Palavras-Chave: Diarreia Aguda MAPA DE REVISÕES. Assinatura do(s) Responsável (eis) Revisão Página(s) Motivo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palavras-Chave: Diarreia Aguda MAPA DE REVISÕES. Assinatura do(s) Responsável (eis) Revisão Página(s) Motivo"

Transcrição

1 Palavras-Chave: Diarreia Aguda Destinatários Médicos dos ACES da Unidade Coordenadora Funcional (UCF) de Leiria Elaboração Dr.ª Carmen Costa Aprovação Diretor do Serviço Dr. Bilhota Xavier Assinatura (s) Responsável (eis) pela Aprovação Data MAPA DE REVISÕES Assinatura do(s) Responsável (eis) Revisão Página(s) Motivo Data responsável (eis) pela Revisão pela aprovação 01 Várias Revisão de Edições Dr. António Cruz Dr. Bilhota xavier PC.CHLP / 6

2 1. INTRODUÇÃO: Define-se como um aumento da frequência e/ou volume das fezes e diminuição da consistência das fezes: Frequentemente associa-se a vómitos, febre, dor abdominal e recusa alimentar. É auto-limitada, tem uma duração média de 3 a 5 dias, mas pode prolongar-se até 7 dias. Corresponde a um desequilíbrio a nível dos processos de absorção/secreção do intestino e tem como principal risco na criança a desidratação. Causa de elevada morbilidade e mortalidade no mundo é a principal causa de morte, nos países em desenvolvimento e no 1º ano de vida, quando a mãe não amamenta. 2. ETIOLOGIA: Viral em 50-80% dos casos, sendo a agente mais frequente o Rotavírus. Em 5-10% é bacteriana e neste grupo o agente mais frequente é a Salmonella não- tiphy. 1% de causa parasitária. 3. DIAGNÓSTICO: A causa infecciosa é a mais frequente em idades pediátricas, mas importa considerar outras causas de diarreia aguda no diagnóstico diferencial. Causas Exemplo Cirúrgicas Apendicite, invaginação, S. Intestino curto Doença sistémica Endócrina (hipertiroidismo), imunodeficiência Inflamatória Doença inflamatória intestinal, D. Hirschprung Alimentar Alergia ou intolerância alimentar (lactose, HPLV) Malabsorção Fibrose quística, Doença celíaca Medicamentosa Antibióticos, colite pseudomembranosa Idiopática Síndrome de cólon irritável 1 1 frequente em criança ainda com fralda, com restos alimentares nas fezes e com bom estado geral e boa evolução ponderal PC.CHLP / 6

3 4. AVALIAÇÃO CLÍNICA: 1º passo: Determinar o grau de desidratação Pesar! Ligeira Moderada Severa 1 % perda de peso < Estado geral Bom, alerta Irritado Prostrado Sede Normal Sedento Dificuldade beber Olhos Normais Encovados Mto encovados Mucosas Húmidas Secas Mto secas Pele S/ prega cutânea Pregacutânea(Pc) Pc acentuada Dens urinária < >1030 2º passo: Explicar o perfil da doença aos pais e tranquilizar. 5. TERAPÊUTICA: 1º Ponto: Iniciar re-hidratação Solução hidroelectrolítica de rehidratação oral (SRO) o Pressupõe a existências de mecanismos de absorção intactos e baseia-se no cotransporte entre glicose e sódio. OMS desenvolve em 1975 a primeira SRO com 90 mmol/l de Na, dirigidos a epidemias de cólera. o Atualmente sabe-se que nos países desenvolvidos a diarreia aguda está associada a perda de sódio entre 30 a 60 mmol/l. Em 1989 a ESPGAN (European Society of Pediatric Gastroenterology, Hepatology and Nutrition) recomenda para os países desenvolvidos SRO com 60 mmol/l 1 sinais de colapso: pulso filiforme, extremidades frias/ pele marmoreada, tempo de recoloração cutânea >2seg PC.CHLP / 6

4 Soluções de Re-hidratação Oral (SRO): OMS ESPGHAN Dioralyte Miltina Na ( mmol/l) K (mmol/l) Glicose Osmolaridade NR 230 NR- não referido pelo fabricante Não são recomendadas quaisquer das seguintes bebidas, que se apresenta com a respetiva composição Osmolaridade Na (mmol/l) Coca-cola 469 3,0 Seven-up 388 4,0 Sumo de laranja 587 1,0 Sumo de maçã 694 0,0 Se desidratação ligeira Reposição de perdas nas primeiras 4 h Se vómitos: fraccionamento com aumento progressivo de quantidade Reavaliação clínica às 2h Manter SRO para perdas persistentes 10ml/Kg/dejecção diarreica Vómitos não contra-indicam hidratação oral! Exemplo o Criança de 10 Kg o desidratação de 5 % o défice de 500 ml o dar 500 ml em 4h o corresponde a 125 ml/h PC.CHLP / 6

5 Se desidratação moderada a severa - > 5% ou o Falência da hidratação oral: recusa ingerir líquidos, agravamento sinais de desidratação, incapacidade dos prestadores de cuidados o Idade < 2 meses o Doença de base HOSPITAL 2º Ponto: Alimentação precoce Em 1997 um estudo da ESPGAN Early feeding in Childhood Gasteoenteritis salienta os seguintes aspectos: o Realimentação precoce no final das 4h de re-hidratação, com dieta habitual da criança o Dietas hipoproteicas e hipocalóricas agravam a desnutrição e prolongam quadro clínico o Não interromper aleitamento materno o No aleitamento artificial em lactentes bem nutridos manter reconstituição habitual das fórmulas Terapêutica contra-indicada: Drogas anti-diarreicas Loperamida Opiáceos Agentes anticolinérgicos Salicilato de bismuto Antibióticos A criança não é um adulto pequeno PC.CHLP / 6

