBT). Neste quadro sairão os alimentadores para os circuitos alimentadores dos quadros QLF-1, QLF-2 E QLF-PSF. E destes, a alimentação para os respectivos circuitos terminais de iluminação, tomadas e equipamentos de uso especiais (ar condicionado, compressor, etc.) QGBT [(3F+N+T) [3#35mm² (EPR-1,0/0,6kV) + 1#35mm² (EPR-1,0/0,6kV) + [T] 1#25mm² (750V)] QLF-1 [(3F+N+T) [3#10mm² (EPR-1,0/0,6kV) + 1#10mm² (EPR-1,0/0,6kV) + [T] 1#10mm² (750V)] QLF-2 [(3F+N+T) [3#25mm² (EPR-1,0/0,6kV) + 1#25mm² (EPR-1,0/0,6kV) + [T] 1#16mm² (750V)] QLF-PSF [(3F+N+T) [3#10mm² (EPR-1,0/0,6kV) + 1#10mm² (EPR-1,0/0,6kV) + [T] 1#10mm² (750V)] QLF-ODONTO [(3F+N+T) [3#6mm² (EPR-1,0/0,6kV) + 1#6mm² (EPR-1,0/0,6kV) + [T] 1#6mm² (750V)] QLF-QUADRA [(3F+N+T) [3#16mm² (EPR-1,0/0,6kV) + 1#16mm² (EPR-1,0/0,6kV) + [T] 1#16mm² (750V)] 4

5 Os eletrodutos de PVC serão rígidos, rosqueáveis, nas bitolas indicadas no projeto, com todos os acessórios próprios (curvas, luvas, braçadeiras, arruelas e buchas, etc.) de fabricação TIGRE, FORTILIT ou equivalente. Os eletrodutos deverão ser instalados com cuidado, de modo a se evitar mossas que reduzam os seus diâmetros. Os eletrodutos instalado na área externa serão de PVC rígido ou PEAD e enterrado a 60cm (mínimo) do nível do piso e serão envolvidos por uma camada de concreto de 10cm de espessura. O PEAD não necessita de camada de concreto. Não se fará emprego de curvas maiores que 90º. Em cada trecho de canalização, entre duas caixas ou entre extremidades e caixas, só poderão, no máximo, ser empregadas duas curvas de 90º. As ligações dos eletrodutos com as caixas de passagem serão feitas com arruelas pelo lado externo e bucha pelo lado interno. Após a instalação dos mesmos, eles devem ser tampados, nas caixas, com papelão umedecido em água ou estopa. Os condutores isolados serão cabos classe 750V ou 0,6/1kV de acordo como indicado no projeto, de fabricação PIRELLI ou equivalente. Para o caso dos cabos de 750V os condutores serão identificados com as cores: Fase - vermelha (tomadas comuns), preto (iluminação) e branca/cinza (tomadas estabilizadas), Neutro - azul, Retorno amarela, Terra - verde ou verde/amarelo. Não será permitida a emenda dos condutores alimentadores dos quadros e nos trechos das eletrocalhas e perfilados, se necessário deverá ser usado caixas de passagem. Quando, devido à distância for imprescindível efetuar emendas, as mesmas serão feitas com conectores apropriados e terão seu isolamento recomposto com fita isolante nº 23, na área interna e nº 23 e 33 na área externa, de fabricação 3M ou similar e se localizarão em caixas de passagem. Os condutores de distribuição, que alimentarão luminárias e tomadas, quando emendados, terão as emendas sempre feitas com conectores apropriados e terão seu isolamento recomposto com fita isolante nº 23, na área interna e nº 23 e 33 na área externa, de fabricação 3M ou similar. É vedada a instalação de fio isolado e de cabo de seção inferior a 2,5mm². Os condutores somente deverão ser enfiados após estar totalmente concluída a rede de eletrodutos e terminados todos os serviços de construção que possam danificar os mesmos. Antes da enfiação, deve-se passar uma bucha de estopa através dos eletrodutos, para se retirar à umidade e outra sujeira qualquer. Todos os circuitos deverão ser identificados com anilhas numeradas no quadro padrão. 8. PROTEÇÃO 5

6 O sistema de proteção das instalações em baixa tensão serão realizados através de disjuntores termomagnéticos monopolares, bipolares e tripolares para instalação abrigada em quadros de distribuição que serão localizados e identificados através de projetos executivos. Não será admitida em nenhum quadro de distribuição a utilização de dois circuitos em apenas um disjuntor de proteção. 9. CAIXAS DE PASSAGEM Todas as caixas de passagem deverão possuir tampa de proteção. Apenas em caixas de passagem serão permitidas emendas de condutores elétricos. Todos os condutores elétricos que sofrerem emendas deverão ser isolados com fita isolantes antichamas. Nos cabos de alimentação dos quadros de distribuição e de barramentos que sofrerem emendas, deverão ser usadas primeiras à fita de alta-fusão e depois a fita antichamas. 10. CONDUTORES ELÉTRICOS Todos os condutores elétricos serão de cobre classe 750V quando embutidos em eletrodutos localizados na parte interna do prédio e de classe 0,6/1kV quando alimentadores, embutidos em eletrodutos localizados na parte externa do prédio, quando instalados em eletrocalhas e quando embutidos no solo. Todos os condutores elétricos deverão ser de bitola igual ou superior as indicadas nos projetos. 11. ATERRAMENTO O sistema de aterramento será realizado através de condutores de cobre, (salvo quando indicado em projeto) hastes de terra cobreada de diâmetro de 5/8 e comprimento de 2,40m, instaladas de forma retangular. As conexões de interligação das hastes de terra aos condutores de cobre deverão ser realizadas através de soldas exotérmicas. Todas as partes metálicas devem ser aterradas (luminárias, reatores, quadros, eletrocalhas, rack,etc.). 12. QUADROS Os quadros serão de embutir, sobrepor (conforme projeto), terão porta com fechadura do tipo YALE para que a operação seja feita apenas por pessoal qualificado. Os quadros serão fabricados de acordo com os Diagramas Unifilares e Quadros de Cargas dos desenhos do projeto. Os disjuntores serão de um dos seguintes fabricantes: ABB, SIEMENS, MERLIN GERIN, KLOCKNER MULLER, LEGRAND, mono, bi e tripolar devem ser termomagnéticos e com capacidade de ruptura mínima de 30kA nos painéis gerais e 10kA nos quadros parciais. 6

7 Deve-se manter uniformidade no fornecimento, ou seja, todos os equipamentos devem ser de um só fabricante. Os condutores instalados no interior dos quadros devem ser agrupados por circuitos e arrumados, de modo a que se evite uma montagem mal acabada. Na distribuição dos circuitos de saída, deve-se, obrigatoriamente, respeitar o balanceamento indicado nos Quadros de Cargas. 13. QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS OBJETIVO Estas especificações técnicas abrangem os requisitos técnicos para projeto, fabricação, ensaio e fornecimento dos quadros elétricos para baixa tensão, classe 1kV. NORMAS RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS NBR Conjunto de manobra e controle de baixa tensão - Especificações. NBR Graus de proteção providos por Invólucros - Especificação. NBR Instalações elétrica de baixa tensão - Procedimento. ANSI C (para os casos não definitivos nas normas acima). CARACTERÍSTICAS DA INSTALAÇÃO. Instalação Abrigada Temperaturas:. Máxima Anual 40º C. Mínima Anual 15º C. Média Anual 30º C. Classificação da Área (NEC) Não classificada. Acesso ao Local Via Rodoviária 7

8 CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS. Tipo de Instalação Quadro para sobrepor / embutido e auto-sustentado. Grau de Proteção IP 44. Estrutura Chapa com bitola mínima 16MSG.. Pintura Cinza claro Musell 6,5.. Barramento Fases, terra, equipotencial e neutro.. Material dos Barramentos Cobre Eletrolítico.Tratamento da chapa: Jateamento com areia, fosfatização, com duas demãos cruzada de tinta anticorrosiva. CARACTERÍSTICAS ELÉTRICAS. Tensão Nominal 380 V e 220 V (ver unifilar). Freqüência Nominal 60 Hz. Número de Fases 03 ou 01 (ver unifilar). Corrente nominal no barramento de fases, neutro e terra Ver diagramas unifilares. Sistema de Aterramento Solidamente Aterrado CARACTERÍSTICAS DOS EQUIPAMENTOS DOS QUADROS Disjuntores de Baixa Tensão construídos em material termoplásticos, com acionamento manual através de alavanca frontal e disparo livre, devem possuir disparador bimetálico para sobrecorrente e disparador magnético e instantâneo para proteção contra curto-circuito e com capacidade de ruptura mínima de 30kA nos painéis gerais e 10kA nos quadros parciais.. Corrente nominal Ver diagramas Unifilares.. Número de Pólos Ver diagramas Unifilares. 8

