MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE"

Transcrição

1 MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE ISO/TS DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Data: 20/04/11 Pág. 1 de 25

2 SUMÁRIO CAP.01 Institucional da Fundação Vanzolini CAP.02 A Fundação Vanzolini é muito mais que um organismo de certificação CAP.03 Atuação do Departamento de Certificação CAP.04 Relacionamento, Contato, , Processo CAP.05 Etapas do Processo de Certificação CAP.06 Modelo de Informações para Elaboração da Proposta Preenchido CAP.07 Equipe Auditora e Dimensionamento CAP.08 Perguntas e Respostas mais Freqüentes CAP.09 Confidencialidade, Imparcialidade, Conflito de interesse CAP.10 Interpretações do IATF, CB25, ISO/TC 176, IAF CAP.11 Regras para uso da marca CAP.12 Sistemática de Reclamação e Apelação CAP.13 Suspensão, cancelamento, redução ou aumento de escopo, inclusão ou exclusão de sites. CAP.14 Critérios para reembolso de despesas diretas Data: 20/04/11 Página 2 de 25

3 CAP.01 - INSTITUCIONAL DA FUNDAÇÃO VANZOLINI APRESENTAÇÃO QUEM SOMOS Criada em 1967, a Fundação Vanzolini, entidade criada, mantida e gerida pelos professores do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), é uma instituição privada sem fins lucrativos que tem por objetivo a difusão de conhecimentos na área de Engenharia de Produção e Administração Industrial. Dentre as atividades desenvolvidas, aquelas dedicadas à área de Qualidade têm propiciado a formação de um corpo técnico de alto nível com estágios no exterior (Japão, Inglaterra e Estados Unidos) sempre em Sistemas de Gestão, projetos para a UNIDO e cooperação com a Universidade do Tennessee. Ao longo desses anos, a instituição consolidou-se como um importante órgão de difusão da Engenharia de Produção, tendo, inclusive, passado a ministrar cursos de especialização para a capacitação de profissionais, em convênio com a Escola Politécnica da USP. A atuação da Fundação Vanzolini foi além do campo da Educação Continuada, para também crescer em áreas como Certificação, Gestão de Tecnologias Aplicadas à Educação e Projetos, nas quais tornou-se um grande centro de referência. VISÃO DA FUNDAÇÃO VANZOLINI A Fundação Vanzolini tem como visão o aumento da confiança das partes interessadas nos produtos/serviços oferecidos e o aprimoramento contínuo dos processos internos. A Fundação Vanzolini, por meio de suas auditorias, faz uma análise crítica do Sistema de Gestão verificando estas vertentes e agregando significativamente valor às organizações. RECONHECIMENTO NACIONAL E INTERNACIONAL Em 1990, a Fundação Vanzolini foi a primeira entidade acreditada pelo INMETRO - Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial para a certificação de sistemas de gestão da qualidade. A acreditação do Cgcre permite a Fundação Carlos Alberto Vanzolini conceder certificados com validade oficial. Data: 20/04/11 Página 3 de 25

4 A Fundação Carlos Alberto Vanzolini é membro pleno da The International Certification Network (IQNet) com relação a certificações baseadas nas normas ISO 9001, ISO 14001, ISO 27001, e OHSAS A IQNet é uma rede internacional de entidades certificadoras, composta pelos mais importantes órgãos certificadores de todo o mundo, com a finalidade de assegurar aceitação internacional aos certificados emitidos pelos seus membros. Aproximadamente 30% do número total de certificados de sistemas de gestão emitidos no mundo foram gerados por organismos pertencentes a IQNet. Portanto, a organização certificada pela Fundação Vanzolini, nos escopos acreditados, recebe o certificado com reconhecimento nacional (Cgcre) e outro certificado com abrangência internacional fornecido pela IQNet. A Fundação Carlos Alberto Vanzolini também mantém acordos operacionais com as todas as entidades internacionais ligadas a rede Internacional IQNet. As organizações e paises cobertos pela rede IQNet estão disponibilizadas no endereço do site da IQNet, a saber: dentro da área All IQNet Partners Desde 2004, a Fundação Vanzolini possui a acreditação em ISO/TS 16949, fornecida pelo IATF, se tornando a única Certificadora sediada na América Latina. O processo de acreditação em ISO/TS contou com o apoio do IRAM (Instituto Argentino de Normalización y Certificación) da Argentina e da ICONTEC (Instituto Colobiano de Normas Técnicas y Certificación) da Colombiana. A Fundação Carlos Alberto Vanzolini é a maior certificadora genuinamente nacional. Data: 20/04/11 Página 4 de 25

5 CAP.02 - A FUNDAÇÃO VANZOLINI É MUITO MAIS QUE UM ORGANISMO DE CERTIFICAÇÃO Educação Continuada Nos seus mais de 40 anos de existência, a Fundação Vanzolini vem contribuindo para o aperfeiçoamento de milhares de profissionais, por meio da prestação de serviços e da oferta de cursos - tanto abertos ao público quanto in company. Os Cursos de Especialização, por exemplo, abordam temas da área de produção e são compostos por disciplinas que cobrem integralmente o programa proposto. Mediante convênio com a Escola Politécnica, o certificado de conclusão é emitido pela Universidade de São Paulo. Todos esses cursos, oferecidos como pós-graduação latu sensu, têm sempre carga horária mínima de 360 horas: Administração Industrial (CEAI Semanal) Administração Industrial (CEAI Sábados) Administração de Serviços (CEAS) Gestão de Projetos (CEGP) Gestão de Projetos - Tecnologia da Informação (CEGP-TI) Logística Empresarial (CELOG) Engenharia de Produção para a Construção Civil (CEPC) Qualidade e Produtividade (CEQP) Ergonomia de Sistemas de Produção MBA - Gestão de Operações: Produtos e Serviços Neste campo da Educação, a Fundação Vanzolini mantém, portanto, a plena atualização das temáticas abordadas, buscando um adequado equilíbrio entre teoria e prática. Há ainda a oferta de Cursos de Capacitação (média duração), em que o participante aprofunda conhecimentos em assuntos específicos e atuais da Engenharia de Produção. Nos Cursos de Atualização, em sua grande maioria com carga horária compreendida entre 8 e 24 horas, os temas propostos têm o objetivo de proporcionar novos conhecimentos profissionais, atendendo a necessidades bem focalizadas. Esses cursos estão agrupados em diversas áreas, permitindo a escolha da melhor opção de atualização. Data: 20/04/11 Página 5 de 25

6 Gestão de Tecnologias Aplicadas à Educação A Fundação Vanzolini é referencia nacional no gerenciamento de programas de alto desempenho para desenvolver e implementar processos educacionais inovadores, mediante incorporação de tecnologias de informação e comunicação. Esses programas, vários dos quais premiados, operam com sucesso em sistemas estaduais e municipais de ensino e em organizações do terceiro setor. Projetos São muitos os trabalhos de ponta desenvolvidos pela Fundação Vanzolini, contemplando projetos e pesquisas. De gestão de operações e logística, passando por tecnologia da informação, organização, qualidade, engenharia do produto e economia da produção, nossos profissionais buscam sempre desenvolver soluções inovadoras. CAP.03 - ATUAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE CERTIFICAÇÃO CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS A Fundação Vanzolini é a referência brasileira na Certificação de Sistemas. Realiza avaliações da conformidade nas seguintes áreas: Tema Norma Aplicação Qualidade NBR ISO 9001 Todos os Setores e Escopos NBR (equivalente à AS9100) Aeronáutica ISO/TS Automobilística Selo de Tiragem Mídia Impressa Sustentabilidade Alta Qualidade Ambiental Construção Sustentável NBR ISO Meio Ambiente OHSAS Segurança e Saúde ocupacional NBR Responsabilidade Social SA 8000 (em nome da IQNet) Responsabilidade Social NBR 9050 Acessibilidade ISO Gases de Efeito Estufa 4C Código de Conduta da Comunidade Cafeeira Data: 20/04/11 Página 6 de 25

7 Tema Norma Aplicação Tecnologia da NBR ISO/IEC Segurança da informação Informação ISO/IEC Gestão dos Serviços de Tecnologia da Informa Proteção e privacidade dos dados Construção Civil Logística e Transporte Saúde SIAC - Obras / PBQP-H Qualihab (SP) Programa Setorial ABEF Qualiobras (SE) Qualipav (RJ) Qualiop (BA) Pará Obras (PA) Properq PBQP-H (DF) PBQP (TO) Transqualit SASSMMAQ ONA - Organização Nacional de Acreditação NBR ISO Obras de: Edificações / Saneamento / Viárias e Obras de Arte Especiais Obras de Edificações e Gerenciamento Serviços de Sondagem e Fundações Obras de: Edificações / Saneamento / Pavimentação / Eletricidade / Distribuição e Instalação de Gás / Projetos e Gerenciamento Obras de Pavimentação Obras de: Edificações / Saneamento / Pavimentação / Urbanização / Projetos e Gerenciamento Obras de: Edificações / Saneamento / Pavimentação / Eletricidade / Projetos e Gerenciamento Obras de: Edificações / Saneamento / Pavimentação Obras de: Edificações / Saneamento / Urbanização Obras de: Edificações / Saneamento / Pavimentação / Eletricidade Farmacêutico, Green, Frigorificado e Aéreo Módulo Rodoviário Serviços de saúde Produtos para saúde Alimentos Selo Produto de São Paulo Café, Algodão, Carne suína e Cachaça Selo ABIC Programa da Qualidade do Café Feed Food Safety Gestão do Alimento Seguro NBR ISO Alimentos Produtos Extintores, Preservativos masculinos, Blocos, Instalações Elétricas e Materiais Elétricos, Pneus (novos), Equipamento Eletromédicos e de Telecomunicações, entre outros. A Fundação Vanzolini oferece a realização de auditorias combinadas, possibilitando a avaliação de diversos Sistemas de Gestão simultaneamente, trazendo vantagens para a organização (Sistemas de Gestão Integrados). Data: 20/04/11 Página 7 de 25

8 CAP RELACIONAMENTO, CONTATO, , PROCESSOS Com a finalidade de garantirmos o melhor contato possível com a Fundação Vanzolini, seguem abaixo os processos responsáveis pelas atividades do Departamento de Certificação: Para organizações situadas no Brasil. Comercial Processo Atividades Dados para Contato Relacionamento com Cliente, Propostas (11) R: 102 Comerciais, Contratos, Alterações de Dimensionamento de Eventos Planejamento de Auditoria Agendamento das Datas dos Eventos (11) R: 102 Logística Documentação Técnica Secretária da Comissão Técnica Elaboração de Planos de Auditoria, Aspectos Relacionados a Passagens e Hospedagens Controle dos Documentos Solicitados as organizações (Manuais, Planos de Ação Corretiva,etc) Envio do processo para análise da comissão técnica e emissão de certificado (11) R: 120 (11) R: 125 (11) R: 121 SAC Serviço de Atendimento ao Cliente (11) R: 112 Para organizações situadas na Argentina, o contato para todas atividades acima é centralizado no tel: (54) e Para organizações situadas na Colômbia, o contato é o contato para todas atividades acima pode ser feito conforme as sucursais abaixo: Bogotá Teléfono: 57 (1) ext e- mail: Cali Teléfono: 57 (2) e- mail: Medellín Teléfono: 57 (4) e- mail: Barranquilla Teléfono: 57 (5) e- mail: Data: 20/04/11 Página 8 de 25

9 CAP ETAPAS DO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Etapas Responsabilidade Prazo Detalhes 1 - Solicitação de Proposta de Certificação. Organização - A solicitação deve ser feita por meio do preenchimento do formulário enviado pela Fundação Vanzolini (ou fazer o download do formulário no site da Fundação Vanzolini, na Internet), ou ainda contatar o Departamento de Certificação Processo Comercial. Para demais organizações no Continente Latino Americano, o contato poderá ser feito junto aos nossos parceiros do IRAM (Argentina) ou ICONTEC (Colômbia) 2 - Elaboração da proposta com as informações da organização. Fundação Vanzolini 5 dias úteis Com base nos dados preenchidos e remetidos pela organização a Fundação Vanzolini procede a sua análise crítica e encaminha a proposta de certificação 3 - Envio da Proposta Fundação Vanzolini Após Elaboração A Fundação Vanzolini envia o Preâmbulo (Proposta Comercial) e Contrato 4 - Aprovação da proposta Organização - A aprovação da proposta deve ser feita no documento Preâmbulo com as assinaturas e datas previstas para a Pré-Auditoria / Auditorias Fase 1 e Auditoria Fase 2 (Certificação) e enviada por fax para , por ou envio pelo correio. Para demais organizações no Continente Latino Americano, o contato poderá ser feito junto aos escritórios regionais do IRAM (Argentina) ou ICONTEC (Colômbia) 5 - Abertura Formal do Processo de Certificação e Envio do Questionário Preliminar 6 - Confirmação Formal das Datas Solicitadas 7 - Envio do Preâmbulo e do Contrato Fundação Vanzolini - Fundação Vanzolini - Organização - Após a aprovação da proposta será feita a abertura formal do processo de certificação, a qual será confirmada à organização por . Será enviado o Questionário Preliminar, por , que será usado como input para a Auditoria Fase 1 A Fundação Vanzolini contatará a organização para agendar as datas da auditoria. Contatos em relação às datas de auditorias devem ser realizados com Departamento de Certificação Processo de Planejamento de Auditorias No momento do aceite da proposta a organização deverá encaminhar 2 vias do preâmbulo e contrato assinado para a Fundação Vanzolini, Rua Camburiú, 255 Alto da Lapa CEP São Paulo - SP ou para os escritórios regionais na Argentina ou Colômbia (O recebimento deste documentos na Fundação Vanzolini são determinantes para a realização das auditorias) Data: 20/04/11 Pág. 9 de 25

10 Etapas Responsabilidade Prazo Detalhes 8 - Envio do Manual de Gestão e do Questionário Preliminar preenchido Organização 30 dias antes da auditoria 9 - Análise de documentos. Fundação Vanzolini - - Para que o Auditor efetue a análise adequada do processo de certificação e possa elaborar a auditoria Fase 1 é de fundamental importância que o Manual da Gestão e Questionário Preliminar já tenha sido recebido pela Fundação Vanzolini, dentro do prazo solicitado. O não recebimento no prazo solicitado pode implicar em atrasos na execução da Auditoria Fase 1 por parte da Fundação Vanzolini. O Manual e Questionário Preliminar devem ser enviados para não existe necessidade de envio em meio físico Envio do Plano de Auditoria Fundação Vanzolini 7 dias antes do evento A Fundação Vanzolini enviará o plano de auditoria para que a organização conheça, com antecedência, as áreas / processos a serem auditados, bem como os horários Pré-Auditoria (Opcional) Fundação Vanzolini Deverá ocorrer antes da auditoria Fase 1 A Pré-auditoria não é obrigatória, mas é fortemente recomendada. A pré auditoria somente poderá ocorrer uma única vez. 12- Fase 1 obrigatória Fundação Vanzolini Deve ocorrer após a Pré Auditoria (caso haja) A auditoria Fase 1 deverá ocorrer nas instalações da organização solicitante. Caso a auditoria Fase 1 seja reprovada, deverá reiniciar o processo de Certificação. 13 Elaboração do Plano de Auditoria Fase 2 Fundação Vanzolini 7 dias antes da Auditoria Fase 2 A Fundação Vanzolini enviará o plano de auditoria para que a organização conheça, com antecedência, as áreas / processos a serem auditados, bem como os horários Auditoria de Certificação Fase 2 Fundação Vanzolini Prazo Máximo de 90 dias após a Auditoria Fase 2 A equipe auditora realiza a Auditoria de Certificação apresentando ao final, o relatório de auditoria e sua recomendação. Data: 20/04/11 Página 10 de 25

11 Etapas Responsabilidade Prazo Detalhes 15 - Submissão do Relatório para a Comissão Técnica Fundação Vanzolini / AUDITOR - Após o término da auditoria a Equipe auditora submete a documentação com o parecer da Equipe Auditoria para análise da Comissão Técnica. 16- Envio do Plano de Ações Corretivas (PAC) Organização Data Limite indicada no Relatório de Auditoria Fase 2 A Análise da Comissão Técnica somente ocorrerá após o recebimento do Plano de Ações Corretivas e sua respectiva análise / aprovação por parte da equipe auditoria. 17- Verificação das ações Corretivas Auditor 90 dias após o final da auditoria Todas as ações apresentadas para as não conformidades verificadas pela equipe auditora devem ser implantadas e confirmadas dentro do prazo definido pela Comissão Técnica Análise pela Comissão Técnica Fundação Vanzolini A Comissão Técnica procede analise e deliberação do processo de certificação. A Certificação será liberada somente se todas as ações forem consideradas implementadas ou 100% resolvidas 19 Aprovação do Certificado pelo Diretor de Certificação Fundação Vanzolini Ocorrendo a aprovação do parecer da equipe auditoria pela Comissão Técnica, o certificado é encaminhado para a aprovação do Diretor de Certificação da Fundação Vanzolini Envio do Certificado Fundação Vanzolini Após Aprovação do Diretor Após a aprovação do Certificado pelo Diretor, o certificado é encaminhado para a organização Agendamento das Datas das Próximas Auditorias Fundação Vanzolini Como forma da organização se planejar apropriadamente, as datas para as auditorias de supervisão e recertificação já são acordadas, logo após a certificação. Data: 20/04/11 Página 11 de 25

12 CAP INFORMAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA Devolver o questionário preenchido preferencialmente por à: ou para os nossos parceiros na Argentina ou Colombia Em caso de dúvidas, envie um ou entre em contato: Fone: (11) Ramais 102 Certificação Automotiva Fax: (11) CAP.07 - EQUIPE AUDITORA E DIMENSIONAMENTO DE AUDITORIA EQUIPE AUDITORA A Fundação Vanzolini possui um corpo de auditores constituídos por profissionais com experiência comprovada e qualificados pelo IATF como auditores automotivos ISO/TS Todos nossos auditores são graduados e qualificados mediante rigorosas avaliações. Antes da elaboração de uma proposta comercial, o Departamento de Certificação efetua análise crítica da solicitação do cliente, garantindo desta forma que os auditores que serão alocados para realizar os eventos de auditoria possuam a competência necessária. Após o agendamento das auditorias e antes da realização dos eventos, a Fundação Vanzolini, disponibiliza o currículo resumido dos auditores, o qual demonstra sua competência. Caso exista algum impedimento por parte da organização com relação à alocação da Equipe Auditoria a organização deverá se manifestar, possibilitando, mediante análise, alterar a equipe auditora. A Fundação Vanzolini também possui uma série de atividades relacionadas aos auditores, de forma a garantir o mais alto padrão de qualidade em nossa prestação de serviço. Dentre algumas destas atividades, podemos citar: a) Fóruns de Discussão Técnica; b) Treinamentos Específicos; c) Planejamento de Competências para os Auditores; d) Monitoramento das Atividades da equipe Auditora, por intermédio de Pesquisa de Satisfação com os Clientes, Monitoramento do Processo de Auditoria por Comissão Técnica Independente e Auditorias Internas Testemunha. Data: 20/04/11 Pág. 12 de 25

