LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO"

Transcrição

1 LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO

2 LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO ÍNDICE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA pag.1 a 5 constituição predial caracterização da situação existente descrição e justificação enquadramento da integração urbanística da operação elementos caracterizadores condicionantes arruamentos, áreas verdes e infraestruturas acessibilidades enquadramento legal e regulamentar PEÇAS DESENHADAS LOCALIZAÇÃO E ENQUADRAMENTO PRÉDIO RÚSTICO ORIGINÁRIO 01 ORIGEM DOS ATUAIS ARTIGOS URBANOS 02 CONFIGURAÇÃO PREDIAL EXISTENTE 03 EXTRATO DA PLANTA DE ORDENAMENTO DO PDM 04 BASE TOPOGRÁFICA E CONDICIONANTES PLANTA DA SITUAÇÃO EXISTENTE 05 PLANTA SÍNTESE 06 ÁREA A AFETAR AO DOMÍNIO PÚBLICO 07 PLANTA DE PERCURSOS ACESSÍVEIS 08 PLANTA DA PROPOSTA DE DESENHO URBANO 09 ANEXOS localização sobre extrato da carta militar (esc.1/25.000) localização sobre extrato da planta de ordenamento (esc.1/ em versão vetorial) localização sobre extrato da planta de ordenamento (esc.1/ em versão vetorial) localização sobre extrato da planta de condicionantes (esc.1/ em versão vetorial) E02IND.doc

3 LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO 1 / 5 MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA O presente projeto respeita a uma operação de loteamento que o Município do Cartaxo pretende levar a efeito no local designado por Quinta das Pratas, a sul da Avenida 25 de Abril, no Cartaxo, terreno que totaliza uma área de ,00 m² e que é constituído pelas parcelas inscritas na matriz predial urbana da União das Freguesias do Cartaxo e Vale da Pinta sob os artigos 4659 e 4821 (doravante designadas por parcela 4659 e parcela 4821). A operação de loteamento visa a regularização do registo predial de acordo com o atual uso no terreno e que se encontra edificado e parcialmente infraestruturado. Constituição predial As parcelas em causa tiveram origem no prédio que era descrito na Conservatória do Registo Predial do Cartaxo sob o n.º 2118 da extinta freguesia do Cartaxo com uma área de ,00 m² e que, à data da sua aquisição, estava inscrito sob o artigo 39 da secção J na matriz cadastral rústica da mesma freguesia [des.01]. Do prédio original foi desanexada uma área que totaliza ,50 m², dando origem a quatro parcelas que constituíram artigos individualizados, e ainda uma área de 9300,00 m² para construção da Avenida 25 de Abril e para acerto de vias e arruamentos confinantes. Da construção da Avenida 25 de Abril resultou a divisão física do prédio original que era designado por Quinta das Pratas, hoje constituído pelas parcelas 4821 e 4822 que passarão a ser designadas respetivamente por Quintas das Pratas Sul e Quintas das Pratas Norte. Esta última parcela foi acrescida de uma área de 6357,00 m² com vista a viabilizar a implantação das bancadas e balneários do Estádio Municipal, área proveniente do prédio que confina a norte [des.02] e que foi adquirida a António Joaquim Costa Polainas através da celebração de protocolos de cedência que a Câmara Municipal aprovou, um por ratificação em 2003/06/02 e outro por deliberação em 2008/06/13. Na quantificação das áreas constantes nos vários registos prediais verifica-se um decréscimo de 1206,00 m² em relação à soma da área do prédio original e da área adquirida, diferença que se entende resultante de acertos estremas operados ao longo do tempo e que se tem como provável o esquema constante no desenho 03, elaborado por análise comparativa entre os dados topográficos disponíveis e a cartografia de configuração cadastral, diferença que representa 0,6% da área do prédio originário, significância que a dispensa de harmonização em sede de registo predial, conforme admitido no artigo 28.º-A do Código do Registo Predial.

4 LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 2 / 5 Caracterização da situação existente O terreno onde incide o presente loteamento é delimitado pelas estremas exteriores da parcela 4821, a qual envolve integralmente a parcela 4659, apresenta um declive ligeiro que decai para norte, é limitado por declives e taludes acentuados a norte e nascente e prolonga-se num troço a nordeste até à linha de água ali existente. O terreno confronta a noroeste (norte) Avenida 25 de Abril, a sudeste (sul) a urbanização da Quinta das Correias, a nordeste (nascente) a linha de água e um terreno do município que foi cedido temporariamente à empresa municipal RUMO 2020 (artigo 6512) e a sudoeste (poente) a Rua José Ribeiro da Costa. Neste terreno está edificada a Escola Secundária do Cartaxo e respetivo espaço envolvente vedado, o quartel da Guarda Nacional Republicana, a sede do Grupo Columbófilo do Cartaxo (doravante GCC), a estrutura do edifício que foi iniciado para a sede do Rancho Folclórico do Cartaxo e um recinto vedado onde se implantam infraestruturas que integram o sistema de abastecimento de água no Cartaxo e que são constituídas por dois depósitos apoiados, um depósito elevado e instalações complementares, infraestruturas que integram a parcela No prédio regista-se ainda a existência de edificação em madeira constituída por pombais e dependências em uso pelo GCC. O terreno encontra-se parcialmente infraestruturado, sendo dotado de arruamentos que têm acesso único a partir da Avenida 25 de Abril, de rede de abastecimento de água e de saneamento e de redes de fornecimento de energia e de telecomunicações. O acesso à Escola Secundária é feito a partir da Rua José Ribeiro da Costa e pelos arruamentos implantados no terreno, arruamento por onde se faz o acesso à restante edificação existente no prédio. O terreno apresenta-se hoje conforme é representado no desenho 05, onde consta a base topográfica do projecto, referenciada por aproximação ao sistema de coordenadas geométricas DATUM 73, base elaborada a partir de montagem do levantamento aerofotogramétrico de 2006 e de um conjunto de levantamentos topográficos que foram elaborados pelos serviços de topografia do Município do Cartaxo. Descrição e justificação A presente operação de loteamento incidirá em cerca de 70% do terreno e tem em vista a regularização do registo predial das edificações existentes e respetivas áreas envolventes, que passarão a integrar e constituir lotes. Serão afetadas ao domínio público as áreas de arruamentos e espaços verdes existentes e as projetadas, sendo a área remanescente reservada a equipamento ou infraestruturas que de futuro sejam necessárias cuja implementação passará eventualmente por uma outra operação de loteamento. Prevêem-se algumas alterações à situação existente, designadamente nas configurações e áreas que ficarão afetas ao edifício do GCC e às infraestruturas de abastecimento de água. Será assim acrescida de 100 m² a área que hoje ocupam as instalações do GCC, possibilitando a transferência dos atuais pombais em caso de necessidade, nomeadamente por intervenção na área remanescente onde atualmente se localizam, bem como alterado um troço da vedação que hoje encerra as infraestruturas de abastecimento de água, vedação que já hoje abarca mais área do que a registada na parcela 4659, e que na constituição do lote 5 traduzir-se-á num acréscimo de 40%. As áreas que virão a integrar o domínio público incluem os arruamentos o estacionamento e a circulação pedonal existente acrescida da área que a permitirá completar e da área que ficará reservada para espaços verdes. O desenho proposto tem em vista a abertura nos impasses hoje existentes e a criação de

