Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar"

Transcrição

1 Política de Confidencialidade Colaboradores Venturestar (versão ) 1

2 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE

3 INTRODUÇÃO Esta Política de Confidencialidade dos Colaboradores da Venturestar Gestão de Recursos Ltda. ( Venturestar ) é parte integrante da ítem POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE do Código de Conduta dos Colaboradores da Venturestar que são assinados por todos os colaboradores. Este documento tem por objetivo apenas destacar o comportamento dos colaboradores em relação ao sigilio das informações envolvidas nos negócios envolvendo a Venturestar. 3

4 I. Regras de Confidencialidade POLÍTICA DE CONFIDENCIALIDADE Esta Política de Confidencialidade tem como objetivo estabelecer regras de sigilo e confidencialidade e propriedade intelectual que se aplicam a todos os Colaboradores da Sociedade. As regras estabelecidas nesta política visam resguardar a Sociedade e seus clientes da divulgação de Informações Confidenciais obtidas por meio da atividade de administração de ativos e carteiras de valores mobiliários, bem como da divulgação, utilização por terceiros, alienação ou cessão de negócios, projetos, técnicas, materiais, planilhas, formulários, projetos, desenvolvimentos de estratégias, produtos ou serviços que constituem propriedade intelectual da Sociedade. Para fins desta política, serão consideradas Informações Confidenciais todas e quaisquer informações e/ou dados de natureza confidencial (incluindo, sem limitação, todas as informações técnicas, financeiras, operacionais, econômicas, comerciais e estratégicas) referentes à Sociedade, suas atividades e seus clientes e quaisquer cópias ou registros de tais documentos, orais ou escritos, contidos em qualquer meio físico ou eletrônico, que tenham sido direta ou indiretamente fornecidos ou divulgados em razão da atividade de administração de ativos e carteiras de valores mobiliários desenvolvida pela Sociedade, mesmo que tais informações e/ou dados não estejam relacionados diretamente aos serviços ou às transações contempladas nesta política. As Informações Confidenciais não incluem informações que: (a) sejam ou venham a se tornar de domínio público sem violação do disposto nesta Política ou (b) tenham sido recebidas de boa fé, pelo Colaborador, de terceiros que tenham o direito de divulgá-las, sem obrigação de confidencialidade. Nesse sentido, todos os Colaboradores da Sociedade firmarão o Termo de Adesão anexo a este Código (Anexo I), tomando conhecimento e expressamente anuindo com o quanto segue: (i) (ii) (iii) (iv) Os Colaboradores expressamente obrigam-se a manter o sigilo das Informações Confidenciais que lhes tenham sido transmitidas, fornecidas e/ou divulgadas sob ou em função de seu vínculo com a Sociedade ou de relacionamento com clientes da Sociedade, se comprometendo a não utilizar, reproduzir ou divulgar referidas Informações Confidenciais, inclusive a pessoas não habilitadas ou que possam vir a utilizá-las indevidamente em processo de decisão de investimento próprio ou de terceiros, exceto mediante autorização expressa e escrita do respectivo titular e na medida do estritamente necessário para o desempenho de suas atividades e/ou obrigações. Todos os negócios, técnicas, materiais, planilhas, formulários, projetos, desenvolvimentos de estratégias, produtos ou serviços elaborados, desenvolvidos e/ou utilizados pela Sociedade e/ou por seus clientes, mesmo que tenham significativa participação de qualquer Colaborador, sempre serão de propriedade da Sociedade, sendo vedado a qualquer Colaborador divulgá-los, utilizá-los para si ou terceiros, cedê-los ou aliená-los, seja a que título for. Os Colaboradores expressamente reconhecem ser de propriedade da Sociedade todos os direitos autorais e/ou intelectuais existentes e advindos de projetos, técnicas, estratégias, materiais, planilhas, formulários, desenvolvimentos de contratos ou serviços, métodos e/ou sistemas atualmente existentes ou que vierem a ser desenvolvidos durante seus respectivos vínculos com a Sociedade, nada podendo vir a reclamar a esse título. Caso qualquer Colaborador seja obrigado a divulgar Informações Confidenciais por determinação judicial ou de autoridade competente, o Colaborador deverá comunicar a Sociedade da 4