9 . Referência de Fabricante ABB, SIEMENS, MERLIN GERIN, KLOCKNER MULLER, GE, LEGRAND OU EQUIVALENTE TÉCNICO. Fabricantes dos quadros ABB, SIEMENS, MERLIN GERIN, KLOCKNER MULLER, GE, LEGRAND OU EQUIVALENTE TÉCNICO 14. ILUMINAÇÃO Foram projetadas as seguintes luminárias para a área interna: Luminária de sobrepor para 01 lâmpadas fluorescentes 16W com reator eletrônico de alto fator de potência, REF: FAB: ITAIM OU EQUIVALENTE TÉCNICO Luminária de sobrepor para 02 lâmpadas fluorescentes 32W com reator eletrônico de alto fator de potência, REF: FAB: ITAIM OU EQUIVALENTE TÉCNICO As lâmpadas especificadas têm um baixo consumo de energia e sua troca por outras de potência mais elevada implicaria na necessidade de redimensionamento dos alimentadores, portanto, é vedada a troca do sistema de iluminação projetado por outro de potência ou fluxo luminoso diferentes do especificado. 15. LÂMPADAS Fluorescente 16W/32W Philips, Osram, GE ou equivalente técnico 16. REATORES Fluorescente 32W Eletrônico, FP=0,98 - BIVOLT, DHT <= 20%, Kessler, Philips, Osram ou Helfont ou equivalente técnico 17. TOMADAS Todas as tomadas de uso geral serão do tipo 2P+T universal de 15A instaladas a 0,30m, 1,20m ou 2,00m do piso como indicado em projeto, sobre o forro ou nas caixas de piso. As tomadas da rede estabilizadas serão do tipo 2P+T pino chato, de forma que impeça sua utilização por equipamentos outros que não os de informática. 18. INTERRUPTORES 9

10 Os acionamentos das luminárias internas serão através de interruptores three way, interruptor de uma, duas, três ou duas teclas (bipolares) conforme projeto. 19. CONDUTORES ISOLADOS E NÚS Circuitos Gerais e Alimentadores. Materiais do Condutor Cobre de Têmpera Mole. Tipo de Condutor Cabo, encordoamento Classe 5. Material do Isolante Isolação sólida de cloreto de polivinila com cobertura ou EPR.. Classe de Isolação 0,6/1,0 kv. Norma a ser seguida NBR CIRCUITOS DE DISTRIBUIÇÃO. Material do Condutor Cobre de Têmpera Mole. Tipo Cabo. Material Isolante Isolação sólida de Cloreto de Polivinila. Classe de Isolação 450 / 750V. Norma a ser seguida NBR CONDUTORES NÚS PARA ATERRAMENTO. Material do Condutor Cobre de Têmpera Mole. Tipo do Condutor Cabo. Norma a ser seguida NBR 5349 ABNT 22. CAIXA DE PASSAGEM METÁLICA. Materiais Alumínio, Galvanizada ou PVC. Acessório Tampa corrugada 10

11 . Dimensão 20x20x10cm, 30x30x12cm 40x40x15cm.. Referência de Fabricante WETZEL, CEMAR ou equivalente técnico 23. CAIXA DE PASSAGEM EM ALVENARIA COM TAMPA DE CONCRETO. Dimensões: 60x60x60cm, 40x40x40cm. ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 1. CABO DE BAIXA TENSÃO Normas Aplicáveis: NBR6880 E 7288 Características Técnicas: CLASSE DE TENSÃO 1kV ISOLAMENTO: 0,6/1kV NUMERO DE CONDUTORES: 1 COBERTURA: COMPOSTO DE PVC ISOLAMENTO: COMPOSTO DE EPR TEMPERATURA EM SERVIÇO: 90ºC TEMPERATURA MAX. EM SOBRE CARGA: 130ºC TEMPERATURA MAX. EM CURTO CIRCUITO: 230ºC CONDUTOR: FIOS DE COBRE NÚ TÊMPERA MOLE Os cabos deverão ser Modelo: SINTENAX, EPR Fabricante: PIRELLI, INBRAC, FICAP, BRASFIO OU EQUIVALENTE TÉCNICO Local de Aplicação: ALIMENTAÇÃO DE QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO E TRECHOS EXTERNOS. Descritivo: CORTADOS EM LANCES ÚNICOS, NÃO SENDO ADMITIDO O USO DE LUVAS DE EMENDA. NO PUXAMENTO DOS CABOS, ESPECIAL CUIDADO DEVE SER TOMADA DE FORMA A NÃO OFENDER O ISOLAMENTO OU SUA BLINDAGEM QUANDO EXISTIR. 11

12 TODOS OS ALIMENTADORES DE QUADROS, SEJAM ELES PRINCIPAIS, PARCIAIS, PAINÉIS DE MEDIÇÃO ETC., COMO TAMBÉM QUANDO SUBTERRÂNEOS, SERÃO EXCLUSIVAMENTE DO TIPO DUPLA ISOLAÇÃO 0,6/1,0 kv. NO SISTEMA DE MEDIÇÃO NÃO PODERÁ SER UTILIZADO CABO FLEXÍVEL. AS EMENDAS E DERIVAÇÕES PARA BITOLA ATÉ 6 mm² PODERÃO SER EXECUTADAS DIRETAMENTE ATRAVÉS DA UNIÃO POR TORÇÃO DAS PONTAS DOS CONDUTORES, COM SOLDA POR ESTANHAMENTO, E POSSUIR O SEU ISOLAMENTO RECOMPOSTO ATRAVÉS DE FITA ISOLANTE AUTO-FUSÃO, RECOBERTA POR FITA PLÁSTICA TIPO PVC ANTICHAMA OU SIMPLESMENTE USANDO-SE CONECTORES SCOTCHLOCK. PARA OS CABOS ACIMA DE 6 mm², SÓ SERÁ PERMITIDA A EMENDA E DERIVAÇÃO ATRAVÉS DE TERMINAIS E CONECTORES APROPRIADOS PARA TAL, COM RECOMPOSIÇÃO DO ISOLAMENTO POR FITA DE AUTO-FUSÃO, SOBREPOSTA COM FITA ISOLANTE PLÁSTICA EM PVC ANTICHAMA. OS TERMINAIS E CONECTORES NUNCA PODERÃO SER SOLDADOS À ESTANHO, DEVENDO SER SEMPRE DOS TIPOS À PRESSÃO POR PARAFUSO OU À COMPRESSÃO POR MEIO DE ALICATE HIDRÁULICO, OU MECÂNICO. OS CABOS DOS ALIMENTADORES DOS QUADROS OU EQUIPAMENTOS DEVERÃO SER CORTADOS EM LANCES ÚNICOS, NÃO SENDO ADMITIDO O USO DE QUAISQUER TIPOS DE EMENDA. E VEDADO O USO DE SUBSTANCIAS COMO GRAXAS, OU AROMÁTICAS (CADEIAS DE BENZENO), DERIVADAS DE PETRÓLEO, COMO LUBRIFICANTE, NA ENFIAÇÃO DE QUALQUER FIO OU CABO DA OBRA. CASO NECESSÁRIO UTILIZAR APENAS TALCO INDUSTRIAL. NUNCA EFETUAR A ENFIAÇÃO, ANTES DO RECONHECIMENTO, LIMPEZA E ENXUGAMENTO DA TUBULAÇÃO. 2. INTERRUPTOR DIFERENCIAL Normas Aplicáveis: EM , NFC Características Técnicas: SENSIBILIDADE: 30mA TENSÃO: 400 VAC NÚMERO DE PÓLOS: 2 Modelo: Fabricante: Pial, Merlin Gerin OU EQUIVALENTE TÉCNICO Local de Aplicação: PROTEÇÃO DE CONJUNTO DE CIRCUITOS DE TOMADAS CONTRA CONTATOS INDIRETOS. 3. DISJUNTOR Normas Aplicáveis: NBR 5361/8176 NBR/IEC 947-2/898. Características Técnicas: TIPO: TERMOMAGNÉTICO TENSÃO: 250 VAC 12

