Regulamento Quadro de Valor

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento Quadro de Valor"

Transcrição

1 Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil Regulamento Quadro de Valor Ano Letivo 2015/16

2 Regulamento do Quadro de Valor Preâmbulo A escola, enquanto agente dinamizador de inovação social e cultural, deve garantir o desenvolvimento pleno e harmonioso da personalidade do indivíduo e criar condições de promoção do sucesso escolar e educativo, valorizando a dimensão humana do trabalho escolar, reconhecendo os alunos que se distinguem pelo seu valor, demonstrado na superação de dificuldades ou no serviço aos outros e pela excelência do seu trabalho. As atividades do sistema pedagógico-didático muito se enriquecem se for criado e introduzido um mecanismo adequado de promoção escolar que não só estimule o aluno para a realização do trabalho escolar, individual ou coletivo, como também lhe reconheça, valorize e premeie as aptidões e atitudes reveladas ao nível cultural, pessoal e social. Assim, o Núcleo de Projetos de Desenvolvimento Educativo e Clubes Pedagógicos, com o intuito de cumprir esta finalidade e premiar o empenho dos alunos que participam ativamente e de forma meritória nas atividades dos vários projetos e clubes, contribuindo de forma muito enriquecedora para a vida do Agrupamento, decidiu criar um Quadro de Valor que distinga e dê a conhecer à restante comunidade educativa o empenho destes alunos. Capítulo I Finalidade Artigo 1º - Âmbito e Natureza O Quadro de Valor é organizado por anos letivos e destina-se a reconhecer aptidões e atitudes dos alunos ou grupos de alunos do 1º, 2º e 3º ciclos do Ensino Básico e do Ensino Secundário, envolvidos em projetos e clubes, que tenham evidenciado valor nos domínios cultural, pessoal, social. 2

3 Capítulo II Organização do Quadro Artigo 2º - Critérios Constituem critérios os seguintes pontos: I - comportamento considerado Muito Bom/Excelente pelos professores/ coordenadores ou equipas de cada clube/ projeto ou Oficina, sem qualquer registo no decurso do ano letivo em causa, de comportamento incorreto em qualquer espaço escolar; II - bom relacionamento com os diversos elementos da comunidade escolar; III - pontualidade e empenho; IV - respeito pelos bens e serviços ao seu dispor; V assiduidade (registar pelo menos uma assiduidade de 90%); VI os coordenadores, no caso dos clubes e projetos que não têm alunos inscritos, podem propor alunos que participem em grande parte das atividades desse clube/projeto e obedeçam aos critérios acima referidos. Os discentes devem apresentar, características excepcionais de: a- Companheirismo e Bem Comum - Premiar a capacidade de aprender e trabalhar de modo colaborativo com pessoas de diferentes, num clima de mútuo respeito e diálogo aberto; b- Criatividade Artística - Premiar a criatividade, demonstrando originalidade e inventividade no seu trabalho; c- Mérito Desportivo - Premiar a dinamização e participação empenhada na prática desportiva no âmbito do Desporto Escolar/Desporto Federado. O aluno será proposto para esta categoria se: - estiver inscrito e ser assíduo num núcleo de Desporto Escolar/Desporto Federado; - estiver classificado nos três primeiros lugares a nível distrital, regional ou nacional de uma das provas individuais; 3

4 - ou classificado em primeiro lugar numa modalidade coletiva do campeonato do Desporto Escolar/Desporto Federado; - apresentar uma participação frequente com resultados relevantes nas atividades desportivas realizadas no Agrupamento; - apresentar um comportamento exemplar e fair-play que se destaque a nível das atividades e valores. d- Participação e Iniciativa - Premiar a consciência e exercício dos direitos e deveres pela participação ou realização de, entre outras, atividades promotoras dos direitos cívicos, dos modos saudáveis de vida e da consciência ambiental; e- Desenvolvimento das Literacias Premiar a participação criativa em projetos ligados às literacias, demonstrando originalidade e inventividade no seu trabalho. f- Mérito Científico e Tecnológico - Premiar a colaboração e participação exemplar em extra curriculares no domínio das ciências tecnologia e inovação; premiar a participação relevante em concursos promovidos por entidades internas e externas à escola. Artigo 3º - Proponentes A iniciativa das propostas de candidatura, no que diz respeito ao Quadro de Valor, pertence a qualquer elemento ou grupo de elementos da comunidade escolar que dinamize atividades no âmbito de projetos ou clubes. Artigo 4º - Prazos de Propostas A apresentação das propostas ao Quadro de Valor será feita no final de cada ano letivo em reunião de plenário do Núcleo de Projetos de Desenvolvimento Educativo e Clubes Pedagógicos, e apresentadas para aprovação ao Conselho Pedagógico. Artigo 5º - Procedimento Processual Da proposta deve constar: a- a pessoa ou entidade proponente; b- a identificação do aluno(s) ou grupo(s) de alunos, com nome, ano e turma; c- a fundamentação que determinou a proposta. Artigo 6º - Divulgação do Quadro de Valor 4