6 Mensagens chave a passar aos pais: Diarreia aguda na criança é auto-limitada Diarreia permite libertar toxinas É importante tratar a desidratação, não a diarreia Re-hidratação é mais eficaz com SRO SRO não reduz o volume ou a duração da diarreia Anti-diarreicos são contra-indicados e podem ser nocivos Alertar para os sinais de desidratação Os nove pilares da terapêutica correta da diarreia aguda de acordo com a ESPGAN: 1) Usar SRO para a re-hidratação 2) Soluções hipotónicas ( Na 60 mmol/l; Glicose mmol/l) 3) Re-hidratar nas primeiras 4h 4) Reiniciar alimentação precocemente com dieta habitual 5) Não se justificam fórmulas de leite diluídas 6) Não se justificam fórmulas de leite sem dissacáridos 7) Manter aleitamento materno SEMPRE 8) Manter SRO para perdas persistentes 9) Não administrar medicação desnecessária Adaptado: ESPGHAN Working Group on Acute Diarrhoea PC.CHLP / 6

MAPA DE REVISÕES. Revisão Página Motivo Data Responsável

MAPA DE REVISÕES. Revisão Página Motivo Data Responsável DESTINATÁRIOS Médicos do Serviço de Pediatria (UP, EP, CEP) e dos Centros de Saúde da Unidade Coordenadora Funcional (UCF) de Leiria Elaboração Cármen Costa ------------------------------- Aprovação Director

Leia mais

OBESIDADE MAPA DE REVISÕES PROTOCOLO CLINICO. Destinatários. Data Dr. Bilhota Xavier

OBESIDADE MAPA DE REVISÕES PROTOCOLO CLINICO. Destinatários. Data Dr. Bilhota Xavier Palavras-Chave: Destinatários Médicos dos ACES da Unidade Coordenadora Funcional (UCF) de Leiria Elaboração Dr.ª Sandra Ferreira, Dr.ª Carla Loureiro, Dr. Pascoal Moleiro Aprovação Diretor do Serviço Dr.

Leia mais

ENURESE MAPA DE REVISÕES PROTOCOLO CLINICO. Destinatários. Data Palavras-Chave: ENURESE

ENURESE MAPA DE REVISÕES PROTOCOLO CLINICO. Destinatários. Data Palavras-Chave: ENURESE Palavras-Chave: Destinatários Médicos dos ACES da Unidade Coordenadora Funcional (UCF) de Leiria Elaboração Dr.ª Carla Loureiro, Dr.ª Carmen Costa, Dr.ª Teresa Rezende Aprovação Diretor do Serviço Dr.

Leia mais

DIARRÉIA AGUDA E DESIDRATAÇÃO. Dra. Joelma Gonçalves Martin Departamento de pediatria Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP

DIARRÉIA AGUDA E DESIDRATAÇÃO. Dra. Joelma Gonçalves Martin Departamento de pediatria Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP DIARRÉIA AGUDA E DESIDRATAÇÃO Dra. Joelma Gonçalves Martin Departamento de pediatria Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP DIARRÉIA AGUDA INTRODUÇÃO É definida como a eliminação súbita s de fezes com

Leia mais

APLV - O que é a Alergia à Proteína do Leite de Vaca: características, sinais e sintomas. Dra. Juliana Praça Valente Gastropediatra

APLV - O que é a Alergia à Proteína do Leite de Vaca: características, sinais e sintomas. Dra. Juliana Praça Valente Gastropediatra APLV - O que é a Alergia à Proteína do Leite de Vaca: características, sinais e sintomas Dra. Juliana Praça Valente Gastropediatra Reações Adversas a Alimentos Imunomediadas: Alergia alimentar IgE mediada

Leia mais

INFEÇÃO URINÁRIA MAPA DE REVISÕES PROTOCOLO CLINICO. Destinatários. Data Dr. Bilhota Xavier

INFEÇÃO URINÁRIA MAPA DE REVISÕES PROTOCOLO CLINICO. Destinatários. Data Dr. Bilhota Xavier Palavras-Chave: Infeção Urinária Destinatários Médicos dos ACES da Unidade Coordenadora Funcional (UCF) de Leiria Elaboração Dr.ª Alexandra Luz, Dr.ª Tânia Russo, Dr.ª Teresa Rezende Aprovação Diretor

Leia mais

NÃO SE TRATA APENAS DE UMA INGESTÃO DE FLUIDOS

NÃO SE TRATA APENAS DE UMA INGESTÃO DE FLUIDOS REIDRATAÇÃO DE VITELOS NÃO SE TRATA APENAS DE UMA INGESTÃO DE FLUIDOS A nova solução para diarreias em vitelos Compatível com o leite Boa palatibilidade Correção da acidose, desidratação e hipoglicémia

Leia mais

Página 1 de 5 GABARITO - PRÁTICA QUESTÃO 1 ITEM A

Página 1 de 5 GABARITO - PRÁTICA QUESTÃO 1 ITEM A GABARITO - PRÁTICA QUESTÃO 1 Lactente vem evoluindo bem, com sinais e sintomas comuns dessa faixa etária Ganho de peso limítrofe. Cólicas e hábito intestinal compatível com aleitamento misto. Pediatra

Leia mais

Protocolo Clínico e de Regulação para Abordagem da Criança com Diarreia Aguda

Protocolo Clínico e de Regulação para Abordagem da Criança com Diarreia Aguda Protocolo Clínico e de Regulação para Abordagem da Criança com Diarreia Aguda 110 Regina M. A. Mattiello Rodrigo José Custódio Wagner A. dos Santos Palmira Cupo INTRODUÇÃO A doença diarreica tem alta prevalência

Leia mais

10anos. Hidratação em Pediatria. Prof. Dr. Mário M. Ferreira Carpi - UNESP - Botucatu

10anos. Hidratação em Pediatria. Prof. Dr. Mário M. Ferreira Carpi - UNESP - Botucatu 1988 1988 1998 10anos Hidratação em Pediatria Prof. Dr. Mário M Ferreira Carpi UTI - Pediátrica - UNESP - Botucatu Desidratação Perda de água e eletrólitos litos não compensada pelo organismo Hidratação