13 DIMENSIONAMENTO DA AUDITORIA O dimensionamento definido para as auditorias pela Fundação Vanzolini segue as determinações que todos os organismos certificadores devem obedecer, ou seja, conforme o Manual de Regras Esquema de Certificação Automotiva ISO/TS emitido pelo IATF CAP PERGUNTAS E RESPOSTAS MAIS FREQUENTES A Fundação Carlos Alberto Vanzolini vem trabalhando com a Certificação ISO/TS e catalogando as principais dúvidas dos clientes. Esperamos que a lista abaixo possa elucidar suas dúvidas. 1. O que é a ISO/TS 16949? A ISO/TS é uma especificação técnica, cuja característica é de indicar quais são os requisitos específicos da Norma ISO-9001 para as organizações de produção automotiva e de peças de reposição. Portanto o conteúdo dos requisitos possui exigências mais abrangentes e complexas do que a ISO Além do mais a Certificação ISO/TS abrange não só os requisitos publicados nesta especificação técnica, mas incluem também os catálogos e requisitos de CADA cliente que participam da cadeia automotiva. 2. Quais organizações podem requerer a Certificação em ISO/TS-16949? Conforme citado no requisito 1.1 da Especificação Técnica, a ISO/TS 16949, em conjunto com a ISO 9001, define os requisitos do sistema de gestão da qualidade para o projeto, o desenvolvimento, a produção e, quando relevante, a instalação e serviço dos produtos relacionados a indústria automotiva. 3. O que abrange a Cadeia Automotiva, da qual se aplica a Certificação ISO/TS 16949? O IATF (International Automotive Task Force), através de divulgação em seu site publicou uma FAQ (Frequently Asked Question), que esclarece o seguinte: O termo Automotiva" deve ser entendido como e inclusive o seguinte: - Carros, Caminhões (Leve, Médio e Pesado), Ônibus, Motocicletas O termo "Automotiva" deve ser entendido como excluindo o seguinte: - Industrial (Empilhadeiras), Silvicultura, Agrícola (Tratores, Arados), Fora de Estrada(Mineração, Florestal, Construção, etc.) Data: 20/04/11 Pág. 13 de 25

14 Apenas Sites (Instalações de Produção, que é o local no qual ocorrem processos industriais que agregam valor) podem requer certificação. Locais remotos (escritórios comercial, unidades de engenharia / projeto, áreas de logística) situados fora dos locais de produção, devem ser auditados como parte do site em questão. Locais remotos não podem obter certificação ISO/TS isoladamente. A Certificação ISO/TS não se aplica a produtos destinados ao After-Market O Termo Produção é esclarecido como Processo de fazer ou fabricar e envolve os seguintes itens: - Produção materiais, - Peças de Produção ou Assessórios, - Montagem ou - Tratamento térmico, soldagem, pintura, superfície, ou outros serviços de acabamento. 4. Como deve ser calculado o Dimensionamento das Auditorias ISO/TS 16949? O dimensionamento das auditorias em ISO/TS segue o estabelecido no manual Automotive Certification Scheme for ISO/TS 16949, emitido pelo IATF (International Automotive Task Force), no qual há uma tabela e instruções (item 5.2 do referido manual), estabelecendo a forma de cálculo deste dimensionamento. O IATF (International Automotive Task Force), através de divulgação em seu site também publicou uma FAQ sobre esclarecimento de dimensionamento sobre sites com locais remotos, e Certificações Corporativas. 5. É possível aplicar alguma redução nestes dimensionamentos? As únicas reduções permissíveis se limitam ao estabelecido no manual Automotive Certification Scheme for ISO/TS 16949, indicando que organizações que não possuem responsabilidade pelo projeto do produto podem reduzir em até 15% do dimensionamento da tabela. Outra situação se refere a Certificações Corporativas, que também permite um ajuste de redução, conforme o número de instalações envolvidas. 6. Caso a minha organização já seja certificada ISO 9001, isto implica em alguma redução? O IATF estabeleceu uma regra para realização de auditorias de UPGRADE, para organizações que já possuam certificação ISO 9001 vigente. Esta regra esta estabelecida no manual Automotive Certification Scheme for ISO/TS 16949, indicando as reduções máximas aplicadas para organizações já certificadas ISO Algumas informações são relevantes para aplicação desta redução, como a Certificação deve considerar o mesmo escopo da Certificação atual e deve considerar que a certificadora seja a mesma da certificação corrente. Data: 20/04/11 Pág. 14 de 25

15 7. A ISO/TS cita no Item 0.5 Meta desta Especificação Técnica, que a ISO/TS em conjunto com os requisitos específicos dos clientes aplicáveis, definem os requisitos fundamentais do Sistema de Gestão da Qualidade para os Signatários deste Documento. Quem são estes signatários? São signatárias da ISO/TS todas as montadoras automotivas que subscrevem a ISO/TS 16949, bem como as demais organizações que participam da cadeia automotiva, independente de sua posição na mesma e que atendam a aplicabilidade da ISO/TS. Portanto, qualquer organização na cadeia automotiva pode ser requerida pelo seu cliente a obter a certificação ISO/TS 16949, desde que atendam a aplicabilidade, conforme questão 3, acima. 8. Se qualquer cliente na cadeia automotiva pode requerer a certificação e se a minha organização deve atender aos específicos de cada cliente, onde podem ser obtidos tais requisitos? É importante levantar claramente os requisitos de todos os clientes dentro da cadeia automotiva e não somente das montadoras. Neste ponto também se inclui os sistemistas e os clientes de P&A (peças de reposição) reconhecidos pelas montadoras (somente mercado paralelo não aplica a certificação ISO/TS 16949). Estes requisitos podem ser obtidos através de Manuais de fornecimentos divulgados pelos clientes, como Publicações, cartas de derroga e até os contratos e pedidos de compra, os quais devem ser atendidos pela organização, antecipadamente a qualquer fornecimento. Alguns clientes como as montadoras GM, Ford e Chrysler e Fiat possuem os requisitos específicos publicados no site do IATF (http://www.iatfglobaloversight.org), que também devem ser considerados pelas organizações fornecedoras destas organizações além de qualquer documentação fornecida por estas organizações. 9. Por que devem ser informados ao organismo de certificação quais são clientes e os requisitos específicos aplicáveis a eles? A informação dos clientes automotivos e requisitos específicos aplicáveis ao organismo de certificação é OBRIGATORIA, pois tais requisitos serão parte integrante da verificação durante a auditoria de certificação (e posteriores auditorias de supervisão). Além disso, o Relatório da Auditoria vinculará quais foram os clientes automotivos considerados como parte da certificação da organização. 10. Qual a importância de obter a Certificação em ISO/TS 16949? Alguns clientes consideram a Certificação como pré-requisito para aquisição de peças de um fornecedor automotivo, o que pode significar a continuidade do negócio. Outras organizações buscam a Certificação para reduzir a necessidade de múltiplas auditorias de clientes. Mas, acima de tudo, é fundamental que as organizações que pretendam obter a certificação entendam o conteúdo dos requisitos desta especificação técnica que, adequadamente implementados, serão de grande valia para qualquer organização. 11. Uma organização que participa do fornecimento dentro e fora da cadeia automotiva, pode requerer a Certificação ISO/TS 16949? Sim. Além disso, o dimensionamento da Certificação considerará TODOS os funcionários da organização, caso os processos automotivos não sejam efetivamente segregados. Data: 20/04/11 Pág. 15 de 25

16 12. Uma organização que obtenha certificação ISO/TS obtém automaticamente a Certificação ISO 9001? Não necessariamente. A obtenção da Certificação ISO 9001 em conjunto com a ISO/TS é uma decisão estratégica da organização, visto que os organismos emissores dos certificados são distintos (a ISO/TS é emitida sob controle do IATF e a ISO 9001 é emitida sob controle do INMETRO, no Brasil). Portanto apesar da norma ISO/TS ser complementar a ISO 9001, a abrangência e por conseqüência os custos da certificação envolverá, no mínimo a emissão do certificado ISO Quando eu devo solicitar a Pré-Auditoria? Após a implantação do Sistema de Gestão, a organização deveria realizar pelo menos um ciclo de auditorias internas para solicitar a Pré-Auditoria. A Fundação Vanzolini também recomenda que seja realizada pelo menos uma análise crítica pela direção. 14. Para que serve a Pré-Auditoria? No início da década de 90, as organizações solicitavam a auditoria de certificação à Fundação Vanzolini sem nenhuma análise prévia. Normalmente os auditores detectavam problemas conceituais, como por exemplo, não aplicação de requisitos que influenciavam a qualidade. Nestes casos, a certificação não podia ser recomendada, causando transtornos para a organização e uma certa decepção. Muitas vezes, os problemas advinham de uma incorreta interpretação da norma para o setor de negócio da organização. Com esta experiência adquirida, os organismos certificadores em todo o mundo passaram a realizar análises prévias a fim de diminuir os riscos de não certificação por problemas de adequação estas análises prévias são as chamadas Pré-Auditorias. 15. Como é feita a Pré-Auditoria? A Pré-Auditoria segue basicamente os mesmos passos da auditoria inicial. Este é o primeiro contato in loco com uma rotina de auditoria e serve para quebrar o gelo, diminuindo a ansiedade da organização. Na Pré-Auditoria são seguidos todos os passos da auditoria de certificação: reunião de abertura, investigação, relato das nãoconformidades e reunião de encerramento. Em ISO/TS o(s) auditor(es) da auditoria de certificação não poderá(ão) ser o(s) mesmo(s) da pré-auditoria. A Pré-Auditoria tem como objetivo analisar criticamente a adequação do Sistema de Gestão da Organização. Isto significa que os procedimentos e a documentação serão verificados em relação a sua adequação à norma de referência. Normalmente a equipe auditora não tem tempo para verificar se as práticas descritas na documentação estão adequadamente implementadas isto é o que chamamos de auditoria de conformidade. Nota: Ao final da Pré-Auditoria, a organização recebe um relatório contendo as constatações da auditoria sem recomendar soluções. Data: 20/04/11 Pág. 16 de 25