13 FIXAÇÃO: TRILHO TEMPERATURA AMBIENTE: 30ºC NÚMERO DE MANOBRAS: CAPACIDADE DE INTERRUPÇÃO: 10kA ou 30kA CURVA DE DISPARO: B Modelo: SISTEMA N Fabricante: ABB, SIEMENS, MERLIN GERIN, KLOCKNER MULLER, LEGRAND OU EQUIVALENTE TÉCNICO Local de Aplicação: PROTEÇÃO DOS DIVERSOS CIRCUITOS TERMINAIS. Descritivo: TODOS OS DISJUNTORES TERÃO NÚMERO DE PÓLOS E CAPACIDADE DE CORRENTE INDICADA NO PROJETO, COM FIXAÇÃO POR ENGATE RÁPIDO. NÃO SERÁ ADMITIDA A SUBSTITUIÇÃO DE QUALQUER DISJUNTOR POR CHAVES SECCIONADORAS, NEM O USO DE DISJUNTORES UNIPOLARES COM GATILHOS ACOPLADOS, INDICADA EM PLANILHA ANEXA. NA LIGAÇÃO DOS DIVERSOS CIRCUITOS, OBSERVAR A ALTERNÂNCIA DE FASES (R, S e T), DE MODO A SE TENTAR UM EQUILÍBRIO DO CARREGAMENTO DOS ALIMENTADORES. ESTE EQUILÍBRIO DEVERÁ SER VERIFICADO APÓS A OCUPAÇÃO DAS SALAS COM O USO DE ALICATES AMPERÍMETROS, E PROVIDENCIADO O SEU REMANEJAMENTO, CASO SE FAÇA NECESSÁRIO. NÃO SERÃO ACEITOS DISJUNTORES PADRÃO NEMA DO TIPO AMERICANO. 4. ELETRODUTO CORRUGADO Normas Aplicáveis: NBR 6150 Características Técnicas: MATERIAL: CONSTRUÇÃO: Modelo: Fabricante: Local de Aplicação: POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE HELICOIDAL KANALEX-KL KANALEX OU PLÁSTICOS PEVESOL OU EQUIVALENTE TÉCNICO REDES DE DUTOS SUBTERRÂNEOS EM ÁREA EXTERNA. Descritivo: NAS SUAS EXTREMIDADES DEVEM SER FEITA ROSCAS PARA FAZER INTERLIGAÇÃO COM OS ACESSÓRIOS (LUVA, CURVA, BUCHA, ARRUELA, ETC.). 5. ELETRODUTO DE PVC Normas Aplicáveis: NBR 6150 Características Técnicas: 13

14 MATERIAL: TIPO: ROSCA: ACESSÓRIOS: Modelo: CLORETO DE POLIVINILA (PVC). RÍGIDO, ROSCÁVEL. EXTERNA NAS DUAS EXTREMIDADES. LUVAS, BUCHAS, ARRUELAS, ABRAÇADEIRAS, etc. PVC ANTI-CHAMA OU EQUIVALENTE Local de Aplicação: REDES DE DUTOS EMBUTIDOS NA PAREDE E SUBTERRÂNEOS EM ÁREA INTERNA E EXTERNA. Descritivo: NAS SUAS EXTREMIDADES QUANDO SERRADAS DEVERÁ SER FEITA A LIMPEZA DA PARTE CORTADA, APÓS SER FEITA ROSCAS PARA FAZER INTERLIGAÇÃO OS SEUS ACESSÓRIOS (LUVA, CURVA, BUCHA, ARRUELA, ETC.). 6. FIOS Normas Aplicáveis: NBR6880 E 7288 Características Técnicas: ISOLAMENTO: 450/750V. NUMERO DE CONDUTORES: 1 COBERTURA: COMPOSTO DE PVC. ISOLAMENTO: COMPOSTO DE PVC anti-chama TEMPERATURA EM SERVIÇO: 70ºC TEMPERATURA MÁXIMA EM SOBRE CARGA: 100ºC TEMPERATURA MÁXIMA EM CURTO CIRCUITO: 160ºC CONDUTOR: FIOS DE COBRE NU TEMPERA MOLE Modelo: PIRASTIC FLEX. Fabricante: PIRELLI, FICAP, INBRAC, BRASFIO OU EQUIVALENTE TÉCNICO Local de Aplicação: ALIMENTAÇÃO DE PONTOS DE ILUMINAÇÃO E TOMADAS EM USO INTERNO. Descritivo: OS FIOS DEVERÃO SER CORTADOS EM LANCES ÚNICOS, NÃO SENDO ADMITIDO O USO DE LUVAS DE EMENDA. NO PUXAMENTO DOS CABOS, ESPECIAL CUIDADO DEVE SER TOMADA DE FORMA A NÃO OFENDER O ISOLAMENTO OU SUA BLINDAGEM QUANDO EXISTIR. AS EMENDAS E DERIVAÇÕES PARA BITOLA ATÉ 6 mm² PODERÃO SER EXECUTADAS DIRETAMENTE ATRAVÉS DA UNIÃO POR TORÇÃO DAS PONTAS DOS CONDUTORES, COM SOLDA POR ESTANHAMENTO, E POSSUIR O SEU ISOLAMENTO RECOMPOSTO ATRAVÉS DE FITA ISOLANTE AUTO-FUSÃO, RECOBERTA POR FITA PLÁSTICA TIPO PVC ANTICHAMA OU SIMPLESMENTE USANDO-SE CONECTORES SCOTCHLOCK. O CONDUTOR NEUTRO SERÁ SEMPRE NA COR AZUL CLARO, O TERRA NA COR VERDE OU VERDE/AMARELO, E FASES NAS CORES VERMELHO (TOMADAS COMUNS), PRETO (ILUMINAÇÃO) E BRANCO (TOMADAS ESTABILIZADAS) E RETORNO NA COR CINZA. E VEDADO O USO DE SUBSTANCIAS COMO GRAXAS, OU AROMÁTICAS (CADEIAS DE BENZENO), DERIVADAS DE PETRÓLEO, COMO LUBRIFICANTE, NA ENFIAÇÃO DE QUALQUER FIO OU CABO DA OBRA. CASO NECESSÁRIO UTILIZAR APENAS TALCO INDUSTRIAL 14

15 NUNCA EFETUAR A ENFIAÇÃO, ANTES DO RECONHECIMENTO, LIMPEZA E ENXUGAMENTO DA TUBULAÇÃO. 7. INTERRUPTORES E TOMADAS Normas Aplicáveis: NBR 6527, 6288, Características Técnicas: MATERIAL: TENSÃO: CONTATOS: COMPONENTES ELÉTRICOS: Modelo: Fabricante: PLÁSTICO AUTO-EXTINGUÍVEL. 250VAC. PRATA. LIGA DE COBRE. SENATOR LINE SIEMENS, PIAL OU EQUIVALENTE TÉCNICO Local de Aplicação: COMANDO DE PONTOS DE LUZ E PONTOS PARA INTERLIGAÇÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS. Descritivo: TODAS AS TOMADAS, SEJAM ELAS DE USO GERAL, OU ESPECIAIS, POSSUIRÃO 03 PÓLOS DO TIPO 2P+T E UNIVERSAL, PARA PERMITIR A INSTALAÇÃO DE PLUG COM PINO DE ATERRAMENTO. DEVERÁ SER UNIFORMIZADA A LIGAÇÃO DE TODOS OS CONDUTORES NOS DIVERSOS ACESSÓRIOS, POR EXEMPLO: AS FASES DAS TOMADAS SERÃO LIGADAS SEMPRE DO LADO DIREITO DA MESMA, COM O NEUTRO NO LADO ESQUERDO, OS INTERRUPTORES ACIONARÃO, SEMPRE NO SENTIDO DA PORTA, ETC. 8. LÂMPADAS FLUORESCENTES CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: POTÊNCIA: 32 W FLUXO LUMINOSO: 2700 LUMENS EFICIÊNCIA: 84 LUMENS/WATT TENSÃO DA LÂMPADA: 135V CORRENTE NA LÂMPADA: 0,26 A ÍNDICE DE REPRODUÇÃO DE CORES (IRC): 85. TEMPERATURA DA COR: 4000ºK. TONALIDADE: 11 LUZ DO DIA. BASE: BIPINO G13. PÓ FLUORESCENTE TRIFÓSFORO. Modelo: MASTER TLDRS 32W-S84-25 Fabricante: OSRAM, PHILLIPS OU EQUIVALENTE TÉCNICO Local de Aplicação: LUMINÁRIAS FLUORESCENTES COMO INDICADO NO PROJETO. 15