Leia mais

HIPERÊMESE GRAVÍDICA. Msc. Roberpaulo Anacleto

HIPERÊMESE GRAVÍDICA. Msc. Roberpaulo Anacleto HIPERÊMESE GRAVÍDICA Msc. Roberpaulo Anacleto Introdução A ocorrência ocasional de náuseas e vômitos até 14 semanas de gestação, mais comum no período da manhã, é rotulada como êmese gravídica e pode ser

Leia mais

recomendações Atualização de Condutas em Pediatria

recomendações Atualização de Condutas em Pediatria Atualização de Condutas em Pediatria nº 36 Departamentos Científicos da SPSP, gestão 2007-2009. Departamento de Neonatologia Obstrução nasal no recém-nascido Departamento de Adolescência Minhas dúvidas

Leia mais

NUTRIÇÃO E DIETA Doença Inflamatória do Intestino

NUTRIÇÃO E DIETA Doença Inflamatória do Intestino Serviço de Gastrenterologia Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, EPE Diretora: Dra. Maria Antónia Duarte Vera Costa Santos 10 Outubro 2015 TUBO DIGESTIVO Digestão de alimentos Boca Esófago

Leia mais

Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco Real Clínica Médica DIARREIA CRÔNICA. MR1Bruna Lima MR2 Mirla de Sá Dr.

Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco Real Clínica Médica DIARREIA CRÔNICA. MR1Bruna Lima MR2 Mirla de Sá Dr. Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco Real Clínica Médica DIARREIA CRÔNICA MR1Bruna Lima MR2 Mirla de Sá Dr. Fortunato Cardoso Recife, 13 de maio de 2015 CONCEITO DIARREIA: Frequência:

Leia mais

Características Nutricionais das Dietas Hospitalares. Juliana Aquino

Características Nutricionais das Dietas Hospitalares. Juliana Aquino Características Nutricionais das Dietas Hospitalares Juliana Aquino Sendo a Dieta o primeiro item da Prescrição Médica, é parte integrante do Tratamento Clínico. DIETA Consiste no uso dos alimentos como

Leia mais

Como acabar com Dor no estômago. O que pode ser?

Como acabar com Dor no estômago. O que pode ser? Como acabar com Dor no estômago. O que pode ser? Se tratando de dor no estômago, é preciso ter seriedade, encontrar a causa é mais complicado do que se pensa. É preciso fazer uma avaliação com um especialista,

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO CONCURSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM TEMA 11 PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE VACINAS O que faz uma vacina? Estimula

Leia mais

Diagnóstico e tratamento da Gastrenterite Aguda as perspectivas da ESPGHAN-ESPID e da SLAGHNP

Diagnóstico e tratamento da Gastrenterite Aguda as perspectivas da ESPGHAN-ESPID e da SLAGHNP 0873-9781/11/42-4/172 Acta Pediátrica Portuguesa Sociedade Portuguesa de Pediatria ACTUALIZAÇÃO Diagnóstico e tratamento da Gastrenterite Aguda as perspectivas da ESPGHAN-ESPID e da SLAGHNP Sofia Martins

Leia mais

FLORALYTE 45. (cloreto de sódio, citrato de potássio monoidratado,citrato de sódio di-hidratado, glicose anidra) Merck S/A

FLORALYTE 45. (cloreto de sódio, citrato de potássio monoidratado,citrato de sódio di-hidratado, glicose anidra) Merck S/A FLORALYTE 45 (cloreto de sódio, citrato de potássio monoidratado,citrato de sódio di-hidratado, glicose anidra) Merck S/A Solução hidroeletrolítica pronta para uso sódio 45 meq/l; potássio 20 meq/l; cloreto

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Supofen, 500 mg, Comprimidos Paracetamol Este folheto contém informações importantes para si. Leia-o atentamente. Este medicamento pode ser adquirido sem

Leia mais

Manejo clínico da ascite

Manejo clínico da ascite Manejo clínico da ascite Prof. Henrique Sérgio Moraes Coelho XX Workshop Internacional de Hepatites Virais Recife Pernambuco 2011 ASCITE PARACENTESE DIAGNÓSTICA INDICAÇÕES: ascite sem etiologia definida

Leia mais

AIDPI. Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância

AIDPI. Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância AIDPI (OPAS/OMS/UNICEF) Objetivos redução da mortalidade de crianças menores de 5 anos de idade diminuição da incidência e gravidade dos casos

Leia mais

(MODELO DE BULA PARA O PACIENTE) PEDIALYTE 90 cloreto de sódio citrato de potássio citrato de sódio glicose

(MODELO DE BULA PARA O PACIENTE) PEDIALYTE 90 cloreto de sódio citrato de potássio citrato de sódio glicose (MODELO DE BULA PARA O PACIENTE) PEDIALYTE 90 cloreto de sódio citrato de potássio citrato de sódio glicose SOLUÇÃO HIDROELETROLÍTICA ESTÉRIL PRONTA PARA BEBER LIVRE DE CONSERVANTES APRESENTAÇÃO Frasco

Leia mais

INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS AGUDAS (IRAs) NA INFÂNCIA. Enfermagem na Atenção Básica Profa. Maria De La Ó Ramallo Veríssimo

INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS AGUDAS (IRAs) NA INFÂNCIA. Enfermagem na Atenção Básica Profa. Maria De La Ó Ramallo Veríssimo INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS AGUDAS (IRAs) NA INFÂNCIA Enfermagem na Atenção Básica - 2015 Profa. Maria De La Ó Ramallo Veríssimo IRAS NA INFÂNCIA IRAs Principal motivo de consulta e de hospitalização (30

Leia mais

FLUISOLVAN. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Xarope Adulto 6mg/mL Infantil 3mg/mL

FLUISOLVAN. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Xarope Adulto 6mg/mL Infantil 3mg/mL FLUISOLVAN Geolab Indústria Farmacêutica S/A Xarope Adulto 6mg/mL Infantil 3mg/mL 3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO? Você não deve usar Fluisolvan se tiver alergia ao ambroxol (substância ativa)

Leia mais

SABAA SISTEMATIZAÇÃO DO ATENDIMENTO BÁSICO DO ABDOME AGUDO

SABAA SISTEMATIZAÇÃO DO ATENDIMENTO BÁSICO DO ABDOME AGUDO SABAA SISTEMATIZAÇÃO DO ATENDIMENTO BÁSICO DO ABDOME AGUDO ANAMNESE - 1º PASSO SABAA Caracterização da dor abdominal: Evolução (início e duração) Localização Irradiação Intensidade e tipo Agravo Alivio

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. 1. O QUE É Lactulose Pharmakern E PARA QUE É UTILIZADO

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. 1. O QUE É Lactulose Pharmakern E PARA QUE É UTILIZADO FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Lactulose Pharmakern 666,7 mg/ml Xarope Lactulose, líquida Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento. - Conserve este folheto. Pode

Leia mais

Fosfomicina Generis 2000 mg Granulado para solução oral. Fosfomicina Generis 3000 mg Granulado para solução oral

Fosfomicina Generis 2000 mg Granulado para solução oral. Fosfomicina Generis 3000 mg Granulado para solução oral FOLHETO INFORMATIVO: Informação para o utilizador Fosfomicina Generis 2000 mg Granulado para solução oral. Fosfomicina Generis 3000 mg Granulado para solução oral Leia atentamente este folheto antes de

Leia mais

Funcional - Pressão intracólica aumentada - Motilidade basal e propulsiva aumentada - Lume estreito contracções segmentares

Funcional - Pressão intracólica aumentada - Motilidade basal e propulsiva aumentada - Lume estreito contracções segmentares Doença Diverticular Fisiopatologia Estrutural - Parede cólica: mucosa, submucosa muscular - circular - longitudinal - Teniae coli serosa - Falsos divertículos - Hipertrofia da camada muscular: da elastina

Leia mais

RESIDENCIA MÉDICA UFRJ

RESIDENCIA MÉDICA UFRJ 1. Homem 54 anos, em uso regular de diclofenaco sódico por dor lombar. Há 24h com náuseas, vômitos e soluços. Normocorado, hálito urêmico, pressão arterial (PA) = 140x72mmHg, frequência cardíaca (FC)=

Leia mais

CRONOPLEX. Instituto Terapêutico Delta Ltda Solução Oral 7,5 MG/ML

CRONOPLEX. Instituto Terapêutico Delta Ltda Solução Oral 7,5 MG/ML CRONOPLEX Instituto Terapêutico Delta Ltda Solução Oral 7,5 MG/ML Cronoplex picossulfato de sódio FORMA FARMACÊUTICA, VIA DE ADMINISTRAÇÃO E APRESENTAÇÃO Solução oral 7,5 mg/ml: embalagem contendo um frasco

Leia mais

HIDRALYTE. Natulab Laboratório SA. Solução Oral

HIDRALYTE. Natulab Laboratório SA. Solução Oral HIDRALYTE Natulab Laboratório SA. Solução Oral Cloreto de sódio 2,05mg + Citrato de sódio diidratado 0,98mg + Glicose 22,75mg + Citrato de potássio monoidratado 2,16mg HIDRALYTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Leia mais

Guia Prático MANEJO CLÍNICO DE PACIENTE COM SUSPEITA DE DENGUE. Estado de São Paulo Divisão de Dengue e Chikungunya

Guia Prático MANEJO CLÍNICO DE PACIENTE COM SUSPEITA DE DENGUE. Estado de São Paulo Divisão de Dengue e Chikungunya Guia Prático MANEJO CLÍNICO DE PACIENTE COM SUSPEITA DE DENGUE Divisão de Dengue e Chikungunya Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac CCD COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS Estado

Leia mais

Trimeb. (maleato de trimebutina)

Trimeb. (maleato de trimebutina) Trimeb (maleato de trimebutina) Bula para paciente Cápsula mole 200 mg Página 1 Trimeb (maleato de trimebutina) MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA Cápsula mole FORMA FARMACÊUTICA

Leia mais

Folheto Informativo: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Folheto Informativo: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Folheto Informativo: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Mucosolvan 30 mg Comprimido cloridrato de ambroxol Este folheto contém informações importantes para si. Leia-o atentamente. Este medicamento pode ser adquirido

Leia mais

Monitorização de Doenças Diarréicas Agudas MDDA

Monitorização de Doenças Diarréicas Agudas MDDA Monitorização de Doenças Diarréicas Agudas MDDA A Doença Diarréica Aguda (DDA) é reconhecida como importante causa de morbimortalidade no Brasil, mantendo relação direta com as: precárias condições de

Leia mais

MUVINOR (policarbofila cálcica) Libbs Farmacêutica Ltda. Comprimidos revestidos 500 mg

MUVINOR (policarbofila cálcica) Libbs Farmacêutica Ltda. Comprimidos revestidos 500 mg MUVINOR (policarbofila cálcica) Libbs Farmacêutica Ltda. Comprimidos revestidos 500 mg MUVINOR policarbofila cálcica APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos com 500 mg de policarabofila base. Embalagens com

Leia mais

Irritratil maleato de trimebutina I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA"

Irritratil maleato de trimebutina I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA Irritratil maleato de trimebutina I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA" APRESENTAÇÕES: Cápsulas gelatinosas moles para uso oral de 200 mg, embalagem

Leia mais

Memorial Descritivo Pregão eletrônico Nº 34/2016

Memorial Descritivo Pregão eletrônico Nº 34/2016 Empresa: Endereço: Fundaçao Hospitalar Santa Terezinha de Erechim Memorial Descritivo Pregão eletrônico Nº 34/2016 Fone: Cidade: Bairro: Cep: Data Abertura: 08/11/2016 09:00:00 Data Emissão: 25/10/2016

Leia mais

APROVADO EM 10-04-2012 INFARMED. Folheto informativo: Informação para o utilizador. UL-250, 250 mg, pó para suspensão oral Saccharomyces boulardii

APROVADO EM 10-04-2012 INFARMED. Folheto informativo: Informação para o utilizador. UL-250, 250 mg, pó para suspensão oral Saccharomyces boulardii Folheto informativo: Informação para o utilizador UL-250, 250 mg, pó para suspensão oral Saccharomyces boulardii Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém

Leia mais

Paracetamol Generis pertence a um grupo de medicamentos chamados analgésicos e antipiréticos que ajudam no combate à dor e febre.

Paracetamol Generis pertence a um grupo de medicamentos chamados analgésicos e antipiréticos que ajudam no combate à dor e febre. Folheto informativo: Informação para o utilizador Paracetamol Generis 40 mg/ml Xarope Paracetamol Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém informação importante

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA. Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA:

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA. Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS ALERGISTA QUESTÃO 21 Com relação à corticoterapia sistêmica na dermatite atópica grave, assinale a resposta CORRETA: a) não há estudos sistematizados que avaliem a

Leia mais

GRUPO BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO

GRUPO BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO NOTA TÉCNICA 02/2016 Belo Horizonte, 26 de Janeiro de 2016 GRUPO BRASILEIRO DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO Diretor-Presidente Welfane Cordeiro Júnior Diretora Maria do Carmo Paixão Rausch Equipe técnica: Cíntia

Leia mais

CLORIDRATO DE BROMEXINA

CLORIDRATO DE BROMEXINA CLORIDRATO DE BROMEXINA Geolab Indústria Farmacêutica S/A Xarope infantil 4mg/5mL Xarope adulto 8mg/5mL Você não deve usar o cloridrato de bromexina se tiver alergia a bromexina (substância ativa) ou

Leia mais

Bárbara Ximenes Braz

Bárbara Ximenes Braz Bárbara Ximenes Braz Identificação Sexo masculino 26 anos Universitário Americano Queixa principal Dor abdominal há 1 semana. HDA O paciente apresentou queixa de dor latejante, constante há uma semana,

Leia mais

Doenças veiculadas por água contaminada

Doenças veiculadas por água contaminada Doenças veiculadas por água contaminada FORMAS DE CONTAMINAÇÃO Contato da pele com água contaminada; Ingestão de água contaminada; Ausência de rede de esgoto, falta de água ou práticas precárias de higiene;

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL NA PRÁTICA CLÍNICA

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL NA PRÁTICA CLÍNICA AVALIAÇÃO NUTRICIONAL NA PRÁTICA CLÍNICA NUTRIÇÃO CLÍNICA 2010/2011 2º SEMESTRE OBJECTIVOS Verificar desvios nutricionais egrau Identificar doentes com necessidade de intervenção nutricional Avaliar a

Leia mais

Resultados da Validação do Mapeamento. Administrar medicamentos vasoativos, se adequado.

Resultados da Validação do Mapeamento. Administrar medicamentos vasoativos, se adequado. Intervenções de Enfermagem da Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC) para o diagnóstico de Volume de líquidos deficiente em pacientes vitimas de trauma Quadro 1- Reestruturação dos níveis de

Leia mais

Doença de Crohn. Grupo: Bruno Melo Eduarda Melo Jéssica Roberta Juliana Jordão Luan França Luiz Bonner Pedro Henrique

Doença de Crohn. Grupo: Bruno Melo Eduarda Melo Jéssica Roberta Juliana Jordão Luan França Luiz Bonner Pedro Henrique Doença de Crohn Grupo: Bruno Melo Eduarda Melo Jéssica Roberta Juliana Jordão Luan França Luiz Bonner Pedro Henrique A doença de Crohn (DC) é considerada doença inflamatória intestinal (DII) sem etiopatogenia

Leia mais

RAPILAX. Kley Hertz Farmacêutica S.A. Solução oral Picossulfato de sódio 7,5 mg/ml

RAPILAX. Kley Hertz Farmacêutica S.A. Solução oral Picossulfato de sódio 7,5 mg/ml RAPILAX Kley Hertz Farmacêutica S.A. Solução oral Picossulfato de sódio 7,5 mg/ml RAPILAX Picossulfato de sódio APRESENTAÇÃO Solução oral contendo: 7,5 mg/ml de picossulfato de sódio em frasco plástico

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Donepezilo Dornipur 5 mg e 10 mg Comprimidos revestidos por película

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Donepezilo Dornipur 5 mg e 10 mg Comprimidos revestidos por película FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Donepezilo Dornipur 5 mg e 10 mg Comprimidos revestidos por película Cloridrato de donepezilo Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento

Leia mais

FARLAC (lactulose) Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A. Xarope 667mg/mL

FARLAC (lactulose) Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A. Xarope 667mg/mL FARLAC (lactulose) Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A. Xarope 667mg/mL I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: Farlac lactulose APRESENTAÇÃO Xarope Embalagem contendo frasco com 120mL. USO ORAL

Leia mais

Seminário Grandes Síndromes

Seminário Grandes Síndromes Seminário Grandes Síndromes TEMA: DISPEPSIA Residente: Paloma Porto Preceptor: Dr. Fortunato Cardoso DEFINIÇÃO De acordo com os critérios de Roma III, dispepsia é definida por 1 ou mais dos seguintes sintomas:

Leia mais

PROBIÓTICOS AO SEU ANIMAL DE COMPANHIA

PROBIÓTICOS AO SEU ANIMAL DE COMPANHIA Os benefícios da administração de PROBIÓTICOS AO SEU ANIMAL DE COMPANHIA Benefícios dos probióticos. Em humanos, os diversos benefícios para a saúde derivados da toma regular de probióticos - as chamadas

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Paramolan 125 mg supositórios (Lactente) Paramolan 250 mg supositórios (Infantil) Paracetamol APROVADO EM Leia com atenção todo este folheto antes de começar

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO. Cada ml da solução contém 3,25mg de fluoreto de sódio (equivalente a 0,05mg de ião fluoreto/gota).

FOLHETO INFORMATIVO. Cada ml da solução contém 3,25mg de fluoreto de sódio (equivalente a 0,05mg de ião fluoreto/gota). FOLHETO INFORMATIVO FLÚOR LACER 3.25 mg/ml Gotas orais, solução (Fluoreto de Sódio) COMPOSIÇÃO Cada ml da solução contém 3,25mg de fluoreto de sódio (equivalente a 0,05mg de ião fluoreto/gota). 1 ml =

Leia mais

BISALAX (bisacodil) União Química Farmacêutica Nacional S.A. Drágea 5 mg

BISALAX (bisacodil) União Química Farmacêutica Nacional S.A. Drágea 5 mg BISALAX (bisacodil) União Química Farmacêutica Nacional S.A. Drágea 5 mg Bisalax bisacodil Drágea IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Drágeas de 5 mg: embalagens contendo 20 e 150

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA O CUIDADO DOMICILIAR POR PROFISSIONAIS DE NÍVEL SUPERIOR - FECALOMA: ABORDAGEM CLÍNICA, PRINCÍPIOS E INTERVENÇÕES

PRINCÍPIOS PARA O CUIDADO DOMICILIAR POR PROFISSIONAIS DE NÍVEL SUPERIOR - FECALOMA: ABORDAGEM CLÍNICA, PRINCÍPIOS E INTERVENÇÕES PRINCÍPIOS PARA O CUIDADO DOMICILIAR POR PROFISSIONAIS DE NÍVEL SUPERIOR - FECALOMA: ABORDAGEM CLÍNICA, PRINCÍPIOS E INTERVENÇÕES Apresentação da Unidade Nesta unidade são abordados conceito, causas e

Leia mais

- Descrito na década de 70, mas com aumento constante na incidência desde os anos 90

- Descrito na década de 70, mas com aumento constante na incidência desde os anos 90 INTRODUÇÃO - Descrito na década de 70, mas com aumento constante na incidência desde os anos 90 - Caracterizada pela infiltração de eosinófilos na mucosa esofágica - Pode ser isolada ou como manifestação

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DAS DDA. Patrícia A.F. De Almeida Outubro - 2013

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DAS DDA. Patrícia A.F. De Almeida Outubro - 2013 VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DAS DDA Patrícia A.F. De Almeida Outubro - 2013 INTRODUÇÃO DDA Síndrome causada por vários agentes etiológicos (bactérias, vírus e parasitos) 03 ou mais episódios com fezes líquidas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ CURSO DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ CURSO DE ENFERMAGEM 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ CURSO DE ENFERMAGEM 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: Unidade: Campus Jataí - UFG Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem pediátrica e neonatológica I Código: 8282

Leia mais

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO. Cada saqueta de contém as seguintes substâncias activas:

RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO. Cada saqueta de contém as seguintes substâncias activas: RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DO MEDICAMENTO 1. NOME DO MEDICAMENTO Molaxole pó para solução oral 2. COMPOSICÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Cada saqueta de contém as seguintes substâncias activas: Macrogol

Leia mais

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Dolban 0,75 mg/g creme. Capsaícina, óleo-resina (expressa em capsaícina)

Folheto informativo: Informação para o utilizador. Dolban 0,75 mg/g creme. Capsaícina, óleo-resina (expressa em capsaícina) Folheto informativo: Informação para o utilizador Dolban 0,75 mg/g creme Capsaícina, óleo-resina (expressa em capsaícina) Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar este medicamento

Leia mais

GUTTALAX. (picossulfato de sódio) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Solução oral 7,5 mg/ml GUTTALAX SOLUÇÃO PACIENTE

GUTTALAX. (picossulfato de sódio) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. Solução oral 7,5 mg/ml GUTTALAX SOLUÇÃO PACIENTE abcd abcd GUTTALAX (picossulfato de sódio) Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda. 7,5 mg/ml Guttalax_solução Bula Paciente 20140402/ S16-00 1 Guttalax picossulfato de sódio abcd APRESENTAÇÃO

Leia mais

maleato de trimebutina

maleato de trimebutina maleato de trimebutina Althaia S.A. Indústria Farmacêutica Cápsulas Gelatinosas Mole 200 mg maleato de trimebutina Medicamento genérico Lei n o 9.787, de 1999. I IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO APRESENTAÇÃO:

Leia mais

cloridrato de ambroxol Xarope Pediátrico 15mg/5mL Xarope Adulto 30mg/5mL

cloridrato de ambroxol Xarope Pediátrico 15mg/5mL Xarope Adulto 30mg/5mL cloridrato de ambroxol Xarope Pediátrico 15mg/5mL Xarope Adulto 30mg/5mL MODELO DE BULA COM INFORMAÇÕES AO PACIENTE cloridrato de ambroxol Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999. APRESENTAÇÕES Xarope

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENFERMAGEM AURORA DE AFONSO COSTA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E LICENCIATURA

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENFERMAGEM AURORA DE AFONSO COSTA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E LICENCIATURA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE ESCOLA DE ENFERMAGEM AURORA DE AFONSO COSTA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM E LICENCIATURA HARA ALMEIDA COSTA KARINA MEDEIROS DE DEUS HENRIQUES RODRIGO PERNAS CUNHA BENEFÍCIOS

Leia mais

Leite de Magnésia de Phillips Original e Hortelã

Leite de Magnésia de Phillips Original e Hortelã Leite de Magnésia de Phillips Original e Hortelã GlaxoSmithKline Suspensão Hidróxido de magnésio (1282,50mg) Leite de Magnésia de Phillips Original e Hortelã hidróxido de magnésio APRESENTAÇÕES Suspensão

Leia mais

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.informar ao médico se está amamentando.

