Condição: Sujeito ou NÃO Sujeito à CPRB

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Condição: Sujeito ou NÃO Sujeito à CPRB"

Transcrição

1 Exercício 1: Objeto Social da Empresa "A": Elaboração de programas de computador (softwares), consultoria em tecnologia da informação, representação comercial de softwares de terceiros prontos para uso, treinamento em informática. Transcrição da movimentação das seguintes contas contábeis no mês: Movimento no Descrição Mês Receita Serv. Desenvolvimento Software Receita Serv. Consultoria em T.I Receita Comissões/Agenciamento Receita Aluguel de Veículo 7.50 Receita Cursos / Treinamentos (-) Serviços Cancelados - Cursos / Treinamentos (5.00) Questões: a) Qual o Valor da Receita Bruta total da empresa - conforme seu objeto social - e líquida das exclusões de descontos incondicionais, vendas canceladas, IPI e ICMS ST? b) Qual o Valor da Receita Bruta Desonerada, para fins de determinação do fator de compensação na SEFIP? c) Qual o Valor da Base de Cálculo da CPRB (Desoneração) - após a exclusão da receita de exportações desonerada - a ser recolhida em DARF? d) Qual é o fator de compensação da CPP-Folha a ser considerada na SEFIP (utilizar no mínimo 6 casas decimais)? e) Qual a alíquota da CPRB para os serviços acima elencados sujeitos à CPRB? Qual artigo da Lei /2011 versa sobre essa alíquota? f) Considerando a folha de salários do mês igual a R$ e que 2 sócios auferem pró-labore de R$ 2.000/cada, o INSS retido dos segurados empregados foi de 11%, todos abaixo do teto de INSS vigente, RAT = 2% (FAP = 1), Terceiros = 5,8%, preencha os campos do Demonstrativo SEFIP. Objeto Social da Empresa "B": Fabricação de máquinas de costura, tanto para uso da indústria de confecção (NCM ), como para uso doméstico, domiciliar (NCM ), Serviços de assistência técnica, consertos e manutenção de máquinas de costura. Quadro-Resumo de Composição da Receita (Faturamento) no Mês: Descrição Total NF Condição: Sujeito ou NÃO Sujeito à CPRB IPI ICMS ST Devol. Venda (-) IPI Dev. Venda (-) ICMS ST Dev. Venda Venda Produção Máq. Costura p/ind. Confecção - Brasil Venda Produção Máq. Costura p/ind. Confecção - Exterior Venda Produção Máq. Costura p/uso Doméstico - Brasil Venda Produção Máq. Costura p/uso Doméstico - Exterior Serviços Prestados - Consertos / Reparos - Brasil Total: Exterior (Exportação): Brasil: Questões: Condição: Sujeito ou NÃO Sujeito à CPRB a) Qual o Valor da Receita Bruta total da empresa - conforme seu objeto social - e líquida das exclusões de descontos incondicionais, vendas canceladas, IPI e ICMS ST? b) Qual o Valor da Receita Bruta Desonerada, para fins de determinação do fator de compensação na SEFIP? c) Qual o Valor da Base de Cálculo da CPRB (Desoneração) - após a exclusão da receita de exportações desonerada - a ser recolhida em DARF? d) Qual é o fator de compensação da CPP-Folha a ser considerada na SEFIP (utilizar no mínimo 6 casas decimais)? e) Qual a alíquota da CPRB para os serviços acima elencados sujeitos à CPRB? Qual artigo da Lei /2011 versa sobre essa alíquota? f) Considerando a folha de salários do mês igual a R$ e que 2 sócios auferem pró-labore de R$ 2.000/cada, o INSS retido dos segurados empregados foi de 9%, RAT = 3% (FAP = 1), Terceiros = 5,8%, fatura da UNIMED (plano com cobertura hospitalar) no valor de R$ 2.600, retenção de 11% sobre notas fiscais de serviços no valor de R$ e salário maternidade de R$ no mês, preencha os campos do Demonstrativo SEFIP.

2 EMPRESA: XXX COMPROVANTE DE DECLARAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES A RECOLHER À PREVIDÊNCIA SOCIAL E A OUTRAS ENTIDADES E FUNDOS POR FPAS POR EMPRESA COMP.: XX CÓD. REC: 115 CÓD. GPS: 2100 FPAS: 507 OUTRAS ENTIDADES: 0079 SIMPLES: 1 ALÍQ. RAT: 2,0 FAP: 1,0 RAT AJUSTADO: 2,0 ( = 5,8%) CNAE PREPONDERANTE: XXX APURAÇÃO DO VALOR A RECOLHER: 507 SEGURADO Empregados/Avulsos EMPRESA Empregados/Avulsos CAMPOS DA GPS: RAT 6. VALOR DO INSS RAT - Agentes Nocivos 9. VALOR DE OUTRAS ENTIDADES Valores pagos a cooperativas 11. TOTAL Adicional Cooperativas Comercialização Produção Evento Desportivo/Patrocínio RECOLHIMENTO COMP ANT - VALOR INSS ( - ) Retenção Lei 9.711/98 ( - ) Salário Família / Maternidade Fator Comp. CPRB ( - ) Compensação VALOR A RECOLHER - PREVIDÊNCIA SOCIAL OUTRAS ENTIDADES RECOLH COMP ANT - VALOR OUT ENTID VALOR A RECOLHER - OUTRAS ENTIDADES TOTAL A RECOLHER

3 EMPRESA: XXX COMPROVANTE DE DECLARAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES A RECOLHER À PREVIDÊNCIA SOCIAL E A OUTRAS ENTIDADES E FUNDOS POR FPAS POR EMPRESA COMP.: XX CÓD. REC: 115 CÓD. GPS: 2100 FPAS: 507 OUTRAS ENTIDADES: 0079 SIMPLES: 1 ALÍQ. RAT: 3,0 FAP: 1,0 RAT AJUSTADO: 3,0 ( = 5,8%) CNAE PREPONDERANTE: XXX APURAÇÃO DO VALOR A RECOLHER: 507 SEGURADO Empregados/Avulsos EMPRESA Empregados/Avulsos CAMPOS DA GPS: RAT 6. VALOR DO INSS RAT - Agentes Nocivos 9. VALOR DE OUTRAS ENTIDADES Valores pagos a cooperativas 11. TOTAL Adicional Cooperativas Comercialização Produção Evento Desportivo/Patrocínio RECOLHIMENTO COMP ANT - VALOR INSS ( - ) Retenção Lei 9.711/98 ( - ) Salário Família / Maternidade Fator Comp. CPRB ( - ) Compensação VALOR A RECOLHER - PREVIDÊNCIA SOCIAL OUTRAS ENTIDADES RECOLH COMP ANT - VALOR OUT ENTID VALOR A RECOLHER - OUTRAS ENTIDADES TOTAL A RECOLHER

4 Exercício 2: Página 1/2 Vantagens e Desvantagens - Simulações exemplificativas A empresa "X" possui como objeto principal a prestação de serviços de Call-Center (TIC - Atividades de Teleatendimento - CNAE 8220/2-00). Porém, integralizou um imóvel na empresa, e aluga este a um terceiro, tendo alterado seu contrato social, inserindo também "aluguel de imóveis próprios" no seu objeto social. Este imóvel está locado ao valor de R$ 5.000/mês, prevendo reajuste de 10% a partir de julho/2013. Parâmetros orçados para 2013: jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Total % Receita Bruta Suj. CPRB Receita Bruta Não Suj. CPRB Total Salários, Ordenados e Adicionais Horas Extras, Comissões, D.S.R., etc Férias + 1/ Salário Pró-Labore Total ,5% Questões: a) Qual é o total da Receita Bruta prevista para o ano 2013 sujeita à CPRB? Qual a alíquota incidente para este segmento? b) Caso o total da Receita Bruta prevista não estivesse sujeita à CPRB, qual seria o montante previsto da CPP-Folha? c) Neste caso exemplificativo, qual espécie de incidência - sobre a Receita Bruta ou sobre a Folha - você entende ser menos onerosa? Justifique sua resposta d) Caso a Empresa "X" seja atualmente (em 2012) optante pelo regime do Simples Nacional, e orçou os números acima para avaliar o prosseguimento no atual regime para 2013, ou mudança para o regime de Lucro Presumido, o que você recomendaria? Por quê? Alíq. Faixa Simples Nacional - Anexo III 16,98% Alíquota ISS = 2% para o município PIS + COFINS L. Presumido = 3,65% sobre a Receita IRPJ + CSLL L. Presumido (Indústria) - 4,8% IRPJ (sem Adicional) e 2,88% CSLL sobre a Receita

5 Exercício 2: Página 2/2 Empresas com Faturamento "Misto" - Planejamento Tributário de desmembramento das atividades Empresa "Y"- Indústria de Máquinas de Costura, tanto para uso industrial (suj. CPRB) como domiciliar (não sujeito à CPRB) Vide Exercício 1 Parâmetros orçados para 2013: jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Total % Receita Bruta Venda Prod. Suj. CPRB Receita Bruta Venda Prod. Não Suj. CPRB Total Folha de Pagamento - Empregados vinculados aos Produtos sujeitos à CPRB Salários, Ordenados e Adicionais Horas Extras, Comissões, D.S.R., etc Férias + 1/ Salário Pró-Labore Total ,9% Folha de Pagamento - Empregados vinculados aos Produtos NÃO sujeitos à CPRB Salários, Ordenados e Adicionais Horas Extras, Comissões, D.S.R., etc Férias + 1/ Salário Pró-Labore Total ,9% *** EMPRESA "MISTA"*** CPRB - - -> CPP Patronal Folha - - -> Total da Contribuição Previdenciária ,2% *** EMPRESAS DISTINTAS *** CPRB - - -> CPP Patronal Folha - - -> Total da Contribuição Previdenciária ,6% *** DIFERENÇA "MISTA" X DISTINTAS *** CPRB - - -> CPP Patronal Folha - - -> (5.415) (4.999) (1.295) (4.238) (2.085) Total da Contribuição Previdenciária (5.415) (4.999) (1.295) (4.238) (2.085) ,6% Conclusão: nos segmentos em que houver significativa variação nos valores faturados mês a mês de produtos ou serviços sujeitos à CPRB (Desoneração), ocorrendo inclusive a ausência de faturamento em algum mês do ano-calendário, como no exemplo acima, mesmo que no ano, os totais de receita sejam de 50% para cada uma das espécies de receitas - Desonerada e Não-Desonerada, bem como a parcela atribuída de folha for equivalente a ambos os faturamentos, haverá diferença matemática nos totais a recolher, se mantida a empresa como "mista" ao invés de segregar-se entre dois CNPJ's com atividades distintas.

6 Exercício 3: Cálculo da CPP-Folha sobre 13 Salário / Empresas "mistas" e/ou que adentraram no regime de Desoneração em 2012 (Abril ou Agosto) Situação ( 1 ): Fabricante de móveis, calçados e vestuário, especificados na MP 540/2011 e sujeitos ao regime desde 12/2011 Nesta situação, como no período compreendido entre 12/2011 a 11/ últimos 12 meses anteriores ao do cálculo do INSS sobre 13 salário de 2012, a empresa esteve sujeita em TODOS os meses do período à Desoneração, calcular o fator de compensação da SEFIP conforme a seguir: *** De 12/2011 A 11/2012 *** dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 Total do período - de 12/2011 a 11/2012 Soma das Receitas - Meses sujeitos à Desoneração Fator Comp. Prop. De 12/2011 a 11/2012 Receita Bruta Venda Prod. Suj. CPRB , Receita Bruta Venda Prod. Não Suj. CPRB Total Folha de Pagamento de 13 Salário SEFIP Total da Folha - 13 Salário CPP - 20% 9.60 Compensação (4.676,00) 0, CPP 13 Salário a Recolher (GPS) 4.924,00

7 Situação ( 2 ): Setores que adentraram na Desoneração - Total ou Parcial - em 04/2012 ou 08/2012: A sugestão apresentada é de: ( a ) segregar os avos relativos ao período de 01/2012 até o último mês do ano-calendário anterior ao do início de vigência da desoneração - Abril ou Agosto, resultando assim, ou em 3/12 ou 7/12 a serem recolhidos na regra anterior vigente, sobre a folha de salários; ( b ) sobre o período restante, desde que iniciou a vigência da desoneração - abril ou agosto/ até novembro/2012, calcular o fator de compensação, com base na razão entre o somatório das Receitas Desoneradas e a Receita Bruta Total. Apurar assim o valor compensável em SEFIP. Exemplo 2.1) Hotel - sujeito à Desoneração Total (100%) desde 08/2012 *** De 12/2011 A 11/2012 *** dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 Total do período - de 12/2011 a 11/2012 Soma das Receitas - Meses sujeitos à Desoneração Fator Comp. Prop. De 08/2012 a 11/2012 Receita Bruta Venda Prod. Suj. CPRB , Receita Bruta Venda Prod. Não Suj. CPRB Total Folha de Pagamento de 13 Salário SEFIP ( a ) ( b ) Total Total da Folha - 13 Salário CPP - 20% / Quantidade de Avos / / ( - ) Compensação , ,41667 < - - Fator de Compensação Global Apurado CPP 13 Salário a Recolher (GPS) Exemplo 2.2) TI "Mista"- sujeita à Desoneração Parcial desde 04/2012 *** De 12/2011 A 11/2012 *** dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 Total do período - de 12/2011 a 11/2012 Soma das Receitas - Meses sujeitos à Desoneração Fator Comp. Prop. De 04/2012 a 11/2012 Receita Bruta Venda Prod. Suj. CPRB , Receita Bruta Venda Prod. Não Suj. CPRB Total Folha de Pagamento de 13 Salário SEFIP ( a ) ( b ) Total Total da Folha - 13 Salário CPP - 20% / Quantidade de Avos / / ( - ) Compensação ,50 0, ,50 0,38036 < - - Fator de Compensação Global Apurado CPP 13 Salário a Recolher (GPS) , ,50 O Cálculo acima foi efetuado conforme sugestões apresentadas por empresas de consultoria, visto não haver ato normativo ou de natureza interpretativa que preste maiores esclarecimentos sobre o cálculo para estas ocasiões. Vide link: Exercício: Sendo todos os empregados sujeitos à faixa de 9% de INSS, o RAT igual a 2% (FAP = 1) e total de Terceiros (Outras Entidades) igual a 5,8%, preencha a ficha Demonstrativo SEFIP e campos da GPS relativos à competência 13/2012.

8 EMPRESA: XXX COMPROVANTE DE DECLARAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES A RECOLHER À PREVIDÊNCIA SOCIAL E A OUTRAS ENTIDADES E FUNDOS POR FPAS POR EMPRESA COMP.: 13 CÓD. REC: 115 CÓD. GPS: 2100 FPAS: 507 OUTRAS ENTIDADES: 0079 SIMPLES: 1 ALÍQ. RAT: 2,0 FAP: 1,0 RAT AJUSTADO: 2,0 ( = 5,8%) CNAE PREPONDERANTE: XXX APURAÇÃO DO VALOR A RECOLHER: 507 SEGURADO Empregados/Avulsos EMPRESA Empregados/Avulsos CAMPOS DA GPS: RAT 6. VALOR DO INSS RAT - Agentes Nocivos 9. VALOR DE OUTRAS ENTIDADES Valores pagos a cooperativas 11. TOTAL Adicional Cooperativas Comercialização Produção Evento Desportivo/Patrocínio RECOLHIMENTO COMP ANT - VALOR INSS ( - ) Retenção Lei 9.711/98 (*) ( - ) Salário Família / Maternidade (*) Fator Comp. CPRB 13 Sal. ( - ) Compensação VALOR A RECOLHER - PREVIDÊNCIA SOCIAL 13/2012 OUTRAS ENTIDADES RECOLH COMP ANT - VALOR OUT ENTID VALOR A RECOLHER - OUTRAS ENTIDADES TOTAL A RECOLHER (*) apenas o excedente de retenções e compensações não realizadas na SEFIP da competência do mês 12.

Exercício 1. Movimento no Mês. Descrição. b) Qual o Valor da Receita Bruta Desonerada, para fins de determinação do fator de compensação na SEFIP?

Exercício 1. Movimento no Mês. Descrição. b) Qual o Valor da Receita Bruta Desonerada, para fins de determinação do fator de compensação na SEFIP? Exercício 1 Objeto Social da Empresa "A": Elaboração de programas de computador (softwares), consultoria em tecnologia da informação, representação comercial de softwares de terceiros prontos para uso,

Leia mais

SUMÁRIO 1. Introdução 2. Empresas com Atividades Exclusivas 3. Empresas com Atividades Concomitantes 4. Empresas com Atividades Mistas

SUMÁRIO 1. Introdução 2. Empresas com Atividades Exclusivas 3. Empresas com Atividades Concomitantes 4. Empresas com Atividades Mistas Desoneração da Folha de Pagamento 13º Salário SUMÁRIO 1. Introdução 2. Empresas com Atividades Exclusivas 3. Empresas com Atividades Concomitantes 4. Empresas com Atividades Mistas 1. Introdução A alteração

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 0001/0004 858100000013 171201791108 207529050803 413652700010 EMPRESA: CONDOMINIO

Leia mais

Protocolo de Envio de Arquivos Conectividade Social

Protocolo de Envio de Arquivos Conectividade Social Protocolo de Envio de Arquivos Conectividade Social Prezado Cliente DORLY CONTABILIDADE - 221161438, Seu arquivo mpgbo13mnsg3.sfp foi armazenado na caixa postal da funcionalidade SEFIP/REV, na Caixa Econômica

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CONTABILIDADE E Prof. Cássio Marques da Silva 2018 SIMPLES NACIONAL LC 123, 14 de Dezembro de 2006 Alterada pela LC 127, 14 de Agosto de 2007 Alterada pela LC 128, 19 de Dezembro de 2008 Alterada pela

Leia mais

GFIP - SEFIP 8.40 (22/03/202) TABELAS 35.0 (/0/206) EMPRESA: COMPROVANTE DE DECLARAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES A RECOLHER À PREVIDÊNCIA SOCIAL E A OUTRAS ENTIDADES E FUNDOS POR FPAS EMPRESA Nº ARQUIVO: A0use43ui0000-3

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 0001/0005 EMPRESA: W R CENTRO AUTOMOTIVO DE CARAGUA LT ME 04.841.855/0001-04

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA EUGENIO ANTUNES DOS SANTOS

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA EUGENIO ANTUNES DOS SANTOS MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 0001/0005 EMPRESA: MERCADINHO SAO PEDRO CARAGUATATUBA LTDA 00.241.053/0001-02 COMP: 09/2010 COD REC:115 COD GPS: 2100 FPAS: 515 OUTRAS

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA ADELINE SALIM DA SILVA

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA ADELINE SALIM DA SILVA RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 0001/0005 EMPRESA: SANTOS E SANTOS ARTE E DECORACAO LTDA 10.475.462/0001-19 COMP:

Leia mais

PLANO BRASIL MAIOR. MP nº 563,

PLANO BRASIL MAIOR. MP nº 563, PLANO BRASIL MAIOR E AS RECENTES ALTERAÇÕES PELA MP nº 563, DE 3 DE ABRIL DE 2012, RETIFICADA EM 23 DE ABRIL DE 2012. Medida Provisória n 563, Plano Brasil Maior - Evolução Legislativa MP 540/11 Lei nº.

Leia mais

A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais

A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais com Alexandre Matias Silva A retenção previdenciária em face das recentes mudanças legais na contratação de serviço: MEI, empresas, desoneração e contribuintes individuais Das 09h às 11h - Sede do Sindcont-SP

Leia mais

O corretor de Seguros no Simples Nacional

O corretor de Seguros no Simples Nacional O corretor de Seguros no Simples Nacional Quem caminha sozinho pode até chegar mais rápido, mas aquele que vai acompanhado, com certeza vai mais longe. Clarice Lispector Como chegamos lá... Ricardo Pansera

Leia mais

Exercícios de fixação Para resolução dos exercícios, seguem abaixo as tabelas do INSS e IR para o ano de 2016:

Exercícios de fixação Para resolução dos exercícios, seguem abaixo as tabelas do INSS e IR para o ano de 2016: Exercícios de fixação Para resolução dos exercícios, seguem abaixo as tabelas do INSS e IR para o ano de 2016: Tabela de contribuição dos segurados empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso,

Leia mais

Valores Pagos a Cooperativas 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00. Contribuintes Individuais 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

Valores Pagos a Cooperativas 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00. Contribuintes Individuais 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 GFIP - SEFIP 8.40 (22/03/2012) TABELAS 33.0 (14/01/2014) 0001 COMPROVANTE DE DECLARAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES A RECOLHER À PREVIDÊNCIA SOCIAL E A OUTRAS ENTIDADES E FUNDOS POR FPAS EMPRESA Nº ARQUIVO: JnwmFWFqDDu0000-9

Leia mais

SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE

SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE SIMPLES NACIONAL Tributo federal Lei Complementar 123/2006 e 128/2008 Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas

Leia mais

Conectividade Social - Procuração Eletrônica. Seu arquivo GaX3USPPez zip foi armazenado na Caixa Econômica Federal em 05/01/2015 às 13:18:25.

Conectividade Social - Procuração Eletrônica. Seu arquivo GaX3USPPez zip foi armazenado na Caixa Econômica Federal em 05/01/2015 às 13:18:25. Conectividade Social - Procuração Eletrônica https://conectividade.caixa.gov.br/cxpostal/downloadprotocoloservlet?return=post&... Página 1 de 1 CONECTIVIDADE SOCIAL Protocolo de Envio de Arquivos Prezado

Leia mais

Valores Pagos a Cooperativas 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00. Contribuintes Individuais 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00

Valores Pagos a Cooperativas 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00. Contribuintes Individuais 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 GFIP - SEFIP 8.40 (22/03/2012) TABELAS 33.0 (14/01/2014) 0001 COMPROVANTE DE DECLARAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES A RECOLHER À PREVIDÊNCIA SOCIAL E A OUTRAS ENTIDADES E FUNDOS POR FPAS EMPRESA Nº ARQUIVO: ICtJGUmqnrS0000-4

Leia mais

LEI Nº /2018 ALTERAÇÕES NO RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA- CPRB. MAPA ETÉCNICO FISCAL

LEI Nº /2018 ALTERAÇÕES NO RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA- CPRB. MAPA ETÉCNICO FISCAL LEI Nº 13.670/2018 ALTERAÇÕES NO RECOLHIMENTO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA- CPRB. 1 Foi publicada, no Diário Oficial da União Edição Extra do último dia 30.05, a Lei nº 13.670/2018,

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CONTABILIDADE E Prof. Cássio Marques da Silva 2017 CSLL CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍQUIDO CSLL CONTRIB. SOCIAL S/ LUCRO LÍQUIDO A CSLL é uma contribuição de competência da União instituída pela

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO. Medidas Provisórias 601/12 e 612/13.

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO. Medidas Provisórias 601/12 e 612/13. DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO Medidas Provisórias 601/12 e 612/13. A Medida Provisória 601/12 estendeu os benefícios fiscais da desoneração da folha de pagamento aos setores da construção civil, do

Leia mais

PLANO BRASIL MAIOR E AS RECENTES ALTERAÇÕES PELA. Lei /12

PLANO BRASIL MAIOR E AS RECENTES ALTERAÇÕES PELA. Lei /12 PLANO BRASIL MAIOR E AS RECENTES ALTERAÇÕES PELA Lei 12.715/12 Plano Brasil Maior - Evolução Legislativa MP 540/11 Lei nº. 12.546/11 MP 563/12 Lei nº. 12.715/12 COFINS-IMPORTAÇÃO Alíquota Adicional Setores

Leia mais

1) Sobre o Regime de Desoneração da Folha Lei nº /2011

1) Sobre o Regime de Desoneração da Folha Lei nº /2011 Belo Horizonte, 06 de abril de 2017. AO SINDINFOR. Referência: Consulta jurídica sobre as alterações promovidas pela Medida Provisória nº 774/2017, de 30 de março de 2017, e seus reflexos sobre as contribuições

Leia mais

CARTILHA NACIONAL SIMPLES. Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa.

CARTILHA NACIONAL SIMPLES. Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa. CARTILHA NACIONAL SIMPLES Entenda o resumo da tributação da sua Micro ou Pequena Empresa. O que é Simples Nacional? Como enquadro minha empresa no Nacional Simples? O Simples Nacional é um regime tributário

Leia mais

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

FAPAN Faculdade de Agronegócio de Paraíso do Norte DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO A DRE é a apresentação, em forma resumida, das operações realizadas pela empresa, durante o exercício social, demonstradas de forma a destacar o resultado líquido

Leia mais

[(Receita Bruta Não Beneficiada x 100) / Receita Bruta Total) = Fator de aplicação

[(Receita Bruta Não Beneficiada x 100) / Receita Bruta Total) = Fator de aplicação CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA A Lei 12.546 de 14/12/2011 instituiu, entre outras medidas, a CPRB Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta, ou seja, alterou a base de cálculo

Leia mais

Tutorial Conferência SEFIP

Tutorial Conferência SEFIP Tutorial Conferência SEFIP Antes da Conferência entre a SEFIP e a Folha, é importante observar as configurações básicas iniciais para geração correta do arquivo, inibindo a ocorrência de erros e inconsistências

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. "Plano de Negócios" Empreendedor(a): WALKYRIA NOBREGA DE OLIVIRA

PLANO DE NEGÓCIOS. Plano de Negócios Empreendedor(a): WALKYRIA NOBREGA DE OLIVIRA PLANO DE NEGÓCIOS "Plano de Negócios" Empreendedor(a): WALKYRIA NOBREGA DE OLIVIRA Março/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores 1.3 Empreendimento

Leia mais

Tributos Indiretos ISS / IPI / ICMS

Tributos Indiretos ISS / IPI / ICMS Fazer teste: AS_I Pergunta 1 Tributos Indiretos ISS / IPI / ICMS 1. Sabe-se que o ISS é um imposto de responsabilidade dos Municípios, porém, a LC 116/2003 determina a alíquota máxima de 5% (cinco por

Leia mais

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Notas da 5ª Edição Introdução...

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Notas da 5ª Edição Introdução... S GESTÃO TRIBUTÁRIA DE CONTRATOS E CONVÊNIOS 5ª EDIÇÃO 11 SUMÁRIO Abreviaturas... 19 Notas da 2ª Edição... 21 Notas da 3ª Edição... 23 Notas da 4ª Edição... 25 Notas da 5ª Edição... 27 Introdução... 29

Leia mais

Palestra. Planejamento Tributário - Análise Comparativa. Novembro Elaborado por: José Sérgio Fernandes de Mattos

Palestra. Planejamento Tributário - Análise Comparativa. Novembro Elaborado por: José Sérgio Fernandes de Mattos Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO. Prof. André Gomes

CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO. Prof. André Gomes CURSO PIS COFINS CUMULATIVO E NÃO CUMULATIVO Prof. André Gomes 1 Contribuição para PIS/PASEP PIS contribuição para o Programa de Integração Social funcionários das empresas do setor privado; PASEP contribuição

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB GUIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - GPS 1 - NOME / TELEFONE / ENDEREÇO 4 - COMPETÊNCIA 08/2015

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB GUIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - GPS 1 - NOME / TELEFONE / ENDEREÇO 4 - COMPETÊNCIA 08/2015 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB GUIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL - GPS SEFIP8.40 TAB. 34.0 3 - CÓDIGO DE PAGAMENTO 1 - NOME / TELEFONE / ENDEREÇO 4 - COMPETÊNCIA COMERCIAL PECK DE ALIMENTOS LTDA

Leia mais

Mini Currículo do professor

Mini Currículo do professor PÓS GRADUAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO Profº. Arnóbio N. Araujo Durães Outubro/2018 Aula 2/2 Mini Currículo do professor Arnóbio Neto Araújo Durães Mestre em Controladoria e Contabilidade Estratégica, Pós-Graduado

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL E DESONERAÇÃO DA FP. José de Carvalho filho

PREVIDÊNCIA SOCIAL E DESONERAÇÃO DA FP. José de Carvalho filho PREVIDÊNCIA SOCIAL E DESONERAÇÃO DA FP X José de Carvalho filho DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? Substituição da base de cálculo da contribuição previdenciária sobre a folha de pagamento por uma base

Leia mais

Exclusão do ICMS da BC das contribuições PIS/COFINS: discussões atuais

Exclusão do ICMS da BC das contribuições PIS/COFINS: discussões atuais Exclusão do ICMS da BC das contribuições PIS/COFINS: discussões atuais HIPÓTESE DE INCIDÊNCIA DAS CONTRIBUIÇÕES PIS/COFINS REGIME CUMULATIVO (TOTALIDADE DA RECEITA BRUTA OPERACIONAL) Lei 9.718/98 Art.

Leia mais

Palestra. Planejamento Tributário para Análise Comparativa. Outubro Elaborado por: José Sérgio Fernandes de Mattos

Palestra. Planejamento Tributário para Análise Comparativa. Outubro Elaborado por: José Sérgio Fernandes de Mattos Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

LUCRO REAL ANUAL RECOLHIMENTO POR ESTIMATIVA MENSAL

LUCRO REAL ANUAL RECOLHIMENTO POR ESTIMATIVA MENSAL LUCRO REAL ANUAL RECOLHIMENTO POR ESTIMATIVA MENSAL As empresas tributadas pelo lucro real, que optaram pela apuração anual, deverão recolher mensalmente antecipações de IRPJ e CSLL com base em lucro estimado

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 0001/0005 EMPRESA: AUTO MOTO ESCOLA RALLY LTDA 54.769.336/0001-42 COMP: 11/2016 COD REC:115 COD GPS: 2003 FPAS: 515 OUTRAS ENT: SIMPLES: 2 RAT: 0,0 FAP: 1,00 RAT AJUSTADO: NOME TRABALHADOR PIS/PASEP/CI

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CPRB LEGISLAÇÃO CONSTITUIÇÃO FEDERAL Art. 195 - A seguridade social será financiada... seguintes contribuições sociais: I - do empregador, da empresa e da entidade a ela equiparada na forma da lei, incidentes

Leia mais

SIMPLES NACIONAL SIMPLES NACIONAL 22/11/2017 PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE

SIMPLES NACIONAL SIMPLES NACIONAL 22/11/2017 PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE SIMPLES NACIONAL PROF. DR. AMAURY JOSE REZENDE SIMPLES NACIONAL Tributo federal Lei Complementar 123/2006 e 128/2008 Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas

Leia mais

esocial, EFD-Reinf e DCTFWeb

esocial, EFD-Reinf e DCTFWeb esocial, EFD-Reinf e DCTFWeb Samuel Kruger Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil Curitiba, 07 de junho de 2018 esocial e EFD-Reinf obrigatoriedade simultânea Declarações atuais Substituídas por esocial:

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CONTABILIDADE E Prof. Cássio Marques da Silva 2016 CSLL CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO LÍQUIDO CSLL CONTRIB. SOCIAL S/ LUCRO LÍQUIDO ACSLLéumacontribuiçãodecompetênciadaUnião instituída pela Lei nº

Leia mais

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Introdução... 27

Abreviaturas Notas da 2ª Edição Notas da 3ª Edição Notas da 4ª Edição Introdução... 27 GESTÃO TRIBUTÁRIA DE CONTRATOS E CONVÊNIOS 4ª EDIÇÃO 11 Sumário S Abreviaturas... 19 Notas da 2ª Edição... 21 Notas da 3ª Edição... 23 Notas da 4ª Edição... 25 Introdução... 27 Capítulo 1... 29 1.1. Principais

Leia mais

Tabela Mensal de Obrigações - Janeiro/2019 Setor Contábil

Tabela Mensal de Obrigações - Janeiro/2019 Setor Contábil Tabela Mensal de Obrigações - Janeiro/2019 Setor Contábil Dia 04 (sexta-feira) IRRF Recolhimento do IRRF correspondente aos fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.12.2018, incidente sobre rendimentos

Leia mais

Simples Nacional para a Representação Comercial a partir de 2018.

Simples Nacional para a Representação Comercial a partir de 2018. Simples Nacional para a Representação Comercial a partir de 2018. Nós Representantes Comerciais, mais uma vez, devemos estar atentos na escolha do regime tributário, mas ao que parece, desta vez, para

Leia mais

A desoneração da folha trocada em miúdos. 1. Introdução

A desoneração da folha trocada em miúdos. 1. Introdução 1. Introdução Com a publicação da Medida Provisória 563/12 convertida na Lei 12.715/12 e posteriormente regulamentada pelo Decreto 7.828/12, determinadas empresas de vários setores terão a contribuição

Leia mais

esocial, EFD-Reinf e DCTFWeb

esocial, EFD-Reinf e DCTFWeb esocial, EFD-Reinf e DCTFWeb Samuel Kruger Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil São Paulo, 10 de maio de 2018 Conteúdo esocial: Informações relacionadas ao trabalho e Previdência Social-PS do trabalhador:

Leia mais

ANALISTA FISCAL E TRIBUTÁRIO. Conhecimentos e Práticas Tributárias e Fiscais

ANALISTA FISCAL E TRIBUTÁRIO. Conhecimentos e Práticas Tributárias e Fiscais ANALISTA FISCAL E TRIBUTÁRIO Conhecimentos e Práticas Tributárias e Fiscais Objetivos do Workshop 1 Conhecer e Atualizar os Conhecimentos acerca da Legislação Tributária e Fiscal Vigente 2 Adotar Procedimentos

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO INÍCIO EM JANEIRO/2013

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO INÍCIO EM JANEIRO/2013 CIRCULAR Nº 39/2012 São Paulo, 11 de Dezembro de 2012. DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO INÍCIO EM JANEIRO/2013 À SEAC INDUSTRIA E COMERCIO DE ETIQUETAS LTDA Em atenção do Sr. Hernandes Bremer Prezado

Leia mais

Tabela Mensal de Obrigações - Fevereiro/2019 Setor Contábil

Tabela Mensal de Obrigações - Fevereiro/2019 Setor Contábil Tabela Mensal de Obrigações - Fevereiro/2019 Setor Contábil Dia 05 (terça-feira) IRRF IOF Recolhimento do IRRF correspondente aos fatos geradores ocorridos no período de 21 a 31.01.2019, incidente sobre

Leia mais

ATIVIDADE 05 CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO (RESPOSTAS)

ATIVIDADE 05 CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO (RESPOSTAS) ATIVIDADE 05 CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO (RESPOSTAS) 1. Determinada empresa apurou prejuízo fiscal de R$ 360.000,00 no ano de 2012. Em 2013, obteve um resultado positivo no valor de R$ 850.000,00,

Leia mais

As retenções no novo ambiente EFD-Reinf e DCTFWeb

As retenções no novo ambiente EFD-Reinf e DCTFWeb As retenções no novo ambiente EFD-Reinf e DCTFWeb e-social Trabalho Doméstico Cadastro básico do Empregador; Dados completos do Empregado, incluindo dados para cálculos de folha; Informações dos eventos

Leia mais

Atividade 05 (Grupo)

Atividade 05 (Grupo) 1. Lucro Real e Lucro Contábil têm o mesmo significado? Explique. Atividade 05 (Grupo) Resposta: Não. Lucro Contábil é um conceito da contabilidade assim como Lucro Bruto, Lucro Operacional, etc enquanto

Leia mais

Agenda de Contribuições, Tributos e Obrigações. Mês de Fevereiro de 2017.

Agenda de Contribuições, Tributos e Obrigações. Mês de Fevereiro de 2017. Agenda de Contribuições, Tributos e Obrigações. Mês de Fevereiro de 17. DIAS OBRIGAÇÕES D E S C R I Ç Ã O FUNDAMENTAÇÃO LEGAL 17.01 à 17.03.17 03 06 RAIS SALÁRIOS SECONCI O Ministério do Trabalho e Emprego,

Leia mais

Boletim Técnico. Fundamentação Legal. Desoneração da Folha de Pagamento Cálculo Misto. Produto : Microsiga Protheus Gestão de Pessoal Versão 10

Boletim Técnico. Fundamentação Legal. Desoneração da Folha de Pagamento Cálculo Misto. Produto : Microsiga Protheus Gestão de Pessoal Versão 10 Desoneração da Folha de Pagamento Cálculo Produto : Microsiga Protheus Gestão de Pessoal Versão 10 Chamado : TGPTIO Data da publicação : 15/05/13 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos Ajustado na

Leia mais

Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais(DEFIS)

Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais(DEFIS) Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais(DEFIS) Declaração Original Exercício 2016 Ano-Calendário 2015 Período abrangido pela Declaração: 01/01/2015 a 31/12/2015 1 Identificação do Contribuinte

Leia mais

DESONERAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO

DESONERAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO DESONERAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO Instrutor : Márcio Henrique Quadros 1 PRINCIPAIS REFERENCIAIS DESONERAÇÃO DE FOLHA DE PAGAMENTO ATO DECLARATÓRIO EXECUTIVO CODAC Nº 93 DE 19/12/2011; ATO DECLARATÓRIO

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 0001/0006 EMPRESA: CRISTIANA DE ALMEIDA LOPES LAPAROMED 09.581.782/0001-74 COMP: 09/2012 COD REC:115 COD GPS: 2003 FPAS: 515 OUTRAS ENT: SIMPLES: 2 RAT: 0,0 FAP: 1,00 RAT AJUSTADO: NOME TRABALHADOR PIS/PASEP/CI

Leia mais

Vinícolas Lei Complementar n 155/16

Vinícolas Lei Complementar n 155/16 Simples Nacional Vinícolas Lei Complementar n 155/16 Rômulo de Jesus Dieguez de Freitas Bacharel em Ciências Contábeis Advogado e Consultor Sócio da AFT Advocacia e Consultoria Jurídica Simples Nacional

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 0001/0005 EMPRESA: CRISTIANA DE ALMEIDA LOPES LAPAROMED 09.581.782/0001-74 COMP: 07/2012 COD REC:115 COD GPS: 2003 FPAS: 515 OUTRAS ENT: SIMPLES: 2 RAT: 0,0 FAP: 1,00 RAT AJUSTADO: NOME TRABALHADOR PIS/PASEP/CI

Leia mais

9ª REGIÃO FISCAL - DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO

9ª REGIÃO FISCAL - DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO 9ª REGIÃO FISCAL - DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO SOLUÇÃO DE CONSULTA Nº 212, DE 13 DE AGOSTO DE 2008: IMPORTAÇÃO POR CONTA E ORDEM DE TERCEIROS. ALÍQUOTA ZERO. REQUISITOS DO ADQUIRENTE. A redução a zero das alíquotas

Leia mais

Tabela Mensal de Obrigações Março/2018 Setor Contábil

Tabela Mensal de Obrigações Março/2018 Setor Contábil Tabela Mensal de Obrigações Março/2018 Setor Contábil Dia 05 (segunda-feira) Recolhimento do correspondente aos fatos geradores ocorridos no período de 21 a 28.02.2018, incidente sobre rendimentos de:

Leia mais

Orientações Consultoria De Segmentos Compensação da CPRB

Orientações Consultoria De Segmentos Compensação da CPRB Compensação 23/02/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 4. Conclusão... 5 5. Informações Complementares... 7 6. Referências...

Leia mais

Tabela Mensal de Obrigações Abril/2018 Setor Contábil

Tabela Mensal de Obrigações Abril/2018 Setor Contábil Tabela Mensal de Obrigações Abril/2018 Setor Contábil Dia 04 (quarta-feira) IRRF Simples doméstico Comprovante de Juros Pagamento do apurado no 3 decêndio de março/2018: - Operações de crédito - Pessoa

Leia mais

Retenções de Impostos na Fonte Lucro Presumido

Retenções de Impostos na Fonte Lucro Presumido Retenções de Impostos na Fonte Lucro Presumido Rosângela Gomes da Silva Governador Valadares-MG 2018 Lucro Presumido O Lucro Presumido é uma forma simplifica de tributação que usa como base de cálculo

Leia mais

ATIVIDADE 08 (GRUPO)

ATIVIDADE 08 (GRUPO) ATIVIDADE 08 (GRUPO) 1) Considere uma empresa de informática em operação que apresentou os seguintes dados ao final do 3º trimestre de 2013: Receita bruta de serviços... 90.000,00 Descontos condicionais

Leia mais

Simples Nacional 2018

Simples Nacional 2018 Simples Nacional 2018 IMPACTOS E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO PARA 2018 Mudança na legislação Simples Nacional e principais impactos; Cálculo das novas taxas (2018), com base nos resultados dos últimos meses.

Leia mais

Demontrativo Geral dos Haveres do Reclamante

Demontrativo Geral dos Haveres do Reclamante Demontrativo Geral dos Haveres do Reclamante Anexo Valor 1 Adicional de Periculosidade e Reflexos I 8.657,95 2 Horas Extras Excedentes da 8ª e 44ª II 21.657,51 3 Horas Extras de Intervalo III 4.767,64

Leia mais

1. RESUMO DAS OBRIGAÇÕES

1. RESUMO DAS OBRIGAÇÕES 1. RESUMO DAS OBRIGAÇÕES OBRIGAÇÕES IMPOSTO DE RENDA VENCIMENTO PENALIDADES (Pág.) IMPOSTO DE RENDA Recolhimento........................................................................... 20 5 OUTROS ASSUNTOS

Leia mais

1. Desoneração da Folha de Folha de Pagamento

1. Desoneração da Folha de Folha de Pagamento 1. Desoneração da Folha de Folha de Pagamento A desoneração da folha de pagamento é constituída de duas medidas complementares. Em primeiro lugar, o governo está eliminando a atual contribuição previdenciária

Leia mais

IRPJ- TEORIA E PRÁTICA

IRPJ- TEORIA E PRÁTICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO TRIBUTÁRIO. Profa. Cléber Barros AULA 52 27/09/2017 Direito TRIBUTÁRIO IRPJ parte 2 IRPJ- TEORIA E PRÁTICA Os regimes tributários da PJ são: Lucro real (são as empresas

Leia mais

Caminho Jurídico do Empreendedor

Caminho Jurídico do Empreendedor Caminho Jurídico do Empreendedor Introdução Início de Atividade Empresária requer: Modelo de empresas/tipos societários; Contrato social, Registro de marcas e patentes; Elaboração e estudo de contratos

Leia mais

Instruções Gerais Pholha

Instruções Gerais Pholha 1 Instruções Gerais Pholha Janeiro de 2019 Versão 08.01.63 ou superior PHOLHA x DIRF 2018 Pag 2 PHOLHA x esocial Pag 4 2 PHOLHA x DIRF 2018 JANEIRO DE 2019 REGIME DE COMPETÊNCIA x REGIME DE CAIXA Regime

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamento / INSS sobre Receita Bruta (CPRB) Apostila

Desoneração da Folha de Pagamento / INSS sobre Receita Bruta (CPRB) Apostila Desoneração da Folha de Pagamento / INSS sobre Receita Bruta (CPRB) Apostila 1 Tipos jurídicos sujeitos à Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta -Sociedade empresária (sociedade por ações e

Leia mais

4 INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA ENTENDER O ESOCIAL

4 INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA ENTENDER O ESOCIAL Por Angelo Costa 4 INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA ENTENDER O ESOCIAL 2 Objetivo do esocial 1 Estabelecer a forma com que passam a ser prestadas as informações trabalhistas, previdenciárias, tributárias e

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamento / INSS sobre Receita Bruta (CPRB) Anexos

Desoneração da Folha de Pagamento / INSS sobre Receita Bruta (CPRB) Anexos Desoneração da Folha de Pagamento / INSS sobre Receita Bruta (CPRB) Anexos 1 LEI Nº 12.546, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011 Art. 7 o Até 31 de dezembro de 2014, contribuirão sobre o valor da receita bruta, excluídas

Leia mais

IV - elaboração de programas de computadores, inclusive de jogos eletrônicos;

IV - elaboração de programas de computadores, inclusive de jogos eletrônicos; Diário Oficial da União, Seção 1, Edição nº 201, p. 4, 17.10.2012 Decreto nº 7.828, de 16.10.2012 - Regulamenta a incidência da contribuição previdenciária sobre a receita devida pelas empresas de que

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CONTABILIDADE E Prof. Cássio Marques da Silva 2017 IRPJ LUCRO ARBITRADO Oarbitramentodolucroéumaformadeapuração dabasedecálculodoimpostoderendautilizadapela autoridade tributária ou pelo contribuinte.

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CONTABILIDADE E Prof. Cássio Marques da Silva 2018 IRPJ LUCRO ARBITRADO Oarbitramentodolucroéumaformadeapuração dabasedecálculodoimpostoderendautilizadapela autoridade tributária ou pelo contribuinte.

Leia mais

ANEXO III LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS OBSERVAÇÕES QUANTO À LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS:

ANEXO III LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS OBSERVAÇÕES QUANTO À LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS: ANEXO III LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS OBSERVAÇÕES QUANTO À LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS: Esta listagem estruturada de contas é de caráter meramente didático e tem por

Leia mais

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A FEVEREIRO / 2017 DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE D S T Q Q S S

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A FEVEREIRO / 2017 DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE D S T Q Q S S AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A FEVEREIRO / 2017 D S T Q Q S S 01 02 03 04 05 07 07 08 09 10 10 11 12 13 14 15 15 16 17 18 19 20 20 21 22 23 24 24 25 26 27 27 28 28-1 - 02/2017

Leia mais

ANEXO IV LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS OBSERVAÇÕES QUANTO À LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS:

ANEXO IV LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS OBSERVAÇÕES QUANTO À LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS: ANEXO IV LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS BACHAREL EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS OBSERVAÇÕES QUANTO À LISTAGEM ESTRUTURADA DE CONTAS: Esta listagem estruturada de contas é de caráter meramente didático e tem por

Leia mais

GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES ICMS Santa Catarina Não foi publicada nenhuma alteração até o fechamento dessa edição do Guia.

GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES ICMS Santa Catarina Não foi publicada nenhuma alteração até o fechamento dessa edição do Guia. GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES 19.10.2015 1. ICMS Santa Catarina Não foi publicada nenhuma alteração até o fechamento dessa edição do Guia. 2. Legislação Federal SOLUÇÃO DE CONSULTA DISIT/SRRF07 Nº 7045, DE

Leia mais

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA Visando esclarecer os procedimentos devidos para retenção dos tributos e contribuições sobre serviços contratados de Pessoas Físicas não assalariadas

Leia mais

ANO XXIX ª SEMANA DE MAIO DE 2018 BOLETIM INFORMARE Nº 22/2018

ANO XXIX ª SEMANA DE MAIO DE 2018 BOLETIM INFORMARE Nº 22/2018 ANO XXIX - 2018 5ª SEMANA DE MAIO DE 2018 BOLETIM INFORMARE Nº 22/2018 ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS PRODUÇÃO RURAL/COMERCIALIZAÇÃO RURAL ATUALIZAÇÃO (Alíquotas Das Contribuições, Opção Pela Comercialização

Leia mais

Orientações Consultoria De Segmentos INSS da 2ª Parcela do 13º Salário de Empresas que Deixaram de Contribuir pela CPRB em 2015

Orientações Consultoria De Segmentos INSS da 2ª Parcela do 13º Salário de Empresas que Deixaram de Contribuir pela CPRB em 2015 Orientações Consultoria De Segmentos INSS da 2ª Parcela do 13º Salário de Empresas que Deixaram de Contribuir pela CPRB em 2015 23/02/2016 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas

Leia mais

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

CONTABILIDADE E PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO CONTABILIDADE E Prof. Cássio Marques da Silva 2016 IRPJ LUCRO ARBITRADO Oarbitramentodolucroéumaformadeapuração dabasedecálculodoimpostoderendautilizadapela autoridade tributária ou pelo contribuinte.

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 1.069,87 0,00 0,00 85,58

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 1.069,87 0,00 0,00 85,58 0001/0006 EMPRESA: R B C BOLOS DOCES LANCHES E ALIMENTOS 17.829.666/0001-50 COMP: 04/2016 COD REC:115 COD GPS: 2003 FPAS: 515 OUTRAS ENT: SIMPLES: 2 RAT: 0,0 FAP: 1,00 RAT AJUSTADO: REM SEM 13º SAL REM

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 1/5 EMPRESA: INSTITUTO GESTALT DE S PAULO LTDA EPP 4.518.958/1-2 COMP: 1/217 COD REC:115 COD GPS: 23 FPAS: 515 OUTRAS ENT: SIMPLES: 2 RAT:, FAP: 1, RAT AJUSTADO: REM SEM 13º SAL REM 13ºSAL BASE CÁL 13ºSAL

Leia mais

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA

RELAÇÃO DOS TRABALHADORES CONSTANTES NO ARQUIVO SEFIP MODALIDADE : BRANCO-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA MODALIDADE : "BRANCO"-RECOLHIMENTO AO FGTS E DECLARAÇÃO À PREVIDÊNCIA 1/1 858832 945618144 9757218815 127831 EMPRESA: SPR SERVICOS LTDA INSCRIÇÃO: 11.27.83/1-55 COMP: 8/214 COD REC:15 COD GPS: 23 FPAS:

Leia mais

Esquemas de financiamento utilizados na expansão de cobertura

Esquemas de financiamento utilizados na expansão de cobertura Esquemas de financiamento utilizados na expansão de cobertura Financiamento da Previdência e da Seguridade Social no Brasil Paulo Tafner e Fabio Giambiagi Buenos Aires, maio/2010 Estrutura da Seguridade

Leia mais

Segue explicação cálculo Simples Nacional com alguns exemplos para facilitar esse entendimento 2017/2018.

Segue explicação cálculo Simples Nacional com alguns exemplos para facilitar esse entendimento 2017/2018. No ano de 2018 teremos várias alterações que afetarão as empresas do Simples Nacional. Essas novas alterações afetarão principalmente a sistemática de cálculo Segue explicação cálculo Simples Nacional

Leia mais

Cliente: Emitido Por: Chamado Data Pág. HUMANUS Jussara de Melo Dez/2012 1(9)

Cliente: Emitido Por: Chamado Data Pág. HUMANUS Jussara de Melo Dez/2012 1(9) Contact Report Cliente: Emitido Por: Chamado Data Pág. HUMANUS Jussara de Melo Dez/2012 1(9) Titulo: Roteiro Parametrização Desoneração s/ Folha de Pagamento Plano Brasil Maior A adaptação deste processo,

Leia mais

1. Desoneração da Folha de Folha de Pagamento

1. Desoneração da Folha de Folha de Pagamento 1. Desoneração da Folha de Folha de Pagamento A desoneração da folha de pagamento é constituída de duas medidas complementares. Em primeiro lugar, o governo está eliminando a atual contribuição previdenciária

Leia mais

ANO XXIX ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2018 BOLETIM INFORMARE Nº 37/2018

ANO XXIX ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2018 BOLETIM INFORMARE Nº 37/2018 ANO XXIX - 2018-2ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2018 BOLETIM INFORMARE Nº 37/2018 ASSUNTOS CONTÁBEIS FURTOS PRATICADOS POR EMPREGADOS - ASPECTOS CONTÁBEIS... Pág. 482 IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA BÔNUS DE

Leia mais

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A JANEIRO / 2017 D S T Q Q S S 01 02 03 04 05 06 06 07 08 09 10 10 11 12 13 13 14 15 15 16 16 17 18 19 20 20 21 22 23 24 25 25 26 27 28 29 30 31

Leia mais

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A

AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A AGENDA T R A B A L H I S T A E P R E V I D E N C I Á R I A FEVEREIRO / 2018 D S T Q Q S S 01 02 03 04 05 06 06 07 07 08 09 09 10 11 12 13 14 15 15 16 17 18 19 20 20 21 22 23 23 24 25 26 27 28 28-1 - 02/2018

Leia mais

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES

DEMONSTRATIVO DE CÁLCULO DE APOSENTADORIA - FORMAÇÃO DE CAPITAL E ESGOTAMENTO DAS CONTRIBUIÇÕES Página 1 de 28 Atualização: da poupança jun/81 1 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00 26.708,00-0,000% - 26.708,00 26.708,00 26.708,00 jul/81 2 133.540,00 15,78 10,00% 13.354,00 10,00% 13.354,00

Leia mais