Caderno de Prova B. Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caderno de Prova B. Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos"

Transcrição

1 Caderno de Prova B Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos

2 Instruções LEIA COM ATENÇÃO 1. Este Caderno de Prova, com páginas numeradas de 1 a 24, é composto de duas partes: PARTE I: constituída de 50 (cinquenta) questões objetivas de múltipla escolha, cada uma com quatro alternativas, assim distribuídas: 01 a 10 Clínica Cirúrgica 11 a 20 Clínica Médica 21 a 30 Ginecologia e Obstetrícia 31 a 40 Pediatria 41 a 50 Saúde Coletiva PARTE II: constituída de 10 (dez) questões discursivas, assim distribuídas: 01 e 02 Clínica Cirúrgica 03 e 04 Clínica Médica 05 e 06 Ginecologia e Obstetrícia 07 e 08 Pediatria 09 e 10 Saúde Coletiva 2. Caso o Caderno de Prova esteja incompleto ou tenha qualquer defeito de impressão, solicite ao fiscal que o substitua. 3. Sobre a Marcação do Cartão de Respostas da Parte I Questões Objetivas As respostas das questões objetivas devem ser, obrigatoriamente, transcritas com caneta esferográfica de tinta azul ou preta não porosa para o Cartão de Respostas, que será o único documento válido para correção. Não haverá substituição do Cartão de Respostas por erro do candidato Para cada questão existe apenas uma alternativa que a responde acertadamente. Para a marcação da alternativa escolhida no CARTÃO DE RESPOSTAS, pinte completamente o círculo correspondente. Exemplo: Suponha que para determinada questão a alternativa C seja a escolhida. N.º da Questão A B C D 3.2. Será invalidada a questão em que houver mais de uma marcação, marcação rasurada ou emendada, ou não houver marcação. 4. Para responder às Questões Discursivas, poderão ser usados os espaços para rascunho neste caderno disponíveis logo após cada questão, mas as respostas definitivas deverão ser transcritas nas FOLHAS DE RESPOSTAS DEFINITIVAS das questões discursivas. Use caneta esferográfica de tinta azul ou preta não porosa. 5. Não haverá substituição de FOLHAS DE RESPOSTAS DEFINITIVAS das questões discursivas por erro do candidato. 6. A duração da Prova Escrita é 5 (cinco) horas, já incluído o tempo destinado ao preenchimento do CARTÃO DE RESPOSTAS das questões objetivas e das FOLHAS DE RESPOSTAS DEFINITIVAS das discursivas. 7. Será permitida a saída de candidatos da sala de prova somente após decorridas 2:00 h (duas horas) do início da Prova Escrita. 8. Antes de se retirar da sala de prova, o candidato deverá, obrigatoriamente, entregar ao fiscal este Caderno de Prova e o CARTÃO DE RESPOSTAS das questões objetivas e as FOLHAS DE RESPOSTAS DEFINITIVAS das discursivas. Este Caderno de Prova poderá ser levado pelo candidato somente na última meia hora de prova.

3 PARTE I QUESTÕES OBJETIVAS Clínica Cirúrgica QUESTÃO 01 Paciente do sexo masculino, 28 anos, sem antecedentes patológicos, é submetido à apendicectomia. No pósoperatório, dentre as medicações prescritas, o cirurgião incluiu um anti-inflamatório não esteroide. Em relação à cicatrização de feridas, pode-se afirmar sobre o uso pós-operatório desse grupo de drogas: (A) São potentes inibidores da cicatrização, reduzindo o número de plaquetas e a proliferação mesenquimal. (B) São drogas conhecidas por afetarem diretamente a cicatrização ao reduzir a proliferação celular e a produção de TGF-β. (C) Prejudicam a proliferação de fibroblastos, a quantidade do tecido de granulação e a síntese de colágeno. (D) Doses na variação terapêutica têm pouca probabilidade de gerar um efeito retardante na cicatrização. QUESTÃO 02 D. M. A., sexo feminino, 68 anos, apresentando disfagia rapidamente progressiva com 5 meses de evolução, é diagnosticada com carcinoma epidermoide do esôfago. Para seu tratamento, foi indicada esofagectomia subtotal. Apresenta hiporexia e consegue atualmente ingerir via oral cerca de 50% de sua necessidade proteicocalórica. Realizada avaliação nutricional pré-operatória, foi estratificada como "C" pela avaliação subjetiva global (ASG). Considerando esses aspectos, a melhor conduta para o caso deve ser: (A) Operar de imediato e iniciar prontamente no pós-operatório terapia nutricional enteral. (B) Iniciar de imediato terapia nutricional enteral com imunonutrientes e realizar operação após 7 a 14 dias, mantendo a terapia nutricional no pós-operatório. (C) Operar de imediato e iniciar prontamente no pós-operatório terapia nutricional enteral associada à parenteral. (D) Iniciar de imediato terapia nutricional otimizada (enteral associada à parenteral) e realizar operação após atingir estado nutricional normal. QUESTÃO 03 Assinale a alternativa que apresenta a posição correta para se realizar o exame da cavidade oral com a finalidade de se proceder à classificação de Mallanpati. (A) Paciente sentado, com a cabeça em posição neutra, a boca aberta o máximo possível e a língua projetada ao máximo. (B) Examinador em posição cefálica com paciente em decúbito dorsal, hiper-extensão cervical, boca aberta e a língua projetada ao máximo. (C) Examinador em posição cefálica com paciente em decúbito dorsal, hiper-extensão cervical, boca aberta, visualizando-se a via aérea com auxílio de uma espátula. (D) Paciente sentado, com a cabeça em posição neutra, a boca aberta o máximo possível, devendo-se efetuar a visualização da via aérea com o uso de um laringoscópio. QUESTÃO 04 Na avaliação pré-anestésica de um paciente que será submetido à anestesia geral, procedeu-se ao exame da cavidade oral com a finalidade de realizar a classificação de Mallanpati. No exame, foi possível a identificação apenas do palato mole, fauces e úvula. Isso implica afirmar que o paciente pertence à classe: (A) III (B) I (C) IV (D) II 1 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

4 QUESTÃO 05 Em qual grupo a prevalência de aneurisma da aorta abdominal é maior? (A) Imunossuprimidos (B) Sexo masculino (C) Raça negra (D) Etilistas QUESTÃO 06 Paciente de 45 anos, sexo masculino, é atendido em pronto atendimento apresentando dor em cólica de grande intensidade, início súbito, originada no flanco esquerdo, propagando-se para a região inguinal homolateral. Foi realizado raio-x simples de vias urinárias que não apresentou alterações. O exame de urina mostrou ph urinário igual a 5,8. Após realização de ultrassom de abdome total, é confirmada a hipótese de nefrolitíase. A composição provável do cálculo e a orientação inicial devem ser: (A) Cálculo de ácido úrico; alcalinização da urina com suplementação oral de bicabornato. (B) Cálculo de oxalato de cálcio; diminuir ingestão de cálcio. (C) Cálculo de estruvita; suplementação oral de magnésio. (D) Cálculo de fosfato de cálcio; suplementação oral com citrato de potássio, mantendo ph urinário inferior a 7,0. QUESTÃO 07 X.M.Z., 23 anos, é vítima de acidente automobilístico na rodovia que liga a cidade de Cuiabá-MT a Chapada dos Guimarães-MT. Dá entrada na unidade de emergência do Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, trazido pela equipe do SAMU. Os socorristas relatam que a vítima foi ejetada do carro. Em relação à cinética do trauma, o padrão mais comum de lesões associadas é: (A) Fratura pélvica e ou lesão torácica. (B) Traumatismo craniano fechado e ou fratura da coluna vertebral. (C) Fraturas ao redor do quadril e ou fratura vertebral tipo explosão. (D) Fraturas pélvicas e ou lesão de vísceras abdominais. INSTRUÇÃO: As questões 08 e 09 devem ser respondidas com base no texto a seguir. No ano de 2013, uma tragédia ocorreu na cidade de Santa Maria-RS. Um incêndio em uma boate resultou na morte de 242 pessoas e feriu 116 outras. Muitas dessas pessoas foram vítimas de lesão por inalação de fumaça. QUESTÃO 08 Em relação à natureza desse tipo de lesão, pode-se afirmar que é predominantemente: (A) Térmica. (B) Barométrica. (C) Isquêmica. (D) Química. QUESTÃO 09 O diagnóstico definitivo da lesão pulmonar ocorrida nesses casos é melhor estabelecido por: (A) Broncoscopia e tomografia computadorizada do tórax. (B) Raio-X simples do tórax e gasometria arterial. (C) Tomografia computadorizada do tórax e cintilografia de ventilação com xenônio 133. (D) Broncoscopia e cintilografia de ventilação com xenônio de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

5 QUESTÃO 10 RN, na primeira semana de vida, apresenta vômitos pós-prandiais recorrentes. Realizado Raio-X simples de abdome, foi evidenciada a imagem abaixo. Qual o principal diagnóstico a ser considerado? (A) Estenose hipertrófica do piloro (B) Atresia duodenal (C) Rotação intestinal anormal (D) Hérnia diafragmática congênita Clínica Médica QUESTÃO 11 Pela escala de Glasgow, pode-se classificar como trauma craniano grave a seguinte avaliação neurológica: (A) Abertura ocular ao comando verbal, resposta motora à dor, resposta verbal com palavras inapropriadas. (B) Abertura ocular espontânea, resposta motora em retirada, resposta verbal desorientada e conversando. (C) Abertura ocular à dor, resposta motora com retirada e resposta verbal ausente. (D) Abertura ocular ao comando verbal, resposta motora ao comando, resposta verbal desorientada e conversando. QUESTÃO 12 A reação de Jarish-Herxheimer pode ocorrer após tratamento da: (A) Leishmania. (B) Malária. (C) Hanseníase. (D) Sífilis. 3 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

6 QUESTÃO 13 Das complicações vasculares do diabetes mellitus, qual NÃO pode ser caracterizada como microangiopática? (A) Coronariopatia (B) Retinopatia (C) Nefropatia (D) Neuropatia QUESTÃO 14 Levando-se em consideração os valores pressóricos aferidos no consultório (PAC) e no ambulatório (MAPA), numere os achados pressóricos da coluna da direita de acordo com os diagnósticos da coluna da esquerda. 1 - Hipertensão controlada ( ) PAC < 140/90 mmhg, MAPA > 130/85 mmhg 2 - Hipertensão arterial sistêmica ( ) PAC > ou = 140/90 mmhg, MAPA > 130/85 mmhg 3 - Hipertensão do avental branco ( ) PAC > ou = 140/90 mmhg, MAPA < 130/85 mmhg 4 - Hipertensão mascarada ( ) PAC < 140/90 mmhg, MAPA < ou = 130/85 mmhg Marque a sequência correta. (A) 2, 4, 1, 3 (B) 4, 2, 3, 1 (C) 3, 1, 4, 2 (D) 1, 3, 2, 4 QUESTÃO 15 Miocardiopatia dilatada NÃO ocorre em associação com: (A) Alcoolismo. (B) Desnutrição severa. (C) Estenose mitral descompensada. (D) Doença de Chagas. QUESTÃO 16 A coluna da esquerda apresenta agentes etiológicos e a da direita, as respectivas patologias. Numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda. 1 - Papiloma vírus humano ( ) Condiloma acuminado 2 - Haemophylus ducreyi ( ) Donovanose 3 - Clamídia tracomatis ( ) Linfogranuloma venéreo 4 - Klebsiela granulomatis ( ) Cancro mole Assinale a sequência correta. (A) 2, 1, 4, 3 (B) 1, 4, 3, 2 (C) 1, 3, 2, 4 (D) 3, 2, 1, 4 QUESTÃO 17 Assinale a alternativa que apresenta as variáveis avaliadas na classificação de Chield-Pugh da cirrose hepática alcoólica. (A) Encefalopatia, edema, aminotransferases, albumina e INR. (B) Eritema palmar, ascite, aminotransferases, albumina e tempo de atividade da protrombina. (C) Ginecomastia, eritema palmar, bilirrubinas, proteínas totais e tempo de atividade da protrombina. (D) Encefalopatia, ascite, bilirrubinas, albumina e tempo de atividade da protrombina. 4 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

7 QUESTÃO 18 A presença do anel de Kayser Fleischer ao exame clínico dos olhos é indicativo de: (A) Hemocromatose. (B) Tirosinemia. (C) Doença de Wilson. (D) Deficiência de alfa 1 antitripsina. QUESTÃO 19 Em relação à infecção pelo vírus D da hepatite, é correto afirmar: (A) A febre de Lábrea é uma forma peculiar de apresentação da infecção, caracterizada por necrose hepatocelular moderada, balonização e aumento do volume dos hepatócitos, com gotas de gordura no citoplasma, circundando o núcleo (espongiócitos). (B) A coinfecção com o vírus da hepatite B aumenta o risco de hepatite fulminante, sem alterar o risco de evolução para cirrose. (C) Não está relacionada a um maior risco de desenvolvimento de hepatocarcinoma. (D) Os marcadores sorológicos da doença, anti HDV IgM ou IgG e a pesquisa HDV-RNA por PCR costumam aparecer tardiamente, após 8 semanas da infecção. QUESTÃO 20 O envolvimento parietal do ílio terminal NÃO é observado na: (A) Doença de Caroli. (B) Infecção granulomatosa. (C) Amiloidose primária. (D) Doença linfoproliferativa. Ginecologia e Obstetrícia QUESTÃO 21 Paciente de 35 anos, nulípara, com ciclos menstruais regulares e sem fazer uso de anticoncepção hormonal, procurou o médico da Unidade Básica de Saúde queixando-se de galactorreia há três meses. A paciente relata estar fazendo uso de algumas medicações. Visando à resolução do problema, o médico propõe a suspensão dessas medicações, exceto de uma que não tem relação com a sua etiologia. Assinale qual medicação é essa. (A) Alfametildopa (B) Cabergolina (C) Haloperidol (D) Sulpirida QUESTÃO 22 Mulher de 51 anos, submetida à histerectomia há 4 anos por miomatose, vai ao PSF queixando-se de fogachos, dispareunia e diminuição da libido. Os exames complementares solicitados revelam apenas níveis aumentados de FSH e triglicerídeos. Diante desse quadro, a conduta para a paciente deve ser prescrever: (A) Estrogênio e progesterona, ambos via oral. (B) Estrogênio transdérmico e progesterona oral. (C) Estrogênio via transdérmica. (D) Estrogênio oral e progesterona transdérmica. 5 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

8 QUESTÃO 23 Mulher de 22 anos, solteira, procurou o PSF queixando-se da presença na vulva de múltiplas lesões vesiculosas, que ulceram rapidamente, tornando-se intensamente dolorosas. Essas lesões foram precedidas por edema, ardor, prurido e dor no local. Esse quadro caracteriza infecção por: (A) Herpes vírus. (B) Papilomavírus. (C) Treponema. (D) Clamídia. QUESTÃO 24 Nos critérios de elegibilidade da OMS para uso de método anticoncepcional, na categoria 2 se enquadram os métodos que (A) não devem ser usados, já que os riscos superam os benefícios. (B) são de última escolha, pois necessitam acompanhamento rigoroso. (C) podem ser usados, pois as vantagens superam possíveis riscos. (D) podem ser usados sem restrições e o acompanhamento é o habitual. QUESTÃO 25 Visando à avaliação dos riscos para transmissão vertical do vírus da hepatite B, o médico do PSF solicitou para a gestante a realização dos exames sorológicos para essa infecção. O risco de transmissão vertical será maior se o resultado for positivo para: (A) HBeAg. (B) HBsAg. (C) HBcAg. (D) HBdAg. QUESTÃO 26 Na suplementação vitamínica para gestantes, um cuidado especial deve ser tomado com a ação teratogênica de altas doses da vitamina: (A) B1 (B) B6 (C) E (D) A QUESTÃO 27 Z. F. C., nuligesta, de 52 anos, retorna à UBS trazendo resultado da mamografia com laudo BI-RADS 0 (zero). Na terminologia BI-RADS (American College of Radiology Breast Imaging Reporting and Data System), a informação que deve ser transmitida à paciente é: (A) Há imagem com suspeita de malignidade. (B) A mamografia é normal. (C) Necessita de avaliação adicional. (D) Há imagem com aspecto de lesão benigna. QUESTÃO 28 Durante o trabalho de parto, o feto encontrava-se inicialmente em apresentação cefálica insinuada na variedade de posição occípito direita posterior (ODP) e fez deflexão do polo cefálico na variedade occípito púbica (OP). Pode-se afirmar que a apresentação fez uma rotação interna de: (A) 135 graus. (B) 90 graus. (C) 45 graus. (D) 180 graus. 6 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

9 QUESTÃO 29 Mulher na 8 a semana de puerpério procura a UBS para controle glicêmico. Informa que na gestação apresentou diabetes gestacional. Realizado teste de tolerância à glicose com 75 g, apresentou dosagem de jejum de 84 mg/dl, e dosagem com 2 horas de 126 mg/dl. Qual o diagnóstico e a conduta? (A) Intolerância à glicose; orientação para dieta hipocalórica e atividade física. (B) Diabetes tipo 1; insulinização e dieta hipocalórica. (C) Exame normal; orientação para controle de peso e atividade física. (D) Diabetes tipo 2; hipoglicemiante oral, dieta hipocalórica e atividade física. QUESTÃO 30 Paciente primípara, na 30 a semana de gestação, apresenta, no acompanhamento pré-natal, viragem sorológica nos testes de IgG e IgM para toxoplasmose. A conduta é: (A) Iniciar espiramicina e ácido folínico e repetir sorologia após 21 dias. (B) Solicitar teste de avidez e, se menor que 60%, orientação dietética. (C) Iniciar espiramicina e proceder à avaliação fetal. (D) Solicitar teste de avidez e iniciar sulfadiazina e pirimetamina. Pediatria QUESTÃO 31 Na infância, vários são os parâmetros que podem ser utilizados para avaliar se uma criança está se desenvolvendo de forma adequada ou não. A dentição é um desses parâmetros, assim aos 30 meses de idade, uma criança com desenvolvimento ósseo normal deverá ter (A) 20 dentes. (B) 16 dentes. (C) 14 dentes. (D) 18 dentes. QUESTÃO 32 Um recém-nascido de 15 dias de vida, nascido a termo, em aleitamento materno exclusivo, é atendido em uma Unidade de Saúde e apresenta as seguintes características: Peso de Nascimento Peso Atual Padrão evacuatório Padrão urinário N.º de mamadas/24 h g g 2 evacuações com volume/dia Encharca 7 fraldas/dia 8 mamadas A partir dessas características, é correto afirmar que esse recém-nascido (A) está bem, pois seu ganho de peso é 30 g/dia e o preconizado para o 1.º trimestre é g/dia. (B) não está bem, pois seu ganho de peso é 10 g/dia e o preconizado para o 1.º trimestre é g/dia. (C) não está bem, porque sua diurese está baixa, pois só encharcou 7 fraldas e o preconizado é 8 fraldas que corresponde a 24 micções/dia. (D) está bem, pois está mamando 8 vezes ao dia, acima do preconizado para esta idade que é 6 mamadas/dia. 7 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

10 QUESTÃO 33 No cuidado ao Recém-Nascido (RN) Pré-Termo, este método vem se destacando em função de: 1 melhor controle térmico; 2 melhora progressiva da sucção; 3 aumento do vínculo mãe-filho; 4 maior segurança da família no cuidado com o RN de risco; 5 menor tempo de permanência do RN em UTI; 6 diminuição de infecção hospitalar; 7 menor incidência de apneia e refluxo gastroesofágico, entre outras. Esse método é conhecido como: (A) Método Dubowitz. (B) Método Capurro. (C) Método Lubchenco. (D) Método Canguru. QUESTÃO 34 Sepse é definida como quadro toxi-infeccioso, generalizado, grave, caracterizado por quadro clínico múltiplo e variado, geralmente acompanhado de hemoculturas positivas para bactérias, fungos e outros. Os agentes etiológicos variam com a idade. Com o aumento da faixa etária, diminui a incidência dos Gram negativos e aumenta a de outros patógenos, assim nos lactentes esses agentes etiológicos passam a ser: (A) Estafilococos e Anaeróbios. (B) Pneumococos e Estafilococos. (C) Pseudomonas e Klebsiella. (D) Estreptococos do grupo B e Listeria. QUESTÃO 35 O Plano Nacional de Imunização (PNI) 2014 apresentou mudanças com a incorporação de duas novas vacinas: HPV e tetraviral. Os componentes da vacina tetraviral são: (A) Vírus do Sarampo, da Rubéola, da Hepatite e da Febre Amarela. (B) Vírus da Caxumba, da Rubéola, do Sarampo e da Hepatite. (C) Vírus da Caxumba, da Rubéola, do Sarampo e da Varicela. (D) Vírus da Caxumba, da Febre Amarela, da Hepatite e da Varicela. QUESTÃO 36 Um recém-nascido de 34 semanas de gestação com peso de 1.350g é classificado quanto à idade gestacional (IG) e peso como: (A) Pré-Termo; Extremo Baixo Peso. (B) Pré-Termo; Muito Baixo Peso. (C) Pós-Termo; Baixo Peso. (D) Termo; Muito Baixo Peso. QUESTÃO 37 Lactente de cinco meses de idade, sabidamente hígido, é trazido ao Pronto Socorro com quadro de febre alta (39,5ºC), há dois dias, sem causa aparente. Durante o trajeto de sua casa até o Pronto Socorro, apresentou convulsão. Ao exame, encontra-se: letárgico com irritabilidade ao manuseio, toxemiado e sem outra alteração. Esse quadro levanta suspeita de qual patologia e que exame deve ser solicitado para elucidar o diagnóstico? (A) Pneumonia; Radiografia de tórax (B) Septicemia; Hemograma (C) Choque séptico; Gasimetria (D) Meningite; Punção liquórica 8 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

11 QUESTÃO 38 Carlos tem dez anos de idade; há 5 dias, após extração dentária, passou a apresentar prostração progressiva, febre com calafrios, dores musculares e sudorese intensa principalmente à noite. Durante o atendimento, a mãe informou que o menino não vinha seguindo esquema profilático para a Doença Reumática que o acometeu há dois anos atrás, apesar da recomendação médica. No exame físico, além da prostração, apresentava-se pálido, anictérico, acianótico, com petéquias nas áreas de flexão dos membros e pálpebras. Pulmões limpos. Ausculta cardíaca ritmo cardíaco regular em 3 tempos com 1.ª bulha hiperfonética, 2.ª bulha normal e 3.ª bulha audível na ponta, FC = 150 bpm com presença de sopro sisto-diastólico ++++/6+ na área mitral. Abdome flácido, doloroso à palpação na topografia do fígado que era palpável a 5 cm do rebordo costal direito e baço a 2 cm do rebordo costal esquerdo. Qual a hipótese diagnóstica mais provável e que exame é necessário para confirmá-la? (A) Cardite Reumática; Eletrocardiograma (B) Miocardite; Radiografia de tórax (C) Endocardite Infecciosa; Ecocardiograma (D) Pancardite; Antiestreptolisina (ASLO) QUESTÃO 39 A obesidade vem se tornando uma epidemia. Para o seu enfrentamento, vários pontos precisam ser abordados: reconhecimento como mal do século, elaboração de protocolo para diagnóstico/tratamento e profilaxia. Para a profilaxia, é imprescindível conhecer a sua etiologia. Na faixa pediátrica, a principal causa é: (A) endócrina. (B) exógena. (C) genética. (D) idiopática. QUESTÃO 40 Lactente jovem, no 1º trimestre de vida, em bom estado geral, vem apresentando taquipneia, tosse persistente do tipo coqueluchoide, de evolução arrastada, sem sinais de toxemia. Mãe refere que realizou pré-natal com mais de 6 consultas e também todos os exames de rotina para a gravidez e nenhum deles apresentou alteração e que a criança nasceu bem de parto normal com Apgar 9 e 10 nos 1.º e 5.º minutos de vida respectivamente e teve conjuntivite no período neonatal. Já recebeu todas as vacinas preconizadas pelo PNI para os 2 meses de idade. Ao exame, a semiologia pulmonar é pobre e a radiografia de tórax apresenta hiperinsuflação + padrão intersticial. Qual o agente mais provável e o tratamento preconizado? (A) Pneumonia atípica por Micoplasma; Sulfametoxazol+trimetropim por 7 dias (B) Pneumonia atípica por P. carini; Azitromicina por 5 dias (C) Pneumonia atípica por Moraxella; Clindamicina por 5 dias (D) Pneumonia atípica por Clamídia; Eritromicina por 14 dias Saúde Coletiva QUESTÃO 41 Qual é o valor da especificidade de um teste diagnóstico que tem uma sensibilidade de 80% e um valor preditivo positivo também de 80%, quando aplicado a uma população de 500 indivíduos com uma prevalência de 50% para uma determinada doença? (A) 40% (B) 80% (C) 50% (D) 75% 9 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

12 QUESTÃO 42 Que medida epidemiológica de risco deve ser pesquisada na literatura quando se deseja saber a probabilidade de um homem de 50 anos, tabagista com hipertensão, adoecer por cardiopatia isquêmica (CI) em um período de 5 anos? (A) Densidade de incidência de CI entre tabagistas com hipertensão nesse grupo de idade. (B) Risco relativo de CI entre tabagistas com hipertensão nesse grupo de idade. (C) Incidência acumulada de CI entre tabagistas com hipertensão nesse grupo de idade. (D) Fração atribuível de CI entre tabagistas com hipertensão nesse grupo de idade. QUESTÃO 43 Qual é o tipo de estudo epidemiológico no qual a função respiratória de pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica é avaliada periodicamente em determinado intervalo de tempo, após serem designados a receber ou não corticosteroide via inalatória? (A) Ensaio clínico (B) Corte transversal (C) Caso-controle (D) Terapêutico descritivo QUESTÃO 44 Um estudo informa que a mediana do tempo de sobrevivência de pacientes submetidos a certo tipo de tratamento clínico é 4,5 anos. Isso significa que: (A) O valor esperado do tempo de sobrevivência dos pacientes tratados é 4,5 anos. (B) A metade dos pacientes tratados sobrevive, aproximadamente, 4,5 anos. (C) A metade dos pacientes tratados sobrevive por 4,5 anos ou mais. (D) 4,5 anos é o tempo mais provável de sobrevivência dos pacientes tratados. QUESTÃO 45 Sobre a vigilância em saúde no Brasil, marque V para as afirmativas verdadeiras e F para as falsas. ( ) Considera-se caso confirmado a pessoa que apresentou sinais e sintomas da doença. ( ) O Sistema de Vigilância em Saúde contempla atividades de vigilância ambiental, epidemiológica e sanitária. ( ) O objetivo da vigilância epidemiológica é informar sobre a distribuição da doença na população. ( ) Intervir de forma eficaz e oportuna sobre os fatores de risco e as doenças na população representa um objetivo da vigilância epidemiológica. ( ) A frequência absoluta de casos permite comparar o risco de adoecer ou morrer por uma determinada doença em diferentes populações. Assinale a sequência correta. (A) V, V, F, F, V (B) V, F, V, V, F (C) F, F, V, F, F (D) F, V, F, V, F QUESTÃO 46 Que medidas de posição e de dispersão, respectivamente, são utilizadas para a construção de um diagrama de controle de uma doença transmissível? (A) Mediana; desvio padrão. (B) Média; percentis. (C) Moda, média e mediana; percentis. (D) Média ou mediana; desvio padrão ou percentil. 10 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

13 QUESTÃO 47 Sobre atribuições voltadas para a garantia do controle social do Sistema Único de Saúde, analise as afirmativas. I - O Conselho Nacional de Saúde é responsável pelo financiamento das atividades relacionadas à educação permanente para o controle social. II - O Ministério da Saúde decreta a política nacional e o plano de ação sobre o processo de educação permanente. III - O Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Saúde mantêm disponível e atualizado o acervo de referências sobre o controle social. IV - Cabe ao Conselho Nacional de Saúde aprovar os materiais didáticos destinados às atividades de educação permanente. Estão corretas as afirmativas (A) II e III, apenas. (B) III e IV, apenas. (C) I, II e IV, apenas. (D) I, III e IV, apenas. QUESTÃO 48 Em relação à pertinência da realização do genograma familiar na Atenção Primária à Saúde, analise as afirmativas. I - Nas consultas de primeira vez, como método de diagnóstico apoiando o raciocínio e decisão clínica. II - Quando o modelo biomédico não dá resposta satisfatória aos problemas dos pacientes. III - Em condições tais como ansiedade crônica, depressão e ataques de pânico, consumo de drogas, violência doméstica e sexual, problemas de comportamento infantil. Está correto o que se afirma em (A) I, II e III. (B) II e III, apenas. (C) I, apenas. (D) I e III, apenas. QUESTÃO 49 Considere o texto a seguir. As expressões quarentena e isolamento, muito empregadas em saúde pública, têm significados diferentes PORQUE o isolamento se aplica às restrições para os contatos sadios de um caso infeccioso e a quarentena é aplicada a pacientes durante o período de transmissibilidade da doença. Sobre tal texto, assinale a alternativa correta. (A) As duas proposições são verdadeiras e a segunda é uma explicação correta da primeira. (B) As duas proposições são verdadeiras e a segunda não explica corretamente a primeira. (C) Ambas as proposições são falsas. (D) A primeira proposição é verdadeira e a segunda, falsa. 11 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

14 QUESTÃO 50 Um município de habitantes do interior de Mato Grosso possui 6 equipes de saúde da família implantadas e em funcionamento. O gestor de saúde local pretende implantar o primeiro Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) tipo 1. Qual o número mínimo de profissionais de nível superior, com ocupações diferentes, deverá compor esse NASF? (A) 5 (B) 3 (C) 4 (D) 6 12 de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

15 PARTE II QUESTÕES DISCURSIVAS Clínica Cirúrgica QUESTÃO 01 No paciente politraumatizado grave, tanto o tratamento inicial quanto o cuidado definitivo mais tardio devem ser voltados à prevenção de lesões secundárias. Em relação a estas, responda os itens a seguir. I - Qual a principal causa de lesões secundárias? (Valor: 1,0 ponto) II - Quais os principais fatores relacionados ao prognóstico ruim ou à morte nesses casos? (Valor: 1,0 ponto) III - Qual deve ser o objetivo em relação à pressão sistólica e à PaO 2 no tratamento dessas vítimas? (Valor: 1,0 ponto) IV - Quais as consequências da elevação da PaCO 2 nesses pacientes? (Valor: 2,0 pontos) Espaço para rascunho de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

16 QUESTÃO 02 D.A.T., 62 anos, sexo feminino, negra, cozinheira, será submetida à toracotomia aberta para ressecção de um nódulo pulmonar. Trata-se de uma paciente sem história de tabagismo, com antecedente de cinetose e hipertensão arterial. Relatou ainda tratamento para úlcera péptica há 4 anos. Faz uso de captopril, na dose de 25 mg ao dia. Foi avaliada do ponto de vista cardiológico como classe 2 (risco intermediário) pelo índice de Goldman. Na avaliação pulmonar pré-operatória, o volume expiratório forçado no primeiro segundo (VEF 1 ) foi de 85% e a capacidade vital forçada (CVF) de 75%. Em relação ao caso, responda os itens abaixo. I - Dentre todas as medidas para controle da dor no pós-operatório, qual a melhor estratégia a ser empregada para essa paciente? (Valor: 1,0 ponto) II - Visando à aceleração da recuperação no pós-operatório, é importante a profilaxia de náuseas e vômitos. Quais os fatores independentes de risco para este evento? (Valor: 3,0 pontos) III - Segundo o score simplificado de Apfel, como a paciente pode ser classificada em relação ao grau de risco de ocorrência de náuseas e vômitos no pós-operatório? (Valor: 1,0 ponto) Espaço para rascunho de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

17 Clínica Médica QUESTÃO 03 Mulher de 30 anos, referindo três episódios de dor cervical, com sinais flogísticos, no último ano. Refere alguns sintomas de hipofunção da glândula com aumento do volume tereoideano, de consistência endurecida e superfície levemente lobulada. A partir das informações dadas, responda os itens a seguir. I - Qual o diagnóstico provável? Justifique. (Valor: 2,5 pontos) II - Cite 5 exames necessários ao diagnóstico, obrigatoriamente 2 de imagem, justificando-os. (Valor: 2,5 pontos) Espaço para rascunho de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

18 QUESTÃO 04 Homem de 35 anos, com dor abdominal, febre baixa e diarreia intermitente, de início há 2 anos. Refere lesão perineal com secreção purulenta há 6 meses, com cicatrização espontânea em cerca de 40 dias e sinais de artrite em joelho esquerdo e tornozelos que melhoraram em três meses. Ao exame físico, com plastão na fossa ilíaca direita, drenando secreção e eliminando gases por pequeno orifício local. A partir dessas informações, responda os itens abaixo. I - Qual o diagnóstico provável? Justifique. (Valor: 2,0 pontos) II - Descreva os achados esperados nos exames de imagem e endoscópicos que corroboram a sua hipótese diagnóstica. (Valor: 3,0 pontos) Espaço para rascunho de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

19 Ginecologia e Obstetrícia QUESTÃO 05 A aloimunização materno fetal ainda é um problema de saúde pública e afeta 5,6:1.000 nascidos vivos. Com objetivo de realizar a profilaxia da isoimunização Rh, cite cinco situações em que deva ser administrada a imunoglobulina anti-d no ciclo gravídico-puerperal. (Valor: 5,0 pontos) Espaço para rascunho de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

20 QUESTÃO 06 O Sulfato de Magnésio é droga recomendada para profilaxia das convulsões nos casos de iminência de eclâmpsia e de eclâmpsia. Seu uso deve ser monitorado para evitar a intoxicação magnésica, que pode ser grave. A partir dessas informações, responda os itens a seguir. I - Cite três parâmetros que devem ser avaliados nessa monitorização. (Valor: 3,0 pontos) II - Qual droga deve ser utilizada como antídoto? (Valor: 2,0 pontos) Espaço para rascunho de 24 Revalidação de Diploma de Médico Graduado no Exterior 2014 UFMT/FM 2.ª Etapa Prova Escrita

Caderno de Prova C. Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos

Caderno de Prova C. Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos Caderno de Prova C Secretaria de Articulação e Relações Institucionais Gerência de Exames e Concursos Instruções LEIA COM ATENÇÃO 1. Este Caderno de Prova, com páginas numeradas de 1 a 24, é composto de

Leia mais

UNIMED GOIÂNIA. Centro de Vacinação

UNIMED GOIÂNIA. Centro de Vacinação UNIMED GOIÂNIA COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO PROCESSO SELETIVO 2013 PARA PREENCHIMENTO DE VAGAS NOS RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS 20 de outubro de 2012 Centro de Vacinação SÓ ABRA ESTE CADERNO QUANDO AUTORIZADO

Leia mais

ANEXO 2: Exemplos de questões e percentual de erro dos participantes

ANEXO 2: Exemplos de questões e percentual de erro dos participantes ANEXO 2: Exemplos de questões e percentual de erro dos participantes Situação/problema Criança com desidratação e diarreia Um menino com 6 anos de idade e com peso de 18 kg, desenvolve quadro de desidratação

Leia mais

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase

Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Síndrome DST Agente Tipo Transmissã o Sexual Vaginose bacteriana Candidíase Corrimentos Gonorréia Clamídia Tricomonías e múltiplos bactéria NÃO SIM Candida albicans Neisseria gonorrhoeae Chlamydia trachomatis

Leia mais

EXAME NACIONAL DE REVALIDAÇÃO D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS.

EXAME NACIONAL DE REVALIDAÇÃO D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS. D E D I P L O M A S M É D I C O S EXPEDIDOS POR INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR ESTRANGEIRAS Prova Discursiva LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 1. Verifique se, além deste caderno, você recebeu

Leia mais

ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL

ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL Agenda aberta à qualquer hora, para atendimento pré-natal por médico ou enfermeiro treinado, ou para atividades em grupo, ampliando-se as possibilidades de recepção e ingresso da

Leia mais

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes.

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pâncreas Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pancreatite aguda Pancreatite crônica Cistos pancreáticos Câncer de Pancrêas Pancreatite aguda O pâncreas é um órgão com duas funções básicas:

Leia mais

Encerramentos de Casos de Hepatites Virais no SINAN. Lucia Mardini DVAS

Encerramentos de Casos de Hepatites Virais no SINAN. Lucia Mardini DVAS Encerramentos de Casos de Hepatites Virais no SINAN Lucia Mardini DVAS Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS CEVS Rua Domingos Crescêncio Nº 132 sala 310 hepatites@saude.rs.gov.br

Leia mais

Actualizado em 28-09-2009* Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações

Actualizado em 28-09-2009* Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações Definição de caso, de contacto próximo e de grupos de risco para complicações 1. Introdução A evolução da epidemia causada pelo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009 implica que as medidas sejam adaptadas

Leia mais

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac

DENGUE. Médico. Treinamento Rápido em Serviços de Saúde. Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac DENGUE Treinamento Rápido em Serviços de Saúde Médico 2015 Centro de Vigilância Epidemiológica Prof. Alexandre Vranjac O Brasil e o estado de São Paulo têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos

Leia mais

Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS

Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS Vigilância Epidemiológica das Hepatites Virais Programa Estadual para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais/RS Lucia Mardini DVAS Hepatites Virais Hepatite: inflamação do fígado. As hepatites podem

Leia mais

CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES

CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES Nome do Candidato: ASSINE SOMENTE NESSE QUADRO assinatura RESIDÊNCIA MÉDICA - 2016 Especialidades Pediátricas Prova de Respostas Curtas CADERNO DE QUESTÕES INSTRUÇÕES Verifique se você recebeu um CADERNO

Leia mais

A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L. O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com:

A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L. O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com: A S S I S T Ê N C I A P R É - N A T A L 3.1. Diagnóstico da Gravidez O diagnóstico da gravidez pode ser feito pelo médico ou pelo enfermeiro da unidade básica, de acordo com: Após confirmação da gravidez

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Manuseio da Meningite Bacteriana Aguda Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Manuseio da Meningite Bacteriana Aguda Introdução A meningite bacteriana aguda é um processo

Leia mais

Caso 14. 1ª Parte. Refletindo e Discutindo

Caso 14. 1ª Parte. Refletindo e Discutindo Caso 14 1ª Parte Gabriel, 17 anos, procurou Maria, agente comunitária de saúde, para saber onde poderia tratar de seus vários dentes com buracos porque queria servir ao Exército. Maria pergunta se esse

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica

Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica Temas para o Concurso de Residência Médica do Hospital Regional de Presidente Prudente I - Clínica Médica 01 Demências; 02 Depressão; 03 Hipertensão Arterial Sistêmica Primária e Secundária; 04 Infecções

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS Doenças Sexualmente Transmissíveis são aquelas que são mais comumente transmitidas através da relação sexual. PRINCIPAIS DOENÇAS SEXUALMENTE

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial,

Leia mais

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 28 de Fevereiro

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial,

Leia mais

Insuficiência cardíaca / Edema agudo de pulmão

Insuficiência cardíaca / Edema agudo de pulmão UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES MATERNIDADE ESCOLA JANUÁRIO CICCO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANA BEZERRA COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROCESSO SELETIVO PARA

Leia mais

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25 Doenças Respiratórias Crônicas Caderno de Atenção Básica 25 PREVALÊNCIA O Asma (acomete cerca de 300 milhões de indivíduos no mundo) O Rinite Alérgica (afeta cerca de 20 25% da população) O DPOC (afeta

Leia mais

Investigação de Surto de Rubéola e fatores associados a não-vacinação, Luziania/GO, 2007

Investigação de Surto de Rubéola e fatores associados a não-vacinação, Luziania/GO, 2007 Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica Coordenação Geral de Doenças Transmissíveis Coordenação de Doenças de Transmissão Respiratória e Imunopreveníveis Investigação

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

DIABETES E GRAVIDEZ 1. CONCEITO

DIABETES E GRAVIDEZ 1. CONCEITO DIABETES E GRAVIDEZ 1. CONCEITO Diabete é uma síndrome caracterizada por elevação crônica da glicemia de jejum e/ou das pós-prandiais, devido a defeito absoluto ou relativo da produção de insulina, ou

Leia mais

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Infecção do sítio cirúrgico. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Infecção do sítio cirúrgico. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA PROTOCOLO MÉDICO Assunto: Infecção do sítio cirúrgico Especialidade: Infectologia Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA Data de Realização: 29/04/2009 Data de Revisão: Data da Última Atualização:

Leia mais

TEXTO BÁSICO PARA SUBSIDIAR TRABALHOS EDUCATIVOS NA SEMANA DE COMBATE À DENGUE 1

TEXTO BÁSICO PARA SUBSIDIAR TRABALHOS EDUCATIVOS NA SEMANA DE COMBATE À DENGUE 1 TEXTO BÁSICO PARA SUBSIDIAR TRABALHOS EDUCATIVOS NA SEMANA DE COMBATE À DENGUE 1 A Dengue A dengue é uma doença infecciosa de origem viral, febril, aguda, que apesar de não ter medicamento específico exige

Leia mais

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO)

PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO) DADOS DO PACIENTE PROTOCOLO GERENCIADO DE SEPSE PACIENTE COM CONDUTA PARA SEPSE (OPÇÃO 2 E 3 - COLETA DE EXAMES/ANTIBIÓTICO) Iniciais: Registro: Sexo: ( ) Feminino ( ) Masculino Data de nascimento: / /

Leia mais

B) Quais os três medicamentos que devem ser prescritos de imediato?

B) Quais os três medicamentos que devem ser prescritos de imediato? Caso Clínico 1 (2 pontos) Primigesta com 36 semanas de gestação é admitida na maternidade com queixas de náuseas, epigastralgia e cefaleia. Gesta II Para I (Parto normal). Ao exame, encontra - se eupneica,

Leia mais

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir:

Concurso Público. Exames laboratoriais: Com base nesses dados, responda às questões a seguir: 01 Concurso Público Menina de sete anos de idade apresentou imagem radiológica de pneumatoceles em ambos os pulmões. História pregressa de rash neonatal, atraso da dentição e fraturas recorrentes devido

Leia mais

ASSISTÊNCIA [DE ENFERMAGEM] À GESTANTE. Profa. Emília Saito setembro - 2015

ASSISTÊNCIA [DE ENFERMAGEM] À GESTANTE. Profa. Emília Saito setembro - 2015 ASSISTÊNCIA [DE ENFERMAGEM] À GESTANTE Profa. Emília Saito setembro - 2015 OBJETIVOS DA ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL PRINCIPAL Acolher a mulher desde o início da gestação, assegurando, ao fim da gestação, o nascimento

Leia mais

Principais formas de cancro na idade adulta

Principais formas de cancro na idade adulta Rastreio do cancro na idade adulta Principais formas de cancro na idade adulta Cancro do colo do útero Cancro da mama Cancro do cólon Cancro testicular Cancro da próstata SINAIS DE ALERTA O aparecimento

Leia mais

a) Aponte as medidas que deverão ser adotadas com relação aos contactantes. (5,0 pontos)

a) Aponte as medidas que deverão ser adotadas com relação aos contactantes. (5,0 pontos) 01 Concurso Uma adolescente de 17 anos de idade, estudante do ensino médio, chega para atendimento na UPA na segunda feira pela manhã, com relato de febre alta (> 38,5ºC), tosse seca, coriza e hiperemia

Leia mais

Nota Técnica Varicela 2012

Nota Técnica Varicela 2012 Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Subsecretaria de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde Superintendência de Vigilância em Saúde Coordenação

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Acompanhamento das gestantes vacinadas inadvertidamente (GVI) com a vacina dupla viral (sarampo e rubéola)

Leia mais

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ

PROVA PRÁTICA ACS CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA MUNICIPAL DE MARACANAÚ QUESTÃO 01 O Agente Comunitário de Saúde tem como objetivo principal contribuir para a qualidade de vida das pessoas e da comunidade. Analise as opções abaixo e marque a alternativa incorreta: A) Conhecer

Leia mais

RESTRIÇÃO DE CRESCIMENTO FETAL

RESTRIÇÃO DE CRESCIMENTO FETAL RESTRIÇÃO DE CRESCIMENTO FETAL José de Arimatéa Barreto DEFINIÇÃO Para evitar correlação com função mental anormal, atualmente, o termo preferido é restrição de crescimento fetal (RCF), em substituição

Leia mais

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS

DIABETES MELLITUS. Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS DIABETES MELLITUS Ricardo Rodrigues Cardoso Educação Física e Ciências do DesportoPUC-RS Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem atualmente cerca de 171 milhões de indivíduos diabéticos no mundo.

Leia mais

Caso Clínico. Emanuela Bezerra - S5 28/04/2014

Caso Clínico. Emanuela Bezerra - S5 28/04/2014 Caso Clínico Emanuela Bezerra - S5 28/04/2014 IDENTIFICAÇÃO: M.P.B.S, sexo feminino, 27 anos, solteira, procedente de Nova Olinda-CE, Q.P.: " pele amarelada e com manchas vermelhas" HDA: Paciente relata

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ONOFRE LOPES COMISSÃO DE RESIDÊNCIA MÉDICA PROGRAMA DA PROVA GERAL DO CONCURSO DE RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 01- CLÍNICA MÉDICA Insuficiência

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA

ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA 1 ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DA CIDADANIA GERÊNCIA EXECUTIVA DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA À SAÚDE ASSUNTOS DESTE INFORME Agravos notificados

Leia mais

Protocolo de Ações e Condutas Para Acompanhamento das Patologias Obstétricas

Protocolo de Ações e Condutas Para Acompanhamento das Patologias Obstétricas Protocolo de Ações e Condutas Para Acompanhamento das Patologias Obstétricas Descrição do Procedimento Operacional Padrão Quando Na admissão da paciente após detecção da patologia obstétrica. Objetivo

Leia mais

PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015

PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015 NOME: PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015 1. Gestante primigesta de 40 semanas é levada ao pronto- socorro referindo perda de grande quantidade de líquido há 25h. Após o exame, com o diagnóstico de amniorrexe

Leia mais

Conheça as principais DSTs e confira as dicas de prevenção que o Instituto Corpore preparou para você:

Conheça as principais DSTs e confira as dicas de prevenção que o Instituto Corpore preparou para você: Conheça as principais DSTs e confira as dicas de prevenção que o Instituto Corpore preparou para você: CANCRO MOLE Pode ser chamada também de cancro venéreo. Popularmente é conhecida como cavalo. Manifesta-se

Leia mais

PROTOCOLO GESTANTE COM SÍFILIS. Carmen Silvia Bruniera Domingues Vigilância Epidemiológica Programa Estadual DST/Aids - SP

PROTOCOLO GESTANTE COM SÍFILIS. Carmen Silvia Bruniera Domingues Vigilância Epidemiológica Programa Estadual DST/Aids - SP PROTOCOLO GESTANTE COM SÍFILIS Carmen Silvia Bruniera Domingues Vigilância Epidemiológica Programa Estadual DST/Aids - SP O que fazer antes do bebê chegar? Os caminhos do pré-natal... (fase I estamos grávidos

Leia mais

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias

5.1 Doenças do esôfago: acalasia, esofagite, hérnia hiatal, câncer de cabeça e pescoço, câncer de esôfago, cirurgias MÓDULO I NUTRIÇÃO CLÍNICA 1-Absorção, digestão, energia, água e álcool 2-Vitaminas e minerais 3-Proteínas, lipídios, carboidratos e fibras 4-Cálculo das necessidades energéticas 5-Doenças do aparelho digestivo

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA RECRUTAMENTO INTERNO TÉCNICO DE ENFERMAGEM

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA RECRUTAMENTO INTERNO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA RECRUTAMENTO INTERNO TÉCNICO DE ENFERMAGEM Prezado candidato(a), você recebeu o seguinte material: - um caderno de questões contendo 20 (vinte) questões objetivas,

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA Código: ENFAEN2 Disciplina: ADMINISTRAÇÃO EM ENFERMAGEM II (Enfermagem ao adulto e ao idoso em doenças tropicais) E ENFAENF (Administração em enfermagem I) Teoria: 60h Prática: 60h Teoria: 3 Prática: 3

Leia mais

Assistência ao parto

Assistência ao parto Assistência ao parto FATORES DE RISCO NA GESTAÇÃO Características individuais e condições sociodemográficas desfavoráveis: Idade menor que 15 e maior que 35 anos; Ocupação: esforço físico excessivo, carga

Leia mais

b) indique os exames necessários para confirmar o diagnóstico e avaliar o grau de comprometimento da doença. (8,0 pontos)

b) indique os exames necessários para confirmar o diagnóstico e avaliar o grau de comprometimento da doença. (8,0 pontos) 01 Um homem de 30 anos de idade, que morou em área rural endêmica de doença de Chagas até os 20 anos de idade, procurou banco de sangue para fazer doação de sangue e foi rejeitado por apresentar sorologia

Leia mais

ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA

ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA ESTUDO DIRIGIDO - PNEUMONIA Leia os dois casos clínicos abaixo e as perguntas que fizemos sobre eles. Mas não comece a responder ainda. Depois de analisar bem os dois casos, abra o texto Pneumonia Diretriz

Leia mais

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso.

Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. INSTRUÇÕES 1 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. 2 3 4 Caso se identifique em qualquer outro local deste Caderno,

Leia mais

Saúde da Mulher. Ana Cristina Pinheiro. Saúde da Mulher

Saúde da Mulher. Ana Cristina Pinheiro. Saúde da Mulher Saúde da Mulher Realizado por: Ana Cristina Pinheiro (Maio de 2007) Saúde da Mulher Uma família equilibrada não pode ser produto do acaso ou da ignorância. O nascimento de uma criança deve ser o resultado

Leia mais

Tome uma injeção de informação. Diabetes

Tome uma injeção de informação. Diabetes Tome uma injeção de informação. Diabetes DIABETES O diabetes é uma doença crônica, em que o pâncreas não produz insulina em quantidade suficiente, ou o organismo não a utiliza da forma adequada. Tipos

Leia mais

II INFORME MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE 2º TRIMESTRE DE 2013

II INFORME MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE 2º TRIMESTRE DE 2013 1 INDICADORES MUNICIPAIS DE SAÚDE II INFORME MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE 2º TRIMESTRE DE 2013 Ago/2013 2 INTRODUÇÃO A Vigilância em Saúde tem como objetivo a análise permanente da situação de saúde

Leia mais

CONSULTA DE CLÍNICA MÉDICA NO PROGRAMA DE HIPERTENSÃO

CONSULTA DE CLÍNICA MÉDICA NO PROGRAMA DE HIPERTENSÃO Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Sub-Secretaria de Promoção, Atenção Primária e Vigilância em Saúde Gerência do Programa de Hipertensão CONSULTA DE CLÍNICA MÉDICA NO PROGRAMA DE HIPERTENSÃO

Leia mais

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani.

DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis. Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. DSTS - Doenças Sexualmente Transmissíveis Alunas : Manuella Barros / Anna Morel /Elaine Viduani. O que são DSTS? São as doenças sexualmente transmissíveis (DST), são transmitidas, principalmente, por contato

Leia mais

Prof. Edison Barlem ebarlem@gmail.com

Prof. Edison Barlem ebarlem@gmail.com Prof. Edison Barlem ebarlem@gmail.com Educação do olhar enxergar entender AÇÃO compreender entender textos e Condicionantes da Saúde da cria sistemas cidade meio ambiente idoso família pré-natal saúde

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2016. Especialidades Pediátricas

FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2016. Especialidades Pediátricas FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO RESIDÊNCIA MÉDICA 2016 Especialidades Pediátricas Gabarito da Prova realizada em 22/nov/2015 A Banca Examinadora alerta que o gabarito divulgado corresponde

Leia mais

PlanetaBio Artigos Especiais www.planetabio.com. DST-Doenças Sexualmente Transmissíveis

PlanetaBio Artigos Especiais www.planetabio.com. DST-Doenças Sexualmente Transmissíveis DST-Doenças Sexualmente Transmissíveis (texto de Marcelo Okuma) As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) constituem um grave problema de saúde pública, pois essas doenças, se não tratadas, são debilitantes,

Leia mais

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda

TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016. Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda TREINAMENTO CLÍNICO EM MANEJO DA DENGUE 2016 Vigilância Epidemiológica Secretaria Municipal de Saúde Volta Redonda DENGUE O Brasil têm registrado grandes epidemias de dengue nos últimos 10 anos com aumento

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA

CONCURSO PÚBLICO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA CONCURSO PÚBLICO DE SELEÇÃO PARA RESIDÊNCIA MÉDICA 2012 PROVA TIPO C C / NN - NEONATOLOGIA 1 2 CONCURSO 2012 PARA RESIDÊNCIA MÉDICA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO

Leia mais

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com

VIROSES. Prof. Edilson Soares www.profedilson.com VIROSES Prof. Edilson Soares www.profedilson.com CATAPORA OU VARICELA TRANSMISSÃO Saliva Objetos contaminados SINTOMAS Feridas no corpo PROFILAXIA Vacinação HERPES SIMPLES LABIAL TRANSMISSÃO Contato

Leia mais

ALERTA SARAMPO Atualização da Situação Epidemiológica, Setembro 2014:

ALERTA SARAMPO Atualização da Situação Epidemiológica, Setembro 2014: ALERTA SARAMPO Atualização da Situação Epidemiológica, Setembro 2014: O Estado de São Paulo reforça a recomendação para que todos os GVE mantenham os municípios de sua área de abrangência em TOTAL ALERTA

Leia mais

infectadas. O período de contagiosidade estimado estende-se do quinto dia antes

infectadas. O período de contagiosidade estimado estende-se do quinto dia antes Sarampo Introdução O sarampo é uma doença infecciosa aguda de alta transmissibilidade, causada por um vírus da família Paramixoviridae, gênero Morbillivirus A transmissão ocorre através de secreções e

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Dispepsia

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Dispepsia Caso complexo Natasha Especialização em Fundamentação teórica DISPEPSIA Vinícius Fontanesi Blum Os sintomas relacionados ao trato digestivo representam uma das queixas mais comuns na prática clínica diária.

Leia mais

PREVENÇÃO DE DOENÇAS

PREVENÇÃO DE DOENÇAS Page 1 of 7 PREVENÇÃO DE DOENÇAS (Adaptação baseada nas condutas propostas pela Academia Norte-Americana de Médicos de Família/Clínica Mayo, USA) O que a medicina atual preconiza em termos de prevenção

Leia mais

Informe Técnico - SARAMPO nº2 /2010 Atualização da Situação Epidemiológica

Informe Técnico - SARAMPO nº2 /2010 Atualização da Situação Epidemiológica 1 SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS CENTRO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROF. ALEXANDRE VRANJAC Av. Dr. Arnaldo, 351-6º andar SP/SP CEP: 01246-000 Fone: (11)3082-0957 Fax:

Leia mais

Tabela de Codificação quanto as Causas de Rejeição (CR) - Referência para o SHTWEB (Portaria 2712/2013-MS e RDC 34/2014-ANVISA) Cód.

Tabela de Codificação quanto as Causas de Rejeição (CR) - Referência para o SHTWEB (Portaria 2712/2013-MS e RDC 34/2014-ANVISA) Cód. Tabela de Codificação quanto as Causas de Rejeição (CR) - Referência para o SHTWEB (Portaria 2712/2013-MS e RDC 34/2014-ANVISA) Cód. Tempo Descrição Sem Rejeição 00-01 Def. Idade superior a 69 anos 11

Leia mais

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à :

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à : RISCO BIOLÓGICO Risco Biológico A ocorrência do evento danoso está ligado à : 1) Existência ou não de medidas preventivas Níveis de Biossegurança. 2) Existência ou não de medidas preventivas que garantam

Leia mais

PROVA TEÓRICO-PRÁTICA

PROVA TEÓRICO-PRÁTICA PROVA TEÓRICO-PRÁTICA 1. Na atresia de esôfago pode ocorrer fistula traqueoesofágica. No esquema abaixo estão várias opções possíveis. A alternativa indica a forma mais freqüente é: Resposta B 2. Criança

Leia mais

Doenças do Sistema Circulatório

Doenças do Sistema Circulatório Doenças do Sistema Circulatório Dados Mundiais: Mortes por grupos de causas - 2000 Total de Mortes: 55.694.000 Causas Externas ( 9.1%) Doenças Não Transmissíveis (59.0%) Doenças transmissíveis, mortalidade

Leia mais

Adultos e idosos também precisam se vacinar

Adultos e idosos também precisam se vacinar ANO VII N.º 10 Abril 2013 Canal de Comunicação da Sistel para os Usuários de Saúde Adultos e idosos também precisam se vacinar Na hora de cuidar da própria saúde, muitos adultos e idosos não dão importância

Leia mais

PREVENÇÃO DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS

PREVENÇÃO DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS 20 a 24 de outubro de 2008 PREVENÇÃO DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS Marina de Souza Bastos 1 ; Rosa Maria Gomes de Macedo 2 RESUMO: As malformações congênitas contribuem em muito à mortalidade infantil, afetando

Leia mais

CHIKUNGUNYA. No final de 2013 foi registrada a transmissão autóctone da doença em vários países do Caribe.

CHIKUNGUNYA. No final de 2013 foi registrada a transmissão autóctone da doença em vários países do Caribe. CHIKUNGUNYA Andyane Freitas Tetila Médica Infectologista Mestre em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela UFMS Coordenadora de Vigilância Epidemiológica SESAU/PMCG CHIKUNGUNYA A Febre do Chikungunya é

Leia mais

A DESNUTRIÇÃO DO PACIENTE ONCOLÓGICO

A DESNUTRIÇÃO DO PACIENTE ONCOLÓGICO II CICLO DE DEBATES DESNUTRIÇÃO HOSPITALAR A EPIDEMIOLOGIA DA DESNUTRIÇÃO NO BRASIL NA EPIDEMIA DE OBESIDADE A DESNUTRIÇÃO DO PACIENTE ONCOLÓGICO Edilaine Maria Stella da Cruz Instituto do Câncer Arnaldo

Leia mais

Boletim Epidemiológico

Boletim Epidemiológico Página 1 / 8 1. Situação Epidemiológica do Sarampo Diferentes regiões do mundo estão definindo metas para a eliminação do sarampo e da rubéola até o ano de 2015. No entanto, surtos recentes de sarampo

Leia mais

Apêndice D: Listas de verificação de múltiplas observações

Apêndice D: Listas de verificação de múltiplas observações 147 Apêndice D: Listas de verificação de múltiplas observações Visita domiciliar de APS Monitorização do crescimento Imunizações Terapia de reidratação oral Planejamento familiar Módulo 6: Qualidade do

Leia mais

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES Medicina Fetal Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva 1. Você recebeu do fiscal o seguinte material: INSTRUÇÕES a) Este Caderno de Questões contendo o enunciado das 2 (duas) questões da prova discursiva.

Leia mais

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Osteomielite. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA PROTOCOLO MÉDICO Assunto: Osteomielite Especialidade: Infectologia Autor: Cláudio de Cerqueira Cotrim Neto e Equipe GIPEA Data de Realização: 15/04/2009 Data de Revisão: Data da Última Atualização: 1.

Leia mais

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E AIDS

DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E AIDS DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E AIDS As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) estão entre os problemas de saúde pública mais comuns no Brasil e em todo o mundo, sendo atualmente consideradas o

Leia mais

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados.

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados. MÉTODOS HORMONAIS 1 - ANTICONCEPCIONAIS HORMONAIS ORAIS (PÍLULAS) É o método mais difundido e usado no mundo. As pílulas são consideradas um método reversível muito eficaz e o mais efetivo dos métodos

Leia mais

Protocolo de Encaminhamentos de Referência e Contra-referência dos Ambulatórios de Gastrenterologia.

Protocolo de Encaminhamentos de Referência e Contra-referência dos Ambulatórios de Gastrenterologia. Rua Santa Marcelina, 177 CEP 08270-070 SÅo Paulo SP Fone(11) 6170-6237- Fax 6524-9260 www.santamarcelina.org E-mail: dir.med@santamarcelina.org Protocolo de Encaminhamentos de Referência e Contra-referência

Leia mais

GABARITO DE CIRURGIA GERAL

GABARITO DE CIRURGIA GERAL GABARITO DE CIRURGIA GERAL QUESTÃO 1 Paciente com febre, tosse e escarro purulento bastante fétido, apresenta os exames abaixo. Qual é a conduta mais adequada? A. Antibioticoterapia e fisioterapia. B.

Leia mais

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar:

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar: A cirurgia endovascular agrupa uma variedade de técnicas minimamente invasivas mediante as quais CIRURGIA ENDOVASCULAR = CIRURGIA SEM CORTES! Técnicas Minimamente Invasivas As técnicas de cirurgia endovascular

Leia mais

MEDICINA/GERIATRIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO

MEDICINA/GERIATRIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO MEDICINA/GERIATRIA PARTE I: MÚLTIPLA ESCOLHA 01 A surdez pode ser efeito colateral do uso de:

Leia mais

Momento II. ASF Região Sul. Assistência integral à saúde do recém-nascido e da criança. Prof. Dra. Ana Cecília Lins Sucupira

Momento II. ASF Região Sul. Assistência integral à saúde do recém-nascido e da criança. Prof. Dra. Ana Cecília Lins Sucupira Momento II ASF Região Sul Assistência integral à saúde do recém-nascido e da criança Prof. Dra. Ana Cecília Lins Sucupira CICLO DE VIDA DA CRIANÇA O ciclo de vida da criança compreende um ser que vivencia

Leia mais

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo CAPÍTULO 3 CÂnCER DE EnDOMéTRIO O Câncer de endométrio, nos Estados Unidos, é o câncer pélvico feminino mais comum. No Brasil, o câncer de corpo de útero perde em número de casos apenas para o câncer de

Leia mais

Fibrose Cística. Triagem Neonatal

Fibrose Cística. Triagem Neonatal Fibrose Cística Triagem Neonatal Fibrose cística Doença hereditária autossômica e recessiva, mais frequente na população branca; Distúrbio funcional das glândulas exócrinas acometendo principalmente os

Leia mais

Desenvolver animação Módulo Optativo Assistência Médica por Ciclos de Vida

Desenvolver animação Módulo Optativo Assistência Médica por Ciclos de Vida Observações Desenvolver animação Módulo Optativo Assistência Médica por Ciclos de Vida APRESENTAÇÃO O módulo de Assistência Médica por Ciclos de Vida aborda o trabalho específico do Médico de Família,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO POVOS INDÍGENAS

INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO POVOS INDÍGENAS INSTRUÇÃO NORMATIVA REFERENTE AO CALENDÁRIO NACIONAL DE VACINAÇÃO POVOS INDÍGENAS O presente instrumento estabelece as normatizações técnicas do Programa Nacional de Imunizações referentes ao Calendário

Leia mais

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS

ÍNDICE. Foto: João Borges. 2 Hospital Universitário Cajuru - 100% SUS ÍNDICE Apresentação...03 Hospital Universitário Cajuru...04 Estrutura...04 Especialidades Atendidas...05 Diferenças entre atendimento de urgência, emergência e eletivo...06 Protocolo de Atendimento...07

Leia mais

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande,

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande, Cancêr de Mama: É a causa mais frequente de morte por câncer na mulher, embora existam meios de detecção precoce que apresentam boa eficiência (exame clínico e auto-exame, mamografia e ultrassonografia).

Leia mais

Aborto espontâneo Resumo de diretriz NHG M03 (março 2004)

Aborto espontâneo Resumo de diretriz NHG M03 (março 2004) Aborto espontâneo Resumo de diretriz NHG M03 (março 2004) Flikweert S, Wieringa-de Waard M, Meijer LJ, De Jonge A, Van Balen JAM traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de respostas. Nº de Inscrição Nome ASSINALE A RESPOSTA

Leia mais