DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5"

Transcrição

1 DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 Alex de Andrade Catini¹, Tiago Piperno Bonetti¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil Resumo: Este trabalho contém uma análise científica sobre a linguagem de desenvolvimento Web HTML5 que surgiu por conta de um grande problema enfrentado pelos desenvolvedores e fabricantes de navegadores, tendo por base mostrar as suas funções e suas utilizações. Para seu desenvolvimento realizamos uma revisão, que permitiu ate o momento concluir que após a sua criação e utilização, muitas das funções antes feitas por aplicações de terceiros são agora tratadas nativamente e trazendo uma estética junto ao código. 1. Introdução O HTML5 apresenta diversas funcionalidades que tem o importante papel de ajudar na evolução da padronização esperada, que é definida pela da W3C (World Wide Web Consortium), entidade essa que define os padrões de comportamentos dos navegadores, que segundo a mesma tem como missão: Conduzir a Web para que atinja todo seu potencial, desenvolvendo protocolos e diretrizes que garantam seu crescimento de longo prazo. Como muitos dos navegadores ainda não seguem a padronização e com a crescente necessidade do uso de recursos, muitos desses navegadores recorre ao uso de plug-ins que são usados para realizar funções, mas que não são nativos e não seguem padrões definidos, eis então que para suprir esta falta de padronização e agregar novas funcionalidades a uma nova internet, surge o HTML5 [Schroeder, 2012]. Desde os primórdios do surgimento dos navegadores, já houve a necessidade de realizar determinadas tarefas nas próprias páginas da Web, e com isso surgiram se os chamados plug-ins, que são nada mais do que extensões que permitem a realização das tarefas que hoje nos meados do século 21 são funções básicas, tais como: ver vídeos, ouvir músicas, ler revistas e artigos on-line, jogas games entre outras. Mas os chamados plug-ins muitas vezes consomem uma grande quantidade de recursos das máquinas, pois por suas tecnologias não serem incorporadas aos navegadores, acaba que estes, por sua vez, não trabalham em total harmonia e assim não trabalhando de acordo com o esperado. Já o HTML5 possui muitas dessas tecnologias incorporadas a ele, para não dizer todas, que por sua vez trabalham de acordo com o esperado. Baseados nesta condição objetivamos realizar uma revisão sobre o recursos que o HTML5 traz junto a ele nativamente, definindo algumas tecnologias já incorporadas.

2 2. Metodologia Para montagem deste trabalho foi efetuada revisão bibliográfica sobre HTML5 para obter um conhecimento mais aprofundado sobre o tema, utilizando-se de artigos, e- books e sites. Os conhecimentos obtidos através do estudo iram apontar os recursos que o HTML5 traz consigo em sua versão. 3. Mudanças e Aprimoramentos Segundo Schroeder [2012] o HTML5 traz como base tags breves que facilitam as estruturações no processo de desenvolvimento com parâmetros de início e fim, e ainda há outros elementos e atributos em que sua função e significado foram modificados e que agora podem ser reutilizados de forma mais eficaz. Por exemplo, tags como B e I que foram descontinuados em versões anteriores do HTML e que agora assumem funções diferentes e integram mais significado para os usuários. O HTML5 modifica a forma de como escrevemos códigos e organizamos as informações na página Web. Seria mais semântica com menos linhas de código, que seria mais interatividade sem a necessidade da instalação de plug-ins que acarretaria em perda de desempenho. É a criação de códigos que possibilitaria trabalhar com outros sistemas mais eficientemente, transparecendo a qualidade das transações, pronto para futuros dispositivos e que facilita a reutilização da informação de diversas formas [Ferreira, 2012] Recursos Disponíveis Nativamente O HTML5 traz consigo as suas novas funcionalidade, que antes eram realizadas por plug-ins que de certa forma traziam muitas vezes frustrações e baixo desempenho, mas que agora já traz incorporada nativamente no HTML5 tais recursos, trazendo assim melhor desempenho e menor índice de bugs e falhas Áudio e vídeo Uma das grandes deficiências da web atual está na ausência de reprodução nativa de áudio e vídeo, tendo que ser contornada por plug-ins (geralmente o Flash Player). Esta nova versão (HTML5) traz incorporado à linguagem tags com o intuito de implementar estas funcionalidades, antes ausentes nativamente: a tag áudio exibida na figura 1 e a tag vídeo exibida na figura 2 mostram seus exemplos de funcionalidade inseridas na linhas de códigos [Schroeder, 2012]. Figura 1 - Tag de áudio padronizada pelo HTML5 Fonte: <http://www.w3schools.com/html/html5_video.asp>.

3 Figura 2 - Tag de vídeo padronizada pelo HTML5 Fonte: <http://www.w3schools.com/html/html5_video.asp> Animações gráficas Estas funcionalidades são implementadas através de SVG - Scalable Vectorial Graphics (Gráficos vetoriais escaláveis) e Canvas. O SVG é um projeto já existente a W3C que trabalha com desenhos vetoriais, porém, foram realizadas algumas adaptações para poder realizar a renderização das imagens dentro de um documento HTML de maneira mais prática. Já o canvas é uma API que permite você desenhar via Javascript (utilizando o conceito bitmap, pixel a pixel). Apesar de serem duas ferramentas utilizadas para desenhos, cada um tem sua aplicabilidade, tendo o SVG como vantagem resolução independente (isso permite alterar a escala para qualquer resolução de tela), possui um bom suporte para animações, e para isso pode se utilizar de sintaxe declarada ou via Javascript e possui controle total sobre os elementos utilizando a API Svg Dom (Document Object Model) em Javascript. Já o Canvas possui na maior parte uma alta performance de desenho em contextos 2D, desempenho constante, só ocorrendo degradação com o aumento da resolução da imagem, adequado para a geração de gráficos, edição de imagens e manipulação de pixels [Rogerio, 2010] Armazenamento de dados Para suprir a necessidade de armazenamento de dados do cliente, foi desenvolvida a API Web Storage, que possui os métodos: getitem, setitem, removeitem e clear, que melhor atendem as necessidade existentes. A Storage pode ser acessada de duas maneiras, através da sessionstorage e localstorage [Pilgram]. A sessionstorage disponibiliza os dados apenas para a janela que criou o dado até que seja fechada (por exemplo, quando a sessão anterior for encerrada, e você abrir outra janela com uma nova sessão, ela não terá acesso aos dados daquela sessão anterior), já a localstorage, não armazena os dados por sessão. Se um dado for setado pela local storage esse ficará automaticamente disponível para qualquer janela, e ficará disponível no próximo dia, semana ou ano, até que seja deletado pelo usuário. A W3C por padrão sugeriu que o armazenamento passasse a ser de 5 megabytes por origem [Rocha, 2011]. Para casos com grande complexidade, existe ainda a possibilidade de se criar Banco de Dados locais baseados no padrão SQL (Structures Query Language). A criação, conexão, e demais operações são todas realizadas através de Javascript pelos já conhecidos comandos SQL [Schroeder, 2012].

4 Aplicações off-line Com os consideráveis avanços de armazenamento de dados locais do usuário, torna-se cada vez mais viável a construção de aplicações web off-line que são simples e composta de uma lista de URLs HTML, CSS, Javascript, imagens ou qualquer outro tipo de recurso, ainda mais que o HTML5 disponibiliza de maneira que indicam ao navegador que recursos devem ser colocados em cache no momento que o usuário esteja conectado com a internet, realizando o download dos arquivos para que os mesmos funcionem off-line. Esta informação é disponibilizada através de um arquivo conhecido como Manifest, que contém uma lista de endereços web que estarão disponíveis no cache [Pilgram] Geolocalizacão A geolocalização basicamente é a informação de qual é a posição atual dos usuários diante do globo. A três formas de se obter essa informação com os navegadores, os quais são Geolocalização IP, Triangulação GPRS e GPS, que podem ser classificadas como de baixa, media e alta precisão respectivamente [Schroeder, 2012] CSS 3 Outro ponto forte do HTML5 são as novas opções em CSS, que são responsável por controlar o visual das informações exibidas pelo HTML. O CSS é responsável também por controla às informações exibidas em qualquer meio de acesso de forma mais simplificada, a tabela 4 a seguir ira exibir comandos das novas funcionalidades [Ferreira, 2012]. Propriedades Background-size Border-radius Box-shadow Text-shadow CSS Gradients CSS Columns CSS Transform CSS Animations Efeitos Permite definir o tamanho do plano de fundo Bordas arredondadas Sobras em elementos caixa Sombras em texto Gradientes com planos de fundo/bordas Colunas automáticas em blocos de texto Transformações em elementos (rotação, distorção, escala, etc). Animações das propriedades automáticas. Tabela 1 - Comandos novos de CSS 3. Fonte: Schroede. 4. Considerações Finais Concluiu-se que a linguagem HTML5 traz padrões não existentes nas versões anteriores, que eram fundamentais na qualidade da construção de uma web mais limpa e padronizada, com compatibilidade com todos os recursos existentes na web, claro alguns recursos para serem utilizados ainda dependem de aplicações de terceiros, mas com a constante evolução da web logo será sanada essa dependências.

5 5. Referências: Schroeder, R. (2012) Caminhos: HTML5, Um novo desenvolvimento para a web. 5 v. TCC (Graduação) - Curso de Pesquisa e Extensão, Departamento de Conhecimento, Centro Universitário Para O Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí, Rio do Sul, Disponível em: <http://www. caminhos.unidavi.edu.br/>. Acesso em: 01 ago Rogério, P. (s.d.) SVG vs Canvas. Disponível em: <http://www.pinceladasdaweb.com.br/blog/2010/09/01/svg-vs-canvas/>. Acesso em: 25 jul Ferreira, D. E. E. (2012) HTML5 e CSS3 com farinha e pimenta. 218 f. TCC (Graduação) - Curso de Pesquisa e Extensão, Tableless, São Paulo, Disponível em: <http://tableless.com.br/>. Acesso em: 21 maio Pilgrim, M. (s.d.) DIVE INTO HTML5. Disponível em: <http://diveintohtml5.com.br/index.html>. Acesso em: 20 jun Rocha, Z. (s.d.) HTML5 - Local Storage. Disponível em: <http://zenorocha.com/html5-local-storage/>. Acesso em: 27 maio 2014.

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3

DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 DESENVOLVIMENTO WEB DENTRO DOS PARADIGMAS DO HTML5 E CSS3 Eduardo Laguna Rubai, Tiago Piperno Bonetti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR- Brasil eduardorubay@gmail.com, bonetti@unipar.br Resumo.

Leia mais

PADRÕES PARA O DESENVOLVIMENTO NA WEB

PADRÕES PARA O DESENVOLVIMENTO NA WEB PADRÕES PARA O DESENVOLVIMENTO NA WEB Ederson dos Santos Cordeiro de Oliveira 1,Tiago Bonetti Piperno 1, Ricardo Germano 1 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR- Brasil edersonlikers@gmail.com,

Leia mais

Análise Comparativa dos Recursos e Diferenças das Tecnologias de Programação HTML5 e HTML4

Análise Comparativa dos Recursos e Diferenças das Tecnologias de Programação HTML5 e HTML4 Análise Comparativa dos Recursos e Diferenças das Tecnologias de Programação HTML5 e HTML4 Guilherme Miranda Martins 1, Késsia Rita da Costa Marchi 1 1 Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

Análise da Nova Linguagem HTML5 para o Desenvolvimento Web

Análise da Nova Linguagem HTML5 para o Desenvolvimento Web Análise da Nova Linguagem HTML5 para o Desenvolvimento Web Sergio N. Ikeno¹, Késsia Rita da Costa Marchi¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil sergioikn@gmail.com, kessia@unipar.br Resumo.

Leia mais

HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO

HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO HTML5 E WEB SEMÂNTICA, A WEB COM SIGNIFICADO Djalma Gonçalves Costa Junior¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí - PR - Brasil djalma.g.costajr@gmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

HTML5 E SUAS NOVIDADES

HTML5 E SUAS NOVIDADES HTML5 E SUAS NOVIDADES Gabrie Dalla Porta 1, Julio César Pereira 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil gabrieldallap@gmail.com, juliocesarp@gmail.com Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

TÉCNICAS DE ESTRUTURAÇÃO PARA DESIGN RESPONSIVO: AMPLIANDO A USABILIDADE NO AMBIENTE WEB

TÉCNICAS DE ESTRUTURAÇÃO PARA DESIGN RESPONSIVO: AMPLIANDO A USABILIDADE NO AMBIENTE WEB TÉCNICAS DE ESTRUTURAÇÃO PARA DESIGN RESPONSIVO: AMPLIANDO A USABILIDADE NO AMBIENTE WEB Tiago Volpato 1, Claudete Werner 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil tiagovolpatobr@gmail.com,

Leia mais

HTML5, UM NOVO DESENVOLVIMENTO PARA A WEB 1

HTML5, UM NOVO DESENVOLVIMENTO PARA A WEB 1 HTML5, UM NOVO DESENVOLVIMENTO PARA A WEB 1 Ricardo Schroeder 2 Orientador: Prof. MSc. Fernando Andrade Bastos 3 RESUMO Este artigo tem como objetivo mostrar a nova versão da principal linguagem para construção

Leia mais

Afinal o que é HTML?

Afinal o que é HTML? Aluno : Jakson Nunes Tavares Gestão e tecnologia da informacão Afinal o que é HTML? HTML é a sigla de HyperText Markup Language, expressão inglesa que significa "Linguagem de Marcação de Hipertexto". Consiste

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web. Tipos de Sites. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br

Introdução à Tecnologia Web. Tipos de Sites. Profª MSc. Elizabete Munzlinger www.elizabete.com.br IntroduçãoàTecnologiaWeb TiposdeSites ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger www.elizabete.com.br TiposdeSites Índice 1 Sites... 2 2 Tipos de Sites... 2 a) Site

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about. PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução Compatibilidade Principais características

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about. PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução Compatibilidade Principais características

Leia mais

HTML5. André Tavares da Silva. andre.silva@udesc.br

HTML5. André Tavares da Silva. andre.silva@udesc.br HTML5 André Tavares da Silva andre.silva@udesc.br O que é HTML5? HTML5 será o novo padrão para HTML, XHTML e HTML DOM (Document Object Model). A última versão (4.01) foi definida em 1999 e a Web mudou

Leia mais

IMPORTÂNCIA DOS PADRÕES DE DESENVOLVIMENTO WEB

IMPORTÂNCIA DOS PADRÕES DE DESENVOLVIMENTO WEB IMPORTÂNCIA DOS PADRÕES DE DESENVOLVIMENTO WEB Isadora dos Santos Rodrigues, Tiago Piperno Bonetti Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil isadora.santosrodrigues@hotmail.com, bonetti@unipar.br

Leia mais

WebDesign. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br. Escola CDI de Videira

WebDesign. Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br. Escola CDI de Videira WebDesign Professor: Paulo Trentin paulo@paulotrentin.com.br http://www.paulotrentin.com.br Escola CDI de Videira Entendendo Alguns Conceitos Antes de prosseguirmos é importante ter em mente o motivo pelo

Leia mais

X3DOM E WEBGL: O 3D INDEPENDENTE NA WEB

X3DOM E WEBGL: O 3D INDEPENDENTE NA WEB X3DOM E WEBGL: O 3D INDEPENDENTE NA WEB Augusto Francisco Ferbonink¹, Willian Barbosa Magalhães 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil aferbonink@gmail.com wmagalhães@unipar.com Resumo.

Leia mais

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE ABORDAGEM DE FRAMEWORKS PARA JSF QUE AUXILIAM O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Amarildo Aparecido Ferreira Junior 1, Ricardo Ribeiro Rufino 1 ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil aapfjr@gmail.com

Leia mais

HTML5 - POR QUE USÁ-LO?

HTML5 - POR QUE USÁ-LO? HTML5 - POR QUE USÁ-LO? Ícaro Carlos Andrade Costa (icarocarlosandrade@gmail.com) Igor Antônio Santos Andrade (igorantonioandrade@gmail.com) RESUMO A linguagem HTML surgiu a mais de duas décadas como um

Leia mais

Minicurso introdutório de desenvolvimento para web em HTML5. Cristiano Costa

Minicurso introdutório de desenvolvimento para web em HTML5. Cristiano Costa Minicurso introdutório de desenvolvimento para web em HTML5 Cristiano Costa Sobre mim Graduando em Engenharia Eletrônica - UNIFEI Trabalhou em desenvolvimento de sistemas empresariais (Base em servidores

Leia mais

Desenvolvimento de Sites. Subtítulo

Desenvolvimento de Sites. Subtítulo Desenvolvimento de Sites Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras

Leia mais

Sumário. HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1

Sumário. HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1 Sumário HTML CSS JQuery Referências IHC AULA 6 5-09-2011 1 Linguagem HTML HTML é a abreviação de HyperText Markup Language, que pode ser traduzido como Linguagem de Marcação de Hipertexto. Não é uma linguagem

Leia mais

Conteúdos Off-Line e para Dispositivos Móveis

Conteúdos Off-Line e para Dispositivos Móveis Conteúdos Off-Line e para Dispositivos Móveis HTML 5 Possibilidade de separação do recursos em três camadas: Informação, Formatação e Comportamento A camada de informação possui um conjunto rico e adequado

Leia mais

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Introdução Nesta quinta edição da Coletânea de Análises de Email Marketing em Clientes de Email, apresentamos o estudo do Windows Mail, um cliente

Leia mais

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará :

CAPÍTULO 2. Este capítulo tratará : 1ª PARTE CAPÍTULO 2 Este capítulo tratará : 1. O que é necessário para se criar páginas para a Web. 2. A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web 3. Navegadores 4. O que é site, Host,

Leia mais

HTML5 e CSS3 O presente e o futuro da WEB. Danilo Borges da Silva Daniloborges_@hotmail.com

HTML5 e CSS3 O presente e o futuro da WEB. Danilo Borges da Silva Daniloborges_@hotmail.com HTML5 e CSS3 O presente e o futuro da WEB Danilo Borges da Silva Daniloborges_@hotmail.com Agenda Introdução Histórico Características Conclusão Referências Introdução HTML HTML é uma abreviação de Hypertext

Leia mais

DESENVOLVIMENTODE APLICAÇÕESPARAINTERNET:PHP. VitorFariasCoreia

DESENVOLVIMENTODE APLICAÇÕESPARAINTERNET:PHP. VitorFariasCoreia DESENVOLVIMENTODE APLICAÇÕESPARAINTERNET:PHP VitorFariasCoreia INFORMAÇÃOECOMUNICAÇÃO Autor Vitor Farias Correia Graduado em Sistemas de Informação pela FACITEC e especialista em desenvolvimento de jogos

Leia mais

EVOLUÇÃO NO DESENVOLVIMENTO COM O HTML 5

EVOLUÇÃO NO DESENVOLVIMENTO COM O HTML 5 EVOLUÇÃO NO DESENVOLVIMENTO COM O HTML 5 Bruno Chesine Giroldo 1,2, Willian Fressati 2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil Brunogiroldo2@gmail.com wyllianfressati@unipar.br Resumo. Este

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

PDI 1 - Projeto e Design de Interfaces Web

PDI 1 - Projeto e Design de Interfaces Web Introdução a HTML e XHTML Elementos básicos parte 2 Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: --Adicionando imagens; --Trabalhando com vídeos e sons em HTML; Disponível em http://wp.me/p48yvn-43 2 Inserindo

Leia mais

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS

DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS DESENVOLVIMENTO EM DISPOSITIVOS MÓVEIS UTILIZANDO BANCO DE DADOS Leandro Guilherme Gouvea 1, João Paulo Rodrigues 1, Wyllian Fressatti 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil leandrog.gouvea@gmail.com,

Leia mais

Programação para Internet I 9. HTML5. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Programação para Internet I 9. HTML5. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Programação para Internet I 9. HTML5 Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Resumidamente, é o novo standard para estruturar conteúdo de páginas web. A última versão de HTML surgiu em 1999,

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Introdução Nesta sexta e penúltima edição da Coletânea de Análises de Email Marketing em Clientes de Email, apresentamos os estudos dos clientes

Leia mais

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique.

Lista de Revisão. 3. Analise a afirmativa a seguir como verdadeira ou falsa e justifique. Lista de Revisão 1. Nos sistemas web, geralmente os usuários apresentam dois problemas típicos, a desorientação e a sobrecarga cognitiva. Discorra sobre esses problemas. 2. Apresente as principais diferenças

Leia mais

ANIMAÇÕES WEB AULA 2. conhecendo a interface do Adobe Flash. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com

ANIMAÇÕES WEB AULA 2. conhecendo a interface do Adobe Flash. professor Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com ANIMAÇÕES WEB AULA 2 conhecendo a interface do Adobe Flash professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com O layout do programa A barra de ferramentas (tools) Contém as ferramentas necessárias para desenhar,

Leia mais

Scalable Vector Graphics. Kadu Neves Rafael Rocha

Scalable Vector Graphics. Kadu Neves Rafael Rocha Scalable Vector Graphics Kadu Neves Rafael Rocha Roteiro Introdução Vantagens do Uso do SVG Perfis SVG A especificaçào JSR-226 Exemplos Introdução Scalable Vector Graphics é um padrão aberto para descrever

Leia mais

Sumário. 1 Tutorial: Blogs no Clickideia

Sumário. 1 Tutorial: Blogs no Clickideia 1 Tutorial: Blogs no Clickideia Sumário Introdução... 2 Objetivos... 2 Instruções para utilização do Tutorial... 2 Acesso ao Portal e a Home Blog... 3 Página Inicial da área do Blog... 4 Apresentação da

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0

DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 DOCUMENTAÇÃO DO FRAMEWORK - versão 2.0 Índice 1 - Objetivo 2 - Descrição do ambiente 2.1. Tecnologias utilizadas 2.2. Estrutura de pastas 2.3. Bibliotecas já incluídas 3 - Características gerais 4 - Criando

Leia mais

Roteiro 2: Conceitos de Tags HTML

Roteiro 2: Conceitos de Tags HTML Roteiro 2: Conceitos de Tags HTML Objetivos Detalhar conceitos sobre TAGS HTML: elementos, atributos, elemento vazio, links. Implementar páginas de internet com uso da linguagem HTML; Ferramentas Necessárias

Leia mais

UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB

UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB UMA ABORDAGEM SOBRE OS PADRÕES DE QUALIDADE DE SOFTWARE COM ÊNFASE EM SISTEMAS PARA WEB Alan Francisco de Souza¹, Claudete Werner¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil alanfsouza.afs@gmail.com,

Leia mais

HTML Página 1. Índice

HTML Página 1. Índice PARTE - 1 HTML Página 1 Índice HTML A HISTÓRIA... 2 O COMEÇO E A INTEROPERABILIADE... 3 Primeira Página... 4 Entendendo seu código... 5 Abrindo o código fonte da sua página... 6 Comentários na página...

Leia mais

Web Services. Autor: Rômulo Rosa Furtado

Web Services. Autor: Rômulo Rosa Furtado Web Services Autor: Rômulo Rosa Furtado Sumário O que é um Web Service. Qual a finalidade de um Web Service. Como funciona o serviço. Motivação para o uso. Como construir um. Referências. Seção: O que

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF

INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF INTRODUÇÃO E CONFIGURAÇÃO DO PRIMEFACES MOBILE EM APLICAÇÕES JSF Guilherme Macedo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil guilhermemacedo28@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate

Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate Tiago Peres Souza 1, Jaime Willian Dias 1,2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil tiagop_ti@hotmail.com 2 Universidade

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS

UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS UM ESTUDO SOBRE ARQUITETURA PARA DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE WEB UTILIZANDO NOVAS TECNOLOGIAS Edi Carlos Siniciato ¹, William Magalhães¹ ¹ Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil edysiniciato@gmail.com,

Leia mais

HTML 5, UM ESTUDO SOBRE SEUS NOVOS RECURSOS

HTML 5, UM ESTUDO SOBRE SEUS NOVOS RECURSOS HTML 5, UM ESTUDO SOBRE SEUS NOVOS RECURSOS Clodoaldo Hiroiti Iamashita 1, Willian Barbosa Magalhães 1 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil hiroiteiamashita@hotmail.com wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web;

CONCEITOS INICIAIS. Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; CONCEITOS INICIAIS Agenda A diferença entre páginas Web, Home Page e apresentação Web; O que é necessário para se criar páginas para a Web; Navegadores; O que é site, Host, Provedor e Servidor Web; Protocolos.

Leia mais

Aplicativos para Internet Aula 01

Aplicativos para Internet Aula 01 Aplicativos para Internet Aula 01 Arquitetura cliente/servidor Introdução ao HTML, CSS e JavaScript Prof. Erika Miranda Universidade de Mogi das Cruzes Uso da Internet http://www.ibope.com.br/pt-br/noticias/paginas/world-wide-web-ou-www-completa-22-anos-nesta-terca-feira.aspx

Leia mais

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 2: RIA - Aplicações Ricas para Internet Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Identificar as principais características de uma Aplicação Internet Rica.

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES

DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES DESENVOLVENDO APLICAÇÃO UTILIZANDO JAVA SERVER FACES Alexandre Egleilton Araújo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil araujo.ale01@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais

ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais ADOBE FLASH PLAYER 10.3 Gerenciador de configurações locais PRERELEASE 03/07/2011 Avisos legais Avisos legais Para consultar avisos legais, acesse o site http://help.adobe.com/pt_br/legalnotices/index.html.

Leia mais

XHTML 1.0 DTDs e Validação

XHTML 1.0 DTDs e Validação XHTML 1.0 DTDs e Validação PRnet/2012 Ferramentas para Web Design 1 HTML 4.0 X XHTML 1.0 Quais são os três principais componentes ou instrumentos mais utilizados na internet? PRnet/2012 Ferramentas para

Leia mais

Desenvolvimento Web Introdução a XHTML. Prof. Bruno Gomes

Desenvolvimento Web Introdução a XHTML. Prof. Bruno Gomes Desenvolvimento Web Introdução a XHTML Prof. Bruno Gomes 2014 Introdução HTML e XHTML Estrutura básica do documento DTDs Validação do documento Exercícios HTML e XHTML HTML (Hipertext Markup Language)

Leia mais

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional

Introdução. à Linguagem JAVA. Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação. Laboratório de Visão Computacional Introdução à Linguagem JAVA Prof. Dr. Jesus, Edison O. Instituto de Matemática e Computação Laboratório de Visão Computacional Vantagens do Java Independência de plataforma; Sintaxe semelhante às linguagens

Leia mais

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright Nextel 2014 http://nextelcloud.nextel.com.br 1 Nextel Cloud... 4 2 Nextel Cloud Web... 5 2.1 Página Inicial... 6 2.1.1 Meu Perfil... 7 2.1.2 Meu Dispositivo...

Leia mais

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash

Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Capítulo 2 Introdução à ferramenta Flash Índice 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED.... 1 2. História do Flash... 4 1. O uso da ferramenta Flash no projeto RIVED. É importante, antes de iniciarmos

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web

Introdução à Tecnologia Web Introdução à Tecnologia Web JavaScript Histórico e Características Índice 1 JAVASCRIPT... 2 1.1 Histórico... 2 1.2 Aplicações de JavaScript... 2 a) Interatividade... 2 b) Validação de formulários... 2

Leia mais

Manual Software CMS. Introdução:

Manual Software CMS. Introdução: Introdução: O CMS é uma central de gerenciamento de DVRs, é responsável por integrar imagens de DVRs distintos, com ele é possível realizar comunicação bidirecional, vídeo conferência, função mapa eletrônico

Leia mais

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Capacitar o aluno para o trabalho com o framework JQuery. INTRODUÇÃO JQuery é uma biblioteca

Leia mais

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha!

INTRODUÇÃO. A Claireconference agradece pela escolha! 1 ÍNDICE 1. IMPLEMENTAÇÃO 4 1.1 PAINEL DE CONTROLE 4 1.1.1 SENHA 4 1.1.2 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS DO LYNC 5 1.1.3 REDEFINIR SENHA 7 1.1.4 COMPRAR COMPLEMENTOS 9 1.1.5 UPGRADE E DOWNGRADE 10 1.1.5.1 UPGRADE

Leia mais

Acessibilidade no SIEP (Sistema de Informações da Educação Profissional e Tecnológica) Módulo de Acessibilidade Virtual CEFET Bento Gonçalves RS Maio 2008 ACESSIBILIDADE À WEB De acordo com Cifuentes (2000),

Leia mais

WWW - World Wide Web

WWW - World Wide Web WWW World Wide Web WWW Cap. 9.1 WWW - World Wide Web Idéia básica do WWW: Estratégia de acesso a uma teia (WEB) de documentos referenciados (linked) em computadores na Internet (ou Rede TCP/IP privada)

Leia mais

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft.

O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Introdução ao Microsoft Windows 7 O Windows 7 é um sistema operacional desenvolvido pela Microsoft. Visualmente o Windows 7 possui uma interface muito intuitiva, facilitando a experiência individual do

Leia mais

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação.

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação. ANEXO 11 O MATRIZ Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará o framework MATRIZ desenvolvido pela PROCERGS e disponibilizado no início do trabalho.

Leia mais

SOFTWARE DE INTERNET PARA DEFICIENTES VISUAIS

SOFTWARE DE INTERNET PARA DEFICIENTES VISUAIS SOFTWARE DE INTERNET PARA DEFICIENTES VISUAIS Aluno: Bruno Levy Fuks Orientador: Marcos da Silveira Introdução No Brasil, é evidente o pouco comprometimento da sociedade com o deficiente. Para se ter uma

Leia mais

Ontologia Navegadores_Codigo-Aberto

Ontologia Navegadores_Codigo-Aberto Ontologia Navegadores_Codigo-Aberto Documento Lista de Termos (versão 1.0) 04-04-2008 report by ontokem Web Tool - ontologies for Knowledge Engineering and Management 1) bookmark: instância da característica

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Plano de Aula - Dreamweaver CS6 - cód.5232 24 Horas/Aula

Plano de Aula - Dreamweaver CS6 - cód.5232 24 Horas/Aula Plano de Aula - Dreamweaver CS6 - cód.5232 24 Horas/Aula Aula 1 Capítulo 1 - Introdução ao Dreamweaver CS6 Aula 2 Continuação do Capítulo 1 - Introdução ao Dreamweaver CS6 Aula 3 Capítulo 2 - Site do Dreamweaver

Leia mais

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS

APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS APOSTILA BÁSICA INFORMÁTICA: 1. PROCESSADOR DE TEXTOS 1.1 Conhecendo o aplicativo Word 2007 2.EDITOR DE PLANILHAS 3.INTERNET 3.1. Internet: recursos e pesquisas 3.2. Conhecendo a Web 3.3. O que é um navegador?

Leia mais

Acessibilidade na Web

Acessibilidade na Web Acessibilidade na Web Departamento de Computação - UFS Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Lucas Augusto Carvalho lucasamcc@dcomp.ufs.br Prof. Rogério Vídeo Custo ou Benefício? http://acessodigital.net/video.html

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

Tutorial. Introdução ao XML e tecnologias associadas. Aplicações e dialectos XML. Sessão 4. 8-10 Fevereiro XATA 06

Tutorial. Introdução ao XML e tecnologias associadas. Aplicações e dialectos XML. Sessão 4. 8-10 Fevereiro XATA 06 Tutorial Introdução ao XML e tecnologias associadas Sessão 4 Aplicações e dialectos XML Miguel Ferreira mferreira@dsi.uminho.pt Departamento de Sistemas de Informação Universidade do Minho Conteúdo Vantagens

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE DE VOTAÇÃO WEB UTILIZANDO TECNOLOGIA TOUCHSCREEN José Agostinho Petry Filho 1 ; Rodrigo de Moraes 2 ; Silvio Regis da Silva Junior 3 ; Yuri Jean Fabris 4 ; Fernando Augusto

Leia mais

Revista Eletrônica da FANESE ISSN 2317-3769

Revista Eletrônica da FANESE ISSN 2317-3769 FRAMEWORK PARA TREINAMENTOS NA WEB BASEADO EM VÍDEO SOBRE DEMANDA Ícaro Carlos Andrade Costa 1 Igor Antônio Andrade Costa 2 Ricardo Ariel Correa Rabelo 3 Renata Azevedo Santos Carvalho 4 RESUMO A educação

Leia mais

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Seção do Corpo Imagens

Introdução à Tecnologia Web HTML HyperText Markup Language XHTML extensible HyperText Markup Language Seção do Corpo Imagens IntroduçãoàTecnologiaWeb HTML HyperTextMarkupLanguage XHTML extensiblehypertextmarkuplanguage SeçãodoCorpo Imagens ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger ProfªMSc.ElizabeteMunzlinger SeçãodoCorpo Imagens Índice

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br

Manual Vivo Sync. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Vivo 2013. http://vivosync.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright Vivo 2013 http://vivosync.com.br 1 1 Índice 1 Índice... 2 2 Vivo Sync... 3 2.1 Instalação do Vivo Sync... 4 3 Configuração e uso das opções Vivo Sync... 5 3.1 Contatos...

Leia mais

Requisitos Técnicos para Usuário Doméstico

Requisitos Técnicos para Usuário Doméstico Requisitos Técnicos para Usuário Doméstico MindQuest Educação S.A. 29/08/2013 1 / 52 AGENDA 1 Requisitos técnicos para usuários domésticos 1.1. Configurações para os Browsers 1.2. Player multimídia 1.3.

Leia mais

Manual do Usuário - VisPublica Melise Paula Fernanda Ribeiro Bárbara Pimenta Clóvis Noronha Luan Costa Mário Macedo

Manual do Usuário - VisPublica Melise Paula Fernanda Ribeiro Bárbara Pimenta Clóvis Noronha Luan Costa Mário Macedo Manual do Usuário - VisPublica Melise Paula Fernanda Ribeiro Bárbara Pimenta Clóvis Noronha Luan Costa Mário Macedo Manual do Usuário VisPublica Visualização de Dados Públicos Desenvolvido por: Instituto

Leia mais

G UIA DE I NSTALAÇÃO. Módulo ipagare para Magento - versão 3.3

G UIA DE I NSTALAÇÃO. Módulo ipagare para Magento - versão 3.3 G UIA DE I NSTALAÇÃO Módulo ipagare para Magento - versão 3.3 De 27/10/2011 ÍNDICE 1. PREFÁCIO... 3 Este documento... 3 Confidencialidade... 3 Histórico de atualizações... 3 2. APRESENTAÇÃO... 4 Novidades...

Leia mais

Manual do MySuite. O MySuite é a solução adotada pela MKData para gerenciar o atendimento aos clientes.

Manual do MySuite. O MySuite é a solução adotada pela MKData para gerenciar o atendimento aos clientes. Manual do MySuite O MySuite é a solução adotada pela MKData para gerenciar o atendimento aos clientes. Esta ferramenta visa agilizar e priorizar o suporte técnico, criando um canal de interatividade no

Leia mais

Universidade da Beira Interior

Universidade da Beira Interior Universidade da Beira Interior Relatório Apresentação Java Server Pages Adolfo Peixinho nº4067 Nuno Reis nº 3955 Índice O que é uma aplicação Web?... 3 Tecnologia Java EE... 4 Ciclo de Vida de uma Aplicação

Leia mais

QUESTÕES SOBRE WINDOWS 7

QUESTÕES SOBRE WINDOWS 7 Informática Windows 7 QUESTÕES SOBRE WINDOWS 7 1) Considerando a figura exibida acima, ao repousar o ponteiro do mouse sobre o ícone doword, aparecerão três miniaturas, representando arquivos desse programa

Leia mais

INSTALAÇÃO DO CHEF FOODS NET

INSTALAÇÃO DO CHEF FOODS NET INSTALAÇÃO DO CHEF FOODS NET Obs.: Caso já possua um programa compactador de arquivo pular a etapa 1. 1 - Compactador de Arquivo Para instalar o Chef Foods Net você precisa de um programa descompactador

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. para tv TV101

MANUAL DO USUÁRIO. para tv TV101 MANUAL DO USUÁRIO adaptador android para tv TV101 Índice Exibição do Produto 03 Instruções para Uso 03 Menu Principal 04 Configurações de Wi-Fi 04 Navegando por Arquivo ou Pasta 05 Conexão USB 06 Instalando/

Leia mais

ArcSoft MediaConverter

ArcSoft MediaConverter ArcSoft MediaConverter User Manual Português 1 201004 Índice Índice... 2 1. Índice... 3 1.1 Requisitos do sistema... 4 1.2 Extras... 4 2. Convertendo arquivos... 7 2.1 Passo1: Selecionar mídia... 7 2.1.1

Leia mais

Acessibilidade na Web para Deficientes Auditivos: Um Estudo de Caso do Site do Vestibular da UFG

Acessibilidade na Web para Deficientes Auditivos: Um Estudo de Caso do Site do Vestibular da UFG Acessibilidade na Web para Deficientes Auditivos: Um Estudo de Caso do Site do Vestibular da UFG Adoniran Dias Ribeiro Andrade, Renato de Freitas Bulcão Neto Instituto de Informática Universidade Federal

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Habilitação Profissional: TÉCNICA DE NÍVEL MÉDIO DE TÉCNICO

Leia mais

MANUAL DO PVP SUMÁRIO

MANUAL DO PVP SUMÁRIO Manual PVP - Professores SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 6 2 ACESSANDO O PVP... 8 3 TELA PRINCIPAL... 10 3.1 USUÁRIO... 10 3.2 INICIAL/PARAR... 10 3.3 RELATÓRIO... 10 3.4 INSTITUIÇÕES... 11 3.5 CONFIGURAR... 11

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO DOS PROGRAMAS NOVA GIA DECLARAÇÃO DO SIMPLES PARA WINDOWS VISTA

MANUAL DE INSTALAÇÃO DOS PROGRAMAS NOVA GIA DECLARAÇÃO DO SIMPLES PARA WINDOWS VISTA MANUAL DE INSTALAÇÃO DOS PROGRAMAS NOVA GIA E DECLARAÇÃO DO SIMPLES PARA WINDOWS VISTA Equipe Nova GIA Janeiro/2008 1 O Funcionamento do sistema operacional Windows Vista apresenta algumas diferenças com

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO INTRODUÇÃO AO MACROMEDIA DREAMWEAVER MX 2004 O Macromedia Dreamweaver MX 2004 é um software que permite a criação de páginas de Internet profissionais, estáticas

Leia mais

Aula 1 Desenvolvimento Web. Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme

Aula 1 Desenvolvimento Web. Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme Aula 1 Desenvolvimento Web Curso: Técnico em Informática / 2º módulo Disciplina: Desenvolvimento Web Professora: Luciana Balieiro Cosme Plano de Aula Ementa Avaliação Ementa Noções sobre Internet. HTML

Leia mais

Palavras-chave: i3geo, gvsig, Mapserver, integração, plugin. Contato: edmar.moretti@terra.com.br ou edmar.moretti@gmail.com

Palavras-chave: i3geo, gvsig, Mapserver, integração, plugin. Contato: edmar.moretti@terra.com.br ou edmar.moretti@gmail.com III Jornada Latinoamericana e do Caribe do gvsig Artigo: Integração do software i3geo com o gvsig Autor: Edmar Moretti Resumo: O i3geo é um software para a criação de mapas interativos para internet qu

Leia mais

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C

2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C 2. O AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO EM C Este capítulo trata de colocar a linguagem C para funcionar em um ambiente de programação, concentrando-se no compilador GNU Compiler Collection (gcc). Mas qualquer outro

Leia mais

Manual do Usúario Backup Online. Manual do Usuário. Backup Online. Versão 1.0.2. Copyright GVT 2014. https://backuponlinegvt.com.

Manual do Usúario Backup Online. Manual do Usuário. Backup Online. Versão 1.0.2. Copyright GVT 2014. https://backuponlinegvt.com. Manual do Usuário Backup Online Versão 1.0.2 Copyright GVT 2014 https://backuponlinegvt.com.br 1 Backup Online... Erro! Indicador não definido. 2 Instalação do Backup Online... 4 3 Configurações... 7 3.1

Leia mais

Adapti - Technology Solutions www.adapti.net Leonor cardoso nº 331 Fone : (041) 8844-7805 81240-380 Curitiba - PR MANUAL DO USUÁRIO

Adapti - Technology Solutions www.adapti.net Leonor cardoso nº 331 Fone : (041) 8844-7805 81240-380 Curitiba - PR MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO 1 Índice Administração de Documentos...2 Lista de documentos criados...3 Criando um novo documento...3 Barra de ferramentas do editor...4 Editando um documento...7 Administrando suas

Leia mais

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email

Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Coleção - Análises de email marketing em clientes de email Thunderbird e Terra Nesta terceira edição da Coletânea de Análises de Email Marketing em Clientes de Email, apresentamos os estudos do webmail

Leia mais