17 16. Qual é o prazo padrão entre a Pré-Auditoria e a Auditoria de Certificação? O prazo entre a auditoria Fase 1 até a auditoria Fase 2 não pode ultrapassar a 90 dias. Antes da Auditoria Fase 1 é que ocorre a Pré-Auditoria, se requerida. Se a Pré-Auditoria não detectar problemas graves e o sistema estiver maduro na sua implementação, a auditoria de certificação Fase 1 poderá ser agendada. Se, de modo contrário, a Pré- Auditoria detectar muitos problemas que demorem a ser corrigido, o prazo poderá se estender a critério da organização. Normalmente, existe um prazo de um mês entre a Pré-Auditoria e a Auditoria Fase 1, mas este prazo não é uma regra 17. No meu orçamento consta uma Pré-Auditoria de dois ou três dias. Eu acho que é pouco. Posso solicitar mais um ou dois dias de Pré-Auditoria? Sim. A carga horária definida no orçamento é mínima para checar todos os itens da ISO/TS Se a organização desejar uma análise mais aprofundada, a carga horária da pré-auditoria poderá ser aumentada até o limite de 80% do tempo planejado para a auditoria Fase 2. Haverá um aumento proporcional no valor do evento, porém este tempo adicional deve ser tratado antes do evento da Pré-Auditoria, já que não é permitida realização de duas ou mais Pré-Auditorias (mesmo que complementares), por se caracterizar como consultoria. 18. Posso não realizar a Pré-Auditoria e ir direto para a Auditoria de Certificação Fases 1 e 2? Sim. A Fundação Vanzolini recomenda fortemente a realização da Pré-Auditoria, porém se a organização tiver muita segurança na adequação e conformidade de seu sistema de gestão, não há problema algum em ir direto para a Auditoria de Certificação. 19. Se o auditor não achar problemas na Pré-Auditoria, posso já receber o certificado? Não. A Pré-Auditoria tem objetivo distinto da auditoria de certificação. A Pré-Auditoria verifica a adequação do sistema não colhendo evidências suficientes de que as práticas refletem o planejamento contido nos procedimentos. A verificação da implementação dos procedimentos é feita na auditoria de certificação, que não pode ser dispensada de forma alguma. 20. A ISO/TS indica a necessidade da realização de uma atividade chamada de Readiness Review. O que significa esta atividade? A minha organização é obrigada a se submeter a tal prática? O Readiness Review é uma atividade obrigatória dentro das regras de Certificação para ISO/TS Esta atividade é também conhecida como Auditoria Fase 1 do processo de certificação e precede a Fase 2, que se trata da auditoria de certificação. O Readiness Review ou auditoria Fase 1 deve acontecer no prazo máximo de 90 dias antes da auditoria de certificação Fase 2. Esta atividade é feita em conjunto com a organização e dentro das instalações da organização auditada. O objetivo é verificar a prontidão da organização para receber a auditoria de certificação e caso existam situações impeditivas verificadas pelo auditor, poderá ser realizada novamente até que seja considerada aprovada pelo auditor líder. Data: 20/04/11 Pág. 17 de 25

18 21. Sendo esta uma atividade obrigatória, o que será verificado durante o Readiness Review? O Manual de Regras para o Esquema de Certificação ISO/TS 16949, indica qual a documentação básica deverá estar disponível para a equipe auditora, como parte do Readiness Review (Auditoria Fase 1), que são: - Descrição dos processos, demonstrando as seqüências e interações, incluindo os indicadores chaves e tendências de performance relativas aos últimos 12 meses, no mínimo. - Evidência de que todos os requisitos da ISO/TS estão endereçados através dos processos da organização - Manual da Qualidade (para cada site auditado) - Planos e resultados da auditoria(s) interna(s) e da(s) análise(s) crítica(s) pela direção, referentes aos últimos 12 meses. - Lista dos auditores internos qualificados - Lista dos requisitos específicos dos clientes - Situação da Satisfação de Clientes e reclamações, incluindo os relatórios de cliente e scorecards. Toda esta documentação exigida está contida no Questionário Preliminar, que funcionará como uma lista de verificação das evidências da Auditoria Fase 1 pelo auditor da Fundação Vanzolini. 22. Quem faz parte da equipe auditora? A equipe auditora é formada por um ou mais auditores. Os Auditores Automotivos são auditores qualificados em Lead-Assessor para ISO 9001 e também são qualificados como auditores automotivos, credenciados pelo IATF. Estes auditores são profissionais com experiência em auditorias e conhecimento do ramo automotivo. Práticas adotadas pela Fundação Vanzolini garantem que o auditor possui conhecimento de sua atividade. 23. Como saberei que áreas serão auditadas nas auditorias de supervisão? Da mesma forma que na auditoria de certificação, nas auditorias de supervisão também ocorrerá o envio do plano de auditoria com uma semana de antecedência. Para a Fundação Vanzolini garantir este prazo, a organização deverá necessariamente enviar com pelo menos 30 dias de antecedência, em relação à auditoria, o seu Manual de Gestão para análise da equipe auditora, bem como os indicadores de performance desde a última auditoria, priorizando os indicadores de avaliação fornecidos pelos seus clientes automotivos e demais dados solicitados. 24. Quais são os possíveis resultados de uma Auditoria de Certificação? A equipe auditora, com base nas constatações da auditoria, pode tomar as seguintes decisões: - Recomendação da Certificação desde que não haja nenhuma não conformidade; - Recomendação de Auditoria de Follow Up (in-loco ou documental) para as nãoconformidades, para assegurar que as não conformidades sejam 100% resolvidas. A Certificação somente será recomendada mediante o fechamento satisfatório de todas não conformidades emitidas na auditoria. O fechamento destas não conformidades deve ocorrer num prazo máximo de 90 dias. Data: 20/04/11 Pág. 18 de 25

19 - Não recomendação da certificação neste caso a organização deverá reiniciar o processo de Certificação (Auditorias Fase 1 e Fase 2) 25. Quantas não-conformidades tiram a minha certificação na Auditoria de Certificação? A Fundação Vanzolini não possui uma regra rígida de número de não-conformidades e sim uma política sobre a sua gravidade. Caso o relatório de auditoria inclua uma ou mais não-conformidades consideradas como Maiores, ou não-conformidades menores que exijam a verificação de sua aplicação, via de regra exigirão uma auditoria de follow-up in-loco. De toda forma, tantos as não conformidades Maiores como as Menores deverão ser consideradas 100% resolvidas conforme a questão anterior. 26. Para a recomendação da certificação, será necessária uma auditoria documental ou in-loco para fechar as não-conformidades? Em resumo, posso ser certificado com não-conformidades em aberto? Não. Todas as não conformidades deverão ser 100% resolvidas num prazo de 90 dias, conforme o Manual de regras do IATF. É importante ressaltar que a ISO/TS não permite a recomendação para certificação de uma organização com não conformidades em aberto. 27. Para que servem as auditorias de supervisão? Uma vez implementado e certificado o sistema de gestão, é obrigação da entidade certificadora verificar a manutenção do sistema certificado. Assim, periodicamente a Fundação Vanzolini fará auditorias para verificar se o sistema ainda se mantém adequado e conforme. 28. E o que acontece quando é detectada uma não conformidade em uma auditoria de supervisão? O IATF publicou em seu Manual de Regras para o Esquema de Certificação Automotiva para ISO/TS 16949, abordando que qualquer não conformidade detectada durante uma auditoria de supervisão, inicia-se o processo chamado de descertificação, que consiste no fato de que a condição inicial da certificação não é mais atendida (neste caso seria não haver não conformidades abertas ). Uma das sanções que pode ser aplicada mediante a gravidade das não conformidades ou falta de aderência do Sistema de Gestão da organização, seria a suspensão do certificado e posterior cancelamento do mesmo, caso as não conformidades não sejam efetivamente resolvidas 100%. Basicamente a regra para fechamento de não-conformidades ou restabelecimento da certificação inicial é a mesma de uma auditoria inicial, conforme apresentado na questão 25, acima. 29. O que é a Recertificação? Ela é obrigatória? Após três anos da certificação da organização, o sistema necessitará ser reavaliado, para que a certificação seja renovada. Este procedimento é chamado de Auditoria de Recertificação. Conforme regras definidas pelo IATF, quando nos referimos a certificação ISO/TS 16949, é obrigatório que a auditoria de certificação se inicie até 3 Data: 20/04/11 Pág. 19 de 25

20 anos do final da auditoria de certificação atual mais 3 anos e o processo de recertificação se conclua dentro da validade do certificado atual, inclusive com o fechamento das eventuais não-conformidades detectadas na auditoria de recertificação e emissão do novo certificado. Caso este período de recertificação não seja cumprido, a organização terá que reiniciar a sua certificação, incluindo as auditorias Fase 1 e Fase 2 e não poderá se beneficiar da redução no tempo aplicado para auditorias de recertificação. Tome cuidado se existirem organismos que não executem esta etapa obrigatória, pois esta certificação poderá ser contestada. 30. O que é a Comissão Técnica? O relatório da equipe auditora é levado a uma Comissão, da qual participa um membro independente e aprovado pelo Escritório de Vigilância do IATF, com poder de Veto em todas as decisões sobre a certificação, inclusive para eventuais apelações de clientes que serão levadas em conta. Isto quer dizer que, caso a organização não concorde com o parecer da equipe auditora com referência ao resultado final ou com relação a uma particular observação, poderá recorrer a uma instância maior que é esta Comissão Técnica. É a Comissão Técnica que validará o parecer da equipe auditora, autorizando a emissão do certificado. 31. Esta comissão se reúne de quanto em quanto tempo? E onde? A Comissão Técnica analisa criticamente os relatórios de auditoria periodicamente e toda documentação disponibilizada pela equipe auditora e pela organização à Fundação Vanzolini. É importante salientar que esta Comissão Técnica tem plena disponibilidade para tal atividade, permitindo rapidez e agilidade nas decisões. Eventuais apelações poderão ser feitas no idioma local. 32. Existe Certificação com reconhecimento internacional para ISO/TS 16949? A Certificação ISO/TS 16949, diferentemente da ISO 9001 é controlada de forma centralizada pelo IATF (International Automotive Task Force), que credencia mundialmente os Organismos de Certificação, os quais devem subordinação ao IATF 33. Posso usar a marca de certificação no meu produto? Há cuidados que devem ser seguidos no uso do selo da Fundação Vanzolini e da marca de certificação. A Fundação Vanzolini define um procedimento que deve ser seguido pela organização certificada. Por exemplo, é proibido o uso da ISO 9001 ou ISO/TS no produto final. 34. Sou obrigado a usar a marca da Fundação Vanzolini quando anunciar ao mercado minha certificação? Ao contrário de outros organismos de certificação, a Fundação Vanzolini não obriga que a organização utilize o selo da Fundação Vanzolini em suas propagandas. A organização é livre para usar a marca de certificação, desde que seja dentro de regras comunicadas pela Fundação Vanzolini. Data: 20/04/11 Pág. 20 de 25

