QUALIDADE DA ÁGUA DO AÇUDE PACOTI, HORIZONTE, CEARÁ, PARA FINS DE IRRIGAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QUALIDADE DA ÁGUA DO AÇUDE PACOTI, HORIZONTE, CEARÁ, PARA FINS DE IRRIGAÇÃO"

Transcrição

1 QUALIDADE DA ÁGUA DO AÇUDE PACOTI, HORIZONTE, CEARÁ, PARA FINS DE IRRIGAÇÃO C. A. Lima 1 ; H. A. Q. Palácio 2 ; E. M. Andrade 3 ; C. A. Lima 4 ; J. C. N. Santos 5 RESUMO: O presente estudo objetivou avaliar a qualidade da água do açude Pacoti, Horizonte CE, para fins de irrigação. As coletas de água foram realizadas mensalmente no período de fevereiro 2005 a dezembro de 2006, perfazendo um total de 20 amostras. Os parâmetros considerados foram condutividade elétrica (CE), relação de adsorção de sódio (RAS), e os íons cálcio, magnésio, sódio, cloreto e bicarbonato. Os resultados obtidos permitiram concluir que no geral, os parâmetros estudados não apresentaram limitações de uso para irrigação, embora, os níveis elevados das concentrações dos íons cloreto, sódio e bicarbonato, requerem atenção mostrando a necessidade de um manejo adequado de irrigação, com vistas a mitigar problemas de toxidade para as culturas. PALAVRAS-CHAVE: águas superficiais, salinidade, parâmetros físico-químicos WATER QUALITY OF THE PACOTI DAM, HORIZONTE, CEARÁ STATE, FOR IRRIGATION PURPOSE ABSTRACT: This study aimed to evaluate the water quality of Pacoti Dam, Horizonte Ceará, for irrigation purposes. The water sampling was carried out monthly from February 2005 to December 2006, a total of 20 samples. The parameters considered were electrical conductivity (EC), sodium adsorption ratio (SAR), and calcium, magnesium, sodium, chloride and bicarbonate. The results showed that overall, the parameters studied showed no usage limitations for irrigation, although the high concentrations of chloride ions, sodium and bicarbonate, require attention by showing the need for proper management of irrigation, with a view to reduce problems of toxicity to crops. KEYWORDS: surface water, salinity, physico-chemical parameters 1 Mestranda em Engenharia Agrícola, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Av. Dom Manoel de Medeiros, s/n, Dois Irmãos, Recife, PE, CEP fone fax (81) , 2 Licenciada em Ciências Agrárias, Professora do (IFCE), Campus Iguatu. 3 Eng. Agrônomo, Ph.D., Professora Adjunta do Departamento de Engenharia Agrícola, Universidade Federal do Ceará. 4 Graduanda em Tecnologia em Irrigação e Drenagem, bolsista do IFCE, campus Iguatu, E- 5 Mestre em Engenharia Agrícola, Universidade Federal do Ceará.

2 INTRODUÇÃO No Nordeste do Brasil, assim como nas demais regiões semiáridas do globo, o regime pluviométrico se caracteriza por alta variabilidade espacial e temporal, com verões longos e secos, alternados por estações úmidas de curta duração com chuvas de alta intensidade (Palácio et al. 2004). Diante desta problemática a única forma de garantir a produção agrícola é a utilização da irrigação (Arraes et al. 2007). Nos últimos anos a agricultura irrigada vem se consolidando como uma importante estratégia para otimização da produção agrícola, principalmente nas regiões semiáridas, demonstrando junto com a tecnologia um encontro de condições idéias para a sua aplicabilidade, dependendo tanto da quantidade como da qualidade de água (Leal et. al. 2009). A qualidade da água é um fator que deve ser avaliado no planejamento da irrigação, visto que, as características físico-químicas não adequadas podem ocasionar processos de salinização e sodificação do solo, pois, os sais solúveis do solo e da água reduzem a disponibilidade de água para as plantas (Ayers & Westcot, 1999). Neste contexto o presente estudo teve como objetivo avaliar a qualidade da água do açude Pacoti, Horizonte CE, para fins de irrigação. MATERIAL E MÉTODOS O estudo foi desenvolvido no açude Pacoti, localizado na bacia Metropolitana, mais precisamente no município de Horizonte, Estado do Ceará. O reservatório possui uma bacia hidráulica de ,000 ha e uma capacidade máxima de m³, tendo como finalidade o armazenamento de água para a região, além de abastecer a região Metropolitana de Fortaleza. A região apresenta um clima, segundo a classificação de Köppen, chuvoso de monção (Amw), sendo o período seco atenuado e o chuvoso abrangendo o verão e outono. A precipitação para os anos de 2005 e 2006 foram de 556 e 930 mm, respectivamente. O solo predominante é Podzolico vermelho amarelo (EMBRAPA, 2006). As coletas de água no reservatório Pacoti foram realizadas mensalmente no período de fevereiro 2005 a dezembro de 2006, totalizando 20 amostras de água, conforme os procedimentos da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (COGERH) do Estado do Ceará. Os parâmetros analisados foram condutividade elétrica (CE), relação de adsorção de sódio (RAS) e os íons Na +, Cl -, Ca +2, Mg +2 e HCO 3 -, seguindo a metodologia apresentada por APHA (1998). A RAS foi calculada a partir das concentrações de Na +, Ca +2, Mg +2 utilizando a equação 1. (eq.1) Os resultados foram avaliados tendo como base os limites das classes de restrição, estabelecidos para irrigação, segundo AyerS & Wetscot (1999) e apresentados nas Tabelas 1 e 2.

3 RESULTADOS E DISCUSSÃO Observa-se na Figura 1A que a CE apresentou valores menores que 0,7 ds m -1, para o período de estudo. De acordo com Ayers & Westcot (1999), a água pode ser classificada como sem nenhuma restrição para irrigação, com exceção do mês de dezembro de 2006, que apresentou uma CE de 0,94 ds m -1, fato que pode ser explicado pela concentração dos sais devido a baixa precipitação neste período. Resultados semelhantes foram obtidos por outros pesquisadores (Arraes et al. 2007; Silva, et al. 2006; Lima et al. 2010). O mesmo se aplica para as concentrações dos cátions cálcio e magnésio (Figura 1E). Segundo Ayers & Westcot (1999), a água que apresenta salinidade baixa, pode ser utilizada normalmente em projetos de irrigação e, no manejo de cultura sensíveis aos sais como as hortaliças: repolho, tomate, abobrinha, pimentão etc, além das frutas, como laranja, banana, videira etc, sem que sejam necessárias técnicas essenciais de controle da salinidade. Os valores da RAS devem ser analisados considerando a condutividade elétrica (Figura 1B). De acordo com os resultados, no geral as amostras são classificadas como sem risco de sodificação (nenhuma restrição de uso para irrigação), tendo em vista que boa parte dos valores da RAS estão abaixo de 3,0 (mmol c L -1 ) 0,5 e os de CE abaixo de 0,7 ds m -1. Com exceção dos meses de abril e agosto de 2005 e setembro e dezembro de 2006, a qual a RAS encontrava-se acima de 3,0 (mmol c L -1 ) 0,5 classificando a água como com moderada restrição para o uso na irrigação, devido à menor capacidade de infiltração de água segundo (Ayers & Westcot,1999). Foi evidenciado maior concentração do ânion Cloreto, acima dos limites aceitáveis para fins de irrigação por superfície e aspersão, estabelecidos por Ayers e Westcot (1999) para a agricultura, praticamente, todo o período estudado, com exceção período chuvoso 2005 (fevereiro a junho) (Figura 1C). O alto teor deste ânion pode ser decorrente da emissão das águas residuárias para o reservatório ou das atividades muitas vezes realizada diretamente nas águas do açude pelos moradores das proximidades. Pesquisadores estudando a qualidade da água em regiões semiáridas, para fins de irrigação, também observaram moderada restrição da concentração do íon cloreto (Palácio et al. 2004; Leal et al. 2009). Níveis elevados de Sódio (> 3,00 mmol c.l -1 ) foram encontrados na metade das amostras coletadas durante o período estudado (Figura 1D). Segundo Ayers e Westcot (1999), a água encontra-se fora do limite ideal para uso em irrigação, se enquadrando na classe moderada. Esse fato se dá pela maior concentração em decorrência das interferências antrópicas ao longo do seu percurso. Resultado semelhante foi encontrado por Santos et al. (2009) na bacia do Acaraú, Ceará, onde encontraram valores de sódio para alguns pontos acima do limite ideal para irrigação. De acordo com Ayers & Westcot (1999), elevados teores de Cl - e Na + podem ser tóxicos para diversas culturas, podendo a irrigação por aspersão ocasionar problemas de queimaduras das folhas e consequentes perdas na produtividade. A presença abundante do íon Na + poderá acarretar, além dos citados problemas de toxicidade, a redução na permeabilidade do solo devido ao efeito dispersante deste elemento quando se encontra em maiores proporções em relação aos níveis de Ca +2 e Mg +2. Observando-se os limites do bicarbonato para irrigação nos dois anos de estudos, observa-se que ocorreu uma leve tendência de aumento da concentração deste elemento, excedendo o valor

4 de 1,5 mmolc L -1, nos meses de abril e outubro de 2005 e fevereiro e dezembro de 2006 (Figura 1F). Neste período as águas foram classificadas como moderadamente restrita para o uso na irrigação. Esta observação infere que a utilização da água deve ser feita observando-se técnicas especiais e monitoramento da porcentagem de sódio trocável nos solos para evitar processos de sodificação, em virtude, do bicarbonato, proporcionar precipitação do cálcio e alterar a relação de sódio trocável (Silva et al. 2006; Leal et al. 2009). CONCLUSÃO No geral, as águas do açude Pacoti apresentaram qualidade adequada para a agricultura irrigada ao longo do período de estudo, requerendo atenção quanto aos níveis elevados das concentrações dos íons cloreto, sódio e bicarbonato, o que mostra a necessidade de um manejo adequado da irrigação, com vistas a mitigar problemas de toxidade para as culturas nessas áreas. AGRADECIMENTOS Os autores agradecem ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico CNPq pelo apoio financeiro e a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (COGERH) pela concessão dos dados para realização do presente trabalho. REFERÊNCIAS ARRAES, F. D. D.; ANDRADE, E. M.; PALÁCIO, H. A. Q.;SOUSA, C. H. C.; SILVA, J. A.; FROTA JÚNIOR. J. I. Dinâmica da classificação das águas da bacia do Curu. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, 17., 2007, São Paulo. Anais... Porto Alegre: ABRH. (CD-ROM). AYERS, R. S.; WESTCOT, D. W. A qualidade da água na agricultura. Estudos FAO. Irrigação e Drenagem 29 (Revisado). Campina Grande PB UFPB. trad: Gheyi, H. R.; Medeiros, J. F.; Damasceno, F. A. V. 1999, 218 p. EMBRAPA. Sistema brasileiro de classificação de solos. Rio de Janeiro: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, 2.ed. Embrapa Solos, p. LEAL, C. M.; ANDRADE JÚNIOR, A. S.; SOUSA, V. F.; SILVA, Ê. F.F; BASTOS, E. A. Qualidade da água subterrânea para fins de irrigação na microrregião de Teresina, Piauí. Irriga, Botucatu, v. 14, n. 3, p , LIMA, C. A.; MEIRELES, A.C.M.; ANDRADE, E. M.; LOBATO, F.A.O.; BARROS, J. R. Avaliação da qualidade da água do açude Orós no semiárido cearense para irrigação. In: III WORKSHOP INTRNACIONAL DE INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NA IRRIGAÇÃO 8 a 11 de junho Fortaleza- CE. Anais... WINOTEC, (CD-ROM) PALÁCIO, H. A. Q.; ANDRADE, E. M.; CARNEIRO NETO, J. A.; CRISÓSTOMO, L. A.; OLIVEIRA, N. L. Avaliação da qualidade das águas do vale perenizado do rio Trussu, para fins de irrigação. In: VII SIMPÓSIO DE RECURSOS HÍDRICOS DO NORDESTE, 7, São Luís. Anais..., ABRH, (CD-ROM). PALÁCIO, H. A. Q.; CARNEIRO NETO, J. A.; TEIXEIRA, A. S.; ANDRADE, E.M. Caracterização da potencialidade de uso das águas subterrâneas no vale do Trussu CE. Revista Ciência Agronômica, v. 35, n. 02, p , jul./dez SANTOS, J. C. N.; MEIRELES A. C. M.; ANDRADE, E. M.; ARAÚJO NETO, J. R. Avaliação da concentração do íon sódio nas águas de irrigação da bacia do Acaraú-CE. In: CONGRESSO

5 fev-05 mar-05 abr-05 mai-05 jun-05 ago-05 set-05 out-05 nov-05 dez-05 fev-06 mar-06 abr-06 mai-06 jun-06 ago-06 set-06 out-06 nov-06 dez-06 Cl- (mmolc L-1) C. A. Lima et al. BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA 2 a 6 de agosto Juazeiro-BA /Petrolina-PE. Anais... SBEA, (CD-ROM) SILVA, Ê.F.F.; ANDRADE JÚNIOR A. S.; LEAL, C. M.; BASTOS, E. A.; SOUSA, V. F. Avaliação da qualidade da água superficial da bacia hidrográfica do rio Gurguéia. In CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA 31 de julho a 4 de agosto João Pessoa. Anais... PB: SBEA, (CD-ROM). Tabela 1 Classes de restrição de uso da água para irrigação de acordo com a qualidade, segundo Ayers & Westcot (1999) Classes de restrição de uso para irrigação Variáveis Nenhuma Moderada Severa CE (ds m -1 ) <0,7 0,7 3,0 >3,0 Cl (mmol c L -1 ) <4,0 4,0 10 >10 Cl (mmol c L -1 ) <3,0 >3,0 Na (mmol c L -1 ) <3,0 >3,0 Ca+Mg (mmol c L -1 ) < 5,0 5,0 15 >15 HCO 3 (mmol c L -1 ) <1,5 1,5 8,5 >8,5 (1A ) (1B ) (1C) (1D ) Cl L. irrigação por superfície L.irrigação por aspersão (1E ) (1F ) Figura 1 Valores mensais da CE (A), RAS (B), Cl- (C), Na+ (D), relação Ca+2/Mg+2 (E) e HCO3- (F), referentes ao período de estudo, para o açude Pacoti, em Horizonte, CE

6 Tabela 2 Classes de restrição de uso da água para irrigação de acordo com a relação de adsorção de sódio, segundo Ayers & Westcot (1999) RAS Classes de restrição de uso para irrigação Nenhuma Moderada Severa Condutividade elétrica (ds m -1 ) 0 a 3 >0,7 0,7 a 2,0 < 2,0 3 a 6 >1,2 1,2 a 0,3 < 0,3 6 a 12 >1,9 1,9 a 0,5 < 0,5 12 a 20 >2,9 2,9 a 1,3 < 1,3 20 a 40 >5,0 5,0 a 2,9 < 2,9

CLASSIFICAÇÃO DAS ÁGUAS DO AÇUDE ORÓS, CEARÁ QUANTO AOS ÍONS DOMINANTES

CLASSIFICAÇÃO DAS ÁGUAS DO AÇUDE ORÓS, CEARÁ QUANTO AOS ÍONS DOMINANTES CLASSIFICAÇÃO DAS ÁGUAS DO AÇUDE ORÓS, CEARÁ QUANTO AOS ÍONS DOMINANTES C. A. Lima 1 ; A. C. M. Meireles 2 ; F. B. Lopes 3 ; E. M. Andrade 4 ; H. A. Q. Palácio 5 RESUMO: Objetivou-se com este trabalho

Leia mais

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE QUALIDADE DAS ÁGUAS PARA FINS DE IRRIGAÇÃO EM TRÊS SISTEMAS HÍDRICOS: AÇUDE, RIO PERENIZADO E POÇOS

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE QUALIDADE DAS ÁGUAS PARA FINS DE IRRIGAÇÃO EM TRÊS SISTEMAS HÍDRICOS: AÇUDE, RIO PERENIZADO E POÇOS XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE QUALIDADE DAS ÁGUAS PARA FINS DE IRRIGAÇÃO EM TRÊS SISTEMAS HÍDRICOS: AÇUDE, RIO PERENIZADO E POÇOS Maria Monaliza de Sales 1 ; José Ribeiro de Araújo Neto

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO E DO NÚMERO DE DIAS DE CHUVA NO MUNICÍPIO DE PETROLINA - PE

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO E DO NÚMERO DE DIAS DE CHUVA NO MUNICÍPIO DE PETROLINA - PE CAPTAÇÃO E MANEJO DE ÁGUA DE CHUVA PARA SUSTENTABILIDADE DE ÁREAS RURAIS E URBANAS TECNOLOGIAS E CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA TERESINA, PI, DE 11 A 14 DE JULHO DE 2 ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO E DO NÚMERO DE DIAS

Leia mais

AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DA QUALIDADE DE ÁGUA DO DISTRITO DE IRRIGAÇÃO DOS TABULEIROS DE SÃO BERNARDO, MARANHÃO

AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DA QUALIDADE DE ÁGUA DO DISTRITO DE IRRIGAÇÃO DOS TABULEIROS DE SÃO BERNARDO, MARANHÃO 1 AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DA QUALIDADE DE ÁGUA DO DISTRITO DE IRRIGAÇÃO DOS TABULEIROS DE SÃO BERNARDO, MARANHÃO M. E. C. Veloso 1 ; F. E. P. Mousinho 2 ; F. F.Blanco 1 ; A. F. Rocha Junior 3 ; A. Borges

Leia mais

QUALIDADE DA ÁGUA DO AÇUDE TRUSSU, IGUATU, CEARÁ, PARA IRRIGAÇÃO E CONSUMO HUMANO

QUALIDADE DA ÁGUA DO AÇUDE TRUSSU, IGUATU, CEARÁ, PARA IRRIGAÇÃO E CONSUMO HUMANO http://dx.doi.org/10.12702/ii.inovagri.2014-a669 QUALIDADE DA ÁGUA DO AÇUDE TRUSSU, IGUATU, CEARÁ, PARA IRRIGAÇÃO E CONSUMO HUMANO L. C. G. Chaves 1, K. S. de Oliveira 2, A. C. S. de Sousa 3, A. R. S.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE EFLUENTES PARA FINS DE REUSO NA IRRIGAÇÃO NO MUNICÍPIO DE IGUATU-CE

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE EFLUENTES PARA FINS DE REUSO NA IRRIGAÇÃO NO MUNICÍPIO DE IGUATU-CE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE EFLUENTES PARA FINS DE REUSO NA IRRIGAÇÃO NO MUNICÍPIO DE IGUATU-CE K. L. Cavalcante 1 ; W. M. Maciel 2 ; H. M. Maciel 2 ; D. H. Nogueira 3 ; G. E. Gomes 4 RESUMO: O reuso de

Leia mais

Avaliação da qualidade da água para irrigação na região Centro Sul no Estado do Ceará

Avaliação da qualidade da água para irrigação na região Centro Sul no Estado do Ceará 588 Andréia de A. F. Barroso et al. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental v.15, n.6, p.588 593, 2011 Campina Grande, PB, UAEA/UFCG http://www.agriambi.com.br Protocolo 266.10 31/08/2010

Leia mais

Avaliação da qualidade das águas dos rios São Francisco e Jaguaribe para fins de irrigação

Avaliação da qualidade das águas dos rios São Francisco e Jaguaribe para fins de irrigação 48 Avaliação da qualidade das águas dos rios São Francisco e Jaguaribe para fins de irrigação Pedro H. D. Batista 1, Anny K. Feitosa 2, Francisco E. Leite 3, Maria M. Sales 4, Kevin B. Silva 5 Recebido

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA BACIA DO RIO GURGUÉIA E ANÁLISE DE RESTRIÇÃO DE USO PARA IRRIGAÇÃO

CARACTERIZAÇÃO DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA BACIA DO RIO GURGUÉIA E ANÁLISE DE RESTRIÇÃO DE USO PARA IRRIGAÇÃO CARACTERIZAÇÃO DA ÁGUA SUBTERRÂNEA NA BACIA DO RIO GURGUÉIA E ANÁLISE DE RESTRIÇÃO DE USO PARA IRRIGAÇÃO E.F.F. Silva 1, A.S. Andrade Júnior 2, V.F. Sousa, C.M. Leal 4, M.V. Folegatti 5 RESUMO: O objetivo

Leia mais

IV AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA FINS DE IRRIGAÇÃO NA REGIÃO DE ENTORNO DO LAGO DE SOBRADINHO

IV AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA FINS DE IRRIGAÇÃO NA REGIÃO DE ENTORNO DO LAGO DE SOBRADINHO IV-215 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA FINS DE IRRIGAÇÃO NA REGIÃO DE ENTORNO DO LAGO DE SOBRADINHO Carolina Rodrigues da Silva Neta Estudante de Química, IF-Sertão, estagiário da Embrapa Semiárido,

Leia mais

Análise Físico-Químico da Qualidade de Efluentes para Fins de Reuso na Irrigação no Município de Iguatu CE

Análise Físico-Químico da Qualidade de Efluentes para Fins de Reuso na Irrigação no Município de Iguatu CE Análise Físico-Químico da Qualidade de Efluentes para Fins de Reuso na Irrigação no Município de Iguatu CE Kellison Lima Cavalcante 1, Wlisses Matos Maciel 2, Harine Matos Maciel 2, Maria Jardenes de Matos

Leia mais

QUALIDADE DA ÁGUA SUBTERRÂNEA PARA FINS DE IRRIGAÇÃO NA MICRORREGIÃO DE TERESINA, PIAUÍ. 1 RESUMO

QUALIDADE DA ÁGUA SUBTERRÂNEA PARA FINS DE IRRIGAÇÃO NA MICRORREGIÃO DE TERESINA, PIAUÍ. 1 RESUMO 276 Irriga, Botucatu, v. 14, n. 3, p. 276288, julhosetembro, 2009 ISSN 18083765 QUALIDADE DA ÁGUA SUBTERRÂNEA PARA FINS DE IRRIGAÇÃO NA MICRORREGIÃO DE TERESINA, PIAUÍ. Clarice Maria Leal 1 ; Aderson Soares

Leia mais

Qualidade das águas da sub-bacia do Rio Taperoá, para fins de irrigação. Waters quality of Taperoá s river sub - basin, to irrigation s purposes

Qualidade das águas da sub-bacia do Rio Taperoá, para fins de irrigação. Waters quality of Taperoá s river sub - basin, to irrigation s purposes REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 Volume 9 - Número 2-2º Semestre 2009 Qualidade das águas da sub-bacia do Rio Taperoá, para fins de irrigação José Dantas Neto 1, João Falcão Barreto

Leia mais

QUALIDADE DA ÁGUA DE MANANCIAIS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO RIO PARAÍBA

QUALIDADE DA ÁGUA DE MANANCIAIS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO RIO PARAÍBA QUALIDADE DA ÁGUA DE MANANCIAIS DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO RIO PARAÍBA Maria Betânia Rodrigues Silva 1, Pedro Vieira de Azevedo 2, José Dantas Neto 3, 1 Bolsista PRODOC do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Revista Ciência Agronômica ISSN: Universidade Federal do Ceará Brasil

Revista Ciência Agronômica ISSN: Universidade Federal do Ceará Brasil Revista Ciência Agronômica ISSN: 005-6888 ccarev@ufc.br Universidade Federal do Ceará Brasil Oliveira Lobato, Francisco Antônio de; Andrade, Eunice Maia de; Meireles, Ana Célia Maia; Crisostomo, Lindbergue

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DAS FONTES HÍDRICAS DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA PARAÍBA

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DAS FONTES HÍDRICAS DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA PARAÍBA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DAS FONTES HÍDRICAS DO MUNICÍPIO DE BOA VISTA PARAÍBA Silvia Noelly Ramos de Araújo (1), Jana Yres Barbosa de Sousa (1), Rafaela Felix Basílio da Silva (2), Débora Samara Cruz Rocha

Leia mais

FLUTUAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO EM ALAGOA NOVA, PARAÍBA, EM ANOS DE EL NIÑO

FLUTUAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO EM ALAGOA NOVA, PARAÍBA, EM ANOS DE EL NIÑO FLUTUAÇÃO DA PRECIPITAÇÃO EM ALAGOA NOVA, PARAÍBA, EM ANOS DE EL NIÑO Vicente de Paulo Rodrigues da Silva 1 ; Raimundo Mainar de Medeiros 2 ; Manoel Francisco Gomes Filho 1 1 Prof. Dr. Unidade Acadêmica

Leia mais

ÍNDICE DE QUALIDADE DAS ÁGUAS DE POÇOS ARTESIANOS, AÇUDES E CACIMBAS NO PERÍODO CHUVOSO EM SUMÉ, PB.

ÍNDICE DE QUALIDADE DAS ÁGUAS DE POÇOS ARTESIANOS, AÇUDES E CACIMBAS NO PERÍODO CHUVOSO EM SUMÉ, PB. ÍNDICE DE QUALIDADE DAS ÁGUAS DE POÇOS ARTESIANOS, AÇUDES E CACIMBAS NO PERÍODO CHUVOSO EM SUMÉ, PB. Maria Taynar Bezerra Marques (); Mayara Denise Santos da Costa (); Tácio Tibério Alencar dos Santos

Leia mais

QUALIDADE DA ÁGUA DE RESERVATÓRIOS DE BACIA ANTROPIZADA NO NORDESTE: POTENCIAL DE USO DA ÁGUA NA IRRIGAÇÃO

QUALIDADE DA ÁGUA DE RESERVATÓRIOS DE BACIA ANTROPIZADA NO NORDESTE: POTENCIAL DE USO DA ÁGUA NA IRRIGAÇÃO QUALIDADE DA ÁGUA DE RESERVATÓRIOS DE BACIA ANTROPIZADA NO NORDESTE: POTENCIAL DE USO DA ÁGUA NA IRRIGAÇÃO Halison Alves da Costa 1* ; Ismael Romão dos Santos 1 ; José Normand Vieira Fernandes 1 ; Joseilson

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS PARA IRRIGAÇÃO NA REGIÃO DO BAIXO JAGUARIBE CEARÁ

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS PARA IRRIGAÇÃO NA REGIÃO DO BAIXO JAGUARIBE CEARÁ 150 Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.4, nº. 3, p.150 155, 2010 ISSN 1982-7679 (On-line) Fortaleza, CE, INOVAGRI http://www.inovagri.org.br Protocolo 011.033 10/03/2010 Aprovado em 11/06/2010

Leia mais

AVALIAÇÃO ESPACIAL DA POLUIÇÃO DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DO RESERVATÓRIO ORÓS NO SEMIÁRIDO DO CEARÁ

AVALIAÇÃO ESPACIAL DA POLUIÇÃO DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DO RESERVATÓRIO ORÓS NO SEMIÁRIDO DO CEARÁ AVALIAÇÃO ESPACIAL DA POLUIÇÃO DAS ÁGUAS SUPERFICIAIS DO RESERVATÓRIO ORÓS NO SEMIÁRIDO DO CEARÁ José Ribeiro de Araújo Neto 1, Helba Araújo de Queiroz Palácio 1, Júlio César Neves dos Santos 2, Maria

Leia mais

Revista Ciência Agronômica ISSN: Universidade Federal do Ceará Brasil

Revista Ciência Agronômica ISSN: Universidade Federal do Ceará Brasil Revista Ciência Agronômica ISSN: 00456888 ccarev@ufc.br Universidade Federal do Ceará Brasil Mesquita Batista, Ticiana; Andrade, Eunice Maia de; Araújo Crisóstomo, Lindbergue; Meireles, Marcos; Oliveira

Leia mais

EFEITO DOS NÍVEIS DE SALINIDADE DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO NA PRODUÇÃO DO FEIJOEIRO COMUM*

EFEITO DOS NÍVEIS DE SALINIDADE DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO NA PRODUÇÃO DO FEIJOEIRO COMUM* EFEITO DOS NÍVEIS DE SALINIDADE DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO NA PRODUÇÃO DO FEIJOEIRO COMUM* SILVEIRA, A.L. 1 ; SANTANA, M.J. ; BARRETO, A.C. ; VIEIRA, T.A. 3 * Projeto com apoio da FAPEMIG. 1 Estudante Agronomia

Leia mais

WATER QUALITY IN THE SENATOR NILO COELHO IRRIGATED PERIMETER IN PETROLINA (PE): IMPORTANT KNOWLEDGE FOR PRODUCERS

WATER QUALITY IN THE SENATOR NILO COELHO IRRIGATED PERIMETER IN PETROLINA (PE): IMPORTANT KNOWLEDGE FOR PRODUCERS QUALIDADE DA ÁGUA DO CANAL DO PERÍMETRO IRRIGADO SENADOR NILO COELHO EM PETROLINA (PE) PARA FINS DE IRRIGAÇÃO: CONHECIMENTO IMPORTANTE PARA OS PRODUTORES WATER QUALITY IN THE SENATOR NILO COELHO IRRIGATED

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO RISCO DE SÓDIO E SALINIZAÇÃO CAUSADOS PELA IRRIGAÇÃO COM ÁGUA DE POÇOS NO ALUVIÃO DO RIO SUCURÚ, NO MUNICÍPIO DE SUMÉ-PB

DIAGNÓSTICO DO RISCO DE SÓDIO E SALINIZAÇÃO CAUSADOS PELA IRRIGAÇÃO COM ÁGUA DE POÇOS NO ALUVIÃO DO RIO SUCURÚ, NO MUNICÍPIO DE SUMÉ-PB DIAGNÓSTICO DO RISCO DE SÓDIO E SALINIZAÇÃO CAUSADOS PELA IRRIGAÇÃO COM ÁGUA DE POÇOS NO ALUVIÃO DO RIO SUCURÚ, NO MUNICÍPIO DE SUMÉ-PB Rodolfo Pereira Sousa 1, Gleydson Oliveira da Silva 2, Maria Alinne

Leia mais

Influência antrópica na adição de sais no trecho perenizado da bacia hidrográfica do Curu, Ceará 1

Influência antrópica na adição de sais no trecho perenizado da bacia hidrográfica do Curu, Ceará 1 Revista Ciência Agronômica, v.38, n.2, p.142-148, 2007 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE www.ccarevista.ufc.br ISSN 0045-6888 Influência antrópica na adição de

Leia mais

SAZONALIDADE NA QUALIDADE DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO EM AÇUDES DA BACIA DO RIO ACARAÚ, CEARÁ

SAZONALIDADE NA QUALIDADE DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO EM AÇUDES DA BACIA DO RIO ACARAÚ, CEARÁ Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.8, nº. 3, p. 247-255, 2014 ISSN 1982-7679 (On-line) Fortaleza, CE, INOVAGRI http://www.inovagri.org.br DOI: 10.7127/rbai.v8n300197 Protocolo 197/13 04/11/2013

Leia mais

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 INFLUÊNCIA DA LA NIÑA NAS TEMPERATURAS MÁXIMAS E MÍNIMAS MENSAIS PARA VIÇOSA-MG

XII Congresso Brasileiro de Meteorologia, Foz de Iguaçu-PR, 2002 INFLUÊNCIA DA LA NIÑA NAS TEMPERATURAS MÁXIMAS E MÍNIMAS MENSAIS PARA VIÇOSA-MG INFLUÊNCIA DA LA NIÑA NAS TEMPERATURAS MÁXIMAS E MÍNIMAS MENSAIS PARA VIÇOSA-MG Rosandro Boligon Minuzzi Universidade Federal de Viçosa Dep. de Engenharia Agrícola Av. P.H. Rolfs, s/n Campus Universitário

Leia mais

ESTUDO DA RAZÃO DE ADSORÇÃO DE SÓDIO DO REJEITO DE DESSALINIZADORES IMPLANTADOS NO SEMIÁRIDO PARAIBANO

ESTUDO DA RAZÃO DE ADSORÇÃO DE SÓDIO DO REJEITO DE DESSALINIZADORES IMPLANTADOS NO SEMIÁRIDO PARAIBANO ESTUDO DA RAZÃO DE ADSORÇÃO DE SÓDIO DO REJEITO DE DESSALINIZADORES IMPLANTADOS NO SEMIÁRIDO PARAIBANO Giovanne de Sousa Monteiro 1 ; José Nilton Silva 2 & Henrique Lima Lessa Lôbo 3 1) Mestre em Engenharia

Leia mais

ESTUDO DO REBAIXAMENTO DE SETE AÇUDES SO SEMIÁRIDO CEARENSE DURANTE PERÍODO DE ESTIAGEM PROLONGADA

ESTUDO DO REBAIXAMENTO DE SETE AÇUDES SO SEMIÁRIDO CEARENSE DURANTE PERÍODO DE ESTIAGEM PROLONGADA ESTUDO DO REBAIXAMENTO DE SETE AÇUDES SO SEMIÁRIDO CEARENSE DURANTE PERÍODO DE ESTIAGEM PROLONGADA Mariana Guedes Bezerra 1 ; Francisca Elennilda Ferreira Correia 2 ; Tamires Ferreira de Souza 3 ; Victória

Leia mais

IMPACTO DA QUALIDADE DA ÁGUA NA CULTURA DO COCO (COCOS NUCIFERA L.) IRRIGADO.

IMPACTO DA QUALIDADE DA ÁGUA NA CULTURA DO COCO (COCOS NUCIFERA L.) IRRIGADO. IMPACTO DA QUALIDADE DA ÁGUA NA CULTURA DO COCO (COCOS NUCIFERA L.) IRRIGADO. Navilta Veras do Nascimento 1,Kelly Nascimento Leite 2, Raimundo Nonato F. Monteiro 2, Francisca Roberta M. dos Santos 2, Epitácio

Leia mais

Diagnóstico de qualidade das águas da microbacia do riacho Angico, para fins de irrigação 1

Diagnóstico de qualidade das águas da microbacia do riacho Angico, para fins de irrigação 1 221 Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.9, (Suplemento), p.221-225, 2005 Campina Grande, PB, DEAg/UFCG - http://www.agriambi.com.br Diagnóstico de qualidade das águas da microbacia

Leia mais

RISCO DE DEGRADAÇÃO EM SOLO IRRIGADO DO PERÍMETRO IRRIGADO BAIXO ACARAÚ, CEARÁ 1 RESUMO

RISCO DE DEGRADAÇÃO EM SOLO IRRIGADO DO PERÍMETRO IRRIGADO BAIXO ACARAÚ, CEARÁ 1 RESUMO 424 ISSN 1808-3765 RISCO DE DEGRADAÇÃO EM SOLO IRRIGADO DO PERÍMETRO IRRIGADO BAIXO ACARAÚ, CEARÁ Fernando Bezerra Lopes 1, Luiz Carlos Guerreiro Chaves 2, Eunice Maia de Andrade 3, Lindbergue Araujo Crisostomo

Leia mais

AVALIAÇÃO TEMPORAL PARA USO DE ÁGUAS SUPERFICIAIS NO MUNICÍPIO DE BOA VISTA-PB

AVALIAÇÃO TEMPORAL PARA USO DE ÁGUAS SUPERFICIAIS NO MUNICÍPIO DE BOA VISTA-PB AVALIAÇÃO TEMPORAL PARA USO DE ÁGUAS SUPERFICIAIS NO MUNICÍPIO DE BOA VISTA-PB Débora Samara Cruz Rocha Farias (1); Soahd Arruda Rached Farias (1); Rafaela Félix Basílio Da Silva (2); José Dantas Neto

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE SALINIDADE EM DOIS SOLOS SUBMETIDOS A LÂMINAS CRESCENTES DE IRRIGAÇÃO COM ÁGUA SALINA

AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE SALINIDADE EM DOIS SOLOS SUBMETIDOS A LÂMINAS CRESCENTES DE IRRIGAÇÃO COM ÁGUA SALINA AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE SALINIDADE EM DOIS SOLOS SUBMETIDOS A LÂMINAS CRESCENTES DE IRRIGAÇÃO COM ÁGUA SALINA André Souza Lima Eng. Agr. Mestre em Irrigação e Drenagem. UFERSA Universidade Federal Rural

Leia mais

Climatologia da Precipitação no Município de Igarapé-Açu, PA. Período:

Climatologia da Precipitação no Município de Igarapé-Açu, PA. Período: Climatologia da Precipitação no Município de Igarapé-Açu, PA. Período: 1995-2009. Adriana Hellen Ferreira Cordeiro¹, Nilza Araújo Pachêco², Alailson Venceslau Santiago³. 1. Graduanda de Meteorologia da

Leia mais

Avaliação do impacto da fertirrigação em cambissolos na chapada do Apodi, Ceará 1

Avaliação do impacto da fertirrigação em cambissolos na chapada do Apodi, Ceará 1 Avaliação do impacto da fertirrigação em cambissolos na chapada do Apodi, Ceará 1 Evaluation of the impact of chemigation on Cambisoils in Apodi Plateau, Ceará..... Ana Célia Maia Meireles 2, Eunice Maia

Leia mais

09 a 11 de dezembro de 2015 Auditório da Universidade UNIT Aracaju - SE

09 a 11 de dezembro de 2015 Auditório da Universidade UNIT Aracaju - SE 09 a 11 de dezembro de 2015 Auditório da Universidade UNIT Aracaju - SE ESTUDO DO REGIME DAS PRECIPITAÇÕES MÁXIMAS E MÍNIMAS DAS ZONAS CLIMÁTICAS DO LITORAL E SEMIÁRIDO DO ESTADO DE SERGIPE Lucas dos Santos

Leia mais

Balanço Hídrico Seriado de Petrolina, Pernambuco

Balanço Hídrico Seriado de Petrolina, Pernambuco Balanço Hídrico Seriado de Petrolina, Pernambuco Antônio Heriberto de Castro Teixeira, Bernardo Barbosa da Silva (Professo) Pesquisador, Embrapa Semi-Árido, CP 23 CEP 56300-000 Petrolina-PE, Brazil Fone:

Leia mais

CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM REGIÕES DE GRANDE VARIABILIDADE INTERANUAL E INTERDECADAL DE PRECIPITAÇÃO

CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM REGIÕES DE GRANDE VARIABILIDADE INTERANUAL E INTERDECADAL DE PRECIPITAÇÃO CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA EM REGIÕES DE GRANDE VARIABILIDADE INTERANUAL E INTERDECADAL DE PRECIPITAÇÃO José Ivaldo Barbosa de Brito, Departamento de Ciências Atmosféricas, Centro de Ciências e Tecnologia,

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA CONCENTRAÇÃO DE FERRO NAS ÁGUAS SUPERFICIAIS E SEUS IMPACTOS PARA A IRRIGAÇÃO LOCALIZADA NA REGIÃO NOROESTE PAULISTA 1

DIAGNÓSTICO DA CONCENTRAÇÃO DE FERRO NAS ÁGUAS SUPERFICIAIS E SEUS IMPACTOS PARA A IRRIGAÇÃO LOCALIZADA NA REGIÃO NOROESTE PAULISTA 1 DIAGNÓSTICO DA CONCENTRAÇÃO DE FERRO NAS ÁGUAS SUPERFICIAIS E SEUS IMPACTOS PARA A IRRIGAÇÃO LOCALIZADA NA REGIÃO NOROESTE PAULISTA 1 R.A.M. FRANCO 2, F.B.T. HERNANDEZ 3, G.C. BARBOZA 4, L.S. VANZELA 5

Leia mais

PLANEJAMENTO DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA A PARTIR DE UM TELHADO DE 75 M2 NO MUNICIPIO DE AREIA

PLANEJAMENTO DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA A PARTIR DE UM TELHADO DE 75 M2 NO MUNICIPIO DE AREIA PLANEJAMENTO DE CAPTAÇÃO DE ÁGUA DE CHUVA A PARTIR DE UM TELHADO DE 75 M2 NO MUNICIPIO DE AREIA Felipe Guedes de Souza (1); Soahd Arruda Rached Farias (1); Kyonelly Queila Duarte Brito (2); Hallyson Oliveira

Leia mais

Avaliação da velocidade de reação do corretivo líquido na camada superficial de um Latossolo Vermelho distroférrico

Avaliação da velocidade de reação do corretivo líquido na camada superficial de um Latossolo Vermelho distroférrico Avaliação da velocidade de reação do corretivo líquido na camada superficial de um Latossolo Vermelho distroférrico Bruna de Souza SILVEIRA 1 ; André Luís XAVIER 1 ; Sheila Isabel do Carmo PINTO 2 ; Fernando

Leia mais

CORRELAÇÃO DOS PARÂMETROS QUALITATIVOS DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO EM RESERVATÓRIOS DE ÁGUAS SUPERFICIAIS

CORRELAÇÃO DOS PARÂMETROS QUALITATIVOS DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO EM RESERVATÓRIOS DE ÁGUAS SUPERFICIAIS CORRELAÇÃO DOS PARÂMETROS QUALITATIVOS DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO EM RESERVATÓRIOS DE ÁGUAS SUPERFICIAIS LIMA, Divanesa Wojahn 1 ; ZAMBERLAN, João Fernando 2, BORTOLOTTO, Rafael Pivotto 3,

Leia mais

II EVOLUÇÃO DA SALINIDADE EM SOLO IRRIGADO COM ESGOTO SANITÁRIO TRATADO

II EVOLUÇÃO DA SALINIDADE EM SOLO IRRIGADO COM ESGOTO SANITÁRIO TRATADO II-106 - EVOLUÇÃO DA SALINIDADE EM SOLO IRRIGADO COM ESGOTO SANITÁRIO TRATADO Ricardo José Araújo Miranda (1) Engenheiro Agrícola pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Mestre em Agronomia Ciência

Leia mais

ANÁLISE DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS PARA O CULTIVO DO MILHO, NA CIDADE DE PASSO FUNDO-RS.

ANÁLISE DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS PARA O CULTIVO DO MILHO, NA CIDADE DE PASSO FUNDO-RS. ANÁLISE DAS CONDIÇÕES CLIMÁTICAS PARA O CULTIVO DO MILHO, NA CIDADE DE PASSO FUNDO-RS. Claudia Guimarães CAMARGO Bolsista do grupo PET do curso de Meteorologia/ FacMet/UFPel e-mail: camargo@ufpel.tche.br

Leia mais

EFEITOS DO AUMENTO DA TEMPERATURA NO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRA DO POMBAL-BA

EFEITOS DO AUMENTO DA TEMPERATURA NO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRA DO POMBAL-BA EFEITOS DO AUMENTO DA TEMPERATURA NO BALANÇO HÍDRICO CLIMATOLÓGICO DO MUNICÍPIO DE RIBEIRA DO POMBAL-BA Cloves Vilas Boas dos Santos(Discente, UPE, e-mail: cloves.geo25@hotmail.com); Magna SoelmaBeserra

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA O MUNICÍPIO DE ITUPORANGA SC

BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA O MUNICÍPIO DE ITUPORANGA SC BALANÇO HÍDRICO E CLASSIFICAÇÃO CLIMÁTICA PARA O MUNICÍPIO DE ITUPORANGA SC Julio M. CATONI 1 ; Leonardo NEVES 2 ;João Célio ARAUJO 3 ; Evandro C. de OLIVEIRA 4 ; Roberto HAVEROTH 5 ; Katiani ELI 1 ; Elizabete

Leia mais

DESEMPENHO DE UM SISTEMA DE IRRIGAÇÃO POR MICROASPERSÃO NA CULTURA DA MANGUEIRA (Mangifera indica L.) EM IGUATU-CE 1

DESEMPENHO DE UM SISTEMA DE IRRIGAÇÃO POR MICROASPERSÃO NA CULTURA DA MANGUEIRA (Mangifera indica L.) EM IGUATU-CE 1 DESEMPENHO DE UM SISTEMA DE IRRIGAÇÃO POR MICROASPERSÃO NA CULTURA DA MANGUEIRA (Mangifera indica L.) EM IGUATU-CE 1 G. P. Gomes 2 ; M. M. Pereira 3 ; E. P. Miranda 4 ; K. A. Duarte 5 ; M. G. Silva 1 ;

Leia mais

Characterization of Rainfall Patterns in the Projeto Rio Formoso Region in the Araguaia Basin, Tocantins State, Brazil

Characterization of Rainfall Patterns in the Projeto Rio Formoso Region in the Araguaia Basin, Tocantins State, Brazil CARACTERIZAÇÃO DO REGIME PLUVIOMÉTRICO DA Jair da Costa OLIVEIRA FILHO 1, Eder Soares PINTO 1, Luciano Marcelo Fallé SABOYA 1, Antonio José PERON 1, Gaspar F. CAETANO 2 RESUMO - A caracterização do regime

Leia mais

CONTAMINAÇÃO NA ÁGUA SUBTERRÂNEA PROVOCADA PELO LIXIVIADO DE ATERRO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

CONTAMINAÇÃO NA ÁGUA SUBTERRÂNEA PROVOCADA PELO LIXIVIADO DE ATERRO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS CONTAMINAÇÃO NA ÁGUA SUBTERRÂNEA PROVOCADA PELO LIXIVIADO DE ATERRO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Schueler, A.S. e Mahler, C.F. GETRES - COPPE / UFRJ, Rio de Janeiro, Brasil RESUMO: O presente trabalho apresenta

Leia mais

ANÁLISE DAS CHUVAS OCORRIDAS NO ESTADO DO CEARÁ EM 2011 E OS IMPACTOS NA AGRICULTURA, RECURSOS HÍDRICOS E NAS ACÕES DA DEFESA CIVIL

ANÁLISE DAS CHUVAS OCORRIDAS NO ESTADO DO CEARÁ EM 2011 E OS IMPACTOS NA AGRICULTURA, RECURSOS HÍDRICOS E NAS ACÕES DA DEFESA CIVIL ANÁLISE DAS CHUVAS OCORRIDAS NO ESTADO DO CEARÁ EM 2011 E OS IMPACTOS NA AGRICULTURA, RECURSOS HÍDRICOS E NAS ACÕES DA DEFESA CIVIL Período: Janeiro a Maio de 2011 Fortaleza, 24 de junho de 2011 1 Introdução

Leia mais

Dr. Mário Jorge de Souza Gonçalves

Dr. Mário Jorge de Souza Gonçalves Avaliação Qualitativa da Porosidade /Permeabilidade de Aquíferos em Função da Dinâmica Sazonal das Precipitações e das Vazões na Bacia Hidrográfica do Rio Verde-BA. Dr. Mário Jorge de Souza Gonçalves Novembro

Leia mais

Distribuição Da Precipitação Média Na Bacia Do Riacho Corrente E Aptidões Para Cultura Do Eucalipto

Distribuição Da Precipitação Média Na Bacia Do Riacho Corrente E Aptidões Para Cultura Do Eucalipto Distribuição Da Precipitação Média Na Bacia Do Riacho Corrente E Aptidões Para Cultura Do Eucalipto Jailson Silva Machado ( ¹ ) ; João Batista Lopes da Silva (2) ; Francisca Gislene Albano (3) ; Ilvan

Leia mais

Mapa de vulnerabilidade da bacia do Acaraú, Ceará, à qualidade das águas de irrigação, pelo emprego do GIS 1

Mapa de vulnerabilidade da bacia do Acaraú, Ceará, à qualidade das águas de irrigação, pelo emprego do GIS 1 Revista Ciência Agronômica, v.37, n.3, p.27986, 2006 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE www.ccarevista.ufc.br ISSN 0045-6888 Mapa de vulnerabilidade da bacia do

Leia mais

ANÁLISE DE ANOS COM ESTIAGEM NA REGIÃO DE BAGÉ/RS

ANÁLISE DE ANOS COM ESTIAGEM NA REGIÃO DE BAGÉ/RS ANÁLISE DE ANOS COM ESTIAGEM NA REGIÃO DE BAGÉ/RS Flavio Varone 1,2,3, Simone Ferreira 2, Rita Alves 2 1 FEPAGRO Brasil - Rio Grande do Sul - fvarone@gmail.com 3 2 CEPSRM/UFRGS - Brasil - Rio Grande do

Leia mais

Revista Ceres ISSN: X Universidade Federal de Viçosa Brasil

Revista Ceres ISSN: X Universidade Federal de Viçosa Brasil Revista Ceres ISSN: 0034-737X ceresonline@ufv.br Universidade Federal de Viçosa Brasil Oliveira Batista, Rafael; Alves Soares, Antônio; Batista dos Santos, Delfran RISCOS DA FERTIRRIGAÇÃO COM ESGOTO SANITÁRIO

Leia mais

PERFIL TRIMESTRAL, MENSAL E HORÁRIO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO AS MARGENS DA BAIA DE CAXIUANÃ, MELGAÇO, PA: ESTUDO DE CASO.

PERFIL TRIMESTRAL, MENSAL E HORÁRIO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO AS MARGENS DA BAIA DE CAXIUANÃ, MELGAÇO, PA: ESTUDO DE CASO. PERFIL TRIMESTRAL, MENSAL E HORÁRIO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO DO VENTO AS MARGENS DA BAIA DE CAXIUANÃ, MELGAÇO, PA: ESTUDO DE CASO. GUILHERME FRANCISCO CAMARINHA NETO¹, ANTONIO CARLOS LÔLA DA COSTA², ALEX

Leia mais

QUALIDADE DAS ÁGUAS DO AQÜÍFERO FURNAS NA CIDADE DE RONDONÓPOLIS (MT).

QUALIDADE DAS ÁGUAS DO AQÜÍFERO FURNAS NA CIDADE DE RONDONÓPOLIS (MT). QUALIDADE DAS ÁGUAS DO AQÜÍFERO FURNAS NA CIDADE DE RONDONÓPOLIS (MT). Alterêdo Oliveira Cutrim ; Ana Lícia Fonseca Cutrim ABSTRACT This research was carried out in Rondonopolis city, Mato Grosso state,

Leia mais

BALANÇO HÍDRICO COMO PLANEJAMENTO AGROPECUÁRIO PARA CIDADE DE POMBAL PB, BRASIL

BALANÇO HÍDRICO COMO PLANEJAMENTO AGROPECUÁRIO PARA CIDADE DE POMBAL PB, BRASIL BALANÇO HÍDRICO COMO PLANEJAMENTO AGROPECUÁRIO PARA CIDADE DE POMBAL PB, BRASIL Flaviano Moura Pereira¹; Joelma Viera do Nascimento Duarte²; Jonas da Silva Dias³; Gilberto Campos de Araújo Filho 4. ¹ Mestrando

Leia mais

ESTUDO DE CASO DA VARIAÇÃO HORÁRIA DA UMIDADE RELATIVA DO AR EM TERESINA PI NO ANO DE Raimundo Mainar de Medeiros (UFCG)

ESTUDO DE CASO DA VARIAÇÃO HORÁRIA DA UMIDADE RELATIVA DO AR EM TERESINA PI NO ANO DE Raimundo Mainar de Medeiros (UFCG) ESTUDO DE CASO DA VARIAÇÃO HORÁRIA DA UMIDADE RELATIVA DO AR EM TERESINA PI NO ANO DE 2009 Raimundo Mainar de Medeiros (UFCG) Resumo: Este trabalho tem como objetivo analisar a variabilidade mensal da

Leia mais

TENDÊNCIAS CLIMÁTICAS NO CENTRO DE DESENVOLVIMENTO PETROLINA-PE/JUAZEIRO-BA. ANTÔNIO H. de C. TEIXEIRA 1

TENDÊNCIAS CLIMÁTICAS NO CENTRO DE DESENVOLVIMENTO PETROLINA-PE/JUAZEIRO-BA. ANTÔNIO H. de C. TEIXEIRA 1 TENDÊNCIAS CLIMÁTICAS NO CENTRO DE DESENVOLVIMENTO PETROLINA-PE/JUAZEIRO-BA ANTÔNIO H. de C. TEIXEIRA 1 1 Eng. Agrônomo, Pesq. III, Depto. de Agrometeorologia, Embrapa Semiárido, Petrolina/PE, Fone: (0

Leia mais

ANÁLISE DE PARÂMETROS QUÍMICOS DE POTABILIDADE DA ÁGUA DE BICAS EM OURO FINO - MG RESUMO

ANÁLISE DE PARÂMETROS QUÍMICOS DE POTABILIDADE DA ÁGUA DE BICAS EM OURO FINO - MG RESUMO 5ª Jornada Científica e Tecnológica e 2º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 06 a 09 de novembro de 2013, Inconfidentes/MG ANÁLISE DE PARÂMETROS QUÍMICOS DE POTABILIDADE DA ÁGUA DE BICAS EM OURO

Leia mais

INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS DE SUINOCULTURA NA CAPACIDADE DE INFILTRAÇÃO DE UM SOLO PODZÓLICO VERMELHO-AMARELO 1

INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS DE SUINOCULTURA NA CAPACIDADE DE INFILTRAÇÃO DE UM SOLO PODZÓLICO VERMELHO-AMARELO 1 AVALIAÇÃO DAS PERDAS DE NITRATO EM SOLO IRRIGADO 263 Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.4, n.2, p.263-267, 00 Campina Grande, PB, DEAg/UFPB INFLUÊNCIA DA APLICAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS

Leia mais

QUALIDADE DA ÁGUA UTILIZADA PARA IRRIGAÇÃO NA EXTENSÃO DA MICROBACIA DO BAIXO ACARAÚ

QUALIDADE DA ÁGUA UTILIZADA PARA IRRIGAÇÃO NA EXTENSÃO DA MICROBACIA DO BAIXO ACARAÚ 30 Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.3, n.1, p.30 38, 2009 ISSN 1982-7679 (On-line) Fortaleza, CE, INOVAGRI http://www.inovagri.org.br Protocolo 014.09 02/03/2009 Aprovado em 20/05/2009 QUALIDADE

Leia mais

Caatinga, Mossoró-RN, 11(1/2):47-52, dez. 1998

Caatinga, Mossoró-RN, 11(1/2):47-52, dez. 1998 Caatinga, Mossoró-RN, 11(1/2):47-52, dez. 1998 CLASSIFICAÇÃO DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO UTILIZANDO QUATRO METODOLOGIAS DE CÁLCULO PARA A RAZÃO DE ADSORÇÃO DE SÓDIO - II. REGIÃO DO BAIXO AÇU, RIO GRANDE DO NORTE

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO NA REGIÃO DO SUB-MÉDIO SÃO FRANCISCO EM EVENTOS CLIMÁTICOS DE EL NIÑO E LA NIÑA

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO NA REGIÃO DO SUB-MÉDIO SÃO FRANCISCO EM EVENTOS CLIMÁTICOS DE EL NIÑO E LA NIÑA ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO NA REGIÃO DO SUB-MÉDIO SÃO FRANCISCO EM EVENTOS CLIMÁTICOS DE EL NIÑO E LA NIÑA. Ana Paula Lima Marques da Silva 1 ; Otto Corrêa Rotunno Filho 2 ; Isimar de Azevedo Santos 3, Cláudio

Leia mais

Chuvas Intensas e Cidades

Chuvas Intensas e Cidades Chuvas Intensas e Cidades Mario Thadeu Leme de Barros Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental lda Escola Politécnica da USP Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRH) EVENTOS EXTREMOS:

Leia mais

Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro

Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 7., 2010, Belo Horizonte Índice de clorofila em variedades de cana-de-açúcar tardia, sob condições irrigadas e de sequeiro Thiago Henrique Carvalho de Souza

Leia mais

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NO ESTADO DO CEARÁ

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NO ESTADO DO CEARÁ VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA NO ESTADO DO CEARÁ Francisco Solon Dantas Neto (1); Tarcísio Da Silveira Barra (1) Eng.º Agrº, Pós-graduação em Agrometeorologia, DEA/UFV, CEP:

Leia mais

Manejo de água em cultivo orgânico de banana nanica

Manejo de água em cultivo orgânico de banana nanica Manejo de água em cultivo orgânico de banana nanica Water management in organic cultivation of banana nanica PINTO, José Maria. Embrapa Semiárido, Petrolina, PE, jmpinto@cpatsa.embrapa.br; GALGARO, Marcelo.

Leia mais

OBSTRUÇÃO DE EMISSORES UTILIZANDO ÁGUA DO RIO SÃO FRANCISCO COM FERTIRRIGAÇÃO PARA A CULTURA DO MELAO

OBSTRUÇÃO DE EMISSORES UTILIZANDO ÁGUA DO RIO SÃO FRANCISCO COM FERTIRRIGAÇÃO PARA A CULTURA DO MELAO OBSTRUÇÃO DE EMISSORES UTILIZANDO ÁGUA DO RIO SÃO FRANCISCO COM FERTIRRIGAÇÃO PARA A CULTURA DO MELAO D. R. Gonçalves 1,P. R. F. Medeiros 2,G. S. Santos 1, E.C.P.V.A. Teles 1,R. C.Nascimento 1 RESUMO:

Leia mais

ESTUDO DA ALOCAÇÃO DE ÁGUA NO RIO SÃO FRANCISCO CONSIDERANDO A DEMANDA AMBIENTAL

ESTUDO DA ALOCAÇÃO DE ÁGUA NO RIO SÃO FRANCISCO CONSIDERANDO A DEMANDA AMBIENTAL ESTUDO DA ALOCAÇÃO DE ÁGUA NO RIO SÃO FRANCISCO CONSIDERANDO A DEMANDA AMBIENTAL Andrea Sousa Fontes Anderson Lima Aragão Yvonilde Dantas Pinto Medeiros Introdução Controle ar/ficial do fluxo x componentes

Leia mais

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA PLUVIOMETRIA EM ÁREAS HOMOGÊNEAS DO ESTADO DA PARAÍBA

VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA PLUVIOMETRIA EM ÁREAS HOMOGÊNEAS DO ESTADO DA PARAÍBA VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DA PLUVIOMETRIA EM ÁREAS HOMOGÊNEAS DO ESTADO DA PARAÍBA Carmem Terezinha Becker 1, Maria Monalisa Mayara Silva Melo 2, Milla Nóbrega de Menezes Costa 2, Roberta Everllyn Pereira

Leia mais

Mesa Redonda Desafios da captação de água de chuva no Semi-Árido brasileiro

Mesa Redonda Desafios da captação de água de chuva no Semi-Árido brasileiro Mesa Redonda Desafios da captação de água de chuva no Semi-Árido brasileiro Luiza Teixeira de Lima Brito Embrapa Semi-Árido Campina Grande-PB, 05 a 07 de maio de 2009 Nordeste Brasileiro Grande diversidade

Leia mais

PROCESSAMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE PARA CARACTERIZAÇÃO DE USOS DO SOLO

PROCESSAMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE PARA CARACTERIZAÇÃO DE USOS DO SOLO PROCESSAMENTO E CLASSIFICAÇÃO DE IMAGENS DE SATÉLITE PARA CARACTERIZAÇÃO DE USOS DO SOLO Jairo Lima do Nascimento 1, George Leite Mamede 2, João Paulo do Vale Madeiro 3 Resumo: A aplicação de técnicas

Leia mais

ESTUDO DAS PRECIPITAÇÕES PARA DIFERENTES PERÍODOS DE RETORNO NO MUNICIPIO DE SÃO JOÃO DO JAGUARIBE/CE

ESTUDO DAS PRECIPITAÇÕES PARA DIFERENTES PERÍODOS DE RETORNO NO MUNICIPIO DE SÃO JOÃO DO JAGUARIBE/CE Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.7, nº. 5, p 300-305, 2013 ISSN 1982-7679 (On-line) Fortaleza, CE, INOVAGRI http://www.inovagri.org.br DOI: 10.7127/rbai.v7n500169 Protocolo 169.13 08/07/2013

Leia mais

MÉDIAS E VARIABILIDADE DOS TOTAIS MENSAIS E ANUAIS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO VACACAÍ-MIRIM, RS

MÉDIAS E VARIABILIDADE DOS TOTAIS MENSAIS E ANUAIS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO VACACAÍ-MIRIM, RS MÉDIAS E VARIABILIDADE DOS TOTAIS MENSAIS E ANUAIS DE PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO VACACAÍ-MIRIM, RS GALILEO ADELI BURIOL 1, VALDUINO ESTEFANEL 2, ROSA ELAINE IENSEN 3, LEANDRO

Leia mais

VARIABILIDADE DO NDVI NA BACIA DO RIO TRUSSU CEARÁ

VARIABILIDADE DO NDVI NA BACIA DO RIO TRUSSU CEARÁ VARIABILIDADE DO NDVI NA BACIA DO RIO TRUSSU CEARÁ E. R. F. Lêdo 1 ; F. D. D. Arraes 2 ; M. G. Silva 3 ; D. H. Nogueira 4 RESUMO: Este trabalho teve por objetivo analisar e interpretar a evolução temporal

Leia mais

Avaliação dos efluentes das estações de tratamento de esgoto doméstico de Petrolina-PE para reuso na agricultura irrigada

Avaliação dos efluentes das estações de tratamento de esgoto doméstico de Petrolina-PE para reuso na agricultura irrigada Avaliação dos efluentes das estações de tratamento de esgoto doméstico de Petrolina-PE para reuso na agricultura irrigada Kellison Lima Cavalcante 1, Silva 3 2, Hélida Karla Philippini da 1 Graduando em

Leia mais

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DOS SOLOS DE VARJOTA CE, NO PERÍODO DE 2005 A 2007

AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DOS SOLOS DE VARJOTA CE, NO PERÍODO DE 2005 A 2007 AVALIAÇÃO DA FERTILIDADE DOS SOLOS DE VARJOTA CE, NO PERÍODO DE 2005 A 2007 SALES, M. L. M. DE 1 ; FIALHO, J. S. 2 ; CAMELO, F. M. B. 3 ; NUNES, P. J. F. 4 ; ALMEIDA, D. M. DE 5 & MIRANDA, E. P. DE 5 1

Leia mais

ESTUDO DAS PRECIPITAÇÕES MÁXIMAS PARA O MUNICIPIO DE MOSSORÓ-RN, BRASIL STUDY FOR MAXIMUM RAINFALL ON MUNICIPALITY OF MOSSORÓ- RN, BRAZIL

ESTUDO DAS PRECIPITAÇÕES MÁXIMAS PARA O MUNICIPIO DE MOSSORÓ-RN, BRASIL STUDY FOR MAXIMUM RAINFALL ON MUNICIPALITY OF MOSSORÓ- RN, BRAZIL Revista Brasileira de Agricultura Irrigada v.6, nº. 1, p 3-7, 2012 ISSN 1982-7679 (On-line) Fortaleza, CE, INOVAGRI http://www.inovagri.org.br Protocolo 070/11 09/11/2011 Aprovado em 19/03/2012 ESTUDO

Leia mais

ANUÁRIO DO MONITORAMENTO QUANTITATIVO DOS PRINCIPAIS AÇUDES DO ESTADO DO CEARÁ

ANUÁRIO DO MONITORAMENTO QUANTITATIVO DOS PRINCIPAIS AÇUDES DO ESTADO DO CEARÁ ANUÁRIO DO MONITORAMENTO QUANTITATIVO DOS PRINCIPAIS AÇUDES DO ESTADO DO CEARÁ 2001 Para ser grande, sê inteiro: nada teu exagera ou exclui. Sê todo em cada coisa. Põe quanto és no mínimo que fazes. Assim

Leia mais

O CARACTERIZAÇÃO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO PREDOMINANTE DOS VENTOS MENSAIS PARA A LOCALIDADE DE RIO DO SUL-SC 1

O CARACTERIZAÇÃO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO PREDOMINANTE DOS VENTOS MENSAIS PARA A LOCALIDADE DE RIO DO SUL-SC 1 O CARACTERIZAÇÃO DA VELOCIDADE E DIREÇÃO PREDOMINANTE DOS VENTOS MENSAIS PARA A LOCALIDADE DE RIO DO SUL-SC 1 Joice Ramos 2 ; Tainara Jacinto 3 ; Isaac Weber Pitz 4 ; Leonardo de Oliveira Neves 5 INTRODUÇÃO

Leia mais

ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS DO PIAUÍ

ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS DO PIAUÍ ESTUDO DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA NO MUNICÍPIO DE CAMPINAS DO PIAUÍ Medeiros, R.M. (1) ; Santos, D.C. (1) ; Correia, D. S, (1) ; Oliveira, V.G (1) ; Rafael, A. R. (1) mainarmedeiros@gmail.com (1) Universidade

Leia mais

VARIABILIDADE TEMPORAL DA PRECIPITAÇÃO SOBRE A BACIA DO RIO SAPUCAÍ - MG

VARIABILIDADE TEMPORAL DA PRECIPITAÇÃO SOBRE A BACIA DO RIO SAPUCAÍ - MG VARIABILIDADE TEMPORAL DA PRECIPITAÇÃO SOBRE A BACIA DO RIO SAPUCAÍ - MG Anderson Pereira de Paula 1 e Jaidete Monteiro de Souza 2 RESUMO. O estudo da variabilidade temporal da precipitação sobre a Bacia

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE BICARBONATO E CLORETO EM ÁGUAS PARA FINS DE IRRIGAÇÃO 1 RESUMO

RELAÇÃO ENTRE BICARBONATO E CLORETO EM ÁGUAS PARA FINS DE IRRIGAÇÃO 1 RESUMO 206 ISSN 1808-3765 RELAÇÃO ENTRE BICARBONATO E CLORETO EM ÁGUAS PARA FINS DE IRRIGAÇÃO CELSEMY E. MAIA 1 ; KELLY KALIANE R. P. RODRIGUES 2 ; VIVIANE DA S. LACERDA 3 1 Departamento de Ciências Ambientais

Leia mais

Risco de degradação em solo irrigado do Distrito de Irrigação do Perímetro Araras Norte, Ceará 1

Risco de degradação em solo irrigado do Distrito de Irrigação do Perímetro Araras Norte, Ceará 1 Revista Ciência Agronômica, v.37, n.3, p.292-298, 2006 Centro de Ciências Agrárias - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, CE www.ccarevista.ufc.br ISSN 0045-6888 Risco de degradação em solo irrigado

Leia mais

A FALTA DE CHUVAS E AS DIFICULDADES PARA OS PEQUENOS AGRICULTORES DO SEMI-ÁRIDO ALIMENTAREM OS ANIMAIS NA SECA

A FALTA DE CHUVAS E AS DIFICULDADES PARA OS PEQUENOS AGRICULTORES DO SEMI-ÁRIDO ALIMENTAREM OS ANIMAIS NA SECA A FALTA DE CHUVAS E AS DIFICULDADES PARA OS PEQUENOS AGRICULTORES DO SEMI-ÁRIDO ALIMENTAREM OS ANIMAIS NA SECA Nilton de Brito Cavalcanti, Geraldo Milanez de Resende, Luiza Teixeira de Lima Brito. Embrapa

Leia mais

DESSEDENTAÇÃO DE AVES COM ÁGUA DE POÇOS SUBTERRÂNEOS NA CIDADE DE BOA VISTA-PB

DESSEDENTAÇÃO DE AVES COM ÁGUA DE POÇOS SUBTERRÂNEOS NA CIDADE DE BOA VISTA-PB DESSEDENTAÇÃO DE AVES COM ÁGUA DE POÇOS SUBTERRÂNEOS NA CIDADE DE BOA VISTA-PB Rayssa Gabriela Cardoso Mélo (1); Débora Samara Cruz Rocha Farias (1); Jana Yres Barbosa de Sousa (2); Soahd Arruda Rached

Leia mais

Caatinga, Mossoró-RN, 11(1/2):41-46, dez. 1998

Caatinga, Mossoró-RN, 11(1/2):41-46, dez. 1998 CLASSIFICAÇÃO DA ÁGUA DE IRRIGAÇÃO UTILIZANDO QUATRO METODOLOGIAS DE CÁLCULO PARA A RAZÃO DE ADSORSÃO DE SÓDIO - I. REGIÃO DA CHAPADA DO APODI, RIO GRANDE DO NORTE [CLASSIFICATION OF IRRIGATION WATER USING

Leia mais

EFICIÊNCIA DE FILTRAGEM UTILIZANDO DOIS FILTROS ARTESANAIS DE TELA

EFICIÊNCIA DE FILTRAGEM UTILIZANDO DOIS FILTROS ARTESANAIS DE TELA EFICIÊNCIA DE FILTRAGEM UTILIZANDO DOIS FILTROS ARTESANAIS DE TELA E. P. de Miranda 1 ; E. V. Oliveira 2 ; J. L. B. Silva 2 ; M..G. Silva 2 ; J. M. P. Lavor 2 ; F. E. F. Gomes 2 RESUMO: O objetivo desse

Leia mais

Qualidade da água subterrânea para irrigação na bacia hidrográfica do Rio Piauí, em Sergipe

Qualidade da água subterrânea para irrigação na bacia hidrográfica do Rio Piauí, em Sergipe Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental v.14, n.8, p.804 811, 2010 Campina Grande, PB, UAEA/UFCG http://www.agriambi.com.br Protocolo 007.09 20/01/2009 Aprovado em 09/03/2010 Qualidade da

Leia mais

VARIABILIDADE DO ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO COM CAPACIDADE DE CAMPO DIFERENCIADA PARA O ESTADO DA PARAÍBA

VARIABILIDADE DO ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO COM CAPACIDADE DE CAMPO DIFERENCIADA PARA O ESTADO DA PARAÍBA VARIABILIDADE DO ARMAZENAMENTO DE ÁGUA NO SOLO COM CAPACIDADE DE CAMPO DIFERENCIADA PARA O ESTADO DA PARAÍBA Paulo Roberto Megna Francisco(1); Raimundo Mainar de Medeiros (2); Djail Santos (1) (1)Universidade

Leia mais

Campina Grande, 2015.

Campina Grande, 2015. Campina Grande, 2015. A Questão dos Recursos Hídricos No Nordeste No Brasil No Mundo Recursos Naturais do Planeta Aspectos Usos dos Recursos Hídricos Demandas Abastecimento Humano (Urbano e Rural) Agricultura

Leia mais

BOMBEAMENTO DE ÁGUA NO AGRESTE ALAGOANO ATRAVÉS DE ENERGIA EÓLICA

BOMBEAMENTO DE ÁGUA NO AGRESTE ALAGOANO ATRAVÉS DE ENERGIA EÓLICA BOMBEAMENTO DE ÁGUA NO AGRESTE ALAGOANO ATRAVÉS DE ENERGIA EÓLICA Flávia Dias Rabelo¹, Roberto F. F. Lyra² ¹Graduanda do Instituto de Ciências Atmosféricas da Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Maceió

Leia mais

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO *

VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO * VIABILIDADE TÉCNICA E ECONÔMICA DO CULTIVO DO TOMATEIRO IRRIGADO * VIEIRA, T.A. 1 ; SANTANA, M.J. 2 ; BARRETO, A.C. 2 * Projeto financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG).

Leia mais

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA E DO NÚMERO DE DIAS COM CHUVA EM CALÇOENE LOCALIZADO NO SETOR COSTEIRO DO AMAPÁ

ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA E DO NÚMERO DE DIAS COM CHUVA EM CALÇOENE LOCALIZADO NO SETOR COSTEIRO DO AMAPÁ ANÁLISE DA PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA E DO NÚMERO DE DIAS COM CHUVA EM CALÇOENE LOCALIZADO NO SETOR COSTEIRO DO AMAPÁ Leidiane L. Oliveira¹, Daniel G. Neves¹, Alan C. Cunha², Edmir S. Jesus², Jonathan

Leia mais

Determinação da umidade de solo argiloso pelo método do forno de micro-ondas

Determinação da umidade de solo argiloso pelo método do forno de micro-ondas Determinação da umidade de solo argiloso pelo método do forno de micro-ondas Maria Monaliza de Sales 1, Kleber Gomes de Macêdo 1, Eugênio Paceli de Miranda 2, Gean Duarte da Silva 3, Fábio Ferreira da

Leia mais

MONITORAMENTO DA QUALIDADE DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO PARÂMETRO SÓDIO DOS CORPOS HÍDRICOS DO MUNICÍPIO DE BOA-VISTA, PB

MONITORAMENTO DA QUALIDADE DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO PARÂMETRO SÓDIO DOS CORPOS HÍDRICOS DO MUNICÍPIO DE BOA-VISTA, PB MONITORAMENTO DA QUALIDADE DE ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO NO PARÂMETRO SÓDIO DOS CORPOS HÍDRICOS DO MUNICÍPIO DE BOA-VISTA, PB Rafaela Felix Basílio da Silva 1, Soahd Arruda Rached Farias 2, Mayra Gislayne

Leia mais