Mapas e suas representações computacionais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mapas e suas representações computacionais"

Transcrição

1 Mapas e suas representações computacionais

2

3

4

5 Atributos não espaciais É qualquer informação descritiva relacionada a um único objeto ou um conjunto deles. Os SIGs armazenam estes dados em um Sistema de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBD). Este funciona independentemente do sistema aplicativo do SIG, armazenando os dados em arquivos no disco rígido e carregando-os em memória para a sua manipulação.

6 Dados alfanuméricos Estes dados são constituídos por caracteres letras, números, sinais gráficos que podem ser armazenados em tabelas, as quais podem formar um banco de dados. No SIG, os dados dispostos nas tabelas devem possuir atributos que possam vinculá-los à estrutura espacial do sistema, e atributos específicos, com sua descrição qualitativa ou quantitativa. Em geral, é preferível o uso de estrutura vetorial para a conexão desses dados.

7 Organização do ambiente de trabalho em SIG 1) Organização baseada num banco de dados geográficos 2) Organização baseada em projetos

8 Organização baseada num banco de dados geográficos Neste caso, o usuário define inicialmente o esquema conceitual associado às entidades do banco de dados geográficos, indicando, para cada tipo de dados, os seus atributos não-espaciais e as representações geométricas associadas. É a mesma forma que num banco de dados tradicional como o dbase ou o ACCESS, onde a definição da estrutura do banco precede a entrada dos dados. É como está estruturado o SPRING

9 Organização baseada em projetos Neste caso, o usuário define inicialmente um referencial geográfico (que delimita uma região de trabalho) e a seguir, define as entidades geográficas que compõem o projeto. Um dado no Banco de Dados pode ser particionado em projetos, sendo que as definições do esquema conceitual valem para todos os projetos do banco. Um projeto é composto por um conjunto de níveis, camadas ou planos de informação que variam em número, tipos de formatos e de temas. O ARCGIS, QGIS e IDRISI utilizam este sistema.

10 Exemplo: estudo de uso do solo e os seus consequentes impactos ambientais Seria necessário um Projeto composto de Pis associados aos seguintes temas: 1) rede de drenagem 2) cidades, rodovias e ferrovias 3) altimetria 4) geomorfologia 5) unidades e associações dos solos 6) tipologia vegetal 7) tipos de uso e ocupação das terras. Os PIs 1, 2 e 3 vão formar quando superpostos, a cartografia básica da região de estudo Os PIs restantes são os mapas especiais ou temáticos necessários para atingir o objetivo proposto. Isto é, cada PI representa uma mesma área, mas com informações geográficas diferentes.

11 INTRODUÇÃO DE DADOS EM UM SIG

12 Se dá pela aquisição de produtos de: SR Confecção de planilhas de dados Uso de sistemas de posicionamento por satélite Processos de digitalização e vetorização

13 Digitalização, ou escanerização Um mapa, foto ou imagem é introduzido no computador com o uso de um scanner. Este periférico fotocopia digitalmente o material por um procedimento chamado varredura ou rasterização. Os scanners mais comuns podem ser de mesa (tamanho A4, ou de rolo, formato A0).

14 Procedimento Escolher a resolução: diz respeito a quantidade de pixels, ou pontos por polegada (dpi) desejada. Imagem com, no mínimo, 300dpi. Escolher a quantidade de cores: no mínimo 256 cores. Utilizar o programa adequado para digitalizar Salvar a imagem em formato adequado: bmp, tiff, jpeg e gif.

15 Distância Correspondente do Terreno A imagem digital digitalizada tem que mantar as características do mapa ou imagem original. Para isso, utiliza-se o GSD, que refere-se ao tamanho real (no terreno) de um determinado pixel com relação à resolução de uma imagem e à sua escala. GSD = N R, em que: GSD: Distância Correspondente no Terreno N: Denominador da escala R: Resolução da imagem, em dpi. O resultado é dado em polegadas, sendo que cada uma equivale a 2,54 cm.

16 Formato dos arquivos raster bmp (mapa de bits) é nativo do Windows, não comprime imagens, tornando-o pesado. A imagem possui excelente qualidade gráfica, grande definição e pequeno efeito serrilhado. tiff (tagged image file format): comprime a imagem sem perda de qualidade, fazendo o tamanho do arquivo ser menor. jpeg (joint photografhic expert group): também comprime dados, mas aqui ocorre perda de qualidade, pois há remoção de pontos da imagem original retirando da imagem detalhes imperceptíveis à nossa vista, tornando os arquivos bem leves.

17 gif (graphics interchange format): utiliza uma forma de compactação que não altera a qualidade da imagem a cada salvamento como o jpeg. No entanto, trabalha com um paleta de 256 cores, gerando arquivos bem leves, mas de qualidade limitada. Utilizado em sistemas à Internet. png (portable network graphics): compacta a imagem de forma bem eficiente, reduzindo seu tamanho e mantendo a qualidade.

18 Tamanho do arquivo raster Está diretamente vinculado aos atributos digitais da imagem. A quantidade de pixels e de cores definirão o tamanho do arquivo. A quantidade de pixels é dada pela altura (número de linhas) e pela largura (número de colunas). R = p d ou p = R. d R: resolução digital (horizontal ou vertical) em dpi; p: número de pixels da largura ou altura da imagem d: largura ou altura da impressão da imagem, em polegadas.

19 Quantidade de cores: cada pixel possui informações armazenadas, quando se trabalha com o cores, cada ponto ocupa três bytes (24bits), no caso de se utilizar 256 cores, cada cor é armazenada em apenas um byte de memória. Os bits são sempre expressos em potências de 2: 2 1, 2 8, 2 16, 2 24 Para arquivos descompactados, o tamanho a imagem é dado por: T = pl. pa. b T é o tamanho da imagem, em bytes p l é o número de pixels da largura p a é o número de pixels da altura b é a quantidade de bytes de armazenamento

20 Processo de vetorização Diz respeito ao transporte dos elementos de uma imagem realizado por meio de desenho como auxílio de um mouse, digitalmente, no formato vetorial. Ela pode ser manual, semi-automática ou automática. Os arquivos gerados possuem extensões próprias.

21 Vetorização manual É realizado por um operador que desenha os detalhes desejados constantes no mapa apresentada na tela do computador por meio de um mouse. A vetorização manual também pode ser feita por meio de uma mesa digitalizadora ou diretamente na tela do computador.

22 Vetorização automática A transformação da imagem rasterizada em vetorial se dá de forma totalmente automática. Os pixels que representam determinadas feições na imagem original são convertidos em pontos, linhas e polígonos. Faz-se necessário um programa específico e uma posterior edição na imagem obtida. É um procedimento demorado e oneroso.

23 Vetorização semi-automática Mescla as facilidades da vetorização automática com a experiência e competência do operador. O operador direciona as ações do computador, decide o caminho a ser percorrido pelo cursor quando ocorre uma intersecção de linhas (nó) durante a transformação. Também necessita de pós edição, bem menos penosa do que no caso da automática.

24 Inserção de dados alfanuméricos Se dá pelas tabelas que podem ser importadas ou criadas diretamente pelo sistema.

25 Dados provindos de sistemas de posicionamento por satélite Podem ser introduzidos em um SIG por meio de programas específicos ou mesmo via compilação em uma planilha de dados. A precisão dependerá da qualidade da leitura realizada e do aparelho utilizado.

Mapas e suas representações computacionais

Mapas e suas representações computacionais Mapas e suas representações computacionais Tipos de dados: diversos tipos de dados são utilizados em SIG e suas representações computacionais. Mapas temáticos Descrevem de forma qualitativa, a distribuição

Leia mais

Imagem digital Tipos de arquivos gráficos

Imagem digital Tipos de arquivos gráficos Tipos de arquivos gráficos! Os mais comuns do tipo raster ". TIF TIFF -Tagged Image File Format -é suportado por todos os aplicativos de edição de imagens. É usado em editoração. # éo maior em tamanho

Leia mais

Uso de Técnicas de Geoprocessamento na Elaboração do Mapa de Solos do Campo Experimental da Caatinga da Embrapa Semi-Árido

Uso de Técnicas de Geoprocessamento na Elaboração do Mapa de Solos do Campo Experimental da Caatinga da Embrapa Semi-Árido Uso de Técnicas de Geoprocessamento na Construção do Mapa de Solos do Uso de Técnicas de Geoprocessamento na Elaboração do Mapa de Solos do Campo Experimental da Caatinga da Embrapa Semi-Árido Use of GIS

Leia mais

Módulos do SPRING. - Módulos do SPRING. - Modelo de Dados do SPRING. - Procedimentos Iniciais

Módulos do SPRING. - Módulos do SPRING. - Modelo de Dados do SPRING. - Procedimentos Iniciais Módulos do SPRING - Módulos do SPRING - Modelo de Dados do SPRING - Procedimentos Iniciais MÓDULOS DO SPRING Impima - leitura e conversão de imagens Spring - entrada, análise e manipulação dos dados Scarta

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA SIG FORMATOS DE REPRESENTAÇÃO DE DADOS FORMATO VETORIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA SIG FORMATOS DE REPRESENTAÇÃO DE DADOS FORMATO VETORIAL FORMATO VETORIAL 1 FORMATO VETORIAL Formato que utiliza como primitivas Pontos, Linhas e Polígonos, baseadas em equações matemáticas para representar imagens na computação gráfica Primitivas: elementos

Leia mais

Motivação Por que estudar?

Motivação Por que estudar? Aula 04 Imagens Diogo Pinheiro Fernandes Pedrosa Universidade Federal Rural do Semiárido Departamento de Ciências Exatas e Naturais Curso de Ciência da Computação Motivação Por que estudar? Imagens digitais

Leia mais

ferramentas da imagem digital

ferramentas da imagem digital ferramentas da imagem digital illustrator X photoshop aplicativo ilustração vetorial aplicativo imagem digital 02. 16 imagem vetorial X imagem de rastreio imagem vetorial traduz a imagem recorrendo a instrumentos

Leia mais

FITZ, P. R. Geoprocessamento sem complicação. São Paulo: Oficina de Textos, p.

FITZ, P. R. Geoprocessamento sem complicação. São Paulo: Oficina de Textos, p. RESENHAs 158 PERSPECTIVA, Erechim. v.34, n.126, junho/2010 FITZ, P. R. Geoprocessamento sem complicação. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 160 p. José Cristian Sobolevski Acadêmico de Geografia Estagiário

Leia mais

TÓPICO EDIÇÃO BITMAP

TÓPICO EDIÇÃO BITMAP TÓPICO EDIÇÃO BITMAP CONCEITOS INICIAIS TIPOLOGIA DAS IMAGENS Aplicações Informáticas B 12º Ano Professores José Carlos Lima / Paulo Ferreira / Angélica Vieira / Helena Silva O que é uma imagem bitmap?

Leia mais

Aquisição e Tratamento de Imagem Estática (Mapa de Bits) Tecnologias da Informação e Comunicação

Aquisição e Tratamento de Imagem Estática (Mapa de Bits) Tecnologias da Informação e Comunicação Aquisição e Tratamento de Imagem Estática (Mapa de Bits) Tecnologias da Informação e Comunicação conteúdos tipos de imagem conceitos base cor em digital formatos de imagem imagem na web Tipos de imagens

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (II)

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (II) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB450 TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO II PROF. DR. CARLOS ALBERTO VETTORAZZI

Leia mais

ALGUNS CONCEITOS BÁSICOS

ALGUNS CONCEITOS BÁSICOS IMAGEM DIGITAL BITMAP ALGUNS CONCEITOS BÁSICOS 1 Tipos de imagem Existem várias formas de armazenar uma imagem num computador. Nesta secção abordam-se as imagens do tipo bitmap e as imagens do tipo vectorial.

Leia mais

Fundamentos de Computação Gráfica. Editoração Eletrônica

Fundamentos de Computação Gráfica. Editoração Eletrônica Fundamentos de Computação Gráfica Editoração Eletrônica Editoração Eletrônica Também conhecido como Editoração Eletrônica ou simplesmente DTP, é a área da Computação Gráfica que cuida da criação de material

Leia mais

TAMANHO E TAXA DE COMPRESSÃO DA IMAGEM

TAMANHO E TAXA DE COMPRESSÃO DA IMAGEM TAMANHO E TAXA DE COMPRESSÃO DA IMAGEM Texto de Caroline Lima de Souza, aluna da Focus Escola de Fotogafia Compressão de uma imagem digital Dentro de cada arquivo de imagem JPG, JPEG, PNG, GIF ou outra

Leia mais

Quais as diferenças entre pixels e vetores?

Quais as diferenças entre pixels e vetores? Quais as diferenças entre pixels e vetores? Conheça um pouco destes elementos utilizados para compor imagens presentes no cotidiano dos designers e usuários Em toda criação de imagem, o designer deve sempre

Leia mais

A Fotogrametria Digital

A Fotogrametria Digital A Fotogrametria Digital Fotogrametria Digital O que é a fotogrametria Digital? A Fotogrametria Digital é a parte da fotogrametria que trata dos aspectos geométricos do uso de fotografias, com a finalidade

Leia mais

OFICINA DE MULTIMÉDIA B

OFICINA DE MULTIMÉDIA B OFICINA DE MULTIMÉDIA B Ficheiros de imagem Índice Manipulação - procedimentos 3 Captura 4 Visualização 5 Processamento 6 Armazenamento/compressão 7 Arquivos de imagem 9 Profundidade de bit e de cor 11

Leia mais

Imagem e Gráficos. vetorial ou raster?

Imagem e Gráficos. vetorial ou raster? http://computacaografica.ic.uff.br/conteudocap1.html Imagem e Gráficos vetorial ou raster? UFF Computação Visual tem pelo menos 3 grades divisões: CG ou SI, AI e PI Diferença entre as áreas relacionadas

Leia mais

Banco de Dados Geográficos

Banco de Dados Geográficos Banco de Dados Geográficos Valéria Gonçalves Soares Professora DIMAp/UFRN Conteúdo Bancos de Dados Geográficos 1. Conceitos e Definições Características Gerais 2. Modelos de Dados Geográficos Modelos de

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Ciências e Tecnologia Campus de Presidente Prudente

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Ciências e Tecnologia Campus de Presidente Prudente UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Ciências e Tecnologia Campus de Presidente Prudente Minicurso de SPRING 5.2 https://sites.google.com/site/arletemeneguettepdf/spring Profa. Adj. Arlete Meneguette

Leia mais

Sistema de Informação Geográfica

Sistema de Informação Geográfica Sistema de Informação Geográfica Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2016 Arquiteturas SIG 2 1 Tipos de Implementação 3 Tipos de Implementação Em geral, um

Leia mais

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4)

APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) Prof. Breno Leonardo G. de M. Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br APLICATIVOS GRÁFICOS (AULA 4) 1 Classificação da imagem Em relação à sua origem pode-se classificar uma imagem,

Leia mais

Prof. Fabiano Taguchi

Prof. Fabiano Taguchi Prof. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com 1 Palavras e símbolos, sejam falados ou escritos são os sistemas mais comum de comunicação. Um texto pode ser: Plain text;

Leia mais

Ministrantes: Alex Lemos e Marco Malagodi

Ministrantes: Alex Lemos e Marco Malagodi Ministrantes: Alex Lemos e Marco Malagodi O que é Geotecnologia? Base vetorial: ponto, linha e polígono Atividade I Apresentação: Google Earth > Ferramentas Atividade II Atividade III Atividade IV Agenda

Leia mais

QGIS CONCEITOS BÁSICOS *

QGIS CONCEITOS BÁSICOS * QGIS CONCEITOS BÁSICOS * Laboratório de Geotecnologias da UPM 1. Introdução O QGIS é um Sistema de Informações Geográficas (SIG) gratuito e de código aberto (GNU General Public License) desenvolvido pela

Leia mais

Tutorial QGIS Modelagem Numérica de Terreno

Tutorial QGIS Modelagem Numérica de Terreno Tutorial QGIS Modelagem Numérica de Terreno Sistemas de Informações Geográficas Engenharia de Agrimensura e Cartográfica 7º Período Alunos: Valter Antônio da Silva Thomas Lucas Ricardo Professor: Ângelo

Leia mais

Protótipo de software para inserção e extração de mensagens em arquivo raster através de esteganografia

Protótipo de software para inserção e extração de mensagens em arquivo raster através de esteganografia Centro de Ciências Exatas e Naturais Departamento de Sistemas e Computação Bacharelado em Ciências da Computação Protótipo de software para inserção e extração de mensagens em arquivo raster através de

Leia mais

Sistemas de Informações Geográficas

Sistemas de Informações Geográficas Sistemas de Informações Geográficas Aula 3 Assuntos: # Revisão em geodésia # Georreferenciamento # Representação do mundo real no computador # Formatos vetorial e matricial # Modelo conceitual de banco

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Definição Compressão de Imagem Formas de diminuir a área de armazenamento dos dados, reduzindo a quantidade de bits

Leia mais

Arquiteturas de Sistemas de Informação Geográfica

Arquiteturas de Sistemas de Informação Geográfica Arquiteturas de Sistemas de Informação Geográfica Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG - 2012 Definições Arquitetura: o conjunto da estrutura e organização de diferentes

Leia mais

SOFTWARE DE CADASTRO MOBILIÁRIO, IMOBILIÁRIO E LOGRADOUROS

SOFTWARE DE CADASTRO MOBILIÁRIO, IMOBILIÁRIO E LOGRADOUROS SOFTWARE DE CADASTRO MOBILIÁRIO, IMOBILIÁRIO E LOGRADOUROS O software de cadastro mobiliário, imobiliário e logradouros permite armazenar os dados dos imóveis e vias em um banco de dados geográfico e disponibiliza

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Editores vetoriais são frequentemente contrastadas com editores de bitmap, e as suas capacidades se complementam. Eles são melhores para leiaute

Leia mais

QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Linha

QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Linha QGIS 2.2 Modo de Edição: Edição de Feições de Linha Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Material de Apoio... 3 1.1 Cartografia de Referência... 3 1.2 Base Cartográfica Vetorial de Referência...

Leia mais

Caracterização de vários tipos e imagens e formatos de imagens

Caracterização de vários tipos e imagens e formatos de imagens Caracterização de vários tipos e imagens e formatos de imagens Trabalho de: Vitor Vieira e Joaquim Vieira Formador: António Guimarães Extensões de ficheiros de imagem Nos primórdios, os computadores eram

Leia mais

Introdução à Computação Gráfica

Introdução à Computação Gráfica Computação Gráfica - Aula 1 (atualizada em 21/10/2015) glaucius@pelotas.ifsul.edu.br Introdução à Computação Gráfica Computação Gráfica Conceito É a área da Ciência da Computação que estuda a geração,

Leia mais

Ecologia de Paisagem Conceitos e métodos de pesquisa 2012

Ecologia de Paisagem Conceitos e métodos de pesquisa 2012 Ecologia de Paisagem Conceitos e métodos de pesquisa 2012 Bases de sensoriamento remoto Cálculo de métricas com Fragstats Leandro Reverberi Tambosi letambosi@yahoo.com.br Sensoriamento Remoto Conjunto

Leia mais

Imagem Digital. Claudio Carvilhe

Imagem Digital. Claudio Carvilhe Imagem Digital Claudio Carvilhe Imagem Digital Roteiro Introdução. Pixel. Resolução espacial. Cor. Processamento de imagens. Introdução Informação Visual: Imagem vista na tela. Informação Descritiva: Modelo

Leia mais

AULA 2 Planos Vistas e Temas

AULA 2 Planos Vistas e Temas 2.1 AULA 2 Planos Vistas e Temas Nesta aula serão apresentados os conceitos de Planos de Informação, Vista e Tema e sua manipulação no TerraView. Para isso será usado o banco de dados criado na AULA 1,

Leia mais

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA

Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Bitmap X Vetorial OS DOIS PRINCIPAIS TIPOS DE ARQUIVOS NA COMPUTAÇÃO GRÁFICA Bitmap X Vetorial > Existem dois tipos de arquivos fundamentais na computação gráfica: bitmap e vetorial. Alguns programas mais

Leia mais

em arquivos bitmap: DPI: dots per inch medida de resolução para mídias impressas quantidade de pontos impressos por polegada quadrada

em arquivos bitmap: DPI: dots per inch medida de resolução para mídias impressas quantidade de pontos impressos por polegada quadrada ESCALA E UNIDADES DE MEDIDA em arquivos bitmap: DPI: dots per inch medida de resolução para mídias impressas quantidade de pontos impressos por polegada quadrada PPI: pixels per inch medida de resolução

Leia mais

Câmeras digitais e suas funcionalidades: fotografia digital básica 3. com Flávio Demarchi

Câmeras digitais e suas funcionalidades: fotografia digital básica 3. com Flávio Demarchi Câmeras digitais e suas funcionalidades: fotografia digital básica 3 com Flávio Demarchi Bloco 01 A cor e os megapixels Bloco 02 Histograma e latitude de exposição Bloco 03 Os formatos de arquivo Bloco

Leia mais

05/02/2014. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

05/02/2014. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Tratamento de Imagens

Tratamento de Imagens Sociedade dos Irmãos da Congregação de Santa Cruz Colégio Notre Dame de Campinas 2011 Tratamento de Imagens Danilo Cunha IMAGENS Formato de Arquivos Tipo de arquivo é uma forma padrão de armazenar

Leia mais

PMI 3331 GEOMÁTICA APLICADA À ENGENHARIA DE PETRÓLEO

PMI 3331 GEOMÁTICA APLICADA À ENGENHARIA DE PETRÓLEO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Escola Politécnica Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo PMI Graduação em Engenharia de Petróleo PMI 3331 GEOMÁTICA APLICADA À ENGENHARIA DE PETRÓLEO SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

Leia mais

Introdução Geral a Computação Gráfica. Universidade Católica de Pelotas Curso de Engenharia da Computação Disciplina de Computação Gráfica

Introdução Geral a Computação Gráfica. Universidade Católica de Pelotas Curso de Engenharia da Computação Disciplina de Computação Gráfica Introdução Geral a Computação Gráfica Universidade Católica de Pelotas Curso de Engenharia da Computação Disciplina de 2 Introdução Geral a O que é CG? Áreas de Atuação Definição, Arte e Matemática Mercado

Leia mais

Interface Homem Máquina

Interface Homem Máquina Interface Homem Máquina Eduardo Ferreira dos Santos Ciência da Computação Centro Universitário de Brasília UniCEUB Maio, 2016 1 / 30 Sumário 1 Introdução 2 Terminais 3 Interfaces grácas 2 / 30 Introdução

Leia mais

Disciplina: Stream de Vídeo e Softwares Educacionais.

Disciplina: Stream de Vídeo e Softwares Educacionais. Curso: Licenciatura em Pedagogia Disciplina: Stream de Vídeo e Softwares Educacionais. Parte 3:Construção de um Personagem, Conceitos e Aplicações de Streams e Imagens e Confecção de Vídeos Prof. Wagner

Leia mais

16/09/2016. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell ( ) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

16/09/2016. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell ( ) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Professor: Lau Cheuk Lung

Professor: Lau Cheuk Lung Introdução à Informática Professor: Lau Cheuk Lung Conceitos Básicos Sistemas computacionais 2 partes básicas: hardware e software HARDWARE SOFTWARE É a parte mecânica e física da máquina, com seus componentes

Leia mais

IGOT. SIG & DR Sistemas de Informação Geográfica e Detecção Remota

IGOT. SIG & DR Sistemas de Informação Geográfica e Detecção Remota SIG & DR Sistemas de Informação Geográfica e Detecção Remota Estrutura de Dados Vectorial vs Matricial 1. Estruturação gráfica e alfanumérica 2. Os erros de conversão 3. Vantagens e desvantagens matricial

Leia mais

24/10/2017. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell ( ) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático.

24/10/2017. Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA. James Clerk Maxwell ( ) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. Prof. Reginaldo Brito Um pouco de história antes... A FOTOGRAFIA Joseph-Nicéphore Niepce * França, (1765-1833) James Clerk Maxwell (1831 1879) Escócia (Reino Unido) físico, filósofo e matemático. 1826,

Leia mais

Padrões e Tipos de Dados de Mídia. Imagem

Padrões e Tipos de Dados de Mídia. Imagem Padrões e Tipos de Dados de Mídia. Imagem CONFERENCIA 3 Ing. Yamila Díaz Suárez Revisão de tarefa Realizar um resumo sobre a gestão eletrónica de documentos. Pesquisar quais ferramentas existem. Contéudo

Leia mais

PROJETO TRANSFORMAÇÕES PONTUAIS

PROJETO TRANSFORMAÇÕES PONTUAIS Colégio Pedro II Campus Realengo II Informática Educativa 2015 9º ano Professores: Sônia Sá Vianna (Desenho Geométrico), Simone da Costa Lima, Érika Santana e Alexandra Alves (informática Educativa) PROJETO

Leia mais

Fundamentos II. Guillermo Cámara-Chávez

Fundamentos II. Guillermo Cámara-Chávez Fundamentos II Guillermo Cámara-Chávez Introdução Imagens digitais podem ser capturadas por uma variedade de sensores. O processamento dessas imagens possibilita diversas aplicações: transmissão de vídeo,

Leia mais

TcpImagen V 2.1. Gestão e Transformação de Imagens

TcpImagen V 2.1. Gestão e Transformação de Imagens TcpImagen V 2.1 Gestão e Transformação de Imagens Esta aplicação permite realizar todo tipo de operações sobre imagens digitais, georreferenciadas ou não, em uma ampla variedade de formatos. Foi desenvolvida

Leia mais

Geoprocessamento GEOMÁTICA SIG SIG

Geoprocessamento GEOMÁTICA SIG SIG GEOMÁTICA Geomática - Ciência e tecnologia para obtenção, análise, interpretação, distribuição e uso da informação espacial. Abrangência: Geoprocessamento SIG Sensoriamento Remoto GPS Cartografia Automatizada

Leia mais

Formatos de arquivo. Fotografia Digital Prof. Rogério Simões

Formatos de arquivo. Fotografia Digital Prof. Rogério Simões Formatos de arquivo Prof. Rogério Simões Formatos de arquivo Formato de arquivo é a forma usada por determinada aplicação computacional para reconhecer os dados gerados por ela. Cada aplicativo tem um

Leia mais

Figura 1. Shapefile de São Paulo em GCS WGS 1984 (Código EPSG: 4326).