5 A divulgação deverá ser feita em lugares próprios e visíveis na Escola Sede e/ou na página eletrónica do Agrupamento de Escolas. Artigo 7º - Direitos do Aluno Premiado Reserva-se o direito ao Aluno e/ou respectivo Encarregado de Educação de não constar nos Quadros de Valor e/ou de não aceitar o prémio. Artigo 8º - Disposições Finais O presente Regulamento será revisto pelo Conselho Pedagógico sempre que necessário e qualquer situação omissa neste Regulamento será decidida pelo mesmo órgão. Revisto e aprovado a 23 de setembro de 2015 A Coordenadora do Núcleo de Projetos de Desenvolvimento Educativo e Clubes Pedagógicos (Cristina Sofia Alves) 5

Regulamento do Quadro de Mérito

Regulamento do Quadro de Mérito Regulamento do Quadro de Mérito Preâmbulo De acordo com o artigo 51º A da Lei 39/2010 de 2 de Setembro, o Quadro de Mérito do Agrupamento Vertical de Escolas Professor Ruy Luís Gomes visa reconhecer, valorizar

Leia mais

MÉRITO ESCOLAR: QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA. Regulamento

MÉRITO ESCOLAR: QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA. Regulamento MÉRITO ESCOLAR: QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA Regulamento A Escola, enquanto espaço de vivência democrática e agente dinamizador de inovação social e cultural, deve garantir o desenvolvimento pleno e harmonioso

Leia mais

Regimento Interno. dos quadros de valor e de excelência

Regimento Interno. dos quadros de valor e de excelência Regimento Interno dos quadros de valor e de excelência Índice ARTIGO 1.º... 2 ENQUADRAMENTO... 2 ARTIGO 2.º... 2 ÂMBITO E NATUREZA... 2 ARTIGO 3.º... 2 ESPECIFICIDADE... 2 ARTIGO 4.º... 3 CRITÉRIOS DE

Leia mais

REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA

REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA NOV 2012 Preâmbulo 1 Nos termos do despacho normativo 102/90 de 12/09, a Lei de Bases do Sistema Educativo pretende garantir o desenvolvimento pleno e harmonioso

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Alvalade

Agrupamento de Escolas de Alvalade REGULAMENTO DE QUADROS DE MÉRITO E DE EXCELÊNCIA PREÂMBULO O presente Regulamento visa a consecução do disposto no art.º 7.º da Lei n.º 51/2012, de 5 de Setembro Estatuto do Aluno e Ética Escolar, que

Leia mais

Regulamento - Quadro de Honra e Prémio de Mérito

Regulamento - Quadro de Honra e Prémio de Mérito Regulamento - Quadro de Honra e Prémio de Mérito Regulamento do Quadro de Honra e do Prémio de Mérito Artigo 1.º Objeto O Quadro de Honra e o Prémio de Mérito destinam-se a tornar visível o reconhecimento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JÚLIO BRANDÃO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JÚLIO BRANDÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JÚLIO BRANDÃO REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA INTRODUÇÃO O Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência do Agrupamento de Escolas Júlio Brandão rege-se pelo Despacho

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÉMIO DE MÉRITO

REGULAMENTO DO PRÉMIO DE MÉRITO Agrupamento de Escolas da Maia REGULAMENTO DO PRÉMIO DE MÉRITO 2013/2014 Índice 1. Enquadramento... 1 2. Objetivos... 2 3. Disposições gerais... 2 3.1. Âmbito... 2 3.2. Intervenientes... 2 3.3. Divulgação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. SANCHO I. Regulamento dos Quadros de Excelência, Honra e Mérito

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. SANCHO I. Regulamento dos Quadros de Excelência, Honra e Mérito AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. SANCHO I Regulamento dos Quadros de Excelência, Honra e Mérito ARTIGO 1º ÂMBITO E NATUREZA Os Quadros de Excelência, Honra e Mérito destinam-se a reconhecer as competências/ capacidades

Leia mais

QUADROS DE MÉRITO ACADÉMICO, DE VALOR E DE EXCELÊNCIA

QUADROS DE MÉRITO ACADÉMICO, DE VALOR E DE EXCELÊNCIA QUADROS DE MÉRITO ACADÉMICO, DE VALOR E DE EXCELÊNCIA PREÂMBULO O reconhecimento do percurso escolar dos alunos é consubstanciado no Agrupamento de Escolas de Fernando Pessoa pela criação dos Quadros de

Leia mais

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO INTRODUÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS JOÃO DA SILVA CORREIA REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO INTRODUÇÃO O presente Regulamento dos Quadros de Mérito e de Excelência do Agrupamento de Escolas João da

Leia mais

Agrupamento de Escolas Ruy Belo 2014/2015

Agrupamento de Escolas Ruy Belo 2014/2015 1 Os Quadros de Valor e de Excelência (QVE) visam evidenciar as aptidões e atitudes dos alunos dos 1.º, 2.º e 3.º ciclos do ensino básico que tenham revelado, ao longo do ano letivo, excelência nos domínios

Leia mais

REGULAMENTO DO QUADRO DE MÉRITO

REGULAMENTO DO QUADRO DE MÉRITO Escola-Sede: Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro CÓDIGO: 170239 REGULAMENTO DO QUADRO DE MÉRITO (Integra a 1ª revisão do Regulamento Interno aprovada em reunião do Conselho Geral de 12 de novembro

Leia mais

REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR, DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO

REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR, DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO 2015 REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR, DE EXCELÊNCIA E DE MÉRITO Conselho Pedagógico - Maio de 2015 Rua Padre Benjamim Salgado - 4760 Vila Nova de Famalicão Telef: 252501390 Fax: 252501399 Email: ce@esec-ccb-vnf.rcts.pt

Leia mais

Regulamento. Prémios de Mérito

Regulamento. Prémios de Mérito Regulamento Prémios de Mérito Aprovado em Conselho geral de 30 de abril de 2013 Índice Preâmbulo... 2 Capítulo I - Quadro de Valor... 2 Artigo 1º Noção e requisitos... 2 Artigo 2º - Condições de atribuição...

