VAREJO AMPLIADO CRESCE 1,1% EM ABRIL, APONTA ICVA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VAREJO AMPLIADO CRESCE 1,1% EM ABRIL, APONTA ICVA"

Transcrição

1 CIELO S.A. CNPJ/MF / Comunicado ao Mercado VAREJO AMPLIADO CRESCE 1,1% EM ABRIL, APONTA ICVA Indicador considera a receita de vendas deflacionada pelo IPCA em comparação com abril de 2014; no índice nominal, o crescimento foi de 7,1% A receita de vendas do comércio varejista ampliado brasileiro apresentou alta de 1,1% em abril em relação ao mesmo período do ano passado, depois de descontada a inflação. É o que aponta o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), divulgado nesta quinta-feira (14). Os resultados do mês foram beneficiados em 1,1 ponto percentual pelos efeitos do calendário deslocamento de feriados e troca de dias de semana. Descontados esses fatores, o varejo ampliado não teria apresentado crescimento na comparação com o mesmo mês de 2014, já com o desconto da inflação. Os resultados mostram, portanto, que a tendência de desaceleração do varejo ampliado, observada nos últimos meses, foi mantida em abril.

2 INFLAÇÃO O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), registrou alta de 8,2% em abril no acumulado dos últimos 12 meses. Já se considerarmos apenas os setores que compõem o ICVA, a inflação foi de 5,9% no mesmo período. Isso porque, como já comentamos em relatórios anteriores, alguns itens que compõem a inflação oficial do IPCA não são considerados para o cálculo do ICVA deflacionado, já que não fazem parte da cesta de compras do varejo ampliado por exemplo, energia elétrica, que vem sofrendo altas significativas de preço nos últimos meses, e aluguel e condomínio. Entre os itens componentes da cesta de compras do varejo ampliado, destaque para os medicamentos, cujos preços sofreram uma aceleração em abril, com alta de 6,1% no acumulado de 12 meses. Os combustíveis para veículos desaceleraram, mas ainda permanecem com inflação acima da média, de 8,5%. SETORES Os setores relacionados a bens não duráveis, que vêm apresentando mais fôlego em suas receitas de vendas nos últimos meses do que os demais segmentos do varejo ampliado, mostraram sinais de deterioração no índice deflacionado com ajustes de calendário em abril. Supermercados e Hipermercados e Varejo Alimentício Especializado, por exemplo, tiveram um desempenho mais fraco do que o registrado em março. O destaque positivo, mais uma vez, fica com Drogarias e Farmácias, que teve crescimento de dois dígitos mesmo depois de descontada a inflação. Reforçando o comportamento observado nos últimos meses, o bloco de setores dos bens duráveis e semiduráveis apresentou, na média, retração no ICVA deflacionado em abril, e com desaceleração na receita de vendas. É o caso dos segmentos de Vestuário, Eletroeletrônicos, Móveis e Decoração e Lojas de Departamento. A exceção fica por conta do setor de Materiais de Construção, que mostrou sinais de recuperação, embora ainda com retração no índice. Dentre os setores relacionados a serviços, o grupo de turismo, composto por Aluguel de Veículos, Hotéis e Agências e Operadoras de Viagem (excluindo Companhias Aéreas), cresceu em ritmo mais lento que o mês de março. Já o setor de Alimentação em Bares e Restaurantes não apenas desacelerou em relação ao mês anterior, como apresentou retração nas vendas, depois de descontada a inflação, na comparação com abril do ano passado.

3 REGIÕES Todas as regiões apresentaram, na análise do índice deflacionado, crescimento mais fraco em abril na comparação com o mês de março. O Norte liderou o crescimento mais uma vez, com alta de 2,2% na receita das vendas em relação a abril de 2014, depois de descontada a inflação. O Nordeste, logo atrás, registrou crescimento de 2,1%, seguido das regiões Centro-Oeste, com 1,8%, Sudeste, com 0,9%, e Sul, com 0,1%. 3

4 SOBRE O ICVA O Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) acompanha mensalmente a evolução do varejo brasileiro de acordo com a sua receita de vendas, com base em um grupo de mais de 20 setores mapeados pela Cielo, de pequenos lojistas a grandes varejistas. O peso de cada setor dentro do resultado geral do indicador é definido pelo seu desempenho no mês. 4

