Pesquisa Econômica Perspectivas Econômicas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pesquisa Econômica Perspectivas Econômicas"

Transcrição

1 Pesquisa Econômica Perspectivas Econômicas Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Janeiro 2017

2 Roteiro Internacional Forte crescimento global em meio a riscos políticos O crescimento do PIB global deverá acelerar para 3,6% este ano, de 3,1% em Pesquisas de confiança empresarial indicam riscos de alta para essa projeção; Com uma perspectiva econômica mais forte, as taxas de juros nos países desenvolvidos devem subir. Esperamos agora que o Fed implemente três aumentos dos juros em 2017 (dois anteriormente) e quatro aumentos em 2018; Os principais riscos no momento são as mudanças de política econômica nos EUA, as eleições e o Brexit, na Europa; A China também apresenta riscos, mas antecipamos um ambiente de crescimento estável no 1T17. Brasil Inflação em queda abre espaço para antecipação do ciclo de corte de juros A atividade econômica desapontou, mas os fundamentos de demanda seguem estáveis. Revisamos o crescimento de 2017 para 1% (antes, 1,5%) devido ao carrego estatístico, mas mantemos 4% em 2018; Revisamos a taxa de câmbio para 3,50 reais por dólar no fim de 2017 e 2018; A inflação segue em queda. Esperamos agora o IPCA em 4,7% em 2017, e em 4,0% em 2018; O Banco Central antecipou o corte de juros. Projetamos Selic em 9,75% em 2017, e 8,5% em 2018.

3 Economia global: nossas projeções Mundo 3,4 3,2 3,1 3,6 3,6 EUA 2,4 2,6 1,6 2,3 2,4 Zona do Euro 0,9 1,6 1,6 1,6 1,3 Japão 0,0 1,2 1,1 1,4 0,8 China 7,3 6,9 6,7 6,3 5,8 Fonte: Itaú Unibanco, Haver Analytics

4 Sinais de melhora na economia global A economia mundial terminou 2016 em boa forma. Esperamos que o crescimento do PIB global acelere para 3,6% este ano, de 3,1% em A aceleração deve ocorrer tanto nas economias desenvolvidas quanto nas emergentes; A inflação global também está subindo. Nosso índice de inflação global ponderado pelo PIB deve subir para 2,8% em 2017, de 2,4% em 2016, favorecido pela melhora dos preços de commodities. Notamos que algumas economias desenvolvidas, particularmente os EUA, também estão próximas do pleno emprego, antecipando estabilização do núcleo da inflação. PIB Global Crescimento anual e contribuição, % Desenvolvidos Emergentes PIB Global Inflação Global % Fonte: Bloomberg, FMI, Haver Analytics, Itaú Unibanco

5 1T15 2T15 3T15 4T15 1T16 2T16 3T16 4T16 1T17 2T17 3T17 4T17 1T18 2T18 3T18 4T18 EUA: Crescimento mais forte, taxas de juros mais elevadas, porém incerteza de política econômica O crescimento da economia dos EUA acelerou para 3,0%, em termos anualizados, no 2S16. Os índices de confiança dos empresários e consumidores indicam uma dinâmica positiva da demanda. Aumentamos nossa projeção de crescimento do PIB em 2017 para 2,3%, de 2,2%, e esperamos aceleração adicional para 2,4% em 2018; O crescimento mais forte e o aumento do investimento corporativo criam um risco de pressão salarial. Projetamos agora três aumentos dos juros pelo Fed em 2017, em vez de dois, e continuamos esperando quatro aumentos em 2018; Há incerteza em torno das medidas efetivas a serem adotadas pela nova administração, mas antecipamos a implementação de um conjunto moderado de políticas, porém com um impulso fiscal significativo. Crescimento do PIB %, anualizado 5.5% 4.5% 3.5% 2.5% 1.5% 0.5% -0.5% -1.5% -2.5% 1.6% 2.3% 2.4% Fonte: Itaú Unibanco, Haver Analytics Trimestral Anual

6 1T13 2T13 3T13 4T13 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 1T16 2T16 3T16 4T16 1T17 2T17 3T17 4T17 1T18 2T18 3T18 4T18 Europa: atividade resiliente em meio a riscos políticos Indicadores econômicos estão resilientes na Europa. A melhora das condições financeiras, a política fiscal ligeiramente expansionista e um ambiente externo mais ameno contribuem para um crescimento mais forte; Os riscos políticos, no entanto, permanecem no centro das atenções. Aumentamos nossa projeção do PIB para a zona do euro de 1,3% para 1,6% em 2017, e mantivemos nossa estimativa inalterada em 1,6% para Diante da probabilidade de os riscos políticos prejudicarem a confiança em 2018, projetamos uma desaceleração para 1,3% para o ano. Crescimento do PIB (Zona do euro) % anualizado 2.5% 2.0% 1.5% 1.6% 1.6% 1.3% 1.0% 0.5% 0.0% -0.5% -1.0% -1.5% Fonte: Itaú Unibanco, Bloomberg, Haver Analytics, Trimestral Anual

7 1T14 2T14 3T14 4T14 1T15 2T15 3T15 4T15 1T16 2T16 3T16 4T16 1T17 2T17 3T17 4T17 1T18 2T18 3T18 4T18 China: ambiente de crescimento estável no 1T17 O crescimento econômico deve permanecer estável no 1T17. A atividade econômica forte e a intervenção no mercado de câmbio provavelmente evitarão um novo choque como o ocorrido no início de 2016; Projetamos crescimento do PIB de 6,7% para 2016, 6,3% para 2017 e 5,8% para Crescimento do PIB %, anualizado 8.5% 8.0% 7.5% 7.0% 6.5% 6.0% 5.5% 5.0% 4.5% 4.0% 6.7% 6.3% 5.8% Trimestral Anual Fonte: Itaú Unibanco, NBS

8 LatAm: recuperação econômica adiada A atividade econômica na região ainda não está se recuperando, e nós reduzimos as projeções de crescimento em 2017 para Brasil, Colômbia, México e Peru. Mesmo enfrentando baixa popularidade e crescimento fraco, diversos governos estão adotando medidas de consolidação fiscal; Crescimento fraco e inflação baixa permitem que os bancos centrais da América do Sul embarquem em ciclos de flexibilização monetária. Assim, reduzimos nossas previsões para as taxas básicas de juros no Brasil e na Colômbia. No caso do México, agora esperamos altas de juros mais agressivas do que no cenário anterior. Os desequilíbrios externos da região estão diminuindo, com déficits menores em conta corrente. Fonte: Itaú Unibanco, Haver Analytics Déficits em conta corrente Acumulado em 4T, % PIB 0% -1% -2% -3% -4% -5% Brasil Chile -6% Peru Colômbia -7% México -8% Argentina jan-13 dez-13 nov-14 out-15 set-16

9 Latam: nossas projeções Peru México PIB - % PIB - % PEN / USD (Dez) MXN / USD (Dez) Taxa de juros - (Dez) - % Taxa de juros - (Dez) - % IPC IPC Colômbia Chile PIB - % PIB - % COP / USD (Dez) CLP / USD (Dez) Taxa de juros - (Dez) - % Taxa de juros - (Dez) - % IPC IPC Argentina PIB - % ARS / USD (Dez) Lebac 35 d (Dez) - % IPC - % (Buenos Aires) Fonte: Itaú Unibanco

10 Brasil: o que esperamos no curto prazo? Atividade econômica PIB (%) 0,1-3,8-3,3 1,0 4,0 Desemprego (%) Dezembro (PNAD cont.) 7,0 10,0 12,5 13,2 12,9 Inflação IPCA (%) 6,4 10,7 6,3 4,7 4,0 Política monetária Taxa SELIC (%) 11,75 14,25 13,75 9,75 8,50 Fiscal Superávit primário (% PIB) -0,6-1,9-2,6-2,2-1,6 Balança de pagamentos Câmbio (fim de período) 2,66 3,96 3,25 3,50 3,50 Conta corrente (% PIB) -4,3-3,3-1,2-1,5-2,1

11 2013.I 2013.II 2013.III 2013.IV 2014.I 2014.II 2014.III 2014.IV 2015.I 2015.II 2015.III 2015.IV 2016.I 2016.II 2016.III 2016.IV 2017.I 2017.II 2017.III 2017.IV 2018.I 2018.II 2018.III 2018.IV Revisamos nossa projeção de PIB para 1,0% em 2017 Dados desapontaram no curto prazo. Em novembro, houve tímido aumento na produção da indústria (0,2%), após uma contração de 1,2% em outubro. Além da decepção na produção industrial, outros setores mostraram resultado aquém do esperado no 4T16; Estimamos uma queda de 0,6% do PIB no quarto trimestre de 2016 ante o terceiro trimestre, após ajuste sazonal (antes, esperávamos estabilidade). Tudo o mais constante, a herança estatística para 2017 passará de -0,4% para -0,8%. Apesar dos dados mais fracos na margem, os fundamentos de demanda seguem estáveis; Dessa forma, estamos revisando nossa projeção de PIB de 2017 para 1,0% (antes, 1,5%), incorporando o carrego estatístico. Essa evolução do PIB na margem deve se estender ao longo de 2018, permitindo um crescimento de 4,0% no próximo ano. Produção Industrial Índice com ajuste sazonal, 2012=100 PIB trimestral Variação trimestral dessazonalizada % % % 0.8% 1.1% nov-06 nov-08 nov-10 nov-12 nov-14 nov-16 Fonte: Itaú Unibanco, IBGE 0.0% -1.0% -2.0% -3.0% Realizado Projeção -0.9% -2.3% -1.1% -0.8% -0.6%

12 Desemprego segue em alta Em dezembro, houve destruição líquida de 462 mil empregos formais (segundo dados da Caged), resultado melhor do que as expectativas. Em dados dessazonalizados, estimamos uma contração de 19 mil empregos, disseminada entre os setores. Apesar de quedas menores nos meses recentes, os resultados ainda são compatíveis com a alta do desemprego. Esperamos que a destruição mostre arrefecimento nos próximos meses, à medida que as retrações na atividade econômica se atenuem. A taxa de desemprego nacional atingiu 11,9% em novembro. A taxa livre de efeitos sazonais teve sua 24ª alta consecutiva ao passar de 12,1% para 12,3%. Com a atividade econômica crescendo menos que esperávamos anteriormente, projetamos que a taxa atingirá 13,2% ao fim de 2017 (antes, 12,2%). Taxa de desemprego %, com ajuste sazonal Criação de emprego formal (CAGED) Milhares, com ajuste sazonal dez-12 dez-13 dez-14 dez-15 dez-16 dez-17 Fonte: IBGE, Itaú Unibanco, FGV

13 Fiscal: foco continuará nas reformas em 2017 O teto para o crescimento dos gastos públicos valerá pelo primeiro ano. A emenda, conhecida como PEC do Teto dos Gastos, reverterá a tendência de aumento real ininterrupto do gasto público observada nos últimos 20 anos. A reforma da Previdência, fundamental para o cumprimento do teto dos gastos por um período prolongado, será apreciada pelo Congresso Nacional ao longo do primeiro semestre. As despesas com Previdência corresponderam a 40% do gasto primário total (8,0% do PIB) do governo federal em 2016 e aumentarão em termos reais nos próximos anos, devido ao envelhecimento da população Despesas com Previdência % do gasto primário do governo central 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% 65% 40% 50% Fonte: Itaú Unibanco, IBGE

14 Depreciação menos intensa do real O ambiente externo mais favorável para emergentes, com aumento dos preços de commodities e redução da aversão ao risco (que havia aumentado com o resultado das eleições americanas em novembro), ajuda a explicar a perda de força do dólar contra as diferentes moedas, entre elas o real; Revisamos nossa projeção de taxa de câmbio para 3,50 reais por dólar ao fim de 2017 (ante 3,60), e 3,50 reais por dólar ao fim de 2018 (ante 3,70 reais por dólar). Projetamos um cenário externo mais favorável para emergentes do que tínhamos anteriormente. Ainda assim, o aumento de juros nos EUA e a queda dos preços de commodities em relação aos patamares atuais justificam um câmbio mais depreciado do que o observado hoje. Taxa de Câmbio BRL/USD, final de período Déficit em conta corrente % PIB, anual % % 1% % -1% -2% -3% -1.4% -1.5% -2.1% % -5% Fonte: Itaú Unibanco, BCB

15 Projeções menores de inflação neste ano e em 2018 O IPCA subiu 0,30% em dezembro, resultado um pouco abaixo da nossa estimativa e da mediana das expectativas de mercado. Com isso, o índice encerrou o ano passado com variação de 6,3% após atingir 10,7% em 2015, bem abaixo do esperado há poucos meses e dentro do intervalo de tolerância da meta para a inflação; Para este ano, reduzimos a projeção para a inflação 4,8% para 4,7%. Os efeitos da menor inércia inflacionária e da revisão no cenário de câmbio mais do que compensaram o impacto de pressões de altas não antecipadas sobre os setores de transporte público e telefonia; Para 2018, reduzimos a projeção para a inflação de 4,2% para 4,0%. A redução foi motivada pelo cenário de câmbio e pela perspectiva de recuperação mais lenta do mercado de trabalho. Decomposição IPCA Variação em 12 meses 20% 18% 16% 14% 12% IPCA Livres (76%) Administrados (24%) 10% 8% 6% 4% 6.3% 4.7% 4.0% Fonte: Itaú Unibanco, IBGE 2% projeção 0% dez-11 dez-12 dez-13 dez-14 dez-15 dez-16 dez-17 dez-18

16 Juros menores em 2017 O Banco Central realizou outro corte de juros em sua reunião de política monetária de janeiro, desta vez de 0,75 p.p., levando a taxa Selic para 13,00%, em linha com nossa expectativa. Em nossa visão, o aumento do desemprego seguirá contribuindo com a queda da inflação e, desde que o ambiente externo não se torne mais incerto, isso deve permitir que o BC mantenha o novo ritmo de flexibilização da política monetária nas próximas reuniões. Projetamos dois cortes de 0,75 p.p. nas reuniões de fevereiro e de abril. Revisamos nossa projeção para a taxa Selic no fim de 2017 para 9,75% (10%, anteriormente), devido ao cenário inflacionário mais benigno que o antecipado Selic % p.a. 15% 14% 13% 12% 11% 10% 9% 8% 13.75% 9.75% 7% % Fonte: Itaú Unibanco, Bloomberg Projeção equipe econômica Itaú Apreçamento da SELIC implícito na curva de DI futuro

17 Conclusão Internacional Forte crescimento global em meio a riscos políticos O crescimento do PIB global deverá acelerar para 3,6% este ano, de 3,1% em Pesquisas de confiança empresarial indicam riscos de alta para essa projeção; Com uma perspectiva econômica mais forte, as taxas de juros nos países desenvolvidos devem subir. Esperamos agora que o Fed implemente três aumentos dos juros em 2017 (dois anteriormente) e quatro aumentos em 2018; Os principais riscos no momento são as mudanças de política econômica nos EUA, as eleições e o Brexit, na Europa; A China também apresenta riscos, mas antecipamos um ambiente de crescimento estável no 1T17. Brasil Inflação em queda abre espaço para antecipação do ciclo de corte de juros A atividade econômica desapontou, mas os fundamentos de demanda seguem estáveis. Revisamos o crescimento de 2017 para 1% (antes, 1,5%) devido ao carrego estatístico, mas mantemos 4% em 2018; Revisamos a taxa de câmbio para 3,50 reais por dólar no fim de 2017 e 2018; A inflação segue em queda. Esperamos agora o IPCA em 4,7% em 2017, e em 4,0% em 2018; O Banco Central antecipou o corte de juros. Projetamos Selic em 9,75% em 2017, e 8,5% em 2018.

18 Quer continuar essa conversa? Com o aplicativo Itaú Análises Econômicas, você recebe nossos relatórios de economia em tempo real. Baixe agora na loja de aplicativos do seu celular.

Perspectivas econômicas

Perspectivas econômicas Perspectivas econômicas 5º seminário Abecip Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco Maio, 2015 2 Roteiro Recuperação em curso nas economias desenvolvidas. O Fed vem adiando o início do ciclo

Leia mais

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Perspectivas Econômicas Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Novembro, 2014 Roteiro Internacional Preocupação com a recuperação global diminui. Receio de um menor crescimento global que se disseminou

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais

CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA

CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA AMÉRICA LATINA AMÉRICA LATINA Quatro desafios da economia da América Latina em 2015 Crescimento moderado da economia global; Queda do preço das comodities

Leia mais

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3%

PIB. PIB Trimestral 3,9% 2,6% 2,3% 2,3% PIB O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) divulgou nesta última sextafeira, 29 de Maio, os dados do Produto Interno Bruto (PIB) referentes ao primeiro trimestre de 2015. Análise preliminar

Leia mais

Os desafios da economia. Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014

Os desafios da economia. Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014 Os desafios da economia Economista Ieda Vasconcelos Reunião CIC/FIEMG Outubro/2014 Os desafios da economia Correção dos rumos da política econômica. Muito mais do que necessidade: É inevitável. Sem ajustes:

Leia mais

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen

Consultoria. Conjuntura Econômica e Perspectivas Setembro/2016. Juan Jensen Consultoria Conjuntura Econômica e Perspectivas 2017-22 Setembro/2016 Juan Jensen jensen@4econsultoria.com.br PIB Confiança segue mostrando recuperação na margem, ainda que nível ainda seja baixo Estamos

Leia mais

Cenário macroeconômico

Cenário macroeconômico Cenário macroeconômico 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016* 2017* TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB DO MUNDO (SOMA DOS PIBs OBTIDA PELA PARIDADE DO PODER DE COMPRA) 1980 - Título 2011 FONTE: FMI. ELABORAÇÃO E

Leia mais

2005: Prêmio de Risco; Cenário Externo e Convergência. Dany Rappaport Corecon, 27 de janeiro de 2005

2005: Prêmio de Risco; Cenário Externo e Convergência. Dany Rappaport Corecon, 27 de janeiro de 2005 2005: Prêmio de Risco; Cenário Externo e Convergência Dany Rappaport Corecon, 27 de janeiro de 2005 Cenário Externo Maior crescimento global em 30 anos. Crescimento do PIB em 2004 - Expectativa Área do

Leia mais

Outubro/2011. Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Outubro/2011. Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Outubro/2011 Cenário para as Micro e Pequenas Empresas Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos 1 Números das Micro e Pequenas Empresas no Brasil 2 Micro e pequenas empresas (até 99 funcionários)

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO ENCONTRO BRADESCO-APIMEC CENÁRIO MACROECONÔMICO 26 DE NOVEMBRO DE 2015 FABIANA D ATRI Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC 1 Ambiente Internacional AMBIENTE INTERNACIONAL Fimdolongociclodecommodities.

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO jan/15 jan/15 Acomodação com o cenário externo A semana de 19 a 26 de fevereiro apresentou movimentos moderados nas principais variáveis de mercado. A despeito do resultado negativo para o IPCA-15 de fevereiro,

Leia mais

Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Colocar a economia no rumo do crescimento

Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Colocar a economia no rumo do crescimento Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Colocar a economia no rumo do crescimento Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda Barra Bonita, 25 de Novembro de 2016 BRASIL: EVOLUÇÃO DO CRESCIMENTO DO PIB (VAR.

Leia mais

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, a Ocepar.

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, a Ocepar. INTERNA Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, a Ocepar. 1 DESAFIOS E INCERTEZAS DO CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO E GLOBAL 2 2 Fabiana

Leia mais

Ambiente econômico nacional e internacional

Ambiente econômico nacional e internacional Ambiente econômico nacional e internacional Apresentação para elaboração do documento referencial 2015-19 no Ministério do Turismo Manoel Pires - MF Cenário internacional O mundo se recupera da crise,

Leia mais

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco

Perspectivas Econômicas. Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Perspectivas Econômicas Pesquisa Macroeconômica Itaú Unibanco Fevereiro, 2016 Roteiro Internacional Bancos centrais reagem; riscos permanecem Os principais bancos centrais estão reagindo à turbulência

Leia mais

Relatório de Mercado Semanal

Relatório de Mercado Semanal Boletim Focus Relatório de Mercado Focus Fonte:Banco Central Cenário A semana que passou foi marcada pelo forte movimento de correção nas bolsas mundiais ocorrido na sexta-feira (9), após declarações hawkish

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006

Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006 Cenário Macroeconômico 2006 Janeiro de 2006 1 Cenário Econômico Regra básica: Cenário Internacional é dominante. Oscilações de curto prazo são determinadas exogenamente. 2 Cenário Internacional União monetária

Leia mais

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas São Paulo, 18 de março de 2016 Tatiana Pinheiro Adriana Dupita Departamento de Pesquisa Econômica Luciano Sobral Everton Gomes Matheus Rosignoli Rodolfo Margato

Leia mais

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas São Paulo, 22 de abril de 2016 Tatiana Pinheiro Adriana Dupita Departamento de Pesquisa Econômica Luciano Sobral Everton Gomes Matheus Rosignoli Rodolfo Margato

Leia mais

A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise

A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise Ministério da A Política Fiscal Brasileira em Tempos de Crise Encontro de Política Fiscal - FGV Ministro Guido Mantega Brasília, 7 de novembro de 2014 Antes de 2008, Brasil tinha Situação Fiscal Confortável

Leia mais

Acerto de contas. Cenário macroeconômico Agosto 2013

Acerto de contas. Cenário macroeconômico Agosto 2013 Acerto de contas Cenário macroeconômico Agosto 2013 Agenda: crescimento baixo com inflação Eleições crescimento versus Economia Mundial Variação do PIB, % a/a 5,5 4,5 3,5 2,5 1,5 0,5-0,5-1,5-2,5-3,5 Outros

Leia mais

Dólar, commodities e PIB mais forte no Brasil pressionaram juros futuros com alta;

Dólar, commodities e PIB mais forte no Brasil pressionaram juros futuros com alta; 30-ago-2013 Dólar, commodities e PIB mais forte no Brasil pressionaram juros futuros com alta; Agenda com o mercado de trabalho nos EUA e proximidade do FOMC de setembro elevou novamente rendimento das

Leia mais

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho.

PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. PME registra menor taxa de desemprego da série histórica para o mês de fevereiro, mas indica acomodação no mercado de trabalho. Segundo apuração da PME (Pesquisa Mensal do Emprego), realizada pelo IBGE,

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 1 de julho de 2016

INFORME ECONÔMICO 1 de julho de 2016 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Na Europa, os líderes europeus sinalizaram que há pouco espaço para concessões ao Reino Unido. No Brasil, o banco central sugeriu estabilidade da Selic nas próximas reuniões.

Leia mais

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Abril de 2014

Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Abril de 2014 Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2015 Miriam Belchior Ministra de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão Abril de 2014 1 Cenário Econômico para 2015 Fim da crise financeira internacional

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO jan/15 fev/15 Ligeira deterioração nos principais indicadores Com o feriado da Semana Santa, os principais indicadores para a semana de 18 a 24 de março apresentaram relativa estabilidade, com os mercados

Leia mais

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada

Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Política Industrial para a retomada do desenvolvimento Painel 1: Caminhos para a retomada Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda São Paulo, 05 de Outubro de 2015 ECONOMIA INTERNACIONAL: TAXAS DE JUROS DE

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 22 de julho de 2016

INFORME ECONÔMICO 22 de julho de 2016 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Na Europa, o BCE sinalizou que pode reavaliar as medidas de estímulos monetários nas próximas reuniões. No Brasil, o Copom considerou que não há espaço para flexibilizar

Leia mais

Informativo de Mercado Mensal

Informativo de Mercado Mensal Informativo de Mercado Mensal Fevereiro/2016 DESTAQUES O mês de fevereiro/16 foi risk on. No plano internacional, o cenário mais consensual revela que o quadro macroeconômico global se tornou mais complexo

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP

Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de º. PLENAFUP Conjuntura Nacional e Internacional Escola Florestan Fernandes, Guararema, 3 de julho de 2015 5º. PLENAFUP Economia Brasileira I.54 - Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) Período Índice

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 28 de outubro de 2016

INFORME ECONÔMICO 28 de outubro de 2016 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS No Brasil, Banco Central sinalizou a manutenção do ritmo de corte para a próxima reunião. Nos Estados Unidos, o crescimento do PIB acelerou no terceiro trimestre. No Brasil,

Leia mais

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli

Apresentação Semanal. De 04 a 15 de abril de Matheus Rosignoli 1 Apresentação Semanal De 04 a 15 de abril de 2016 Matheus Rosignoli mrosignoli@santander.com.br Indicadores e eventos da última semana Mar-08 Jul-08 Nov-08 Mar-09 Jul-09 Nov-09 Mar-10 Jul-10 Nov-10 Mar-11

Leia mais

Alteramos as expectativas para a taxa Selic em 2013 e 2014; Atividade econômica no Brasil poderá ser fraca também no 4º trimestre de 2013.

Alteramos as expectativas para a taxa Selic em 2013 e 2014; Atividade econômica no Brasil poderá ser fraca também no 4º trimestre de 2013. 27-set-2013 Semana foi de dólar e juros em alta, Bolsa em queda; Alteramos as expectativas para a taxa Selic em 2013 e 2014; Atividade econômica no Brasil poderá ser fraca também no 4º trimestre de 2013.

Leia mais

Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira

Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira Impactos da Crise Mundial sobre a Economia Brasileira Centro das Indústrias do Estado de São Paulo - CIESP Campinas (SP) 29 de julho de 2009 1 CIESP Campinas - 29/07/09 Crise de 2008 breve histórico Início:

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO. Outubro 2016

CENÁRIO ECONÔMICO. Outubro 2016 CENÁRIO ECONÔMICO Outubro 2016 CENÁRIO ECONÔMICO Internacional - Destaques Mercados globais: avanço (modesto) da economia americana, bom desempenho(ainda) da China e melhora (discreta) da Zona do Euro

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO ENCONTRO BRADESCO-APIMEC CENÁRIO MACROECONÔMICO 20 DE AGOSTO DE 2015 FABIANA D ATRI Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC 2 Ambiente Internacional AMBIENTE INTERNACIONAL Fim do longo ciclo

Leia mais

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, aos clientes do Bradesco.

INTERNA. Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, aos clientes do Bradesco. INTERNA Este documento foi classificado como confidencial pelo Depec, e o acesso está autorizado, exclusivamente, aos clientes do Bradesco. CENÁRIO MACROECONÔMICO JANEIRO DE 2016 FABIANA D ATRI Departamento

Leia mais

IPCA, inflação livre, administrados e projeção Carta Aberta. Acumulado em doze meses. Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai

IPCA, inflação livre, administrados e projeção Carta Aberta. Acumulado em doze meses. Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai Jul Set Nov Jan Mar Mai IPCA: Inércia, Câmbio, Expectativas e Preços Relativos Este boxe examina o comportamento recente do IPCA, a partir da contribuição dos principais fatores que explicam sua dinâmica, com destaque para a

Leia mais

INFORME ECONÔMICO 19 de agosto de 2016

INFORME ECONÔMICO 19 de agosto de 2016 RESENHA SEMANAL E PERSPECTIVAS Nos EUA, a alta de juros está mais próxima. No Brasil, o movimento da Selic permanece condicionado ao controle da inflação e à aprovação do ajuste fiscal. Nos EUA, membros

Leia mais

O indicador do clima econômico melhora na América Latina, mas piora no Brasil

O indicador do clima econômico melhora na América Latina, mas piora no Brasil jan/03 jul/03 jan/04 jul/04 jan/05 jul/05 jan/06 jul/06 jan/07 jul/07 jan/08 jul/08 jan/09 jul/09 jan/10 jul/10 jan/11 jul/11 jan/12 jul/12 jan/13 jul/13 jan/14 13 de Fevereiro de 14 Indicador IFO/FGV

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005

RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005 MINISTÉRIO DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUSEP RELATÓRIO MENSAL DE CONJUNTURA ECONÔMICA ABRIL 2005 Rio de Janeiro, 13 de abril de 2005. 1. Conjuntura atual O objetivo deste Relatório

Leia mais

Economic Outlook October 2012

Economic Outlook October 2012 Economic Outlook October 2012 Agenda Economia global Consolidação de crescimento global fraco. Bancos centrais estão atuando para reduzir riscos de crise. Brasil Crescimento de longo prazo entre 3.5% e

Leia mais

Menor volatilidade de emergentes e dados mais fracos fazem juros ceder na semana;

Menor volatilidade de emergentes e dados mais fracos fazem juros ceder na semana; Semana de 03 a 07 de Fevereiro Menor volatilidade de emergentes e dados mais fracos fazem juros ceder na semana; Dólar se deprecia diante de indicadores menos positivos de atividade americana; Ibovespa

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Seguindo os ventos externos A projeção do IPCA para os próximos 12 meses voltou a apresentar queda, contudo mesmo a estimativa para 2017 está ainda distante do centro da meta. Apesar das incertezas locais,

Leia mais

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas

Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas Destaques Semanais e Projeções Macroeconômicas São Paulo, 4 de março de 2016 Tatiana Pinheiro Adriana Dupita Departamento de Pesquisa Econômica Luciano Sobral Everton Gomes Matheus Rosignoli Rodolfo Margato

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 01/2016

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 01/2016 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 01/2016 Data: 08/01/2016 Participantes Efetivos: Wagner de Jesus Soares Presidente, Mariana Machado de Azevedo Economista, Rosangela Pereira

Leia mais

ITABIRAPREV - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE ITABIRA - MG. Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos Setembro De 2015

ITABIRAPREV - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE ITABIRA - MG. Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos Setembro De 2015 Milhões ITABIRAPREV - INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE ITABIRA - MG Relatório de Acompanhamento da Carteira de Investimentos Setembro De 215 R$ 12 R$ 1 R$ 8 R$ 6 R$ 4 R$ 2 R$ Evolução do Patrimônio no Ano 89,7

Leia mais

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo

A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL. Eugenio Stefanelo A ECONOMIA MUNDIAL E NA AMÉRICA DO SUL E O AGRONEGÓCIO 3 FORO DE AGRICULTURA DA AMÉRICA DO SUL Eugenio Stefanelo ECONOMIA MUNDIAL PIB em % ao ano: Média de 50 anos: 3,5% 2004 a 2007: 5% 2008 e 2009: 3,1%

Leia mais

Brasil: Conjuntura e Perspectivas. Prof. Dr. Fernando Sarti

Brasil: Conjuntura e Perspectivas. Prof. Dr. Fernando Sarti Brasil: Conjuntura e Perspectivas Prof. Dr. Fernando Sarti Centro Altos Estudos Brasil Século XXI - UNICAMP Fundação Desenvolvimento da Unicamp-FUNCAMP Brasília, Se da Andifes, 25 fevereiro 2016 Estrutura

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 72 outubro de 2015 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise política e crise econômica no Brasil e suas repercussões no mundo 1 1. A crise econômica

Leia mais

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013

Crescimento e juros. Roberto Padovani Março 2013 Crescimento e juros Roberto Padovani Março 2013 jan-91 dez-91 nov-92 out-93 set-94 ago-95 jul-96 jun-97 mai-98 abr-99 mar-00 fev-01 jan-02 dez-02 nov-03 out-04 set-05 ago-06 jul-07 jun-08 mai-09 abr-10

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007

NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 NÍVEL DE ATIVIDADE, INFLAÇÃO E POLÍTICA MONETÁRIA Uma avaliação dos indicadores da economia brasileira em 2007 Lucas Lautert Dezordi * Guilherme R. S. Souza e Silva ** Introdução O presente artigo tem

Leia mais

Informativo Semanal de Economia Bancária

Informativo Semanal de Economia Bancária Informativo Semanal de Economia Bancária Federação Brasileira de Bancos Semana de 11 a 15 de julho de 2016 Ano 8, Nº. 355 Comentário Semanal A pesquisa Focus divulgada na manhã de hoje (11) praticamente

Leia mais

Março / 2015. Cenário Econômico Bonança e Tempestade. Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Março / 2015. Cenário Econômico Bonança e Tempestade. Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Março / 2015 Cenário Econômico Bonança e Tempestade Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos 1 Bonança Externa Boom das Commodities Estímulos ao consumo X inflação Importações e real valorizado 2

Leia mais

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta

Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Análise Conjuntural: Variáveis- Instrumentos e Variáveis- meta Fernando Nogueira da Costa Professor do IE- UNICAMP h;p://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Estrutura da Apresentação Variáveis- instrumentos:

Leia mais

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações

Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Prestação de Contas - LRF Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 Prestação de Contas - LRF

Leia mais

Conjuntura Econômica

Conjuntura Econômica Programa de Aperfeiçoamento para Carreiras 2016 Curso: Conjuntura Econômica Professor: José Luiz Pagnussat Palestrantes: Pedro Jucá Maciel, Elder Linton Alves de Araujo, Rogério Dias de Araújo, Mauricio

Leia mais

Volume de Vendas do Varejo Ampliado Acumulado em 12 meses em relação aos 12 meses anteriores. dez/14. set/16. mar/14. dez/13.

Volume de Vendas do Varejo Ampliado Acumulado em 12 meses em relação aos 12 meses anteriores. dez/14. set/16. mar/14. dez/13. dez/11 mar/12 jun/12 set/12 dez/12 mar/13 jun/13 set/13 mar/14 set/14 mar/15 set/15 mar/16 set/16 Monitor Econômico ASSESSORIA ECONÔMICA Dados divulgados entre 09 e 13 de janeiro Comércio (PMC) Entre outubro

Leia mais

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF. Intenção de Consumo das Famílias

Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF. Intenção de Consumo das Famílias Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina ICF Intenção de Consumo das Famílias Núcleo de Estudos Estratégicos Fecomércio SC Março de 2016 SUMÁRIO EMPREGO, REN DA E CONSUMO ATUAIS...

Leia mais

PROJEÇÕES DO MERCADO DE SEGUROS PARA O PERÍODO DE 2016 A 2019 SÍNTESE

PROJEÇÕES DO MERCADO DE SEGUROS PARA O PERÍODO DE 2016 A 2019 SÍNTESE PROJEÇÕES DO MERCADO DE SEGUROS PARA O PERÍODO DE 2016 A 2019 SÍNTESE O trabalho de projeções do mercado de seguros, previdência privada e capitalização, realizado pela SISCORP, é desenvolvido com detalhes

Leia mais

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal

Cenários. Plano Milênio. Justificativa da Rentabilidade Mensal Ano IV Edição: maio/2013 nº 33 Informações referentes à abril/2013 Cenários Cenário Internacional O sentimento dos investidores globais melhorou no último mês com a solução para a crise no Chipre e o melhor

Leia mais

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Projeto de Lei Orçamentária Anual 2017 Henrique Meirelles Ministro da Agosto 2016 Cenário de Referência 2 Foi observado o limite de crescimento da despesa contido na Proposta de Emenda Constitucional 241/2016

Leia mais

Clima econômico na América Latina piora. No Brasil, expectativas seguem melhorando

Clima econômico na América Latina piora. No Brasil, expectativas seguem melhorando out/06 abr/07 out/07 abr/08 out/08 abr/09 out/09 abr/10 out/10 abr/11 out/11 abr/12 out/12 abr/13 out/13 abr/14 out/14 abr/15 out/15 abr/16 out/16 16 de novembro de 2016 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico

Leia mais

Revisão de Cenário - Brasil

Revisão de Cenário - Brasil Revisão de Cenário - Brasil outubro de 2012 Mais desonerações, mais estímulos Redução do superávit primário deve ser mais intensa nos próximos anos. Reduzimos a projeção para o superávit primário em 2012

Leia mais

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Abril/11 Sumário 1. Características do Fundo Política de Gestão Objetivo do Fundo Público Alvo Informações Diversas Patrimônio Líquido 2. Medidas Quantitativas

Leia mais

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO

COMPORTAMENTO SEMANAL DE MERCADO Menor aversão ao risco, mesmo com incertezas domésticas A semana do dia 24 de março a primeiro de abril ficou marcada por movimentos favoráveis no mercado de câmbio e de juros, nas expectativas inflacionárias

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO

CENÁRIO MACROECONÔMICO CENÁRIO MACROECONÔMICO SEGUE PAUTADO PELAS MUDANÇAS NO CENÁRIO GLOBAL, AFETANDO DIRETAMENTE O CÂMBIO, E PELO CRESCIMENTO MAIS MODERADO DA ECONOMIA DOMÉSTICA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Leia mais

Volume Total de Crédito

Volume Total de Crédito Parte I Volume de Crédito A) Recursos Livres e Recursos Direcionados Período R$ milhões Variação % Junho2005 535.594 Junho2015 3.102.172 490,2% Volume Total de Crédito 4.000.000 2.000.000 R$ milhões B)

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 13/2015

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 13/2015 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 13/2015 Data: 07/07/2015 Participantes Efetivos: Wagner de Jesus Soares Presidente, Mariana Machado de Azevedo Economista, Rosangela Pereira

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 09 setembro 2011 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO EM TEMPOS DE CRISE. Marcelo Barros Amanda Aires

CENÁRIO ECONÔMICO BRASILEIRO EM TEMPOS DE CRISE. Marcelo Barros Amanda Aires CENÁRIO ECONÔMICO ASILEIRO EM TEMPOS DE CRISE Marcelo Barros Amanda Aires SUMÁRIO Breve retrospectiva Demanda agregada Oferta agregada Crise política (contexto econômico) Emprego Análise de cenários PIB

Leia mais

EUA - PIB Variação Trimestral Anualizada

EUA - PIB Variação Trimestral Anualizada EUA - PIB Variação Trimestral Anualizada 8,0 7,0 7,2 6,0 5,0 4,0 3,0 2,0 1,0 5,0 4,8 5,6 4,3 4,5 4,1 4,0 3,8 3,9 3,6 3,5 3,3 3,1 2,8 2,6 2,7 2,6 2,4 2,1 1,9 1,3 1,1 1,2 1,1 0,6 0,7 0,6 0,0 (1,0) -0,3-0,6

Leia mais

3 INFLAÇÃO. ipea SUMÁRIO

3 INFLAÇÃO. ipea SUMÁRIO 3 INFLAÇÃO SUMÁRIO Após iniciar o ano de 2014 com uma inflação acumulada em doze meses de 5,6%, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) veio se acelerando, de modo que, em junho, esta taxa atingiu

Leia mais

BRASIL E A CRISE MUNDIAL

BRASIL E A CRISE MUNDIAL BRASIL E A CRISE MUNDIAL Ministro Guido Mantega maio 2009 1 Crise não acabou, talvez pior já tenha passado Consolidação do governo Obama e ações do G20 melhoram a CONFIANÇA Enxurrada de dinheiro do FED

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa em 2016

Projeções para a economia portuguesa em 2016 Projeções para a economia portuguesa em 2016 95 Projeções para a economia portuguesa em 2016 As projeções para a economia portuguesa apontam para uma desaceleração do PIB, de 1,6 por cento em 2015 para

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS 1 Trimestre RESULTADOS OBTIDOS Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) PGA PB TOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/204 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2014

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/204 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2014 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA MUNICIPAL DE NOVA PRATA RS RELATÓRIO BIMESTRAL 01/204 JANEIRO E FEVEREIRO DE 2014 Como Presidente e Gestora do Instituto de Previdência

Leia mais

CHEGADA DO NATAL MARCA INTERRUPÇÃO DA SEQUÊNCIA DE ALTAS NA CONFIANÇA DO COMÉRCIO

CHEGADA DO NATAL MARCA INTERRUPÇÃO DA SEQUÊNCIA DE ALTAS NA CONFIANÇA DO COMÉRCIO (0-200) CHEGADA DO NATAL MARCA INTERRUPÇÃO DA SEQUÊNCIA DE ALTAS NA CONFIANÇA DO COMÉRCIO O de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) atingiu 99,1 pontos em dezembro, ante os 98,9 pontos observados

Leia mais

Informativo Semanal de Economia Bancária

Informativo Semanal de Economia Bancária Informativo Semanal de Economia Bancária Semana de 15 a 19 de fevereiro de 2016 Ano 8, Nº. 334 Federação Brasileira de Bancos Comentário Semanal A pesquisa Focus, divulgada nesta manhã, trouxe uma relativa

Leia mais

Plantão de Dúvidas Campanha de Migração dos Perfis 2016

Plantão de Dúvidas Campanha de Migração dos Perfis 2016 Plantão de Dúvidas Campanha de Migração dos Perfis 2016 Fundação Itaú Unibanco Outubro 2016 Agenda I - CENÁRIO ECONÔMICO II - CARTEIRA E PERFORMANCE DOS PERFIS III - ESPECIAL: AJUSTES NOS PERFIS Cenário

Leia mais

Economia Brasileira em Perspectiva

Economia Brasileira em Perspectiva Brasileira em O BRASIL NO CONTEXTO GLOBAL O Brasil mal colocado em alguns rankings mundiais Fonte: Cia World Factbook Desde 2002, o crescimento brasileiro supera apenas os números das economias ricas.

Leia mais

Melhora nas expectativas lideram a melhora do clima econômico na América Latina e no Brasil

Melhora nas expectativas lideram a melhora do clima econômico na América Latina e no Brasil jul/1 jul/2 jul/3 jul/4 jul/5 jul/6 jul/7 jul/8 jul/9 jul/1 jul/11 jul/12 jul/13 jul/14 jul/15 jul/16 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina ABRIL/216 JULHO/216 74 79 Situação Atual 58

Leia mais

Cenário Macroeconômico para o Agronegócio. Geraldo Barros

Cenário Macroeconômico para o Agronegócio. Geraldo Barros Cenário Macroeconômico para o Agronegócio Geraldo Barros PIB do Agronegócio: 1994/2010 R$ bilhões (de 2010) +37% 597 22(%) (28%) Fonte:Cepea Pib e Shares dos segmentos do Agronegócio 32% 33% 33% 30% 26%

Leia mais

Sexta-Feira, 21 de outubro de 2016

Sexta-Feira, 21 de outubro de 2016 Sexta-Feira, 21 de outubro de 2016 Bom dia, "Prévia" da inflação oficial recua. Já com relação ao IPCA-15 (indicador que tem a mesma metodologia do IPCA que por sua vez reflete a inflação oficial do país,

Leia mais

ABRIL/2016 RELATÓRIO ECONÔMICO ABRIL/2016

ABRIL/2016 RELATÓRIO ECONÔMICO ABRIL/2016 RELATÓRIO ECONÔMICO ÍNDICE Indicadores Financeiros Pág. 3 Projeções Pág. 4-5 Cenário Externo Pág. 6 Cenário Doméstico Pág. 7 Renda Fixa e Renda Variável Pág. 8 INDICADORES FINANCEIROS BOLSA DE VALORES

Leia mais

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015

Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Mercado de trabalho enfrentou cenário difícil durante todo o ano de 2015 Neste edição especial do boletim Mercado de trabalho do CEPER-FUNDACE, serão comparados dados do Cadastro Geral de Empregados e

Leia mais

Acomodação na renda fixa foi interrompida pela alta do dólar e dado forte de emprego nos EUA em junho.

Acomodação na renda fixa foi interrompida pela alta do dólar e dado forte de emprego nos EUA em junho. 05-jul-2013 Acomodação na renda fixa foi interrompida pela alta do dólar e dado forte de emprego nos EUA em junho. Leilões de swap cambial e mais flexibilidade de regras tributárias para a entrada de fluxo

Leia mais

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016

Volatilidade cambial e commodities. Cenários para 2016 Volatilidade cambial e commodities Cenários para 2016 jan-13 mar-13 mai-13 jul-13 set-13 nov-13 jan-14 mar-14 mai-14 jul-14 set-14 nov-14 jan-15 mar-15 mai-15 jul-15 set-15 nov-15 jan-16 mar-16 Trajetória

Leia mais

Mercados emergentes precisam fazer mais para continuar a ser os motores do crescimento global

Mercados emergentes precisam fazer mais para continuar a ser os motores do crescimento global Mercados emergentes precisam fazer mais para continuar a ser os motores do crescimento global de janeiro de 1 Por Min Zhu Em nossa Reunião Anual de outubro de 13, travamos um longo debate sobre as perspectivas

Leia mais

GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I. Por João Sicsú e Ernesto Salles

GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I. Por João Sicsú e Ernesto Salles GRÁFICOS DE CONJUNTURA Volume I Por João Sicsú e Ernesto Salles 1. O trabalhador perdeu rendimento porque houve inflação? É possível aferir o valor do ganho médio (ou habitual) de um trabalhador. A Pesquisa

Leia mais

MAIO/2015 RELATÓRIO ECONÔMICO

MAIO/2015 RELATÓRIO ECONÔMICO MAIO/2015 RELATÓRIO ECONÔMICO ÍNDICE Indicadores Financeiros Pág. 3 Projeções Pág. 4-5 Cenário Externo Pág. 6 Cenário Doméstico Pág. 7 Renda Fixa e Renda Variável Pág. 8 INDICADORES FINANCEIROS BOLSA DE

Leia mais

Brasil está quase na lanterna do ranking mundial de crescimento do PIB País ocupa a 31ª posição da lista de 34 nações, que é liderada pela China

Brasil está quase na lanterna do ranking mundial de crescimento do PIB País ocupa a 31ª posição da lista de 34 nações, que é liderada pela China Brasil está quase na lanterna do ranking mundial de crescimento do PIB País ocupa a 31ª posição da lista de 34 nações, que é liderada pela China Matéria publicada em 29 de Novembro de 2014 SÃO PAULO -

Leia mais

A Determinação da Taxa de Juros no Brasil. Fevereiro de 2007

A Determinação da Taxa de Juros no Brasil. Fevereiro de 2007 A Determinação da Taxa de Juros no Brasil Fevereiro de 2007 1 A Determinação da Taxa de Juros no Brasil I. Importância do Controle da Inflação II. Alternativas de Regimes Monetários III. IV. Implementação

Leia mais

Análise do Documento de Estratégia Orçamental junho de 2014

Análise do Documento de Estratégia Orçamental junho de 2014 Análise do Documento de Estratégia Orçamental 2014-2018 junho de 2014 Cenário macroeconómico O cenário macroeconómico apresentado parece ser equilibrado e razoavelmente prudente: Previsão de crescimento

Leia mais

Clima econômico mundial melhora, mas continua piorando na América Latina. Momento ainda é de cautela

Clima econômico mundial melhora, mas continua piorando na América Latina. Momento ainda é de cautela jan/99 jan/00 jan/01 jan/02 jan/03 jan/04 jan/05 jan/06 jan/07 jan/08 jan/09 jan/10 jan/11 jan/12 jan/13 jan/14 jan/15 Fevereiro 15 Versão em português Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina

Leia mais