Figura 1. Shapefile de São Paulo em GCS WGS 1984 (Código EPSG: 4326). Tutorial Quantum GIS Exportar Shapefile para uma Nova Projeção Tenho publicado diversos tutoriais no blog Processamento Digital e posso garantir que o Quantum GIS é um dos melhores aplicativos GIS da atualidade.

Leia mais

3 Sistema de Informação geográfica

3 Sistema de Informação geográfica 3 Sistema de Informação geográfica 3.1 Introdução Também conhecidas como "geoprocessamento", as geotecnologias são o conjunto de técnicas computacionais para coleta, processamento, análise e compartilhamento

Leia mais

LIC. Organização e Estrutura Básica Computacional. Prof. Marcelo Costa Oliveira 2006, Marcelo Costa oliveira

LIC. Organização e Estrutura Básica Computacional. Prof. Marcelo Costa Oliveira 2006, Marcelo Costa oliveira LIC Organização e Estrutura Básica Computacional Prof. Marcelo Costa Oliveira licufal@gmail.com História 1946 Inventado o 1º computador eletrônico de grande porte ENIAC Universidade da Pensilvania: 18.000

Leia mais

As imagens. As imagens. Representação digital de imagens. As imagens Wilson de Pádua Paula Filho 1

As imagens. As imagens. Representação digital de imagens. As imagens Wilson de Pádua Paula Filho 1 As As As Dispositivos gráficos Resolução espacial de : pixel - unidade de imagem, usada para medir resolução gráfica; visão humana - cerca de 3000 x 3000 pixels; fotografia - até 8000 x 8000 pixels. 2001

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES TECNOLOGIAS EM REDES DE COMPUTADORES Semestre 2015.2 Prof. Dsc. Jean Galdino Arquitetura de Computadores Aula 03 Organização de computadores DEFINIÇÕES BÁSICAS e PARTES DE UM

Leia mais

UD II. Geração de Imagens Fotogramétricas Digitais

UD II. Geração de Imagens Fotogramétricas Digitais UD II Geração de Imagens Fotogramétricas Digitais Imagens Fotogramétricas Imagem Digital Geração de Imagens Fotogramétricas Digitais Câmaras Digitais Digitalização de Imagens Fotogramétricas Quantificação

Leia mais

Formatos Imagem. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica. Apontamentos CG Edward Angel, Sec. 8.

Formatos Imagem. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica. Apontamentos CG Edward Angel, Sec. 8. Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Computação Gráfica Formatos Imagem Apontamentos CG Edward Angel, Sec. 8.2 Siglas DIB: Device Independent Bitmap windows BMP: Windows Bitmap GIF:

Leia mais

Geoprocessamento. Aula 10 SIG: entrada de dados. Maio de 2017 P ROFA. MARIANA A. G I ANNOT TI

Geoprocessamento. Aula 10 SIG: entrada de dados. Maio de 2017 P ROFA. MARIANA A. G I ANNOT TI Geoprocessamento Aula 10 SIG: entrada de dados Maio de 2017 P ROF. JOSÉ ALBERTO QUINTA NILHA P ROFA. MARIANA A. G I ANNOT TI Representação Vetorial Fonte: Mohamed Yagoub apud DPI / INPE Representação Matricial

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA. No nível mais próximo ao usuário, a interface homemmáquina define como o sistema é operado e controlado.

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA. No nível mais próximo ao usuário, a interface homemmáquina define como o sistema é operado e controlado. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA No nível mais próximo ao usuário, a interface homemmáquina define como o sistema é operado e controlado. Material para a prova Introdução à Ciência da Geoinformação (Clodoveu

Leia mais

CAPÍTULO II SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS

CAPÍTULO II SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS 1 CAPÍTULO II CONCEITOS BÁSICOS 2.1 - SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS Um Sistema de Informação Geográfica é um sistema de informação baseado em computador que permite capturar, modelar, manipular,

Leia mais

Importação de arquivos vetoriais (*mif e *shapefile) e associação de tabelas no Spring

Importação de arquivos vetoriais (*mif e *shapefile) e associação de tabelas no Spring UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS DEPARTAMENTO DE CARTOGRAFIA Laboratório de Geoprocessamento Importação de arquivos vetoriais (*mif e *shapefile) e associação de tabelas no

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Professor: Jailson Torquato Conceitos Iniciais Mensuramento da Informação Sistemas de Numeração Binário Dois Símbolos Octal Oito Símbolos Decimal Dez Simbolos Hexadecimal Dezesseis

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 WINDOWS XP

INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 WINDOWS XP UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 05 WINDOWS XP Profª Danielle Casillo SUMÁRIO Painel de Controle 2 PAINEL DE CONTROLE Fornece

Leia mais

PROGRAMAÇÃO COM ARQUIVOS PROF. MARCOS QUINET (BASEADO NO MATERIAL ORIGINAL DO PROF. ANDRÉ RENATO) Arquivos binários

PROGRAMAÇÃO COM ARQUIVOS PROF. MARCOS QUINET (BASEADO NO MATERIAL ORIGINAL DO PROF. ANDRÉ RENATO) Arquivos binários PROGRAMAÇÃO COM ARQUIVOS PROF. MARCOS QUINET (BASEADO NO MATERIAL ORIGINAL DO PROF. ANDRÉ RENATO) Arquivos binários VISÃO GERAL Os arquivos binários se diferenciam dos arquivos textos, pois os dados lidos

Leia mais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais

Imagem bitmap. Gráfico vetorial. gráficos vetoriais Sobre imagens bitmap e gráficos vetoriais Os elementos gráficos de um computador podem ser divididos em duas categorias principais -- bitmap e vetor. Imagem bitmap Gráfico vetorial Imagens bitmap são ideais

Leia mais

Imagem digital. Unidade 3

Imagem digital. Unidade 3 Imagem digital Unidade 3 Objectivos Reconhecer o potencial comunicativo/ expressivo das imagens; Reconhecer as potencialidades narrativas de uma imagem; A criação de sentido nas associações de imagens

Leia mais

Profa. Leda G. F. Bueno

Profa. Leda G. F. Bueno Profa. Leda G. F. Bueno O computador pode ser descrito como um sistema. Sendo um sistema, este pode ser esquematizado como a entrada de insumos, processamento e saída do produto final No caso do computador

Leia mais

Estrutura e Funcionamento dos Computadores (Conceitos Básicos)

Estrutura e Funcionamento dos Computadores (Conceitos Básicos) Estrutura e Funcionamento dos Computadores (Conceitos Básicos) Sistema Computacional Peopleware (usuário) Software (programas) Hardware (máquina) Hardware Corresponde à parte material, aos componentes

Leia mais

Plano de Formação. Curso de Formação SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA INTRODUÇÃO

Plano de Formação. Curso de Formação SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA INTRODUÇÃO Plano de Formação Curso de Formação SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA INTRODUÇÃO 1. Enquadramento Os Sistemas de Informação Geográfica são ferramentas cada vez mais imprescindíveis para diferentes áreas

Leia mais

Prof. Fernando V. Paulovich 3 de agosto de SCC Computação Gráca

Prof. Fernando V. Paulovich  3 de agosto de SCC Computação Gráca Dispositivos de Saída e SCC0250 - Computação Gráca Prof. Fernando V. Paulovich http://www.icmc.usp.br/~paulovic paulovic@icmc.usp.br Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) Universidade

Leia mais

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing

INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing INFORMÁTICA PARA GESTÃO I Curso Superior de Gestão de Marketing Docente (Teóricas): E-mail: vmnf@yahoo.com Web: http://www.vmnf.net/ipam Objectivos As Tabelas: Aula 8 Sumário O Processador de Texto Word

Leia mais

Operações de Vizinhança Proximidade Buffer zone

Operações de Vizinhança Proximidade Buffer zone Área de Hidráulica e Irrigação UNESP Ilha Solteira Proximidade é uma medida de distância entre elementos existente em um mapa. Essa distância pode ser medida em outras unidades, que não em comprimento.

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS Conceitos

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS Conceitos SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS Conceitos Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG 2012 TURMA Nov 2012 Dez 2012 Jan 2013 Fev 2013 Mar 2013 30/10; 4; 7; 11; 14; 01;

Leia mais

Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática. Exercício 1: Correspondência

Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática. Exercício 1: Correspondência Lista de Exercícios sobre Conceitos de Informática Exercício 1: Correspondência Relacione os termos da tabela 1 abaixo com as definições da tabela 2. Para facilitar, os termos da tabela 1 estão colocados

Leia mais

Laboratório 01 Modelagem e Criação de Bancos de Dados

Laboratório 01 Modelagem e Criação de Bancos de Dados INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO (SER - 300) Laboratório 01 Modelagem e Criação de Bancos de Dados Docente: Antonio Miguel Vieira Monteiro Discente: Andeise Cerqueira Dutra São José dos Campos Maio, 2017

Leia mais

Softwares de geoprocessamento e implantação de SIG s. Prof. Dr. Cristiano Zerbato

Softwares de geoprocessamento e implantação de SIG s. Prof. Dr. Cristiano Zerbato Softwares de geoprocessamento e implantação de SIG s Prof. Dr. Cristiano Zerbato O que são? Programa computacional capaz de processar as coordenadas Softwares CAD: sistemas voltados para desenho técnico

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS Conceitos

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS Conceitos SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS Conceitos Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG 2011 Programa Sistemas de Informação Geográfica - conceitos Definições de SIGs Componentes

Leia mais

Edição Vetorial de Ponto, Linha e Polígono. Prof. Herondino

Edição Vetorial de Ponto, Linha e Polígono. Prof. Herondino Edição Vetorial de Ponto, Linha e Polígono Prof. Herondino Edição Vetorial A edição de dados vetoriais no SPRING é executada sobre mapas temáticos, cadastrais, redes e de MNT (modelos numéricos de terreno).

Leia mais

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PARA ESPACIALIZAÇÃO DE DADOS DE PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO DE EMPRESA DE TRENS URBANOS DE PASSAGEIRO Eng. Guilherme Dutra de Campos 22ª Semana de Tecnologia Metroferroviária

Leia mais

Fundamentos de Informática Introdução aos Conceitos Básicos

Fundamentos de Informática Introdução aos Conceitos Básicos Fundamentos de Informática Introdução aos Conceitos Básicos Professor: Luiz A. P. Neves neves@ufpr.br e lapneves@gmail.com 1 Roteiro Objetivos Conceitos Básicos Processamento de Dados Modalidade de Computadores

Leia mais

Como capturar imagens de alta resolução?

Como capturar imagens de alta resolução? Perguntas frequentes sobre captura de imagens com câmeras de alta resolução que utilizam conexão USB. O Laudo & Imagem oferece a opção de captura de imagens de câmeras de alta resolução que utilizam a

Leia mais

EXTRAÇÃO DE BORDAS EM IMAGEM DE ALTA RESOLUÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGEM

EXTRAÇÃO DE BORDAS EM IMAGEM DE ALTA RESOLUÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGEM EXTRAÇÃO DE BORDAS EM IMAGEM DE ALTA RESOLUÇÃO UTILIZANDO TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DE IMAGEM Thaisa Manoela Silva França 1, Ana Lúcia Bezerra Candeias 2 1 Acadêmico em Engenharia Cartográfica e Agrimensura,

Leia mais

GEORREFERENCIAMENTO. Organização e Elaboração: Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher Profa. Dra. Maria Isabel Castreghini de Freitas

GEORREFERENCIAMENTO. Organização e Elaboração: Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher Profa. Dra. Maria Isabel Castreghini de Freitas GEORREFERENCIAMENTO Organização e Elaboração: Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher Profa. Dra. Maria Isabel Castreghini de Freitas CONHECIMENTO DA INCERTEZA = ERRO Tudo o que se mede ou se modela está

Leia mais

Processamento de Imagem. Representação, Armazenamento e Formato de imagens Professora Sheila Cáceres

Processamento de Imagem. Representação, Armazenamento e Formato de imagens Professora Sheila Cáceres Processamento de Imagem Representação, Armazenamento e Formato de imagens Professora Sheila Cáceres Representação e armazenamento de imagens Process. de Imagem - Prof. Sheila Cáceres 2 Representação Matricial

Leia mais

APLICAÇÕES EM ARC VIEW

APLICAÇÕES EM ARC VIEW Universidade Federal de Minas Gerais Instituto Geociências Programa de Pós-Graduação em Geografia (Mestrado) Área de Concentração: Análise Ambiental APLICAÇÕES EM ARC VIEW PRODUÇÃO: CARLA ARÁUJO SIMÕES

Leia mais

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress

Pág 31. UC Introdução a Informática Docente: André Luiz Silva de Moraes 1º sem Redes de Computadores. 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress 5 Introdução ao uso do BrOffice Impress O pacote BrOffice é um pacote de escritório muito similar ao já conhecido Microsoft Office e ao longo do tempo vem evoluindo e cada vez mais ampliando as possibilidades

Leia mais

Manual de Identidade Visual

Manual de Identidade Visual Manual de Identidade Visual Obrigado! Este manual apresenta as normas e orientações para o uso da identidade visual do INEA. No entanto, somente com a sua participação será atingido o objetivo de comunicar

Leia mais

Fotografia Digital. Escola de Belas Artes EBA UFMG Cursos de Extensão. Alexandre Cruz Leão.

Fotografia Digital. Escola de Belas Artes EBA UFMG Cursos de Extensão. Alexandre Cruz Leão. Fotografia Digital Escola de Belas Artes EBA UFMG Cursos de Extensão Alexandre Cruz Leão www.fotodearte.com.br/cursos/fotodigital e-mail: alexandre@fotodearte.com.br Junho 2016 Luiz Claudio Marigo 1950

Leia mais

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S -

FORMATOS DE ARQUIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS NATIVOS FORMATOS DE ARQUIVOS GENÉRICOS. Produção Gráfica 2 A R Q U I V O S D I G I T A I S - Produção Gráfica 2 FORMATOS DE ARQUIVOS A R Q U I V O S D I G I T A I S - FORMATOS DE ARQUIVOS PARA IMAGEM BITMAPEADAS Uma imagem bitmapeada, uma ilustração vetorial ou um texto são armazenados no computador

Leia mais

Computação Gráfica - 03

Computação Gráfica - 03 Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Engenharia da Computação Computação Gráfica - 03 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti www.twitter.com/jorgecav

Leia mais

Quadras (4 feições) + atributo área Pontos notáveis + atributo de descrição

Quadras (4 feições) + atributo área Pontos notáveis + atributo de descrição Exercicio 2 1. Copie os arquivos da pasta \\QUEBEC\Comp\SIG_Ambiental\ex2 para a sua pasta. Adicione os arquivos a um novo projeto no QGIS (há arquivos vetoriais e raster). Adicione os arquivos vetoriais

Leia mais

INFORMÁTICA BÁSICA AULA

INFORMÁTICA BÁSICA AULA INFORMÁTICA BÁSICA AULA 01 2014 1 História dos Computadores Antigamente os computadores eram grandes e difíceis de usar; Eram usados principalmente para fazer cálculos, ou seja, computar, por isso eram

Leia mais

Posteriormente, o assunto SIG é retomado, com enfoque na estrutura e nas funções. Uma descrição muito útil quanto ao gerenciamento dos

Posteriormente, o assunto SIG é retomado, com enfoque na estrutura e nas funções. Uma descrição muito útil quanto ao gerenciamento dos Apresentação A produção e a reprodução do espaço envolvem um conjunto de processos ainda mais articulados. A necessidade de intervir nesse espaço, buscando uma melhor compreensão do espaço geográfico e

Leia mais