21 35. Posso ter acesso ao currículo da equipe auditora? Sim. Ao receber o plano da auditoria, a organização ficará conhecendo os nomes dos auditores. Basta consultar a home-page da Fundação Vanzolini, no seguinte endereço: (http://www.vanzolini.org.br/cert/audcert/ ), indicar o código do auditor para localizar o currículo da equipe. 36. O trabalho da Fundação Vanzolini somente se restringe à Certificação? Não. A Fundação Vanzolini foi fundada em 1967, quando ainda não existia certificação ISO A Fundação Vanzolini foi instituída por professores da Universidade de São Paulo e é reconhecida como um Centro de Excelência Internacional em Gestão. Por meio do contato com a Fundação Vanzolini, sua organização terá acesso a um centro de conhecimento e canal de capacitação multidisciplinar de sua equipe. 37. A Fundação Vanzolini pode fornecer consultoria para a montagem e implantação do Sistema da Qualidade? Não. Conforme regras internacionais e regras éticas internas da Fundação Vanzolini, não existe a possibilidade de fornecimento de serviços de consultoria para implantação da ISO 9001, ISO/TS ou qualquer outra norma que a Fundação Vanzolini atue como certificadora. A Fundação Vanzolini também não recorre a subterfúgios para tal atividade como, por exemplo, uso de organizações coligadas ou controladas. A Fundação Vanzolini atua como parceira das organizações de consultoria, reconhecendo e incentivando seu papel, nunca atuando como concorrente. 38. Quais são os critérios para escolher uma certificadora e avaliar as propostas? Na sua escolha, leve em consideração (não necessariamente nesta ordem): - Prestígio e credibilidade da certificadora; - Lista de clientes; - Clareza da proposta (não existência de custos escondidos, impostos, auditorias extras não explicitadas, método de aprovação não claro, etc.); - Preços e condições de pagamento; - Competência da equipe auditora; - Não existência de atividades de consultoria para implantação de ISO/TS 16949, nem de organizações coligadas que fazem tal serviço; - A entidade oferece algo mais que as auditorias, como por exemplo, capacitação; - Existência de Comissão Técnica no Brasil, a fim de facilitar possíveis apelações ou esclarecimento de dúvidas. - Cumprimento rígido das diretrizes do IAF e do IATF para carga horária de auditoria. 39. No caso de outras dúvidas, a quem devo consultar? Não hesite em nos contatar pelo telefone (11) , Ramais 102 ou consulte nossa home page: Data: 20/04/11 Pág. 21 de 25

22 CAP CONFIDENCIALIDADE, IMPARCIALIDADE E AUSÊNCIA DE CONFLITO DE INTERESSE A Fundação Vanzolini ao longo do processo de certificação pode ter acesso a informações confidenciais relacionadas aos ativos da informação. Todos o pessoal que trabalha no Departamento de Certificação da Fundação Vanzolini, incluindo os auditores, assinam o Código de Conduta que estabelece os procedimentos de trabalho, incluindo vários princípios relacionados ao sigilo, confidencialidade, ausência de conflito de interesse. As informações de um produto ou sobre certificação não são reveladas a terceiros sem o consentimento, por escrito, do cliente. Caso a lei exija que tais informações sejam dadas a conhecimento por terceiros, o cliente é informado formalmente, conforme estabelecido na lei. CAP.10 - INTERPRETAÇÕES do IATF, CB-25, ISO/TC 176 e ORIENTAÇÕES E DIRETRIZES DO IAF Todos as pessoas podem ter acesso as interpretações, orientações e diretrizes realizadas em âmbito nacional e internacional. Estas informações podem ser obtidas junto ao: a) IATF (International Automotive Task Force) que emite informações sobre o processo de Certificação Automotiva em ISO/TS 16949, bem como FAQ (Frequently Asked Questions) e SI (Sanctioned Interpretations) referente às praticas de auditorias em ISO/TS através de seu site oficial do IATF (International Automotive Task Force) Site: b) CB-25 Comitê Brasileiro da Qualidade Site: (interpretações e orientações); c) ISO/TC 176 International Organization for Standardization's (ISO) Technical Committee 176 on Quality Management and Quality Assurance - (Interpretações e Orientações) Site: d) IAF International Accreditation Forum Site : (Diretrizes) Data: 20/04/11 Pág. 22 de 25

23 CAP REGRAS PARA O USO DA MARCA -USO DO LOGO DO IATF 1. Para certificação pela ISO/TS somente o certificado receberá o logo do IATF não sendo permitida a sua utilização de qualquer outra forma; 2. Somente a marca de certificação da FUNDAÇÃO VANZOLINI poderá ser utilizada respeitando-se as regras definidas abaixo; 3. Não será emitido certificado IQNet ou INMETRO para esta certificação. - USO DO LOGO DA FUNDAÇÃO VANZOLINI A Organização cujo Sistema de Gestão (Qualidade) possui os Certificados emitidos pela FUNDAÇÃO VANZOLINI está autorizada a usar a marca de certificação da FUNDAÇÃO VANZOLINI (selo) após garantir que : 1. A marca de certificação da FUNDAÇÃO VANZOLINI de Sistema de Gestão pode ser utilizada pela organização detentora do certificado, desde que: com o nome da organização certificada (e da divisão, se necessário); com o número do certificado (opcional); fazendo referência à norma aplicável; dentro do período de validade do certificado; dentro do escopo / área certificado; utilizado pela companhia certificada (o responsável legal); sem qualquer mudança. 2. A marca de certificação da FUNDAÇÃO VANZOLINI pode ser utilizada para fins comerciais, aparecer em documentos usados nas correspondências da organização, na internet e em propaganda. Ela não deve ser utilizada em declarações que ultrapassem o escopo dos Certificados emitidos pela FUNDAÇÃO VANZOLINI, principalmente nos casos em que há cobertura parcial dos certificados com relação à totalidade da linha de produtos/serviços da organização. Em caso de dúvida, o escopo da certificação deverá ser especificado. 3. As declarações da certificação devem indicar que os produtos referidos são procedentes de uma organização cujo Sistema de Gestão (Qualidade) foi certificado pela FUNDAÇÃO VANZOLINI. 4. É vedado o uso da marca de certificação FUNDAÇÃO VANZOLINI diretamente nos produtos e nas suas embalagens primárias. 5. Na utilização da marca de certificação da FUNDAÇÃO VANZOLINI, o usuário da marca deverá observar os princípios da concorrência honesta. O usuário deverá impedir qualquer uso ou declaração a respeito à marca de certificação, que seja inaceitável pela FUNDAÇÃO VANZOLINI. 6. O usuário da marca receberá uma cópia reproduzível da marca de certificação (selo). O usuário da marca não está autorizado a fazer qualquer alteração gráfica na marca de certificação da FUNDAÇÃO VANZOLINI (inclusive cores) sem a concordância por escrito da FUNDAÇÃO VANZOLINI. Alterações nas dimensões da marca de certificação são aceitáveis, desde que o selo mantenha-se legível. 7. O uso da marca de certificação da FUNDAÇÃO VANZOLINI é restrito às organizações autorizadas e o direito de uso deste não deve ser transferido para terceiros ou substitutos, nem ser objeto de cessão ou aquisição ou de qualquer medida compulsória. 8. Como meio de melhor elucidar o uso de marca de certificação para indicar quando um produto foi feito sob um sistema de gestão da qualidade certificado, segue abaixo tabela: No Produto *1 Em caixas maiores, etc. usadas para o transporte de produtos *2 Em Panfletos, etc. para propaganda Uso da Marca *3 Sem Declaração Não permitido Não Permitido Permitido * 5 Com Declaração Não permitido Permitido *5 Permitido * 5 *1 Pode ser o próprio produto tangível ou um produto em uma embalagem individual, caixa, etc. No caso de atividade de ensaio/análise, poderia ser um relatório de ensaio/análise; *2 Pode ser a embalagem externa feita de papelão etc. que provavelmente não seja capaz de alcançar os usuários finais; *3 Isso se aplica a marcas que apresentem uma forma específica, inclusive alguma descrição básica de sua aplicabilidade. Uma declaração somente em palavras não constitui uma marca neste sentido. Tal declaração deve ser verdadeira e não induzir a erro; *4 Poderia ser uma afirmação declarando que Este produto foi fabricado em uma organização cujo sistema de gestão da qualidade é certificado e está em conformidade com a NBR ISO O Termo Fabricado para organizações de serviço, pode ser adaptado aos termos utilizados no segmento da organização; * 5 Na utilização de símbolos ou logomarcas, deve ser prestada atenção suficiente, para evitar infração. - Certificado IQNet (somente quando emitidos Certificados ISO 9001 em conjunto com o Certificado ISO/TS 16949) 1. O Certificado IQNet não se aplica aos Certificados ISO/TS O certificado IQNet é baseado em auditoria e certificação realizadas pela FUNDAÇÃO VANZOLINI para as quando envolver Certificações ISO 9001 em conjunto com a Certificação ISO/TS 16949, ou sob sua coordenação, e é emitido por esse membro em nome da IQNet. A certificação IQNet foi instituída em função da mútua confiança entre os membros, resultante da avaliação entre seus pares, da cooperação e da assinatura do acordo multilateral IQNet Multilateral Agreement (MLA) de reconhecimento mútuo de certificados. 3. O certificado IQNet é fornecido à organização certificada em razão da qualidade de membro da IQNet da FUNDAÇÃO VANZOLINI. 4. A responsabilidade principal pela emissão do certificado IQNet é da FUNDAÇÃO VANZOLINI. 5. As Regras para uso do logo da IQNet são as mesmas apicláveis ao Logo da FUNDAÇÃO VANZOLINI descrita acima 6. Caso a FUNDAÇÃO VANZOLINI deixe de ser associada à IQNet, o certificado IQNet da Organização deixará de ser válido e será recolhido pela FUNDAÇÃO VANZOLINI, no prazo de 30 dias. Qualquer intencional ou flagrante violação negligente das providências acima resultará na anulação da concessão os Certificados. O direito de uso da marca de certificação termina na não renovação ou anulação da concessão dos Certificados da FUNDAÇÃO VANZOLINI, IQNet e IATF, depois dos períodos transitórios especificados para tais casos. Data: 20/04/11 Pág. 23 de 25

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO ISO 9001

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO ISO 9001 PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO ISO 9001 Ao longo dos últimos anos, a Fundação Carlos Alberto Vanzolini vem trabalhando com a Certificação ISO 9001 e catalogando as principais dúvidas dos clientes.

