Elementos de Máquinas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Elementos de Máquinas"

Transcrição

1 Professor: Leonardo Leódido

2 Sumário Conceitos Classificação Tipos

3 Conceitos Função: Elementos de vedação são peças que impedem a saída de fluido de um ambiente fechado. Evitar poluição do ambiente. Geralmente, localizam-se entre duas peças fixas ou em duas peças em movimento relativo. As peças móveis podem ser classificados em: Girantes Deslizantes

4 Conceitos Função: Elementos de vedação são peças que impedem a saída de fluido de um ambiente fechado. Evitar poluição do ambiente. Geralmente, localizam-se entre duas peças fixas ou em duas peças em movimento relativo. As peças móveis podem ser classificados em: Girantes Deslizantes No dia-a-dia

5 Conceitos Considerações específicas de trabalho e montagem: temperatura - no caso de se trabalhar em ambiente com temperatura muito elevada, a vedação torna-se mais difícil; acabamento das peças - uma boa vedação requer bom acabamento das superfícies a serem vedadas; pressão - quanto mais elevada for a pressão do fluido, tanto maior será a possibilidade de escapamento, ou seja, a vedação torna-se mais difícil; estado físico - os fluidos líquidos são mais fáceis de serem vedados do que os fluidos em estado gasoso.

6 Classificação Junções Fixas Junções Móveis

7 Junções Fixas Direta Elementos Intermediários

8 Junções Fixas Direta Ogiva: para baixas pressões - a vedação se efetua em uma superfície tronco-cônica com esfera.

9 Junções Fixas Direta Em faca: para médias pressões efetuada mediante a aproximação de uma coroa circular a um plano.

10 Junções Fixas Direta Cônica: para altas pressões é o melhor tipo de vedação e se efetua entre duas superfícies cônicas que têm geratrizes coincidentes.

11 Junções Fixas por Elementos Intermediários Guarnições: são peças flexíveis colocadas entre duas superfícies rígidas, geralmente planas. As guarnições podem ser feitas de borracha, cobre, cortiça ou amianto, e podem ter formatos variados. É mais fácil de montar que as junções diretas, uma vez que a guarnição se molda as peças devido a pressão. As guarnições para junções fixas de forma toroidal são chamadas anéis toroidais. Têm secção circular. Também são conhecidas como anéis O Ring (OR).

12

13 Junções Fixas por Elementos Intermediários Exemplos de Guarnição Plana

14 Junções Fixas por Elementos Intermediários O Ring Podem ser colocadas em cavidades de secção retangular, triangular ou quadrada.

15 Junções Fixas por Elementos Intermediários O Ring Podem ser colocadas em cavidades de secção retangular, triangular ou quadrada. As dimensões dessas cavidades dependem do diâmetro da secção da guarnição. Tabelas

16 Junções Fixas por Elementos Intermediários O Ring Podem ser colocadas em cavidades de secção retangular, triangular ou quadrada. As dimensões dessas cavidades dependem do diâmetro da secção da guarnição.

17 Junções Móveis Direta Elementos Intermediários

18 Junções Móveis Direta São de alto custo. São sensíveis às mudanças de temperatura e não funcionam com fluidos de alta viscosidade devido à interferência no deslocamento das peças. Pequenas perdas de energia por atrito

19 Junções Móveis por Elementos Intermediários A vedação com elementos intermediários ou guarnições pode ser dos seguintes tipos: em câmara de estopa, de contato circular, de contato plano frontal, sem contato, ou com movimentos alternados.

20

21 Junções Móveis por Elementos Intermediários Câmara de Estopa: Gaxetas (estopas trançadas) Seção quadrada ou trapezoidal Devem ser flexíveis de modo que, com uma leve pressão, elas e amoldem ao eixo e à caixa de guarnição. Entre o eixo e a guarnição sempre ocorre atrito. Mas o atrito será reduzido se for usada uma guarnição adequada e lubrificada corretamente.

22 Junções Móveis por Elementos Intermediários Câmara de Estopa: Gaxetas

23 Junções Móveis por Elementos Intermediários Contato Circular

24 Junções Móveis por Elementos Intermediários Contato Circular Anéis de Vedação Esses anéis são empregados em elementos de máquina em movimento, Servem para proteger os mancais contra sujeira decorrente do uso. Um dos mais usados é o anel de feltro de seção trapezoidal.

25 Junções Móveis por Elementos Intermediários Contato Circular Anéis de Vedação Esses anéis são empregados em elementos de máquina em movimento, Servem para proteger os mancais contra sujeira decorrente do uso. Um dos mais usados é o anel de feltro de seção trapezoidal. São colocados entre eixos e cárters (ou coberturas) a fim de conter o lubrificante e impedir a penetração de pó ou outras impurezas.

26 Junções Móveis por Elementos Intermediários Contato Circular Anéis de Vedação

27 Anéis Torodais O Ring (OR)

28 Anéis Torodais O Ring (OR) H Ring (HR)

29 Anéis Torodais O Ring (OR) H Ring (HR) Sustentação (BK)

30 Anéis Torodais O Ring (OR) H Ring (HR) Sustentação (BK) Ring-flon

31 Anéis Torodais O Ring (OR) H Ring (HR) Sustentação (BK) Ring-flon Anéis de vedação mecânica

32 O Ring (OR) O funcionamento dessas guarnições se baseia na deformação que elas sofrem após a montagem em uma sede, com dimensão inferior à da guarnição. A deformação do anel cria uma ação de vedação, mesmo se o fluido não estiver sob pressão. Os fabricantes dos anéis OR dispõem de tabelas com todas as dimensões dos anéis e suas sedes de alojamento. Informam os detalhes para execução das concordâncias das sedes e as tolerâncias respectivas.

33 O Ring (OR) Exemplo: Vedação de Válvula

34 O Ring (OR) Exemplo: Roscas externas métricas ISO

35 H Ring (HR) São semelhantes aos anéis OR, com exceção da forma da seção, que se parece com um H. A principal vantagem dos anéis HR consiste no fato de que a forma de seção impede seu dobramento, garantindo, portanto, a vedação mesmo em condições fora do comum.