16 9. QUADROS DE DISTRIBUIÇÃO EM CHAPA METÁLICA Normas Aplicáveis: NBR 6146 Características Técnicas: MATERIAL: CHAPA 14 USG. PINTURA: EPOXI RAL 702. BARRAMENTO: EM COBRE 3F+N+T. TENSÃO NOMINAL: 60 VCA. GRAU DE PROTEÇÃO: IP41. INSTALAÇÃO: EMBUTIR. PORTA: PRESENTE. ESPELHO INTERNO: PRESENTE. Modelo: Fabricante: USB. SIEMENS, TAUNUS, CEMAR OU EQUIVALENTE TÉCNICO Local de Aplicação: INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO DOS CIRCUITOS ELÉTRICOS. Descritivo: DEVERÃO CONTER PORTA COM TRINCO, QUE MANTENHA OS EQUIPAMENTOS E SEUS ACIONAMENTOS EMBUTIDOS, BARRAMENTO DE TERRA E NEUTRO SEPARADOS, SENDO O DE NEUTRO ISOLADO PARA 0,6 KV. NÃO SERÁ PERMITIDO O AGRUPAMENTO DE CONDUTORES NEUTRO OU DE ATERRAMENTO, COMUMENTE UTILIZADO, EM SUBSTITUIÇÃO AOS BARRAMENTOS. AS CAIXAS DEVERÃO SER PINTADAS COM TINTAS ANTICORROSIVAS, SOBRE ANTI-ÓXIDO. A ABERTURA DE FUROS OU RASGOS PARA PASSAGENS E ELETRODUTOS, CALHAS E/OU PERFILADOS, DEVERÃO SER EXECUTADOS COM EQUIPAMENTOS QUE GARANTAM O PERFEITO ACABAMENTO DO SERVIÇO, DEVENDO SER RIGOROSAMENTE EXECUTADA A RECOMPOSIÇÃO DA PROTEÇÃO CONTRA OXIDAÇÃO, EM QUALIDADE IGUAL OU SUPERIOR À ORIGINAL DO EQUIPAMENTO. AS BARRAS SERÃO PINTADAS COM ESMALTE SINTÉTICO, EM CORES DIFERENCIADAS PARA CADA FASE (VERMELHO, AMARELO E MARROM). TODOS OS PARAFUSOS QUE EVENTUALMENTE POSSAM SERVIR COMO CONDUTORES ELÉTRICOS (FIXAÇÃO DE TERMINAIS ETC.), DEVEM SER BICROMATIZADOS, E USAREM PORCA, ARRUELA LISA, E DE PRESSÃO COM O MESMO ACABAMENTO. NENHUM QUADRO PODERÁ SER EXECUTADO NA OBRA, SEM A APRESENTAÇÃO PRÉVIA DO SEU DIAGRAMA DEFINITIVO E DETALHAMENTO EXECUTIVO, PARA ANÁLISE DA FISCALIZAÇÃO. 10. HASTE DE TERRA E CONEXÃO Tipo: AÇO COBREADO (COPERWELD) 16

17 Dimensões: ø5/8 x 2,40m Conexões: Fabricantes: SOLDAS EXOTÉRMICAS COPERWELD OU CADWELD OU EQUIVALENTE TÉCNICO Local de Aplicação: NA MALHA DE ATERRAMENTO PROJETADA E NOS ATERRAMENTOS DOS QUADROS. 11. CONDUTORES ISOLADOS E NÚS. CONDUTORES ISOLADOS Circuitos Gerais e Alimentadores Materiais do Condutor: COBRE DE TÊMPERA MOLE Tipo de Condutor: CABO, ENCORDOAMENTO CLASSE 2 Material do Isolante: ISOLAÇÃO SÓLIDA DE CLORETO DE POLIVINILA COM COBERTURA Classe de Isolação: 0,6/1,0 kv Norma a ser seguida: NBR 6251 CIRCUITOS DE DISTRIBUIÇÃO Material do Condutor COBRE DE TÊMPERA MOLE Tipo CABO Material Isolante ISOLAÇÃO SÓLIDA DE CLORETO DE POLIVINILA Classe de Isolação 450 / 750V Norma a ser seguida NBR 6148 CONDUTORES NÚS PARA ATERRAMENTO. Material do Condutor Tipo do Condutor Norma a ser seguida COBRE DE TÊMPERA MOLE CABO. NBR 5349 ABNT. 12. REATOR ELETRÔNICO Normas Aplicáveis: NBR , NBR Características Técnicas: Tensão: 380/220V Partida: Instantanea Fator de Potencia: >0,95 Proteções: Sobretensão, curto circuito, Umidade Tipo: Eletronico Modelo: AFP 17

18 Fabricante: KESSLER, OSRAN, PHILIPS, INTRAL OU EQUIVALENTE TÉCNICO Local de Aplicação: Luminárias 13. POSTE De concreto armado, não protendido, de eixo retilíneo, duplo T, resistência nominal de 300(daN) e na altura 9,0 metros. Garantia O poste fornecido deve possuir perspectiva de vida útil de, no mínimo, 35 anos. O prazo mínimo de garantia aceito é de 2 (dois) anos a contar da data de instalação do mesmo. A garantia deve abranger defeitos de projeto, material e fabricação. Durante o período de garantia, todos os custos referentes a reparos, carga, descarga, seguro, frete, etc., eventos estes associados a defeitos apresentados no poste, são de responsabilidade do Contratado. Se necessário, o poste deve ser substituído. 14. FITA DE AÇO INOXIDÁVEL Conforme PM-001 da Coelce: 15. FECHO PARA FITA DE AÇO 18

19 Conforme PM-001 da Coelce: 16. LÂMPADAS A VAPOR MULTI METÁLICO DE ALTA PRESSÃO DE 150W TUBULAR Tipo: tubular; Temperatura de cor: 4.100K; Fluxo luminoso: lm; Eficiência luminosa: 100 lm/w; Índice de reprodução de cor (IRC): maior que 65%; Vida útil: horas; Base: E-40; 17. REATOR PARA LÂMPADA A VAPOR MULTI VAPOR METÁLICO Caixa: em chapa de aço tratado e pintado epóxi cinza; Encapsulamento: impregnado com resina isolante e elevado índice de dissipação térmica; Condutores: cabos de conexão com isolamento em PVC 105 C / 750V, onde para comprimento maior que 150mm, temos: Potência de W seção de 1,5mm2; Potência de W seção de 2,5mm2; Potência de 1.000W e 2.000W seção de 4,0mm2; Instalação: interno em caixas de ligação ou integrados às luminárias; Normas Técnicas: NBR-13593, NBR.IEC-662 e NBR-9114; Tensão de trabalho: 220 volts; Freqüência de rede: 60 Hz; Temperatura: T = 90 C. 18. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS IGNITORES IGNTORES PARA LÂMPADAS A VAPOR DE SÓDIO DE 70W A 150W E A VAPOR DE IODETO METÁLICO DE 70W, 100W E 150W 19

20 Corpo: caneca de polipropileno estabilizado anti-ultravioleta na cor cinza; Encapsulamento: impregnado com resina isolante e elevado índice de dissipação térmica; Condutores: cabos de seção de 1,5mm2, com isolação em PVC 105 C / 750V; Instalação: instalado sempre em local abrigado de água e limalhas, interno às luminárias; Normas Técnicas: NBR-13593, NBR.IEC-662 e NBR-9114; Tensão de trabalho: 198 a 242 volts; Tensão de pulso: 2,8 à 4,5 volts; Freqüência de rede: 50/60 Hz; Resistência de isolamento: maior que 10mega ohms; Temperatura máxima ambiente: T = 45 C; Temperatura máxima do invólucro: T = 85 C; Tempo máximo de reignição: 1 minutos. 19. RELÉS FOTO ELÉTRICOS Sistema de operação: acende e apaga lâmpadas em função do fluxo luminoso ambiente; Sistema construtivo: eletrônico de corrente alternada; Corpo e tampa: em polipropileno estabilizado contra raios UV para suportar intempéries; Acendimento: instantâneo; Pinos de contato: em latão estanhado preso ao corpo por sistema de rebitagem; Contatos da carga: tipo NF acionam a carga à noite e NA acionam a carga durante o dia; Célula fotoelétrica: tipo CDs com encapsulamento blindada de resposta instantânea; carga resistiva) 1.200VA / 127V, 1.800VA / 220V (carga indutiva); Freqüência de rede: 50/60 Hz; Grau de proteção: IP54; 20

21 Ponto de carga: 10 Lux (faixa de 3 a 20 Lux). 20. BASES PARA RELÉS FOTO ELÉTRICOS 10 A / 220V Corpo: polipropuleno injetado na cor cinza, tratado com estabilizadores de alta resistência a raios UV; Tomada: corpo de encaixe conformado em nylon com alto puder isolante e resistência térmica; Contatos de carga: em latão estanhado preso ao corpo por sistema de rebitagem; Fixação ao suporte: porca de polipropileno estabilizado com rosca Gás ½ de ação manual; Condutores: cabos de ligação em conformidade com a ABNT, isolado em PVC, possui pontas decapadas para facilitar a instalação. As cores dos cabos identificam os pontos de ligação; Suporte de fixação: em aço SAE-1010/20 com acabamento galvanizado a fogo, opcionalmente pode ser fornecida com suporte de alumínio, permite a retirada da tomada sem desconectar a cabeça; Corpo: encaixe conformado em nylon com alto puder isolante e resistência térmica; Fixação do anel: parafusos de aço com acabamento bicromado. 21. PINTURA: As superfícies a serem pintada só o serão quando estiverem completamente secas, aprovadas e liberadas pela fiscalização. Não serão aceitas superfícies que apresentarem quaisquer defeitos, tais como: manchas, diferença de textura, tonalidade, etc Deverá ser tomado o cuidado de não pintar as partes metálicas das esquadrias(dobradiças, espelhos, etc.), como também dos aparelhos elétricos As tintas a serem usadas são as seguintes: textura acrílica,hidracor,verniz e Esmalte para esquadrias de madeira e ferro Nas paredes internas e varandas, exceto ode houver azulejo, serão pintadas com tinta textura acríllica e hidracor, de acordo com indicação da fiscalização e mantendo as pinturas originárias. Estas superfícies serão devidamente seladas, emassadas e lixadas de acordo com as recomendações do fabricante. Nos tetos serão usados hidracor branco. Serão dadas tantas demãos quantas forem necessárias até a perfeita cobertura da superfície pintada, no mínimo três 21

22 Nas paredes externas, serão aplicadas textura acrílica e hidracor, com preparação da parede rigorosamente de acordo com as recomendações do fabricante, sendo tantas demãos quantas forem necessárias para a perfeita cobertura da superfície Todas as superfícies em concreto aparente receberão aplicação em silicone As portas em madeira, serão pintadas com esmalte nas cores definidas pela fiscalização da obra Todos os combogós, que serão de cimento, deverão ser emassados e lixados para receber a pintura PVA. 22. RECOMENDAÇÕES TÉCNICAS Todos os materiais a serem utilizados deverão ser novos, de fabricantes reconhecidos e respeitada idoneidade. As planilhas com os quadros de carga e diagramas unifilares da instalação elétrica do prédio, serão fornecidos no início dos serviços. Os eletrodutos são antichama, as emendas devem ser por luvas e curvas rosqueáveis. Deve ser evitado o uso de fogo para emendar ou confeccionar curvas. Os condutores deverão ser antichama e ter isolamento uniforme em toda sua extensão, não se aceitando emendas ou reposição de isolamento por fitas ou outro material. Serão de cobre, têmpera mole, isolados para 1kV, cores para identificar fase (branco ou preto), neutro (azul), retorno (vermelho) e proteção ou terra (verde). 22

A entrada de energia elétrica será executada através de:

A entrada de energia elétrica será executada através de: Florianópolis, 25 de março de 2013. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS O presente memorial tem como principal objetivo complementar as instalações apresentadas nos desenhos/plantas, descrevendo-os nas suas partes

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO.

ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IMPLANTAÇÃO. OBRA: COL. EST. RESIDENCIAL SÃO PEDRO - PROJETO PADRÃO SECULO XXI. LOCAL: - Rua Tucunaré com Rua Pacu e Avenida Astolpho Leão Borges APM-05, Residencial São Pedro Goianira - GO ESPECIFICAÇÃO DE INSTALAÇÕES

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$ ANEXO 2 Planilha Orçamentária Estimativa de Quantitativos e Preços Máximos Global e Unitários LOTE ÚNICO ESPECIFICAÇÃO DO ITEM Qtde. Unitário R$ Total R$ 01 02 03 04 05 CHAVE NIVEL TIPO BOIA,ATUACAO: ALARME

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado da Bahia. Criado e mantido pelos Empresários do Comércio de Bens, Serviços e Turismo

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO Administração Regional no Estado da Bahia. Criado e mantido pelos Empresários do Comércio de Bens, Serviços e Turismo CONVITE N. 44/2012 MEMORIAL DESCRITIVO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA REALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE AJUSTES E CORREÇÕES EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DO SESC COMÉRCIO, PARA INSTALAÇÃO DE MÁQUINAS DE

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TRANSITO DE GOIAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS.

DEPARTAMENTO DE TRANSITO DE GOIAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. MEMORIAL DESCRITIVO DEPARTAMENTO DE TRANSITO DE GOIAS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS. 1 I INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE GOIÁS. 1.0 - DADOS BÁSICOS: 1.1 - Edifício: Prédio

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR

RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR RECOMENDAÇÕES PARA REFORMA DE INSTALAÇÕES ELETRICAS TEATRO SERRADOR Tel.: (021) 2583 6737 Fax.: (021) 2583 6737 Cel.: (021) 9159 4057 dsp@dsp-rj.com.br 1 / 9 Sumário 1 OBJETIVO... 3 2- NORMAS APLICÁVEIS...

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EMPREENDIMENTO COMERCIAL AC GOIANÉSIA/DR/GO 1. GENERALIDADES 1.1 O projeto refere-se às instalações elétricas do empreendimento comercial localizado

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PRAÇA DOS ESPORTES E DA CULTURA MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PROJETO: ELÉTRICO Modelo: 3.000 m2 MAIO 2011 SUMÁRIO 1. GENERALIDADES... 03 2. DOCUMENTOS APLICÁVEIS... 04 3. DESCRIÇÃO DO PROJETO...

Leia mais

Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão

Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão Especificação Quadro Autoportante de Baixa Tensão Descrição: QUADRO AUTO-PORTANTE ATÉ 4000A Local de Aplicação QGBT Modelo Fabricante: Fabricante Alternativo Normas NBR 6808, IEC 60439-1 Aplicáveis Critério

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 1. INTRODUÇÃO O presente memorial refere-se ao projeto de instalações elétricas Espaço Vivencia do IEE- USP, localizado na Av. Prof. Luciano Gualberto, 1289. Cidade

Leia mais

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE022/2015. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA - CAMPUS VITORIA DA CO 1 ALICATE, universal, de 8 polegadas, em aco, cabo com isolacao para 1000 volts e em conformidade com norma ABNT NBR vigente no que diz respeito

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICOS, ESPECIAIS E TELEFONE

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICOS, ESPECIAIS E TELEFONE ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICOS, ESPECIAIS E TELEFONE Contratante: PEFORMANCE Obra: BANGU Local: RUA 405 RIO DE JANEIRO RJ Arquivo: PERFORMANCE 0-ELE-PE-2-DOC-ESPC Emissão

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO COM CUSTO REGRESSIVO E EFICIENTIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO COM CUSTO REGRESSIVO E EFICIENTIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO COM CUSTO REGRESSIVO E EFICIENTIZAÇÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE - MG OUTUBRO DE 2.014 1 OBJETIVO: Especificar os materiais a serem empregados na

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO E MEMORIAL DE CÁLCULO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

ESPECIFICAÇÃO E MEMORIAL DE CÁLCULO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS ESPECIFICAÇÃO E MEMORIAL DE CÁLCULO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS OBRA: C.M.E.I TIA JOVITA LOCAL: RUA PARACATU C/ RUA 4 C/ AVENIDA CRUZEIRO DO SUL - VILA PEDROSO. GOIÂNIA / GO. 1 1.0 - MEMORIAL DESCRITIVO.

Leia mais

CONVITE Nº 016/2012. ANEXO I MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL COM BASE NA DESCRIÇÃO DE ITENS CONSTANTES NESTE ANEXO.

