I Seminário de História: Caminhos da Historiografia Brasileira Contemporânea Universidade Federal de Ouro Preto

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I Seminário de História: Caminhos da Historiografia Brasileira Contemporânea Universidade Federal de Ouro Preto"

Transcrição

1 A Interdisciplinaridade e o Vestibular: Análise da Prática de Ensino Desenvolvida Durante o 3º ano do Ensino Médio do Colégio de Aplicação Universitário da UFV no ano de 2005 João Henrique Ferreira de Castro 1-Introdução O ensino de História no Brasil é constantemente discutido nas academias. Qual a melhor forma de ensinar a História aos alunos, qual a melhor maneira de torna-lo um cidadão crítico, papel importante da disciplina, e como retirar a idéia de que a História é pronta e feita de datas e nomes que precisam ser decorados são algumas dessas questões que serão discutidas nesse trabalho. Estas questões serão discutidas dentro da análise de uma prática de ensino interdisciplinar desenvolvida no 3º ano do Ensino Médio do Colégio de Aplicação Universitário da Universidade Federal de Viçosa no ano de Tentar analisar de que maneira esta prática de ensino respondeu a estas questões é o principal objetivo deste trabalho. 2- Análise da Prática de Ensino de História e Literatura no 3º Ano do Ensino Médio do COLUNI (Colégio de Aplicação Universitário da UFV) no ano de Esta análise é fruto de uma atividade de pesquisa que desenvolvi como estagiário no Colégio de Aplicação Universitário da UFV (COLUNI). Tal atividade consistia em acompanhar uma prática de ensino interdisciplinar em História e Literatura idealizada pelos professores Duarte Magalhães Barbalho (História), Silvana Marchesani (Português e Literatura) e colocada em prática nas quatro turmas de 3º série do Ensino Médio. Uma das questões que moveram o estudo era saber se a utilização de uma prática de ensino diferente da simples utilização do conhecimento propedêutico beneficiaria os alunos no vestibular ou os atrapalharia. Todavia, ao longo do processo questões relacionadas à formação crítica dos alunos e da integração social que este tipo de prática pode oferecer foram surgindo e sendo colocados. Torna-se necessário antes de começar a descrever a prática em si, tentar definir um perfil do COLUNI, o que com certeza é um dos fatores essenciais para a realização de práticas de ensino como a que será discutida. Uma das características do colégio é a excelência dos alunos. O COLUNI é um colégio que tem apenas as três séries do Ensino Médio. Os alunos ingressam no colégio através de um exame de seleção que em todos os anos é disputado por entre 10 a 15 candidatos para cada vaga. Os alunos que chegam ao COLUNI costumam ter uma base de formação no Ensino Fundamental boa, o que os possibilita sucesso no exame de seleção. Os alunos que realizam este exame em sua grande maioria visam estudar em um colégio de qualidade reconhecida para terem sucesso no vestibular. Muitos dos alunos já cursaram uma ou, até mesmo, mais séries do Ensino Médio, mas resolvem voltar para a 1ª série do Ensino Médio para terem a oportunidade de realizar o segundo grau no colégio. Portanto, os alunos do COLUNI geralmente são alunos interessados em uma formação de qualidade. O colégio, integrado a Universidade Federal de Viçosa, oferece bolsas de iniciação científica, muito disputadas, e os alunos vivem diariamente o contato 1

2 com a Universidade. As dependências do colégio encontram-se dentro do Campus Universitário. Mas não são somente os alunos que se encontram integrados a Universidade. Os professores, que são no mínimo graduados na disciplina que ministram convivem com os professores da Universidade também e estão, portanto, mais pertos dos debates acadêmicos do que a maioria dos professores de outros colégios mais distantes da Universidade. Os alunos do COLUNI costumam se dedicar bastante aos estudos, pois a exigência dos professores e a dificuldade das provas são grandes. Os alunos dedicam bastante parte do seu tempo fazendo exercícios de disciplinas como Matemática e Química. Este trabalho notadamente é benéfico para os alunos que costumam ir muito bem em Olimpíadas de Física e Matemática conseguindo classificação para competições de nível internacional e apresentar trabalhos de pesquisa em simpósios de pesquisa nas mais variadas áreas, principalmente Biologia. As ciências humanas necessitam, portanto, legitimar o seu espaço. Se as outras áreas têm uma excelência de ensino reconhecida, disciplinas como a História, a Literatura e a Geografia buscam, cada qual em seu campo, serem reconhecidas também. Os professores dessas áreas costumam, portanto, criar práticas de ensino que consigam auxiliar os alunos no aprendizado e a fazer com que estes dediquem mais tempo aos estudos das suas disciplinas. Atividades das mais diversas são elaboradas e, muitas vezes, atendem a mais de uma disciplina, ou seja, criam práticas de ensino interdisciplinares que visam levar o aluno a compreender melhor cada disciplina. No início de cada ano letivo acontece uma reunião dos professores de todas as disciplinas de cada série para definir o calendário e as atividades extraclasse que serão desenvolvidas. É justamente nessa reunião que ocorre o planejamento das atividades interdisciplinares, bastante freqüentes no colégio. Durante o ano de 2005, os professores Duarte Magalhães Barbalho (História), Silvana Marchesani (Português e Literatura), além da professora Rita (Artes) da 3ª Série, aliados a professores das demais séries apresentaram o projeto de realizar uma Feira Cultural Temática que envolveria as três séries, cada uma com uma temática específica. O projeto foi aprovado na reunião de planejamento do início do ano e tiveram início as atividades. A análise que será feita a partir de agora é do acompanhamento de como esta prática de ensino foi desenvolvida apenas na 3ª série. Em primeiro lugar é importante ressaltar que para os alunos da 3ª série, este tipo de atividade já não é mais novidade, pois são práticas características do colégio e já trabalhadas com estes durante as duas primeiras séries. Os alunos, ao longo das três séries, fizeram uso de diversas fontes em aula como filmes, músicas, leram obras literárias, apresentaram seminários e desenvolveram atividades extraclasse também. O trabalho desenvolvido por eles na 3ª série, mostra apenas o que foi desenvolvido por eles em um ano, um exemplo do que foi marcante na formação destes alunos ao longo de todo Ensino Médio. Indo para o trabalho em si, a temática que seria trabalhada pelos alunos da 3ª série seria a influência do estado getulista na produção literária (e artística como um todo) nacional. Os alunos ficaram cientes dessa atividade logo nas primeiras aulas em fevereiro. A Feira Cultural só aconteceria em agosto, mas seria a apresentação final do trabalho desenvolvido por eles ao longo de todo ano. Outros trabalhos seriam desenvolvidos antes e por isso o contato com a temática que seria trabalhada se deu imediatamente. 2

