Gerenciamento de problemas: Um estudo de caso aplicado a PROCERGS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Gerenciamento de problemas: Um estudo de caso aplicado a PROCERGS"

Transcrição

1 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GOVERNANÇA E ESTRATÉGIA DE TI Gerenciamento de problemas: Um estudo de caso aplicado a PROCERGS Francisco José Paz Orientadora: Profª Edimara Mezzomo Luciano

2 AGENDA Introdução Situação problemática Justificativa Objetivos Método de pesquisa Coleta e análise de dados Resultados Considerações Finais

3 INTRODUÇÃO Visão Geral Realidade PROCERGS Estudos comparativos Gerenciamento de Problemas Necessidade de Melhoria dos Processos Metodologia ITIL

4 SITUAÇÃO PROBLEMÁTICA Incidentes e problemas são tratados da mesma forma no sistema (ocorrências) Registros sem padrão definido e categorização muito desatualizada Falta de consistências das informações (registros X categoria) Falta de histórico sobre as falhas encontradas e problemas resolvidos Perda de agilidade na resolução das falhas

5 SITUAÇÃO PROBLEMÁTICA Como utilizar as informações registradas nos incidentes para auxiliar na identificação e tratamento diferenciado de problemas?

6 JUSTIFICATIVA Atendimento de uma necessidade operacional contemplada nas demandas do GOP Agilidade na resolução e diagnóstico de problemas, diminuindo o tempo entre falhas Eficiência e eficácia na prestação dos serviços de TI e Telecomunicações Estudo do Gerenciamento de Problemas, tópico ainda não tratado

7 OBJETIVOS Geral Desenvolver uma sistemática e propor melhorias na identificação e tratamento dos problemas relacionados à TI da PROCERGS, considerando as boas práticas sugerida pelo ITIL.

8 OBJETIVOS Específicos Identificar a forma como os problemas são diagnosticados e resolvidos na PROCERGS Confrontar o cenário atual de diagnóstico e de resolução de problemas com as melhores práticas sugeridas pelo ITIL Sugerir melhorias dos processos ligados a resolução de problemas na PROCERGS

9 MÉTODO DE PESQUISA Análise de documentos (relatórios) Coleta de dados Análise dos dados Forma atual de tratamento de problemas Criar sistemática Resultados Identificação das áreas com mais volume de ocorrências e de problemas mais comuns Levantamento e análise das ocorrências das áreas selecionadas Classificação de ocorrências identificando 5 problemas mais freqüentes Comparação Entrevistas com técnicos Entrevistas: para identificar a forma utilizada pelos técnico para resolver os problemas ITIL Propor melhorias

10 COLETA DE DADOS (1) Análise de documentos (relatórios ) Coleta de dados Identificação das áreas com mais volume de ocorrências e de problemas mais comuns Levantamento e análise das ocorrências das áreas selecionadas Classificação de ocorrências identificando 5 problemas mais freqüentes Entrevistas com técnicos Entrevistas: para identificar a forma utilizada pelos técnico para resolver os problemas

11 COLETA DE DADOS (1) 1ª 1ª etapa Entrevistas - variáveis Público alvo: líderes de equipe que atendem ocorrências Áreas pesquisadas:campo, Interno, Windows, Linux e Conectividade Pergunta realizada: Quais são os principais problemas resolvidos pela equipe no dia-a-dia?

12 Equipes Conectividade Entrevistado TEC-07 Problema mais frequente Perda de conectividade BRT 10% do total de canais Perda de conectividade - outros reparos Internas TEC-04 Lentidão Teclado/mouse Video CPU Impressora Softwares/Sistemas operacionais Campo TEC-11 Problemas operacionais Softwares/Sistemas operacionais Erros Operacionais Problemas em impressoras Conectividade Windows TEC-12 Agentes de Backup/TNG Restore de dados (Solicitação) Envio e recebimento de mensagens Linux TEC-13 do Via-RS Problema de performace no servidor de Hospedagem Apontamento de DNS Lentidão de internet

13 COLETA DE DADOS (1) - Resultados Análise de de relatórios Total de ocorrências por equipe dos meses de setembro, outubro e novembro de Equipes set/06 out/06 nov/06 Média Windows Linux Interna Campo Conectividade Total de ocorrências

14 COLETA DE DADOS (1) Análise de documentos (relatórios) Coleta de dados Identificação das áreas com mais volume de ocorrências e de problemas mais comuns Levantamento e análise das ocorrências das áreas selecionadas Classificação de ocorrências identificando 5 problemas mais freqüentes Entrevistas com técnicos Entrevistas: para identificar a forma utilizada pelos técnico para resolver os problemas

15 COLETA DE DADOS (1) Análise do do sistema (RTP) Base do levantamento: Entrevistas + relatórios Período: meses de setembro, outubro e novembro de Equipes: Interna e Conectividade Amostra: 120 ocorrências por mês por equipe no período. Total = 720 ocorrências (42%) Informações desejadas: Primeiro momento: Problemas Segundo momento:solução

16 COLETA DE DADOS (1) - Resultados Equipe Conectividade - Problema Referências/ Problemas Outros Sem acesso Instável/lentidão/ perda pacotes Sem comunicação Média 3,65 6,00 13,00 97, % 3,2% 5,0% 10,8% 81,1% 100%

17 COLETA DE DADOS (1) - Resultados Equipe Interna - Problema Referências/ Problemas Outros Internet Inventário Rede Monitor Windows Impressora Estação Aplicativo Total Média 9 4,33 4,67 7,67 10,33 18,33 19,67 20,67 25, % 9% 4% 4% 6% 9% 15% 16% 17% 21% 100%