5 LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 3 / 5 estacionamento e de circulação pedonal adequada à edificação existente, prevendo-se correções pontuais no que se encontra hoje implementado. Enquadramento da integração urbanística da operação A totalidade do terreno (parcelas 4821 e 4659) integra a área classificada no Plano Diretor Municipal como ESPAÇO URBANO do aglomerado do Cartaxo, nas categorias de ÁREA URBANIZADA e de ÁREA VERDE DE PROTEÇÃO E ENQUADRAMENTO, com a configuração, as áreas e percentagens constantes no desenho 04. A área a lotear incide exclusivamente em ÁREA URBANIZADA, maioritariamente em ZONA CONSOLIDADA (91%) e a restante parte em ZONA A COMPLETAR OU REABILITAR. A volumetria e cércea das edificações existentes no loteamento, assim como a sua tipologia de implantação em edificação isolada, constituí característica comum à edificação destinada a equipamento de utilização coletiva, bem como a todo o edificado designado genericamente por equipamento, refletindo assim por exclusividade a um tipo de uso da edificação existente na Quinta das Pratas Norte e em grande parte da envolvente. Elementos caracterizadores As características constantes no quadro seguinte [Q.1] referem-se às edificações existentes e aos seus usos atuais, tendo sido estimados os valores das respetivas áreas. Q.1 ÁREA DOS USOS IMPLANTAÇÃO CONSTRUÇÃO NÚMERO DE PISOS LOTES (m²) área (m²) índice área (m²) índice acima c.s. abaixo c.s. Lote 1 EQUIPAMENTO 5534,00 0, ,00 0, Lote 2 EQUIPAMENTO 747,00 0, ,00 0, Lote 3 EQUIPAMENTO 572,00 0,97 480,00 0, Lote 4 EQUIPAMENTO 486,00 0,72 610,00 0, Lote 5 INFRAESTRUTURAS 1125,00 0,21 As características constantes no quadro seguinte [Q.2] passarão a determinar o uso em cada lote, onde os valores ali constantes deverão ser entendidos como limite admissível garantindo assim o enquadramento da edificação existente, bem como daquela que resulte de um eventual quadro evolutivo das necessidades inerentes a cada uso específico, constituindo também margem para adaptação a uma eventual mudança de uso específico, sem que tal obrigue à alteração do loteamento. Q.2 ÁREA DOS USOS IMPLANTAÇÃO CONSTRUÇÃO NÚMERO DE PISOS LOTES (m²) área (m²) índice área (m²) índice acima c.s. abaixo c.s. Lote ,00 EQUIPAMENTO ,00 0, ,00 1, Lote ,00 EQUIPAMENTO 1152,75 0, ,00 1, Lote 3 588,00 EQUIPAMENTO 588,00 1,00 735,00 1, Lote 4 672,00 EQUIPAMENTO 672,00 1,00 840,00 1, Lote ,00 INFRAESTRUTURAS A B C lotes cuja área de implantação integra a área atualmente edificada, passíveis de ampliação condicionada ao limite máximo acima fixado para o número de pisos e para as áreas de implantação e de construção. lote destinado exclusivamente a infraestruturas de abastecimento de água e instalações que lhe sejam complementares. lotes sem previsão de logradouro, passíveis de serem edificados de modo faseado.

6 LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 4 / 5 No quadro seguinte [Q.3] traduzem-se as características do loteamento. Q.3 ÁREA TOTAL ,00 m² parcelas inscritas na m.p.u. sob os artigos 4659 e 4821 ÁREA A LOTEAR ,00 m² ÁREA DE LOTES ,00 m² ÁREA TOTAL A AFETAR AO DOMÍNIO PÚBLICO 7357,00 m² ÁREA DE ESPAÇOS VERDES 2622,00 m² CIRCULAÇÃO AUTOMÓVEL 2060,00 m² ACESSOS E CIRCULAÇÃO AUTOMÓVEL CONDICIONADA 421,00 m² ESTACIONAMENTO 840,00 m² CIRCULAÇÃO PEDONAL 1414,00 m² ÁREA REMANESCENTE ,00 m² ÁREA MÁXIMA DE CONSTRUÇÃO PREVISTA EM EQUIPAMENTO ,00 m² ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO BRUTO (m²/m²) 0,67 VOLUME MÁXIMO ESTIMADO NA EDIFIÇÃO DE EQUIPAMENTO ,00 m³ DENSIDADE POPULACIONAL (fogos/ha) 0 LUGARES DE ESTACIONAMENTO PARA VEÍCULOS LIGEIROS 62 Condicionantes Na área a lotear regista-se o atravessamento de duas linhas eléctricas de média tensão, cuja distância de segurança às linhas em catenária estabelece-se como condição à edificação no lote 5 e à utilização de espécies arbóreas nos espaços verdes que venham a ser implementados sob as mesmas, e ainda a área junto ao talude a noroeste onde a estabilidade do mesmo constitui condição a observar a execução de edificação e pavimentação na sua proximidade. Parte da área remanescente, designadamente aquela que constitui área verde de proteção e enquadramento, encontra-se condicionada pelo disposto no artigo 17.º Regulamento do Plano Diretor Municipal, bem como toda a faixa de 10 m de largura que constitui a sua margem da linha de água que a limita esta área a nordeste e que se encontra sujeita a legislação e regulamentação imposta ao domínio hídrico [des.05]. Arruamentos, áreas verdes e infraestruturas Os arruamentos existentes no interior do terreno incluem áreas de estacionamento e de passeio, acessos aos recintos que agora passam a constituir os lotes 2 e 3 [ver des.05], constituindo cerca de 60% da área prevista no projecto que, em conjunto com os espaços verdes, constitui a área a afetar ao domínio público municipal [des.07].

7 LOTEAMENTO DA QUINTA DAS PRATAS SUL CARTAXO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 5 / 5 A implementação da totalidade dos arruamentos virá a garantir o seu desenvolvimento circular, eliminando os atuais impasses, duplicará o número de lugares de estacionamento e permitirá corrigir a atual área de circulação pedonal de forma a constituir-se um percurso acessível alargado [des.08]. A implementação desta área de espaço público deverá decorrer de obras de urbanização a serem executadas a partir dos necessários projectos de especialidades, designadamente os projectos de arruamentos, de redes de escoamento pluvial e de saneamento, de rede distribuição de água, rede de distribuição de energia eléctrica e de telecomunicações, de iluminação pública, e ainda do projecto de espaços públicos e espaços verdes. A concepção destes projectos deverá considerar uma futura urbanização da área remanescente. A proposta de desenho urbano constante no desenho 09, deverá ser entendida como cenário justificativo da configuração dos arruamentos propostos, nele se prevendo mais duas áreas destinadas a equipamento, áreas de estacionamento e espaços verdes e ligações à rede viária que foi construída na urbanização da Quinta das Correias. Acessibilidades Na rede viária e de espaços públicos existente é garantido o acesso aos equipamentos atualmente existentes, sem que no entanto esteja garantida a acessibilidade nos termos previsto nas normas técnicas para melhoria da acessibilidade das pessoas com mobilidade condicionada, publicadas em anexo ao Decreto-Lei n.º 163/2006, de 8/ago. Tal tem especial incidência no acesso ao quartel da GNR e ao espaço público imediato, e na falta de lugares de estacionamento reservados a pessoas portadoras de deficiência motora. Para cumprimento daquelas normas deverá ser implementado o plano de acessibilidades constante no desenho 08, mesmo que de modo parcial, devendo ser executado a partir de um projecto de espaços públicos que prevejam as correções pontuais do espaço já construído e a execução dos troços se mostrem essenciais para este efeito. Enquadramento legal e regulamentar Em atenção ao que atrás foi descrito regista-se incumprimento legal e regulamentar nos espaços públicos atualmente construídos, designadamente no que obriga o disposto no Decreto-Lei n.º 163/2006, de 8/ago. Nos espaços públicos tal como são previstos no projecto, na constituição dos lotes, nas características da edificação prevista no quadro Q.2 e nos parâmetros urbanísticos constantes no quadro Q.3 foram observadas as normas legais e regulamentares em vigor, designadamente o Decreto-Lei n.º 163/2006, de 8/ago., o Regulamento do Plano Director Municipal e o Regulamento da Urbanização e da Edificação do Município do Cartaxo. Cartaxo, 24 de abril 2015 O técnico Rui Manuel da Costa Massano, Arquiteto, O.A. n.º 3027

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS

Câmara Municipal MUNICÍPIO DE MATOSINHOS MUNICÍPIO DE MATOSINHOS Câmara Municipal PLANO DE PORMENOR PARA O TERRENO ENTRE A AV. DOS COMBATENTES DA GRANDE GUERRA E A RUA NOGUEIRA PINTO - LEÇA DA PALMEIRA R E G U L A M E N TO NOGUEIRA PINTO LEÇA

Leia mais

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA LOTEAMENTO FONTE NOVA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA ÍNDICE I. INTRODUÇÃO 3 II. LOCALIZAÇÃO 3 III. ENQUADRAMENTO PDM 3 VII. CEDÊNCIAS E INFRAESTRUTURAS 3 V. PROPOSTA 3 VI. ÍNDICES URBANÍSTICOS 4 VII.

Leia mais

Ex.mo Senhor: Presidente da Câmara Municipal de Mortágua. ASSUNTO: LOTEAMENTO URBANO: Com / Sem, Obras de Urbanização Licenciamento Comunicação Prévia

Ex.mo Senhor: Presidente da Câmara Municipal de Mortágua. ASSUNTO: LOTEAMENTO URBANO: Com / Sem, Obras de Urbanização Licenciamento Comunicação Prévia REGISTO DE ENTRADA Registado em SPO Procº. / / Reqº. / / Em / / O Assist. Técnico TAXA DE APRECIAÇÃO Paga a taxa no valor de Guia n.º / Em / / O Assist. Técnico DESPACHO Em / / O Presidente da Câmara Ex.mo

Leia mais

2.ENQUADRAMENTO NOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DO TERRITÓRIO. 1. Enquadramento Face ao Plano Director Municipal / Plano de Urbanização da Cidade

2.ENQUADRAMENTO NOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DO TERRITÓRIO. 1. Enquadramento Face ao Plano Director Municipal / Plano de Urbanização da Cidade PROPOSTA DE ARRUAMENTO, PARA O LUGAR DA SERRA ALTA DARQUE VIANA DO CASTELO MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA 1.APRESENTAÇÃO DO ESTUDO A área objecto de estudo, situa-se na freguesia de Darque, no lugar

Leia mais

O presente loteamento é promovido em parceria pela Câmara Municipal e outros proprietários.

O presente loteamento é promovido em parceria pela Câmara Municipal e outros proprietários. OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO INDUSTRIAL DO ROSSIO- 3ª Fase REGULAMENTO Artº 1º Âmbito e Aplicação 1. A operação de loteamento do Rossio 3ª fase, elaborada no âmbito do D.L. nº 555/99, de 16 de Dezembro, alterado

Leia mais

PLANO DE PORMENOR INFRAESTRUTURAS DE APOIO DE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE ERVIDEL TERMOS DE REFERÊNCIA ACOLHIMENTO PARA EMPRESAS, LOCALIZADO NO ESPAÇO DE

PLANO DE PORMENOR INFRAESTRUTURAS DE APOIO DE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE ERVIDEL TERMOS DE REFERÊNCIA ACOLHIMENTO PARA EMPRESAS, LOCALIZADO NO ESPAÇO DE PLANO DE PORMENOR INFRAESTRUTURAS DE APOIO DE ACOLHIMENTO PARA EMPRESAS, LOCALIZADO NO ESPAÇO DE ATIVIDADES ECONÓMICAS DE ERVIDEL TERMOS DE REFERÊNCIA 1. Introdução 2. Oportunidade da elaboração do Plano

Leia mais

OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO INDUSTRIAL DO ROSSIO REGULAMENTO

OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO INDUSTRIAL DO ROSSIO REGULAMENTO OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO INDUSTRIAL DO ROSSIO REGULAMENTO Artigo 1º Âmbito e Aplicação O presente Regulamento disciplina a ocupação e uso do solo da área abrangida pela operação de loteamento do Rossio em

Leia mais

Requerimento. sujeitas a licenciamento

Requerimento. sujeitas a licenciamento Requerimento Comunicação Prévia para alterações ao projecto Licenciado ou com Admissão de Comunicação Prévia durante a execução da obra Alterações que se fossem obra nova estariam sujeitas a licenciamento

Leia mais

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares Reg. N.º Em / / Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome: BI/Cartão de Cidadão: Arquivo: Validade: / / N.º de Identificação Fiscal: Morada: Freguesia:

Leia mais

E D I T A L N. 33/

E D I T A L N. 33/ E D I T A L N. 33/2 0 1 6 ---------- ALVARÁ DE LOTEAMENTO URBANO COM OBRAS DE URBANIZAÇÃO NÚMERO 2/2016 ----------- ---------- HERNÂNI DINIS VENÂNCIO DIAS, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE BRAGANÇA: --------

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO.

REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO. REGULAMENTO DO PLANO DE PORMENOR SOBRE A OCUPAÇÃO DE PARCELAS NO SÍTIO DENOMINADO ESTACAL, EM BREJOS DE AZEITÃO, CASAS DE AZEITÃO. Artigo 1º Aplicação 1. O presente Plano de Pormenor, adiante designado

Leia mais

PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE LOTEAMENTO

PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE LOTEAMENTO Registo de entrada RESERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO DE LICENÇA/AUTORIZAÇÃO DE LOTEAMENTO ( Art.º27º e Art.º 33º do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo

Leia mais

Loteamento da Quinta de S. Martinho

Loteamento da Quinta de S. Martinho Loteamento da Quinta de S. Martinho Memória descritiva e Justificativa 3ª alteração O loteamento da Quinta de S. Martinho foi aprovado em reunião de Câmara de 16/02/2000. Em reunião de Câmara de 02/05/2001

Leia mais

Artº 3º Promotores O presente loteamento é promovido em parceria pela Câmara Municipal e outros proprietários.

Artº 3º Promotores O presente loteamento é promovido em parceria pela Câmara Municipal e outros proprietários. OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO INDUSTRIAL DO ROSSIO- 4ª Fase REGULAMENTO Artº 1º Âmbito e Aplicação 1. A operação de loteamento do Rossio 4ª fase, elaborada no âmbito do D.L. nº 555/99, de 16 de Dezembro, alterado

Leia mais

V E R E A Ç Ã O D E P L A N E A M E N T O, O R D E N A M E N T O E U R B A N I S M O D I V I S Ã O D E P L A N E A M E N T O, R E V I T A L I Z A Ç Ã

V E R E A Ç Ã O D E P L A N E A M E N T O, O R D E N A M E N T O E U R B A N I S M O D I V I S Ã O D E P L A N E A M E N T O, R E V I T A L I Z A Ç Ã 1 I PREÂMBULO O regime de coordenação dos âmbitos nacional, regional e municipal do sistema de planeamento territorial, assim como a revisão dos Planos Diretores Municipais, obedecem ao Decreto-Lei n.º

Leia mais

Exm.º Senhor: Vereador do Pelouro do Município de Monforte

Exm.º Senhor: Vereador do Pelouro do Município de Monforte Registo de Entrada N.º Proc.º Em / / Funcionário: Informação - Prosseguir seus termos Em / / A Responsável da UOFUOSU Despacho - Prosseguir seus termos Em / / O Vereador do Pelouro Identificação do Munícipe

Leia mais

DADOS QUANTITATIVOS ÁREA TOTAL A LOTEAR - oitenta e nove mil cento e dezanove metros quadrados (89119 m²); NÚMERO DE LOTES - 30 numerados de 1 a 40;

DADOS QUANTITATIVOS ÁREA TOTAL A LOTEAR - oitenta e nove mil cento e dezanove metros quadrados (89119 m²); NÚMERO DE LOTES - 30 numerados de 1 a 40; ALTERAÇÃO AO LOTEAMENTO URBANO DA ÁREA DA CERÂMICA DE MORTÁGUA MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA A proposta de alteração ao Loteamento que se apresenta surge na sequência da modificação das condições

Leia mais

NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO

NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENCIAMENTO DE ALTERAÇÃO À LICENÇA DE LOTEAMENTO Já conhece as regras de instrução de processos em formato digital? Consulte toda a informação em

Leia mais

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5

Termos de Referência. 4. Enquadramento nos Instrumentos de Gestão Territorial. Página 1 de 5 Termos de Referência 1. Oportunidade da elaboração do Plano de Pormenor do Parque Empresarial para Novas Estratégias de Localização do Investimento O Plano Director Municipal de Penela, em processo de

Leia mais

UNIDADE DE EXECUÇÃO DE S. BARTOLOMEU. Proposta de Delimitação e Fundamentação. 1. Introdução. Fundamentação

UNIDADE DE EXECUÇÃO DE S. BARTOLOMEU. Proposta de Delimitação e Fundamentação. 1. Introdução. Fundamentação UNIDADE DE EXECUÇÃO DE S. BARTOLOMEU Proposta de Delimitação e Fundamentação 1. Introdução Fundamentação Com a revisão efetuada ao Plano Diretor Municipal de Proença a Nova, cuja aprovação foi publicada

Leia mais

Habitação, Construção e Obras Públicas. Anexo nº 2 - Sistema Conceptual completo

Habitação, Construção e Obras Públicas. Anexo nº 2 - Sistema Conceptual completo Bens e serviços imobiliários Alojamento Alojamento colectivo Alojamento de convivência Estabelecimento hoteleiro e similar Alojamento familiar Alojamento familiar clássico Alojamento sobrelotado Alojamento

Leia mais

Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação

Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação Requerimento Licenciamento de Obras de Edificação Alterações ao projecto licenciado durante a execução da obra que envolvam alterações da implantação ou ampliação Ex.mo Senhor Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

GUIAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO OU DE LICENCIAMENTO DE OBRAS (NA ÁREA DE COMPETÊNCIAS DA APSS, S.A.)

GUIAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS DE AUTORIZAÇÃO OU DE LICENCIAMENTO DE OBRAS (NA ÁREA DE COMPETÊNCIAS DA APSS, S.A.) 1. De acordo com a legislação em vigor (Decreto-Lei n.º 338/98, de 3 de Novembro), na sua área de jurisdição, compete à APSS, S.A. conceder licenças para a execução de obras directamente relacionadas com

Leia mais

OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO EST 01. Ano Mês Alvará de de licença/autorização de de loteamento n.º n.º

OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO EST 01. Ano Mês Alvará de de licença/autorização de de loteamento n.º n.º OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO EST 0 - IDENTIFICAÇÃO DO PROCESSO ADMINISTRATIVO.. Processo Processo n.º n.º 2.Tipo 3. 3. Data Data de de Registo 4. 4. Alvará de de licença/autorização de de loteamento n.º n.º

Leia mais

Estudo Prévio - ARRUAMENTO URBANO. Cardielos Rua da Azenha

Estudo Prévio - ARRUAMENTO URBANO. Cardielos Rua da Azenha índice das peças escritas memória descritiva arquitectura levantamento fotográfico Proposto Existente índice das peças desenhadas F00 Índice peças desenhadas F01 Enquadramento F02 Levantamento Topográfico

Leia mais

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Elementos instrutórios do pedido Elementos comuns aos procedimentos de controlo prévio (Licença), nos termos da Portaria n.º 113/2015, de 22/04 1) 2) 3) 4) 5) 6) Certidão da descrição e de todas as inscrições

Leia mais

MUNICÍPIO DE VILA VIÇOSA CÂMARA MUNICIPAL

MUNICÍPIO DE VILA VIÇOSA CÂMARA MUNICIPAL --------------------MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA--------------------- TERCEIRA OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO DA ZONA INDUSTRIAL DE VILA VIÇOSA 1. Introdução A presente operação de loteamento visa implementar

Leia mais

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES TERMOS DE REFERÊNCIA

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES ALTERAÇÃO FEVEREIRO DE 2016 Assunto: Alteração ao Plano de Pormenor da Zona de Expansão Sul-Nascente da Cidade de Sines Proposta de

Leia mais

AVISO OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO MUNICIPAL N

AVISO OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO MUNICIPAL N 1 -------------------------------------------AVISO---------------------------------------------- -----OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO MUNICIPAL N.º 2/2011, HORTAS DA FOZ, EM PONTE DE SOR--------------------------------------------------------

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA PLANO DE PORMENOR DE RECONVERSÃO DA AUGI 9 LAGOA DE ALBUFEIRA COM O APOIO DA ADMINISTRAÇÃO CONJUNTA.

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA PLANO DE PORMENOR DE RECONVERSÃO DA AUGI 9 LAGOA DE ALBUFEIRA COM O APOIO DA ADMINISTRAÇÃO CONJUNTA. Regulamento CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1º Norma Habilitante O presente Regulamento tem o seu suporte legal, genericamente no artigo 241.º da Constituição da República Portuguesa e na alínea a)

Leia mais

PEDIDO DE LICENCIAMENTO/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÃO URBANÍSTICA (ESTABELECIMENTOS DE RESTAURAÇÃO OU BEBIDAS)

PEDIDO DE LICENCIAMENTO/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÃO URBANÍSTICA (ESTABELECIMENTOS DE RESTAURAÇÃO OU BEBIDAS) Registo de entrada RE SERVADO AOS SERVIÇOS PEDIDO DE LICENCIAMENTO/AUTORIZAÇÃO DE OPERAÇÃO URBANÍSTICA (N.º 2 e n.º3 do Artº4º do D.L. 555/99 de 16 de Dezembro, com a redacção conferida pelo D.L. 177/2001

Leia mais

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES JUSTIFICAÇÃO PARA NÃO SUJEIÇÃO A AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES JUSTIFICAÇÃO PARA NÃO SUJEIÇÃO A AVALIAÇÃO AMBIENTAL ESTRATÉGICA PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO ALTERAÇÃO FEVEREIRO DE 2016 Assunto: Alteração ao Plano de Pormenor da Zona de Expansão Sul-Nascente da Cidade de Sines Justificação para não sujeição a avaliação

Leia mais

A Ocupação Dispersa no Quadro dos PROT e dos PDM. O PROT - Norte. Universidade de Évora, 12 de Novembro de 2009

A Ocupação Dispersa no Quadro dos PROT e dos PDM. O PROT - Norte. Universidade de Évora, 12 de Novembro de 2009 A Ocupação Dispersa no Quadro dos PROT e dos PDM O PROT - Norte Universidade de Évora, 12 de Novembro de 2009 1 ENQUADRAMENTO PNPOT: directivas gerais Resolução do Conselho de Ministros 29/2006, de 23

Leia mais

MOD:DU/2.3 MOD:DU/3.1 Jun 10 MODELO DE INSTRUÇÃO

MOD:DU/2.3 MOD:DU/3.1 Jun 10 MODELO DE INSTRUÇÃO S A N E A M E N T O D E E L E M E N T O S I N S T R U T Ó R I O S (art. 11º RJUE) PRETENSÃO: REQUERENTE OU COMUNICANTE: LOCAL DA OBRA: FREGUESIA: N.º CONTRIBUINTE: ELEMENTOS APRESENTADOS (A PREENCHER PELO

Leia mais

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares

M U N I C I P I O de V I E I R A D O M I N H O Divisão de Urbanismo e Obras Municipais Serviços de Planeamento Urbanístico e Obras Particulares Reg. N.º Em / / Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho IDENTIFICAÇÂO DO REQUERENTE Nome: BI/Cartão de Cidadão: Arquivo: Validade: / / N.º de Identificação Fiscal: Morada: Freguesia:

Leia mais

Procedimentos para a obtenção de extractos de cartografia de apoio ao levantamento topográfico Georreferenciado

Procedimentos para a obtenção de extractos de cartografia de apoio ao levantamento topográfico Georreferenciado Procedimentos para a obtenção de extractos de cartografia de apoio ao levantamento topográfico Georreferenciado FORNECIMENTO DO EXTRACTO DA CARTOGRAFIA O requerente solicitará no balcão de atendimento

Leia mais

UI6. Requalificação do Largo de Santo António Rua de Santo António. requerente Câmara Municipal do Fundão

UI6. Requalificação do Largo de Santo António Rua de Santo António. requerente Câmara Municipal do Fundão UI6 Requalificação do Largo de Santo António Rua de Santo António requerente Câmara Municipal do Fundão projecto de arquitectura Janeiro 2011 ÍNDICE GERAL I PEÇAS ESCRITAS pág. Termo de Responsabilidade

Leia mais

Ficha Técnica do Imóvel*

Ficha Técnica do Imóvel* Ficha Técnica do Imóvel* * relativo ao Lote 3 da Resolução n.º 241/2016, de 12 de maio Identificação do imóvel Localização Prédio urbano localizado na freguesia de São Roque do Faial, concelho de Santana,

Leia mais

FACOL (ANTIGA FÁBRICA DE CORTIÇA DE LOUROSA)

FACOL (ANTIGA FÁBRICA DE CORTIÇA DE LOUROSA) FACOL (ANTIGA FÁBRICA DE CORTIÇA DE LOUROSA) AJ AGUIAR COMERCIO GERAL LDA LOUROSA SANTA MARIA DA FEIRA AV. PRINCIPAL 300 - Artº 1248 1. Introdução O presente relatório solicitado por AJ AGUIAR COMERCIO

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO - PROMESSA DE COMPRA E VENDA

MINUTA DE CONTRATO - PROMESSA DE COMPRA E VENDA MINUTA DE CONTRATO - PROMESSA DE COMPRA E VENDA Entre: INSTITUTO DA HABITAÇÃO E DA REABILITAÇÃO URBANA, I.P., pessoa coletiva nº 501 460 888, com sede na Avenida Columbano Bordalo Pinheiro, 5, 1099-019

Leia mais

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo

Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Divisão de Obras, Planeamento, Ambiente e Urbanismo Elementos instrutórios do pedido Elementos comuns aos procedimentos de controlo prévio (Comunicação Prévia), nos termos da Portaria n.º 113/2015, de

Leia mais

Nota Introdutória. Artigo 1.º Instrução dos Pedidos de Emissão de Certidão de Destaque

Nota Introdutória. Artigo 1.º Instrução dos Pedidos de Emissão de Certidão de Destaque NORMAS PARA INSTRUÇÃO DE PEDIDOS PARA A Nota Introdutória Os elementos instrutórios dos procedimentos previstos no Regime Jurídico da Urbanização e Edificação (RJUE) estão definidos na Portaria nº 113/2015,

Leia mais

ANEXO IV. Parâmetros de dimensionamento de Espaços Verdes, Infra-estruturas e Equipamentos de Utilização Colectiva

ANEXO IV. Parâmetros de dimensionamento de Espaços Verdes, Infra-estruturas e Equipamentos de Utilização Colectiva ANEXO IV Parâmetros de dimensionamento de Espaços Verdes, Infra-estruturas e Equipamentos de Utilização Colectiva 1 - Infra-estruturas viárias 1.1 - Arruamento 1.1.1 - O perfil tipo inclui a faixa de rodagem

Leia mais

PLANO DE PORMENOR DO FORTE DO REVELIM TERMOS DE REFERÊNCIA

PLANO DE PORMENOR DO FORTE DO REVELIM TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE PORMENOR DO FORTE DO REVELIM TERMOS DE REFERÊNCIA Janeiro 2013 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ENQUADRAMENTO TERRITORIAL E ÁREA DE INTERVENÇÃO... 3 3. ENQUADRAMENTO LEGAL DO PLANO... 4 4. OBJETO

Leia mais

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO

DOSSIER DE APRESENTAÇÃO DOSSIER DE APRESENTAÇÃO 19 JANEIRO 2017 ENQUADRAMENTO Reconhecendo a importância social e patrimonial dos bairros residenciais da coroa urbana de Viseu e elegendo como prioridade a qualidade de vida das

Leia mais

Divisão de Obras Particulares e Planeamento Urbanístico

Divisão de Obras Particulares e Planeamento Urbanístico Licenciamento Administrativo de Operação Urbanística Espaço reservado aos Serviços Exmº Senhor Presidente da Câmara Municipal do Bombarral Nome Contribuinte fiscal n.º, B.I. n.º, Cartão do Cidadão, com

Leia mais

Nome do requerente. Residência/Sede. BI / Cartão de Cidadão n.º Emitido em / / Válido até / / Telefone n.º Fax n.º

Nome do requerente. Residência/Sede. BI / Cartão de Cidadão n.º Emitido em / / Válido até / / Telefone n.º Fax n.º Divisão de Estudos, Planeamento e Urbanismo 008 REQUERIMENTO PARA: Comunicação Prévia de Operação de Loteamento Município do Sabugal Câmara Municipal Gestor do Procedimento: Apreciação: Exmo. Senhor Presidente

Leia mais

DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 04 - POVOAÇÃO FREGUESIA: 03 - NOSSA SENHORA DOS REMEDIOS ARTIGO MATRICIAL: 152 NIP:

DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 04 - POVOAÇÃO FREGUESIA: 03 - NOSSA SENHORA DOS REMEDIOS ARTIGO MATRICIAL: 152 NIP: CADERNETA PREDIAL URBANA SERVIÇO DE FINANÇAS: 3000 - POVOACAO IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 04 - POVOAÇÃO FREGUESIA: 03 - NOSSA SENHORA DOS REMEDIOS ARTIGO MATRICIAL: 152

Leia mais

COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO

COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO Documentos instrutórios (preenchimento obrigatório) Pág. 0. Requerimento... a Acompanhado de cópia do documento de identificação do requerente 1. Documento comprovativo

Leia mais

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA

PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA SANESTRADAS, S.A. Penedo da Freira Conceição da Abóboda 2785-297 São Domingos de Rana Tel: 214 457 230 / Fax: 214 457 239 www.sanestradas.pt PLANO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DONO DE OBRA SOCIEDADE DE GESTÃO

Leia mais

ELEMENTOS INSTRUTÓRIOS DOS PROCEDIMENTOS PREVISTOS NO REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO

ELEMENTOS INSTRUTÓRIOS DOS PROCEDIMENTOS PREVISTOS NO REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO ELEMENTOS INSTRUTÓRIOS DOS PROCEDIMENTOS PREVISTOS NO REGIME JURÍDICO DA URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO Aprovado pela Portaria n.º 113/2015, de 22 de abril. Entrada em vigor: produz efeitos no dia 23-04-2015.

Leia mais

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES RELATÓRIO

ALTERAÇÃO AO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES RELATÓRIO PLANO DE PORMENOR DA ZONA DE EXPANSÃO SUL-NASCENTE DA CIDADE DE SINES ALTERAÇÃO ABRIL DE 2016 Assunto: Alteração ao Plano de Pormenor da Zona de Expansão Sul-Nascente da Cidade de Sines Relatório Data:

Leia mais

NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDO DE LICENCIAMENTO

NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDO DE LICENCIAMENTO NORMA TÉCNICA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DE PEDIDO DE LICENCIAMENTO Já conhece as regras de instrução de processos em formato digital? Consulte toda a informação em www.gaiurb.pt/nopaper. Desde o dia 1

Leia mais

OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO ÁREA CENTRAL DA ZONA EMPRESARIAL/INDUSTRIAL DE RECEZINHOS. Memória Descritiva e Justificativa

OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO ÁREA CENTRAL DA ZONA EMPRESARIAL/INDUSTRIAL DE RECEZINHOS. Memória Descritiva e Justificativa Divisão de Projetos de Arquitetura e Ordenamento Territorial OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO ÁREA CENTRAL DA ZONA EMPRESARIAL/INDUSTRIAL DE RECEZINHOS Memória Descritiva e Justificativa Agosto 2015 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

COMUNICAÇÃO PRÉVIA OBRAS DE EDIFICAÇÃO

COMUNICAÇÃO PRÉVIA OBRAS DE EDIFICAÇÃO OBJETIVO Definir o modo de instrução da declaração de comunicação prévia de obras de edificação (obras de construção, reconstrução, alteração ou ampliação), nos termos das alíneas a), c), d), e), f) do

Leia mais

Denominação Bacia hidrográfica Sub-bacia. III CARACTERIZAÇÃO DA UTILIZAÇÃO Finalidade.

Denominação Bacia hidrográfica Sub-bacia. III CARACTERIZAÇÃO DA UTILIZAÇÃO Finalidade. ELEMENTOS NECESSÁRIOS À INSTRUÇÃO DO PEDIDO DE LICENÇA DE UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS OCUPAÇÃO DO DOMÍNIO PÚBLICO HÍDRICO I IDENTIFICAÇÃO DO REQUERENTE Nome/Denominação social, identificação fiscal

Leia mais

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS

CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO CONDIÇÕES ESPECÍFICAS PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO PT.DT.PDN.03.05.021 PARA CONDOMÍNIOS E LOTEAMENTOS FECHADOS 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA ENGENHARIA - SP SUMÁRIO 1. OBJETIVO...

Leia mais

N.º Identificação Civil. Autoriza o envio de notificações, no decorrer deste processo, para o endereço eletrónico indicado. N.º Identificação Civil

N.º Identificação Civil. Autoriza o envio de notificações, no decorrer deste processo, para o endereço eletrónico indicado. N.º Identificação Civil EXMO. (A) SENHOR (A) PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DA TROFA LICENÇA DE OBRAS REQUERENTE Nome Morada Freguesia Fiscal Código da Certidão Comercial Permanente Código Postal Civil - Válido até - - Telefone

Leia mais

Para efeito desta Instrução Técnica são adotadas as seguintes definições:

Para efeito desta Instrução Técnica são adotadas as seguintes definições: IT 1814 R.5 - INSTRUÇÃO TÉCNICA PARA APRESENTAÇÃO DE ANTEPROJETOS DE EDIFICAÇÕES RESIDENCIAIS MULTIFAMILIARES (PERMANENTES OU TRANSITÓRIAS) GRUPAMENTOS DE EDIFICAÇÕES E CLUBES Notas: Aprovada pela Deliberação

Leia mais

NORMA TÉCNICA COMUNICAÇÃO PRÉVIA

NORMA TÉCNICA COMUNICAÇÃO PRÉVIA ELEMENTOS PARA A INSTRUÇÃO DE 1. DE OPERAÇÃO DE LOTEAMENTO 2. DE OBRAS DE URBANIZAÇÃO 3. DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO (Incluindo obras de alteração de fachadas, edificação de vedação e instalação de estabelecimentos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO. Versão 0: Guia_Projetos_Loteamentos vf.docx_

ESPECIFICAÇÃO. Versão 0: Guia_Projetos_Loteamentos vf.docx_ GUIA TÉCNICO PARA DE LOTEAMENTOS Página 1 de 5 1 OBJETIVO Esta especificação tem como objetivo definir as normas para elaboração e constituição dos projetos de infraestruturas de abastecimento de água,

Leia mais

Instalações eléctricas estabelecidas em condomínios fechados

Instalações eléctricas estabelecidas em condomínios fechados Instalações eléctricas estabelecidas em condomínios fechados Despacho do Director Geral de Geologia e Energia, de 13 de Maio de 2005 Enquadramento Legal Decreto Lei n.º 177/2001, de 4 de Junho republica

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA MORADIAS-TIPO DA AUGI 24 DA RIBEIRA DO MARCHANTE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA MORADIAS-TIPO DA AUGI 24 DA RIBEIRA DO MARCHANTE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA CÂMARA MUNICIPAL DE SESIMBRA MORADIAS-TIPO DA AUGI 24 DA RIBEIRA DO MARCHANTE MEMÓRIA DESCRITIVA E JUSTIFICATIVA INTRODUÇÃO A presente memória descritiva e justificativa diz respeito aos projetos-tipo

Leia mais

MUNICIPAL SUMÁRIO 2.º SUPLEMENTO AO BOLETIM MUNICIPAL N.º 1158 RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO CÂMARA MUNICIPAL

MUNICIPAL SUMÁRIO 2.º SUPLEMENTO AO BOLETIM MUNICIPAL N.º 1158 RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO CÂMARA MUNICIPAL B O L E T I M C Â M A R A M U N I C I P A L D E L I S B O A 2.º SUPLEMENTO AO BOLETIM SUMÁRIO RESOLUÇÕES DOS ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO CÂMARA Deliberações (Reunião Pública de Câmara realizada em 27 de abril

Leia mais

Regime jurídico da urbanização e da edificação

Regime jurídico da urbanização e da edificação Regime jurídico da urbanização e da edificação A Lei dos Solos (Decreto-Lei nº 794/76, de 5 de Novembro) distingue o direito da propriedade do direito de urbanizar. O direito de urbanizar e edificar é

Leia mais

EXPROPRIAÇÕES. Instrução dos pedidos de declaração de utilidade pública. Orientações técnicas

EXPROPRIAÇÕES. Instrução dos pedidos de declaração de utilidade pública. Orientações técnicas EXPROPRIAÇÕES Instrução dos pedidos de declaração de utilidade pública Orientações técnicas 2016 1 Introdução A declaração de utilidade pública da expropriação dos bens imóveis e direitos a eles inerentes

