VESTIBULAR 2008 CURSO DE MEDICINA HUMANA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VESTIBULAR 2008 CURSO DE MEDICINA HUMANA"

Transcrição

1 VESTIBULA 00 US DE MEDIINA UMANA Dezembro/ 007 LEIA ATENTAMENTE AS INSTUÇÕES ABAIX Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este caderno, com o enunciado das 0 questões objetivas, das questões discursivas de BILGIA/QUÍMIA, sem repetição ou falha, e o tema da edação; b) 1 aderno de espostas, contendo espaço para desenvolvimento das respostas às questões discursivas de BILGIA/QUÍMIA, além de um ATÃ-ESPSTA, com seu nome e número de inscrição, destinado às respostas das questões objetivas; c) 1 folha para o desenvolvimento da edação, grampeada a um ATÃ, com seu nome e número de inscrição. 0 - Verifique se este material está em ordem, se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem nos ATÕES. aso contrário, notifique IMEDIATAMENTE ao fiscal Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio de cada ATÃ, preferivelmente a caneta esferográfica de tinta na cor preta. 0 - No ATÃ-ESPSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita preenchendo todo o espaço do círculo, a lápis preto n o ou caneta esferográfica de tinta na cor preta, com um traço contínuo e denso. A LEITA ÓTIA utilizada na leitura do ATÃ-ESPSTA é sensível a marcas escuras, portanto, preencha os campos de marcação completamente, sem deixar claros. Exemplo: A D E 05 - Tenha muito cuidado com os ATÕES, para não os DBA, AMASSA ou MANA. s mesmos SMENTE poderão ser substituídos caso estejam danificados em suas margens superiores e/ou inferiores BAA DE ENEIMENT PAA LEITUA ÓTIA. 0 - Para cada uma das questões objetivas são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (), (D) e (E); só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA ESPSTA: a marcação em mais de uma alternativa anula a questão, MESM QUE UMA DAS ESPSTAS ESTEJA ETA As questões são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado. 0 - SEÁ ELIMINAD do oncurso Vestibular o candidato que: a) se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas e/ou relógios de calcular, bem como de rádios gravadores, headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie; b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o aderno de Questões e/ou o aderno de espostas (com o ATÃ-ESPSTA) e/ou a folha da edação; c) não assinar a Lista de Presença e/ou os ATÕES eserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu ATÃ-ESPSTA. s rascunhos nos adernos de Questões, de espostas e na folha da edação NÃ SEÃ LEVADS EM NTA. - Quando terminar, entregue ao fiscal o ADEN DE QUESTÕES, ADEN DE ESPSTAS (com o ATÃ-ESPSTA), A FLA DA EDAÇÃ (M ATÃ) E ASSINE A LISTA DE PESENÇA TEMP DISPNÍVEL PAA ESTAS PVAS DE QUESTÕES BJETIVAS E DISUSIVAS E A EDAÇÃ É DE (QUAT) AS. 1 BAS PVAS! UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00

2 EDAÇÃ Texto I médico e o paciente Ao analisarmos a história da medicina, observamos que, entre inúmeros aspectos importantes, um deles nos chama profundamente a atenção: é o que diz respeito aos primórdios da relação entre o doente e aquele que irá prestar-lhe cuidados. imenso progresso no campo da farmacologia, da bioengenharia e da tecnologia fez com que o médico tivesse sua atenção voltada muito mais para a tecnologia do que para a sua importância no relacionamento humano com o doente. A tecnologia trouxe, evidentemente, grande progresso à medicina, tornando o homem transparente. Porém, não mostra as condições socioeconômicas, familiares e profissionais do doente, informações que são obtidas apenas na relação do médico com o paciente. LPES, Antônio arlos.(adaptado). Disponível em: Texto II A medicina humanista É cada vez mais difícil ser um médico humanista. uvir, examinar, aconselhar, apoiar são coisas cada vez mais difíceis, cuja dificuldade aumenta em relação direta com os avanços técnicos da medicina. s médicos, cada vez mais, são divididos em dois grupos. Não são os médicos de primeira e os de segunda, mas os médicos de cuidados primários, que conhecem o doente a fundo; que têm de ter tempo para os seus doentes; que conhecem o contexto familiar e social dos indivíduos; que ouvem e apóiam. E os técnicos diferenciados, que executam as técnicas altamente diferenciadas; os que tratam de doenças específicas; os que se especializam em alguns dos sistemas desse universo que é o ser humano. São os médicos que tratam doentes e os médicos que tratam doenças... ANTUNES, João Lobo. (Adaptado). Disponível em: s Textos I e II enfocam dois aspectos relevantes na Medicina, atualmente: a relação médico-paciente e a necessidade constante de aprimoramento do profissional da área de saúde frente aos crescentes avanços da ciência. Leia os textos acima e posicione-se a respeito das idéias neles contidas. onstrua um texto dissertativo, com o mínimo de 5 e o máximo de 30 linhas, apresentando argumentos que fundamentem a posição que você adotou. Dê um título à sua redação, que deve ser escrita a caneta de tinta na cor preta. VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI

3 Utilize as informações abaixo para responder às questões de n os 1 e. Ministério da Saúde lança campanha nacional contra a Dengue Ministério da Saúde lança hoje (1) a ampanha Nacional de Mobilização contra a Dengue. A iniciativa é feita nos dias que antecedem o período de chuvas, quando o risco da doença é maior. tema deste ano é ombater a dengue é um dever meu, seu e de todos. A dengue pode matar. A ação tem o objetivo de estimular a população a eliminar os locais de água parada, onde o mosquito transmissor se multiplica. (...) onfira o quadro comparativo entre 00 e 007. asos notificados de Dengue omparação (janeiro a setembro) UF Total jan. set. INIDÊNIA* INIDÊNIA* % variação MG , 11,1 197, ES ,9 395,3 0,5 J , 1,0 3,5 SP ,75 19,7 15, * Incidência por habitantes Disponível em: 1 quadro acima apresenta informações sobre a ocorrência da dengue na egião Sudeste nos dois últimos anos. De acordo com essas informações, em quais Estados o percentual da população atingida pela dengue foi mais elevado, em 00 e em 007, respectivamente? (A) Minas Gerais e Espírito Santo. (B) Espírito Santo e io de Janeiro. () São Paulo e Minas Gerais. (D) São Paulo e Espírito Santo. (E) io de Janeiro e São Paulo. Baseando-se nos dados do quadro comparativo, conclui-se que, atualmente, o Estado do Espírito Santo tem: (A) menos de milhões de habitantes. (B) entre e 3 milhões de habitantes. () entre 3 e milhões de habitantes. (D) entre e 5 milhões de habitantes. (E) mais de 5 milhões de habitantes. 3 Uma prescrição médica determinou que um paciente recebesse 500 ml de soro glicosado a % por via intravenosa, mas o hospital só dispunha de soro glicosado a 5%. Para atender ao paciente, a enfermagem introduziu,5 ampolas de 0 ml de solução de glicose a 50% no frasco que continha 500 ml de soro glicosado a 5%, e administrou a solução ao paciente. Sobre esse procedimento são feitas as afirmativas abaixo. I - paciente recebeu a massa de glicose prescrita. II - A solução administrada ao paciente possui concentração inferior a % de glicose. III - A concentração da solução de glicose prescrita pelo médico é superior a 0,5 mol/l. (Dados: As concentrações percentuais citadas referem-se à percentagem em massa de glicose por volume de solução; Massa molar da glicose = 10 g/mol) Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s): (A) I, apenas. () I e II, apenas. (E) I, II e III. (B) III, apenas. (D) II e III, apenas. 3 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00

4 onsidere o texto e o poema a seguir para responder às questões de n os e 5. A reflexão sobre o ofício de escrever, de pensar o fazer poético tornou-se verdadeira obsessão entre os escritores modernos, como é o caso de Manuel Bandeira com Poética, arlos Drummond de Andrade com Procura da poesia e João abral com atar feijão, para citar apenas três modernistas. 5 atar Feijão atar feijão se limita com escrever: jogam-se os grãos na água do alguidar e as palavras na da folha de papel; e depois, joga-se fora o que boiar. certo, toda palavra boiará no papel, água congelada, por chumbo seu verbo: pois para catar esse feijão, soprar nele, e jogar fora o leve e oco, palha e eco. ra, nesse catar feijão entra um risco: o de que entre os grãos pesados entre um grão qualquer, pedra ou indigesto, um grão imastigável, de quebrar dente. erto não, quando ao catar palavras: a pedra dá à frase seu grão mais vivo: 15 obstrui a leitura fluviante, flutual, açula a atenção, isca-a com o risco. MEL NET, João abral. bra completa. Ed. org. por Marly de liveira. io de Janeiro: Nova Aguilar, 199. p poema de João abral trata da artesania do fazer-poético ao utilizar a(o) (A) comparação entre catar palavra e catar feijão. (B) anedótico como produto da inspiração. () contraste antitético da emoção. (D) cotidiano como criação poética. (E) discurso ideológico como valor estético. 5 Nesse poema, os termos destacados estão empregados ora em seu sentido próprio (denotativo) ora em sentido figurado (conotativo). onsidere os versos a seguir. I - atar feijão se limita com escrever: (v.1) II - jogam-se os grãos na água do alguidar (v.) III - erto não, quando ao catar palavras: (v.13) IV - a pedra dá à frase seu grão mais vivo: (v.1) s versos em que o termo destacado está empregado em sentido conotativo são somente (A) I e II. (B) I e III. () I e IV. (D) II e III. (E) III e IV. VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00 Utilize o texto abaixo para responder às questões e 7. A (Sometimes) Deadly Scourge Kevin Sack Two weeks ago, the government released a startling new estimate that nearly 19,000 people in the United States had died in a single year after being infected with the virulent superbug known as methicillin-resistant staphylococcus 5 aureus, or MSA. Within days, the nasty little bacteria seemed to be everywhere. News reports told of cases in schools and prisons and locker rooms, including the announcement on Thursday that a Brooklyn middle school student had died with an MSA infection on ct. 1. Across the country, classrooms were closed for disinfection as politicians and health officials scrambled to calm an anxious public. Lost in the frenzy were a few fundamental truths reinforced 15 by the new research, which was conducted by the enters for Disease ontrol and Prevention. The most significant is that while MSA clearly can kill, it rarely does so when contracted in the general public, where it typically appears as an easily treatable skin infection. The vast majority of 0 lethal cases occur in hospitals and nursing homes, where open wounds and punctures provide the opportunistic staphylococcus a ready path to the bloodstream and organs. Adapted from sack.html?_r=1&ref=health&oref=slogin The purpose of the text is to: (A) describe all the symptoms associated with an MSA infection. (B) inform about the precise number of patients infected with MSA. () report on a current infection that has been alarming the United States. (D) convince the Americans to avoid sending their kids to school at the moment. (E) criticize the inefficient measures taken by the government to fight an infectious disease. 7 heck the only correct option. (A) virulent (line 3) could be substituted by harmless. (B) nasty (line ) and unpleasant are antonyms. () scrambled (line 1) and cooperated are synonyms. (D) frenzy (line 1) and excitement have opposite meanings. (E) lethal (line 0) and deadly have the same meaning. UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI

5 om animais geneticamente modificados, os pesquisadores conseguem, em muitos casos, descobrir o papel de um gene para o surgimento ou o desenvolvimento de doenças. De fato, foi possível estudar o papel do gene denominado ob em camundongos. Estes animais mutantes ob/ob (knockout ob/ob) apresentam uma deficiência na produção de leptina. omem excessivamente e pesam 3 a 5 vezes mais que um animal normal, conforme pode ser visto na figura abaixo. Jornal Globo, nov A tira acima trata da variação a que toda língua viva se submete. Pelo exposto, depreende-se que as pessoas variam o(a) (A) modo de pronunciar as palavras sem que se altere o significado das mesmas. (B) modo de pronunciar as palavras sabendo que, assim, vão alterar o significado das mesmas. () significado das palavras sempre que modificam o modo de pronunciá-las. (D) pronúncia das palavras e deixam de perceber o significado que as mesmas apresentam. (E) pronúncia das palavras sempre que desejam alterar o significado das mesmas. Utilize o texto para responder às questões de n os 9 e. Vencedores do Nobel de Medicina de 007 Trio de geneticistas leva prêmio por estudos que permitiram desligar genes em roedores e criar modelos animais para doenças humanas. Por trabalhos com células-tronco embrionárias, três cientistas ganharam o prêmio Nobel de Medicina (Fisiologia) deste ano. Estes trabalhos permitiram a introdução de alterações no DNA de camundongos e possibilitaram a criação de modelos experimentais de mais de 500 doenças humanas a partir desses roedores geneticamente modificados. As pesquisas do trio levaram à criação de uma tecnologia denominada gene target in mice (alvo do gene em camundongos), hoje amplamente utilizada na pesquisa básica e aplicada. Por meio desse método, é possível desligar ou cortar um ou mais genes específicos num roedor e criar linhagens de animais em que esse gene em estudo se mostra inativo, as chamadas linhagens de camundongos knockout. evista Pesquisa FAPESP, out (Adaptado). 9 om base no texto acima, é correto afirmar que, com o uso da técnica descrita, ocorre: (A) deleção de células-tronco. (B) deleção de genes-alvo. () mutação espontânea. (D) terapia de genes-mutante. (E) terapia de genes-alvos. om estes resultados é possível afirmar que: I - estes animais mutantes ob/ob são maciçamente obesos como conseqüência da deficiência de leptina; II - a leptina pode estar relacionada ao controle da ingesta alimentar e levar ao acúmulo exagerado de gordura; III - a relação entre a leptina e o animal mutante ob/ob reflete as ações da leptina sobre a regulação da saciedade e da fome; IV - o gene ob está relacionado à síntese da substância leptina que, uma vez produzida, induz à obesidade. Das afirmativas acima, estão corretas: (A) I e II, apenas. (B) II e III, apenas. () I, II e III, apenas. (D) I, III e IV, apenas. (E) I, II, III e IV. 11 A investigação da atividade cerebral mostrou as áreas que devem ser estimuladas para tornar um produto altamente desejável. E, lançando mão do neuromarketing, uma centena de empresas já utilizam esses conhecimentos para vender sempre mais. É a exploração do cérebro com fins mercantins. Le Monde Diplomatique Brasil, nov Aplicando-se os princípios da autonomia, da justiça e da beneficência, o comportamento das empresas que utilizam o neuromarketing pode ser questionado com base na (A) biodiversidade. (B) biotecnologia. () bioética. (D) biogenética. (E) biogeografia. 5 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00

6 1 A ocitocina é um hormônio produzido no hipotálamo, que exerce papel fundamental nas contrações do parto e na amamentação. ecentemente, outras funções da ocitocina têm sido desvendadas. Um dos grandes estímulos para a liberação de ocitocina é o contato físico e, no orgasmo, seus níveis são elevados. A ocitocina tem sido apelidada de hormônio do abraço e está associada à sensação de bem-estar gerada pelo acolhimento. Amar faz bem ao coração. A ação da ocitocina provoca a redução dos batimentos cardíacos e diminui a pressão arterial. citocina Sabendo-se que a ocitocina é um polipeptídeo de fórmula molecular 3 N 1 1 S, representado pelo arranjo acima, qual das reações abaixo se assemelha às que ocorrem entre as moléculas que dão origem à ocitocina? (A) atalisador + ' ' + (B) ' + atalisador ' () atalisador + N ' N ' + (D) atalisador + ' ' + (E) S 3 atalisador + N ' S N ' + VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI

7 13 1 omo foi nos EUA omicídios por 0 mil habitantes População carcerária,5 7,5 7,5 5,5 População carcerária omicídios FNTE: U.S.Department of Justice e FBI Violões que choram... Ah! plangentes violões dormentes, mornos, Soluços ao luar, choros ao vento... Tristes perfis, os mais vagos contornos, Bocas murmurejantes de lamento. Noites de além, remotas, que eu recordo, Noites da solidão, noites remotas Que nos azuis da fantasia bordo, Vou constelando de visões ignotas. Sutis palpitações à luz da lua. Anseio dos momentos mais saudosos, Quando lá choram na deserta rua As cordas vivas dos violões chorosos. Quando os sons dos violões vão soluçando, Quando os sons dos violões nas cordas gemem, E vão dilacerando e deliciando, asgando as almas que nas sombras tremem. armonias que pungem, que laceram, Dedos nervosos e ágeis que percorrem ordas e um mundo de dolências geram, Gemidos, prantos, que no espaço morrem... Jornal Globo, nov Estudiosos argumentam que o aumento do número de vagas em presídios tem relação direta com a diminuição dos homicídios. Analisando-se as estatísticas dos Estados Unidos e de São Paulo, representadas nos gráficos acima, conclui-se que: (A) entre 199 e 1999, registra-se o ponto de inversão na evolução da taxa de homicídios nos Estados Unidos. (B) entre 1999 e 000, o aumento do número de presidiários nos EUA foi cerca de dez vezes maior do que o do Estado de São Paulo. () entre 00 e 003, estabiliza-se a queda do número de presidiários e o aumento de homicídios que vinham ocorrendo em São Paulo. (D) a partir de 005, a tendência da evolução das taxas de homicídios dolosos mostra-se similar entre São Paulo e os EUA. (E) a partir de 005, o efetivo de policiais aumenta e as penas tornam-se mais severas, acarretando a redução dos homicídios nos EUA. E sons soturnos, suspiradas mágoas, Mágoas amargas e melancolias, No sussurro monótono das águas, Noturnamente, entre ramagens frias. (...) SUSA, ruz de. bra completa. rg. Andrade Murici; atualização e notas Alexei Bueno. io de Janeiro: Nova Aguilar, 1995, p s elementos sensoriais sons, cores, odores estimularam a imaginação dos poetas simbolistas, que desenvolveram associações bem peculiares. A musicalidade presente no poema acima encontra-se nas expressões: (A) azuis da fantasia, sons dos violões, sombras tremem. (B) dedos nervosos, violões chorosos, ramagens frias. () luz da lua, deserta rua, sutis palpitações. (D) soluços ao luar, choros ao vento, sons soturnos. (E) tristes perfis, noites de além, mágoas amargas. 7 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00