36 Anéis de Sustentação (BK) Evitar a extrusão dos anéis OR, provocada pela pressão. Os anéis de sustentação BK são arruelas de resina sintética lubriflon, aplicadas bem próximas das guarnições No caso de pressão agindo de um só lado do anel O Ring, é suficiente um anel de sustentação BK (ilustração a seguir, à esquerda), ao passo que se o OR está sujeito, alternadamente, a pressões de ambos os lados, será necessário usar dois anéis BK.

37 Anéis de Sustentação (BK)

38 Anéis Ring-flon Funcionam unidos com os anéis OR, e servem para os casos de movimentos alternados. São constituídos de anéis de seção em forma de C. São fabricados em lubriflon e usados tanto interna como externamente. Seu emprego é especialmente indicado para obtenção de uma redução do atrito entre elementos em movimento axial (cilindros, pistões, hastes de válvulas etc).

39 Anéis Ring-flon

40 Anéis de vedação mecânica São utilizados em elementos cilíndricos giratórios para a vedação de fluidos lubrificantes, óleos de transmissão e óleos emulsionáveis para corte dos metais. Normalmente, são constituídos de um corpo de borracha sintética, em armadura metálica e mola de compressão para perfeita vedação. O anel deve ser posicionado de maneira correta e precisam de lubrificação adequada.

41 Anéis de vedação mecânica

42 Anéis de vedação mecânica ANGUS

43 Anéis de vedação mecânica Ex. Distanciador com furo e engraxadeira.

44 Anéis de vedação mecânica Aplicação do anel de vedação para coxinetes a roletes.

45 Anéis de vedação mecânica Anel de vedação com arruela de apoio que permite suportar pressões de 7 a 10 kgf/cm2.

46 Anéis de vedação mecânica Aplicações

A tarefa do mecânico era a de vedar válvulas

A tarefa do mecânico era a de vedar válvulas A U A UL LA Junções II Introdução A tarefa do mecânico era a de vedar válvulas com anéis OR. Mas o mecânico ficou em dúvida quanto às dimensões dos anéis. Que fazer? Contou seu problema a um colega mais

Leia mais

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba

Elementos de máquina. Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase. Diego Rafael Alba E Curso de Tecnologia em Mecatrônica 6º fase Diego Rafael Alba 1 Conceitos VEDAÇÃO: Processo usado para impedir a passagem, de maneira estática ou dinâmica, de líquidos, gases e sólidos particulados (pó)

Leia mais

Foi pedido a um mecânico que vedasse

Foi pedido a um mecânico que vedasse A U A UL LA Junções I Introdução Foi pedido a um mecânico que vedasse injetores de motores diesel. Ele não sabia se a vedação deveria ser direta ou com elementos intermediários. Resolveu consultar o supervisor.

Leia mais

Introdução. Uma senhora foi devolver ao vendedor uma. e deslizantes, quando o movimento é de translação.

Introdução. Uma senhora foi devolver ao vendedor uma. e deslizantes, quando o movimento é de translação. A U A UL LA Introdução aos elementos de vedação Introdução Uma senhora foi devolver ao vendedor uma panela de pressão que tinha comprado há poucas semanas. Reclamando que a panela não prestava, queria

Leia mais

Aula 3: Extrusão e Trefilação Conceitos de Extrusão Conceitos de Trefilação

Aula 3: Extrusão e Trefilação Conceitos de Extrusão Conceitos de Trefilação Aula 3: Extrusão e Trefilação Conceitos de Extrusão Conceitos de Trefilação Extrusão é um processo de conformação plástica através do qual é reduzida ou modificada a seção transversal de um corpo metálico,

Leia mais

São quatro categorias básicas de mancais, quanto ao tipo de força de sustentação da carga do eixo, a saber:

São quatro categorias básicas de mancais, quanto ao tipo de força de sustentação da carga do eixo, a saber: 3 Mancais 3.1 Introdução As máquinas rotativas são dotadas de dois elementos básicos, entre outros importantes, para a execução de seu objetivo: rotor e mancais, (que suportam o rotor e os esforços a ele

Leia mais

Transmissão por correia e polia

Transmissão por correia e polia IFSP - instituto federal Nome: Yan Conrado Curso: automação industrial Período: noite Prontuário: 1310747 Transmissão por correia e polia São elementos de máquina que se movem com um movimento de rotação

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo IV Aula 03 Conjuntos O desenho de conjunto representa um grupo de peças montadas tais como: dispositivos, ferramentas, máquinas, motores, equipamentos

Leia mais

EPS Mancais Industriais Ltda

EPS Mancais Industriais Ltda Série SNH Série SNH 200 Mancal versátil, desenvolvido para trabalho com rolamento autocompensador de esfera séries 1200 e 200 ou autocompensador de rolo séries 22200 e 23200, onde o bloqueio do mesmo é

Leia mais

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas

Pinos e cupilhas. Pinos e cavilhas A U A UL LA Pinos e cupilhas Introdução Até agora você estudou rebites que constituem um dos principais elementos de fixação. Mas existem outros elementos que um mecânico deve conhecer como pinos, cavilhas

Leia mais

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores

Calibrador. Seguindo as diretrizes da empresa para implantar. Um problema. Medição indireta. Calibradores A UU L AL A Calibrador Seguindo as diretrizes da empresa para implantar um programa de qualidade e produtividade, um dos funcionários alertou o supervisor sobre a perda de tempo em medir um grande lote

Leia mais

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde.