Leia mais

N.º Identificação Civil. N.º Identificação Civil

N.º Identificação Civil. N.º Identificação Civil Requerimento n.º data / / Pago pela guia n.º valor EXMO. SENHOR PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE FIGUEIRÓ DOS VINHOS O Funcionário, COMUNICAÇÃO PRÉVIA DE OBRA DE EDIFICAÇÃO ALTERAÇÃO À COMUNICAÇÃO PRÉVIA

Leia mais

FICHA TÉCNICA DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS

FICHA TÉCNICA DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO Loteamento industrial de Eiras- Ligação ao Bairro de S. Miguel 2. LOCALIZAÇÃO Loteamento industrial de Eiras Freguesia de Eiras 3. SCRIÇÃO GERAL ADMINISTRATIVA

Leia mais

TÍTULO I. 27304 Diário da República, 2.ª série N.º 132 10 de Julho de 2009. Disposições Gerais. CAPÍTULO IV Disposições finais

TÍTULO I. 27304 Diário da República, 2.ª série N.º 132 10 de Julho de 2009. Disposições Gerais. CAPÍTULO IV Disposições finais 27304 Diário da República, 2.ª série N.º 132 10 de Julho de 2009 ao funcionamento dos órgãos e serviços, podendo comportar esforço físico; Detém responsabilidade pelos equipamentos sob sua guarda e pela

Leia mais

ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE FORNOS DE ALGODRES AOS NOVOS INDICADORES DE RUÍDO 1

ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE FORNOS DE ALGODRES AOS NOVOS INDICADORES DE RUÍDO 1 CÂMARA MUNICIPAL DE FORNOS DE ALGODRES ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO DE FORNOS DE ALGODRES AOS NOVOS INDICADORES DE RUÍDO RESUMO NÃO TÉCNICO DATA: 2015-05-14 ADAPTAÇÃO DO MAPA DE RUÍDO DO CONCELHO

Leia mais

Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Praia da Vitória

Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal de Praia da Vitória REQUERIMENTO: CMPV 207/2 ALTERAÇÃO/AUTORIZAÇÃO DE UTILIZAÇÃO não precedido de operação urbanística sujeita a controlo prévio Número de Processo / / Data de Entrada / / Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal

Leia mais

Regime Jurídico da Requalificação Urbana Enquadramento Jurídico

Regime Jurídico da Requalificação Urbana Enquadramento Jurídico Enquadramento Jurídico Decreto-Lei n.º 307/2009 de 23 de Outubro - Regime Jurídico da Reabilitação Urbana Legislação relacionada Decreto-Lei n.º 152/82 de 3 de Maio - Regime de criação de ADUP's e ACP's

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ DAS FLORES CONSTRUÇÃO DE ACESSO À ZONA BA

CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ DAS FLORES CONSTRUÇÃO DE ACESSO À ZONA BA MOD PJ 04 E01 Sede Rua da Esperança, 42 Gabinete Ladeira de S Bento, 41 9700-179 Angra do Heroísmo Tel: 295 216 939 / 216 243 Fax: 295 216 938 E-mail arquiangra@oninet.pt CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ

Leia mais

Despacho: Exm.º Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra

Despacho: Exm.º Sr. Presidente da Câmara Municipal de Sintra IMP.PS.01.431.02 IMP.PS.01.431.03 COMUNICAÇÃO DE ABERTURA AO PÚBLICO DE EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS EM CASO DE AUSÊNCIA DE AUTORIZAÇÃO PARA FINS TURÍSTICOS (ao abrigo do artigo 31º do Decreto-lei nº 39/2008,

Leia mais

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO

ÍNDICE. Memória Descritiva PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO PLANO DE PORMENOR DO ESPAÇO DE REESTRUTURAÇÃO URBANÍSTICA DA QUINTA DO BARÃO ÍNDICE LEVANTAMENTO DO JARDIM E ESPAÇO ANEXO EXISTENTE PEÇAS DESENHADAS 01.1 e 01.2 - Levantamento de Elementos Construídos

Leia mais

Superintendência do Espaço Físico Diretrizes Orçamentárias para 2015

Superintendência do Espaço Físico Diretrizes Orçamentárias para 2015 Superintendência do Espaço Físico Diretrizes Orçamentárias para 2015 1. Recursos SEF 1.1. Custeio - Dotação Básica - Manutenção e Reposição de Equipamentos de Informática - Treinamento de Recursos Humanos

Leia mais

DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 03 - PONTA DELGADA FREGUESIA: 18 - ROSTO DO CÃO (S. ROQUE) ARTIGO MATRICIAL: 2730 NIP:

DISTRITO: 21 - PONTA DELGADA CONCELHO: 03 - PONTA DELGADA FREGUESIA: 18 - ROSTO DO CÃO (S. ROQUE) ARTIGO MATRICIAL: 2730 NIP: IDENTIFICAÇÃO DO PRÉDIO (S. ROQUE) ARTIGO MATRICIAL: 2730 NIP: Descrito na C.R.P. de : PONTA DELGADA (AÇORES) sob o registo nº: 2035 TEVE ORIGEM NOS ARTIGOS (S. ROQUE) Tipo: URBANO Artigo: 2641 LOCALIZAÇÃO

Leia mais

LOTEAMENTO CA URBANISMO BAURU

LOTEAMENTO CA URBANISMO BAURU LOTEAMENTO CA URBANISMO BAURU RELATÓRIO DE IMPACTO VIÁRIO CA URBANISMO SPE LTDA. JUNHO / 2015 1 INDICE INTRODUÇÃO...2 1. EMPREENDIMENTO...3 1.1 ATIVIDADES E DIMENSÕES...3 1.2 TOPOGRAFIA...6 2. CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

ANEXO III PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DOS LAGOS ARTIFICIAIS E DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA DA FASE 01 DO SAPIENS PARQUE

ANEXO III PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DOS LAGOS ARTIFICIAIS E DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA DA FASE 01 DO SAPIENS PARQUE ANEXO III PROJETOS EXECUTIVOS DE ENGENHARIA DOS LAGOS ARTIFICIAIS E DAS OBRAS DE INFRAESTRUTURA DA FASE 01 DO SAPIENS PARQUE Sumário 1 Objetivo... 4 2 Características Principais... 4 2.1 Área de Intervenção...

Leia mais

PDM Lisboa Revisão do PDM HIERARQUIA DA REDE VIÁRIA: Rede. vias arteriais. Rede estruturante (1º nível) Primária ou Fundamental.

PDM Lisboa Revisão do PDM HIERARQUIA DA REDE VIÁRIA: Rede. vias arteriais. Rede estruturante (1º nível) Primária ou Fundamental. HIERARQUIA DA REDE VIÁRIA: PDM Lisboa 1994 Revisão do PDM Rede Primária ou Fundamental vias arteriais vias principais Rede estruturante (1º nível) Rede de Distribuição Principal (2º nível) Rede Secundária

Leia mais

Empreitada de Execução das Redes de Saneamento de Benavente EN118 / Avenida do Seculo Samora Correia 4º prolongamento

Empreitada de Execução das Redes de Saneamento de Benavente EN118 / Avenida do Seculo Samora Correia 4º prolongamento Dono de Obra Entidade Executante AR Águas do Ribatejo, EM, S.A. PROTECNIL - Sociedade Técnica de Construções, S.A. PROJECTO DE SINALIZAÇÃO TEMPORÁRIA DE SEGURANÇA A IMPLEMENTAR NA EMPREITADA Empreitada

Leia mais

CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO

CÃMARA MUNICIPAL DE ÍLHAVO MARCAÇÕES RODOVIÁRIAS NA GAFANHA DA NAZARÉ - 2016 MEMORIA DESCRITIVA DOIA Divisão de Obras, Investimentos e Ambiente ÍNDICE Memória Descritiva Introdução Projeto Caraterização DOIA Divisão de Obras, Investimentos

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DE CARREGAL DO SAL

REGULAMENTO DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DE CARREGAL DO SAL REGULAMENTO DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DE CARREGAL DO SAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ARTIGO 1º 1- Âmbito O Plano de Urbanização de Carregal do Sal, adiante designado por PUCS, abrange a Vila de Carregal

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE S. PEDRO DO SUL

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE S. PEDRO DO SUL L ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE S. PEDRO DO SUL 2008 LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA IDENTIFICAÇÃO EM PLANTA DE: ESPAÇO ESCOLAR VIAS DE ACESSO DE VIATURAS DE SOCORRO QUARTEL DOS BOMBEIROS DA ÁREA ESQUADRA DA GUARDA NACIONAL

Leia mais

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA)

PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) PLANO DE PORMENOR PARA A UOPG 13 (DO PLANO DE URBANIZAÇÃO DA MEIA PRAIA) TERMOS DE REFERÊNCIA CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOS DEPARTAMENTO DE PLANEAMENTO E GESTÃO URBANÍSTICA 2010 1. ENQUADRAMENTO LEGAL DO PLANO

Leia mais

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA

DEPARTAMENTO DE OBRAS E GESTÃO DE INFRA-ESTRUTURAS MUNICIPAIS FICHA TÉCNICA 1. INTIFICAÇÃO PARTAMENTO OBRAS E GESTÃO FICHA TÉCNICA Remodelação e Ampliação da Casa Municipal da Protecção Civil 2. LOCALIZAÇÃO Avenida Mendes Silva Freguesia de Santo António dos Olivais 3. SCRIÇÃO

Leia mais

FEIRA ANUAL DE OUTUBRO 2016

FEIRA ANUAL DE OUTUBRO 2016 DE VILA FRANCA DE XIRA DEPARTAMENTO DE OBRAS, VIATURAS E INFRAESTRUTURAS FEIRA ANUAL DE OUTUBRO 2016 Condicionamento de Trânsito Divisão de Obras, Viaturas e Infraestruturas setembro 2016 FEIRA ANUAL DE

Leia mais

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA

DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA SECÇÃO DE HIDRÁULICA E DOS RECURSOS HÍDRICOS E AMBIENTAIS MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL INSTALAÇÕES DE TRATAMENTO 5º ANO / 2º SEMESTRE DO ANO LECTIVO 2007/2008

Leia mais

PLANO DE INTERVENÇÃO NO ESPAÇO RÚSTICO DA VILA SANTA TERMOS DE REFERÊNCIA

PLANO DE INTERVENÇÃO NO ESPAÇO RÚSTICO DA VILA SANTA TERMOS DE REFERÊNCIA PLANO DE INTERVENÇÃO NO ESPAÇO RÚSTICO DA VILA SANTA TERMOS DE REFERÊNCIA Estremoz, Fevereiro de 2016 1. INTRODUÇÃO Nos termos do disposto no n.º 5 do artigo 2.º, do artigo 69.º e artigo 76.º do D.L. n.º

Leia mais

ANEXO X LICENCIAMENTO DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO

ANEXO X LICENCIAMENTO DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO 1 ANEXO X LICENCIAMENTO DE OBRAS DE EDIFICAÇÃO (Em área não abrangida por operação de loteamento ou plano de pormenor que contenha os elementos referidos nas alíneas c), d) e f) do nº1 do art. 91º do DL

Leia mais

MUNICÍPIO DE S. JOÃO DA MADEIRA

MUNICÍPIO DE S. JOÃO DA MADEIRA TABELA DE TAXAS OPERAÇÕES DE URBANIZAÇÃO E EDIFICAÇÃO QUADRO I Licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento e ou de obras de urbanização e/ou trabalhos de remodelação de terrenos 1. Emissão

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE VIMIOSO SECÇÃO DE OBRAS

CÂMARA MUNICIPAL DE VIMIOSO SECÇÃO DE OBRAS ÍNDICE Descrição e Justificação da Proposta Enquadramento da Pretensão Adequação da Edificação à Utilização Pretendida Inserção Urbana e Paisagística Indicação da Natureza e Condições do Terreno Adequabilidade

Leia mais

15,50 15, por fogo ou unidade de ocupação. 10,50 10, prazo - por cada mês ou fracção

15,50 15, por fogo ou unidade de ocupação. 10,50 10, prazo - por cada mês ou fracção izaç ARTIGO 41º Quadro I Alvará de licença ou autorização de loteamento e de obras de urbanização 1. Emissão do alvará de licença ou de autorização 1.1 Acresce, ao montante referido no número anterior:

Leia mais

Licenciamento/ autorização das operações

Licenciamento/ autorização das operações Licenciamento/autorização das operações Licenciamento/ autorização das operações Introdução / Enquadramento Condições gerais de admissão e aceitação dos beneficiários (Artigo 12.º) Cumprirem as condições

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO, EDIFICAÇÃO E TAXAS DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO, EDIFICAÇÃO E TAXAS DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA REGULAMENTO MUNICIPAL DE URBANIZAÇÃO, EDIFICAÇÃO E TAXAS DE OPERAÇÕES URBANÍSTICAS 1 25 Regulamento Municipal de Urbanização, Edificação e Taxas de Operações Urbanísticas Nota

Leia mais

RESERVA AGRÍCOLA NACIONAL

RESERVA AGRÍCOLA NACIONAL PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE BENAVENTE - 1ª Revisão - RESERVA AGRÍCOLA NACIONAL - Proposta de Exclusões - RAN Final - Memória Descritiva e Justificativa Agosto de 2013 RAN Bruta (Validada) Identificação

Leia mais

Regulamento do Plano de Pormenor da Rua das Flores CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito e aplicação

Regulamento do Plano de Pormenor da Rua das Flores CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º Âmbito e aplicação Regulamento do Plano de Pormenor da Rua das Flores CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Âmbito e aplicação O Plano de Pormenor da Rua das Flores abrange a área assinalada na planta de zonamento e que

Leia mais

ÍNDICE. Programa Preliminar Parte Escrita 2

ÍNDICE. Programa Preliminar Parte Escrita 2 CONCURSO PÚBLICO, NO ÂMBITO DA UNIÃO EUROPEIA, PARA A ELABORAÇÃO DO PROJECTO DE EQUIPAMENTOS E ARRANJOS EXTERIORES DA PLATAFORMA À SUPERFÍCIE, NA SEQUÊNCIA DO REBAIXAMENTO DA VIA-FÉRREA, NO ATRAVESSAMENTO

Leia mais

Recomendações sobre Acessibilidade em Instalações Portuárias

Recomendações sobre Acessibilidade em Instalações Portuárias Recomendações sobre Acessibilidade em Instalações Portuárias Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ GTT Náutico, 12 de novembro de 2014 Marco Legal de Acessibilidade Lei 10.048 Lei 10.098 Decreto

Leia mais

LOTEAMENTO GRAN FLORATTA RESIDENCIAL BAURU

LOTEAMENTO GRAN FLORATTA RESIDENCIAL BAURU LOTEAMENTO GRAN FLORATTA RESIDENCIAL BAURU ESTUDO DE IMPACTO NO TRÁFEGO Loteamento Fazenda Flores SPE Ltda ABRIL / 2015 1 INDICE INTRODUÇÃO...2 1. EMPREENDIMENTO...3 1.1 ATIVIDADES E DIMENSÕES...3 1.2

Leia mais