CONVITE Nº 016/2012. ANEXO I MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL COM BASE NA DESCRIÇÃO DE ITENS CONSTANTES NESTE ANEXO. CONVITE Nº 016/2012. ANEXO I MODELO DE CARTA DE APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL COM BASE NA DESCRIÇÃO DE ITENS CONSTANTES NESTE ANEXO. Ao Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Senac - Administração

Leia mais

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade)

R & R Projetos e Instalações Ltda ( MASTER Engenharia em Eletricidade) PROJETO ELÉTRICO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DA BAHIA CEFET - BA MEMORIAL DESCRITIVO Este projeto visa a unificação de medição de média tensão, reforma da subestação II e instalação de alimentadores

Leia mais

1. Considerações Gerais

1. Considerações Gerais Governo do Estado do Ceará Secretaria da Educação Coordenadoria Administrativa Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DA REFORMA ELÉTRICA Unidade de Trabalho: 20ª COORDENADORIA REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO

REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO CAMPUS CAMPO LARGO 1 IDENTIFICAÇÃO Obra: Reforma de Laboratórios e Salas de Aula. Local: Rua Engenheiro Tourinho, 829 Vila Solenen. Campus: Instituto Fed. de Ciência

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO Instalação Nobreak 60 KVA - 380 V PROPRIETÁRIO: Procuradoria Geral de Justiça. 1 MEMORIAL DESCRITIVO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO DADOS DO PROPRIETÁRIO

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRAS 1.1.1 Construção provisória em madeira -

Leia mais

Exemplo de uma planta de distribuição elétrica utilizando parte da simbologia acima.

Exemplo de uma planta de distribuição elétrica utilizando parte da simbologia acima. TOMADA NO PISO PONTO DE FORÇA 2 3 3w 4w INTERRUPTOR DE 1 SEÇÃO INTERRUPTOR DE 2 SEÇÕES INTERRUPTOR DE 3 SEÇÕES INTERRUPTOR THREE-WAY PARALELO INTERRUPTOR FR-WAY INTERMEDIÁRIO ACIONADOR DE CIGARRA CIGARRA

Leia mais

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO ELÉTRICO

ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO ELÉTRICO ANEXO XIII ESPECIFICAÇÕES PROJETO ELÉTRICO 1. GENERALIDADES 1.1 Este memorial tem por objetivo especificar detalhes construtivos para execução do projeto elétrico da Creche Comunitária 24 de Junho na cidade

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL PRESIDENTE VARGAS ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO ELÉTRICO

ESCOLA MUNICIPAL PRESIDENTE VARGAS ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO ELÉTRICO ESCOLA MUNICIPAL PRESIDENTE VARGAS ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROJETO ELÉTRICO SUMÁRIO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS...3 APRESENTAÇÃO...3 DADOS BÁSICOS E NORMAS TÉCNICAS...3 SUPRIMENTO DE ENERGIA...3 ENTREGA

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001

TERMO DE ADJUDICAÇÃO. Item 0001 TERMO DE ADJUDICAÇÃO Às 15:21 horas do dia 17 de dezembro de 2012, o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Palmas, designado pela portaria 027/2012-GAB/SEFIN após analise da documentação do Pregão

Leia mais

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO.

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO. Fornecimento de Energia Elétrica Nos banheiros deverão ser instalados um disjuntor bifásico no quadro de energia existente de cada quadrante conforme projeto. Deste quadro sairá a alimentação para os banheiros.

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS No caso das instalações elétricas existentes nos espaços não comportarem a carga elétrica a ser ligada pelo evento, é necessário que a Contratante apresente os documentos e respeite as condições mínimas

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 07/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Quadro de Distribuição Circuitos Terminais Circuitos Terminais Quadro de Distribuição Quadro de Distribuição

Leia mais

CARTA CONVITE FUnC 02/2014

CARTA CONVITE FUnC 02/2014 CARTA CONVITE FUnC 02/2014 A FUnC encaminha a presente Carta Convite, para se houver interesse, participar do processo de fornecimento do seguinte serviço: ABERTURA DE PROPOSTAS PARA APRESENTAÇÃO DE PREÇOS

Leia mais

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO

CADASTRO TÉCNICO DE FORNECEDORES SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO MATERIAIS PADRONIZADOS APLICADOS EM CÂMARA DE TRANSFORMAÇÃO 15KV - ATENDIMENTO COLETIVO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO CADASTRO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO CD.DT.PDN.03.14.001 03 APROVADO POR MARCELO POLTRONIERI ENGENHARIA E CADASTRO (DEEE) SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.01.000 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 06.01.302 - QUADROS DE FORÇA

ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.01.000 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 06.01.302 - QUADROS DE FORÇA ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS 06.01.000 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 06.01.302 - QUADROS DE FORÇA Tipo: Quadro de medição completo com TC (transformador de corrente) para medição em baixa tensão, compatível com

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA PROCURADORIA GERAL UFF

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA PROCURADORIA GERAL UFF SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE SUPERINTENDÊNCIA DE ARQUITETURA ENGENHARIA PROCURADORIA GERAL UFF MÊS DE REFERÊNCIA JULHO/ 2015 BDI 20% Item Discriminação Unid. Quant. 1 SERVIÇOS

Leia mais

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia

Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Serviços de reforma no alojamento de menores da P. J. de Samambaia Sumário 1.Considerações gerais...1 2.Serviços

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG.. Instalações Elétricas Gerais 02.1. Geral 02.2. Normas 02.3. Escopo de Fornecimento 02.4. Características Elétricas para Iluminação de Uso Geral 02.4.1. Geral 02.4.2. Tensões de Alimentação

Leia mais

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 80,20m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS ENDEREÇO: Rua nº 01 - Loteamento Maria Laura ÁREA TOTAL CASA: 67,50m² 1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 1.1 Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas

Leia mais

ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS - ELÉTRICO

ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS - ELÉTRICO ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS - ELÉTRICO 4.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS Objetivo A presente Discriminação Técnica objetiva fixar as condições de execução das obras de alimentadores elétricos, Instalações

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Elaboração dos projetos elétricos da REFORMA DA SEDE DA CERON PORTO VELHO-RO

MEMORIAL DESCRITIVO. Elaboração dos projetos elétricos da REFORMA DA SEDE DA CERON PORTO VELHO-RO MEMORIAL DESCRITIVO 1 OBJETIVO Elaboração dos projetos elétricos da REFORMA DA SEDE DA CERON PORTO VELHO-RO 2 PROJETO DAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 3 - COMENTÁRIOS GERAIS O presente memorial visa descrever

Leia mais

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS

ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS ANEXO III PLANILHA DE COMPOSIÇÃO DE PREÇOS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FÓRUM DA COMARCA DE SANTOS 1 SERVIÇOS PRELIMINARES 1.1 CANTEIRO DE OBRAS 1.1.1 Construção provisória em madeira -

Leia mais

1. Considerações Gerais

1. Considerações Gerais Governo do Estado do Ceará Secretaria da Educação Básica Coordenadoria Administrativa Financeira Engenharia SEDUC MEMORIAL DESCRITIVO Unidade de Trabalho: CREDE 13-CRATEÚS Obra: REFORMA ELÉTRICA Engenheiro

Leia mais

Planilha de Preços Unitários MÁXIMOS

Planilha de Preços Unitários MÁXIMOS Planilha de Preços Unitários MÁXIMOS E0000-ET-E04-514-003 Original Item LOCAL DOS SERVIÇOS VALORES 1 IMPLANTAÇÃO DO SPDA DE MACAÍBA R$ 203.175,56 2 IMPLANTAÇÃO DO SPDA DE VELHINHO R$ 180.463,77 3 IMPLANTAÇÃO

Leia mais

Tabelas de Dimensionamento

Tabelas de Dimensionamento Com o objetivo de oferecer um instrumento prático para auxiliar no trabalho de projetistas, instaladores e demais envolvidos com a seleção e dimensionamento dos em uma instalação elétrica de baixa tensão,

Leia mais

Memorial Descritivo e Especificação Técnica dos Materiais

Memorial Descritivo e Especificação Técnica dos Materiais FL.: 1/16 REV.: 00 SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA INSTALAÇÃO ELÉTRICA DO AR CONDICIONADO CENTRO DE CULTURA, MEMÓRIA E ESTUDOS DA DIVERSIDADE SEXUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. LOJAS 515 e 518 - METRÔ REPÚBLICA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças 1 de 7 01/12/2014 10:25 PREGÃO ELETRÔNICO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Goiás Pró-Reitoria de Administração e Finanças Pregão Eletrônico Nº 00052/2014(SRP) - Pregão abandonado RESULTADO