A precisão e exatidão de medidas, a qualidade e acabamento superficial da peça são fatores amplamente dependentes do molde. Moldes Plástico. Na seqüência de desenvolvimento de uma peça injetada, desde o primeiro rascunho até a extração na máquina, o molde de injeção é o último elo, porém não é o menos importante. A precisão

Leia mais

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW

IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW IMETEX - SISTEMAS DE FIXAÇÃO - Flange de Fixação Série STW As flanges de fixação STW pertencem às uniões por meio de pressão, com a finalidade de unir cubos com eixos lisos. Este tipo de união transmite

Leia mais

Figura 1. Combustão externa: calor é produzido fora do motor em caldeiras.

Figura 1. Combustão externa: calor é produzido fora do motor em caldeiras. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO IT Departamento de Engenharia ÁREA DE MÁQUINAS E ENERGIA NA AGRICULTURA IT 154- MOTORES E TRATORES INTRODUÇÃO CONSTITUIÇÃO DOS MOTORES Carlos Alberto Alves

Leia mais

Elementos de Transmissão Correias

Elementos de Transmissão Correias Elementos de Transmissão Correias Prof. João Paulo Barbosa, M.Sc. Transmissão por polias e correias Transmissão por polias e correias As polias são peças cilíndricas, movimentadas pela rotação do eixo

Leia mais

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano. Prof. Jorge Nhambiu

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano. Prof. Jorge Nhambiu Motores Térmicos 9º Semestre 5º ano Aula 3 Componentes do Motor Cabeça; Bloco; Cárter; Válvulas; Árvore de Cames; Cambota; Pistão; Biela. 2 Constituição dos Motores O motor de combustão interna é um conjunto

Leia mais

Mangueiras Hidráulicas Média, Alta e Super Alta Pressão

Mangueiras Hidráulicas Média, Alta e Super Alta Pressão Mangueiras Hidráulicas Média, Alta e Super Alta Pressão PARKER 482TC PARKER 421SN PARKER 451TC PARKER 301SN PARKER 471TC PARKER 472TC PARKER 721 PARKER 781 PARKER P35 Índice visual Média, alta e super

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 08

PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 08 8 PROVA DE CONHECIMENTOS TÉCNICOS CÓD. 08 QUESTÃO 21: São tipos de manutenção: a) Preventiva, Corretiva, Preditiva b) Preventiva, Temporária, Corretiva c) Corretiva, Casual, Programada d) Previsiva, Corretiva,

Leia mais

Válvula Globo de Assento Angular, Metálica

Válvula Globo de Assento Angular, Metálica Válvula Globo de Assento Angular, Metálica Construção A válvula GEMÜ de / vias, acionada pneumaticamente, possui um atuador de pistão de alumínio de baixa manutenção. A vedação da haste ocorre por meio

Leia mais

Acesse:

Acesse: Segurando as pontas As operações de tornear superfícies cilíndricas ou cônicas, embora simples e bastante comuns, às vezes apresentam algumas dificuldades. É o que acontece, por exemplo, com peças longas

Leia mais

Aula 5 e 6: Capítulo 3. Eixos, árvores, mancais e guias. Luziane Barbosa

Aula 5 e 6: Capítulo 3. Eixos, árvores, mancais e guias. Luziane Barbosa Aula 5 e 6: Capítulo 3 Eixos, árvores, mancais e guias História Árvore: Elemento que gira transmitindo potência. Submetido à esforços de flexão. Exemplo de árvore O virabrequim transforma movimento circular

Leia mais

ROLAMENTOS FIXOS DE ESFERAS

ROLAMENTOS FIXOS DE ESFERAS B 4 ROLAMENTOS FIXOS DE ESFERAS ROLAMENTOS FIXOS DE UMA CARREIRA DE ESFERAS Tipo, Tipo Blindado e Tipo Vedado Tipo Diâmetro do Furo 10-240 mm... B8 Diâmetro do Furo 260-800 mm... B20 ROLAMENTOS DE ESFERAS

Leia mais

Rolamentos com duas fileiras. de esferas de contato radial 262

Rolamentos com duas fileiras. de esferas de contato radial 262 Rolamentos com duas fileiras de esferas Rolamentos com duas fileiras de esferas de contato radial 262 Definições e aptidões 262 Séries 262 Tolerâncias e jogos 262 Elementos de cálculo 263 Sufixos 263 Características

Leia mais

Motor de Pistões Radiais V JMDG Baixa rotação e alto torque

Motor de Pistões Radiais V JMDG Baixa rotação e alto torque Motor de Pistões Radiais V JMDG Baixa rotação e alto torque Introdução São motores de baixa rotação e altíssimo torque e que podem ser aplicados em várias áreas que exigem estas características. Podem

Leia mais

Utilizem sempre peças originais, para que possam ter garantida a performance e vida útil do seu equipamento. ALGODEN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA

Utilizem sempre peças originais, para que possam ter garantida a performance e vida útil do seu equipamento. ALGODEN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA ALGODEN INSTRUÇÕES GERAIS Antes de colocar em operação o equipamento, este deve funcionar em vazio durante algum tempo. Neste período deve se dar atenção nos diferentes pontos de lubrificação. Durante

Leia mais

Transmissão hidráulica de força e energia

Transmissão hidráulica de força e energia Líquidos Transmissão de força Intensificador de pressão Pressão em uma coluna de fluido Velocidade e vazão Tipos de fluxo Geração de calor Diferencial de pressão Transmissão Hidráulica de Força e Energia

Leia mais

Módulo 08 DESENHO TÉCNICO. Luiz Fontanella

Módulo 08 DESENHO TÉCNICO. Luiz Fontanella Módulo Luiz Fontanella 2 ÍNDICE SCRIÇÃO PÁG. ÍNDICE 2 ROSCAS 3 TIPOS 4 SENTIDO DIREÇÃO 4 NOMENCLATURA 5 ROSCAS TRIANGULARES 5 o ROSCA MÉTRICA 6 o ROSCA WHITWORTH 6 PARAFUSOS 7 PARAFUSOS PASSANTES 7 PARAFUSOS

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS

INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS INSTRUMENTAÇÃO EM PROCESSOS INDUSTRIAIS Válvulas de controle (funções, componentes, tipos e aplicações) Patrícia Lins de Paula 25/03/2012 154 VÁLVULAS São dispositivos destinados a estabelecer, controlar

Leia mais

VÁLVULAS HIDRÁULICAS E PNEUMÁTICAS. 1 Introdução. 2 Válvulas de controle direcional

VÁLVULAS HIDRÁULICAS E PNEUMÁTICAS. 1 Introdução. 2 Válvulas de controle direcional VÁLVULAS HIDRÁULICAS E PNEUMÁTICAS 1 Introdução Os cilindros pneumáticos, componentes para máquinas de produção, para desenvolverem suas ações produtivas, devem ser alimentados ou descarregados convenientemente,

Leia mais

Manual de montagem. Fecho I - Manual de montagem

Manual de montagem. Fecho I - Manual de montagem Manual de montagem SUMÁRIO. LISTA E PEÇAS...4 2. PROCESSO DE MONTAGEM...5 3. INDICAÇÕES... 4. INSTRUÇÃO DE MONTAGEM... 2 4.. Porta de madeira (abre para dentro)... 2 4.2. Porta de madeira (abre para fora)...

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES - APOIOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá

ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES - APOIOS. Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá ESTRUTURAS METÁLICAS LIGAÇÕES - APOIOS Prof. Alexandre Augusto Pescador Sardá LIGAÇÕES Edificações Ligações entre vigas; Ligações entre viga e coluna; Emenda de colunas; Emenda de vigas; Apoio de colunas;

Leia mais

a-) o lado a da secção b-) a deformação (alongamento) total da barra c-) a deformação unitária axial

a-) o lado a da secção b-) a deformação (alongamento) total da barra c-) a deformação unitária axial TRAÇÃO / COMPRESSÃO 1-) A barra de aço SAE-1020 representada na figura abaixo, deverá der submetida a uma força de tração de 20000 N. Sabe-se que a tensão admissível do aço em questão é de 100 MPa. Calcular

Leia mais

MANUAL DE PEÇAS MOTOR QUANCHAI QC385D

MANUAL DE PEÇAS MOTOR QUANCHAI QC385D MANUAL DE PEÇAS MOTOR QUANCHAI QC385D (TORRE DE ILUMINAÇÃO RPLT6000) 1 2 01 120001001 Junta do volante 1 02 120001002 Bucha 1 03 120001003 Parafuso 2 04 120001004 Arruela 2 05 120001005 Arruela 2 06 120001006

Leia mais

PROJETO DO TELESCÓPIO

PROJETO DO TELESCÓPIO PROJETO DO TELESCÓPIO EDER MARTIOLI DAS-INPE A v. d o s A s t ro n a u ta s, 1 7 5 8 t e l e f o n e : ( 1 2 ) 3 9 4 5-7 1 9 4 f a x : ( 1 2 ) 3 9 4 5-6 8 1 1 e d e r@ d a s. i n p e. b r Índice I. Lista

Leia mais

Válvula Globo de Assento Angular, Metálica

Válvula Globo de Assento Angular, Metálica Válvula Globo de Assento Angular, Metálica Construção A válvula GEMÜ de / vias, acionada pneumaticamente, possui um atuador pneumático de pistão em termoplástico. Dependendo do tamanho e do modelo, a vedação

Leia mais

Catálogo ZF - Veicular DEZ-2008 Figura Transmissão: 16S 2280 TO Iveco Nº ZF:

Catálogo ZF - Veicular DEZ-2008 Figura Transmissão: 16S 2280 TO Iveco Nº ZF: Figura 1 01.630.010 01.630.020 01.600 01.510 01.620 01.340 01.310 2 01.030 1 Carcaça 1316 201 110 01.140 4 Pino cilindrico 0731 201 563 01.200.010 1 Bujão 0636 304 049 01.200.020 1 Anel de vedação 0730

Leia mais

Exercícios de revisão fundamentos mecânicos

Exercícios de revisão fundamentos mecânicos 1. O desenho técnico é a ferramenta necessária para a interpretação e representação de um projeto, por ser o meio de comunicação entre a equipe de criação e a de fabricação (ou de construção); nesse contexto

Leia mais

Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo

Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo Buchas ETP O mecanismo de fixação ideal para todo tipo de conexões eixo e cubo As buchas ETP são mecanismos de fixação que, apesar de simples, tem tido sua eficiência comprovada através de anos de uso.

Leia mais

Bomba de engrenamento externo Tipo AZPF

Bomba de engrenamento externo Tipo AZPF P 10 01D/0.02 Substitui : 02.02 Edição rasil: 09.0 omba de engrenamento externo Tipo AZPF s nominais até Pressão máxima 20 bar (conforme TN) Volume de recalque até 22,9 cm Descrição de funcionamento, cortes

Leia mais

Apostila de Matemática II 3º bimestre/2016. Professora : Cristiane Fernandes

Apostila de Matemática II 3º bimestre/2016. Professora : Cristiane Fernandes Apostila de Matemática II 3º bimestre/2016 Professora : Cristiane Fernandes Pirâmide A pirâmide é uma figura geométrica espacial, um poliedro composto por uma base (triangular, pentagonal, quadrada, retangular,

Leia mais

PROPRIEDADES MECÂNICAS I Fundamentos

PROPRIEDADES MECÂNICAS I Fundamentos INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA PROGRAMA DE CIÊNCIA DOS MATERIAIS PROPRIEDADES MECÂNICAS I Fundamentos Propriedades dos Materiais Ten Cel Sousa Lima, D. C. SUMÁRIO Introdução Tensões e Deformações Ensaio

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA DEFINIÇÃO: COSSINETES São ferramentas de corte construídas de aço especial, com rosca temperada e retificada; é similar a uma porca, com cortes radiais dispostos convenientemente

Leia mais

Bomba de engrenagem externa Tipo F

Bomba de engrenagem externa Tipo F P 1 31/4.2 Substitui: 2.2 Bomba de engrenagem externa Tipo F Tamanhos Nominais 6 a22 Pressão operacional máxima 25 bar Volume de deslocamento até 22,9 cm 3 Bomba F Descrição de funcionamento, Corte A unidade

Leia mais

Sistemas de vedação I

Sistemas de vedação I Sistemas de vedação I A UU L AL A O óleo de mamona produzido numa indústria química começou a vazar na união de uma tubulação. O mecânico de manutenção bloqueou a tubulação e foi examinála. Constatou que

Leia mais

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA

TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA TORNEIRO MECÂNICO TECNOLOGIA FERRAMENTAS DE CORTE P/ TORNO (PERFIS E APLICAÇÕES) DEFINIÇÃO: São ferramentas de aço rápido ou de carboneto metálico, empregadas nas operações de torneamento, para cortar

Leia mais

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Damper tipo Borboleta

Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção. Damper tipo Borboleta Manual Técnico de Instalação, Operação e Manutenção Damper tipo Borboleta ISO 9001:2008 VENTEC AMBIENTAL EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES LTDA Rua André Adolfo Ferrari, nº 550 - Distrito Industrial Nova Era

Leia mais

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM:

EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: EX TARIFÁRIO BOMBA HIDRÁULICA VOLUMÉTRICA ALTERNATIVA DE PISTÕES AXIAIS NCM: 8413.50.90 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1. Montadora (repetir informação da Planilha de pleitos em excel): Komatsu 2. n Item (repetir

Leia mais

Hidráulica e Pneumática. Prof. Fagner Ferraz

Hidráulica e Pneumática. Prof. Fagner Ferraz Hidráulica e Pneumática Prof. Fagner Ferraz O que você entende por hidráulica? Pra que serve? Onde se aplica? 2 O termo Hidráulica derivou-se da raiz grega Hidro (água). Entendem-se por Hidráulica todas

Leia mais

Mecânica dos Fluidos. Aula 4 Teorema de Stevin e Princípio de Pascal. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues

Mecânica dos Fluidos. Aula 4 Teorema de Stevin e Princípio de Pascal. Prof. MSc. Luiz Eduardo Miranda J. Rodrigues ula 4 Teorema de Stevin e Princípio de Pascal Tópicos bordados Nesta ula Teorema de Stevin. Princípio de Pascal. Teorema de Stevin O teorema de Stevin também é conhecido por teorema fundamental da hidrostática

Leia mais

MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS

MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBULAÇÕES INDUSTRIAIS Instalações em Sistemas Industriais Profa. Roberta Leone Aula 04 MEIOS DE LIGAÇÃO Para que serve? Ligação tubo a tubo, ou a dispositivos, equipamentos tanques

Leia mais

Sistema Resistivo Diagrama de funcionamento Legendas

Sistema Resistivo Diagrama de funcionamento Legendas Sistema Resistivo Os sistemas tipo Resistivo podem ser empregados em máquinas de pequeno e médio porte que necessitem de uma lubrificação a óleo dosada e freqüente. Uma bomba de acionamento manual ou elétrico

Leia mais

2. Classificação, Descrição e Elementos Construtivos. 2.1 Definição e Classificação de Máquinas de Fluido

2. Classificação, Descrição e Elementos Construtivos. 2.1 Definição e Classificação de Máquinas de Fluido 2. Classificação, Descrição e Elementos Construtivos 2.1 Definição e Classificação de Máquinas de Fluido Uma máquina pode ser definida como um transformador de energia. Nas máquinas de fluido ocorre a

Leia mais

SEÇÃO 12 Synchro -Balance e Oscilação de Balanço do Contador

SEÇÃO 12 Synchro -Balance e Oscilação de Balanço do Contador SEÇÃO Synchro -Balance e Oscilação de Balanço do Contador ÍNDICE DA SEÇÃO Página Synchro -Balance Operação do Synchro--Balance... Operação do Sistema de Oscilação de Balanço do Contador... Modelos 70000,

Leia mais

Lubrificação de Motores e Redutores

Lubrificação de Motores e Redutores Lubrificação de Motores e Redutores Prof. Dr. João Candido Fernandes Luís Henrique Bonacordi Boccardo Vinicius Hernandes Kauê Vieira RA: 711901 611549 612261 Índice 1. Introdução 2. Tipos de óleos para

Leia mais

Propriedades do aço das cavidades

Propriedades do aço das cavidades Propriedades do aço das cavidades alta dureza (para boa resistência ao desgaste); boa polibilidade; alta resiliência (para suportar pressão de injeção); baixo coeficiente de dilatação térmica; alta condutividade

Leia mais

Marucel. Rua: Gonçalves de Barros, 776 R. Antonio Pereira Santos, nº 14. Fone (PABX): (0XX11) Fax: (0XX11)

Marucel. Rua: Gonçalves de Barros, 776 R. Antonio Pereira Santos, nº 14. Fone (PABX): (0XX11) Fax: (0XX11) FÁBRICA: ESCRITÓRIO/VENDAS: Rua: Gonçalves de Barros, 776 R. Antonio Pereira Santos, nº 14 CEP: 02943-000 - Jd.Cid.Pirituba CEP: 02944-020 - Jd.Cid.Pirituba São Paulo - SP Brasil São Paulo - SP - Brasil

Leia mais

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado.

5 CONDIÇÕES ESPECÍFICAS 5.1 Material: A armação da caixa deve ser feita com cantoneiras de aço-carbono, ABNT 1010 a 1020, laminado. 1 OBJETIVO Esta Norma padroniza as dimensões e estabelece as condições gerais e específicas da caixa de medição a ser utilizada para alojar TCs e TPs empregados na medição de unidades consumidoras do Grupo

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo IV Aula 02 Tolerância de forma e posição Símbolos, inscrições e interpretações sobre o desenho (norma ISO R 1101-1969) As tolerâncias de forma

Leia mais

Um mecânico recém-formado foi admitido

Um mecânico recém-formado foi admitido A U A UL LA Junções III Introdução Um mecânico recém-formado foi admitido para trabalhar numa indústria de máquinas agrícolas. O supervisor o encaminhou à área de montagem de comandos e sistemas hidráulicos.

Leia mais

Seção 13 SILENCIOSOS

Seção 13 SILENCIOSOS Seção 13 SILENCIOSOS Índice da seção Página Silenciosos Modelos das séries 85400, 115400, 185400 Silencioso padrão Remoção... 3 Modelos das séries 97700, 99700 Remoção... 4 Modelos da série104700 Remoção...

Leia mais

minor júpiter CATÁLOGO 2011/01A UNIÕES ROTATIVAS SÉRIE MULTIUSO

minor júpiter CATÁLOGO 2011/01A UNIÕES ROTATIVAS SÉRIE MULTIUSO minor UNIÕES ROTATIVAS SÉRIE MULTIUSO júpiter CATÁLOGO 2011/01A Uniões Rotativas JÚPITER Série Multiuso O catálogo Minor está de cara nova. Aqui, apresentamos parte de nossa linha de Uniões Rotativas Júpiter.

Leia mais

HIDRÁULICA 2/7/2007 1

HIDRÁULICA 2/7/2007 1 HIDRÁULICA 1 Introdução Vem se destacando e ganhando espaço como um meio de transmissão de energia nos mais variados segmentos do mercado. Áreas de automatização foram possíveis com a introdução da hidráulica

Leia mais

Opcionalmente, remover o volante soltando a porca de fixação, se necessário.

Opcionalmente, remover o volante soltando a porca de fixação, se necessário. Procedimento para Engaxetamento de haste de Válvulas 1. Objetivo Este procedimento estabelece as condições requeridas para a execução de engaxetamento de válvulas nos serviços de manutenção. Não é aplicável

Leia mais

ATUADORES DE CILINDRO PNEUMÁTICO SÉRIE AT1

ATUADORES DE CILINDRO PNEUMÁTICO SÉRIE AT1 ATUADORES DE CILINDRO PNEUMÁTICO SÉRIE AT1 Os atuadores WL Série AT1D, do tipo pistão de dupla ação e retorno por mola são projetados tanto para serviços de controle como on-off. As séries AT1D e AT1M

Leia mais

FABRICAÇÃO MECÂNICA. Introdução aos Processos de Fabricação / Fundição. Material 1 Coletânea de materiais sobre fundição (livros, apostilas e resumos)

FABRICAÇÃO MECÂNICA. Introdução aos Processos de Fabricação / Fundição. Material 1 Coletânea de materiais sobre fundição (livros, apostilas e resumos) 2010 FABRICAÇÃO MECÂNICA Introdução aos Processos de Fabricação / Fundição Material 1 Coletânea de materiais sobre fundição (livros, apostilas e resumos) Prof. Alexander 1/1/2010 1 - INTRODUÇÃO 2 3 2 -

Leia mais

MOTOR 4 LD 2500 / 4 LDG 2500

MOTOR 4 LD 2500 / 4 LDG 2500 MOTOR LD 500 / LDG 500 ÍNDICE A 5 6 Bloco do Motor Carcaça Tampa do Motor LD 500 Tampa do Motor LDG 500 Cabeçote Tampa do Cabeçote Conjunto Pistão LD 500 6A Conjunto Pistão LDG 500 7 8 9 0 5 6 7 8 9 0

Leia mais

Anexo 2 TABELA DE PREÇOS DE PEÇAS DE RECUPERAÇÃO DE INJEÇÕES DE DIESEL

Anexo 2 TABELA DE PREÇOS DE PEÇAS DE RECUPERAÇÃO DE INJEÇÕES DE DIESEL Anexo 2 TABELA DE PREÇOS DE PEÇAS DE RECUPERAÇÃO DE INJEÇÕES DE DIESEL BOSCH Referência Descrição da peça Valor 0261230081 SENSOR DE PRESSÃO 241,31 0281002118 VÁLVULA MAGNÉTICA 1.740,72 0281002149 VÁLVULA

Leia mais

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO

Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO Usinagem, beneficiamento e manutenção IMPORTADORA E EXPORTADORA DE EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS DE SANEAMENTO APRESENTAÇÃO EMPRESA A UBM Usinagem mantém o firme propósito de proporcionar aos seus clientes

Leia mais

Parafusos II. roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos.

Parafusos II. roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos. A UU L AL A Parafusos II Na aula anterior você teve noções gerais de roscas. Nesta e nas próximas aulas são apresentadas informações sobre parafusos. Introdução Parafusos Parafusos são elementos de fixação,

Leia mais

Acessórios de Lubrificação

Acessórios de Lubrificação Tampas de Protecção Tampas de Protecção Tampas de Protecção Massa Lubrificante Acessórios de Lubrificação Massa Lubrificante Massa de Super lítio multiuso - Cartucho de acordo com a norma DIN 1284 - Adequada

Leia mais

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS

III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS III CONSTRUÇÃO DOS SUPORTES DAS BOBINAS Serão construídos dois suportes, um para a bobina transmissora, o qual será fixado na barra do detector de metal em posição vertical e outro, para a bobina receptora

Leia mais

Caldeiras. Notas das aulas da disciplina de EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS. Equipamentos Industriais 1

Caldeiras. Notas das aulas da disciplina de EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS. Equipamentos Industriais 1 Caldeiras Notas das aulas da disciplina de EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS Equipamentos Industriais 1 Geradores com câmara de combustão Caldeiras Tipo de combustível sólido, líquido, gasoso, misto Fluido quente

Leia mais

Redutores planetários Alta Precisão Alta Velocidade

Redutores planetários Alta Precisão Alta Velocidade Código de compra SÉRIE AF APEX DYNAMICS BRASIL AF07-00 - S - P / MOTOR Tamanho do redutor Opção de eixo de saída: S: Eixo de saída liso S: Eixo de saída com chaveta Dados do motor: Fabricante e modelo

Leia mais

Válvula Globo metálica

Válvula Globo metálica Válvula Globo metálica Construção A válvula globo GEMÜ de 2/2 vias, acionada pneumaticamente, possui um robusto atuador de pistão de alumínio de baixa manutenção. A vedação da haste ocorre via pacote de

Leia mais

ETAPAS DO PROCESSO DE MOLDAGEM POR INJEÇÃO E PINCIPAIS COMPONENTES DE UMA INETORA

ETAPAS DO PROCESSO DE MOLDAGEM POR INJEÇÃO E PINCIPAIS COMPONENTES DE UMA INETORA ETAPAS DO PROCESSO DE MOLDAGEM POR INJEÇÃO E PINCIPAIS COMPONENTES DE UMA INETORA A UNIDADE INJETORA PRINCIPAIS FUNÇÕES: MOVIMENTAR-SE EM SUA BASE PERMITINDO SEUS MOVIMENTOS DE AVANÇO E RECUO GERAÇÃO DE

Leia mais

Paulo Moisés Almeida da Costa. As Máquinas Primárias

Paulo Moisés Almeida da Costa. As Máquinas Primárias Almeida da Costa As Máquinas Primárias Escola Superior de Tecnologia de Viseu - 1999 Estes pequenos apontamentos destinam-se a auxiliar os alunos no estudo das máquinas primárias utilizadas nos aproveitamentos

Leia mais

Cilindro com haste-guia miniatura

Cilindro com haste-guia miniatura Cilindro com haste-guia miniatura Série recisão no antigiro argura Altura Comprimento total : ±0,1 Montagem em 2 direções. Dois sensores magnéticos podem ser montados até mesmo para cursos. Fiação/tubulação

Leia mais

Lençóis Técnico de Borracha

Lençóis Técnico de Borracha Lençóis Técnicos de Borracha Os lençóis de borracha são laminados com características técnicas para atender às mais variadas necessidades industriais. Usados como componentes de produtos, podem ser transformados

Leia mais

Novos produtos. Fabricação de moldes IV / H 1080 para aperto de postiços NF

Novos produtos. Fabricação de moldes IV / H 1080 para aperto de postiços NF Novos produtos Fabricação de moldes IV / 2014 Catálogo em CD 5.8.4.0 Catálogo online Indo de encontro às suas necessidades e sugestões, ampliámos novamente a nossa gama de produtos. Desta forma, temos

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE ESCADA PANTOGRÁFICA PF-1603, PF-1604 E PF-1605 (PF-1603-GF, PF1604-GF E PF-1605-GF)

MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE ESCADA PANTOGRÁFICA PF-1603, PF-1604 E PF-1605 (PF-1603-GF, PF1604-GF E PF-1605-GF) MANUAL DE INSTALAÇÃO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE ESCADA PANTOGRÁFICA PF-1603, PF-1604 E PF-1605 (PF-1603-GF, PF1604-GF E PF-1605-GF) D ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 04 2. ESPECIFICAÇÕES DA ESCADA PANTOGRÁFICA 04

Leia mais

ARTIGOS. Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil

ARTIGOS. Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil fotolia.com ARTIGOS Spider Nut: solução inovadora para fi xação segura, econômica e fácil Dr. Ing. Mauro M. de Souza Juliano Savoy Paulo Cesar Sigoli Marcelo A. do C. Silva Elevadas cargas axiais aplicadas

Leia mais

JUNTAS PLANAS, NÃO METÁLICAS, PARA LIGAÇÕES

JUNTAS PLANAS, NÃO METÁLICAS, PARA LIGAÇÕES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA ET 429 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA LIGAÇÕES ROSCADAS ET 429 6 de Julho de 2007 Página 1 de 4 ÍNDICE Registo das revisões... 2 Preâmbulo... 3 1. Objectivo... 3 2. Âmbito... 3 3. Fabrico...

Leia mais

Válvula de retenção de disco, tipo "WAFER"

Válvula de retenção de disco, tipo WAFER 18/04/2013 Válvula de retenção de disco, tipo "WAFER" Válvula de retenção de disco oscilante tipo "WAFER" (possibilidade de fabrico com flanges, a pedido). Corpo em fundição de uma peça com forma cónica

Leia mais

Fuso de esferas compatível com o padrão DIN (DIN69051)

Fuso de esferas compatível com o padrão DIN (DIN69051) Modelos EBA, EBB, EBC, EPA, EPB e EPC Castanha Eixo parafuso Defletor Fig.1 Fuso de esferas de precisão compatível com o padrão DIN (DIN69051) Diagrama de seleção A Opcionais A Codificação A Precauções

Leia mais

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA - DETALHES

INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA - DETALHES INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUA FRIA - DETALHES 1. ALTURA DE SUCÇÃO (AS) - Desnível geométrico (altura em metros), entre o nível dinâmico da captação e o bocal de sucção da bomba. 2. ALTURA DE RECALQUE (AR)

Leia mais

AGN Vedações Hidráulica, Pneumática e Serviços Ltda.

AGN Vedações Hidráulica, Pneumática e Serviços Ltda. CIAGN 1022 (2011) AGN Vedações Hidráulica, Pneumática e Serviços Ltda. Índice página 1. Introdução 3 2. Compostos 3 3. Vedações do Êmbolo 4 3.1 - Vedação VC e VCB 47 3.2 - Vedação VG e VGB 11 4. Vedações

Leia mais

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL Aula 01 INTRODUÇÃO

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL Aula 01 INTRODUÇÃO CONTROLE DE QUALIDADE INDUSTRIAL A resistência dos materiais é um assunto bastante antigo. Os cientistas da antiga Grécia já tinham o conhecimento do fundamento da estática, porém poucos sabiam do problema

Leia mais

lubrificação Uma das máquinas da oficina estava aquecendo Conceitos básicos

lubrificação Uma das máquinas da oficina estava aquecendo Conceitos básicos Introdução à lubrificação A UU L AL A Uma das máquinas da oficina estava aquecendo demais. Depois de a examinarem, um dos funcionários descobriu que o colega encarregado da lubrificação estava usando óleo