5 O ICVA foi desenvolvido pela área de Inteligência da Cielo com base nas vendas realizadas nos mais de 1,6 milhão de pontos de vendas ativos credenciados à companhia. A proposta do Índice é oferecer mensalmente uma fotografia do desempenho do comércio varejista do país a partir de informações reais. COMO É CALCULADO A gerência de Inteligência da Cielo desenvolveu modelos matemáticos e estatísticos que foram aplicados à base da companhia com o objetivo de isolar os efeitos do comportamento competitivo do mercado de credenciamento, como a variação de market share, bem como isolar os efeitos da substituição de cheque e dinheiro no consumo dessa forma, o indicador não reflete somente a atividade do comércio pelo movimento com cartões, mas, sim, a real dinâmica de consumo no ponto de venda. Esse índice não é de forma alguma a prévia dos resultados da Cielo, que é impactado por uma série de outras alavancas, tanto de receitas quanto de custos e despesas. Barueri, 14 de maio de CLOVIS POGGETTI JR. Vice-presidente Executivo de Finanças e Diretor de Relações com Investidores Sobre a Cielo A Cielo S.A. (Bovespa: CIEL3 OTCQX: CIOXY) é a empresa líder em soluções de pagamentos eletrônicos na América Latina e uma das maiores do mundo em seu segmento. Responsável por credenciar os estabelecimentos comerciais a aceitarem pagamentos com cartões, além das outras etapas da cadeia - captura, transmissão, processamento e liquidação financeira das transações -, a Cielo captura as principais bandeiras do Brasil e do mundo. Em 2014, mais de 5,6 bilhões de transações passaram pelas máquinas da companhia. Com um posicionamento multisserviço, multibandeira e multicanal - presente seja no ponto de venda, no mobile ou no e-commerce -, a Cielo tem como missão ser referência internacional no que ela faz. Uma empresa de serviços que tem a inovação em seu DNA, orientada para resultados, a Cielo entrega um portfólio de produtos e soluções que agregam valor ao negócio dos lojistas, microempreendedores e profissionais liberais - além da maior força comercial do mercado, atendimento de qualidade e logística eficiente, premissas da excelência para o cliente. A companhia investe continuamente em tecnologia e conta com o parque de equipamentos mais moderno do mercado, distribuído em 1,6 milhão de pontos de venda ativos em todos os seus canais - comércio físico ou virtual, pela máquina, pelo celular o pela internet, presente de ponta a ponta em toda a cadeia de pagamentos eletrônicos. 5

VAREJO AMPLIADO CRESCE 0,4% EM MAIO, APONTA ICVA

VAREJO AMPLIADO CRESCE 0,4% EM MAIO, APONTA ICVA CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado VAREJO AMPLIADO CRESCE 0,4% EM MAIO, APONTA ICVA Percentual é calculado a partir da receita de vendas deflacionada pelo IPCA em comparação com

Leia mais

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,3% NO VAREJO EM OUTUBRO

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,3% NO VAREJO EM OUTUBRO CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,3% NO VAREJO EM OUTUBRO Indicador considera a receita de vendas do varejo deflacionada pelo IPCA em relação a outubro

Leia mais

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 6,2% PARA O VAREJO EM AGOSTO

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 6,2% PARA O VAREJO EM AGOSTO CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 6,2% PARA O VAREJO EM AGOSTO Indicador considera a receita deflacionada de vendas do varejo em relação ao mesmo mês

Leia mais

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,1% PARA O VAREJO EM JUNHO

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,1% PARA O VAREJO EM JUNHO CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,1% PARA O VAREJO EM JUNHO Indicador considera a receita deflacionada de vendas do varejo em relação a junho de 2015

Leia mais

COM IMPACTO DO CARNAVAL, VAREJO TEM RETRAÇÃO DE 2,4% EM FEVEREIRO, APONTA ICVA

COM IMPACTO DO CARNAVAL, VAREJO TEM RETRAÇÃO DE 2,4% EM FEVEREIRO, APONTA ICVA CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado COM IMPACTO DO CARNAVAL, VAREJO TEM RETRAÇÃO DE 2,4% EM FEVEREIRO, APONTA ICVA O desempenho das vendas do comércio varejista brasileiro, medido

Leia mais

CIELO S.A. CNPJ/MF / Comunicado ao Mercado

CIELO S.A. CNPJ/MF / Comunicado ao Mercado CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado ICVA REGISTRA CRESCIMENTO DE 1,9% PARA O VAREJO EM JUNHO O indicador é calculado a partir da receita de vendas do comércio varejista deflacionada

Leia mais

ÍNDICE CIELO APONTA CRESCIMENTO DE 3,7% PARA O VAREJO EM OUTUBRO

ÍNDICE CIELO APONTA CRESCIMENTO DE 3,7% PARA O VAREJO EM OUTUBRO CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado ÍNDICE CIELO APONTA CRESCIMENTO DE 3,7% PARA O VAREJO EM OUTUBRO Alta foi registrada em comparação com outubro de 2013 e leva em conta a receita

Leia mais

Maio Divulgado em 16 de junho de 2015.

Maio Divulgado em 16 de junho de 2015. Maio - 2015 Divulgado em 16 de junho de 2015. VAREJO AMPLIADO CRESCE 0,4% EM MAIO, APONTA ICVA Percentual é calculado a partir da receita de vendas deflacionada pelo IPCA em comparação com maio de 2014;

Leia mais

Março Divulgado em 14 de abril de 2015.

Março Divulgado em 14 de abril de 2015. Março - 2015 Divulgado em 14 de abril de 2015. VAREJO AMPLIADO CRESCE 3,3% EM MARÇO, APONTA ICVA O comércio varejista brasileiro apresentou alta de 3,3% em março em relação ao mesmo período do ano passado,

Leia mais

Abril Divulgado em 16 de maio de 2016.

Abril Divulgado em 16 de maio de 2016. Abril - 2016 Divulgado em 16 de maio de 2016. VAREJO REGISTRA RETRAÇÃO DE 5,2% EM ABRIL, APONTA ICVA Indicador considera a receita deflacionada de vendas do varejo em relação a abril de 2015. Descontados

Leia mais

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,6% PARA O VAREJO EM NOVEMBRO

ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,6% PARA O VAREJO EM NOVEMBRO I C V A N O V E M BRO D E 2 0 1 6 CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,6% PARA O VAREJO EM NOVEMBRO Indicador considera a receita deflacionada de vendas

Leia mais

Fevereiro Divulgado em 15 de março de 2016.

Fevereiro Divulgado em 15 de março de 2016. Fevereiro - 2016 Divulgado em 15 de março de 2016. ICVA: BENEFICIADO PELO CALENDÁRIO, VAREJO AMPLIADO REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,4% EM FEVEREIRO Indicador considera a receita deflacionada de vendas do varejo

Leia mais

Outubro Divulgado em 16 de novembro de 2015.

Outubro Divulgado em 16 de novembro de 2015. Outubro - 2015 Divulgado em 16 de novembro de 2015. ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 3,3% NO VAREJO EM OUTUBRO Indicador considera a receita de vendas do varejo deflacionada pelo IPCA em relação a outubro de

Leia mais

Junho Divulgado em 15 de julho de 2015.

Junho Divulgado em 15 de julho de 2015. Junho - 2015 Divulgado em 15 de julho de 2015. ICVA REGISTRA CRESCIMENTO DE 1,9% PARA O VAREJO EM JUNHO O indicador é calculado a partir da receita de vendas do comércio varejista deflacionada pelo IPCA

Leia mais

Agosto Divulgado em 15 de setembro de 2015.

Agosto Divulgado em 15 de setembro de 2015. Agosto - 2015 Divulgado em 15 de setembro de 2015. ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 2,8% PARA O VAREJO EM AGOSTO Indicador considera a receita de vendas do varejo deflacionada pelo IPCA em comparação com agosto

Leia mais

Janeiro Divulgado em 16 de fevereiro de 2016.

Janeiro Divulgado em 16 de fevereiro de 2016. Janeiro - 2016 Divulgado em 16 de fevereiro de 2016. ICVA REGISTRA RETRAÇÃO DE 6,0% PARA O VAREJO EM JANEIRO Indicador considera a receita deflacionada de vendas do varejo em relação a janeiro de 2015.

Leia mais

Setembro Divulgado em 15 de outubro de 2015.

Setembro Divulgado em 15 de outubro de 2015. Setembro - 2015 Divulgado em 15 de outubro de 2015. ICVA APONTA RETRAÇÃO DE 3,4% PARA O VAREJO EM SETEMBRO Indicador considera a receita de vendas do varejo deflacionada pelo IPCA em comparação com setembro

Leia mais

VENDAS NO VAREJO DEIXAM DE CAIR PELA PRIMEIRA VEZ EM DOIS ANOS

VENDAS NO VAREJO DEIXAM DE CAIR PELA PRIMEIRA VEZ EM DOIS ANOS I C V A J U L H O D E 2 0 1 7 CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado VENDAS NO VAREJO DEIXAM DE CAIR PELA PRIMEIRA VEZ EM DOIS ANOS Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) não apontou

Leia mais

APÓS 2 ANOS DE RETRAÇÃO, VAREJO APRESENTA CRESCIMENTO REAL EM AGOSTO

APÓS 2 ANOS DE RETRAÇÃO, VAREJO APRESENTA CRESCIMENTO REAL EM AGOSTO CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado APÓS 2 ANOS DE RETRAÇÃO, VAREJO APRESENTA CRESCIMENTO REAL EM AGOSTO Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) apresentou crescimento de sobre o

Leia mais

ÍNDICE CIELO APONTA CRESCIMENTO TÍMIDO DE 0,5% DO VAREJO EM JUNHO

ÍNDICE CIELO APONTA CRESCIMENTO TÍMIDO DE 0,5% DO VAREJO EM JUNHO ÍNDICE CIELO APONTA CRESCIMENTO TÍMIDO DE 0,5% DO VAREJO EM JUNHO Número refere-se ao aumento da receita de vendas deflacionada pelo IPCA em relação a junho de 2013; com os ajustes dos efeitos de calendário,

Leia mais

Comunicado ao Mercado VAREJO DESACELERA EM MARÇO E TEM CRESCIMENTO DE 2,2% CONTRA O MESMO MÊS EM 2013 NA RECEITA DEFLACIONADA, APONTA ÍNDICE DA CIELO

Comunicado ao Mercado VAREJO DESACELERA EM MARÇO E TEM CRESCIMENTO DE 2,2% CONTRA O MESMO MÊS EM 2013 NA RECEITA DEFLACIONADA, APONTA ÍNDICE DA CIELO CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 NIRE 35.300.144.112 Comunicado ao Mercado VAREJO DESACELERA EM MARÇO E TEM CRESCIMENTO DE 2,2% CONTRA O MESMO MÊS EM 2013 NA RECEITA DEFLACIONADA, APONTA ÍNDICE DA

Leia mais

INDICADOR APONTA ALTA DE 2,1% PARA O VAREJO EM JANEIRO

INDICADOR APONTA ALTA DE 2,1% PARA O VAREJO EM JANEIRO CIELO S.A. CNPJ/MF 01.027.058/0001-91 Comunicado ao Mercado INDICADOR APONTA ALTA DE 2,1% PARA O VAREJO EM JANEIRO O comércio varejista brasileiro, medido pelo Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), registrou

Leia mais

Abril - 2015. Divulgado em 14 de maio de 2015.

Abril - 2015. Divulgado em 14 de maio de 2015. Abril - 2015 Divulgado em 14 de maio de 2015. VAREJO AMPLIADO CRESCE 1,1% EM ABRIL, APONTA ICVA Indicador considera a receita de vendas deflacionada pelo IPCA em comparação com abril de 2014; no índice

Leia mais

Copyright Cielo Todos os direitos reservados

Copyright Cielo Todos os direitos reservados Copyright Cielo Todos os direitos reservados Copyright Cielo Todos os direitos reservados Copyright Cielo Todos os direitos reservados Copyright Cielo Todos os direitos reservados Copyright

Leia mais

Pesquisa mensal de comércio Junho de 2012 IBGE

Pesquisa mensal de comércio Junho de 2012 IBGE Pesquisa mensal de comércio Junho de 212 IBGE PMC Varejo restrito e ampliado Sumário Varejo Restrito - Receita nominal - Volume de vendas (Deflação da receita bruta com o IPCA e SINAPI) Varejo Ampliado

Leia mais

COMENTÁRIOS comércio varejista comércio varejista ampliado

COMENTÁRIOS comércio varejista comércio varejista ampliado COMENTÁRIOS Em junho de 2015, o comércio varejista nacional registrou variação de -0,4% no volume de vendas frente ao mês imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais, quinta taxa negativa

Leia mais

ÍNDICE CIELO APONTA CRESCIMENTO TÍMIDO DE 0,5% DO VAREJO EM JUNHO

ÍNDICE CIELO APONTA CRESCIMENTO TÍMIDO DE 0,5% DO VAREJO EM JUNHO ÍNDICE CIELO APONTA CRESCIMENTO TÍMIDO DE 0,5% DO VAREJO EM JUNHO Número refere-se ao aumento da receita de vendas deflacionada pelo IPCA em relação a junho de 2013; com os ajustes dos efeitos de calendário,

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - JULHO/2015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL CONTINUA EM QUEDA A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

ANÁLISE MENSAL - PMC

ANÁLISE MENSAL - PMC ANÁLISE MENSAL - PMC Janeiro/ 2016 Varejo inicia o ano com recuo de -1,5% O Varejo brasileiro inicia o ano de 2016 dando continuidade à tendência de queda no volume de vendas com o primeiro mês do ano

Leia mais

Resultados 1º Trimestre de 2015

Resultados 1º Trimestre de 2015 Resultados 1º Trimestre de 2015 07 de Maio de 2015 Principais Destaques do Resultado do Receita Líquida de R$ 5,4 bilhões, estável vs. excluindo-se o 1 efeito CADE 1 Ganho de market share no período 2

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.39/Jul.2013

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.39/Jul.2013 Segue abaixo uma breve explicação sobre os indicadores analisados neste Boletim. Produção Industrial Mensal Produção Física (PIM-PF) A dinâmica da atividade econômica de uma região pode ser aferida de

Leia mais

Resultados do 1T17 27 de Abril de 2017

Resultados do 1T17 27 de Abril de 2017 Resultados do 27 de Abril de 2017 Transformação Negócio Online Evolução Estratégica do Marketplace 4 mil parceiros, 2 milhões de SKUs selecionados pelo nível de serviço e alinhamento com a nossa visão

Leia mais

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016

Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Produto Interno Bruto Estado de São Paulo Fevereiro de 2016 Diretoria Adjunta de Análise e Disseminação de Informações Gerência de Indicadores Econômicos Em fevereiro de 2016, no acumulado de 12 meses,

Leia mais

ANÁLISE MENSAL - PMC

ANÁLISE MENSAL - PMC ANÁLISE MENSAL - PMC Outubro/ 2015 Comércio tem crescimento após 8 meses de quedas consecutivas O comércio varejista nacional registrou crescimento nas vendas de 0,6% em outubro frente ao mês imediatamente

Leia mais

Fevereiro - 2015. Divulgado em 16 de março de 2015.

Fevereiro - 2015. Divulgado em 16 de março de 2015. Fevereiro - 2015 Divulgado em 16 de março de 2015. I C V A F E V E R E I R O D E 2 0 1 5 COM IMPACTO DO CARNAVAL, VAREJO TEM RETRAÇÃO DE 2,4% EM FEVEREIRO, APONTA ICVA O desempenho das vendas do comércio

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.1/mar. 2010

Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.1/mar. 2010 Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás N.1/mar. 2010 1 Na primeira edição do Boletim de Conjuntura Econômica de Goiás serão apresentadas análises de quatro índices que retratam a dinâmica da economia

Leia mais

Desempenho das Vendas e o Impacto na geração de emprego na RMSP

Desempenho das Vendas e o Impacto na geração de emprego na RMSP Desempenho das Vendas e o Impacto na geração de emprego na RMSP Varejo Estado de SP- 1 Semestre Em junho, o comércio varejista do estado de São Paulo registrou expressiva queda de 7,2% em comparação ao

Leia mais

Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017

Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017 Coordenação de Serviços e Comércio COSEC 07/2017 Pesquisa Anual de Comércio PAC 2015 Sumário Objetivos da PAC Segmentos e classes de atividade Aspectos metodológicos Principais resultados Objetivos da

Leia mais

TURISMO DO RJ JÁ PERDEU R$ 320 MILHÕES COM AUMENTO DA VIOLÊNCIA EM 2017

TURISMO DO RJ JÁ PERDEU R$ 320 MILHÕES COM AUMENTO DA VIOLÊNCIA EM 2017 TURISMO DO RJ JÁ PERDEU R$ 320 MILHÕES COM AUMENTO DA VIOLÊNCIA EM 2017 Avanço da criminalidade no Estado somado ao contexto econômico ainda desfavorável provocou queda de 7,9% na receita bruta do setor.