8 15 A ligação hidrogênio é a mais importante interação intermolecular existente nos sistemas biológicos, sendo responsável pela manutenção das conformações bioativas de macromoléculas, como as α-hélices de proteínas e interações purinas-pirimidinas dos ácidos nucléicos. Qual dos pares abaixo é formado por um doador e um aceptor de ligação hidrogênio? ( = adical alquila) 17 bserve o mapa abaixo, sobre a distribuição espacial da intensidade e incidência da riqueza no Brasil. (A) e Br (B) e () (D) (E) P F F e e S e MEDEIS, Marcelo. que faz os icos icos. Ed. ucitec. São Paulo, 005. p. 5. A partir da análise dessa distribuição associada à dinâmica econômica do País, apresentam-se as afirmativas a seguir. I - mapa expressa um modelo nacional de desenvolvimento regionalmente segmentado. II - Locais com maior nível de rendimentos tendem a apresentar maiores oportunidades de enriquecimento, atraindo ricos de outras localidades. III - á tendência de os níveis de riqueza aumentarem concomitantemente à renda per capita das unidades da federação. 1 Está(ão) correta(s) a(s) afirmativa(s): (A) I, apenas. (B) I e II, apenas. () I e III, apenas. (D) II e III, apenas. (E) I, II e III. 1 A tabela abaixo apresenta informações sobre dois cubos maciços, 1 e, constituídos de materiais diferentes. Joana 1 km Pedro ubo medida da aresta massa densidade Joana e Pedro passeavam com suas bicicletas pela mesma ciclovia, em sentidos contrários. Às 1h, a distância entre eles era de 1 km. Se a velocidade média de Joana era de 1 km/h e a de Pedro, de 15 km/h, eles se encontraram às: (A) 1h 0min (B) 1h min () 1h 50min (D) 1h 5min (E) 15h 0min 1 a m d 1 a m d d A razão d (A) 1 1 corresponde a: (B) 1 () 1 (D) 1 (E) 1 VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI

9 Utilize o texto abaixo para responder às questões de n os 19 e 0. 1 An Abundance of emedies but Little elief Peter Jaret Most of the estimated 50 million Americans who suffer the runny noses, raw and itchy eyes, clogged sinuses and hammering headaches of allergic rhinitis, as hay fever is medically known, aren t getting the relief they seek. 5 According to a 005 survey conducted by the Asthma and Allergy Foundation of America (A.A.F.A.), more than half say they re very interested in finding a new medication. ne in four reports constantly trying different medications to find one that works for me. Why is it so hard to find an effective treatment? ne problem, experts say, is that allergic rhinitis isn t taken seriously enough, by doctors or allergy sufferers. Allergic rhinitis is typically a doorknob complaint, said Dr. Bradley Marple, professor of otolaryngology at the 15 University of Texas Southwestern Medical School in Dallas. Patients wait until they re almost out the door before they say, h, and by the way, my allergies have been acting up. Too many doctors quickly write a prescription or recommend an over-the-counter 0 antihistamine but fail to follow up to see if it worked. Four out of five allergy sufferers never even make it to the doctor s office, relying instead on over-the-counter remedies, according to the A.A.F.A. survey. Unfortunately, that usually means there s no treatment plan in place, 5 said Dr. Marple. Adapted from esn-allergies-ess.html 19 According to the text, it is difficult to find an effective treatment for allergic rhinitis because: (A) all the drugs sold in the American market are ineffective. (B) patients trust the doctors words better than selfmedication. () patients refuse to tell their doctors about their allergy symptoms. (D) doctors and allergy sufferers tend to consider it a minor disease. (E) the majority of allergy sufferers cannot identify the source of their allergies. 0 All the following symptoms are associated with allergic rhinits in the text, EXEPT: (A) hay fever. (B) runny noses. () clogged sinuses. (D) raw and itchy eyes. (E) hammering headaches. bservando atentamente os elementos verbais e os não verbais da tira acima, admite-se que, no seu todo, ela I - critica o fato de ser vedado ao cidadão comum o direito de emitir mensagens; II - foca o tratamento igualitário entre o discurso do poder e o dos seus subordinados; III - reitera a opção das autoridades pelo diálogo franco com o povo; IV - sugere que a palavra final sempre é de quem detiver o poder; V - trata da falta de interação entre os poderosos e os subordinados. Estão corretas somente as afirmações (A) I, II e III. (B) I, II e IV. () I, IV e V. (D) II, III e V. (E) II, IV e V. 9 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00

10 Inibidor de enzima conversora de angiotensina (IEA) é um composto que inibe a enzima capaz de converter a angiotensina I em angiotensina II. Essa classe de fármacos apresentou grande avanço, desde que o primeiro composto oralmente ativo, o captopril, foi liberado para uso clínico, existindo hoje em dia no mercado cerca de 0 inibidores da EA. S N 3 evista Época, ago. 007, p. 9, n o 3. Em agosto de 007 ocorreu o pior terremoto dos últimos 0 anos, no Peru. A ocorrência de abalos sísmicos, como esse registrado no Peru, tem como explicação o fator: (A) entrechoque das placas tectônicas americana e do hile. (B) acomodação de camadas sedimentares no fundo do ceano Pacífico. () acúmulo colossal de terras emersas da ordilheira dos Andes. (D) presença constante da corrente marítima fria de umboldt no litoral. (E) depósito de material sedimentar proveniente da erosão da ordilheira Andina. onsidere o texto a seguir para responder às questões de n os 3 e. Sistema enina-angiotensina-aldosterona (SAA) desempenha importante função na regulação da pressão arterial e na manutenção do equilíbrio hidroeletrolítico. Sob a ação da renina, sintetizada no rim, o angiotensinogênio é desdobrado em angiotensina I, que é desprovida de ação vascular. Sob a ação da enzima conversora de angiotensina (EA), é hidrolisada a angiotensina II que, por sua vez, promove a liberação de aldosterona. 3 As ações fisiológicas da angiotensina II e da aldosterona são, respectivamente, promover a (A) vasoconstrição e a retenção de Na + e. (B) vasoconstrição e a eliminação de Na + e de K +. () vasoconstrição e a eliminação de Na + e. (D) vasodilatação e a retenção de K + e. (E) vasodilatação e a retenção de Na + e. A respeito da estrutura do captopril, cuja fórmula está representada acima, é correto afirmar que: (A) é um aminoácido sulfurado. (B) não apresenta isomeria ótica. () apresenta isômeros geométricos. (D) sua fórmula molecular é 9 13 N 3 S. (E) possui grupo funcional de amida e ácido carboxílico. 5 Leia e analise o texto abaixo. Novo caso de polícia Fraudador é preso por emitir atestado com erros de Português Mais um erro de Português leva um criminoso às mãos da polícia. Desde 003, Marco de liveira Prado, de 37 anos, administrava a empresa MM, que falsificava boletins de ocorrência, carteiras profissionais e atestados de óbito, tudo para anular multas de infratores do trânsito. Amparado pela documentação fajuta de Prado, um motorista poderia alegar às Juntas Administrativas de ecursos de Infrações que ultrapassou o limite de velocidade para transportar um parente que passou mal e morreu a caminho do hospital. esquema funcionou até setembro, quando Prado foi indiciado. Atropelara a gramática. avia emitido, por exemplo, um atestado de abril do ano passado em que estava escrito aneurisma celebral (com l no lugar de r) e insulficiência múltipla de órgãos (com um l desnecessário em insuficiência além do fato de a expressão médica adequada ser falência múltipla de órgãos ). Marco de liveira Prado foi indiciado pela a Delegacia de Divisão de rimes de Trânsito. Na casa do acusado, em São Miguel Paulista, zona leste de São Paulo, a polícia encontrou um computador com moldes de documentos. evista Língua, Ano I n o 1, 00, p.. Pode-se depreender que a polícia descobriu que o atestado era falso porque os verdadeiros médicos (A) acham difícil escrever o nome de certas doenças. (B) utilizam o padrão escrito formal da língua. () confundem os fonemas /r/ e /l/ do Português. (D) desconhecem o nome de algumas doenças. (E) ignoram as regras ortográficas da língua. VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI

11 A B Um reservatório possui duas saídas de água de igual vazão (A e B). Inicialmente, este reservatório está parcialmente cheio e ambas as saídas encontram-se fechadas. No instante t = 5min, a saída A é aberta. Quando t = min abre-se, também, a saída B. Quando t = 15min, a saída A é fechada, e a saída B permanece aberta por mais minutos. Se o reservatório não foi completamente esvaziado, o gráfico que representa corretamente a variação do nível de água dentro do reservatório (N), em função do tempo t, em minutos, é: (A) (B) () (D) (E) 7 3 S oa + Acetil oenzima A N + ( 33 ) colina 3 N + ( + oa 33 S Acetilcolina A reação acima mostra a síntese de acetilcolina, reação catalisada pela enzima colina acetiltransferase. Após sua produção, ela poderá ser degradada por uma outra enzima, a acetilcolinesterase, que quebra a ligação éster, liberando colina e ácido acético. Numa experiência foram adicionadas: colina, acetil coenzima A e enzima colina acetiltransferase no tempo 0, e a concentração do produto foi medida a cada minutos. No tempo de minutos (seta), foi adicionada a enzima acetilcolinesterase. A representação gráfica dessa experiência é: (A) oncentração de acetilcolina (mmol/l) Tempo (min) (B) oncentração de acetilcolina (mmol/l) Tempo (min) () oncentração de acetilcolina (mmol/l) Tempo (min) (D) oncentração de acetilcolina (mmol/l) Tempo (min) (E) oncentração de acetilcolina (mmol/l) Tempo (min) 11 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00

12 9 Leia os textos abaixo e responda à questão que se segue. Texto 1 Texto A TELEVISÃ Teu boletim meteorológico me diz aqui e agora se chove ou se faz sol. Para que ir lá fora? A comida suculenta que pões à minha frente como-a toda com os olhos. Aposentei os dentes. Jornal Globo, nov Nos dramalhões que encenas há tamanho poder de vida que eu próprio nem me canso em viver. Na fotografia acima, registra-se um denso emaranhado de fiação elétrica, ilegalmente instalado na favela da ocinha, no io de Janeiro. A intensificação desse tipo de infra-estrutura está diretamente relacionada a um aspecto marcante da expansão das metrópoles brasileiras. Assinale-o. (A) Ausência total da ação governamental em áreas favelizadas. (B) rescimento, sobretudo vertical, de favelas metropolitanas. () Ampliação de crédito popular para compra de eletrodomésticos. (D) ontrole progressivo dos fluxos de informação pelo narcotráfico. (E) Precariedade da regularização fundiária em áreas de favelas. Guerra, sexo, esporte - me dás tudo, tudo. Vou pregar minha porta: já não preciso do mundo. PAES, José Paulo. Prosas seguidas de odes mínimas. São Paulo: Atual, 1979, p. 71. A tirinha de alvin e o poema de José Paulo Paes tratam da presença da televisão na sociedade contemporânea. É correto concluir que os dois textos (A) descrevem o tédio que as pessoas sentem diante da tevê. (B) informam que a televisão é benéfica à vida das crianças. () julgam que a televisão pode substituir a vida real. (D) transmitem uma mensagem de otimismo sobre a televisão. (E) sugerem que a televisão domina a vida das pessoas. 1 VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI

13 30 gráfico abaixo apresenta dados sobre a população brasileira de 0 anos ou mais, a partir de 190, com projeção até 050. omens BASIL: População de 0 anos ou mais de idade, por sexo Mulheres População 3 o P (mm) T () Pluviosidade média Temperatura média Fonte: IBGE. Anuário estatístico do Brasil De acordo com as estimativas apresentadas acima, a população de brasileiros com 0 anos ou mais ultrapassará a marca de 5 milhões de pessoas em: (A) 0 (B) 00 () 030 (D) 00 (E) Disponível em: climograma acima representa as características pluviométricas e térmicas de um tipo climático específico, existente no Brasil. Assinale a opção que contém a caracterização de uma formação vegetal correspondente àquele tipo de clima. (A) Associação de formações: uma arbustiva, com árvores retorcidas, e outra, rasteira. (B) Vegetação homogênea, com arbustos e vegetação rasteira submersas periodicamente. () Formação florestal estratificada, com espécies higrófilas e latifoliadas. (D) Formação florestal homogênea, com predominância de espécies aciculifoliadas. (E) Formação vegetal arbustiva, com espécies xerófitas de raízes profundas. 33 A membrana da mucosa gástrica regula o transporte de eletrólitos entre o plasma sanguíneo e o suco gástrico, por meio de uma barreira lipídica. As moléculas não ionizadas são mais lipossolúveis e podem difundir-se facilmente pela membrana celular. Já as formas ionizadas, geralmente, não conseguem penetrar na membrana lipídica, pois são pouco lipossolúveis. evista Língua, ano I, n o 11, 00. Segundo os textos reproduzidos acima, ao se expressar em Língua Portuguesa, o falante (A) apela para os trocadilhos para se fazer entender. (B) comunica-se de maneira comprometida com a inovação e com o humor. () emprega vocábulos antigos, a fim de causar espanto e admiração. (D) emprega significados aparentemente antagônicos e cria palavras e expressões. (E) luta com palavras sem conseguir expressar o seu pensamento. onforme a figura acima, os valores de p do suco gástrico e do plasma são, respectivamente, 1, e 7,, e a razão entre as concentrações molares da espécie + no sistema suco gástrico/plasma é: (A) 3 (B) 5 () (D) (E) 13 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00

14 3 Analise os textos a seguir. 3 I A primeira modernização no princípio do século XVI é a globalização dos micróbios, porque os micróbios europeus, como a tuberculose e outras enfermidades, chegaram às Américas ao longo dos anos. MIN, E. As duas globalizações, 00. II A globalização epidemiológica é produto da intensa circulação de população, do uso maciço de antibióticos e da penetração em áreas remotas do planeta, como as florestas tropicais. VILA, E. A multidimensionalidade da globalização, 199. omparando-se os Textos I e II, conclui-se, corretamente, que o(s): (A) Texto I desvincula-se do II, referindo-se a um período histórico mais recuado. (B) Texto I retifica o II, reportando-se às Américas e não apenas a florestas tropicais. () Texto II complementa o I, ampliando os aspectos envolvidos no processo. (D) Texto II contradiz o I, mudando o enfoque dos agentes para os processos. (E) dois textos impedem uma concepção mais abrangente do processo de globalização. 35 Jornal Globo, 3 out onsidere que as notas horrível, tétrica e assombrosa formam, nessa ordem, uma PA decrescente. Se as três notas somam,5 pontos e a diferença entre a maior e a menor nota é igual a 1,, pode-se concluir que a nota assombrosa é: (A),1 (B) 3, () 3,5 (D),9 (E), Diário de Pernambuco, 5 jul. 00. s dados da pesquisa reproduzidos acima favorecem o entendimento de que o(a) (A) jovem brasileiro prefere a leitura de jornais à de revistas especializadas. (B) cenário brasileiro apresenta fortes indícios de aprimoramento educacional. () preferência do jovem é, declaradamente, pelas manifestações artísticas. (D) discriminação étnica se reflete especialmente no campo educacional. (E) importância da leitura é defendida pela maioria dos jovens brasileiros. 1 VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI

15 37 As escalas de temperatura mais utilizadas nos dias de hoje são as escalas elsius ( o ) e Fahrenheit ( o F). Essas escalas possuem amplitudes diferentes, ou seja, uma variação de 9 o na Escala Fahrenheit corresponde a uma variação de 5 o na Escala elsius. Sabe-se, também, que o ponto de fusão do gelo é 3 o F. A tabela abaixo apresenta os pontos de fusão e de ebulição de algumas substâncias, em graus elsius. Substância Ponto de fusão ( o ) Ponto de ebulição( o ) Parafina Álcool 11 7 Mercúrio Em um laboratório, quantidades determinadas dessas três substâncias estão armazenadas dentro de um recipiente, a uma temperatura de 70 o F. Pode-se concluir que a parafina, o álcool e o mercúrio dentro desse recipiente encontram-se, respectivamente, em estados: (A) líquido, líquido e líquido. (B) líquido, sólido e sólido. () sólido, sólido e líquido. (D) sólido, líquido e líquido. (E) sólido, líquido e sólido. 3 Algumas moléculas não podem ser absorvidas por serem muito grandes ou por apresentarem alta hidrossolubilidade. gráfico abaixo representa a dosagem da concentração plasmática de uma molécula testada após a administração oral de 0 mmol/l, ao longo do tempo, sendo sua absorção a favor do gradiante de concentração. oncentração da molécula (mmol/l) Tempo (t) No gráfico observa-se que, após um certo tempo, ocorreu a saturação da absorção da molécula testada. As características observadas neste tipo de transporte indicam se tratar de: (A) difusão simples. (B) difusão facilitada. () fagocitose. (D) endocitose. (E) transporte ativo. 39 Em abril de 195, o jornalista argentino Jorge Masetti entrevistou he Guevara. Analise o depoimento do jornalista. Minha primeira pergunta concreta a Guevara, o jovem médico argentino metido a comandante herói e autor de uma revolução que não tinha nada a ver com sua pátria, foi: Por que estás aqui? Estou aqui simplesmente porque considero que a única forma de livrar a América de ditadores é os derrubando (...). evista aros Amigos, out A partir desse depoimento, assinale a opção que apresenta a correta associação entre o momento político vivido por Ernesto Guevara e uma razão de sua participação como militante. (A) Golpe de Estado na Guatemala Derrubar o governo de Arbenz. (B) Golpe de Estado chileno ombater a ditadura de Pinochet. () evolução Nicaragüense Apoiar a ação dos sandinistas. (D) evolução ubana Derrubar a ditadura de Batista. (E) evolução Mexicana eforçar a atuação dos grupos zapatistas. 0 (...) sertanejo é, antes de tudo, um forte. Não tem o raquitismo dos mestiços neurastênicos do litoral. A sua aparência, entretanto, ao primeiro lance de vista, revela o contrário. Falta-lhe a plástica impecável, o desempeno, a estrutura corretíssima das organizações atléticas. É desgracioso, desengonçado, torto. ércules- Quasímodo reflete no aspecto a fealdade típica dos fracos. andar sem firmeza, sem aprumo, quase gigante e sinuoso, aparenta a translação de membros desarticulados. Agrava-o a postura normalmente abatida, num manifestar de displicência que lhe dá um caráter de humildade deprimente. A pé, quando parado, recosta-se invariavelmente no primeiro umbral ou parede que encontra; a cavalo, se sofreia o animal para trocar duas palavras com um conhecido, cai logo sobre um dos estribos, descansando sobre a estupenda sela. aminhando, mesmo a passo rápido, não traça trajetória retilínea e firme. Avança, celeremente, num bambolear característico, de que parecem ser o traço geométrico os meandros das trilhas sertanejas.(...) UNA. Euclides da. s sertões. Ed. de Leopoldo M. Bernucci. São Paulo: Atelier Editorial, 001. personagem presente no fragmento acima, da obra de Euclides da unha, foi construído, especialmente, a partir do recurso lingüístico denominado (A) anáfora (referência a termos anteriormente citados). (B) eufemismo (acepção de que se lança mão para suavizar um dito). () hipérbole (ênfase expressiva resultante de um exagero). (D) ironia (dito de sentido oposto ao que se pensa sobre algo ou alguém). (E) paradoxo (aparente falta de nexo ou de lógica entre idéias). 15 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00

16 QUESTÕES DISUSIVAS 1 Suspensões de sulfato de bário de concentração 1g/mL são utilizadas como contraste em exames radiológicos de esôfago, estômago e intestino. Em 003, a contaminação de um lote dessa suspensão com carbonato de bário ocasionou a morte de várias pessoas que ingeriram 30 ml do contraste. As investigações mostraram que as vítimas foram intoxicadas pelo íon bário, cujo DL 50 é de 19 mg de Ba + /kg de massa corpórea (dose letal para, no mínimo, 50% da população de camundongos inoculados). A solubilidade do sulfato de bário e do carbonato de bário em água pura, a 0 o, é de mg/l e 0 mg/l, respectivamente. a) Escreva a fórmula do sulfato de bário. b) Escreva a reação química do carbonato de bário com o ácido clorídrico existente no estômago. c) Explique porque o carbonato de bário é tão tóxico ao ser ingerido, quando comparado ao sulfato de bário. (valor:,0 pontos) A toxina botulínica A é um complexo de proteínas produzido pela bactéria lostridium botulinum. A toxina pode bloquear a liberação de vesículas que contêm acetilcolina, o mediador químico ou neurotransmissor que estimula as fibras musculares esqueléticas e que é responsável pela contração muscular. Para fins médicos, tem sido usada uma forma injetável da toxina botulínica chamada botox, cosmético mais famoso originado da toxina botulínica. Se aplicado em pequenas doses, o botox leva à amenização de rugas na face. Mais recentemente, tem sido usado, também, para amenizar dores relacionadas à tensão muscular. a) omo é denominada a estrutura neuronal onde a toxina botulínica atua? b) Qual é o efeito da toxina botulínica sobre o músculo esquelético? (valor:,0 pontos) 1 VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI

17 1 1 1,0079 Na s Fr Mg Ba a Sc Y La-Lu Ac-Lr Zr f 1 V Nb Ta Db om massas atômicas referidas ao isótopo 1 do carbono r 51,99 W Sg Bh u s Ni Pd Pt u Ag a 3 Au Zn d g Mt Uun Uuu Uub B Al 31 Ga In Tl Si 3 Ge Sn Pb N P As 51 Sb Bi S Se 5 Te Po 9 F l Br 53 I At e Ne LÍTI Ar SÓDI Kr PTÁSSI 5 Xe UBÍDI n FÂNI ÁDI ÉSI UTEFÓDI ÁFNI ZIÔNI TITÂNI DÚBNI SEABÓGI BÓI TÂNTAL ÊNI VANÁDI ASSI ÓSMI UTÊNI FE MEITNÉI UNUNILI UNUNÚNI UNÚNBI BÁI ESTÔNI ÁLI MAGNÉSI TUNGSTÊNI MLIBDÊNI IÍDI ÓDI BALT PLATINA PALÁDI NÍQUEL U MEÚI TÁLI UMB BISMUT PLÔNI ASTAT ADÔNI ÍTI NIÓBI TENÉI PATA ÁDMI ESTAN ANTIMÔNI TELÚI ID XENÔNI ESÂNDI ÔMI MANGANÊS BE ZIN ÍNDI GÁLI ALUMÍNI B GEMÂNI ASÊNI SELÊNI BM IPTÔNI SILÍI FÓSF ENXFE L BEÍLI ABN NITGÊNI XIGÊNI FLÚ AGÔNI NEÔNI IDGÊNI ÉLI Li,91() 11, K 39,09 37 b 9, ,93 55,5() 5,933 5,93 3 5, 7,,90 91,() 9,90 95,9 9,90 1,07(),91, 7,7 11,1 11, 11,71 11,7 17,0(3) 1,90 131,9() a71 13,91 3,0 IA Be,305 0 a 0,07() 3 Sr IIIB IVB VB VIB VIIB VIII VIII VIII IB IIB 3 50,9 5,11(5) 137,33 17,9() 10,95 13, 1,1 190,3(3) 19, 195,0(3) 19,97 00,59() 0,3 07, 0,9,03 IIA,95 Ti 7,7 0 f LASSIFIAÇÃ PEIÓDIA DS ELEMENTS Mo Mn Tc e Fe s 7 o 5 h Ir 9 3,5(3) ,39() ,9 9,73 1,011,0 7,1() 9 50 IIIA IVA VA VIA VIIA 7 1,007 30, ,9 15,999 3,0() 3 7,9(3) 1,99 35, ,90 09,9 09, ,00 0,10 39,9 3 3,0 VIIIA,0 Série dos Lantanídios Número Atômico Símbolo Massa Atômica La e Série dos Actinídios 9 90 Ac Th Pr Pa Nd U Pm Np Sm Pu Eu Gd 9 Tb Dy o Tm Yb Lu Am m Bk f Es Fm Md No Er LANTÂNI 1 Lr NME D ELEMENT ATÍNI TÓI PTATÍNI UÂNI NETÚNI PLUTÔNI AMEÍI ÚI BEQUÉLI ALIFÓNI EINSTÊINI FÉMI MENDELÉVI NBÉLI LAUÊNI ÉI PASEDÍMI NEDÍMI PMÉI SAMÁI EUÓPI GADLÍNI TÉBI DISPÓSI ÓLMI ÉBI TÚLI ITÉBI LUTÉI 7 13,91,1,91 1,(3) 1,9 150,3(3) 151,9 157,5(3) 15, ,50(3) 7,03 3,0 31,0 3,03 37,05 39,05 1,0,0 9,0 5,0 5, , ,(3) 0 57, 1,93 5, 70 59, ,0(3) 17,97 3,11 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é ± 1, exceto quando indicado entre parênteses. 17 UNIVESIDADE ANEMBI MUMBI VESTIBULA PAA US DE MEDIINA UMANA - 00

Gabarito - Química - Grupo A

Gabarito - Química - Grupo A 1 a QUESTÃO: (1,5 ponto) Avaliador Revisor A estrutura dos compostos orgânicos começou a ser desvendada nos meados do séc. XIX, com os estudos de ouper e Kekulé, referentes ao comportamento químico do

Leia mais

121,8 127,6 126,9 131,3. Sb Te I Xe 27,0 28,1 31,0 32,1 35,5 39,9 69,7 72,6 74,9 79,0 79,9 83, Ga Ge As Se Br Kr. In Sn 114,8 118,7.

121,8 127,6 126,9 131,3. Sb Te I Xe 27,0 28,1 31,0 32,1 35,5 39,9 69,7 72,6 74,9 79,0 79,9 83, Ga Ge As Se Br Kr. In Sn 114,8 118,7. PRVA DE QUÍMICA º 2º 3º 4º 5º 6º 7º TABELA PERIÓDICA DS ELEMENTS (IA),0 3 Li 6,9 Na 23,0 9 K 39, 2 (IIA) 4 Be 9,0 2 Mg 24,3 3 (III B) 4 5 6 7 8 9 0 2 20 2 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Ca Sc Ti V Cr Mn Fe

Leia mais

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012

Medicina. Prova Discursiva. Caderno de Prova. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! 16/12/2012 Prova Discursiva Medicina 16/12/2012 Caderno de Prova Este caderno, com 16 páginas numeradas sequencialmente, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação Periódica dos Elementos

Leia mais

Classificação Periódica dos Elementos

Classificação Periódica dos Elementos Classificação Periódica dos Elementos 1 2 3 1 Massa atômica relativa. A incerteza no último dígito é 1, exceto quando indicado entre parênteses. Os valores com * referemse Número Atômico 18 ao isótopo

Leia mais

Exame de Seleção Mestrado em Química Turma 2013 II CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS 11 1B. 26 Fe 55,8 44 Ru 101,1 76 Os 190,2

Exame de Seleção Mestrado em Química Turma 2013 II CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS 11 1B. 26 Fe 55,8 44 Ru 101,1 76 Os 190,2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DPTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Exame de Seleção Mestrado em Química Turma 2013

Leia mais

EXAME DISCURSIVO 2ª fase

EXAME DISCURSIVO 2ª fase EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 Biologia Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Biologia. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Leia mais

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA

QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA QUÍMICA VESTIBULAR 2005 2ª ETAPA 1 2 3 4 5 6 7 1 1 1, 00 2 3 4 Li Be 6, 94 9, 01 11 12 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 K Ca 39, 10 40, 08 37 38 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 Cs Ba 132, 91 137, 33 87 88 Fr Ra 223,

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS

CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA DOS ELEMENTOS 1 1 1 H 1, 00 2 3 4 2 Li 6, 94 Be 9, 01 11 12 3 Na Mg 22, 99 24, 31 19 20 4 K 39, 10 Ca 40, 08 37 38 5 Rb Sr 85, 47 87, 62 55 56 6 Cs 132, 91 Ba 137, 33 87 88 7 Fr Ra 223, 02 226, 03 CLASSIFICAÇÃO PERIÓDICA

Leia mais

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA 2 o DIA MANHÃ GRUPO 2 Novembro / 2011 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este

Leia mais

2015.1 VESTIBULAR. Medicina. Prova Discursiva 02/11/2014

2015.1 VESTIBULAR. Medicina. Prova Discursiva 02/11/2014 VESTIBULAR 2015.1 Universidade Severino Sombra - USS Prova Discursiva Medicina 02/11/2014 Este caderno, com 16 páginas numeradas, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 10 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das

Leia mais

AULA 02: TABELA PERIÓDICA

AULA 02: TABELA PERIÓDICA AULA 02: TABELA PERIÓDICA 1. INTRODUÇÃO A Tabela Periódica é, efetivamente, um instrumento organizador de conhecimentos sobre os elementos químicos, onde estes estão ordenados por ordem crescente de número

Leia mais

PROVA DE QUÍMICA MÓDULO I DO PISM (triênio )

PROVA DE QUÍMICA MÓDULO I DO PISM (triênio ) PRVA DE QUÍMICA MÓDUL I D PISM (triênio 006-008) CLASSIFICAÇÃ PERIÓDICA DS ELEMENTS 1 18 1 3 4 6 7 1 1,0 3 Li 6,9 11 Na 3,0 19 K 39,1 37 Rb 8, Cs 13,9 67 Fr 3,0 4 Be 9,0 1 Mg 4,3 0 Ca 40,1 38 Sr 87,6 6

Leia mais

física EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014

física EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 EXAME DISCURSIVO 2ª fase 30/11/2014 física Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Leia mais

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I SISTEMA FINANCEIRO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I SISTEMA FINANCEIRO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 9 EDITAL N o 04/2013 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 8 (oito) questões discursivas, sem

Leia mais

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem

Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Teoria da Comunicação Funções da Linguagem Professor Rafael Cardoso Ferreira O que é linguagem? A linguagem é o instrumento graças ao qual o homem modela seu pensamento, seus sentimentos, suas emoções,

Leia mais

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores)

Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes C, diamante C, grafite Si, Ge, SiO 2, ZnS, etc. PF s e dureza elevados Insolúveis Isolantes (ou semicondutores) Sólidos covalentes TEV: rede 3D de ligações covalentes C, diamante (sp

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUIVOLOGIA) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUIVOLOGIA) 2 a FASE 18 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

121,8 127,6 126,9 131,3. Sb Te I Xe. Pb Bi Po At Rn 69,7 72,6 74,9 79,0 79,9 83, Ga Ge As Se Br Kr. In Sn 114,8 118,7.

121,8 127,6 126,9 131,3. Sb Te I Xe. Pb Bi Po At Rn 69,7 72,6 74,9 79,0 79,9 83, Ga Ge As Se Br Kr. In Sn 114,8 118,7. PROVA DE QUÍMICA TABELA PERIÓDICA DOS ELEMENTOS º 2º 3º 4º 5º 6º 7º (IA) H,0 3 Li 6,9 Na 23,0 9 K 39, 2 (IIA) 4 Be 9,0 2 Mg 24,3 3 (III B) 4 5 6 7 8 9 0 2 20 2 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Ca Sc Ti V Cr

Leia mais

Exame de Seleção Mestrado em Química Turma Candidato: CPF:

Exame de Seleção Mestrado em Química Turma Candidato: CPF: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DPTO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Exame de Seleção Mestrado em Química Turma 2014.2

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 14 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

Vestibular2014 MEDICINA. Prova Discursiva 17/11/2013

Vestibular2014 MEDICINA. Prova Discursiva 17/11/2013 Universidade Severino Sombra - USS Vestibular2014 Prova Discursiva MEDICINA 17/11/2013 Este caderno, com 16 páginas numeradas, contém 5 questões de Biologia e 5 questões de Química. A Classificação Periódica

Leia mais

Tabela Periódica* 1 H 1,0. Massa atômica. 20,2 18 Ar 39,9 2º VESTIBULAR UFOP Fe. 29 Cu. 28 Ni. 27 Co. 58,9 45 Rh 102,9 77 Ir 192,2 109 Mt

Tabela Periódica* 1 H 1,0. Massa atômica. 20,2 18 Ar 39,9 2º VESTIBULAR UFOP Fe. 29 Cu. 28 Ni. 27 Co. 58,9 45 Rh 102,9 77 Ir 192,2 109 Mt Tabela Periódica* 1 1 18 1 1,0 2 Número atômico 1 1,0 13 14 15 16 17 2 e 4,0 2 3 3 Li 6,9 11 Na 23,0 4 Be 9,0 Massa atômica 12 Mg 24,3 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 5 B 10,8 13 Al 27,0 6 C 12,0 14 Si 28,1 7 N

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

MÓDULO 6 MATRIZ DA PROVA

MÓDULO 6 MATRIZ DA PROVA ESCOLA SECUNDÁRIA FERREIRA DIAS AGUALVA - SINTRA FÍSICA E QUÍMICA A (11º ANO) Programa iniciado 2016/2017 TIPO DE PROVA: ESCRITA DURAÇÃO: 90 minutos Cursos Científico - Humanísticos de Ciências e Tecnologias

Leia mais

IESA-ESTUDO DIRIGIDO 1º SEMESTRE 8º ANO - MANHÃ E TARDE- DISCIPLINA: CIÊNCIAS PROFESSORAS: CELIDE E IGNÊS. Aluno(a): Turma:

IESA-ESTUDO DIRIGIDO 1º SEMESTRE 8º ANO - MANHÃ E TARDE- DISCIPLINA: CIÊNCIAS PROFESSORAS: CELIDE E IGNÊS. Aluno(a): Turma: IESA-ESTUDO DIRIGIDO 1º SEMESTRE 8º ANO - MANHÃ E TARDE- DISCIPLINA: CIÊNCIAS PROFESSORAS: CELIDE E IGNÊS Aluno(a): Turma: Querido (a) aluno (a), Este estudo dirigido foi realizado para que você revise

Leia mais

121,8 127,6 126,9 131,3. Sb Te I Xe. In Sn 69,7 72,6 74,9 79,0 79,9 83,8 112,4 107,9 85,5 87,6 88,9 91,2 92,9 95,9 (98) 101,1 102,9 106,4 140,1

121,8 127,6 126,9 131,3. Sb Te I Xe. In Sn 69,7 72,6 74,9 79,0 79,9 83,8 112,4 107,9 85,5 87,6 88,9 91,2 92,9 95,9 (98) 101,1 102,9 106,4 140,1 PROVA DE QUÍMICA º 2º 3º 4º 5º 6º 7º TABELA PERIÓDICA DOS ELEMENTOS (IA) H,0 3 Li 6,9 Na 23,0 9 K 39, 2 (IIA) 4 Be 9,0 2 Mg 24,3 3 (III B) 4 5 6 7 8 9 0 2 20 2 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Ca Sc Ti V Cr

Leia mais

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe

Y Zr Nb Mo Tc Ru Rh Pd Ag Cd In Sn Sb Te I Xe A H,0 Li 7,0 Na 2,0 9 K 9,0 7 Rb 85,5 55 Cs,0 87 Fr (22) 2 2A Be 9,0 2 Mg 2,0 20 Ca 0,0 8 Sr 88,0 56 Ba 7,0 88 Ra (226) Elementos de Transição B B 5B 6B 7B 8B B 2B 5 6 7 A A 5A 6A 7A 78,5 8,0 8,0 86,0

Leia mais

REVISÃO QUÍMICA. Profº JURANDIR QUÍMICA

REVISÃO QUÍMICA. Profº JURANDIR QUÍMICA REVISÃO QUÍMICA Profº JURANDIR QUÍMICA DADOS 01. (ENEM 2004) Em setembro de 1998, cerca de 10.000 toneladas de ácido sulfúrico (H 2 SO 4 ) foram derramadas pelo navio Bahamas no litoral do Rio Grande

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DIAMANTINA MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DIAMANTINA MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI DIAMANTINA MINAS GERAIS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL Nº 009/2017, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2016 SELEÇÃO DO

Leia mais

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Física e Química A Versão Teste Intermédio Física e Química A Versão Duração do Teste: 90 minutos 30.05.01 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/004, de 6 de março Na folha de

Leia mais

EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015)

EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015) EXERCÍCIOS PARA O 8 ANO (2015) 1- A Fábrica Celular Células de bactérias (procarióticas) e células animais (eucarióticas), apresentam semelhanças e diferenças. a) Qual a estrutura presente em ambas que

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2014 Curso de Medicina 2ª Etapa

PROCESSO SELETIVO 2014 Curso de Medicina 2ª Etapa ESCREVA AQUI SEU NÚMERO DE INSCRIÇÃO NOME: PROCESSO SELETIVO 2014 Curso de Medicina 2ª Etapa CADERNO DE PROVAS DISCURSIVAS PROVA DE BIOLOGIA ANTES DE INICIAR A PROVA, LEIA AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 1. Só abra

Leia mais

1º Princípio Lei dos Semelhantes

1º Princípio Lei dos Semelhantes Homeopatia 1º Princípio Lei dos Semelhantes A Homeopatia é a medicina que cura baseando-se na Lei dos Semelhantes. Esta estabelece que uma substância capaz de desencadear determinados sintomas em indivíuos

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA PROCESSO SELETIVO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE Prezado candidato(a), você recebeu o seguinte material: - um caderno de questões contendo 30 (trinta) questões

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES CADERNO DE QUESTÕES UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE SELEÇÃO PROCESSO SELETIVO/2010-2 GRUPO 1 Química 1º DIA 06/06/2010 SÓ ABRA ESTE CADERNO QUANDO AUTORIZADO LEIA ATENTAMENTE

Leia mais

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA

QUÍMICA CELULAR NUTRIÇÃO TIPOS DE NUTRIENTES NUTRIENTES ENERGÉTICOS 4/3/2011 FUNDAMENTOS QUÍMICOS DA VIDA NUTRIÇÃO QUÍMICA CELULAR PROFESSOR CLERSON CLERSONC@HOTMAIL.COM CIESC MADRE CLÉLIA CONCEITO CONJUNTO DE PROCESSOS INGESTÃO, DIGESTÃO E ABSORÇÃO SUBSTÂNCIAS ÚTEIS AO ORGANISMO ESPÉCIE HUMANA: DIGESTÃO ONÍVORA

Leia mais

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico.

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. 1 O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. Note essa organização na figura abaixo. - Átomos formam

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 7 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS

DURAÇÃO DA PROVA: 03 HORAS INSTRUÇÕES: PRCESS SELETIV 2013/2 - CPS PRVA DISCURSIVA DE QUÍMICA CURS DE GRADUAÇÃ EM MEDICINA 1. Só abra a prova quando autorizado. 2. Veja se este caderno contém 5 (cinco) questões discursivas. Caso

Leia mais

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir:

Verifique se este Caderno contém 12 questões discursivas, distribuídas de acordo com o quadro a seguir: 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar, escrever

Leia mais

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - ADMINISTRAÇÃO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - ADMINISTRAÇÃO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 NOVEMBRO / 2009 O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - ADMINISTRAÇÃO (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a)

Leia mais

A um poeta Olavo Bilac

A um poeta Olavo Bilac A um poeta Olavo Bilac Longe do estéril turbilhão da rua, Beneditino, escreve! No aconchego Do claustro, na paciência e no sossego, Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! Mas que na forma se disfarce

Leia mais

Tipo de itens. O sangue é o principal fluído que circula no organismo humano.

Tipo de itens. O sangue é o principal fluído que circula no organismo humano. Tipo de itens O sangue é o principal fluído que circula no organismo humano. 1. Quais são as suas principais funções? Transporte de nutrientes, defesa, regulação térmica e controlo 2. Quais os seus constituintes?

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO

ASSISTENTE EM ADMINISTRAÇÃO 3 CEFET LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com o enunciado das 40 (quarenta) questões objetivas, sem repetição ou

Leia mais

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série: 9 ano Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE Análise de textos poéticos Texto 1 Um homem também chora Um homem também

Leia mais

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe!

Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Aula: 31 Temática: Vitaminas parte I Nestas últimas aulas irei abordar acerca das vitaminas. Acompanhe! Introdução O termo vitamina refere-se a um fator dietético essencial requerido por um organismo em

Leia mais

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2

Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 11 Segundo a Portaria do Ministério da Saúde MS n.o 1.469, de 29 de dezembro de 2000, o valor máximo permitido (VMP) da concentração do íon sulfato (SO 2 4 ), para que a água esteja em conformidade com

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS DIABETES MELLITUS Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem atualmente cerca de 171 milhões de indivíduos diabéticos no mundo.

Leia mais

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara

LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara LINGUAGENS, CÓDIGOS E SUAS TECNOLOGIAS Professora Josi e Professora Mara Denotação x Conotação Sentido denotativo: Meus alunos comeram uns doces. Sentido conotativo: Meus alunos são uns doces. Figuras

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza

Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza Lista de Exercícios 4 Indústrias Químicas Resolução pelo Monitor: Rodrigo Papai de Souza 1) a-) Calcular a solubilidade do BaSO 4 em uma solução 0,01 M de Na 2 SO 4 Dissolução do Na 2 SO 4 : Dado: BaSO

Leia mais

Física e Química A. Teste Intermédio de Física e Química A. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 10.03.2010

Física e Química A. Teste Intermédio de Física e Química A. Teste Intermédio. Versão 1. Duração do Teste: 90 minutos 10.03.2010 Teste Intermédio de Física e Química A Teste Intermédio Física e Química A Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 10.03.2010 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Na folha de

Leia mais

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março

Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março. Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Física e Química A Prova Escrita

Leia mais

LIVRETE DE QUESTÕES E RASCUNHO. 1) Confira seus dados e assine a capa deste Livrete de Questões e Rascunho somente no campo próprio.

LIVRETE DE QUESTÕES E RASCUNHO. 1) Confira seus dados e assine a capa deste Livrete de Questões e Rascunho somente no campo próprio. P R OVA D I S C U R S I VA LIVRETE DE QUESTÕES E RASCUNHO 2 1 / 1 1 2 0 1 5 V E S T I B U L A R 2 0 1 6 INSTRUÇÕES 1) Confira seus dados e assine a capa deste Livrete de Questões e Rascunho somente no

Leia mais

NUTRIÇÃO APLICADA À FARMÁCIA

NUTRIÇÃO APLICADA À FARMÁCIA NUTRIÇÃO APLICADA À FARMÁCIA METABOLISMO BASAL GASTO ENERGÉTICO TOTAL Profª. Alcinira Furtado Farias METABOLISMO BASAL Conjunto de processos por meio dos quais o organismo vivo recolhe e transforma as

Leia mais

Processo Seletivo 1.º Semestre 2012 004. Prova Dissertativa

Processo Seletivo 1.º Semestre 2012 004. Prova Dissertativa Processo Seletivo 1.º Semestre 2012 004. Prova Dissertativa Técnico Concomitante ou Subsequente ao Ensino Médio Instruções Confira seu nome e número de inscrição impressos na capa deste caderno. Assine

Leia mais

CHEGAM A 21 CASOS CONFIRMADOS DE GRIPE NO BRASIL; CRECHE É INTERDITADA EM CAMPINAS (SP)

CHEGAM A 21 CASOS CONFIRMADOS DE GRIPE NO BRASIL; CRECHE É INTERDITADA EM CAMPINAS (SP) Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 6 Ọ ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM 2015 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Leia a tirinha abaixo e responda às questões 1 e

Leia mais

Novas e velhas epidemias: os vírus

Novas e velhas epidemias: os vírus Acesse: http://fuvestibular.com.br/ Novas e velhas epidemias: os vírus A UU L AL A - Maria, veja só o que eu descobri nesta revista velha que eu estava quase jogando fora! - Aí vem coisa. O que é, Alberto?

Leia mais

O que é preciso para desenvolver uma experiência global sobre florestas e mudanças climáticas?

O que é preciso para desenvolver uma experiência global sobre florestas e mudanças climáticas? O que é preciso para desenvolver uma experiência global sobre florestas e mudançasclimáticas? Entrevista com o Dr. Stuart Davies, Diretor do CentrodeCiênciasFlorestaisdoTrópico Em2007,oBancoHSBCdoou100milhõesde

Leia mais

Biofísica. Patrícia de Lima Martins

Biofísica. Patrícia de Lima Martins Biofísica Patrícia de Lima Martins 1. Conceito É uma ciência interdisciplinar que aplica as teorias, a metodologia, conhecimentos e tecnologias da Matemática, Química e Física para resolver questões da

Leia mais

Elementos Climáticos CLIMA

Elementos Climáticos CLIMA CLIMA Elementos Climáticos O entendimento e a caracterização do clima de um lugar dependem do estudo do comportamento do tempo durante pelo menos 30 anos: das variações da temperatura e da umidade, do

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES O BANCO DO DESENVOLVIMENTO DE TODOS OS BRASILEIROS BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES JANEIRO / 2008 PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Leia mais

MEDICINA. Prova Discursiva 01/06/2014. Instruções. Informações Gerais. Boa prova!

MEDICINA. Prova Discursiva 01/06/2014. Instruções. Informações Gerais. Boa prova! Universidade Severino Sombra - USS Vestibular2014.2 Prova Discursiva MEDICINA 01/06/2014 Este caderno, com dezesseis páginas numeradas, contém cinco questões de Biologia e cinco questões de Química. A

Leia mais

O homem e o meio ambiente

O homem e o meio ambiente A U A UL LA O homem e o meio ambiente Nesta aula, que inicia nosso aprendizado sobre o meio ambiente, vamos prestar atenção às condições ambientais dos lugares que você conhece. Veremos que em alguns bairros

Leia mais

Questão 1 Questão 2. Questão 3. Resposta. Resposta

Questão 1 Questão 2. Questão 3. Resposta. Resposta Questão 1 Questão 2 O esquema abaixo representa as principais relações alimentares entre espécies que vivem num lago de uma região equatorial. a) O câncer é uma doença genética, mas na grande maioria dos

Leia mais

MÓDULO 2 MATRIZ DA PROVA

MÓDULO 2 MATRIZ DA PROVA ESCOLA SECUNDÁRIA FERREIRA DIAS AGUALVA - SINTRA FÍSICA E QUÍMICA A (10º ANO) Programa iniciado 2015/2016 TIPO DE PROVA: ESCRITA DURAÇÃO: 90 minutos Cursos Científico - Humanísticos de Ciências e Tecnologias

Leia mais

PROVA GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010

PROVA GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010 PROVA GEOGRAFIA 1 o TRIMESTRE DE 2010 PROF. FERNANDO NOME N o 8 o ANO A compreensão do enunciado faz parte da questão. Não faça perguntas ao examinador. A prova deve ser feita com caneta azul ou preta.

Leia mais

47 Por que preciso de insulina?

47 Por que preciso de insulina? A U A UL LA Por que preciso de insulina? A Medicina e a Biologia conseguiram decifrar muitos dos processos químicos dos seres vivos. As descobertas que se referem ao corpo humano chamam mais a atenção

Leia mais

Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização. 04/12/2011 Física Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Física. Não abra o caderno antes de receber autorização. Instruções 1. Verifique

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO UERJ 2010

CONCURSO PÚBLICO UERJ 2010 CONCURSO PÚBLICO UERJ 2010 CADERNO DE PROVA DISCURSIVA Este caderno, com nove páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões discursivas. Não abra o caderno antes de receber autorização. Instruções

Leia mais

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE

Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE DISCIPLINA: Língua Portuguesa Texto 2 Jovens estão consumindo mais álcool O álcool é a droga mais usada entre jovens com menos de 18 anos. Estudo feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIAS INTERNAS E EXTERNAS LICENCIATURA EM CIÊNCIAS NATURAIS - QUÍMICA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIAS INTERNAS E EXTERNAS LICENCIATURA EM CIÊNCIAS NATURAIS - QUÍMICA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO PARÁ PROCESSO SELETIVO DE TRANSFERÊNCIAS INTERNAS E EXTERNAS LICENCIATURA EM CIÊNCIAS NATURAIS - QUÍMICA BOLETIM DE QUESTÕES N LEIA, COM ATENÇÃO, AS SEGUINTES INSTRUÇÕES 1. Este

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Ciências

PROVA BIMESTRAL Ciências 6 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL Ciências Escola: Nome: Turma: n o : 1. Os animais apresentam diferentes formas de locomoção, alimentação e revestimento do corpo, características estas que os organizam

Leia mais

GEOGRAFIA. 49 TOPOGRAFIA As curvas de nível são linhas que unem pontos com a mesma altitude. A partir delas pode ser

GEOGRAFIA. 49 TOPOGRAFIA As curvas de nível são linhas que unem pontos com a mesma altitude. A partir delas pode ser GEOGRAFIA 49 TOPOGRAFIA As curvas de nível são linhas que unem pontos com a mesma altitude. A partir delas pode ser determinada a declividade do terreno e pode ser traçado seu perfil. Observe a figura.

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Informações de Tabela Periódica CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO QUÍMICA CADERNO DE QUESTÕES 2014/2015 Folha de Dados Elemento H C N O F Al Cl Zn Sn I Massa atômica (u) 1,00 12,0 14,0

Leia mais

OBI2012 Caderno de Tarefas

OBI2012 Caderno de Tarefas OBI2012 Caderno de Tarefas Modalidade Iniciação Nível 1, Fase 1 1 de abril de 2012 A PROVA TEM DURAÇÃO DE 2 HORAS Promoção: Patrocínio: v1.0 Olimpíada Brasileira de Informática OBI2012 1 Instruções LEIA

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 32 9º NO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º ANO DO ENSINO MÉDIO OBJETIVO Diversos experimentos, usando principalmente água e materiais de fácil obtenção, são

Leia mais

Álcool e Saúde Pública nas Americas Dr Maristela G. Monteiro Assessora Principal Controle de Tabaco, Álcool e Outras Drogas OPAS/OMS

Álcool e Saúde Pública nas Americas Dr Maristela G. Monteiro Assessora Principal Controle de Tabaco, Álcool e Outras Drogas OPAS/OMS .. Álcool e Saúde Pública nas Americas Dr Maristela G. Monteiro Assessora Principal Controle de Tabaco, Álcool e Outras Drogas OPAS/OMS Modelo causal de consumo de alcool, mecanismos intermediarios e consequencias:

Leia mais

A patroa quer emagrecer

A patroa quer emagrecer A patroa quer emagrecer A UU L AL A Andando pela rua, você passa em frente a uma farmácia e resolve entrar para conferir seu peso na balança. E aí vem aquela surpresa: uns quilinhos a mais, ou, em outros

Leia mais

UFU 2014 Geografia 2ª Fase

UFU 2014 Geografia 2ª Fase QUESTÃO 1 (Geopolítica) A região representada no mapa conta com quase dois terços das reservas mundiais de petróleo. Nas últimas décadas, o controle sobre essas fontes de petróleo foi a principal causa

Leia mais

Ano: 8 Turma: 81 / 82

Ano: 8 Turma: 81 / 82 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 3ª Etapa 2012 Disciplina: Ciências Professor (a): Felipe Cesar Ano: 8 Turma: 81 / 82 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Apostila de Química Geral

Apostila de Química Geral Cursinho Vitoriano UNESP - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Câmpus de São José do Rio Preto Apostila de Química Geral Período noturno Ligações químicas interatômicas Vanessa R.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

Exercícios de Monera e Principais Bacterioses

Exercícios de Monera e Principais Bacterioses Exercícios de Monera e Principais Bacterioses 1. (Fuvest) O organismo A é um parasita intracelular constituído por uma cápsula protéica que envolve a molécula de ácido nucléico. O organismo B tem uma membrana

Leia mais

Química Geral I. Experimento 3 Tendências Periódicas

Química Geral I. Experimento 3 Tendências Periódicas Universidade Estadual do Norte Fluminense Centro de Ciência e Tecnologia Laboratório de Ciências Químicas Química Geral I Experimento 3 Tendências Periódicas 1 - OBJETIVOS Relacionar a reatividade química

Leia mais

Figura 1: peridrociclopentanofenantreno

Figura 1: peridrociclopentanofenantreno COLESTEROL A n a L a u r a B u e n o Esteróides são álcoois de alto peso molecular. São compostos lipossolúveis muito importantes na fisiologia humana. Os esteróis possuem uma estrutura básica chamada

Leia mais

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI

Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI Biomassa de Banana Verde Integral- BBVI INFORMAÇÕES NUTRICIONAIS Porção de 100g (1/2 copo) Quantidade por porção g %VD(*) Valor Energético (kcal) 64 3,20 Carboidratos 14,20 4,73 Proteínas 1,30 1,73 Gorduras

Leia mais

PERÍODO AMOSTRA ABRANGÊNCIA MARGEM DE ERRO METODOLOGIA. População adulta: 148,9 milhões

PERÍODO AMOSTRA ABRANGÊNCIA MARGEM DE ERRO METODOLOGIA. População adulta: 148,9 milhões OBJETIVOS CONSULTAR A OPINIÃO DOS BRASILEIROS SOBRE A SAÚDE NO PAÍS, INVESTIGANDO A SATISFAÇÃO COM SERVIÇOS PÚBLICO E PRIVADO, ASSIM COMO HÁBITOS DE SAÚDE PESSOAL E DE CONSUMO DE MEDICAMENTOS METODOLOGIA

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. FORMAÇÃO: ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE (2 a FASE)

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. FORMAÇÃO: ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE (2 a FASE) 02 TARDE SETEMBRO / 2010 FORMAÇÃO: ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este Caderno, com o enunciado das

Leia mais

Nesse sistema de aquecimento,

Nesse sistema de aquecimento, Enem 2007 1- Ao beber uma solução de glicose (C 6 H 12 O 6 ), um corta-cana ingere uma substância: (A) que, ao ser degradada pelo organismo, produz energia que pode ser usada para movimentar o corpo. (B)

Leia mais

geografia Boa prova! 05/12/2010

geografia Boa prova! 05/12/2010 05/12/2010 geografia Caderno de prova Este caderno, com dezesseis páginas numeradas sequencialmente, contém dez questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização. Instruções 1. Verifique

Leia mais

Será que doses elevadas de creatina "atrasam o início clínico" da doença de Huntington? Porquê a creatina?

Será que doses elevadas de creatina atrasam o início clínico da doença de Huntington? Porquê a creatina? Notícias científicas sobre a Doença de Huntington. Em linguagem simples. Escrito por cientistas. Para toda a comunidade Huntington. Será que doses elevadas de creatina "atrasam o início clínico" da doença

Leia mais

Universidade Federal de Goiás. Instituto de Química. Coordenação de Pós-Graduação em Química EXAME DE SELEÇÃO DO MESTRADO EM QUÍMICA 2015/1

Universidade Federal de Goiás. Instituto de Química. Coordenação de Pós-Graduação em Química EXAME DE SELEÇÃO DO MESTRADO EM QUÍMICA 2015/1 Nº. de Inscrição Universidade Federal de Goiás Instituto de Química Coordenação de Pós-Graduação em Química EXAME DE SELEÇÃO DO MESTRADO EM QUÍMICA 2015/1 IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO - Número de Inscrição:

Leia mais

Geografia QUESTÕES de 01 a 06 INSTRUÇÕES: Questão 01 (Valor: 15 pontos)

Geografia QUESTÕES de 01 a 06 INSTRUÇÕES: Questão 01 (Valor: 15 pontos) Geografia QUESTÕES de 01 a 06 LEIA CUIDADOSAMENTE O ENUNCIADO DE CADA QUESTÃO, FORMULE SUAS RESPOSTAS COM OBJETIVIDADE E CORREÇÃO DE LINGUAGEM E, EM SEGUIDA, TRANSCREVA COMPLETAMENTE CADA UMA NA FOLHA

Leia mais

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?...

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?... A U A UL LA Fazendo a digestão Atenção De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis? Nosso corpo é semelhante a um carro. Como você acha que conseguimos energia para viver? Um corpo

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE) 2 a FASE 16 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 04 NOVEMBRO / 2009 O BANCO DO DESENVOLVIMENTO PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - CIÊNCIAS CONTÁBEIS (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material:

Leia mais

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) 3341-1244 www.colegiosantateresinha.com.br PLANEJAMENTO DE AÇÕES DA 2 ª ETAPA 2015 PERÍODO DA ETAPA: 01/09/2015 á 04/12/2015 TURMA: 9º Ano EF II DISCIPLINA: CIÊNCIAS / QUÍMICA 1- S QUE SERÃO TRABALHADOS DURANTE A ETAPA : Interações elétricas e

Leia mais