Leia mais

REGULAMENTO ESCOLA BRILHANTE -MÉRITO ESCOLAR-

REGULAMENTO ESCOLA BRILHANTE -MÉRITO ESCOLAR- DGEstE - Direção-Geral de Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços Região Alentejo Agrupamento de Escolas de Moura código n.º 135471 Escola Básica nº 1 de Moura (EB23) código n.º 342294 REGULAMENTO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIANA DO ALENTEJO QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIANA DO ALENTEJO QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIANA DO ALENTEJO QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA PREÂMBULO De acordo com o Despacho Normativo nº102/90 de 3 de Agosto, os Quadros de Valor e Excelência destinam-se a tornar patente

Leia mais

Quadros de Valor, Mérito e Excelência. Regulamento

Quadros de Valor, Mérito e Excelência. Regulamento Quadros de Valor, Mérito e Excelência Regulamento Os quadros de valor e de Excelência são criados no âmbito do Agrupamento de Escolas de Campo Maior, como incentivo ao sucesso escolar e educativo, visando

Leia mais

ESCOLA S/3 DE CARVALHOS Quadros de Excelência, Honra, Valor e o Prémio Querer é Vencer. Introdução

ESCOLA S/3 DE CARVALHOS Quadros de Excelência, Honra, Valor e o Prémio Querer é Vencer. Introdução REGULAMENTO QUADRO DE EXCELÊNCIA, QUADRO DE HONRA, QUADRO DE VALOR E PRÉMIO QUERER É VENCER Introdução A Escola Secundária com 3º Ciclo de Carvalhos pretende contribuir para o desenvolvimento pleno e harmonioso

Leia mais

Regulamento dos Quadros de Valor, Mérito e Excelência

Regulamento dos Quadros de Valor, Mérito e Excelência Regulamento dos Quadros de Valor, Mérito e Excelência Os Quadros de Valor, de Mérito e Excelência destinam-se a tornar patente o reconhecimento de aptidões e atitudes dos alunos ou de grupos de alunos

Leia mais

Regulamento do Quadro de Excelência Valor e Mérito criado no ano letivo de

Regulamento do Quadro de Excelência Valor e Mérito criado no ano letivo de Escola Básica e Secundária Sacadura Cabral Agrupamento de Escolas Celorico da Beira ANO LETIVO 2013-2014 Regulamento do Quadro de Excelência Valor e Mérito criado no ano letivo de 2013-2014 A Lei de Bases

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO ESCOLA SECUNDÁRIA DE SAMPAIO Regulamento dos Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência Os Quadros de Valor, de Mérito e de Excelência destinam-se a tornar patente o reconhecimento de aptidões e atitudes

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Peniche. Regulamento para a atribuição dos Prémios de Mérito e Excelência

Agrupamento de Escolas de Peniche. Regulamento para a atribuição dos Prémios de Mérito e Excelência INTRODUÇÃO No atual contexto da educação, torna-se cada vez mais importante, premiar o bom aproveitamento e o bom comportamento dos alunos, como estratégia para minorar os maus exemplos, incentivando as

Leia mais

Anexo 2 (Projetos de promoção do Sucesso Escolar e Prémios)

Anexo 2 (Projetos de promoção do Sucesso Escolar e Prémios) Agrupamento de Escolas Verde Horizonte Regulamento Interno (Anexo 2) 2016-2017 Anexo 2 (Projetos de promoção do Sucesso Escolar e Prémios) ANEXO 2.1 PROJETO ALUNO 100% Art.º 1º Preâmbulo Considerando que

Leia mais

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E HONRA INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DE BUSTOS, S.A. COLÉGIO FREI GIL

REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E HONRA INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DE BUSTOS, S.A. COLÉGIO FREI GIL REGULAMENTO DOS QUADROS DE EXCELÊNCIA E HONRA 2012-2015 INSTITUTO DE PROMOÇÃO SOCIAL DE BUSTOS, S.A. COLÉGIO FREI GIL Índice Introdução...3 Capítulo I Regulamento...4 Introdução O presente Regulamento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CANELAS. Quadro de Valor e Excelência

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CANELAS. Quadro de Valor e Excelência AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CANELAS Regulamento Distinção de Comportamentos de Mérito Os alunos que, na concretização do seu percurso educativo e formativo, enquanto Estudantes e Cidadãos, revelem comportamentos

Leia mais

REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR, MÉRITO E DE EXCELÊNCIA

REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR, MÉRITO E DE EXCELÊNCIA REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR, MÉRITO E DE EXCELÊNCIA O presente regulamento foi apresentado e aprovado em reunião de Conselho Pedagógico de 12/set/2012. 1.ª revisão em 29 de novembro de 2013; 2.ª revisão

Leia mais

REGULAMENTO PRÉMIOS DE MÉRITO ESCOLAR DO COLÉGIO PAULO VI. Um homem cresce até ao fim da vida, se não em altura,

