BREAST CANCER PAN AMERICAN SYMPOSIUM. 10 e 11 de maio Hotel Sofitel - Rio de Janeiro. Simpósio Internacional de Mastologia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BREAST CANCER PAN AMERICAN SYMPOSIUM. 10 e 11 de maio Hotel Sofitel - Rio de Janeiro. Simpósio Internacional de Mastologia"

Transcrição

1 PAN AMERICAN 10 e 11 de maio Hotel Sofitel - Rio de Janeiro BREAST CANCER SYMPOSIUM SIM RIO 2013 Simpósio Internacional de Mastologia Programa Final Final Program Federação Latinoamericana de Mastologia

2 Realização Federação Latinoamericana de Mastologia Apoio Agência de Turismo Oficial Cia. Aérea Oficial Secretaria Executiva jzbrasil.com ÍNDICE INDEX Mensagem Message Informações Gerais General Information Programa Científico Scientific Program Trabalhos Científicos Scientific Papers Patrocinadores e Expositores Sponsors and Exhibitors PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO

3 Pan American Breast Cancer Symposium SIM RIO 2013 Caros amigos, Sejam bem vindos ao Simpósio Pan Americano de Câncer de Mama e Simpósio Internacional de Mastologia A Federação Latino americana de Mastologia, American Society of Breast Diseases e a Sociedade Brasileira de Mastologia Regional Rio de Janeiro, com o apoio da Sociedade Internacional de Senologia se empenharam para realizar um evento de alto nível científico. Contamos com grandes líderes da mastologia mundial e nacional que estão no Rio de Janeiro com o objetivo de apresentar e discutir temas importantes da prática do mastologista, dentro de um contexto regional. Prestigiando este evento teremos a participação de representantes dos países membros da FLAM e de diversas outras instituições internacionais. Certos de estar contribuindo para o desenvolvimento de nossa profissão, aproveitamos para desejar que todos aproveitem o máximo possível deste momento de confraternização, quando estaremos comemorando os 30 anos de atividade da Federação Latino-americana de Mastologia. Sejam bem vindos. Abraços, Maurício Magalhães Costa Presidente da Federação Latino-americana de Mastologia Afrânio Coelho de Oliveira Presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia - Regional Rio de Janeiro PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO 03

4 INFORMAÇÕES GERAIS GENERAL INFORMATION LOCAL / VENUE Hotel Sofitel Rio de Janeiro Av. Atlântica, 4240 Copacabana CRACHÁ / BADGE Será obrigatório o seu uso para o ingresso nas salas e áreas de exposição do Centro de Convenções. Será cobrada uma taxa de R$ 100,00 (cem reais) pela segunda via do crachá perdido. It's use will be mandatory for admission in the meeting rooms and exhibition areas of the Convention Center. A R$ fee (one hundred reais) will be charged for duplicate badge. FUMO / SMOKING É expressamente proibido fumar no Centro de Convenções, Foyer e toaletes. Smoking is strictly forbidden in the Convention Center, foyer and toilets. CELULAR / CELL PHONES Em respeito aos palestrantes, solicitamos que todos os celulares estejam desligados dentro das salas. In respect to the speakers, we ask that cell phones are turned off inside the meeting rooms. CERTIFICADOS / CERTIFICATES Certificados de participação serão online e estarão disponíveis a partir de 15 dias após o evento Certificates of participation will be available online 15 days after the event. MULTIMÍDIA DESK / MEDIA DESK O material de aula dos professores deverá ser entregue com antecedência de 2(duas) horas, visando um bom atendimento e uma correta organização no sistema de projeção. Scientific material should be delivered by all speakers two (2) hours in advance, seeking for a good assistance and proper organization in the AV system. HORÁRIO / TIMETABLE Comitê Organizador solicita que todos os participantes das atividades científicas sigam rigorosamente o horário de início e fim de suas apresentações. The Organizing Committee request that all participants of the scientific activities follow strictly the schedule (presentation beginning and ending). AGÊNCIA DE TURISMO / TRAVEL AGENCY ACTIVIA VIAGENS Praça Mahatma Gandhi, 02 Grupo 621 a 624 Cinelândia Rio de Janeiro RJ Tel: SECRETARIA EXECUTIVA / EXECUTIVE SECRETARIAT JZ BRASIL Rua Visconde de Silva, 52/1004 Botafogo Rio de Janeiro RJ Tel: jzbrasil.com TRADUÇÃO SIMULTÂNEA/SIMULTANEOUS TRANSLATION Haverá serviço de tradução simultânea português/inglês inglês/português na sala A - Rio de Janeiro II. Simultaneous translation in Portuguese/English will be available at Room A - Rio de Janeiro II. SECRETARIA LOCAL / LOCAL SECRETARIAT A Secretaria estará à disposição dos congressistas para novas inscrições, entrega de credenciais dos participantes já inscritos e informações gerais a partir das 7h30 do dia 10 de maio. The Local Secretariat will be open for onsite registrations, delivery of credentials of participants already enrolled and th general information from May 10, at 7:30am. 04 PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO

5

6 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 9 de maio de 2013 May 9th, 2013 CID Leblon - Av. Ataulfo de Paiva, 669 3º andar 14:00 18:00 (2:00 PM 6:00 PM) Coordenador / Coordinator: Maria Julia Calas Workshop Hands-on on 'US-guided biopsies of the breast' - Bruno Fornage 1 - Biópsia percutânea de mama guiada por ultrassonografia: Aspiração com agulha fina e "Core- Biopsy" (Techniques of US-guided needle biopsy of the breast: Fine-needle aspiration and core biopsy) 2 - Erros e armadilhas em biópsia guiada por ultrassonografia e casos difíceis. (Errors and pitfalls in US-guided needle biopsy of the breast and challenging cases) 3 - Outros procedimentos intervencionistas de mama guiados por ultrassonografia (Other US-guided interventional procedures of the breast)

7 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 10 de maio de 2013 May 10th, 2013 Sala Room A - Rio de Janeiro II 8:00 8:30 ABERTURA DO EVENTO / OPENING CEREMONY (8:00 AM 8:30 AM) 8:30 9:30 MESA-REDONDA / ROUND TABLE (8:30 AM 9:30 AM) Câncer de mama como problema de saúde pública Breast Cancer as a Global health problem Presidente / Chair: Marcos Moraes (BR) Debatedores / Moderators: Carlos Ruiz (BR) e Bernardo Aizen (URU) 1 Câncer de mama na América Latina Eduardo Cazap (Arg) Breast cancer in Latin America 2 Ações internacionais da Fundação Susan G Komen Catherine Oliveros (Susan G Komen Foundation) International actions of Susan G Komen Foundation 3 Iniciativas em câncer feminino do Fórum Pan Americano para ações em doenças não contagiosas (OPAS) Leila Adesse Women's Cancer Initiative of the Pan American Forum for Action on NCDs 9:30 10:00 CONFERÊNCIA / CONFERENCE (9:30 AM 10:00 AM) Estado da arte do tratamento da axila e do estudo das margens cirúrgicas Monica Morrow (EUA) State of the art in Axillary treatment and Surgical margins Presidente / Chair: Cesar Cabello (SP) Co Chair: Eduardo Bruno Giordano (RJ) 10:00 10:25 CONFERÊNCIA / CONFERENCE (10:00 AM 10:25 AM) Imagem molecular da mama Einat Even Sapir Weizer (Israel) Molecular Breast Image Presidente / Chair: Lea Miriam Barbosa (BR) Co chair: Henrique Pasqualette (RJ) 10:25 10:50 CONFERÊNCIA / CONFERENCE (10:25 AM 10:50 AM) Ressonância magnética das mamas: Indicações e aplicações baseadas em evidências científicas Christopher Comstock (USA) Evidence based clinical applications of breast magnetic resonance Presidente / Chair: Ellyete Canella (BR) Co Chair: Marconi Luna (BR) 10:50 11:00 CAFÉ / COFFEE (10:50 AM 11:00 AM) 11:00 12:00 SIMPÓSIO / SYMPOSIUM (11:00 AM 12:00 PM) Symphony. Um novo teste preditivo e prognóstico para câncer inicial da mama Peter Donald Beitsch (USA) Symphony new prognostic and predict test for early breast cancer Coordenador / Coordinator: Eduardo Millen (RJ) Debatedor / Moderator: Maria de Lourdes de Oliveira (RJ) 12:00 13:00 SIMPÓSIO SATÉLITE NOVARTIS / SATELLITE SYMPOSIUM NOVARTIS (12:00 PM 1:00 PM) Novas Perspectivas na Abordagem Terapêutica do Câncer de Mama RE+/HER2 Max Mano Redefining the Management of ER+/HER2 Negative Advanced Breast Cancer Coordenador / Coordinator: Eduardo Millen (RJ) PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO 07