Leia mais

BOLETIM AC-VAREJO RA 08

BOLETIM AC-VAREJO RA 08 BOLETIM AC-VAREJO RA 08 O Instituto de Economia Gastão Vidigal (IEGV) da ACSP passará a divulgar mensalmente índices de faturamento (receita nominal) e de volume de vendas (receita real, deflacionada pelo

Leia mais

TERMÔMETRO DE VENDAS Março/2016

TERMÔMETRO DE VENDAS Março/2016 TERMÔMETRO DE VENDAS Março/2016 Elaborado: Economia - Pesquisa & Mercado Equipe Técnica: Economista Ana Pala Bastos Estatística - Sarah Ribeiro Analista André Fernandes Técnico em Pesquisa - Amanda Santos

Leia mais

Boletim de Inflação da Região Metropolitana de Curitiba nº 07, ano 01, julho 2013

Boletim de Inflação da Região Metropolitana de Curitiba nº 07, ano 01, julho 2013 A INFLAÇÃO MEDIDA PELO IPCA NA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA EM JULHO É PRESSIONADA POR QUATRO GRUPOS: HABITAÇÃO; DESPESAS PESSOAIS; SAÚDE E CUIDADOS PESSOAIS E VESTUÁRIO. Tabela 1: Variações percentuais

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS FEVEREIRO/2016 Resumo de desempenho Fevereiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No bimestre mês

Leia mais

Análise Mensal - PMC

Análise Mensal - PMC Análise Mensal - PMC Julho / 2016 Varejo tem pior julho da série histórica Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do IBGE, o volume das vendas do Varejo brasileiro voltou a ficar no negativo no mês

Leia mais

Receita nominal. Setembro/Agosto 0,5 0,1 1,5 1,2 Média móvel trimestral 1,0 0,1 1,1 0,5 Setembro 2015 / Setembro 2014

Receita nominal. Setembro/Agosto 0,5 0,1 1,5 1,2 Média móvel trimestral 1,0 0,1 1,1 0,5 Setembro 2015 / Setembro 2014 Vendas no varejo variam 0,5% em setembro Período Volume de vendas Varejo Receita nominal Varejo Ampliado Volume de vendas Receita nominal Setembro/Agosto 0,5 0,1 1,5 1,2 Média móvel trimestral 1,0 0,1

Leia mais

Destaques do Período

Destaques do Período COMUNICADO AO MERCADO Resultado Operacional Santo André, 03 de outubro de 2016 A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), comunica aos seus acionistas e aos demais participantes

Leia mais

Relatório de Resultado de Vendas do Natal 2015

Relatório de Resultado de Vendas do Natal 2015 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Relatório de Resultado de Vendas do Natal 2015 O perfil do empresário e resultado de vendas para o período de Natal em Santa Catarina

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Maio de 205 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO T5 2 Sumário A VIA VAREJO EM RESUMO B POSICIONAMENTO DA VIA VAREJO C DESTAQUES DO T5

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Janeiro de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing de Cartões do Banco Itaú 1 Mercado de Cartões Faturamento anual: R$ bilhões

Leia mais

Trabalho. Mercado BOLETIM. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Gabriel Tamancoldi Couto e Jenifer Barbosa

Trabalho. Mercado BOLETIM. Ribeirão Preto/SP. Prof. Dr. Sergio Naruhiko Sakurai Gabriel Tamancoldi Couto e Jenifer Barbosa Ano III Mai/ Criação líquida empregos é positiva em março, mas mercado trabalho segue frágil Os dados março do Cadastro Geral Empregados e Desempregados (CAGED) mostram um mercado trabalho ainda com sinais

Leia mais

IBGE DIVULGA ATUALIZAÇÃO DO RETRATO DO COMÉRCIO BRASILEIRO

IBGE DIVULGA ATUALIZAÇÃO DO RETRATO DO COMÉRCIO BRASILEIRO IBGE DIVULGA ATUALIZAÇÃO DO RETRATO DO COMÉRCIO BRASILEIRO Pesquisa Anual de Comércio radiografou as principais variáveis do comércio no Brasil ao fim do ciclo de forte expansão do setor. Entre 2007 e

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: EDITORIA: CAPA E ECONOMIA

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: EDITORIA: CAPA E ECONOMIA FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 16.07.15 EDITORIA: CAPA E ECONOMIA VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 16.07.15 EDITORIA: RODA VIVA VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 16.07.15 EDITORIA: ELIANA LIMA VEÍCULO:

Leia mais

ECONOMIA. Vendas do setor acumulam crescimento de 2,05% Nº40. Associação Brasileira de Supermercados. Renda e emprego mantêm crescimento do setor

ECONOMIA. Vendas do setor acumulam crescimento de 2,05% Nº40. Associação Brasileira de Supermercados. Renda e emprego mantêm crescimento do setor Associação Brasileira de Supermercados Nº40 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 27 de Maio de 2014 Vendas do setor acumulam crescimento de 2,05% Em abril, as vendas reais

Leia mais

Monitor do PIB-FGV Indicador mensal de maio de Número julho.2017

Monitor do PIB-FGV Indicador mensal de maio de Número julho.2017 Indicador mensal de maio de 2017 Número 19 18.julho.2017 O Monitor do PIB-FGV, com informações até maio do corrente ano mostra que, na série dessazonalizada, o PIB apresentou retração de 0,90% no mês de

Leia mais

Relatório de Resultado de Vendas Páscoa 2015

Relatório de Resultado de Vendas Páscoa 2015 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina Relatório de Resultado de Vendas Páscoa 2015 O perfil do empresário e

Leia mais

Resultados de Maio 2017

Resultados de Maio 2017 Diretoria de Pesquisas Coordenação de Serviços e Comércio - COSEC Pesquisa Mensal de Comércio - PMC Resultados de o 2017 Data 12/07/2017 Objetivo Pesquisa Mensal do Comércio Produzir indicadores que permitam

Leia mais

EXPECTATIVAS DO EMPRESÁRIO DO COMÉRCIO MELHORAM EM DEZEMBRO

EXPECTATIVAS DO EMPRESÁRIO DO COMÉRCIO MELHORAM EM DEZEMBRO (0-200) EXPECTATIVAS DO EMPRESÁRIO DO COMÉRCIO MELHORAM EM DEZEMBRO O de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) atingiu 79,9 pontos em dezembro, com queda de 1,4% em relação a novembro, descontados

Leia mais

Indicador de inadimplência de Pessoas Jurídicas SPC Brasil e CNDL

Indicador de inadimplência de Pessoas Jurídicas SPC Brasil e CNDL Indicador de inadimplência de Pessoas Jurídicas SPC Brasil e CNDL Dados referentes a outubro de 2016 RESUMO ANÁLISE ECONÔMICA METODOLOGIA DOS INDICADORES INFORMAÇÕES RELEVANTES Presidentes Honório Pinheiro

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS AGOSTO/2016 Resumo de desempenho Agosto 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês No ano mês anterior

Leia mais

Copyright Cielo Todos os direitos reservados

Copyright Cielo Todos os direitos reservados CIELO DAY EVOLUÇÃO DA INDÚSTRIA DE CARTÕES NO PAÍS E DESAFIOS CEO Rômulo de Mello Dias Crescimento (% yoy) 23,2% 25,2% 19,6% 23,8% 23,4% 18,1% 17,9% Volume capturado (R$ bilhões) MERCADO BRASILEIRO DE

Leia mais

Análise Mensal - IPCA. Janeiro 2017

Análise Mensal - IPCA. Janeiro 2017 Análise Mensal - IPCA Janeiro 2017 1 Análise Mensal - IPCA Janeiro 2017 Inflação para o mês de janeiro é a mais baixa desde 1994 A inflação brasileira, medida através do IPCA, apresentou variação positiva

Leia mais

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2015

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2015 Resultados 1º Trimestre de 2015 8 de Maio de 2015 Receita líquida avança 14,8%, com sólido crescimento orgânico Cnova Receita líquida: +14,8% Vendas mesmas lojas: +4,0% EBITDA (1) : R$ 1,057 bilhão Margem

Leia mais

VAREJO. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

VAREJO. Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos VAREJO Agosto de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DO VAREJO O comércio varejista já está apresentando retomada neste ano. Acomodação do mercado de trabalho aliada à

Leia mais

Inflação, nível de atividade e setor externo: o desempenho dos principais indicadores da economia brasileira

Inflação, nível de atividade e setor externo: o desempenho dos principais indicadores da economia brasileira NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Inflação, nível de atividade e setor externo: o desempenho dos principais indicadores da economia brasileira Guilherme R. S. Souza e Silva * RESUMO - O

Leia mais

Como os Aplicativos (smartphones) estão mudando os hábitos de Consumo

Como os Aplicativos (smartphones) estão mudando os hábitos de Consumo Como os Aplicativos (smartphones) estão mudando os hábitos de Consumo O usuário integrado O maior acesso da população à internet e aos smartphones vem mudando o comportamento do consumidor de e-commerce.

Leia mais

Resultado de Vendas Páscoa 2016

Resultado de Vendas Páscoa 2016 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina Resultado de Vendas Páscoa 2016 O perfil do empresário e resultado de

Leia mais

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2016

Resultados 1º Trimestre de de Maio de 2016 Resultados 1º Trimestre de 2016 11 de Maio de 2016 Receita líquida atinge R$ 17,8 bilhões, com crescimento de 10,9% no segmento alimentar 1T16: Receita líquida: R$ 17,8 bilhões EBITDA (1) : R$ 484 milhões

Leia mais

ÍNDICE. 1. Desempenho Estadual Desempenho por Atividade Desempenho por Região Melhores e Piores Regiões...

ÍNDICE. 1. Desempenho Estadual Desempenho por Atividade Desempenho por Região Melhores e Piores Regiões... OUTUBRO DE 2016 ÍNDICE 1. Desempenho Estadual... 3 2. Desempenho por Atividade... 7 3. Desempenho por Região... 10 3.1. Melhores e Piores Regiões... 13 4. Conclusão... 15 5. Nota Metodológica... 16 1.

Leia mais

Cielo Day 2011 RÔMULO DE MELLO DIAS CEO

Cielo Day 2011 RÔMULO DE MELLO DIAS CEO Cielo Day 2011 RÔMULO DE MELLO DIAS CEO CIELO EM RESUMO PRESENÇA EM MAIS DE UMAS DAS A MAIOR ADQUIRENTE E PROCESSADORA DE MEIOS DE PAGAMENTO DO BRASIL E DA AMÉRICA LATINA 98,8% DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

Leia mais

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO LONDRINA

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO LONDRINA FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DO PARANÁ PESQUISA CONJUNTURAL DO COMÉRCIO ANÁLISE CONJUNTURAL DO MÊS DE JANEIRO DE 2014 LONDRINA Este relatório, referente ao mês de Janeiro de 2014, da Pesquisa Conjuntural do Comércio

Leia mais

Resultado de Vendas Páscoa 2017

Resultado de Vendas Páscoa 2017 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Resultado de Vendas Páscoa 2017 O perfil do empresário e o resultado de vendas para o período da Páscoa em Santa Catarina Núcleo de Pesquisas

Leia mais

SEBRAE CARTÕES DE PAGAMENTO. Como as vendas por cartão de crédito e de débito. podem melhorar os negócios de sua empresa

SEBRAE CARTÕES DE PAGAMENTO. Como as vendas por cartão de crédito e de débito. podem melhorar os negócios de sua empresa CARTÕES DE PAGAMENTO Como as vendas por cartão de crédito e de débito podem melhorar os negócios de sua empresa O mundo mudou Nos hábitos: de consumo tecnologias formas de pagar Do ponto de vista do consumidor:

Leia mais

Vice-Presidência de Produtos. Dilson Ribeiro

Vice-Presidência de Produtos. Dilson Ribeiro Vice-Presidência de Produtos Dilson Ribeiro Aviso Legal A companhia faz declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas Tais declarações têm como base crenças e suposições de

Leia mais

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016

COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos COMÉRCIO VAREJISTA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

Monitor do PIB-FGV Indicador mensal de março de Número maio.2017

Monitor do PIB-FGV Indicador mensal de março de Número maio.2017 Número 17 17.maio.2017 O Monitor do PIB-FGV, com informações até março do corrente ano, mostra que, na série dessazonalizada, o PIB do primeiro trimestre cresceu 1,19% quando comparado com o quarto trimestre

Leia mais

Consumo de seguros no Brasil cresce 15,6% em 2010

Consumo de seguros no Brasil cresce 15,6% em 2010 Consumo de seguros no Brasil cresce 15,6% em 2010 04/02/2011 Valor Econômico Impresso Finanças O brasileiro aumentou o consumo de seguros de R$ 532 em 2009 para R$ 615 por habitante em 2010, o que representou

Leia mais

Pesquisa de Resultado de Vendas do Natal 2016

Pesquisa de Resultado de Vendas do Natal 2016 Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina Pesquisa de Resultado de Vendas do Natal 2016 O perfil do empresário e

Leia mais

BOLETIM AC-VAREJO RA 11, RA 16 & RA 19

BOLETIM AC-VAREJO RA 11, RA 16 & RA 19 BOLETIM AC-VAREJO RA 11, RA 16 & RA 19 O Instituto de Economia Gastão Vidigal (IEGV) da ACSP passará a divulgar mensalmente índices de faturamento (receita nominal) e de volume de vendas (receita real,

Leia mais

ANÁLISE MENSAL - PMC

ANÁLISE MENSAL - PMC ANÁLISE MENSAL - PMC Setembro/ 2015 Comércio apresenta em setembro 8º recuo mensal consecutivo O comércio varejista brasileiro registrou queda de 0,5% no mês de setembro de 2015 em relação ao mês anterior,

Leia mais

Vendas no varejo continuaram em queda em abril

Vendas no varejo continuaram em queda em abril Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos 16 de junho de 2015 Vendas no varejo continuaram em queda em abril As vendas do restrito recuaram na passagem de março para abril, refletindo o desempenho

Leia mais

Pesquisa Conjuntural. Comércio Varejista do Distrito Federal

Pesquisa Conjuntural. Comércio Varejista do Distrito Federal Pesquisa Conjuntural Comércio Varejista do Distrito Federal Junho 2011 Aderente a Metodologia Nacional CNC/IBGE SCS Qd. 06 Ed. Jessé Freire, 5º Andar CEP: 70306-911 Brasília-DF - Fone: (61) 3962-2011 Fax:

Leia mais

O crescimento da produção industrial em maio não altera a perspectiva de fraco desempenho da indústria em 2011

O crescimento da produção industrial em maio não altera a perspectiva de fraco desempenho da indústria em 2011 O crescimento da produção industrial em maio não altera a perspectiva de fraco desempenho da indústria em 2011 Resumo * Em maio com relação a abril a produção industrial cresceu 1,3%, livre de efeitos

Leia mais

A produção industrial caiu 1,6% em junho: Quatorze meses de estagnação

A produção industrial caiu 1,6% em junho: Quatorze meses de estagnação A produção industrial caiu 1,6% em junho: Quatorze meses de estagnação Resumo * A produção industrial voltou a registrar fraco desempenho em junho. * Com o resultado de junho, completam-se quatorze meses

Leia mais

Monitor do PIB-FGV Indicador mensal de setembro de Número novembro.2016

Monitor do PIB-FGV Indicador mensal de setembro de Número novembro.2016 Número 11 18.novembro.2016 O Monitor do PIB-FGV de novembro, com informações até setembro do corrente ano, mostra retração de 0,99%, no terceiro trimestre em comparação ao segundo; trata-se da sétima retração

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS CONTÁBEIS E CIÊNCIAS ECONÔMICAS CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS Boletim de Conjuntura Econômica de Nº 49, Maio de 2014 Segue abaixo uma breve explicação sobre os indicadores analisados neste Boletim. Para a realização deste boletim, faz-se uso de principalmente quatro

Leia mais

Diretoria/Responsáveis: Superintendente ABRAS Tiaraju Pires Presidente ABRAS Sussumu Honda Nº 18

Diretoria/Responsáveis: Superintendente ABRAS Tiaraju Pires Presidente ABRAS Sussumu Honda Nº 18 Diretoria/Responsáveis: Superintendente ABRAS Tiaraju Pires Presidente ABRAS Sussumu Honda Nº 18 ECONOMIA www.abras.com.br A informação que fala direto ao seu bolso 31 de Julho de 2012 Vendas crescem 6,68%

Leia mais

Ranking ABAD/Nielsen de Maio 2012

Ranking ABAD/Nielsen de Maio 2012 Ranking ABAD/Nielsen 2012 21 de Maio 2012 Agenda Quais são as forças que estão transformando o consumo? Qual o desempenho do setor Atacadista-Distribuidor? Quais são os desafios e oportunidades? Reflexões

Leia mais

O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008

O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008 NIVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA O desempenho dos principais indicadores da economia brasileira em 2008 Guilherme R. S. Souza e Silva * RESUMO - O presente artigo tem o objetivo de apresentar

Leia mais

COMÉRCIO REDUZ INTENÇÃO DE INVESTIMENTOS EM ESTOQUES EM JANEIRO DE 2017

COMÉRCIO REDUZ INTENÇÃO DE INVESTIMENTOS EM ESTOQUES EM JANEIRO DE 2017 Divisão Econômica COMÉRCIO REDUZ INTENÇÃO DE INVESTIMENTOS EM ESTOQUES EM JANEIRO DE 2017 Parcela significativa dos varejistas de produtos semiduráveis (25%) e pequenos comerciantes (29,8%) consideram

Leia mais

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS

INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDÚSTRIA BRASILEIRA DE BENS DE CAPITAL MECÂNICOS INDICADORES CONJUNTURAIS JANEIRO/2016 Resumo de desempenho Janeiro 2016 Variáveis R$ milhões constantes Variação percentual sobre Mês/Ano mês anterior

Leia mais

EXPEDIENTE INSTITUTO FECOMÉRCIO/DF

EXPEDIENTE INSTITUTO FECOMÉRCIO/DF EXPEDIENTE INSTITUTO FECOMÉRCIO/DF Presidente Adelmir Araújo Santana Diretor Financeiro Paolo Orlando Piacesi Diretora Executiva Elizabet Garcia Campos Equipe de Pesquisa: Analista de Mercado e Consultora

Leia mais

Setor de Serviços tem o melhor desempenho na RARP

Setor de Serviços tem o melhor desempenho na RARP Brasil e estado de São Paulo criam vagas pelo quarto mês consecutivo em Julho de 2017 Os dados de Julho de 2017 do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) indicam destruição líquida de vagas

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA A evolução dos principais indicadores econômicos do Brasil em 2007 Guilherme R. S. Souza e Silva * Introdução Este artigo pretende apresentar e discutir

Leia mais

PAIC confirma que 2005 não foi um ano bom para grande parte das empresas da construção

PAIC confirma que 2005 não foi um ano bom para grande parte das empresas da construção PAIC confirma que 2005 não foi um ano bom para grande parte das empresas da construção O balanço de final do ano de 2005 já mostrará que se não foi um ano perdido, os resultados frustraram as expectativas

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

No comparativo Dez.13/ Dez.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,49% e o vestuário apresentou queda de 4,9%.

No comparativo Dez.13/ Dez.12 o setor têxtil apresentou crescimento de 2,49% e o vestuário apresentou queda de 4,9%. 1- Comércio Exterior As Importações de têxteis e confeccionados em 2013 cresceram, em valor (US$), 2,4%, as exportações caíram 1,4%, enquanto o crescimento do déficit na Balança Comercial foi de 3,4% em

Leia mais

"Agressiva estratégia de crescimento, com um modelo de negócios sustentável"

Agressiva estratégia de crescimento, com um modelo de negócios sustentável "Agressiva estratégia de crescimento, com um " RECONHECIMENTO DA MARCA VAREJO E-COMMERCE AGÊNCIA TURISMO confiabilidade BRAND AWARENESS CONFIABILIDADE tradição em inovação DESDE 1972 tradição em inovação

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO INDICADORES DO VAREJO Boletim no. 34 (IEGV) FATURAMENTO E VOLUME DE VENDAS DO VAREJO NO ESTADO DE SÃO PAULO FEVEREIRO DE 2017 VAREJO RESTRITO Capital Capital * Estado de SP Estado de SP * Fevereiro 2017/

Leia mais

Conjuntura - Saúde Suplementar

Conjuntura - Saúde Suplementar Conjuntura - Saúde Suplementar 31º Edição - Junho de 2016 Sumário Conjuntura da Saúde Suplementar 1) Emprego e Planos coletivos 3 2) Renda e Planos individuais 4 3) PIB e Receita/Despesa das operadoras

Leia mais

INDICADOR DE COMÉRCIO EXTERIOR - ICOMEX

INDICADOR DE COMÉRCIO EXTERIOR - ICOMEX INDICADOR DE COMÉRCIO EXTERIOR - ICOMEX Icomex de julho, referente a junho de 2017 Número 3 12.junho.2017 Em junho, o volume exportado cresce forte e o importado desacelera. Destaques O primeiro destaque

Leia mais