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO ISO/TS 16949:2002

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO ISO/TS 16949:2002 PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO ISO/TS 16949:2002 Recentemente, a Fundação Carlos Alberto Vanzolini vem trabalhando com a Certificação ISO/TS 16949 e catalogando as principais dúvidas dos clientes.

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO NBR 15100

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO NBR 15100 PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO NBR 15100 As perguntas abaixo têm o propósito de elucidar algumas dúvidas sobre a certificação da NBR 15100. 1. O que é a NBR 15100? A NBR 15100, equivalente à norma

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO NBR 16001

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO NBR 16001 PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES CERTIFICAÇÃO NBR 16001 As perguntas abaixo têm o propósito de elucidar algumas dúvidas sobre a certificação da NBR 16001. 1. O que é a NBR 16001? A NBR 16001 tem a finalidade

Leia mais

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE NBR ISO/IEC 20000-1 DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Data: 26/07/13 Pág. 1 de 23 P.057.06 - Manual de Comunicação com o Cliente - NBR ISO/IEC

Leia mais

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE OHSAS 18001 DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Data: 20/04/11 Pág. 1 de 25 SUMÁRIO CAP.01 Institucional da Fundação Vanzolini CAP.02 A Fundação

Leia mais

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ?

Quais são as organizações envolvidas no SASSMAQ? PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES AVALIAÇÃO SASSMAQ (P.COM.26.00) O SASSMAQ é um Sistema de Avaliação de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade, elaborado pela Comissão de Transportes da ABIQUIM, dirigido

Leia mais

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE NBR ISO 9001 DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Data: 22/04/2014 Pág. 1 de 25 SUMÁRIO CAP.01 Institucional da Fundação Vanzolini CAP.02 A Fundação

Leia mais

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE NBR ISO 9001 DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Data: 09/11/2012 Pág. 1 de 25 SUMÁRIO CAP.01 Institucional da Fundação Vanzolini CAP.02 A Fundação

Leia mais

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE NBR ISO/IEC 27001 DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Data: 26/07/13 Página 1 de 25 P.035.10 - Manual de Comunicação com o Cliente - NBR ISO/IEC

Leia mais

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO Data: 09/11/2012 Pág. 1 de 29 FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI SUMÁRIO CAP.01 Institucional da Fundação Vanzolini CAP.02 A Fundação Vanzolini

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001

PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES CERTIFICAÇÃO NBR ISO/IEC 27001 Através da vasta experiência, adquirida ao longo dos últimos anos, atuando em Certificações de Sistemas de Gestão, a Fundação Vanzolini vem catalogando

Leia mais

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE NBR ISO/IEC 27001 DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Data: 08/11/12 Página 1 de 25 SUMÁRIO CAP.01 Institucional da Fundação Vanzolini CAP.02

Leia mais

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE MANUAL DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE PARA A TRANSIÇÃO DA NBR 15100:2010 DIRETORIA DE CERTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO CARLOS ALBERTO VANZOLINI Data: 17/05/11 SUMÁRIO CAP.01 Institucional da Fundação Vanzolini CAP.02

Leia mais

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade Pág. 1 de 12 1. OBJETIVO O objetivo deste documento é o de estabelecer os critérios de certificação da ABRACE, para prestação de serviços de avaliação da conformidade e certificação de Sistemas de Gestão.

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 9 1. OBJETIVO: Este procedimento estabelece o processo para concessão, manutenção, extensão e exclusão da certificação de Sistema de Gestão de Segurança da Informação, em conformidade com norma ABNT

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Elaborado por: GT Especial do ABNT/CB-25 Grupo de Aperfeiçoamento do

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E/OU AMBIENTAL (ISO 9001 / 14001) Palavra chave: certificação, qualidade, meio ambiente, ISO, gestão

CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE E/OU AMBIENTAL (ISO 9001 / 14001) Palavra chave: certificação, qualidade, meio ambiente, ISO, gestão 1 de 8 1. OBJETIVO Estabelecer o processo para concessão, manutenção, extensão, suspensão e cancelamento de certificações de Sistema de Gestão da Qualidade, conforme a Norma NBR ISO 9001 e Sistema de Gestão

Leia mais

Módulo 3. Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4.

Módulo 3. Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4. Módulo 3 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 6.2, 6.2.1, 6.2.2, 6.2.3, 6.2.4, 6.2.5, 6.3, 6.4, 6.4.1, 6.4.2, 6.4.3 Exercícios 6.2 Iniciando a auditoria/ 6.2.1 Designando o líder da equipe

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ORIENTAÇÕES PARA A SELEÇÃO E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONSULTORIA, TREINAMENTO E CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE (D.O 01 revisão 05, de 22 de março de 2011) 2 SUMÁRIO PARTE I INTRODUÇÃO

Leia mais

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem como objetivo estabelecer diretrizes e orientações para realização

Leia mais

1.1 O Certificado de Sistemas da Gestão Ambiental SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira:

1.1 O Certificado de Sistemas da Gestão Ambiental SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira: Documento analisado criticamente e aprovado quanto à sua adequação. Responsável: Carlos Henrique R. Figueiredo Diretor de Certificação * Inclusão de notas do item 2.1."b" quanto a documentação necessária

Leia mais

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 276:2011) - OTS NORMA Nº NIT-DICOR-011 APROVADA EM MAR/2013 Nº 01/46 SUMÁRIO

Leia mais

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001.

OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL. Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. OHSAS 18001:2007 SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL ASPECTOS GERAIS Benefícios, Certificação, Estrutura, Objetivos, Termos e definições da OHSAS 18001. Histórico: Normas e Gestão SSO BS 8800 Instituto Britânico

Leia mais

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO

CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL POR PROVA DE ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS ÊNFASE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO O presente Regulamento institui a normatização adotada pelo Conselho

Leia mais

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE 1 ICQ BRASIL OCS Organismo de Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade, acreditado pelo INMETRO para certificação de terceira parte, em conformidade com a norma da Série NBR ISO 9000, a ser usada

Leia mais

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000

Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 2 Visão Geral do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 Para a gestão da qualidade na realização do produto a ISO 9001: 2000 estabelece requisitos de gestão que dependem da liderança da direção, do envolvimento

Leia mais

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão

Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Regulamento geral para a certificação dos Sistemas de Gestão Em vigor a partir de 01/04/2016 RINA Via Corsica 12 16128 Genova - Itália tel. +39 010 53851 fax +39 010 5351000 website : www.rina.org Normas

Leia mais

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade

Procedimento Geral para Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade Pág. 1 de 15 1. OBJETIVO O objetivo deste documento é o de estabelecer os critérios de certificação da ABRACE, para prestação de serviços de avaliação da conformidade e certificação de Sistemas de Gestão.

Leia mais

Manual de Instruções do uso da Marca ABNT

Manual de Instruções do uso da Marca ABNT Pág. Nº 1/8 SUMÁRIO Histórico das revisões 1 Objetivo 2 Referências Normativas 3 Siglas 4 Marcas e certificados da ABNT Certificadora 5 Requisitos Gerais 6 Requisitos específicos para sistemas certificados

Leia mais

Padrões para Fornecedores da GS1 BRASIL

Padrões para Fornecedores da GS1 BRASIL Padrões para Fornecedores da GS1 BRASIL O objetivo deste documento é informar aos fornecedores dos pontos e valores fundamentais de nosso processo de compras. A GS1 Brasil mantém a ética, a transparência

Leia mais

1.1 O Certificado de Sistemas de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional SAS é um certificado de conformidade com a norma:

1.1 O Certificado de Sistemas de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional SAS é um certificado de conformidade com a norma: Documento analisado criticamente e aprovado quanto à sua adequação. Responsável: Carlos Henrique R. Figueiredo Diretor de Certificação * Revisão da documentação SAS conforme ABNT NBR ISO/IEC 17021:2011

Leia mais

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE PBQP-H / SiAC

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE PBQP-H / SiAC CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE PBQP-H / SiAC NORMA Nº: NIT-DICOR-007 APROVADA EM FEV/2010 01/07 SUMÁRIO 1 1 Objetivo 2 Campo de

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

A revisão 1 foi feita para contemplar as mudanças necessárias, em função da publicação das novas regras para utilização de identidade visual.

A revisão 1 foi feita para contemplar as mudanças necessárias, em função da publicação das novas regras para utilização de identidade visual. CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE PBQP-H / SiAC NORMA Nº: NIT-DICOR-007 APROVADA EM JUL/07 /07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação

Leia mais

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng.

Marcos Antonio Lima de Oliveira, MSc Quality Engineer ASQ/USA Diretor da ISOQUALITAS www.qualitas.eng.br qualitas@qualitas.eng. 01. O QUE SIGNIFICA A SIGLA ISO? É a federação mundial dos organismos de normalização, fundada em 1947 e contanto atualmente com 156 países membros. A ABNT é representante oficial da ISO no Brasil e participou

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL AQUISIÇÃO / QUALIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES

PROCEDIMENTO OPERACIONAL AQUISIÇÃO / QUALIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Histórico de Revisões Rev. Modificações 01 30/04/2007 Primeira Emissão 02 15/06/2009 Alteração de numeração de PO 7.1 para. Alteração do título do documento de: Aquisição para: Aquisição / Qualificação

Leia mais

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES

AVALIAÇÃO E SELEÇÃO DE FORNECEDORES VERIFICAÇÃO APROVAÇÃO ARQUIVO SQ SIGLA DA UO SULOG RUBRICA SIGLA DA UO G-SCQ RUBRICA 1 OBJETIVO Definir os requisitos e procedimentos mínimos para avaliação e seleção de fornecedores, assegurando fontes

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

1.1 O Certificado de Sistemas de Gestão da Qualidade SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira:

1.1 O Certificado de Sistemas de Gestão da Qualidade SAS é um certificado de conformidade com a norma brasileira: Documento analisado criticamente e aprovado quanto à sua adequação. * Revisão geral para atendimento à NBR ISO/IEC 17021-1:2015. Responsável: Carlos Henrique R. Figueiredo Diretor de Certificação 1 - Objetivo

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL PARA ROTULAGEM AMBIENTAL FALCÃO BAUER ECOLABEL BRASIL

PROCEDIMENTO GERAL PARA ROTULAGEM AMBIENTAL FALCÃO BAUER ECOLABEL BRASIL 1. Introdução O Falcão Bauer Ecolabel é um programa de rotulagem ambiental voluntário que visa demonstrar o desempenho ambiental de produtos e serviços através da avaliação da conformidade do produto com

Leia mais

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO PBQP-H SiAC

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO PBQP-H SiAC 1 ICQ BRASIL OCS Organismo de Certificação de Sistema de Gestão da Qualidade, credenciado pelo INME- TRO para certificações de terceira parte. 2 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Este regulamento fornece diretrizes

Leia mais

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11

Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Identificação: R.01 Revisão: 04 Folha: 1 / 11 Artigo 1 - Objetivo do documento 1.1. Este documento tem como objetivo regulamentar as atividades para credenciamento de uma empresa no Selo Excelência ABCEM.

Leia mais

Processo de Certificação PGMQ -TV RSQM-DO-028-04-DECLARAÇÃO_DOCUMENTADA_PROCESSO_DE_CERTIFICAÇÃO

Processo de Certificação PGMQ -TV RSQM-DO-028-04-DECLARAÇÃO_DOCUMENTADA_PROCESSO_DE_CERTIFICAÇÃO Processo de Certificação PGMQ -TV O que é OCC? Organismos de Certificação Credenciado (Acreditado) pela CGCRE Conduzem e concedem a certificação de conformidade, com base em normas nacionais, regionais,

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR PSQ 27 REVISÃO 00 Histórico da Emissão Inicial Data da Revisão 0 Data da Última Revisão Número de Página 15/01/14 15/01/14 1/14 2/14 1 - Objetivo 1.1 Escopo O conteúdo deste Manual contempla os requisitos

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE ABGD. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção...

INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE DO PROGRAMA SELO DE QUALIDADE ABGD. 1. Histórico de mudanças... 2. 2. Escopo... 3. 3. Manutenção... Página 1 de 8 SUMÁRIO 1. Histórico de mudanças... 2 2. Escopo... 3 3. Manutenção... 3 4. Referências... 3 5. Definições... 3 6. Qualificação da equipe de auditores... 3 7. Condições gerais... 3 7.1 Selo

Leia mais

INSTITUTO DE TECNOLOGIA DO PARANÁ Rua Professor Algacyr Munhoz Mader, 3775 CIC CEP 81350-010 Curitiba Paraná Brasil Fone (0XX41) 3316-3162 / 3166 Fax

INSTITUTO DE TECNOLOGIA DO PARANÁ Rua Professor Algacyr Munhoz Mader, 3775 CIC CEP 81350-010 Curitiba Paraná Brasil Fone (0XX41) 3316-3162 / 3166 Fax REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO... 4 2 SIGLAS... 4 3 DEFINIÇÕES... 4 4 GENERALIDADES... 4 REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DA CONFORMIDADE...

Leia mais

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios.

Módulo 2. Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. Módulo 2 Sistemas de gestão, normas OHSAS 18001/2, benefícios, certificação, estrutura, objetivos, termos e definições da OHSAS 18001, exercícios. História das normas de sistemas de gestão de saúde e segurança

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL SUMÁRIO

PROCEDIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL SUMÁRIO Página: 1 de 13 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 1. CERTIFICAÇÃO 2. GERAL 3. SOLICITAÇÃO DE CERTIFICAÇÃO 4. AUDITORIA DA ORGANIZAÇÃO 5. AÇÕES CORRETIVAS IDENTIFICADAS DURANTE AS AUDITORIAS 6. CERTIFICAÇÃO E USO DO LOGOTIPO

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL

PROCEDIMENTO GERENCIAL PÁGINA: 1/10 1. OBJETIVO Descrever o procedimento para a execução de auditorias internas a intervalos planejados para determinar se o sistema de gestão da qualidade é eficaz e está em conformidade com:

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO Selo de Excelência FLYTOUR

REGULAMENTO TÉCNICO Selo de Excelência FLYTOUR SUMÁRIO 1 CONDIÇÕES GERAIS... 2 2 CONDIÇÕES DE CERTIFICAÇÃO E VISÃO GERAL DO PROCESSO... 3 3 PROCESSO TÉCNICO PARA CONCESSÃO DO SELO... 5 4 PROCESSO TÉCNICO AUDITORIA DOS RESULTADOS... 7 5 RECONHECIMENTO

Leia mais

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL NBR ISO 14011 - DIRETRIZES PARA AUDITORIA AMBIENTAL - PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA - AUDITORIA DE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL Sumário 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências normativas...2 3.

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO EM SISTEMAS EVOLUTIVOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PBQP-H SUMÁRIO 5. ESCOPO E DEFINIÇÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS CRÍTICOS

PROCEDIMENTO PARA CERTIFICAÇÃO EM SISTEMAS EVOLUTIVOS NA CONSTRUÇÃO CIVIL PBQP-H SUMÁRIO 5. ESCOPO E DEFINIÇÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS CRÍTICOS Página: 1 de 15 SUMÁRIO INTRODUÇÃO 1. ACREDITAÇÃO E CERTIFICAÇÃO 2. GERAL 3. SOLICITAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO 4. DOCUMENTAÇÃO DA QUALIDADE DA ORGANIZAÇÃO 5. ESCOPO E DEFINIÇÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS CRÍTICOS

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA VALIDAÇÃO E VERIFICAÇÃO DE INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NBR ISO 14064

PROCEDIMENTO PARA VALIDAÇÃO E VERIFICAÇÃO DE INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NBR ISO 14064 1 de 10 GP01 INVENTÁRIO DE EMISSÕES Descrição do Processo de Validação e Verificação Bureau Veritas Certification Avenida do Café, 277, 5 andar, Torre B Tel.: +55 (11) 2655-9000 São Paulo/SP - CEP: 04311-000

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ 290.0339 - PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVAÇÃO CARLOS ROBERTO KNIPPSCHILD Gerente da Qualidade e Assuntos Regulatórios Data: / / ELABORAÇÃO REVISÃO

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA

PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA PROCEDIMENTOS DE REALIZAÇÃO DO PROCESSO DE HOMOLOGAÇÃO DE MATERIAIS DE FORNECEDORES NA COPASA 1 Solicitação de Abertura do Processo de Homologação 1.1 Os fornecedores interessados em ter seus materiais

Leia mais

GUIA DO CANDIDATO INSPETORES DE PINTURA INDUSTRIAL

GUIA DO CANDIDATO INSPETORES DE PINTURA INDUSTRIAL 1 de 9 1 OBJETIVO Fornecer as informações necessárias para a qualificação e certificação de Inspetores de Pintura Industrial níveis 1 e 2, segundo os critérios estabelecidos na norma ABNT NBR 15218 e demais

Leia mais

Manual de Implantação e Roteiro para Auditoria do Critérios para Auditoria SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA ATUAÇÃO RESPONSÁVEL

Manual de Implantação e Roteiro para Auditoria do Critérios para Auditoria SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA ATUAÇÃO RESPONSÁVEL Manual de Implantação e Roteiro para Auditoria do Critérios para Auditoria SISTEMA DE GESTÃO DO PROGRAMA ATUAÇÃO RESPONSÁVEL É proibida a reprodução total ou parcial deste documento por quaisquer meios

Leia mais

IV Regulamento do DICQ para Acreditação do Sistema de Gestão da Qualidade de Laboratórios Clínicos e seus anexos

IV Regulamento do DICQ para Acreditação do Sistema de Gestão da Qualidade de Laboratórios Clínicos e seus anexos IV Regulamento do DICQ para Acreditação do Sistema de Gestão da Qualidade de Laboratórios Clínicos e seus anexos 1 - Objetivo Estabelecer o Regulamento para a Acreditação do Sistema de Gestão da Qualidade

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais

1. A Vigilância Sanitária pode acatar a verificação metrológica realizada pelo IPEM como calibração?

1. A Vigilância Sanitária pode acatar a verificação metrológica realizada pelo IPEM como calibração? Página 1 de 8 Esclarecimentos prestados pelo IPEM-PR aos questionamentos realizados pela Vigilância Sanitária, através do oficio n 420/2014 DVVSP/CEVS/SVS de 04 de junho de 2014. 1. A Vigilância Sanitária

Leia mais

PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Palavra chave: certificacao, auditoria, organizacao, extensao, manutenção

PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Palavra chave: certificacao, auditoria, organizacao, extensao, manutenção 1 de 16 1. OBJETIVO: Estabelecer a metodologia para a solicitação, extensão, manutenção e revalidação de certificados de conformidade. 2. APLICAÇÃO: Aplicável a todo processo de certificação, extensão

Leia mais

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008

Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE. Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 1 de 20 Pitrez Informática MANUAL DA QUALIDADE Norma NBR ISO 9001:2008 Título Manual da Qualidade Folha: 2 de 20 Título Manual da Qualidade Folha: 3 de 20 Índice 1. Apresentação...

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO IV REFERENTE AO EDITAL DE PREGÃO Nº 022/2013 ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE Nº 001/2013 1. OBJETO DE CONTRATAÇÃO A presente especificação tem por objeto a Contratação de empresa

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

PASSOS PARA TRANSFERIR

PASSOS PARA TRANSFERIR PERRY JOHNSON REGISTRARS, INC. PASSOS PARA TRANSFERIR A CERTIFICAÇÃO Perry Johnson Registrars, Inc. 26555 Evergreen, Suite 1340 Southfield, Michigan 48076 USA Copyright 2008, by Perry Johnson Registrars,

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO R FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DE PESQUISA CPPG/NOVAFAPI Nº 001/2008 Seleção de projetos de pesquisa e desenvolvimento

Leia mais

Portaria n.º 348, de 03 de outubro de 2008

Portaria n.º 348, de 03 de outubro de 2008 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 348, de 03 de outubro de

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER

PROCEDIMENTO ESPECÍFICO PARA CERTIFICAÇÃO SELO ECOLÓGICO FALCÃO BAUER 1. Introdução A Certificação do Selo Ecológico Falcão Bauer possui caráter voluntário e visa demonstrar o desempenho ambiental de produtos e serviços através da avaliação do diferencial ecológico apresentado

Leia mais

NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO:

NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: NORMAS DE DILIGÊNCIA TÉCNICA DE VERIFICAÇÃO: Considerando: - A Lei nº 12.232/10 estabelece no seu art. 4º que, para participar de licitações públicas, as agências

Leia mais

Analisado por: Diretor do Departamento de Auditoria do SIGA (DEAUD)

Analisado por: Diretor do Departamento de Auditoria do SIGA (DEAUD) Proposto por: Equipe do Departamento de Auditoria do SIGA (DEAUD) PROMOVER AUDITORIAS DE GESTÃO Analisado por: Diretor do Departamento de Auditoria do SIGA (DEAUD) Aprovado por: Diretor-Geral da Diretoria-Geral

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

PR-111 1. OBJETIVO 2 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 2 3. SIGLAS E DEFINIÇÕES 2 4. PRÉ-REQUISITOS 2 5. CONTEÚDO DO CURSO 4 6. AVALIAÇÃO DOS ESTUDANTES 6

PR-111 1. OBJETIVO 2 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 2 3. SIGLAS E DEFINIÇÕES 2 4. PRÉ-REQUISITOS 2 5. CONTEÚDO DO CURSO 4 6. AVALIAÇÃO DOS ESTUDANTES 6 Página: 1 de 12 1. OBJETIVO 2 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 2 3. SIGLAS E DEFINIÇÕES 2 4. PRÉ-REQUISITOS 2 5. CONTEÚDO DO CURSO 4 6. AVALIAÇÃO DOS ESTUDANTES 6 7. ADMINISTRAÇÃO DO ORGANISMO DE TREINAMENTO

Leia mais

Resumo das Interpretações Oficiais do TC 176 / ISO

Resumo das Interpretações Oficiais do TC 176 / ISO Resumo das Interpretações Oficiais do TC 176 / ISO Referência RFI 011 Pergunta NBR ISO 9001:2000 cláusula: 2 Apenas os termos e definições da NBR ISO 9000:2000 constituem prescrições da NBR ISO 9001:2000,

Leia mais

CERTIFICAÇÃO E REGISTRO DE AUDITORES DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA-013 1. OBJETIVO 2 2. SIGLAS 2 3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 2

CERTIFICAÇÃO E REGISTRO DE AUDITORES DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL NA-013 1. OBJETIVO 2 2. SIGLAS 2 3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 2 Página: 1 de 14 1. OBJETIVO 2 2. SIGLAS 2 3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 2 4. CLASSIFICAÇÃO EM NÍVEIS DE CERTIFICAÇÃO 2 4.1 Auditor Interno 2 4.2 Auditor Aspirante 2 4.3 Auditor 3 4.4 Auditor Líder 3 5. PROCESSO

Leia mais

MANUAL FORNECEDORES. Santo Ângelo (RS) 16/09/2015 REV.02

MANUAL FORNECEDORES. Santo Ângelo (RS) 16/09/2015 REV.02 Santo Ângelo (RS) 16/09/2015 REV.02 MANUAL FORNECEDORES A Fundimisa Fundição e Usinagem Ltda pretende com este Manual aprimorar a relação com seus fornecedores e padronizar informações entre as partes.

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000

GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL. Modelo da Série NBR ISO 9000 GESTÃO DA QUALIDADE TOTAL Modelo da Série NBR ISO 9000 Modelo da Série NBR ISO 9000 A Garantia da Qualidade requer uma ação coordenada de todo sistema produtivo da empresa, do fornecedor de insumos de

Leia mais

INDÍCE 7. EMISSÃO, VIGÊNCIA, MANUTENÇÃO, SUSPENSÃO, RETIRADA E CANCELAMENTO DO CERTIFICADO

INDÍCE 7. EMISSÃO, VIGÊNCIA, MANUTENÇÃO, SUSPENSÃO, RETIRADA E CANCELAMENTO DO CERTIFICADO INDÍCE 1. OBJETIVOS 2. DEFINIÇÕES 3. ESTRUTURA PARA A CONDUÇÃO DO PROGRAMA 4. NÍVEIS DE CERTIFICAÇÃO 5. CRITÉRIOS DE CUMPRIMENTO PARA A CERTIFICAÇÃO 6. PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO 7. EMISSÃO, VIGÊNCIA, MANUTENÇÃO,

Leia mais

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA

Auditoria Ambiental. Auditoria Ambiental. Auditoria de SGA. Auditoria de SGA. Ciclo da Auditoria de SGA Auditoria Ambiental Auditoria Ambiental Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental Professora Flavia Nogueira Zanoni MSc em Controle de Poluição

Leia mais

Acordo de Reconhecimento Multilateral (MLA) do IAF. Certificado uma vez, aceito em toda parte

Acordo de Reconhecimento Multilateral (MLA) do IAF. Certificado uma vez, aceito em toda parte Acordo de Reconhecimento Multilateral (MLA) do IAF Certificado uma vez, aceito em toda parte Apoio à aceitação de produtos e serviços além das fronteiras nacionais A acreditação provê a garantia ao governo,

Leia mais

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP

Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP Manual do Sistema para abertura de curso de extensão pelos docentes EACH - USP 1.INTRODUÇAO...... 3 2.ONDE CONSEGUIR INFORMAÇÔES?... 4 Normas USP... 4 Site EACH...4 Sistema de atendimento da Comissão de

Leia mais

Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade

Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade 3 Processo de Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade Não existe um jeito único de se implementar um sistema da qualidade ISO 9001: 2000. No entanto, independentemente da maneira escolhida,

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 159, de 29 de junho de 2006.

Leia mais

Considerando a elaboração da norma brasileira ABNT NBR 16001 Responsabilidade Social Requisitos;

Considerando a elaboração da norma brasileira ABNT NBR 16001 Responsabilidade Social Requisitos; Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial- Inmetro Portaria n.º 027, de 09 de fevereiro de 2006. O PRESIDENTE

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução.

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. CÓDIGO DE ÉTICA Introdução. Os princípios Éticos que formam a consciência e fundamentam nossa imagem no segmento de recuperação de crédito e Call Center na conduta de nossa imagem sólida e confiável. Este

Leia mais

Atestado de Conformidade NR 12

Atestado de Conformidade NR 12 TÜV Rheinland do Brasil TÜV Rheinland é um organismo de certificação, inspeção, gerenciamento de projetos e treinamento, que foi fundada na Alemanha em 1872 com o objetivo de proteger os trabalhadores

Leia mais

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN

PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN PROGRAMA DE PATROCÍNIO DA COSERN Resumo das diretrizes e critérios da COSERN/ Grupo Neoenergia para patrocínios a projetos socioculturais e ambientais. Guia Básico do Proponente 1 Índice Introdução 2 1.

Leia mais

Rota para assinar os Acordos do IAF ou ILAC

Rota para assinar os Acordos do IAF ou ILAC Rota para assinar os Acordos do IAF ou ILAC Objetivo O objetivo deste guia é destacar as etapas no processo de solicitação e avaliação para possibilitar que os organismos de acreditação assinem os Acordos

Leia mais

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03

SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 SÓLAZER CLUBE DOS EXECEPCIONAIS - ORGANIZAÇÃO SOCIAL DE ESPORTE CNPJ 28.008.530/0001-03 Capítulo I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE COMPRAS E CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS Art. 1º - O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

PPG - Programa de Profissionalização da Gestão. Pequenas e Médias Empresas

PPG - Programa de Profissionalização da Gestão. Pequenas e Médias Empresas PPG - Programa de Profissionalização da Gestão Pequenas e Médias Empresas 2010 Comunidade de interesse em Gestão Empresarial + Convidados Discutir novas idéias e estimular o uso de conceitos e práticas

Leia mais

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

REGULAMENTO PARA CERTIFICAÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL 1 ICQ BRASIL OCA Organismo de Certificação de Sistema de Gestão da Ambiental, acreditado pelo INME- TRO para certificação de terceira parte, em conformidade com a norma da Série NBR ISO 14000, a ser usada

Leia mais

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil

Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil Auditoria Interna do Futuro: Você está Preparado? Oswaldo Basile, CIA, CCSA. Presidente IIA Brasil O futuro é (deveria ser) o sucesso Como estar preparado? O que você NÃO verá nesta apresentação Voltar

Leia mais

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007.

Portaria n.º 387, de 23 de outubro de 2007. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria n.º 387, de 23 de outubro de

Leia mais

PROCEDIMENTO ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2- Campo de Aplicação: 3- Documento de Referência: 4- Definições e Siglas: 5- Descrição do Procedimento:

PROCEDIMENTO ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2- Campo de Aplicação: 3- Documento de Referência: 4- Definições e Siglas: 5- Descrição do Procedimento: Página 1 de 8 ESTRUTURA: 1-Objetivo: 2- Campo de Aplicação: 3- Documento de Referência: 4- Definições e Siglas: 5- Descrição do Procedimento: Data da Revisão Nº da Revisão Histórico das Alterações 20/08/2007

Leia mais

PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL ÁREA: CALIBRAÇÃO GRANDEZA: MASSA

PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL ÁREA: CALIBRAÇÃO GRANDEZA: MASSA PROTOCOLO DO 5º PROGRAMA DE ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL ÁREA: CALIBRAÇÃO GRANDEZA: MASSA Revisão 00-11 de outubro 2011 Fol. 1 de 11 INTRODUÇÃO A SETTING CALIBRATION LABORATORIES

Leia mais