Leia mais

(/e75,&$ 00 ANIPS Outubro/ 07 Emissão Inicial. 5HVS7pFQLFR -RVp0iUFLR3LQDGRV6DQWRV. 2EUD6(6,9$/(1d$%$

(/e75,&$ 00 ANIPS Outubro/ 07 Emissão Inicial. 5HVS7pFQLFR -RVp0iUFLR3LQDGRV6DQWRV. 2EUD6(6,9$/(1d$%$ 352-(72(;(&87,92 0(025,$/'(6&5,7,92 (/e75,&$ 2EUD6(6,9$/(1d$%$ &yg'rf$1,36b9$/&2=b0'b9b5 5HVS7pFQLFR -RVp0iUFLR3LQDGRV6DQWRV &5($Qž' 'DWD 5(9 325 '$7$ '(6&5,d 2 00 ANIPS Outubro/ 07 Emissão Inicial 1 ,167$/$d

Leia mais

CAPÍTULO IV: INSTALAÇÕES DE ÁGUA FRIA E E S G O T O S SANITÁRIOS

CAPÍTULO IV: INSTALAÇÕES DE ÁGUA FRIA E E S G O T O S SANITÁRIOS CAPÍTULO IV: INSTALAÇÕES DE ÁGUA FRIA E E S G O T O S SANITÁRIOS 1. MEMORIAL DESCRITIVO a) As instaiaçoes serão executadas em condições totalmente operacionais, sendo que o fornecimento de materiais, equipamentos

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011

PADRÃO TÉCNICO PADRÃO ECONÔMICO PARA ENTRADA DE CLIENTE 18/10/2011 Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 01-18/10/2011 18/10/2011 ELABORAÇÃO Marcelo Poltronieri SUMÁRIO 1. RESUMO... 3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 3 3. OBJETIVO...

Leia mais

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias NOVOS Disjuntores RX 3 A solução ideal para instalações residenciais e terciárias Ambiente Residencial - área úmida Ambiente Residencial Soho - Pequeno Escritório ou Home Office Ambiente Residencial -

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO www.celesc.com.br PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO 1 MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS GERAL DETECEÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO CLIENTE: OBRA: LOCAL: BNDES RETROFIT DESUL AV. JUSCELINO KUBITSCHEK,

Leia mais

Planilha Orçamento - GLOBAL

Planilha Orçamento - GLOBAL 2. SERVIÇOS PRELIMINARES 2. 1. ADMINISTRAÇÃO DA OBRA Planilha Orçamento - GLOBAL 2. 1. 1. DESPESAS COM PESSOAL CONTRAMESTRE 3,00 MS 2.940,96 8.822,88 0,00 0,00 8.822,88 - - 11.028,60 11.028,60 2. 2. MEDICINA

Leia mais

OBRA: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DA INCUBADORA INDUSTRIAL MARCENARIA ; MUNICÍPIO: MATO QUEIMADO - RS. MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

OBRA: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DA INCUBADORA INDUSTRIAL MARCENARIA ; MUNICÍPIO: MATO QUEIMADO - RS. MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO OBRA: INSTALAÇÃO ELÉTRICA DA INCUBADORA INDUSTRIAL MARCENARIA ; MUNICÍPIO: MATO QUEIMADO - RS. MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO 1) OBJETIVO DO PROJETO: O presente memorial tem por objetivo descrever e detalhar

Leia mais

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS

ÁREA TOTAL TERRENO: 325,00m² ÁREA TOTAL CASA: 48,00m² ÁREA DE INFILTRAÇÃO: 65,00m² ITEM ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS 1 1.1 INSTALAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA Abrigo provisório de madeira executada na obra para alojamento e depósitos de materiais e ferramentas 01520.8.1.1 m² 7,50 1.2 Ligação provisória de água para a obra

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO

MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO MEMORIAL DESCRITIVO ENTRADA DE ENERGIA EM ALTA TENSÃO Responsável Técnico: Proprietário / Responsável Legal: Marcos Antônio de Sordi Instituto Federal de Ciência e Eng.º Eletricista CREA PR-73895/D Tecnologia

Leia mais

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Características Construtivas 1) Para Fio Inbranil Antichama: condutor sólido de cobre eletrolítico nu, têmpera mole, classe 1. Para Cabo Inbranil Antichama: condutor

Leia mais

SERVIÇOS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM BAIXA TENSÃO. Cliente: Prefeitura Municipal de Sinop/MT

SERVIÇOS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM BAIXA TENSÃO. Cliente: Prefeitura Municipal de Sinop/MT PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM BAIXA TENSÃO Cliente: Prefeitura Municipal de Sinop/MT Endereço: Restaurante Popular Av. das Embaúbas - Centro Sinop - MT Memorial Descritivo_Restaurante Popular Sinop

Leia mais

Cliente: Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Planilha Detalhada de Materiais

Cliente: Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Planilha Detalhada de Materiais Resumo 24,80 Descrição 1,0 Iluminação 2,0 Iluminação Externa 3,0 Tomadas Comuns 4,0 Ar Condicionado 5,0 Tomadas de Informática 6,0 Alimentadores Total sem Iluminação Descrição Interruptores Interruptor

Leia mais

1 de 19 03/05/2013 09:42

1 de 19 03/05/2013 09:42 1 de 19 03/05/2013 09:42 Pregão Eletrônico MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO E ORÇAMENTO Instituto Federal de Educação, Ciencia e Tecnologia Catarinense Campus Araquari

Leia mais

ANEXO IV FPTI FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU PLANILHA DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA MANUTENÇÃO ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Proposta Registro de Preço

ANEXO IV FPTI FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU PLANILHA DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA MANUTENÇÃO ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Proposta Registro de Preço ANEXO IV FPTI FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU PLANILHA DE MATERIAIS E SERVIÇOS PARA MANUTENÇÃO ELÉTRICA EM BAIXA TENSÃO Proposta Registro de Preço ITEM DESCRIÇÃO UNID QTDE VALOR VALOR MÃO VALOR MÁXIMO

Leia mais

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição DICAS Instalações elétricas residenciais 8ª Edição DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA EM TENSÃO SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA PROPRIEDADE SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.14.009 SECUNDÁRIA EDIFICAÇÕES COLETIVAS COM SUBESTAÇÃO INSTALADA NO INTERIOR DA 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

8-Pregão Eletrônico n 134/2014 Fios e cabos validade da Ata 17/08/2015. Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00134/2014 (SRP)

8-Pregão Eletrônico n 134/2014 Fios e cabos validade da Ata 17/08/2015. Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00134/2014 (SRP) 8-Pregão Eletrônico n 134/2014 Fios e cabos validade da Ata 17/08/2015 Ata de Realização do Pregão Eletrônico Nº 00134/2014 (SRP) Às 09:30 horas do dia 30 de junho de 2014, reuniram-se o Pregoeiro Oficial

Leia mais

POSTE DE CONCRETO PARA APLICAÇÃO EM ENTRADAS DE SERVIÇO

POSTE DE CONCRETO PARA APLICAÇÃO EM ENTRADAS DE SERVIÇO Exigências Mínimas 1 Objetivo Estabelecer as condições mínimas para construção de postes de concreto armado ou concreto protendido, destinados à utilização em entradas de serviço de unidades consumidoras,

Leia mais

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO

NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NORMA DE DISTRIBUIÇÃO UNIFICADA NDU-010 PADRÕES E ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS DA DISTRIBUIÇÃO NDU-010 VERSÃO 3.1 JUNHO/2013 SUMÁRIO Item Descrição Classe Desenho 1. Haste de Aço-Cobre para Aterramento...

