Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014"

Transcrição

1 Energia Solar Térmica Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014

2 Tipos de Sistemas Energia Solar Térmica Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014

3 Introdução Os sistemas de aquecimento solar de água podem ter quatro configurações diferentes: sistema passivo direto, sistema passivo indireto, sistema ativo direto, e sistema ativo indireto. PROF. RAMÓN SILVA

4 Introdução Quando o fluido a ser aquecido é a própria água, o sistema é definido como direto, Enquanto que o indireto é aquele em que um fluido térmico recebe calor no coletor e o transfere à água em um trocador de calor. PROF. RAMÓN SILVA

5 Introdução A circulação da água ou do fluido nos coletores pode ser feita por termossifão, configurando um sistema passivo, ou por um sistema de bombeamento, denominado sistema ativo. PROF. RAMÓN SILVA

6 Sistema Passivo Direto Este é o sistema em que a água é aquecida diretamente pelos coletores e sua circulação é realizada por termossifão, ou seja, a diferença de densidade devido à variação de temperatura entre os coletores e o reservatório provoca um gradiente de pressão que coloca o fluido em movimento. PROF. RAMÓN SILVA

7 Sistema Passivo Direto Devido ao seu simples funcionamento, é o sistema mais utilizado no aquecimento de água para fins domésticos PROF. RAMÓN SILVA

8 Sistema Passivo Direto Esquema de instalação de um sistema passivo direto com fonte de energia auxiliar interna ao reservatório de armazenamento de água quente PROF. RAMÓN SILVA

9 Sistema Passivo Direto Esquema de instalação de um sistema passivo direto com fonte de energia auxiliar externa ao reservatório de armazenamento de água quente PROF. RAMÓN SILVA

10 Sistema Passivo Indireto No sistema passivo indireto um fluido térmico recebe calor no coletor e o transfere à água em um trocador de calor. A circulação do fluido é feita por termossifão e o trocador de calor pode armazenar ou não um certo volume de água quente, PROF. RAMÓN SILVA

11 Sistema Passivo Indireto O sistema indireto é o mais utilizado quando se deseja uma proteção ao congelamento em regiões de clima muito severo, pois é muito dispendioso. Os fluidos refrigerantes etileno-glicol e propileno-glicol são os mais comuns embora existam diversos fluidos de transferência de calor como óleos siliconados, óleos hidrocarbonados e outros refrigerantes PROF. RAMÓN SILVA

12 Sistema Passivo Indireto Esquema simplificado de um sistema passivo indireto PROF. RAMÓN SILVA

13 Sistema Ativo Direto Neste sistema, a circulação de água é feita por uma bomba e a água é aquecida diretamente pelos coletores. Devido ao uso de bomba para a circulação da água, o reservatório pode estar situado em qualquer posição em relação aos coletores. PROF. RAMÓN SILVA

14 Sistema Ativo Direto A bomba é acionada quando a diferença de temperatura entre a parte superior do coletor e o reservatório atinge um valor preestabelecido. Seu desligamento ocorre quando esta diferença de temperatura torna-se pequena ou quando a água do reservatório alcança um valor desejável PROF. RAMÓN SILVA

15 Sistema Ativo Direto A bomba também é utilizada como proteção contra o congelamento ao acionar a recirculação da água quente, quando a temperatura externa atinge um valor crítico. A proteção ao congelamento também pode ser efetuada pela drenagem da água dos coletores. PROF. RAMÓN SILVA

16 Sistema Ativo Direto A vantagem do sistema ativo em relação ao passivo é a flexibilidade quanto à localização do reservatório na edificação. Porém os custos aumentam por apresentar mais dispositivos como bombas, sensores e controles. PROF. RAMÓN SILVA

17 Sistema Ativo Direto Esquema simplificado de um sistema ativo direto PROF. RAMÓN SILVA

18 Sistema Ativo Indireto No sistema ativo indireto a circulação de água é feita por uma bomba ou duas bombas,dependendo do trocador de calor empregado, e um fluido refrigerante recebe calor no coletor e o transfere à água no trocador de calor. O trocador de calor, que transfere o calor do fluido para a água, pode ser externo ou interno ao reservatório. PROF. RAMÓN SILVA

19 Sistema Ativo Indireto Se o trocador de calor for localizado externamente ao reservatório térmico, possibilita uma maior flexibilidade, contudo provoca maior perda de calor. Este tipo de sistema é utilizado em regiões onde o perigo de congelamento da água nas tubulações é grande. PROF. RAMÓN SILVA

20 Sistema Ativo Direto Esquema simplificado de um sistema ativo indireto PROF. RAMÓN SILVA

21 Termossifão O sistema termossifão baseia-se no aproveitamento do princípio que o aumento de temperatura provoca diminuição de densidade. Essa diminuição de densidade faz com que o fluido mais quente se desloque para o ponto mais alto. PROF. RAMÓN SILVA

22 Termossifão É um sistema simples e barato em que a circulação ocorre de maneira natural por convecção. Tem como limitação a necessidade de se posicionar o acumulador no exterior e em uma altura maior que a do coletor. PROF. RAMÓN SILVA

23 Circulação Forçada Utilizada para prover maior vazã. PROF. RAMÓN SILVA

24 REFERÊNCIAS Benito, T. P., Práticas de energia solar térmica. Publindústria, Guia para Instaladores de Colectores Solares Ministério da Economia de Portugal Seye, O. Apostila de energia solar térmica. UFGD m.br/2013/03/ligacao-entrecoletores-paineis-solares.html

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS DE AQUECIMENTO SOLAR

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS DE AQUECIMENTO SOLAR INSTALAÇÃO DE SISTEMAS DE AQUECIMENTO SOLAR CONDIÇÕES PARA O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA Caixa d' água fria Respiro OESTE Reservatório térmico Radiação solar Retorno para os coletores Consumo SUL 20 20 NORTE

Leia mais

Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar. Boas práticas.

Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar. Boas práticas. Qualidade em Instalações de Aquecimento Solar Boas práticas O sistema de aquecimento solar e seus componentes O que é sistema de aquecimento solar (SAS) A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

Leia mais

Edição Controladores para Aquecimento

Edição Controladores para Aquecimento Edição 2016 Controladores para Aquecimento Controlador Lógico para Aquecimento Conjugado O Controlador Lógico para Aquecimento Conjugado (CLAC) foi desenvolvido para o controle de sistemas de aquecimento

Leia mais

Bombas pressurizadoras Bosch. Seu banho sempre com a pressão de água ideal.

Bombas pressurizadoras Bosch. Seu banho sempre com a pressão de água ideal. Bombas pressurizadoras Bosch. Seu banho sempre com a pressão de água ideal. www.bosch.com.br/termotecnologia 2 Bombas pressurizadoras com fluxostato Seu banho sempre com a pressão de água ideal PB-88 PB-135

Leia mais

Nota: Campus JK. TMFA Termodinâmica Aplicada

Nota: Campus JK. TMFA Termodinâmica Aplicada TMFA Termodinâmica Aplicada 1) Considere a central de potência simples mostrada na figura a seguir. O fluido de trabalho utilizado no ciclo é água e conhece-se os seguintes dados operacionais: Localização

Leia mais

Produtos e soluções. Energias renováveis e eficiência energética. 3 principais vectores. Energia Solar Térmica. Energia Fotovoltaica

Produtos e soluções. Energias renováveis e eficiência energética. 3 principais vectores. Energia Solar Térmica. Energia Fotovoltaica 06/07/2012-3ª Convenção Daxis / Fagor Produtos e soluções António Ferreira Energias renováveis e eficiência energética. Instalações em Estarreja 3 principais vectores Energia Solar Térmica Energia Fotovoltaica

Leia mais

Convecção natural. É o termo usado quando o movimento do fluido se dá devido às diferenças de densidade em um campo gravitacional.

Convecção natural. É o termo usado quando o movimento do fluido se dá devido às diferenças de densidade em um campo gravitacional. CAPÍTULO 6 - SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO INTRODUÇÃO O Sistema de Refrigeração tem por objetivo impedir que os elementos mecânicos do motor atinjam uma temperatura muito elevada ao contato com os gases da combustão.

Leia mais

AQS Água quente sanitária. É a água aquecida, usada para banhos, preparação ou confeção de alimentos.

AQS Água quente sanitária. É a água aquecida, usada para banhos, preparação ou confeção de alimentos. Índice A... 2 Acumulador... 2 AQS... 2 Autoconsumo... 2 B... 2 Bomba de calor... 2 C... 2 Caldeira de condensação... 2 Coletor solar seletivo... 2 Condução... 3 Convecção... 3 COP (Coefficient Of Performance)...

Leia mais

Linha Solsken Pro. Vantagens da linha Solsken Pro Pressurizado: Aquece a água mais rapidamente do que os sistemas de termossifão vulgares

Linha Solsken Pro. Vantagens da linha Solsken Pro Pressurizado: Aquece a água mais rapidamente do que os sistemas de termossifão vulgares Linha Solsken Pro Sistema Termossifão Compacto Pressurizado Principio de Funcionamento Os sistemas solares térmicos são pouco complexos; aproveitam da radiação solar para aquecer as suas águas sanitárias,

Leia mais

Exercício Etapa 3 PEA 2200 / PEA Coletor solar : Aquecimento de água

Exercício Etapa 3 PEA 2200 / PEA Coletor solar : Aquecimento de água 1- Objetivos Exercício Etapa 3 PEA 2200 / PEA 3100 Coletor solar : Aquecimento de água Esta terceira etapa do exercício tem os seguintes objetivos: Substituir a tecnologia utilizada no aquecimento de água

Leia mais

KITS SOLARES TÉRMICOS >> SISTEMA TERMOSSIFÃO >> SISTEMA CIRCULAÇÃO FORÇADA SISTEMA HÍBRIDO

KITS SOLARES TÉRMICOS >> SISTEMA TERMOSSIFÃO >> SISTEMA CIRCULAÇÃO FORÇADA SISTEMA HÍBRIDO KITS SOLARES TÉRMICOS >> SISTEMA TERMOSSIFÃO >> SISTEMA CIRCULAÇÃO FORÇADA >> SISTEMA HÍBRIDO TERMOSSIFÃO CIRCULAÇÃO FORÇADA SISTEMA HÍBRIDO GUIA DE SELEÇÃO KITS SOLARES ZANTIA > PASSOS DA SELEÇÃO > OPÇÕES

Leia mais

FABRICO DE TERMOACUMULADORES E BOMBAS DE CALOR

FABRICO DE TERMOACUMULADORES E BOMBAS DE CALOR fabrico de termoacumuladores e bombas de calor www.termobrasa.com TERMOSSIFÃO FABRICO DE TERMOACUMULADORES E BOMBAS DE CALOR 45 Anos HISTÓRIA A Termobrasa foi criada em 1970 com o objetivo de fabricar

Leia mais

A Energia solar. Fontes alternativas de energia - aproveitamento da energia solar 1

A Energia solar. Fontes alternativas de energia - aproveitamento da energia solar 1 A Energia solar Fontes alternativas de energia - aproveitamento da energia solar 1 Forma de aproveitamento Quase todas as fontes de energia hidráulica, biomassa, eólica, combustíveis fósseis e energia

Leia mais

KITS SOLARES TÉRMICOS >> SISTEMA TERMOSSIFÃO >> SISTEMA CIRCULAÇÃO FORÇADA SISTEMA HÍBRIDO

KITS SOLARES TÉRMICOS >> SISTEMA TERMOSSIFÃO >> SISTEMA CIRCULAÇÃO FORÇADA SISTEMA HÍBRIDO KITS SOLARES TÉRMICOS >> SISTEMA >> SISTEMA CIRCULAÇÃO FORÇADA >> SISTEMA HÍBRIDO CIRCULAÇÃO FORÇADA SISTEMA HÍBRIDO PROGRAMA SOLAR GOLD GUIA DE SELEÇÃO KITS SOLARES ZANTIA > PASSOS DA SELEÇÃO 1 PASS0

Leia mais

Lista de Exercícios Solução em Sala

Lista de Exercícios Solução em Sala Lista de Exercícios Solução em Sala 1) Um conjunto pistão-cilindro área de seção transversal igual a 0,01 m². A massa do pistão é 101 kg e ele está apoiado nos batentes mostrado na figura. Se a pressão

Leia mais

ALTERNATIVAS PARA SISTEMAS PREDIAIS DE AQUECIMENTO DE ÁGUA: ENFOQUE NA CONSERVAÇÃO DE INSUMOS

ALTERNATIVAS PARA SISTEMAS PREDIAIS DE AQUECIMENTO DE ÁGUA: ENFOQUE NA CONSERVAÇÃO DE INSUMOS ALERNAIVAS PARA SISEMAS PREDIAIS DE AQUECIMENO DE ÁGUA: ENFOQUE NA CONSERVAÇÃO DE INSUMOS Humberto Farina A sustentabilidade ambiental dos edifícios implica, entre outros aspectos, na preservação dos recursos

Leia mais

POSSIBILIDADES DE APROVEITAMENTO

POSSIBILIDADES DE APROVEITAMENTO POSSIBILIDADES DE APROVEITAMENTO Energia Solar Energia térmica A baixa temperatura (até 100 o C) A média temperatura (até 1000 o C) Aquecimento de ambientes aquecimento de água Condicionamento de ar refrigeração

Leia mais

Águas sanitárias em balneários de recintos desportivos, de estabelecimentos sociais, empresariais e de ensino

Águas sanitárias em balneários de recintos desportivos, de estabelecimentos sociais, empresariais e de ensino Departamento de Saúde Pública Águas sanitárias em balneários de recintos desportivos, de estabelecimentos sociais, empresariais e de ensino Entidade: a) desportiva b) social c) ensino d) campismo e) outra

Leia mais

3.4. Condutividade térmica

3.4. Condutividade térmica 3.4. Condutividade térmica Condução térmica Mecanismo de transferência de calor que exige o contacto entre os sistemas. Aquecimento de um objeto metálico A extremidade que não está em contacto direto com

Leia mais

7 TORRES DE RESFRIAMENTO E CONDENSADORES EVAPORATIVOS

7 TORRES DE RESFRIAMENTO E CONDENSADORES EVAPORATIVOS 91 7 TORRES DE RESFRIAMENTO E CONDENSADORES EVAPORATIVOS A maioria dos equipamentos dos sistemas de refrigeração rejeita calor para a atmosfera. Embora existam aplicações onde o calor rejeitado do ciclo

Leia mais

Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014

Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Energia Solar Térmica Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Componentes de Sistemas Solares Térmicos Energia Solar Térmica - 2014

Leia mais

Climatização. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014

Climatização. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Climatização Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Ventilação Natural Energia Solar Térmica - 2014 Prof. Ramón Eduardo Pereira

Leia mais

Equipamentos, Sistemas e Instalações VIII. Capítulo

Equipamentos, Sistemas e Instalações VIII. Capítulo 1 Refrigeração II Aplicações e Certificação Equipamentos, Sistemas e Instalações Capítulo VIII LEGENDA: 1 Fluido frigorigéneo 2 Capilar 3 Compressor hermético 4 Evaporador estático 5 Temperatura de condensação

Leia mais

1 - hot acoplado.pdf 1 14/09/11 04:05 C M Y CM MY CY CMY K Acoplados Sistemas

1 - hot acoplado.pdf 1 14/09/11 04:05 C M Y CM MY CY CMY K Acoplados Sistemas Sistemas Acoplados Sistema de Aquecimento O aquecedor solar termodinâmico SOLAR FLEX é responsável por captar a energia em todas as situações climáticas, transformá-la em energia térmica e juntamente com

Leia mais

Tipo 1: espaços internos livres e área de estar na varanda. Tipo 2: mesa de jantar para 8, escritório e área de estar na varanda.

Tipo 1: espaços internos livres e área de estar na varanda. Tipo 2: mesa de jantar para 8, escritório e área de estar na varanda. IKAROS A idéia proposta pelo grupo alemão é de que este seja um espaço de vivência flexível, tornando possível que o usuário o configure conforme sua necessidade. O espaço foi pensado para ser amplo e

Leia mais

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 2 Caldeira de vapor é todo equipamento que utilizando a energia química liberada durante a combustão de um combustível

Leia mais

11S.1 Método da Média Log das Diferenças de Temperatura para Trocadores de Calor com Múltiplos Passes e com Escoamento Cruzado

11S.1 Método da Média Log das Diferenças de Temperatura para Trocadores de Calor com Múltiplos Passes e com Escoamento Cruzado Capítulo 11 Material Suplementar 11S.1 Método da Média Log das Diferenças de Temperatura para Trocadores de Calor com Múltiplos Passes e com Escoamento Cruzado Embora as condições de escoamento em trocadores

Leia mais

Informações complementares para instalação do. Reservatório K (02/2016) BR. Reservatório K2 1

Informações complementares para instalação do. Reservatório K (02/2016) BR. Reservatório K2 1 Informações complementares para instalação do Reservatório K2 8732400974 (02/2016) BR Reservatório K2 1 Estas informações complementam o Manual do Sistema de Aquecimento Solar Heliotek, fornecido juntamente

Leia mais

A perfeita definição de qualidade. Calor é o nosso elemento. Bosch Group. Acumuladores Logalux. Logalux LT Logalux SU Logalux LTN Logalux SM.

A perfeita definição de qualidade. Calor é o nosso elemento. Bosch Group. Acumuladores Logalux. Logalux LT Logalux SU Logalux LTN Logalux SM. [ Ar ] [ Água ] [ Terra ] Acumuladores Logalux [ Buderus ] A perfeita definição de qualidade Logalux LT Logalux SU Logalux LTN Logalux SM Calor é o nosso elemento Bosch Group Acumuladores Logalux Avançada

Leia mais

Sistemas de Aquecimento Solar COLETORES SOLARES

Sistemas de Aquecimento Solar COLETORES SOLARES Sistemas de Aquecimento Solar Sumário Tipos de coletores Sistemas de aquecimento solar com coletor solar de placa plana Qualidade e Normas Projeto e Dimensionamento Coletor reservatório Placa plana sem

Leia mais

1 - hot acoplado.pdf 1 14/09/11 04:05 C M Y CM MY CY CMY K Acoplados Sistemas

1 - hot acoplado.pdf 1 14/09/11 04:05 C M Y CM MY CY CMY K Acoplados Sistemas Sistemas Acoplados Sistema de Aquecimento HOT ACOPLADO O HOT ACOPLADO é um equipamento destinado a produção de água quente para uso sanitário até 50.C garantindo conforto e aquecimento durante o ano todo

Leia mais

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA PROF. RAMÓN SILVA Engenharia de Energia Dourados MS - 2013 SISTEMAS DE POTÊNCIA A VAPOR 2 SIST. POTÊNCIA A VAPOR Diferente do ciclo de potência a gás, no ciclo de potência

Leia mais

Quem busca economia prefere Heliotek

Quem busca economia prefere Heliotek Linha de aquecimento para banho Quem busca economia prefere Heliotek A marca de aquecimento solar do grupo Bosch Aquecedor solar 1 Coletor solar Os coletores captam o calor do sol e aquecem a água a ser

Leia mais

Mais sol na sua vida

Mais sol na sua vida Mais sol na sua vida 2 Aquecedor Solar Coletor Solar Linha Quality Selo PROCEL de eficiência energética 3 Maior eficiência e durabilidade Solda por ultrassom: máxima condução de calor e maior eficiência

Leia mais

O PAPEL DA ENGENHARIA MECÂNICA NAS ENERGIAS RENOVÁVEIS ENERGIA GEOTÉRMICA

O PAPEL DA ENGENHARIA MECÂNICA NAS ENERGIAS RENOVÁVEIS ENERGIA GEOTÉRMICA Ano letivo 2014/2015 Mestrado Integrado em Engenharia Mecânica Supervisora: Teresa Duarte Monitora: Rita Afonso O PAPEL DA ENGENHARIA MECÂNICA NAS ENERGIAS RENOVÁVEIS ENERGIA GEOTÉRMICA Equipa: 1M1_03

Leia mais

Caldeiras. Notas das aulas da disciplina de EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS. Equipamentos Industriais 1

Caldeiras. Notas das aulas da disciplina de EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS. Equipamentos Industriais 1 Caldeiras Notas das aulas da disciplina de EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS Equipamentos Industriais 1 Geradores com câmara de combustão Caldeiras Tipo de combustível sólido, líquido, gasoso, misto Fluido quente

Leia mais

Aquecedor de Piscina a Gás por Imersão

Aquecedor de Piscina a Gás por Imersão Aquecedor de Piscina a Gás por Imersão 2016 ThermoSub - Apresentação O sistema ThermoSub apresenta um conceito totalmente inovador para o mercado de aquecimento de piscinas. O aquecimento é feito diretamente

Leia mais

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários

TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Universidade Federal do Paraná Engenharia Civil TH 030- Sistemas Prediais Hidráulico Sanitários Aula 13 Sistema Predial de Água Quente: Energia Solar e Aquecimento a Gás Profª Heloise G. Knapik 1 Energia

Leia mais

Maquinas Termicas Geradores de Vapor

Maquinas Termicas Geradores de Vapor Máquinas Térmicas: Geradores de Vapor Geradores de Vapor Fornalha Caldeira Superaquecedores Economizadores Aquecedores de Ar Dispositivos de Controle e Segurança Tiragem 1 Gerador de Vapor Usina : 65 MW

Leia mais

CLIMATIZAÇÃO E AQS. Energia Solar Térmica. Sistemas Híbridos Genia Air. Esquentadores

CLIMATIZAÇÃO E AQS. Energia Solar Térmica. Sistemas Híbridos Genia Air. Esquentadores Energia Solar Térmica Sistemas Híbridos Genia Air Esquentadores Energia Solar Térmica HelioSet (modelos 150, 250 e 350) Sistema solar de drenagem automática para instalações individuais Acumulador solar

Leia mais

Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014

Energia Solar Térmica. Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 Energia Solar Térmica Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva Engenharia de Energia Universidade Federal da Grande Dourados Dourados MS 2014 O Sol Energia Solar Térmica - 2014 Prof. Ramón Eduardo Pereira Silva

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS

INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS PREDIAIS AULA 01 Prof. Guilherme Nanni prof.guilherme@feitep.edu.br 7º Semestre Engenharia civil INST. HIDRÁULICAS AULA 01 7 semestre - Engenharia Civil EMENTA Elaborar projetos

Leia mais

Condensadores. Principais Tipos. Resfriados a ar sistema de ar condicionado e refrigeração comercial

Condensadores. Principais Tipos. Resfriados a ar sistema de ar condicionado e refrigeração comercial Condensadores Principais Tipos Resfriados a ar sistema de ar condicionado e refrigeração comercial Condensadores Resfriados a água sistema de ar condicionado e refrigeração comercial Trocador casco e tubo

Leia mais

Maquinas Termicas Geradores de Vapor

Maquinas Termicas Geradores de Vapor Máquinas Térmicas: Geradores de Vapor Geradores de Vapor Fornalha Caldeira Superaquecedores Economizadores Aquecedores de Ar Dispositivos de Controle e Segurança Tiragem 1 Gerador de Vapor Usina : 65 MW

Leia mais

Temperatura, calor e processos de transmissão de calor

Temperatura, calor e processos de transmissão de calor REVISÃO ENEM Temperatura, calor e processos de transmissão de calor TEMPERATURA Temperatura é a grandeza física escalar que nos permite avaliar o grau de agitação das moléculas. Quanto maior for o grau

Leia mais

Equipamentos Industriais

Equipamentos Industriais Equipamentos Industriais CONDUÇÃO E CONTROLE DE FLUIDOS Empresa Certificada - ISO 9001 A BERMO iniciou suas atividades em 1973, em Blumenau- SC e, atualmente, através de suas filiais e representantes,

Leia mais

Módulo I Ciclo Rankine Ideal

Módulo I Ciclo Rankine Ideal Módulo I Ciclo Rankine Ideal Sistema de Potência a Vapor As usinas de potência a vapor são responsáveis pela produção da maior parte da energia elétrica do mundo. Porém, para o estudo e desenvolvimento

Leia mais

DO SOL AO AQUECIMENTO. A energia no aquecimento/ arrefecimento de sistemas

DO SOL AO AQUECIMENTO. A energia no aquecimento/ arrefecimento de sistemas DO SOL AO AQUECIMENTO A energia no aquecimento/ arrefecimento de sistemas 23/04/2015 Dulce Campos 2 A ENERGIA NO AQUECIMENTO/ ARREFECIMENTO DE SISTEMAS Mecanismos de transferência de energia entre sistemas

Leia mais

29/11/2010 DEFINIÇÃO:

29/11/2010 DEFINIÇÃO: Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira MÁQUINAS TÉRMICAS AT-056 M.Sc. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br 1 DEFINIÇÃO: Trocadores de calor são dispositivo utilizados

Leia mais

Aplicação. Onde pode ser aplicado? Edifícios Residenciais

Aplicação. Onde pode ser aplicado? Edifícios Residenciais Obras de Grande Porte 1 Aplicação Onde pode ser aplicado? Edifícios Residenciais 2 Onde pode ser aplicado? Hotéis Aplicação 3 Onde pode ser aplicado? Motéis Aplicação 4 Onde pode ser aplicado? Hospitais

Leia mais

MANUAL TÉCNICO AQUECEDOR SOLAR SOLETROL. Utilização Instalação Dados técnicos

MANUAL TÉCNICO AQUECEDOR SOLAR SOLETROL. Utilização Instalação Dados técnicos MANUAL TÉCNICO AQUECEDOR SOLAR SOLETROL Utilização Instalação Dados técnicos Importante Não instale e não use o seu Aquecedor Solar Soletrol antes de ler este manual. Edição 10/2002 APRESENTAÇÃO PARABÉNS!

Leia mais

PROJETO DE SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DOS REATORES ANAERÓBIOS DA ETE POTECAS S.I.E. CONTINENTAL GRANDE FLORIANÓPOLIS

PROJETO DE SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DOS REATORES ANAERÓBIOS DA ETE POTECAS S.I.E. CONTINENTAL GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO DE SUBSTITUIÇÃO DA COBERTURA DOS REATORES ANAERÓBIOS DA ETE POTECAS S.I.E. CONTINENTAL GRANDE FLORIANÓPOLIS PROJETO CONTRATADO STE 1.113/2015 Empresa Escoar Engenharia Período de Execução: 30/06/2015

Leia mais

Entre sistemas a temperaturas diferentes a energia transfere-se do sistema com temperatura mais elevada para o sistema a temperatura mais baixa.

Entre sistemas a temperaturas diferentes a energia transfere-se do sistema com temperatura mais elevada para o sistema a temperatura mais baixa. Sumário Do Sol ao Aquecimento Unidade temática 1. Mecanismos de transferência de calor: a radiação, a condução e a convecção. O coletor solar e o seu funcionamento. Materiais condutores e isoladores do

Leia mais

ACUMULADORES DE ÁGUA FRESCA FS/1R

ACUMULADORES DE ÁGUA FRESCA FS/1R DESCRIÇÃO DO PRODUTO FS/1R Acumulador solar de água fresca com um registo Acumulador combinado simples em aço (S 235 JR), para o modo de aquecimento e a preparação da água de serviço, em conjunto com uma

Leia mais

Com sede em Estarreja, a Sinuta4Sun é uma das empresas do

Com sede em Estarreja, a Sinuta4Sun é uma das empresas do 14 AQUECIMENTO Num momento em que a crise energética é já um problema actual que reúne a preocupação de todos nós, em que as pessoas e empresas estão cada vez mais voltadas para o uso de energias que permitam

Leia mais

Evaporador de Ar Forçado Baixa Velocidade. Dupla saída de ar Baixa velocidade. Bandeja interna

Evaporador de Ar Forçado Baixa Velocidade. Dupla saída de ar Baixa velocidade. Bandeja interna 302 770 00 27 3397 Evaporador de Ar Forçado Baixa Velocidade Dupla saída de ar Baixa velocidade Bandeja interna Características Técnicas Bandeja interna que evita fugas de ar e concentra fluxo de água

Leia mais

ACUMULADORES DE CAMADAS PRO-HEAT

ACUMULADORES DE CAMADAS PRO-HEAT ACUMULADOES DE CAMADAS PO-HEAT DESCIÇÃO DO PODUTO DADOS TÉCNICOS Acumulador de camadas Pro-Heat com conexão do permutador de esfera Acumulador de camadas de alta qualidade, em aço (S 235 J), para o modo

Leia mais

Saneamento Ambiental I

Saneamento Ambiental I Universidade Federal do Paraná Engenharia Ambiental Saneamento Ambiental I Aula 04 Sistema de Captação Subterrânea, Adução e Estações Elevatórias Profª Heloise G. Knapik 1 2 Aula passada: Vazões de dimensionamento

Leia mais

Problema 1 Problema 2

Problema 1 Problema 2 1 Problema 1 7ª Edição Exercício: 2.42 / 8ª Edição Exercício: 1.44 A área da seção transversal da válvula do cilindro mostrado na figura abaixo é igual a 11cm 2. Determine a força necessária para abrir

Leia mais

Será Renovável a Energia obtida a partir de Bombas de Calor?

Será Renovável a Energia obtida a partir de Bombas de Calor? Será Renovável a Energia obtida a partir de Bombas de Calor? Jorge Facão LNEG 15. as Jornadas de Climatização A Climatização na Indústria Ordem dos Engenheiros, Lisboa 22 de outubro de 2015 Introdução

Leia mais

Os principais tipos de construção dos evaporadores para resfriamento de ar são: de tubo liso, de placa, e de tubos aletados.

Os principais tipos de construção dos evaporadores para resfriamento de ar são: de tubo liso, de placa, e de tubos aletados. 98 8 EVAPORADORES Um evaporador é qualquer superfície de transferência de calor na qual o liquido volátil e vaporizado com o objetivo de remover calor de um espaço ou produto refrigerado. Por causa das

Leia mais

FÍSICA 1ª SÉRIE APOIO PEDAGÓGICO LUIZ HENRIQUE DIAS DE FARIA

FÍSICA 1ª SÉRIE APOIO PEDAGÓGICO LUIZ HENRIQUE DIAS DE FARIA 1ª SÉRIE APOIO PEDAGÓGICO (Unicamp 2013) A boa ventilação em ambientes fechados é um fator importante para o conforto térmico em regiões de clima quente. Uma chaminé solar pode ser usada para aumentar

Leia mais

Última aula: Radiação solar e terrestre Hoje: Variação Sazonal e Diurna da Temperatura Próxima aula: Vapor d água/nuvens/estabilidade vertical

Última aula: Radiação solar e terrestre Hoje: Variação Sazonal e Diurna da Temperatura Próxima aula: Vapor d água/nuvens/estabilidade vertical Última aula: Radiação solar e terrestre Hoje: Variação Sazonal e Diurna da Temperatura Próxima aula: Vapor d água/nuvens/estabilidade vertical A órbita da Terra em torno do Sol não é circular: em janeiro

Leia mais

NORMAS BRASILEIRAS PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO

NORMAS BRASILEIRAS PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO NORMAS BRASILEIRAS PARA AR CONDICIONADO E REFRIGERAÇÃO ESTAS NORMAS SÃO PRODUZIDAS E REVISADAS POR (ABNT) ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS, ATRAVÉS DO COMITÊ BRASILEIRO Nº55 (CB 55) COM SEDE NA

Leia mais

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA

SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA SISTEMAS TÉRMICOS DE POTÊNCIA GERADORES DE VAPOR Prof. Dr. Ramón Silva - 2015 O objetivo dessa aula apresentar e classificar os diversos tipos de geradores de vapor. Prof. Dr. Ramón Silva - 2015 2 Gerador

Leia mais

Desempenho Térmico de edificações Ventilação Natural

Desempenho Térmico de edificações Ventilação Natural Desempenho Térmico de edificações Ventilação Natural PROFESSOR Roberto Lamberts ECV 5161 UFSC FLORIANÓPOLIS + Importância + Ocorrência dos ventos + Implantação e orientação + Mecanismos + Diferenças de

Leia mais

Tabela de preços nº12 ( )

Tabela de preços nº12 ( ) Energia solar térmica Familia Colectores solares de alta eficiência EA0031 Colector de 20 tubos com suporte 605,00 A EA0023 Colector de 30 tubos com suporte 880,00 A EA0042 Colector de 20 tubos sem suporte

Leia mais

Q t. Taxa de transferência de energia por calor. TMDZ3 Processos de Transmissão de calor. Prof. Osvaldo Canato Jr

Q t. Taxa de transferência de energia por calor. TMDZ3 Processos de Transmissão de calor. Prof. Osvaldo Canato Jr Taxa de transferência de energia por calor P Q t no SI : Q J; t s; P J / s W ( watt) Condução Para um bloco com corte transversal de área A, espessura x e temperaturas T 1 e T 2 em suas faces, têm-se:

Leia mais

MANUAL DE INSTALÇÃO KIT A.Q.S. SOLAR COMPACT PORTUGUÊS

MANUAL DE INSTALÇÃO KIT A.Q.S. SOLAR COMPACT PORTUGUÊS MANUAL DE INSTALÇÃO KIT A.Q.S. SOLAR COMPACT versão. Nov. 2013 Agradecemos a aquisição do nosso produto. Antes de utilizar o equipamento, leia cuidadosamente este manual e guarde-o para referências futuras.

Leia mais

A WIRTGEN GROUP COMPANY LINHA DE TANQUES. ciberoficial

A WIRTGEN GROUP COMPANY LINHA DE TANQUES.  ciberoficial A WIRTGEN GROUP COMPANY LINHA DE TANQUES www.ciber.com.br ciberoficial 02 03 A Ciber conta com uma diferenciada linha de tanques de armazenamento de CAP e combustível. Também conta com tanques de armazenamento

Leia mais

Lista de Exercícios Perda de Carga Localizada e Perda de Carga Singular

Lista de Exercícios Perda de Carga Localizada e Perda de Carga Singular Lista de Exercícios Perda de Carga Localizada e Perda de Carga Singular 1. (Petrobrás/2010) Um oleoduto com 6 km de comprimento e diâmetro uniforme opera com um gradiente de pressão de 40 Pa/m transportando

Leia mais

A tecnologia torna a vida perfeita! Controlador Eletrônico para Aquecedor Solar de Água. Ecologic

A tecnologia torna a vida perfeita! Controlador Eletrônico para Aquecedor Solar de Água. Ecologic A tecnologia torna a vida perfeita! TK-8A Controlador Eletrônico para Aquecedor Solar de Água Ecologic Atenção: Antes de usar o controlador leia atentamente este manual. 1 TK-8A MANUAL Prezado usuário:

Leia mais

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES REVISÃO 01 SETEMBRO/2011 INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES - TNC Informações operacionais do Terminal Aquaviário Norte Capixaba - Espírito Santo ELABORADO PELA Gerência de Comercialização de Serviços de Terminais

Leia mais

E transformam inicialmente a energia solar em energia cinética e, depois, em energia térmica.

E transformam inicialmente a energia solar em energia cinética e, depois, em energia térmica. SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA/SECRETARIA DE EDUCAÇÃO POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE GOIÁS COMANDO DE ENSINO POLICIAL MILITAR COLÉGIO DA POLÍCIA MILITAR SARGENTO NADER ALVES DOS SANTOS SÉRIE/ANO: 3º TURMA(S):

Leia mais

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Termodinâmica. Ciclos motores a vapor

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. Termodinâmica. Ciclos motores a vapor Termodinâmica Ciclos motores a vapor 1 v. 1.1 Por que estudar ciclos? Pergunta: Quanto custa operar uma usina termelétrica de 1000 MW de potência elétrica, queimando combustível fóssil, operando segundo

Leia mais

1/3 COLETOR DE ENERGIA SOLAR PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA

1/3 COLETOR DE ENERGIA SOLAR PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA 1/3 COLETOR DE ENERGIA SOLAR PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA [001] A presente invenção trata de um coletor de energia solar com aplicação na área de dispositivos para gerar calor por meio da energia solar visando

Leia mais

Manual de utilização da ferramenta online de cálculo e emissão da etiqueta de sistemas de aquecimento. /portugal

Manual de utilização da ferramenta online de cálculo e emissão da etiqueta de sistemas de aquecimento. /portugal Manual de utilização da ferramenta online de cálculo e emissão da etiqueta de sistemas de aquecimento CONTEÚDOS 1. Introdução 2. Fases de cálculo da etiqueta de sistemas 3. Apresentação da ferramenta LabelPackA+

Leia mais

Aula 7 Refrigeração e bombeamento de calor

Aula 7 Refrigeração e bombeamento de calor Universidade Federal do ABC P O S M E C Aula 7 Refrigeração e bombeamento de calor MEC202 Refrigeração Transferência de calor a partir de uma região de temperatura mais baixa para uma região com temperatura

Leia mais

CICLOS MOTORES A VAPOR. Notas de Aula. Prof. Dr. Silvio de Oliveira Júnior

CICLOS MOTORES A VAPOR. Notas de Aula. Prof. Dr. Silvio de Oliveira Júnior CICLOS MOTORES A VAPOR Notas de Aula Prof. Dr. Silvio de Oliveira Júnior 2001 CICLO RANKINE ESQUEMA DE UMA CENTRAL TERMELÉTRICA A VAPOR REPRESENTAÇÃO ESQUEMÁTICA DA TERMELÉTRICA DIAGRAMAS DO CICLO IDEAL

Leia mais

PRINCÍPIOS E APLICAÇÕES

PRINCÍPIOS E APLICAÇÕES Energia Solar PAINEL SOLAR PRINCÍPIOS E APLICAÇÕES ENERGIA SOLAR FOTOTÉRMICA Etapas de um Projeto de Sistemas de Aquecimento Solar Os sistemas de aquecimento solar podem ser classificados quanto ao modo

Leia mais

Equipamentos Água Gelada Água Torre

Equipamentos Água Gelada Água Torre Água Gelada Água Torre Equipamentos Equipamentos Bombeamento Água Torre Bombeamento Água Gelada Torres de Resfriamento Fancoil de Alvenaria Equipamentos Vista Externa Fancoil de Alvenaria Equipamentos

Leia mais

Transferência de Calor

Transferência de Calor Transferência de Calor Introdução e Modos de Transferência Prof. Universidade Federal do Pampa BA000200 Campus Bagé 08 de maio de 2017 Transferência de Calor: Introdução 1 / 29 Introdução à Transferência

Leia mais

Projeto e Construção Sustentável. Estratégias bioclimáticas aplicadas ao clima de Sinop-MT

Projeto e Construção Sustentável. Estratégias bioclimáticas aplicadas ao clima de Sinop-MT O ProjetEEE (http://www.projeteee.ufsc.br/) foi desenvolvido a partir do questionamento "Como proporcionar menor consumo energético e maior conforto interno ao usuário". O resultado é uma ferramenta gratuita

Leia mais

Permutadores de Calor para Piscinas

Permutadores de Calor para Piscinas Permutadores de Calor para s TECNOLOGIA BOWMAN Líder Mundial em Tecnologia Permutadores Calor Permutadores de calor s Para Caldeiras, Painéis Solares e Bombas de calor PERFORMANCE NA TRANSFERÊNCIA DE CALOR

Leia mais

26/08/ Agosto/2012

26/08/ Agosto/2012 26/08/2012 1 Agosto/2012 Refrigeração. 26/08/2012 2 Circuito Frigorifico O ciclo de refrigeração ou ciclo frigorífico é um ciclo termodinâmico que constitui o modelo matemático que define o funcionamento

Leia mais

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO

A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo A CADEIA PRODUTIVA DO PETRÓLEO PMI 3101 - Introdução à Engenharia para a Indústria Mineral Prof. Eduardo

Leia mais

D / Sistemas de refrigeração de fluidos RFCS

D / Sistemas de refrigeração de fluidos RFCS Sistemas de refrigeração de fluidos RFCS Máquinas-ferramentas Seu parceiro profissional para sistemas de refrigeração. Todas as exigências... Prensas Máquinas injetoras de plástico Usinas termelétricas

Leia mais

Coletor solar (EA0031/EA0023) Manual de instruções. Manual de instruções. Coletor Solar EA0031/EA0023

Coletor solar (EA0031/EA0023) Manual de instruções. Manual de instruções. Coletor Solar EA0031/EA0023 Manual de instruções Coletor Solar EA0031/EA0023 Índice 1. Especificações técnicas... 3 2. Cuidados... 3 3. Tubo do Coletor Solar... 4 3.1. Componentes... 4 3.2. Parâmetros... 5 4. Coletor Solar... 5 5.

Leia mais

Instalações Hidráulicas Prediais de Água Fria. Instalações Hidrossanitárias Profª Bárbara Silvéria

Instalações Hidráulicas Prediais de Água Fria. Instalações Hidrossanitárias Profª Bárbara Silvéria Instalações Hidráulicas Prediais de Água Fria Instalações Hidrossanitárias Profª Bárbara Silvéria Instalações Prediais de Água Fria As instalações prediais de água fria são o conjunto de tubulações, conexões,

Leia mais

SISTEMA DE BAIXO CUSTO PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA, UTILIZANDO MANGUEIRAS DE POLIETILENO PARA APLICAÇÃO EM COZINHA E BANHO DE UMA UNIDADE DE DETENÇÃO

SISTEMA DE BAIXO CUSTO PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA, UTILIZANDO MANGUEIRAS DE POLIETILENO PARA APLICAÇÃO EM COZINHA E BANHO DE UMA UNIDADE DE DETENÇÃO SISTEMA DE BAIXO CUSTO PARA AQUECIMENTO DE ÁGUA, UTILIZANDO MANGUEIRAS DE POLIETILENO PARA APLICAÇÃO EM COZINHA E BANHO DE UMA UNIDADE DE DETENÇÃO José Aparecido Silva de Queiroz 1 Adriano de Souza Marques

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 1859 1 AÇÃO CIVIL PÚBLICA nº 1011905-69.2013.8.26.0053 PARECER TÉCNICO SETEC RI 4412 LT 0223-14 MAHUAC PJMAC ACP 1011905-69.2013.8.26.0053 INTERESSADA: PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE MEIO AMBIENTE DA CAPITAL

Leia mais

Termossifão pressurizado (EA8893) Manual de instruções. Manual de instruções. Termossifão pressurizado (EA8893)

Termossifão pressurizado (EA8893) Manual de instruções. Manual de instruções. Termossifão pressurizado (EA8893) Manual de instruções Termossifão pressurizado (EA8893) Índice 1. Parâmetros... 3 2. Precauções... 4 3. Informação técnica... 5 3.1. Componentes... 5 3.2. Informação técnica... 5 4. Componentes e dimensões...

Leia mais

Condensador. T sai. T entra. Refrigerante. Temperatura. Desuperaquecimento. Condensação Sub-resfriamento. Meio de condensação

Condensador. T sai. T entra. Refrigerante. Temperatura. Desuperaquecimento. Condensação Sub-resfriamento. Meio de condensação Profª Karla Silva Temperatura Condensador Esfria e condensa o vapor superaquecido vindo da compressão nas instalações frigoríficas. Para isso usa: ar ou água ou ar e água em contato. Fases da transmissão

Leia mais

Modelagem de equipamentos térmicos Trocadores de calor

Modelagem de equipamentos térmicos Trocadores de calor Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica Modelagem de equipamentos térmicos rocadores de calor Método de projeto térmico Diferença de temperatura

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas

LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas LISTA DE EXERCÍCIOS Máquinas Hidráulicas 1- Água escoa em uma tubulação de 50 mm de diâmetro a uma vazão de 5 L/s. Determine o número de Reynolds nestas condições, informe se o escoamento é laminar ou

Leia mais

TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO

TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Departamento de Engenharia Mecânica TM-182 REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Prof. Dr. Rudmar Serafim Matos REFRIGERAÇÃO SITE DE REFRIGERAÇÃO http://people.ufpr.br/~rudmar/refri/

Leia mais

Aquecimento de Água. Linha Bomba de Calor para Piscina. Linha Completa para o Conforto Térmico

Aquecimento de Água. Linha Bomba de Calor para Piscina. Linha Completa para o Conforto Térmico Aquecimento de Água Linha Bomba de Calor para Piscina Linha Completa para o Conforto Térmico Aquecedor de Água Apresentação Este modelo de bomba de calor para piscina é fabricado pela Rheem nos Estados

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA 3.7. REBAIXAMENTO DO LENÇOL FREÁTICO Quando as escavações atingem o nível das águas subterrâneas e há o afloramento das mesmas, torna-se necessária a drenagem ou o rebaixamento do lençol freático com o

Leia mais

ENERSOLAR Proposta de Trabalho e Experiência. Eng. Leonardo Chamone Cardoso

ENERSOLAR Proposta de Trabalho e Experiência. Eng. Leonardo Chamone Cardoso ENERSOLAR 2015 Proposta de Trabalho e Experiência Eng. Leonardo Chamone Cardoso Diferenciação Diferenciação Procuramos clientes que, além de se preocuparem com melhor custo benefício, procuram por produtos

Leia mais

Aproveitamento da Energia Solar Térmica em Portugal

Aproveitamento da Energia Solar Térmica em Portugal II Seminário de Energia Sustentável Loures, 22/02/2013 Aproveitamento da Energia Solar Térmica em Portugal João Cardoso João Farinha Mendes joao.cardoso@lneg.pt Unidade de Energia Solar Um apetite voraz

Leia mais