Leia mais

Características AT UADORES PNEUMÁT ICOS. Atuadores pneumáticos em aço inox Microfundido simples efeito SR. Dados Técnicos. Condições de Operação

Características AT UADORES PNEUMÁT ICOS. Atuadores pneumáticos em aço inox Microfundido simples efeito SR. Dados Técnicos. Condições de Operação OMAL S.p.a. Via Ponte Nuovo, 11-25050 Rodengo Saiano (BS) ITALY Tel. +39 0308900145 - Fax +39 0308900423 Inscrição no registro das empresas de: Brescia numero 1661640175 Capital inicial investido: 500.000,00

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS ÁREA 1. Disciplina: Mecânica dos Sólidos MECSOL34 Semestre: 2016/02

LISTA DE EXERCÍCIOS ÁREA 1. Disciplina: Mecânica dos Sólidos MECSOL34 Semestre: 2016/02 LISTA DE EXERCÍCIOS ÁREA 1 Disciplina: Mecânica dos Sólidos MECSOL34 Semestre: 2016/02 Prof: Diego R. Alba 1. O macaco AB é usado para corrigir a viga defletida DE conforme a figura. Se a força compressiva

Leia mais

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico

Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Leitura e Interpretação de Desenho Técnico Mecânico Módulo I Aula 03 Linhas Para desenhar as projeções usa-se vários tipos de linhas. Vamos descrever algumas delas. Largura das linhas A relação entre as

Leia mais

CURSO TÉCNICO CAD/CAM ÓRGÃOS DE MÁQUINAS NUNO MIGUEL DINIS

CURSO TÉCNICO CAD/CAM ÓRGÃOS DE MÁQUINAS NUNO MIGUEL DINIS CURSO TÉCNICO CAD/CAM 2008-2009 ÓRGÃOS DE MÁQUINAS NUNO MIGUEL DINIS Este foi um dos módulos mais fáceis e divertidos que tivemos pois a matéria já era do meu conhecimento e já tinha tido experiência a

Leia mais

APLICAÇÕES. Você vê engrenagens em quase tudo que tem partes giratórias. Transmissão de carro. Redutor de velocidade. Relógios

APLICAÇÕES. Você vê engrenagens em quase tudo que tem partes giratórias. Transmissão de carro. Redutor de velocidade. Relógios APLICAÇÕES Você vê engrenagens em quase tudo que tem partes giratórias.. Transmissão de carro Redutor de velocidade Relógios 1 CURSO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DEFINIÇÃO: Engrenagens são rodas com dentes padronizados

Leia mais

Rebites II. Processos de rebitagem

Rebites II. Processos de rebitagem A UU L AL A Rebites II Você já tem uma noção do que é rebite e de como ele deve ser especificado de acordo com o trabalho a ser feito. Mas como você vai proceder, na prática, para fixar duas peças entre

Leia mais

Válvula de Diafragma, Metálica

Válvula de Diafragma, Metálica Válvula de Diafragma, Metálica Construção A válvula de diafragma GEMÜ de 2/2 vias, acionada pneumaticamente, possui um atuador de baixa manutenção. As seguintes funções de acionamento são disponíveis:

Leia mais

Aula 10 - Laminação. Para ter acesso a esse material acesse:

Aula 10 - Laminação. Para ter acesso a esse material acesse: Aula 10 - Laminação Para ter acesso a esse material acesse: http://professores.chapeco.ifsc.edu.br/keli Classificação Processos de Fabricação Processos de Fabricação Com remoção de cavaco Sem remoção de

Leia mais

VISTA 01 BC Nº CÓDIGO DESCRIÇÃO QTD TAMPA FRONTAL BRAÇO BC ARRUELA DIN M PARAF. CAB. PANELA M4 X TA

VISTA 01 BC Nº CÓDIGO DESCRIÇÃO QTD TAMPA FRONTAL BRAÇO BC ARRUELA DIN M PARAF. CAB. PANELA M4 X TA VISTA 01 BC 2600-3 Nº CÓDIGO DESCRIÇÃO QTD 1 2087 TAMPA FRONTAL BRAÇO BC 2600 1 2 5001 ARRUELA DIN M4 11 3 5023 PARAF. CAB. PANELA M4 X 8 15 4 2089 TAMPA SUPERIOR BRAÇO BC 2600 1 5 2090 TAMPA MESA CENTRAL

Leia mais

METALÚRGICA PIRACICABA LTDA Rua Eugênio Losso, CEP Distrito Industrial Unileste - Piracicaba/SP PABX (19) 3424.

METALÚRGICA PIRACICABA LTDA Rua Eugênio Losso, CEP Distrito Industrial Unileste - Piracicaba/SP PABX (19) 3424. M V M V M V METALÚRGICA IRACICABA LTDA Rua Eugênio Losso, 445 - CE 13422-180 Distrito Industrial Unileste - iracicaba/s ABX (19) 3424.4554 e-mail: mpvalvulas@mpvalvulas.com.br site: www.mpvalvulas.com.br

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ENGENHARIA QUÍMICA LOQ4085 OPERAÇÕES UNITÁRIAS I

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ENGENHARIA QUÍMICA LOQ4085 OPERAÇÕES UNITÁRIAS I UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ENGENHARIA QUÍMICA LOQ4085 OPERAÇÕES UNITÁRIAS I Profa. Lívia Chaguri E-mail: lchaguri@usp.br Conteúdo Bombas Parte 1 - Introdução - Classificação - Bombas sanitárias - Condições

Leia mais

Tolerância geométrica de forma

Tolerância geométrica de forma Tolerância geométrica de forma A UU L AL A Apesar do alto nível de desenvolvimento tecnológico, ainda é impossível obter superfícies perfeitamente exatas. Por isso, sempre se mantém um limite de tolerância

Leia mais