5 existência de tal determinação previamente à divulgação e se limitar estritamente à divulgação da Informação Confidencial requisitada. (v) (vi) (vii) (viii) (ix) II. Para os propósitos do disposto nesta política, caberá à Sociedade o ônus de provar o caráter não confidencial de qualquer informação. O acesso às Informações Confidenciais será restrito e poderá ser diferenciado conforme os níveis hierárquicos e as funções desempenhadas pelos Colaboradores da Sociedade, a critério do Comitê de Compliance. O controle de acesso a tais informações será realizado por meio das senhas pessoais dos Colaboradores, que, a critério do Comitê de Compliance, poderão respeitar uma ordem de graduação com diferentes níveis de acessibilidade a arquivos, pastas e diretórios da rede corporativa. Os Colaboradores expressamente tomam ciência que poderão responder civil e criminalmente pelo descumprimento de qualquer regra estabelecida nesta política, o que ensejará a imediata propositura das medidas cíveis e criminais cabíveis por parte da Sociedade, nas quais poderão, inclusive, ser pleiteados perdas e danos, lucros cessantes, danos morais, bem como a aplicação de qualquer outra penalidade e/ou ressarcimento ou pagamento de valores, seja a que título for. Caso tenham conhecimento de que qualquer Colaborador tenha infringido esta política, os Colaboradores obrigam-se a reportar tal falta ao Comitê de Compliance, sob pena de ser considerado co-responsável com o infrator; Caso o Colaborador tenha dúvidas com relação à confidencialidade ou não de determinada informação, este deverá consultar o Comitê de Compliance. Detentores de Informações Privilegiadas Para fins desta política, presumem-se detentores de informações privilegiadas e, portanto, responsáveis por sua eventual divulgação, os sócios e administradores da Sociedade, bem como os demais Colaboradores que exerçam atividades diretamente relacionadas à administração de carteiras de valores mobiliários, sem prejuízo de outros Colaboradores que venham a ter acesso a Informações Confidenciais, nos termos desta política. III. Barreiras de Informações Privilegiadas A Sociedade possui sistema de bloqueio de envio de mensagens maiores que 5 mega, para evitar desvio de planilhas complexas e pesadas, cuja probabilidade de conteúdo sigiloso é maior. Além disso, a Venturestar só autoriza o acesso à Internet através de conexões previamente aprovadas, não podendo o profissional fazer uso de conexões dial-up ou outros meios não aprovados. Por fim, a área administrativa da Sociedade é separada da área operacional (gestão de carteiras) e os Colaboradores são instruídos a não deixar materiais com conteúdo sigiloso à vista de outros Colaboradores ou permitir que Colaboradores não autorizados a eles tenham acesso. Somente os Colaboradores tem acesso aos servidores, por meio de uma senha. 5

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS & NORMAS INTERNAS Versão: 1- Objetivo O objetivo desta Política de Investimento Pessoal (ou Política) é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos pessoais

Leia mais

Política de Investimento Pessoal

Política de Investimento Pessoal Política de Investimento Pessoal Introdução Com fundamento no art. 16, IX, da Instrução CVM n.º 558/15, o objetivo da política de investimento pessoal é estabelecer procedimentos e regras para os investimentos

Leia mais

Politica de Investimento para Negociação de Ativos pelos Colaboradores

Politica de Investimento para Negociação de Ativos pelos Colaboradores Política de Investimentos para Negociação de Ativos Pelos Colaboradores ( Politica de Investimentos Pessoais ) www.moreinvest.com.br POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA NEGOCIAÇÃO DE ATIVOS PELOS COLABORADORES

Leia mais

Código de Ética Elaborado em Janeiro de 2016 Atualizado em Junho de 2016 1. INTRODUÇÃO Este Código de Ética estabelece as regras e princípios que nortearão os padrões éticos e de conduta profissional,

Leia mais

Política de Rateio e Divisão de Ordens entre Carteiras de Valores Mobiliários

Política de Rateio e Divisão de Ordens entre Carteiras de Valores Mobiliários CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Apresentação 1.1. A ABM Gestora de Recursos Ltda. ( ABM Capital ) é uma sociedade limitada dedicada à prestação de serviços de administração de carteiras de valores mobiliários, notadamente

Leia mais

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DA PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 ÍNDICE GERAL 1. INTRODUÇÃO... 2 2. APLICAÇÃO... 2 3. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 3.1 DISPOSIÇÕES INICIAIS...

Leia mais

REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS. Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME

REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS. Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME REGRAS, PROCEDIMENTOS E DESCRIÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS Tutors Multi Family Office Gestão de Patrimônio EIRELI - ME Sumário I. Introdução... 3 II. Política de Confidencialidade... 4 III. Políticas de

Leia mais

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA.

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Segurança da Informação Junho de 2016 ÍNDICE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 2 (A) Objetivo... 2 (B) Gestão de Segurança da Informação... 2 (C)

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

POLÍTICA DE COMPRA E VENDA DE VALORES MOBILIÁRIOS. Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Versão 2016.1 Editada em Junho de 2016 1. OBJETIVO Esta Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários define os padrões de condutas internas exigidas

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL Versão: Abri/2016 1. Introdução POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL 1.1 Esta política visa determinar procedimentos e normas para os investimentos pessoais dos colaboradores

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO Sumário INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS... 3 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 3 SISTEMAS E BACKUPS... 5 SEGREGAÇÃO DE ATIVIDADES... 5 VIGÊNCIA E ATUALIZAÇÃO... 6 POLÍTICA DE SEGURANÇA

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO ABRIL / 2016 SUMÁRIO POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Objetivos... 3 1.3. Tecnologia da Informação... 3 1.4. Segregação de Atividades...

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E USO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO I - DEFINIÇÕES E ADESÃO 1.1 - As definições utilizadas na presente Política de Divulgação têm os significados que lhes são

Leia mais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais

POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais POL-006 Política de Investimentos Pessoais (versão 01/2016) Sumário 1. Objetivo... 1 2. Âmbito de Aplicação... 1 3. Considerações Gerais... 1 4. Vínculos... 1

Leia mais

Política de Segurança da Informação. Portofino Gestão de Recursos Ltda.

Política de Segurança da Informação. Portofino Gestão de Recursos Ltda. Política de Segurança da Informação Portofino Gestão de Recursos Ltda. 2 Í N D I C E 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. OBJETIVOS... 3 3. POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 3 4. SEGREGAÇÃO DE ATIVIDADES... 4

Leia mais

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS Atualizado em: Jan/12 Última atualização em: Out/13 Este documento rege as atividades desemprenhas pelos Analistas de Valores Mobiliários vinculados a Um Investimentos,

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL KAPITALO INVESTIMENTOS LTDA.

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL KAPITALO INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL KAPITALO INVESTIMENTOS LTDA. Junho de 2016 Sumário POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL... 3 1.1. Objetivo... 3 1.2. Princípios... 3 1.3. Regras Gerais... 3 1.4. Disposições

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA BR TOWERS SPE1 S.A.

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA BR TOWERS SPE1 S.A. POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE DA BR TOWERS SPE1 S.A. A presente Política de Divulgação tem como princípio geral estabelecer o dever da BR TOWERS SPE1 S.A ( Companhia ) de divulgar, de

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA ODONTOPREV S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA ODONTOPREV S.A. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DA ODONTOPREV S.A. 1. Objetivos e Abrangência 1.1. O objetivo da presente Política de Negociação é estabelecer as regras que deverão ser observadas pelos acionistas

Leia mais

1 OBJETIVO PÚBLICO ALVO PROCESSOS DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS Confidencialidade Segurança da Informação...

1 OBJETIVO PÚBLICO ALVO PROCESSOS DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS Confidencialidade Segurança da Informação... Código Circular: C003 MANUAL DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS Data de Publicação: 29/06/2016 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 2 2 PÚBLICO ALVO... 2 3 PROCESSOS DE COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS... 2 3.1 Confidencialidade...

Leia mais

ANEXO A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES DA VIX LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO

ANEXO A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES DA VIX LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO ANEXO A POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATOS OU FATOS RELEVANTES DA VIX LOGÍSTICA S.A. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO 2. PESSOAS SUJEITAS À POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO E FORMA DE ADESÃO 3. DEVERES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

Política de Compra e Venda TVM

Política de Compra e Venda TVM POLÍTICA ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 1 de 6 Política de Compra e Venda TVM POLÍTICA ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 2 de 6 ÍNDICE 1) Introdução...3 2) Objetivo...3 3) Negociações...3 4) Prazos de Restrições

Leia mais

Política de Negociação de Valores Mobiliários da Multiner S.A.

Política de Negociação de Valores Mobiliários da Multiner S.A. MULTINER S.A. CNPJ/MF: 08.935.054/0001-50 Companhia Aberta Política de Negociação de Valores Mobiliários da Multiner S.A. A presente Política foi elaborada nos termos da Instrução da CVM n.º 358, de 3

Leia mais

SP VENTURES CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

SP VENTURES CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA SP VENTURES CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Junho/2016 SP VENTURES GESTORA DE RECURSOS S.A. ( Sociedade ) CNPJ: 09.594.756/0001-80 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1.485, 19ª andar, conj. 181 ala oeste Jardim Paulistano,

Leia mais

Procedimentos aplicáveis à realização de investimentos pessoais

Procedimentos aplicáveis à realização de investimentos pessoais POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Esta política estabelece os procedimentos e normas aplicáveis a todo e qualquer investimento pessoal que venha a ser realizado pelos sócios, diretores, empregados, funcionários,

Leia mais

Política de Compra e Venda de Mobiliários por Colaboradores

Política de Compra e Venda de Mobiliários por Colaboradores Assunto Política de Compra e Venda de Mobiliários por Colaboradores Data 30 de junho de 2016 Páginas. 5 De Eros Henriques Dalhe e Rodrigo Gatti Telefone 3509 6600 Área Diretoria de Operações Para As sociedades

Leia mais

Termos de uso do Guia Balada Vip Net

Termos de uso do Guia Balada Vip Net Termos de uso do Guia Balada Vip Net 1. PARTES 1.1 Estes Termos de Uso aplicam-se entre, de um lado, Jardel Charles Rauber, doravante designada Balada Vip Net, e, de outro lado, a todo e qualquer usuário,

Leia mais

Política de Segurança de Informações

Política de Segurança de Informações Política de Segurança de Informações Junho/2016 Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda. 1. Apresentação A Política de Segurança da Informação da Edge Brasil Gestão de Ativos Ltda. ( Edge Investimentos ), aplica-se

Leia mais

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários (Revisão: Junho 2016) Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Grupo Stratus:... 3 1.2. Atividades do Grupo Stratus:... 3 1.3. A Política:... 3 1.4. Conhecimento

Leia mais

TERMO DE CONDIÇÕES PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NA PÓS EM REVISTA

TERMO DE CONDIÇÕES PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NA PÓS EM REVISTA ISSN 2176-7785 TERMO DE CONDIÇÕES PARA PUBLICAÇÃO DE ARTIGOS NA PÓS EM REVISTA 1. Introdução e Aceitação dos Termos A Pós em Revista publica artigos de colaboradores, proporcionando um meio de divulgarem

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos CM CAPITAL MARKETS ASSET MANAGEMENT LTDA. Data de Atualização: 06/2016 Aviso Legal: Este documento pode conter informações confidenciais e/ou privilegiadas.

Leia mais

II. Receber dos funcionários os avisos de movimentação nos ativos sujeitos a monitoramento e verificar sua adequação às disposições desta Política;

II. Receber dos funcionários os avisos de movimentação nos ativos sujeitos a monitoramento e verificar sua adequação às disposições desta Política; Sistemas de Controles Internos Categoria: Políticas e Conceitos Gerais Códigos: NCO 01 Título : Política de Investimentos Próprios 1. APRESENTAÇÃO A Icatu Gestão Patrimonial Ltda. ( IGP ), instituição

Leia mais

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS

MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS MANUAL DO ANALISTA DE VALORES MOBILIÁRIOS Este documento vem em atendimento a Instrução CVM 483, de 06 de Julho de 2010, que dispõe sobre a atividade do profissional de Análise de Valores Mobiliários.

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS da ESTÁTER ASSESSORIA FINANCEIRA LTDA. JUNHO/2016 ÍNDICE 1. Introdução... 3 2. Política de Investimentos Pessoais... 4 2 1. Introdução 1.1 Sumário Esta Política de Investimentos

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética TERCON INVESTIMENTOS LTDA. Rua Américo Brasiliense, 1765 cj. 32 Chácara Santo Antonio - São Paulo - SP CEP 04715-005 Fone (11) 5181 5841 Código de Conduta Ética O conjunto de princípios

Leia mais

Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da BrasilAgro - Companhia Brasileira de Propriedades Agrícolas

Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da BrasilAgro - Companhia Brasileira de Propriedades Agrícolas Política de Divulgação de Ato ou Fato Relevante da BrasilAgro - Companhia Brasileira de Propriedades Agrícolas I. Introdução 1. A presente Política de Divulgação foi elaborada nos termos da Instrução CVM

Leia mais

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários por Administradores, Empregados, Colaboradores e pela Própria Empresa

Política de Compra e Venda de Valores Mobiliários por Administradores, Empregados, Colaboradores e pela Própria Empresa CAPÍTULO I INTRODUÇÃO Apresentação 1.1. A ABM Gestora de Recursos Ltda. ( ABM Capital ) é uma sociedade limitada dedicada à prestação de serviços de administração de carteiras de valores mobiliários, notadamente

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA. No relacionamento com colegas e outros Profissionais, cada Profissional deverá:

CÓDIGO DE CONDUTA. No relacionamento com colegas e outros Profissionais, cada Profissional deverá: CÓDIGO DE CONDUTA Introdução Este Código define as regras de conduta aos quais os Sócios, os Diretores, bem como todos os funcionários da AGROFEL Agro Comercial Ltda, e terceiros, que ajam em seu interesse

Leia mais

Cabe a todos os integrantes e colaboradores diretos ou indiretos fazer valer, respeitar e cumprir todos os itens abordados neste código de ética.

Cabe a todos os integrantes e colaboradores diretos ou indiretos fazer valer, respeitar e cumprir todos os itens abordados neste código de ética. CÓDIGO CORPORATIVO DE CONDUTA ÉTICA Introdução A Alta Engenharia de Consultoria Ltda tem como seu objetivo principal, a transparência e a ética de conduta em seus negócios orientados por um conjunto de

Leia mais

Os processos de segurança da informação devem assegurar a integridade, a disponibilidade e a confidencialidade dos ativos de informação da Apex.

Os processos de segurança da informação devem assegurar a integridade, a disponibilidade e a confidencialidade dos ativos de informação da Apex. 1 POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Disposições Gerais Os sistemas de informação, a infraestrutura tecnológica, os arquivos de dados e as informações internas ou externas, são considerados importantes

Leia mais

Código de Ética e Políticas Internas Focus Assessoria em Investimentos Ltda.

Código de Ética e Políticas Internas Focus Assessoria em Investimentos Ltda. Código de Ética e Políticas Internas Focus Assessoria em Investimentos Ltda. Este Código de Ética estabelece princípios e regras aplicáveis a todos os Colaboradores da FOCUS ASSESSORIA EM INVESTIMENTOS

Leia mais

1. APRESENTAÇÃO Técnica Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda Técnica Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda

1. APRESENTAÇÃO Técnica Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda Técnica Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda 1. APRESENTAÇÃO O Código de Ética e Conduta visa estabelecer e manter o mais alto padrão de comportamento ético e profissional. O Código deve ser observado por todos os sócios, colaboradores, consultores,

Leia mais

Norma Permanente Assunto: Política de Proteção da Livre Concorrência Código da Norma: NAD-40 Data da publicação: 01/09/2015

Norma Permanente Assunto: Política de Proteção da Livre Concorrência Código da Norma: NAD-40 Data da publicação: 01/09/2015 Página 1 de 5 Resumo: Estabelece as diretrizes e regras gerais para garantir a proteção da livre concorrência nas atividades da Duratex S.A. e suas subsidiárias (Organização). Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Aprovada por: Diretor de Compliance CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Código MN-CE-001 Revisão 00 Página 1 de 7 Data 02/06/16 1. OBJETIVO 1.1. O presente instrumento tem como objetivo precípuo a definição de regras

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLE DE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS

POLÍTICA DE CONTROLE DE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS POLÍTICA DE CONTROLE DE INFORMAÇÕES CONFIDENCIAIS Junho/2016 1 Índice 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. CONTROLES FÍSICOS e LÓGICOS... 3 4. SIGILO BANCÁRIO... 4 5. PADRÃO DE CONDUTA... 4 6. INFORMAÇÕES

Leia mais

REGULAMENTO DO II CONCURSO DE ESCRITA CRIATIVA

REGULAMENTO DO II CONCURSO DE ESCRITA CRIATIVA REGULAMENTO DO II CONCURSO DE ESCRITA CRIATIVA I DAS APRESENTAÇÕES E OBJETIVOS Art. 1º - O Curso de Letras do Centro Universitário UNIVATES promove o II Concurso de Escrita Criativa. Art. 2º - O II Concurso

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL Agosto/2016 Esta política de investimento pessoal da MAGNETIS GESTORA DE RECURSOS LTDA. ( Magnetis ) visa determinar procedimentos e normas para os investimentos pessoais

Leia mais

HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL. Rio de Janeiro, Junho de SP v1

HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL. Rio de Janeiro, Junho de SP v1 HAMILTON LANE INVESTIMENTOS LTDA. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL Rio de Janeiro, Junho de 2016. POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO PESSOAL 1.1. Introdução O objetivo desta política é descrever as normas e procedimentos

Leia mais

Manual de Compliance, Regras, Procedimentos e Controles Internos

Manual de Compliance, Regras, Procedimentos e Controles Internos MANUAL - ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 1 de 7 Manual de Compliance, Regras, Procedimentos e MANUAL - ECO GESTÃO DE ATIVOS PAG.: 2 de 7 ÍNDICE 1) Introdução...3 2) Responsabilidade da Área...3 3) Monitoramento

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA PARA OS ANALISTAS DE INVESTIMENTOS DA SOLIDUS S.A. CCVM

NORMAS DE CONDUTA PARA OS ANALISTAS DE INVESTIMENTOS DA SOLIDUS S.A. CCVM NORMAS DE CONDUTA PARA OS ANALISTAS DE INVESTIMENTOS DA SOLIDUS S.A. CCVM 1. OBJETIVOS O objetivo das Normas de Conduta é estabelecer os procedimentos necessários para o exercício das atividades dos Analistas

Leia mais

Sistema de Registro de Garantias sobre Veículos Automotores

Sistema de Registro de Garantias sobre Veículos Automotores Sistema de Registro de Garantias sobre Veículos Automotores Sumário CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS... 3 Seção I - Objetivos... 3 CAPÍTULO II DA INCLUSÃO DE INFORMAÇÕES... 4 Seção I - Informações Objeto

Leia mais

NORMAS SOBRE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES DA COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO - CEG

NORMAS SOBRE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES DA COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO - CEG NORMAS SOBRE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES DA COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE GÁS DO RIO DE JANEIRO - CEG I. DO OBJETIVO 1.1. O objetivo destas normas é estabelecer uma política de divulgação de ato ou fato relevante

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS E NEGOCIAÇÃO COM VALORES MOBILIÁRIOS SUMÁRIO I - Objetivo... 2 II - Aplicação... 2 III - Regras de Conduta... 3 IV - Disposições Gerais... 6 ANEXO A - Declaração Anual

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS. Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01

POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS. Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01 POLÍTICA DE COMPRA E DE VENDAS POR RELACIONADOS Elaboração: Controles internos Aprovação: Diretoria Versão: 01 Código: MCICCVRC-0116 Vigente desde: 01/2016 Data de referência: 11/2015 2 1. DISPOSIÇÕES

Leia mais

BANCO BTG PACTUAL S.A. CNPJ: / POLITICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO

BANCO BTG PACTUAL S.A. CNPJ: / POLITICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO BANCO BTG PACTUAL S.A. CNPJ: 30.306.294/0001-45 POLITICA DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES RELEVANTES E PRESERVAÇÃO DE SIGILO (Aprovada em Assembleia Geral Extraordinária realizada em 16 de Agosto de 2011 e

Leia mais

Comissão de Valores Mobiliários

Comissão de Valores Mobiliários Comissão de Valores Mobiliários A informação nas Companhias Abertas Sigilo e Divulgação Maio/2015 Ressalto que as opiniões que expressarei aqui hoje refletem exclusivamente a minha visão e não necessariamente

Leia mais

Manual de Normas Sistema de Negociação Primária (Integrante da Plataforma Cetip Trader Captação)

Manual de Normas Sistema de Negociação Primária (Integrante da Plataforma Cetip Trader Captação) Primária (Integrante da Plataforma Cetip Trader Versão: 08/04/2014 Documento Público 2 / 9 MANUAL DE NORMAS SISTEMA DE NEGOCIAÇÃO PRIMÁRIA (INTEGRANTE DA PLATAFORMA CETIP TRADER CAPTAÇÃO) SUMÁRIO CAPÍTULO

Leia mais

LYRA ADMINISTRÇÃO FINANCEIRA E CONSULTORIA LTDA. CÓDIGO DE ÉTICA E PADRÕES DE CONDUTA E CONTROLES

LYRA ADMINISTRÇÃO FINANCEIRA E CONSULTORIA LTDA. CÓDIGO DE ÉTICA E PADRÕES DE CONDUTA E CONTROLES LYRA ADMINISTRÇÃO FINANCEIRA E CONSULTORIA LTDA. CÓDIGO DE ÉTICA E PADRÕES DE CONDUTA E CONTROLES Versão atualizada em jun/16 LYRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E CONSULTORIA LTDA. lyra@lyrainvest.com.br correspondência:

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA ÍNDICE. Página 0. HISTÓRICO DAS REVISÕES OBJETIVO ÁREAS ENVOLVIDAS NORMAS GERAIS... 2

INSTRUÇÃO NORMATIVA ÍNDICE. Página 0. HISTÓRICO DAS REVISÕES OBJETIVO ÁREAS ENVOLVIDAS NORMAS GERAIS... 2 ÍNDICE Página 0. HISTÓRICO DAS REVISÕES... 2 1. OBJETIVO... 2 2. S ENVOLVIDAS...2 3. NORMAS GERAIS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 5. DISPOSIÇÕES FINAIS... 5 Anexos: Não há 1/5 0. HISTÓRICO DAS REVISÕES REVISÃO

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA UNIDAS S.A. CAPÍTULO I OBJETO CAPÍTULO II DEFINIÇÕES

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA UNIDAS S.A. CAPÍTULO I OBJETO CAPÍTULO II DEFINIÇÕES POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA UNIDAS S.A. CAPÍTULO I OBJETO Cláusula 1.1 Objeto. Esta Política de Negociação de Valores Mobiliários de Emissão da UNIDAS S.A. ( Companhia )

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558 1. Objetivo A administração de carteiras de valores mobiliários é o exercício profissional de atividades relacionadas, direta ou indiretamente, ao funcionamento, à manutenção e à gestão de uma carteira

Leia mais

MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS

MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS MASCARENHAS BARBOSA ROSCOE S/A CONSTRUÇÕES POLÍTICA DE CONTRATAÇÃO DE TERCEIROS Objetivo Estabelecer regras gerais para os processos de contratação de terceiros e obrigações básicas que devem ser adotadas

Leia mais

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento

Manual de Normas Cotas de Fundo de Investimento Versão: 27/07/2015 Documento Público 2/12 MANUAL DE NORMAS COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DA CONTRATAÇÃO DE ADMINISTRADOR DE CUSTÓDIA E DE DIGITADOR POR ADMINISTRADOR

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA - EMBRAPII

CÓDIGO DE CONDUTA - EMBRAPII CÓDIGO DE CONDUTA - EMBRAPII Este Código de Conduta define os princípios que regem o comportamento dos profissionais que atuam na EMBRAPII. Ele é o instrumento de promoção de uma cultura de boa conduta

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: / FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: / FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ILHA SOLTEIRA CNPJ: 03.117.139/0001-08 FACULDADE DE ILHA SOLTEIRA REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA TÍTULO I POLÍTICAS DE ACESSO E EXCLUSIVIDADE DE

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA

POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA ÍNDICE 1. POLÍTICA DE SEGURANÇA 3 2. CONTROLE DE DOCUMENTO 3 3. ESPECIFICAÇÃO 3 3.1. Objetivo 3 3.2. Responsabilidades e Proibições 4 3.3. Senhas 5 3.4. Realizações de Backups 6 4.

Leia mais

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Samba Investimentos Página1 Este manual de operações estabelece princípios e regras de conduta aplicáveis a todos colaboradores da Samba Investimentos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE PESSOAS E REMUNERAÇÃO CAPÍTULO I DO COMITÊ DE PESSOAS E REMUNERAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE PESSOAS E REMUNERAÇÃO CAPÍTULO I DO COMITÊ DE PESSOAS E REMUNERAÇÃO REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE PESSOAS E REMUNERAÇÃO CAPÍTULO I DO COMITÊ DE PESSOAS E REMUNERAÇÃO 1. O Comitê de Pessoas e Remuneração (o "Comitê") é um órgão colegiado de assessoramento e instrução,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Observação Código Documento Rev. Folha

POLÍTICA DE SEGURANÇA. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Observação Código Documento Rev. Folha Documentação da Política de Segurança BRA_STI 1.1 1 / 9 POLÍTICA DE SEGURANÇA Autor: Brainvest Consultoria Financeira Ltda. Data de Criação: 09 de Abril de 2012 Última Atualização: 08 de Junho de 2015

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15

POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 POLÍTICA DE COMPLIANCE, CONTROLES INTERNOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM 558/15 SOMENTE PARA USO INTERNO Este material foi elaborado pela Atmos Capital Gestão de Recursos Ltda. ( Atmos Capital ou Gestora

Leia mais

MANUAL DE POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS

MANUAL DE POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS MANUAL DE POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PESSOAIS Versão: 31 de Maio de 2017 Sumário 1. Introdução... 2 2. Classificação dos Colaboradores... 2 3. Declaração de Investimentos Pessoais dos Colaboradores... 3

Leia mais

Política de Investimentos Pessoais

Política de Investimentos Pessoais Política de Investimentos Pessoais Procedimentos e Normas Área de Gestão de Risco e Compliance 1 I Objetivo... 3 II Disposições Gerais... 3 III Investimentos Pessoais... 4 IV Confidencialidade e Tratamento

Leia mais

Manual de Normas Letra Financeira

Manual de Normas Letra Financeira Versão: 27/07/2015 Documento Público 2 / 10 MANUAL DE NORMAS LETRA FINANCEIRA SUMÁRIO CAPÍTULO I DO OBJETIVO 3 CAPÍTULO II DOS PARTICIPANTES 4 Seção I Do Registrador de 4 Seção II Das atribuições do Emissor

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 019/2011. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das suas atribuições legais, e considerando:

ATO NORMATIVO Nº 019/2011. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das suas atribuições legais, e considerando: ATO NORMATIVO Nº 019/2011 Disciplina o uso do correio eletrônico no Ministério Público do Estado da Bahia. O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das suas atribuições legais, e considerando:

Leia mais

Termo de Adesão e Compromisso do Sistema de Currículos e Oportunidade da OAB - Ce

Termo de Adesão e Compromisso do Sistema de Currículos e Oportunidade da OAB - Ce Termo de Adesão e Compromisso do Sistema de Currículos e Oportunidade da OAB - Ce 1. Aceitação das Condições de Uso 1.1. O presente Termo de Adesão e Compromisso tem por finalidade normatizar o uso do

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA.

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS CANEPA ASSET MANAGEMENT - CAM BRASIL GESTAO DE RECURSOS LTDA. Versão: Junho/2016 CAPÍTULO I Definição e Finalidade 1.1 A presente Política

Leia mais

ABF ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANCHISING CÓDIGO DE CONDUTA E PRINCÍPIOS ÉTICOS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO DOCUMENTO CAPÍTULO II OBJETIVOS E ABRANGÊNCIA

ABF ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANCHISING CÓDIGO DE CONDUTA E PRINCÍPIOS ÉTICOS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO DOCUMENTO CAPÍTULO II OBJETIVOS E ABRANGÊNCIA ABF ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FRANCHISING CÓDIGO DE CONDUTA E PRINCÍPIOS ÉTICOS CAPÍTULO I DA NATUREZA DO DOCUMENTO Art. 1º. O presente Código de Conduta é orientado por princípios éticos e desdobrado em

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2008 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PRÓ-REITORIA ADMINISTRATIVA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2008 O Pró-Reitor de Administração da Fundação Universidade Federal do Rio Grande,

Leia mais

POLÍTICA DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A.

POLÍTICA DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. POLÍTICA DE TRANSAÇÕES COM PARTES RELACIONADAS BB SEGURIDADE PARTICIPAÇÕES S.A. 23.1.2015 1. OBJETIVO 1.1 A presente Política de Transações com Partes Relacionadas da BB Seguridade Participações S.A. (

Leia mais

Sociedade Alphaville Residencial 11 Sede Administrativa - Av. Alpha Norte, 700 PABX:

Sociedade Alphaville Residencial 11 Sede Administrativa - Av. Alpha Norte, 700 PABX: 1. INTRODUÇÃO Código de Ética Este Código de Ética reúne diretrizes que devem ser observadas em nossa ação profissional para atingirmos padrões Éticos no exercício de nossas atividades. Para a Sociedade

Leia mais

INSTITUTO PACTO NACIONAL PELA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO ESCRAVO INPACTO. Código de Conduta

INSTITUTO PACTO NACIONAL PELA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO ESCRAVO INPACTO. Código de Conduta INSTITUTO PACTO NACIONAL PELA ERRADICAÇÃO DO TRABALHO ESCRAVO INPACTO Código de Conduta Nos termos do parágrafo quarto, do artigo quarto do Estatuto Social do INSTITUTO PACTO NACIONAL PELA ERRADICAÇÃO

Leia mais

Políticas de Privacidade

Políticas de Privacidade Políticas de Privacidade O OUTLETIMOBILIÁRIO.COM preocupa-se constantemente com a integridade das informações fornecidas por nossos usuários e por esta razão estabelecemos este manual de Políticas de Privacidade.

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética Dezembro 2015 2015 Delta Economics & Finance Índice 1 Introdução 1 2 Visão, Missão e Valores 1 3 Conduta Esperada dos Funcionários 2 4 Conflito de Interesse 2 5 Informações Sigilosas

Leia mais

Código de Conduta Ética Profissional

Código de Conduta Ética Profissional Código de Conduta Ética Profissional 1. CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DA BRASIL BROKERS A Brasil Brokers é uma empresa de intermediação e consultoria imobiliária que atua em todo território nacional e para nos

Leia mais

Decreto nº , de 13 de março de 2008.

Decreto nº , de 13 de março de 2008. Decreto nº 29.227, de 13 de março de 2008. DISPÕE SOBRE A INSTITUIÇÃO DA POLITICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC DO GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ E DO COMITÊ GESTOR DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA E PLD ÍNDICE I. Introdução II. Objetivos do Manual III. Setor de Compliance IV. Comitê de Compliance V. Diretor Responsável pelo Compliance VI. Comitê de Compliance CÓDIGO DE CONDUTA

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL POLÍTICA DE INVESTIMENTO PESSOAL 1.1 Esta política do Banco Daycoval S.A. ( Banco Daycoval ) ( Política de Investimento Pessoal ) visa determinar procedimentos e normas para investimentos pessoais dos

Leia mais

Relatório Declaração Atestado médico Prontuário médico Declaração de óbito

Relatório Declaração Atestado médico Prontuário médico Declaração de óbito Documentos médicos Relatório Declaração Atestado médico Prontuário médico Declaração de óbito Atestado Atestado médico Atestado médico Conceito Afirmação escrita e assinada, que uma pessoa faz da verdade

Leia mais

CAMPANHA PROMOCIONAL INDIQUE UM AMIGO

CAMPANHA PROMOCIONAL INDIQUE UM AMIGO CAMPANHA PROMOCIONAL INDIQUE UM AMIGO I Razão social das pessoas jurídicas promoventes: ACS INCORPORAÇÃO S/A CNPJ/MF Nº 08.145.855/0001-12 Av. José de Souza Campos, 753, Cambuí, Campinas/SP, CEP 13025-320

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DA AGÊNCIA PARA O INVESTIMENTO E COMÉRCIO EXTERNO DE PORTUGAL, E.P.E. (AICEP) CAPÍTULO I - Âmbito e Objectivo. Artigo 1º (Âmbito)

CÓDIGO DE CONDUTA DA AGÊNCIA PARA O INVESTIMENTO E COMÉRCIO EXTERNO DE PORTUGAL, E.P.E. (AICEP) CAPÍTULO I - Âmbito e Objectivo. Artigo 1º (Âmbito) CÓDIGO DE CONDUTA DA AGÊNCIA PARA O INVESTIMENTO E COMÉRCIO EXTERNO DE PORTUGAL, E.P.E. (AICEP) CAPÍTULO I - Âmbito e Objectivo Artigo 1º (Âmbito) 1. O presente Código de Conduta integra o conjunto das

Leia mais

Divisão de Controles Internos e Compliance 19/08/2016

Divisão de Controles Internos e Compliance 19/08/2016 1 Área responsável pelo assunto 1.1 Diretoria de Governança, Risco e Compliance. 2 Abrangência 2.1 Esta Política aplica-se à BB Seguridade Participações S.A. ( BB Seguridade ou Companhia ) e suas subsidiárias

Leia mais

Termo de Uso e Política de Privacidade

Termo de Uso e Política de Privacidade Termo de Uso e Política de Privacidade O Termo de Uso e a Política de Privacidade do portal SEGUROSNOSTRESS tem como objetivo estabelecer os direitos e as obrigações entre BIT CORRETORA DE SEGUROS LTDA.

Leia mais

JOÃO MARTINS DIAS Reitor e Presidente do Conselho Superior do IFAM

JOÃO MARTINS DIAS Reitor e Presidente do Conselho Superior do IFAM RESOLUÇÃO Nº. 15 - CONSUP/IFAM, de 10 de junho de 2011. Estabelece normas para a entrega da declaração de bens e valores dos servidores efetivos ocupantes de cargos de direção ou funções gratificadas no

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 22, DE 22 DE AGOSTO DE 2002 (*)

RESOLUÇÃO Nº 22, DE 22 DE AGOSTO DE 2002 (*) Republicação INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL Comitê de Tecnologia e Informação RESOLUÇÃO Nº 22, DE 22 DE AGOSTO DE 2002 (*) Normatiza o uso do Correio Eletrônico na Previdencia Social. O COMIT DE TECNOLOGIA

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA NOS MERCADOS DE VALORES O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE INVESTIMENTOS PESSOAIS?

CÓDIGO DE CONDUTA NOS MERCADOS DE VALORES O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE INVESTIMENTOS PESSOAIS? O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE INVESTIMENTOS PESSOAIS? Introdução Este assunto é tratado no Código como Operações por Conta Própria. As Pessoas Sujeitas devem realizar suas operações de investimentos pessoais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO REGULAMENTO INTERNO TÍTULO I DO CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO TÍTULO II OBJETIVOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO REGULAMENTO INTERNO TÍTULO I DO CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO TÍTULO II OBJETIVOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO REGULAMENTO INTERNO TÍTULO I DO CENTRO ESPORTIVO UNIVERSITÁRIO Art.lº - O CEU - Centro Esportivo Universitário, Órgão suplementar da

Leia mais

Plano de Continuidade de Negócios (PCN)

Plano de Continuidade de Negócios (PCN) Plano de Continuidade de Negócios (PCN) K&C INVESTIMENTOS LTDA. Responsável: Diretor de Compliance e Riscos Data da atualização: 17 de junho de 2016 Aviso Legal: Este documento pode conter informações

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CONTROLE INTERNO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CONTROLE INTERNO MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCOS E CONTROLE INTERNO Agosto / 2015 SUMÁRIO I) INTRODUÇÃO... 2 II) METODOLOGIA PARA DISTRIBUIÇÃO DE ORDENS... 2 III) METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO... 3

Leia mais

P3 Código MANUAL DE CONTROLES INTERNOS FATOR CORRETORA COR-MOC.013. Atividade de Analista de Valores Mobiliários - Inst.

P3 Código MANUAL DE CONTROLES INTERNOS FATOR CORRETORA COR-MOC.013. Atividade de Analista de Valores Mobiliários - Inst. de Analista de Valores Mobiliários - Inst. CVM nº 483 1. CONTEÚDO DESTE DOCUMENTO MANUAL DE CONTROLES INTERNOS Contêm os requisitos e diretrizes básicas para o credenciamento e as responsabilidades de

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO COMGÁS

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO COMGÁS POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE AÇÕES DA COMPANHIA DE GÁS DE SÃO PAULO COMGÁS ÍNDICE I - Definições Aplicáveis... 3 II - Propósito e Abrangência... 4 III - Princípios... 5 IV - Objetivo... 5 V - Adesão... 6

Leia mais