8 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 10 de maio de 2013 May 10th, 2013 Sala Room A - Rio de Janeiro II 13:00 14:00 PAINEL FLAM E SIS / PANNEL FLAM AND SIS (1:00 PM 2:00 PM) Reconstrução mamária / Breast reconstruction Presidente / Chair: Ezio Novais Dias (BR) Debatedores / Moderators: Augusto Rocha, Felipe Andrade 1 Cirurgia reconstrutora em etapa única Miguel Angel Oller (RD) Reconstruction in one stage 2 Cirurgia reconstrutora em dois tempos e como o lipofilling está mudando as indicações de cirurgia reconstrutora Jean Marc Piat (FR) Reconstruction in two stages and How fat grafting is changing the breast reconstruction 3 Reconstrução mamária com simetrização Carlos Vazquez (ESP) Breast reconstruction with symmetrization 14:00 14:25 CONFERÊNCIA / CONFERENCE (2:00 PM 2:25 PM) A aplicação prática do perfil molecular: O ponto de vista do oncologista Antonio Wolff (EUA) The practical use of molecular profiling: The view of a medical oncologist Presidente / Chair: José Bines (RJ) Co chair: Aline Machado (BR) 14:25 15:30 MESA-REDONDA / ROUND TABLE (2:25 PM 3:30 PM) Atualização em terapia sistêmica do câncer de mama Systemic therapy of breast cancer: Update Presidente / Chair: Antonio Buzaid (BR) Co Chair: Mario Alberto Costa (BR) 1 O que há de novo na adjuvância e neoadjuvância da doença HER 2 positiva Antonio Wolff (EUA) What is new in the adjuvant and neoadjuvant therapy in Her 2 positive patients 2 Adjuvância na paciente idosa: o que muda Matti Aapro (SUI) Adjuvant therapy in older women: What is the change 3 Novo algoritmo de tratamento da doença metastática Antonio Buzaid (BR) Guidelines for management of metastatic disease 15:30 17:00 SESSÃO DA ESCOLA EUROPEIA DE ONCOLOGIA / ESO SESSION 1 (3:30 PM 5:00 PM) Câncer de mama na mulher jovem Breast Cancer in Young Women Presidentes / Chairs: Fatima Cardoso (POR), Antonio Frasson (BR) 1 A extensão do problema Nadia Harbeck (DE) The magnitute of the problem 2 Controvérsias em Imagem Ellyete Canella (BR) Controversies in imaging 3 Terapia locorregional: O que precisa ser diferente Alfredo Barros (BR) Local regional therapy: What needs to be different 4 Diretrizes de consenso da ESO EUSOMA BCY1 Fatima Cardoso (POR) ESO EUSOMA BCY1 Consensus Guidelines 17:00 17:30 COFFEE BREAK (5:00 PM 5:30 PM) 08 PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO

9 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 10 de maio de 2013 May 10th, 2013 Sala Room A - Rio de Janeiro II 17:30 19:00 ESO SESSION 2 (5:30 PM 7:00 PM) Câncer de mama avançado: Novidades desde o ABC1 Advanced Breast Cancer: News since ABC1 Presidente / Chair: Fatima Cardoso (PT) Co Chair: Rolando Camacho (IAEA) 1 Terapia endócrina sequencial ideal Nadia Harbeck (DE) Optimal sequence of endocrine therapies 2 Integração de novos agentes no tratamento de Câncer de Mama avançado Her 2+ Fatima Cardoso (POR) Integration of new agents in optimal management of HER 2+ advanced ABC 3 A quimioterapia ainda é uma ferramenta terapêutica válida? Max Mano (BR) Is chemotherapy an outdated anticancer weapon? 4 Administrando os efeitos colaterais das terapias médicas Matti Aapro (SUI) Managing side effects of medical therapies 21:00 (9:00 PM) Festa de 30 anos da FLAM / Celebration of 30 years of FLAM Show no Miranda Festa por adesão

10 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 10 de maio de 2013 May 10th, 2013 Sala Room B - Rio de Janeiro III 14:00 18:30 (2:00 PM 6:30 PM) Fórum Interdisciplinar em Câncer de Mama Interdisciplinary Forum on Breast Cancer Coordenador / Coordinator: Marcia Stephan (RJ) 14:00 Abertura / Opening (2:00 pm) Dr. Maurício Magalhães, Dr. Afrânio Coelho de Oliveira e Dr. Ezio Novais Dias 14:10 Multi, Inter e Transdisciplinaridade Psicóloga Rita Macieira Discussão e dúvidas 14:50 Diretrizes para Atuação Interdisciplinar em Câncer de Mama Idealização do Guideline Mastologista Ezio Novais Interdisciplinaridade na Prática Mastologista Patrícia Melo Atuação da Equipe Interdisciplinar nas Etapas da Atenção em Câncer de Mama Psicóloga Sabrina Costa Figueira e Fisioterapeuta Ivana Cedraz Discussão e dúvidas 17:00 INTERVALO / BREAK (5:00 PM) 17:30 Discutindo um caso clínico em Equipe Interdisciplinar Apresentação do caso - Mastologista Patrícia Melo Discussão do caso. Participantes: Oncologista Ernani Saltz, Marcia Stephan, Fisioterapeuta Anke Bergman, Nutricionista Ignez de Alencastro, Enfermeira Maria de Fátima Lins Reis e Solange Gomes de Oliveira 18:30 FECHAMENTO / CLOSING (6:30 PM) 10 PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO

11 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 11 de maio de 2013 May 11th, 2013 Sala Room A - Rio de Janeiro II 8:00-9:30 MESA REDONDA / ROUND TABLE (8:00 AM 9:30 AM) Novas perspectivas em radioterapia News perspectives in radiotherapy Presidente / Chair: Monica Schaum Debatedores / Moderators: Jorge Uribe (VEN), Carla Ismael (BR) 1- Radioterapia intraoperatória para câncer inicial da mama. O que aprendemos do Estudo TARGIT - Stephen R. Grobmyer (USA) Intraoperative Radiotherapy for early Breast Cancer - What have we learned from the TARGIT Trial. 2- Irradiação parcial acelerada da mama - Robert Kuske (EUA) Accelerated partial breast irradiation 3-Avanços em radioterapia no câncer de mama. Experiência preliminar no Brasil - Lisa Morikawa Grupo COI Advances in radiation therapy for the treatment of breast cancer: preliminary clinical experience of a single institution in Brazil. 4-Radioterapia e implantes mamários. Como reduzir a taxa de complicações? Márcio Reisner Grupo COI Radiation therapy and breast implants: how to reduce the rate of complications?

12 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 11 de maio de 2013 May 11th, 2013 Sala Room A - Rio de Janeiro II 9:30-10:00 CONFERÊNCIA / CONFERENCE (9:30 AM 10:00 AM) Cirurgia redutora de risco em câncer de mama Monica Morrow (EUA) Risk reduction Surgery in breast cancer Presidente / Chair: Henrique Salvador (BR) Co-chair: Rafael Szimanski Machado (BR) 10:00-10:30 CONFERÊNCIA / CONFERENCE (10:00 AM 10:30 AM) O programa da Agencia Internacional de Energia atomic de ação de atividades de terapia oncológica na América Latina Rolando Camacho (IAEA) The IAEA Programme of Action for Cancer Therapy activities in Latin America Presidente / Chair: Rene del Castillo (AR) Co-chair: Selene Bezerra (BR) 10:30-11:00 COFFEE BREAK (10:30 AM 11:00 AM) 11:00 11:30 CONFERÊNCIA / CONFERENCE (11:00 AM 11:30 AM) O papel da Ressonância magnética no planejamento terapêutico - Christopher Comstock (USA) The role of MRI in surgical planning Presidente / Chair: Pedro Aurélio Ormonde do Carmo Co-chair: Alice Brandão (BR) 11:30 13:00 SIMPÓSIO / SYMPOSIUM (11:30 AM 1:00 PM) Câncer de mama na era genômica Breast Cancer in genomic era Presidente / Chair: Antonio Buzaid (BR) 1-Plataforma genômica no câncer de mama - Monica Morrow (USA) Genomic Platform in breast cancer 2-Plataforma genômica em doença linfonodo axilar positiva - Terry Mamounas (USA) Genomic Plataform in N+ disease 13:00-14:00 SIMPÓSIO SATÉLITE ROCHE / SATELLITE SYMPOSIUM ROCHE (1:00 PM 2:00 PM) Desafiando o prognóstico do Câncer de Mama Metastático HER2 positivo - Antonio Carlos Buzaid (BR) Challenging the prognosis of HER2 Metastatic Breast Cancer Presidente / Chair: Gilberto Amorim (BR) 14:00 15:00 SIMPÓSIO / SYMPOSIUM Novas tecnologias em imagenologia mamária New technologies in breast image Presidente / Chair: Fernanda Philadelpho (BR) Debatedores / Moderators: Ruffo Freitas Jr (BR), Roberto Vieira (BR) 1- Tomossíntese. Uma mamografia melhor? Gabriela Martins (BR) Digital Breast Tomosynthesis A better mammogram? 12 PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO

13 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 11 de maio de 2013 May 11th, 2013 Sala Room A - Rio de Janeiro II 2- USG da mama. Que máquina utilizar e como melhorar nosso exame - Bruno Fornage (USA) Breast ultrasound: which machine do you need and how to optimize your examination technique 15:00-16:15 SIMPÓSIO / SYMPOSIUM (3:00 PM 4:15 PM) V Simpósio Internacional CDPI de PET/CT em Oncologia Presidente / Chair: José Leite (BR) Debatedores / Moderators: Jacir Balen (BR), Flavia Climaco (BR) 1- PET-CT com FDG no diagnóstico e estadiamento inicial do Câncer de Mama, incluindo PEM - Barry Siegel (USA) Pet-CT in early stage of breast cancer 2- Avaliação de Resposta ao Tratamento através do PET-CT com FDG e com outros traçadores - Barry Siegel (USA) PET-CT with FDG and others radiotracers in the evaluation of treatment response 16:15-16:30 CAFÉ / COFFEE (4:15 PM 4:30 PM) 16:30 16:55 CONFERÊNCIA / CONFERENCE (4:30 PM 4:55 PM) Algorítimo de imagens baseado em riscos Richard Reitherman and Jane Kakkis (USA) Risk based imaging algorithms Presidente / Chair: Maria Julia Calas (BR) Co-chair: Rosana Castro (BR) 16:55-17:15 CONFERÊNCIA / CONFERENCE (4:55 PM 5:15 PM) O amplo espectro de tumores englobados como triplo negativo Debu Tripathy (EUA) The broad spectrum of tumors encompassed as triple negative Presidente / Chair: Gilberto Amorim (BR) Co-chair: Fatima Gaui (BR) 17:15 18:30 MESA-REDONDA / ROUND TABLE (5:15 PM 6:30 PM) Mensagens para levar para casa Take home messages Presidente / Chair: Carlos Augusto Andrade (BR) Debatedores / Moderators: Euderson Kang Tourinho, Roberto Gil, Paulo Maurício Soares Pereira, Debu Tripathy, Richard Reitherman, Robert Kuske e Jean Marc Piat 18:30 ENCERRAMENTO / CLOSING (6:30 PM) PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO 13

