Bloco K SUA EMPRESA ESTÁ PREPARADA? E-book

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bloco K SUA EMPRESA ESTÁ PREPARADA? E-book"

Transcrição

1 Bloco K SUA EMPRESA ESTÁ PREPARADA? Rua Tupanciretã, Bairro Ideal Novo Hamburgo - RS CEP:

2 O que é o Bloco K? Projeto do SPED para elaboração da versão eletrônica do Livro Registro de Controle da Produção e Estoque (Modelo 3). Base legal: Ajuste SINIEF 02/09 e Ajuste SINIEF 18/13, que dispôs a obrigatoriedade do Bloco K. Serão declaradas as entradas em estoque de produto fabricado e seus respectivos consumos de matérias primas e outros materiais, além das transferências internas e do saldo de estoque. Não são declarados valores monetários, apenas quantidades físicas. O Bloco K complementa os registros que já estão sendo informados ao Fisco (Blocos C e H da EFD Fiscal), dando a ele controle completo sobre o estoque dos contribuintes. Desta forma o Fisco tem condições de avaliar onde foram aplicados/em que foram transformados os insumos adquiridos, dando condições de avaliar eventuais omissões de vendas. Obrigatoriedade e Periodicidade Poderá ser exigido de estabelecimentos industriais, equiparados a industrial e também de atacadistas. Além desses, a critério do Fisco, poderá ser exigido de contribuintes de outros setores, conforme determina o Ajuste SINIEF 17/2014 e conforme 4º do art. 63 do Convênio s/número, de A apresentação é por ESTABELECIMENTO (inscrição estadual). Fato gerador a partir de 01/01/2016 (Ajuste SINIEF 17/14) Periodicidade igual à da apuração do ICMS ou do IPI, a que for mais curta (atualmente, mensal). 2

3 O que será enviado ao Fisco? No âmago da questão, toda a movimentação será enviada ao fisco, quer seja pelo Bloco K ou pelos Blocos C e H. O que não for explicitamente enviado poderá ser apurado pelo Fisco a partir do cruzamento das informações apresentadas. VAI PELO BLOCO K Entradas no estoque por produção no processo produtivo: Registro K230 Entradas no estoque por movimentação interna entre mercadorias: Registro K220 Entradas no estoque da quantidade produzida em terceiros: Registro K250 Saídas do estoque por consumo no processo produtivo: Registro K235 Saídas do estoque por movimentação interna entre mercadorias: Registro K220 Saídas do estoque da quantidade consumida na produção por terceiros: Registro K255 Estoque de posse do estabelecimento informante: Registro K200 Estoque de terceiro em posse do estabelecimento informante: Registro K200 Estoque do estabelecimento informante em posse de terceiro: Registro K200 NÃO VAI PELO BLOCO K: Cadastro de produtos: Registro 0200 Formulação/Estrutura do Produto: Registro 0210 Entradas no estoque de origem externa: Registro C170 ou NF-e Saídas do com destinação externa ao estabelecimento: Registro C100 - NF-e Saídas por consumo interno para uso: Registro C100 - NF-e Saídas por perda anormal ou ajuste negativo de inventário: Registro C100 - NF-e Transferência interna de almoxarifado Entrada por produção de Subproduto Movimentação de peças e partes para construção de imobilizado: Bloco G Movimento contábil de Produção em Elaboração Estoque de terceiros em posse de terceiros Movimentação de produtos de Tipo 06 Produto Intermediário, 07 Material de Uso e Consumo, 08 Imobilizado, 09 Serviços e 99-Outras 3

4 Registros Relacionados ao Bloco K Como classificar os itens de estoque conforme o TIPO? Nem toda movimentação vai para o Bloco K. Alguns produtos não terão seu histórico nem saldo informados. Estoque escriturado: Não envia produtos dos tipos 07 - Material de Uso e Consumo, 08 - Imobilizado, 09 - Serviços e 99 - Outras Entradas de produção: Envia somente produtos dos tipos 03 - Produto em processo e 04 - Produto Acabado Movimentações internas e consumos na produção: Não envia produtos do tipo 06 - Produto Intermediário, 07- Material de Uso e Consumo, 08 - Imobilizado, 09 - Serviços e 99 - Outras. O Fisco detalha no Guia Prático da EFD a conceituação de cada um dos tipos de item. Observar que o mesmo item pode ter tipos diferentes em cada estabelecimento da mesma empresa Mercadoria para revenda: produto adquirido para comercialização Matéria-prima: a mercadoria que componha, física e/ou quimicamente, um produto em processo ou 4

5 produto acabado e que não seja oriunda do processo produtivo. A mercadoria recebida para industrialização é classificada como Tipo 01, pois não decorre do processo produtivo, mesmo que no processo de produção se produza mercadoria similar classificada como Tipo Embalagem: mercadoria que se destina a embalar outras mercadorias Produto em processo: o produto que possua as seguintes características, cumulativamente: oriundo do processo produtivo; e, preponderantemente, consumido no processo produtivo. Dentre os produtos em processo está incluído o produto resultante caracterizado como retorno de produção. Um produto em processo é caracterizado como retorno de produção quando é resultante de uma fase de produção e é destinado, rotineira e exclusivamente, a uma fase de produção anterior à qual o mesmo foi gerado. No retorno de produção, o produto retorna (é consumido) a uma fase de produção anterior à qual ele foi gerado. Isso é uma excepcionalidade, pois o normal é o produto em processo ser consumido em uma fase de produção posterior à qual ele foi gerado, e acontece, portanto, em poucos processos produtivos Produto acabado: o produto que possua as seguintes características, cumulativamente: oriundo do processo produtivo; produto final resultante do objeto da atividade econômica do contribuinte; e pronto para ser comercializado Subproduto: o produto que possua as seguintes características, cumulativamente: oriundo do processo produtivo e não é objeto da produção principal do estabelecimento; tem aproveitamento econômico; não se enquadre no conceito de produto em processo (Tipo 03) ou de produto acabado (Tipo 04) Produto intermediário: aquele que, embora não se integrando ao novo produto, for consumido no processo de industrialização 07 - Material de Uso e Consumo: <Não especificado no guia prático> 08 - Ativo Imobilizado: Item cadastrado para informação nas notas de movimentação do imobilizado. Não movimenta estoques Serviços: Item cadastrado para informação nas notas de serviços. Não movimenta estoques Outros Insumos: <Não especificado no guia prático> 99 - Outras: Não enquadrado nos tipos anteriores 5

6 Pressupostos Alguns pressupostos devem ser considerados na elaboração dos processos internos das empresas e na posterior geração da EFD Bloco K. Qualquer coisa que não for enviada nos registros de movimentos terá seu consumo/saída apurada pelo fisco com base no registro de Estoque K200. Comparando dois períodos o fisco conhece a variação no saldo e provavelmente tentará preencher a variação com registros do Bloco C e com os movimentos do Bloco K. Cadastro do produto e ficha técnica: Insumos que já foram enviados na ficha técnica não podem ser excluídos/alterados. Pode haver adição de insumos em períodos posteriores, em algumas situações especiais. Beneficiamento em terceiros: códigos diferentes para item remetido e retornado. Insumos que não movimentam estoque não devem ser declarados no Somente envia a formulação (0210) para itens (0200) de tipo 3 - Em Processo e 4 - Acabado. Não envia 0210 se não houve produção ou consumo no período. O PVA não valida se um insumo previsto na formulação não for consumido no período. Resta saber se a RFB fará alguma validação futura. Estoque escriturado Não é informada a produção de 'Subprodutos' (0200/0210 e K230/K250), somente seu saldo em estoque no K200. Não gera o K200 se saldo do item no final do período for zero No estoque de terceiros e em poder de terceiros há indicação de Possuidor/Proprietário. Não gera este registro para itens de Tipos 07 Material de Uso e Consumo, 08 Imobilizado, 09 Serviços e 99 Outras. Movimentações de produção: Somente envia registro de entrada de produção (K230/K250) para itens de tipo 3 - Em Processo e 4 - Acabado Produto em Processo <> Produto em elaboração Produto em elaboração não vai para o Bloco K como produção. Não pode ser enviado Consumo (K235/K255) se não for informado o registro de entrada de produção (ainda que zerado, para OPs em aberto). Não pode ser enviado consumo de item que não esteja na formulação, exceto se substituindo algum outro. O consumo declarado deve ser sempre líquido e positivo (SI - EI). Não gera registro de Consumo para insumos com tipo 06 - Produto Intermediário, 07 - Material de Uso e Consumo, 08 - Imobilizado, 09 - Serviços e 99 - Outras. 6

7 Outras movimentações: Movimentos vinculados à NF não vão para o Bloco K (exceto beneficiamento, pelo estoque) Consumo interno, Perdas anormais e ajustes negativos de inventário Emitir NF Bloco C Estorno dos créditos tributários Transferências entre itens são enviadas no registro K220 Consumo de itens indiretos não é declarado (0210/K235/K255). Criar o item com tipo apropriado. Ajustes em OPs que já foram enviadas em período anterior são objeto de 'Retificação' da declaração enviada. Não existe reabertura de OP encerrada em período anterior. Abrir nova OP. Aquisição de peças e partes para construção de Imobilizado não devem movimentar estoque. Devem ir no Bloco G a partir do GPA. O SIGER vai resolver tudo para mim? Será uma tarefa quase impossível gerar o Bloco K sem o apoio de um sistema de gestão ERP que entenda as operações industriais. A equipe da Rech Informática está fazendo o seu melhor para facilitar ao máximo o dia a dia de seus usuários no cumprimento desta nova obrigação fiscal. O SIGER permitirá que você parametrize as regras de negócio, registre as movimentações de estoque e posteriormente processe estes movimentos para gerar os registros exigidos pelo Fisco. Infelizmente não há mágica, o maior desafio está nas adaptações que as empresas precisarão adotar nos processos internos de controle e de registro da produção e do estoque. Muitas práticas usualmente utilizadas terão de ser abandonadas, e outras terão de ser adotadas. Isso demanda tempo e muito empenho de todos os envolvidos nos processos das empresas. Procure se aproximar do seu escritório de serviços contábeis e/ou sua assessoria tributária. Conheça seu processo produtivo (process charting) Relacione suas operações com o que o SPED espera receber Redefina os processos que não estiverem adequados Chame seu Escritório Contábil para discutir suas ideias Classifique cada produto no tipo adequado Entenda como o SIGER vai tratar a geração do Bloco K Explique para sua equipe por que os procedimentos devem ser obedecidos Veja as respostas dadas pela RFB para as principais dúvidas dos contribuintes em tópico 16. 7

8 Quais sistemas (módulos) do SIGER preciso ter instalados para gerar o Bloco K? É necessário possuir no mínimo o sistema de Controle de Estoques do SIGER. Contudo, é aconselhável que a movimentação seja gerada pelo sistema de Gestão Industrial. Opcionalmente, pode ser utilizada a Movimentação por Formulação (Adicional do SIGER). Se pretende segregar as movimentações por Combinação, é necessário contratar o adicional de Controle de Estoques por Combinação/Configuração. No sistema de Livros Fiscais, o Bloco K será gerado juntamente com o SPED Fiscal, pelo menu 5.4-E. Será disponibilizado menu para geração do Bloco K no sistema de Controle de Estoques, menu 4.6-K. Lembre-se: a qualidade da informação gerada pelo SIGER somente pode ser garantida quando da elaboração e fiel aplicação de processos empresariais adequados às necessidades da sua empresa. 8

9 Adequação com tranquilidade Frente a proximidade da exigência do Bloco K, as empresas precisam se organizar com a maior antecedência possível, pois existe um trabalho muito extenso a ser realizado para a adequação da base de dados e dos processos envolvidos. Descuidos nessa fase poderão trazer muitos transtornos para as empresas, além de multas por atraso na entrega da EFD. Inicialmente é preciso analisar e planejar a adequação dos processos de gestão da produção, de acordo com as exigências do Fisco. A seguir sugerimos alguns passos a serem seguidos. 1. A empresa deve analisar cuidadosamente os requisitos e conceitos do Bloco K. 2. Mapear os processos produtivos, terceirizações e estocagem. 3. Analisar se os módulos e funcionalidades que possuo no ERP SIGER já contemplam o Bloco K. 4. Realizar treinamentos com os colaboradores para a operação e registro das informações. 5. Promover testes para confirmar se os dados coletados no sistema correspondem à realidade da empresa. 6. Entregar o Bloco K a partir de

10 SISTEMAS DE GESTÃO PARA INDÚSTRIAS DISTRIBUIDORES COMÉRCIO SERVIÇOS (51) /SistemaSIGER Rua Tupanciretã, Bairro: Ideal - Novo Hamburgo - RS - Cep: Tecnologias

2 Bloco K: Controle da Produção e do Estoque

2 Bloco K: Controle da Produção e do Estoque Bloco K - Inventário Físico e Controle de Produção Desenvolvido o processo de geração do Bloco K para o EFD. DLL: fiscal.dll Comando: Ex_F_ApuracaoIcmsIPI 1 Apuração ICMS e IPI No cadastro de Apuração

Leia mais

Bloco K no SPED Fiscal. Dulcineia L. D. Santos

Bloco K no SPED Fiscal. Dulcineia L. D. Santos Bloco K no SPED Fiscal Dulcineia L. D. Santos Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI Legislação Nacional: Ajuste SINIEF 2/09 Ato COTEPE/ICMS 09/08 Protocolo 3/11 Legislação no Estado de São Paulo: Artigo

Leia mais

BLOCO K ENTENDA A NOVA OBRIGAÇÃO DO SPED FISCAL

BLOCO K ENTENDA A NOVA OBRIGAÇÃO DO SPED FISCAL BLOCO K ENTENDA A NOVA OBRIGAÇÃO DO SPED FISCAL Sumário: 01 02 03 04 05 O que é o Bloco K? Por onde começar? A quem se aplica? A quem não se aplica? Quais os impactos na organização? 06 07 08 09 10 Quais

Leia mais

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo!

SAD Gestor ERP. Módulo Estoque. Cadastro de Produto Escrita Fiscal. Seja Bem Vindo! SAD Gestor ERP Módulo Estoque Cadastro de Produto Escrita Fiscal Seja Bem Vindo! Introdução O planejamento tributário deve fazer parte do cotidiano da empresa. É uma decisão estratégica que pode determinar

Leia mais

Seminário CIESP Campinas

Seminário CIESP Campinas www.pwc.com.br Seminário CIESP Campinas Bloco K Sua empresa está preparada para a entrega? Novembro de 2015 Briefing Entender o que muda e como se preparar para cumprir mais esta nova obrigação acessória:

Leia mais

Controle de Produção e Estoque

Controle de Produção e Estoque www.pwc.com.br Controle de Produção e Estoque do SPED Fiscal e seus registros Junho de 2015 Índice 1. Bloco 0 1.1 Registro 0200 Cadastro de itens 1.2 Registro 0210 Consumo específico padronizado 1.3 Registro

Leia mais

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda.

Confira também a legislação estadual do seu domicílio nos portais das Secretarias Estaduais de Fazenda. Legislação pertinente ao SPED FISCAL em ordem anticronológica: Ato COTEPE/ICMS 17, de 15 de junho de 2011 - Altera o Ato COTEPE/ICMS 09/08, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de

Leia mais

REALIZAÇÃO: APOIO: 1

REALIZAÇÃO: APOIO: 1 1 REALIZAÇÃO: APOIO: Agenda 2 Bloco K Parte I Legislação Aplicável Conceitos e estrutura do EFD ICMS-IPI Diferença entre o Bloco H e o Bloco K Entrega por estabelecimento Origem do Bloco K Obrigatoriedade

Leia mais

Bloco K no SPED FISCAL

Bloco K no SPED FISCAL Bloco K no SPED FISCAL Registro de Controle da Produção e do Estoque Bloco K no SPED Fiscal - Registro de Controle da Produção e do Estoque Obrigatoriedade Cronograma Estrutura Bloco K e SPED Fiscal: entenda

Leia mais

EFD ICMS/IPI. Bloco K CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE

EFD ICMS/IPI. Bloco K CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE 16/09/2014 EFD ICMS/IPI Bloco K CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE Apresentação: José A. Fogaça Neto Legislação Ato COTEPE/ICMS 52/2013 alteração do Ato COTEPE 09/2008 para inclusão do Bloco K Ajuste SINIEF

Leia mais

Implantação do Bloco K

Implantação do Bloco K 1) Estrutura e Layout: Primeiramente, cabe nos registrar que Escrituração Fiscal Digital (EFD), ou simplesmente Sped-Fiscal, deverá ser efetuada pelo contribuinte mediante o registro eletrônico, em arquivo

Leia mais

NOTA EXPLICATIVA Alterações MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS

NOTA EXPLICATIVA Alterações MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS NOTA EXPLICATIVA Alterações MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS Versão 1.0.0.2 - Setembro 2009 Foram realizadas alterações no Sistema,

Leia mais

Sistema Público de Escrituração Digital. Institui o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped)

Sistema Público de Escrituração Digital. Institui o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) Escrituração Fiscal Digital Evolução 2003 2004 2005 2006 2007 Decreto nº 6.022-22/01/07 Institui o (Sped) Objetivo: promover a atuação integrada dos fiscos, mediante a padronização e racionalização das

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos

Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI. Dulcineia L. D. Santos Escrituração Fiscal Digital EFD ICMS/IPI Dulcineia L. D. Santos Sistema Público de Escrituração Digital SPED Decreto n. 6.022, de 22/01/2007. Objetivos do SPED: unificar as atividades de recepção, validação,

Leia mais

WHITE PAPER AS EMPRESAS PERNAMBUCANAS ESTÃO PREPARADAS PARA O SPED FISCAL?

WHITE PAPER AS EMPRESAS PERNAMBUCANAS ESTÃO PREPARADAS PARA O SPED FISCAL? WHITE PAPER AS EMPRESAS PERNAMBUCANAS ESTÃO PREPARADAS PARA O SPED FISCAL? 2 O CONTRIBUINTE DE PERNAMBUCO ESTÁ PREPARADO PARA O SPED FISCAL (EFD-ICMS/IPI)? Através da Instrução Normativa nº 1.371/2013

Leia mais

Atendimento ao Guia Prático EFD-ICMS/IPI Versão 2.0.14. Sped Fiscal BLOCO K

Atendimento ao Guia Prático EFD-ICMS/IPI Versão 2.0.14. Sped Fiscal BLOCO K Atendimento ao Guia Prático EFD-ICMS/IPI Versão 2.0.14 Sped Fiscal BLOCO K Bloco K Sped Fiscal Pág. 1 Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Requisito... 3 1.1.1 Fluxo das Informações... 3 2. INTERFACES... 4 2.1.

Leia mais

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal?

67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? OBRIGAÇÕES ACESSÓRIAS 67. As ME e EPP, optantes ou não pelo Simples Nacional, podem emitir que tipo de nota fiscal? Nas operações de vendas a contribuinte, a Nota Fiscal, modelos 1 e 1-A ou a Nota Fiscal

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA SPED FISCAL REGRAS GERAIS

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL PALESTRA SPED FISCAL REGRAS GERAIS Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

EFD PIS COFINS Teoria e Prática

EFD PIS COFINS Teoria e Prática EFD PIS COFINS Teoria e Prática É uma solução tecnológica que oficializa os arquivos digitais das escriturações fiscal e contábil dos sistemas empresariais dentro de um formato digital específico e padronizado.

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição

Escrituração Fiscal Digital (EFD) Regras Gerais. 1. Introdução. 2. Definição SUMÁRIO 1. Introdução 2. Definição 3. Contribuintes Obrigados à EFD 3.1. Contribuintes optantes pelo SIMPLES Nacional ou Microempreendedor Individual (MEI) 4. Livros Fiscais 5. Contribuintes Obrigados

Leia mais

INTELIGÊNCIA FISCAL: Conflitos, Riscos e Oportunidades

INTELIGÊNCIA FISCAL: Conflitos, Riscos e Oportunidades INTELIGÊNCIA FISCAL: Conflitos, Riscos e Oportunidades Vamos direto ao ponto! Monitoramento do FI$CO Modelo convencional Obrigações Acessórias Obrigações acessórias A participação do cliente no processo

Leia mais

PROJECT Informática Ltda. Rua Giordano Bruno, 100 Bairro Rio Branco Porto Alegre-RS CEP 90420-150 Fone: (51) 3330-4444 Vendas: (51) 9701-2295

PROJECT Informática Ltda. Rua Giordano Bruno, 100 Bairro Rio Branco Porto Alegre-RS CEP 90420-150 Fone: (51) 3330-4444 Vendas: (51) 9701-2295 SPED FISCAL O SPED (Sistema Público de Escrituração Digital) FISCAL é um módulo opcional que está habilitado para funcionar com a versão 7 do Oryon. A licença é habilitada pelo número de série do cliente.

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA WATIVO CONTROLE DO CIAP PARA O SPED FISCAL

MANUAL DO SISTEMA WATIVO CONTROLE DO CIAP PARA O SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA WATIVO CONTROLE DO CIAP PARA O SPED FISCAL SulProg Sistemas Página: 1 INTRODUÇÃO Este material traz as informações necessárias de como integrar seu controle de ativo imobilizado com os

Leia mais

LIVRO REGISTRO DE CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE - BLOCO K - Aspectos Gerais

LIVRO REGISTRO DE CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE - BLOCO K - Aspectos Gerais LIVRO REGISTRO DE CONTROLE DA PRODUÇÃO E DO ESTOQUE - BLOCO K - Aspectos Gerais Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 20.05.2014. Sumário: 1. PANORAMA GERAL 2. OBRIGATORIEDADE 3. PERIODICIDADE

Leia mais

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso

SPED PIS E COFINS SPED PIS E COFINS. Sistema Questor SPED PIS E COFINS - SPED PIS E COFINS - 0brigatoriedade. Objetivos do Curso Sistema Questor SPED PIS E COFINS SPED Sistema Público de Escrituração Digital EFD Escrituração Fiscal Digital Instrutor: - Jocenei Friedrich Apoio: - Sejam todos bem-vindos Objetivos do Curso Conhecer

Leia mais

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. BLOCOS E TABELAS... 7. 1.1. O que é o Bloco K... 1. 1.2. Objetivos do SPED... 1. 1.3. Premissas...

Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 2. BLOCOS E TABELAS... 7. 1.1. O que é o Bloco K... 1. 1.2. Objetivos do SPED... 1. 1.3. Premissas... Bloco K Índice 1. APRESENTAÇÃO... 1 1.1. O que é o Bloco K... 1 1.2. Objetivos do SPED... 1 1.3. Premissas... 2 1.4. Benefícios dos SPED... 2 1.5. Legislação que originou o Bloco K.... 3 1.6. Objetivos

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE

MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria da Fazenda MANUAL DO SISTEMA DE APURAÇÃO DO ICMS RELATIVO AO CUSTO DAS SAÍDAS DE MERCADORIAS E PRESTAÇÕES DE SERVIÇOS Versão 1.0.0.2 do Anexo I da Portaria CAT83/2009

Leia mais

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12

Importação de Notas pelo Código de Barras DANFE... 12 IMPORTAÇÃO DE NF-E (ENTRADA) SUMÁRIO Importação de Notas pelo Arquivo XML... 2 Parametrização dos Produtos... 4 Parametrização de Código de Situação Tributária (CST)... 5 CST de ICMS... 5 CST de IPI...

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

Descubra aqui os benefícios de possuir um sistema de NF-e integrado com o software de gestão de empresas da Indústria da Construção.

Descubra aqui os benefícios de possuir um sistema de NF-e integrado com o software de gestão de empresas da Indústria da Construção. Descubra aqui os benefícios de possuir um sistema de NF-e integrado com o software de gestão de empresas da Indústria da Construção. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01 OS IMPACTOS GERADOS COM A IMPLANTAÇÃO

Leia mais

Bloco K. Controle da produção e do estoque

Bloco K. Controle da produção e do estoque Bloco Controle da produção e do estoque Índice O que é? 02 Objetivo 03 Quem está obrigado a apresentação do Bloco? 04 Dados informados dentro do Bloco 05 Disposição dos Registros - Bloco 06 O que precisa

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos

Professor José Sérgio Fernandes de Mattos Professor Apresentação: 1. Instituído pelo Decreto nº 6.022, de 22 de janeiro de 2007, o Sistema Público de Escrituração Digital (Sped) faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal

Leia mais

Sistema de Livros Fiscais Imediata

Sistema de Livros Fiscais Imediata 1 Sistema de Livros Fiscais Imediata 2 Descritivo das Rotinas Operacionais do Sistema de Livros Fiscais para geração EFD PIS/Cofins SPED Contribuições Após a instalação do Sistema de Livros Fiscais, basta

Leia mais

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - ICMS/IPI

ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - ICMS/IPI ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - ICMS/IPI Legislação Nacional: - Convênio ICMS 143/06 - Ajuste SINIEF 2/09 - Ato COTEPE/ICMS 09/08 - IN RFB 1.009/10 - Protocolos ICMS 77/08 e 3/11 L i l ã Etd d Sã P l Legislação

Leia mais

Legislação Tributária Estadual do Estado de São Paulo LIVROS FISCAIS

Legislação Tributária Estadual do Estado de São Paulo LIVROS FISCAIS 1 LIVROS FISCAIS I - MODELOS (art. 213) 1. Registro de Entradas, modelo 1; 2. Registro de Entradas, modelo 1-A; 3. Registro de Saídas, modelo 2; 4. Registro de Saídas, modelo 2-A; 5. Registro de Controle

Leia mais

MUDANÇAS NO LIVRO DE REGISTRO DE INVENTÁRIO

MUDANÇAS NO LIVRO DE REGISTRO DE INVENTÁRIO MUDANÇAS NO LIVRO DE REGISTRO DE INVENTÁRIO por Carlos Barbosa O Livro Registro de Inventário, modelo 7 (FATU2053C do módulo Escrita Fiscal) foi reestruturado para atender as exigências da legislação (Convênio

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Saldo em terceiro na Remessa para Depósito Fechado - Armazém Geral

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Saldo em terceiro na Remessa para Depósito Fechado - Armazém Geral Saldo Geral 02/04/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 4 5. Informações Complementares...

Leia mais

Bloco K SPED EFD. Renata Santana Santos renata@ensicon.com.br. Você sabe o que contempla o Bloco K?

Bloco K SPED EFD. Renata Santana Santos renata@ensicon.com.br. Você sabe o que contempla o Bloco K? Bloco K SPED EFD Renata Santana Santos renata@ensicon.com.br Você sabe o que contempla o Bloco K? Resposta O livro modelo 03, este livro contempla o controle de todas as movimentações de estoque, incluindo

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

MANUAL DO SPED FISCAL

MANUAL DO SPED FISCAL MANUAL DO SISTEMA TOP FOR WINDOWS ESCRITA FISCAL - SKILL MANUAL DO SPED FISCAL VERSÃO 2.11 Equipe de Especialistas: Claudio Aparecido Medeiros Cristiano Besson Ederson Von Mühlen Diretor Responsável: João

Leia mais

Bloco K 11 Processos Essenciais Para o Seu Cliente se Preparar Já!

Bloco K 11 Processos Essenciais Para o Seu Cliente se Preparar Já! Bloco K 11 Processos Essenciais Para o Seu Cliente se Preparar Já! Introdução Esse e-book pretende fornecer dicas sobre os processos que clientes de distribuidoras, importadoras, empresas atacadistas,

Leia mais

Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD

Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD Guia Prático da Escrituração Fiscal DIgital - EFD Infrmações Gerais sobre a EFD Sumário: 1. INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE A EFD 1. 1 APRESENTAÇÃO 1. 2 LEGISLAÇÃO 1. 3 DA APRESENTAÇÃO DO ARQUIVO DA EFD 1. 4

Leia mais

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC)

LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) EMPRESA: LAY-OUT ARQUIVOS DE INTEGRAÇÃO (Notas Fiscais e CTRC) NOME DO ARQUIVO Existem dois nomes possíveis: um para as notas de saída e outro para as notas de entrada. - Saídas : O nome do arquivo deve

Leia mais

APOSTILA DE INTEGRAÇÃO CONTROLLER

APOSTILA DE INTEGRAÇÃO CONTROLLER APOSTILA DE INTEGRAÇÃO CONTROLLER A integração de dados do Controller com a contabilidade, seja com o sistema Contábil ou com qualquer outro sistema, é feita através de lotes. Os lançamentos seguem a estrutura

Leia mais

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED?

O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? SPED PIS/COFINS Teoria e Prática O que é o Sistema Público de Escrituração Digital - SPED? E v e l i n e B a r r o s o Maracanaú - CE Março/2 0 1 2 1 2 Conceito O SPED é instrumento que unifica as atividades

Leia mais

TREINAMENTO EFD ICMS/IPI Bloco K 21/08/15

TREINAMENTO EFD ICMS/IPI Bloco K 21/08/15 TREINAMENTO EFD ICMS/IPI Bloco K 21/08/15 Sumário Título do documento 1. Apresentação do Bloco K... 3 2. Definição de Estoque... 3 2.1 Determinação Quantitativa do Estoque... 3 2.1.1 Inventário Periódico

Leia mais

IPI - Devolução de produtos - Tratamento fiscal

IPI - Devolução de produtos - Tratamento fiscal IPI - Devolução de produtos - Tratamento fiscal Sumário 1. Introdução... 2 2. Devolução por contribuinte do ICMS e/ou do IPI... 3 2.1 Procedimentos do contribuinte que efetuar a devolução... 3 2.1.1 Estorno

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Registro de Inventário, Saldos em Processo

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Registro de Inventário, Saldos em Processo Registro de Inventário, Saldos em Processo 23/12/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Livro Registro de Inventário...

Leia mais

Esclarecimentos. Relatório de Apuração de ICMS do sistema Avance Retguarda

Esclarecimentos. Relatório de Apuração de ICMS do sistema Avance Retguarda Esclarecimentos Relatório de Apuração de ICMS do sistema Avance Retguarda Afim de sanar as dúvidas mais frequentes e possíveis diferenças de valores ou informações no relatório de Apuração de ICMS do sistema

Leia mais

1 Geração dos arquivos

1 Geração dos arquivos Orientação Técnica EFD nº 010/2014 versão 2.0 Dispõe sobre a obrigatoriedade da entrega de arquivos EFD para contribuintes do SIMPLES NACIONAL. Em 01/01/2014, os contribuintes optantes pelo SIMPLES NACIONAL

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

Escrituração Fiscal Digital

Escrituração Fiscal Digital Escrituração Fiscal Digital Secretarias de Fazenda Evolução 2003 2004 2005 2006 2007 Emenda Constitucional nº 42 19/12/03 Art. 37 da Constituição Federal... XXII - as administrações tributárias da União,

Leia mais

MANUAL SPED(EFD) PIS-COFINS

MANUAL SPED(EFD) PIS-COFINS MANUAL SPED(EFD) PIS-COFINS O que é SPED? É um arquivo de texto que detalha todas as movimentações fiscais da empresa em um determinado período, listando todas as operações de compra (Notas de compra)

Leia mais

Treinamento Presencial CISS Contábil & Fiscal

Treinamento Presencial CISS Contábil & Fiscal Treinamento Presencial CISS Contábil & Fiscal Contabilidade Digital O termo Contabilidade Digital é aqui utilizado para traduzir os (nem tão novos) rumos que a contabilidade tomou, principalmente a partir

Leia mais

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA

ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS IMPOSTO DE RENDA PESSOA JURÍDICA ANO XXII - 2011-4ª SEMANA DE ABRIL DE 2011 BOLETIM INFORMARE Nº 17/2011 PIS/PASEP/COFINS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL DO PIS/PASEP E DA COFINS - EFD-PIS/COFINS - NORMAS GERAIS Introdução - Pessoas Jurídicas

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Aplicação da Resolução do Senado para NF-e de devolução

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Aplicação da Resolução do Senado para NF-e de devolução Aplicação 07/10/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Analise da Legislação... 3 2.1. Nota Técnica 2013/06... 4 3. Processos Impactados... 5 4. Detalhamento dos Processos... 6 5. Conclusão...

Leia mais

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá

Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Programa Contag Consultoria e Escola de Negócios, representação da Nasajon Sistemas no Amapá Instrutor: José Jeová Junior Contador, com formação nesta área pelo Instituto IOB de São Paulo Dinâmica das

Leia mais

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS

Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Informações gerais sobre a EFD-PIS/COFINS Legislação Conforme instituído pela Instrução Normativa RFB nº 1.052, de 5 de julho de 2010, sujeitam à obrigatoriedade de geração de arquivo da Escrituração Fiscal

Leia mais

(*) RESOLUÇÃO 13 DO SENADO FEDERAL (1ª versão 11.01.2013)

(*) RESOLUÇÃO 13 DO SENADO FEDERAL (1ª versão 11.01.2013) (*) RESOLUÇÃO 13 DO SENADO FEDERAL (1ª versão 11.01.2013) PERGUNTAS Se o conteúdo de importação for inferior a 40% é obrigatório o cadastro da FCI? RESPOSTAS Todo o contribuinte que, concomitantemente,

Leia mais

INFORMATIVO ESPECIAL SPED Comunicado SPED vs.4-02/03/2012

INFORMATIVO ESPECIAL SPED Comunicado SPED vs.4-02/03/2012 Comunicado SPED vs.4-02/03/2012 Prezado cliente, Para mantê-lo informado sobre as liberações e procedimentos referentes ao SPED PIS/COFINS, destacamos nesse comunicado os principais pontos que devem ser

Leia mais

Manual. SPED Fiscal. Treinamento Escrita Fiscal. Material desenvolvido por:

Manual. SPED Fiscal. Treinamento Escrita Fiscal. Material desenvolvido por: Treinamento Escrita Fiscal Material desenvolvido por: Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Implantta Serviços

Leia mais

Manual. EFD Contribuições

Manual. EFD Contribuições Treinamento Escrita Fiscal Material desenvolvido por: Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Implantta Serviços

Leia mais

CONTABILIDADE GERAL I

CONTABILIDADE GERAL I CONTABILIDADE GERAL I Operações com Mercadorias Prof. Martin Airton Wissmann P r o f. M a r t i n A i r t o n W i s s m a n n Página 1 SUMÁRIO 1. CONTABILIDADE GERAL I OPERAÇÕES COM MERCADORIAS... 3 1.1

Leia mais

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO

AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO AUDITORIA FISCO-CONTÁBIL DAS DEMONSTRAÇÕES ELETRÔNICAS COMPLIANCE FISCAL ELETRÔNICO Nossos serviços de auditoria das Obrigações Eletrônicas utilizam ferramentas que permitem auditar os arquivos enviados

Leia mais

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL. Socorro Oliveira 11.MARÇO.2010

SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL. Socorro Oliveira 11.MARÇO.2010 SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL Socorro Oliveira 11.MARÇO.2010 DECRETO Nº 6.022-22/01/07 Eliminar a redundância de informações por meio da padronização das Obrigações Acessórias Uniformizar as

Leia mais

Certificado Digital Usos e Aplicações

Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital Usos e Aplicações Certificado Digital: Onde usar? O certificado digital é um documento eletrônico que proporciona agilidade em muitas das atividades realizadas atualmente por seu titular.

Leia mais

06/04/2011. Convênio ICMS nº 143, de 15 de dezembro de 2006 - Institui a Escrituração Fiscal Digital EFD. Ato Cotepe ICMS 09/2008

06/04/2011. Convênio ICMS nº 143, de 15 de dezembro de 2006 - Institui a Escrituração Fiscal Digital EFD. Ato Cotepe ICMS 09/2008 Curso Fortaleza-Ce EFD Pis/Cofins e ICMS/IPI Teoria e Prática Palestrante: Edison Garcia Junior Auditório do CRC-CECE 06 de abril de 2011 IN 1052/2010 EFD Pis/Cofins Estabelece regras de obrigatoriedade,

Leia mais

Sumário. (11) 3177-7700 www.systax.com.br

Sumário. (11) 3177-7700 www.systax.com.br Sumário Introdução... 3 Amostra... 4 Tamanho do cadastro de materiais... 5 NCM utilizadas... 6 Dúvidas quanto à classificação fiscal... 7 Como as empresas resolvem as dúvidas com os códigos de NCM... 8

Leia mais

SPED - EFD - Escrituração Fiscal Digital

SPED - EFD - Escrituração Fiscal Digital Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

ECF ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL

ECF ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL ECF ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL Geração da ECF para empresas optantes pelo Lucro Real Informações importantes Este roteiro visa apresentar uma sugestão para a geração e entrega da ECF para as empresas

Leia mais

Bloco Contábil e Fiscal

Bloco Contábil e Fiscal Bloco Contábil e Fiscal EFD Contribuições Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo EFD Contribuições, que faz parte do Bloco Contábil e Fiscal. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

SEF 2012. Guia para geração do Registro de Inventário. DAS/GPST - SEF 2012: Guia para a geração do Registro de Inventário 01/04/2014 Página 1

SEF 2012. Guia para geração do Registro de Inventário. DAS/GPST - SEF 2012: Guia para a geração do Registro de Inventário 01/04/2014 Página 1 SEF 2012 Guia para geração do Registro de Inventário DAS/GPST - SEF 2012: Guia para a geração do Registro de Inventário 01/04/2014 Página 1 SEF 2012 Guia para geração do Registro de Inventário Ao contrário

Leia mais

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2013

ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2013 ANO XXIV - 2013-4ª SEMANA DE MARÇO DE 2013 BOLETIM INFORMARE Nº 13/2013 IPI ESTABELECIMENTOS EQUIPARADOS A INDUSTRIAIS - CONCEITO PARA CARACTERIZAÇÃO COMO CONTRIBUINTE DO IPI... Pág. 79 ICMS ES MANIFESTAÇÃO

Leia mais

1. Fluxo de documentação

1. Fluxo de documentação 1. Fluxo de documentação É de fundamental importância o envio de toda documentação financeira para atender as exigências impostas pelo fisco e evitar problemas futuros à empresa. Prazo de envio: É ideal

Leia mais

Manual - Relatórios Gerenciais.

Manual - Relatórios Gerenciais. Manual - Relatórios Gerenciais. Perguntas que temos que responder quase que diariamente sobre: Vendas Financeiro Produção Emissão: 04/02/2014 Revisão: 28/05/2015 Revisado por: Juliana 1 Área de Vendas

Leia mais

Iniciamos mais um mês corrente, com o fechamento das obrigações tributárias do mês anterior.

Iniciamos mais um mês corrente, com o fechamento das obrigações tributárias do mês anterior. Iniciamos mais um mês corrente, com o fechamento das obrigações tributárias do mês anterior. É chegada a hora de reunir essas informações e enviar as obrigações acessórias ao Fisco. Diante dos sufocos

Leia mais

O arquivo SPED é complexo, contém diversas amarrações e muita informação. Algumas medidas diminuem o impacto de dificuldade na validação do arquivo:

O arquivo SPED é complexo, contém diversas amarrações e muita informação. Algumas medidas diminuem o impacto de dificuldade na validação do arquivo: O arquivo SPED é complexo, contém diversas amarrações e muita informação. Algumas medidas diminuem o impacto de dificuldade na validação do arquivo: Não gere toda a movimentação de uma vez. O ideal e aconselhável

Leia mais

SOFOLHA SOLUÇÕES CORPORATIVAS CONSULTORIA TRIBUTÁRIA. SFAutomatus X Controle de Estoque X SFContábil. Obrigação de Avaliar os Estoques

SOFOLHA SOLUÇÕES CORPORATIVAS CONSULTORIA TRIBUTÁRIA. SFAutomatus X Controle de Estoque X SFContábil. Obrigação de Avaliar os Estoques SFAutomatus X Controle de Estoque X SFContábil Legislação Aplicada Obrigação de Avaliar os Estoques Empresas Tributadas com Base no Lucro Real As pessoas jurídicas submetidas à tributação com base no lucro

Leia mais

Projetos SPED. Edmar de Oliveira Frazão

Projetos SPED. Edmar de Oliveira Frazão Projetos SPED Edmar de Oliveira Frazão Sumário Nf-e Nota Fiscal Eletrônica Nf-e Nota Fiscal Eletrônica versão 2.0 CT-e Conhecimento Eletrônico NFS-e NF de Serviço Eletrônico CF-e Cupom Fiscal Eletrônico

Leia mais

Novos Desafios do SPED

Novos Desafios do SPED Novos Desafios do SPED Bloco K Controle da Produção e Estoque Setembro de 2015 Agenda Bloco K Introdução Cronograma Legislativo Ambiente SPED Estrutura Áreas Envolvidas Riscos Oportunidades A Jornada do

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br COMUNICADO SEFAZ Nº 003/2007 Informa sobre a instituição da Declaração de Informações

Leia mais

SOFOLHA SOLUÇÕES CORPORATIVAS www.sofolha.com.br. SFAutomatus X Comércio Varejista de Carnes

SOFOLHA SOLUÇÕES CORPORATIVAS www.sofolha.com.br. SFAutomatus X Comércio Varejista de Carnes SFAutomatus X Comércio Varejista de Carnes Considerações Iniciais Rendimento de bovinos após o abate Por razões que têm como causa a prosperidade, o consumo de carne se mostra cada vez maior. As exigências

Leia mais

SPED Contábil. ECD Escrituração Contábil Digital. Vera Lucia Gomes 28/08/2008 ABBC. www.spednet.com.br 1

SPED Contábil. ECD Escrituração Contábil Digital. Vera Lucia Gomes 28/08/2008 ABBC. www.spednet.com.br 1 SPED Contábil ECD Escrituração Contábil Digital Vera Lucia Gomes 28/08/2008 ABBC www.spednet.com.br 1 Programa Apresentação e Objetivos Regulamentação Livros contemplados Aspectos importantes da legislação

Leia mais

Resolução do Senado 13/2012. Análise da Aplicação da norma e do cumprimento das obrigações acessórias

Resolução do Senado 13/2012. Análise da Aplicação da norma e do cumprimento das obrigações acessórias Resolução do Senado 13/2012 Análise da Aplicação da norma e do cumprimento das obrigações acessórias 1 Tributação do Consumo: A tributação do consumo no Brasil: Repartição de competências: Art. 155. Compete

Leia mais

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG 12/06/2014 Pergunte à CPA Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG Apresentação: Helen Mattenhauer Convênio e Protocolos CONVÊNIO: Constitui um acordo entre os Estados, cujo elaboração tem por

Leia mais

Projetos da Receita Federal

Projetos da Receita Federal Escrituração Fiscal Digital - EFD Projetos da Receita Federal A Escrituração Fiscal Digital - EFD é um arquivo digital, que se constitui de um conjunto de escriturações de documentos fiscais e de outras

Leia mais

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS VENDA FORA DO ESTABELECIMENTO

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS VENDA FORA DO ESTABELECIMENTO EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS VENDA FORA DO ESTABELECIMENTO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Autor: Roberto Ferreira de Freitas Data: 21/07/2006 A venda fora do estabelecimento deve ser realizada

Leia mais

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO ESPECIAL? R= Em valor correspondente à diferença entre a alíquota interna e a

Leia mais

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido

Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido Sumário Aspectos gerais para validação da EFD Contribuições Lucro Presumido 1. Cadastro de Empresas... 2 2. Cadastro de Participantes...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF)

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL FISCAL (ECF) Grant Thornton - Brasil Junho de 2015 Agenda Considerações Iniciais; Obrigatoriedade de Transmissão; Penalidades (Multas); Informações a serem Transmitidas; Recuperação

Leia mais

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A

Cordilheira Escrita Fiscal 2.109A LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA VERSÃO 2 (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando

Leia mais

EXACTUS Software exactus.com.br

EXACTUS Software exactus.com.br Página 1 de Segue abaixo a relação das principais dúvidas referentes à Apuração do EFD- Contribuições Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta no TOP: I - APURAÇÃO DA EFD - CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por:

INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por: INDUSTRIALIZAÇÃO POR ENCOMENDA: EFICIÊNCIA EM PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO. Desenvolvido por: 2014 PRIMEIRA PARTE: DEFINIÇÃO E VANTAGENS O que é a industrialização por encomenda? É uma forma de ganhar eficiência

Leia mais

BLOCO K. CIESP Leste 29/10/2015

BLOCO K. CIESP Leste 29/10/2015 BLOCO K CIESP Leste 29/10/2015 Objetivo do Bloco K O objetivo desse controle é acabar de vez com a emissão de notas fiscais com informações incorretas, como as subfaturadas ou espelhadas e as meia-notas,

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006

ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA RECEITA 28576_ LEI GERAL DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS LEI COMPLEMENTAR Nº 123, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2006 PERGUNTAS E RESPOSTAS Este documento é de caráter meramente

Leia mais

1 Informações diversas Senado aprova MP que reabre prazo do Refis O plenário do Senado aprovou dia 29/10 a Medida Provisória (MP) 651/14 que traz uma série de medidas de incentivo ao setor produtivo. O

Leia mais

www.audicgroup.com.br DR SPED

www.audicgroup.com.br DR SPED www.audicgroup.com.br DR SPED a EMPRESA A Audic Group no Brasil tem o compromisso com os seus clientes de buscar a satisfação por eles desejada, para tanto dedica-se na identificação dos problemas, na

Leia mais

Manual de documento de arrecadação GNRE

Manual de documento de arrecadação GNRE Manual de documento de arrecadação GNRE Sumário 1. Códigos de receita ICMS... 3 1.1. Cadastro dos códigos de receita... 3 1.2. Consultando a tabela de códigos de receita ICMS... 4 2. Documento de arrecadação...

Leia mais