Tribunal de Contas do Estado do Pará

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tribunal de Contas do Estado do Pará"

Transcrição

1 RESOL UÇÃO Nº (Processo nº. 2007/ ) Assunto: Consulta formulada pelo Sr. LUIZ ROBERTO DOS REIS JU- NIOR, Analista de Controle Externo desta Corte de Contas Proposta de decisão: Auditor EDILSON OLIVEIRA E SILVA Lavratura da decisão: Conselheiro NELSON LUIZ TEIXEIRA CHAVES ( 2º do art. 195 do Regimento) EMENTA: Consulta. Contrato de Terceirização de Serviços de Natureza Contínua. Possibilidade de prorrogação. Possibilidade da Administração Pública contratar com pessoa física para terceirização de serviços da mesma natureza. Aplicação dos artigos 24, incisos I e II, e 57, inciso II, da Lei 8.666/1993. Relatório do Exmº. Sr. Conselheiro EDILSON OLIVEIRA E SILVA: Processo nº. 2007/ O presente processo trata de CONSULTA formulada pela 3ª Controladoria de Controle Externo deste Tribunal de Contas, formulada por Analistas de Controle Externo, pelo então Chefe da Seção de Auditoria, em exercício, e pelo Controlador da 3ª CCE, que, conjuntamente firmam a consulta, como se verifica na fl. 1. A Consulta compreende duas questões relativamente a Contratos de Terceirização de Serviços de Natureza Contínua; se, advindos de dispensa de licitação, poderão ser prorrogadas após atingido o limite da dispensa respectiva, ou, se poderão ser celebrados com pessoas físicas. A Consultoria Jurídica, por solicitação do então Diretor do Departamento de Controle Externo, em exercício, manifestou-se sobre a matéria objeto da consulta, tecendo comentários nas fls. 04 a 08, que passo a ler como parte integrante deste. É o Relatório. Jurisprudência do TCE-Pará Pág. 1

2 V O T O: Após abordagem da matéria, a Consultoria responde às questões, discriminadamente, nas fls. 09 a 14, nos seguintes termos : De posse das informações ao norte elencadas, retornamos à consulta formulada, respondendo separadamente aos dois questionamentos, conforme abaixo se segue, ressaltando, ainda, que a matéria em análise pode suscitar opiniões diversas, o que é uma característica natural do direito. 1. Contratos de terceirização de serviços de natureza contínua advindos de dispensa de licitação nos termos do art. 24, I e II da Lei n 8.666/93, poderão ser prorrogados após atingido o limite da dispensa respectiva? O art. 24, incisos I e II da supracitada lei assim prescreve: "Art. 24. É dispensável a licitação: I para obras e serviços de engenharia de valor até 10% (dez por cento) do limite previsto na alínea "a" do inciso I, do artigo anterior, desde que não se refiram a parcelas de uma mesma obra ou serviço ao ainda para obras e serviços da mesma natureza e no mesmo local que possam ser realizadas conjunta e concomitantemente; II para outros serviços e compras de valor até 10% (dez por cento) do limite previsto na alínea "a", do inciso II, do artigo anterior, e para alienações, nos casos previstos nesta Lei, desde que não se refiram a parcelas de um mesmo serviço, compras ou alienação de maior vulto que possa ser realizada de uma só vez.... Há primeiro que se destacar não haver impedimento legal à prorrogação dos contratos sobrevindos de dispensa de licitação nos moldes do art. 24, incisos I e II, da Lei n 8.666/93. Jurisprudência do TCE-Pará Pág. 2

3 Caso houvesse, viria ele expressamente previsto, como ocorre no caso de dispensa por emergência ou calamidade pública, disposto no inciso IV, do mesrno dispositivo legal. Devemos, ainda, considerar que o legislador, ao prescrever os incisos I e II do art. 24, fixou um limite tendo em vista a relevância econômica da contratação ser de tal monta que não justificaria gastos com uma licitação comum. No entanto, se o serviço se caracteriza como de natureza contínua, pressupõe-se a permanência da necessidade pública a ser satisfeita. Assim, a previsão de seqüência é evidente. A Administração tem conhecimento de que o serviço irá prolatar-se no tempo uma vez que é ele indispensável. Marçal Justen Filho, assim se posiciona sobre o tema:...é perfeitamente válido (eventualmente obrigatório) promover fracionamentos de contratações. Não se admite, porém, que o fracionamento conduza à dispensa de licitação. É inadmissível que se promova dispensa de licitação fundando-se no valor da contratação que não é isolada. Existindo pluralidade de contratos homogêneos, de objeto similar, considera-se o seu valor global tanto para fins de aplicação do art. 24, incs. l e II, como relativamente à determinação cabível de licitação... Significa que, sendo previsíveis diversas aquisições de objetos idênticos, deve considerar-se o valor global. A regra subordina a Administração a prever todas as contratações que realizará no curso do exercício. Não se vedam contratações isoladas ou fracionadas proíbese que cada contratação seja considerada isoladamente, para fim de determinação do cabimento de licitação ou da modalidade cabível. Se a contratação superveniente derivar de evento não previsível, porém, nenhum vício existirá em tratar-se os dois contratos como autônomos e dissociados. " Jurisprudência do TCE-Pará Pág. 3

4 Desta forma, por todo o acima exposto, filiamo-nos ao entendimento de que a prorrogação dos Contratos de Terceirização de serviços de natureza contínua, advindos de dispensa de licitação nos termos do art. 24, incs. I e II, da Lei de Licitações é possível caso sejam respeitados os limites ali estabelecidos. Não há, portanto, possibilidade de prorrogação após atingidos esses limites justamente por estarem os contratos a eles adstritos. Superá-los, a nosso ver, configuraria burla aos princípios norteadores da licitação. Diferente seria se tais serviços tivessem decorrido de processo licitatório, onde houvesse ocorrido a previsão de superação do limite previsto para a modalidade; aí sim, entendemos ser perfeitamente viável a prorrogação, conforme já mencionado. 2. Contratos de terceirização de serviços de natureza contínua nos termos do art. 57, II, Lei n 8.666/93, poderão ser celebrados com pessoas físicas? O supracitado dispositivo, assim dispõe: "Art. 57. A duração dos contratos regidos por esta Lei ficará adstrita à vigência dos respectivos créditos orçamentários, exceto quanto aos relativos: II à prestação de serviços a serem executados de forma contínua, que poderão ter a sua duração prorrogada por iguais e sucessivos períodos com vistas à obtenção de preços e condições mais vantajosas para a Administração, limitada a sessenta meses.... Quanto à celebração de contratos com pessoas físicas, acreditamos, a uma primeira análise, não haver óbice a sua formalização, uma vez que a Lei n /93, em vários dispositivos, prevê essa possibilidade. Assim é quando o art. 6, da Lei n /93, ao definir a pessoa do contratado, em seu art. XV, o faz como sendo "a pessoa física ou jurídica signatária de contrato com a Administração Pública. Jurisprudência do TCE-Pará Pág. 4

5 O art. 28 do mesmo diploma legal, ao dispor sobre a habilitação jurídica, dispõe: "Art. 28. A documentação relativa à habilitação jurídica, conforme o caso, consistirá em: I cédula de identidade... " Da mesma forma, o art. 29 da Lei de Licitações, prescreve: "Art. 29. A documentação relativa à regularidade fiscal, conforme o caso, consistirá em: I prova de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) ou no Cadastro Geral de Contribuintes (CGC)... " Por fim, o art. 55, ao prever as cláusulas necessárias aos contrato, estabelece em seu parágrafo 2, in verbis: Art. 55. São cláusulas necessárias cm todo contrato as que estabeleçam:... 2º Nos contratos celebrados pela Administração Pública com pessoas físicas ou jurídicas, inclusive aquelas domiciliadas no estrangeiro, deverá constar necessariamente cláusula que declare competente o foro da sede da Administração para dirimir qualquer questão contratual, salvo o disposto no 6 do art. 32 desta Lei. Verifica-se, portanto, que plenamente viável a execução de prestações através de pessoa física. A consulta, no entanto, tem por finalidade obter um esclarecimento determinado acerca da celebração de contratos terceirizados de natureza contínua com pessoas físicas, nos termos do art. 57, II, da Lei n 8.666/93. Define-se serviço como toda a atividade que se destina a obter determinada utilidade de interesse para a Administração. O contrato de prestação de serviço de forma contínua, caracteriza-se pela impossibilidade de sua interrupção ou suspensão, sob pena de acarretar prejuízos ou danos Jurisprudência do TCE-Pará Pág. 5

6 insuperáveis. Desta forma, certos contratos, dada a necessidade de sua continuidade, podem ser prorrogados ou estendidos, para além do exercício do crédito orçamentário. Conforme anteriormente visto, a contratação de serviços de terceiros pelos órgãos e entidades da administração pública está subordinada ao disposto na Lei de Licitações e Contratos Administrativos, sendo que a ampla possibilidade de contratação desses serviços vem evidenciada no inciso II, do art. 6, que contém lista de caráter exemplificativo dos serviços cuja administração publica deva, preferencialmente, transferir a terceiros, mediante contrato. Parece-nos que a princípio, em conseqüência da extensa lista de atividades cuja execução os órgãos públicos podem legalmente transferir à iniciativa privada, mediante contratação de serviços, e considerando, igualmente, a possibilidade de a administração exercer tal opção pela execução indireta também em relação a outras atividades-meio não expressamente elencadas, seria de bom alvitre indagar que parâmetros podem servir à identificação de áreas ou atividades não transferíveis à iniciativa privada. Tal distinção merece apreciação uma vez que sem ela chegaríamos ao entendimento de que todas as atividades da administração poderiam ser terceirizadas por completo, o que, certamente, caracterizaria fraude à disciplina constitucional para o provimento de cargos na administração pública, assentada na livre acessibilidade e na seleção mediante concurso. Assim, devemos levar em consideração alguns pontos para a fixação de limites à terceirização na administração pública. O primeiro deles reside na exclusão da possibilidade de terceirização da própria atividade-fim do órgão da administração. Excetuados os serviços públicos objeto de concessão, os órgãos públicos não podem delegar a terceiros a execução integral de atividades que constituem sua própria razão de ser. No que diz respeito às atividades-meio, entendemos que a contratação deve obedecer a algumas limitações, posto que a existência de cargos permanentes no quadro Jurisprudência do TCE-Pará Pág. 6

7 funcional do órgão ou entidade excluiria, a um primeiro momento, a viabilidade de execução indireta de algumas atividades. Um terceiro ponto impeditivo de execução indireta de atividades próprias dos órgãos e entidades públicas reside no exercício do poder de polícia e na prática de atos administrativos em geral. No dizer de Maria Sylvia Zanella di Pietro, o poder de polícia é "a atividade do Estado consistente em limitar o exercício dos direitos individuais em beneficio do interesse público". No exercício do poder de polícia, cabe ao agente promover tal limitação exclusivamente em virtude da lei, cumprindo o poder-dever de assegurar o respeito à mesma, fiscalizar a sua observância pelos cidadãos, impedir sua transgressão e, quando for o caso, aplicar as sanções cabíveis. Ato administrativo, ainda nas palavras de Maria Sylvia Zanella di Pietro, consiste na "declaração do Estado ou de quem o represente, que produz efeitos jurídicos imediatos, com observância da lei, sob regime jurídico de direito público e sujeita a controle do Poder Judiciário". A representação do Estado, nesse caso, depende de capacidade e competência. Desta forma, a prática de atos administrativos demanda seja o sujeito do ato competente para tal. Esta competência, via regra outorgada mediante lei formal, não admite a transferência contratual a pessoas estranhas à administração pública, sendo insuscetíveis de execução indireta, ainda que sejam tidas como atividade-meio em relação às finalidades do órgão público. Delimitadas, portanto, as atividades que não podem ser objeto de transferência a terceiros, fica mais fácil analisar a questão específica dos contratos de prestação de serviços realizados pela administração pública e pessoas físicas. Nenhum impedimento existe, conforme já visto, de a administração pública celebrar contratos com pessoas físicas. A Lei assim o permite. Nesse diapasão, entendemos igualmente não haver fato impeditivo de a administração realizar contratos de prestação Jurisprudência do TCE-Pará Pág. 7

8 de serviços de natureza contínua com pessoas físicas nos termos do art. 57, II, da Lei de Licitações. Aqui também não há vedação expressa a esse respeito. No entanto, os órgãos e entidades da administração pública devem considerar os aspectos acima declinados quanto à possibilidade de tais serviços poderem ser transferidos a terceiros sem que se constituam em atos irregulares. Deve, portanto, a administração cercar-se de cuidados no que concerne à determinação de serviços a serem terceirizados, posto que, a nosso ver, não poderão ser ele relacionados às atividades-fim dos órgãos e entidades públicas, bem como, não poderão ser adotados para o exercício de atividades pertinentes a atribuições de cargos efetivos próprios de seus quadros, nem para funções que impliquem no poder de polícia ou na prática de atos administrativos. E o parecer. S.M.J. Ante o exposto, acolho a manifestação da Consultoria Jurídica como resposta deste Plenário às questões objeto deste processo. R E S O L V E M os Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Pará, unanimemente, com fundamento no art. 26, inciso IX, da Lei Complementar nº. 12, de 09 de fevereiro de 1993, responder a presente consulta nos termos da proposta de decisão do Auditor, transcrito na íntegra. Plenário Conselheiro Emílio Martins, em 25 de setembro de Jurisprudência do TCE-Pará Pág. 8

Tribunal de Contas do Estado do Pará

Tribunal de Contas do Estado do Pará RESOLUÇÃO Nº. 17.329 (Processo nº. 2007/50268-1) Assunto: Consulta formalizada pelo Exmº Sr. Dr. JOSÉ ALOYSIO CA- VALCANTE CAMPOS, Procurador Geral do Estado à época, solicitando informações a respeito

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 313 DE 02 DE DEZEMBRO DE 2013. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE INTERNO DO PODER LEGISLATIVO DE POCONÉ E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Presidente da Câmara Municipal de Poconé,

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural Serviço Nacional de Aprendizagem Rural REGULAMENTO DOS PROCEDIMENTOS PARA CELEBRAÇÃO DE TERMOS DE COOPERAÇÃO Estabelece diretrizes, normas e procedimentos para celebração, execução e prestação de contas

Leia mais

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição

Contratos. Licitações & Contratos - 3ª Edição Contratos 245 Conceito A A Lei de Licitações considera contrato todo e qualquer ajuste celebrado entre órgãos ou entidades da Administração Pública e particulares, por meio do qual se estabelece acordo

Leia mais

Gestão de Contratos. Noções

Gestão de Contratos. Noções Gestão de Contratos Noções Contrato - Conceito Contrato é todo acordo de vontades, celebrado para criar, modificar ou extinguir direitos e obrigações de índole patrimonial entre as partes (Direito Civil).

Leia mais

Acerca das características básicas das organizações formais modernas, julgue os itens subseqüentes.

Acerca das características básicas das organizações formais modernas, julgue os itens subseqüentes. Administração Pública- Prof. Claudiney Silvestre 1- CESPE - 2012 - TRE-RJ - Técnico Judiciário - Área Administrativa Disciplina: Administração Acerca de noções de administração pública, julgue os itens

Leia mais

ESTADO DE SERGIPE TRIBUNAL DE CONTAS

ESTADO DE SERGIPE TRIBUNAL DE CONTAS PROCESSO 001858/2011 ORIGEM Prefeitura Municipal de Umbaúba NATUREZA Consulta INTERESSADO Anderson Fontes Farias RELATOR Conselheiro REINALDO MOURA FERREIRA AUDITOR Parecer nº 204/2011 Alexandre Lessa

Leia mais

LIMITES À REALIZAÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS EM ANO ELEITORAL

LIMITES À REALIZAÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS EM ANO ELEITORAL LIMITES À REALIZAÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS EM ANO ELEITORAL 1. INTRODUÇÃO Em anos de eleições municipais, estaduais e federais, devem ser observadas várias limitações à realização de

Leia mais

CONSULTA N. 605/2014 CONSULENTE: UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EMENTA: 1. PERGUNTA:

CONSULTA N. 605/2014 CONSULENTE: UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EMENTA: 1. PERGUNTA: CONSULTA N. 605/2014 CONSULENTE: UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA EMENTA: Contrato. Obras e serviços de engenharia. Faturamento em nome de fornecedor/fabricante que não participou da licitação.

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência: 38ª Reunião da Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos Data: 04 e 05 de dezembro de 2007 Processo n 02000.003674/2005-12

Leia mais

INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO

INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO 1 INSTITUTO FÓRUM NACIONAL DOS SECRETÁRIOS E DIRIGENTES ESTADUAIS DE TURISMO - INFORUM ESTATUTO SOCIAL SUMÁRIO CAPITULO I - DA DENOMINAÇÃO, DOS FINS, DA SEDE E DO PRAZO Art. 2º Para a consecução dos seus

Leia mais

MODELO CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR

MODELO CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR MODELO CONTRATO N.º /20 CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR A (Órgão/Entidade Federal, Estadual ou Municipal), pessoa jurídica de direito público ou privado, com sede à Rua, n.º,

Leia mais

Coordenação Geral de Tributação COORDENAÇÃO GERAL DE FISCALIZAÇÃO (COFIS)

Coordenação Geral de Tributação COORDENAÇÃO GERAL DE FISCALIZAÇÃO (COFIS) Fl. 19 Fls. 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 13 Data 16 de maio de 2013 Origem COORDENAÇÃO GERAL DE FISCALIZAÇÃO (COFIS) ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A RENDA DE PESSOA FÍSICA

Leia mais

Suprimentos de fundos (adiantamentos) Manual de Suprimento de fundos Concessão, aplicação e prestação de contas

Suprimentos de fundos (adiantamentos) Manual de Suprimento de fundos Concessão, aplicação e prestação de contas Suprimentos de fundos (adiantamentos) Manual de Suprimento de fundos Concessão, aplicação e prestação de contas 1 Este manual foi desenvolvido com o objetivo de orientar e informar de forma direta sobre

Leia mais

PROCESSO - TC-3142/2005 INTERESSADO - PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRAÇU ASSUNTO - CONSULTA

PROCESSO - TC-3142/2005 INTERESSADO - PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRAÇU ASSUNTO - CONSULTA PROCESSO - TC-3142/2005 INTERESSADO - PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRAÇU ASSUNTO - CONSULTA SERVIÇO DE LIMPEZA PÚBLICA: 1. TERCEIRIZAÇÃO PELA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA - POSSIBILIDADE CONDICIONADA A: A) REALIZAR

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE POSSE, SEM TRANSFERÊNCIA DE DOMÍNIO

TRANSFERÊNCIA DE POSSE, SEM TRANSFERÊNCIA DE DOMÍNIO TRANSFERÊNCIA DE POSSE, SEM TRANSFERÊNCIA DE DOMÍNIO O presente estudo tem o intuito de analisar e diferenciar brevemente os institutos da cessão de uso, concessão de uso e concessão de direito real de

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015.

LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. LEI MUNICIPAL Nº 1191/2015, de 28-04-2015. DISPÕE SOBRE O SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DO MUNICÍPIO DE MORMAÇO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LUÍS CARLOS MACHADO PREFEITO MUNICIPAL DE MORMAÇO, Estado do Rio

Leia mais

JUSTIFICATIVA PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº003/2015 DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº001/2015

JUSTIFICATIVA PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº003/2015 DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº001/2015 JUSTIFICATIVA PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº003/2015 DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº001/2015 O B J E T O: Contratação de serviços para manutenção de servidor e firewalls Linux para servidores de aplicação, controle

Leia mais

POR QUE AS SUBVENÇÕES SOCIAIS NÃO SÃO ALCANÇADAS PELO MROSC

POR QUE AS SUBVENÇÕES SOCIAIS NÃO SÃO ALCANÇADAS PELO MROSC artigo POR QUE AS SUBVENÇÕES SOCIAIS NÃO SÃO ALCANÇADAS PELO MROSC Mariana Moreira * Kleyton Rogério Machado Araújo ** A Lei federal 13.019/2014, ou Marco Regulatório das Organizações Sociais (MROSC),

Leia mais

RESOLUÇÃO CRM-PR N.º 191/2013.

RESOLUÇÃO CRM-PR N.º 191/2013. RESOLUÇÃO CRM-PR N.º 191/2013. Dispõe sobre a obrigatoriedade dos Contratos firmados entre as Operadoras de Planos de Saúde e os Médicos seguirem as Normativas da ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 2.898/2014

MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 2.898/2014 MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO AUDITORIA INTERNA SECRETARIA DE ORIENTAÇÃO E AVALIAÇÃO PARECER SEORI/AUDIN-MPU Nº 2.898/2014 Referência : Correio eletrônico, de 17/9/2014. Protocolo AUDIN-MPU nº 1693/2014.

Leia mais

PARECER/CONSULTA TC-005/2010 PROCESSO - TC-6947/2008 INTERESSADO - BANESTES SEGUROS S/A ASSUNTO - CONSULTA

PARECER/CONSULTA TC-005/2010 PROCESSO - TC-6947/2008 INTERESSADO - BANESTES SEGUROS S/A ASSUNTO - CONSULTA DOE 5.11.2010 PROCESSO - TC-6947/2008 INTERESSADO - BANESTES SEGUROS S/A ASSUNTO - CONSULTA CONTRATO DE DOAÇÃO GLOBAL ANUAL DE SUCATA PERTENCENTE À EMPRESA PÚBLICA PARA ENTIDADES FILANTRÓPICAS - POSSIBILIDADE

Leia mais

CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E SUAS PRESTAÇÕES DE CONTAS. Seminário Administrativo Itapema/SC

CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E SUAS PRESTAÇÕES DE CONTAS. Seminário Administrativo Itapema/SC CONVÊNIOS, TERMOS DE COOPERAÇÃO E SUAS PRESTAÇÕES DE CONTAS. TERMOS DE COOPERAÇÃO. DO CONTROLE DA NECESSIDADE AO NECESSÁRIO CONTROLE. COFEN-COREN Lei nº. 5.905, de 12/07/1973. Art. 1º. São criados o Conselho

Leia mais

Decreto nº 7.568, de 16 de setembro de 2011

Decreto nº 7.568, de 16 de setembro de 2011 Decreto nº 7.568, de 16 de setembro de 2011 Diário Oficial da União nº 180, de 19 de setembro de 2011 (segunda-feira) Seção 1 Págs. 3 / 4 Atos do Poder Executivo DECRETO Nº 7.568, DE 16 DE SETEMBRO DE

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS DIREITO ADMINISTRATIVO CONTRATOS ADMINISTRATIVOS Atualizado em 22/10/2015 CONTRATOS ADMINISTRATIVOS São contratos celebrados pela Administração Pública sob regime de direito público com particulares ou

Leia mais

Especial Área Fiscal Direito Tributário Professor Irapuã Beltrão

Especial Área Fiscal Direito Tributário Professor Irapuã Beltrão 1 O que você aconselha para quem começa agora a se preparar para a área fiscal? Em primeiro lugar, deve ser elaborado algum tipo de planejamento de estudo, com reserva de tempo para aulas num bom curso

Leia mais

OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO

OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO FECAM Escola de Gestão Pública Municipal OBRAS PÚBLICAS: QUESTÕES PRÁTICAS DA LICITAÇÃO AO RECEBIMENTO Módulo II Chapecó, março/2012 1 Aspectos Legais da Licitação de Obras Denise Regina Struecker Auditora

Leia mais

CONVÊNIOS E CONSÓRCIOS

CONVÊNIOS E CONSÓRCIOS CONVÊNIOS E CONSÓRCIOS 1. LEGISLAÇÃO - Fundamentação Constitucional: Art. 241 da CF/88 - Fundamentação Legal: Art. 116 da Lei 8.666/93, 2. CONCEITO - CONVÊNIO - é o acordo firmado por entidades políticas

Leia mais

RESPOSTA A RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA N.º 07/2014 PROCESSO N.º 23368.000296.2014-17

RESPOSTA A RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA N.º 07/2014 PROCESSO N.º 23368.000296.2014-17 RESPOSTA A RECURSO ADMINISTRATIVO CONCORRÊNCIA N.º 07/2014 PROCESSO N.º 23368.000296.2014-17 DO OBJETO Trata-se de procedimento licitatório na modalidade Concorrência, cujo objeto é a contratação de empresa

Leia mais

Ata de julgamento de Impugnação ao Pregão Eletrônico AA 37/2007

Ata de julgamento de Impugnação ao Pregão Eletrônico AA 37/2007 Ata de julgamento de Impugnação ao Pregão Eletrônico AA 37/2007 COMBRAS ENGENHARIA LTDA. apresentou Impugnação ao Edital do Pregão Eletrônico AA nº 37/2007, que tem por objeto a contratação de empresa

Leia mais

Convênios, contrato de repasse e termo de cooperação. Considerações iniciais acerca do convênio

Convênios, contrato de repasse e termo de cooperação. Considerações iniciais acerca do convênio Convênios, contrato de repasse e termo de cooperação Gustavo Justino de Oliveira* Considerações iniciais acerca do convênio Nos termos do artigo 1.º, 1.º, inciso I, do Decreto 6.170/2007, considera- -se

Leia mais

RESOLUÇÃO N SÜ4- /2009-TCE/TO - 2a Câmara

RESOLUÇÃO N SÜ4- /2009-TCE/TO - 2a Câmara SLUKE. IAKIM i_ll_l rllivv Certifico e dou fé que a presente decisão o> publicada no Boletirn Oficial do TCE T'- n }QA Hp $G / 3 / v^ íisjzbl com data de circulágãg * "' / ^ ~J' ^--'í- TCE - TO TRIBUNAL

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS CÂMARA MUNICIPAL DE INHUMAS Palácio Fulgêncio Alves Soyer

ESTADO DE GOIÁS CÂMARA MUNICIPAL DE INHUMAS Palácio Fulgêncio Alves Soyer CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS N. 07/2013 Termo de contrato de prestação de serviços técnicos que entre si celebram a CÂMARA MUNICIPAL DE INHUMAS, pessoa jurídica de direito público, com sede na Praça

Leia mais

Terminais Alfandegados à Luz do Direito Administrativo

Terminais Alfandegados à Luz do Direito Administrativo Terminais Alfandegados à Luz do Direito Administrativo LEONARDO COSTA SCHÜLER Consultor Legislativo da Área VIII Administração Pública ABRIL/2013 Leonardo Costa Schüler 2 SUMÁRIO O presente trabalho aborda

Leia mais

Duração dos Contratos. Vinculação do Contrato. Manutenção das Condições de Habilitação e Qualificação. Foro

Duração dos Contratos. Vinculação do Contrato. Manutenção das Condições de Habilitação e Qualificação. Foro Vinculação do Contrato O contrato fica vinculado, obrigatoriamente, à proposta do contratado e aos termos da licitação realizada, ou aos termos do ato de dispensa ou inexigibilidade de licitação. Manutenção

Leia mais

UTILIZAÇÃO PARTICULAR DE BEM PÚBLICO

UTILIZAÇÃO PARTICULAR DE BEM PÚBLICO UTILIZAÇÃO PARTICULAR DE BEM PÚBLICO Autoria: Sidnei Di Bacco Advogado Particular pode utilizar, com exclusividade, loja pertencente à prefeitura municipal localizada no terminal rodoviário? Há necessidade

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 510, DE 22 DE JANEIRO DE 2015.

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 510, DE 22 DE JANEIRO DE 2015. SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N.º 510, DE 22 DE JANEIRO DE 2015. Dispõe sobre o registro de corretor de seguros, de capitalização e de previdência, pessoa física e pessoa jurídica,

Leia mais

PROCESSO N o : 9.773/00 INFORMAÇÃO N o : 118/00 INTERESSADO: Prefeitura Municipal de IPÚ-CE

PROCESSO N o : 9.773/00 INFORMAÇÃO N o : 118/00 INTERESSADO: Prefeitura Municipal de IPÚ-CE PROCESSO N o : 9.773/00 INFORMAÇÃO N o : 118/00 INTERESSADO: Prefeitura Municipal de IPÚ-CE Trata o presente protocolado de consulta apresentada pela Prefeitura Municipal de Ipú, subscrita pelo Exmo. Sr.

Leia mais

Dispensa de licitação

Dispensa de licitação Dispensa de licitação Introdução A CR/88 obriga em seu art. 37, XXI que a contratação de obras, serviços, compras e alienações, bem como a concessão e a permissão de serviços públicos pela Administração

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE

DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE DIREITO ADMINISTRATIVO CONTROLE Atualizado em 12/11/2015 CLASSIFICAÇÕES E SISTEMAS DE CONTROLE CLASSIFICAÇÕES DO CONTROLE Quanto ao posicionamento do órgão controlador: Externo: exercido por um ente que

Leia mais

Qualificação técnica. A documentação relativa à qualificação técnica limita-se a:

Qualificação técnica. A documentação relativa à qualificação técnica limita-se a: Observe, quando da contratação de empresas para realização de obras e/ou prestação de serviços, o disposto na Lei 8.212/91, que determina a exigência da Certidão Negativa de Débito da empresa na contratação

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES

REGULAMENTO INTERNO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES REGULAMENTO INTERNO DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES ADITIVO (03) AO TERMO DE CONVÊNIO 3756/10 que entre si celebram a FUNDAÇÃO SOCIAL DE CURITIBA e a VIDA PROMOÇÃO SOCIAL (VPS) A ASSOCIAÇÃO VIDA PROMOÇÃO SOCIAL

Leia mais

Interessados: Interessado: Ministério das Comunicações, Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL

Interessados: Interessado: Ministério das Comunicações, Agência Nacional de Telecomunicações - ANATEL Tribunal de Contas da União Número do documento: DC-0483-30/01-P Identidade do documento: Decisão 483/2001 - Plenário Ementa: Acompanhamento. ANATEL. Licitação. Outorga de direito de concessão para a exploração

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO ADEQUADO. Olá, pessoal, vamos falar um pouco hoje sobre serviços públicos.

SERVIÇO PÚBLICO ADEQUADO. Olá, pessoal, vamos falar um pouco hoje sobre serviços públicos. SERVIÇO PÚBLICO ADEQUADO Olá, pessoal, vamos falar um pouco hoje sobre serviços públicos. Segundo o art. 175 da CF/88, incumbe ao Poder Público, na forma da lei, a prestação de serviços públicos. Essa

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI N o 8.662, DE 7 DE JUNHO DE 1993. (Mensagem de veto). Dispõe sobre a profissão de Assistente Social e dá outras providências O

Leia mais

I sob o enfoque contábil: Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria

I sob o enfoque contábil: Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria Modelo de Projeto de Lei de Controle Interno Controladoria e Auditoria Dispõe sobre a organização e a atuação do Sistema de Controle Interno no Município e dá outras providências. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 1102/2011

PROJETO DE LEI Nº 1102/2011 PROJETO DE LEI Nº 1102/2011 EMENTA: ALTERA A LEI Nº 5981/2011, QUE DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO PORTAL DA TRANSPARÊNCIA DAS ONG S, OSCIP S E DEMAIS ENTIDADES QUE RECEBAM RECURSOS PÚBLICOS NO ESTADO DO RIO

Leia mais

ANEXO VII LEI Nº13.190 DE 11 DE JULHO DE

ANEXO VII LEI Nº13.190 DE 11 DE JULHO DE ANEXO VII LEI Nº13.190 DE 11 DE JULHO DE 2014 Dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício de 2015, e dá outras providências. Art. 60 - Sem prejuízo das disposições contidas nos demais artigos,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE LIMPEZA URBANA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE LIMPEZA URBANA ANEXO VI MINUTA DE CONTRATO CONTRATO que entre si fazem o DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE LIMPEZA URBANA e a empresa xxxxxxxx, para seguro contra terceiros para os veículos deste Departamento. O DEPARTAMENTO

Leia mais

PARECER Nº 03/2013. C ON S U L T A

PARECER Nº 03/2013. C ON S U L T A PARECER Nº 03/2013. EMENTA: CONSULTA DIVERSA. DOCUMENTAÇÃO PRECÁRIA. PARECER ABSTRATO. RESPEITO AOS PRAZOS DA COMISSÃO DE TRANSMISSÃO DE CARGOS E DE PRESTAÇÃO DE CONTAS. RESOLUÇÃO N. 1311/12 E N. 1060/05

Leia mais

Legalidade do custeio de cartões de visita e de fornecimento e manutenção de notebooks para vereadores

Legalidade do custeio de cartões de visita e de fornecimento e manutenção de notebooks para vereadores RELATORA: CONSELHEIRA ADRIENE ANDRADE Legalidade do custeio de cartões de visita e de fornecimento e manutenção de notebooks para vereadores EMENTA: CONSULTA LEGISLATIVO MUNICIPAL I. CUSTEIO DE CARTÕES

Leia mais

CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. Formalização, Execução e Rescisão. Direito Administrativo CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. Prof.

CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. Formalização, Execução e Rescisão. Direito Administrativo CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. Prof. Direito Administrativo Prof. Almir Morgado CONTRATOS ADMINISTRATIVOS Formalização, Execução e Rescisão Formalização do Contrato Administrativo Formalizar significa materializar o contrato em documento

Leia mais

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA

CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA CONTRATO DE ADESÃO AO PLANO ALTERNATIVO PLANO SUPER LIGAÇÃO 15 TARIFA ÚNICA TODO DIA TODA HORA Por este instrumento, em que são partes: de um lado a TELEFÔNICA BRASIL S.A., concessionária do Serviço Telefônico

Leia mais

CAPÍTULO I. Parágrafo Único - Sua duração é por tempo indeterminado. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA FUNDAÇÃO

CAPÍTULO I. Parágrafo Único - Sua duração é por tempo indeterminado. CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA FUNDAÇÃO ESTATUTO DA FUNDAÇÃO HOSPITAL SANTA LYDIA CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO, NATUREZA JURÍDICA, SEDE E FORO Artigo 1º - A FUNDAÇÃO HOSPITAL SANTA LYDIA, cuja instituição foi autorizada pela Lei Complementar nº

Leia mais

PARECER/CONSULTA TC-001/2006 PROCESSO - TC-3050/2005 INTERESSADO - BANESTES SEGUROS S/A ASSUNTO - CONSULTA

PARECER/CONSULTA TC-001/2006 PROCESSO - TC-3050/2005 INTERESSADO - BANESTES SEGUROS S/A ASSUNTO - CONSULTA PROCESSO - TC-3050/2005 INTERESSADO - BANESTES SEGUROS S/A ASSUNTO - CONSULTA DISPENSA DE LICITAÇÃO ARTIGO 24, INCISO VIII, DA LEI Nº 8.666/93 NÃO INCIDÊNCIA EM RELAÇÃO A ÓRGÃO OU ENTIDADE INTEGRANTE DA

Leia mais

RESOLUÇÃO T.C. Nº 0020/2005

RESOLUÇÃO T.C. Nº 0020/2005 RESOLUÇÃO T.C. Nº 0020/2005 EMENTA: Dispõe sobre os institutos da Organização Social OS e da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público OSCIP, regulamenta a prestação de contas dessas entidades

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 1º DE SETEMBRO DE 1997. Art. 1º Baixar as seguintes instruções a serem observadas pela Fiscalização do Trabalho.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 1º DE SETEMBRO DE 1997. Art. 1º Baixar as seguintes instruções a serem observadas pela Fiscalização do Trabalho. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03, DE 1º DE SETEMBRO DE 1997 Dispõe sobre a fiscalização do trabalho nas empresas de prestação de serviços a terceiros e empresas de trabalho temporário. O MINISTRO DE ESTADO DE

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO. Autor: Ivaldo Kuczkowski, Advogado Especialista em Direito Administrativo e Conselheiro de Tributos da Empresa AUDICONT Multisoluções.

TERCEIRIZAÇÃO. Autor: Ivaldo Kuczkowski, Advogado Especialista em Direito Administrativo e Conselheiro de Tributos da Empresa AUDICONT Multisoluções. TERCEIRIZAÇÃO Autor: Ivaldo Kuczkowski, Advogado Especialista em Direito Administrativo e Conselheiro de Tributos da Empresa AUDICONT Multisoluções. INTRODUÇÃO Para que haja uma perfeita compreensão sobre

Leia mais

Coordenação Geral de Tributação

Coordenação Geral de Tributação Fl. 11 Fls. 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 20 Data 13 de agosto de 2013 Origem COORDENAÇÃO GERAL DE CONTENCIOSO ADMINISTRATIVO E JUDICIAL (COCAJ) ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e

PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e PORTARIA TRT 18ª GP/DG nº 045/2013 (Republicada por força do art. 2 da Portaria TRT 18ª GP/DG nº 505/2014) Dispõe sobre a competência, a estrutura e a atuação da Secretaria de Controle Interno e dá outras

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade.

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

LEI Nº 4.081, DE 04 DE JANEIRO DE 2008 DODF DE 07.01.2008

LEI Nº 4.081, DE 04 DE JANEIRO DE 2008 DODF DE 07.01.2008 LEI Nº 4.081, DE 04 DE JANEIRO DE 2008 DODF DE 07.01.2008 Dispõe sobre a qualificação de entidades como organizações sociais no âmbito do Distrito Federal e dá outras providências. O GOVERNADOR DO DISTRITO

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 12/08/2008

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 12/08/2008 PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 12/08/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação de Pais e Mestres do Colégio

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Dispensa de licitação: não-obrigatoriedade de apresentação das documentações elencadas no art. 27 da Lei nº 8.666/93 Gustavo Bicalho Ferreira da Silva* INTRODUÇÃO Trata-se de considerações

Leia mais

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público;

CONSIDERANDO que deve haver compatibilidade entre o motivo do deslocamento e o interesse público; ATO DA MESA Nº 500, de 15 de julho de 2015 Dispõe sobre a concessão de diárias e passagens e a respectiva prestação de contas no âmbito da Assembleia Legislativa, e adota outras providências. A MESA DA

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013

PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013 PORTARIA NORMATIVA N 06/2013 de 16 DE DEZEMBRO de 2013 Dispõe sobre a concessão, aplicação e prestação de contas de suprimento de fundos no âmbito do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Santa Catarina

Leia mais

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR. física. EXCEPCIONALIDADE NA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE PESSOA FÍSICA

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR. física. EXCEPCIONALIDADE NA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE PESSOA FÍSICA GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR Orientação Técnica n 01/2015 Assunto: Contratação de serviços de pessoa física. Legislação: Lei n 4.320/64; Lei n 8.666/93;

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência: 11ª Reunião da Câmara Técnica de Unidades de Conservação e 36ª Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos Data: 27 e 28 de agosto

Leia mais

CLÁUSULA PRIMEIRA FUNDAMENTO LEGAL

CLÁUSULA PRIMEIRA FUNDAMENTO LEGAL CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº09/2015 Contrato celebrado entre a Câmara Municipal de São Simão e a Empresa CABOCLO MOVEIS E ELETRO LTDA- ME. CONTRATANTE: A CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO SIMÃO, pessoa jurídica de

Leia mais

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015.

DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. DECRETO N 001 A / 2015 De 02 de janeiro de 2015. EMENTA: Regulamenta o Sistema de Registro de Preços SRP previsto no art. 15 da Lei nº 8.666/93, no âmbito do Município de Central Bahia. O PREFEITO DO MUNICÍPIO

Leia mais

PROCESSO - TC-2216/2003 INTERESSADO - CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA TERESA ASSUNTO - CONSULTA

PROCESSO - TC-2216/2003 INTERESSADO - CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA TERESA ASSUNTO - CONSULTA PROCESSO - TC-2216/2003 INTERESSADO - CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA TERESA ASSUNTO - CONSULTA TELEFONIA CELULAR CONTRATAÇÃO PELO PODER LEGISLATIVO DE OPERADORA PARA ATENDER AOS VEREADORES, SERVIDORES E SEUS

Leia mais

DECRETO Nº 15.219 DE 30 DE JUNHO DE 2014

DECRETO Nº 15.219 DE 30 DE JUNHO DE 2014 DECRETO Nº 15.219 DE 30 DE JUNHO DE 2014 Regulamenta a Lei nº 12.949, de 14 de fevereiro de 2014 que estabelece mecanismos de controle do patrimônio público do Estado da Bahia, dispondo sobre provisões

Leia mais

Maratona Fiscal ISS Direito administrativo

Maratona Fiscal ISS Direito administrativo Maratona Fiscal ISS Direito administrativo 1. É adequada a invocação do poder de polícia para justificar que um agente administrativo (A) prenda em flagrante um criminoso. (B) aplique uma sanção disciplinar

Leia mais

ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO

ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO ANEXO 5 TERMO DE CONSTITUIÇÃO DE CONSÓRCIO Termo de Constituição de Consórcio 1 As Partes: A empresa (Nome da Empresa)..., com sede na cidade de..., (Endereço)..., com CNPJ n o..., Inscrição Estadual...,

Leia mais

PROCEDIMENTO LICITATÓRIO

PROCEDIMENTO LICITATÓRIO PROCEDIMENTO LICITATÓRIO FERNANDA CURY DE FARIA 1 RESUMO O presente artigo tem por objetivo analisar os principais aspectos do procedimento licitatório. Iniciaremos com a abordagem do conceito de licitação,

Leia mais

LEI Nº 1.048, de 12 de novembro de 2009.

LEI Nº 1.048, de 12 de novembro de 2009. LEI Nº 1.048, de 12 de novembro de 2009. Institui a Lei Geral Municipal da Microempresa, Empresa de Pequeno Porte e Microempreendedor Individual, e dá outras providências. CIRILDE MARIA BRACIAK, Prefeita

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº 01/99. A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares e regimentais, RESOLUÇÃO Nº 01/99 NORMAS DE ARRECADAÇÃO DIRETA MEDIANTE CONVÊNIO, alterações, aprova A PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA, no uso de suas atribuições legais, regulamentares

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 0001/12 Florianópolis, 21 de maio de 2012.

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 0001/12 Florianópolis, 21 de maio de 2012. ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 0001/12 Florianópolis, 21 de maio de 2012. Orienta os órgãos e entidades da Administração Pública Estadual a respeito da contratação de manutenção de bens imóveis. SEF 7366/2012.

Leia mais

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A.

POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A. CNPJ 02.328.280/0001-97 POLÍTICA DE NEGOCIAÇÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS DE EMISSÃO DA ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A. Companhia Aberta CNPJ/MF nº 02.238.280/0001-97 Rua Ary Antenor de Souza, nº 321,

Leia mais

RESPOSTA: No que tange à equipe técnica é importante observar que a licitante interessada, deverá respeitar todos os requisitos exigidos pelo Edital.

RESPOSTA: No que tange à equipe técnica é importante observar que a licitante interessada, deverá respeitar todos os requisitos exigidos pelo Edital. É possível a uma Fundação de Apoio a uma Universidade, participar da Concorrência nº 002/2013, sabendo-se que a execução técnica das atividades de elaboração do Manual de Contabilidade Regulatório será

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 542, DE 13 DE JANEIRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 542, DE 13 DE JANEIRO DE 2015 Publicada no DJE/STF, n.10, p. 1-3 em 16/01/2015 RESOLUÇÃO Nº 542, DE 13 DE JANEIRO DE 2015 Dispõe sobre as prerrogativas, as responsabilidades, a competência e a atuação da Secretaria de Controle Interno

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Olá, pessoal! Trago hoje uma pequena aula sobre a prestação de serviços públicos, abordando diversos aspectos que podem ser cobrados sobre o assunto. Espero que gostem. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PÚBLICOS O

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 12672

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER Nº 12672 PARECER Nº 12672 Faixas de domínio marginais às estradas de rodagem cuja exploração é objeto de contrato de concessão. Uso por particulares, sem exclusividade. Autorização. Competência. Licitação. Expondo

Leia mais

Gabarito 1 Gabarito 2 Gabarito 3 Gabarito 4 11 1 51 21 E E E E PARECER

Gabarito 1 Gabarito 2 Gabarito 3 Gabarito 4 11 1 51 21 E E E E PARECER 11 1 51 21 E E E E Houve interposição de recursos em que os recorrentes, resumidamente, aduziram que a questão deveria ser anulada ou ter o gabarito modificado em virtude de que haveria duas opções com

Leia mais

DECISÃO DE IMPUGNAÇÃO AO EDITAL PREGÃO PRESENCIAL Nº 05/2011

DECISÃO DE IMPUGNAÇÃO AO EDITAL PREGÃO PRESENCIAL Nº 05/2011 DECISÃO DE IMPUGNAÇÃO AO EDITAL PREGÃO PRESENCIAL Nº 05/2011 Impugnação ao edital da licitação em epígrafe, proposta por NORTH SEGURANÇA LTDA, mediante protocolo nº 2011/004806, datado de 06/09/2011. 1

Leia mais

QUESTÕES DE CONCURSOS FISCAL DE RENDAS ICMS/RJ - 2010

QUESTÕES DE CONCURSOS FISCAL DE RENDAS ICMS/RJ - 2010 QUESTÕES DE CONCURSOS FISCAL DE RENDAS ICMS/RJ - 2010 01 A respeito da validade dos atos administrativos, assinale a alternativa correta. a) A Administração Pública do Estado do Rio de Janeiro pode convalidar

Leia mais

RESOLUÇÃO 942 / 99. Assunto: Aprovação das "NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA", e revogação da Resolução nº 823/94, de 13.4.94.

RESOLUÇÃO 942 / 99. Assunto: Aprovação das NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA, e revogação da Resolução nº 823/94, de 13.4.94. RESOLUÇÃO 942 / 99 Assunto: Aprovação das "NORMAS PARA CADASTRAMENTO DE EMPRESAS DE CONSULTORIA", e revogação da Resolução nº 823/94, de 13.4.94. Referência: INFORMAÇÃO PADRONIZADA SD/CCE - 01 /99, de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO. Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Resolução n 027/2011-CONSU De 22 de dezembro de 2011 Regulamenta as normas para o relacionamento entre a Universidade Federal do Amapá e as Fundações de Apoio prevista na Lei n 8.958, de 20 de dezembro

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 56, DE 5 DEZEMBRO DE 2007 Dispõe sobre instauração e organização de processo de tomada de contas especial e dá outras providências. O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso do

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores ANTÔNIO CARLOS MALHEIROS (Presidente) e LEONEL COSTA.

PODER JUDICIÁRIO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores ANTÔNIO CARLOS MALHEIROS (Presidente) e LEONEL COSTA. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N í um! mil mu um mu um um mu m m *03417005* Vistos, relatados e discutidos estes

Leia mais

AULA 10: CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. Professor Thiago Gomes

AULA 10: CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. Professor Thiago Gomes AULA 10: CONTRATOS ADMINISTRATIVOS Professor Thiago Gomes 1. NOS CAPÍTULOS ANTERIORES... 2. CONTEXTUALIZAÇÃO O QUE VEM NA MENTE QUANDO OUVIMOS A PALAVRA CONTRATOS ADMINISTRATIVOS? 1. CONCEITO - CONTRATOS

Leia mais

CÓPIA. Relatório. 27 Cosit SRRF06/DISIT

CÓPIA. Relatório. 27 Cosit SRRF06/DISIT Fl. 11 Fls. 1 nfls txtfls Solução de Consulta Interna nº MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL COORDENAÇÃO GERAL DE TRIBUTAÇÃO 27 Data 13 de setembro de 2013 Origem SRRF06/DISIT

Leia mais

A licitação por lote único na doutrina e na jurisprudência:

A licitação por lote único na doutrina e na jurisprudência: A licitação por lote único na doutrina e na jurisprudência: Autor: André Pataro Myrrha de Paula e Silva Analista Jurídico do Ministério Público de Minas Gerais Uma prática que tem se tornado comum por

Leia mais

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO TOCANTINS. PREGÃO PRESENCIAL Edital de Licitação nº 037/2014

SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO TOCANTINS. PREGÃO PRESENCIAL Edital de Licitação nº 037/2014 SERVIÇO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO TOCANTINS PREGÃO PRESENCIAL Edital de Licitação nº 037/2014 ASSUNTO: Impugnação ao Edital oferecida pela empresa CLARO/S.A. DECISÃO DA COMISSÃO ESPECIAL

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE BIOMEDICINA 1ª REGIÃO

CONSELHO REGIONAL DE BIOMEDICINA 1ª REGIÃO 1 CARTA CONVITE n.º 001/2011 São Paulo, 20 de outubro de 2011. O CONSELHO REGIONAL DE BIOMEDICINA - 1ª REGIÃO, nos termos da autorização constante no Processo Administrativo em epígrafe, vem, por intermédio

Leia mais

Ilegalidade da retenção pela Administração Pública dos pagamentos devidos a contratada com irregularidade fiscal

Ilegalidade da retenção pela Administração Pública dos pagamentos devidos a contratada com irregularidade fiscal Ilegalidade da retenção pela Administração Pública dos pagamentos devidos a contratada com irregularidade fiscal Leone Coelho Bagagi Mestrando em Administração Pública pela Universidade Federal da Bahia

Leia mais

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012.

*Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. *Decreto 26.200/2012: DECRETO Nº 26.200, DE 16 DE JULHO DE 2012. DISPÕE SOBRE A REGULAMENTAÇÃO DA LEI COMPLEMENTAR Nº 489, DE 31 DE MAIO DE 2012. O Prefeito Municipal de Chapecó, Estado de Santa Catarina,

Leia mais

Sra. Procuradora-Geral:

Sra. Procuradora-Geral: PARECER Nº 13.746 DOAÇÃO DE BEM IMÓVEL, ONDE IMPLANTADA ESCOLA MUNICIPAL, AO MUNICÍPIO DE CAPIVARI. VIABILIDADE, DESDE QUE PRESENTE INTERESSE PÚBLICO DEVIDAMENTE JUSTIFICADO, FEITA PRÉVIA AVALIAÇÃO DO

Leia mais

CONTRATO 011/2010 DESCRIÇÃO DO MATERIAL/SERVIÇO

CONTRATO 011/2010 DESCRIÇÃO DO MATERIAL/SERVIÇO PROCESSO Nº 129710/2010 PREGÃO Nº 002/2010 UNIOESTE/CAMPUS DE TOLEDO CONTRATO 011/2010 CLÁUSULA PRIMEIRA OBJETO Contrato objetivando a seleção de propostas visando registro de preços de Serviços de Hospedagem

Leia mais