14 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 11 de maio de 2013 May 11th, 2013 Sala Room B - Rio de Janeiro III 09:00 13:00 (9:00 AM 1:00 PM) Programa de Apoio a Mulheres com Câncer de Mama na América Latina Latin America Breast Cancer Advocacy Program Introdução e Boas Vindas - Maira Caleffi Introduction and Welcome Rede para fortalecer o apoio a mulheres com Câncer de Mama Women's Empowerment Cancer Advocacy Network (WE CAN) Esforços de apoio a pacientes com Câncer de Mama no Leste Europeu - Julie Gralow Breast Cancer Advocacy Efforts in Eastern Europe Esforços de apoio a pacientes com Câncer de Mama na África - Olivia Dooley Breast Cancer Advocacy Efforts in Africa Jornada das mulheres: O panorama de apoio a pacientes com Câncer de Mama no Brasil - Maira Caleffi Women's Journey: The Panorama of Breast Cancer Advocacy in Brazil Painel: Panorama do apoio ao Câncer de Mama a pacientes na América Latina Panel: Panorama of Breast Cancer Advocacy in Latin American Esforços de apoio regional - Alessandra Durstine Regional Advocacy efforts Visão do apoio a pacientes com Câncer de Mama nos seus países Brief overview of breast cancer advocacy efforts in their country - Chile - Jamile Camacho - Colombia - Pilar Fernandez - Argentina - Susana Korinfeld - Brazil - Ieda Maria Morsch and Aglaê Nazario de Oliveira Apoio a pacientes com Câncer de Mama - A perspectiva da Fundação Susan G. Komen - Catherine Oliveros and Tauane Cruz Advocacy, The Susan G. Komen Perspective INTERVALO / BREAK Discussão Mesa-redonda Roundtable Discussion Necessidades para melhor servir a mulher na América Latina Unmet Need in Latin America to better Serve Women Pontos de interesse para discussão no encontro para mulheres com Câncer de Mama na América Latina em 2014 Discussion of interest in a 2014 Latin America Breast Cancer Advocacy meeting O que o evento deve enfatizar como medidas urgentes? What would the meeting address as urgent needs? 14 PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO

15 PROGRAMA CIENTÍFICO SCIENTIFIC PROGRAM 11 de maio de 2013 May 11th, 2013 Sala Room B - Rio de Janeiro III Que tópicos devem ser cobertos? What topics would need to be covered? Que conhecimento está faltando? What expertise is lacking? Quem deverá liderar? Who would lead? Quem deverá participar? Who would attend? Como poderíamos ligar com esforços nacionais e regionais? How would it link with current regional and national efforts? 14:00 18:00 (2:00 PM 6:00 PM) Panorama do Câncer de Mama na América Latina Breast Cancer in Latin America Como está o câncer de mama em seu país e como sua sociedade está enfrentando este problema? How is breast cancer in your country and how the Mastology society is facing it? In this session we will discuss the following information: Incidence of Breast Cancer, Mortality, number of specialists breast surgeons and affiliated to the society, tumor registry in your country, program of accreditation of breast units. Coordenadores / Coordinators: Rolando Camacho Rodriguez (IAEA), Ben Anderson (BHGI), Eduardo Cazap (UICC), Catherine Oliveros (SGKF), Maurício Magalhães Costa (FLAM) Apresentadores / Presenters: 1- Apoio a pacientes com Câncer de Mama nos países em desenvolvimento (Advocacy of Breast Cancer in developing countries) Julie R. Gralow (EUA) 2- Ações da FLAM no combate ao Câncer de Mama (Role of FLAM facing Breast Cancer) Maurício Magalhães (BR) 3- Câncer de Mama em mulheres jovens no Brasil (Breast Cancer in young women in Brazil) Dr. Sergio Koiffman (BR) Argentina Luis Barbera Bolívia Pablo Sitic Brasil Carlos Ruiz Chile Omar Rivas Colombia Joaquim Caicedo Equador Luis Péndola Nicarágua - Gonzalo Granados Echegoyen Paraguay Patricia Martinez Malatesta República Dominicana José Ramirez Uruguay José Parada Venezuela Jorge Uribe / Ricardo Ravelo PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO 15

16

17 TRABALHOS CIENTÍFICOS SCIENTIFIC PAPERS Patrocinador por Sponsored by

18 TRABALHOS CIENTÍFICOS SCIENTIFIC PAPERS PO001 - NF-KAPPAB/RELA INHIBITION REDUCES AGGRESSIVE PHENOTYPE IN HER2 BREAST CANCER CELLS BRUNO RICARDO PIRES ; ANDRE LUIZ MENCALHA ; GERSON MOURA FERREIRA ; WALDEMIR FERNANDES DE SOUZA ; AMANDA DE MORAES MAIA ; JOSÉ ANDRÉS MORGADO-DÍAZ ; ELIANA ABDELHAY 1.INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER, DIVISÃO DE LABORATÓRIOS DO CEMO, LABORATÓRIO DE CÉLULA-TRONCO; 2.UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, DEPARTAMENTO DE BIOFÍSICA E BIOMETRIA; 3.INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER, PROGRAMA DE BIOLOGIA CELULAR, GRUPO DE BIOLOGIA ESTRUTURAL. INTRODUTION: Breast cancer metastasis is the leading cause of women death worldwide. Metastatic process is related to expression of epithelialmesenchymal transition (EMT) transcription factors (TF), such as SNAIL, SLUG, SIP1 and TWIST1. Recently, it has been described a positive correlation between EMT genes and Nuclear Factor-kappa B (NF-kB) activation in carcinomas. However, it is still unclear how NF-kB regulates these EMT-related genes in breast cancer. Thus, the aim of this study is to elucidate how NF-kB regulates EMT-TF expression in HER2/neu breast cancer cells, which has been correlated to poor survival due to its aggressiveness and metastatic potential. METHODS: In order to investigate if NFkB could directly regulate SNAIL, SLUG, SIP1 and TWIST1, a screening for binding sites of NF-kB along their promoter region using prediction tools was performed and confirmed by Chomatin Immunoprecipitation (ChIP). For NF-kB inhibition, HCC1954 (HER2 breast cancer cell line) was treated with DHMEQ 10ug/ml. This drug specifically blocks the nuclear translocation of RelA/p50 complex. Effects of NF-kB inhibition on apoptosis/necrosis induction were evaluated by Flow Cytometry and EMT genes expression was appreciated by RT-qPCR. Aiming to investigate cell migration and invasive potential, we performed a wound healing assay and a matrigel/transwell invasion assay. RESULTS: We have identified more than two NF-kB binding consensus sequences in SNAIL, SLUG, SIP1 and TWIST1, conserved among different species. ChIP-qPCR experiments confirmed NF-kB/RelA binds to SLUG, SIP1 and TWIST1 promoter regions. We found a decrease of SLUG, SIP1 and TWIST1 expression at 8h of DHMEQ-treatment. We also reported an up-regulation of E-cadherin, downregulation of MMP11 and N-cadherin during this period of treatment. Wound healing has shown a migratory inhibition of 1.6-fold on DHMEQ-treated cells and invasiveness assay reported a decrease of 2.2-fold on DHMEQ-treated cells, both statistically significant. CONCLUSION: Our findings demonstrate that NF-kB inhibition results in reduction of cell migration and invasive potential. ChIP and RT-qPCR indicate NF-kB as a transcriptional activator of SLUG, SIP1 and TWIST1. Thus, we suggest that NF-kB acts directly on aggressive phenotype gain in HER2 breast cancer, which may contribute to understanding the metastatic process in this tumor subtype. PO002 - TUMOR NEUROENDÓCRINO PRIMARIO DE MAMA RODRIGO OLIVEIRA SOUTO; MIXEL TENENBAUM; VICTOR ARAUJO MACHADO; ANDREA CORDOVIL PIRES CENTRO ONCOLOGICO DE NITEROI. O carcinoma neuroendócrino primário de mama é muito raro e poucos casos já foram descritos na literatura. A expressão de marcadores imunohistoquímicos de diferenciação neuroendócrina (cromogranina e/ou sinaptofisina ) em mais de 50% das células tumorais da área do tecido estudada, a ausência de carcinoma neuroendócrino em outras partes do corpo e a demonstração do componente in situ confirmam o diagnóstico de carcinoma primário da mama. Os receptores hormonais de estrogênio e progesterona são normalmente positivos na imunohistoquímica e sem amplificação do gene HER2. A maioria das pacientes é tratada da mesma forma que aquelas com diagnóstico de adenocarcinoma ductal infiltrante. Neste estudo descrevemos os casos de duas pacientes com o diagnóstico de carcinoma neuroendócrino com células demonstrando imunopositividade para marcadores neuroendócrinos e receptores hormonais. Uma das pacientes mostrou expressão da oncoproteína HER2 duvidosa (2+), mas o FISH não detectou a amplificação do gene. As pacientes receberam o tratamento adjuvante habitualmente utilizado para carcinoma ductal invasivo. Após um ano de seguimento, elas se encontram em hormonioterapia e sem evidência de recidiva.necessitamos de maiores estudos para podermos individualizar o tratamento patra estes tipos de tumores. PO003 - CARCINOMA IN SITU DENTRO DE FIBROADENOMA VICTOR ARAUJO MACHADO; RODRIGO OLIVEIRA SOUTO; MIXEL TENENBAUM; ANDREA CORDOVIL PIRES CENTRO ONCOLOGIA NITEROI. O fibroanenoma é o tumor benigno mais frequentes nas mulheres jovens. A incidência de carcinoma dentro de fibroadenoma é raro. Existem pouco mais de 100 casos descritos na literatura. Na maioria dos casos,são achados acidentais,não havendo nenhum sinal radiologico caracteristicos da lesao dentro do fibroadenoma.neste relato de caso, mostramos caso de mulher de 62 anos que apresentava carcinoma ductal infiltrante mama direita e um nódulo de caracteristicas benignas em mama contralateral compativel radiologicamente com fibroadenoma não palpável.foi submetida a quadrantectomia e linfadenectomia a direita com resseccao de nodulo pos esteriotaxia da mam esquerda. Biopsia de 18 PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO

19 TRABALHOS CIENTÍFICOS SCIENTIFIC PAPERS congelacoa per operatoria mostrou tratar se de um fibroadenoma mais no resultado da parafina mostrou:nódulo DE MAMA ESQUERDA EXIBE FIBROADENOMA COM FOCO DE CARCINOMA DUCTAL"IN SITU" (CARCINOMA INTRADUCTAL), PADRÃO MICROPAPILÍFERO, ASSOCIADO (0,6 cm,medida microscópica). ESTA LESÃO ESTÁ APARENTEMENTE INSERIDA NO ESTROMA DOFIBROADENOMA, PORÉM TANGENCIA SUA BORDA, NÃO SENDO POSSÍVEL AVALIAR O LIMITECIRÚRGICO ADEQUADAMENTE (LIMITE CIRÚRGICO APARENTEMENTE COMPROMETIDO. Foi reabordada novamente com aumento de margens cirurgicas, vindo com resultado negativo para qualquer tipo de tumor. Submetida a quimioteratia ( devido ao tumor contralateral ) e radioterapia bilateral. Devido nao existir nenhum estudo com grande numero de pacientes, tratamos com fosse um carcinoma in situ normal ( nao relacionado a fibroadenoma ).No momento a paciente se encontra a 2 anos de tratamento sem sinais de recidiva PO004 - FIBROADENOMA EM MAMA ACESSÓRIA AXILAR BRUNO EDUARDO PEREIRA LAPORTE ; JOÃO MATHEUS DE CASTRO RANGEL ; HAKAYNA CALEGARO SALGADO ; NATHÁLIA MUSSI MONTEZE ; JANAÍNA COTTA RODRIGUES ; ESTELA GELAIN JUNGES LAPORTE ; LIDIA PIMENTA DE AZEVEDO ; SONIA MARIA NEUMANN CUPOLILO ; FERNANDO MONTEIRO AARESTRUP ; GERALDO SÉRGIO FARINAZZO VITRAL 1.HOSPITAL UNIVERSITÁRIO - UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA; 2.NEOCLINICA ONCOLOGIA. Introdução/Objetivos: A incidência de mama extranumerária varia de 2 a 6% na população, surgindo de alterações na formação do tecido mamário durante o desenvolvimento embrionário. Ocorre mais comumente na Linha Láctea, que se estende da axila até a região púbica, sendo a maior incidência na região axilar. Pode ocorre uni ou bilateralmente. Na maioria dos casos apresenta somente repercussão estética e pode ser acometida pelas mesmas alterações e doenças que comprometem o tecido mamário tópico. O Fibroadenoma é a alteração mamária benigna mais comum na menacme. É causa frequente de nódulos em mulheres jovens, tendo maior incidência dos 20 aos 30 anos. Manifesta-se como lesão nodular frequentemente única, móvel, de crescimento lento. À mamografia, observa-se nódulo homogêneo, oval e circunscrito. É raramente descrito em mama acessória axilar. Materiais e Métodos: Relato de Caso. Paciente do sexo feminino, 23 anos, encaminhada ao Serviço de Mastologia, devido ao aparecimento de nódulo palpável de consistência endurecida em axila direita. Não apresentava outras alterações no exame físico, tais como mama acessória axilar. Foi realizada ultrassonografia de mamas e axilas, que mostrou nódulo sólido, ovoide, hipoecóico, maior eixo paralelo à pele, sem fenômeno acústico posterior, em axila direita, cujas dimensões eram 1,5x0,7 cm (Bi-Rads 4). A paciente foi submetida à punção aspirativa por agulha fina (PAAF), cujo material obtido e enviado para análise foi insatisfatório (artefato de fixação). Após explanação das possibilidades terapêuticas, a paciente optou por exérese do nódulo axilar, cujo resultado anatomopatológico evidenciou formação nodular medindo 1,9x2,0cm, compatível com Fibroadenoma em mama acessória axilar. Resultados: O presente relato apresenta um caso, pouco descrito na literatura, de nódulo axilar, cujo laudo anatomopatológico da cirurgia revelou se tratar de um fibroadenoma em glândula mamária acessória. Conclusões: Frente a um caso de nódulo axilar único, palpável e persistente, deve-se atentar aos possíveis diagnósticos diferenciais: lesões parenquimatosas de mama; lifonodomegalia; lesões vasculares; neoplasias linfoides; extensão mamária axilar; alterações em parequema mamário acessório. Em casos de exames de imagem e de biopsias percutâneas inconclusivos para o diagnóstico, deve-se aventar a exerese da lesão. PO005 - REGRESSÃO ESPONTÂNEA DE LINFOMA NÃO HODGKIN DE CÉLULAS B DE MAMA: 2º CASO RELATADO NA LITERATURA BRUNO EDUARDO PEREIRA LAPORTE ; JANAÍNA COTTA RODRIGUES ; CAMILLA LAPORTE SEIXAS ; ESTELA GELAIN JUNGES LAPORTE ; JOÃO MATHEUS DE CASTRO RANGEL ; HAKAYNA CALEGARO SALGADO ; GERALDO SÉRGIO FARINAZZO VITRAL ; EMILIO AUGUSTO CAMPOS PEREIRA DE ASSIS ; THIAGO DOS SANTOS FERREIRA ; FERNANDO MONTEIRO AARESTRUP 1.HOSPITAL UNIVERSITÁRIO - UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA; 2.FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA; 3.NEOCLINICA ONCOLOGIA. Introdução/Objetivos: O Linfoma Não Hodgkin (LNH) Primário de mama é um tumor raro, apresentando uma incidência de apenas 0,04-1,1% no total de tumores da mama e de 1,7-2,2% de todos os LNH extranodais. A terapêutica mais aceita é a quimioterapia, radioterapia, ou associação de ambos. A regressão espontânea de tumores LNH de alto grau é muito pouco frequente. O mecanismo fisiológico da regressão espontânea neste tipo de tumor ainda não está esclarecido, já que o fenômeno é raro na oncologia. Materiais e Métodos: Relato de Caso. Paciente do sexo feminino, 42 anos, com histórico familiar de câncer de mama precoce, procura Serviço de Mastologia, devido ao aparecimento de um nódulo palpável de mama direita há cinco meses, com aumento de volume rápido e progressivo. Exame físico: tumor de 3x3cm em QSM (quadrante súpero medial) de mama direita e axila com 2 linfonodos palpáveis móveis, fibroelásticos. Foi realizada ultrassonografia de mamas (US), que mostrou 02 nódulos PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO 19

20 TRABALHOS CIENTÍFICOS SCIENTIFIC PAPERS sólidos em mama direita, justapostos, de limites parcialmente definidos, contornos microlobulados, em QSM, cujas dimensões eram 1,8X 1,0 cm e 0,9X0,5 cm (Bi-Rads 4). A paciente foi submetida à Core Biopsy guiada por US com estudo de imunohistoquímica cujo resultado diagnosticou LNH de Células B. Após realização de exames de imagem e bioquímica não foi constatada a presença de outro foco, concluindo-se tratar de LNH de Células B Centrofolicular primário da mama. Após a Core Biopsy houve regressão clínica completa da lesão. Realizado nova US demonstrando nódulo pouco definido, de 1,8x0,5cm em QSM de mama direita (Bi-Rads 6). Devido a regressão tumoral, foi realizada exérese da lesão através de setorectomia por ROLL, para melhor avaliação diagnóstica, com resultado anátomo-patológico e imunohistoquímico da peça cirúrgica evidenciando apenas hiperplasia linfóide com padrão folicular (sem evidências de linfoma). Após 08 meses de seguimento, não foi evidenciada recidiva tumoral. Resultados: O relato apresenta caso até o momento descrito somente uma vez na literatura de língua inglesa, de Linfoma Não Hodgkin de Células B na mama com regressão espontânea após Core Biopsy. Conclusões: Algumas teorias são aventadas para explicar regressão espontânea de determinados tumores. Entre elas citam-se reativação de genes supressores tumorais, supressão do fenótipo cancerígeno e mecanismos psiconeuroimunológicos. PO006 - ATUALIZAÇÃO NO TRATAMENTO DO CÂNCER DE MAMA NOS ÚLTIMOS 10 ANOS MARÍLIA PENA VIANA; MARIANI CORREA MENDES; RAYANNE RAMOS BENTO; MORENA PALOMBO GURGEL; CAROLINA SOUZA DUARTE CENTRO UNIVERSITARIO SERRA DOS ÓRGÃOS. O câncer de mama gera um grande impacto na vida das mulheres, sendo o seu tratamento muitas vezes agressivo e de grande importância temática para a saúde pública. Por este motivo foi realizada uma revisão bibliográfica sobre o tratamento do câncer de mama, com o objetivo de conhecer sua evolução e correlacioná-la com o ganho na sobrevida das pacientes. O estudo foi feito por meio de uma pesquisa bibliográfica sistematizada através de fontes nacionais e internacionais, onde foram selecionados os principais artigos cuja temática se adaqueva com o nosso objetivo de pesquisa. Os estudos revelam uma nova tendência de tratamento, com o desenvolvimento de terapias que atingem especificamente o tumor, com a diminuição dos efeitos colaterais e ganho na qualidade de vida das pacientes. Porém, o Ministério da Saúde não fez nenhuma alteração até o ano de 2012, quando foi inserido no tratamento o Trastuzumabe, o que demonstra uma falta de aplicação do capital investido em saúde. PO007 - A SEGURANÇA E EFETIVIDADE DA CIRURGIA CONSERVADORA PARA TUMORES CENTRAIS DA MAMA GUSTAVO ZUCCA-MATTHES ; GILBERTO UEMURA ; ANGELO C S MATTHES ; RENE A C VIEIRA 1.HOSPITAL CANCER BARRETOS; 2.FACULDADE MEDICINA BOTUTCATU - UNESP; 3.FACULDADE DE MEDICINA - UNAERP. Introdução: O uso da mastectomia para tratamento dos tumores centrais da mama para muitos é a alternativa cirúrgica mais indicada. Contudo, inúmeros estudos já confirmaram a segurança do tratamento conservador do câncer de mama (TCM) associado a radioterapia. O tratamento cirúrgico conservador para tumores localizados nos quadrantes centrais também deve permitir a ressecção tumoral com margens amplas, preservando um resultado estético aceitável. A literatura mostra casuísticas pequenas e com seguimento limitado. Objetivo: Analisar diferentes abordagens cirúrgicas de conservação mamária e suas taxas de recorrência local, sistêmica no tratamento do câncer de mama em topografia central e eventuais complicações. Material e Métodos: Através de um estudo longitudinal de uma coorte retrospectiva, realizado entre o período de 2000 e 2010, aprovado pelo comitê ética (541/2011). Foi feita uma análise das indicações, complicações, características tumorais, técnicas cirúrgicas, recorrências e sobrevida de pacientes com diagnóstico de tumor em quadrante central. Os casos de recorrência foram estratificados em subtipos moleculares (St Gallen, 2011). Resultados: Este estudo representa a maior casuística nacional e a terceira mundial. As técnicas utilizadas permitiram o tratamento conservador para tumores em quadrante central em 84 pacientes. Apresentou-se baixa incidência de complicações. Apenas dois casos tiveram margens comprometidas. A taxa de sobrevida global foi de 92,7%, recorrência sistêmica de 85,2% e recorrência local de 100% para um período de 5 anos. Até o final do estudo, 133 meses, foram observados 01 caso de recorrência local e 09 casos de recorrência sistêmica. Conclusão: A cirurgia conservadora é útil e segura para o tratamento de tumores mamários centrais. Este trabalho prova a segurança e eficiência a longo prazo da conduta cirúrgica conservadora na abordagem do câncer de mama nesta topografia. PO008 - IN SILICO ANALYSIS OF BREAST CANCER MOLECULAR MARKERS IN DIFFERENT ETHNICS GROUPS ROBERTA LUCIANA DO NASCIMENTO GODONE; NARA BARBOSA ARAÚJO; CARLOS HENRIQUE MADEIROS CASTELLETTI; JOSÉ LUIZ DE LIMA FILHO; DANYELLY BRUNESKA GONDIM MARTINS UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. 20 PAN AMERICAN BREAST CANCER SYMPOSIUM SIMRIO

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante.

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante. CÂNCER DE MAMA Dr. José Bél Mastologista/Ginecologista - CRM 1558 Associação Médico Espírita de Santa Catarina AME/SC QUANDO PEDIR EXAMES DE PREVENÇÃO Anualmente, a mulher, após ter atingindo os 35 ou

Leia mais

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? Como ter certeza que é BI-RADS 3? Quando não confiar na biópsia percutânea? O que fazer com resultados

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ INSTITUTO FERNANDES FIGUEIRA - IFF SOCIEDADE BRASILEIRA DE MASTOLOGIA ESCOLA BRASILEIRA DE MASTOLOGIA

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ INSTITUTO FERNANDES FIGUEIRA - IFF SOCIEDADE BRASILEIRA DE MASTOLOGIA ESCOLA BRASILEIRA DE MASTOLOGIA Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Instituto Fernandes Figueira Projeto Câncer de Mama e Genética MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ INSTITUTO FERNANDES FIGUEIRA - IFF SOCIEDADE BRASILEIRA

Leia mais

Declaro não haver nenhum conflito de interesse.

Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Declaro não haver nenhum conflito de interesse. Faculdade de Medicina do ABC Disciplina de Ginecologia Serviço do Prof. Dr. César Eduardo Fernandes Setor de Mastologia IVO CARELLI FILHO Maior dilema da

Leia mais

SEXTA FEIRA 04/03/2016. 8h30 - RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA APÓS RECIDIVA LOCAL EM CIRURGIA CONSERVADORA. Fabrício Brenelli - SP

SEXTA FEIRA 04/03/2016. 8h30 - RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA APÓS RECIDIVA LOCAL EM CIRURGIA CONSERVADORA. Fabrício Brenelli - SP Fortaleza - Ceará Sociedade Brasileira de Mastologia Sociedade Brasileira de Mastologia Regional Ceará 04 e 05 de Março de 2016 - Hotel Luzeiros Fortaleza Ceará ABERTURA Presidente do Congresso - Ércio

Leia mais

RM MAMÁRIA: quando indicar?

RM MAMÁRIA: quando indicar? RM MAMÁRIA: quando indicar? Lucio De Carli Serviço de Diagnóstico por Imagem da Mama Hospital Mãe de Deus SSMD Porto Alegre/RS e-mail: luciodc@terra.com.br RM MAMÁRIA - indicações - Incoerência EF x MG

Leia mais

PATOLOGIA DA MAMA. Ana Cristina Araújo Lemos

PATOLOGIA DA MAMA. Ana Cristina Araújo Lemos PATOLOGIA DA MAMA Ana Cristina Araújo Lemos Freqüência das alterações mamárias em material de biópsia Alteração fibrocística 40% Normal 30% Alterações benignas diversas 13% Câncer 10% Fibroadenoma

Leia mais

Sexta-Feira (13.03.2015)

Sexta-Feira (13.03.2015) Sexta-Feira (13.03.2015) 8:00 - Abertura - Dr. Ércio Ferreira Gomes (Presidente do Congresso) 8:30 - Conferência - rastreamento do cancer de mama após 40 anos: devemos fazer? Presidente: Dr. Luis Porto

Leia mais

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS:

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que

Leia mais

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto Introdução É realizada a avaliação de um grupo de pacientes com relação a sua doença. E através dele

Leia mais

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA

13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 O PROJETO DE EXTENSÃO CEDTEC COMO GERADOR DE FERRAMENTAS PARA A PESQUISA EM CÂNCER DE MAMA 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO OS TIPOS DE CANCER DE MAMA O câncer de mama ocorre quando as células deste órgão passam a se dividir e se reproduzir muito rápido e de forma

Leia mais

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS SELMA DI PACE BAUAB Radiologista da Mama Imagem São José do Rio Preto - SP CASO 1 55 anos. Assintomática TOMOSSÍNTESE LESÃO EPITELIAL ESCLEROSANTE (Cicatriz Radial)

Leia mais

BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA

BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA Breast Imaging Reporting and Data System Dr Marconi Luna Doutor em Medicina UFRJ Ex-Presidente da SBM Breast Imaging Reporting and Data

Leia mais

PROGRAMA DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA EM MULHERES DA REGIÃO DO CARIRI OCIDENTAL, ESTADO DA PARAÍBA

PROGRAMA DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA EM MULHERES DA REGIÃO DO CARIRI OCIDENTAL, ESTADO DA PARAÍBA PROGRAMA DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA EM MULHERES DA REGIÃO DO CARIRI OCIDENTAL, ESTADO DA PARAÍBA Eulina Helena Ramalho de Souza 1 Telma Ribeiro Garcia 2 INTRODUÇÃO O câncer de mama é uma neoplasia

Leia mais

RIO. Agenda Novembro 27 e 28, 2015 Hotel Windsor Atlantica Copacabana - RJ - Brasil. Simpósio Internacional de Mastologia REALIZAÇÃO

RIO. Agenda Novembro 27 e 28, 2015 Hotel Windsor Atlantica Copacabana - RJ - Brasil. Simpósio Internacional de Mastologia REALIZAÇÃO RIO Simpósio Internacional de Mastologia Agenda Novembro 27 e 28, 2015 Hotel Windsor Atlantica Copacabana - RJ - Brasil REALIZAÇÃO PRESIDENTE do SIM Rio 2015 Prof. Dr. Roberto José da Silva Vieira Comissão

Leia mais

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015 Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015 Amélia Estevão 10.05.2015 Objetivo: Investigar a vantagem da utilização da RM nos diferentes tipos de lesões diagnosticadas na mamografia e ecografia classificadas

Leia mais

CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias. Rossano Araújo

CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias. Rossano Araújo CÂNCER DE MAMA PREVENÇÃO TRATAMENTO - CURA Novas estratégias Rossano Araújo Papiro do Edwin Smith (Egito, 3.000-2.500 A.C.) Papiro Edwin Smith (Egito, 3000 2500 A.C.) Tumores Protuberantes da Mama Se você

Leia mais

1ª Edição do curso de formação em patologia e cirurgia mamária. Programa detalhado

1ª Edição do curso de formação em patologia e cirurgia mamária. Programa detalhado 15.6.2012 MÓDULO 1 - Mama normal; Patologia benigna; Patologia prémaligna; Estratégias de diminuição do risco de Cancro da Mama. 1 1 Introdução ao Programa de Formação 9:00 9:15 1 2 Embriologia, Anatomia

Leia mais

Marília Ávila Acioly 1 ; Maria do Carmo Carvalho de Abreu e Lima 2

Marília Ávila Acioly 1 ; Maria do Carmo Carvalho de Abreu e Lima 2 ESTUDO CLÍNICO-PATOLÓGICO E IMUNOHISTOQUÍMICO DO CÂNCER DE MAMA EM MULHERES JOVENS DIAGNOSTICADAS E TRATADAS NO HOSPITAL DE CÂNCER DE PERNAMBUCO NO PERÍODO DE 1996 A 2006. Marília Ávila Acioly 1 ; Maria

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011

Agenda. Nódulo da Tireóide. Medicina Nuclear. Medicina Nuclear em Cardiologia 17/10/2011 Agenda Medicina Nuclear Endocrinologia Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com O objetivo desta aula é abordar a Medicina nuclear em endocrinologia (notadamente aplicações Câncer de Tireóide).

Leia mais

8 e 9 de agosto Hotel Unique

8 e 9 de agosto Hotel Unique PROGRAMA 8 e 9 de agosto Hotel Unique Organizadores Alfredo Carlos S. D. Barros Comissão científica Felipe Eduardo M. Andrade Max Mano Ricardo Marques Heloísa Carvalho Andrade Vera Aguillar Marcelo M.

Leia mais

Caso Clínico para Site SBM

Caso Clínico para Site SBM Caso Clínico para Site SBM 18/03/13 Primeira consulta Paciente 35 anos Feminino Parda Casada Brasileira Natural de Pacatuba-CE Queixa Principal: Nódulo doloroso em MAMA DIREITA há 2 meses. Refere Ultrasonografia

Leia mais

Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT. Segundo diretrizes ANS

Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT. Segundo diretrizes ANS Diretrizes ANS para realização do PET Scan / PET CT Segundo diretrizes ANS Referencia Bibliográfica: Site ANS: http://www.ans.gov.br/images/stories/a_ans/transparencia_institucional/consulta_despachos_poder_judiciari

Leia mais

O que é o câncer de mama?

O que é o câncer de mama? O que é o câncer de mama? As células do corpo normalmente se dividem de forma controlada. Novas células são formadas para substituir células velhas ou que sofreram danos. No entanto, às vezes, quando células

Leia mais

Tratamento Conservador do Cancro da Mama

Tratamento Conservador do Cancro da Mama Hospital Prof. Doutor Fernando da Fonseca Sessão Clínica Serviço de Ginecologia Diretora de Departamento: Dra. Antónia Nazaré Diretor de Serviço: Dr. Silva Pereira Tratamento Conservador do Cancro da Mama

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama

Diretrizes Assistenciais. Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Diretrizes Assistenciais Protocolo de Conduta da Assistência Médico- Hospitalar - Mama Versão eletrônica atualizada em Novembro 2008 Protocolo de Conduta da Assistência Médico-Hospitalar Objetivos: - manuseio

Leia mais

DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA

DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA RESSONÂNCIA NUCLEAR MAGNÉTICA DAS MAMAS DETECÇÃO, DIAGNÓSTICO E ESTADIAMENTO DO CÂNCER DE MAMA A crescente experiência com a Ressonância Nuclear Magnética (RNM) vem trazendo dúvidas pertinentes quanto

Leia mais

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante.

Analisar a sobrevida em cinco anos de mulheres. que foram submetidas a tratamento cirúrgico, rgico, seguida de quimioterapia adjuvante. Estudo de sobrevida de mulheres com câncer de mama não metastático tico submetidas à quimioterapia adjuvante Maximiliano Ribeiro Guerra Jane Rocha Duarte Cintra Maria Teresa Bustamante Teixeira Vírgilio

Leia mais

Dra Adriana de Freitas Torres

Dra Adriana de Freitas Torres Dra Adriana de Freitas Torres 2020 15 milhões de novos casos 12 milhões de mortes 2002 10 milhões de casos novos 6 milhões de mortes Mundo cerca 1 milhão de novos casos de CM Fonte: União Internacional

Leia mais

Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P.

Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P. Apresentação de Caso Clínico L.E.M.D.A.P. De Oliveira,J.V.C¹; SILVA, M.T.B¹; NEGRETTI, Fábio². ¹Acadêmicas do curso de Medicina da UNIOESTE. ²Professor de Anatomia e Fisiologia Patológica da UNIOESTE.

Leia mais

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama Cancro da Mama O Cancro da Mama é um tumor maligno que se desenvolve nas células do tecido mamário. Um tumor maligno consiste num grupo de células alteradas (neoplásicas) que pode invadir os tecidos vizinhos

Leia mais

AVALIAÇÃO DE MORBIDADES E ATUAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA: ANÁLISE RETROSPECTIVA DE 2008 A 2012

AVALIAÇÃO DE MORBIDADES E ATUAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA: ANÁLISE RETROSPECTIVA DE 2008 A 2012 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA-UnB FACULDADE DE CEILÂNDIA-FCE CURSO DE FISIOTERAPIA DEBORAH COSTA TEIXEIRA PELUCIO SILVA AVALIAÇÃO DE MORBIDADES E ATUAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM MULHERES COM CÂNCER DE MAMA: ANÁLISE

Leia mais

macroscopia clivagem processamento inclusão - parafina coloração desparafinização microtomia bloco

macroscopia clivagem processamento inclusão - parafina coloração desparafinização microtomia bloco Patologia Cirúrgica macroscopia clivagem processamento inclusão - parafina coloração desparafinização microtomia bloco Exame Histopatológico Exame anatomopatológico é ATO MÉDICO! lâminas microscopia laudo

Leia mais

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 38/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 22/02/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 0112.14.001131-6 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA

EMENTA: Câncer urológico - Critérios de alta para pacientes com câncer CONSULTA PARECER Nº 2422/2013 CRM-PR PROCESSO CONSULTA N.º 11/2013 PROTOCOLO N. º 10115/2013 ASSUNTO: CRITÉRIOS DE ALTA DE SERVIÇOS DE CANCEROLOGIA PARECERISTA: CONS. JOSÉ CLEMENTE LINHARES EMENTA: Câncer urológico

Leia mais

Diagnóstico do câncer

Diagnóstico do câncer UNESC FACULDADES ENFERMAGEM - ONCOLOGIA FLÁVIA NUNES Diagnóstico do câncer Evidenciado: Investigação diagnóstica por suspeita de câncer e as intervenções de enfermagem no cuidado ao cliente _ investigação

Leia mais

ESTADIAMENTO. 1. Histórico

ESTADIAMENTO. 1. Histórico Curso de Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família 68 ESTADIAMENTO O estadiamento tem como objetivo agrupar pacientes segundo a extensão anatômica da doença. Essa normatização tem grande valia

Leia mais

O sistema TNM para a classificação dos tumores malignos foi desenvolvido por Pierre Denoix, na França, entre 1943 e 1952.

O sistema TNM para a classificação dos tumores malignos foi desenvolvido por Pierre Denoix, na França, entre 1943 e 1952. 1 SPCC - Hospital São Marcos Clínica de Ginecologia e Mastologia UICC União Internacional Contra o Câncer - TNM 6ª edição ESTADIAMENTO DOS TUMORES DE MAMA HISTÓRIA DO TNM O sistema TNM para a classificação

Leia mais

4 Encontro de Enfermagem Ginecológica do Estado do Rio de Janeiro

4 Encontro de Enfermagem Ginecológica do Estado do Rio de Janeiro 4 Encontro de Enfermagem Ginecológica do Estado do Rio de Janeiro Afecções Oncológicas nas Mamas Enfª Giselle G. Borges Epidemiologia (BRASIL, 2012) Anatomia da mama (estruturas) Linfonodos Fisiologia

Leia mais

1 dia 15/09/11. 8:30 8:50 CIRURGIA CONSERVADORA PÓS-QT NEOADJUVANTE: Técnica cirúrgica e pacientes elegíveis Dra. Márcia Freitas Mastologista ICC (CE)

1 dia 15/09/11. 8:30 8:50 CIRURGIA CONSERVADORA PÓS-QT NEOADJUVANTE: Técnica cirúrgica e pacientes elegíveis Dra. Márcia Freitas Mastologista ICC (CE) 1 dia 15/09/11 8:00 8:30 ABERTURA DO EVENTO Dr. Carlos Alberto Ruiz Presidente da SBM Dra. Ana Gabriela Oliveira Presidente da SBM-MA Dra. Maria Helena Pestana - Presidente da SOGIMA Dr. Ruffo de Freitas

Leia mais

QUANDO PEDIR SEGUNDA OPINIÃO OU REPETIR IHQ? QUAL O MÍNIMO DE INFORMAÇÕES QUE O ONCOLOGISTA DEVE DEMANDAR? Dr. Carlos E. Bacchi Patologia 1

QUANDO PEDIR SEGUNDA OPINIÃO OU REPETIR IHQ? QUAL O MÍNIMO DE INFORMAÇÕES QUE O ONCOLOGISTA DEVE DEMANDAR? Dr. Carlos E. Bacchi Patologia 1 QUANDO PEDIR SEGUNDA OPINIÃO OU REPETIR IHQ? QUAL O MÍNIMO DE INFORMAÇÕES QUE O ONCOLOGISTA DEVE DEMANDAR? Dr. Carlos E. Bacchi Patologia 1 QUANDO PEDIR SEGUNDA Dr. Ira Bleiweiss of Mount Sinai OPINIÃO

Leia mais

ORGANIZATION. 9 th June PRESIDENT ORGANIZING COMMITTEE. Noble Room of Hospital de Santo António. 17h00 Opening Ceremony and Welcome Reception

ORGANIZATION. 9 th June PRESIDENT ORGANIZING COMMITTEE. Noble Room of Hospital de Santo António. 17h00 Opening Ceremony and Welcome Reception PROGRAMME ORGANIZATION 9 th June Noble Room of Hospital de Santo António 17h00 Opening Ceremony and Welcome Reception Presidential Address () It was a long way (Donzília Sousa Silva) HEPATOBILIOPANCREATIC

Leia mais

Eduardo Henrique Laurindo de Souza Silva¹, João Ricardo Auller Paloschi 1, José Roberto de Fígaro Caldeira 1, Ailton Joioso 1

Eduardo Henrique Laurindo de Souza Silva¹, João Ricardo Auller Paloschi 1, José Roberto de Fígaro Caldeira 1, Ailton Joioso 1 ARTIGO ORIGINAL DOI: 0.527/Z2050002000RBM Estudo comparativo de resposta à quimioterapia neoadjuvante em dose total, entre câncer de mama e metástase axilar, conforme resultados de imunoistoquímica, no

Leia mais

O Novo BI-RADS. Introdução. MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM.

O Novo BI-RADS. Introdução. MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM. 1 O Novo BI-RADS MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM. Introdução No Congresso Americano de Radiologia em dezembro de 2003 (RSNA) em Chicago foi divulgado a 4ª edição do BI-RADS (Breast

Leia mais

André Salazar e Marcelo Mamede CANCER PATIENTS: CORRELATION WITH PATHOLOGY. Instituto Mário Penna e HC-UFMG. Belo Horizonte-MG, Brasil.

André Salazar e Marcelo Mamede CANCER PATIENTS: CORRELATION WITH PATHOLOGY. Instituto Mário Penna e HC-UFMG. Belo Horizonte-MG, Brasil. F-FDG PET/CT AS A PREDICTOR OF INVASIVENESS IN PENILE CANCER PATIENTS: CORRELATION WITH PATHOLOGY André Salazar e Marcelo Mamede Instituto Mário Penna e HC-UFMG. Belo Horizonte-MG, Brasil. 2014 CÂNCER

Leia mais

A Importância na Identificação dos Fatores de Risco para Prevenção do Câncer de Mama

A Importância na Identificação dos Fatores de Risco para Prevenção do Câncer de Mama A Importância na Identificação dos Fatores de Risco para Prevenção do Câncer de Mama Felipe A. de A. Souza Universidade Severino Sombra,Acd. de medicina faandrades@hotmail.com Juliana L. Fernandes Universidade

Leia mais

30/05/2016 DISTORÇÃO ARQUITETURAL DISTORÇÃO ARQUITETURAL. DÚVIDAS DO DIA-A-DIA DISTORÇÃO ARQUITETURAL e ASSIMETRIAS Como vencer este desafio?

30/05/2016 DISTORÇÃO ARQUITETURAL DISTORÇÃO ARQUITETURAL. DÚVIDAS DO DIA-A-DIA DISTORÇÃO ARQUITETURAL e ASSIMETRIAS Como vencer este desafio? finas linhas ou espículas irradiando-se de um ponto DÚVIDAS DO DIA-A-DIA e ASSIMETRIAS Como vencer este desafio? retração focal, distorção ou retificação da porção anterior ou posterior do parênquima BI-RADS

Leia mais

Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias Cirurgia do Aparelho Digestivo Departamento de Cirurgia UFPR - HC

Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias Cirurgia do Aparelho Digestivo Departamento de Cirurgia UFPR - HC DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DOS NÓDULOS HEPÁTICOS BENIGNOS Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias Cirurgia do Aparelho Digestivo Departamento de Cirurgia UFPR - HC DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DOS NÓDULOS HEPÁTICOS

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RS PORTARIA 13/2014 PORTARIA 13/2014 Dispõe sobre os parâmetros do exame PET-CT Dedicado Oncológico. O DIRETOR-PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL-IPERGS, no uso de suas atribuições conferidas

Leia mais

Numeração Única: 112.13.008257-4 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA

Numeração Única: 112.13.008257-4 TEMA: TAMOXIFENO NO TRATAMENTO ADJUVANTE DO CANCER DE MAMA NT 209/2013 Solicitante: Dra. Renata Abranches Perdigão do JESP da Fazenda Pública de Campo Belo Data: 01/11/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Numeração Única: 112.13.008257-4 TEMA: TAMOXIFENO

Leia mais

Protocolo para Tratamento de Carcinoma Diferenciado de Tireoide

Protocolo para Tratamento de Carcinoma Diferenciado de Tireoide Protocolo para Tratamento de Carcinoma Diferenciado de Tireoide Serviços de Endocrinologia e Medicina Nuclear do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco Apresentadora: Maíra Melo da

Leia mais

I Curso Internacional Pre -Congresso de Imaginologia Mama ria. 1st International Breast Imaging Pre-conference Course. 15 de maio de 2014

I Curso Internacional Pre -Congresso de Imaginologia Mama ria. 1st International Breast Imaging Pre-conference Course. 15 de maio de 2014 I Curso Internacional Pre -Congresso de Imaginologia Mama ria 1st International Breast Imaging Pre-conference Course 15 de maio de 2014 Declaração de conflitos de interesse Resolução RDC n.º 96/08 Nunca

Leia mais

MALE BREAST DISEASE: PICTORIAL REVIEW

MALE BREAST DISEASE: PICTORIAL REVIEW MALE BREAST DISEASE: PICTORIAL REVIEW WITH RADIOLOGIC- PATHOLOGIC CORRELATION 1 CHERI NGUYEN, MD MARK D. KETTLER, MD MICHAEL E. SWIRSKY, MD VIVIAN I. MILLER, MD CALEB SCOTT, MD RHETT KRAUSE, MD JENNIFER

Leia mais

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 5 Amélia. Fundamentação Teórica: Câncer de mama e mastalgia

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 5 Amélia. Fundamentação Teórica: Câncer de mama e mastalgia CASO COMPLEXO 5 Amélia : Maria Cristina Gabrielloni O câncer de mama é o mais frequentemente diagnosticado e a principal causa de morte por câncer em mulheres em todo o mundo: 23% (1.380.000) do total

Leia mais

Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes

Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes Desigualdades no Acesso à Tecnologia: Relevância para Grupos de Pacientes Capacitação ACS /FEMAMA 2012 Eduardo Cronemberger Oncologia em 120 anos Willian Halsted Aqui está minha sequencia! Mastectomia

Leia mais

vulva 0,9% ovário 5,1%

vulva 0,9% ovário 5,1% endométrio 12,3% ovário 5,1% vulva 0,9% colo uterino 13,3% câncer de mama 68,4% Maior incidência nas mulheres acima de 60 anos ( 75% ) Em 90% das mulheres o primeiro sintoma é o sangramento vaginal pós-menopausa

Leia mais

SISMAMA. Informação para o avanço das ações de controle do câncer de mama no Brasil. Qual a situação do câncer de mama no Brasil? O que é o SISMAMA?

SISMAMA. Informação para o avanço das ações de controle do câncer de mama no Brasil. Qual a situação do câncer de mama no Brasil? O que é o SISMAMA? SISMAMA Informação para o avanço das ações de controle do câncer de mama no Brasil Este informe apresenta os primeiros dados do SISMAMA - Sistema de Informação do Câncer de Mama, implantado nacionalmente

Leia mais

Projeto Amazona: Desfechos Clínicos de Pacientes Públicos e Privados

Projeto Amazona: Desfechos Clínicos de Pacientes Públicos e Privados Projeto Amazona: Desfechos Clínicos de Pacientes Públicos e Privados Pedro E. R. Liedke Grupo Brasileiro de Estudos do Câncer de Mama; Serviço de Oncologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre; Instituto

Leia mais

residência mastologia

residência mastologia residência RESIDÊNCIA Médica em mastologia CADERNO DO CURSO Reprodução autorizada pelo autor somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino, não sendo autorizada sua reprodução para quaisquer

Leia mais

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande,

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande, Cancêr de Mama: É a causa mais frequente de morte por câncer na mulher, embora existam meios de detecção precoce que apresentam boa eficiência (exame clínico e auto-exame, mamografia e ultrassonografia).

Leia mais

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 59 Outubro 2014. O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo?

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 59 Outubro 2014. O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo? NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 59 Outubro 2014 O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo? O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo? AUTORA Dra. Patrícia

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 MARCELA BENEVENTE [1], LUCIANA MOURA CAMPOS PARDINI [2], ADRIANA CAMARGO FERRASI [1,3], MARIA INES DE MOURA CAMPOS PARDINI [3], ALINE FARIA GALVANI [3], JOSE JOAQUIM TITTON RANZANI [2] 1. Instituto de

Leia mais

Parecer do Grupo de Avaliação de Tecnologias em Saúde GATS 25/07

Parecer do Grupo de Avaliação de Tecnologias em Saúde GATS 25/07 Parecer do Grupo de Avaliação de Tecnologias em Saúde GATS 25/07 Tema: Linfonodo sentinela no câncer de mama I Data: 27/09/2007 II Grupo de Estudo: Izabel Cristina Alves Mendonça; Célia Maria da Silva;

Leia mais

Tumor carcinoide de duodeno: um tumor raro em local incomum. Série de casos de uma única instituição

Tumor carcinoide de duodeno: um tumor raro em local incomum. Série de casos de uma única instituição Tumor carcinoide de duodeno: um tumor raro em local incomum. Série de casos de uma única instituição Jaques Waisberg- Orientador do Programa de Pós Graduação do Instituto de Assistência Médica ao Servidor

Leia mais

CURSOS PRÉ-CONGRESSO 9. OUTUBRO

CURSOS PRÉ-CONGRESSO 9. OUTUBRO CURSOS PRÉ-CONGRESSO 9. OUTUBRO CURSO PRÉ-CONGRESSO 1 09h00-16h00 09h00-10h45 10h45-11h00 11h00-12h30 12h30-13h00 ABC DA SENOLOGIA Organização e coordenação: José Carlos Marques, IPO Lisboa Curso destinado

Leia mais

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo

CÂnCER DE EnDOMéTRIO. Estados anovulatórios (ex: Síndrome dos ovários policísticos) Hiperadrenocortisolismo CAPÍTULO 3 CÂnCER DE EnDOMéTRIO O Câncer de endométrio, nos Estados Unidos, é o câncer pélvico feminino mais comum. No Brasil, o câncer de corpo de útero perde em número de casos apenas para o câncer de

Leia mais

Key Words: câncer de mama, quimioterapia neoadjuvante, quimioterapia, resposta patológica, carbopaltina.

Key Words: câncer de mama, quimioterapia neoadjuvante, quimioterapia, resposta patológica, carbopaltina. Alta taxa de resposta completa patológica (prc) em câncer de mama triplo negativo após quimioterapia neoadjuvante sequencial Augusto Ribeiro GABRIEL, MD* Ruffo de FREITAS JÚNIOR, MD, PhD* * Programa de

Leia mais

VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA

VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA PIBIC-UFU, CNPq & FAPEMIG Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA Gabriel Jara

Leia mais

ESTUDO RETROSPECTIVO DOS TUMORES MAMÁRIOS EM CANINOS E FELINOS ATENDIDOS NO HOSPITAL VETERINÁRIO DA FAMED ENTRE 2003 A 2007.

ESTUDO RETROSPECTIVO DOS TUMORES MAMÁRIOS EM CANINOS E FELINOS ATENDIDOS NO HOSPITAL VETERINÁRIO DA FAMED ENTRE 2003 A 2007. REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA - ISSN 1679-7353 PUBLICAÇÃO CI ENTÍFICA DA FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA DE GARÇA/FAMED ANO IV, NÚMERO, 08, JANEIRO DE 2007. PERIODICIDADE:

Leia mais

Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas.

Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas. Perguntas que pode querer fazer Pode ser difícil para si compreender o seu relatório patológico. Pergunte ao seu médico todas as questões que tenha e esclareça todas as dúvidas. Estas são algumas perguntas

Leia mais

ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR PERSONALIZADA DO CÂNCER DE MAMA

ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR PERSONALIZADA DO CÂNCER DE MAMA ONCOCLÍNICAS DO BRASIL & DANA-FARBER/HARVARD CANCER CENTER ABORDAGEM MULTIDISCIPLINAR PERSONALIZADA DO CÂNCER DE MAMA TIVOLI SÃO PAULO MOFARREJ - BRASIL 07 e 08 de Fevereiro de 2014 COMISSÃO CIENTÍFICA

Leia mais

Lung Cancer. Risk Factors

Lung Cancer. Risk Factors Lung Cancer The lungs are the organs that help us breathe. They help to give oxygen to all the cells in the body. Cancer cells are abnormal cells. Cancer cells grow and divide more quickly than healthy

Leia mais

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Avaliação genética e tratamentos preventivos

Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Avaliação genética e tratamentos preventivos Os Trabalhos/Abstracts mais Relevantes em Avaliação genética e tratamentos preventivos Simône Noronha Hospital São José São Paulo - Brasil Índice: Radioterapia no câncer de mama hereditário (Revisão) Perfil

Leia mais

A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO

A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO GUIZELINI, L.H.; PEREIRA, N.T.C. RESUMO A mastectomia pode

Leia mais

Tumores mamários em cadelas

Tumores mamários em cadelas Novos Exames Estamos colocando a disposição de todos o Teste de Estimulação ao ACTH que é usado para identificar e acompanhar o tratamento do hipoadenocorticismo e hiperadrenocorticismo em cães e gatos.

Leia mais

UNIDADE DA MAMA DO HOSPITAL NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS EDITAL - CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MASTOLOGIA- 2016

UNIDADE DA MAMA DO HOSPITAL NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS EDITAL - CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MASTOLOGIA- 2016 UNIDADE DA MAMA DO HOSPITAL NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS EDITAL - CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MASTOLOGIA- 2016 O Serviço de Mastologia do Hospital Nossa Senhora das Graças, vem por meio deste edital, tornar

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS ULTRASSONOGRAFIA MAMÁRIA

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS ULTRASSONOGRAFIA MAMÁRIA Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS ULTRASSONOGRAFIA MAMÁRIA 2013 Observações a serem consideradas no preenchimento de todas as solicitações de Exames disponibilizados

Leia mais

www.sohcierj.org.br Prezados Colega,

www.sohcierj.org.br Prezados Colega, www.sohcierj.org.br Prezados Colega, Está se aproximando a data do 13º Simpósio de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista da Sociedade de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Estado do Rio

Leia mais

HISTÓRIA NATURAL DOS TIPOS RAROS DE CÂNCER DE MAMA

HISTÓRIA NATURAL DOS TIPOS RAROS DE CÂNCER DE MAMA HISTÓRIA NATURAL DOS TIPOS RAROS DE CÂNCER DE MAMA Carcinomas Profª. Dra. Maria do Carmo Assunção Carcinoma tipo basal Grau 3 CK14 & CK5 = Positivo P63 pode ser positivo (mioepitelial) Triplo negativo

Leia mais

NOVO CONSENSO BRASILEIRO DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA POR MÉTODOS DE IMAGEM DR. HEVERTON AMORIM

NOVO CONSENSO BRASILEIRO DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA POR MÉTODOS DE IMAGEM DR. HEVERTON AMORIM NOVO CONSENSO BRASILEIRO DE RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA POR MÉTODOS DE IMAGEM DR. HEVERTON AMORIM Qual é a situação do câncer de mama? Pode ser prevenido? Como prevenir? Qual o papel da mamografia?

Leia mais

Frequência de Realização do Autoexame das Mamas e Mamografia na Detecção de Nódulos em Mulheres de Baixa Renda na População Sul Fluminense

Frequência de Realização do Autoexame das Mamas e Mamografia na Detecção de Nódulos em Mulheres de Baixa Renda na População Sul Fluminense Frequência de Realização do Autoexame das Mamas e Mamografia na Detecção de Nódulos em Mulheres de Baixa Renda na População Sul Fluminense Bartira de Godoy Maranhão Santos, Simone Carrijo Santos, Ana Taíse

Leia mais

EPIDEMIOLÓGICO BOLETIM ELETRÔNICO. Câncer de Mama

EPIDEMIOLÓGICO BOLETIM ELETRÔNICO. Câncer de Mama BOLETIM ELETRÔNICO EPIDEMIOLÓGICO G E R E N C I A E X E C U T I V A D E V I G I L Â N C I A E M S A Ú D E ANO 1, Nº 1 EXPEDIENTE: Novembro de 27 GOVERNADOR DO ESTADO Cássio Cunha Lima SECRETÁRIO DE ESTADO

Leia mais

Declaro não haver nenhum conflito de interesse

Declaro não haver nenhum conflito de interesse Declaro não haver nenhum conflito de interesse Universidade Federal de Uberlândia Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Serviços de Mastologia e Ultrassonografia Avaliação pelo Ultrassom Doppler da

Leia mais

Relação entre as características ecográficas de um nódulo tiroideu e a sua benignidade/malignidade

Relação entre as características ecográficas de um nódulo tiroideu e a sua benignidade/malignidade Relação entre as características ecográficas de um nódulo tiroideu e a sua benignidade/malignidade Análise de 203 nódulos tiroideus do Hospital Geral de Coimbra Oliveira, C.M.; Costa, R.A.; Estêvão, A.;

Leia mais

25/11 - SEXTA-FEIRA. Sala/Horário SALA RITZ SALA CC1 SALA CC2

25/11 - SEXTA-FEIRA. Sala/Horário SALA RITZ SALA CC1 SALA CC2 I CONGRESSO SUL-SUDESTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA ONCOLÓGICA VI JORNADA DE ONCOLOGIA DO CEPON 25 e 26 de Novembro de 2016 Centro de Convenções - Majestic Palace Hotel - Florianópolis - SC PROGRAMAÇÃO

Leia mais

Bioestatística. Organização Pesquisa Médica. Variabilidade. Porque existe variabilidades nos fenômenos naturais? Fontes de variação:

Bioestatística. Organização Pesquisa Médica. Variabilidade. Porque existe variabilidades nos fenômenos naturais? Fontes de variação: Bioestatística Lupércio F. Bessegato & Marcel T. Vieira UFJF Departamento de Estatística 2010 Organização Pesquisa Médica Variabilidade Porque existe variabilidades nos fenômenos naturais? Fontes de variação:

Leia mais

Diretrizes Assistenciais

Diretrizes Assistenciais Diretrizes Assistenciais Protocolo de tratamento adjuvante e neoadjuvante do câncer de mama Versão eletrônica atualizada em Fevereiro 2009 Tratamento sistêmico adjuvante A seleção de tratamento sistêmico

Leia mais

O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO

O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio. Maria de Fátima Dias Gaui CETHO O Que solicitar no estadiamento estádio por estádio Maria de Fátima Dias Gaui CETHO Introdução Objetivo: Definir a extensão da doença: Estadiamento TNM (American Joint Committee on Cancer ). 1- Avaliação

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA CLASSIFICAÇÕES DO SEGUNDO TESTE E DA AVALIAÇÃO CONTINUA Classificações Classificação Final Alex Santos Teixeira 13 13 Alexandre Prata da Cruz 10 11 Aleydita Barreto

Leia mais

OS PRINCIPAIS FATORES DE RISCO REFERENTES AO CÂNCER DE MAMA ENTRE AS PACIENTES SUBMETIDAS À CIRURGIA, NO PERÍODO DE 01 DE

OS PRINCIPAIS FATORES DE RISCO REFERENTES AO CÂNCER DE MAMA ENTRE AS PACIENTES SUBMETIDAS À CIRURGIA, NO PERÍODO DE 01 DE OS PRINCIPAIS FATORES DE RISCO REFERENTES AO CÂNCER DE MAMA ENTRE AS PACIENTES SUBMETIDAS À CIRURGIA, NO PERÍODO DE 01 DE AGOSTO DE 2002 A 01 DE AGOSTO DE 2003, NO HOSPITAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DE

Leia mais

Módulo: Câncer de Rim Localizado

Módulo: Câncer de Rim Localizado Módulo: Câncer de Rim Localizado Caso 1 CAL, 56 anos, masculino Paciente médico, obeso (IMC = 41; peso 120 kg) Antecedentes clínicos: nefrolitíase Antecedentes cirúrgicos: Laparotomia mediana por divertículo

Leia mais

BIOÉTICA E ÉTICA MÉDICA

BIOÉTICA E ÉTICA MÉDICA BIOÉTICA E ÉTICA MÉDICA CIDES EXT. TELEFONE Direção - Doutor Rui Nunes 26845 220426845 Lic. Filipa Santos (Secretariado) 26840 220426840 Doutora Guilhermina Rego 26844 220426844 Mestre Ivone Duarte 26841

Leia mais

Os Mais Importantes Estudos de Quimioterapia Neo-adjuvante. O que ha de novo?

Os Mais Importantes Estudos de Quimioterapia Neo-adjuvante. O que ha de novo? Os Mais Importantes Estudos de Quimioterapia Neo-adjuvante O que ha de novo? Carlos H. Barrios Professor, PUCRS School of Medicine Director, Oncology Research Center, Hospital São Lucas Director, Instituto

Leia mais

Auditoria. Câncer de mama Dr. Luiz Antonio Carvalho

Auditoria. Câncer de mama Dr. Luiz Antonio Carvalho Auditoria Câncer de mama Dr. Luiz Antonio Carvalho Coordenadoria de Regiões de Saúde Grupo Normativo de Auditoria e Controle de Saúde Auditoria de Assistência em Oncologia MAMA Agosto/2010 OLHAR DO AUDITOR

Leia mais