REGULAMENTO PRÉMIOS DE MÉRITO ESCOLAR DO COLÉGIO PAULO VI. Um homem cresce até ao fim da vida, se não em altura, 1 REGULAMENTO PRÉMIOS DE MÉRITO ESCOLAR DO COLÉGIO PAULO VI PREÂMBULO Um homem cresce até ao fim da vida, se não em altura, pelo menos em obras e ambições." Alves Redol Somos o que somos por termos sido

Leia mais

REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA

REGULAMENTO DOS QUADROS DE VALOR E EXCELÊNCIA Os Quadros Valor e Excelência stinam-se a tornar patente o reconhecimento aptidões e atitus dos alunos ou grupo alunos que tenham evinciado valor e excelência nos domínios cognitivos, cultural, pessoal,

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DA POVOAÇÃO

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DA POVOAÇÃO Secretaria Regional da Educação, Ciência e Cultura Direção Regional de Educação ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DA POVOAÇÃO REGULAMENTO - QUADROS DE HONRA - QUADROS DE LOUVOR Quadros de Honra Os quadros de

Leia mais

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015

Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Bem-vindo(a)s Encarregados de Educação 12 e 13 de outubro 2015 Agenda Preparação do trabalho a realizar no ano letivo 2015/2016 Regulamento Interno disponível no portal do agrupamento www.esvalongo.org

Leia mais

NORMATIVO INTERNO PARA A ATRIBUIÇÃO DE PRÉMIOS DE MÉRITO E EXCELÊNCIA ESCOLAR PREÂMBULO

NORMATIVO INTERNO PARA A ATRIBUIÇÃO DE PRÉMIOS DE MÉRITO E EXCELÊNCIA ESCOLAR PREÂMBULO NORMATIVO INTERNO PARA A ATRIBUIÇÃO DE PRÉMIOS DE MÉRITO E EXCELÊNCIA ESCOLAR PREÂMBULO A Educação, sendo uma das atribuições conferidas às Autarquias Locais, é hoje unanimemente reconhecida como um dos

Leia mais

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos «Almada, Cidade Educadora»

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos «Almada, Cidade Educadora» Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos 2014 «Almada, Cidade Educadora» 1. Organização O Concurso Jovens Talentos é uma iniciativa do Município de Almada, desenvolvido através da Direção Municipal

Leia mais

SINTRA GALA DOS CAMPEÕES 2016/17. Documento Orientador. Departamento de Cultura, Juventude e Desporto Divisão de Desporto e Juventude

SINTRA GALA DOS CAMPEÕES 2016/17. Documento Orientador. Departamento de Cultura, Juventude e Desporto Divisão de Desporto e Juventude SINTRA GALA DOS CAMPEÕES 2016/17 Documento Orientador Departamento de Cultura, Juventude e Desporto Divisão de Desporto e Juventude Gala dos Campeões Época desportiva 2016/2017 Índice 1. Introdução...2

Leia mais

Gala DESPORTO 17 REGULAMENTO DA GALA DO DESPORTO

Gala DESPORTO 17 REGULAMENTO DA GALA DO DESPORTO Gala DESPORTO 17 REGULAMENTO DA GALA DO DESPORTO REGULAMENTO DA GALA DO DESPORTO DA CÂMARA MUNICIPAL DO MARCO DE CANAVESES PREÂMBULO A Câmara Municipal do Marco de Canaveses vai levar a efeito a Gala do

Leia mais

Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico

Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico Dispositivo de Avaliação - Oficina Gráfica e Design Gráfico Ano letivo 2015/16 Ensino Secundário Curso Profissional de Técnico de Design Gráfico 1. Critérios de avaliação AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS 1.

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna

Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARADAS Agrupamento de Escolas de Aradas Trabalho Desenvolvido Equipa de Avaliação Interna 2006-2013 Equipa de Avaliação Interna Página 1 [ES C R E V E R O E N D E R E Ç O D A

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação do 1º Ciclo ANO LETIVO

Critérios Gerais de Avaliação do 1º Ciclo ANO LETIVO Critérios Gerais de Avaliação do 1º Ciclo ANO LETIVO 2015-2016 Avaliação (Decreto-Lei n.º 139/2012 de 5 de julho; Despacho Normativo nº 17-A/2015 de 22 de Setembro e Despacho Normativo nº 13/2014 de 15

Leia mais

CLUBE de Informática e Robótica

CLUBE de Informática e Robótica (A PREENCHER PELA COMISSÃO DO PAA) Atividade Nº AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Projeto CLUBE de Informática e Robótica (CIR) Equipa Dinamizadora: Clara Fernandes Marina Ribeiro Ano letivo 2016/2017

Leia mais

RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA AÇÃO:

RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA AÇÃO: PLANO DE FORMAÇÃO A PLATAFORMA FITESCOLA COMO INSTRUMENTO DE APOIO AO DESENVOLVIMENTO DA APTIDÃO FÍSICA DOS ALUNOS NA DISCIPLINA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E NO DESPORTO ESCOLAR RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA AÇÃO:

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto Castanheira de Pera. Plano. Estudos. Desenvolvimento. Currículo

Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto Castanheira de Pera. Plano. Estudos. Desenvolvimento. Currículo Agrupamento de Escolas Dr. Bissaya Barreto Castanheira de Pera Plano de Estudos e Desenvolvimento do Currículo Educação Pré Escolar A Educação Pré-Escolar afigura-se como a primeira etapa da educação básica