3 O primeiro passo a ser dado pelos alunos era a escolha da obra literária que eles iriam querer trabalhar. É interessante notar que os alunos escolheram, em sua maioria, obras que seriam cobradas no vestibular. O pensamento dos alunos era de que já que teriam que ler um livro que fosse um que eles sabiam que teriam que ler de qualquer jeito (tabela 1). Tabela 1: Lista dos livros selecionados pelos alunos e instituições em que seriam cobrados. Livro Autor Número de Instituição Grupos Um Certo Capitão Rodrigo Érico Veríssimo 9 UFMG São Bernardo Graciliano Ramos 9 UFV Vidas Secas Graciliano Ramos 3 UFJF A Hora e a Vez de Augusto Guimarães Rosa 2 UFJF Matraga Incidente em Antares 1ª Érico Veríssimo 2 UFJF parte Terras do Sem Fim Jorge Amado 2 A Bagaceira José Américo de 2 Almeida Manuelzão e Miguelim Guimarães Rosa 1 O Quinze Rachel de Queiroz 1 Menino do Engenho José Lins do Rego 1 Esta escolha influenciada pelo vestibular faz com que diminuam o número de obras que podem ser trabalhadas, pois os alunos têm a liberdade de escolher qual obra querem ler, desde que ela atenda a temática cobrada. Em um total de 32 grupos, 25 escolheram obras que iriam ser cobradas nos vestibulares mais próximos, todavia os demais livros seriam cobrados em instituições mais distantes como O Quinze de Rachel de Queiroz na UNICAMP. Após a escolha da obra os alunos, além de preparar um seminário que discutisse a obra para ser apresentado em sala de aula, teriam que produzir um trabalho escrito que respondesse as seguintes questões: A importância da obra no período literário a que pertence; A influência do meio sobre os personagens; O enfoque dado pelo autor ao tema da obra; Se o autor ao abordar o tema, revela ou não um posicionamento; Se o autor é crítico perante a estrutura econômica, política e social do país; O tipo de linguagem adotada pelo autor; A trajetória do autor. Ao analisar estas questões, vemos que o aluno iria pesquisar e procurar entender o estado getulista e a sua produção literária em diversos aspectos, como o posicionamento político dos autores, suas satisfações e insatisfações com o regime político, a estrutura econômica, política e social do país entre outros aspectos que são muito pouco abordados em livros didáticos e que consumiriam um tempo de aula que o professor não tem disponível, pois tem que discutir todo o conteúdo que é exigido para uma série de 3º ano, além de apresentar outras fontes como músicas e vídeo aos alunos. Após a confecção dos textos e a apresentação dos seminários, os alunos da 3ª série tinham como próxima etapa dessa prática de ensino a Feira Cultural, assim como as duas outras séries. 3

4 É interessante aqui colocar as temáticas desenvolvidas pelos alunos de cada série para mostrar também um pouco de como esse trabalho se deu nas demais séries. (tabela 2). Tabela 2: Temáticas principais dos trabalhos de cada série. Série Temática Principal 1ª Folclore Nacional 2ª Romantismo 3ª Modernismo Dentro de cada série as temáticas principais foram divididas entre as turmas. Cada turma escolheria uma obra base e mostraria uma parte do movimento principal que caracterizava cada série (tabela 3). Tabela 3: Temáticas secundárias dos trabalhos de cada turma. Turma Temática Secundária 1ª A Negrinho do Pastoreio 1ª B Curupira 1ª C Boto-Rosa 1ª D Cobra Norato 2ª A Iracema, José de Alencar 2ª B Inocência, Visconde de Taunay 2ª C Festival de Parintins 2ª D O Gaúcho, José de Alencar 3ª A D. Flor e Seus Dois Maridos e Gabriela, Cravo e Canela, Jorge Amado 3ª B Mineiridade no Modernismo 3ª C Um Certo Capitão Rodrigo, Érico Veríssimo 3ª D A Bagaceira, José Américo de Almeida Após a escolha da temática secundária, cada turma procurou organizar uma apresentação teatral que fosse capaz de mostrar o trabalho que havia sido desenvolvido ao longo do ano. Essa apresentação seria a Feira Cultural, uma competição entre as salas que deveriam buscar de uma maneira divertida e engraçada o conteúdo do que havia sido estudado. A turma vencedora foi a 3ª D, com A Bagaceira de José Américo de Almeida. Após a Feira Cultural os alunos iriam ter a oportunidade de avaliar o trabalho desenvolvido ao longo do ano, mas uma semana depois as aulas do colégio foram suspensas devido à greve das Universidades Federais. As aulas foram suspensas na última semana de Agosto e só retornaram em Janeiro. Muitos alunos haviam pedido transferência e o questionário para avaliação só pode ser respondido por 45 alunos dos 159 que haviam no colégio antes da greve. Este questionário lançava ao aluno questões como o benefício dessa prática de ensino na sua formação, na integração dos alunos e na assimilação do conteúdo estudado. Se por um lado a greve fez com que muitos alunos não pudessem responder o questionário, por outro fez com que os que responderam o fizessem após os exames vestibulares, já tendo uma opinião mais concreta sobre como esta prática de ensino havia os beneficiado ou atrapalhado na realização das provas. Segue o questionário com suas respostas: 4

5 Questionário para os alunos do Coluni sobre a Feira Cultural. Histórico dos Alunos 1) Você cursou os 4 primeiros anos do Ensino Fundamental (1ª à 4ª série) em: a) Escola Pública. (24) (53,33%) b) Escola Particular. (16) (35,55%) c) Escola Pública e Particular. (5) (11,11%) 2) Durante esse período você desenvolveu alguma atividade extraclasse parecida com a Feira Cultural? a) Sim. Nas mesmas disciplinas que a Feira Cultural (História, Literatura, etc). (2) (4,44%) b) Sim. Mas em disciplinas diferentes (Matemática, Ciências, etc). (16) (35,55%) c) Sim. Em todas disciplinas. (12) (26,66%) d) Não. (15) (33,33%) 3) (Caso tenha respondido alternativa c na questão 1 e não tenha respondido d na questão 2.) Você participou desse tipo de atividade extraclasse em: a) Escola Pública. (0) b) Escola Particular. (2) (66,66%) c) Em ambas. (1) (33,33%) 4) Você cursou os 4 últimos anos do Ensino Fundamental (5ª à 8ª série) em: a) Escola Pública. (17) (37,77%) b) Escola Particular (23) (51,11%) c) Escola Pública e Particular. (5) (11,11%) 5) Durante esse período você desenvolveu alguma atividade extraclasse parecida com a Feira Cultural? a) Sim. Nas mesmas disciplinas que a Feira Cultural (História, Literatura, etc). (6) (13,33%) b) Sim. Mas em disciplinas diferentes (Matemática, Ciências, etc). (14) (31,11%) c) Sim. Em todas disciplinas. (20) (44,44%) d) Não. (5) (11,11%) 6) (Caso tenha respondido alternativa c na questão 4 e não tenha respondido d na questão 5.) Você participou desse tipo de atividade extraclasse em: a) Escola Pública. (2) (50%) b) Escola Particular. (0) c) Em ambas. (2) (50%) 7) Você cursou os 3 anos do Ensino Médio (1º à 3º ano) em: a) Escola Pública, sendo todos no Coluni. (39) (86,66%) b) Escola pública, sendo ao menos um ano em outro colégio sem ser o Coluni. (3) (6,66%) c) Escola Pública e Particular, sendo apenas o Coluni público. (3) (6,66%) d) Escola Pública e Particular, sendo ao menos um ano em outro colégio público sem ser o Coluni. (0) 8) (Caso não tenha respondido alternativa a na questão anterior) Durante esse período você desenvolveu alguma atividade extraclasse parecida com a Feira Cultural em outro colégio? a) Sim. Nas mesmas disciplinas que a Feira Cultural (História, Literatura, etc). (0) 5

6 b) Sim. Mas em disciplinas diferentes (Matemática, Ciências, etc). (2) (33,33%) c) Sim. Em todas disciplinas. (2) (33,33%) d) Não. (2) (33,33%) 9) (Caso tenha respondido alternativa d na questão 7 e não tenha respondido d na questão anterior). Você participou desse tipo de atividade, além do Coluni, em: a) Escola Pública. (0) b) Escola Particular.(0) c) Escola Pública ou Particular.(0) 10) Você prestou exame vestibular no fim do último ano? a) Sim. Para uma instituição de ensino superior. (8) (17,77%) b) Sim. Para duas instituições de ensino superior. (12) (26,66%) c) Sim. Para três ou mais instituições de ensino superior. (25) (55,55%) d) Não. (0) AVALIAÇÃO DA FEIRA CULTURAL 11) A elaboração dos trabalhos auxilia na assimilação do conteúdo da obra literária indicada? a) Sim. Muito. (19) (42,22%) b) Sim. Razoavelmente. (20) (44,44%) c) Sim. Pouco. (6) (13,33%) d) Não auxilia. (0) 12) Assistir a apresentação dos outros trabalhos auxilia na assimilação do conteúdo da obra literária apresentada? a) Sim. Muito. (10) (22,22%) b) Sim. Razoavelmente. (22) (48,88%) c) Sim. Pouco. (12) (26,66%) d) Não auxilia. (1) (2,22%) 13) A elaboração dos trabalhos auxilia na assimilação do conteúdo histórico correspondente à obra literária indicada? a) Sim. Muito. (17) (37,77%) b) Sim. Razoavelmente. (21) (46,66%) c) Sim. Pouco. (6) (13,33%) d) Não auxilia. (1) (2,22%) 14) Os trabalhos auxiliaram-no em sua formação crítica? a) Sim. Muito. (17) (37,77%) b) Sim. Razoavelmente. (16) (35,55%) c) Sim. Pouco. (10) (22,22%) d) Não auxiliou. (2) (4,44%) 15) Os trabalhos auxiliaram-no na integração dos alunos? a) Sim. Muito. (29) (64,44%) b) Sim. Razoavelmente. (13) (28,88%) c) Sim. Pouco. (3) (6,66%) d) Não auxiliou. (0) 16) Os trabalhos auxiliaram-no a esquecer a pressão do Vestibular? a) Sim. Muito. (7) (15,55%) b) Sim. Razoavelmente. (6) (13,33%) c) Sim. Pouco. (18) (40%) d) Não auxiliou. (14) (31,11%) 6

7 17) Os trabalhos, aliados a apresentação de seminários sobre as obras literárias em sala de aula, alem de vídeos, músicas e outras formas de mídia, instrumentos nãoconvencionais de ensino ao longo do tempo que você estudou no colégio: a) Auxiliaram muito na minha preparação para o Vestibular. (19) (42,22%) b) Auxiliaram razoavelmente na minha preparação para o Vestibular. (18) (40%) c) Auxiliaram pouco na minha preparação para o Vestibular. (8) (17,77%) d) Atrapalharam a preparação para o Vestibular. (0) 18) Os professores deram a ajuda necessária para a confecção e apresentação dos trabalhos? a) Sim. Muito. (26) (57,77%) b) Sim. Razoavelmente. (15) (33,33%) c) Sim. Pouco. (2) (4,44%) d) Não ajudaram. (2) (4,44%) 19) Você gostou de ter desenvolvido esse tipo de atividade durante o tempo que estudou no Coluni? a) Sim. Sempre. (29) (64,44%) b) Sim, mas só nos dois primeiros anos do Ensino Médio. Em ano de Vestibular atrapalha. (13) (28,88%) c) Não gostei. (2) (4,44%) 1 aluno não respondeu (2,22%) 20) Esse tipo de atividade para você: (Pode ser respondido com mais de uma alternativa, caso acredite que apesar de não auxiliar no aprendizado, este tipo de trabalho acrescente em mais de um fator). a) Auxilia no aprendizado de obras literárias e no aprendizado do conteúdo histórico. (38) (84,44%) b) Auxilia no aprendizado de obras literárias, porém não acrescenta no aprendizado do conteúdo histórico. (1) (2,22%) c) Auxilia no aprendizado do conteúdo histórico, porém não acrescenta no aprendizado das obras literárias.(3) (6,66%) d) Apesar de não auxiliar no aprendizado, esse tipo de atividade acrescenta na formação crítica dos alunos. (3) (6,66%) e) Apesar de não auxiliar no aprendizado, esse tipo de atividade acrescenta na integração dos alunos. (2) (4,44%) f) Apesar de não auxiliar no aprendizado, esse tipo de atividade acrescenta por ser uma forma de descontração no ano do Vestibular. (1) (2,22%) g) Não auxilia no aprendizado, nem acrescenta nada. (0) 21) Qual a avaliação síntese que você faz da utilização desse tipo de atividade pelos professores para a sua formação. a) Ótima. (6) (13,33%) b) Muito boa. (21) (46,66%) c) Boa. (14) (31,11%) d) Razoável. (3) (6,66%) e) Ruim. (1) (2,22%) f) Muito Ruim. (0) g) Nula.(0) 22) Se você fosse professor de História ou Literatura: a) Usaria os seminários, vídeos e outras formas de mídia e atividades como a Feira Cultural para ensinar os alunos. (31) (68,88%) 7

8 b) Usaria os seminários, vídeos e outras formas de mídia, mas não usaria atividades como a Feira Cultural para ensinar os alunos. (6) (13,33%) c) Usaria os seminários, atividades como a Feira Cultural, mas não usaria vídeos e outras formas de mídia para ensinar os alunos. (1) (2,22%) d) Usaria os vídeos e outras formas de mídia, atividades como a Feira Cultural, mas não usaria os seminários para ensinar os alunos. (7) (15,55%) e) Usaria apenas os seminários desses métodos. (0) f) Usaria apenas vídeos e outras formas de mídia desses métodos. (0) g) Usaria apenas atividades como a Feira Cultural desses métodos. (0) h) Não usaria nenhum desses métodos. (0) 23) Você realizou um cursinho pré-vestibular? a) Sim. (31) (68,88%) b) Não (13) (28,88%) 1 aluno não respondeu (2,22%) Fazendo uma rápida análise das respostas dos alunos vemos que estes aprovam de maneira considerável a utilização de práticas de ensino alternativas à simples aula expositiva. Cada vez que foram consultados sobre uma prática específica os alunos responderam concordando com a utilização desta em um número sempre variável de 70 a 80%. Mesmo quando perguntados sobre se seria prejudicial ao aluno dedicar-se a esse tipo de atividade em ano de vestibular os alunos consideraram em sua maioria que não dizendo que sempre gostaram de desenvolver estas atividades no colégio (questão 19) e que essas atividades os ajudaram muito ou razoavelmente na preparação para o vestibular (questão 17). Outro resultado interessante é o reconhecimento de que estas atividades auxiliam na formação de um cidadão crítico (questão 14) e na integração dos alunos (questão 15), não sendo para os alunos apenas uma maneira de aprender o conteúdo, mas sim uma prática que contribui para a sua socialização, dever importantíssimo de uma escola. Finalizando a análise do questionário, observemos que os alunos reconhecem tão positivamente as práticas de ensino relacionadas com as novas tendências no ensino de História que 68,88% dos alunos admitem que se fossem professores de História e/ou Literatura, usariam de TODOS os métodos que foram ministrados em suas aulas (filmes, músicas, teatro, seminários, leituras de obras literárias...) e NENHUM aluno respondeu que não usaria nenhum destes métodos. Conclui-se que após o desenvolvimento de atividades ligadas as novas tendências os alunos tendem a reconhecer que estas o ajudaram em sua formação como estudante e como cidadão. As práticas são sim alvos de críticas e tem seus defeitos, mas em geral, mostram-se benéficas aos alunos e gratificantes para os professores que têm a oportunidade de fornecer este tipo de prática de ensino. Quanto às críticas que apareciam de que o vestibular é só conteúdo e que isto atrapalharia os alunos no vestibular, estes alunos, formados com uma prática de ensino ligada às novas tendências dão a resposta. O vestibular realmente mudou, as questões nas provas de História e Literatura buscam que o aluno seja capaz de interpretar e formar o conhecimento, não apenas reproduzi-lo. Vestibulares de instituições como a UFV, a UFMG, a UFOP, a UFJF entre outros são adeptos das novas tendências e o sucesso dos alunos do COLUNI nos seus exames de seleção mostra que eles saem do colégio preparados para enfrentar estes desafios. Esta turma estudada teve um índice de aprovação de 69,18% dos alunos no vestibular (110 no total) até o dia oito de março de 2006 (as Universidades ainda estavam chamando alunos para ocupar vagas não preenchidas) e o COLUNI teve a oitava melhor média nacional no ENEM (segundo o 8

9 INEP), a maior do estado de Minas Gerais e a maior fora do eixo Rio-São Paulo. Fica difícil pensar que se não ajudasse no vestibular, este tipo de atividade ainda atrapalhasse o aluno no vestibular. 3-Conclusão A História caminha por novos caminhos, em muito ainda desconhecidos. As novas tendências precisam ainda ser aprimoradas, mas já se mostram como uma forma de ensino melhor, nos mais variados aspectos, do que a simples exposição do conhecimento ao aluno. A História adquire com a realização deste tipo de prática de ensino o status que lhe é de direito. A disciplina responsável pela formação crítica de um cidadão consciente do seu papel, dos seus direitos e dos seus deveres na sociedade. O papel de alguém que cotidianamente toma decisões nos campos mais variados e é capaz de ter um posicionamento diante destas decisões e das decisões dos outros cidadãos também. O aluno não só produz o conhecimento histórico, é agente histórico também e diante das suas escolhas é capaz de construir a sua própria história. A História crítica lhe oferece os subsídios para que isto seja feito da melhor maneira possível. 9

CURSINHO POPULAR OPORTUNIDADES E DESAFIOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA DOCENTE

CURSINHO POPULAR OPORTUNIDADES E DESAFIOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA DOCENTE CURSINHO POPULAR OPORTUNIDADES E DESAFIOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA DOCENTE INTRODUÇÃO Lucas de Sousa Costa 1 Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará lucascostamba@gmail.com Rigler da Costa Aragão 2

Leia mais

> Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes

> Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes > Folha Dirigida, 18/08/2011 Rio de Janeiro RJ Enem começa a mudar as escolas Thiago Lopes Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), inicialmente, tinha como objetivo avaliar o desempenho

Leia mais

UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO

UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO SOUZA, Caio Henrique Bueno de 1 RODRIGUES, Davi 2 SANTOS, Edna Silva 3 PIRES, Fábio José 4 OLIVEIRA, Jully Gabriela

Leia mais

PROJETO ARARIBÁ. Um projeto que trabalha a compreensão leitora, apresenta uma organização clara dos conteúdos e um programa de atividades específico.

PROJETO ARARIBÁ. Um projeto que trabalha a compreensão leitora, apresenta uma organização clara dos conteúdos e um programa de atividades específico. PROJETO ARARIBÁ Um projeto que trabalha a compreensão leitora, apresenta uma organização clara dos conteúdos e um programa de atividades específico. ARARIBÁ HISTÓRIA O livro tem oito unidades, divididas

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID RELATÓRIO DE ATIVIDADES DO ALUNO BOLSISTA SUBPROJETO DE 2011. 2 Semestre de 2011 Ministério da Educação Secretaria de Educação Média e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE

Leia mais

OS MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTAS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO PRÉ-VESTIBULAR SOLIDÁRIO

OS MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTAS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO PRÉ-VESTIBULAR SOLIDÁRIO OS MAPAS CONCEITUAIS COMO FERRAMENTAS PARA AUXILIAR NA APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO PRÉ-VESTIBULAR SOLIDÁRIO José Jailson Lima Bezerra (1); Joseclécio Dutra Dantas (2) (1) Discente. Licenciatura em Ciências

Leia mais

O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ.

O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ. O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ. Alessandra da Costa Marques; Najara Siva; Lúcia Maria Assunção

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO N DE 2014. (Do Sr. Izalci)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO N DE 2014. (Do Sr. Izalci) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO N DE 2014 (Do Sr. Izalci) Requer informações ao Ministro da Educação Senhor José Henrique Paim sobre o retorno ao País de bolsistas ligados ao Programa Ciência Sem Fronteiras.

Leia mais

*Doutora em Lingüística (UNICAMP), Professora da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

*Doutora em Lingüística (UNICAMP), Professora da Universidade Federal de Viçosa (UFV). PRÁTICAS DE LEITURA EM SALA DE AULA: O USO DE FILMES E DEMAIS PRODUÇÕES CINEMATOGRÁFICAS EM AULAS DE LÍNGUA - PORTUGUESA 52 - Adriana da Silva* adria.silva@ufv.br Alex Caldas Simões** axbr1@yahoo.com.br

Leia mais

Relatório de Atividades Maio e Junho

Relatório de Atividades Maio e Junho Relatório de Atividades Maio e Junho ANA LISE MENSAL MAIO/JUNHO Devido a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 o horário do Projeto Construindo o Saber Pré Vestibular durante a semana foi modificado (16h50min

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Guia Fundamental para Gestão de Qualidade em Serviços Objetivo Capacitar os participantes a interpretarem os requisitos da Norma ISO 9001:2008, relacionados aos

Leia mais

PROGRAMAs de. estudantil

PROGRAMAs de. estudantil PROGRAMAs de empreendedorismo e protagonismo estudantil Ciclo de Palestras MAGNUM Vale do Silício App Store Contatos Calendário Fotos Safari Cumprindo sua missão de oferecer uma educação inovadora e de

Leia mais

A Contextualização e Abrangência dos Conteúdos de Álgebra nos Vestibulares da UEL, UEM e UEPG

A Contextualização e Abrangência dos Conteúdos de Álgebra nos Vestibulares da UEL, UEM e UEPG A Contextualização e Abrangência dos Conteúdos de Álgebra nos Vestibulares da UEL, UEM e UEPG Autor: Gefferson Luiz dos Santos Orientadora: Angela Marta Pereira das Dores Savioli Programa de Pós-Graduação

Leia mais

TEATRO DE MARIONETES DE PAUL KLEE E A PRODUÇÃO DE BONECOS.

TEATRO DE MARIONETES DE PAUL KLEE E A PRODUÇÃO DE BONECOS. TEATRO DE MARIONETES DE PAUL KLEE E A PRODUÇÃO DE BONECOS. Amanda Cristina de Sousa amandita_badiana@hotmail.com E.M. Freitas Azevedo Comunicação Relato de Experiência Resumo: O presente relato trata da

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO.

AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO. AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: MIDS/Macaé E-mail:mzosilva@yahoo.com.br. RESUMO Na atualidade, é preciso que se crie novos métodos

Leia mais

O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1

O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1 O PIBID E A FORMAÇÃO DE ALUNOS DA EJA: UMA EXPERIÊNCIA COM EDUCAÇÃO FINANCEIRA 1 Resumo: Delane Santos de Macedo 2 Universidade Federal do Recôncavo da Bahia delayne_ba@hotmail.coml Gilson Bispo de Jesus

Leia mais

A CITOLOGIA NAS PROVAS DO ENEM: DADOS PRELIMINARES

A CITOLOGIA NAS PROVAS DO ENEM: DADOS PRELIMINARES A CITOLOGIA NAS PROVAS DO ENEM: DADOS PRELIMINARES Tailene Kommling Behling(Acadêmica de Licenciatura em Ciências Biológicas Universidade Católica de Pelotas/UCPEL Bolsista PRONECIM) Viviane Barneche Fonseca

Leia mais

OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA

OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA OLIMPIADAS DE MATEMÁTICA E O DESPERTAR PELO PRAZER DE ESTUDAR MATEMÁTICA Luiz Cleber Soares Padilha Secretaria Municipal de Educação de Campo Grande lcspadilha@hotmail.com Resumo: Neste relato apresentaremos

Leia mais

INSTITUIÇÕES E FUNDAÇÕES

INSTITUIÇÕES E FUNDAÇÕES P R O POS T A A INSTITUIÇÕES E FUNDAÇÕES SOBRE NÓS Quem Somos A mantenedora do Seu Professor atua há mais de 18 anos no segmento educacional, com escolas de Ensino Fundamental, Médio, cursos técnicos,

Leia mais

Programa de Bolsa de Iniciação à Gestão - BIG 2014 Repúblicas Unifesp Diadema. Levantamento Moradias Estudantis UNIFESP - Campus Diadema

Programa de Bolsa de Iniciação à Gestão - BIG 2014 Repúblicas Unifesp Diadema. Levantamento Moradias Estudantis UNIFESP - Campus Diadema Levantamento Moradias Estudantis UNIFESP - Campus Diadema REALIZAÇÃO: APOIO: REALIZAÇÃO Adriana Rosa da Silva Rodrigues - Enfermeira do Núcleo de Apoio ao Estudante - NAE. Érika Correia Silva - Psicóloga

Leia mais

ANEXO II - QUESTIONÁRIO SOCIOCULTURAL

ANEXO II - QUESTIONÁRIO SOCIOCULTURAL ANEXO II - QUESTIONÁRIO SOCIOCULTURAL Processo Seletivo Faculdade AMEC Trabuco 2005.1 Este questionário, que compõe o material de inscrição, tem o objetivo exclusivo de coletar dados socioculturais dos

Leia mais

PATRÍCIA SANTOS COUTO UFRPE/LACAPE JOSINALVA ESTACIO MENEZES UFRPE/LACAPE jomene@ufrpe.br

PATRÍCIA SANTOS COUTO UFRPE/LACAPE JOSINALVA ESTACIO MENEZES UFRPE/LACAPE jomene@ufrpe.br UMA EXPERIÊNCIA SOBRE O USO DE JOGOS E MATERIAL CONCRETO EM CAPACITAÇÕES COM PROFESSORES DE MATEMÁTICA DA REDE ESTADUAL DE ENSINO EM PERNAMBUCO: INTERDISCIPLINARIDADE, REFLEXOS E PERSPECTIVAS PATRÍCIA

Leia mais

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES

O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES O ENSINO DAS FUNÇÕES ATRAVÉS DO JOGO BINGO DE FUNÇÕES Marcos Aurélio Alves e Silva- UFPE/CAA Alcicleide Ramos da Silva- UFPE/CAA Jucélia Silva Santana- UFPE/CAA Edelweis José Tavares Barbosa- UFPE/CAA

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DO CURSO PRÉ-ENEM COMUNITÁRIO TO NA UFAC 2015 RIO BRANCO URBANO TURMA II

EDITAL PARA SELEÇÃO DO CURSO PRÉ-ENEM COMUNITÁRIO TO NA UFAC 2015 RIO BRANCO URBANO TURMA II GRUPO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO GERAÇÃO XXI DIRETÓRIO CENTRAL DOS ESTUDANTES EDITAL PARA SELEÇÃO DO CURSO PRÉ-ENEM COMUNITÁRIO TO NA UFAC 2015 RIO BRANCO URBANO TURMA II EDITAL 08/2015 O Curso Pré-Enem Comunitário

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e Tecnologias para a Educação Básica Coordenação Geral de Materiais Didáticos PARA NÃO ESQUECER:

Leia mais

A GENÉTICA NAS PROVAS DO ENEM: DADOS PRELIMINARES

A GENÉTICA NAS PROVAS DO ENEM: DADOS PRELIMINARES A GENÉTICA NAS PROVAS DO ENEM: DADOS PRELIMINARES Edson Klug Bartz (Acadêmico de Licenciatura em Ciências Biológicas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense/IFSul Bolsista

Leia mais

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA DAS ESCOLAS PÚBLICAS (OBMEP): EXPERIÊNCIAS VIVENCIADAS A PARTIR DO PIBID UEPB MONTEIRO Cícero Félix da Silva; Izailma Nunes de Lima; Ricardo Bandeira de Souza; Manoela

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social DISCURSO DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO, HENRIQUE PAIM Brasília, 3 de fevereiro de 2014 Hoje é um dia muito especial para mim. É um dia marcante em uma trajetória dedicada à gestão pública ao longo de vários

Leia mais

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Denise Ritter Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos deniseritter10@gmail.com Renata da Silva Dessbesel Instituto

Leia mais

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM LICEU DE ARTES E OFICIOS

RELATÓRIO DE TRABALHO DOCENTE OUTUBRO DE 2012 EREM LICEU DE ARTES E OFICIOS UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PERNAMBUCO PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA AMANDA DA FONSECA REGO ANA JÚLIA FREIRE CAMILLA DE CÁSSIA FIGUEIRÊDO JEANE FERREIRA GOMES DAS CHAGAS PABLO

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

Boletim Informativo da Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional - UNIFAP

Boletim Informativo da Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional - UNIFAP Boletim Informativo da Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional - UNIFAP COGEO/CAMBINACIONAL/UNIFAP A Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional

Leia mais

Adair Santa Catarina 1 (Coordenador da Ação de Extensão)

Adair Santa Catarina 1 (Coordenador da Ação de Extensão) CURSO PRÉ-VESTIBULAR DA UNIOESTE UM AMBIENTE INTERDISCIPLINAR PARA FORMAÇÃO DE EDUCADORES Área Temática: Educação Adair Santa Catarina 1 (Coordenador da Ação de Extensão) Aparecida Favoretto 2, Bruna S.

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CAMPUS BARRETOS

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CAMPUS BARRETOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CAMPUS BARRETOS Licenciatura em Ciências Biológicas Instruções para desenvolvimento e registro das Atividades Acadêmico-Científico-

Leia mais

PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL

PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL PRÁTICAS METODOLÓGICAS PARA ENSINO E APRENDIZAGEM DA CARTOGRAFIA NO ENSINO FUNDAMENTAL José Euriques de Vasconcelos Neto (UFCG); Dennis Cláudio Ferreira (UFCG) Resumo O atual sistema educacional tem buscado

Leia mais

ANAIS DA 66ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - RIO BRANCO, AC - JULHO/2014

ANAIS DA 66ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - RIO BRANCO, AC - JULHO/2014 1 ANAIS DA 66ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - RIO BRANCO, AC - JULHO/2014 O Pibid: ações de formação de professores que impactam a escola e a universidade Maurivan Güntzel Ramos mgramos@pucrs.br O presente texto

Leia mais

CONTRATEMPOS E QUESTIONAMENTOS QUE INTERFEREM NO PLANEJAMENTO DA AULA: EXPERIÊNCIAS DOS ALUNOS DO PIBID MATEMÁTICA

CONTRATEMPOS E QUESTIONAMENTOS QUE INTERFEREM NO PLANEJAMENTO DA AULA: EXPERIÊNCIAS DOS ALUNOS DO PIBID MATEMÁTICA CONTRATEMPOS E QUESTIONAMENTOS QUE INTERFEREM NO PLANEJAMENTO DA AULA: EXPERIÊNCIAS DOS ALUNOS DO PIBID MATEMÁTICA Amanda Aparecida Rocha Machado Universidade Federal do Triângulo Mineiro E-mail: amandamachado_56@hotmail.com

Leia mais

Relatório Fotográfico de Atividades -1º Semestre 2015

Relatório Fotográfico de Atividades -1º Semestre 2015 Relatório Fotográfico de Atividades -1º Semestre 2015 Subprojeto... Colégio Estadual Professor Waldemar Amoretty Machado Supervisora: Gisele Machado Brites Rodrigues Bolsistas: Ariani, Camila Simões, Kamile

Leia mais

UFG (Projetos) e seu conceito (MEC)

UFG (Projetos) e seu conceito (MEC) UFG (Projetos) e seu conceito (MEC) Dos cursos avaliados pelo Ministério da Educação (MEC) em 2007, a maioria obteve conceito bom (nota 4) ou excelente (nota 5) no Enade, no Índice de Diferença de Desempenho

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE UM CIDADÃO CRÍTICO POR MEIO DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO. 1

A CONSTRUÇÃO DE UM CIDADÃO CRÍTICO POR MEIO DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO. 1 1 A CONSTRUÇÃO DE UM CIDADÃO CRÍTICO POR MEIO DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO. 1 Fabiana Bezerra Mangili Edilene Précoma Marcela Bianca Malosso Graça Caroline Felizardo Carrazedo de Souza 2 RESUMO: O presente

Leia mais

INTERAÇÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA NO CANTEIRO DE OBRAS

INTERAÇÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA NO CANTEIRO DE OBRAS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X ) TECNOLOGIA INTERAÇÃO

Leia mais

Nosso desafio é atingir a nobre meta de ajudar alguém a encontrar-se com sua própria realidade, sua própria natureza e sua razão de ser pessoa.

Nosso desafio é atingir a nobre meta de ajudar alguém a encontrar-se com sua própria realidade, sua própria natureza e sua razão de ser pessoa. Nosso desafio é atingir a nobre meta de ajudar alguém a encontrar-se com sua própria realidade, sua própria natureza e sua razão de ser pessoa. Proposta Pedagógica Irmãs Marcelinas Para os Pais Para a

Leia mais

MATEMÁTICA FINANCEIRA NO ENSINO MÉDIO: O QUE PENSAM PROFESSORES, ALUNOS E REPRESENTANTES DO COMÉRCIO DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA ESTADO DE RORAIMA

MATEMÁTICA FINANCEIRA NO ENSINO MÉDIO: O QUE PENSAM PROFESSORES, ALUNOS E REPRESENTANTES DO COMÉRCIO DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA ESTADO DE RORAIMA MATEMÁTICA FINANCEIRA NO ENSINO MÉDIO: O QUE PENSAM PROFESSORES, ALUNOS E REPRESENTANTES DO COMÉRCIO DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA ESTADO DE RORAIMA José Roberto da silva Almeida, Arno Bayer jrsa12@hotmail.com,

Leia mais

Centro Universitário de Belo Horizonte - UniBH. Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde - ICBS

Centro Universitário de Belo Horizonte - UniBH. Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde - ICBS Centro Universitário de Belo Horizonte - UniBH Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde - ICBS Manual Atividades Complementares de Graduação - ACG Curso de Educação Física / Licenciatura e Bacharelado

Leia mais

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA

Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Ensino ativo para uma aprendizagem ativa: Eu quero saber fazer. Karina Grace Ferreira de Oliveira CREFITO 25367-F FADBA Em ação! PARTE 1: (5 minutos) Procure alguém que você não conhece ou que conhece

Leia mais

ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROJETO ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO A PARTIR DE CURSO DE APRIMORAMENTO DOCENTE

ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROJETO ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO A PARTIR DE CURSO DE APRIMORAMENTO DOCENTE ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO EDITAL PARA SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROJETO ENSINO JURÍDICO DEMOCRÁTICO A PARTIR DE CURSO DE APRIMORAMENTO DOCENTE SÃO PAULO JULHO DE 2015 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS A Fundação

Leia mais

Manual de Pedido de Matrícula em Disciplinas pelo Q-Acadêmico WEB

Manual de Pedido de Matrícula em Disciplinas pelo Q-Acadêmico WEB Manual de Pedido de Matrícula em Disciplinas pelo Q-Acadêmico WEB Área Responsável Implantação Preparado por: Leonardo Moulin Franco 27 de maio de 2009 Revisão 00 TABELA DE REVISÃO DESTE MANUAL REVISÃO

Leia mais

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO

OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO ISSN 2177-9139 OLIMPÍADAS DE CIÊNCIAS EXATAS: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO ENSINO PÚBLICO E PRIVADO André Martins Alvarenga - andrealvarenga@unipampa.edu.br Andressa Sanches Teixeira - andressaexatas2013@gmail.com

Leia mais

2. SUBSTITUIÇÃO DO COORDENADOR LOCAL

2. SUBSTITUIÇÃO DO COORDENADOR LOCAL Pacto 2014 Documento de Orientação Em 2014, iniciaremos o Ano 2 do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa 2014. A principal diferença do programa refere-se aos conteúdos que serão trabalhados

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS - UnN de FORMOSA, GO. PROJETO ARTENOSSA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS - UnN de FORMOSA, GO. PROJETO ARTENOSSA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS - UnN de FORMOSA, GO. PROJETO ARTENOSSA ¹SANT ANNA, Maria Ap. Cagnoni; LEAL, Marcia Rodrigues². Palavras Chaves: Artes, Criança, Escola, Cidadania. Introdução Este Projeto

Leia mais

5 201 O LI Ó RTF PO 1

5 201 O LI Ó RTF PO 1 1 PORTFÓLIO 2015 Um pouco da trajetória do Colégio Ação1 QUANDO TUDO COMEÇOU 1993 Experientes profissionais fundaram, no bairro do Méier, a primeira unidade da rede Ação1. O foco do trabalho era a preparação

Leia mais

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke

Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke Instituto Federal do Paraná Licenciatura em Física Produção de Videoaulas de Física para a Internet Leonardo Senna Zelinski da Silva Silvia Leticia Ludke SUMÁRIO 1 Introdução... 2 2 Justificativa... 4

Leia mais

A medida da lei de cotas para o ensino superior

A medida da lei de cotas para o ensino superior Versão 2, 1/12/2008 A medida da lei de cotas para o ensino superior Simon Schwartzman Qual o verdadeiro alcance da lei de cotas para o ensino superior aprovada pelo Congresso Nacional no Dia da Consciência

Leia mais

ESCOLA MUNICIPAL IVAIPORÃ PROJETO DE LEITURA: LIVRO AMIGO

ESCOLA MUNICIPAL IVAIPORÃ PROJETO DE LEITURA: LIVRO AMIGO ESCOLA MUNICIPAL IVAIPORÃ PROJETO DE LEITURA: LIVRO AMIGO Projeto escolar com a temática Livro Amigo produzido no ano de 2012, 2013 e em andamento em 2014, por todos os integrantes da escola e comunidade.

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor

Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor Atividades CTS em uma abordagem argumentativa: a reflexão de um futuro professor Ariane Baffa Lourenço 1, Maria Lúcia V. dos S. Abib 2 e Salete Linhares Queiroz 3 1 Programa de Pós-Graduação Interunidades

Leia mais

Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia

Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia PAOLA GENTILE Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia A forma como se lê um texto varia mais de acordo com o objetivo proposto do que com o gênero, mas você pode ajudar o aluno a entender

Leia mais

Apresentar a visão do aluno acerca da Plataforma Moodle no ensino de Inglês Instrumental. Oferecer sugestões para o aprimoramento dessa ferramenta.

Apresentar a visão do aluno acerca da Plataforma Moodle no ensino de Inglês Instrumental. Oferecer sugestões para o aprimoramento dessa ferramenta. João Pedro Abraham Tosta (Graduando, UFRJ) Mariana Delesderrier da Silva (Graduanda, UFRJ) Apresentar a visão do aluno acerca da Plataforma Moodle no ensino de Inglês Instrumental. Apontar seus pontos

Leia mais

ALUNO DO IE IE em greve desde segunda. Paralisação do instituto bem produtiva, pois proporcionou a participação de vários alunos e foi bem proveitosa.

ALUNO DO IE IE em greve desde segunda. Paralisação do instituto bem produtiva, pois proporcionou a participação de vários alunos e foi bem proveitosa. ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL DOS ALUNOS DA COMPUTAÇÃO MESA DA ASSEMBLEIA Expõem a proposta da assembleia e explica o funcionamento da mesma. (INFORMES) ALUNO DO IE IE em greve desde segunda. Paralisação do

Leia mais

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO

ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO ATIVIDADES EXPERIMENTAIS PARA O ESTUDO DA ASTRONOMIA: CONSTRUINDO O SISTEMA SOLAR REDUZIDO José da Silva de Lima¹; José Rodolfo Neves da Silva²; Renally Gonçalves da Silva³; Alessandro Frederico da Silveira

Leia mais

Título do Case: O papel do Movimento Empresa Júnior na formação de empreendedores que transformam a vida das pessoas Categoria: EJ Empreendedora

Título do Case: O papel do Movimento Empresa Júnior na formação de empreendedores que transformam a vida das pessoas Categoria: EJ Empreendedora Título do Case: O papel do Movimento Empresa Júnior na formação de empreendedores que transformam a vida das pessoas Categoria: EJ Empreendedora Resumo: O Movimento Empresa Júnior (MEJ) brasileiro há mais

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO 2016

EDITAL DE SELEÇÃO 2016 EDITAL DE SELEÇÃO 2016 O Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento de Tecnologia do Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento Institutos Lactec, em parceria com o Instituto de Engenharia do Paraná

Leia mais

M a n u a l E n e m 2 0 1 4 P á g i n a 1

M a n u a l E n e m 2 0 1 4 P á g i n a 1 M a n u a l E n e m 2 0 1 4 P á g i n a 1 Criado em 1998, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), segundo o próprio INEP, tinha o objetivo de avaliar o desempenho do aluno ao término da escolaridade básica,

Leia mais

OSVALDO. Como também foi determinante a motivação e a indicação feita por um professor.

OSVALDO. Como também foi determinante a motivação e a indicação feita por um professor. OSVALDO Bom dia! Meu nome é Osvaldo, tenho 15 anos, sou de Santa Isabel SP (uma cidadezinha próxima à Guarulhos) e, com muito orgulho, sou bolsista ISMART! Ingressei no ISMART este ano e atualmente estou

Leia mais

Flyer de Divulgação da Banda Beatrice

Flyer de Divulgação da Banda Beatrice UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Comunicação Social Hab. Midialogia Disciplina: CS101 Métodos e Técnicas de Pesquisa em Midialogia Prof. José A. Valente Aluna: Bruna Luiza Bellico Neves RA: 095606 Flyer

Leia mais

Metodologia Para a realização desse trabalho foi analisado o Documento orientador

Metodologia Para a realização desse trabalho foi analisado o Documento orientador FORMAÇÃO CONTINUADA: UMA ANÁLISE DA APLICAÇÃO DO SISMÉDIO NA ESCOLA PROFESSOR JOSÉ SOARES DE CARVALHO- GUARABIRA-PB Gyslâynne Mary dos Santos Hermenegildo Rodrigues EEEFM Professor José Soares de Carvalho

Leia mais

Você conhece a Faculdade Sagrada Família? Quais os cursos que a FASF irá ofertar?

Você conhece a Faculdade Sagrada Família? Quais os cursos que a FASF irá ofertar? 1 Você conhece a Faculdade Sagrada Família? A FASF iniciou as suas atividades no ano de 2011, após ter passado por todos os processos burocráticos exigidos pelo Ministério da Educação para sua abertura

Leia mais

Situação-problema com enfoque CTS: planejamento e desenvolvimento nas escolas

Situação-problema com enfoque CTS: planejamento e desenvolvimento nas escolas Situação-problema com enfoque CTS: planejamento e desenvolvimento nas escolas A LEI SECA DISCUTIDA POR MEIO DE UMA SITUAÇÃO- PROBLEMA COM ENFOQUE CTS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Durante alguns encontros

Leia mais

PROJETO DE VIDA O PAPEL DA ESCOLA NA VIDA DOS JOVENS

PROJETO DE VIDA O PAPEL DA ESCOLA NA VIDA DOS JOVENS PROJETO DE VIDA O PAPEL DA ESCOLA NA VIDA DOS JOVENS O que é ensinado nas escolas prepara os alunos para concretizarem seus projetos na vida adulta? Para achar a resposta, entrevistamos jovens egressos

Leia mais

AULAS INTERATIVAS: COMO UMA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM SALA DE AULA

AULAS INTERATIVAS: COMO UMA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM SALA DE AULA AULAS INTERATIVAS: COMO UMA CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO EM SALA DE AULA Katia Barros de Sousa Graduanda do curso de Licenciatura Plena em Geografia da Universidade Estadual da Paraíba katiabarros-geo@hotmail.com

Leia mais

Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando. Novos Gênios

Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando. Novos Gênios Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando Novos Gênios BELIZARIO, B. N; AFONSO JUNIOR, O. P; OLIVEIRA, J. V. S; 1 Ensino de Programação nas Escolas Públicas: Criando Novos Gênios Orlando Pereira

Leia mais

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA

CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA CONCEPÇÕES MATEMÁTICA APRESENTADAS POR PROFESSORES DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA Jacqueline Oliveira de Melo Gomes Faculdade de Formação de Professores da Mata Sul / FAMASUL-PE jacomgomes@yahoo.com.br