Leia mais

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS:

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410 relativos à escolha

Leia mais

Mini Aquecedor série SEC 016 8W, 10W, 13W

Mini Aquecedor série SEC 016 8W, 10W, 13W Mini Aquecedor série SEC 016 8W, 10W, 13W Limitador de temperatura Ampla faixa de alimentação Aquecimento dinâmico Economia de energia elétrica Compacto Aquecedor para aplicação em invólucros de pequeno

Leia mais

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA DE ORÇAMENTO UNIDADE: Embrapa Algodão Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- Embrapa Coordenadoria de Engenharia e Arquitetura-CEN/DRM OBRA: AMPLIAÇÃO DOS

Leia mais

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com

Responsavel Técnico: Kadner Pequeno Feitosa CREA 1600584594 Email-ativaprojetoseletricos@gmail.com Projeto Elétrico Padrão de Medição, fornecimento de energia em tensão primária 13.8kV, a partir da rede aérea de distribuição para atender Defensoria Pública do Estado da Paraíba. Responsavel Técnico:

Leia mais

CONDUTORES ELÉTRICOS

CONDUTORES ELÉTRICOS CONDUTORES ELÉTRICOS R = ρ l S ( Ω) Produto metálico, geralmente de forma cilíndrica, utilizada para transportar energia elétrica ou transmitir sinais elétricos. ρ cobre = 1,72 10-8 Ωm ρ alum = 2,80 10-8

Leia mais

ANEXO XIII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REDES ELÉTRICAS

ANEXO XIII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REDES ELÉTRICAS ANEXO XIII - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS REDES ELÉTRICAS OBRA: Escola Municipal Marcírio Goulart Loureiro LOCAL: Porto Alegre - (RS) ENDEREÇO: Rua Volta da Cobra, s/n PROPRIETÁRIO: Secretaria Municipal de

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires

Estado do Rio Grande do Sul Municipio de Venâncio Aires MEMORIAL DESCRITIVO Obra: OBRAS CIVIS, REFORMA E INSTALAÇÕES - PMAT PAVIMENTO TÉRREO E SUPERIOR DA PREFEITURA MUNICIPAL Local: Rua Osvaldo Aranha-nº 634 Venâncio Aires EXECUÇÃO E SERVIÇOS A execução dos

Leia mais

PLANILHA DE MATERIAIS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES FL. 01/09

PLANILHA DE MATERIAIS E SERVIÇOS COMPLEMENTARES FL. 01/09 FL. 01/09 REGIÃO I Material M.O. 1 Mola Dorma p/ piso para porta Blindex sem furo pç 3 540,00 96,00 636,00 1.908,00 2 Mola Dorma p/ piso para porta Blindex com furo pç 3 540,00 100,00 640,00 1.920,00 3

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA CRBio1

CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA CRBio1 Página 1 de 8.. MEMORIAL DESCRITIVO 1. DADOS BÁSICOS: NOME: PROJETO ELÉTRICO LOCAL: CONSELHO REGIONAL DE BIOLOGIA (CRBio1) MUNICIPIO: CAMPO GRANDE MS 2. PRELIMINARES: Para execução de todos os projetos

Leia mais

ANEXO VII PREÇOS ORIENTATIVOS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 003/2010

ANEXO VII PREÇOS ORIENTATIVOS EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 003/2010 EDITAL DE CONCORRÊNCIA Nº. 003/2010 Valor estimado para licitação. 1. A quantidade estimada para a contratação dos serviços objeto deste projeto, pelo período de 12 (doze) meses, é de US: 1392 ( um mil

Leia mais

ANEXO I - B MEMORIAL DESCRITIVO DE SERVIÇOS E MATERIAIS

ANEXO I - B MEMORIAL DESCRITIVO DE SERVIÇOS E MATERIAIS ANEXO I - B MEMORIAL DESCRITIVO DE SERVIÇOS E MATERIAIS Objetivo Página 1 de 6 O presente documento destina-se à execução de reformas necessárias a instalação dos No-Breaks com banco de baterias, a serem

Leia mais

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08

Finalidade... : ILUMINAÇÃO PÚBLICA PRAÇA JOÃO PESSOA Nº08 MEMORIAL DESCRITIVO 1. INTRODUÇÃO: O presente memorial tem por objetivo possibilitar uma visão global do projeto elétrico e da implantação da rede de distribuição em Baixa Tensão e iluminação pública do

Leia mais

ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS - ELÉTRICA

ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS - ELÉTRICA ANEXO XII ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS - ELÉTRICA 4.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS OBJETIVO A presente Discriminação Técnica objetiva fixar as condições de execução das obras de alimentadores elétricos, Instalações

Leia mais

Planilha Orçamentária proposta pela "Irmandade Santa Casa de Misericórdia D. Zilda Salvagni"

Planilha Orçamentária proposta pela Irmandade Santa Casa de Misericórdia D. Zilda Salvagni Planilha Orçamentária proposta pela "Irmandade Santa Casa de Misericórdia D. Zilda Salvagni" Processo: 0369323-92/2011 - MINISTÉRIO DA SAÚDE Data do orçamento: 19/062013 Micípio: Taquaritinga/SP Mês do

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 4 Parte 2 Condutores elétricos: 1. semestre de 2011 Abraham Ortega Número de condutores isolados no interior de um eletroduto Eletroduto é um elemento de linha elétrica fechada,

Leia mais

SAN.T.IN.NT 31. Os barramentos instalados em subestações e/ou cubículos deverão ser pintados em toda sua extensão, exceto nos pontos de conexão.

SAN.T.IN.NT 31. Os barramentos instalados em subestações e/ou cubículos deverão ser pintados em toda sua extensão, exceto nos pontos de conexão. 1 / 7 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. CONCEITOS BÁSICOS 4. PROCEDIMENTOS 5. REFERÊNCIAS 6. ANEXOS 1. FINALIDADE Esta norma tem como finalidade regulamentar os princípios básicos e procedimentos

Leia mais

M E M O R I A L D E S C R I T I V O

M E M O R I A L D E S C R I T I V O M E M O R I A L D E S C R I T I V O I N S T A L A Ç Õ E S E L É T R I C A S CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SERGIPE-COREN ENDEREÇO : RUA DR. LEONARDO LEITE, S/N, ESQUINA COM DUQUE DE CAXIAS, BAIRRO

Leia mais

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS 1 MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS A presente especificação destina-se a estabelecer as diretrizes básicas e definir características técnicas a serem observadas para execução das instalações da

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL DESCRITIVO DO PROJETO EXECUTIVO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PRÉDIO DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ (DPPR) Rua Cruz Machado, nº 58 Curitiba PR ÍNDICE 1. Objetivo... 4 1.1 Responsável Técnico...4

Leia mais

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea ITEM DESCRIÇÃO QUANT. 1.00 REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.1 Cabo de alumínio com alma de aço (CAA), seção 4/0, diâmetro externo

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA QUADRA POLIESPORTIVA COBERTA COM

Leia mais

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária

Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária Nº: 2.0 ARQUITETURA E URBANISMO 2.1.1 2.1.1.1 DEMOLIÇÃO, RETIRADAS E REMOÇÕES 2.1.1.1.1 REMOÇÃO DE TELHAS EXISTENTES 2.1.1.1.1.1 REMOÇÃO DE TELHAS 161333 ICC - Salvador - Mão de Obra 53 2.1.1.1.2 REMOÇÃO

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANGELO RS TIC Tecnologia da Informação e Comunicações Departamento de Processamento de Dados

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ANGELO RS TIC Tecnologia da Informação e Comunicações Departamento de Processamento de Dados PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTO ÂNGELO ANEXO-I Especificação técnica mínimas dos equipamentos e serviços a serem realizados Projeto EDUCAR José Fioravante Schneider 09/09/2014 Página 1 de 17 ÍNDICE D DISTRIBUIÇÃO

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO ESCOLA MUNICIPAL JOÃO DA COSTA VIANA FOZ DO IGUAÇU JUN/07 2 Responsável Técnico Paulo Roberto Bianchi Engenheiro Eletricista CREA-RJ 27719/D..

Leia mais

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas

Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Pág. 1 Memorial de Projeto: Instalações Hidráulicas Cliente: Unidade: Assunto: Banco de Brasília - BRB Agência SHS Novas Instalações Código do Projeto: 1641-11 Pág. 2 Índice 1. Memorial Descritivo da Obra...3

Leia mais

ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA. Planilha Orçamentária

ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA. Planilha Orçamentária ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- Embrapa Coordenadoria de Engenharia e Arquitetura-CEN/DRM PLANILHA DE ORÇAMENTO UNIDADE: Embrapa Algodão OBRA: REFORMA DO LABORATÓRIO

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO QUADRA DE ESPORTES A:

MEMORIAL DESCRITIVO QUADRA DE ESPORTES A: DISPOSIÇÕES GERAIS O presente caderno tem por objetivo estabelecer as normas e encargos que presidirão o desenvolvimento da construção de um Quadra de Esportes em terreno de propriedade do Município de

Leia mais

Canoas, 20 de julho de 2010.

Canoas, 20 de julho de 2010. PROJETO DE SUBESTAÇÃO TRANSFORMADORA ABRIGADA DE 112,5 KVA COM RAMAL DE ENTRADA SUBTERRÂNEO E MEDIÇÃO INDIRETA EM FORNECIMENTO DE TENSÃO PRIMÁRIA DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA. LOTEAMENTO CAPRI RUA DR.

Leia mais