Leia mais

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO

REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO REGULAMENTO DA SALA DE ESTUDO I. Disposições Gerais: Artigo 1º Objeto 1. O presente documento regulamenta a organização e o funcionamento da Sala de Estudo (SE) do Colégio São Filipe (CSF). Artigo 2º Âmbito

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CINFÃES Ano Letivo 2012/2013 REGIMENTO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CINFÃES Ano Letivo 2012/2013 REGIMENTO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA REGIMENTO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO INTERNA Regimento da Comissão de Avaliação Interna Preâmbulo O conteúdo do presente Regimento resulta do desenvolvimento de uma conceção de avaliação justa e cooperativa

Leia mais

Deve ser nomeado um Coordenador de Estágio, de preferência o Diretor do Curso, neste caso o Professor José Barros.

Deve ser nomeado um Coordenador de Estágio, de preferência o Diretor do Curso, neste caso o Professor José Barros. REGULAMENTO DE ESTÁGIOS DE GRAU I (Resumo) 1. Carga Horária O Curso de Treinadores de Atletismo de Grau I passa a englobar na sua componente curricular, para além das matérias gerais do treino desportivo

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO. Plano Plurianual de Atividades

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO. Plano Plurianual de Atividades AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MELGAÇO Plano Plurianual de Atividades 2014/2017 0 Índice Índice... 1 Introdução... 2 DIMENSÃO PEDAGÓGICA... 3 DIMENSÃO CÍVICA... 7 DIMENSÃO ESCOLA, FAMÍLIA, COMUNIDADE... 9 DIMENSÃO

Leia mais

PLANO DE OCUPAÇÃO DOS TEMPOS ESCOLARES POTE

PLANO DE OCUPAÇÃO DOS TEMPOS ESCOLARES POTE Agrupamento de Escolas da Trofa ANO LETIVO 2012-2013 PLANO DE OCUPAÇÃO DOS TEMPOS ESCOLARES POTE 2012 2013 2 Índice Conteúdo 1. ENQUADRAMENTO LEGAL... 3 2. OBJETIVO... 3 3. CONCEITOS... 3 4. OPERACIONALIZAÇÃO...

Leia mais

QUADRO DE VALORES E ATITUDES

QUADRO DE VALORES E ATITUDES Ano Letivo 2014-2015 QUADRO DE VALORES E ATITUDES QUADRO DE VALORES E ATITUDES O Quadro de Valores e Atitudes do nosso Agrupamento tem como objetivo reconhecer o desempenho meritório dos/as alunos/as que,

Leia mais

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro. Agrupamento de Escolas de Vouzela e Campia. Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro. Agrupamento de Escolas de Vouzela e Campia. Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular DGEstE Direção de Serviços da Região Centro Regulamento das Atividades de Enriquecimento Curricular 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Ano Letivo 2015/2016 Página2 Introdução Considerando: 1. A importância das

Leia mais

Avaliação de Desempenho Docente

Avaliação de Desempenho Docente Dicas para a elaboração de um Portefólio Avaliação de Desempenho Docente O PORTEFÓLIO deve conter um registo das reflexões e das práticas e deve estar devidamente documentado. 13-04-2008 1 Deve conter:

Leia mais

Regulamento de Atribuição de Bolsa Social Xadrez Dr.ª Célia Santos

Regulamento de Atribuição de Bolsa Social Xadrez Dr.ª Célia Santos Regulamento de Atribuição de Bolsa Social Xadrez Dr.ª Célia Santos Inscrições Abertas de 20 de fevereiro a 15 março Sede CPC Rua Pedro Álvares Cabral (EB1/JI), Vila Nova de Caparica, 2825-049 Caparica

Leia mais

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES

Uma Escola de Cidadania Uma Escola de Qualidade RIA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES REGULAMENTO INTERNO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES JANEIRO 2014 Índice Capítulo I... 1 Disposições Gerais... 1 Introdução... 1 Artigo 1.º --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

A G R U P AM E N T O D E E S CO L A S D E E U G É N I O D E CA S T R O P lan o E s t r a t é g i c o /

A G R U P AM E N T O D E E S CO L A S D E E U G É N I O D E CA S T R O P lan o E s t r a t é g i c o / PLANO ESTRATÉGICO 2014/2015 (Artigo15º do Despacho Normativo nº13-a/2012 1 PLANO ESTRATÉGICO 2014-2015 1. Enquadramento. O Plano Estratégico agora apresentado enquadra-se no artigo 15º do Despacho Normativo

Leia mais

DOCUMENTO ORIENTADOR DE AVALIAÇÃO

DOCUMENTO ORIENTADOR DE AVALIAÇÃO DOCUMENTO ORIENTADOR DE AVALIAÇÃO Legislação relativa à avaliação Orientação técnica nº 3/2016, de setembro (ANQEP) Cursos de Educação e Formação nível básico (ano letivo 2016/2017). Orientação técnica

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DAS ESCOLAS Despacho n.º 436-A 2017

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DAS ESCOLAS Despacho n.º 436-A 2017 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO DAS ESCOLAS 2017 Despacho n.º 436-A 2017 PREÂMBULO O Orçamento Participativo constitui um instrumento que tem vindo a ser adotado por um conjunto crescente

Leia mais

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto)

(Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) (Portaria nº266/2012, de 30 de agosto) dezembro, 2013 CARTA DE MISSÃO (Portaria n.º 266/2012, de 30 de agosto) Nome do Diretor Carlos Alberto Martins Carvalho Escalão 9º Unidade Orgânica : Agrupamento

Leia mais

2015/16. Critérios Gerais de Avaliação

2015/16. Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas de Portela e Moscavide Escola Secundária da Portela Escola EB 2,3 Gaspar Correia Escola EB1 Catela Gomes Escola EB1/JI Quinta da Alegria Escola EB1/JI Portela 2015/16 Critérios Gerais

Leia mais

Caracterização da comunidade escolar

Caracterização da comunidade escolar 1. Corpo discente Caracterização da comunidade escolar O Agrupamento de Escolas de Amareleja é frequentado por um total de 709 alunos, assim distribuídos: Quadro 1: Número de alunos por ciclo/ estabelecimento

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de Escolas Dr. José Leite de Vasconcelos Av. Dr. Francisco Sá Carneiro - 3610 134 Tarouca CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO 1º ANO Ano letivo 2016/2017 AEDJLV - Tarouca (Código

Leia mais

Aprende a descodificar o teu mundo Mês Internacional das Bibliotecas Escolares 2016

Aprende a descodificar o teu mundo Mês Internacional das Bibliotecas Escolares 2016 Concurso de Ideias Aprende a descodificar o teu mundo Mês Internacional das Bibliotecas res 2016 Agrupamento de s Cidade do Sec. C/3º Ciclo do Dados da Ideia Inovadora 1. Nome da Ideia Projeto @prender

Leia mais

REGIMENTO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO

REGIMENTO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO REGIMENTO DOS REPRESENTANTES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO INTRODUÇÃO O direito de participação dos pais na vida da Escola processa-se de acordo com o disposto na Lei de Bases do Sistema Educativo,

Leia mais

PROJETO/CLUBE DO DESPORTO ESCOLAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM

PROJETO/CLUBE DO DESPORTO ESCOLAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO DO CACÉM Ano Letivo 2015-2016 APRESENTAÇÃO SUMÁRIA DO PROGRAMA NACIONAL DO DESPORTO ESCOLAR E DO PROJETO/CLUBE DO DESPORTO ESCOLAR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTIAGO

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento 1º Ciclo Grupos: 110 2016/2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PINHEL CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO CURRICULAR DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO UTILIZADOR Critérios

Leia mais

ANEXO 18 A Regulamento Interno

ANEXO 18 A Regulamento Interno ANEXO 18 A Regulamento Interno REGIME DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS CIENTÍFICO- HUMANÍSTICOS DE NÍVEL SECUNDÁRIO DE EDUCAÇÃO, NA MODALIDADE DE ENSINO RECORRENTE AGRUPAMENTO DE ESCOLAS IBN MUCANA 2011/2014

Leia mais

Plano de Ações de Melhoria

Plano de Ações de Melhoria Plano de Ações de Escola Básica Elias Garcia Escola Básica Miquelina Pombo J. I. da Sobreda 2014/2015 1 INTRODUÇÃO O presente plano de ações de melhoria 2014/15 - resulta da avaliação do plano de ações

Leia mais

Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil. 1. Introdução

Agrupamento de Escolas do Vale de Ovil. 1. Introdução Procedimento simplificado para avaliação do desempenho dos docentes em regime de contrato a termo - Ano letivo 2011/2012 1. Introdução O presente documento decorre do referido no nº 5 do artigo 30º do

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÉMIO

REGULAMENTO DO PRÉMIO REGULAMENTO DO PRÉMIO CAPÍTULO 1 Disposições gerais Artigo 1.º 1.A Fundação Ilídio Pinho, o Ministério da Educação e o Ministério da Economia celebraram um Protocolo com vista à instituição de um prémio

Leia mais

NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DOS PRÉMIOS DE DESEMPENHO DESPORTIVO

NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DOS PRÉMIOS DE DESEMPENHO DESPORTIVO NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DOS PRÉMIOS DE DESEMPENHO DESPORTIVO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DA FEIRA NORMAS DE ATRIBUIÇÃO DOS PRÉMIOS DE DESEMPENHO DESPORTIVO GALA DO DESPORTO DE SANTA MARIA DA FEIRA Preâmbulo

Leia mais

FORMAÇÃO CÍVICA E HUMANA

FORMAÇÃO CÍVICA E HUMANA Escola Secundária/3 de Barcelinhos ANO LETIVO 2012-2013 FORMAÇÃO CÍVICA E HUMANA 3.º Ciclo Ensino Básico A) ORIENTAÇÕES PROGRAMÁTICAS B) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO ÍNDICE A) ORIENTAÇÕES PROGRAMÁTICAS 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Grupo Disciplinar: Educação Física (260)

Grupo Disciplinar: Educação Física (260) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS POETA JOAQUIM SERRA Departamento de Expressões RELATÓRIO FINAL DO COORDENADOR DE GRUPO 2013-14 Grupo Disciplinar: Educação Física (260) I Dimensão Organizacional 1. ASPETOS ORGANIZATIVOS

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I REGULAMENTO DA PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL (PAP) DOS CURSOS PROFISSIONAIS. Artigo 1.º Enquadramento Legal

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I REGULAMENTO DA PROVA DE APTIDÃO PROFISSIONAL (PAP) DOS CURSOS PROFISSIONAIS. Artigo 1.º Enquadramento Legal DIREÇÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE BEJA ESCOLA SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA D. MANUEL I, BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I REGULAMENTO DA PROVA DE APTIDÃO

Leia mais

TÉCNICO DE PROTEÇÃO CIVIL 10º TPC CICLO DE FORMAÇÃO 2016/2018

TÉCNICO DE PROTEÇÃO CIVIL 10º TPC CICLO DE FORMAÇÃO 2016/2018 Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares Direção de Serviços da Região Centro Núcleo de Ofertas Formativas CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS VOCACIONAIS ANO LETIVO DE 2016/2017 COMPONENTE DE FORMAÇÃO GERAL

Leia mais

PROPOSTA II DO GRUPO DE TRABALHO

PROPOSTA II DO GRUPO DE TRABALHO SCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ AFONSO SEIXAL CÓDIGO 401481 Av. José Afonso Cavaquinhas Arrentela 2840 268 Seixal -- Tel. 212276600 Fax. 212224355 PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA PROPOSTA II DO GRUPO DE TRABALHO 2014-2017

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO (A PREENCHER PELA COMISSÃO DO PAA) Atividade Nº AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Projeto do Clube de Origami Professora Dinamizadora: Silvina Ferreira Ano letivo 2016-2017 Índice 1. Introdução

Leia mais

Quadros de Valor e de Excelência. C e n t r o d e E s t u d o s d e F á t i m a. Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência

Quadros de Valor e de Excelência. C e n t r o d e E s t u d o s d e F á t i m a. Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência Quadros de Valor e de Excelência C e n t r o d e E s t u d o s d e F á t i m a Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência Centro de Estudos de Fátima Regulamento dos Quadros de Valor e de Excelência

Leia mais

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico

Escola Secundária José Saramago Mafra. Plano Estratégico Escola Secundária José Saramago Mafra Plano Estratégico 2014/2015 Preâmbulo O Plano Estratégico para 2014/2015 visa dar cumprimento ao disposto no artigo 15º do despacho normativo nº 6/2014, de 26 de maio.

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS ELABORAÇÃO DE LOGÓTIPO DA ASSOCIAÇÃO DE PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO CONCELHO DE PROENÇA-A-NOVA Artigo 1º Objecto 1. O presente regulamento

Leia mais

Plano de melhoria (2015/16)

Plano de melhoria (2015/16) Plano de melhoria (2015/16) Introdução Agrupamento Vertical de Portel Escola EB 2,3 de D. João de Portel Quatro domínios de ação da Biblioteca Escolar: A. Currículo, literacias e aprendizagem B. Leitura

Leia mais

Grau I. Perfil Profissional. Grau I

Grau I. Perfil Profissional. Grau I Perfil Profissional O corresponde à base hierárquica de qualificação profissional do treinador de desporto. No âmbito das suas atribuições profissionais, compete ao Treinador de a orientação, sob supervisão,

Leia mais

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS

EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS INSPEÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA PROGRAMA ACOMPANHAMENTO EDUCAÇÃO ESPECIAL RESPOSTAS EDUCATIVAS RELATÓRIO Agrupamento de Escolas de Fajões 2014-2015 RELATÓRIO DE ESCOLA Agrupamento de Escolas de Fajões

Leia mais

Secretaria Regional da Educação e Cultura Direção Regional da Educação ESCOLA BÁSICA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA

Secretaria Regional da Educação e Cultura Direção Regional da Educação ESCOLA BÁSICA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA Secretaria Regional da Educação e Cultura Direção Regional da Educação ESCOLA BÁSICA SECUNDÁRIA MOUZINHO DA SILVEIRA Departamento de Expressões e 1.º Ciclo CRITÉRIOS AVALIAÇÃO Critérios de Avaliação Documento

Leia mais

Artigo. Desporto Escolar

Artigo. Desporto Escolar Artigo Desporto Escolar 1. O desporto escolar é uma atividade extracurricular de complemento à disciplina de Educação Física. Só pode ser dado por professores de Educação Física ou por professores que,

Leia mais

Protocolo de Cooperação

Protocolo de Cooperação 08 de fevereiro, 2013 Índice Preâmbulo 3 Capítulo I Definição, Objeto e Objetivos da RBAL 3 Cláusula 1.ª Definição 3 Cláusula 2.ª Objeto 3 Cláusula 3.ª Objetivos 3 Capítulo II Direitos e Deveres dos Cooperantes

Leia mais

PEQUENOS GRANDES POETAS

PEQUENOS GRANDES POETAS REGULAMENTO PEQUENOS GRANDES POETAS 6.ª Edição 1.ª Cláusula OBJETO O concurso de poesia Pequenos Grandes Poetas é uma iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Barcelos em parceria com a RBEB Rede

Leia mais

Câmara Municipal das Caldas da Rainha REGULAMENTO AEC 2011/201

Câmara Municipal das Caldas da Rainha REGULAMENTO AEC 2011/201 Câmara Municipal das Caldas da Rainha REGULAMENTO AEC 2011/201 /2012 Considerando a importância do desenvolvimento de atividades de enriquecimento curricular no 1º ciclo do ensino básico para o desenvolvimento

Leia mais

::Critérios de Avaliação/Cartão Eletrónico do Aluno /Segurança em Meio Escolar:: 5.º e 6.º Anos de Escolaridade

::Critérios de Avaliação/Cartão Eletrónico do Aluno /Segurança em Meio Escolar:: 5.º e 6.º Anos de Escolaridade Ministério da Educação Direção Regional de Educação do Centro Escola Básica do 2.º e 3.º Ciclos Marquês de Pombal (código 342130) 2.º Ciclo Critérios/Instrumentos de Avaliação Critérios de Transição Cartão

Leia mais

PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA

PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA Escola Secundária/3 de Almeida Garrett PLANO DE AÇÕES DE MELHORIA Analisar o Passado, compreender o Presente para antecipar o Futuro 2014-2016 Índice 1. Introdução... 3 2. Estrutura do Plano de Ações de

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES

BIBLIOTECAS ESCOLARES PLANO DE AÇÃO BIBLIOTECAS ESCOLARES Agrupamento de Escolas da Moita 1 As Bibliotecas Escolares assumem, para além das funções informativa, educativa, cultural e recreativa, o papel de adjuvante do aluno,

Leia mais

Escola Superior de Educação Almeida Garrett

Escola Superior de Educação Almeida Garrett Escola Superior de Educação Almeida Garrett Regulamento Interno do Gabinete de Formação Contínua Preâmbulo O Gabinete de Formação Contínua (adiante designado por GFC) da Escola Superior de Educação Almeida

Leia mais

ReciclOhArte II Para tornar o Mundo melhor!

ReciclOhArte II Para tornar o Mundo melhor! ReciclOhArte II Para tornar o Mundo melhor! Tema das peças: Contos Infantis PIEF de 2.º e 3.º Ciclo Escola Básica Integrada de Mourão 2011 / 2012 Concurso a Nível Nacional ReciclOhArte II Para tornar o

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO

REGULAMENTO DO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO REGULAMENTO DO CONCURSO ESCOLAR A MINHA ESCOLA ADOTA: UM MUSEU, UM PALÁCIO, UM MONUMENTO O concurso escolar A minha escola adota um museu, um palácio, um monumento... é uma iniciativa promovida conjuntamente

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO

QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO QUESTIONÁRIO DE AUTOAVALIAÇÃO Alunos 2º e 3º CEB O nosso Agrupamento, durante o presente ano letivo, está a implementar um processo de diagnóstico envolvendo toda a comunidade escolar, dando cumprimento

Leia mais

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA

CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA CALOUSTE GULBENKIAN DE BRAGA PLANO DE MELHORIA 2014 / 2016 ÍNDICE Introdução 3 Resultados da Avaliação Externa 4 Ações a contemplar no Plano de Melhoria 5 Conclusão 7 2 Introdução

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE

AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE AGRUPAMENTO VERTICAL DE OURIQUE Relatório de Reflexão Critica do Plano Anual de Atividades Ano Letivo 2011/2012 1ºPeríodo Índice Índice 2 Introdução 3 Grau execução e de satisfação 4 Participação dos agentes

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres

Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres Agrupamento de Escolas Dr.ª Laura Ayres - Anexo IV Regulamento das Formações Modulares Artigo 1.º Objeto e âmbito 1. As formações modulares obedecem aos referenciais de competências e de formação associados

Leia mais

REGIMENTO Interno Do Desporto Escolar

REGIMENTO Interno Do Desporto Escolar REGIMENTO Interno Do Desporto Escolar ÍNDICE Artigo 1.º Definição 3 Artigo 2.º Princípios e objetivos 3 Artigo 3.º Coordenação e constituição 4 Artigo 4.º Competências do coordenador 4 Artigo 5.º Atividades

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Vale de Ovil. Regimento do Departamento de Ciências Experimentais

Escola Básica e Secundária de Vale de Ovil. Regimento do Departamento de Ciências Experimentais Escola Básica e Secundária de Vale de Ovil Regimento do Departamento de Ciências Experimentais 2013/2016 CAPÍTULO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Identificação 1. Este Departamento Curricular adota a

Leia mais

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso ANO LETIVO: 2016/2017 Amadeo de Souza-Cardoso Critérios Gerais de Avaliação do Agrupamento Dando cumprimento ao disposto no Decreto-Lei 139/2012, na sua redação atual, e no Despacho normativo nº 1-F/2016,

Leia mais

Perguntas e Respostas Frequentes

Perguntas e Respostas Frequentes Perguntas e Respostas Frequentes (Portaria n.º 644-A/2015, de 24 de agosto) Ano letivo 2015/2016 Relativas a AEC: P1: Nos casos em que os agrupamentos/escolas não agrupadas sejam as entidades promotoras

Leia mais

Editorial. esta etapa do seu percurso escolar seja marcada pelo sucesso das aprendizagens, num clima de harmonia e cooperação.

Editorial. esta etapa do seu percurso escolar seja marcada pelo sucesso das aprendizagens, num clima de harmonia e cooperação. Ano V Nº 1 setembro de 2016 Editorial O ano letivo 2016/17 já está em movimento! Assim, no dia 15 de setembro, as escolas do agrupamento deram as boas-vindas aos alunos, fazendo votos de que esta etapa

Leia mais

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso. Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular

Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso. Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular Agrupamento de Escolas Amadeo de Souza-Cardoso Referencial para organização das Atividades de Enriquecimento Curricular 2015 / 2016 1 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AMADEO DE SOUZA-CARDOSO ENSINO DO INGLÊS AAA

Leia mais