Leia mais

Programa de Pós Graduação em Educação da FCT/UNESP, Presidente Prudente, SP. depenna05@yahoo.com.br

Programa de Pós Graduação em Educação da FCT/UNESP, Presidente Prudente, SP. depenna05@yahoo.com.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 799 INTERVENÇÃO EM ARTE COM O AUXÍLIO DO SOFTWARE PHOTOSHOP Denise Penna Quintanilha Programa de Pós Graduação em

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

1. DESCRIÇÃO 2. OS NÚCLEOS. O PROJETO MEDICINA é dividido em três núcleos:

1. DESCRIÇÃO 2. OS NÚCLEOS. O PROJETO MEDICINA é dividido em três núcleos: 1. DESCRIÇÃO O PROJETO MEDICINA é um curso com aulas especiais, materiais de apoio e orientações específicas, que aumentam consideravelmente as chances do aluno ingressar nas carreiras mais concorridas

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA

PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Resumo ISSN 2316-7785 PARTICIPAÇÃO DO GRUPO PET MATEMÁTICA NO PRÉ- VESTIBULAR POPULAR ALTERNATIVA Stephanie Abé abe.stephanie1@gmail.com Ana Caroline Pierini karolpierini@gmail.com Luana Kuister Xavier

Leia mais

Visão de Futuro Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Visão de Futuro Instituto Tecnológico de Aeronáutica Visão de Futuro Instituto Tecnológico de Aeronáutica João Luiz F. Azevedo Apresentação preparada como parte do processo de seleção do Reitor do ITA São José dos Campos, 23 de outubro de 2015 Resumo da

Leia mais

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra!

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra! ROTEIRO DE ESTUDOS DE LITERATURA PARA A 3ª ETAPA 2ª SÉRIE Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Como ensinar os porquês dos conceitos básicos da Matemática, visando a melhora do processo ensino e aprendizado

Mostra de Projetos 2011. Como ensinar os porquês dos conceitos básicos da Matemática, visando a melhora do processo ensino e aprendizado Mostra de Projetos 2011 Como ensinar os porquês dos conceitos básicos da Matemática, visando a melhora do processo ensino e aprendizado Mostra Local de: Paranavaí Categoria do projeto: II - Projetos finalizados

Leia mais

XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA

XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA XIX CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA IMPACTOS DO PIBID/INGLÊS SUSTENTABILIDADE NOS ALUNOS André Henrique Gonçalves (UESC) henriqueios@live.com Laura de Almeida (UESC) prismaxe@gmail.com RESUMO

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Marília Darc Cardoso Cabral e Silva 1 Tatiane Pereira da Silva 2 RESUMO Sendo a arte uma forma do ser humano expressar seus sentimentos,

Leia mais

Pibid 2013 Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência

Pibid 2013 Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência Proposta Edital nº. 61/2013 Número da proposta 128395 ID Projeto - UFU Instituição de Ensino Superior Nome UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA/UFU Código INEP 17 CNPJ 25.648.387/0001-18 Categoria administrativa

Leia mais

Informações inerentes à renovação de matrícula para o ano letivo de 2015. Senhores Pais ou Responsáveis,

Informações inerentes à renovação de matrícula para o ano letivo de 2015. Senhores Pais ou Responsáveis, Informações inerentes à renovação de matrícula para o ano letivo de 2015. Senhores Pais ou Responsáveis, Vitória/ES, 03 de outubro de 2014. Informamos que o Contrato de Prestação de Serviços Educacionais

Leia mais

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS BRASÍLIA ECHARDT VIEIRA (CENTRO DE ATIVIDADES COMUNITÁRIAS DE SÃO JOÃO DE MERITI - CAC). Resumo Na Baixada Fluminense, uma professora que não está atuando no magistério,

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 POLÍTICAS PÚBLICAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Erika Cristina Pereira Guimarães (Pibid-UFT- Tocantinópolis) Anna Thércia José Carvalho de Amorim (UFT- Tocantinópolis) O presente artigo discute a realidade das

Leia mais

Roteiro da Biblioteca das Faculdades Coc Como Fazer Uma Pesquisa Teórica e Elaborar um Trabalho Acadêmico

Roteiro da Biblioteca das Faculdades Coc Como Fazer Uma Pesquisa Teórica e Elaborar um Trabalho Acadêmico Roteiro da Biblioteca das Faculdades Coc Como Fazer Uma Pesquisa Teórica e Elaborar um Trabalho Acadêmico Para realizar uma pesquisa que não se torne um grande sacrifício pelas dificuldades em encontrar

Leia mais

O JORNAL EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DO LETRAMENTO, O ALUNO COMO CENTRO DA NOTÍCIA

O JORNAL EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DO LETRAMENTO, O ALUNO COMO CENTRO DA NOTÍCIA O JORNAL EM SALA DE AULA: PARA ALÉM DO LETRAMENTO, O ALUNO COMO CENTRO DA NOTÍCIA Ana Lhayse Feitoza Albuquerque analhayse@hotmail.com Beatriz Correia Neri de Araújo beatrizneri00@hotmail.com Thays Emanuela

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÄO DO CURSO-TCC DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÄO DO CURSO-TCC DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÄO DO CURSO-TCC DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA CAPITULO I Do Conceito, dos Princípios, das Finalidades e dos Objetivos Art. 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso-TCC

Leia mais

Curso de Graduação em Administração

Curso de Graduação em Administração Curso de Graduação em Administração O curso de Administração da ESPM forma excelentes profissionais há mais de uma década. Iniciado em 1990, formou sua primeira turma em 1994, quando o curso tinha cinco

Leia mais

A LEITURA LITERÁRIA: UM OLHAR SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE INCENTIVO À LEITURA DA LITERATURA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DE SÃO SEBASTIÃO

A LEITURA LITERÁRIA: UM OLHAR SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE INCENTIVO À LEITURA DA LITERATURA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DE SÃO SEBASTIÃO A LEITURA LITERÁRIA: UM OLHAR SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE INCENTIVO À LEITURA DA LITERATURA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DE SÃO SEBASTIÃO Autores: Rúbia Ribeiro LEÃO; Letícia Érica Gonçalves

Leia mais

GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO

GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO GEOMETRIA NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA COM UM PROJETO DE EXTENSÃO André Luís Mattedi Dias mattedi@uefs.br Jamerson dos Santos Pereira pereirajamerson@hotmail.com Jany Santos Souza Goulart janymsdesenho@yahoo.com.br

Leia mais

7º ano - Criação e percepção - de si, do outro e do mundo

7º ano - Criação e percepção - de si, do outro e do mundo RELATÓRIO DE ARTES 1º Semestre/2015 Turma: 7º ano Professora: Mirna Rolim Coordenação pedagógica: Maria Aparecida de Lima Leme 7º ano - Criação e percepção - de si, do outro e do mundo Sinto que o 7º ano

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA FORMAÇÃO DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA Fabiana de Jesus Oliveira União de Ensino do Sudoeste do Paraná fabiana@unisep.edu.br Diversas são as pesquisas que têm mostrado que o ensino encontra-se

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito CARIACICA-ES ABRIL DE 2011 FACULDADE ESPÍRITO SANTENSE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Pesquisa direcionada a alunos egressos dos cursos

Leia mais