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.informar ao médico se está amamentando. TIORFAN racecadotrila Forma Farmacêutica e Apresentação: Pó Granulado de 10 mg - Embalagens com 18 sachês de 1g. Pó Granulado de 30 mg - Embalagens com 10 e 18 sachês de 3g. Via Oral USO PEDIÁTRICO Composição:

Leia mais

INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA EM GATOS

INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA EM GATOS INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA EM GATOS Rafael Fighera Laboratório de Patologia Veterinária Hospital Veterinário Universitário Universidade Federal de Santa Maria SUSPEITANDO DE INSUFICIÊNCIA HEPÁTICA AGUDA

Leia mais

PLESONAX. (bisacodil)

PLESONAX. (bisacodil) PLESONAX (bisacodil) Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Comprimido Revestido 5mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: PLESONAX bisacodil APRESENTAÇÕES Comprimido revestido. Embalagens contendo

Leia mais

HIDRAFIX 90. Takeda Pharma Ltda. Solução oral concentrada. cloreto de sódio 4,68 mg/ml. citrato de potássio monoidratado 2,16 mg/ml

HIDRAFIX 90. Takeda Pharma Ltda. Solução oral concentrada. cloreto de sódio 4,68 mg/ml. citrato de potássio monoidratado 2,16 mg/ml HIDRAFIX 90 Takeda Pharma Ltda. Solução oral concentrada cloreto de sódio 4,68 mg/ml citrato de potássio monoidratado 2,16 mg/ml citrato de sódio di-hidratado 0,98 mg/ml glicose 20 mg/ml BULA PARA PACIENTE

Leia mais

GAMEDII HISTÓRIA EQUIPE GAMEDII AGRADECIMENTOS:

GAMEDII HISTÓRIA EQUIPE GAMEDII AGRADECIMENTOS: GAMEDII HISTÓRIA A formação de uma equipe de profissionais interessados na assistência aos pacientes portadores de doença de Crohn e retocolite ulcerativa iniciou-se em outubro de 2005. Através da equipe

Leia mais

HIDRAFIX. Takeda Pharma Ltda. Solução oral concentrada

HIDRAFIX. Takeda Pharma Ltda. Solução oral concentrada BULA PARA PACIENTE RDC 47/2009 HIDRAFIX Takeda Pharma Ltda. Solução oral concentrada cloreto de sódio 2,34 mg/ml cloreto de potássio 1,49 mg/ml citrato de sódio di-hidratado 1,96 mg/ml glicose 19,83 mg/ml

Leia mais

CLORIDRATO DE AMBROXOL

CLORIDRATO DE AMBROXOL CLORIDRATO DE AMBROXOL Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A. Xarope Pediátrico 15mg/5mL Xarope Adulto 30mg/5mL I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: CLORIDRATO DE AMBROXOL Medicamento genérico Lei

Leia mais

Antes de tomar Paracetamol Azevedos é importante que leia esta secção e esclareça quaisquer dúvidas que possa ter com o seu médico.

Antes de tomar Paracetamol Azevedos é importante que leia esta secção e esclareça quaisquer dúvidas que possa ter com o seu médico. FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Paracetamol Azevedos 1000 mg Comprimidos Paracetamol Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento. Conserve este folheto. Pode ter necessidade

Leia mais

GABARITO PÓS RECURSO

GABARITO PÓS RECURSO QUESTÃO 01) Provável diagnóstico: infecção do trato urinário ou cistite; Conduta: antibioticoterapia com uma das seguintes opções: cefalexina, cefalotina, amoxacilina, ampicilina ou nitrofurantoína; Justificativa:

Leia mais

Osteoporose secundária. Raquel G. Martins Serviço de Endocrinologia, IPO de Coimbra

Osteoporose secundária. Raquel G. Martins Serviço de Endocrinologia, IPO de Coimbra Osteoporose secundária Raquel G. Martins Serviço de Endocrinologia, IPO de Coimbra Definição Osteoporose causada por um distúrbio subjacente (doenças, fármacos ) Epidemiologia Provavelmente subdiagnosticada.

Leia mais

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA

I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA I SIMPÓSIO DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR EM OBESIDADE, CIRURGIA BARIÁTRICA E METABÓLICA Avaliação, diagnóstico e acompanhamento do paciente no pré e pós operatório REALIZAÇÃO APOIO JUSTIFICATIVA É crescente

Leia mais

PROTOCOLOS DE TRATAMENTO DE INFECÇÃO POR CORONAVÍRUS FELINO PROF. DR. DIANE ADDIE, 2016

PROTOCOLOS DE TRATAMENTO DE INFECÇÃO POR CORONAVÍRUS FELINO PROF. DR. DIANE ADDIE, 2016 Protocolo para tratamento de PIF húmida Glucocorticoides Dexametasona Prednisolona em doses decrescentes (dose anti-inflamatória) Dose 1mg/kg intratorácico/ intraperitoneal SID durante até 7 dias (suspender

Leia mais

Brochura de informação para o doente sobre KEYTRUDA. (pembrolizumab)

Brochura de informação para o doente sobre KEYTRUDA. (pembrolizumab) Brochura de informação para o doente sobre KEYTRUDA (pembrolizumab) Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Isto irá permitir a rápida identificação de nova informação de segurança. Poderá

Leia mais

É um termo usado nas águas que, após utilização humana, apresentam as suas características naturais elevadas.

É um termo usado nas águas que, após utilização humana, apresentam as suas características naturais elevadas. ESGOTO É um termo usado nas águas que, após utilização humana, apresentam as suas características naturais elevadas. Conforme o uso predominante: Comercial Industrial Doméstico No Brasil são produzidos

Leia mais

Vacina oral do rotavírus

Vacina oral do rotavírus Vacina oral do rotavírus Esta página fornece um breve resumo da doença e da vacina que se encontra disponível para a prevenir. No fundo da página são fornecidas ligações para informações mais detalhadas.

Leia mais

Suplementação oral de zinco no tratamento de crianças com diarreia aguda e persistente

Suplementação oral de zinco no tratamento de crianças com diarreia aguda e persistente Suplementação oral de zinco no tratamento de crianças com diarreia aguda e persistente Dr. Ricardo C. Barbuti CRM-SP 66.103 Médico-assistente doutor do Departamento de Gastroenterologia do Hospital das

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. Mylicon simeticona. Gotas. APRESENTAÇÃO Suspensão oral (75 mg/ml) em frasco gotejador contendo 15 ml.

IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. Mylicon simeticona. Gotas. APRESENTAÇÃO Suspensão oral (75 mg/ml) em frasco gotejador contendo 15 ml. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Mylicon simeticona Gotas APRESENTAÇÃO Suspensão oral (75 mg/ml) em frasco gotejador contendo 15 ml. USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO Cada ml (11 a 12 gotas) contém

Leia mais

Anexo III. Alterações nas secções relevantes do resumo das caraterísticas do medicamento e do folheto informativo

Anexo III. Alterações nas secções relevantes do resumo das caraterísticas do medicamento e do folheto informativo Anexo III Alterações nas secções relevantes do resumo das caraterísticas do medicamento e do folheto informativo Nota: As alterações ao Resumo das Características do Medicamento e ao Folheto Informativo

Leia mais

PROBLEMAS NUTRICIONAIS EM CÃES E GATOS OBESIDADE VISÃO GERAL

PROBLEMAS NUTRICIONAIS EM CÃES E GATOS OBESIDADE VISÃO GERAL PROBLEMAS NUTRICIONAIS EM CÃES E GATOS OBESIDADE VISÃO GERAL Prof. Roberto de Andrade Bordin DMV, M.Sc. Setor de Nutrição e Metabolismo Animal Medicina Veterinária Universidade Anhembi Morumbi São Paulo,

Leia mais

LACTO PURGA. (bisacodil)

LACTO PURGA. (bisacodil) LACTO PURGA (bisacodil) Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A. Comprimido Revestido 5mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: LACTO PURGA bisacodil APRESENTAÇÕES Embalagens contendo 25 blisters

Leia mais

TERAPIA NUTRICIONAL NA CIRURGIA E NO TRAUMA. Neily Rodrigues Romero Ma. em Ciências Fisiológicas Nutricionista do IJF

TERAPIA NUTRICIONAL NA CIRURGIA E NO TRAUMA. Neily Rodrigues Romero Ma. em Ciências Fisiológicas Nutricionista do IJF TERAPIA NUTRICIONAL NA CIRURGIA E NO TRAUMA Neily Rodrigues Romero Ma. em Ciências Fisiológicas Nutricionista do IJF TRAUMA Definição: Problema de saúde pública Principais causas: acidentes e violência

Leia mais

Folheto informativo: Informação para o doente. Cobaxid Infantil 1 mg Pó oral. Cobamamida

Folheto informativo: Informação para o doente. Cobaxid Infantil 1 mg Pó oral. Cobamamida Folheto informativo: Informação para o doente Cobaxid Infantil 1 mg Pó oral Cobamamida Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém informação importante para

Leia mais

LACTULONA lactulose USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO. Daiichi Sankyo Brasil Farmacêutica Ltda.

LACTULONA lactulose USO ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO. Daiichi Sankyo Brasil Farmacêutica Ltda. IDENTIFICAÇÃO DO LACTULONA lactulose MEDICAMENTO APRESENTAÇÕES LACTULONA é apresentada em embalagens contendo frasco de plástico com 120 ml de xarope na concentração de 667 mg de lactulose por ml, nos

Leia mais

EPIDEMIOLOGIA MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS TRATAMENTO PREVENÇÃO

EPIDEMIOLOGIA MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS TRATAMENTO PREVENÇÃO DIARREIA AGUDA EPIDEMIOLOGIA MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS TRATAMENTO PREVENÇÃO PROF. DR. ULYSSES FAGUNDES NETO Instituto de Gastroenterologia Pediátrica de São Paulo (I-Gastroped) Diarreia foi responsável, em

Leia mais

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito!

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito! Paz e Bem 9º ano em AÇÃO Assunção contra o mosquito! Informações sobre o mosquito Mosquito doméstico Hábitos Reprodução Transmissão vertical DENGUE Transmissão: principalmente pela picada do mosquito

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS TÓPICOS ESPECIAIS EM NUTRIÇÃO I AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DO PACIENTE ACAMADO

FACULDADE PITÁGORAS TÓPICOS ESPECIAIS EM NUTRIÇÃO I AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DO PACIENTE ACAMADO FACULDADE PITÁGORAS TÓPICOS ESPECIAIS EM NUTRIÇÃO I AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DO PACIENTE ACAMADO Profª. MSc. Karla Vanessa do Nascimento Silva PACIENTE ACAMADO Induvíduos altamente dependentes e que necessitam

Leia mais

MANEJO DO ALCOOLISMO ENCERRAMENTO E AVALIAÇÃO

MANEJO DO ALCOOLISMO ENCERRAMENTO E AVALIAÇÃO III MÓDULO MANEJO DO ALCOOLISMO ENCERRAMENTO E AVALIAÇÃO 2016 ESCALA CIWA AR 1) Implementação da escala CIWA-ar foi associada à diminuição da incidência de delirium tremensfonte: http://www.revistas.usp.br/smad/article/view/119197

Leia mais

Anexo A. Reidramax CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA. Pó para solução oral

Anexo A. Reidramax CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA. Pó para solução oral Anexo A Reidramax CAZI QUIMICA FARMACÊUTICA IND. E COM. LTDA Pó para solução oral glicose anidra 20 g citrato de sódio 2H 2 O 2,9 g cloreto de potássio 1,5 g cloreto de sódio 3,5 g MODELO DE BULA ( adequação

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Supofen 40 mg/ml Xarope Paracetamol Este folheto contém informações importantes para si. Leia-o atentamente. Este medicamento pode ser adquirido sem receita

Leia mais

APROVADO EM 18-01-2004 INFARMED

APROVADO EM 18-01-2004 INFARMED 1. DENOMINAÇÃO DO MEDICAMENTO Dioralyte, pó para solução oral 2. COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA Substâncias activas g/saqueta Glicose 3,56 Cloreto de sódio 0,47 Cloreto de potássio 0,30 Citrato

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO PROVA ESCRITA. Áreadeconcurso:

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO PROVA ESCRITA. Áreadeconcurso: P grad Pró-reitona de Graduação UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS PARA O CARGO EFETIVO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO SUPERIOR EDITAL Nº

Leia mais

Laboratório de Albendazol Genérico. Referência de Albendazol Albendazol

Laboratório de Albendazol Genérico. Referência de Albendazol Albendazol Laboratório de Albendazol Genérico Referência de Albendazol Albendazol Apresentação de Albendazol Cadacomprimido contém:albendazol...400mg excipientes q.s.p...1 comprimido(lactose, amido prégelatinizado,

Leia mais