18 COLETA DE DADOS (1) - Resultados Equipe Conectividade - Soluções Soluções para problema "sem comunicação" Outros Reset no modem/roteador/firewall/equipamentos Problema na estação / equipamentos / sistema do cliente / rede interna Problema aleatório / não identificado Atendida pela Brasil Telecom (BrT) Total Média 10,0% 7,7% 12,3% 15,3% 54,7% 100%

19 COLETA DE DADOS (1) - Resultados Equipe Interna - Solução Windows (54) Limpeza geral/ajustes/anti-spyware/virus Aplicativos (74) Reinstalação/reconfiguração Estação (62) Substituição /memória/coolers/hd/outras partes Teclado/mouse substituido Impressora (59) Reinstalação/reconfiguração % 61% 27% 34% 27%

20 COLETA DE DADOS (1) - Análise Resumo da da análise do do sistema Em alguns casos é difícil identificar as ações tomadas para resolver o incidente(sem padrão) Dificuldade de levantar as informações do sistema (quantificar as ocorrências por tipo) Sistema não serve como base de conhecimento de problemas e soluções Dificuldade de gerar indicadores

21 COLETA DE DADOS (1) Análise de documentos (relatórios) Coleta de dados Identificação das áreas com mais volume de ocorrências e de problemas mais comuns Levantamento e análise das ocorrências das áreas selecionadas Classificação de ocorrências identificando 5 problemas mais freqüentes Entrevistas com técnicos Entrevistas: para identificar a forma utilizada pelos técnico para resolver os problemas

22 COLETA DE DADOS (1) 2ª 2ª etapa Entrevistas - variáveis Conectividade: Sem comunicação Interna: Windows, Aplicativos, Impressora e Estação Pergunta realizada: Qual o modelo lógico individual utilizado para identificar, diagnosticar e resolver o(s) problema(s) mais freqüente(s)?

23 COLETA DE DADOS (1) - Resultados Padrão lógico equipe interna - exemplo Windows Técnicos Passo 1 Passo 2 Passo 3 Passo 4 TEC-01 Verificar se carrega o SO Verif. Spywares, virus Reinstalação TEC-02 Software de verif. do SO Teste de hardware Reinstalação TEC-03 Mensagens de erro Coleta de infos Tentativa de recuperação Reinstalação TEC-04 Verificação de hardware reparar SO Reinstalação TEC-05 Backup dos arquivos Reinstalação TEC-06 Verificação de hardware verificar SO Verificar Spywares, virus Reinstalação

24 Padrão lógico equipe conectividade Sem conectividade TÉCNICO A TÉCNICO B TÉCNICO C TÉCNICO D Passo 1 Dados do chamado Verificar informaçoes da oco Verificação da dimensão do problema com o cliente Verificar problemas em equipentos no cliente Passo 2 Verificar equipamento de conectividade ponta PROCERGS Teste nos equipamentos no cliente Verificação dos equipamentos na parte da PROCERGS Reset nos equipamentos Passo 3 Verificar equipamentos de conectividade no cliente Verificar canal de comunicação Testes com o cliente nos equipamentos de conectividade Testes de conectividade com o cliente Passo 4 Testes nos equipamentos do cliente Testes nos equipamentos de conectividade ponta PROCERGS Ecaminhamento para campo ou brt ou informatica do cliente Identificação do problema Passo 5 Define problema Teste nos equipamentos no cliente Ecaminhamento para campo ou brt ou informatica do cliente Passo 6 Ecaminhamento para campo ou brt ou informatica do cliente Acionar BRT

25 COLETA DE DADOS (1) - Análise Equipe interna Menos experiente e mais rotativa; Possibilidades de solução e tipos de atendimentos mais variados ; Padrão lógico de diagnóstico e resolução de incidentes e problemas indefinido; Profundidade do diagnóstico se dá conforme a experiência do técnico.

26 COLETA DE DADOS (1) - Análise Equipe conectividade Mais experiente e menos rotativa Menos variação de tipos de atendimento com maior número de possibilidades de solução Maior padrão de solução e diagnóstico similar entre os técnicos da equipe Diagnósticos profundos e detalhados

27 SEM COMUNICAÇÃO FRAME-RELAY (somente Porto Alegre) 1 Encaminha Manutenção da Rede do cliente S INFORMAÇÕES: Rede IP Máscara N Link Interface up/up? ACIONA BRT Canal Roteador e Porta SLDD? N Verifica com o cliente se cabos e equipamentos S estão ligados Modem-router? S Interface N up/up? N S OK Solucionou? Modem e Roteador Separados S N Testes de Ping LAN e WAN ACIONA BRT Interface UP/DOWN N Ping Wan N? OK? S Interface S DOWN/DOWN Testes de LDL 1 com cliente S Canalizado? S Loop N N 2 Retorna? ACIONA BRT 3 S Roteador da S Telnet pela WAN PROCERGS? - verificação de Roteador OK? configuração, status da eth e cache de arp N N ACIONA BRT Encaminha Manutenção do Roteador pela PROCERGS (Acerto de configuração remotamente ou troca roteador se problema hardware) 2 Verifica: - Conexão Rede/Router Encaminha Manutenção - Hubs e Switches Problema N do Hardware: - Cabos e conexões Roteador - Placa Rede Micro - Placa Rede Micro? - Hubs ou Switches - Interface ETH Router - Cabeamento 3 S Encaminha Técnico Para conectar cabo Tem cabo entre Roteador e o Conectando canal BRT. (RCD ou Em POP? S Roteador ao DM. DM / RCD? N S Verifica Conexão de Cabos ACIONA BRT Na Sala Telecom PROCERGS

28 RESULTADOS Situação atual Conclusão das entrevistas Modelo identificado através da análise do sistema e nas entrevistas Recebimento do incidente Identificação do problema Registro de início de atendimento Testes Ação corretiva e/ou encaminhamento Registra o fim do atendimento e/ou encaminha incidente

29 ANÁLISE DOS DADOS (2) Análise dos dados Forma atual de tratamento de problemas Comparação ITIL

30 COMPARAÇÃO ENTRE GERENCIAMENTO DE PROBLEMAS E A PROCERGS

31 Conceituando Gerenciamento de Problemas Controle de Problemas: Identificação do problema e sua causa raiz Controle de Erros Monitoração e controle dos erros até a sua resolução

32 Atividade (ITIL) Identificação e registro dos problemas Classificação do problema Investigação e diagnóstico do problema RDM e Resolução e encerramento do problema Identificação e registro do erro Avaliação do erro Registro da resolução de erro Gerenciamento de Problemas Controle de Problemas Situação na PROCERGS Sistema sem suporte a registro ou identificação de problemas: não existem meios de registrar informações de forma que facilite a identificação de problemas a partir de incidentes. - Categorização em estágio inicial (a cargo do projeto de incidentes na PROCERGS) - Não há qualquer recurso para identificação de impacto, urgência e prioridade, essa função fica a cargo da experiência dos profissionais - Falta de procedimentos e de documentações que auxiliem no aprofundamento e padronização de investigação e diagnóstico - RDM: já existe sistema para cadastramento de RDM s - Resolução e encerramento de problemas: Incidentes e problemas possuem a mesma conotação no sistema da PROCERGS, não é feito diferenciação de ambos. Controle de Erros Erros conhecidos são identificados pela experiência individual ou da equipe e são registrados nos incidentes. Não existe procedimento nem forma de armazenamento dessas informações O erro é avaliado conforme a experiência do técnico. É registrado no sistema dentro do incidente em texto livre, sem possibilidade de buscar histórico automaticamente. - RDM: já existe sistema para cadastramento de RDM s Situação!!

33 RESULTADOS (3) Resultados Criar sistemática Propor melhorias

34 RESULTADOS (3) Estratégia Melhorar o tratamento das informações registradas nos incidentes + Propor um processo para tratar os problemas

35 Recebimento do incidente Gerenciamento de Incidentes Identificação da não conformidade Recebimento do incidente Identificação do problema Registro de início de atendimento Testes Ação corretiva e/ou encaminhamento Registra o fim do atendimento Gerenciamento e/ou de encaminha problemas incidente Registro de início de atendimento Testes Ação corretiva Fluxo existente Proposta de inclusão no fluxo Registro da não conformidade identificada Registro de testes Registro de ações Classificação / Categorização Encarra e/ou encaminha o incidente

36 RESULTADOS (3) Gerenciamento de Configuração Gerenciamento de Incidentes Funcionamento do do processo segundo ITIL Gerenciamento de Problemas Passo 1 Identificação do problema Controle de Erros Gerenciamento de Mudanças Passo 2 Classificação Controle de Problemas Passo 3 Investigação e diagnóstico Passo 4 Descoberta da Causa Raiz Passo 5 Identificação e registro do erro Passo 6 Avaliação do erro Passo 8 Passo 7 Registro da resolução do erro RDM Equipes de segundo a quarto nível de atendimento Encerramento do erro

37 RESULTADOS (3) Interação entre ferramentas Ferramenta de Gerenciamento de Mudanças (GMUD) Status da Mudança RDM Ferramenta de incidentes (RTP) Informações sobre os problemas Informações sobre os incidentes Ferramenta de Gerenciamento de Problemas Informações sobre os IC s Ferramenta de Gerenciamento de Configuração (GCO)

38 Informações sobre os IC s Inclusão do IC envolvido 1 Gerenciamento de Configurações Início Identificada repetição de uma não conformidade Informações sobre categoria Gerenciamento de Incidentes Abertura de um registro de problema e seleção do IC envolvido Conferência e registro da classificação Realização de investigação e diagnósticos Registro dos testes Identificada a Causa Raiz? Sim Necessita RDM? Não Registro dos testes 1 Testes e Dignósticos Não Sim Gerenciamento de Problemas Controle de Problemas Fim Registra resoluções Aplica a resolução Gerenciamento de Problemas Controle de Erros Registro da resolução do erro Avaliação do erro Identificação e registro do erro Fim Abertura de RDM Status da mudança Gerenciamento de Mudanças

39 CONSIDERAÇÕES FINAIS Contribuições para a empresa Análise da situação atual do tratamento de problemas Proposta de um processo de trabalho para o Gerenciamento de Problemas Subsídios para criação de um projeto de Gerenciamento de Problemas

40 CONSIDERAÇÕES FINAIS Contribuições para o Pesquisador Oportunidade de unir atividade profissional com acadêmica Desenvolver um dos assuntos abordados durante o curso de Pós-Graduação Aprofundar os conhecimentos sobre o tema

41 CONSIDERAÇÕES FINAIS Recomendações --Incidentes Manter um padrão de registro Criar base de conhecimento (procedimentos) Categorização adequada (atualizada) Link entre incidentes e problemas Reforçar entre as áreas a existência do Gestor de Incidentes (definir poderes)

42 CONSIDERAÇÕES FINAIS Recomendações --Problemas Definição e mapeamento do processo Definição de responsabilidades (dono do processo + áreas responsáveis por problemas) - evitar sobreposições Criação/definição de ferramenta baseada no controle de problemas e de erros Ligação de problemas com os outros processos Comunicação sobre o gerenciamento de problemas

43

44 PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CONTABILIDADE E ECONOMIA CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GOVERNANÇA E ESTRATÉGIA DE TI Gerenciamento de problemas: Um estudo de caso aplicado a PROCERGS Francisco José Paz Orientadora: Profª Edimara Mezzomo Luciano

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Princípios de Gerência de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2011 1 / 13 Introdução Foi mostrado que uma rede de computadores consiste

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 ÍNDICE Capítulo 1: Iniciando em redes Redes domésticas...3 Redes corporativas...5 Servidor...5 Cliente...6 Estação de

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Se você tem mais que um computador ou outros dispositivos de hardware, como impressoras, scanners ou câmeras, pode usar uma rede para compartilhar

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

Soluções em Documentação

Soluções em Documentação Desafios das empresas no que se refere à documentação de infraestrutura de TI Realizar e manter atualizado o inventário de recursos de Hardware e software da empresa, bem como a topologia de rede Possuir

Leia mais

I. RESUMO DE SERVIÇOS

I. RESUMO DE SERVIÇOS I. RESUMO DE SERVIÇOS Definição de Usuário Período de Vigência Serviços A) Orientação para Solução de Problemas ASSISTÊNCIA HELP DESK Entende-se por Usuário, o titular do plano contratado, desde que tenha

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E O que é roteamento e acesso remoto? Roteamento Um roteador é um dispositivo que gerencia o fluxo de dados entre segmentos da rede,

Leia mais

MRS. Monitoramento de Redes e Sistemas

MRS. Monitoramento de Redes e Sistemas MRS Monitoramento de Redes e Sistemas Origem Crescimento rede REGIN de 16 para 293 municípios. Diversidade de tipos de erros. Minimizar esforço e tempo humano gastos na detecção e eliminação de problemas.

Leia mais

Gerenciamento de Redes de Computadores. Resolução de Problemas

Gerenciamento de Redes de Computadores. Resolução de Problemas Resolução de Problemas É preciso que o tempo médio entre as falhas sejam o menor possível. É preciso que o tempo médio de resolução de um problema seja o menor possível Qualquer manutenção na rede tem

Leia mais

LIGANDO MICROS EM REDE

LIGANDO MICROS EM REDE LAÉRCIO VASCONCELOS MARCELO VASCONCELOS LIGANDO MICROS EM REDE Rio de Janeiro 2007 LIGANDO MICROS EM REDE Copyright 2007, Laércio Vasconcelos Computação LTDA DIREITOS AUTORAIS Este livro possui registro

Leia mais

APRESENTAÇÃO. A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX.

APRESENTAÇÃO. A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX. APRESENTAÇÃO A Advanta tem uma parceria de representação e comercialização do sistema de gerenciamento de redes convergentes da AI METRIX. AI METRIX é o nome original da empresa que desenvolveu o software

Leia mais

ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1

ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1 ITIL v3 - Operação de Serviço - Parte 1 É na Operação de Serviço que se coordena e realiza as atividades e processos necessários para fornecer e gerenciar serviços em níveis acordados com o usuário e clientes

Leia mais

gladiador INTERNET CONTROLADA

gladiador INTERNET CONTROLADA gladiador INTERNET CONTROLADA funcionalidades do sistema gladiador sistema Gerenciamento de usuários, gerenciamento de discos, data e hora do sistema, backup gladiador. Estações de Trabalho Mapeamento

Leia mais

ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER

ANEXO II PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER PERFIL DOS TÉCNICOS E ANALISTAS, FORMAÇÃO E ATIVIDADES A DESENVOLVER 1. FORMAÇÃO, CONHECIMENTO E HABILIDADES EXIGIDAS 1.1. PERFIL DE TÉCNICO EM INFORMÁTICA: 1.1.1.DESCRIÇÃO DO PERFIL: O profissional desempenhará

Leia mais

Projeto: Implantação de Sistema Objetivo

Projeto: Implantação de Sistema Objetivo Projeto: Implantação de Sistema Objetivo Permitir ao aluno o contato com sistemas de informação gerenciais e com algumas fases de implantação de sistemas, como, análise do sistema, definição da matriz

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS

TERMO DE REFERÊNCIA. Serviços de informática. Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS TERMO DE REFERÊNCIA Serviços de informática Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS 1 I VISITA IN LOCO No dia 24 de junho de 2014 na sede da Prefeitura Municipal de Vitória das Missões-RS realizamos

Leia mais

ONE Service Desk. O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo:

ONE Service Desk. O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo: ONE Service Desk O Service Desk ONE fornece uma infraestrutura de serviços de suporte ITIL completa, contendo: Gerenciamento de Incidentes Gerenciamento de Problemas Gerenciamento de Mudanças BDGC (Banco

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com

Gerência de Redes. Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Gerência de Redes Profa. Márcia Salomão Homci mhomci@hotmail.com Plano de Aula Histórico Introdução Gerenciamento de Redes: O que é Gerenciamento de Redes? O que deve ser gerenciado Projeto de Gerenciamento

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com

Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Prof. Marcelo Machado Cunha Parte 1 www.marcelomachado.com Conceito, características e classificação das Redes de Computadores; Topologias; Meios físicos de transmissão; Equipamentos de Rede; Segurança;

Leia mais

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br

A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI. Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br A Biblioteca: Gerenciamento de Serviços de TI Instrutor : Cláudio Magalhães E-mail: cacmagalhaes@io2.com.br 2 A Biblioteca ITIL: Information Technology Infrastructure Library v2 Fornece um conjunto amplo,

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI GERENCIAMENTO DE INCIDENTE

ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI GERENCIAMENTO DE INCIDENTE 1 ADMINISTRAÇÃO DE ATIVOS DE TI GERENCIAMENTO DE INCIDENTE 2 INTRODUÇÃO Tem por objetivo assegurar que, depois da ocorrência de um incidente, o serviço de TI afetado tenha restaurada a sua condição original

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br

REDES DE COMPUTADORES Prof. Ricardo Rodrigues Barcelar http://www.ricardobarcelar.com.br - Aula Complementar - EQUIPAMENTOS DE REDE 1. Repetidor (Regenerador do sinal transmitido) É mais usado nas topologias estrela e barramento. Permite aumentar a extensão do cabo e atua na camada física

Leia mais

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos

Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos Curso: Redes II (Heterogênea e Convergente) Tema da Aula: Roteadores Estaticos Professor Rene - UNIP 1 Introdução do capitulo Função do roteador Roteamento estático O roteador é um computador com uma finalidade

Leia mais

O que há aqui dentro, o que há lá fora

O que há aqui dentro, o que há lá fora Soluções em Gerenciamento Out-of-band REDES O que há aqui dentro, o que há lá fora Neste artigo, as abordagens tradicionais de monitoramento, manutenção e restauração de ativos de TI são questionadas;

Leia mais

Serviço HP StoreEasy 1000/3000 and X1000/3000 Network Storage Solution Installation and Startup

Serviço HP StoreEasy 1000/3000 and X1000/3000 Network Storage Solution Installation and Startup Serviço HP StoreEasy 1000/3000 and X1000/3000 Network Storage Solution Installation and Startup HP Technology Services O serviço HP StoreEasy 1000/3000 and X1000/3000 Network Storage Solution fornece a

Leia mais

Documentos: Implementação de melhores práticas de solução de problemas de TI

Documentos: Implementação de melhores práticas de solução de problemas de TI Documentos: Implementação de melhores práticas de solução de problemas de TI Você pode aguardar o número de bilhetes de defeitos e o tempo para encerrar o bilhete e declinar à medida que a tecnologia de

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1

Equipamentos de Rede. Prof. Sérgio Furgeri 1 Equipamentos de Rede Repetidor (Regenerador do sinal transmitido)* Mais usados nas topologias estrela e barramento Permite aumentar a extensão do cabo Atua na camada física da rede (modelo OSI) Não desempenha

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE REDES E FIREWALL

CONCEITOS BÁSICOS DE REDES E FIREWALL Secretaria Municipal de Educação SME Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação CTIC Núcleo de Tecnologia Municipal NTM CONCEITOS BÁSICOS DE REDES E FIREWALL Amauri Soares de Brito Mário Ângelo

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS

REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS REDES DE COMPUTADORES HISTÓRICO E CONCEITOS BREVE HISTÓRICO A década de 60 Surgiram os primeiros terminais interativos, e os usuários podiam acessar o computador central através de linhas de comunicação.

Leia mais

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO TR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL REQUISITOS MÍNIMOS DE QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DOS PROFISSIONAIS QUE DEVERÃO COMPOR AS EQUIPES TÉCNICAS PREVISTAS NESSA CONTRATAÇÃO PARA AMBOS OS LOTES. QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III

APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III APOSTILA DE REDES DE COMPUTADORES PARTE - III 1 REDE DE COMPUTADORES III 1. Introdução MODELO OSI ISO (International Organization for Standardization) foi uma das primeiras organizações a definir formalmente

Leia mais

Gestão de Serviços Suporte (Concentra-se na execução do dia-a-dia e no suporte a serviços de TI)

Gestão de Serviços Suporte (Concentra-se na execução do dia-a-dia e no suporte a serviços de TI) Introdução ao ITIL ITIL de Serviços Suporte (Concentra-se na execução do dia-a-dia e no suporte a serviços de TI) Service-Desk de Configurações de Incidentes de Problemas de Alterações de Versões de Serviços

Leia mais

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15

1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES...15 1.1 INTRODUÇÃO À GERÊNCIA DE REDES DE COMPUTADORES...16 1.2 O PAPEL DO GERENTE DE REDES...18 1.3 VOCÊ: O MÉDICO DA REDE...20 1.4 REFERÊNCIAS...23 1.4.1 Livros...23

Leia mais

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750

Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Roteador Load-Balance / Mikrotik RB750 Equipamento compacto e de alto poder de processamento, ideal para ser utilizado em provedores de Internet ou pequenas empresas no gerenciamento de redes e/ou no balanceamento

Leia mais

SENAI DR-BA ÁREA TECNOLÓGICA REDES E TELECOMUNICAÇÕES DESCRITIVO DE CURSO

SENAI DR-BA ÁREA TECNOLÓGICA REDES E TELECOMUNICAÇÕES DESCRITIVO DE CURSO SENAI DR-BA ÁREA TECNOLÓGICA REDES E TELECOMUNICAÇÕES DESCRITIVO DE CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO Título do Curso: Montador e Reparador de Computadores Ocupação: 7311-10 - Montador de computadores e equipamentos

Leia mais

Gerenciamento de Incidentes - ITIL. Prof. Rafael Marciano

Gerenciamento de Incidentes - ITIL. Prof. Rafael Marciano Gerenciamento de Incidentes - ITIL Prof. Rafael Marciano Conteúdo Objetivos Conceitos e Definições Atividades Indicadores Chaves de Desempenho Papéis Desafios Um pouco sobre a certificação ITIL Foundations

Leia mais

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Apresentação Portfólio de Serviços e Produtos da WebMaster Soluções. Com ele colocamos à sua disposição a Tecnologia que podemos implementar em sua empresa.

Leia mais

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s:

Rede d s d e d Com o pu p t u ado d r o es Conceitos Básicos M d o e d los o de d Re R de d s: Tecnologia em Redes de Computadores Redes de Computadores Professor: André Sobral e-mail: alsobral@gmail.com Conceitos Básicos Modelos de Redes: O O conceito de camada é utilizado para descrever como ocorre

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

SERPRO Serviço Federal de Processamento. Gerenciamento das Redes Locais no SERPRO. Jones Lamanna Tesser jones.tesser@serpro.gov.br

SERPRO Serviço Federal de Processamento. Gerenciamento das Redes Locais no SERPRO. Jones Lamanna Tesser jones.tesser@serpro.gov.br Capítulo 1 SERPRO Instituição: Sítio: Caso: Responsável: Palavras- Chave: SERPRO Serviço Federal de Processamento de Dados www.serpro.gov.br Gerenciamento das Redes Locais no SERPRO. Jones Lamanna Tesser

Leia mais

Funcionalidades do Citsmart Apresenta as principais funcionalidades do Citsmart.

Funcionalidades do Citsmart Apresenta as principais funcionalidades do Citsmart. Apresenta as principais funcionalidades do Citsmart. Versão 1.0 20/01/2014 Visão Resumida Data Criação 20/01/2014 Versão Documento 1.0 Projeto Responsáveis Revisores Aprovador Citsmart - Plataforma Inteligente

Leia mais

agillize INFORMÁTICA APRESENTAÇÃO

agillize INFORMÁTICA APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO Alguns de Nossos Clientes e Parceiros Tecnologias Algumas tecnologias e certificações que consolidam a qualidade de nossos projetos Apresentação - Agillize Informática A Agillize Informática

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

ASSISTÊNCIA BB PROTEÇÃO MÓDULO INFORMÁTICA Manual do Associado

ASSISTÊNCIA BB PROTEÇÃO MÓDULO INFORMÁTICA Manual do Associado ASSISTÊNCIA BB PROTEÇÃO MÓDULO INFORMÁTICA Manual do Associado OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SÃO PRESTADOS PELA BRASIL ASSISTÊNCIA S.A., CNPJ: 68.181.221/0001-47 ASSISTÊNCIA BB PROTEÇÃO Ao necessitar de algum

Leia mais

Projeto e Implantação de Servidores

Projeto e Implantação de Servidores SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL PROGRAMA NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO TÉCNICO E EMPREGO SISTEMA DE SELEÇÃO USINICADA DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA Projeto

Leia mais

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012

Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 Por Érica Barcelos Fevereiro, 2012 2 INTRODUÇÃO Com a informatização dos sistemas nas empresas veio também o aumento da competitividade e isso fez com que a qualidade dos serviços fosse questionada. O

Leia mais

Gerência e Administração de Redes

Gerência e Administração de Redes Gerência e Administração de Redes IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm Agenda! Apresentação da disciplina! Introdução! Tipos de Gerência! Ferramentas

Leia mais

OPERAÇÃO DE SERVIÇO ITIL FOUNDATION V3 Conteúdo deste resumo deve ser contemplado com a leitura do livro ITIL Service Operation

OPERAÇÃO DE SERVIÇO ITIL FOUNDATION V3 Conteúdo deste resumo deve ser contemplado com a leitura do livro ITIL Service Operation OPERAÇÃO DE SERVIÇO ITIL FOUNDATION V3 Conteúdo deste resumo deve ser contemplado com a leitura do livro ITIL Service Operation Manter o serviço em operação É o dia a dia dos profissionais de TI. Impactos

Leia mais

Equipamentos de rede. Repetidores. Repetidores. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br

Equipamentos de rede. Repetidores. Repetidores. Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br 1 Equipamentos de rede Prof. Leandro Pykosz Leandro@sulbbs.com.br Repetidores É o dispositivo responsável por ampliar o tamanho máximo do cabeamento de rede; Como o nome sugere, ele repete as informações

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO TRIBUNAL DE JUSTIÇÃO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Unidade Responsável: Coordenadoria de Tecnologia da Informação - CTI

ESTADO DE MATO GROSSO TRIBUNAL DE JUSTIÇÃO DO ESTADO DE MATO GROSSO. Unidade Responsável: Coordenadoria de Tecnologia da Informação - CTI ESTADO DE MATO GROSSO TRIBUNAL DE JUSTIÇÃO DO ESTADO DE MATO GROSSO INSTRUÇÃO NORMATIVA STI Nº 02/2011 Versão: 01 Publicação: DJE nº xxxx em / / Unidade Responsável: Coordenadoria de Tecnologia da Informação

Leia mais

NORMA ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DE T.I.

NORMA ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DE T.I. ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DE T.I. Data: 17 de dezembro de 2009 Pág. 1 de 8 SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. INTRODUÇÃO 3 2. FINALIDADE 3 3. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3 4. ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DE T.I. 4 4.1. Diretrizes:

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Redes e Conectividade

Redes e Conectividade Redes e Conectividade Camada de enlace: domínio de colisão e domínio de broadcast, segmentação, modos de switching para encaminhamento de quadros Versão 1.0 Março de 2016 Prof. Jairo jairo@uninove.br professor@jairo.pro.br

Leia mais

HP Router Basic Implementation

HP Router Basic Implementation HP Router Basic Implementation Dados técnicos O HP Router Basic Implementation tem como objetivo, baseado na entrevista para coleta de informações junto a equipe designada pelo cliente, realizar a instalação

Leia mais

ESPECIFICANDO ITENS DO SUPORTE

ESPECIFICANDO ITENS DO SUPORTE ESPECIFICANDO ITENS DO SUPORTE RUA DO BOM PASTOR, 47; Sala 202; IPUTINGA RECIFE - PE CEP: 50670-260 - CNPJ: 14.668.041/0001-65 Fone: +55 (81) 3048-5649 / +55 (81) 4102-0316 Fax: +55 (81) 3048-5649 Email:

Leia mais

SOLUÇÕES EMPRESARIAS SERVIDORES TERMINAL SERVER SERVIDOR PROXY INSTALAÇÃO DE CAMERAS PARA EMPRESAS

SOLUÇÕES EMPRESARIAS SERVIDORES TERMINAL SERVER SERVIDOR PROXY INSTALAÇÃO DE CAMERAS PARA EMPRESAS feedbackari.com SOLUÇÕES EMPRESARIAS SERVIDORES TERMINAL SERVER SERVIDOR PROXY INSTALAÇÃO DE CAMERAS PARA EMPRESAS MANUTENÇÃO EM COMPUTADORES CONFIRA NOSSOS PRINCIPAIS SERVIÇOS PARA O SEU MICROCOMPUTADOR

Leia mais

Nome do Curso: Técnico em Informática. Nome da Disciplina: Redes de Computadores. Número da Semana: 2. Nome do Professor: Dailson Fernandes

Nome do Curso: Técnico em Informática. Nome da Disciplina: Redes de Computadores. Número da Semana: 2. Nome do Professor: Dailson Fernandes Nome do Curso: Técnico em Informática Nome da Disciplina: Redes de Computadores Número da Semana: 2 Nome do Professor: Dailson Fernandes Elementos da Comunicação Protocolos Regras Padrões Controle Possibilitam

Leia mais

Protocolos de Redes Revisão para AV I

Protocolos de Redes Revisão para AV I Protocolos de Redes Revisão para AV I 01 Aula Fundamentos de Protocolos Conceituar protocolo de rede; Objetivos Compreender a necessidade de um protocolo de rede em uma arquitetura de transmissão entre

Leia mais

GUIA DE MELHORES PRATICAS NA AREA DE TI

GUIA DE MELHORES PRATICAS NA AREA DE TI GUIA DE MELHORES PRATICAS NA AREA DE TI Ambiente Windows Small Business Rev 10501 DATA : 5 / 07/ 2007 Pag : 1 de7 1) Servidores a) Hardware o Servidor Alocado em Rack Fechado em ambiente reservado e refrigerado

Leia mais

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1)

O modelo ISO/OSI (Tanenbaum,, 1.4.1) Cenário das redes no final da década de 70 e início da década de 80: Grande aumento na quantidade e no tamanho das redes Redes criadas através de implementações diferentes de hardware e de software Incompatibilidade

Leia mais

Modulo 3. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados

Modulo 3. Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados Modulo 3 Professor: Leandro Engler Boçon E-mail: leandro@facear.edu.br Disciplina: Comunicação de dados 1 Protocolo ARP Address Resolution Protocol 2 IP utiliza endereços de 32 bits para localização de

Leia mais

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Firewall. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviços de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Firewall (definições) Por que do nome firewall? Antigamente, quando as casas

Leia mais

TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES

TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES SOBRE O CURSO Redes de computadores são fundamentais para as corporações garantirem agilidade na troca de informações e arquivos. Portanto, o tecnólogo de Rede de Computadores

Leia mais

FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe

FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe 1 FANESE Faculdade de Administração e Negócios de Sergipe ITIL V2 Service Support Aracaju, Setembro de 2009 EDUARDO DA PAIXÃO RODRIGUES LUCIELMO DE AQUINO SANTOS 2 ITIL V2 Service Support Trabalho de graduação

Leia mais

DHCP - ESAF. 1- Prova: ESAF - 2005 - SET- RN - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual - Prova 2

DHCP - ESAF. 1- Prova: ESAF - 2005 - SET- RN - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual - Prova 2 DHCP - ESAF 1- Prova: ESAF - 2005 - SET- RN - Auditor Fiscal do Tesouro Estadual - Prova 2 Um protocolo é um conjunto de regras e convenções para envio de informações em uma rede. Essas regras regem, além

Leia mais

HP Router Advanced Implementation

HP Router Advanced Implementation HP Router Advanced Implementation Dados técnicos O HP Router Advanced Implementation tem como objetivo, baseado na entrevista para coleta de informações junto ao Cliente e na análise dos equipamentos existente,

Leia mais

ASSISTÊNCIA HELP DESK REMOTO Manual do Associado OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SÃO PRESTADOS PELA USS SOLUÇÕES GERENCIADAS S.A. CNPJ: 01.979.

ASSISTÊNCIA HELP DESK REMOTO Manual do Associado OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SÃO PRESTADOS PELA USS SOLUÇÕES GERENCIADAS S.A. CNPJ: 01.979. ASSISTÊNCIA HELP DESK REMOTO Manual do Associado OS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA SÃO PRESTADOS PELA USS SOLUÇÕES GERENCIADAS S.A. CNPJ: 01.979.936/0001-79 ASSISTÊNCIA HELP DESK REMOTO Ao necessitar de algum

Leia mais

Redes de Computadores. Professor MSc Wylliams Barbosa Santos wylliams.wordpress.com wylliamss@gmail.com

Redes de Computadores. Professor MSc Wylliams Barbosa Santos wylliams.wordpress.com wylliamss@gmail.com Redes de Computadores Professor MSc Wylliams Barbosa Santos wylliams.wordpress.com wylliamss@gmail.com Agenda Introdução a Rede de Computadores Classificação Tipos de Redes Componentes de Rede Internet,

Leia mais

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Conceitos Básicos de Redes: parte 1 Neste roteiro são detalhados os equipamentos componentes em uma rede de computadores. Em uma rede existem diversos equipamentos que são responsáveis por fornecer

Leia mais

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte)

Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) 1 Aula pratica 4 Testar Conexões TCP/IP em Redes Industrias Usando os comandos Ping e Net View (1.a Parte) Objetivo: Esta aula tem como objetivo apresentar aos alunos como testar a conectividade de uma

Leia mais

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways

Equipamentos de Redes. Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Equipamentos de Redes Placas de Rede, Repetidores, Hubs, Pontes,, Switches, Roteadores, Gateways Placas de Rede Placas de Rede Preparação dos quadros para que possam ser enviados pelos cabos. A placa de

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

Serviços Técnicos de Campo

Serviços Técnicos de Campo Serviços Técnicos de Campo Advanta possui um amplo portfólio de serviços técnicos de campo disponível em todo o território nacional por meio de seu corpo técnico especializado. As competências multi-vendor

Leia mais

Inclusão Digital. Marcos Sunye. Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL/UFPR

Inclusão Digital. Marcos Sunye. Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL/UFPR Inclusão Digital Marcos Sunye Centro de Computação Científica e Software Livre C3SL/UFPR INCLUSÃO DIGITAL Desafios da Inclusão Digital Experiência do C3SL/UFPR Integração Governo do Paraná MEC MC Desafios

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências Agrarias

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências Agrarias ATIBUIÇÕES DO SETOR DE INFORMÁTICA Segue abaixo as atribuições atualizadas da Comissão de Informática do SETOR AGRÁRIAS: 1. Manter e verificar os equipamentos de informática ligados ao campus, bem como,

Leia mais

DHCP com IP Amarrado ao MAC e Filtro de MAC nos Switches

DHCP com IP Amarrado ao MAC e Filtro de MAC nos Switches DHCP com IP Amarrado ao MAC e Filtro de MAC nos Switches Ricardo Boamorte Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, Abril de 2010 Resumo A estrutura

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

Exercícios: CCNA 1 Módulo 2 Exploration v4.0 Questões:

Exercícios: CCNA 1 Módulo 2 Exploration v4.0 Questões: Exercícios: CCNA 1 Módulo 2 Exploration v4.0 Questões: 1. Quais são as duas camadas do modelo OSI tem as mesmas funções que o modelo TCP / IP de acesso à Camada Rede? (Escolha dois.) a) Rede b) Transportes

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

Gerência de Redes Ferramentas de Gerência

Gerência de Redes Ferramentas de Gerência Gerência de Redes Ferramentas de Gerência Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Ferramentas de Gerência Ferramentas necessárias para cada uma das áreas de gerenciamento (FCAPS).

Leia mais

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014

PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA Outubro de 2014 DIVISÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - DTI PLANO DIRETOR DE INFORMÁTICA - 1 SUMÁRIO 1. OBJETIVOS 2. CENÁRIO ATUAL DE TI 2.1. AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DO CENÁRIO

Leia mais

QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME

QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME QUESTIONAMENTO FORMULADO POR EMPRESA INTERESSADA NO CERTAME Pregão n 062/2009 Lote 1: Lote 2: Operação, Gerenciamento de Redes, Servidores, Storage & Archive, Directory Services. Administração de Banco

Leia mais

Rede Corporativa. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro. Introdução

Rede Corporativa. Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro. Introdução Tutorial 10 mar 2009 Fabio Montoro Rede Corporativa Introdução Rede corporativa é um sistema de transmissão de dados que transfere informações entre diversos equipamentos de uma mesma corporação, tais

Leia mais

HELP DESK 2. SERVIÇOS. 2.1. Help Desk Microcomputadores (Desk top e lap top)

HELP DESK 2. SERVIÇOS. 2.1. Help Desk Microcomputadores (Desk top e lap top) 1. OBJETIVO DO SERVIÇO Com a Assistência Informática - Help Desk, você tem o auxílio completo para a instalação e manutenção de seus computadores, games, celulares, tablets, etc, que trazem mais facilidade

Leia mais

ITIL. Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

ITIL. Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br ITIL Fundamentos do Gerenciamento de Serviços de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Objetivo Prover uma visão geral sobre Gerenciamento de Serviços de TI: Conceito; Desafios; Estrutura; Benefícios;

Leia mais

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Índice 1 Introdução... 4 Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Verificação dos itens recebidos... 6 Painel Frontal... 7 Painel Traseiro... 8 3 Conectando o

Leia mais

Registro e Acompanhamento de Chamados

Registro e Acompanhamento de Chamados Registro e Acompanhamento de Chamados Contatos da Central de Serviços de TI do TJPE Por telefone: (81) 2123-9500 Pela intranet: no link Central de Serviços de TI Web (www.tjpe.jus.br/intranet) APRESENTAÇÃO

Leia mais

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes

Uc-Redes Técnico em Informática André Luiz Silva de Moraes Roteiro 2: Conceitos Básicos de Redes: parte 1 Neste roteiro são detalhados os equipamentos componentes em uma rede de computadores. Em uma rede existem diversos equipamentos que são responsáveis por fornecer

Leia mais

Módulo de Gestão aplicada à TIC Curso Técnico de Informática Aulas 05 e 06. Prof. Amadeu Campos

Módulo de Gestão aplicada à TIC Curso Técnico de Informática Aulas 05 e 06. Prof. Amadeu Campos Módulo de Gestão aplicada à TIC Curso Técnico de Informática Aulas 05 e 06 Prof. Amadeu Campos FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA GESTÃO DA INFORMATIZAÇÃO EMPRESARIAL Competências a serem trabalhadas

Leia mais

EXIN IT Service Management Foundation based on ISO/IEC 20000

EXIN IT Service Management Foundation based on ISO/IEC 20000 Exame simulado EXIN IT Service Management Foundation based on ISO/IEC 20000 Edição Novembro 2013 Copyright 2013 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais