Relatório Final do Projecto/Estágio intitulado:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Final do Projecto/Estágio intitulado:"

Transcrição

1 DULCENEIA RAMALHETE RODRIGUES FURTADO ALUNA Nº 2639 Relatório Final do Projecto/Estágio intitulado: Instituição do Estágio: Universidade de Cabo Verde Campus do Palmarejo Relatório do projecto do estágio curricular apresentado na Universidade de Cabo Verde (Uni-CV) para obtenção do grau de LICENCIATURA EM TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO, sob orientação do Mestre ISAÍAS BARRETO DA ROSA e a supervisão do Director dos Serviços Técnicos da Universidade de Cabo Verde CELESTINO BARROS. UNICV/ Outubro de 2009 I

2 O júri, /O Presidente do Júri/ /O Arguente/ /O Orientador/ /O Supervisor/ UNI-CV, aos. de de 2009 II

3 Curso: Licenciatura em Tecnologias de Informação e Comunicação Nome da Universidade formadora: Universidade de Cabo Verde (UNI-CV): Departamento de Ciências & Tecnologias (Campus do Palmarejo) Ano de Inicio do curso: 2005 Ano de fim de curso: 2009 Estágio/ Projecto: Instituição do estágio: Universidade de Cabo Verde Departamento de ciências & Tecnologias (Campus do Palmarejo). Data de Início do estágio: 01 de Agosto de 2009 Data de Fim do estágio: 30 de Outubro de 2009 Nome do orientador: Isaías Barreto Contacto: Telefone: Supervisor: Celestino Barros Contacto: Telefone: III

4 Sumário O presente projecto visa contribuir para a resolução do problema dos Serviços Técnicos (ST) da Universidade de Cabo Verde, especificamente o Departamento de Ciências e Tecnologias - Campus de Palmarejo, no que se refere ao atendimento aos utilizadores e suporte à rede. Os Serviços Técnicos da Universidade de Cabo Verde actualmente não possuem qualquer sistema de registo, nem das solicitações dos utilizadores nem do histórico dos problemas dos equipamentos. Pelo que, pretende-se analisar e propor um software de Help Desk que sirva para a gestão dos serviços informáticos da referida Universidade. Compreende também o objectivo deste projecto propor algumas medidas que visam a reorganização do sistema Help Desk da UNI-CV, de forma a aumentar a produtividade do referido Departamento. Como ponto de partida é explicitado o conceito de Help Desk de acordo com o ponto de vista de diversos autores e efectuado um enquadramento teórico sobre Help Desk em geral, apresentando alguns conceitos aqui abordados, a fim de compreender melhor o que vem sendo feito no decorrer do projecto. Ainda será efectuado um enquadramento do Help Desk no ambiente universitário, após a apresentação da Universidade e uma breve descrição da sua estrutura, bem como uma descrição resumida dos Serviços Técnicos da UNI-CV, e das necessidades de um serviço de Help Desk moderno e eficiente, assim como uma descrição comparativa e detalhada de alguns softwares com o intuito de saber qual software poderá ser mais eficiente para a Uni-CV. No anexo poderá ser consultado as funcionalidades do software proposto. IV

5 Por último é feito uma proposta, onde se apresenta algumas medidas a levar a cabo para reorganizar o sistema Help Desk da UNI-CV. Para uma melhor compreensão do projecto é feito uma ilustração que representa de forma esquemática o sistema sugerido. Palavras-chave: Organização, Universidade, Sistema, Help Desk, Suporte, Software. V

6 Dedicatória Dedico este trabalho a Jesus Cristo, meu senhor e meu Deus, o amigo que sempre esteve presente em cada momento da minha vida, prestando um auxílio incondicional. Também, não poderia deixar de lembrar o meu querido amigo e tio Avó Mário Gomes Mendes Lopes (in memorian), que aos 18 anos se entregou os braços do nosso bom Pai. Dedico a todos os que não deixaram que as sombras cobrissem as cores do meu coração nos pequenos instantes de nostalgia, fragilidade e desamparo, resultantes da inexperiência e da angústia da mocidade, durante estes quatro anos de licenciatura. Confiarei, ainda que o dia escureça, Não há mal que me aconteça se Contigo eu estiver. Pe. Nuno Tovar de Lemos VI

7 Agradecimentos Á minha mãe Victória Tavares - Mulher, esposa e mãe como não há igual: Corajosa, trabalhadora, decidida, esperançosa e sempre vitoriosa. A meu pai Eusébio Furtado O contador de estórias da minha infância, cujo fascínio das suas palavras e gestos eram deliciosamente absorvidos pela minha mente e pelo meu coração inocente de criança, recheando o meu pequeno mundo de fantasias e sonhos que já não me recordo. Ao meu pai e à minha mãe que custearam os meus estudos, eterna gratidão. Ao meu professor e orientador Isaías Barreto. Agradeço o imenso apoio, compreensão, dedicação e amizade durante o curso e a orientação deste projecto. Que Deus derrame sobre ele bênções de prosperidade. Um agradecimento muito especial ao meu irmão Florisvindo O meu pai natal do ano passado; à minha irmã Dilce menina mais real do que o rei e à minha irmã Vany a menina simpatia da família. Á Manuela Moreno, minha amada Mamusca. Que Deus retribua em dobro o amor que demonstrou por mim. À Nery e ao Arrigo pelo imenso carinho. À dona Vera. Ao Sr. Gonçalves o sonho lindo que eu sonhei; aos meus tios, em particular o Calú, a Eva, o Betinho, o Tony e o Luís, bem como à sua esposa Leny e a todos os meus familiares e amigos íntimos que são na verdade meus irmãos. A José Eduardo e Sandra, bem como a todos os meus colegas de TIC que foram igualmente significativos na minha vida. Ao Carlos Jacinto pelo carinho e pelo apoio. Ao Ricardo Linder e a todos os professores, cada um único; Ao meu supervisor do estágio Celestino Barros. Ao pessoal da UNI-CV, os estimados: Daniel Costa, António Querido, Ângelo Barbosa e Octávio Varela. Ao Orlando e Edmilson do NOSI. Por ultimo e como os últimos serão os primeiros, quero agradecer ao meu bom Jesus que ama-me como a menina dos olhos, pela concretização deste projecto e por tudo quanto me deu. VII

8 Índice Introdução...1 Objectivos...4 Objectivos gerais...4 Objectivos específicos...4 Metodologia do trabalho...5 Estrutura do trabalho...6 CAPÍTULO I Help Desk Fundamentos Conceituais de um sistema Help Desk Tipo de atendimentos mais comuns Componentes básicos de um sistema Help Desk Vantagem de sistema Help Desk Gestão da qualidade dos serviços prestados pelo Help Desk...15 CAPÍTULO II Universidade de Cabo Verde: TIC e Help Desk Apresentação da Universidade de Cabo Verde Organograma da Universidade de Cabo Verde Infra-estrutura das TIC da UNI-CV Estrutura da rede do Campus do Palmarejo da UNI-CV Apresentação do Projecto / Estágio Abordagem Metodológica Cronograma das actividades do Projecto / Estágio Pesquisa Bibliográfica Análise da situação actual do Help Desk na Universidade...24 VIII

9 2.4.3 Instalação e exploração de alguns softwares de Help Desk Escolha dos softwares adequados Parametrização e configuração dos softwares escolhidos Proposta de organização do sistema de Help Desk da Uni-CV Ferramentas utilizadas Situação Actual dos Serviços de Suporte Técnicos da UNI-CV O Serviço de Suportes Técnicos (ST) do Campus de Palmarejo Equipa de suportes Técnicos do Campus do Palmarejo Utilizadores dos recursos tecnológicos da instituição Tipo de chamada mais comum na UNI-CV Procedimento da equipa de Suportes Técnicos do Campus de Palmarejo Levantamentos dos problemas relativamente ao Suporte Técnico...31 CAPÍTULO III Softwares de Help Desk Software de Help Desk: Open Sources Descrição dos Softwares open sources Softwares comerciais ou proprietários Descrição dos Softwares Comerciais Softwares explorados Critérios utilizados para a escolha dos softwares adequados Escolha dos softwares Softwares escolhidos Software de gestão do Sistema Help Desk Software de gestão remota...45 CAPÍTULO IV...49 IX

10 4 Organização do Sistema Help Desk da UNI-CV Pré-requisitos Organização do atendimento Método de comunicação com o Help Desk Meios de atendimento Dias e Horários de funcionamento do Help Desk Organização dos Serviços prestados Catálogo de serviços prestados: Definição das prioridades e prazos para cada serviço: Desenho do Sistema Help Desk proposto Explicação do sistema proposto Conclusão Objectivos iniciais e alcançados Limitações Futuros trabalhos Considerações Finais Bibliografia Anexo Entrevista Organização do Help Desk da UNI-CV Tabela de prioridades no atendimento aos utilizadores Serviços suportados pelo Help Desk da UNI-CV Softwares utilizados no Campus do Palmarejo da UNI-CV Fireman Help Desk Software - Demonstração do Sistema TeamViewer - Demonstração do Sistema...85 X

11 Índice de tabelas Tabela 1 - Software de Help Desk Open Sources...34 Tabela 2 - Softwares de Help Desk Comerciais ou proprietários...39 XI

12 Índice de Figuras Ilustração 2 - Ciclo do PDCA - Planear, Desenvolver, Testar e Agir...15 Ilustração 3 - Organigrama da Uni-CV...18 Ilustração 4 - Estrutura da rede actual da UNI-CV...21 Ilustração 5 - Cronograma das actividades do Projecto/Estágio...23 Ilustração 6 - Esquematização do funcionamento do Sistema de Help Desk Proposto...55 XII

13 Notação e Glossário TI SLA DC&T Uni-CV ISE NOSI IT TIC MSDN-AA PBX Web LAN SSL URL Tecnologia da Informação Estipulação do Nível de Acordo do Serviço Departamento de Ciências e Tecnologias da Universidade de Cabo Verde também denominada por Campus do Palmarejo. Universidade de Cabo Verde Instituto Superior de Educação Núcleo Operacional da Sociedade de Informação Information Technology (Tecnologias de Informação) Tecnologias de Informação e Comunicação (rede de desenvolvimento da Microsoft) Academic Alliance Private Branch Exchange (Central Telefónica Particular) World Wide Web - a parte visual da Internet, onde estão as páginas electrónicas da rede. Local Area Network (rede local de computadores). Secure Socket Layer (protocolo desenvolvido pela Netscape que possibilita a transmissão segura de dados na Internet) Uniform Resource Locator (Localizador de Recursos Uniformes) XIII

14 Introdução O presente projecto, cujo tema recai sobre a implantação do Help Desk na Universidade de Cabo Verde - Campus do Palmarejo, foi elaborado no âmbito do estágio realizado na dita Universidade como requisito para a obtenção do grau de Licenciatura em Tecnologia de Informação e Comunicação. A natureza do Projecto/Estágio é de carácter essencialmente investigatório. Pelo que, o produto final apresentado no relatório compreende uma proposta que recai sobre a organização do sistema de Help Desk do local onde o estágio foi realizado. Deste modo, elaborou-se um cronograma de forma a evidenciar as actividades do Projecto/Estágio, tendo este decorrido de 01 de Agosto de 2009 a 30 de Outubro de Sendo Help Desk um ponto central de contacto numa organização que disponibiliza suporte aos indivíduos que utilizam tecnologias para executar os seus trabalhos (Sanderson, 2004), com este trabalho pretende-se efectuar melhorias nos serviços de Suporte Técnicos do Departamento de Ciências e Tecnologias da Universidade de Cabo Verde, cujo objectivo final é a criação de um sistema de informação desse Departamento e a criação de mecanismos de atendimento rápidos e eficazes aos estudantes, professores, colaboradores e à administração da UNI-CV. A implantação do Help Desk na dita Universidade visa a reorganização dos serviços e consequente satisfação dos utilizadores da Universidade através da adopção de medidas modernas e proactivas como a utilização de softwares próprios para a gestão do Help Desk e para a assistência técnica remota; a implementação de novos métodos de atendimento; a criação de diferentes formas de contactar o Help Desk, entre outras medidas. As razões que justificam a escolha do tema ora apresentado têm a ver com a constatação da falta de um sistema Help Desk eficaz, que tenha a capacidade de suportar a infra-estrutura tecnológica da UNI-CV e satisfazer às demandas dos seus utilizadores. Notou-se que apesar 1

15 do esforço da equipa de Suportes Técnicos do Campus de Palmarejo, actualmente não conseguem dar resposta a todos os desafios da Universidade. A estratégia de implantação dum Help Desk na Universidade de Cabo Verde surgiu com a assinatura de um protocolo de cooperação entre a Microsoft e a UNI-CV que marca a entrada da Universidade Pública de Cabo Verde para a Alliance Academic da rede de desenvolvimento da Microsoft (MSDN). Para além da passagem da Uni-CV a membro da MSDN-AA o acordo rubricado também delineou a implementação da Microsoft IT Academy - um centro de Tecnologias da Informação e Comunicação que irá permitir à Uni-CV oferecer aos seus estudantes o curriculum oficial da Microsoft - e da plataforma integrada de comunicação - 1 na Uni-CV, pelo que a Universidade necessita de um sistema de Help Desk bem estruturada para dar assistência a essa academia. Para aumentar a eficiência do Help Desk da UNI-CV decidiu-se utilizar um software de Help Desk para fazer a gestão do sistema (criar perfil dos utilizadores; definir as prioridades para cada utilizador; criar registo histórico das chamadas dos utilizadores; e criar base de conhecimento contendo informação dos problemas e da forma como os problemas foram resolvidos) e um outro software para o controlo remoto dos computadores da instituição, de forma a diminuir a necessidade de deslocação dos técnicos e agilizar os serviços dos mesmos. Assim, também compreende o objectivo do projecto escolher esses softwares e fazer a implantação do sistema na Universidade. Deste modo, antes da implantação do projecto é fundamental a exploração de alguns softwares para com base nos resultados obtidos identificar os que têm melhor performance e implementá-los na fase da execução do projecto. 1 Microsoft - um conjunto de serviços de colaboração e de comunicação, alojada e compartilhada, para estudantes, professores, colaboradores e administração, juntamente com a oferta do Outlook Live, um serviço de correio electrónico e o Office Live Workspace, um espaço online de colaboração com documentos do Microsoft Office. 2

16 A implementação de um Help Desk deve ser tratado como um processo que sendo transversal à própria infra-estrutura tecnológica da organização, tem na sua intervenção o princípio de providenciar o apoio e a ajuda ao utilizador, a assistência aos equipamentos, aos sistemas de comunicações e de rede, às aplicações de software e, também, em muitos casos nos processos que envolvem os planos de contingência e de continuidade de negócio. 3

17 Objectivos Objectivos gerais Analisar a viabilidade da utilização de softwares de Help Desk na UNI-CV e propor um sistema Help Desk que responde às necessidades básicas da organização. Objectivos específicos A implementação deste projecto visa atingir efectivamente os seguintes objectivos: Facilitar o serviço dos técnicos da DC&T através do uso de software de Help Desk, uma vez que poderá reduzir as deslocações dos mesmos, podendo exercer as suas funções remotamente. Criar um registo de todos os problemas da rede e das solicitações dos utilizadores da referida instituição para que nenhuma solicitação de intervenção seja esquecida ou negligenciada. Criar um registo histórico da resolução dos problemas dos equipamentos e de todos os recursos da rede a fim de agilizar a resolução de problemas similares, detectar a origem dos problemas e evitar problemas futuros. Criar um Help Desk capaz de dar resposta aos novos desafios da Universidade como é o caso de dar assistência técnica aos estudantes, professores, colaboradores e administração no que tange à utilização do Microsoft e do IT Academic. 4

18 Metodologia do trabalho A escolha das técnicas a utilizar foi determinada pela natureza deste projecto, pois visa a resolução de problemas concretos duma organização, desempenhando um papel activo e actuando para encontrar soluções viáveis. As técnicas utilizadas foram estas: Pesquisa bibliográfica e documental Análise da situação da Universidade o o Entrevista Observação Análise de ferramentas o Selecção e avaliação de alguns softwares o o Escolha de dois softwares Parametrização e configuração dos softwares escolhidos. Fez igualmente parte do processo do desenvolvimento do presente trabalho: o o o Instalação e configuração de softwares Organização do sistema Desenho da estrutura final do Sistema 5

19 Estrutura do trabalho Este projecto é composto por 3 capítulos. Na sequência é mostrada a ordem dos mesmos e uma breve descrição do conteúdo destes. O projecto se inicia com a parte introdutória. Ressaltando a proposta do mesmo, seus objectivos, metodologias, as áreas de conhecimento envolvidas e a forma como se encontra estruturada. O primeiro capítulo sendo a efectiva revisão bibliográfica, descreve os principais conceitos relacionados ao Help Desk. Mostrando os Fundamentos Conceituais de um Sistema de Help Desk, os tipos de atendimentos mais comuns, os Componentes básicos de um sistema Help Desk e as Vantagem que um sistema Help Desk pode trazer à organização É a partir desta etapa que é feito o levantamento de requisitos para dar inicio à implementação do projecto, analisando-se o ambiente organizacional, verificando vulnerabilidades, fazendose pesquisas com utilizadores e a equipa de Help Desk e verificando os resultados obtidos. O segundo capítulo é dedicado primeiramente a apresentação em termos históricos, organizacional e estrutural da instituição ao qual o projecto se direcciona. Enquadra o objectivo de, após o levantamento da situação actual dos serviços de Suporte técnicos da UNI- CV através de um estudo de caso estar concluído, Planear as actividades a realizar durante o período do estágio O terceiro capítulo faz referência aos Software de Help Desk. O principal objectivo deste capítulo é conhecer em termos gerais os softwares de Help Desk existentes, com o intuito final de seleccionar alguns (os que melhor se enquadram na realidade da instituição em causa) a serem explorados de forma pormenorizada e a partir das constatações feitas, escolher e propor os softwares a serem implantados no sistema de Help Desk da Universidade de Cabo Verde. Assim, primeiramente este capítulo contempla uma lista de Softwares Open sources e outra dos comerciais e a descrição dos mesmos. Em seguida é contemplado as funcionalidades básicas dos Softwares eleitos. 6

20 No último capítulo serão previamente determinados a forma como o Help Desk deverá funcionar na prática, tendo em vista os utilizadores, a equipa, as ferramentas necessárias e a integração destas na estrutura de rede da Universidade, os serviços suportados pelo Help Desk e o funcionamento do sistema propriamente. Feito isto, é projectado a estrutura final do Help Desk. O fecho do trabalho acontece com a conclusão, onde são feitas as considerações finais, como imprevistos e dificuldades encontradas, assim como propostas de futuros trabalhos. Ainda são citadas as referências bibliográficas: relação completa dos trabalhos académicos, livros, revistas, artigos e sites consultados para realizar este trabalho e os anexos do documento, onde estão inseridos as entrevistas feitas, a fim de fazer o levantamento de alguns dados e informações úteis para o projecto, entre outros documentos. 7

21 CAPÍTULO I 1 Help Desk 1.1 Fundamentos Conceituais de um sistema Help Desk A compreensão de determinados conceitos relacionados com o tema abordado neste projecto é de extrema importância para que se possa ter um melhor entendimento de tudo o que será tratado, é nesse âmbito que se seguem alguns conceitos importantes que pode ajudar a compreender melhor o sistema de Help Desk. Help Desk Órgão ou departamento de suporte em que os utilizadores de tecnologia podem acessar para obter esclarecimentos de dúvidas. 2 Help Desk Serviço de assistência técnica que se dirige tanto aos utilizadores internos das infra-estruturas informáticas da empresa (Help Desk interno), como à clientela exterior (Help Desk externo). É um dos domínios de aplicação dos call center. Gere os pedidos com níveis de tratamento, dependendo do know-how necessário para responder às situações. É uma das funções possíveis de uma ferramenta de CRM [consultado a 08 de Setembro de 2009] 3 [consultado a 08 de Setembro de 2009] 8

22 Tendo em conta (Mendes, 2006) passa-se a apresentar alguns conceitos contextualizados no ambiente de Help Desk: Pedidos de Suporte - Representam as solicitações dos utilizadores para os quais o sistema de Help Desk oferece atendimento. Um Pedido de Suporte pode representar um problema na execução de uma determinada tarefa, como também uma solicitação de serviço, por exemplo: o Instalação de software o Alteração de posição de uma extensão telefónica Classificações de pedidos de suporte - Os pedidos de suporte recebem uma classificação que determina as classes de problemas e de solicitações, produtos em uso pelo utilizador, etc. Em conjunto com a classificação correcta de um pedido de suporte, os técnicos podem adicionar notas sobre a sua resolução. Status - A um pedido de suporte é associado um status que pode caracterizar diversos aspectos relacionados ao seu atendimento o status Normal pode indicar que o chamado deve ser atendido sem qualquer urgência sobre os demais, um status Retorno pode indicar aos analistas que o atendimento a este pedido de suporte depende de um retorno ao cliente para o prosseguimento dos serviços, etc. Tipo de pedidos de suporte - A cada pedido de suporte é associado um tipo. Entre eles tem-se por exemplo: o Correctivo: correcção a ser feita o Dúvida: dúvida do Utilizador a ser esclarecida o Instalação: problemas de instalação o Preventivo: prevenção para impedir que ocorra algum dano 9

23 Cliente - Utilizador que contacta os analistas para a abertura de um pedido de suporte. Os analistas podem ser os Analistas de Suporte, Atendedores e Técnicos do Help Desk. Os responsáveis pelo atendimento a um pedido de suporte são chamados de analistas. Desta forma, atendedores, técnicos e analistas são tratados de maneira única. Um pedido de suporte sempre está sob responsabilidade de um analista. A troca de responsabilidades sobre um pedido de suporte é denominada de roteamento. Perfis - Os atributos e os direitos estabelecidos colectivamente podem ser associados a um perfil. Todos os analistas ou utilizadores associados a um perfil herdam estes direitos e atributos. Eventos - Eventos são rotinas associadas aos pedidos de suporte que estão em um determinado status. Estas rotinas podem enviar notificações para o analista responsável pelo pedido de suporte ou, até mesmo, alterar o status actual do pedido de suporte (escalonamento). Os eventos são disparados quando um determinado tempo relacionado ao pedido de suporte é atingido por exemplo, quatro horas após a abertura do pedido de suporte. Escalonamento - Troca automática de status de um pedido de suporte que represente uma mudança na prioridade de atendimento a este chamado. O escalonamento é executado através do disparar de um evento associado a um chamado. Tempo de Resposta - É o intervalo de tempo decorrido entre a notificação de um problema (abertura do pedido de suporte) e o primeiro contacto do Help Desk com o Utilizador. Pode também ser medido pela diferença entre a abertura do pedido de suporte e o início efectivo do atendimento ao utilizador. 10

24 Tempo de Resolução - É o tempo necessário para a execução dos serviços de atendimento. Em geral, é medido pela diferença entre o tempo de resposta e o término do atendimento (fecho do pedido de suporte). SLA (Service Level Agreement) - SLAs representam classes de utilizadores, equipamentos e situações que devem ser considerados de uma maneira diferenciada. A cada utilizador ou equipamento, são associados critérios para determinar os tempos de atendimento. Ao abrir um pedido de intervenção, o analista será informado sobre os prazos para o atendimento daquela chamada, respeitando as políticas negociadas. Acções - Procedimentos a serem tomados pelo analista para a resolução de um pedido de suporte. Especialistas - Especialistas podem ser associados a todos os níveis da classificação hierárquica. É considerado especialista para um pedido de suporte, aquele que estiver associado ao nível mais específico da classificação dada ao pedido de suporte. Recursos - São recursos computacionais que não fazem parte do inventário de hardware e software. Podem ser considerados recursos: softwares corporativos, servidores de impressão, , etc. 1.2 Tipo de atendimentos mais comuns Os serviços de Help Desk servem-se de diferentes tecnologias e métodos, pelo que cabe a cada organização de acordo com as suas possibilidades e necessidades escolher quais pretende utilizar para a realização das tarefas da equipa de Help Desk. Abaixo são apresentadas aquelas mais comuns e que estão presentes na maioria dos casos. (Mello, 2006): 11

25 Telefone - O Suporte por telefone tem sido a forma mais utilizada devido às suas características de tempo real, no qual o solicitando recebe um atendimento imediato, resolvendo, na maioria das vezes, os casos mais simples. - Tecnologia já bastante difundida e atinge o principal objectivo que é responder de forma documentada às dúvidas e solicitações geradas pelo utilizador/cliente. Mensagens Instantâneas CHAT - Tecnologia ainda nova, mas que já possui bastantes sócios devido ao seu alto grau de prática, economia e velocidade na comunicação. VOIP (Voz sobre IP) - Outra tecnologia nova e que tem sido bastante difundida também pelo seu alto grau de prática, agilidade e principalmente pela economia. Softwares como SKYPE utilizam tecnologias VOIP. Limitação de banda de Internet e equipamentos obsoletos são os principais contrapontos deste recurso. Visita ao Cliente - Recurso muito oneroso tanto para o cliente quanto para equipa de suporte pois o tempo gasto com deslocamento e todo o seu custo, são proibitivos e utilizados somente quando os demais recursos forem ineficientes. 12

26 Fórum - Utilizado de maneira simples entre clientes que possuem este tipo de recurso. Percebe-se uma boa utilização naqueles fóruns abertos na qual os utilizadores possuem bons conhecimentos dos assuntos abordados e procuram o recurso para discutir ou buscar soluções alternativas às suas necessidades. 1.3 Componentes básicos de um sistema Help Desk Segundo (Cavalari & Costa, 2004), o termo Help-Desk pode ser utilizado tanto para o sistema em si quanto para a ferramenta de software utilizada por este. Tendo em conta este, Um sistema Help-Desk, é composto por três componentes básicos que a seguir são descritos: Software (ferramenta) - Controla o inventário tecnológico da empresa, revelando a repetição de problemas, os tempos médios de atendimento, as soluções para as áreas mais demandantes e a identificação da necessidade de formação; Equipa actua em dois níveis: o campo e a retaguarda. A equipa de campo faz o atendimento aos problemas, podendo soluciona-los quando possível ou accionar fornecedores internos e externos. A equipa de retaguarda é accionada quando um problema técnico supera a capacidade de resolução da equipa de campo. Os analistas de suporte de fornecedores funcionam como uma terceira camada e podem ser requisitados pela equipa de retaguarda. Estes, recebem o problema identificado e mapeado; Metodologia de serviço contempla o posicionamento do sistema Help-Desk junto aos utilizadores, determinando quais são as estratégias de acção diante de determinado problema, apresentando os indicadores de desempenho e identificando novas oportunidades em um processo de melhoria contínua. 13

27 1.4 Vantagem de sistema Help Desk O Sistema de Help Desk trás inúmeras vantagens que Contribuem para o melhor controlo e gestão dos atendimentos. Segundo (Wangenheim, 2002), O sistema de Help Desk oferece algumas vantagens para a empresa como: Partilha do conhecimento dentro da organização Redução do treino necessário para a equipa técnica Possibilidade para especialista se dedicar aos problemas difíceis Aumento da qualidade do atendimento Outros benefícios que as ferramentas de Help Desk podem trazer para as organizações são as seguintes 4 : Atendimento imediato; Autonomia de Pessoal e do utilizador; Retenção do Conhecimento; Disponibilidade do conhecimento mesmo durante a ausência de um técnico ou especialista, reduzindo o tempo final de atendimento; Desenvolvimento de diferentes bases de conhecimento para diferentes áreas de negócios e diferentes assuntos por área; 4 [consultado a 02 de Setembro de 2009] 14

28 1.5 Gestão da qualidade dos serviços prestados pelo Help Desk Tendo em conta (Mello, 2006) a importância de conseguir medir o tempo gasto com cada interrupção ocasionada pelo cliente é considerada uma importante informação estratégica. A aplicação do ciclo do PDCA, que o autor define basicamente como um método de gestão, constituído de uma série de actividades com objectivo de melhoramento contínuo, pode ser uma forma de controlar e organizar o Help Desk. A seguir é ilustrado o ciclo de gestão da qualidade: Ilustração 1 - Ciclo do PDCA - Planear, Desenvolver, Testar e Agir Fonte: (Mello, 2006) De acordo com (Cohen, 2005) o ciclo do PDCA é permanente, ao passo que conclui a última fase, retorna à primeira para continuar o aprimoramento do processo. Assim pode-se concluir que o PDCA pode ser eficiente no aperfeiçoamento dos serviços de Help Desk caso seja utilizado com todo o rigor que requer. 15

29 CAPÍTULO II 2 Universidade de Cabo Verde: TIC e Help Desk Este capítulo é dedicado à análise da situação actual dos serviços técnicos do Campus do Palmarejo. Logo, enquadra fazer uma breve apresentação do local onde foi efectuado o estágio (UNI- CV), cujo projecto se destina. Após a apresentação da Universidade, é delineado um conjunto de actividades a levar a cabo durante o período do estágio para atingir a finalidade do projecto. 2.1 Apresentação da Universidade de Cabo Verde A Universidade de Cabo-Verde, adiante abreviadamente designada por Uni-CV, é um estabelecimento público de ensino superior. A Uni-CV tem a sua sede na cidade da Praia, podendo criar estruturas e formas de representação em qualquer parte do território nacional ou no estrangeiro. A missão da UNI-CV é capacitar a nação cabo-verdiana para participar nas cadeias internacionais de formação de valor, de modo a captar recursos necessários ao seu desenvolvimento económico, social, cultural, científico e tecnológico. Antes da criação da Universidade de Cabo Verde várias foram as etapas percorridas: Em 1979, dava-se o primeiro passo rumo a implantação do Ensino Superior, criando-se o CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DO ENSINO SECUNDÁRIO Em 1984, foi formalmente criado o CENTRO DE FORMAÇÃO NÁUTICA. 16

ITIL V3 (aula 8) AGENDA: REVISÃO FERRAMENTAS EXAME

ITIL V3 (aula 8) AGENDA: REVISÃO FERRAMENTAS EXAME ITIL V3 (aula 8) AGENDA: REVISÃO FERRAMENTAS EXAME Revisão dos livros - ITIL Incident Management (Gerenciamento de incidentes) reduzir o tempo de indisponibilidade (downtime) dos serviços Problem Management

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE HELP DESK. Frederico Calazans Barbosa UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP

SISTEMA DE CONTROLE DE HELP DESK. Frederico Calazans Barbosa UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP SISTEMA DE CONTROLE DE HELP DESK Frederico Calazans Barbosa UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP Antonio Carlos da Cunha Migliano UBC - Universidade Braz Cubas Mogi das Cruzes/ SP RESUMO Este

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL

Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com base na ITIL Information Technology Infrastructure Library ou Biblioteca de Infraestrutura da Tecnologia da Informação A TI de antes (ou simplesmente informática ),

Leia mais

O ITIL e o Plano de Contingência. Lúcia Cerqueira & António Correia informatica@chts.min-saude.pt

O ITIL e o Plano de Contingência. Lúcia Cerqueira & António Correia informatica@chts.min-saude.pt Lúcia Cerqueira & António Correia informatica@chts.min-saude.pt A Equipa de IT do CHTS,E.P.E. Equipa composta por 12 Elementos Framework ITIL using RT ( linha Servicedesk (1ª e 2ª Reorganização da Equipa

Leia mais

Uma plataforma estratégica

Uma plataforma estratégica Publicado: Fevereiro 2007 Autor: Rui Loureiro Sénior Partner Implementar o Help Desk Quando simplesmente pensamos em implementar um Help Desk, isso pode significar uma solução fácil de realizar ou algo

Leia mais

Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota

Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota Descrição dos serviços Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota Este serviço oferece serviços de Monitorização da infra-estrutura remota Dell (RIM, o Serviço ou Serviços ) conforme

Leia mais

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO 2015 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas

Leia mais

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO PORTFOLIO 2014 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas de terceirização, infra-estrutura, suporte,

Leia mais

Estudo de Remuneração 2015

Estudo de Remuneração 2015 2015 information TECHNOLOGY Temporary & permanent recruitment www.pagepersonnel.pt Editorial Page Personnel ir ao encontro do talento A Page Personnel recruta para os seus clientes os melhores perfis qualificados,

Leia mais

Gestão dos Níveis de Serviço

Gestão dos Níveis de Serviço A Gestão dos Níveis de Serviço (SLM) Os sistemas e tecnologias de informação e comunicação têm nas empresas um papel cada vez mais importante evoluindo, hoje em dia, para níveis mais elevados de funcionamento

Leia mais

Estudo de Remuneração 2015

Estudo de Remuneração 2015 2015 SECRETARIAL & MANAGEMENT SUPPORT Temporary & permanent recruitment www.pagepersonnel.pt Editorial Page Personnel ir ao encontro do talento A Page Personnel recruta para os seus clientes os melhores

Leia mais

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart.

Glossário Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Apresenta a definição dos termos, siglas e abreviações utilizadas no contexto do projeto Citsmart. Versão 1.6 15/08/2013 Visão Resumida Data Criação 15/08/2013 Versão Documento 1.6 Projeto Responsáveis

Leia mais

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13

PONTDOC. Sistema de Gestão Documental. Dossier de Produto 02.01.2009 DP10.02. www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDOC Sistema de Gestão Documental Dossier de Produto DP10.02 02.01.2009 www.pontual.pt UGD 1 de 13 PONTDoc Sistema de Gestão Documental A Pontual A Pontual é uma empresa de capitais 100% nacionais,

Leia mais

GERÊNCIA DE INCIDENTES UTILIZANDO UMA APLICAÇÃO OPEN SOURCE SEGUINDO AS BOAS PRÁTICAS DA BIBLIOTECA ITIL V3

GERÊNCIA DE INCIDENTES UTILIZANDO UMA APLICAÇÃO OPEN SOURCE SEGUINDO AS BOAS PRÁTICAS DA BIBLIOTECA ITIL V3 GERÊNCIA DE INCIDENTES UTILIZANDO UMA APLICAÇÃO OPEN SOURCE SEGUINDO AS BOAS PRÁTICAS DA BIBLIOTECA ITIL V3 Paulo H. da Silva Franco 1, Francisco J. A. de Aquino 2 Resumo Este artigo tem como objetivo

Leia mais

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1

1 Descrição sumária. Varajão, Santana, Cunha e Castro, Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011 1 Adopção de sistemas CRM nas grandes empresas portuguesas João Varajão 1, Daniela Santana 2, Manuela Cunha 3, Sandra Castro 4 1 Escola de Ciências e Tecnologia, Departamento de Engenharias, Universidade

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Luís Miguel Nicolau Valente.

INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Luís Miguel Nicolau Valente. INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO Luís Miguel Nicolau Valente Julho de 2008 RELATÓRIO FINAL PARA A OBTENÇÃO DO GRAU DE NÍVEL IV EM DESENVOLVIMENTO

Leia mais

A Gestão de Configurações suporte dos Sistemas de Informação

A Gestão de Configurações suporte dos Sistemas de Informação A Gestão de Configurações suporte dos Sistemas de Informação O funcionamento dos sistemas e tecnologias de informação e comunicação têm nas organizações um papel cada vez mais crítico na medida em que

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Cenário de TI nas organizações Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias.

Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias. GoldMine QuickStart Implemente a sua solução de Gestão de Marketing, Vendas e Serviço de Clientes, em menos de 7 dias. O GoldMine é uma ferramenta de gestão da relação com os clientes (CRM-Costumer Relationship

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno PHC dteamcontrol Interno A gestão remota de projectos em aberto A solução via Internet que permite acompanhar os projectos em aberto em que o utilizador se encontra envolvido, gerir eficazmente o seu tempo

Leia mais

Estratégia para os Sistemas e Tecnologias de Informação

Estratégia para os Sistemas e Tecnologias de Informação Estratégia para os Sistemas e Tecnologias de Informação A transcrição ou reprodução deste documento não é permitida sem a prévia autorização escrita do IGIF PRINCIPAIS MENSAGENS O IGIF, na vertente SI,

Leia mais

Serviços de gestão básica da rede Dell Descrição do serviço

Serviços de gestão básica da rede Dell Descrição do serviço Dell Descrição do serviço 1. INTRODUÇÃO AO SEU CONTRATO DE ASSISTÊNCIA Gestão básica da rede: as falhas na rede ou os problemas no desempenho da rede podem provocar um forte impacto económico nas suas

Leia mais

Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação

Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação Comissão Interministerial para a Sociedade da Informação ANEXO AO CADERNO DE ENCARGOS MÉTODO DE AVALIAÇÃO DOS WEB SITES DA ADMINISTRAÇÃO DIRECTA E INDIRECTA DO ESTADO Documento disponível em www.si.mct.pt

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

Gestão de Serviços Suporte (Concentra-se na execução do dia-a-dia e no suporte a serviços de TI)

Gestão de Serviços Suporte (Concentra-se na execução do dia-a-dia e no suporte a serviços de TI) Introdução ao ITIL ITIL de Serviços Suporte (Concentra-se na execução do dia-a-dia e no suporte a serviços de TI) Service-Desk de Configurações de Incidentes de Problemas de Alterações de Versões de Serviços

Leia mais

Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço

Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Módulo 8 Gerenciamento de Nível de Serviço Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão

Leia mais

Big enough to do the job small enough to do it better!

Big enough to do the job small enough to do it better! Big enough to do the job small enough to do it better! Conteúdos 1 Competências 2 Case studies 3 Quero mais Competências > Assistência Informática > Outsourcing > Web ' ' Webdesign Hosting Email ' Webmarketing

Leia mais

OS SISTEMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE

OS SISTEMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE OS SISTEMAS DE GESTÃO DA MANUTENÇÃO DO MATERIAL CIRCULANTE 1. REFERÊNCIAS [1] - Bases Gerais para a Implementação de Sistemas de Gestão da Manutenção de Material Circulante, Instrução Técnica 5, INCFA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MOITA PLANO DE AÇÃO PARA AS TIC

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MOITA PLANO DE AÇÃO PARA AS TIC AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MOITA PLANO DE AÇÃO PARA AS TIC Equipa PTE "A exclusão digital não é ficar sem computador ou telefone celular. É continuarmos incapazes de pensar, de criar e de organizar novas

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005 ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade 2005 Estrutura da Norma 0. Introdução 1. Campo de Aplicação 2. Referência Normativa 3. Termos e Definições 4. Sistema de Gestão

Leia mais

» apresentação. WORKFLOW que significa?

» apresentação. WORKFLOW que significa? » apresentação WORKFLOW que significa? WORKFLOW não é mais que uma solução que permite sistematizar de forma consistente os processos ou fluxos de trabalho e informação de uma empresa, de forma a torná-los

Leia mais

Âmbito dos serviços de controlo de saúde da Compellent

Âmbito dos serviços de controlo de saúde da Compellent Descrição do serviço Controlo de Saúde de SAN Dell Compellent Visão geral do serviço A presente Descrição do Serviço ( Descrição do Serviço ) é celebrada entre si, o cliente ( você ou Cliente ), e a entidade

Leia mais

Carta de Segurança da Informação

Carta de Segurança da Informação Estrutura Nacional de Segurança da Informação (ENSI) Fevereiro 2005 Versão 1.0 Público Confidencial O PRESENTE DOCUMENTO NÃO PRESTA QUALQUER GARANTIA, SEJA QUAL FOR A SUA NATUREZA. Todo e qualquer produto

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

Plano de Desenvolvimento de Autonomia

Plano de Desenvolvimento de Autonomia Plano de Desenvolvimento de Autonomia O presente Plano de Desenvolvimento de Autonomia, produzido no âmbito do Contrato de Autonomia desta escola, celebrado com o Ministério da Educação em 10/9/2007, constitui-se

Leia mais

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com.

CRManager. CRManager. TACTIUM CRManager. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades. www.softium.com. Tactium Tactium CRManager CRManager TACTIUM CRManager Guia de Funcionalidades 1 O TACTIUM CRManager é a base para implementar a estratégia de CRM de sua empresa. Oferece todo o suporte para personalização

Leia mais

Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000

Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000 Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000 Serviços HP Dados técnicos O Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial 2 PRIMAVERA BSS Qpoint Rumo à Excelência Empresarial Numa era em que a competitividade entre as organizações é decisiva para o sucesso empresarial, a aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance

Leia mais

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006.

SEPLAN. Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. RESOLUÇÃO Nº 003/2006 - CEPINF de 15 de agosto de 2006. DEFINE a Política de Informática do Estado do Amazonas. O PRESIDENTE DO COMITÊ ESTADUAL DE POLÍTICA DE INFORMÁTICA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

INSTITUTO DOS REGISTOS E NOTARIADO, I.P.

INSTITUTO DOS REGISTOS E NOTARIADO, I.P. INSTITUTO DOS REGISTOS E NOTARIADO, I.P. CONCURSO PÚBLICO N.º 05/DP/2009 AQUISIÇÃO DE SISTEMA DE GESTÃO DE FILAS DE ATENDIMENTO DOS SERVIÇOS DESCONCENTRADOS DO IRN, I.P. CADERNO DE ENCARGOS ANEXO I ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA

APRESENTAÇÃO DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA Sumário 1. Quem somos 2. Nossa missão 3. O que fazemos 4. Internet 5. Service-Desk 6. Outsourcing de Impressão 7. Nossos principais Clientes 1. Quem somos Atuando a mais de 8 anos

Leia mais

Segurança Operacional na EDP; porque importa vigiar a segurança da infra-estrutura IT

Segurança Operacional na EDP; porque importa vigiar a segurança da infra-estrutura IT Segurança Operacional na EDP; porque importa vigiar a segurança da infra-estrutura IT Direção de Sistemas de Informação 30 de Janeiro, 2013 Contexto da Segurança na EDP 2 O contexto da Segurança na EDP

Leia mais

GR-Tessalónica: Ministração de formação em TIC para o pessoal do Cedefop 2012/S 213-351312. Anúncio de concurso. Serviços

GR-Tessalónica: Ministração de formação em TIC para o pessoal do Cedefop 2012/S 213-351312. Anúncio de concurso. Serviços 1/6 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:351312-2012:text:pt:html GR-Tessalónica: Ministração de formação em TIC para o pessoal do Cedefop 2012/S 213-351312 Anúncio

Leia mais

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO DE Área de Formação 862 Segurança e Higiene no Trabalho Formação Profissional Contínua/de Especialização ÍNDICE 1- ENQUADRAMENTO... 3 2- OBJECTIVO GERAL... 4 3- OBJECTIVOS

Leia mais

ANÚNCIO DE CONCURSO. Área Formação Académica Cargo/Nível Vaga. Licenciatura: Engenharia de Informática, Ciências da Computação, Informática de Gestão.

ANÚNCIO DE CONCURSO. Área Formação Académica Cargo/Nível Vaga. Licenciatura: Engenharia de Informática, Ciências da Computação, Informática de Gestão. ANÚNCIO DE CONCURSO O presente anúncio de recrutamento é coordenado pela Direcção Geral da Administração Pública (DGAP), de acordo com os novos procedimentos no regulamento de concursos, com o objectivo

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Correio(s) electrónico(s) Miguel Pedro Mendes d Araújo Morada(s) Rua António Gustavo Moreira, n.º 35 Hab. 2.5 4400-660 Vila

Leia mais

Centro de Gestão da Rede Informática do Governo Data de emissão Entrada em vigor Classificação Elaborado por Aprovação Ver. Página

Centro de Gestão da Rede Informática do Governo Data de emissão Entrada em vigor Classificação Elaborado por Aprovação Ver. Página 2002-02-27 Imediata AT CEGER/FCCN GA 2 1 de 11 Tipo: NORMA Revoga: Versão 1 Distribuição: Sítio do CEGER na Internet. Entidades referidas em IV. Palavras-chave: gov.pt. Registo de sub-domínios de gov.pt.

Leia mais

Riscos do Outsourcing

Riscos do Outsourcing Riscos do Outsourcing RISCOS FINANCEIROS Custos associados (processo de negociação) Custos não esperados RISCOS TECNOLÓGICOS Qualidade do serviço (degradação/má qualidade) Concorrência entre fornecedores

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

Secretaria-Geral do MAOT

Secretaria-Geral do MAOT Secretaria-Geral do MAOT Paula Vieira 8 Outubro 2010 SIAP 2010 1 IMPLEMENTAÇÃO DE UMA INTRANET SIAP 2010 2 AGENDA Objectivos do projecto Arranque do projecto Implementação do projecto Resultados: - Conteúdos

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

Plano de Projecto Multimédia

Plano de Projecto Multimédia Plano de Projecto Multimédia Equipa: (nomes dos elementos e emails respectivos) Vitor Manuel Gonçalves vg@ipb.pt Armindo Dias armindo.dias@dhvmc.pt Definição de objectivos: (indique os objectivos principais

Leia mais

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3

DELEGAÇÃO REGIONAL DO ALENTEJO CENTRO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA REFLEXÃO 3 REFLEXÃO 3 Módulos 0771, 0773, 0774 e 0775 1/5 18-02-2013 Esta reflexão tem como objectivo partilhar e dar a conhecer o que aprendi nos módulos 0771 - Conexões de rede, 0773 - Rede local - instalação,

Leia mais

Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental

Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental Relatório e Parecer da Comissão de Execução Orçamental Auditoria do Tribunal de Contas à Direcção Geral do Tesouro no âmbito da Contabilidade do Tesouro de 2000 (Relatório n.º 18/2002 2ª Secção) 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Guia de Websites para a Administração Pública

Guia de Websites para a Administração Pública Guia de Websites para a Administração Pública Portugal precisa de um desafio de exigência e de conhecimento que nos eleve aos níveis de competência e de produtividade dos países mais desenvolvidos, de

Leia mais

PHC dteamcontrol Interno

PHC dteamcontrol Interno O módulo PHC dteamcontrol Interno permite acompanhar a gestão de todos os projectos abertos em que um utilizador se encontra envolvido. PHC dteamcontrol Interno A solução via Internet que permite acompanhar

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos ISO 9001:2008 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade e Auditorias (Mestrado em Engenharia Alimentar) Gestão da Qualidade (Mestrado em Biocombustívies) ESAC/João Noronha Novembro

Leia mais

Capítulo. Sistemas empresariais

Capítulo. Sistemas empresariais Capítulo 8 1 Sistemas empresariais 2 Objectivos de aprendizagem Identificar e exemplificar os seguintes aspectos da gestão do relacionamento com os clientes, da gestão de recursos empresariais e dos sistemas

Leia mais

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos

PHC TeamControl CS. A gestão de equipas e de departamentos PHC TeamControl CS A gestão de equipas e de departamentos A solução que permite concretizar projectos no tempo previsto e nos valores orçamentados contemplando: planeamento; gestão; coordenação; colaboração

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA

RELATÓRIO DE AUDITORIA ENTIDADE AUDITADA: ESE, ESS, ESTG, ESCE e ESA NORMA DE REFERÊNCIA: NP EN ISO 9001.2008 DATA (S) DA AUDITORIA: 15.04..2011 ÂMBITO: Sub-processo Biblioteca DURAÇÃO: 1dia REQUISITO VERIFICADO NÃO CONFORMIDADE

Leia mais

CENTRAL DE SERVIÇOS APOIADA EM SOFTWARE LIVRE

CENTRAL DE SERVIÇOS APOIADA EM SOFTWARE LIVRE CENTRAL DE SERVIÇOS APOIADA EM SOFTWARE LIVRE Juliano Flores Prof. Wagner Walter Lehmann Centro Universitário Leonardo da Vinci - UNIASSELVI Gestão de Tecnologia da Informação (GTI0034) Prática do Módulo

Leia mais

Departamento de Informática Código de Ética do Estudante do Departamento de Informática da FCT/UNL (Versão 1.0)

Departamento de Informática Código de Ética do Estudante do Departamento de Informática da FCT/UNL (Versão 1.0) Departamento de Informática Código de Ética do Estudante do Departamento de Informática da FCT/UNL (Versão 1.0) Departamento de Informática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Nova de Lisboa

Leia mais

UNIVERSIDADE DE AVEIRO

UNIVERSIDADE DE AVEIRO UNIVERSIDADE DE AVEIRO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, GESTÃO E ENGENHARIA INDUSTRIAL MESTRADO EM GESTÃO DA INFORMAÇÃO DISCIPLINA: GESTÃO DA INFORMAÇÃO CAPACIDADE DE RESPOSTA A SOLICITAÇÕES DO EXTERIOR - DIÁLOGO

Leia mais

dbnetsys IT Consulting Agregando valor ao seu negócio com soluções de TI

dbnetsys IT Consulting Agregando valor ao seu negócio com soluções de TI Página 1/12 Treinamento GLPI x ITIL - 26, 27 e 28 de Agosto 2013 - Faça sua inscrição, Vagas limitadas! 1. Treinamento de GLPI (Gestionnaire libre de parc informatique) em São Paulo/SP Dias 26, 27 e 28

Leia mais

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor Folha de Factos A informação contida neste documento representa a visão actual da Microsoft Corporation sobre os assuntos discutidos,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE FORMAÇÃO DA APEI - ASSOCIAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA

REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE FORMAÇÃO DA APEI - ASSOCIAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA REGULAMENTO INTERNO DO CENTRO DE FORMAÇÃO DA APEI - ASSOCIAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO DE INFÂNCIA CAPITULO I DA CONSTITUIÇÃO, SEDE, PRÍNCIPIOS GERAIS, DURAÇÃO E FINS DO CENTRO DE FORMAÇÃO ARTIGO

Leia mais

PCCRBE 1 - Manual de procedimentos técnicos para a criação de catálogos colectivos

PCCRBE 1 - Manual de procedimentos técnicos para a criação de catálogos colectivos PCCRBE 1 - Manual de procedimentos técnicos para a criação de catálogos colectivos 1. Introdução O objectivo deste documento é a criação de um memorando que sirva de apoio à instalação e manutenção do

Leia mais

ANÚNCIO DE CONCURSO. Assistente Técnico e Técnico

ANÚNCIO DE CONCURSO. Assistente Técnico e Técnico Direcção Geral da Administração Pública Rua Funchal Meio da Achada Santo António C.P nº 200 Cidade da Praia - Cabo Verde PBX: 3337399 www.dgap.com.cv ANÚNCIO DE CONCURSO Assistente Técnico e Técnico O

Leia mais

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação ITIL na Prática Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

SGI. Serviço de Gestão de Impressão BOA GESTÃO PARA MELHOR IMPRESSÃO

SGI. Serviço de Gestão de Impressão BOA GESTÃO PARA MELHOR IMPRESSÃO SGI Serviço de Gestão de Impressão BOA GESTÃO PARA MELHOR IMPRESSÃO CONHECE OS CUSTOS DE IMPRESSÃO DA SUA ORGANIZAÇÃO? O actual contexto mundial torna central a necessidade de reequacionar gastos a todos

Leia mais

dbnetsys IT Consulting Agregando valor ao seu negócio com soluções de TI

dbnetsys IT Consulting Agregando valor ao seu negócio com soluções de TI Página 1/16 Treinamento GLPI x ITIL 27, 28 e 29 de Novembro 2013 - Faça sua inscrição, Vagas limitadas! 2. Treinamento de GLPI (Gestionnaire libre de parc informatique) em São Paulo/SP Dias 27, 28 e 29

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

MINISTÉRIO DA REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. N. o 78 3 de Abril de 2002 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3015

MINISTÉRIO DA REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. N. o 78 3 de Abril de 2002 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3015 N. o 78 3 de Abril de 2002 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3015 Figura 41 Vulnerabilidade dos aquíferos. Figura 42 Infra-estruturas de transporte existentes e previstas. Figura 43 Evolução da população residente

Leia mais

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07

2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 MQ-01/02 01/02-2011/07/07 2011/07/07 NOTA: No caso de imprimir este documento, o mesmo passa automaticamente a Cópia Não Controlada ; a sua utilização implica a confirmação prévia de que corresponde à

Leia mais

- Critérios- 1. Introdução. 2. Procedimentos da Prova de Discussão Curricular

- Critérios- 1. Introdução. 2. Procedimentos da Prova de Discussão Curricular Avaliação Final do Internato Médico de Medicina Geral e Familiar - Critérios- 1. Introdução O presente documento tem como finalidade dotar os júris constituídos para a Avaliação Final do Internato Médico

Leia mais

Rua Cidade Rabat, 29A/B 1250-159 LISBOA Portugal. Tel. +351 213 102 330/4 Fax +351 213 102 339

Rua Cidade Rabat, 29A/B 1250-159 LISBOA Portugal. Tel. +351 213 102 330/4 Fax +351 213 102 339 Rua Cidade Rabat, 29A/B 1250-159 LISBOA Portugal Tel. +351 213 102 330/4 Fax +351 213 102 339 Contacto Geral: inf@acinet.pt Dep. Comercial: comercial@acinet.pt Dep. Formação: formacao@acinet.pt Dep. Multimedia:

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO GRUPO DE TRABALHO Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010 O Plano de Acção da Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal é um instrumento de trabalho ao nível da organização e

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

Aprendizagem de Português L2 Criação e aplicação de estratégias e materiais conducentes ao sucesso educativo dos alunos PLNM

Aprendizagem de Português L2 Criação e aplicação de estratégias e materiais conducentes ao sucesso educativo dos alunos PLNM Aprendizagem de Português L2 Criação e aplicação de estratégias e materiais conducentes ao sucesso educativo dos alunos PLNM Luísa Solla, ILTEC/ESE Setúbal e Fabíola Santos, ILTEC luisa.solla@sapo.pt fabiola.santos@iltec.pt

Leia mais

Acordo de Nível de Serviço (SLA) Realizado por: Para: Stock Comercial Hospitalar

Acordo de Nível de Serviço (SLA) Realizado por: Para: Stock Comercial Hospitalar Acordo de Nível de Serviço (SLA) Service Level Agreement Realizado por: Itair Miguel Lázaro Rodrigues Ricardo Andraus Túlio Accioly Fayad Para: Stock Comercial Hospitalar Data de Vigência: 11-06-2014 Proprietário

Leia mais

Relatório Preliminar de. Projecto em Contexto Empresarial I. VoIP Desenvolvimento de Aplicações em Plataformas Open Source

Relatório Preliminar de. Projecto em Contexto Empresarial I. VoIP Desenvolvimento de Aplicações em Plataformas Open Source Relatório Preliminar de Projecto em Contexto Empresarial I VoIP Desenvolvimento de Aplicações em Plataformas Open Source Cândido Silva Av. dos Descobrimentos, 333 4400-103 Santa Marinha - Vila Nova de

Leia mais

REGULAMENTO DO IV CONCURSO DE IDEIAS DE NEGÓCIO DO CONCELHO DE CASCAIS REGULAMENTO DO CINC CASCAIS

REGULAMENTO DO IV CONCURSO DE IDEIAS DE NEGÓCIO DO CONCELHO DE CASCAIS REGULAMENTO DO CINC CASCAIS REGULAMENTO DO CINC CASCAIS IV CONCURSO DE IDEIAS DE NEGÓCIO DO CONCELHO DE CASCAIS Preâmbulo O CINC CASCAIS - IV Concurso de Ideias de Negócio do Concelho de Cascais é uma iniciativa de captação de ideias

Leia mais

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição

ANEXO 1. Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI. Instituição de acolhimento. Supervisor nomeado pela instituição INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA Departamento de Ciências e Tecnologias de Informação DCTI Formulário de Candidatura da Instituição Projecto Final de Curso de IGE/ETI ANEXO 1 Instituição

Leia mais

Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS

Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS Plano de Sustentabilidade e Gestão da Segurança Social PSGSS Manuel Moreira Coordenador do PSGSS Benguela, 22 e 23 de Maio Agenda Objetivos Gerais Objectivos Estratégicos Estrutura do Projecto Inciativas

Leia mais

PLANO TIC 2009-2010. O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1]

PLANO TIC 2009-2010. O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1] PLANO TIC 2009-2010 O Coordenador TIC Virgílio Freitas [1] ESCOLA EB1/PE Visconde Cacongo URL: http://escolas.madeira-edu.pt/eb1pevcacongo Email: eb1pevcacongo@madeira-edu.pt IDENTIFICAÇÃO DO COORDENADOR

Leia mais

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0 PLATAFORMA Versão 1.0 31 de Março de 2008 TABELA DE REVISÕES Versão Autores Descrição da Versão Aprovadores Data António Rocha Cristina Rodrigues André Ligeiro V0.1r Dinis Monteiro Versão inicial António

Leia mais

Regulamento das Consultas Externas. Índice

Regulamento das Consultas Externas. Índice Índice CAPÍTULO I...4 DISPOSIÇÕES GERAIS...4 ARTIGO 1º...4 (Noção de Consulta Externa)...4 ARTIGO 2º...4 (Tipos de Consultas Externas)...4 ARTIGO 3º...4 (Objectivos do Serviço de Consulta Externa)...4

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

3. O CASO PARTICULAR DO FÓRUM DYN3W

3. O CASO PARTICULAR DO FÓRUM DYN3W 3. O CASO PARTICULAR DO FÓRUM DYN3W 3.1. DESCRIÇÃO DA FERRAMENTA E SUAS APLICAÇÕES Dyn3W é um fórum desenvolvido especialmente para ser utilizado na educação. O seu desenvolvimento iniciou-se em meados

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS 1 Necessidade das base de dados Permite guardar dados dos mais variados tipos; Permite

Leia mais

a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães

a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães processo de modernização administrativa prestação de um melhor serviço aos cidadãos utilização mais eficiente dos seus recursos no

Leia mais

(Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05)

(Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05) Instituto Politécnico de Portalegre ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE ELVAS Normas regulamentares dos Cursos de Especialização Tecnológica (Decreto-Lei nº 88/2006, de 23/05) Elvas Julho de 2012 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais